Parte I. Orientação a objetos no PHP. Contato: Site:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parte I. Orientação a objetos no PHP. Contato: <lara.popov@ifsc.edu.br> Site: http://professores.chapeco.ifsc.edu.br/lara/"

Transcrição

1 Parte I Programação para WEB II Orientação a objetos no PHP Contato: Site: Programação para WEB II 1

2 PHP Estruturado Os programadores PHP utilizavam ou a programação estruturada ou orientação a funções (nomenclatura usada por estudantes para definir um método de desenvolvimento). Este método basicamente organiza as funções mais utilizadas em arquivos específicos, como por exemplo, um arquivo chamado funções de banco e neste arquivo são colocadas as funções de insert, update e delete, depois bastava incluir o arquivo no local onde deseja utilizar as funções. Para isso utilizase os métodos include, include_once, require ou require_once do PHP e chamar as funções. Programação para WEB II 2

3 PHP Estruturado O include tenta incluir o arquivo, caso não ache, retorna um Warning (warning é apenas um alerta do PHP, a aplicação não é interrompida quando acontece). O require por sua vez retorna um Fatal Error (o fatal error interrompe a aplicação e não executa o resto dos comandos), o include_once e require_once tentam incluir o arquivo, porém se o arquivo já foi incluso ele retorna false e não o inclui novamente. Programação para WEB II 3

4 Orientação a Objetos em PHP Programação para WEB II 4

5 CLASSE Programação para WEB II 5

6 Orientação a Objetos: Classe Classe: é uma estrutura estática que define um tipo de dados chamado de objeto, podendo conter: Atributos (variáveis / propriedades) Métodos (funções / funcionalidades) Recomenda-se o uso de letras maiúsculas para o nome de uma classe, e que ela seja no singular. Programação para WEB II 6

7 Orientação a Objetos: Classe Cada classe é orientada ao assunto, ou seja, é responsável por um assunto diferente e possui responsabilidade sobre o mesmo. Ela deve proteger o seu conteúdo por meio de mecanismos (encapsulamento). Para referenciar um atributo dentro de uma classe utiliza-se a expressão $this. Programação para WEB II 7

8 Classe: Produto.class.php <?php class Produto { var $Codigo; var $Descricao; var $Preco; var $Quantidade;?> Programação para WEB II 8

9 OBJETO Programação para WEB II 9

10 Orientação a Objetos: Objeto Objeto é um elemento do mundo real. Possui: Comportamento é a forma como reage a estímulos Atributos são as suas características, que podem mudar conforme seu comportamento. Um objeto também é chamado de instância da classe Programação para WEB II 10

11 Orientação a Objetos: Objeto Objeto: contem exatamente a mesma estrutura e propriedades de uma classe, no entanto sua estrutura é dinâmica, seus atributos podem mudar de valor durante a execução do programa e podemos declarar diversos objetos oriundos de uma mesma classe. Programação para WEB II 11

12 Orientação a Objetos: Objeto Exemplos: Concretos: pessoa, lápis, carro, Intangíveis: hora, projeto, organização,... Personagem: médico, professor, Relacional:casamento, propriedade,... Evento: venda, defeito de sistema,.. Interface: janela, ícone, botão... Programação para WEB II 12

13 Objeto: objeto.php <? //insere a classe include_onde 'classes/produto.class.php'; //cria um objeto $produto = new Produto; //atribui valores $produto->codigo = 3001; $produto->descricao = 'DVD Os Vingadores 2'; echo $produto?> Programação para WEB II 13

14 Inserindo uma função/método Programação para WEB II 14

15 Classe: Produto.class.php (método/função) <?php class Produto { var $Codigo; var $Descricao; var $Preco; var $Quantidade; function ImprimeEtiqueta(){ print 'Código: '.$this->codigo.'\n'; print 'Descrição: '.$this->descricao.'\n';?> Programação para WEB II 15

16 Objeto: objeto.php <? //insere a classe include_onde 'classes/produto.class.php'; //cria dois objeto $produto1 = new Produto; $produto2 = new Produto; //atribui valores $produto1->codigo = 3001; $produto1->descricao = 'DVD Os Vingadores 2'; $produto1->codigo = 3002; $produto1->descricao = 'DVD Harry Potter'; //imprime $produto1->imprimeetiqueta(); $produto2->imprimeetiqueta();?> Programação para WEB II 16

17 Método Construtor Programação para WEB II 17

18 Construtor Construtor é um método especial utilizado para definir o comportamento inicial de um objeto, ou seja, o comportamento no momento de sua criação. Esse método é executado automaticamente no momento em que instanciamos um objeto por meio do operador new. Dessa forma, não devemos retornar nenhum valor por meio do método construtor porque o mesmo retorna por definição o próprio objeto que está sendo instanciado. Programação para WEB II 18

19 Construtor Sintaxe: construct() Programação para WEB II 19

20 Construtor: exemplo class Mysql{ // Atributos de instância public $hostname; public $username; public $password; // Declaração do método construtor function construct($host, $user, $pass) { // Atribuímos os valores passados por parâmetro aos atributos $this->hostname = $host; $this->username = $user; $this->password = $pass; Programação para WEB II 20

21 Construtor: exemplo // Chama o método connect $this->connect(); // Declaração do método connect function connect() { mysql_connect($this->hostname, $this->username, $this->password); Programação para WEB II 21

22 Construtor: exemplo Instanciando o objeto // Instância do objeto para o servidor $mysql1 = new Mysql("url.server1.net", "admin", "senha"); Programação para WEB II 22

23 Método Destrutor Programação para WEB II 23

24 Destrutor Destrutor é um método especial executado automaticamente quando: o objeto é desalocado da memória; atribuímos o valor NULL ao objeto; utilizamos a função unset() sobre o mesmo; o programa é finalizado Pode ser usado para finalizar conexões, apagar arquivos temporários criados durante a execução do objeto, etc. Programação para WEB II 24

25 Destrutor Sintaxe: destruct() Programação para WEB II 25

26 Destrutor: exemplo classe destruindo{ function construct() { echo "Eu sou um construtor"; function destruct() { echo "Eu sou um destrutor"; Programação para WEB II 26

27 Destrutor: exemplo Criando um objeto que instância a nossa classe e depois o destruímos: // Instanciando a classe $myclass = new MinhaClasse; // Destruindo o objeto $myclass = NULL; Programação para WEB II 27

28 Um exemplo clássico para o uso dos destrutores são nas classes que fazem a manipulação de arquivos. Pois, após destruir a instância da classe, não há necessidade de manter aberto as referências aos arquivos manipulados. Então, usa-se o método destruct para fechar tais referências, liberam a memória. Programação para WEB II 28

29 Herança Programação para WEB II 29

30 Herança Pode ser entendida como um mecanismo que permite construir uma nova classe com base em uma classe previamente existente, em que a nova herda automaticamente todos os atributos, comportamentos e implementações da classe-pai. Programação para WEB II 30

31 Herança Com a herança, podemos reutilizar partes de código já definidas, além da agilidade, ela elimina a necessidade de duplicar ou rescrever certo código. Programação para WEB II 31

32 Herança Para estender uma nova classe (chamaremos de subclasse), utilizamos a palavra reservada extends. Quando criamos uma subclasse, todos os métodos pertencentes a classe pai podem ser executados. Também é possível sobrescrever os seus métodos e propriedades, a fim de criar novos, com outras características. Se na subclasse é escrito um método com o mesmo nome do método existente na classe pai, passa a vigorar o método da classe filha (subclasse). Programação para WEB II 32

33 Herança Para acessar os métodos sobrescritos ou membros estáticos da classe pai, utilizamos a palavra reservada parent. É importante destacar que somente os métodos protect e public podem ser reescritos. Programação para WEB II 33

34 Herança: exemplo Classe pessoa e a partir dela criaremos a classe funcionário, pois o funcionário é uma pessoa, consequentemente, funcionário herdará as características da classe pessoa, ao invés de duplicarmos tudo de novo na classe funcionário. Programação para WEB II 34

35 Herança: exemplo class Pessoa{ public $Nome; public $AnoDeNascimento; public $Endereco; public $Telefone; /* Método Construtor Inicializa as propriedades */ function construct($nome, $AnoDeNascimento, $Endereco, $Telefone){ $this->nome = $Nome; $this->anodenascimento = $AnoDeNascimento; $this->endereco = $Endereco; $this->telefone = $Telefone; Programação para WEB II 35

36 Herança: exemplo /* Método EscreveDados() Retorna os dados da Pessoa */ function EscreveDados(){ echo "Nome: {$this->nome Ano de nascimento: {$this->anodenascimento Endereço: {$this->endereco Telefone: {$this->telefone"; /* Método ObterIdade() Retorna a idade */ function ObterIdade(){ $ano_atual = date("y",time()); return $ano_atual - $this->anodenascimento; Programação para WEB II 36

37 Herança: exemplo Agora vamos criar a classe Funcionário, que irá herdar da classe Pessoa, fique atendo aos comentários e não se preocupe caso não entenda alguma parte do código, iremos explicar detalhadamente em seguida: Programação para WEB II 37

38 Herança: exemplo require_once("pessoa.class.php"); class Funcionario extends Pessoa{ public $Salario; public $Cargo; public $DiaPagamento; /* Método Construtor Inicializa as propriedades */ function construct($nome, $AnoDeNascimento, $Endereco, $Telefone, $Salario, $Cargo, $DiaPagamento){ // Chamada do método do construtor da classe-pai parent:: construct($nome, $AnoDeNascimento, $Endereco, $Telefone); // Inicializa as variáveis/propriedades locais da Classe $this->salario = $Salario; $this->cargo = $Cargo; $this->diapagamento = $DiaPagamento; Programação para WEB II 38

39 Herança: exemplo /* Método EscreverSalario Escreve o salário do funcionário */ function EscreverSalario(){ echo "Salário: {$this->$salario "; /* Método EscreveDados() Este método sobrescreve o método EscreveDados() da classe-pai */ function EscreveDados(){ parent::escrevedados(); echo "Salário: {$this->salario Cargo: {$this->cargo Dia de pagamento: {$this->diapagamento "; Programação para WEB II 39

40 Herança: exemplo require_once("pessoa.class.php"); class Funcionario extends Pessoa{ public $Salario; public $Cargo; public $DiaPagamento; /* Método Construtor Inicializa as propriedades */ function construct($nome, $AnoDeNascimento, $Endereco, $Telefone, $Salario, $Cargo, $DiaPagamento){ // Chamada do método do construtor da classe-pai parent:: construct($nome, $AnoDeNascimento, $Endereco, $Telefone); // Inicializa as variáveis/propriedades locais da Classe $this->salario = $Salario; $this->cargo = $Cargo; $this->diapagamento = $DiaPagamento; estamos adicionando a classe pessoa ao documento, levando em consideração que a classe pessoa está em outro arquivo Programação para WEB II 40

41 Herança: exemplo require_once("pessoa.class.php"); class Funcionario extends Pessoa{ public $Salario; public $Cargo; public $DiaPagamento; /* Método Construtor Inicializa as propriedades */ function construct($nome, $AnoDeNascimento, $Endereco, $Telefone, $Salario, $Cargo, $DiaPagamento){ // Chamada do método do construtor da classe-pai parent:: construct($nome, $AnoDeNascimento, $Endereco, $Telefone); // Inicializa as variáveis/propriedades locais da Classe $this->salario = $Salario; $this->cargo = $Cargo; $this->diapagamento = $DiaPagamento; estamos dizendo que a classe Funcionário herdará todas as características de Pessoa. Pessoa será a superclasse, enquanto Funcionário, a subclasse de Pessoa. Programação para WEB II 41

42 Herança: exemplo require_once("pessoa.class.php"); class Funcionario extends Pessoa{ public $Salario; public $Cargo; public $DiaPagamento; /* Método Construtor Inicializa as propriedades */ function construct($nome, $AnoDeNascimento, $Endereco, $Telefone, $Salario, $Cargo, $DiaPagamento){ // Chamada do método do construtor da classe-pai parent:: construct($nome, $AnoDeNascimento, $Endereco, $Telefone); // Inicializa as variáveis/propriedades locais da Classe $this->salario = $Salario; $this->cargo = $Cargo; $this->diapagamento = $DiaPagamento; declaramos as propriedades do Funcionário Programação para WEB II 42

43 Herança: exemplo require_once("pessoa.class.php"); class Funcionario extends Pessoa{ public $Salario; public $Cargo; public $DiaPagamento; /* Método Construtor Inicializa as propriedades */ function construct($nome, $AnoDeNascimento, $Endereco, $Telefone, $Salario, $Cargo, $DiaPagamento){ // Chamada do método do construtor da classe-pai parent:: construct($nome, $AnoDeNascimento, $Endereco, $Telefone); // Inicializa as variáveis/propriedades locais da Classe $this->salario = $Salario; $this->cargo = $Cargo; $this->diapagamento = $DiaPagamento; estamos dizendo que o pai (parent::) que irá receber os dados (nome, anodenascimento, endereco e telefone) e a classe Funcionário que ficará responsável pelos demais dados (salario, cargo e diadepagamento). Programação para WEB II 43

44 Herança: exemplo /* Método EscreverSalario Escreve o salário do funcionário */ function EscreverSalario(){ echo "Salário: {$this->$salario "; /* Método EscreveDados() Este método sobrescreve o método EscreveDados() da classe-pai */ function EscreveDados(){ parent::escrevedados(); echo "Salário: {$this->salario Cargo: {$this->cargo Dia de pagamento: {$this->diapagamento "; Programação para WEB II 44

45 Herança: exemplo - testando <span style="font-family: Verdana, sans-serif;"> require_once("funcionario.class.php"); $leandro = new Funcionario("Leandro Castro", 1985, "Rua das Flores 33 - Juiz de fora","(32) ", 4.000, "Desenvolvedor Java/PHP", 8); echo $leandro->obteridade(); $leandro->escrevedados(); </span> Programação para WEB II 45

46 Polimorfismo Programação para WEB II 46

47 Polimorfismo O polimorfismo significa muitas formas ou algo que pode mudar sua forma. Em termos de programação, polimorfismo pode ser entendido como um único nome de classe ou métodos que represente um código diferente. Lembre-se: mesmo nome, porém código diferente. Programação para WEB II 47

48 Polimorfismo Vantagens: O polimorfismo facilita a reutilização de código. Facilita a manutenção, visto que não é preciso utilizar várias estruturas condicionais para simular situações diferentes. Programação para WEB II 48

49 Polimorfismo: exemplo Vamos utilizar o clássico exemplo do banco, que tem 2 tipos de cheques: Cheque Comum e o Cheque Especial. Ambos os cheques possuem a mesma estrutura, porém um cobra 20% de juros (comum) e o outro cobra 10 % (especial). Programação para WEB II 49

50 Polimorfismo: exemplo class Cheque{ public $Valor; /* Método Construtor Recebe o parâmetro $Valor. */ function construct($valor){ $this->valor = $Valor; /* Método CalcularJuros() Calcula os Juros, neste caso 20% */ function CalcularJuros(){ return $this->valor * 1.20; /* Método TipoCheque() Retorna o tipo do Cheque */ function TipoCheque(){ return "Comum"; Programação para WEB II 50

51 Polimorfismo: exemplo /* Perceba a herança acontecendo definida pela palavra extends */ class ChequeEspecial extends Cheque{ /* Método CalcularJuros() - Opa!! Mas esse método já não tinha sido implementado na classe anterior? Sim, está aí o polimorfismo. * O juros do Cheque especial é 10%, não 20 como o anterior */ function CalcularJuros(){ //Perceba que herdamos a propriedade Valor da classe pai return $this->valor * 1.10; /* Método TipoCheque() - Também Sobrescrito uso explicito do polimorfismo*/ function TipoCheque(){ return "Especial"; Programação para WEB II 51

52 Polimorfismo: exemplo testando... //Incluimos as duas classes require_once("cheque.class.php"); require_once("chequeespecial.class.php"); // Criação dos cheques $Cheques[1] = new Cheque(380.00); $Cheques[2] = new ChequeEspecial(600.00); $Cheques[3] = new Cheque(230.00); ChequeEspecial herdou todas as características da classe cheque, entretanto o que difere as duas classes é a ocorrência do polimorfismo nos métodos TipoCheque() e CalculaJuros(). // Percorrendo os Cheques foreach ( $Cheques as $key => $Cheque ) { echo "Cheque $key ( {$Cheque->TipoCheque() ) com juros: R$ {$Cheque- >CalcularJuros() "; Programação para WEB II 52

53 Abstração Programação para WEB II 53

54 Abstração É uma forma de separar mentalmente, simplificar ou mesmo considerar isoladamente. Um sistema orientado a objetos não deve ser visto como uma única peça, devamos separá-lo em partes, concentrando nas peças mais importantes e ignorando os detalhes (em primeiro momento) para que possamos construir peças bem-definidas que possam ser reaproveitadas mais tarde, formando uma estrutura hierárquica. Sempre que estiver desenvolvendo um sistema OO, você deve aplicar este conceito, abstraia ao máximo, concentre-se em separar o sistema em módulos. Programação para WEB II 54

55 Classes Abstratas e Métodos Abstratos Seguindo o conceito de abstração que acabamos de expor, encontraremos classes que irão servir como classes estruturais ou seja, que estão na nossa hierarquia de classes para servirem de base para outras classes, mas que nunca serão instanciadas em objetos, somente suas filhas. Neste contexto, é interessante definir está classe como abstrata, de modo que ninguém consiga instanciá-la. A grosso modo, classe abstrata nada mais é do que um modelo comum, que deve ser seguido pelas classes filhas, nunca é instanciado em objeto ou seja, não existe isoladamente. Programação para WEB II 55

56 Classes Abstratas e Métodos Abstratos Métodos abstratos possuem uma definição semelhante, não podem ser implementados nas classes abstratas, deve ser definido somente a assinatura do método e deve obrigatoriamente, ser implementado na integra pela classe filha que o estender. Um método abstrato é definido em uma classe abstrata, mas deve conter somente sua assinatura, o corpo do método fica por conta das classes filhas. Programação para WEB II 56

57 Abstração: exemplo // Definimos uma classe como abstrata utilizando a palavra reservada abstract antes da palavra class abstract class Animal { public $nome; public $idade; //O método construtor seta os dois atributos function construct($nome, $idade) { $this->nome = $nome; $this->idade = $idade; //O método descrição retorna o nome e a idade public function Descricao() { return $this->nome. ", ". $this->idade. " anos de idade"; // O método Falar deve ser implementado na classe filha perceba que ele não tem implementação abstract public function Falar(); Programação para WEB II 57

58 Abstração: exemplo Temos nessa classe todas as características comuns de um animal. Todo animal possui um nome e todo animal possui uma idade, todo animal fala (o cachorro faz Au Au, o gato faz Miau). Perceba que o método Falar não possui nada implementado, além disso, a definição do método é precedida pela palavra abstract, o que significa que o método deve ser implementado em TODAS as classes que estenderem a classe Animal. Programação para WEB II 58

59 Abstração: exemplo Estamos levando para o mundo OO uma definição que temos no mundo real, veja: Um cachorro, um gato, um cavalo são animais, cada um com suas características especificas, mas todos são animais, todos possuem nome, idade e falam. Não faria sentido criar o objeto Animal. Programação para WEB II 59

60 Abstração: exemplo Se tentarmos instanciar a classe animal teríamos o seguinte erro: Fatal error: cannot instantiate abstract class Animal in animal.class.php on line 5 Programação para WEB II 60

61 Abstração: exemplo Agora temos que criar uma subclasse de Animal, chamaremos de Macaco. // Herdamos a classe Animal class Macaco extends Animal{ // Somos obrigados a implementar o método falar public function Falar() { return "Uh uh ah ah!"; // Vamos também complementar o método Descricao public function Descricao() { return parent::descricao(). ", eu sou um macaco!"; Programação para WEB II 61

62 Abstração: exemplo Agora podemos instanciar a classe macaco. $animal = new Macaco("Mico", 5); echo $animal->descricao(); echo $animal->falar(); Programação para WEB II 62

63 Classes Finais Classes finais podem ser definidas como classes que não podem ser estendidas ou seja, não pode ser uma superclasse. Uma classe é definida como final quando colocamos a palavra reservada final antes da palavra class. Programação para WEB II 63

64 Classe final: exemplo final class Macaco{ public $nome; public $idade; A classe macaco definida aqui, não pode ser herdada por nenhuma outra classe function construct($nome, $idade) { $this->nome = $nome; $this->idade = $idade; public function Descricao() { return $this->nome. ", ". $this->idade. " anos de idade"; Programação para WEB II 64

65 Métodos Finais Assim como classes finais, um método final não pode ser estendido e obviamente não pode ser abstrato, pois métodos abstratos foram feitos para serem estendidos e declarados na classe filha. Para declarar um método como final basta usar a palavra reservada final antes da palavra function. Programação para WEB II 65

66 Classe final: exemplo final class Macaco{ public $nome; public $idade; Esse método não pode ser sobreescrito final function Descricao() { return $this->nome. ", ". $this->idade. " anos de idade"; Programação para WEB II 66

67 Referencias Bibliográficas Introdução à Orientação a Objetos em PHP. Disponível em: Acesso em: 07 de Ago de Curso de PHP Orientado a Objetos. Disponível em: Acesso em 08 de Ago de Programação para WEB II 67

PHP INTRODUÇÃO CLASSES E OBJETOS

PHP INTRODUÇÃO CLASSES E OBJETOS INTRODUÇÃO PHP AULA 8 ORIENTAÇÃO A OBJETOS Professor: Leonardo Pereira E-mail: leongamerti@gmail.com Facebook: leongamerti Material de Estudo: http://www.leonti.vv.si A orientação a objetos ou OO é o paradigma

Leia mais

Um objeto é uma instância de uma 'classe'. Você define uma classe utilizando o trecho de código abaixo;

Um objeto é uma instância de uma 'classe'. Você define uma classe utilizando o trecho de código abaixo; um objeto; é definido; Um objeto é uma instância de uma 'classe'. Você define uma classe utilizando o trecho de código abaixo; class ClasseBase{ é instanciado; $objetobase = new ClasseBase; Caso queira,

Leia mais

UM ESTUDO PARA A EVOLUÇÃO DO PHP COM A LINGUAGEM ORIENTADA A OBJETOS

UM ESTUDO PARA A EVOLUÇÃO DO PHP COM A LINGUAGEM ORIENTADA A OBJETOS UM ESTUDO PARA A EVOLUÇÃO DO PHP COM A LINGUAGEM ORIENTADA A OBJETOS Jean Henrique Zenzeluk* Sérgio Ribeiro** Resumo. Este artigo descreve os conceitos de Orientação a Objetos na linguagem de programação

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO EM PHP

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO EM PHP PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO EM PHP O PHP através da versão 5, veio desenvolvido com suporte a programação orientada a objetos. O que significa isso? Que a partir da versão 5 é possível criar bibliotecas

Leia mais

PHP: Programando com Orientação a Objetos

PHP: Programando com Orientação a Objetos PHP: Programando com Orientação a Objetos Pablo Dall'Oglio Adianti Solutions www.adianti.com.br Roteiro Conceitos de Orientação a Objetos; Classes, objetos, propriedades, métodos; Métodos construtores

Leia mais

Linguagem de Programação III Herança

Linguagem de Programação III Herança Linguagem de Programação III Herança Prof. Moser Fagundes Curso Técnico em Informática (Modalidade Integrada) Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas Vantagens da orientação a objetos

Leia mais

AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP

AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP Antes de mais nada, vamos conhecer alguns conceitos, que serão importantes para o entendimento mais efetivos dos assuntos que trataremos durante a leitura desta apostila.

Leia mais

Material de Apoio 5. int getres() { return res; O que estas classes possuem em comum? 1) 2) 3)

Material de Apoio 5. int getres() { return res; O que estas classes possuem em comum? 1) 2) 3) pg. 1/6 Material de Apoio 5 Herança Observe o código das classes Fatorial e Fibonacci apresentados abaixo. class Fatorial { class Fibonacci { private int n, res; private int n, res; public Fatorial( int

Leia mais

Curso de PHP. FATEC - Jundiaí. A programação orientada a objetos (object-oriented oriented programming

Curso de PHP. FATEC - Jundiaí. A programação orientada a objetos (object-oriented oriented programming Curso de PHP FATEC - Jundiaí A programação orientada a objetos (object-oriented oriented programming OOP) é um conjunto de técnicas t para organizar o código c em torno de entidades ou objetos representados

Leia mais

Implementando uma Classe e Criando Objetos a partir dela

Implementando uma Classe e Criando Objetos a partir dela Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 04 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO) Parte: 2 Prof. Cristóvão Cunha Implementando uma Classe

Leia mais

ProgramaTchê programatche.net Programação OO com PHP

ProgramaTchê programatche.net Programação OO com PHP Roteiro 2 Objetivos: * Apresentar a sintaxe básica para utilização de Orientação a Objetos em PHP. Ferramentas necessárias Navegador, NetBeans, Servidor Apache. 1 Orientação a Objetos em PHP PHP é uma

Leia mais

Python Intermediário. terça-feira, 4 de agosto de 15

Python Intermediário. terça-feira, 4 de agosto de 15 Python Intermediário I FUNÇÕES Módulo Python (Intermediário) Função Uma função é uma sequência de comandos que desempenham algum tipo de tarefa no seu programa Evita duplicação de código Facilita alterações:

Leia mais

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1 1 Apresentação O Curso Java Starter foi projetado com o objetivo de ajudar àquelas pessoas que têm uma base de lógica de programação e desejam entrar no mercado de trabalho sabendo Java, A estrutura do

Leia mais

Programação Orientada a Objetos C++

Programação Orientada a Objetos C++ Programação Orientada a Objetos em C++ Sumário Histórico Comparação com Java Encapsulamento Tratamento de classes e objetos Herança Polimorfismo Histórico Desenvolvido por Bjarne Stroustrup dos Bell Labs

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos O FOCO NO MUNDO REAL Orientação a objetos A orientação a objetos (OO) foi concebida na década de 70. Origem na linguagem SIMULA-67 (década de 60 - Noruega), que já implementava

Leia mais

PHP 5. Orientado a Objetos

PHP 5. Orientado a Objetos PHP 5 Orientado a Objetos Introdução ao PHP 5 Com as primeiras 2 versões de PHP, PHP 3 e PHP 4, conseguiram uma plataforma potente e estável para a programação de páginas do lado do servidor. Estas versões

Leia mais

Autor: Ricardo Francisco Minzé Júnior - ricardominze@yahoo.com.br Desenvolvendo aplicações em camadas com PHP 5.

Autor: Ricardo Francisco Minzé Júnior - ricardominze@yahoo.com.br Desenvolvendo aplicações em camadas com PHP 5. Desenvolvendo aplicações em camadas com PHP 5. Talvez a primeira vista você ache estranha a palavra Camada em programação, mas o que vem a ser Camada? Segundo o dicionário: Camada 1 - Qualquer matéria

Leia mais

sobre rogério gonçalves gerente de projetos > digitale agência digital rogerio@digitale.com.br h7p://www.digitale.com.br h7p://leveme.

sobre rogério gonçalves gerente de projetos > digitale agência digital rogerio@digitale.com.br h7p://www.digitale.com.br h7p://leveme. sobre rogério gonçalves gerente de projetos > digitale agência digital rogerio@digitale.com.br h7p://www.digitale.com.br h7p://leveme.la/rogerio definição - é uma forma de programar e organizar um sistema

Leia mais

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP 1) Introdução Programação Orientada a Objetos é um paradigma de programação bastante antigo. Entretanto somente nos últimos anos foi aceito realmente

Leia mais

Análise e Projeto Orientados por Objetos

Análise e Projeto Orientados por Objetos Análise e Projeto Orientados por Objetos Aula 01 Orientação a Objetos Edirlei Soares de Lima Paradigmas de Programação Um paradigma de programação consiste na filosofia adotada na

Leia mais

Conceitos de OO AUTOLOAD. <?php function autoload($class_name) { require_once $class_name. '.php'; } $obj = new MyClass1(); $obj2 = new MyClass2();?

Conceitos de OO AUTOLOAD. <?php function autoload($class_name) { require_once $class_name. '.php'; } $obj = new MyClass1(); $obj2 = new MyClass2();? Conceitos de OO AUTOLOAD function autoload($class_name) require_once $class_name. '.php'; $obj = new MyClass1(); $obj2 = new MyClass2(); HERANÇA SIMPLES class SimpleClass // declaração de atributo public

Leia mais

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063)

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Aula 6 Polimorfismo Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Prof.

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em Java. Herança

Programação Orientada a Objetos em Java. Herança Universidade Federal do Amazonas Departamento de Ciência da Computação IEC481 Projeto de Programas Programação Orientada a Objetos em Java Herança Professor: César Melo Slides baseados em materiais preparados

Leia mais

PHP Orientado a Objetos Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Marcelo da Silveira Siedler siedler@gmail.com

PHP Orientado a Objetos Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Marcelo da Silveira Siedler siedler@gmail.com PHP Orientado a Objetos Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Marcelo da Silveira Siedler siedler@gmail.com SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Introdução

Leia mais

ATRIBUTOS PRIVADOS 6. ENCAPSULAMENTO MÉTODOS PRIVADOS MÉTODOS PRIVADOS

ATRIBUTOS PRIVADOS 6. ENCAPSULAMENTO MÉTODOS PRIVADOS MÉTODOS PRIVADOS ATRIBUTOS PRIVADOS Podemos usar o modificador private, para tornar um atributo privado, obtendo um controle centralizado Definimos métodos para implementar todas as lógicas que utilizam ou modificam o

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações para Internet Aula 8

Desenvolvimento de Aplicações para Internet Aula 8 Desenvolvimento de Aplicações para Internet Aula 8 Celso Olivete Júnior olivete@fct.unesp.br na aula passada Orientação a Objetos Classes Objetos Construtores Destrutores 2 na aula passada Construtores

Leia mais

QUESTÃO 4 QUESTÃO 3 QUESTÃO 6 QUESTÃO 5. O código a seguir imprimirá Resultado = 33. <?php $var = 3; echo Resultado =. ($var + 3);?

QUESTÃO 4 QUESTÃO 3 QUESTÃO 6 QUESTÃO 5. O código a seguir imprimirá Resultado = 33. <?php $var = 3; echo Resultado =. ($var + 3);? PHP EXERCÍCIOS INTRODUÇÃO, SAÍDA NA TELA E VARIÁVEIS Professor: Leonardo Pereira E-mail: leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti Material de Estudo: http://www.estudandoti.com.br QUESTÃO 1 Em

Leia mais

1 Funções básicas de implementação de arquivos

1 Funções básicas de implementação de arquivos 1 Funções básicas de implementação de arquivos 1.1 Definindo registros Depois de um objeto do mundo real ter sido modelado, ou seja, após seus atributos importantes (e relevantes) terem sido identificados,

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB GABRIELA TREVISAN Aula 4 Imagine a seguinte situação: Precisamos trafegar valores de uma página PHP para outra, porém não temos formulários entre essas páginas. Como fazer

Leia mais

ARRAYS. Um array é um OBJETO que referencia (aponta) mais de um objeto ou armazena mais de um dado primitivo.

ARRAYS. Um array é um OBJETO que referencia (aponta) mais de um objeto ou armazena mais de um dado primitivo. Cursos: Análise, Ciência da Computação e Sistemas de Informação Programação I - Prof. Aníbal Notas de aula 8 ARRAYS Introdução Até agora, utilizamos variáveis individuais. Significa que uma variável objeto

Leia mais

Computação II Orientação a Objetos

Computação II Orientação a Objetos Computação II Orientação a Objetos Fabio Mascarenhas - 2014.1 http://www.dcc.ufrj.br/~fabiom/java Introdução Esse não é um curso de Java! O objetivo é aprender os conceitos da programação orientada a objetos,

Leia mais

Análise e Projeto de Sistemas

Análise e Projeto de Sistemas Análise e Projeto de Sistemas Rafael Vargas Mesquita http://www.ci.ifes.edu.br ftp://ftp.ci.ifes.edu.br/informatica/mesquita/ Herança O que é herança? Herdar é derivar características de gerações precedentes.

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 2: Classes e objectos LEEC@IST Java 1/24 Classes (1) Sintaxe Qualif* class Ident [ extends IdentC] [ implements IdentI [,IdentI]* ] { [ Atributos Métodos ]* Qualif:

Leia mais

ORIENTAÇÃO A OBJETOS. Professora Lucélia Oliveira

ORIENTAÇÃO A OBJETOS. Professora Lucélia Oliveira ORIENTAÇÃO A OBJETOS 1 Professora Lucélia Oliveira CONCEITOS Abstração Classes Objetos Atributos Métodos Método Construtor Herança Polimorfismo Sobrecarga Encapsulamento 2 ORIENTAÇÃO A OBJETOS Abstração

Leia mais

FUNDAMENTOS DA ORIENTAÇÃO A OBJETOS- REVISÃO

FUNDAMENTOS DA ORIENTAÇÃO A OBJETOS- REVISÃO FUNDAMENTOS DA ORIENTAÇÃO A OBJETOS- REVISÃO Dado que a UML é uma ferramenta inserida no paradigma da orientação a objetos, vamos rever alguns conceitos fundamentais, dentre os quais, destacamos: Classificação,

Leia mais

ÍNDICE. Introdução 19

ÍNDICE. Introdução 19 ÍNDICE Introdução 19 CAPÍTULO 1 HTML 1. Estrutura do código HTML 23 2. Formatar texto em HTML 24 2.1. Separar linhas no texto 25 2.2. Tipo de letra, tamanho e cor 25 2.3. Códigos das cores em HTML 26 3.

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 6: Herança e Polimorfismo LEEC@IST Java 1/52 Herança revisão A herança é um mecanismo em que a subclasse constitui uma especialização da superclasse. A superclasse pode

Leia mais

Técnicas de Programação II

Técnicas de Programação II Técnicas de Programação II Aula 06 Orientação a Objetos e Classes Edirlei Soares de Lima Orientação a Objetos O ser humano se relaciona com o mundo através do conceito de objetos.

Leia mais

PS: Este artigo é destinado a quem já possui conhecimentos razoáveis em orientação a objetos. Não entrando em muitos detalhes conceituais.

PS: Este artigo é destinado a quem já possui conhecimentos razoáveis em orientação a objetos. Não entrando em muitos detalhes conceituais. O PHP5 traz diversas novidades em termos de recursos, principalmente em relação à Orientação a Objetos. Neste artigo iremos ver de forma sucinta quais são estes recursos e de que forma podemos aplicálos

Leia mais

Exemplo 1. Um programa que cria uma instância de uma classe que herda da classe Frame

Exemplo 1. Um programa que cria uma instância de uma classe que herda da classe Frame 6. Como aplicações gráficas funcionam em Java? Todas as aplicações gráficas em Java usam instâncias de classes existentes, que por serem parte da linguagem podem ser executadas em todas as versões de Java

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações para Internet Aula 7

Desenvolvimento de Aplicações para Internet Aula 7 Desenvolvimento de Aplicações para Internet Aula 7 Celso Olivete Júnior olivete@fct.unesp.br Classe e tipos de dados Classe Conjunto de objetos semelhantes, isto é, com a mesma estrutura (atributos) e

Leia mais

Prof. Jhonatan Fernando

Prof. Jhonatan Fernando Prof. Jhonatan Fernando Métodos Programação OO Instâncias de variáveis (objetos) Mensagens Classes Herança Polimorfismo Encapsulamento Abstração Programação Estruturada Procedimentos e funções Variáveis

Leia mais

Análise de Programação

Análise de Programação Análise de Programação Conceitos Avançados da Linguagem de Programação Java Prof Gilberto B Oliveira Encapsulamento Proteger o dado dentro de uma classe (capsula segura) Facilita o uso da classe por outros

Leia mais

Python Orientação a Objetos Parte 1. Introdução à Programação SI1

Python Orientação a Objetos Parte 1. Introdução à Programação SI1 Python Orientação a Objetos Parte 1 Introdução à Programação SI1 Conteúdo Orientação a objetos Objeto Classe Herança Encapsulamento Polimorfismo 2 Motivação Realidade Atual Sistemas de alta complexidade

Leia mais

INFORMÁTICA (SUBÁREA : DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO WEB)

INFORMÁTICA (SUBÁREA : DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO WEB) CONCURSO PÚBLICO DOCENTE IFMS EDITAL Nº 002/2013 CCP IFMS INFORMÁTICA (SUBÁREA : DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO WEB) Uso exclusivo do IFMS. GABARITO QUESTÃO 1 (Valor 4 pontos) A Lei nº 11.892, de 29

Leia mais

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução Carlos Lopes POO e Java Objetivo: proporcionar uma visão dos conceitos de POO e do seu uso na estruturação dos programas em Java. Classes e objetos em

Leia mais

2 echo "PHP e outros.";

2 echo PHP e outros.; PHP (Hypertext Preprocessor) Antes de qualquer coisa, precisamos entender o que é o PHP: O PHP(Hypertext Preprocessor) é uma linguagem interpretada gratuita, usada originalmente apenas para o desenvolvimento

Leia mais

Reuso com Herança a e Composiçã

Reuso com Herança a e Composiçã Java 2 Standard Edition Reuso com Herança a e Composiçã ção Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Como aumentar as chances de reuso Separar as partes que podem mudar das partes que não mudam. Exemplo:

Leia mais

Aula 12: Funções. Pré-requisitos: Todas as aulas anteriores deste módulo. 1. Aproveitando Códigos no Programa

Aula 12: Funções. Pré-requisitos: Todas as aulas anteriores deste módulo. 1. Aproveitando Códigos no Programa Aula 12: Funções Nesta aula explicaremos o que são e como usar funções nos seus programas em JavaScript. Você aprenderá como elas podem receber e retornar valores à estrutura que as acionou. Entenderá

Leia mais

Herança. Algoritmos e Programação II. Aula 5 Herança

Herança. Algoritmos e Programação II. Aula 5 Herança Algoritmos e Programação II Aula 5 Herança *Adaptado do material do Prof. Júlio Machado Herança Uma característica importante da programação orientada a objetos é permitir a criação de novas classes com

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Engenharia da Computação Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Dados Pessoais Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto MSc. em ciência da computação (UFPE) rosalvo.oliveira@univasf.edu.br

Leia mais

NOVIDADES DO JAVA PARA PROGRAMADORES C

NOVIDADES DO JAVA PARA PROGRAMADORES C PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB NOVIDADES DO JAVA PARA PROGRAMADORES C Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o Conceito de Classes e Objetos Capacitar para a criação de objetos simples

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA (ICET) CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO. O Paradigma da Orientação a Objeto

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA (ICET) CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO. O Paradigma da Orientação a Objeto UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA (ICET) CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO O Paradigma da Orientação a Objeto Apresentada em Cumprimento Parcial dos Requerimentos para

Leia mais

Herança. Alberto Costa Neto DComp - UFS

Herança. Alberto Costa Neto DComp - UFS Herança Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Motivação Vimos como se faz encapsulamento e a importância de fazê-lo... Contudo, também é possível fazer encapsulamento em algumas linguagens não OO O que mais

Leia mais

Orientação a Objetos. Thiago Messias Evangelista UESC Universidade Estadual de Santa Cruz Version 2012-11-08. 1 LibreOffice Productivity Suite

Orientação a Objetos. Thiago Messias Evangelista UESC Universidade Estadual de Santa Cruz Version 2012-11-08. 1 LibreOffice Productivity Suite Orientação a Objetos Thiago Messias Evangelista UESC Universidade Estadual de Santa Cruz Version 2012-11-08 1 Abordagens História; ; Benefícios / Limitações; Referências; 2 História Tudo tem um começo...

Leia mais

Introdução à Programação com Classes em C++

Introdução à Programação com Classes em C++ 1 FEUP/LEEC/AED/2001-2002 Introdução à Programação com Classes em C++ João Pascoal Faria http://www.fe.up.pt/~jpf FEUP/LEEC/AED/ 2000-2001 Conceito de classe em C++ 2 Classe em sentido lato: tipo de dados

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo Programação Orientada a Objetos em java Polimorfismo Polimorfismo Uma característica muito importante em sistemas orientados a objetos Termo proveniente do grego, e significa muitas formas Em POO, significa

Leia mais

Comanda Fácil: aplicação móvel para restaurantes em Panambi

Comanda Fácil: aplicação móvel para restaurantes em Panambi Comanda Fácil: aplicação móvel para restaurantes em Panambi Fernando Liebich Reinke 1, Tiago Krüger 2 1 Sistemas para internet Instituto Federal Farroupilha Rua Erechim Panambi RS Brasil 2 Sistemas para

Leia mais

Capítulo 5 Reuso de Classes

Capítulo 5 Reuso de Classes Java and all Java-based marks are trademarks or registered trademarks of Sun Microsystems, Inc. in the U.S. and other countries. Desenvolvimento Orientado a Objetos com Java Capítulo 5 Reuso de Classes

Leia mais

Disciplina Técnicas de Modelagem

Disciplina Técnicas de Modelagem T É C N I C A 3 MODELAGEM CONCEITUAL GENERALIZAÇÃO/ESPECIALIZAÇÃO, AGREGAÇÃO E COMPOSIÇÃO Generalização/Especialização Herança é o termo em orientação a objetos que se refere à criação de novas classes

Leia mais

2ª Lista de Exercícios Orientação a Objetos

2ª Lista de Exercícios Orientação a Objetos 1 Universidade Federal Fluminense Instituto de Computação Departamento de Ciência da Computação Programação de Computadores II Professores: Leandro A. F. Fernandes, Luiz André P. P. Leme 2ª Lista de Exercícios

Leia mais

Esta apresentação ensinará os conceitos de Orientação a Objetos com C++, do mais básico para o mais avançado. É suposto que o aluno já tenha

Esta apresentação ensinará os conceitos de Orientação a Objetos com C++, do mais básico para o mais avançado. É suposto que o aluno já tenha Esta apresentação ensinará os conceitos de Orientação a Objetos com C++, do mais básico para o mais avançado. É suposto que o aluno já tenha conhecimento avançado de C. Exemplo em C: Faça um programa que

Leia mais

Módulo 06 Desenho de Classes

Módulo 06 Desenho de Classes Módulo 06 Desenho de Classes Última Atualização: 13/06/2010 1 Objetivos Definir os conceitos de herança, polimorfismo, sobrecarga (overloading), sobreescrita(overriding) e invocação virtual de métodos.

Leia mais

Orientação a Objetos

Orientação a Objetos Orientação a Objetos Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br Histórico A orientação a objetos (OO) foi concebida na década de 70. Origem na linguagem SIMULA-67 (década

Leia mais

Prototype, um Design Patterns de Criação

Prototype, um Design Patterns de Criação Prototype, um Design Patterns de Criação José Anízio Pantoja Maia Este artigo tem como finalidade compreender o funcionamento do padrão de projeto prototype, serão abordados os participantes que compõe

Leia mais

Programação Orientada a Objetos Classes Abstratas Técnico em Informática. Prof. Marcos André Pisching, M.Sc.

Programação Orientada a Objetos Classes Abstratas Técnico em Informática. Prof. Marcos André Pisching, M.Sc. Classes Abstratas Técnico em Informática, M.Sc. Classes Abstratas 2 Classes Abstratas Abstração Devemos considerar as qualidades e comportamentos independentes dos objetos a que pertencem, isolamos seus

Leia mais

Python Orientação a Objetos Parte 1. Introdução à Programação SI1

Python Orientação a Objetos Parte 1. Introdução à Programação SI1 Python Orientação a Objetos Parte 1 Introdução à Programação SI1 Conteúdo Orientação a objetos Objeto Classe Herança Encapsulamento Polimorfismo 2 Motivação Realidade Atual Sistemas de alta complexidade

Leia mais

UML: Diagrama de Casos de Uso, Diagrama de Classes

UML: Diagrama de Casos de Uso, Diagrama de Classes UML: Diagrama de Casos de Uso, Diagrama de Classes Diagrama de Casos de Uso O modelo de casos de uso visa responder a pergunta: Que usos (funcionalidades) o sistema terá? ou Para que aplicações o sistema

Leia mais

Persistindo dados com TopLink no NetBeans

Persistindo dados com TopLink no NetBeans Persistindo dados com TopLink no NetBeans O que é TopLink? O TopLink é uma ferramenta de mapeamento objeto/relacional para Java. Ela transforma os dados tabulares de um banco de dados em um grafo de objetos

Leia mais

Prova de pré-requisito

Prova de pré-requisito Prova de pré-requisito PHP & MySQL: Técnicas para Web 2.0 1 - Qual das opções constrói a tabela abaixo: DIA MÊS ANO 28 04 1988 22 02 2002 a) b) c) dia mês ano

Leia mais

Programação Orientada a Objetos OOP. IFES Campus Vitória Engenharia Elétrica 2015-2 Professor: Danilo A. Silva

Programação Orientada a Objetos OOP. IFES Campus Vitória Engenharia Elétrica 2015-2 Professor: Danilo A. Silva Programação Orientada a Objetos OOP IFES Campus Vitória Engenharia Elétrica 2015-2 Professor: Danilo A. Silva Sobre a disciplina Carga horária : 60 horas (30 teóricas e 30 práticas) Material do curso estará

Leia mais

Polimorfismo. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Polimorfismo. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Polimorfismo Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Polimorfismo; Polimorfismo Java; Métodos Abstratos Java Classes Abstratas Java Exercício - Java Polimorfismo C++ Classe Abstrata C++; Funções

Leia mais

Desenvolvimento OO com Java Orientação a objetos básica

Desenvolvimento OO com Java Orientação a objetos básica Desenvolvimento OO com Java Orientação a objetos básica Vítor E. Silva Souza (vitor.souza@ufes.br) http://www.inf.ufes.br/~vitorsouza Departamento de Informática Centro Tecnológico Universidade Federal

Leia mais

Capítulo 14. Herança a e Polimorfismo. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra

Capítulo 14. Herança a e Polimorfismo. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra Capítulo 14 Herança a e Polimorfismo Objetivos do Capítulo Apresentar os conceitos de herança e de polimorfismo. Explorar os diversos recursos disponíveis no Java para a aplicação da herança e do polimorfismo

Leia mais

O dialplan do Asterisk é especificado no arquivo de configuração chamado de /etc/asterisk/extensions.conf.

O dialplan do Asterisk é especificado no arquivo de configuração chamado de /etc/asterisk/extensions.conf. Entendendo melhor o Dialplan O dialplan é verdadeiramente o coração de qualquer sistema Asterisk, já que define como o Asterisk manipula os telefonemas que chegam e que são enviados. Em resumo, o dialplan

Leia mais

EXERCÍCIOS SOBRE ORIENTAÇÃO A OBJETOS

EXERCÍCIOS SOBRE ORIENTAÇÃO A OBJETOS Campus Cachoeiro de Itapemirim Curso Técnico em Informática Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas Professor: Rafael Vargas Mesquita Este exercício deve ser manuscrito e entregue na próxima aula; Valor

Leia mais

MAB224 Programação de Computadores II. Prof. Franklin Marquezino Universidade Federal do Rio de Janeiro

MAB224 Programação de Computadores II. Prof. Franklin Marquezino Universidade Federal do Rio de Janeiro MAB224 Programação de Computadores II Prof. Franklin Marquezino Universidade Federal do Rio de Janeiro Parte IV Conceitos de Orientação a Objetos em Python Atenção: Slides em constante atualização. Consultem

Leia mais

Exercícios de Revisão Java Básico

Exercícios de Revisão Java Básico Exercícios de Revisão Java Básico (i) Programação básica (estruturada) 1) Faça um programa para calcular o valor das seguintes expressões: S 1 = 1 1 3 2 5 3 7 99... 4 50 S 2 = 21 50 22 49 23 48...250 1

Leia mais

Orientação a Objetos

Orientação a Objetos 1. Domínio e Aplicação Orientação a Objetos Um domínio é composto pelas entidades, informações e processos relacionados a um determinado contexto. Uma aplicação pode ser desenvolvida para automatizar ou

Leia mais

TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO

TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO (Adaptado do texto do prof. Adair Santa Catarina) ALGORITMOS COM QUALIDADE MÁXIMAS DE PROGRAMAÇÃO 1) Algoritmos devem ser feitos para serem lidos por seres humanos: Tenha em mente

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 2

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 2 ABRIR CONEXÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 2 Professor: Leonardo Pereira Email: leongamerti@gmail.com Facebook: leongamerti Material de Estudo: http://www.leonti.vv.si Antes de podermos acessar informações

Leia mais

Capítulo 4. Packages e interfaces

Capítulo 4. Packages e interfaces Capítulo 4. Packages e interfaces 1/17 Índice Indice 4.1 - Package 4.2 - Interface 2/17 Índice 4.1 Package 4.1 - Package 4.2 -- Interface 3/17 4.1 Package Package ou pacote está para o Java como as directorias

Leia mais

Padrão Básico de Projeto: Herança versus Composição

Padrão Básico de Projeto: Herança versus Composição Padrão Básico de Projeto: Herança versus Composição Composição e Herança Composição e herança são dois mecanismos para reutilizar funcionalidade Alguns anos atrás (e na cabeça de alguns programadores ainda!),

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS 1 de 6 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS BURITREINAMENTOS MANAUS-AM NOVEMBRO / 2014 2 de 6 PACOTES DE TREINAMENTOS BURITECH A Buritech desenvolveu um grupo de pacotes de treinamentos, aqui chamados de BuriPacks,

Leia mais

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição Lista de Contas Lista de Contas: Assinatura null Quais são os métodos necessários? class ListaDeContas { void inserir (Conta c) { void retirar (Conta c) { Conta procurar (String num) { Listas de Contas:

Leia mais

Orientação a Objeto e UML Questões 2014 Prof. Felipe Leite

Orientação a Objeto e UML Questões 2014 Prof. Felipe Leite Orientação a Objeto e UML Questões 2014 Prof. Felipe Leite Pessoal, fiz uma coletânea das questões mais recentes de concursos públicos de TODO o Brasil de várias bancas diferentes sobre os assuntos Orientação

Leia mais

Influenciam nossa percepção; ajudam-nos a organizar e a coordenar a Classes estimulam projeto centrado em dados:

Influenciam nossa percepção; ajudam-nos a organizar e a coordenar a Classes estimulam projeto centrado em dados: O Paradigma Orientado a Objetos Paradigma e Programação Orientada a Objetos Prof. João Carlos Pinheiro jcpinheiro@ifma.edu.br 1 Não é um paradigma no sentido estrito: é uma subclassificacão do imperativo

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

UNIDADE 6 - PROGRAMAÇÃO MODULAR

UNIDADE 6 - PROGRAMAÇÃO MODULAR UNIDADE 6 - PROGRAMAÇÃO MODULAR Até o momento as estruturas de controle (seqüência, seleção e repetição) de um algoritmo definia-o como um bloco lógico (início e fim). À medida que os problemas a serem

Leia mais

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 5 SELECT * FROM Minha_memoria Revisando Sintaxes SQL e Criando programa de Pesquisa Ano:

Leia mais

7 RTTI e Interfaces. Desenvolvimento OO com Java. Vítor E. Silva Souza (vitorsouza@inf.ufes.br) http://www.inf.ufes.

7 RTTI e Interfaces. Desenvolvimento OO com Java. Vítor E. Silva Souza (vitorsouza@inf.ufes.br) http://www.inf.ufes. Desenvolvimento OO com Java 7 RTTI e Interfaces Vítor E. Silva Souza (vitorsouza@inf.ufes.br) http://www.inf.ufes.br/ ~ vitorsouza Departamento de Informática Centro Tecnológico Universidade Federal do

Leia mais

UML Unified Modeling Language

UML Unified Modeling Language UML Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada A linguagem UML UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada É uma linguagem para especificação, É uma linguagem para

Leia mais

Orientação a Objetos com Java

Orientação a Objetos com Java Orientação a Objetos com Java Julio Cesar Nardi julionardi@yahoo.com.br 2011/2 Apresentação 3: Orientação Objetos: Conceitos Básicos Objetivos: Compreender os Conceitos Básicos da Orientação a Objetos;

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB GABRIELA TREVISAN Ambiente de Desenvolvimento Após instalar o Wamp Server, inicie o servidor. Um ícone aparecerá na SystemTray. A cor do ícone indica seu estado: Verde: servidor

Leia mais

Conceitos básicos da linguagem C

Conceitos básicos da linguagem C Conceitos básicos da linguagem C 2 Em 1969 Ken Thompson cria o Unix. O C nasceu logo depois, na década de 70. Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando o sistema operacional UNIX criado por

Leia mais

Banco de Dados. Um momento crucial na organização dos dados é a forma com que cadastramos estes dados, a estrutura de armazenamento que criamos.

Banco de Dados. Um momento crucial na organização dos dados é a forma com que cadastramos estes dados, a estrutura de armazenamento que criamos. Banco de Dados O que é um Banco de Dados? Este assunto é muito vasto, tentaremos resumi-lo para atender as questões encontradas em concursos públicos. Já conhecemos o conceito de dado, ou seja, uma informação

Leia mais

Programação Orientada a Objetos. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br http://www.diemesleno.com.br

Programação Orientada a Objetos. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br http://www.diemesleno.com.br Programação Orientada a Objetos Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br http://www.diemesleno.com.br Programação Orientada a Objetos Na aula passada, vimos: Encapsulamento Programação Orientada

Leia mais

PROGRAMAÇÃO II 3. FILA DINÂMICA

PROGRAMAÇÃO II 3. FILA DINÂMICA 3. FILA DINÂMICA PROGRAMAÇÃO II Prof. Jean Eduardo Glazar Uma fila é um tipo especial de lista na qual todas as inserções são feitas sempre depois do fim e as deleções no início. Por isso também recebe

Leia mais

1) Ao ser executado o código abaixo, em PHP, qual será o resultado impresso em tela?

1) Ao ser executado o código abaixo, em PHP, qual será o resultado impresso em tela? Exercícios sobre Linguagem PHP: 1) Ao ser executado o código abaixo, em PHP, qual será o resultado impresso em tela? 2) Considere a linguagem de programação PHP e seus operadores. A execução da sentença:

Leia mais