Instalações para pequenos ruminantes. Profª Maiana Visoná de Oliveira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instalações para pequenos ruminantes. Profª Maiana Visoná de Oliveira"

Transcrição

1 Instalações para pequenos ruminantes Profª Maiana Visoná de Oliveira

2 Sistemas de criação Irão influenciar diretamente as instalações; Extensivo Semi - extensivo Intensivo

3 Aprisco Bem estar Viabilidade econômica Facilidade de manejo Divisão por categoria Segurança?

4 Aprisco Existe a melhor instalação? Instalações pré-existentes Pocilgas Barracões Galpões

5 Localização Locais secos e ventilados Sem correntes de vento fortes Próximo à casa do tratador Cabeceiras no sentido norte-sul

6

7 Não economizar em: Altura do pé direito Largura dos corredores Área por animal

8 Tipo Galpão Baia modular

9 Galpão Instalação com ou sem divisórias que protege o rebanho contra fatores climáticos Pé direito = mínimo 3 m com piso de chão e 3,5 m para piso ripado

10 Galpão Com divisórias: Individuais Coletivas Maternidade Reprodutores

11

12 Baia modular Individual ou coletiva Menor custo Permite ampliação Piso ripado ou de chão batido

13

14 Escolha do material Boa qualidade Disponibilidade na região Finalidade da atividade

15 Telhado Relação custo benefício Conforto ambiental Fácil aquisição local Fácil construção e manutenção

16 Telha de amianto Pouco eficaz como isolante térmico Pintada de branco por fora Durabilidade média Baixo custo

17 Telha de amianto Fácil manutenção Deve estar bem fixada Não requer mão de obra especializada para construção e manutenção

18 Telha de barro Muito eficaz como isolante térmico Alta durabilidade Maior custo Fácil manutenção

19 Telha de barro Requer mão-de-obra especializada Estrutura de sustentação mais robusta

20 Cobertura de palha ou sapé Eficaz como isolante térmico Quando disponível viável economicamente Mão de obra especializada

21 Cobertura de palha ou sapé Pouca durabilidade Pode contrair pragas Risco de incêndio

22 Telha de zinco Muito barulho nas chuvas Alta absorção e difusão de raios solares para o interior do aprisco

23 Estrutura Corresponde ao esqueleto de sustentação Deve ser: Resistente Sólida Durável Segura

24 Estrutura de madeira Durabilidade e manutenção proporcionais à qualidade da madeira Mão-de-obra Disponibilidade na região Possibilita desmontagem

25 Estrutura de alvenaria Construída com tijolos, concreto e ferragem estrutural Alta durabilidade Pouca manutenção

26 Estrutura de alvenaria Mão-de-obra especializada Não possibilita desmontagem

27 Estrutura pré-moldada Construída com pilares e vigas de concreto prémoldado Fácil e rápida construção Alta durabilidade Pouca manutenção

28 Estrutura pré-moldada Mão-de-obra especializada Não possibilita desmontagem

29 Estrutura metálica Confeccionada com pilares e vigas metálicas Fácil e rápida construção Alta durabilidade Pouca manutenção

30 Estrutura metálica Mão-de-obra especializada Possibilita desmontagem Risco de oxidação = sapatas de concreto

31 Paredes ou fechamento Isolam os ambientes interno e externo e entre as baias Barra passagem de animais, vento e chuvas

32 Paredes ou fechamento Cabeceiras = Total Laterais = altura mín de 1,2 m e máx de 1,4 m Proteção contra correntes de vento sem impedir ventilação

33 Com madeira Durabilidade e manutenção proporcionais à qualidade: Da madeira Da mão-de-obra Se devidamente projetada permite desmontagem

34 Com alvenaria Construído com tijolos Alta durabilidade Pouca manutenção

35 Com alvenaria Mão-de-obra especializada É permanente Não permite remodelagem

36 Com bambu Baixo custo quando disponível na região Tempo longo para construção Bambu deve ser colhido na época da seca e secado à sombra Aumentar resistência e durabilidade

37 Com bambu

38 Placas pré-moldadas Rápida construção Alta durabilidade Pouca manutenção

39 Placas pré-moldadas Mão-de-obra especializada É fixado com cimento Não permite desmontagem

40 Com telas Utilizado nas laterais Permite insolação dos animais Requer utilização de cortinas Pode ser utilizado na divisão das baias

41 Com telas Não requer mão-de-obra especializada Instalações e manutenções fáceis Baixo custo

42 Com arames Requer grande número de fios e esticadores O que pode encarecer sua construção Manutenções periódicas Evitar arames farpados

43 Cortinas Categoria jovem muito sensível às intempéries Colocadas na parte inferior ou superior das instalações Varia de acordo com a necessidade Distantes dos animais

44 Cortinas

45 Tipo de piso Fezes sob fermentação = grande produção de gases e umidade Enfermidades no sistema respiratório Deve ser de boa drenagem e fácil limpeza

46 Ripado Menor contato dos animais com fezes, urina e umidade Custo inicial mais alto Recompensado pelo baixo uso de medicamentos

47 Ripado Evita gasto com uso de cama e com mão-de-obra para troca periódica Mais utilizado em criações intensivas Para animais de alto valor zootécnico

48 Ripado Sua funcionalidade depende: Altura do chão até o piso ripado (mínimo 1,5 m) Distância entre as ripas Largura Espessura Sentido Qualidade da madeira

49 Ripado No caso de instalações pré-existentes deve possibilitar altura adequada do piso ripado Caso contrário escolher outro tipo de piso Deve ser uniforme com medidas corretas Problemas de aprumo, fraturas e retenção de fezes

50 Ripado Largura = 4 5 cm Espessura = 1 cm Espaçamento = 1,5 cm Sentido = paralelo ao cocho

51 Ripado Evitar o acesso dos animais ao local abaixo do aprisco A rampa para acesso ao interior não deve ser muito inclinada Cercar a área

52

53 Chão batido Bastante utilizado Baixo custo Requer limpezas periódicas Maior contato com fezes, urina e umidade

54 Cimentado Somente em instalações pré-existentes Alto custo Não possui drenagem Diminui vida útil da cama

55 Cama de revestimento Colocado sobre o piso de chão batido ou cimentado Proporciona maior conforto térmico e melhor sanidade Sua espessura deve ser suficiente para absorver a umidade e cobrir toda a área do piso Periodicidade da troca = depende!

56 Cama de revestimento Maravalha de madeira Serragem (não muito fina) Palha de arroz Casca de café Areia Casca de braquiária Palhadas de capim picado

57

58 Medidas padrão Ovinos Indicadores Fonte: Gouveia et al. (2007) Piso de chão (m²/animal) Carneiro 4,0 Ovelhas Secas 1,25 Ovelhas com cria ao pé 2,5 Cordeiros com creep 0,5 Cordeiros confinados 0,8 Solário para reprodutor 6,0

59 Medidas padrão Caprinos Indicadores Fonte: Criar e Plantar (2011) Piso de chão (m²/animal) Bode 3,0 Cabras Secas e em Lactação 2,0 Maternidade 4,0 Cabritos 0,5 Cabritas em recria 1,5 Solário para reprodutor 5,0

60 Corredor de circulação Destinada à circulação do tratador Passagem com carrinho de mão, carretas ou pequenos tratores Distribuição de alimento ou remoção de esterco Largura indicada = 2 m

61

62 Instalação de energia elétrica Possibilita utilização: Máquina de tosquia Ultra som Microscópio Aquecedor Possibilita algum procedimento noturno

63 Solário Área descoberta junto das baias de livre acesso Pode servir como área de manejo Deve ser cercado 1,2 1,4 m de altura

64 Solário Ovinos 2 m² por matriz 6 m² por reprodutor 1 m² por cordeiro em recria

65 Solário Caprinos 6 m² por matriz 5 m² por reprodutor 2 m² por cabrito em recria

66

67

68 SEM VEGETAÇÃO!!!! Solário

69 Esterqueira Depósito de esterco retirado das instalações Localizada no mínimo a 50 m de distância do aprisco Produção de adubo orgânico Sanidade das instalações

70 Esterqueira Coberta reduz perdas por lixiviação Período mínimo para fermentação = 60 dias Não permitir acesso dos animais

71 Instalação dos comedouros Preferencialmente externos às baias: Facilidade do manejo (fornecimento de alimento) Menor contaminação Eimeriose Quando não for possível a instalação externa, adaptar barras de proteção

72

73 Eimeriose Infecção é contraída através da ingestão dos oocistos esporulados na água e alimentos contaminados Grande importância econômica para categoria jovem Síndrome da má absorção Animal infectado levará tempo adicional para atingir o peso de um animal não infectado = $

74 Eimeriose Sinais clínicos: Diarréia (podendo conter muco ou sangue) Desidratação Baixa conversão alimentar Baixo ganho de peso médio diário Emagrecimento progressivo Fraqueza Morte

75

76

77

78 Instalação dos comedouros Resistentes Fácil limpeza Podem ser de: Madeira Alvenaria Tambor plástico Tubos de PVC Cimento

79

80

81 Espaçamento comedouros Ovinos Categoria cm/animal Carneiro 35 a 40 Ovelhas secas 35 a 40 Ovelhas gestantes 35 a 40 Ovelhas com cordeiro 40 a 50 Cordeiros em creep 15 Cordeiros confinados 20 a 30

82 Espaçamento comedouros Caprinos Categoria cm/animal 3 6 meses meses Cabras Adultas Reprodutores 50

83 Saleiro Suplementação mineral dos animais Dimensões: 30 a 40 cm de altura do piso 20 cm de profundidade 30 cm de largura Comprimento não superior a 1 m Extensivamente devem ser cobertos e distribuídos nos piquetes

84 Saleiro A mistura mineral deve ser fornecida de forma contínua Consumo médio animal/dia = g Produto ESPECÍFICO para pequenos ruminantes

85 Microelemento Nível recomendado (ppm) Nível tóxico para ovino (ppm) Cobalto 0,1 10 Cobre Iodo 0,2 a 0,8 8 Manganês Selênio 0,1 0,5 Zinco

86

87

88

89 Creep feeding Pequeno cercado para alimentação exclusiva de animais jovens Pode ser utilizado no aprisco ou no piquete Utilizado sempre que mães e crias permanecem no mesmo espaço

90

91

92 Fenil Pode ser feito de: Ripas de madeira Barras de ferro Tela Fios de nylon ou de algodão Fica sempre elevado

93

94 Bebedouros Deve levar em consideração todos os gastos com água da propriedade Limpeza e higiene geral Reservatórios devem ser capazes de suprir necessidades diárias

95 Bebedouros Água deve estar na temperatura ambiente Limpa Eu beberia esta água?

96 Bebedouros Sempre acima da cauda do animal Se necessário colocar degrau Recomendação fora das baias (Lembrar da Eimeriose!)

97

98

99

100

101

102 Sala ou plataforma de ordenha Tipos: Ordenha lateral Ordenha por trás Rebanhos menores utilizar a plataforma

103

104

105 Curral ou centro de manejo Inclui várias instalações e centraliza atividades de manejo Exemplos: Vermifugação Vacinação Pesagem Observação do rebanho Tosquia Casqueamento

106 Curral ou centro de manejo 1 2 m²/animal Curral de espera Seringa Brete

107 Porteiras De preferência abrir para os dois lados Madeira ou metal Espaçamentos que não permitam passagem dos filhotes 1,1 m de altura

108 Pedilúvio Tanque construído para desinfecção dos cascos Implantado na entrada do brete ou no próprio brete Profundidade de 10 cm Comprimento de 2 m

109

110 Seringa Área no curral que se afunila Facilita a entrada do animais no brete Coberta para permitir o trabalho em dias de chuva e proteger contra o sol

111

112 Brete Corredor estreito Possibilitam a contenção dos animais para manejo Deve ser centralizado com fácil acesso aos animais

113 Brete Mais comum: 8 m de comprimento 0,3 m de largura na base 0,4 m de largura na parte superior 0,9 m de altura Paredes laterais de madeira unidas

114

115 Tronco Dispositivo localizado após o brete para contenção mais efetiva

116

117 Balança Indispensável para manejo de animais destinados à produção de carne Conferir se o manejo adotado está dentro das perspectivas de produção Obtenção de dados seguros

118 Balança Saída do brete Abrigada por cobertura Pode ser fixa ou móvel Precisão ideal de 100g

119

120

121

122 Embarcadouro e Desembarcadouro Evita acidentes Facilita o manejo Corredor estreito com rampa

123 Embarcadouro e Desembarcadouro Medidas: 0,6 m de largura 1,2 m de altura 4 m de comprimento 1,4 m de altura nas cercas laterais

124

125 Currais de apartação Animais vindos do brete Apartação de lotes Animais com diferentes destinos

126 Banheira sarnicida Muito utilizada em rebanhos produtores de lã Estrutura de alto custo Substituível por pulverização e uso de antiparasitários sistêmicos

127

128 Demarcação dos piquetes Divisões da área de pastagem conforme o tamanho do rebanho Deve ser suficiente para dividir o rebanho em categorias Permitir rotação

129 Altura mínima de 1,2 m Cercas Arame liso ou farpado Tela Estaca de madeira ou bambu Cercas eletrificadas

130 Cercas com Tela Campestre Vantagens: Estacas usadas de 10 em 10 m Fácil instalação Rápida construção (economia de mão-de-obra) Se bem esticada a contenção é eficiente

131 Cercas com Tela Campestre Desvantagem: Custo inicial mais alto quando comparada à eletrificada

132

133 Cercas com Tela Hexagonal: Muito eficiente Alto custo Altura padrão de 1 m

134 Cercas com arame Podem ser feitas com arame liso ou farpado

135 Arame farpado Vantagem: Mão-de-obra fácil de encontrar para a sua construção

136 Arame farpado Desvantagens: Custo elevado (muitos fios) Grande consumo de madeira (a cada 2 ou 3 m) Danificação do couro dos animais

137 Arame liso Vantagens: Não fere os animais Maior facilidade de manutenção

138 Arame liso Desvantagens: Custo elevado (muitos fios) Grande consumo de madeira (a cada 3 ou 4 m) Requer mão-de-obra especializada

139 Eletrificada Voltagem deve ser alta Caprinos = 3000 volts Ovinos = 5000 volts

140 Eletrificada Vantagens: Custo inicial mais baixo Não fere os animais Menos madeiras Fácil implantação Alguns modelos móveis

141 Eletrificada Desvantagens: Mão-de-obra especializada Necessita de energia elétrica São utilizados 4 6 fios sendo 3 ou 4 eletrificados e isolados

142 Eletrificada Desvantagens: Quedas de tensão podem queimar o aparelho Manutenção constante Ovinos tem pouca sensibilidade ao choque

143

144 Cerca viva Formada por vegetação densa Usada na divisão de piquetes ou de propriedades Funcionam como quebra-vento

145 Instalações anexas Área de isolamento Quarentenário Depósito de ração Silos Depósito de feno Farmácia e escritório Laboratório de biotecnologia da reprodução

146 Abrigar animais doentes Área de isolamento Paredes com fácil limpeza Deve estar distante do aprisco Bem estar e boas condições de higiene

147 Quarentenário Local para observação de animais adquiridos 30 a 40 dias Instalação afastada Animais isolados

148 Depósito de ração Atenção para controle de roedores Local arejado Limpezas periódicas Utilização de pallets e tambores

149 Silos Visam a conservação da forrageira Isolados dos animais (cercas) Lonas devem estar intactas

150 Seco e bem ventilado Depósito de feno Normalmente é armazenado no depósito de ração Evitar o contato com as paredes Pallets

151 Farmácia Medicamentos básicos de uso rotineiro: AIE AINES Analgésicos Antibióticos Sulfas, etc

152 Escritório Armazenagem de arquivos de registro Escrituração zootécnica

153 Laboratório de biotecnologia da reprodução Transferência de embriões Inseminações Pisos e paredes de fácil higienização Temperatura e luminosidade controladas

154

155

156 Referências GOUVEIA, A. M. G.; ARAÚJO, E. C.; ULHOA, M. F. P. Instalações para a criação de ovinos tipo corte nas regiões Centro-Oeste e Sudeste do Brasil Brasília (DF):LK Editora e Comunicação, RIBEIRO, S. D. A. Caprinocultura: Criação Racional de Caprinos São Pauloi: Nobel, 1997.

Profa. Dra. Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Ovinocultura 2013

Profa. Dra. Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Ovinocultura 2013 INSTALAÇÕES PARA OVINOS Profa. Dra. Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Ovinocultura 2013 Temperaturas e ZCT Cordeiros TCI 6oC ; TCS 34oC ; ZCT 25 a 30oC (Baêta e Souza,1997) Ovinos adultos TCI -20

Leia mais

Instalações para Bovinos de Corte. Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti

Instalações para Bovinos de Corte. Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti Instalações para Bovinos de Corte Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti Aspectos gerais As instalações adequadas facilitam o bom manejo do rebanho, devendo ser bem planejadas, projetadas e construídas,

Leia mais

Comunicado Técnico 01

Comunicado Técnico 01 Comunicado Técnico 01 Sistema Intensivo de Suínos Criados ao Ar Livre (Siscal) Instruções Técnicas para Implantação. Responsável: Evandro José Rigo Zootecnista; MSc. Produção Animal; Professor FAZU evandro@fazu.br

Leia mais

Um projeto de curral para o manejo de bovinos de corte: reduzindo os custos e melhorando o bem estar animal e a eficiência do trabalho.

Um projeto de curral para o manejo de bovinos de corte: reduzindo os custos e melhorando o bem estar animal e a eficiência do trabalho. Um projeto de curral para o manejo de bovinos de corte: reduzindo os custos e melhorando o bem estar animal e a eficiência do trabalho. Mateus J.R. Paranhos da Costa (Grupo ETCO, Departamento de Zootecnia,

Leia mais

Introdução... 3. Informações importantes para o planejamento e instalação de. confinamentos... 6. Setores de um confinamento... 6

Introdução... 3. Informações importantes para o planejamento e instalação de. confinamentos... 6. Setores de um confinamento... 6 Sumário Introdução... 3 Informações importantes para o planejamento e instalação de confinamentos... 6 Setores de um confinamento... 6 Áreas do confinamento... 7 Área de Manejo... 7 Área de Alimentação...

Leia mais

CRIAÇÃO DE CABRAS LEITEIRAS

CRIAÇÃO DE CABRAS LEITEIRAS CRIAÇÃO DE CABRAS LEITEIRAS PRINCIPIOS E RECOMENDAÇÕES ATIVIDADE CAPRINOCULTURA LEITEIRA É UM DOS RAMOS QUE MAIS TEM SE DESENVOLVIDO NO PAÍS, SENDO UMA OPÇÃO VIÁVEL AO PEQUENO PRODUTOR DE LEITE DE VACA,

Leia mais

Questionário Para Seguro de Rebanho Ovinos

Questionário Para Seguro de Rebanho Ovinos Questionário Para Seguro de Rebanho Ovinos 1 - Propriedade: Proprietário: Profissão: Telefone: Nome da Fazenda: Endereço da Fazenda: Roteiro de acesso completo: Confrontações: Norte: Sul: Leste: Oeste:

Leia mais

Benefícios e Pontos Críticos da Implantação do Sistema de Pressão Negativa para Frangos de Corte

Benefícios e Pontos Críticos da Implantação do Sistema de Pressão Negativa para Frangos de Corte Benefícios e Pontos Críticos da Implantação do Sistema de Pressão Negativa para Frangos de Corte Sebastião Florêncio Pereira Neto CRMV-SP 20766 Itabom - SP Pontos Primordiais para a Produção de Frangos

Leia mais

07/12/2012. Localização das instalações. Localização das instalações. Localização das instalações. Trajeto do sol sobre o barracão

07/12/2012. Localização das instalações. Localização das instalações. Localização das instalações. Trajeto do sol sobre o barracão Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Instalações Planejamento da atividade Considerações: Capacidade de investimento do produtor; Viabilidade

Leia mais

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível,

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível, TIJOLOS ECOLÓGICOS Casa construída com tijolos ecológicos Fonte: paoeecologia.wordpress.com TIJOLOS ECOLÓGICOS CARACTERÍSTICAS São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE Nos primeiros meses de vida os bezerros obtêm grande parte dos nutrientes de que precisa do leite materno, que é de fácil digestão para o animal que ainda é jovem. Em

Leia mais

Técnico. Cerca Elétrica para a Contencão Animal. üture, ISSN 7517-4077 Novembro, 2007 Macapá, AP

Técnico. Cerca Elétrica para a Contencão Animal. üture, ISSN 7517-4077 Novembro, 2007 Macapá, AP üture, mentb Técnico ISSN 7517-4077 Novembro, 007 Macapá, AP Cerca Elétrica para a Contencão Animal JI -. 0"0', Paulo Roberto de Lima Meirelles' A cerca eletrificada é um recurso utilizado nos Estados

Leia mais

Telha GraviColor. Sofisticação acima de tudo.

Telha GraviColor. Sofisticação acima de tudo. Telha GraviColor Sofisticação acima de tudo. Telhas GraviColor Estilo, inovação e qualidade. As telhas GraviColor chegam ao mercado trazendo o rústico com design inovador, dando um toque de sofisticação

Leia mais

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br QUEM SOMOS Localizada em Montes Claros, norte de Minas Gerais, a BIOCAMPO Assistência Veterinária foi fundada em 2010 e atua na área de Reprodução Bovina.

Leia mais

Modelo SOLO900 SOLO700 TOPO700. Carga máx. 3000 kg o par 3000 kg o par 3000 kg o par. 726 mm. 702 mm (linha superior) ( 702 mm)

Modelo SOLO900 SOLO700 TOPO700. Carga máx. 3000 kg o par 3000 kg o par 3000 kg o par. 726 mm. 702 mm (linha superior) ( 702 mm) Barras de Pesagem Beckhauser Manual do Usuário Conheça seu equipamento em detalhes e saiba como aproveitar todo seu potencial no manejo. Leia atentamente este Manual antes de utilizar o produto e antes

Leia mais

TRANSPORTE COLETIVO URBANO

TRANSPORTE COLETIVO URBANO TRANSPORTE COLETIVO URBANO ABRIGOS PARA PONTOS DE PARADA PROJETO ARQUITETÔNICO Julho 2007 PARADAS DE ÔNIBUS Memorial Justificativo A proposta é a construção de mobiliário urbano para abrigo da população

Leia mais

ONG AIAS Caprinos & Ovinos

ONG AIAS Caprinos & Ovinos Infra-estrutura Embrapa Caprinos Sistemas de Produção, No. 01 ISSN 9999-9999 Versão Eletrônica Jun/2005 A infra-estrutura de um sistema de produção de carne caprina e ovina para a região Nordeste envolve

Leia mais

SISTEMA INTENSIVO DE SUÍNOS CRIADOS AO AR LIVRE SISCAL: CABANAS DE MATERNIDADE

SISTEMA INTENSIVO DE SUÍNOS CRIADOS AO AR LIVRE SISCAL: CABANAS DE MATERNIDADE ISSN 0100-8862 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Suínos e Aves Ministerio da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Caixa Postal 21, 89700-000, Concórdia, SC Telefone:

Leia mais

UHE TIJUCO ALTO BLOCO III PESQUISA DAS UNIDADES DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIAS

UHE TIJUCO ALTO BLOCO III PESQUISA DAS UNIDADES DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIAS 1 NDF UPA Item (C) do BLOCO I {NDF + (A) 0 + (B)} Nº do Imóvel NDF (A) 0 (B) Entrevistador Data / / Município Estado UHE TIJUCO ALTO BLOCO III PESQUISA DAS UNIDADES DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIAS 1. Caracterizar

Leia mais

SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE

SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE SeGurança para produzir mais e melhor! Programa Qualidade Total: SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE Autor: Eng. Agr., Dr. Mikael Neumann Ano: 2009 SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE Mikael Neumann 1 1

Leia mais

Instalações para caprinos e ovinos

Instalações para caprinos e ovinos Instalações para caprinos e ovinos Professor: Aparecido Porto da Costa Disciplina: Caprinovinocultura E-mail: aparecidoport@hotmail.com Introdução As instalações e equipamentos são de fundamental importância

Leia mais

Mai/2010. Cama de Aviário. shaping tomorrow s nutrition

Mai/2010. Cama de Aviário. shaping tomorrow s nutrition Mai/2010 Cama de Aviário Cama de Aviário Introdução O objetivo do uso da cama de aviário é evitar o contato direto da ave com o piso, servir de substrato para a absorção da água, incorporação das fezes

Leia mais

VII - ARMAZENAMENTO. Os seguintes aspectos devem ser observados na construção de paióis:

VII - ARMAZENAMENTO. Os seguintes aspectos devem ser observados na construção de paióis: VII - ARMAZENAMENTO Renato de Alencar Fontes 1. INTRODUÇÃO o armazenamento de milho nas propriedades, à espera de melhores preços ou para o consumo gradual na entressafra é, de modo geral, realizado em

Leia mais

Construções Rurais. Prof. João Marcelo

Construções Rurais. Prof. João Marcelo Construções Rurais Prof. João Marcelo Concreto misturado à mão O concreto armado ou estrutural Trabalhos preliminares São os trabalhos iniciais : elaboração do programa, escolha

Leia mais

NR-24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO

NR-24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO NR-24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Órgão Responsável pelo Estabelecimento Endereço CNAE Inspetor (es) DADOS DA INSPEÇÃO Estabelecimento Contato Numero de Servidores Referências

Leia mais

Olericultura. A Cultura do Morango. Nome Cultura do Morango Produto Informação Tecnológica Data Janeiro -2001 Preço - Linha Olericultura Resenha

Olericultura. A Cultura do Morango. Nome Cultura do Morango Produto Informação Tecnológica Data Janeiro -2001 Preço - Linha Olericultura Resenha 1 de 6 10/16/aaaa 11:54 Olericultura A Cultura do Morango Nome Cultura do Morango Produto Informação Tecnológica Data Janeiro -2001 Preço - Linha Olericultura Resenha Informações gerais sobre a Cultura

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS DE INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS PARA FÁBRICAS DE CONSERVAS DE OVOS

NORMAS TÉCNICAS DE INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS PARA FÁBRICAS DE CONSERVAS DE OVOS SECRETARIA DA AGRICULTURA E ABASTECIMENTO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO ANIMAL COORDENADORIA DE INSPEÇÃO SANITÁRIA DOS PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL - C I S P O A - NORMAS TÉCNICAS

Leia mais

A Importância dos Projetos de Sistemas de Proteções Coletivas Engº José Carlos de Arruda Sampaio

A Importância dos Projetos de Sistemas de Proteções Coletivas Engº José Carlos de Arruda Sampaio A Importância dos Projetos de Sistemas de Proteções Coletivas Engº José Carlos de Arruda Sampaio Ciclo de Vida do Empreendimento: Todos os empreendimentos tem um ciclo de vida - têm um início, um crescimento

Leia mais

sport PLAST Manual Técnico

sport PLAST Manual Técnico sport PLAST Manual Técnico sport PLAST Piso Modular Esportivo Com a crescente necessidade de evitar o descarte de materiais na natureza, o plástico reciclável adquiriu notoriedade e reconhecimento. Por

Leia mais

USO DO CREEP FEEDING NA CRIAÇÃO DE OVINOS E CAPRINOS

USO DO CREEP FEEDING NA CRIAÇÃO DE OVINOS E CAPRINOS USO DO CREEP FEEDING NA CRIAÇÃO DE OVINOS E CAPRINOS José Neuman Miranda Neiva 1, Maria Andréa Borges Cavalcante 2 e Marcos Cláudio Pinheiro Rogério 3 1 Professor do Depto. de Zootecnia da Universidade

Leia mais

ECOFOGÃO MODELO CAMPESTRE 2. Manual de instalação, uso e manutenção.

ECOFOGÃO MODELO CAMPESTRE 2. Manual de instalação, uso e manutenção. ECOFOGÃO MODELO CAMPESTRE 2 Manual de instalação, uso e manutenção. Parabéns, ao adquirir o Ecofogão, você tem em mãos uma das tecnologias mais simples, eficiente e limpa atualmente disponível, para o

Leia mais

Vestiários - Obrigatoriedade ( armários individuais - separação de sexos )

Vestiários - Obrigatoriedade ( armários individuais - separação de sexos ) Vestiários - Obrigatoriedade ( armários individuais - separação de sexos ) ONDE: Estabelecimentos industriais Se exige troca de roupa; Seja imposto o uso de uniforme ou guarda-pó. A localização do vestiário,

Leia mais

Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo. Sítio. Área do sítio

Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo. Sítio. Área do sítio OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA RECUPERAÇÃO DE CERCA OPERACIONAL, IMPLANTAÇÃO DA CERCA DE SERVIDÃO, COMPLEMENTAÇÃO DA CERCA PATRIMONIAL E SERVIÇOS COMPLEMENTARES

Leia mais

Construção do 2º andar sobre a recepção da AEAARP

Construção do 2º andar sobre a recepção da AEAARP Construção do 2º andar sobre a recepção da AEAARP 2ª Semana de Tecnologia da Construção Abril 2011 1 1-) Premissas Construtivas: 1-1) Manutenção do andar existente 1-2) Executar estruturas de apoio independentes

Leia mais

DEPARTAMENTO DE PATRIMÔNIO IMOBILIÁRIO DPI.E AHE SANTO ANTÔNIO CADERNO DE VALORES

DEPARTAMENTO DE PATRIMÔNIO IMOBILIÁRIO DPI.E AHE SANTO ANTÔNIO CADERNO DE VALORES UNITÁRIOS PARA CONSTRUÇÕES GRUPO 02 - CANTEIRO DE OBRA E MATERIAIS BÁSICOS 02520822 Abertura manual de poço de água e outros, Ø 1,20 m, prof. acima de 2 m m 172,73 02520821 Abertura manual de poço de água

Leia mais

Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Disciplina: Bovinos de corte

Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Disciplina: Bovinos de corte Universidade Comunitária da Região de Chapecó Área de Ciências Exatas e Ambientais Curso de Agronomia Disciplina: Bovinos de corte Profª. Valdirene Zabot Zootecnista Brasil: mercado e comercialização LONGO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

Instalações recicláveis construções baratas e eficientes

Instalações recicláveis construções baratas e eficientes Instalações recicláveis construções baratas e eficientes As instalações são parte importante da criação de ovinos e caprinos. A construção pode ser barata, mas tem que ser eficiente. Sua importância no

Leia mais

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa Julho/2013 1 Confinamento - sistema de criação onde lotes de animais são encerrados em piquetes ou currais com área restrita

Leia mais

Gerenciamento de Depósitos

Gerenciamento de Depósitos Gerenciamento de Depósitos Diferentes modelos e tipos de CD s e armazéns podem auxiliar na busca por soluções logísticas eficientes, para diferentes produtos, com características logísticas diversas. As

Leia mais

Casas de Banho de Composto Orgânico

Casas de Banho de Composto Orgânico Casas de Banho de Composto Orgânico O que é uma casa de banho de composto orgânico e como construí-lo? Módulo para poupança de água e gestão descentralizada dos dejetos humanos Tamera, SolarVillage Valerio

Leia mais

Arames e acessórios para agropecuária

Arames e acessórios para agropecuária Arames e acessórios para agropecuária 1 Para agropecuária, escolha a qualidade Belgo Bekaert Arames. Quando você pensa em produtos para agropecuária e não quer abrir mão da qualidade, a sua opção só pode

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II 1 O PROJETO ASPECTOS IMPORTANTES PARA O ELETRICISTA

Leia mais

ANEXO I IMPLANTAÇÃO DA ERM MACAÉ - RJ CADERNO DE ENCARGOS INFRA-ESTRUTURA

ANEXO I IMPLANTAÇÃO DA ERM MACAÉ - RJ CADERNO DE ENCARGOS INFRA-ESTRUTURA ANEXO I IMPLANTAÇÃO DA ERM MACAÉ - RJ CADERNO DE ENCARGOS INFRA-ESTRUTURA 1 1. Introdução O presente caderno de encargos tem como objetivo orientar e subsidiar a contratação de empresa para a execução

Leia mais

DESENHO ARQUITETÔNICO PROFESSORA ELIZABETH CORREIA SUMARA QUERINO ROBERTO DÁLESSANDRO

DESENHO ARQUITETÔNICO PROFESSORA ELIZABETH CORREIA SUMARA QUERINO ROBERTO DÁLESSANDRO DESENHO ARQUITETÔNICO PROFESSORA ELIZABETH CORREIA SUMARA QUERINO ROBERTO DÁLESSANDRO COBERTURA -TELHADOS Cobertura: É a parte superior da construção e serve de proteção contra o sol, a chuva, intempéries,

Leia mais

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO CONCEITO A tipologia estrutural composta por bloco, argamassa, graute e eventualmente armações é responsável por um dos sistemas construtivos

Leia mais

ASC. Prof. Danilo Toledo Ramos

ASC. Prof. Danilo Toledo Ramos ASC Prof. Danilo Toledo Ramos Fundações Profundas (Indiretas) Segundo a NBR 6122/1996: Elementos de fundação que transmitem a carga ao terreno pela base (resistência de ponta), por sua superfície lateral

Leia mais

Arranjo Unidades Físico Típicas de Indústria. Unidades de Produção e Instalações Auxiliares

Arranjo Unidades Físico Típicas de Indústria. Unidades de Produção e Instalações Auxiliares - Vários tipos de lavagem e limpeza podem ser utilizados no processo de fabricação e manutenção industrial, requerem atenção na localização devido aos produtos utilizados e na condição de execução do serviço;

Leia mais

Telhas Térmicas Dânica

Telhas Térmicas Dânica Telhas Térmicas Dânica O melhor recheio. A melhor economia. CONCRETO? CERÂMICA? PVC? A inovadora telha térmica de aço As telhas térmicas TermoHouse da Dânica aliam tecnologia e estilo colonial a favor

Leia mais

Revestimentos térmicos acoplados a sistemas impermeabilizantes, subcoberturas e isolantes térmicos de alto desempenho. Produtos ideais para tornar

Revestimentos térmicos acoplados a sistemas impermeabilizantes, subcoberturas e isolantes térmicos de alto desempenho. Produtos ideais para tornar Divisão Nota As informações contidas nesta ficha são baseadas em nosso conhecimento para a sua ajuda e orientação. Salientamos que o desempenho dos nossos produtos depende das condições de preparo da superfície,

Leia mais

PANORAMA DE PARASITOSES EM OVINOS NO BRASIL.

PANORAMA DE PARASITOSES EM OVINOS NO BRASIL. PANORAMA DE PARASITOSES EM OVINOS NO BRASIL. Sérgio Tosi Cardim Médico Veterinário Mestrando em Ciência Animal CCA DMVP UEL Victor Bittencourt Dutra Tabacow Médico Veterinário Residente em Parasitologia

Leia mais

quem somos A RAYFLEX é líder nacional em tecnologia para portas industriais.

quem somos A RAYFLEX é líder nacional em tecnologia para portas industriais. quem somos A RAYFLEX é líder nacional em tecnologia para portas industriais. Fundada em 1985, a empresa desenvolve soluções em PORTAS RÁPIDAS, PORTAS SECCIONAIS E NIVELADORES DE DOCAS. Faz parte de uma

Leia mais

A madeira, como material estrutural, tem sua aplicação mais comum nas estruturas de telhados, para coberturas dos mais variados tipos.

A madeira, como material estrutural, tem sua aplicação mais comum nas estruturas de telhados, para coberturas dos mais variados tipos. 1. INTRODUÇÃO A madeira, como material estrutural, tem sua aplicação mais comum nas estruturas de telhados, para coberturas dos mais variados tipos. O termo cobertura é utilizado para designar todo o conjunto

Leia mais

Manual de instalação - Instruções Gerais. Para qualquer produto Grandini

Manual de instalação - Instruções Gerais. Para qualquer produto Grandini Manual de instalação - Instruções Gerais Para qualquer produto Grandini Atenção: este manual é genérico serve para qualquer produto que a grandini produz, banhiera, spa ou ofurô, de qualquer medida e modelo,

Leia mais

Manual de proteção de cercas e currais contra raios

Manual de proteção de cercas e currais contra raios Manual de proteção de cercas e currais contra raios Nem sempre é bom quando a eletricidade chega ao campo. Previna-se contra prejuízos causados por raios na sua criação. A Belgo Bekaert Arames te ajuda

Leia mais

1. FUNDAMENTOS HISTÓRICOS

1. FUNDAMENTOS HISTÓRICOS 1. FUNDAMENTOS HISTÓRICOS Advento da agricultura: + 10.000 AC Terra, pedra e madeira: materiais que abrigaram a humanidade Desuso Produção industrial de materiais Novos padrões estéticos Grandes concentrações

Leia mais

Descritivo Modelo de Infraestrutura para CDC DMIC

Descritivo Modelo de Infraestrutura para CDC DMIC Descritivo Modelo de Infraestrutura para CDC DMIC CONTATO E-MAIL: implantacao@redecidadania.ba.gob.br VERSÃO 9.0 MAIO / 2015 ESPECIFICAÇÕES DO ESPAÇO DO CDC Para a implantação do CDC é necessário encontrar

Leia mais

SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR DE PISCINA

SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR DE PISCINA MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR DE PISCINA INTRODUÇÃO Parabéns por adquirir um Sistema de Aquecimento Solar de Piscina KOMECO, desenvolvido para oferecer maior conforto e bem estar com

Leia mais

Telhas GraviColor. Beleza e modernidade para o seu projeto.

Telhas GraviColor. Beleza e modernidade para o seu projeto. Telhas GraviColor Telhas e Tijolos www.telhado.com Beleza e modernidade para o seu projeto. Telhas GraviColor Estilo, inovação e qualidade. As Telhas GraviColor chegam ao mercado trazendo o rústico com

Leia mais

Instrução Técnica nº 25/2011 - Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis - Parte 3 Armazenamento... 625

Instrução Técnica nº 25/2011 - Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis - Parte 3 Armazenamento... 625 Instrução Técnica nº 25/2011 - Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis - Parte 3 Armazenamento... 625 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO

Leia mais

MANUTENÇÃO EM MANCAIS E ROLAMENTOS Atrito É o contato existente entre duas superfícies sólidas que executam movimentos relativos. O atrito provoca calor e desgaste entre as partes móveis. O atrito depende

Leia mais

www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos

www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos A TORCISÃO A Torcisão foi fundada em 1968, iniciando suas atividades na fabricação de peças para a indústria automobilística. Em 2006, o grupo se expandiu e fundou

Leia mais

Apresentação. Conceito

Apresentação. Conceito Apresentação Apresentamos um novo conceito de Mercado para a Distribuição e Venda Direta de Produtos e Serviços para o Setor da Construção Civil; Com Ênfase em atender principalmente, construtoras, lojas

Leia mais

ANEXO 01. Figura 1 - Planta da área a ser trabalhada. DW indica os locais a serem trabalhados com drywall.

ANEXO 01. Figura 1 - Planta da área a ser trabalhada. DW indica os locais a serem trabalhados com drywall. ANEXO 01 Sala MEV DW DW B B Figura 1 - Planta da área a ser trabalhada. DW indica os locais a serem trabalhados com drywall. 1 Figura 2 Detalhes das portas em drywall. A porta P11, destinada a acesso à

Leia mais

Isolamento Térmico EZ

Isolamento Térmico EZ Catálogo de produtos Grazimac Isolamento Térmico EZ www.grazimac.pt 2 GRAZIMAC O isolamento térmico EZ é a solução indicada para uma cobertura inclinada. Permite aumentar o conforto térmico e diminuir

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA BAIRRO

Leia mais

Tratamento de cama de aves para sua reutilização

Tratamento de cama de aves para sua reutilização Tratamento de cama de aves para sua reutilização Valéria M. N. Abreu Cuiabá, 04 de maio 2010 Introdução evitar o contato direto das aves com o piso; servir de substrato para a absorção da umidade do ambiente;

Leia mais

PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01

PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01 MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01 LOCALIZAÇÃO CENTRO DE EXPOSIÇÕES E CONGRESSOS

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO AQUECEDOR ECOLÓGICO DE PAINEL ECOTERMIC AQC700

MANUAL DO USUÁRIO AQUECEDOR ECOLÓGICO DE PAINEL ECOTERMIC AQC700 MANUAL DO USUÁRIO AQUECEDOR ECOLÓGICO DE PAINEL ECOTERMIC AQC700 Obrigado por adquirir o Aquecedor Ecológico de Painel ecotermic Cadence, AQC700, um produto de alta tecnologia, seguro e eficiente. É muito

Leia mais

SERVIÇOS PRELIMINARES ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2

SERVIÇOS PRELIMINARES ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 1/28 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 01 PESQUISA E REMANEJAMENTO DE INTERFERÊNCIAS... 2 02 ACESSO PROVISÓRIO... 2 ESTIVA... 3 04 PREPARO DO TERRENO... 4 05

Leia mais

Wood Frame CONCEITO. O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis

Wood Frame CONCEITO. O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis CONCEITO O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis estruturais capazes de resistir às cargas verticais (telhados e pavimentos), perpendiculares

Leia mais

2 Sistema de Lajes com Forma de Aço Incorporado

2 Sistema de Lajes com Forma de Aço Incorporado 2 Sistema de Lajes com Forma de Aço Incorporado 2.1. Generalidades As vantagens de utilização de sistemas construtivos em aço são associadas à: redução do tempo de construção, racionalização no uso de

Leia mais

Rev. 01 MANUAL TÉCNICO. Kit Porta Pronto

Rev. 01 MANUAL TÉCNICO. Kit Porta Pronto MANUAL TÉCNICO Kit Porta Pronto Carga e Descarga Os produtos são carregados na empresa e preparados de modo a assegurar sua proteção. Durante o transporte até o cliente é imprescindível que sejam mantidas

Leia mais

MANUAL PURIFICADOR DE AR

MANUAL PURIFICADOR DE AR 1 MANUAL PURIFICADOR DE AR Parede / Portátil Ambientes Públicos *fotos meramente ilustrativas. atendimento@oxipower.com.br 1 2 MANUAL DE INSTRUÇÕES PURIFICADORES DE AR Modelos Parede e Portátil versão

Leia mais

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO FAZENDA SANTA LUZIA Maurício Silveira Coelho Medico Veterinário CRMV MG 2352 Fazenda Santa Luzia PASSOS/MG E-mail mauricio@josecaboverde.com.br HISTÓRICO Proprietário: José Coelho Vítor e filhos Localização:

Leia mais

Armazém Planear a construção

Armazém Planear a construção Planear a construção Surgem muitas vezes problemas associados às infra-estruturas dos armazéns, como por exemplo, a falta de espaço para as existências, para a movimentação nos corredores e áreas externas,

Leia mais

Parabond Zinco. Produto elástico para todo tipo de metais.

Parabond Zinco. Produto elástico para todo tipo de metais. Parabond Zinco Produto elástico para todo tipo de metais. Produto: Parabond Zinco é um elastómero de alta qualidade, de rápido endurecimento, permanentemente elástico, à base de MS polímero com elevada

Leia mais

Quanto aos esforços: compressão, tração e flexão; Flexibilidade de formas; Durabilidade; Transmissão de calor

Quanto aos esforços: compressão, tração e flexão; Flexibilidade de formas; Durabilidade; Transmissão de calor 1. CONCEITO: Produto resultante da associação íntima entre um aglomerante mais um agregado miúdo, mais um agregado graúdo e água (+ ferragens). 2. CARACTERÍSTICAS Quanto aos esforços: compressão, tração

Leia mais

Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi.

Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi. 0090_mar10 Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi. Campinas/SP - 19. 3729 4477 Sales Oliveira/SP - 16. 3852 0011 Pará de Minas/MG - 37. 3231 7300 Além Paraíba/MG - 32. 3466 5555

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma de Prédio Delegacia CRA Proprietário: Conselho Regional de administração Endereço: Av. Presidente Getulio Vargas, N 2.923 Área: 110,00 m² 1.

Leia mais

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Professor: Aparecido Porto da Costa Disciplina: Caprinovinocultura E-mail: aparecidoport@hotmail.com Introdução Importância Produtividade do rebanho => obter sucesso

Leia mais

ANEXO I PARTE A ANTEPROJETO DE LEI ITABUNA IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU. VALOR DO m² PARA CÁLCULO DO VALOR PREDIAL

ANEXO I PARTE A ANTEPROJETO DE LEI ITABUNA IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU. VALOR DO m² PARA CÁLCULO DO VALOR PREDIAL ANEXO I PARTE A ANTEPROJETO DE LEI ITABUNA IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU VALOR DO m² PARA CÁLCULO DO VALOR PREDIAL TABELA DOS TIPOS E PADRÕES DE CONSTRUÇÃO TIPO 1 - RESIDENCIAL - PADRÃO "E"

Leia mais

CURRAL DE CONFINAMENTO PARA ACABAMENTO DE 250 CABEÇAS DE GADO DE CORTE COM CURRAL DE MANOBRAS

CURRAL DE CONFINAMENTO PARA ACABAMENTO DE 250 CABEÇAS DE GADO DE CORTE COM CURRAL DE MANOBRAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UnUCET CONSTRUÇÕES RURAIS 7 PERÍODO PROJETO DE CONSTRUÇÕES RURAIS: CURRAL DE CONFINAMENTO PARA ACABAMENTO DE 250 CABEÇAS DE GADO DE CORTE COM CURRAL DE MANOBRAS Acadêmico:

Leia mais

2. Sistema de fôrmas plásticas para lajes

2. Sistema de fôrmas plásticas para lajes Sistema de fôrmas plásticas para lajes de concreto JOAQUIM ANTÔNIO CARACAS NOGUEIRA Diretor de Engenharia VALTER DE OLIVEIRA BASTOS FILHO Engenheiro Civil CARLOS ALBERTO IBIAPINA E SILVA FILHO Engenheiro

Leia mais

COBERTURAS. Prof. Amison de Santana

COBERTURAS. Prof. Amison de Santana COBERTURAS Prof. Amison de Santana Cobertura Funções Básicas: Proteção das partes internas das construções; Dar inclinação adequada, de acordo com o tipo de telha utilizada, para drenar águas pluviais;

Leia mais

REGISTRO VISITA TÉCNICA COMISSÃO TEMÁTICA DE ATIVIDADES PRODUTIVAS PROJETO DA COOPERATIVA DE CORTE, COSTURA E ARTESANATO

REGISTRO VISITA TÉCNICA COMISSÃO TEMÁTICA DE ATIVIDADES PRODUTIVAS PROJETO DA COOPERATIVA DE CORTE, COSTURA E ARTESANATO REGISTRO VISITA TÉCNICA COMISSÃO TEMÁTICA DE ATIVIDADES PRODUTIVAS 1 PROJETO DA COOPERATIVA DE CORTE, COSTURA E ARTESANATO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA A SUSTENTABILIDADE LOCAL Perolândia - GO Data: 22/08/2012

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Rio Branco, Acre Brasil

MEMORIAL DESCRITIVO Rio Branco, Acre Brasil MEMORIAL DESCRITIVO Rio Branco, Acre Brasil ÍNDICE DO MEMORIAL DESCRITIVO 1. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O PROJETO 2. CONSTRUÇÃO 3. INSTALAÇÕES 4. COBERTURA 5. DISPOSIÇÕES FINAIS 1. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE

Leia mais

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA REFORMA E AMPLIAÇÃO DA ESCOLA MUNICIPAL PEDRO REZENDE DOS SANTOS 1 - OBJETO:

Leia mais

REALIZAÇÃO. Rua Eloi Lemos de França, 110 - sala 02 Gruta de Lourdes - Maceió - AL - CEP: 57052-880 Fone/Fax: (82)338-3644 / (82)338-9607 APOIO

REALIZAÇÃO. Rua Eloi Lemos de França, 110 - sala 02 Gruta de Lourdes - Maceió - AL - CEP: 57052-880 Fone/Fax: (82)338-3644 / (82)338-9607 APOIO REALIZAÇÃO Rua Eloi Lemos de França, 110 - sala 02 Gruta de Lourdes - Maceió - AL - CEP: 57052-880 Fone/Fax: (82)338-3644 / (82)338-9607 APOIO Seu dessalinizador está pronto! Agora é cuidar bem dele e

Leia mais

Critérios de Avaliação Fabril. Artefatos de Concreto para uso no SEP (Sistema Elétrico de Potência)

Critérios de Avaliação Fabril. Artefatos de Concreto para uso no SEP (Sistema Elétrico de Potência) Critérios de Avaliação Fabril Artefatos de Concreto para uso no SEP (Sistema Elétrico de Potência) O presente subitem tem como objetivo orientar fabricantes de artefatos de concreto para redes de distribuição

Leia mais

JULHO 2012. www.tectubo.com.br

JULHO 2012. www.tectubo.com.br JULHO 2012 www.tectubo.com.br Coberturas que respeitam você e o meio ambiente. Telhas de PVC Coberturas com durabilidade, segurança e beleza. Dê mais modernidade a sua casa com o mais novo sistema de coberturas

Leia mais

SOLUÇÔES INTEGRAIS 1

SOLUÇÔES INTEGRAIS 1 SOLUÇÔES INTEGRAIS 111 Sistema estrutural de alumínio Perfis e acessórios Série MICRO Tipo... Liga... Estado... Tolerâncias dimensionais... Terminação... Sistema modular de perfis de alumínio e seus acessórios

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Assunto: Serviços Preliminares Prof. Ederaldo Azevedo Aula 2 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br A obra de construção de edifícios tem seu início propriamente dito, com a implantação do canteiro de obras.

Leia mais

Os revestimentos de parede Decopainel são fabricados com tecnologia de última geração para deixar o seu ambiente com a elegância e beleza que você

Os revestimentos de parede Decopainel são fabricados com tecnologia de última geração para deixar o seu ambiente com a elegância e beleza que você Catálogo Virtual 2 Os revestimentos de parede Decopainel são fabricados com tecnologia de última geração para deixar o seu ambiente com a elegância e beleza que você sempre desejou. São duas linhas de

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. CONSTITUIÇÃO DA COLÔNIA. A constituição de uma colônia é a seguinte: 60000 a 80000 abelhas operárias; 1 rainha e 0 a 400 zangões.

1. INTRODUÇÃO 2. CONSTITUIÇÃO DA COLÔNIA. A constituição de uma colônia é a seguinte: 60000 a 80000 abelhas operárias; 1 rainha e 0 a 400 zangões. Obtenção do Mel Katiani Silva Venturini 1 (e-mail: katiani_sv@hotmail.com) Miryelle Freire Sarcinelli 1 (e-mail: miryelle@hotmail.com) Luís César da Silva 2 (website: www.agais.com) 1. INTRODUÇÃO Abelhas

Leia mais

Tobogã com Escalada Mega. Manual de instruções

Tobogã com Escalada Mega. Manual de instruções Tobogã com Escalada Mega Manual de instruções Código do produto: MT.10812 Recomendado para crianças de 03 a 15 anos Parabéns! Você acaba de adquirir um brinquedo da Mundi Toys. Prezando pela sua segurança

Leia mais

Agroecologia. Curso Agroecologia e Tecnologia Social um caminho para a sustentabilidade. Módulo 3 Aplicações da Agroecologia

Agroecologia. Curso Agroecologia e Tecnologia Social um caminho para a sustentabilidade. Módulo 3 Aplicações da Agroecologia Agroecologia Agroecologia Curso Agroecologia e Tecnologia Social um caminho para a sustentabilidade Módulo 3 Aplicações da Agroecologia Agroecologia aspectos teóricos e conceituais Capítulo 4 Aplicações

Leia mais