DISCIPLINA TECNOLOGIA DE SISTEMAS CONSTRUTIVOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DISCIPLINA TECNOLOGIA DE SISTEMAS CONSTRUTIVOS"

Transcrição

1 DISCIPLINA TECNOLOGIA DE SISTEMAS CONSTRUTIVOS 1

2 Ementa Processos, tecnologias e elementos construtivos. Modulação. Exigências funcionais e exigências e especificações de desempenho. Pré-fabricação. Sistemas de construção correntemente usados. Sistemas atuais em concreto armado e os sistemas com alvenaria resistente. Os sistemas leves ou semi-leves com estrutura em aço ou madeira. A protensão como melhoria dos sistemas construtivos. 4

3 Aulas alguns assuntos Modulação. Desempenho. Exigências de desempenho. Vida útil. Racionalização. BIM. Tecnologia dos materiais. Evolução do concreto. Tecnologias atuais (introdução) Pré-fabricação. Pré-moldados. Galpões. Prédios. Fechamentos. Equipamentos. Tecnologias. Sistemas de construção correntemente usados. Avaliação e comparação dos atuais sistemas construtivos (madeira, aço, plásticos, AE, concreto armado, pré-moldados). Sistema tilt-up. Sistemas roll-on. Paredes de concreto. Uso de equipamentos (gruas, etc). Sistemas de paredes e forros. Sistemas atuais em concreto armado e os sistemas com alvenaria resistente. Diferentes sistemas de lajes (maciça, nervurada, pré-moldadas), alvenaria armada. Siste Os sistemas leves ou semi-leves com estrutura em aço ou madeira. Sistema steel deck, estruturas mistas aço concreto. Estruturas de madeira (inclusive tratamentos e sistemas de madeira) A protensão como melhoria dos sistemas construtivos. Para todos os sistemas já comentados, como a protensão melhora desempenhos. Critérios de avaliação e desempenho. Sistemas de formas e escoramentos. Materiais e sistemas de formas utilizados em estruturas in loco, pré-moldado, etc 5

4 Aulas - assuntos Para todos os sistemas, pode entrar no enfoque da tecnologia dos materiais utilizados, uso de resíduos e sustentabilidade, desempenho (podendo ligar às normas de desempenho) vantagens, desvantagens, racionalização, custos, principais manifestações patológicas e seus processos de recuperação, técnicas diferenciadas utilizadas, uso de softwares, pesquisas atuais, perspectivas futuras, cases. Podem ainda trazer sugestões de leitura de livros, dissertações, teses, etc. aos colegas. Indicar (repassar) alguns materiais iniciais para a preparação das aulas. Sugerir mais materiais de leitura para as discussões. Orientar na montagem do material de aula e nas discussões em aula. 6

5 Aulas - cronograma nr. Data Respons. Tema 1 21/mar Silvio Introdução, Racionalização, Tecnologias atuais 2 28/mar Silvio Bim, tecnologia materiais 3 04/abr Silvio Modulação, desempenho 4 11/abr Silvio Exigências de desempenho, especificação de desempenho 5 25/abr aluno 1 Pré-fabricação 6 09/mai aluno 2 Sistemas de construção corrente 7 16/mai aluno 3 Sistemas estruturais e de alvenaria resistente 8 23/mai aluno 4 Sistemas em aço e madeira 9 30/mai aluno 5 Protensão como melhoria 10 06/jun aluno 6 Formas e escoramentos 11 13/jun aluno 7 Assunto coringa com base nas monografias ou experiência profissional 12 27/jun Silvio Fechamento da disciplina 7

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA EXECUÇÃO FINANCEIRA

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA EXECUÇÃO FINANCEIRA CONTRATO 07/2013 EXERCÍCIO 2013 jan/13 fev/13 mar/13 abr/13 mai/13 jun/13 jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 Número da Nota Fiscal emitida - - - - - - 92 99 110 121/133-157 - - Depósitos realizados

Leia mais

ARQUITECTURA EXERCÍCIO 2. Uma Forma Um Contexto: Construir um Mapa de Análise Arquitectónica

ARQUITECTURA EXERCÍCIO 2. Uma Forma Um Contexto: Construir um Mapa de Análise Arquitectónica ARQUITECTURA EXERCÍCIO 2 Uma Forma Um Contexto: Construir um Mapa de Análise Arquitectónica EXERCÍCIO 2 - Enunciado Analisar os tipos arquitectónicos - fazer o elenco de diferentes tipologias de edifícios

Leia mais

LAJES PRÉ-MOLDADAS. GRADUAÇÃO Florestal AULA. Prof. Adriano Wagner Ballarin Prof. Marco Antonio Martin Biaggioni. Construções Rurais

LAJES PRÉ-MOLDADAS. GRADUAÇÃO Florestal AULA. Prof. Adriano Wagner Ballarin Prof. Marco Antonio Martin Biaggioni. Construções Rurais LAJES PRÉ-MOLDADAS Prof. Adriano Wagner Ballarin Prof. Marco Antonio Martin Biaggioni GRADUAÇÃO Florestal AULA 10 Aula 10b Lajes pré-moldadas 1 1. Definições São estruturas de concreto armado ou mistas,

Leia mais

Relatório de Acompanhamento LIGIA DE PAULA. 01º Mês Gerado em 08/12/2015

Relatório de Acompanhamento LIGIA DE PAULA. 01º Mês Gerado em 08/12/2015 01º Mês Gerado em 08/12/2015 Acompanhamento de Serviços Mobilização: 8 Preliminares: 8 Fundações: Estrutura: Cobertura: Divisórias: Revestimentos: Mármores e granitos: Esquadrias: Pintura: Instalações:

Leia mais

Oferta Pública pela Arcelor Brasil

Oferta Pública pela Arcelor Brasil Oferta Pública pela Arcelor Brasil Relação com Investidores Maio de -1- Avisos Considerações Futuras Este documento contêm considerações futuras e declarações sobre a Mittal Steel Company N.V. ( Arcelor

Leia mais

Painéis de garrafas PET e argamassa armada FICHA CATALOGRÁFICA NOVEMBRO/2014

Painéis de garrafas PET e argamassa armada FICHA CATALOGRÁFICA NOVEMBRO/2014 Tecnologias, Sistemas Construtivos e Tipologias para Habitações de Interesse Social Painéis de garrafas PET e argamassa armada FICHA CATALOGRÁFICA NOVEMBRO/2014 Tecnologias, Sistemas Construtivos e Tipologias

Leia mais

COMUNICADO SDG Nº 48/2013

COMUNICADO SDG Nº 48/2013 COMUNICADO SDG Nº 48/2013 O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo comunica o calendário para 2014 das providências a cargo das Prefeituras, Câmaras, Fundos, Institutos de Previdência, Autarquias, Fundações

Leia mais

ECA ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO Fernando de Moraes Mihalik

ECA ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO Fernando de Moraes Mihalik - 1 - UNIP - Universidade Paulista SISTEMAS ESTRUTURAIS CONCRETO SEC NOTAS DE AULA - 04 LAJES CONCEITOS, DIMENSIONAMENTO E CÁLCULO DE REAÇÕES NAS VIGAS - 2 - NA_04/2011 SISTEMAS ESTRUTURAIS NOTAS DE AULA

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: INFRAESTRUTURA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Técnico em Edificações FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Descrição dos Componentes:

Descrição dos Componentes: Referência: 4018BABN2400LL Botina para uso ocupacional com fechamento por atacador, confeccionada em vaqueta nobuck, língua-fole, colarinho acolchoado, forro interno na gáspea não tecido e forro do cano

Leia mais

Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço EAD - CBCA. Módulo2. Parte 1

Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço EAD - CBCA. Módulo2. Parte 1 Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço EAD - CBCA Módulo2 Parte 1 Sumário 1ª Parte Mezaninos estruturados em Aço 2.1 Definição página 3 2.2 Estrutura de Piso dos Mezaninos página 3 2.3. Os vigamentos

Leia mais

SMA 0186 PRÁTICA DO ENSINO DE MATEMÁTICA I- 2011

SMA 0186 PRÁTICA DO ENSINO DE MATEMÁTICA I- 2011 SMA 0186 PRÁTICA DO ENSINO DE MATEMÁTICA I- 2011 Responsável: Dra. Miriam Cardoso Utsumi Horário: quarta-feira 16:10h as 17:50h, sala : LEM Atendimento a alunos: PRESENCIALMENTE apenas às terças e quintas:

Leia mais

Distribuição de Renda

Distribuição de Renda Distribuição de Renda Renda Per Capita do Trabalho Principais Regiões Metropolitanas 15 a 60 anos de idade Inclui zeros www.fgv.br/cps/ms Índice de Gini Desigualdade Níveis Renda domiciliar per capita

Leia mais

A) DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA: ENG 2301 Materiais de Construção Civil II PROFESSOR: Mayara Queiroz Moraes Custódio TURMA: B01 SUBTURMA: 1; 2

A) DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA: ENG 2301 Materiais de Construção Civil II PROFESSOR: Mayara Queiroz Moraes Custódio TURMA: B01 SUBTURMA: 1; 2 A) DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA: ENG 2301 Materiais de Construção Civil II PROFESSOR: Mayara Queiroz Moraes Custódio TURMA: B01 SUBTURMA: 1; 2 B) EMENTA Argamassa: conceito, classificação, propriedades,

Leia mais

ARTHUR ARTEAGA DURANS VILACORTA A INFLUÊNCIA DO NÍVEL DE PERCEPÇÃO DE RISCO DA POPULAÇÃO NAS ESTATÍSTICAS DE INCÊNDIOS URBANOS NA CIDADE DE BELÉM

ARTHUR ARTEAGA DURANS VILACORTA A INFLUÊNCIA DO NÍVEL DE PERCEPÇÃO DE RISCO DA POPULAÇÃO NAS ESTATÍSTICAS DE INCÊNDIOS URBANOS NA CIDADE DE BELÉM ARTHUR ARTEAGA DURANS VILACORTA A INFLUÊNCIA DO NÍVEL DE PERCEPÇÃO DE RISCO DA POPULAÇÃO NAS ESTATÍSTICAS DE INCÊNDIOS URBANOS NA CIDADE DE BELÉM Plano de trabalho apresentado ao Programa de Pós-Graduação

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CEED - CDS 2013 ESTUDOS E PESQUISAS ÁREA 1: POLÍTICA DE DEFESA ATIVIDADES CRONOGRAMA PRODUTOS DATAS

PLANO DE TRABALHO CEED - CDS 2013 ESTUDOS E PESQUISAS ÁREA 1: POLÍTICA DE DEFESA ATIVIDADES CRONOGRAMA PRODUTOS DATAS PLANO DE TRABALHO CEED - CDS 2013 O presente Plano de Trabalho está estruturado considerando as atividades e produtos correspondentes a: 1. Áreas de estudo e pesquisa CEED-CDS. 2. Requerimentos específicos

Leia mais

TECNOLOGIA INOVADORA PARA PROJETOS INTELIGENTES

TECNOLOGIA INOVADORA PARA PROJETOS INTELIGENTES TECNOLOGIA INOVADORA PARA PROJETOS INTELIGENTES A linha de Soluções Construtivas Eternit foi pensada para facilitar o desempenho do projeto na prática, para agregar qualidade e proporcionar um resultado

Leia mais

CATÁLOGO STEEL DECK MBP

CATÁLOGO STEEL DECK MBP CATÁLOGO STEEL DECK MBP LAJES MISTAS STEEL-DECK Uma laje mista é um elemento estrutural composto por uma chapa perfilada sobre o qual é adicionado concreto. Após a cura do concreto os dois materiais funcionam

Leia mais

ANEXO VIII RELAÇÃO DOS ITENS DA LICITAÇÃO

ANEXO VIII RELAÇÃO DOS ITENS DA LICITAÇÃO Nr.: - PR Folha: 1/6 1 5,000 UN MARATONINHA : parque composto por 3 assoalhos, 2 cavalinhos, 2 cadeirinhas, 3.570,5900 trapézio, escada de marinheiro, túnel de torneados, escorregador, argolas, p onte

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA PLANO DE ENSINO I.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA PLANO DE ENSINO I. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO Curso: Administração Semestre: 2012.1 Turma: 03316 Disciplina:

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Julho/2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Junho/2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA APLICADA MESTRADO EM QUÍMICA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA APLICADA MESTRADO EM QUÍMICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA APLICADA MESTRADO EM QUÍMICA ESTRUTURA DO EXAME DE QUALIFICAÇÃO E DA DISSERTAÇÃO PONTA

Leia mais

abril/13 CNC -Divisão Econômica Rio de Janeiro Dezembro/2012

abril/13 CNC -Divisão Econômica Rio de Janeiro Dezembro/2012 abril/13 CNC -Divisão Econômica Rio de Janeiro Dezembro/2012 ÍNDICE DE CONFIANÇA DO EMPRESÁRIO DO COMÉRCIO Índice 127,6 126,9 126,5 Condições Atuais do Empresário do Comércio 102,2-1,1% -3,9% Economia

Leia mais

Teleconferência dos Resultados do 2T14

Teleconferência dos Resultados do 2T14 Niemeyer Monumental Niterói, RJ 1º de Agosto de 2014 Teleconferência dos Resultados do 2T14 Destaques do Resultado Trimestre atípico ; Postergação de alguns lançamentos; Redução do custo a incorrer do

Leia mais

Sistema de Formas para Paredes de Concreto

Sistema de Formas para Paredes de Concreto Sistema de Formas para Paredes de Concreto Quem somos? A Oeste Formas é uma empresa fundada em 1996, mas que já atuava no mercado da construção desde os anos 70. Na busca de novas tecnologias, o Patriarca

Leia mais

MBA em Gestão Pública

MBA em Gestão Pública MBA em Gestão Pública Legenda: Aulas ao vivo Avaliações Desafio Profissional Feriados Importantes MBA EM GESTÃO PÚBLICA INFORMAÇÕES GERAIS IMPORTANTES - Os temas e Professores específicos de cada aula

Leia mais

Concepções estruturais. Professores: Nádia Forti João Carlos Rocha Braz

Concepções estruturais. Professores: Nádia Forti João Carlos Rocha Braz Concepções estruturais Professores: Nádia Forti João Carlos Rocha Braz Tipos de perfis utilizados em estruturas metálicas Os perfis de aço podem ser obtidos pelos seguintes métodos: laminação; solda; dobramento

Leia mais

Norma Regulamentadora NR 18 e Manual da Fundacentro.

Norma Regulamentadora NR 18 e Manual da Fundacentro. Aberturas em pisos e paredes. Revisão: 00 Folha: 1 de 5 1. Objetivo Assegurar que todos os canteiros de obras efetuem a montagem e a colocação das proteções de acordo com as especificações da NR -18 e

Leia mais

O Planejamento de Mídia é um processo que indica um modo de ação que mostra como o tempo e o espaço publicitário serão usados para atingir os

O Planejamento de Mídia é um processo que indica um modo de ação que mostra como o tempo e o espaço publicitário serão usados para atingir os O Planejamento de Mídia é um processo que indica um modo de ação que mostra como o tempo e o espaço publicitário serão usados para atingir os objetivos de publicidade e de marketing. Do que é basicamente

Leia mais

ANEXO 1 (arts. 54 e 55 - L.C. 101/00) RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL

ANEXO 1 (arts. 54 e 55 - L.C. 101/00) RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL ANEXO 1 (arts. 54 e 55 - L.C. 101/00) RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL Valores em Reais I - COMPARATIVOS maio/2014 a abril/2015 maio/2015 a abril/2016 R$ % R$ % Receita Corrente Líquida do Município 34.470.824,28

Leia mais

Indústria espera que as exportações cresçam no primeiro semestre de 2016

Indústria espera que as exportações cresçam no primeiro semestre de 2016 JANEIRO/2016 Indústria espera que as exportações cresçam no primeiro semestre de 2016 A Sondagem Industrial, pesquisa realizada junto a 176 indústrias catarinenses no mês de janeiro, mostrou que o nível

Leia mais

SHELL BRASIL PETRÓLEO LTDA. PEA SHELL FASE 2

SHELL BRASIL PETRÓLEO LTDA. PEA SHELL FASE 2 SHELL BRASIL PETRÓLEO LTDA. PEA SHELL FASE 2 BIJUPIRÁ & SALEMA E PARQUE DAS CONCHAS Plano de Trabalho ANEXO B CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO NOVEMBRO DE 2013 CRONOGRAMA MENSAL DE 2012 Abr Mai Jun Jul Ago

Leia mais

1.1 Datas iniciais de abertura e fechamento I JANELA DE PEDIDOS

1.1 Datas iniciais de abertura e fechamento I JANELA DE PEDIDOS I JANELA DE PEDIDOS 1.1 Datas iniciais de abertura e fechamento As escolas poderão fazer o pedido inicial fora destas janelas, no entanto as condições de pagamento serão diferenciadas, conforme item 3.1.

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

Alvenaria estrutural

Alvenaria estrutural Estudo exploratório rio sobre a elaboração de projetos arquitetônicos Alvenaria desenvolvidos estrutural para o sistema de alvenaria estrutural Projeto de alvenaria O que é ALVENARIA ESTRUTURAL? Conceito:

Leia mais

OPERAÇÕES DE FRETE/2012

OPERAÇÕES DE FRETE/2012 COOP DE TRANSPORTE DE BENS 5.064.426 5.064.426,00 330.568,00 COOP TRANSPORTE DE BENS DE 8.700.000 8.700.000,00 791.600,00 COOP TRANSPORTES DE BENS DE 6.073.318 6.073.318,00 312.665,00 FEV MOSAICO TRANSPORTE

Leia mais

PAINEL DO MERCADO DE TRABALHO

PAINEL DO MERCADO DE TRABALHO PAINEL DO MERCADO DE TRABALHO JANEIRO DE 212 - CAGED Emprego Formal na Economia Emprego no mês de Janeiro 213 - Ocorreu um saldo positivo de 28.9 postos de emprego e no comparativo dos meses de janeiro,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Turismo, Hospitalidade e Lazer CURSO: Técnico em Cozinha FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

LAJES E PISOS: Comparativo Concreto Armado Versus Steel Deck

LAJES E PISOS: Comparativo Concreto Armado Versus Steel Deck LAJES E PISOS: Comparativo Concreto Armado Versus Steel Deck Gabriel Correia Amador Graduando em Engenharia Civil, Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Raynara Souza Reis GraduandA em Engenharia Civil,

Leia mais

FEDERAÇÃO GOIANA DE FUTEBOL

FEDERAÇÃO GOIANA DE FUTEBOL Campeonato Goiano Sub-19 da 2ª Divisão 2 0 1 7 Grupo A Grupo B Aseev Iporá EC Itaberaí EC Santa Helena EC EC Rio Verde CRA Raça SB Caldas EC AE Olímpio Pires do Rio FC Aparecida EC AA Aparecidense Campinas

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA Plano de Ensino EIXO TECNOLÓGICO: GESTÃO E NEGÓCIOS IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Superior em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 07: Modelagem de Lajes

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 07: Modelagem de Lajes Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Estruturas MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 07: Modelagem de Lajes Profa. Dra. Maria Betânia de Oliveira

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 4º Semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 4º Semestre EMENTA Plano de Ensino EIXO TECNOLÓGICO: GESTÃO E NEGÓCIOS IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Superior em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Série 310 E 311 Relatório de Acompanhamento do CRI 31-jan-15

Série 310 E 311 Relatório de Acompanhamento do CRI 31-jan-15 31-jan-15 a - Juros 2.132.138,01 a - Juros 7.425,07 b - Amortização 1.380.493,17 b - Amortização 5.131,94 a - Saldo atual dos CRI Seniors (263.559.280,52) b - Saldo atual dos CRI Junior (851.761,29) c

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 3 semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 3 semestre EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Edificações FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

PEDAGOGIA - Turmas de Segunda-Feira

PEDAGOGIA - Turmas de Segunda-Feira UTA - GESTÃO EDUCACIONAL GRADUAÇÃO - MODALIDADE A DISTÂNCIA CRONOGRAMA DE ENCONTROS PRESENCIAIS VIRTUAIS - TELEAULAS FACINTER/CBED - EDIÇÃO 01/2012 PEDAGOGIA - Turmas de Segunda-Feira Turmas de Ingresso

Leia mais

LAUDO DE AVALIAÇÃO COMPLEXO INDUSTRIAL / PRÉDIO COMERCIAL. Otaviano Alves de Lima, nº Jardim das Graças SÃO PAULO SP

LAUDO DE AVALIAÇÃO COMPLEXO INDUSTRIAL / PRÉDIO COMERCIAL. Otaviano Alves de Lima, nº Jardim das Graças SÃO PAULO SP fls. 374 LAUDO DE AVALIAÇÃO COMPLEXO INDUSTRIAL / PRÉDIO COMERCIAL Otaviano Alves de Lima, nº. 2.724 Jardim das Graças SÃO PAULO SP fls. 375 Sumário 1. PRELIMINARES 4 2. DIAGNÓSTICO DE MERCADO 4 3. RESUMO

Leia mais

NOÇÕES ESTRUTURAIS. Sistemas Estruturais. Profª Joana Pinheiro

NOÇÕES ESTRUTURAIS. Sistemas Estruturais. Profª Joana Pinheiro NOÇÕES ESTRUTURAIS Sistemas Estruturais Profª Joana Pinheiro Noções estruturais A estrutura é responsável pela sustentação do imóvel. É o sistema que recebe as cargas (peso próprio e adicionais) e às transfere

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: TÉCNICO INFORMÁTICA FORMA/GRAU:(X)integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Agência Nacional de Transportes Aquaviários

Agência Nacional de Transportes Aquaviários COSIPLAN Presidencia Pro Tempore Uruguai 2014-2016 Agência Nacional de Transportes Aquaviários ESTUDO DA PRÁTICA REGULATÓRIA, VANTAGENS COMPETITIVAS E OFERTA E DEMANDA DE CARGA ENTRE OS PAÍSES SIGNATÁRIOS

Leia mais

06-05- 10:00 - Academia Tektónica - Como assegurar o conforto técnico e acústico em pisos e tetos Argex-Argila Expandida, Grupo Preceram: Gyptec Ibérica-Gessos Técnicos, SA e 2014 16:30 SA 06-05- 10:00

Leia mais

Desenvolvimento de Compósito de Plástico com Madeira para Reutilização das MPEs do APL de Móveis de Arapongas

Desenvolvimento de Compósito de Plástico com Madeira para Reutilização das MPEs do APL de Móveis de Arapongas Chamada Pública MCT/ FINEP/ SEBRAE Ação Transversal Cooperação ICTs MPEs 04/20057 Desenvolvimento de Compósito de Plástico com Madeira para Reutilização das MPEs do APL de Móveis de Arapongas Objetivo:

Leia mais

Manejo das plantas daninhas Cana-de-açucar. Herbishow Maio 2014 R.sanomya

Manejo das plantas daninhas Cana-de-açucar. Herbishow Maio 2014 R.sanomya Manejo das plantas daninhas Cana-de-açucar Herbishow Maio 2014 R.sanomya Manejo plantas daninhas Conhecimentos técnicos Tecnologias agronômicas > Controle das PD < Fitoxicidade à cultura < Interferência

Leia mais

Projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL. Relato de experiências, lições aprendidas, melhores práticas e dificuldades da IOGE SOFTSUL (RS)

Projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL. Relato de experiências, lições aprendidas, melhores práticas e dificuldades da IOGE SOFTSUL (RS) Projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL Relato de experiências, lições aprendidas, melhores práticas e dificuldades da IOGE SOFTSUL (RS) Campinas - SP, Outubro 2008 Agenda Informações sobre o projeto Resultados

Leia mais

Cronograma do Projeto de Iniciação Científica 6º ano do EF

Cronograma do Projeto de Iniciação Científica 6º ano do EF Cronograma do Projeto de Iniciação Científica 6º Entrega dos slides de apresentação do préprojeto no Bancas do pré-projeto dos Anos Finais do EF e EM - 30 de abril Entrega do pré-projeto escrito - 8 de

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3 o ano EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3 o ano EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO INDUSTRIAL CURSO: Curso Técnico em Edificações Integrado ao Ensino Médio FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado

Leia mais

O que é alvenaria estrutural? Uso de paredes simultaneamente como elementos de vedação e resistente às cargas verticais e horizontais.

O que é alvenaria estrutural? Uso de paredes simultaneamente como elementos de vedação e resistente às cargas verticais e horizontais. O que é alvenaria estrutural? Uso de paredes simultaneamente como elementos de vedação e resistente às cargas verticais e horizontais. Potencial da Alvenaria Estrutural Déficit brasileiro = 12 milhões

Leia mais

Case Termotécnica ACIJ

Case Termotécnica ACIJ Case Termotécnica ACIJ 14.08.12 Todos devemos assumir perante a sociedade sustentável a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos. Termotécnica Anos de experiência Pioneira no país

Leia mais

1.4. Sistemas estruturais em madeira

1.4. Sistemas estruturais em madeira 1.4. Sistemas estruturais em madeira 1.4.1. Análise estrutural Estuda as estruturas se preocupando basicamente com a determinação dos esforços e das deformações a que elas estão submetidas quando solicitadas

Leia mais

Estúdio Ventana. Interiores + Design

Estúdio Ventana. Interiores + Design Estúdio Ventana Interiores + Design Nossos serviços: gerenciamento De obras decor No Projeto Completo, elaboramos soluções personalizadas, atendendo as expectativas de cada pessoa em sua individualidade

Leia mais

PLANO DE ENSINO SEMESTRE:

PLANO DE ENSINO SEMESTRE: UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ECOLOGIA E ZOOLOGIA Tel: 48 3721-9099 - Fax: +( 55) 0 xx 48 3721 5156 http:// www.ccb.ufsc.br PLANO DE ENSINO SEMESTRE:

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Controle e Processos Industriais CURSO: Técnico em Eletromecânica FORMA/GRAU:( )integrado ( X )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

GESTÃO DAS DOENÇAS RELACIONADAS AO ENVELHECIMENTO. Julizar Dantas

GESTÃO DAS DOENÇAS RELACIONADAS AO ENVELHECIMENTO. Julizar Dantas GESTÃO DAS DOENÇAS RELACIONADAS AO ENVELHECIMENTO Julizar Dantas ENVELHECIMENTO A organização Mundial de Saúde define como idoso, pessoas após os 60 anos, em países em desenvolvimento, e acima de 65 anos

Leia mais

8 DN 08/16 22/jan Operação Sufoco

8 DN 08/16 22/jan Operação Sufoco CONTROLE DE APURAÇÃO DE DENÚNCIA 2016 Item Protocolo Entrada Tramitação Prazo 1 DN 01/16 08/jan Academias fiscalizadas durante a Operação Sufoco. 2 DN 02/16 08/jan No momento da fiscalização não estava

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Móveis FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro Outubro/2013

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro Outubro/2013 CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro Outubro/2013 PEIC Síntese dos Resultados Síntese dos Resultados Total de Endividados Dívidas ou Contas em Atrasos Não Terão Condições de Pagar out/12 59,2% 20,5%

Leia mais

TABELA DE REAJUSTE SALARIAL Demais Trabalhadores de 1978 a 2010

TABELA DE REAJUSTE SALARIAL Demais Trabalhadores de 1978 a 2010 TABELA DE REAJUSTE SALARIAL Demais Trabalhadores de 1978 a 2010 MÊS Valor ÍNDICES % PARCELA A ACRESCENTAR MÊS DE INCIDÊNCIA jan/78 40,00 jan/77 DC Nº 22/77 jan/79 Até 2,5 SM 2.147,00 48,00 jan/78 DC Nº

Leia mais

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro 22.06.2010 PEIC Síntese dos Resultados Síntese dos Resultados Abr Mai Jun Total de Endividados 58,0% 58,7% 54,0% Dívidas ou Contas em Atrasos 24,4% 25,1% 23,5% Não

Leia mais

ArcelorMittal BioEnergia Ltda PRODUÇÃO DE MADEIRA EM REGIÃO DE DÉFICIT HÍDRICO

ArcelorMittal BioEnergia Ltda PRODUÇÃO DE MADEIRA EM REGIÃO DE DÉFICIT HÍDRICO ArcelorMittal BioEnergia Ltda PRODUÇÃO DE MADEIRA EM REGIÃO DE DÉFICIT HÍDRICO Localização V. Jequitinhonha 430 km Vitória TURMALINA VEREDINHA MINAS NOVAS CAPELINHA ITAMARANDIBA ÁREA TOTAL DRENAGEM TOTAL

Leia mais

índice Fases básicas da obra 3 Importância da estrutura .4 Mapa estrutural 5 Alvenaria 7 Cobertura 8 Acabamento 9 Como escolher o cimento

índice Fases básicas da obra 3 Importância da estrutura .4 Mapa estrutural 5 Alvenaria 7 Cobertura 8 Acabamento 9 Como escolher o cimento índice Fases básicas da obra...3 Importância da estrutura...4 Mapa estrutural...5 Alvenaria...7 Cobertura...8 Acabamento...9 Como escolher o cimento...10 Portfólio...12 Dicas...14 Uma obra passa por dezenas

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Semestre letivo

PLANO DE ENSINO. Semestre letivo Departamento de Engenharia Civil Disciplina : Hidrologia (HIA0001) Prof. Dr. Doalcey Antunes Ramos PLANO DE ENSINO Semestre letivo 2013-1 EMENTA: Ciclo hidrológico. Bacias hidrográficas. Precipitação.

Leia mais

O tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira: Caracterização Evolução Crescimento empresarial MADEIRA Funchal, 10 de Novembro de 2011

O tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira: Caracterização Evolução Crescimento empresarial MADEIRA Funchal, 10 de Novembro de 2011 O tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira: Caracterização Evolução Crescimento empresarial MADEIRA 2011 Funchal, 10 de Novembro de 2011 BUSINESS PLAN Financial Analysis Agenda O tecido empresarial

Leia mais

MODELO PRÉ-PROJETO DE TCC

MODELO PRÉ-PROJETO DE TCC MODELO PRÉ-PROJETO DE TCC NOME DO ALUNO TEMA SERRA/ ES ANO NOME DO ALUNO TEMA Pré-projeto apresentado à disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso I, como requisito básico para a apresentação da disciplina

Leia mais

DISSERTAÇÕES DE MESTRADO EM AMBIENTE EMPRESARIAL

DISSERTAÇÕES DE MESTRADO EM AMBIENTE EMPRESARIAL DISSERTAÇÕES DE MESTRADO EM AMBIENTE EMPRESARIAL UMA APOSTA GANHA EDUARDO GIL DA COSTA egc@fe.up.pt 28 DE OUTUBRO DE 2016 DISSERTAÇÕES DE MESTRADO EM AMBIENTE EMPRESARIAL Apresentação do modelo organizacional

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária acentua diminuição

Valor médio de avaliação bancária acentua diminuição 25 de novembro de 2014 Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Outubro de 2014 Valor médio de avaliação bancária acentua diminuição O valor médio de avaliação bancária 1 do total do País diminuiu 1,5%

Leia mais

Apresentação de Projeto Social

Apresentação de Projeto Social ASSOCIAÇÃO PARA DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SÓCIO-CULTURAL DE NOVA RUSSAS CNPJ: 01.090.576/0001-50 LEI MUNICIPAL Nº 918, DE 20 DE JUNHO DE 2014 Apresentação de Projeto Social 1- Nome do Projeto Fábrica

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2013)

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2013) Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2013) I. IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CARGA HORÁRIA 36 h CURSO Biblioteconomia e Ciência SEMESTRE

Leia mais

A Planivis incorpora nas suas construções modulares materiais sustentáveis, nomeadamente*:

A Planivis incorpora nas suas construções modulares materiais sustentáveis, nomeadamente*: Princípio construtivo: O conceito de construção modular, assenta na execução de módulos com uma estrutura metálica mista, 100% reciclável, de aço laminado a quente (aço pesado ) e aço leve galvanizado.

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE UNIÕES UTILIZANDO CONECTORES METÁLICOS PARAFUSOS

DIMENSIONAMENTO DE UNIÕES UTILIZANDO CONECTORES METÁLICOS PARAFUSOS 03/12/2015 14:18:18 1 Manaus, 2015 MINICURSO Eng. Civil A SEREM ABORDADOS NESTE MINICURSO: - Contextualização; - Características dos Conectores Metálicos - Parafusos; - Normas; - Princípios básicos da

Leia mais

Saneamento de Goiás S/A

Saneamento de Goiás S/A Saneamento de Goiás S/A Histórico Saneamento de Goiás S/A 1941 1949 1950 1960 1967 2001 Em 2001 obteve registro de companhia aberta tipo B junto à CVM DES, extinto em 1967 através da Lei 6680, que transformou

Leia mais

Desenvolver o conhecimento da construção civil enfatizando as atividades referentes ao serviços preliminares, de estrutura e obra bruta.

Desenvolver o conhecimento da construção civil enfatizando as atividades referentes ao serviços preliminares, de estrutura e obra bruta. Detalhes da Disciplina Código ENG2332 Nome da Disciplina CONSTRUÇÃO CIVIL I Carga Horária 60 Créditos 4 Fases de obra bruta da construção de um edifício. Projetos de instalações prediais e sua interferência

Leia mais

Ferramentas da Qualidade

Ferramentas da Qualidade UNIVERSIDADE DE SOROCABA Curso Gestão da Qualidade Ferramentas da Qualidade Professora: Esp. Débora Ferreira de Oliveira Aula 09/02 Formação Acadêmica Tecnóloga em Mecânica FATEC Sorocaba; Pós graduada/mba

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA:

PLANO DE ENSINO EMENTA: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS - PUC Goiás PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO ESCOLA DE GESTÃO E NEGÓCIOS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROFESSOR: ESP. GEOVANE CAMILO DOS SANTOS DISCIPLINA: CSA1209 - CONTABILIDADE

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM ANO LETIVO: 2012/1 DISCIPLINA: ANATOMIA HUMANA I ENFERMAGEM

CURSO: ENFERMAGEM ANO LETIVO: 2012/1 DISCIPLINA: ANATOMIA HUMANA I ENFERMAGEM 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE MORFOLOGIA - ANATOMIA Tel (062) 3251-1487 (ICB) CURSO: ENFERMAGEM ANO LETIVO: 2012/1 DISCIPLINA: ANATOMIA HUMANA I ENFERMAGEM

Leia mais

PROJETO DE RACIONALIZAÇÃO DE CONSUMO E USO DE FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA

PROJETO DE RACIONALIZAÇÃO DE CONSUMO E USO DE FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA Dezembro 2005 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO DE RACIONALIZAÇÃO DE CONSUMO E USO DE FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA CT-INFRA 02 CAMPANHAS EDUCATIVAS E DE DIVULGAÇÃO Devido ao Decreto nº

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: FÌSICA FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( X) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( X) Presencial

Leia mais

também de acordo com o Sistema Métrico Internacional e conforme exigência da norma ABNT

também de acordo com o Sistema Métrico Internacional e conforme exigência da norma ABNT STEEL FRAME O Steel Frame é uma alternativa já consolidada e amplamente usada há dezenas de anos em países desenvolvidos. Ao contrário das estruturas convencionais de construção, são usados perfis de aço

Leia mais

Professor: José Junio Lopes

Professor: José Junio Lopes Aula 2 - Tensão/Tensão Normal e de Cisalhamento Média; Tensões Admissíveis. A - TENSÃO NORMAL MÉDIA 1. Exemplo 1.17 - A luminária de 80 kg é sustentada por duas hastes, AB e BC, como mostra a Figura 1.17a.

Leia mais

Boletim Estatístico de Pessoal

Boletim Estatístico de Pessoal MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS Boletim Estatístico de Pessoal volume 17 Nr. 188 Dezembro de 2011 Brasília Dez.2011 Presidenta da República Dilma Rousseff

Leia mais

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro PEIC Síntese dos Resultados Síntese dos Resultados Total de Endividados Dívidas ou Contas em Atrasos Não Terão Condições de Pagar mar/10 63,0% 27,3% 8,7% fev/11 65,3%

Leia mais

CESMAC FACULDADE DO AGRESTE NÚCLEO DE APOIO À PESQUISA (NAP) CHAMADA PARA A FORMAÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO EM 2017

CESMAC FACULDADE DO AGRESTE NÚCLEO DE APOIO À PESQUISA (NAP) CHAMADA PARA A FORMAÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO EM 2017 CESMAC FACULDADE DO AGRESTE NÚCLEO DE APOIO À PESQUISA (NAP) CHAMADA PARA A FORMAÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO EM 2017 O Núcleo de Apoio à Pesquisa (NAP) do Cesmac Faculdade do Agreste, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Técnico em Edificações FORMA/GRAU:(X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Localização: Rua Antônio Augusto, 52 Praia de Iracema Fortaleza/CE

Localização: Rua Antônio Augusto, 52 Praia de Iracema Fortaleza/CE Localização: Rua Antônio Augusto, 52 Praia de Iracema Fortaleza/CE Infraestrutura completa de rede bancária, comércio e serviços, onde se concentra a maior parte da rede hoteleira da capital cearense,

Leia mais

EDIFÍCIO MIRADOR. Memorial Descritivo dos Acabamentos

EDIFÍCIO MIRADOR. Memorial Descritivo dos Acabamentos EDIFÍCIO MIRADOR Memorial Descritivo dos Acabamentos 01 Fachadas Fachadas frontal pastilha de porcelana e/ou cerâmica e pintura na parte interna das varandas, vidro verde laminado 8mm e esquadria em alumínio

Leia mais

ABNT NBR / Editada 11/08/2008 Valida 11/09/2008. CENTRAL DE Gás LP

ABNT NBR / Editada 11/08/2008 Valida 11/09/2008. CENTRAL DE Gás LP ABNT NBR 13523 / 2008 Editada 11/08/2008 Valida 11/09/2008 CENTRAL DE Gás LP CENTRAL DE GÁS LP O QUE É? ÁREA DESTINADA A CONTER OS RECIPIENTES DE ARMAZENAMENTO DO GLP PARA USO DA INSTALAÇÃO e os demais

Leia mais

(ESPAÇO PARA SER COLOCADO O TÍTULO DO TRABALHO)

(ESPAÇO PARA SER COLOCADO O TÍTULO DO TRABALHO) (CAPA) (ESPAÇO PARA SER COLOCADO O NOME DA INSTITUIÇÃO) (ESPAÇO PARA SER COLOCADO O NOME DO AUTOR) (ESPAÇO PARA SER COLOCADO O TÍTULO DO TRABALHO) (ESPAÇO PARA SER COLOCADA A CIDADE - ESTADO) (ESPAÇO PARA

Leia mais