MERCANTILISMO (7a. Parte) Mercantilismo e Violência

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MERCANTILISMO (7a. Parte) Mercantilismo e Violência"

Transcrição

1 MERCANTILISMO (7a. Parte) Mercantilismo e Violência CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: f Mercantilismo 1

2 Mercantilismo e violência Os mercantilistas consideravam que, para que um país tenha mais EXPORTAÇÕES do que IMPORTAÇÕES, é necessário que ocorra em outro país a situação oposta. Nesse paradigma os mercantilistas não admitiam o livre comércio. O Comércio Internacional era compreendido como uma guerra comercial em que os meios justificavam os fins (teoria do mercantilismo). 4.1f Mercantilismo 2

3 Pirataria e Corso Esta disputa chegou a tal ponto que os países apoiavam a prática da pirataria, desde que atendesse aos seus interesses e fosse feita contra os países concorrentes. Criou-se a figura da pirataria realizada com a autorização dos Estados, que, nesse caso, chamava-se CORSO, e os piratas denominados de corsários. 4.1f Mercantilismo 3

4 Pirataria e Corso PIRATARIA = crime de violência, apropriação ou depredação cometido no mar por pessoas particulares contra embarcações, passageiros e carga PIRATA = aventureiro dos mares que pilha navios mercantes e povoações costeiras. CORSO = tipo de guerra irregular em que um comandante de navio mercante armado ou de guerra recebe autorização do Estado para atacar o tráfego marítimo do inimigo e suas instalações. CORSÁRIO = comandante de um navio que faz o corso. 4.1f Mercantilismo 4

5 Atividades dos piratas Durante os séculos XVI a XVIII, era intenso o contato dos piratas com o mundo dos negócios. Muitas incursões eram financiadas por sociedades formadas exclusivamente para esse fim. Com o tempo, a ação dos piratas foi-se modificando com os avanços técnicos, e logo os navios estavam sendo armados com canhões. Em consequência, as atividades no mar passaram a exigir maiores investimentos, daí a estreita ligação dos capitães piratas com os comerciantes de Amsterdã e Londres e banqueiros italianos. 4.1f Mercantilismo 5

6 Galeão GALEÃO = navio a vela com quatro mastros, de alto bordo, armado em guerra, usado no transporte de cargas de alto valor na navegação oceânica entre os séculos XVI e XVIII. Galeão 4.1f Mercantilismo 6

7 Alvos Preferenciais dos Piratas: Espanhóis e Portugueses PIRATARIA As expedições exigiam uma organização mais complexa e os navios mercantes foram transformados para o exercício da pirataria. ALVOS DOS PIRATAS Os alvos preferenciais dessas atividades de pirataria eram as naus espanholas e portuguesas. Galeões espanhóis eram os que davam maior retorno ao investimento pois, de modo geral, transportavam ouro e prata de sua colônias. Naus portuguesas eram vítimas devido ao seu carregamento de mercadorias, no início pau-brasil e peles e posteriormente o açucar e outros produtos. 4.1f Mercantilismo 7

8 Pirataria contra Portugueses Com a criação da Companhia Holandesa e da Inglesa das Índias Orientais, estas passaram a disputar o comércio de especiarias com os portugueses no Oriente, procurando negociar com os mercadores asiáticos pagando com metais preciosos. USO DA PIRATARIA Quando havia resistência para o negócio, passavam então à pirataria, moralmente justificada como uma cruzada em defesa do livre-comércio. 4.1f Mercantilismo 8

9 Violência Portuguesa e Holandesa Os PORTUGUESES haviam imposto uma taxa sobre todos os navios que comerciavam no Oceano Índico: se algum se recusasse a pagar, era afundado. Depois que os HOLANDESES quebraram a supremacia portuguesa, passaram a adotar a mesma prática extorsiva. O MERCANTILISMO apresentava uma natureza bastante agressiva. Em relação aos novos territórios fora do continente europeu, adotou-se a exploração das terras de suas populações nativas. 4.1f Mercantilismo 9

10 Exploração dos Territórios Conquistados das TERRAS saque das riquezas naturais foram amplamente adotados pelos europeus colonialistas. de suas POPULAÇÕES NATIVAS (negros e índios) - a escravatura, e, no Brasil, os colonizadores procuraram escravizar os indígenas encontrados no território. Na América espanhola aqueles que não foram enviados para as minas foram dizimados em grande número e obrigados a entregar seus metais preciosos (ouro e prata). ÍNDIOS - O destino das civilizações encontradas no novo mundo, como os astecas e os incas, foi a submissão completa ou o extermínio. NEGROS - Quando não se revelavam dóceis para o trabalho, eram aniquilados, e importava-se mão-de-obra escrava africana, principalmente para a lavoura de canade-açúcar. 4.1f Mercantilismo 10

11 A Guerra Mercantil no Brasil O BRASIL COMO ALVO DA COBIÇA Durante o período colonial, o Brasil sofreu assédio constante das potências mercantilistas da época, principalmente dos FRANCESES, INGLESES e HOLANDESES que não possuíam território nas Américas e praticavam a pirataria em larga escala contra os navios, feitorias, vilas e cidades portuguesas e espanholas. Nos primeiros anos a extração do pau-brasil se constituía na única atividade econômica de peso realizada na Terra de Santa Cruz (nome pelo qual inicialmente era conhecido o brasil), praticada tanto pelos PORTUGUESES quanto pelos FRANCESES que frequentavam as costas onde instalavam feitorias para sua exploração. 4.1f Mercantilismo 11

12 A Extração do Pau-Brasil pelos Franceses Do pau-brasil se obtinha a cor vermelha para o tingimento dos tecidos, fato que o tornava bastante procurado para ser utilizado nas manufaturas. Assim, havia uma grande procura pelo produto, onde a pirataria era muito utilizada. A extração da madeira realizada por portugueses e franceses era bastante rudimentar e consistia na destruição sistemática das matas nativas onde se encontrava o pau-brasil. Os indígenas se tornaram os auxiliares dos europeus na retirada da madeira. 4.1f Mercantilismo 12

13 Quinquilharias para os Índios Em troca de quinquilharias, como miçangas, tecidos, peças de vestuário, canivetes, facas e outros pequenos objetos, os ÍNDIOS cortavam as toras (inicialmente com machados de pedra e depois de ferro) e as transportavam até a praia onde esperavam as embarcações. Para os FRANCESES o tráfico de pau-brasil era bastante vantajoso, pois não se abriam possibilidades de comércio com a Ásia em busca de especiarias como fez Portugal. Os FRANCESES também não aceitavam a divisão do Novo Mundo entre Portugal e Espanha (Tratado de Tordesilhas). Assim, para eles o comércio nas costas brasileiras era uma importante fonte de renda. 4.1f Mercantilismo 13

14 Atuação dos Franceses no Brasil As atividades dos súditos franceses na costa do Brasil eram desenvolvidas pelos: - Mercadores franceses organizavam expedições para buscar a madeira e outros produtos nativos; - Corsários franceses praticavam atos de pirataria, pilhando navios e feitorias, sendo que muitos dos quais com cartas de corso fornecidas pelo próprio Rei de França. 4.1f Mercantilismo 14

15 Pirataria dos Franceses Durante o período a esquadra portuguesa aprisionou já em águas européias a nau Pélérine que continha: quintais de pau-brasil (1 QUINTAL = 4 arrobas = 4 x 14,7 kg = 58,80 kg) = kg = 294 ton de pau-brasil; peles de leopardo (onças) e outros animais; 600 papagaios; 300 bugios (macacos) e saguis (pequenos macacos); 300 quintais de algodão; 300 quintais de caroço de algodão; outros. 4.1f Mercantilismo 15

16 Repressão ao Contrabando Com o aumento das atividades dos corsários franceses, a coroa portuguesa enviou expedições com o objetivo de reprimir o contrabando em , e , que, por estarem melhor armadas, obtiveram o aprisionamento de vários navios estrangeiros, principalmente franceses. 4.1f Mercantilismo 16

17 Os Franceses tentaram se fixar no Brasil - Em 1555 (baía da Guanabara-RJ) e foram expulsos em 1567 (13 anos), através de intensos combates. - Em 1594, também tentaram, com a ocupação de São Luís do Maranhão, sendo vencidos em 1615 (21 anos). 4.1f Mercantilismo 17

18 AS INVASÕES HOLANDESAS NO BRASIL Companhia Holandesa das Índias Ocidentais A Companhia das Índias Ocidentais foi constituída em 1621 com objetivo de explorar as áreas compreendidas entre a África e a América. Poderia construir fortes, estabelecer contratos com os povos nativos e nomear autoridades e funcionários. 4.1f Mercantilismo 18

19 AS INVASÕES HOLANDESAS NO BRASIL Companhia Holandesa das Índias Ocidentais Entre os principais objetivos da companhia estava o de tomar as regiões produtoras de açúcar no Nordeste brasileiro. Os holandeses fizeram uma primeira tentativa malograda na Bahia em 1624/1625 e conseguiram impor-se em PERNAMBUCO, aí permanecendo de 1630 a 1654 (24 anos). Objetivos da companhia eram a obtenção de LUCRO rápido baseado nas rendas dos engenhos existentes e em atividade (aumento da produção), do comércio e do transporte. 4.1f Mercantilismo 19

20 AS INVASÕES HOLANDESAS NO BRASIL Companhia Holandesa das Índias Ocidentais FLAMENGO Natural de Flandres (região localizada parte na França, na Holanda e na Bélgica). Os flamengos e outros europeus enviados pela Companhia concentraram-se principalmente nas cidades, vilas e povoações. Eram soldados mercenários, negociantes, agentes comerciais, oficiais mecânicos, mascates, taverneiros, trabalhadores braçais e aventureiros. O empreendimento holandês no Nordeste brasileiro tinha como objetivos: 1 - dar lucro para os acionistas; 2 causar o maior dano possível à Coroa espanhola, inimiga comercial dos holandeses e principal causadora dos prejuízos em sua atividade mercantil. 4.1f Mercantilismo 20

21 AS INVASÕES HOLANDESAS NO BRASIL Companhia Holandesa das Índias Ocidentais Foram expulsos em 1654 e não aceitaram a perda de PERNAMBUCO até 1661, quando assinaram o Tratado de Haia em Portugal, através do qual a Holanda receberia uma indenização, a restituição de sua artilharia e alguns benefícios no comércio do açúcar. 4.1f Mercantilismo 21

22 OS ATAQUES INGLESES NO BRASIL Piratas e Corsários atuando no Litoral Brasileiro Durante o fim do século XVI (1500) foram vários os ataques de corsários e piratas ingleses que saquearam portos e vilas do litoral brasileiro e atacaram navios que se dirigiam à Europa, apossando-se de sua carga. CORSÁRIO = capitão de navio que faz ações bélicas, ataca, destrói ou apreende navios mercantes inimigos. PIRATA = aventureiro dos mares que pilha navios mercantes e povoações costeiras. 4.1f Mercantilismo 22

23 Os Ataques Ingleses no Brasil Os mais importantes foram os ataques ao PORTO DE SANTOS por Edward Fenton (1583) derrotado Robert Withrington (1587) derrotado Thomas Cavendish (1591) que aproveitou-se das festas de Natal e saqueou completamente a cidade de Santos, pegando a população de surpresa. Outra empreitada comercial inglesa foi a frota de Jaime Lancaster (1595), armada e equipada pela Municipalidade de Londres, que invadiu e saqueou RECIFE, levando um valioso carregamento de açúcar. Houve outros ataques com pilhagem por parte dos ingleses, de forma sutile muito lucrativa. 4.1f Mercantilismo 23

24 Os ataques ingleses no Brasil Pilhagem legal As ações dos corsários eram atividades consideradas mercantis, empreendimentos comerciais que eram financiados em sua maior parte por acionistas, que poderiam ser particulares, câmaras municipais, e até mesmo reis e rainhas. 4.1f Mercantilismo 24

De que jeito se governava a Colônia

De que jeito se governava a Colônia MÓDULO 3 De que jeito se governava a Colônia Apresentação do Módulo 3 Já conhecemos bastante sobre a sociedade escravista, especialmente em sua fase colonial. Pouco sabemos ainda sobre a organização do

Leia mais

História do Brasil Colônia. Profª Maria Auxiliadora

História do Brasil Colônia. Profª Maria Auxiliadora História do Brasil Colônia Profª Maria Auxiliadora O PERÍODO PRÉ-COLONIAL (1500 1530) Pau-Brasil Extrativismo Vegetal Fabricação de tintura para tecidos. Exploração nômade e predatória. Escambo com índios.

Leia mais

COLONIZAÇÃO DA AMÉRICA - RESUMO

COLONIZAÇÃO DA AMÉRICA - RESUMO COLONIZAÇÃO DA AMÉRICA - RESUMO A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS Século XVI e XVII início da ocupação e colonização das Américas COLONIZAÇÃO definição é a ocupação e povoamento das terras americanas pelos europeus

Leia mais

Portugal e Brasil no século XVII. Domínio espanhol no Brasil(1580-1640)

Portugal e Brasil no século XVII. Domínio espanhol no Brasil(1580-1640) Portugal e Brasil no século XVII Domínio espanhol no Brasil(1580-1640) O domínio espanhol. Em 1580, o rei de Portugal, D. Henrique, morreu sem deixar herdeiros ( fim da dinastia de Avis) surgiram disputas

Leia mais

Prova bimestral 4 o ANO 2 o BIMESTRE

Prova bimestral 4 o ANO 2 o BIMESTRE Prova bimestral 4 o ANO 2 o BIMESTRE HISTÓRIA Escola: Nome: Data: / / Turma: Pedro Álvares Cabral foi o comandante da primeira expedição portuguesa que chegou ao território que mais tarde receberia o nome

Leia mais

A expansão da América Portuguesa

A expansão da América Portuguesa 8 ANO A/B RESUMO DA UNIDADE 1 DISCIPLINA: HISTÓRIA PROFESSORA: SUELEM *Os índios no Brasil A expansão da América Portuguesa Violência contra os povos indígenas; - Doenças, trabalho forçado; - Foram obrigados

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 7 o ano Unidade 7

Sugestões de avaliação. História 7 o ano Unidade 7 Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 7 Unidade 7 Nome: Data: 1. Leia o trecho a seguir e faça o que se pede. Depois de estabelecer colônias na África e chegar à Índia e à América, os navegadores

Leia mais

Colégio Marista São José Montes Claros MG Prof. Sebastião Abiceu 7º ano

Colégio Marista São José Montes Claros MG Prof. Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros MG Prof. Sebastião Abiceu 7º ano 1. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO PERÍODO COLONIAL Colônia de exploração (fornecimento de gêneros inexistentes na Europa). Monocultura.

Leia mais

A COLONIZAÇÃO DO BRASIL

A COLONIZAÇÃO DO BRASIL A COLONIZAÇÃO DO BRASIL OS FUNDAMENTOS DO COLONIALISMO PORTUGUÊS O processo de ocupação e formação do Império Colonial Lusitano baseou-se dentro da ótica mercantilista. Essa forma de organização ficou

Leia mais

A Presença Estrangeira no Período Colonial. A Disputa pelas Novas Terras

A Presença Estrangeira no Período Colonial. A Disputa pelas Novas Terras A Presença Estrangeira no Período Colonial. A Disputa pelas Novas Terras O descobrimento de novas terras e riquezas (o pau-brasil) estimulou a cobiça de várias nações européias que iniciavam as suas aventuras

Leia mais

DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS. -Atinge as Índias contornando a costa da África

DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS. -Atinge as Índias contornando a costa da África DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS EXPANSÃO MARÍTIMA início século XV ( 1415 ) DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS EXPANSÃO MARÍTIMA início século XV ( 1415 ) PORTUGAL -Atinge as Índias contornando

Leia mais

Recuperação Final História 7º ano do EF

Recuperação Final História 7º ano do EF COLÉGIO MILITAR DOM PEDRO II SEÇÃO TÉCNICA DE ENSINO Recuperação Final História 7º ano do EF Aluno: Série: 7º ano Turma: Data: 08 de dezembro de 2015. LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 1. Esta prova

Leia mais

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL A partir de meados do séc. XVI, o Império Português do Oriente entrou em crise. Que fatores contribuíram para essa crise? Recuperação das rotas

Leia mais

Questões Brasil Colonial

Questões Brasil Colonial Questões Brasil Colonial (Ufpel 2008) "No decorrer do período colonial no Brasil os interesses entre metropolitanos e colonos foram se ampliando. O descontentamento se agravou quando, a 1º de abril de

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 7 o ano 4 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : Leia o trecho da carta de Pero Vaz de Caminha, escrivão da armada de Pedro Álvares Cabral, escrita em maio de 1500 para o rei português

Leia mais

Memórias de um Brasil holandês. 1. Responda: a) Qual é o período da história do Brasil retratado nesta canção?

Memórias de um Brasil holandês. 1. Responda: a) Qual é o período da história do Brasil retratado nesta canção? Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 3 o Bimestre 4 o ano história Data: / / Nível: Escola: Nome: Memórias de um Brasil holandês Nessa terra

Leia mais

1º Período UNIDADE 1. Exercícios; A aventura de navegar

1º Período UNIDADE 1. Exercícios; A aventura de navegar 1º Período UNIDADE 1 A aventura de navegar Produtos valiosos Navegar em busca de riquezas Viagens espanholas Viagens portuguesas Ampliação O dia a dia dos marinheiros Conhecer as primeiras especiarias

Leia mais

Colonização Portuguesa. Prof. Osvaldo

Colonização Portuguesa. Prof. Osvaldo Colonização Portuguesa Prof. Osvaldo Tratado de Tordesilhas de 1494 Terras pertencentes à Espanha Terras pertencentes a Portugal A ficção do Descobrimento Principais povos Indígenas no Brasil No Brasil,

Leia mais

Mineração e a Crise do Sistema Colonial. Prof. Osvaldo

Mineração e a Crise do Sistema Colonial. Prof. Osvaldo Mineração e a Crise do Sistema Colonial Prof. Osvaldo Mineração No final do século XVII, os bandeirantes encontraram ouro na região de Minas Gerais Grande parte do ouro extraído era de aluvião, ou seja,

Leia mais

FORMAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E DIVISÃO POLÍTICA DO BRASIL

FORMAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E DIVISÃO POLÍTICA DO BRASIL FORMAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E DIVISÃO POLÍTICA DO BRASIL ORIGEM E FORMAÇÃO HISTÓRICA A AMÉRICA PORTUGUESA Pelo Tratado de Tordesilhas, assinado a 7 de junho de 1494, por Portugal e Espanha, os domínios dessas

Leia mais

FORMAÇÃO ECONÔMICA DO BRASIL Celso Furtado. Professor Dejalma Cremonese

FORMAÇÃO ECONÔMICA DO BRASIL Celso Furtado. Professor Dejalma Cremonese FORMAÇÃO ECONÔMICA DO BRASIL Celso Furtado Professor Dejalma Cremonese A ocupação econômica das terras americanas constitui um episódio da expansão comercial da Europa. O comércio interno europeu, em intenso

Leia mais

A colonização espanhola e inglesa na América

A colonização espanhola e inglesa na América A colonização espanhola e inglesa na América A UU L AL A MÓDULO 2 Nas duas primeiras aulas deste módulo, você acompanhou a construção da América Portuguesa. Nesta aula, vamos estudar como outras metrópoles

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 7 5 Unidade 7 Nome: Data: 1. Sobre as formas de conquista e exploração do governo português, associe corretamente as colunas. a) Relações diplomáticas.

Leia mais

João Paulo I O NORDESTE COLONIAL. Professor Felipe Klovan

João Paulo I O NORDESTE COLONIAL. Professor Felipe Klovan João Paulo I O NORDESTE COLONIAL Professor Felipe Klovan A ECONOMIA AÇUCAREIRA Prof. Felipe Klovan Portugal já possuía experiência no plantio da cana-de-açúcar nas Ilhas Atlânticas. Portugal possuía banqueiros

Leia mais

A Formação do Território Brasileiro.

A Formação do Território Brasileiro. A Formação do Território Brasileiro. A primeira fronteira do Brasil Fernando e Isabel 1492 - Colombo 1493 papa Alexandre VI (espanhol) editou a Bula Inter Coetera 1494 - Tratado de Tordesilhas. 1530 no

Leia mais

Resoluções das Atividades

Resoluções das Atividades Resoluções das Atividades Sumário Módulo 1 A conquista da América, a história cultural dos povos indígenas e africanos e a economia açucareira...1 Módulo 2 A mineração no Período Colonial, as atividades

Leia mais

- Século XVI estabeleceu o domínio inglês na costa norte da América do Norte fundam Treze Colônias Atual

- Século XVI estabeleceu o domínio inglês na costa norte da América do Norte fundam Treze Colônias Atual DA CONQUISTA A COLONIZAÇÃO DAS AMÉRICAS EXPANSÃO MARÍTIMA início século XV ( 1415 ) -Atinge as Índias contornando a costa da África PORTUGAL -1500 supera os obstáculos do Atlântico chega ao Brasil ESPANHA

Leia mais

A conquista do Sertão. Expedições de apresamento

A conquista do Sertão. Expedições de apresamento A conquista do Sertão Expedições de apresamento As bandeiras contribuíram para a expansão do território em direção ao interior, porém houve muitas mortes de nativos. O principal alvo era as missões dos

Leia mais

6ª 10 4/out/11 HISTÓRIA 4º. Valor: 80

6ª 10 4/out/11 HISTÓRIA 4º. Valor: 80 6ª 10 4/out/11 HISTÓRIA 4º Valor: 80 1. A invasão holandesa no Nordeste brasileiro, ao longo do século XVII, está relacionada com a exploração de um produto trazido para o Brasil pelos portugueses. Que

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 7 o ano 4 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. Leia o texto e responda. Feitoria Igaraçu Fundada pela expedição guarda-costas de Cristóvão Jaques, entre 1516 e 1519. Parece

Leia mais

MÓDULO 03 CICLOS ECONÔMICOS E REBELIÕES COLONIAIS

MÓDULO 03 CICLOS ECONÔMICOS E REBELIÕES COLONIAIS MÓDULO 03 CICLOS ECONÔMICOS E REBELIÕES COLONIAIS 3.1- A AGROMANUFATURA AÇUCAREIRA O COMPLEXO AÇUCAREIRO ( XVI / XVII ) - Pré-condições favoráveis( solo, clima, mão-deobra,mercado externo ) - Participação

Leia mais

Superioridade ibérica nos mares

Superioridade ibérica nos mares 2.ª metade do século XVI Superioridade ibérica nos mares PORTUGAL Entre 1580 e 1620 ESPANHA Império Português do oriente entra em crise devido a Escassez de gentes e capitais Grande extensão dos domínios

Leia mais

Capítulo. Organização político- -administrativa na América portuguesa

Capítulo. Organização político- -administrativa na América portuguesa Capítulo Organização político- -administrativa na América portuguesa 1 O Império Português e a administração da Colônia americana Brasil: 1500-1530 O interesse português pelo território americano era pequeno

Leia mais

C Sistema destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br HISTÓRIA DO BRASIL

C Sistema destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br HISTÓRIA DO BRASIL 1 HISTÓRIA DO BRASIL AULA PERÍODO COLONIAL A expansão comercial e marítima européia No decorrer do século XIV, a Europa passou por uma crise econômica e social de enormes proporções, marcada por guerras,

Leia mais

Os Domínios Estrangeiros sobre o Brasil Colonial

Os Domínios Estrangeiros sobre o Brasil Colonial Os Domínios Estrangeiros sobre o Brasil Colonial Franceses, Ingleses e Holandeses Prof. Alan Carlos Ghedini O princípio: competição nos mares Portugal e Espanha chegaram primeiro à corrida das Grandes

Leia mais

AS INVASÕES FRANCESAS

AS INVASÕES FRANCESAS AS INVASÕES FRANCESAS 2ª invasão 1612 Maranhão Fundação da França Equinocial e a Cidade de São Luís Comandante Daniel de La Touche Obs: esse período Portugal passava para domínio espanhol 1ª invasão Rio

Leia mais

1. Por que o Brasil? Por que o Nordeste?

1. Por que o Brasil? Por que o Nordeste? 1. Por que o Brasil? Por que o Nordeste? Na escolha do Brasil como alvo do ataque empresado pela wic pesou uma variedade de motivos. A América portuguesa constituiria o elo frágil do sistema imperial castelhano,

Leia mais

A FORMAÇÃO TERRITORIAL BRASILEIRA: UMA ABORDAGEM HISTÓRICA.

A FORMAÇÃO TERRITORIAL BRASILEIRA: UMA ABORDAGEM HISTÓRICA. A FORMAÇÃO TERRITORIAL BRASILEIRA: UMA ABORDAGEM HISTÓRICA. A UNIÃO IBÉRICA (1580 A 1640) OS DESDOBRAMENTOS DA UNIÃO IBÉRICA Juramento de Tomar Perda de Valor da Linha de Tordesilhas Intensificação das

Leia mais

MERCANTILISMO (8a. Parte) Modalidades e Significados do Mercantilismo

MERCANTILISMO (8a. Parte) Modalidades e Significados do Mercantilismo MERCANTILISMO (8a. Parte) Modalidades e Significados do Mercantilismo CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas.

Leia mais

Colégio Senhora de Fátima

Colégio Senhora de Fátima Colégio Senhora de Fátima A formação do território brasileiro 7 ano Professora: Jenifer Geografia A formação do território brasileiro As imagens a seguir tem como principal objetivo levar a refletir sobre

Leia mais

O Antigo Regime europeu: regra e exceção

O Antigo Regime europeu: regra e exceção PORTUGAL NO CONTEXTO EUROPEU DOS SÉCULOS XVII E XVII O Antigo Regime europeu: regra e exceção Meta: Conhecer e compreender o Antigo Regime europeu a nível político e social ANTIGO REGIME Regime político,

Leia mais

BRASIL COLÔNIA (1500-1822) A PRODUÇÃO AÇUCAREIRA NO BRASIL

BRASIL COLÔNIA (1500-1822) A PRODUÇÃO AÇUCAREIRA NO BRASIL A PRODUÇÃO AÇUCAREIRA NO BRASIL 1 - O CICLO DO AÇÚCAR Séc. XVI e XVII (auge). Nordeste (BA e PE). Litoral. Solo e clima favoráveis. Experiência de cultivo (Açores, Cabo Verde e Madeira). Mercado consumidor.

Leia mais

Expansão Territorial séc. XVII-XVIII

Expansão Territorial séc. XVII-XVIII BRASIL COLÔNIA Expansão Territorial séc. XVII-XVIII No período da União Ibérica, a Linha de Tordesilhas ficou sem efeito, permitindo um avanço do território brasileiro rumo ao interior. Duas formas básicas

Leia mais

MINERAÇÃO NO BRASIL A DESCOBERTA E EXPLORAÇÃO DO OURO E DO DIAMANTE

MINERAÇÃO NO BRASIL A DESCOBERTA E EXPLORAÇÃO DO OURO E DO DIAMANTE A DESCOBERTA E EXPLORAÇÃO DO OURO E DO DIAMANTE O início da mineração no Brasil; Mudanças sociais e econômicas; Atuação da Coroa portuguesa na região mineira; Revoltas ocorridas pela exploração aurífera;

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES. História

CADERNO DE ATIVIDADES. História COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES História Aluno (a): 4º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Conteúdo de Recuperação O que é História. Identificar a História como ciência. Reconhecer que

Leia mais

Analise duas transformações ocorridas nesse contexto histórico que colaboraram para a crise da República.

Analise duas transformações ocorridas nesse contexto histórico que colaboraram para a crise da República. 1) Leia a afirmativa abaixo que relaciona as conquistas territoriais às profundas alterações políticas, sociais e econômicas ocorridas entre os séculos II e I a.c. A República conquistara para Roma o seu

Leia mais

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer CAUSAS: Acirramento da concorrência comercial entre as potências coloniais; Crise das lavouras de cana; Estagnação da economia portuguesa na segunda metade do século XVII; Necessidade de encontrar metais

Leia mais

O Brasil holandês http://www.youtube.com/watch?v=lnvwtxkch7q Imagem: Autor Desconhecido / http://educacao.uol.com.br/biografias/domingos-fernandescalabar.jhtm DOMINGOS CALABAR Domingos Fernandes

Leia mais

GRANDES NAVEGAÇÕES CONJUNTO DE VIAGENS DE LONGA DISTÂNCIA REALIZADAS PELOS EUROPEUS DURANTE OS SÉCULOS XV E XVI. Prof.: Mercedes Danza Lires Greco

GRANDES NAVEGAÇÕES CONJUNTO DE VIAGENS DE LONGA DISTÂNCIA REALIZADAS PELOS EUROPEUS DURANTE OS SÉCULOS XV E XVI. Prof.: Mercedes Danza Lires Greco GRANDES NAVEGAÇÕES CONJUNTO DE VIAGENS DE LONGA DISTÂNCIA REALIZADAS PELOS EUROPEUS DURANTE OS SÉCULOS XV E XVI Prof.: Mercedes Danza Lires Greco PERIGOS IMAGINÁRIOS x PERIGOS REAIS TERRA = PIZZA = ABISMO

Leia mais

GEOGRAFIA / 2º ANO PROF. SÉRGIO RICARDO

GEOGRAFIA / 2º ANO PROF. SÉRGIO RICARDO GEOGRAFIA / 2º ANO PROF. SÉRGIO RICARDO BRASIL 1) Aspectos Gerais: Território: 8 547 403 Km 2. 5 0 maior país do mundo em extensão e população. País continental devido a sua dimensão territorial. Ocupa

Leia mais

História do Brasil Colônia

História do Brasil Colônia História do Brasil Colônia Aula VII Objetivo: a expansão e a consolidação da colonização portuguesa na América. A) A economia política da colônia portuguesa. Em O tempo Saquarema, o historiador Ilmar R.

Leia mais

A América Espanhola.

A América Espanhola. Aula 14 A América Espanhola. Nesta aula, trataremos da colonização espanhola na América, do processo de independência e da formação dos Estados Nacionais. Colonização espanhola na América. A conquista

Leia mais

EXPANSÃO MARÍTIMA ESPANHOLA PORTUGAL - 1415 ESPANHA - 1492 POR QUÊ A ESPANHA DEMOROU PARA INICIAR A EXPANSÃO MARÍTIMA?

EXPANSÃO MARÍTIMA ESPANHOLA PORTUGAL - 1415 ESPANHA - 1492 POR QUÊ A ESPANHA DEMOROU PARA INICIAR A EXPANSÃO MARÍTIMA? EXPANSÃO MARÍTIMA ESPANHOLA PORTUGAL - 1415 ESPANHA - 1492 POR QUÊ A ESPANHA DEMOROU PARA INICIAR A EXPANSÃO MARÍTIMA? O ATRASO DA ESPANHA EM RELAÇÃO À PORTUGAL SE EXPLICA PELO FATO DE QUE A ESPANHA ESTAVA

Leia mais

Invasões Holandesas. 1630 uma armada holandesa ocupou Olinda e o Recife.

Invasões Holandesas. 1630 uma armada holandesa ocupou Olinda e o Recife. Invasões Holandesas A dependência holandesa do açúcar brasileiro era enorme; Entre 1625 e 1630 a Holanda dedicou-se aos ataques de corsários, no litoral brasileiro e região do Caribe, chegando a ocupar

Leia mais

História. Programação 3. bimestre. Temas de estudo

História. Programação 3. bimestre. Temas de estudo História Olá, pessoal! Vamos conhecer, entre outros fatos, como era o trabalho escravo no Brasil? CHIQUINHA GONZAGA Programação 3. bimestre Temas de estudo O trabalho escravo na formação do Brasil - Os

Leia mais

20 CURIOSIDADES SOBRE A GUERRA DO PARAGUAI

20 CURIOSIDADES SOBRE A GUERRA DO PARAGUAI 20 CURIOSIDADES SOBRE A GUERRA DO PARAGUAI No dia 18 de setembro de 1865, ocorre a rendição do Paraguai, depois do cerco de Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. É um bom momento para lembrarmos daquele que

Leia mais

1554 Fundação da Vila de São Paulo de Piratininga.De início pequena agricultura de substância.(via apresamento).

1554 Fundação da Vila de São Paulo de Piratininga.De início pequena agricultura de substância.(via apresamento). HB. Expansão territorial da colônia. Expansão territorial Bandeirantes. 1554 Fundação da Vila de São Paulo de Piratininga.De início pequena agricultura de substância.(via apresamento). Mão-de-obra indígena.

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO É claro que o Brasil não brotou do chão como uma planta. O Solo que o Brasil hoje ocupa já existia, o que não existia era o seu território, a porção do espaço sob domínio,

Leia mais

O imperialismo. Prof Ferrari

O imperialismo. Prof Ferrari O imperialismo Prof Ferrari Imperialismo ou neocolonialismo do séc. XIX Conceitos e definições sobre o imperialismo O imperialismo dos séculos XIX e XX resultou da expansão capitalista e atendia aos interesses

Leia mais

A América de colonização Espanhola. Justificativas que os espanhóis utilizaram para as conquistas espanhola. A invasão do Império Inca e Asteca.

A América de colonização Espanhola. Justificativas que os espanhóis utilizaram para as conquistas espanhola. A invasão do Império Inca e Asteca. A América de colonização Espanhola Justificativas que os espanhóis utilizaram para as conquistas espanhola. Na época essa era uma questão complicada para os europeus e foi alvo de muitas discussões entre

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 13 A EXPANSÃO TERRITORIAL

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 13 A EXPANSÃO TERRITORIAL HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 13 A EXPANSÃO TERRITORIAL cana-de-açucar pecuária mineração drogas do sertão pau-brasil portos: importação e exportação Como pode cair no enem (PUC) As Bandeiras utilizaram

Leia mais

Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA

Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 3ª Etapa 2012 Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA Ano: 2012 Turma: 1º FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

ASCENÇÃO DA BURGUESIA E O PACTO COLONIAL

ASCENÇÃO DA BURGUESIA E O PACTO COLONIAL Capítulo 1 No século XVI, a Península Ibérica se mostrava importantíssima para o capitalismo comercial. O Brasil funcionava como um pólo exportador de riquezas para todo o continente europeu, por intermédio

Leia mais

Escola Básica de Custóias/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto Núcleo de Estágio em História e Geografia 2011/2012 Estagiária: Diana Barroso

Escola Básica de Custóias/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto Núcleo de Estágio em História e Geografia 2011/2012 Estagiária: Diana Barroso Escola Básica de Custóias/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto Núcleo de Estágio em História e Geografia 2011/2012 Estagiária: Diana Barroso Escola: Básica de Custóias (sede) Ano: 8º ano Turma:

Leia mais

AVALIAÇÃO PARCIAL I CAPÍTULO 4 PP. 76 A 84; 92 CAPÍTULO 5 PP. 98 A 107 CAPÍTULO 15 PP

AVALIAÇÃO PARCIAL I CAPÍTULO 4 PP. 76 A 84; 92 CAPÍTULO 5 PP. 98 A 107 CAPÍTULO 15 PP ABSOLUTISMO AVALIAÇÃO PARCIAL I CAPÍTULO 4 PP. 76 A 84; 92 CAPÍTULO 5 PP. 98 A 107 CAPÍTULO 15 PP. 268 A 274 CONTEÚDO EM SALA DE AULA SLIDES PORTAL ROTEIRO NO CADERNO A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME XV-XVIII

Leia mais

História - 8º Ano Professor Sérgio A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

História - 8º Ano Professor Sérgio A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL História - 8º Ano Professor Sérgio A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL Como já dizia a importante historiadora Letícia Bicalho Canêdo, a Revolução Industrial não pode ser explicada somente a partir de uma aceleração

Leia mais

América Colonial HISTÓRIA DA AMÉRICA

América Colonial HISTÓRIA DA AMÉRICA HISTÓRIA DA AMÉRICA América Colonial Durante a época das Grandes Navegações, os Europeus encontraram a América e, subjugando os povos nativos do continente passaram a explorá-lo. As Américas foram colonizadas

Leia mais

RECUPERAÇÃO FINAL 2015 HISTÓRIA 7º ano

RECUPERAÇÃO FINAL 2015 HISTÓRIA 7º ano História/15 7º ano Turma: 3º trimestre Nome: Data: / / 7ºhis303r RECUPERAÇÃO FINAL 2015 HISTÓRIA 7º ano 3º trimestre Aluno(a), Seguem os conteúdos trabalhados no 3º trimestre. Como base neles você deverá

Leia mais

AS INVASÕES FRANCESAS

AS INVASÕES FRANCESAS AS INVASÕES FRANCESAS 2ª invasão 1612 Maranhão Fundação da França Equinocial e a Cidade de São Luís Comandante Daniel de La Touche Obs: esse período Portugal passava para domínio espanhol 1ª invasão Rio

Leia mais

Expedição 1. 7º ANO_ PROFª BRUNA ANDRADE

Expedição 1. 7º ANO_ PROFª BRUNA ANDRADE Expedição 1. 7º ANO_ PROFª BRUNA ANDRADE O Brasil é considerado um país de dimensões CONTINENTAIS, pois sua área de 8.514.876 Km² é quase igual a do Continente Oceânico. Ele é o 5º país em extensão territorial

Leia mais

Economia e Sociedade Açucareira. Alan

Economia e Sociedade Açucareira. Alan Economia e Sociedade Açucareira Alan Características coloniais gerais Colônia de exploração Existência de Pacto Colonial Monopólio Economia de exportação de produtos tropicais Natureza predatória extrativista,

Leia mais

7. Bibliografias... 10

7. Bibliografias... 10 1. Introdução... 03 2. Surgimento da Economia Açucareira... 04 3. Desenvolvimento da Economia Açucareira... 05 4. Desarticulação da Economia Açucareira... 07 5. Encerramento da Economia Açucareira... 08

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA PARCIAL DE HISTÓRIA Aluno(a): Nº Ano: 8º Turma: Data: 02/04/2011 Nota: Professora: Ivana Valor da Prova: 50 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

Povos Pré- Colombianos. ETEC Diadema História 2 ano do Ensino Médio

Povos Pré- Colombianos. ETEC Diadema História 2 ano do Ensino Médio Povos Pré- Colombianos ETEC Diadema História 2 ano do Ensino Médio 1 Quando Colombo chegou à América, em 1492, encontrou o continente habitado há muito tempo por várias civilizações e povos. Os povos pré-colombianos

Leia mais

UFMG - 2006 3º DIA HISTÓRIA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2006 3º DIA HISTÓRIA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2006 3º DIA HISTÓRIA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR História Questão 01 Considerando as transformações que abriram caminho para o surgimento do Mundo Moderno, ANALISE o impacto dessas mudanças

Leia mais

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo ( Ásia, África,

Leia mais

Linga A/905759 LUÍS HENRIQJJE DIAS TAVARES. ./is /'/ DA BAHIA 11' EDIÇÃO (revistaeampliada)

Linga A/905759 LUÍS HENRIQJJE DIAS TAVARES. ./is /'/ DA BAHIA 11' EDIÇÃO (revistaeampliada) Linga A/905759 LUÍS HENRIQJJE DIAS TAVARES./is /'/ DA BAHIA 11' EDIÇÃO (revistaeampliada) SUMARIO Capítulo I Povos que habitavam o atual território do estado da Bahia antes dos europeus e dos africanos

Leia mais

VERIFICAÇÃO GLOBAL 4 HISTÓRIA 2ª ETAPA 7 a SÉRIE OLÍMPICA ENSINO FUNDAMENTAL

VERIFICAÇÃO GLOBAL 4 HISTÓRIA 2ª ETAPA 7 a SÉRIE OLÍMPICA ENSINO FUNDAMENTAL 1. Analise os quesitos a seguir e assinale, nos itens I e II, a única opção correta: (1,0 ponto) I. Observe a tirinha do Hagar e o texto de Alberto Caeiro: Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode

Leia mais

Navegar era preciso. O Império Ultramarino Lusitano

Navegar era preciso. O Império Ultramarino Lusitano Navegar era preciso Há mais de quinhentos anos, os portugueses iniciaram um processo que mudaria a face do mundo: lançaram-se à empreitada marítima. Em busca do que o solo lusitano não poderia fornecer,

Leia mais

CIÊNCIAS SOCIAIS 10/9/2012. I ECONOMIA COLONIAL SÉCULOS XVI a XIX OBJETIVOS: Formação Econômica e Social Brasileira (I)

CIÊNCIAS SOCIAIS 10/9/2012. I ECONOMIA COLONIAL SÉCULOS XVI a XIX OBJETIVOS: Formação Econômica e Social Brasileira (I) CIÊNCIAS SOCIAIS M.I DESENVOLVIMENTO DESIGUAL E COMBINADO DA SOCIEDADE MODERNA Formação Econômica e Social Brasileira (I) Profa. Claudete Pagotto Período 2 2012 2 OBJETIVOS: Abordar as características

Leia mais

Colégio Estadual João Ferreira Neves Ensino Fundamental e Médio. Plano de Trabalho Docente PTD 2014

Colégio Estadual João Ferreira Neves Ensino Fundamental e Médio. Plano de Trabalho Docente PTD 2014 Colégio Estadual João Ferreira Neves Ensino Fundamental e Médio Plano de Trabalho Docente PTD 2014 Professora: Marcela Szymanski Disciplina: História Série: 7º B, E 1º Trimestre. Conteúdo Estruturante

Leia mais

ATIVIDADES DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D

ATIVIDADES DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D Nome: n.º 3ª série Barueri, / / 2009 Disciplina: ESTUDOS SOCIAIS 2ª POSTAGEM ATIVIDADES DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D QUEM DESCOBRIU O BRASIL? Foi Pedro Álvares Cabral no dia 22 de abril de 1500!

Leia mais

Colonização Portuguesa. Prof. Osvaldo

Colonização Portuguesa. Prof. Osvaldo Colonização Portuguesa Prof. Osvaldo A chegada dos Portugueses Portugal e depois Espanha se tornaram pioneiros nas chamadas Grandes Navegações Portugal buscou contornar a África para tentar chegar ao Oriente

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 8 o ano 3 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. 25 de janeiro de 1835, ao amanhecer o dia na cidade de Salvador, 600 negros entre libertos e escravos levantaram-se decididos

Leia mais

a) Identifique e caracterize a situação histórica a que a charge se refere.

a) Identifique e caracterize a situação histórica a que a charge se refere. Revisão Específicas 1. (FUVEST) Observe esta charge: a) Identifique e caracterize a situação histórica a que a charge se refere. b) Explique quais são os principais elementos do desenho que permitem identificar

Leia mais

Investidas...pág. 02. Johann Mauritius van Nassau...pág. 03. Batalhas dos Montes Guararapes... pág. 03. BIBLIOGRAFIA...pág. 07

Investidas...pág. 02. Johann Mauritius van Nassau...pág. 03. Batalhas dos Montes Guararapes... pág. 03. BIBLIOGRAFIA...pág. 07 Índice Invasões holandesas... pág. 02 Investidas...pág. 02 Maurício de Nassau...pág. 02 Insurreição Pernambucana... pág. 03 Johann Mauritius van Nassau...pág. 03 Batalhas dos Montes Guararapes... pág.

Leia mais

Terra à vista! Nesta aula, utilizaremos os mapas para situar

Terra à vista! Nesta aula, utilizaremos os mapas para situar A U A U L L A Terra à vista! Nesta aula, utilizaremos os mapas para situar o lugar em que vivemos na superfície da Terra. Vamos verificar que os lugares são agrupados em grandes conjuntos chamados de continentes,

Leia mais

HISTÓRIA. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses da Coluna B, de cima para baixo.

HISTÓRIA. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses da Coluna B, de cima para baixo. HISTÓRIA 37 Associe as civilizações da Antigüidade Oriental, listadas na Coluna A, às características políticas que as identificam, indicadas na Coluna B. 1 2 3 4 COLUNA A Mesopotâmica Fenícia Egípcia

Leia mais

Brasil - Colônia e Império 1500-1889

Brasil - Colônia e Império 1500-1889 Brasil - Colônia e Império 1500-1889 Texto adaptado do livro "História do Brazil", de Rocha Pombo, publicado em 1919 pela Editora "Weiszflog Irmãos" Atualização e adaptação: Paulo Victorino José Francisco

Leia mais

Colonização da América do Norte Formação dos Estados Unidos

Colonização da América do Norte Formação dos Estados Unidos Colonização da América do Norte Formação dos Estados Unidos A ocupação da América do Norte foi marcada por intensos conflitos entre ingleses e indígenas da região. Duas companhias de comércio foram autorizadas

Leia mais

BASES DA FORMAÇÃO TERRITORIAL DO BRASIL 1. Antonio Carlos Robert de Moraes

BASES DA FORMAÇÃO TERRITORIAL DO BRASIL 1. Antonio Carlos Robert de Moraes BASES DA FORMAÇÃO TERRITORIAL DO BRASIL 1 Antonio Carlos Robert de Moraes Professor Doutor do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo Se é possível fazer uma história econômica, uma história

Leia mais

América Latina: Herança Colonial e Diversidade Cultural. Capítulo 38

América Latina: Herança Colonial e Diversidade Cultural. Capítulo 38 América Latina: Herança Colonial e Diversidade Cultural Capítulo 38 Expansão marítima européia; Mercantilismo (capitalismo comercial); Tratado de Tordesilhas (limites coloniais entre Portugal e Espanha):

Leia mais

A defesa militar da Amazônia. Quem defendia a Amazônia brasileira, antes de o Brasil existir como nação

A defesa militar da Amazônia. Quem defendia a Amazônia brasileira, antes de o Brasil existir como nação A defesa militar da Amazônia Celso Castro e Adriana Barreto de Souza Quem defendia a Amazônia brasileira, antes de o Brasil existir como nação independente? A pergunta, contraditória em seus próprios termos,

Leia mais

Unidade 4 As sociedades coloniais na América

Unidade 4 As sociedades coloniais na América Sugestões de atividades Unidade 4 As sociedades coloniais na América 7 HISTÓRIA Encomienda Leia o texto a seguir e faça o que se pede A encomienda [] Consistia numa concessão temporária pela qual [] a

Leia mais

1530 O regime de capitanias hereditárias é instituído por D. João III. Primeira expedição colonizadora chefiada por Martim Afonso de Sousa.

1530 O regime de capitanias hereditárias é instituído por D. João III. Primeira expedição colonizadora chefiada por Martim Afonso de Sousa. Vera, Use a seguinte legenda: Amarelo: o documento para o link encontra-se neste site: http://www.info.lncc.br/wrmkkk/tratados.html Rosa: o documento para o link encontra-se neste site: http://www.webhistoria.com.br

Leia mais

Brasil Colônia. Séculos XV-XVIII, Século XIX

Brasil Colônia. Séculos XV-XVIII, Século XIX Brasil Colônia Séculos XV-XVIII, Século XIX 1494 O Tratado de Tordesilhas, acordo assinado por Portugal e Espanha, divide o mundo a partir de um meridiano 370 léguas a oeste do arquipélago de Cabo Verde.

Leia mais