Visão geral. Para Programadores. ( Componentes) V 1. 0

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Visão geral. Para Programadores. ( Componentes) V 1. 0"

Transcrição

1 Visão geral Para Programadores ( Componentes) V 1. 0

2 Índice Índice...iii Índice de Figuras... v Índice de Tabelas... vii 1 O Joomla para programadores Desenvolvendo componentes para o Joomla Instalando um componente Definindo a lógica Definindo a apresentação iii

3 Índice de Figuras Figura 9 Diagrama de do processamento de um pedido no Joomla. 11 Figura 10 Estrutura de ficheiros típica de um componente 18 v

4 Índice de Tabelas Tabela 6 Principais ficheiros da raiz do site Joomla 9 Tabela 7 Variáveis globais mais importantes usadas num programa Joomla 10 Tabela 8 Nomenclatura usada nos principais ficheiros de um componente 17 vii

5 1 O Joomla para programadores O primeiro aspecto a reter quando se começa a desenvolver no Joomla é o facto de que o Joomla per si não é um produto de software, é apenas uma framework interpretadora de componentes, módulos, mambots e templates (conhecidos por extensões) dos quais o Joomla é completamente alheio do que fazem ou do seu aspecto. É um programa escrito em PHP, usa como motor de base de dados o MySQL e o APACHE como servidor. Outro aspecto muito importante e que geralmente não é mencionado é que não existe o conceito de pagina Web como o conhecemos, pois tudo o que aparece no browser é gerado a partir de um único ficheiro, o típico e conhecido index.php que se encontra na raiz do site. Devido á abstracção do Joomla relativamente as suas extensões é possível desenvolver subsistemas que podem ser publicados separadamente sem o sistema original. Isto permite manipular, gerir ou remover parte do sistema sem afectar o resto do sistema. Qualquer um pode desenvolver uma extensão para o Joomla desde que cumpra os métodos prescritos para a criação dos mesmos. Mais acerca do funcionamento das extensões pode ser encontrado nos próximos capítulos. Para entender como funciona a plataforma Joomla vamos analisar como são processados os pedidos ao servidor e entender quais são os ficheiros envolvidos e as principais classes, variáveis globais envolvidas no processo. Primeiro vamos conhecer melhor a hierarquia de ficheiros do Joomla. Tabela 1 Principais ficheiros da raiz do site Joomla Nome Administrator Components Includes Laguages Descrição Pasta onde se encontram todos os ficheiros que tratam da parte administrativa do site. Todos os ficheiros dos componentes instalados, excepto os da parte administrativa. Ficheiros do núcleo do Joomla Todos os ficheiros de linguagem 9

6 Manbots Modules Templates Index.php Index2.php Configuration.php Globals.php Todos os ficheiros dos mambots do site. Todos os ficheiros dos módulos de front-end instalados. Ficheiros de todos os templates de front-end. Ficheiro de inicio do front-end do site. Ficheiro de inicio do back-end do site. Ficheiro que contem várias variáveis de configuração do site. Ficheiro que trata de declarar várias variáveis globais usadas durante a execução do programa. Agora uma nota sobre algumas variáveis que nos irão acompanhar ao longo deste relatório bem como em qualquer programa desenvolvido na plataforma Joomla. Tabela 2 Variáveis globais mais importantes usadas num programa Joomla Nome Descrição URL ou POST $_VALID_MOS Permite implementar uma medida de segurança que impede o acesso directo aos ficheiros de código excepto index.php NÃO $option Especifica qual o componente a carregar SIM $act Especifica o tipo de informação a carregar SIM $task $Itemid $database Especifica o que fazer ao tipo de informação especificada em $act, por exemplo guardar ou apagar. Especifica o id único do elemento que está a fazer um pedido, por exemplo o id de um link de menu. Indica qual o conteúdo a apresentar. Um objecto de conexão à base de dados. Implementa vários métodos que facilitam a manipulação dos dados. SIM SIM NÃO 10

7 $mainframe Objecto que possui muitas rotinas de interacção com o Joomla. NÃO Na tabela em cima o modificador de url ou post significa que esta variável é iniciada algures no código a partir das variáveis get ou post com o mesmo nome, recebidas no servidor após os pedidos pelo utilizador. Estas variáveis são usadas para que o servidor execute as tarefas que foram pedidas pelo utilizador. Figura 1 Diagrama de do processamento de um pedido no Joomla. 1- Carregar índex.php e definir $_VALID_MOS 2- Existe o ficheiro configuration.php? 3- Carregar configuration.php 4- Carregar joomla.php 5- Carregar database.php 6- Carregar frontend.php 11

8 7- Existem as variáveis option ou itemid? 8- Criar objecto de base de dados (variável $database) 9- Tentar obter uma option se não foi especificado em Criar objecto mosmainframe 11- Criar o array $_MOS_OPTION 12- Carregar o componente 13- Carregar o template 14- Carregar frontend.html.php 15- mosshowhead 16- mosloadmodules 17- mosmainbody 18- Mostrar a página No diagrama em cima cada passo é da cor do ficheiro que está na realidade a executar o código, os ficheiros de cor branca indicam que executam apenas código de apoio a algumas tarefas. Para explicar cada passo iremos usar a letra D para representar o diagrama seguido do ponto decimal e o número do passo (exemplo [D.3]). Alguns passos foram omitidos por uma razão de simplicidade, pois correspondem apenas à garantia de compatibilidade com antigas versões do PHP e do Joomla. Sempre que um utilizador visita o site, escrevendo o endereço ou carregando num link, o Joomla recebe um pedido e executa uma série de tarefas para determinar o tipo de utilizador que fez o pedido, a secção pretendida e o conteúdo em particular a ser exibido. Como seria de esperar o primeiro ficheiro a ser executado é o index.php [D.1] encontrado no directório de raiz do site. Se examinarmos este ficheiro podemos ver que não tem nenhum código html próprio. Isto é porque este ficheiro apenas executa uma quantidade de tarefas e delega funções mas não gera nenhum conteúdo. Note que no diagrama a sua execução só termina quando o conteúdo é apresentado ao utilizador. O conteúdo exibido é recolhido e 12

9 formatado por outros ficheiros os componentes e módulos que são incluídos pelo index.php. A primeira tarefa do index.php é definir a variável global $_VALID_MOS com o código define ( _VALID_MOS, 1), assim a primeira linha em todos os outros do Joomla é: defined ( '_VALID_MOS' ) or die( 'Direct Access to this location is not allowed.' ); Isto é uma medida de segurança que impossibilita o acesso directo aos ficheiros do Joomla excepto ao index.php. Assim, se tentar-mos aceder, por exemplo, ao ficheiro mod_mainmenu.php directamente pelo seu url, $_VALID_MOS, que é definida em index.php, não terá sido definida logo o utilizador só verá uma mensagem que dirá Direct Access to this location is not allowed.'. De seguida index.php verifica a existência de configuration.php [D.2]. Este ficheiro contém a configuração básica do Joomla que é usada pelo núcleo do site, os seus componentes, módulos e templates. Se o ficheiro configuration.php não existir o Joomla carrega um script de instalação que permite instalar o Joomla com as definições por defeito bem como alguma informação inserida pelo utilizador como o nome da base de dados e o nome de usuário e palavra-chave do MySQL. Este ficheiro é uma lista de variáveis usadas para guardar informação de caminhos para directórios internos, nome de usuário e palavra-chave do MySQL, fuso horário e outras informações de administração. Se o ficheiro configuration.php existir então é carregado [D.3] e a execução do Joomla corre o seu rumo normal. O próximo passo é carregar o joomla.php [D.4]. Este é um dos ficheiros com maior carga de trabalhos da API do Joomla e contém muitas classes e funções que tornam o trabalho do programador muito mais fácil. Algumas destas classes e funções serão descritas mais a frente mas para já interessa saber que este ficheiro é muito importante e é aconselhável perder algum tempo a conhece-lo melhor. Outro ficheiro muito importante para o programador é database.php. Este ficheiro é carregado pelo Joomla [D.5] e contém todas as classes e funções necessárias para interagir com a base de dados tornando estas capacidades acessíveis a todos os ficheiros subsequentes. Entraremos em pormenor mais a frente mas para já é importante saber que este ficheiro oferece um vasto leque de funções de query com diferentes tipos de retorno e funções de debugging. 13

10 O próximo ficheiro de núcleo a ser carregado é o frontend.php [D.6], que trabalha em série com Joomla.php para levar a cabo a maior parte das tarefas do Joomla como iniciar e carregar módulos ou carregar o conteúdo principal de uma página. Os templates interagem directamente com este ficheiro pois ele está directamente ligado à apresentação do conteúdo. Depois de todos os ficheiros do núcleo do Joomla serem carregados o index.php tenta identificar o estado de option e ItemId [D.7] que são passadas pela url query string ou pelo post dependendo do tipo de pedido, para identificar qual o conteúdo pretendido pelo utilizador. Se este passo falhar o Joomla simplesmente passa para o próximo passo. De seguida é criado um novo objecto de base de dados [D.8], criando uma instancia da classe database que naturalmente se encontra em database.php. Como o HTTP não mantém uma ligação permanente ao servidor sempre que é feito um novo pedido é necessário criar um novo objecto de conexão á base de dados. Em [D.9] o Joomla volta tratar da questão do option e Itemid. Se em [D.7] option não foi definido mas foi definido um Itemid então o Joomla tenta descobrir qual o componente a carregar procurando na base de dados pelo item de menu especificado em itemid que, por sua vez, contém toda a informação do conteúdo desse link. Se o anterior falhar então o Joomla baseia-se na option e Itemid do primeiro elemento do menu principal que se assume ser a página inicial do site. Note que tudo isto só acontece se não for especificado um componente através do option caso contrario o componente será carregado e tratado no próximo passo. O próximo passo é criar um objecto mosmainframe [D.10] na variável global $mainframe. Este objecto proporciona uma grande carga de trabalhos por ter muitas rotinas de interacção com o sistema. Muitas das rotinas deste objecto serão usadas pelo componentes que virá a ser carregado, por exemplo para ler do ficheiro configuration.php carregado em [D.3], determinar o template usado, colocar alguma informação na parte header e metadata do código HTML da página. O mosmainframe também iniciará uma sessão ou actualizará no caso de esta não ter expirado. As sessões permitem que um utilizador previamente autenticado navegue de página para página sem ter de inserir novamente as suas credenciais. 14

11 Neste momento, o Joomla irá preparar-se para executar o código do componente que foi determinado nos passos 7 ou 9. Apesar de tudo o conteúdo resultante desta execução ainda não será apresentado, em vez disso é guardado num buffer temporário para que mais tarde possa ser misturado com o HTML do template. No ficheiro index.php é criado um array chamando $_MOS_OPTION [D.11] e de seguida é usada a capacidade de buffering do PHP para capturar o conteúdo de saída do componente. Isto é feito da seguinte forma: - Chamar o comando PHP ob_start() - Executar o código do componente - Retirar o conteúdo do buffer usando ob_get_contents() - Colocar o conteúdo em $_MOS_OPTION para mais tarde ser usado - Limpar o buffer com ob_end_clean() Finalmente chega o momento de carregar o template [D.13]. Este deverá ter chamadas a procedimentos do frontend.php mosshowhead, mosloadmodules e mosmainbody. Para carregar os módulos para uma dada posição o ficheiro frontend.php primeiro carrega frontend.html.php [D.14] e só depois inicia os módulos escrevendo o HTML. O frontend.html.php primeiro verifica se um módulo em particular é um módulo instalado ou um módulo stored, sendo que a diferença é que os módulos instalados são ficheiros separados no directório dos módulos e os módulos stored são criados na área de administração dos módulos e guardados na base de dados. Depois de carregado o frontend.html.php, a função mosshowhead() [D.15] chama a função do objecto mosmainframe, gethead() que retorna a informação do header previamente tratada no passo 10. O mosloadmodules() poderá ser chamado quantas vezes for necessário dependendo das regiões definidas no template. O Joomla permite no máximo 26 posições com nomes como Top, Left, Right, Bottom, user1, user2 Estas posições organizam os módulos em grupos. Quando no mosloadmodules() é passado um parâmetro(primeiro) indicando a posição, o Joomla carrega todos os módulos do grupo dessa posição. Após executar o código do modulo o frontend.php envolve-o em código HTML adicional se for especificado um parâmetro (segundo) adicional de estilo em mosloadmodules(). Por exemplo mosloadmodules('left', -1) indica que 'left' é a grupo de posição e -1 o estilo do 15

12 módulo. Neste caso -1 indica que não é necessário adicionar mais nenhum HTML e que o título não deve ser mostrado. O parâmetro de estilo 0 é o estilo por defeito e indica que o módulo deve ser envolvido numa tabela da classe moduletable. A parte final do código a ser executada é o mosmainbody() [D.17] que é uma função muito simples pois a sua única tarefa é ir buscar o conteúdo de saída do componente ao array $_MOS_OPTION que foi por sua vez guardado em $GLOBALS no passo 12. Neste momento todo o HTML de saída dos componentes, módulos e Joomla é junto para mostrar a página gerada ao utilizador [D.18]. 1.1 Desenvolvendo componentes para o Joomla Como já vimos em capítulos anteriores os componentes são compostos por uma parte de administração e uma parte visível ao utilizador. Em termos de hierarquia de ficheiros estas duas partes encontram-se separadas, a parte de administração encontra-se em administrator/components/com_* e parte de front-end em components/com_* (todos os componentes começam com com_ seguidos no seu nome). Podemos fazer absolutamente tudo o que quisermos com eles desde que se usem os métodos e regras necessárias a sua integração no Joomla. Essas regras incluem usar determinadas nomenclaturas nos ficheiros do componente, criar um ficheiro xml com a lista dos ficheiros do componente e informação de instalação, usar métodos da framework para tarefas internas, criar ficheiros de instalação e remoção. Embora o Joomla ofereça vários métodos e classes de apoio ao desenvolvimento de extensões, estas não são indispensáveis para o funcionamento dos mesmos. Se, por exemplo, tivermos um programa em PHP que queremos integrar no Joomla como componente podemos facilmente, dependendo da complexidade do programa, fazer a transição apenas com pequenas alterações de código para garantir a segurança e alguma integração com outros componentes. Geralmente o desenvolvimento de componentes segue uma arquitectura bem definida e simples que embora não sendo obrigatória é bastante aconselhada pois simplifica muito a compreensão de todos os aspectos do programa. Basicamente é aconselhada a separação de 16

13 tarefas de lógica e de apresentação em ficheiros separados. As tarefas de lógica podem ser gravar, listar, ler da base de dados, que fazem chamadas a métodos da parte de apresentação que se encarregam de imprimir todo o HTML para formulários, listagens de conteúdo, etc. O ficheiro de apresentação é constituído sempre por pelo menos uma classe com vários métodos e sem construtor que será usada como camada de apresentação do componente. Um terceiro ficheiro que é muito frequente usar é o de classes da base de dados. Este contém classes que são representações das tabelas da base de dados usadas pelo componente. Estas classes podem ser uma extensão da classe do Joomla chamada mosdbtable e fazer uso de algumas funções que ai estão implementadas para simplificar a comunicação com a base de dados. Tabela 3 Nomenclatura usada nos principais ficheiros de um componente Nomenclatura Ficheiro Administração front-end Lógica admin.(*).php (*).php Apresentação admin.(*).html.php (*).html.php Classes admin.(*).class.php (*).class.php (*) - Nome do componente. É muito importante usarmos a nomenclatura descrita em cima porque quando o Joomla carrega um componente, baseia-se no nome deste para descobrir qual o ficheiro inicial do programa, que como já deve ter suspeitado é o ficheiro de lógica. Outra vantagem de usar esta nomenclatura é o facto de existirem algumas funções internas que facilitam, por exemplo, a inclusão dos vários ficheiros bastando para isso indicar se quer o de classes, de apresentação ou de lógica. 17

14 1.2 Instalando um componente Os componentes são publicados no formato de compressão zip e seguem uma hierarquia de ficheiros própria que é necessária para que o Joomla os reconheça como válidos. É prática corrente usar directórios separados para os diferentes tipos de ficheiros, assim tipicamente existirá um directório de imagens, um directório de javascripts, um directório de folhas de estilo css e na raiz todos os ficheiros de código fonte PHP. Figura 2 Estrutura de ficheiros típica de um componente Para instalar o componente o Joomla começa por procurar nos elementos do componente um ficheiro xml com o mesmo nome do componente (na figura em cima podemos ver o ficheiro gilt.xml). Este ficheiro contém a descrição de todos os ficheiros do componente, que usa para copiar e criar os directórios na área de font-end e de back-end, os comandos sql necessários para interagir com a base dados (criando assim a estrutura de dados usada pelo componente) e outra informação acerca do componente. 18

15 O esquema seguinte exemplifica uma possível estrutura do ficheiro xml de instalação. <?xml version="1.0"?> <mosinstall type="component" version="4.5.1"> <name>gilt</name> <creationdate>may 2006</creationDate> <author>hugo Jorge Soares</author> <copyright>all rights reserved</copyright> <authorurl>gilt.isep.ipp.pt</authorurl> <version>1.0</version> <description>gilt component</description> <files><filename>gilt.php</filename></files> <images><filename>images/logo.gif</filename></images> <install> <queries> <query>create TABLE inscricoes (total INT(11) NULL,name VARCHAR( 80 ) NOT NULL, VARCHAR( 80 ) NOT NULL,morada VARCHAR( 150 ),telefone INT( 9 ),events TEXT NOT NULL,id TINYINT auto_increment NOT NULL,PRIMARY KEY ( id )) ENGINE = INNODB;</query> </queries> </mosinstall> </install> <uninstall><queries> </uninstall> <query>drop TABLE Pessoa_Events;</query></queries> <installfile>install.gilt.php</installfile> <uninstallfile>uninstall.gilt.php</uninstallfile> <administration> <menu>gilt</menu> <submenu><menu act="peo">people</menu></submenu> <files><filename>admin.gilt.php</filename></files> </administration> Como podemos ver começa-mos por descrever alguma informação sobre o componente como o autor a data, etc. De seguida temos uma lista de ficheiros que devem ser copiados para a área de front-end (files e images). Nas secções install e uninstall temos a possibilidade de escrever os comandos sql necessários para a instalação ou remoção do componente, que serão 19

16 executados nessa altura. Os nódulos xml installfile e uninstallfile indicam respectivamente qual o ficheiro a carregar aquando da instalação ou remoção do componente. A última parte é respeitante à área de administração e permite construir o menu de administração do componente indicando quais os links e os valores a serem passados nas variáveis de url. Tal como para p front-end também é obrigatória a descrição dos ficheiros que compõem esta área. Como já foi dito o Joomla carrega um ficheiro aquando da instalação ou remoção do componente. No caso de instalação o Joomla tenta correr a função com_install() e na remoção com_uninstall(). Estas funções têm de existir forçosamente e nelas podemos inserir comandos adicionais para completar a instalação ou remoção. Isto é particularmente útil para fazer algum tipo de integração com componentes ou módulos existentes como por exemplo a criação de links de menu. 1.3 Definindo a lógica Para definir as tarefas a executar o ficheiro de lógica usa as variáveis que já conhecemos, $act e $task, em duas cláusulas switch encadeadas como exemplifica o código seguinte: switch($act){ case eventos : switch ($task){ case save : save($option,$act); break; case list: list($option); break; } } break; case pessoas :. 20

17 Desta forma podemos direccionar a execução do código no sentido pretendido pelo pedido do utilizador, fazendo as chamadas das respectivas funções que tratam da tarefa requerida. Todas as funções que tenham como resultado final a apresentação de conteúdo devem fazer chamadas a métodos do ficheiro de apresentação. No entanto previamente à chamada destes métodos toda a lógica deve ser tratada, incluindo leituras à base de dados o que implica enviar apenas os dados a serem mostrados. Isto é feito usando a classe de acesso a dados database que se encontra no ficheiro database.php e tem como variável global $database. Nesta camada temos a possibilidade de obter dados da base dados sob a forma de arrays de objectos representativos das tabelas, que usaremos para enviar os dados para a camada de apresentação do componente. As funções que tenham como resultado apenas a interacção com a base de dados (gravar, actualizar, apagar) apenas fazem chamadas à camada de acesso a dados do Joomla e geralmente não interagem com mais nenhum ficheiro. Estas Funções podem fazer uso das classes do ficheiro de classes para facilitar a interacção com a base de dados. Geralmente são chamadas em resposta a um envio de um formulário usando o método post. 1.4 Definindo a apresentação O ficheiro de apresentação é constituído por pelo menos uma classe geralmente com o nome lógico de HTML pois é só disto que ela trata. Esta classe não possui construtor porque não existe necessidade de ser instanciada pois apenas os seus métodos são de interesse. Estes métodos efectuam tarefas bem específicas pelo que geralmente englobam todo o processamento no seu corpo. Recebem como parâmetro, sob a forma de arrays, os dados que devem mostrar e escrevem o HTML para formatar e apresentar esse conteúdo. Na realidade o componente só tratará de escrever algum do HTML do bloco body da página o resto faz parte dos módulos e claro do template. Existem alguns cuidados a ter quando estamos a desenvolver em HTML especialmente no que respeita aos formulários pois o Joomla coloca algumas regras, nomeadamente: Os atributos name, id e class da tag form têm que ser adminform 21

18 O atributo action da tag form deverá ser index.php para o front-end e index2.php para o back-end. Como o formulário irá ser tratado na parte de lógica então teremos de colocar em elementos escondidos o valor das variáveis $option, $act e $task. Desta forma quando o formulário for submetido ao servidor o Joomla carregará o nosso componente através de $option, $act indicará qual a acção e $task a tarefa. Por exemplo: <input type="hidden" name="option" value="com_gilt" /> <input type="hidden" name="act" value="eventos" /> <input type="hidden" name="task" value="gravar" /> Neste caso quando o formulário fosse submetido o Joomla iria carregar o componente gilt e chamar o método que trata de gravar os eventos. Usar o método addcustomheadtag( $html ) do objecto mosmainframe para inserir algum código necessário no bloco head da página (lembrar que todo o html só é inscrito numa fase posterior, dai a necessidade de um método deste género). Ter bastante cuidado com o uso de javascript para que não existam conflitos com o scripts que o Joomla usa para o seu funcionamento. Usar os métodos do Joomla para criar as barras de ferramentas que se usam para as tarefas de autoria, pois estas incluem automaticamente alguns scripts necessários para interagir com outros elementos do formulário. Quanto ao aspecto do conteúdo deveremos sempre que possível usar os atributos class dos elementos HTML para definirmos o seu estilo. Existem standards para os nomes de classes css que os templates devem usar, logo se usarmos esses nomes para os atributos class, temos a garantia de que o aspecto de toda a página será homogéneo. Para conhecermos estes nomes temos de investigar o css do template que está ser usado. 22

19 Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não- Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5. Para ver uma cópia desta licença, visite ou envie uma carta para Creative Commons, 559 Nathan Abbott Way, Stanford, California 94305, USA 23

Conceitos de extensões Joomla!

Conceitos de extensões Joomla! capítulo 1 Conceitos de extensões Joomla! Entendendo o que é extensão Extensão pode ser entendida como uma pequena aplicação desenvolvida com regras de construção estabelecidas pelo ambiente Joomla!. É

Leia mais

Portal AEPQ Manual do utilizador

Portal AEPQ Manual do utilizador Pedro Gonçalves Luís Vieira Portal AEPQ Manual do utilizador Setembro 2008 Engenharia Informática - Portal AEPQ Manual do utilizador - ii - Conteúdo 1 Introdução... 1 1.1 Estrutura do manual... 3 1.2 Requisitos...

Leia mais

Visão geral. Para totós V 1. 0

Visão geral. Para totós V 1. 0 Visão geral Para totós V 1. 0 Índice Índice...iii Índice de Figuras... v Índice de Tabelas... vii 1 O que é o Joomla?... 9 2 Licença... 9 3 Como funciona?... 9 4 Templates... 10 5 Extensões... 11 5.1 Componentes...

Leia mais

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados Curso Profissional de Técnico de Multimédia 12ºAno Disciplina: Sistemas de Informação Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Guia de Consulta Rápida. PHP com XML. Juliano Niederauer. Terceira Edição. Novatec

Guia de Consulta Rápida. PHP com XML. Juliano Niederauer. Terceira Edição. Novatec Guia de Consulta Rápida PHP com XML Juliano Niederauer Terceira Edição Novatec Copyright 2002 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 Índice 1 - Objetivo 2 - Descrição do ambiente 2.1. Tecnologias utilizadas 2.2. Estrutura de pastas 2.3. Bibliotecas já incluídas 3 - Características gerais 4 - Criando

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Laboratório 4 Validação do Formulário

Laboratório 4 Validação do Formulário Laboratório 4 Validação do Formulário Introdução Agora que já definimos os nossos documentos usando xhtml e já os embelezámos através da utilização das CSS, está na hora de validar a informação que o utilizador

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

MANUAL DE INTRODUÇÃO AO ALFRESCO 3.0

MANUAL DE INTRODUÇÃO AO ALFRESCO 3.0 MANUAL DE INTRODUÇÃO AO ALFRESCO 3.0 Alfresco é uma marca registada da Alfresco Software Inc. 1 / 42 Índice de conteúdos Alfresco Visão geral...4 O que é e o que permite...4 Página Inicial do Alfresco...5

Leia mais

PHP. Hypertext Pre-Processor

PHP. Hypertext Pre-Processor PHP Hypertext Pre-Processor O que é o PHP? Uma linguagem de scripting é uma linguagem cujo código não tem de ser compilado para ser executado! O código escrito é interpretado em tempo de execução para

Leia mais

Oficina Joomla. Prof. M.Sc. Marcos Roberto de Moraes

Oficina Joomla. Prof. M.Sc. Marcos Roberto de Moraes Oficina Joomla Prof. M.Sc. Marcos Roberto de Moraes Joomla Sistema gratuito para criação de websites. Projeto de código aberto, que, como a maioria dos demais projetos, está em constante desenvolvimento;

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 Revisão de PHP... 19. Capítulo 2 Melhorando o processamento de formulários... 46

Sumário. Capítulo 1 Revisão de PHP... 19. Capítulo 2 Melhorando o processamento de formulários... 46 9 Sumário O Autor... 8 Introdução... 15 Quem deve ler este livro... 15 Como este livro está organizado...16 Download do código-fonte do livro... 18 Capítulo 1 Revisão de PHP... 19 Iniciando em PHP... 19

Leia mais

IFSC-Programação para a WEB - prof. Herval Daminelli

IFSC-Programação para a WEB - prof. Herval Daminelli 1 Um script em PHP ou página HTML pode transferir dados para outro script em PHP no servidor de diversas maneiras. Algumas destas maneiras são: Por meio de formulários, usando o método GET ou POST; Através

Leia mais

Programando em PHP. Conceitos Básicos

Programando em PHP. Conceitos Básicos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Conceitos Básicos Todo o escopo deste estudo estará voltado para a criação de sites com o uso dos diversos recursos de programação web

Leia mais

www.coldfusionbrasil.com.br

www.coldfusionbrasil.com.br www.coldfusionbrasil.com.br 2000 1 O que é Cold Fusion? 3 Arquitetura Cold Fusion 3 Cold Fusion Markup Language (CFML) 4 O que devo saber para programar em CFML? 4 HTML 4 Desenho de Banco de Dados Relacionais

Leia mais

Bool setcookie (string nome [, string valor [, int validade [, string caminho [, string dominio [, int seguro]]]]] )

Bool setcookie (string nome [, string valor [, int validade [, string caminho [, string dominio [, int seguro]]]]] ) Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

Controle de acesso. http://www.larback.com.br. .com.br

Controle de acesso. http://www.larback.com.br. .com.br http://www.larback Controle de acesso Construiremos um sistema simples para cadastro de links. O sistema terá uma página pública (onde serão exibidos os links) e uma área administrativa, onde os usuários

Leia mais

* Técnicas Avançadas. Desenvolvimento de SOFTWARES. Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo com Joomla e Magento

* Técnicas Avançadas. Desenvolvimento de SOFTWARES. Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo com Joomla e Magento * Técnicas Avançadas Desenvolvimento de SOFTWARES Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo com Joomla e Magento * Tópicos Sistema de Gerenciamento de Conteúdo CMS. Fron-end Back-end Instalando Site e Lojas

Leia mais

Construindo um sistema simples de cadastro de fornecedores em PHP e MySQL.

Construindo um sistema simples de cadastro de fornecedores em PHP e MySQL. Construindo um sistema simples de cadastro de fornecedores em PHP e MySQL. Procuraremos mostrar os principais procedimentos para fazer um cadastro de registros numa base de dados MySQL utilizando a linguagem

Leia mais

2.3. PHP Tipos de dados e operadores

2.3. PHP Tipos de dados e operadores Programação para Internet II 2.3. PHP Tipos de dados e operadores Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Tipos de dados Embora não seja necessário declarar os tipos de dados das variáveis,

Leia mais

Programação Web Aula 5 - Javascript Parte 2 - Javascript e HTML

Programação Web Aula 5 - Javascript Parte 2 - Javascript e HTML Programação Web Aula 5 - Javascript Parte 2 - Javascript e HTML Departamento de Informática UFPR 17 de Março de 2014 1 Javascript e HTML 2 Ambiente Hierarquia Propriedades de Document 3 DOM Denição Hierarquia

Leia mais

Microsoft Office FrontPage 2003

Microsoft Office FrontPage 2003 Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão Área Interdepartamental de Tecnologias de Informação e Comunicação Microsoft Office FrontPage 2003 1 Microsoft Office FrontPage 2003 O Microsoft

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

Manual de Administração Intranet BNI

Manual de Administração Intranet BNI Manual de Administração Intranet BNI Fevereiro - 2010 Índice 1. Apresentação... 3 2. Conceitos... 5 3. Funcionamento base da intranet... 7 3.1. Autenticação...8 3.2. Entrada na intranet...8 3.3. O ecrã

Leia mais

Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Capacitar o aluno para o trabalho com o framework JQuery. INTRODUÇÃO JQuery é uma biblioteca

Leia mais

Editor HTML. Composer

Editor HTML. Composer 6 Editor HTML 6 Composer Onde criar Páginas Web no Netscape Communicator? 142 A estrutura visual do Composer 143 Os ecrãs de apoio 144 Configurando o Composer 146 A edição de Páginas 148 Publicando a sua

Leia mais

Iteração 2 Design inicial

Iteração 2 Design inicial Universidade de Aveiro Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática Engenharia de Software Iteração 2 Design inicial Projecto: FX-Center Grupo: BEDS David Pacheco (nº 32665) Cesário Lucas

Leia mais

Joomla! CMS Visão Geral! Por Fabio Gameleira

Joomla! CMS Visão Geral! Por Fabio Gameleira Joomla! CMS Visão Geral! Por Fabio Gameleira 1/20 Historico de revisões Data Versão Descrição Responsável 23/06/2006 1.0 Conteúdo inicial Fabio gameleira 21/03/2007 1.1 Revisão e correção do url do meu

Leia mais

Fábio Rocha de Araújo & Felipe Rocha de Araújo. 30 de janeiro de 2012

Fábio Rocha de Araújo & Felipe Rocha de Araújo. 30 de janeiro de 2012 Laboratório de Processamento de Sinais Laboratório de Sistemas Embarcados Universidade Federal do Pará 30 de janeiro de 2012 Introdução Conhecendo o Joomla! Administrando extensões Joomla! e criando Módulos

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS 1 de 6 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS BURITREINAMENTOS MANAUS-AM NOVEMBRO / 2014 2 de 6 PACOTES DE TREINAMENTOS BURITECH A Buritech desenvolveu um grupo de pacotes de treinamentos, aqui chamados de BuriPacks,

Leia mais

Design Doc for Stage 1

Design Doc for Stage 1 Departamento de Engenharia Informática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra Engenharia de Software II Design Doc for Stage 1 Pneus_DesignDocforStage1_2006-05-26_v1.0.doc Versão 1.0

Leia mais

Programação Web Prof. Wladimir

Programação Web Prof. Wladimir Programação Web Prof. Wladimir Linguagem de Script e PHP @wre2008 1 Sumário Introdução; PHP: Introdução. Enviando dados para o servidor HTTP; PHP: Instalação; Formato básico de um programa PHP; Manipulação

Leia mais

mkdir /srv/www/default/html/calculadora/imagens mkdir /srv/www/default/html/calculadora/blocos

mkdir /srv/www/default/html/calculadora/imagens mkdir /srv/www/default/html/calculadora/blocos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Criando uma Calculadora Primeiramente deve se criar uma estrutura para armazenar os arquivos necessários para o funcionamento da calculadora.

Leia mais

JSP trata-se de uma tecnologia que possibilita o desenvolvimento de páginas web dinâmicas utilizando todas as potencialidades do Java como linguagem

JSP trata-se de uma tecnologia que possibilita o desenvolvimento de páginas web dinâmicas utilizando todas as potencialidades do Java como linguagem 1 JSP trata-se de uma tecnologia que possibilita o desenvolvimento de páginas web dinâmicas utilizando todas as potencialidades do Java como linguagem orientada a objectos. Tal como em ASP e PHP, os ficheiros

Leia mais

Módulo 3936 ASP.NET. Financiado pelo FSE

Módulo 3936 ASP.NET. Financiado pelo FSE 2 EISnt Centro de Formação Profissional, Engenharia Informática e Sistemas, Novas Tecnologias, Lda Avª D. João I, nº 380/384 Soutelo 4435-208 Rio Tinto Portal Internet : www.eisnt.com E-Mail : formação@eisnt.com

Leia mais

3. O CASO PARTICULAR DO FÓRUM DYN3W

3. O CASO PARTICULAR DO FÓRUM DYN3W 3. O CASO PARTICULAR DO FÓRUM DYN3W 3.1. DESCRIÇÃO DA FERRAMENTA E SUAS APLICAÇÕES Dyn3W é um fórum desenvolvido especialmente para ser utilizado na educação. O seu desenvolvimento iniciou-se em meados

Leia mais

Módulo de Estatísticas MANUAL DO UTILIZADOR

Módulo de Estatísticas MANUAL DO UTILIZADOR MANUAL DO UTILIZADOR Versão 1.4 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2 2. REQUISITOS DO SISTEMA 3 3. CONTROLOS GERAIS DO WINDOWS 4 3.1 ESTRUTURA HIERÁRQUICA 4 3.2 CONTROLO DE DATA 5 4. INÍCIO DA UTILIZAÇÃO 8 5. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de gestão de conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

CENTRO DE COMPETÊNCIA CRIE

CENTRO DE COMPETÊNCIA CRIE Escola Superior de Educação de Setúbal CENTRO DE COMPETÊNCIA CRIE GESTÃO DE CONTEÚDOS COM JOOMLA João Vítor Torres jtorres@ese.ips.pt Janeiro de 2006 Documento de trabalho (draft), versão de 19 de Janeiro

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 O que é o PHP?... 19. Capítulo 2 Instalação do PHP... 23. Capítulo 3 Noções básicas de programação... 25

Sumário. Capítulo 1 O que é o PHP?... 19. Capítulo 2 Instalação do PHP... 23. Capítulo 3 Noções básicas de programação... 25 9 Sobre o autor... 8 Introdução... 15 Capítulo 1 O que é o PHP?... 19 Características do PHP...20 Gratuito e com código aberto...20 Embutido no HTML...20 Baseado no servidor...21 Bancos de dados...22 Portabilidade...22

Leia mais

Universidade Federal de Viçosa CPD - Central de Processamento de Dados Divisão de Desenvolvimento de Sistemas

Universidade Federal de Viçosa CPD - Central de Processamento de Dados Divisão de Desenvolvimento de Sistemas Universidade Federal de Viçosa CPD - Central de Processamento de Dados Divisão de Desenvolvimento de Sistemas Manual de padrões e convenções para desenvolvimento de sistemas PHP Versão Conteúdo 1.

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VII Acesso a Bases de Dados via Web Duração: 50 tempos Conteúdos (1) Conceitos

Leia mais

Dominando Action Script 3

Dominando Action Script 3 Dominando Action Script 3 Segunda Edição (2014) Daniel Schmitz Esse livro está à venda em http://leanpub.com/dominandoactionscript3 Essa versão foi publicada em 2014-05-02 This is a Leanpub book. Leanpub

Leia mais

Criação de uma aplicação Web ASP.NET MVC usando Code First

Criação de uma aplicação Web ASP.NET MVC usando Code First Criação de uma aplicação Web ASP.NET MVC usando Code First Visual Studio > File > New Project > (Visual C#, Web) ASP.NET MVC 4 Web Application Name: MvcApplication11 Project Template: View Engine: Internet

Leia mais

Programação WEB Introdução

Programação WEB Introdução Programação WEB Introdução Rafael Vieira Coelho IFRS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Farroupilha rafael.coelho@farroupilha.ifrs.edu.br Roteiro 1) Conceitos

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Departamento de Sistemas e Informática Projecto Final Computação na Internet Ano Lectivo 2002/2003 Portal de Jogos Executado por:

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE A EQUIPA DO PTE 2009/2010 Índice 1. Entrar na plataforma Moodle 3 2. Editar o Perfil 3 3. Configurar disciplina 4 3.1. Alterar definições 4 3.2. Inscrever alunos

Leia mais

Interagindo com Banco de Dados

Interagindo com Banco de Dados Interagindo com Banco de Dados Até agora não falamos de banco de dados, pois gostaríamos prime iro de te preparar para o uso do banco de dados dentro do Framework MVC. Mas antes de falarmos do framework

Leia mais

PACWEB Módulo de Pesquisa MANUAL DO UTILIZADOR

PACWEB Módulo de Pesquisa MANUAL DO UTILIZADOR MANUAL DO UTILIZADOR Versão 1.3 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO 3 2.1 INSTALAÇÃO 3 Instalar o Pacweb 3 Alterar o Ficheiro Default.htm 3 Criar um Virtual Directory 3 2.2 CONFIGURAÇÃO

Leia mais

Copyright 2008, 2013 da Novatec Editora Ltda.

Copyright 2008, 2013 da Novatec Editora Ltda. 4a Edição Novatec Copyright 2008, 2013 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial, por qualquer processo,

Leia mais

Visão Geral. Joomla! CMS Visão Geral! 1.5. Por Fabio Gameleira fabiogameleira@gmail.com. Joomla! Por Fabio Gameleira 1/22

Visão Geral. Joomla! CMS Visão Geral! 1.5. Por Fabio Gameleira fabiogameleira@gmail.com. Joomla! Por Fabio Gameleira 1/22 Joomla! CMS Visão Geral! 1.5 Por Fabio Gameleira fabiogameleira@gmail.com 1/22 Historico de revisões Data Versão Descrição Responsável 23/06/2006 1.0 Conteúdo inicial Fabio gameleira fabiogameleira@gmail.com

Leia mais

Módulo e-rede OpenCart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados

Módulo e-rede OpenCart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados Módulo e-rede OpenCart v1.0 Manual de Instalação do Módulo estamos todos ligados 01 02 03 04 Introdução 3 Versão 3 Requerimentos 3 Manual de instalação 4 05 06 4.1 vqmod 4 4.2 Instalação e ativação do

Leia mais

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 4 O Componente Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Ano: 03/2011

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões Prof. MSc. Hugo Souza Se você precisar manter informações sobre seus usuários enquanto eles navegam pelo seu site, ou até quando eles saem

Leia mais

Templates. Existem vários frameworks e softwares para criação de templates, sendo os mais conhecidos: Gantry, T3 e Artisteer.

Templates. Existem vários frameworks e softwares para criação de templates, sendo os mais conhecidos: Gantry, T3 e Artisteer. Templates Template ou tema, é a camada de visão de qualquer programa orientado a objetos, isto mesmo, template não é uma exclusividade do Joomla! Fim manter um padrão de nomenclatura, irei utilizar o termo

Leia mais

PHP Profissional. Alexandre Altair de Melo / Mauricio G. F. Nascimento. Editora Novatec

PHP Profissional. Alexandre Altair de Melo / Mauricio G. F. Nascimento. Editora Novatec Introdução Como a idéia deste livro é ir direto ao ponto, vou fazer isso já na introdução. A idéia desse livro não é explicar a teoria e filosofia do PHP, da orientação a objetos, as maravilhas dos design

Leia mais

DHTML - MÓDULO 1: VISÃO GERAL E INTRODUÇÃO Por Marcelo Camargo Visão geral

DHTML - MÓDULO 1: VISÃO GERAL E INTRODUÇÃO Por Marcelo Camargo Visão geral Apostila retirada de http://www.ibestmasters.com.br DHTML - MÓDULO 1: VISÃO GERAL E INTRODUÇÃO Por Marcelo Camargo Visão geral A tecnologia DHTML (Dynamic HTML) foi apresentada inicialmente como um conjunto

Leia mais

Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal)

Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal) Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal) Acessando o Sistema Para acessar a interface de colaboração de conteúdo, entre no endereço http://paginapessoal.utfpr.edu.br. No formulário

Leia mais

Sumário. 1. Instalação GVcollege... 4. 1.1. GVsetup... 4. 1.1.1. Instalação com Banco de dados... 6. 1.2. Configurações... 10

Sumário. 1. Instalação GVcollege... 4. 1.1. GVsetup... 4. 1.1.1. Instalação com Banco de dados... 6. 1.2. Configurações... 10 Sumário 1. Instalação GVcollege... 4 1.1. GVsetup... 4 1.1.1. Instalação com Banco de dados... 6 1.2. Configurações... 10 1.2.1. APS Licence Service... 11 1.2.2. APS Licence File... 11 1.2.3. DBXconfig...

Leia mais

Lisboa, 18 de Janeiro de 2004

Lisboa, 18 de Janeiro de 2004 Lisboa, 18 de Janeiro de 2004 Realizado por: o Bruno Martins Nº 17206 o Cátia Chasqueira Nº 17211 o João Almeida Nº 17230 1 Índice 1 Índice de Figuras... 3 2 Versões... 4 3 Introdução... 5 3.1 Finalidade...

Leia mais

Sensor de temperatura Parte 5 Cleiton Bueno www.cleitonbueno.wordpress.com. Preparando o ambiente do Banco de dados Mysql

Sensor de temperatura Parte 5 Cleiton Bueno www.cleitonbueno.wordpress.com. Preparando o ambiente do Banco de dados Mysql Criar database: Sensor de temperatura Parte 5 Cleiton Bueno www.cleitonbueno.wordpress.com Preparando o ambiente do Banco de dados Mysql CREATE DATABASE `tempuino` DEFAULT CHARACTER SET utf8 COLLATE utf8_bin

Leia mais

Tecnologia WEB III. Prof. Erwin Alexander Uhlmann. PHP e MySQL. UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012.

Tecnologia WEB III. Prof. Erwin Alexander Uhlmann. PHP e MySQL. UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012. Tecnologia WEB III Prof. Erwin Alexander Uhlmann PHP e MySQL UHLMANN, Erwin Alexander. Introdução ao PHP. Instituto Siegen. Guarulhos, 2012. Agradecimentos Agradeço à minha esposa Kátia por entender minha

Leia mais

Módulo: Criação de Páginas WEB

Módulo: Criação de Páginas WEB Módulo: Criação de Páginas WEB 50 Horas - Sessão 05/13 TEXTO ANIMADO O comando MARQUEE orienta o browser a definir o efeito de texto/imagem a passar no ecrã. Deve ser utilizado quando queremos dar destaque

Leia mais

Programação WEB II. Sessions e Cookies. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. Sessions e Cookies. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza Sessions e Cookies progweb2@thiagomiranda.net Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net Cookies e Sessions Geralmente, um bom projeto

Leia mais

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira WEBDESIGN Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira Formulários e JavaScript Como visto anteriormente, JavaScript pode ser usada para

Leia mais

AULA 1 PHP O QUE É APACHE FRIENDS

AULA 1 PHP O QUE É APACHE FRIENDS O QUE É PHP Se você já programa PHP, aconselho que pule para o capítulo 7 desse livro. Pois até esse capitulo iremos abordar algoritmos em PHP até a construção de uma classe com seus métodos e atributos

Leia mais

[TUTORIAL] 5 passos Convertendo HTML Template para Joomla

[TUTORIAL] 5 passos Convertendo HTML Template para Joomla 1 de 5 16/5/2012 15:21 Voce esta aqui: Inicio Fórum Seu Nome ENTRAR Esqueceu Senha? Registrar-se Inicio Fórum Comunidade Templates Extensões Cursos Joomla Docs Matérias Fórum Registrar Entrar Pesquisar

Leia mais

Programação Web com PHP. Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web

Programação Web com PHP. Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web Programação Web com PHP Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web Agenda O que é PHP? O que da pra fazer com PHP? Como a web funciona? Onde, quando e por que

Leia mais

Manual Portal PADRÃO. Gerenciador de Temas: Editar Estilo. 1. Clique na aba Extensões e em seguida em Gerenciador de Temas.-

Manual Portal PADRÃO. Gerenciador de Temas: Editar Estilo. 1. Clique na aba Extensões e em seguida em Gerenciador de Temas.- Manual Portal PADRÃO Gerenciador de Temas: Editar Estilo 1. Clique na aba Extensões e em seguida em Gerenciador de Temas.- 1 2 2. Selecione o link padraogoverno01 Default. 3. Abrirá a seguinte tela: 4.

Leia mais

Potenciais de Aplicação da Metodologia AJAX

Potenciais de Aplicação da Metodologia AJAX SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Potenciais de Aplicação da Metodologia AJAX Bruno Simões Kleverson Pereira Marcos Santos Eduardo Barrere Associação Educacional Dom Bosco - AEDB RESUMO

Leia mais

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID Este material pertence a Carlos A. Majer, Professor da Unidade Curricular: Aplicações Corporativas da Universidade Cidade de São Paulo UNICID Licença de Uso Este trabalho está licenciado sob uma Licença

Leia mais

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo Departamento de Engenharia Informática 2014/2015 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA. Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado

A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA. Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado O Plano Tecnológico da Educação (PTE), aprovado pela Resolução de

Leia mais

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Alunos: Justino Santos, Paulo Neto E-mail: eic10428@student.estg.ipleiria.pt, eic10438@student.estg.ipleiria.pt Orientadores: Prof. Filipe Neves, Prof. Paulo Costa

Leia mais

Introdução resumida ao Active Directory (AD)

Introdução resumida ao Active Directory (AD) Introdução resumida ao Active Directory (AD) Nuno Alexandre Magalhães Pereira; Novembro de 2004. O Active Directory (AD) é, com toda a certeza, o componente mais importante do Windows 2000/2003 (W2K/2K3).

Leia mais

Enunciado de apresentação do projecto

Enunciado de apresentação do projecto Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2 o Semestre de 2009/2010 Enunciado de apresentação do projecto FEARSe Índice 1 Introdução... 2 2 Cenário de Enquadramento... 2 2.1 Requisitos funcionais...

Leia mais

Desenvolvimento Web. Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas. http://www.saymonyury.com.br

Desenvolvimento Web. Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas. http://www.saymonyury.com.br Desenvolvimento Web Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas http://www.saymonyury.com.br Vantagens Informação em qualquer hora e lugar; Rápidos resultados; Portabilidade absoluta; Manutenção facilitada

Leia mais

Introdução a PHP (Um Programa PHP)

Introdução a PHP (Um Programa PHP) Desenvolvimento Web III Introdução a PHP (Um Programa PHP) Prof. Mauro Lopes 1-31 16 Objetivos Nesta aula iremos trazer alguns conceitos básicos sobre PHP. Iremos trabalhar conceitos como server side scripts

Leia mais

BIS-Navigator. Add-In for Excel

BIS-Navigator. Add-In for Excel BIS-Navigator Add-In for Excel Manual do Utilizador V3.0 - Português Fev 2006 Publicado por Solutions for Informations Technologies Copyright 2000 da Solutions for Informations Technologies ou suas subsidiárias,

Leia mais

Data última actualização: 20-06-2014. Instalação E-Portals

Data última actualização: 20-06-2014. Instalação E-Portals Data última actualização: 20-06-2014 Instalação E-Portals 1. Conteúdo 1. Conteúdo... 2 2. Instalação e Manutenção do EPT... 3 3. Configuração de perfis de sincronização... 6 3.1 Módulos Oficinas, GCE e

Leia mais

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 -

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 - 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de Gestão de Conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 Í N D I C E Capítulo 1 - O Início de Tudo 1 Reunindo todas as informações necessárias 2 Instalando o Visual FoxPro 2 Configurando o Visual FoxPro 7 Capítulo

Leia mais

Esse manual é um conjunto de perguntas e respostas para usuários(as) do Joomla! 1.5.

Esse manual é um conjunto de perguntas e respostas para usuários(as) do Joomla! 1.5. Esse manual é um conjunto de perguntas e respostas para usuários(as) do Joomla! 1.5. Ele considera que você já tem o Joomla! instalado no seu computador. Caso você queira utilizá lo em um servidor na web,

Leia mais

ZS Rest. Manual Avançado. Instalação em Rede. v2011

ZS Rest. Manual Avançado. Instalação em Rede. v2011 Manual Avançado Instalação em Rede v2011 1 1. Índice 2. Introdução... 2 3. Hardware... 3 b) Servidor:... 3 c) Rede:... 3 d) Pontos de Venda... 4 4. SQL Server... 5 e) Configurar porta estática:... 5 5.

Leia mais

Lista de Revisão. 3. Analise a afirmativa a seguir como verdadeira ou falsa e justifique.

Lista de Revisão. 3. Analise a afirmativa a seguir como verdadeira ou falsa e justifique. Lista de Revisão 1. Nos sistemas web, geralmente os usuários apresentam dois problemas típicos, a desorientação e a sobrecarga cognitiva. Discorra sobre esses problemas. 2. Apresente as principais diferenças

Leia mais

Itens de Conteúdo Estático (para os itens estáticos). - Super Administrator: está acima do Administrador, podendo

Itens de Conteúdo Estático (para os itens estáticos). - Super Administrator: está acima do Administrador, podendo 58 :: tutorial Joomla!, mãos à obra! - Parte 1/4 Por Bruno Viana (webdeveloper e pesquisador), Diego Maia (webdesigner), Julio Pontes (webdeveloper) e W.Gabriel de Oliveira (gerente de marketing, pesquisador

Leia mais

O atacante pode roubar a sessão de um usuário legítimo do sistema, que esteja previamente autenticado e realizar operações que o mesmo poderia.

O atacante pode roubar a sessão de um usuário legítimo do sistema, que esteja previamente autenticado e realizar operações que o mesmo poderia. Explorando e tratando a falha de Cross-site-scripting (XSS) 1 D E D E Z E M B R O D E 2 0 1 5 Muito pouco falada e com alto nível crítico dentro das vulnerabilidades relatadas, o Cross-site-scripting (XSS)

Leia mais

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo Departamento de Engenharia Informática 2012/2013 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

Status Enterprise Guia do Usuário. Parte 12 Serviço de conector de Dados

Status Enterprise Guia do Usuário. Parte 12 Serviço de conector de Dados Guia do Usuário Parte 12 Serviço de conector de Dados Conteúdos 1 INTRODUÇÃO... 4 1.1 Descrição do Serviço conector de Dados ou Data com nector... 4 2 CRIAR UMA CONFIGURAÇÃO DE ENLACE DE DADOS... 5 2.1

Leia mais

4.2. UML Diagramas de classes

4.2. UML Diagramas de classes Engenharia de Software 4.2. UML Diagramas de classes Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Um diagrama de classes serve para modelar o vocabulário de um sistema Construído e refinado ao longo

Leia mais

Módulo e-rede VirtueMart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados

Módulo e-rede VirtueMart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados Módulo e-rede VirtueMart v1.0 Manual de Instalação do Módulo estamos todos ligados 01 02 03 04 Introdução 3 Versão 3 Requerimentos 3 Manual de instalação 4 05 06 4.1 Permissões 4 4.2 Instalação e ativação

Leia mais

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP Programação WEB Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida Aula III Introdução PHP Introdução PHP PHP=Hypertext Pre-Processor Linguagem de script open

Leia mais

Programação para Internet

Programação para Internet Programação para Internet Aula 09 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos

Leia mais

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11 Índice Parte 1 - Introdução 2 Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4 Parte 2 Desenvolvimento 5 Primeiros passos com o e-best Learning 6 Como aceder à plataforma e-best Learning?... 6 Depois

Leia mais

P S I 2. º A N O F 5 M E S T R E / D E T A L H E E P E S Q U I S A. Criar uma relação mestre-detalhe. Pesquisa de informação

P S I 2. º A N O F 5 M E S T R E / D E T A L H E E P E S Q U I S A. Criar uma relação mestre-detalhe. Pesquisa de informação P S I 2. º A N O F 5 M E S T R E / D E T A L H E E P E S Q U I S A Módulo 18 Ferramentas de Desenvolvimento de Páginas Web Criar uma relação mestre-detalhe 1. Cria uma cópia da página «listaferram.php»

Leia mais