Cadernos de Extensão: Comportamento Ético e Responsabilidade Social

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cadernos de Extensão: Comportamento Ético e Responsabilidade Social"

Transcrição

1 Cadernos de Extensão: Comportamento Ético e Responsabilidade Social P R O G R A M A D E R E S P O N S A B I L I D A D E S O C I A L D A FA C U L D A D E D O S G U A R A R A P E S 1

2 Responsáveis Institucionais Faculdade dos Guararapes Direção Acadêmica Regional Pierre Lucena Rabonni Direção da Acadêmica de Qualidade Vanessa Pereira Piasson Maziero Direção de Extensão Raniere Rodrigues dos Santos Direção de Pesquisa e Iniciação Científica José Vergolino Direção de Pós Graduação Maria Isabel Viana Ficha Editorial Coordenação de Extensão Elaboração Raniere Rodrigues dos Santos Revisão Gabriela Ramos do Nascimento Bispo Editoração Arthur Felipe Dias da Silva 2

3 Apresentação É com muita satisfação que a Coordenação de Extensão da Faculdade dos Guararapes preparou a coletânea intitulada Cadernos de Extensão da qual faz parte um conjunto de informações acerca das atividades de extensão que são desenvolvidas e implementadas nos ambientes acadêmico e administrativo da instituição. Buscou-se incentivar e disseminar informações e conhecimentos relevantes para a sociedade em sua mais ampla integração, por meio de valores e práticas inerentes ao que se defende como necessário aos tempos atuais, assim, em 2015, a coletânea dos Cadernos de Extensão possui as seguintes temáticas: 1.Extensão e Sociedade Uma Contribuição da Faculdade dos Guararapes 2.Comportamento Ético e Responsabilidade Social 3.Sustentabilidade e Educação Ambiental 4.Diversidade e Relações Étnico-Raciais 5.Direitos Humanos e Cidadania 6.Cultura e Patrimônio Uma Apreciação ao Jaboatão dos Guararapes 3

4 Nossa maior preocupação é poder expandir os saberes para os mais diversos espaços existentes, que o estudante, o professor e o profissional que trabalha na instituição possam compartilhar cada vez mais um ambiente de instrução e aprendizado, onde a constância e propósitos valorativos sejam contínuos e atinjam a todos em seus mais diversos espaços. Neste caderno, incentivamos a preocupação com a compreensão acerca do Comportamento Ético que envolve atitudes e respeito das pessoas para com o meio em que vivem, bem como na relação interpessoal e da Responsabilidade Social e sua compreensão plena, indo muito além do contexto da assistência social ao qual é geralmente associada. A Responsabilidade Social deve ser uma preocupação de todos os níveis de uma empresa, pois está presente desde o espaço voltado a lucratividade e ao ambiente legal, assim como a preocupação com a qualidade de vida e com as pessoas no seu convívio social. 4

5 Sumário 1. O que é o Comportamento Ético? 2. Os Pontos de Vista do Comportamento Ético 3. Questões Culturais do Comportamento Ético 4. Ética no Ambiente de Trabalho 5. Mantendo Padrões Éticos Elevados 6. Responsabilidade Social Corporativa 7. Crenças de Liderança que Direcionam Práticas Socialmente Responsáveis 8. Critérios para Avaliar o Desempenho Social 9. Organizações e Sociedade 10. Papel da Governança Corporativa 5

6 O que é Comportamento Ético? PARA QUE POSSAMOS DESENVOLVER UMA SOCIEDADE MAIS INTEGRADA É PRECISO CADA VEZ MAIS DESENVOLVER HABILIDADES E COMPORTAMENTOS INERENTES AS LEIS, VALORES E AO COMPORTAMENTO ÉTICO, POR ISSO TRANSCREVEMOS ALGUMAS DEFINIÇÕES COMO: A ética estabelece padrões de bem e mal ou certo e errado, para a conduta de uma pessoa. O Comportamento Ético é certo ou bom no contexto de um código moral prevalecente. Valores são crenças amplas sobre o que é um comportamento adequado. Valores terminais são preferências sobre os resultados e suas consequências. Valores Instrumentais são preferências relativas aos meios para se chegar aos fins desejados. 6

7 Os Pontos de Vista do Comportamento Ético AS PESSOAS IRÃO CONSTRUIR A PARTIR DE SUAS RELAÇÕES E DA CONVIVÊNCIA UNS COM OS OUTROS SEUS VALORES, POR ISSO SE DESCREVE A ÉTICA SOB DIFERENTES PONTOS DE VISTA QUE SÃO IMPORTANTES PARA O DESENVOLVIMENTO DO SABER. Do ponto de vista utilitário, o comportamento ético proporciona o maior benefício para a maioria das pessoas. Do ponto de vista individualista, o comportamento ético busca interesses próprios no longo prazo. Do ponto de vista dos direitos morais, o comportamento ético respeita e protege os direitos fundamentais. Do ponto de vista da justiça, o comportamento ético trata as pessoas de maneira justa e imparcial. A justiça processual procura fazer com que as políticas e leis sejam aplicadas de forma justa. A justiça distributiva procura fazer com que as pessoas sejam tratadas de forma igual, independente de suas características pessoais. Justiça Interacional envolve o grau de dignidade e respeito com que os outros devem ser tratados. 7

8 Pontos de Vista do Comportamento Ético Ponto de Vista Individualista Ponto de Vista dos Direitos Morais Uma decisão ou comportamento conserva os direitos fundamentais de todos os seres humanos? Uma decisão ou comportamento promove os interesses próprios de alguém a longo prazo? Ponto de Vista da Justiça Uma decisão ou comportamento demonstra justiça e imparcialidade? Ponto de Vista Utilitário Uma decisão ou comportamento traz maior benefício para a maior parte das pessoas? Quatro pontos de vista de comportamento ético. Fonte: Schermerorn,

9 QUESTÕES CULTURAIS NO COMPORTAMENTO ÉTICO Relativismo Cultural Nenhuma ética de uma cultura é superior. Os valores e práticas do cenário local determinam o que é certo ou errado Quando em Roma, faça como os romanos. Imperialismo Ético Certas verdades absolutas se aplicam em todo lugar. Valores universais transcendem culturas na determinação do que é certo ou errado. Não faça nada que não faria em casa. Os extremos do relativismo cultural e imperialismo ético na ética empresarial internacional. O relativismo cultural sugere que não existe uma forma certa de se comportar; o comportamento ético é determinado por seu contexto cultural. O universalismo sugere que os padrões éticos se apliquem da mesma forma em todas as culturas. O imperialismo ético é uma tentativa de impor os padrões éticos de uma cultura sobre as outras. 9

10 Ética no ambiente de trabalho DILEMAS ÉTICOS NO TRABALHO Um dilema ético é uma situação que, embora ofereça um benefício ou ganho potencial, é também antiética. Essa é, com frequência, uma situação na qual alguma coisa precisa ser feita, mas para a qual não existe um consenso claro sobre certo e errado. A responsabilidade de fazer melhores escolhas recai sobre o indivíduo. ÁREAS DE PROBLEMAS ÉTICOS PARA OS GERENTES Discriminação Assédio sexual Conflitos de interesse Confiança do cliente Recursos organizacionais 10

11 Ética no Ambiente de Trabalho JUSTIFICATIVAS PARA O COMPORTAMENTO ANTIÉTICO Por que pessoas que são sérias em outras questões acabam justificando ações antiéticas? Depois de fazer algo que possa ser considerado antiético, alguém tentando se justificar diria: Não é totalmente ilegal. Isso expressa uma falsa crença de que o comportamento de alguém seja aceitável. QUATRO MODOS DE PENSAR SOBRE COMPORTAMENTO ÉTICO Convencer a si mesmo de que o comportamento não é de todo ilegal. Convencer a si mesmo de que o comportamento trará benefícios para todos. Convencer a si mesmo de que ninguém jamais descobrirá o que você fez. Convencer a si mesmo de que a organização irá protegê-lo. 11

12 Ética no Ambiente de Trabalho FATORES QUE INFLUENCIAM O COMPORTAMENTO ÉTICO A pessoa - influências familiares, valores religiosos, padrões pessoais, além de necessidades pessoais, financeiras e de outra natureza ajudarão a determinar a conduta ética de uma pessoa em determinadas circunstâncias. A Organização É outra influência importante na ética do ambiente de trabalho. Chefes podem causar impactos importantes sobre o comportamento de seus subordinados O Ambiente as organizações operam em ambientes competitivos influenciados pelas legislações e regulamentações governamentais, além de valores e normas sociais. 12

13 Ética no Ambiente de Trabalho FATORES QUE INFLUENCIAM O COMPORTAMENTO ÉTICO O gerente como pessoa Influências familiares; Valores religiosos; Padrões e necessidades pessoais. A Organização como empregadora Políticas e códigos de conduta; Comportamento dos supervisores e colegas; Cultura organizacional. Ambiente Externo Regulamentações governamentais; Normas e valores da sociedade; Clima ético do segmento. Comportamento ético gerencial 13

14 Mantendo Padrões Éticos Elevados TREINAMENTO EM ÉTICA O treinamento em ética busca ajudar as pessoas a entenderem os aspectos éticos da tomada de decisão e a incorporar padrões éticos elevados em seu comportamento diário. PROTEÇÃO A DENUNCIANTES Um denunciante expõe as más práticas de outras organizações. 14

15 Responsabilidade Social Corporativa Responsabilidade social corporativa é o compromisso de uma organização de servir a seus próprios interesses, aos da sociedade e todos os seus Stakeholders. Os stakeholders organizacionais são diretamente afetados pelo comportamento da organização e têm interesse em seu desempenho, são eles: Colaboradores Clientes Fornecedores Proprietários Competidores Reguladores Grupos de interesse 15

16 CRENÇAS DE LIDERANÇA QUE DIRECIONAM PRÁTICAS SOCIALMENTE RESPONSÁVEIS Pessoas acreditar que as pessoas trabalham com toda a sua capacidade em ambientes de trabalho saudáveis, onde exista um equilíbrio entre o trabalho e a vida familiar. Longo prazo acreditar que as organizações devem ser gerenciadas e guiadas para o sucesso de longo prazo. Meio ambiente - acreditar que as organizações saem ganhando quando respeitam a natureza e o meio ambiente. Reputação acreditar que a reputação deve ser protegida para assegurar o apoio de consumidores e stakeholders. 16

17 17

18 A sociedade deseja que as empresas, bem como outras grandes instituições, assumam uma responsabilidade social significativa. A Responsabilidade Social se tornou marca de maturidade, de organização global... A empresa que vacilar ou preferir não entrar na arena da responsabilidade social pode acabar descobrindo que irá gradualmente afundar na preferência pública e de seus clientes 18

19 CARACTERÍSTICAS DESCRIÇÃO (FONTE: RESPONSABILIDADESOCIAL.COM) PLURALIDADE Envolve os funcionários, a mídia, o governo, o setor não-governamental e ambiental e, por fim, as comunidades com que opera. DISTRIBUTIVA Deve orientar-se pela cadeia produtiva, compreendendo a responsabilidade a partir dos fornecedores e também consumidores e fazer valer seus códigos de ética aos produtos e serviços usados ao longo de seus processos produtivos. SUSTENTABILIDADE TRANSPARÊNCIA O desenvolvimento sustentável não só se refere ao ambiente, mas por via do fortalecimento de parcerias duráveis, promove a imagem da empresa como um todo e, por fim, leva ao crescimento orientado. Uma postura sustentável é por natureza preventiva e possibilita a prevenção de riscos futuros, como impactos ambientais ou processos judiciais. Divulgar sua performance social e ambiental, os impactos de suas atividades e as medidas tomadas para prevenção ou compensação de acidentes. Conteúdo básico da Responsabilidade Social 19

20 20

21 Uma atitude de responsabilidade social avalia as realizações de uma organização em todas a áreas. 21

22 Os critérios para avaliar o desempenho social corporativo envolvem as dimensões de submissão que são obrigatórias e básicas e as dimensões de convicção que estão ligadas ao comportamento ético e o compromisso com a sociedade Zona de Submissão Zona de Convicção Responsabilidade Econômica Responsabilidade Legal Responsabilidade Ética Responsabilidade Discricionária Seja Rentável Obedeça as Leis Seja Ético Faça o que é Certo Evite Danos Contribua para a Comunidade e para a Qualidade de Vida R. DAFT, 2010 Baseado em Archie Carroll

23 As Estratégias de Responsabilidade Social estão diretamente ligadas às dimensões das zonas de convicção e submissão e seu desenvolvimento implica na compreensão do nível de maturidade em responsabilidade social presente na organização Estratégia Proativa Estratégia de acomodação Estratégia defensiva Estratégia obstrucionista Assuma a liderança nas iniciativas sociais Cumpra com as responsabilidades econômicas, legais, éticas e discricionárias Faça o mínimo eticamente exigido Cumpra com as responsabilidades econômicas, legais e éticas. Faça o mínimo Legalmente exigido Cumpra com as responsabilidades econômicas e legais. Combata as exigências sociais Cumpra com as responsabilidades econômicas. Comprometimento para com as responsabilidades sociais corporativas SCHERMEROHRN,

24 Organizações e Sociedade esta relação envolve compromissos éticos e comportamentos responsáveis diante das demandas correspondentes ao que é bom e correto É FUNDAMENTAL REFLETIR COMO OS GOVERNOS INFLUENCIAM AS ORGANIZAÇÕES E COMO SUAS DECISÕES IMPACTAM NA VIDA EM SOCIEDADE Os Executivos reclamam que o excesso de leis e regras incomodam demais. Os clamores públicos para o desmantelamento da burocracia e desregulamentação dos negócios mostram a preocupação de que alguns órgãos e legislações não funcionam bem. É TAMBÉM FUNDAMENTAL COMPREENDER COMO AS ORGANIZAÇÕES INFLUENCIAM OS GOVERNOS NO AMBIENTE DAS DECISÕES QUE NATURALMENTE IMPACTAM NA VIDAM DAS PESSOAS A atividade da prática de lobby visa expressar opiniões e preferências a membros do governo. Os comitês políticos coletam contribuições para serem doadas às campanhas políticas. 24

25 A RELAÇÃO ENTRE ORGANIZAÇÃO E A SOCIEDADE POSSUI UMA GRANDE INFLUÊNCIA DO FENÔMENO CHAMADO PAPEL DA GOVERNANÇA CORPORATIVA, QUE DEFINE E DIRECIONA OS CAMINHOS E RUMOS DAS EMPRESAS BEM COMO DAS MELHORES PRÁTICAS QUE DEVEM BENEFICIAR O GRUPO DE PESSOAS QUE A COMPÕEM. Governança corporativa é a supervisão da alta gerência feita por um conselho de administração. Trata-se, na realidade, de estabelecer e manter padrões elevados. Líder Desempenho Alcançado com Padrões éticos elevados Responsabilidade Social Fonte: R. DAFT,

26 Referências SCHERMERHORN, John R. Administração. Trad. Mario Persona. Revisão técnica: Sandra Regina Holanda Mariano. Rio de Janeiro: LTC, DAFT, Richard L. Administração. Revisão técnica: Denis Forte; Trad. Harue Ohara Avritcher. São Paulo: Cengage Learning,

Cadernos de Extensão: Sustentabilidade e Meio Ambiente PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA FACULDADE DOS GUARARAPES

Cadernos de Extensão: Sustentabilidade e Meio Ambiente PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA FACULDADE DOS GUARARAPES Cadernos de Extensão: Sustentabilidade e Meio Ambiente PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA FACULDADE DOS GUARARAPES 1 Responsáveis Institucionais Faculdade dos Guararapes Direção Acadêmica

Leia mais

Bacharel em Administração UFCG (2003); Intercâmbio acadêmico em Gestão de Empresas - Université Jean Moulin, França (2004).

Bacharel em Administração UFCG (2003); Intercâmbio acadêmico em Gestão de Empresas - Université Jean Moulin, França (2004). Professor e Consultor de Empresas, atuo no ensino superior e técnico, ministrando cursos e treinamentos voltados a gestão de empresas, gestão da qualidade, sistemas de informação e produção e realizo consultoria

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética MENSAGEM DO PRESIDENTE O Código de Conduta Ética das Empresas Concremat contempla os princípios que devem estar presentes nas relações da empresa com seus colaboradores, clientes,

Leia mais

MANUAL DE INTEGRAÇÃO - DIRETORIA Edição 1 Balneário Camboriú, novembro de 2014.

MANUAL DE INTEGRAÇÃO - DIRETORIA Edição 1 Balneário Camboriú, novembro de 2014. MANUAL DE INTEGRAÇÃO - DIRETORIA Edição 1 Balneário Camboriú, novembro de 2014. OBJETIVO O presente manual se destina a orientar a diretoria da ACIBALC, quanto à administração de suas pastas, o gerenciamento

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING O Código de Conduta Ética é um instrumento destinado a aperfeiçoar os relacionamentos da organização e elevar o clima de confiança nela existente. Este Código tem

Leia mais

I Mensagem do Presidente... 2. II O Representante Oficial do Código de Ética da J. Moraes... 3

I Mensagem do Presidente... 2. II O Representante Oficial do Código de Ética da J. Moraes... 3 Código de Ética p. 1/8 Índice I Mensagem do Presidente... 2 II O Representante Oficial do Código de Ética da J. Moraes... 3 III Declaração de Reconhecimento do funcionário da empresa... 4 IV Fornecedores

Leia mais

POLÍTICA DE DIVERSIDADE DO GRUPO EDP

POLÍTICA DE DIVERSIDADE DO GRUPO EDP POLÍTICA DE DIVERSIDADE DO GRUPO EDP CONTEXTO Respeitar a diversidade social e a representatividade presente nas comunidades em que as organizações se inserem é um dever ético e simultaneamente um fator

Leia mais

Código de Ética LLTECH

Código de Ética LLTECH Código de Ética LLTECH Quem somos A LLTECH é uma empresa que oferece soluções inovadoras para automação e otimização de processos industriais, fornecendo toda a parte de serviços e produtos para automação

Leia mais

II Encontro para Reflexões e Práticas de Responsabilidade Social

II Encontro para Reflexões e Práticas de Responsabilidade Social II Encontro para Reflexões e Práticas de Responsabilidade Social Nosso ponto de partida Responsabilidade Social: conceito em evolução e práticas em difusão, sendo incorporadas ao cotidiano dos empresários

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2/11 Sumário 1. Conceito... 3 2. Objetivo... 3 3. Áreas de aplicação... 3 4. Diretrizes... 4 4.1 Princípios... 4 4.2 Estratégia de e Responsabilidade

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa

Política de Responsabilidade Corporativa Política de Responsabilidade Corporativa Índice 1. Introdução...04 2. Área de aplicação...04 3. Compromissos e princípios de atuação...04 3.1. Excelência no serviço...05 3.2. Compromisso com os resultados...05

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA HABITÁGUA

CÓDIGO DE ÉTICA DA HABITÁGUA CÓDIGO DE ÉTICA DA HABITÁGUA ÍNDICE PREÂMBULO... 3 CÓDIGO DE ÉTICA... 5 Secção I: PARTE GERAL............................................... 6 Secção II: PRINCÍPIOS... 8 Secção III: DEVERES CORPORATIVOS...

Leia mais

Código de Ética e Conduta em Relações Comerciais Bridge Research

Código de Ética e Conduta em Relações Comerciais Bridge Research Código de Ética e Conduta em Relações Comerciais Bridge Research Missão Ser a referência no Brasil em soluções de pesquisa de mercado que utilizem tecnologia como uma plataforma para melhorar a decisão

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA RECEBA MAIS QUE TECNOLOGIA

CÓDIGO DE ÉTICA RECEBA MAIS QUE TECNOLOGIA CÓDIGO DE ÉTICA RECEBA MAIS QUE TECNOLOGIA Código de Ética e de Responsabilidade Social Propósitos A ACE Schmersal tem uma atuação corporativa pautada em valores éticos e morais. Estes mesmos valores regem

Leia mais

Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência

Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência Introdução O panorama que se descortina para os próximos anos revela um quadro de grandes desafios para as empresas. Fatores como novas exigências dos

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA RESOLUÇÃO Nº 02/2004

CÓDIGO DE ÉTICA RESOLUÇÃO Nº 02/2004 CÓDIGO DE ÉTICA RESOLUÇÃO Nº 02/2004 O Conselho Diretor Nacional (CDN) do IBEF, no uso de suas atribuições estatutárias, leva ao conhecimento dos quadros sociais das seccionais membros do IBEF Nacional

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP 2008-2 1 Apresentação A SABESP a partir da sua própria missão de prestar serviços de saneamento, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e do meio ambiente constitui-se

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS 1. INTRODUÇÃO Entende-se como responsabilidade socioambiental, no âmbito da Magliano SA CCVM, o processo contínuo de: Respeito e proteção aos direitos humanos por meio da promoção de diversidade, inclusão

Leia mais

Código de Ética Nas Relações com as Partes Interessadas Com os Clientes e a Concorrência

Código de Ética Nas Relações com as Partes Interessadas Com os Clientes e a Concorrência Código de Ética Conduzimos nossos negócios dentro de uma estrutura de padrões profissionais, legislações, regulamentações e políticas internas. Entretanto, temos consciência que essas normas não necessariamente

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO AMBIENTE DE TRABALHO

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO AMBIENTE DE TRABALHO POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO AMBIENTE DE TRABALHO Versão 1.0 RES nº 101/2014, 09/12/2014 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Aplicação... 3 3. Conceitos... 3 4. Referências... 4

Leia mais

P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria RH e área Corporativa Outros

P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria RH e área Corporativa Outros Favor indicar sua função na empresa: 37% 23% N=30 7% 13% 7% 13% P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria RH e área Corporativa Outros Outros: Agrônomo Agrícola Gestão da Qualidade e Meio

Leia mais

GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 1

GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 1 GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 1 07/12/15 17:39 GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 2 07/12/15 17:39 APRESENTAÇÃO Carta do Presidente do Conselho de Administração Pessoas e equipes são valorizadas na Concessionária

Leia mais

Planejamento. Estratégico

Planejamento. Estratégico Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Conceitos Preliminares Planejamento É o processo derivado da função da administração de planejar, que significa especificar os objetivos a serem atingidos

Leia mais

Como sobreviver e crescer em tempos de crise? Como tornar sua empresa mais produtiva?

Como sobreviver e crescer em tempos de crise? Como tornar sua empresa mais produtiva? Portfólio 2015 IP Como sobreviver e crescer em tempos de crise? Como tornar sua empresa mais produtiva? Como fazer com que as pessoas trabalhem mais e felizes? Como implantar um modelo de gestão de vanguarda?

Leia mais

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015]

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Introdução As Organizações da Aliança Global Wycliffe desejam expressar a unidade e a diversidade do Corpo

Leia mais

Sumário. Declaração de seus princípios fundamentais... 4 Missão... 4 Visão... 4 Valores... 4

Sumário. Declaração de seus princípios fundamentais... 4 Missão... 4 Visão... 4 Valores... 4 1 Sumário Declaração de seus princípios fundamentais... 4 Missão... 4 Visão... 4 Valores... 4 Política de Responsabilidade Social... 4 Partes interessadas... 5 Público externo... 5 Público interno...

Leia mais

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS 1 O Método do Caso e o Ensino em Administração O uso do Método do Caso nas escolas de administração no Brasil é relativamente recente, embora não haja

Leia mais

MANUAL DE CONDUTA ÉTICA E EMPRESARIAL GRUPO VIVO SABOR

MANUAL DE CONDUTA ÉTICA E EMPRESARIAL GRUPO VIVO SABOR MANUAL DE CONDUTA ÉTICA E EMPRESARIAL GRUPO VIVO SABOR INTRODUÇÃO Ciente de sua responsabilidade como fornecedora de refeições coletivas e prestadora de serviços, o Grupo Vivo Sabor divulga seu Manual

Leia mais

Carta de Convivência da Fundação Dom Cabral

Carta de Convivência da Fundação Dom Cabral Carta de Convivência da Fundação Dom Cabral Mensagem de Abertura Elaborada na sua primeira versão em 2006, a Carta de Convivência da FDC expressa o compromisso da instituição com a transparência e com

Leia mais

Disciplina: Rotinas de Departamento Pessoal. Prof. Robson Soares

Disciplina: Rotinas de Departamento Pessoal. Prof. Robson Soares Disciplina: Rotinas de Departamento Pessoal Prof. Robson Soares Capítulo 4 Aplicando Pessoas Na gestão de pessoas estudamos seis processos de administração de recursos humanos; processos de agregar pessoas,

Leia mais

Código de Conduta Nossa forma de fazer negócios

Código de Conduta Nossa forma de fazer negócios Código de Conduta Nossa forma de fazer negócios pwc Atuamos de forma profissional. Fazemos negócios com integridade. Preservamos a reputação da Firma e de nossos clientes. Respeitamos as pessoas e o meio

Leia mais

Marketing/Vendas. Financeiro/Controladoria. Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros

Marketing/Vendas. Financeiro/Controladoria. Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros Favor indicar sua função na empresa: 54% N=107 5% 11% 2% 12% 16% P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros Outros:

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Objetivos desta unidade: Ao final desta

Leia mais

A SINIGAGLIA, endossa e pratica de forma sistemática os princípios do Pacto Global 1 da ONU, integrando-os a seus processos:

A SINIGAGLIA, endossa e pratica de forma sistemática os princípios do Pacto Global 1 da ONU, integrando-os a seus processos: INTRODUÇÃO O regime da livre iniciativa impõe às organizações e seus integrantes a conduzirem-se dentro de um ambiente de respeito e entendimento, zelando para que toda e qualquer forma de relacionamento,

Leia mais

Declaração de apoio continuado pelo diretor executivo (CEO)

Declaração de apoio continuado pelo diretor executivo (CEO) Declaração de apoio continuado pelo diretor executivo (CEO) Brasil, São Paulo, maio de 2016. Tenho o prazer de confirmar que a Italit Indústria e Comércio Ltda. reafirma o seu apoio aos Dez Princípios

Leia mais

COMPROMISSO HONESTIDADE PARCERIA TRANSPARÊNCIA CÓDIGO DE ÉTICA INTEGRIDADE VALORES RESPEITO SUCESSO. Versão 01-13

COMPROMISSO HONESTIDADE PARCERIA TRANSPARÊNCIA CÓDIGO DE ÉTICA INTEGRIDADE VALORES RESPEITO SUCESSO. Versão 01-13 COMPROMISSO HONESTIDADE PARCERIA TRANSPARÊNCIA CÓDIGO DE ÉTICA INTEGRIDADE VALORES RESPEITO SUCESSO Versão 01-13 1 C Ó D I G O D E É T I C A Introdução A ÉTICA é o ideal de conduta humana, desenvolvido

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO

CÓDIGO DE ÉTICA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO CÓDIGO DE ÉTICA DA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO 0 ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO... 2 2 - ABRANGÊNCIA... 2 3 - PRINCÍPIOS GERAIS... 2 4 - INTEGRIDADE PROFISSIONAL E PESSOAL... 3 5 - RELAÇÕES COM

Leia mais

INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL

INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL Ano 2013 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA Caro Colaborador Estamos entregando o Código de Ética e Conduta da Instituição, o qual fará parte

Leia mais

Apresentação. Vinicius Lino Ventorim Diretor da Politintas

Apresentação. Vinicius Lino Ventorim Diretor da Politintas Apresentação Seriedade, comprometimento e ética na condução de seus negócios. Esses são os princípios que regem a conduta da Politintas desde sua inauguração até os dias de hoje. Para que esses ideais

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

BRUNO AUGUSTO VIGO MILANEZ FELIPE FOLTRAN CAMPANHOLI COMPLIANCE CRIMINAL

BRUNO AUGUSTO VIGO MILANEZ FELIPE FOLTRAN CAMPANHOLI COMPLIANCE CRIMINAL BRUNO AUGUSTO VIGO MILANEZ FELIPE FOLTRAN CAMPANHOLI COMPLIANCE CRIMINAL TÉCNICAS CORPORATIVAS DE PREVENÇÃO DA RESPONSABILIDADE PENAL Compliance Criminal técnicas corporativas de prevenção da responsabilidade

Leia mais

Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras

Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras VAMOS ACABAR COM A EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NAS RODOVIAS BRASILEIRAS parceria estratégica parceria técnica Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação

Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação Caros colegas, orienta o modo como nossa organização trabalha para selecionar, desenvolver, motivar e valorizar o bem mais importante da Bausch + Lomb nossas

Leia mais

ABRAPP Relatório Social 2010 PARA A

ABRAPP Relatório Social 2010 PARA A 75 AGENDA FUTURA PARA A SUSTENTABILIDADE Como o tema Sustentabilidade pode contribuir para o objetivo último dos Fundos de Pensão, que é o de zelar pela aposentadoria de milhões de trabalhadores? Esta

Leia mais

O Círculo de Kaizen para a sustentação do Lean. I. Círculo de Kaizen: objetivos, estrutura, vínculos com os negócios e benefícios

O Círculo de Kaizen para a sustentação do Lean. I. Círculo de Kaizen: objetivos, estrutura, vínculos com os negócios e benefícios O Círculo de Kaizen para a sustentação do Lean Marino Kishida* As empresas que iniciaram a jornada lean frequentemente empolgam-se com os ganhos iniciais de produtividade, produção, qualidade, redução

Leia mais

POLÍTICA. Direitos Fundamentais nas Relações de Trabalho ÍNDICE

POLÍTICA. Direitos Fundamentais nas Relações de Trabalho ÍNDICE Folha 1/5 ÍNDICE 1. Objetivo.... 2 2. Abrangência... 2 3. Premissas... 2 Folha 2/5 1. Objetivo Estabelecer diretrizes que devem assegurar os direitos fundamentais nas relações de trabalho na Klabin e com

Leia mais

GUIA ANTICORRUPÇÃO WILSON SONS

GUIA ANTICORRUPÇÃO WILSON SONS GUIA ANTICORRUPÇÃO WILSON SONS A Wilson Sons, por meio deste Guia Anticorrupção, pretende disseminar os valores morais e éticos que norteiam seus diversos negócios, reiterando seu princípio de combate

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO TEJOFRAN

CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO TEJOFRAN CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO TEJOFRAN Por que um código de ética? Hoje em dia se fala muito da falta de comportamento ético e do esvaziamento moral nas relações sociais. Essa situação se explica porque a sociedade

Leia mais

processos de qualidade como um todo. Este conceito, muitas vezes como parte de uma iniciativa mais ampla "gestão enxuta", muitas organizações abraçam

processos de qualidade como um todo. Este conceito, muitas vezes como parte de uma iniciativa mais ampla gestão enxuta, muitas organizações abraçam 2 1 FILOSOFIA KAIZEN Segundo IMAI, MASAAKI (1996) KAIZEN é uma palavra japonesa que traduzida significa melhoria continua, que colabora em melhorias sequenciais na empresa como um todo, envolvendo todos

Leia mais

Gestão Estratégica. de Pessoas. Gestão por competências e desenvolvimento de líderes

Gestão Estratégica. de Pessoas. Gestão por competências e desenvolvimento de líderes Gestão Estratégica de Pessoas Gestão por competências e desenvolvimento de líderes Agenda Contextualização Evolução Conceito Gestão por competências Desenvolvimento de novos líderes Avaliação das pessoas

Leia mais

Conselho Estratégico de Planejamento e Administração Empresarial.

Conselho Estratégico de Planejamento e Administração Empresarial. G7 PRO UNIIDADE BRASIIL SSOLLUÇÕEESS EESSTTRRATTÉÉGI IICASS EEM SSEEGURRANÇA CÓDIGO DE ÉTICA Conselho Estratégico de Planejamento e Administração Empresarial. Este documento possui informações INTERNAS

Leia mais

Questionário de Levantamento de Informações

Questionário de Levantamento de Informações Questionário de Levantamento de Informações Critérios para Inclusão de Empresas no Fundo Ethical 1 INTRODUÇÃO Nos últimos anos se observou um aumento significativo da preocupação das empresas com questões

Leia mais

Código de Ética e Conduta Sabesp

Código de Ética e Conduta Sabesp Código de Ética e Conduta Sabesp 1 MENSAGEM DA ALTA ADMINISTRAÇÃO Aos Empregados, Gerentes, Clientes, Acionistas, Investidores, Fornecedores, Parceiros, Terceiros, Governo, Comunidade e toda sociedade,

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

Incentivar a comunidade escolar a construir o Projeto político Pedagógico das escolas em todos os níveis e modalidades de ensino, adequando o

Incentivar a comunidade escolar a construir o Projeto político Pedagógico das escolas em todos os níveis e modalidades de ensino, adequando o SELO DE EDUCAÇÃO PARA IGUALDADE RACIAL ANEXO 1: METAS NORTEADORAS DO PLANO NACIONAL DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E PARA O ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA

Leia mais

Código de Ética e de Conduta do. Grupo Energisa

Código de Ética e de Conduta do. Grupo Energisa Código de Ética e de Conduta do Grupo Energisa Caro colaborador, A prática do Código de Ética e de Conduta do Grupo Energisa é tão importante que fazemos questão que cada colaborador tenha seu próprio

Leia mais

Ética & Princípios de Conduta Empresarial

Ética & Princípios de Conduta Empresarial Nossa Cadeia de Fornecedores Ética & Princípios de Conduta Empresarial ao exercer atividades de negócios com a CH2M HILL Outubro 2011 Princípios baseados no livro The Little Yellow Book, escrito em 1978

Leia mais

EXTRATO DA POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

EXTRATO DA POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS 1 OBJETIVO Fornecer as diretrizes para a Gestão de Riscos da Fibria, assim como conceituar, detalhar e documentar as atividades a ela relacionadas. 2 ABRANGÊNCIA Abrange todas as áreas da Fibria que, direta

Leia mais

Código de Ética e de Conduta Empresarial

Código de Ética e de Conduta Empresarial O da Irmãos Parasmo S/A leva em consideração os elementos essenciais existentes nas suas relações com os seus diferentes públicos acionistas, clientes, colaboradores, fornecedores, prestadores de serviços,

Leia mais

Código de Ética e Conduta Profissional

Código de Ética e Conduta Profissional Código de Ética e Conduta Profissional CAPÍTULO 1. VISÃO E APLICABILIDADE 1.1 Visão e Objetivo Como profissionais atuantes do gerenciamento de projetos, temos o compromisso de fazer o que é certo e honrado.

Leia mais

Não empregamos nenhuma pessoa com idade menor que a permitida por lei.

Não empregamos nenhuma pessoa com idade menor que a permitida por lei. Código de Conduta SOSINIL Princípios Gerais A SOSINIL publica seu Codigo de Conduta e Ética que servirá de referencial para uma conduta adequada, coerente e uniforme a ser adotada com os envolvidos em

Leia mais

Apresentação... Introdução... 2. Observância às leis e regulamentos... 4. Política Anticorrupção... 4. Relacionamentos com clientes...

Apresentação... Introdução... 2. Observância às leis e regulamentos... 4. Política Anticorrupção... 4. Relacionamentos com clientes... SUMÁRIO Apresentação... Introdução... 2 Observância às leis e regulamentos... 4 Política Anticorrupção... 4 Relacionamentos com clientes... 6 Ambiente de Trabalho... 7 E-mail e Internet... 8 Saúde e Segurança

Leia mais

RESUMO FUNÇÃO DO COMPLIANCE

RESUMO FUNÇÃO DO COMPLIANCE RESUMO FUNÇÃO DO COMPLIANCE O foco da Cartilha Função de Compliance é integrar as atividades de compliance com as boas práticas de governança corporativa e de Gestão de Riscos, os quais os bancos têm buscado

Leia mais

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos O código de ética DBA representa a necessidade de reforço aos valores e à cultura da empresa através da ética. Assim, é fundado nos valores essenciais da corporação e pode ser definido pelas normas padrões

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL A Agência de Certificação Ocupacional (ACERT) é parte integrante da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM) Centro de Modernização e Desenvolvimento da Administração

Leia mais

O Banrisul no relacionamento com os diversos setores da sociedade terá suas posições e ações baseadas nas seguintes disposições:

O Banrisul no relacionamento com os diversos setores da sociedade terá suas posições e ações baseadas nas seguintes disposições: 1.0 - CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO BANRISUL Preâmbulo O compromisso é servir como Guia Prático de Conduta Pessoal e Profissional, a ser utilizado por todos os Colaboradores do Banrisul, possibilitando a

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA SOMMA INVESTIMENTOS

CÓDIGO DE ÉTICA DA SOMMA INVESTIMENTOS 1. O CÓDIGO Este Código de Ética (Código) determina as práticas e padrões éticos a serem seguidos por todos os colaboradores da SOMMA INVESTIMENTOS. 2. APLICABILIDADE Esta política é aplicável: 2.1. A

Leia mais

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO NA MOTIVAÇÃO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO NA MOTIVAÇÃO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO NA MOTIVAÇÃO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS YARA DE MATOS MENDES 1, WEMERTON LUÍS EVANGELISTA 2, MYRIAM ANGÉLICA DORNELAS 3, RITA DE CÁSSIA DA SILVA COSTA 4 RESUMO

Leia mais

POLÍTICA A. OBJETIVO... 2 B. ABRANGÊNCIA... 2 C. VIGÊNCIA... 2 D. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 1. DEFINIÇÕES... 2 2. INTRODUÇÃO... 3 3. GOVERNANÇA...

POLÍTICA A. OBJETIVO... 2 B. ABRANGÊNCIA... 2 C. VIGÊNCIA... 2 D. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 1. DEFINIÇÕES... 2 2. INTRODUÇÃO... 3 3. GOVERNANÇA... A. OBJETIVO... 2 B. ABRANGÊNCIA... 2 C. VIGÊNCIA... 2 D. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 1. DEFINIÇÕES... 2 2. INTRODUÇÃO... 3 3. GOVERNANÇA... 4 4. RELACIONAMENTO E ENGAJAMENTO COM PARTES INTERESSADAS... 4 5.

Leia mais

VOLUNTARIADO EMPRESARIAL CRA - outubro 2009

VOLUNTARIADO EMPRESARIAL CRA - outubro 2009 VOLUNTARIADO EMPRESARIAL CRA - outubro 2009 APOENA SUSTENTÁVEL Missão Disseminar, desenvolver e promover a gestão corporativa sustentável garantindo o equilíbrio entre os fatores econômicos, sociais e

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL A Agência de Certificação Ocupacional (ACERT) é parte integrante da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM) Centro de Modernização e Desenvolvimento da Administração

Leia mais

MODELO SESI DE SUSTENTABILIDADE NO TRABALHO

MODELO SESI DE SUSTENTABILIDADE NO TRABALHO MODELO SESI DE SUSTENTABILIDADE NO TRABALHO Flávia Dias Uberaba 14.04.2010 O QUE É O MODELO O Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho é uma ferramenta de diagnóstico e autoavaliação que propõe às indústrias

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO RESPONSÁVEL E DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE INVESTIMENTO RESPONSÁVEL E DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL SUL AMÉRICA INVESTIMENTOS DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A POLÍTICA DE INVESTIMENTO RESPONSÁVEL E DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Índice: 1 OBJETIVO 2 2 CONCEITOS E DEFINIÇÕES 2 3

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética Jeito de Ser Índice 3 Introdução 3 Carta do Presidente 3 Missão do Grupo Marisa 3 Valores do Grupo Marisa 3 Código de Conduta Ética v Áreas de Relacionamento Colaboradores Fornecedores

Leia mais

Código de Ética e de Conduta

Código de Ética e de Conduta Preâmbulo A CASES, consciente do seu papel no âmbito da economia social, considera importante colocar a questão da ética como prioridade na sua agenda. O presente documento apresenta os princípios gerais

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA HUMANOS CRESCIDOS PALESTRAS 11 3672-6822 11 8067-9041. www.santagente.com.br

EDUCAÇÃO PARA HUMANOS CRESCIDOS PALESTRAS 11 3672-6822 11 8067-9041. www.santagente.com.br EDUCAÇÃO PARA HUMANOS CRESCIDOS PALESTRAS Sobre a Santa Gente Mudamos o formato das palestras convencionais com o propósito de vender inovação com inovação. Utilizamos a música como ferramenta de facilitação

Leia mais

Mensagem da Direção da AEVA

Mensagem da Direção da AEVA Mensagem da Direção da AEVA Caros colaboradores, consumidores e parceiros da Associação para a Educação e Valorização da Região de Aveiro: Nos dias de hoje, a importância que se dá à ética, ao respeito

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

Estabelecimento da Diretriz Organizacional

Estabelecimento da Diretriz Organizacional Estabelecimento da Diretriz Organizacional AULA 3 Bibliografia: Administração Estratégica: Planejamento e Implantação da Estratégia SAMUEL C. CERTO & J. P. PETERTO ASSUNTO: Três importantes considerações

Leia mais

Cultura e Clima Organizacionais. Organização da Aula. Aula 2. Cultura Organizacional e Cultura Nacional. Contextualização. Instrumentalização

Cultura e Clima Organizacionais. Organização da Aula. Aula 2. Cultura Organizacional e Cultura Nacional. Contextualização. Instrumentalização Cultura e Clima Organizacionais Aula 2 Profa. Me. Carla Patrícia da S. Souza Organização da Aula Cultura organizacional e cultura nacional Cultura brasileira Traços nacionais Cultura Organizacional e Cultura

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Estrutura do Código de Ética e Conduta 1. Introdução pág. 03 2. Mensagem da Diretoria pág. 04 3. Relações no Ambiente de Trabalho pág. 05 4. Relacionamento Externo pág. 07 5.

Leia mais

RESENHA. COSTA, Eliezer Arantes. Gestão Estratégica: construindo o futuro de sua empresa - Fácil. 1. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

RESENHA. COSTA, Eliezer Arantes. Gestão Estratégica: construindo o futuro de sua empresa - Fácil. 1. ed. São Paulo: Saraiva, 2012. FOCO: Revista de Administração da Faculdade Novo Milênio. RESENHA COSTA, Eliezer Arantes. Gestão Estratégica: construindo o futuro de sua empresa - Fácil. 1. ed. São Paulo: Saraiva, 2012. Valéria Santiago

Leia mais

Cliente Empreendedorismo Metodologia e Gestão Lucro Respeito Ética Responsabilidade com a Comunidade e Meio Ambiente

Cliente Empreendedorismo Metodologia e Gestão Lucro Respeito Ética Responsabilidade com a Comunidade e Meio Ambiente Código de Ética OBJETIVO Este código de ética serve de guia para atuação dos empregados e contratados da AQCES e explicita a postura que deve ser adotada por todos em relação aos diversos públicos com

Leia mais

MAGAZINE LUIZA S.A. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS CORPORATIVOS

MAGAZINE LUIZA S.A. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS CORPORATIVOS MAGAZINE LUIZA S.A. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS CORPORATIVOS 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes, os princípios e a estrutura a serem considerados no processo de gerenciamento de riscos do Magazine

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO PROF. WALTENO MARTINS PARREIRA JÚNIOR CONTEÚDO E OBJETO DE ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO PROF. WALTENO MARTINS PARREIRA JÚNIOR CONTEÚDO E OBJETO DE ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO PROF. WALTENO MARTINS PARREIRA JÚNIOR CONTEÚDO E OBJETO DE ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO Administração do latim ad(direção, tendência para) e minister(subordinação

Leia mais

Código de Ética - Ultra

Código de Ética - Ultra Código de Ética - Ultra Ética na gestão - Equidade, transparência e responsabilidade - Cumprimento das leis - Desenvolvimento sustentável Ética nos relacionamentos - Acionistas e investidores - Colaboradores

Leia mais

Gestão Estratégica de Pessoas

Gestão Estratégica de Pessoas Gestão Estratégica de Pessoas MBA FGV 1 Grandes Decisões sobre Pessoas Fatores que Garantem o Resultado As Tendências e Perspectivas de Gestão de Pessoas em Saúde Gestão de Pessoas e o Balanced Score Card

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Versão 2015.2 Editada em julho de 2015 SUMÁRIO 1. Objetivo da Política...3 2. Abrangência...3 3. Princípios...3 4. Das Diretrizes Estratégicas...4 5. Da Estrutura

Leia mais

CÓDIGO DE ETICA E CONDUTA

CÓDIGO DE ETICA E CONDUTA CÓDIGO DE ETICA E CONDUTA Outubro de 2010 1 Carta da Diretoria, Prezado (a) colega; Trabalhar em uma empresa acaba se confundindo com a própria identidade pessoal, e poder orgulhar-se dela torna-se um

Leia mais

Agenda. Visão Sistêmica. Visão Sistêmica. Responsabilidade Social. Responsabilidade Social 29/10/2008

Agenda. Visão Sistêmica. Visão Sistêmica. Responsabilidade Social. Responsabilidade Social 29/10/2008 Agenda e responsabilidade: público, privado e terceiro Prof. Costa de Sousa Internet: paginas.terra.com.br/informatica/ptarso Blog: ptarsosousa.blogspot.com Visão Sistêmica Conclusão 2 Visão Sistêmica

Leia mais

LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO

LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO 1. Este caderno é constituído de 40 questões assim distribuídas: Conhecimentos Gerais, de 01 a 12; e Conhecimentos Específicos, de 13 a 40. 2. Caso o caderno esteja

Leia mais

TIPO DOC. RESOLUÇÃO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA EMPRESARIAL DO SERPRO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA EMPRESARIAL DO SERPRO

TIPO DOC. RESOLUÇÃO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA EMPRESARIAL DO SERPRO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA EMPRESARIAL DO SERPRO TPO DOC. 1/7 1. CONSDERAÇÕES O papel social de uma instituição vai além do que preveem as leis que a regem. O Serviço Federal de Processamento de Dados - SERPRO, ao prestar serviços baseados na tecnologia

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Índice Nossos princípios diretivos 03 Proteção do patrimônio e uso dos ativos 04 Informação confidencial 05 Gestão e Tratamento dos Colaboradores 06 Conflitos de interesse 07

Leia mais

PROGRAMA GESTÃO DE CONHECIMENTO CAIXA 2005-2007

PROGRAMA GESTÃO DE CONHECIMENTO CAIXA 2005-2007 PROGRAMA GESTÃO DE CONHECIMENTO CAIXA 2005-2007 Constatação! Neste momento... O ritmo dos negócios está aumentando rapidamente. Existe uma sobrecarga de informação. A competição global está aumentando

Leia mais

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave ISO14004 uma diretriz ISO 14004:2004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Prof.Dr.Daniel Bertoli Gonçalves FACENS 1 Seu propósito geral é auxiliar as

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA DURATEX S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA DA DURATEX S.A. CÓDIGO DE ÉTICA DA DURATEX S.A. ÍNDICE 1. O QUE É O CÓDIGO DE ÉTICA 2. A QUEM E A QUE SE APLICA 3. COMITÊ DE PESSOAS, GOVERNANÇA E NOMEAÇÃO 4. APLICAÇÃO DO CÓDIGO DE ÉTICA 5. PRINCÍPIOS GERAIS 6. RELAÇÕES

Leia mais