PD&I PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO PASSADO, PRESENTE E FUTURO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PD&I PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO PASSADO, PRESENTE E FUTURO"

Transcrição

1 PD&I PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO LIPOSSOMAS: PASSADO, PRESENTE E FUTURO

2 ENCAPSULAÇÃO ATIVOS Uso Ativos Livres Possíveis Vantagens do Uso de Ativos em Veículos Área Normal Área Alvo Área Normal Área Alvo Acesso, Afinidade Efeito: toxicidade? Não Acesso, Não Afinidade Efeito Limitado Transporte Facilitado Efeito Ativo Livre Ativo em Veículo Inativação?? Efeito Limitado Ambiente Ambiente

3 Histórico LIPOSSOMAS Foram descritos na década de 60 por Alec Bangham: Esférulas de Fosfolipídios Termo Lipossomas introduzido por Sessa e Weissman final década 60 Foram usados inicialmente em pesquisa básica: como modelo de membrana celular (mimetização celular) São aplicados em diversas áreas: cosmética, alimentícia, farmacêutica e médica.

4 LIPOSSOMAS Cabeça Polar Hidrofílica Zwitteriônico (dipolar) Molécula Anfifílica Cauda Apolar Hidrofóbica Ácido graxo saturado Ácido graxo insaturado

5 LIPOSSOMAS Moléculas Anfifílicas formam Estruturas Supramoleculares em Água bicamada plana membrana (lamela) Fosfolipídios livres em água Vesícula Multilamelar Vesícula Esférica Unilamelar

6 LIPOSSOMAS O que são lipossomas? Anfifílicas Hidrofílicas Hidrofóbicas

7 LIPOSSOMAS INTERAÇÃO COM CÉLULAS Adsorção Endocitose Fusão Troca Lipídica

8 LIPOSSOMAS Método de Bangham : Hidratação do Filme Seco de Lipídios 1. Evaporação do solvente 2. Formação do filme lipídico seco 3. Hidratação do filme MLV 4. Uniformização de tamanhos SUV

9 Tipos LIPOSSOMAS MLV, OLV Multi ou Oligolamelar LUV / SUV Unilamelar Grande / Pequeno MVV Multivesicular Transição Fase Temperatura Baixa ORDEM Temperatura Alta DESORDEM

10 LIPOSSOMAS Encapsulação Proteção, Solubilização 1ª geração Alvo Específico 2ª geração Anfifílico Hidrofílico Hidrofóbico

11 LIPOSSOMAS Direcionamento do Ativo Inativo: lipossomas convencionais agrupamse aos tecidos específicos do sistema reticuloendotelial Ativo: alteração da superfície dos lipossomas com ligantes (anticorpos, enzimas, proteína A, açúcares) Físico: lipossomas sensíveis a temperatura ou ph Diretamente ao local

12 LIPOSSOMAS Definir Objetivo Decidir Objetivo Alcançado Compilar/Analisar Resultados Definir Formulação Mental Experimental Análise Manipulação Resposta Solução

13 LIPOSSOMAS PROCESSOS Simples Reprodutível Escalonável Controle tamanho lipossomas Boa relação custo/eficácia e custo/benefício Produto estável e homogêneo

14 LIPOSSOMAS DESAFIOS Problemas: Triple S. Sterility. Stability. ScaleUp Contornados através de Novos Equipamentos e Processos Análise Rigorosa caso a caso

15 1 o RELATO DO USO LIPOSSOMAS P/ TRATAMENTO Paciente com Doença de Gaucher: deficiência em glucocerebrosidase lisossomal hepatoesplenomegalia Administração glucocerebrosidase lipossomal através de injeções iv por 13 meses em paciente esplenectomizado Redução tamanho fígado; melhora função RES Administração por 5 anos: estabilização do tamanho fígado e da saúde em geral Gregoriadis et al., The Lancet (1977)

16 LIPOSSOMAS COMERCIAIS Conhecimento de 1 os humanos tratados com lipossomas comerciais (injetável) Daunoxome e Ambisome Doxil

17 LIPOSSOMAS COMERCIAIS Ativo / Produto Indicação Ano Aprovação Anfotericina B / Ambisome Doxorrubicina / Doxil (USA) e Caelyx (outros países) Infecção Fúngica; Leishmaniose Sarcoma de Kaposi Câncer de Ovário Câncer de Mama 1990 (Europa); (EUA) 2003 Daunorrubicina / Daunoxome Sarcoma de Kaposi 1996 Citarabina (Cytosine Arabinoside) / DepoCyt Meningite Linfomatosa Meningite Neoplásica 1999 Fase IV

18 LIPOSSOMAS COMERCIAIS Ativo / Produto Indicação Ano Aprovação Doxorrubicina / Myocet Câncer Mama Metástico 2000 (Europa) Verteporfina / Visudyne Sulfato de Morfina / DepoDur Degeneração Macular Miopia Patológica Histoplasmose Ocular Dor PósCirúrgica (epidural)

19 LIPOSSOMAS FASE III/IV Ativo Indicação Fase Clínica Cisplatina Câncer de Pulmão Fase III Citarabina (Cytosine Arabinoside) Meningite Neoplásica Fase IV Lurtotecan Câncer de Ovário Fase III

20 LIPOSSOMAS FASE I/II Ativo Indicação Fase Clínica Vincristine Linfoma NãoHodgin Fase II Paclitaxel Tumor Sólido Avançado Fase I/II Aroplatina Câncer Fase I/II Atra IV Interleukina 2 Linfoma CélulasT NãoHodgin Estimulante Imunológico usado com Vacina Câncer Pulmão Fase II Fase II Prostraglandina E1 Doença Arterial Periférica Fase II

21 LIPOSSOMAS FASE I/II Ativo Indicação Fase Clínica Mitoxantrona Câncer Avançado Fase I/II Cisplatina (Stealth) Câncer Avançado Fase I/II Oxaliplatina Câncer Colo Retal Fase II Topotecan Câncer Avançado Fase I/II Paclitaxel Câncer Pulmão, Mama e Ovário Fase I/II Paclitaxel Câncer Próstata e Pâncreas Fase II Vinorelbina Câncer Avançado Fase I

22 LIPOSSOMAS CONVENCIONAIS Direcionamento Passivo Sistema Imunológico

23 LIPOSSOMAS CONVENCIONAIS

24 AMBISOME Anfotericina B Lipossomal 50 mg/frasco Administração iv Pó Liófilo Após reconstituição com água: dispersão lipossomal amarela e translucente Excipientes: HSPC, DSPG, Colesterol, Sacarose, Succinato Dissódico Hexahidratado, AlfaTocoferol ph 5,5

25 AMBISOME Utilizado em pacientes com intolerância à terapia com Anf B convencional ou em: idosos, pacientes com AIDS, em tratamento quimioterápico Diminui toxicidade Não diminui eficácia fármaco contra o fungo

26 DAUNOXOME Daunorrubicina Lipossomal 50 mg, 2 mg/ml Sarcoma de Kaposi em estado avançado HIV Administração iv Dispersão Lipossomal vermelha e translucente SUV, D médio 45 nm Excipientes: DSPC, Colesterol, Sacarose, Glicina, Cloreto de Cálcio ph 4,9 6,0

27 DEPOCYT Citarabina Lipossomal 50 mg/ frasco (5 ml) Meningite Linfomatosa Administração Intratecal (normal/e a cd 2 semanas: 82 h) MVV: Suspensão Branca Estéril Excipientes: DOPC, DPPG, Colesterol, Trioleína ph: 5,5 8,5 Vesículas não concêntricas, cada uma com um cerne aquoso interno que encapsula a solução com o ativo, circundada por uma bicamada lipídica.

28 DEPODUR Sulfato de Morfina Lipossomal 10 mg/ml (2 ml) Dor PósCirurgia Dor PósCirurgia Liberação prolongada por 48 horas Administração Epidural MVV: Suspensão Branca Estéril Excipientes: DOPC, DPPG, Colesterol, Trioleína e Tricaprilina ph: 5,0 8,0

29 VISUDYNE Verteporfina Pó Liófilo 15 mg / frasco Degeneração Macular, Miopia Patológica, Histoplasmose Ocular Administração iv Verteporfina é ativada por luz: mistura 1:1 de 2 isômeros (I e II) Terapia fotodinâmica: Laser de baixa energia Liofilizado verde escuro Após reconstituição com 7 ml de água: 2 mg/ml (7,5 ml) Excipientes: DMPC, EPG, Ascorbil Palmitato, Hidroxitolueno Butilado, Lactose

30 LIPOSSOMAS STEALTH

31 LIPOSSOMAS STEALTH

32 DOXIL Doxorrubicina Lipossomal 2 mg/ml Sarcoma de Kaposi, Câncer de Ovário e de Mama Administração iv (normalmente a cd 4 semanas) Lipossomas Stealth : Liberação prolongada (metoxipeg) 55 h Dispersão lipossomal estéril vermelha translucente (SUV) 90% Doxorrubicina encapsulada Excipientes: HSPC, DSPEMPEG, Colesterol, Sulfato de Amônia, Histidina, Sacarose ph 6,5

33 LIPOSSOMAS ELÁSTICOS

34 FLEX POWER Salicilato de Trolamina 10% Tecnologia Flex Tecnologia Flex Somes Usado p/ artrite, tendinite e dor nas costas, ombros, pescoço, joelho, tornozelo...

35 VIROSSOMAS

36 EPAXAL Vacina Hepatite A Primeiro produto baseado na Tecnologia Virossomas Sem alumínio: maior tolerabilidade Induz a formação de anticorpos nos 10 primeiros dias Após segunda dose: proteção por 20 anos Registro em de 40 países Em 2008 lançamento Epaxal Junior

37 INFLEXAL Vacina Influenza Tecnologia Virossomas Introduzida em 1997 Registro em 43 países Única vacina que pode ser usada para todas faixas etárias (a partir 6 meses)

38 LIPOSSOMAS CATIÔNICOS CATIÔNICOS Aplicações: Médicofarmacêuticas (vacina terapia gênica)

39 LIPOSSOMAS / DNA Lipossoma Catiônico Desidratação Rehidratação controlada Lipossomas Catiônicos Multilamelares DNA plasmídeo Complexação Eletrostática Condições controladas Complexo DNA/Lipossoma Catiônico (600 nm) Lipossoma Catiônico DNA Plasmídeo Desidratação Rehidratação controlada Lipossoma catiônico encapsulando DNA (250 nm) Rosada, Torre et al., 2008

40 LIPOSSOMAS Perspectivas Futuras Lipossomas Polimerizados: administração oral Lipossomas Magnéticos: direciona/o por campo magnético

41 LIPOSSOMAS Perspectivas Futuras Lipossomas com microbolhas ultrassom: potencial p/ tratamento trombose potencial p/ entrega ativos Lipossomas com microbolhas temperatura: potencial p/ tratamento nãoinvasivo tumor cérebro

42 LIPOSSOMAS Terapia Gênica: Introdução de material genético exógeno nas células alvo com o objetivo de corrigir ou eliminar a nível molecular as causas de patologias que envolvam fatores genéticos Cura completa após única administração e sem efeitos adversos small interfering RNA Uso Lipossomas como Vetor Catiônicos Sensíveis ao ph

43

Lipossomas e as suas aplicações na actualidade

Lipossomas e as suas aplicações na actualidade Universidade de Évora Departamento de Química Célia Antunes Lipossomas e as suas aplicações na actualidade Os lipossomas foram descobertos em 1960 pelo cientista inglês Alec Bangham. No entanto, somente

Leia mais

Nanotecnologia. Sua relevância e um exemplo de aplicação na Medicina

Nanotecnologia. Sua relevância e um exemplo de aplicação na Medicina Nanotecnologia Sua relevância e um exemplo de aplicação na Medicina O que é Nanotecnologia? É a criação, manipulação e exploração de materiais em escala nanométrica. Com esta tecnologia é possível manipular

Leia mais

Vírus - Características Gerais. Seres acelulares Desprovidos de organização celular. Não possuem metabolismo próprio

Vírus - Características Gerais. Seres acelulares Desprovidos de organização celular. Não possuem metabolismo próprio vírus Vírus - Características Gerais Seres acelulares Desprovidos de organização celular Não possuem metabolismo próprio Capazes de se reproduzir apenas no interior de uma célula viva nucleada Parasitas

Leia mais

GABARITO. Resposta: Cálculo da superfície corporal para dose de gencitabina 1 m 2 --- 1000 mg 1,66 m 2 --- X mg X = 1660 mg

GABARITO. Resposta: Cálculo da superfície corporal para dose de gencitabina 1 m 2 --- 1000 mg 1,66 m 2 --- X mg X = 1660 mg GABARITO 1 - Sr José, 65 anos, apresenta dor abdominal intensa há dois meses. Após solicitação de ultrasonografia pelo médico assistente chegou-se ao diagnóstico de câncer de pâncreas. O tratamento proposto

Leia mais

TERAPIA GÊNICA. Brasília DF, Julho de 2010.

TERAPIA GÊNICA. Brasília DF, Julho de 2010. Apresentação desenvolvida pelas graduandas em Ciências Farmacêuticas: Ana Carolina Macedo Lima, Ariane Mugnano Castelo Branco, Caroline Cardoso Mendes Souza, Clarisse Danielli Silva Albergaria, Jéssica

Leia mais

ASERCIT dacarbazina. Cada frasco-ampola de ASERCIT(dacarbazina) 200 mg contém: dacarbazina... 200 mg excipientes* q.s.p...

ASERCIT dacarbazina. Cada frasco-ampola de ASERCIT(dacarbazina) 200 mg contém: dacarbazina... 200 mg excipientes* q.s.p... Pó liófilo injetável FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES: 100 mg. Embalagem com 1 frasco-ampola. 00 mg. Embalagem com 1 frasco-ampola. USO INTRAVENOSO USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE ANOS DE IDADE COMPOSIÇÃO:

Leia mais

NANOTECNOLOGIA: APLICAÇÕES NO TRATAMENTO DO CÂNCER E DA ATEROSCLEROSE

NANOTECNOLOGIA: APLICAÇÕES NO TRATAMENTO DO CÂNCER E DA ATEROSCLEROSE NANOTECNOLOGIA: APLICAÇÕES NO TRATAMENTO DO CÂNCER E DA ATEROSCLEROSE Nanotecnologia está sendo anunciada como uma nova revolução tecnológica, mas tão profunda que irá atingir todos os aspectos da sociedade

Leia mais

O QUE SÃO SUBSTÂNCIAS INORGÂNICAS? QUAL A FUNÇÃO BIOLÓGICA DE CADA UMA?

O QUE SÃO SUBSTÂNCIAS INORGÂNICAS? QUAL A FUNÇÃO BIOLÓGICA DE CADA UMA? O QUE SÃO SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS? O QUE SÃO SUBSTÂNCIAS INORGÂNICAS? QUAL A FUNÇÃO BIOLÓGICA DE CADA UMA? SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS: CARBONO, HIDROGÊNIO, OXIGÊNIO E NITROGÊNIO FORMAM CADEIAS LONGAS E COMPLEXAS

Leia mais

Aula - Terapia Gênica. Unidade Curricular: Cultura de Células Animais. Prof. Me. Leandro Parussolo

Aula - Terapia Gênica. Unidade Curricular: Cultura de Células Animais. Prof. Me. Leandro Parussolo Aula - Terapia Gênica Unidade Curricular: Cultura de Células Animais Prof. Me. Leandro Parussolo O que é? O que não é? O que será? 1990 (EUA) - Primeiro protocolo clínico de Terapia Gênica em humanos 2

Leia mais

Vacina contra Varicela (vírus atenuado)

Vacina contra Varicela (vírus atenuado) I) Identificação do medicamento FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES USO ADULTO E PEDIÁTRICO Pó liófilo injetável + diluente para administração subcutânea. A Vacina contra Varicela é uma preparação liofilizada

Leia mais

As membranas são os contornos das células, compostos por uma bicamada lipídica

As membranas são os contornos das células, compostos por uma bicamada lipídica Células e Membranas As membranas são os contornos das células, compostos por uma bicamada lipídica Organelas são compartimentos celulares limitados por membranas A membrana plasmática é por si só uma organela.

Leia mais

MODELO DE BULA (CCDS 200746 versão 5)

MODELO DE BULA (CCDS 200746 versão 5) Registro de Medicamento Novo Bula RDC 47/09 1 MODELO DE BULA (CCDS 200746 versão 5) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO CAELYX cloridrato de doxorrubicina lipossomal peguilado APRESENTAÇÕES Suspensão injetável

Leia mais

Os lipídios são substâncias com estrutura variada sendo muito abundantes em animais e vegetais;

Os lipídios são substâncias com estrutura variada sendo muito abundantes em animais e vegetais; Lipídios Os lipídios são substâncias com estrutura variada sendo muito abundantes em animais e vegetais; Eles compartilham a característica de apresentarem baixa solubilidade em água sendo solúveis em

Leia mais

VISUDYNE verteporfina. APRESENTAÇÕES Visudyne 15 mg embalagens contendo 1 frasco-ampola de pó liófilo para solução para infusão intravenosa.

VISUDYNE verteporfina. APRESENTAÇÕES Visudyne 15 mg embalagens contendo 1 frasco-ampola de pó liófilo para solução para infusão intravenosa. VISUDYNE verteporfina APRESENTAÇÕES Visudyne 15 mg embalagens contendo 1 frasco-ampola de pó liófilo para solução para infusão intravenosa. VIA INTRAVENOSA USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada frasco-ampola de pó

Leia mais

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com VIROSES Prof. Edilson Soares www.profedilson.com CATAPORA OU VARICELA TRANSMISSÃO Saliva Objetos contaminados SINTOMAS Feridas no corpo PROFILAXIA Vacinação HERPES SIMPLES LABIAL TRANSMISSÃO Contato

Leia mais

TIPOS DE TRATAMENTOS ONCOLÓGICOS CIRURGIA QUIMIOTERAPIA SISTÊMICA

TIPOS DE TRATAMENTOS ONCOLÓGICOS CIRURGIA QUIMIOTERAPIA SISTÊMICA TIPOS DE TRATAMENTOS ONCOLÓGICOS Prof a Dra. Nise H. Yamaguchi Prof a Dra Enf a Lucia Marta Giunta da Silva Profª. Dra. Enf a Maria Tereza C. Laganá A abordagem moderna do tratamento oncológico busca mobilizar

Leia mais

Membranas biológicas. Profa Estela Rossetto

Membranas biológicas. Profa Estela Rossetto Membranas biológicas Profa Estela Rossetto Membranas Biológicas Delimitam e permitem trocas entre compartimentos http://www.accessexcellence.org/rc/vl/gg/pmembranes.html Composição e Estrutura Lipídios

Leia mais

INCT-Nanobiofarmacêutica

INCT-Nanobiofarmacêutica INCT-Nanobiofarmacêutica INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM NANOBIOFARMACÊUTICA Centro de excelência em farmacologia pré-clínica e em tecnologia de formulação farmacêutica, com aplicação de

Leia mais

Mandado de segurança contra ato do Secretário Municipal de Saúde RITUXIMABE PARA LINFOMA NÃO-HODGKIN FOLICULAR TRANSFORMADO EM DIFUSO

Mandado de segurança contra ato do Secretário Municipal de Saúde RITUXIMABE PARA LINFOMA NÃO-HODGKIN FOLICULAR TRANSFORMADO EM DIFUSO Data: 08/12/2012 Nota Técnica 2012 Juízo da 4ª Vara de Fazenda Pública Municipal Juiz Renato Dresh Numeração Única: 3415341-21.201 Impetrante Marlene Andrade Montes Medicamento Material Procedimento Cobertura

Leia mais

07/2013. Pro-Lipo Tecnologia em Lipossomas

07/2013. Pro-Lipo Tecnologia em Lipossomas 07/2013 Pro-Lipo Tecnologia em Lipossomas Pro-Lipo Formação de Lipossomas Instantâneo Estruturas Baseadas em Fosfolipídeos Os fosfolipídeos são altamente utilizados pelas suas propriedades emulsionantes

Leia mais

BIOFÍSICA MEMBRANAS BIOLÓGICAS

BIOFÍSICA MEMBRANAS BIOLÓGICAS BIOFÍSICA MEMBRANAS BIOLÓGICAS CÉLULA Unidade fundamental dos seres vivos Menor estrutura biológica capaz de ter vida autônoma Átomos Moléculas Estruturas supramoleculares Células tecidos órgãos Sistemas

Leia mais

1.Introdução Educação e Atualização em Cancerologia)

1.Introdução Educação e Atualização em Cancerologia) 1 SILVA, M.B..; FONSECA, C.A.; RODRIGUES, A.J.L.; Terapia medicamentosa do câncer. In III SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E I JORNADA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DA UEG. 2005, Anápolis. Anápolis: UEG,

Leia mais

SUSPENSÕES E SOLUÇÕES

SUSPENSÕES E SOLUÇÕES SUSPENSÕES E SOLUÇÕES Definições SUSPENSÃO Mistura heterogênea de substâncias Ex.: sangue (suspensão de plasma e células) água e óleo; água e areia, água e açúcar SOLUÇÃO Mistura homogênea de substâncias

Leia mais

NEOPLASIAS. Prof. Dr. Fernando Ananias

NEOPLASIAS. Prof. Dr. Fernando Ananias NEOPLASIAS Prof. Dr. Fernando Ananias Neoplasia = princípio básico CLASSIFICAÇÃO DOS TUMORES Comportamento Benigno versus Maligno Crescimento lento rápido Semelhança com O tecido de origem (Diferenciação)

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS POP n.º: I 22 Página 1 de 5 1. Sinonímia Beta 2 Microglobulina, b2m 2. Aplicabilidade Aos técnicos e bioquímicos do setor de imunologia 3. Aplicação clínica A beta-2-microglobulina é uma proteína presente

Leia mais

VIROLOGIA HUMANA. Professor: Bruno Aleixo Venturi

VIROLOGIA HUMANA. Professor: Bruno Aleixo Venturi VIROLOGIA HUMANA Professor: Bruno Aleixo Venturi O que são vírus? A palavra vírus tem origem latina e significa "veneno". Provavelmente esse nome foi dado devido às viroses, que são doenças causadas por

Leia mais

ERBITUX (cetuximabe) 5 MG/ML SOL INJ. Merck S/A

ERBITUX (cetuximabe) 5 MG/ML SOL INJ. Merck S/A ERBITUX (cetuximabe) 5 MG/ML SOL INJ Merck S/A Erbitux 5 mg/ml cetuximabe 5 mg/ml APRESENTAÇÕES Solução injetável para infusão endovenosa - Frasco com 20 ml Solução injetável para infusão endovenosa -

Leia mais

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina MATEC ENGENHARIA ENTREGA O MAIOR LABORATORIO PARA PESQUISA DE CÂNCER DA AMÉRICA LATINA Qui, 14/04/11-11h00 SP ganha maior laboratório para pesquisa de câncer da América Latina Instituto do Câncer também

Leia mais

Profa. Dra. Juliana Garcia de Oliveira Disciplina: Biologia celular e molecular Cursos: Ciências Biológicas, Enfermagem, Nutrição e TO.

Profa. Dra. Juliana Garcia de Oliveira Disciplina: Biologia celular e molecular Cursos: Ciências Biológicas, Enfermagem, Nutrição e TO. Profa. Dra. Juliana Garcia de Oliveira Disciplina: Biologia celular e molecular Cursos: Ciências Biológicas, Enfermagem, Nutrição e TO. Bases Macromoleculares das Células Composição química das células

Leia mais

ANTIFÚNGICOS MICOSES

ANTIFÚNGICOS MICOSES ANTIFÚNGICOS MICOSES Fungos patogênicos Infectam diretamente o hospedeiro oportunistas Raramente causam infecções, mas aproveitam os momentos de queda da resistência imunológica Fungos Células mais complexas

Leia mais

HIV como modelo de estudo de retrovírus e patogênese

HIV como modelo de estudo de retrovírus e patogênese HIV como modelo de estudo de retrovírus e patogênese Retrovírus e oncogênese. Um pouco de história: 1904: Ellerman and Bang, procurando por bactérias como agentes infecciosos para leucemia em galinhas,

Leia mais

C n o c n e c i e tos o s i ni n ci c ai a s C n o c n e c i e tos o s i ni n ci c ai a s

C n o c n e c i e tos o s i ni n ci c ai a s C n o c n e c i e tos o s i ni n ci c ai a s Conceitos iniciais Parasita: organismo que vive em associação com outros e dos quais retiram os meios para a sua sobrevivência, normalmente prejudicando o organismo hospedeiro. Hospedeiro: organismo que

Leia mais

LINHA DE CUIDADOS DE SAÚDE EM ONCOLOGIA

LINHA DE CUIDADOS DE SAÚDE EM ONCOLOGIA SAÚDE EM DIA O Programa Saúde em Dia consiste em linhas de cuidados integrais, com foco na patologia e na especialidade médica, direcionados a melhoria da saúde dos beneficiários de planos de saúde empresariais.

Leia mais

Retrovírus: AIDS. Apresentador: Eduardo Antônio Kolling Professor: Paulo Roehe Pós doutorandos: Fabrício Campos e Helton dos Santos

Retrovírus: AIDS. Apresentador: Eduardo Antônio Kolling Professor: Paulo Roehe Pós doutorandos: Fabrício Campos e Helton dos Santos Retrovírus: AIDS Apresentador: Eduardo Antônio Kolling Professor: Paulo Roehe Pós doutorandos: Fabrício Campos e Helton dos Santos HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) Surgimento: -Provável origem durante

Leia mais

EDITAL DE SUBMISSÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS

EDITAL DE SUBMISSÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS EDITAL DE SUBMISSÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS A Oncológica Brasil Ensino e Pesquisa e a Liga Acadêmica de Oncologia do Pará (LAOPA) tornam público o presente edital de submissão de trabalhos científicos,

Leia mais

AQUAPORINAs - 3 ª GERAÇÃO DE HIDRATANTES. LLepiscopo

AQUAPORINAs - 3 ª GERAÇÃO DE HIDRATANTES. LLepiscopo AQUAPORINAs - 3 ª GERAÇÃO DE HIDRATANTES ÁGUA: ORIGEM DA VIDA A vida se iniciou nos oceanos, onde se originaram os primeiros espécimes Necessária a todos os organismos; Fonte renovável, porém preciosa.

Leia mais

tobramicina GERMED FARMACÊUTICA LTDA Solução oftálmica estéril 3 mg/ml

tobramicina GERMED FARMACÊUTICA LTDA Solução oftálmica estéril 3 mg/ml tobramicina GERMED FARMACÊUTICA LTDA Solução oftálmica estéril 3 mg/ml I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO tobramicina 3 mg/ml solução oftálmica estéril Medicamento Genérico, Lei n 9.787, de 1999. APRESENTAÇÃO

Leia mais

Formas do fósforo: -Ortofosfatos: PO 4 3-, HPO 4 2-, H 2 PO 4 -, H 3 PO 4

Formas do fósforo: -Ortofosfatos: PO 4 3-, HPO 4 2-, H 2 PO 4 -, H 3 PO 4 CICLO DO FÓSFORO O fósforo é um não-metal multivalente pertencente à série química do nitrogênio (grupo 15 ou 5 A) que se encontra na natureza combinado, formando fosfatos inorgânicos, inclusive nos seres

Leia mais

Carboplatina_150_01 1

Carboplatina_150_01 1 Carboplatina DCB 01754 Medicamento genérico Lei nº. 9.787, de 1999 I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO FORMAS FARMACÊUTICAS, VIAS DE ADMINISTRAÇÃO E APRESENTAÇÕES COMERCIALIZADAS Carboplatina é um pó liófilo

Leia mais

OTO-XILODASE. Apsen Farmacêutica S.A. Solução Otológica 100 UTR + 50 mg + 5 mg / 1 ml

OTO-XILODASE. Apsen Farmacêutica S.A. Solução Otológica 100 UTR + 50 mg + 5 mg / 1 ml OTO-XILODASE Apsen Farmacêutica S.A. Solução Otológica 100 UTR + 50 mg + 5 mg / 1 ml OTO-XILODASE cloridrato de lidocaína + sulfato de neomicina + hialuronidase APSEN FORMAS FARMACÊUTICAS Solução otológica

Leia mais

Alterações Metabolismo Carboidratos DIABETES

Alterações Metabolismo Carboidratos DIABETES 5.5.2009 Alterações Metabolismo Carboidratos DIABETES Introdução Diabetes Mellitus é uma doença metabólica, causada pelo aumento da quantidade de glicose sanguínea A glicose é a principal fonte de energia

Leia mais

Biotecnologia e medicina. Denise Machado

Biotecnologia e medicina. Denise Machado Biotecnologia e medicina Denise Machado Biotecnologia 325 milhões de pessoas no mundo fazem uso de 130 drogas ou vacinas produzidas pelas técnicas da biotecnologia. 70% de tais drogas ou vacinas foram

Leia mais

FAULDACAR (dacarbazina)

FAULDACAR (dacarbazina) FAULDACAR (dacarbazina) Libbs Farmacêutica Ltda. Pó liófilo injetável 200 mg FAULDACAR dacarbazina APRESENTAÇÃO Pó liófilo injetável com 200 mg de dacarbazina. Embalagem contendo 1 frasco-ampola. USO INTRAVENOSO

Leia mais

Uma visão geral da Malária: ocorrência, manifestação, prevenção e principais tratamentos

Uma visão geral da Malária: ocorrência, manifestação, prevenção e principais tratamentos Uma visão geral da Malária: ocorrência, manifestação, prevenção e principais tratamentos Mariana Ratti Doro, bolsista PIBID, IQ-UNICAMP A malária é uma doença infecciosa potencialmente grave causada por

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

LOCERYL. cloridrato de amorolfina CREME. 2,5mg/g

LOCERYL. cloridrato de amorolfina CREME. 2,5mg/g LOCERYL cloridrato de amorolfina CREME 2,5mg/g 1 LOCERYL cloridrato de amorolfina APRESENTAÇÕES: Creme contendo amorolfina 2,5mg/g (na forma de cloridrato de amorolfina), apresentado em bisnaga de alumínio

Leia mais

Alquilantes Diretrizes para Quimioterapia e Modificações das Dosagens Farm. William Rotea Junior Mostardas nitrogenadas Nitrosuréias Triazenos Etileniminas Alquilsulfonados Divisão Celular Mostardas Quimioterápicos

Leia mais

FORMA FARMACÊUTICA, VIA DE ADMINISTRAÇÃO E APRESENTAÇÃO

FORMA FARMACÊUTICA, VIA DE ADMINISTRAÇÃO E APRESENTAÇÃO REFRESH álcool polivinílico 1,4% povidona 0,6% FORMA FARMACÊUTICA, VIA DE ADMINISTRAÇÃO E APRESENTAÇÃO Solução Oftálmica Via de administração tópica ocular Caixa com 32 flaconetes plásticos para aplicação

Leia mais

ZYPRED ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA

ZYPRED ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA ZYPRED ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA Suspensão oftálmica estéril de gatifloxacino (3 mg/ml) e acetato de prednisolona (10 mg/ml), contendo frasco plástico conta-gotas de 3 ml e 6 ml APRESENTAÇÕES

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO DE LIPOSSOMAS CONTENDO DESIDROCROTONINA E AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTITUMORAL TACIANA LIMA SALVIANO LAPENDA

DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO DE LIPOSSOMAS CONTENDO DESIDROCROTONINA E AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTITUMORAL TACIANA LIMA SALVIANO LAPENDA 0 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO DE LIPOSSOMAS

Leia mais

Manipulando genes em busca de cura: o futuro da terapia gênica CARLOS FREDERICO MARTINS MENCK ARMANDO MORAIS VENTURA

Manipulando genes em busca de cura: o futuro da terapia gênica CARLOS FREDERICO MARTINS MENCK ARMANDO MORAIS VENTURA Os autores agradecem à Fapesp, ao CNPq e à Capes pelo apoio a seus trabalhos de pesquisa. CARLOS FREDERICO MARTINS MENCK ARMANDO MORAIS VENTURA Manipulando genes em busca de cura: o futuro da terapia gênica

Leia mais

6- Qual é a causa do câncer? genes DNA), moléculas de RNA cromossomos ribossomos Genes: Moléculas de RNA: Ribossomos:

6- Qual é a causa do câncer? genes DNA), moléculas de RNA cromossomos ribossomos Genes: Moléculas de RNA: Ribossomos: 6- Qual é a causa do câncer? Na realidade não há apenas uma causa, mas várias causas que induzem o aparecimento do câncer. Primeiramente é importante saber que todo o câncer tem origem genética por abranger

Leia mais

Composição Cada grama contém: 2 mg de carbômer; Excipientes: cetrimida 0,1 mg (conservante), sorbitol, edetato dissódico e hidróxido de sódio.

Composição Cada grama contém: 2 mg de carbômer; Excipientes: cetrimida 0,1 mg (conservante), sorbitol, edetato dissódico e hidróxido de sódio. VISCOTEARS carbômer 2 mg / g Lágrima artificial Forma farmacêutica e apresentação Gel líquido oftálmico: tubo de 10 g. USO ADULTO E PEDIÁTRICO Composição Cada grama contém: 2 mg de carbômer; Excipientes:

Leia mais

HIV. O vírus da imunodeficiência humana HIV-1 e HIV-2 são membros da família Retroviridae, na subfamília Lentividae.

HIV. O vírus da imunodeficiência humana HIV-1 e HIV-2 são membros da família Retroviridae, na subfamília Lentividae. A Equipe Multiprofissional de Saúde Ocupacional da UDESC lembra: Dia 01 de dezembro é dia mundial de prevenção à Aids! Este material foi desenvolvido por alunos do Departamento de Enfermagem da Universidade

Leia mais

BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR 1º S_2010_2011_1º Teste 25/10/2010

BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR 1º S_2010_2011_1º Teste 25/10/2010 BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR 1º S_2010_2011_1º Teste 25/10/2010 (Duração: 1,5 h) Nome do Aluno: Nº: Curso: Cada uma das questões de escolha múltipla (1 à 40) tem a cotação de 0,5 valores. Será descontado

Leia mais

Pesquisa. 40 INCA Relatório Anual 2005 Pesquisa

Pesquisa. 40 INCA Relatório Anual 2005 Pesquisa Pesquisa A pesquisa no INCA compreende atividades de produção do conhecimento científico, melhoria dos procedimentos diagnósticos e terapêuticos do câncer e formação de recursos humanos em pesquisa oncológica.

Leia mais

macroscopia clivagem processamento inclusão - parafina coloração desparafinização microtomia bloco

macroscopia clivagem processamento inclusão - parafina coloração desparafinização microtomia bloco Patologia Cirúrgica macroscopia clivagem processamento inclusão - parafina coloração desparafinização microtomia bloco Exame Histopatológico Exame anatomopatológico é ATO MÉDICO! lâminas microscopia laudo

Leia mais

VÍRUS. DISCIPLINA: BIOLOGIA http://danutaw.webnode.com.br

VÍRUS. DISCIPLINA: BIOLOGIA http://danutaw.webnode.com.br VÍRUS DISCIPLINA: BIOLOGIA 1. CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS VÍRUS - 20 a 300 nm; Micrômetro Nanômetro UNIDADE REPRESENTAÇÃO / VALOR 1 μm = 0,001 milímetro 1 nm = 0,001 micrômetro - Ácido nucléico + proteína

Leia mais

Pela luz dos olhos teus

Pela luz dos olhos teus Pela luz dos olhos teus Pesquisa com medicamento, coordenada por farmacêutico brasileiro, traz esperança a portadores da Degeneração Macular Relacionada com a Idade (DMRI), principal responsável pela perda

Leia mais

BULA PARA PACIENTE PARAPLATIN (carboplatina) 50 mg ou 150 mg ou 450 mg solução injetável

BULA PARA PACIENTE PARAPLATIN (carboplatina) 50 mg ou 150 mg ou 450 mg solução injetável BULA PARA PACIENTE PARAPLATIN (carboplatina) 50 mg ou 150 mg ou 450 mg solução injetável BRISTOL-MYERS SQUIBB PARAPLATIN carboplatina Uso intravenoso somente APRESENTAÇÃO PARAPLATIN 50 mg, 150 mg e 450

Leia mais

Linfomas Dr. Ricardo Bigni -Serviço de Hematologia Hospital do Câncer I/INCA

Linfomas Dr. Ricardo Bigni -Serviço de Hematologia Hospital do Câncer I/INCA Linfomas Dr. Ricardo Bigni -Serviço de Hematologia Hospital do Câncer I/INCA A Doença, ou Linfoma de Hodgkin, é uma forma de câncer que se origina nos linfonodos (gânglios) do sistema linfático, um conjunto

Leia mais

O Avastin é utilizado em associação com outros medicamentos contra o cancro no tratamento de adultos com os seguintes tipos de cancro:

O Avastin é utilizado em associação com outros medicamentos contra o cancro no tratamento de adultos com os seguintes tipos de cancro: EMA/175824/2015 EMEA/H/C/000582 Resumo do EPAR destinado ao público bevacizumab Este é um resumo do Relatório Público Europeu de Avaliação (EPAR) relativo ao. O seu objetivo é explicar o modo como o Comité

Leia mais

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos Moléculas orgânicas - Carboidratos São formados por C, H, O. São Conhecidos como: Hidratos de Carbono Glucídios Glicídios Açúcares Sacarídeos Funções: Energética (glicose); Glicogênio : reserva energética

Leia mais

Replicação viral conceitos básicos

Replicação viral conceitos básicos REPLICAÇÃO VIRAL conceitos básicos Replicação - síntese de moléculas de ácido nucléico - processo de multiplicação dos vírus Infecção - (latim infere = penetrar) - processo replicativo viral como um todo

Leia mais

AmBisome Injetável anfotericina B liposomal

AmBisome Injetável anfotericina B liposomal AmBisome Injetável anfotericina B liposomal FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO AmBisome pó para solução para infusão é um produto liofilizado estéril para infusão intravenosa, fornecido na forma de pó estéril

Leia mais

Uplyso TM alfataliglicerase. Cartucho com 1 frasco-ampola contendo 200 unidades de pó para solução para infusão.

Uplyso TM alfataliglicerase. Cartucho com 1 frasco-ampola contendo 200 unidades de pó para solução para infusão. Uplyso TM alfataliglicerase I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Uplyso TM Nome genérico: alfataliglicerase APRESENTAÇÕES Cartucho com 1 frasco-ampola contendo 200 unidades de pó para solução

Leia mais

12/11/2012. Matriz Transdérmica à Base de Biopolímeros e Potenciadores Naturais de Permeação para Incorporação de Fármacos.

12/11/2012. Matriz Transdérmica à Base de Biopolímeros e Potenciadores Naturais de Permeação para Incorporação de Fármacos. Matriz Transdérmica à Base de Biopolímeros e Potenciadores Naturais de Permeação para Incorporação de Fármacos. Mestranda - Rosana Mírian Barros Mendes Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas/UFPI

Leia mais

Excipientes: albumina humana, cloreto de sódio, cloridrato de arginina, citrato de sódio.

Excipientes: albumina humana, cloreto de sódio, cloridrato de arginina, citrato de sódio. Haemocomplettan P fibrinogênio APRESENTAÇÃO Haemocomplettan P 1g: embalagem contendo 1 frasco-ampola com 1 g de pó liofilizado para solução injetável e infusão. VIA INTRAVENOSA USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Leia mais

vacina febre tifóide (polissacarídica)

vacina febre tifóide (polissacarídica) vacina febre tifóide (polissacarídica) Forma farmacêutica e apresentações: Suspensão injetável. - Cartucho contendo uma seringa de uma dose de 0,5 ml; - Cartucho contendo vinte seringas de uma dose de

Leia mais

Separação e Cromatografia de Proteínas

Separação e Cromatografia de Proteínas QBQ0316N: Bioquímica Experimental Farmácia São Paulo, 11 de setembro 2013 Separação e Cromatografia de Proteínas Universidade de São Paulo QBQ0316N: Bioquímica Experimental Farmácia São Paulo, 11 de setembro

Leia mais

Virulogia. Vírus. Vírus. características 02/03/2015. Príons: Proteína Viróides: RNA. Características. Características

Virulogia. Vírus. Vírus. características 02/03/2015. Príons: Proteína Viróides: RNA. Características. Características Vírus Virulogia Características Vírus- latim veneno - agentes filtráveis Parasita intracelular obrigatório Extracelular: virion Intracelular: vírus Possuem alta especificidade Vírus Características Alta

Leia mais

Palavras Chave: Antibióticos, Antineoplásicos, Interações medicamentosas.

Palavras Chave: Antibióticos, Antineoplásicos, Interações medicamentosas. 6CCSDCFOUT02 ANTIBIÓTICOS ANTITUMORAIS: UM ESTUDO DAS INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS DOS PRODUTOS PADRONIZADOS NO HOSPITAL NAPOLEÃO LAUREANO Hariad Ribeiro (2) ; Roseane Wanderley (3) Centro de Ciências da

Leia mais

PACLITAXEL. .com.br. Wikibula: Consulta de medicamentos e bulas de remédios. Paclitaxel bula. Glenmark Farmacêutica LTDA.

PACLITAXEL. .com.br. Wikibula: Consulta de medicamentos e bulas de remédios. Paclitaxel bula. Glenmark Farmacêutica LTDA. PACLITAXEL Glenmark Farmacêutica LTDA. Solução injetável 1 frasco-ampola contendo solução injetável 20 mg/ml paclitaxel_vp01 Página 1 paclitaxel MEDICAMENTO GENÉRICO, LEI Nº 9.787, DE 1999 LEIA ATENTAMENTE

Leia mais

NEOPLASIAS DE ORIGEM MESENQUIMAL E NOMENCLATURA DAS NEOPLASIAS

NEOPLASIAS DE ORIGEM MESENQUIMAL E NOMENCLATURA DAS NEOPLASIAS NEOPLASIAS DE ORIGEM MESENQUIMAL E NOMENCLATURA DAS NEOPLASIAS Curso: Graduação em Odontologia 4 º e 5 º Períodos Disciplina: Patologia Oral http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira

Leia mais

Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro

Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro Dia Nacional de Combate ao Câncer O Dia 27 de Novembro, Dia Nacional de Combate ao Câncer, é uma data que deve ser lembrada não para comemorarmos e, sim, para alertarmos

Leia mais

Submetida em 08/05/2013. MODELO DE BULA (CCDS 0313) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO. CAELYX cloridrato de doxorrubicina lipossomal peguilado

Submetida em 08/05/2013. MODELO DE BULA (CCDS 0313) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO. CAELYX cloridrato de doxorrubicina lipossomal peguilado MODELO DE BULA (CCDS ) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO CAELYX cloridrato de doxorrubicina lipossomal peguilado APRESENTAÇÕES Suspensão injetável de mg de cloridrato de doxorrubicina lipossomal peguilado em

Leia mais

Emulsionantes. Emulmetik Biophilic H Amisol Soft Heliofeel

Emulsionantes. Emulmetik Biophilic H Amisol Soft Heliofeel Emulsionantes Emulmetik Biophilic H Amisol Soft Heliofeel EMULMETIK Emulmetik é composto de lecitina natural e fosfolipídeos com diferentes concentrações de fosfatidilcolina. Emulmetik é utilizado como

Leia mais

Tema: Tratamento da Doença Leptomeníngea

Tema: Tratamento da Doença Leptomeníngea Módulo: Doença Metastática para Sistema Nervoso central Bloco: Manejo das Lesões Múltiplas Tema: Tratamento da Doença Leptomeníngea Aknar Calabrich Oncologia Clínica Em 1 ano... Pubmed 67 artigos (nenhum

Leia mais

QUÍMICA Exercícios de revisão resolvidos

QUÍMICA Exercícios de revisão resolvidos 13. (ENEM 2014) O principal processo industrial utilizado na produção de fenol é a oxidação do cumeno (isopropilbenzeno). A equação mostra que esse processo envolve a formação do hidroperóxido de cumila,

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Biológicas Programa de Pós-Graduação em Fisiologia e Farmacologia Ligia Elena de Souza

Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Biológicas Programa de Pós-Graduação em Fisiologia e Farmacologia Ligia Elena de Souza 0 Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Biológicas Programa de Pós-Graduação em Fisiologia e Farmacologia Ligia Elena de Souza Mistura de lipossomas convencionais e furtivos: estudos

Leia mais

Legifol CS folinato de cálcio. APRESENTAÇÕES Legifol CS solução injetável de 10 mg/ml em embalagens contendo 10 ampolas de 5 ml (50 mg).

Legifol CS folinato de cálcio. APRESENTAÇÕES Legifol CS solução injetável de 10 mg/ml em embalagens contendo 10 ampolas de 5 ml (50 mg). Legifol CS folinato de cálcio I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Legifol CS Nome genérico: folinato de cálcio APRESENTAÇÕES Legifol CS solução injetável de 10 mg/ml em embalagens contendo

Leia mais

Membranas Biológicas e Transporte

Membranas Biológicas e Transporte Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular Disciplina de Introdução a Bioquímica Membranas Biológicas e Transporte 1. Introdução 2. Os Constituintes

Leia mais

Membrana Celular: Bicamada Lipídica Nutrição

Membrana Celular: Bicamada Lipídica Nutrição Membrana Celular: Bicamada Lipídica Nutrição Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto FEV/2011 BICAMADA LIPÍDICA Bicamada Formada por 50% de lipídeos (latu senso); As moléculas das membranas são

Leia mais

Dieta, Nutrição e Prevenção do Câncer. Instituto Adriana Garófolo IAG www.nutricancer.com.br

Dieta, Nutrição e Prevenção do Câncer. Instituto Adriana Garófolo IAG www.nutricancer.com.br Dieta, Nutrição e Prevenção do Câncer Instituto Adriana Garófolo IAG www.nutricancer.com.br Epidemiologia sexo masculino : pulmão, próstata, estômago, cólon e reto, boca e faringe, fígado, esôfago e bexiga

Leia mais

VÍRUS (complementar o estudo com as páginas 211-213 do livro texto)

VÍRUS (complementar o estudo com as páginas 211-213 do livro texto) COLÉGIO E CURSO INTELECTUS APOSTILA NOME: MAT.: Biologia I PROFº: EDUARDO SÉRIE: TURMA: DATA: VÍRUS (complementar o estudo com as páginas 211-213 do livro texto) Os vírus são os únicos organismos acelulares,

Leia mais

Submetida em 08/05/2013. MODELO DE BULA (CCDS 0313) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO. CAELYX cloridrato de doxorrubicina lipossomal peguilado

Submetida em 08/05/2013. MODELO DE BULA (CCDS 0313) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO. CAELYX cloridrato de doxorrubicina lipossomal peguilado MODELO DE BULA (CCDS 0313) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO CAELYX cloridrato de doxorrubicina lipossomal peguilado APRESENTAÇÕES Suspensão injetável de 20 mg de cloridrato de doxorrubicina lipossomal peguilado

Leia mais

DURATESTON (propionato de testosterona fempropionato de testosterona isocaproato de testosterona decanoato de testosterona)

DURATESTON (propionato de testosterona fempropionato de testosterona isocaproato de testosterona decanoato de testosterona) DURATESTON (propionato de testosterona fempropionato de testosterona isocaproato de testosterona decanoato de testosterona) Schering Plough Indústria Farmacêutica Ltda. Solução Injetável 250 mg/ml IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Seres muito simples: cápsula protéica envolvendo o material genético (DNA ou RNA) Vírus que infectam Bactérias

Seres muito simples: cápsula protéica envolvendo o material genético (DNA ou RNA) Vírus que infectam Bactérias Seres muito simples: cápsula protéica envolvendo o material genético (DNA ou RNA) Estrutura de Vírus Menores que as menores células conhecidas Vírus que infectam Bactérias Exemplo: vírus que infectam a

Leia mais

TÉCNICAS DE ESTUDO EM PATOLOGIA

TÉCNICAS DE ESTUDO EM PATOLOGIA TÉCNICAS DE ESTUDO EM PATOLOGIA Augusto Schneider Carlos Castilho de Barros Faculdade de Nutrição Universidade Federal de Pelotas TÉCNICAS Citologia Histologia Imunohistoquímica Citometria Biologia molecular

Leia mais

MODELO DE BULA VACINA COMBINADA CONTRA SARAMPO, CAXUMBA E RUBÉOLA (MMR)

MODELO DE BULA VACINA COMBINADA CONTRA SARAMPO, CAXUMBA E RUBÉOLA (MMR) MODELO DE BULA VACINA COMBINADA CONTRA SARAMPO, CAXUMBA E RUBÉOLA (MMR) DESCRIÇÃO A vacina é um pó liofilizado contendo três cepas virais: sarampo, caxumba e rubéola. a) O componente da vacina contra sarampo

Leia mais

Seu pé direito nas melhores Faculdades PUC 29/11/2009

Seu pé direito nas melhores Faculdades PUC 29/11/2009 Seu pé direito nas melhores Faculdades PUC 29//2009 5 Biologia 26. Malária (I), febre amarela (II), mal de Chagas (III) e síndrome da imunodeficiência adquirida (IV) são algumas das doenças que ocorrem

Leia mais

APRESENTAÇÃO Pó liofilizado para solução injetável intravenosa em frasco-ampola de uso único. Embalagem com 1 frascoampola

APRESENTAÇÃO Pó liofilizado para solução injetável intravenosa em frasco-ampola de uso único. Embalagem com 1 frascoampola MODELO DE BULA DO PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO DACOGEN decitabina APRESENTAÇÃO Pó liofilizado para solução injetável intravenosa em frasco-ampola de uso único. Embalagem com 1 frascoampola com

Leia mais

MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA

MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA PAMIGEN cloridrato de gencitabina MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA APRESENTAÇÃO 200 mg - Embalagem com 1 frasco ampola 1 g - Embalagem com 1 frasco ampola FORMA FARMACÊUTICA

Leia mais

TYSABRI natalizumabe

TYSABRI natalizumabe TYSABRI natalizumabe Formas farmacêuticas, vias de administração e apresentações: TYSABRI (natalizumabe). Solução concentrada para infusão intravenosa - 300 mg de natalizumabe / 15 ml (20 mg/ml). Cada

Leia mais

Água e Solução Tampão

Água e Solução Tampão União de Ensino Superior de Campina Grande Faculdade de Campina Grande FAC-CG Curso de Fisioterapia Água e Solução Tampão Prof. Dra. Narlize Silva Lira Cavalcante Fevereiro /2015 Água A água é a substância

Leia mais

Comprimidos revestidos de 150 mg, em frasco contendo 60 comprimidos revestidos.

Comprimidos revestidos de 150 mg, em frasco contendo 60 comprimidos revestidos. I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Antirretroviral. Nome do produto: Farmanguinhos Lamivudina Nome genérico: Lamivudina APRESENTAÇÃO Comprimidos revestidos de 150 mg, em frasco contendo 60 comprimidos revestidos.

Leia mais

COMPOSIÇÃO QUÍMICA CELULAR COMPOSTOS INORGÂNICOS: ÁGUA- SAIS MINERAIS COMPOSTOS ORGÂNICOS: CARBOIDRATOS

COMPOSIÇÃO QUÍMICA CELULAR COMPOSTOS INORGÂNICOS: ÁGUA- SAIS MINERAIS COMPOSTOS ORGÂNICOS: CARBOIDRATOS COMPOSIÇÃO QUÍMICA CELULAR COMPOSTOS INORGÂNICOS: ÁGUA- SAIS MINERAIS COMPOSTOS ORGÂNICOS: CARBOIDRATOS COMPOSTOS INORGÂNICOS Não apresentam Carbono em sua estrutura DOIS TIPOS: Água e Sais Minerais ÁGUA:

Leia mais

RESFENOL. Kley Hertz S/A Indústria e Comércio Cápsulas 400mg paracetamol + 4mg maleato de clorfeniramina + 4mg cloridrato de fenilefrina

RESFENOL. Kley Hertz S/A Indústria e Comércio Cápsulas 400mg paracetamol + 4mg maleato de clorfeniramina + 4mg cloridrato de fenilefrina Kley Hertz S/A Indústria e Comércio Cápsulas 400mg paracetamol + 4mg maleato de clorfeniramina + 4mg cloridrato de fenilefrina paracetamol maleato de clorfeniramina cloridrato de fenilefrina APRESENTAÇÃO

Leia mais

VEGESOY FIBER. Fibra de soja: extrato insolúvel de soja em pó. Informações Técnicas

VEGESOY FIBER. Fibra de soja: extrato insolúvel de soja em pó. Informações Técnicas Informações Técnicas VEGESOY FIBER Fibra de soja: extrato insolúvel de soja em pó INTRODUÇÃO A soja é uma leguminosa cultivada na China há mais de 5 mil anos. Ao longo do tempo passou a ser consumida por

Leia mais

II Congresso Internacional de Neuro-Oncologia. Tema: Tratamento da doença Leptomeníngea

II Congresso Internacional de Neuro-Oncologia. Tema: Tratamento da doença Leptomeníngea II Congresso Internacional de Neuro-Oncologia Módulo: Doença Metastática para Sistema Nervoso central Bloco: Manejo das Lesões Múltiplas Tema: Tratamento da doença Leptomeníngea Aknar Calabrich Oncologia

Leia mais