INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO"

Transcrição

1 PROVA TIPO FUVEST 1ª FASE INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. 2. Esta prova contém 90 testes, cada um com 5 alternativas, das quais apenas uma é correta. 3. Assinale a alternativa correta na folha de respostas. 4. Todos os espaços em branco podem ser usados para rascunho. 5. A duração total da prova é de 5 horas e o tempo mínimo de permanência em sala é de 3 horas. 6. Não deixe nenhuma questão em branco pois não serão descontadas respostas erradas. 7. A questão em que for assinalada mais de uma alternativa, será anulada. 8. Não haverá tempo adicional para transcrição de gabarito. 9. Não se esqueça de colocar seu nome completo na folha de respostas. 10. Ao terminar você poderá levar consigo seu caderno de questões. BOA PROVA!

2 Simulado - 3 AUDIO BOOKS: ALL PROS, NO CONS What is an audio book? An audio book is a recording of the contents of a book read aloud, created and distributed on CDs, cassette tapes or other digital 2. Therefore, you can test the water for free as well. In the fragment, people are encouraged to read audio books to test their efficiency. The major motivation for this course of action consists of: formats. They have become quite popular since first being a) costly process b) speedy ordering introduced - roughly 20 years ago - with the CD format in c) refundable option d) costless download the lead for sales. One of the pros for audio books is the fact that they e) non-affordable option support multi-tasking, and can also be stored into small devices for easy listening, like an ipod or MP3 Player. For example, you may listen to one and retrieve the information you would from a regular book while exercising, cleaning around the house, or just while in the car driving. You would not be able to do any of those activities while reading a regular book. But while listening to an audio book this becomes possible. Another pro supporting audio books is the effect it has on children s motivation and learning. Teaching them to read has never been any easier or enjoyable in their favor. By using different types of toys from favorite cartoon characters to interact with audio books, children are able to learn a usually difficult subject quite easily while also having a good time. My final pro supporting an audio book is the fact that people who are unable to read regular books, due to certain problems they cannot help such as blindness, If the educator s position is a revolutionary one, and if his actions are to be consistent with this political position, he will consider the process of education, insofar as it is a knowledge-acquisition process, as one in which the student is an active agent. Thus, the task facing the educator is to find better aids to help the students exert the role of active agents in the process of their own education. Instruments to facilitate the problematization of the object to be unveiled and apprehended by the students must be constantly invented and reinvented by the educator. The educator s task is not to use such methods and techniques to unveil himself the object of study and then hand it over paternalistically to the students, thereby depriving them of the search-effort which is indispensable in the process of knowledge acquisition. In the relationship between educator and students, which is mediated by the object to be discovered, what is important is the exercise of critical attitudes toward the object of study rather than the educator s discourse on the matter. The Economist - adapted are certainly able to listen to audio books to gather the contents they may need from a regular book. This is a major pro that is a big help to a lot of people around the world, with no con to argue against it. So why not go and check out some audio books today and find out for yourself how useful and how fun they are? There are loads of free digital audio books as well. Therefore, you can test the water for free as well. - adapted 3. According to the next: a) The educator s task is to find active students. b) The educator s task is to find passive agents. c) The educator s task is to incite actions without critical exercises. d) The educator s, who has got a revolutionary position, sees the students as an active agent. e) The educator s revolutionary position doesn t enable him to consider the student as an active agent. 1. In the text, the title and subtitle clearly reflect the author s position regarding audio books. The idea conveyed by the title and subtitle is best expressed in the following statement: a) Their use is considered as a beneficial practice. b) Their efficiency is confirmed in sports activities. c) Their quality is determined by the narrator s voice. d) Their advantage is related to mental concentration. e) Lots of disadvantages must be considered. 4. In the sentences Thus, the task facing... and... thereby depriving them of the search effort..., the words thereby and thus have the same meaning as a) despite, however. b) although, in spite of. c) nevertheless, furthermore. d) nonetheless, despite. e) hence, therefore.

3 Simulado Na sentence... the object of study rather than the educator s discourse..., a expressão rather than indica: ela dá-lhe a mão e dá-lhe um pouco do coração ele faz de tudo para compreender a) reiteração b) substituição c) alternância depois de tudo para lhe agradecer d) causalidade e) sugestão e se a conversa os põe em perigo ele ri-se muito e gaguejante diz-lhe 6. Considerando o teatro de Gil Vicente como um todo, indique a alternativa correta. a) Preso aos valores cristãos, Gil Vicente tem como é bom ser teu amigo mas igualmente bom ser [ teu amante. objetivo alcançar a consciência do homem, lembrandolhe que tem uma alma para salvar. b) Seus personagens, apesar de alegóricas, não estabelecem a divisão maniqueísta do mundo entre o Bem e o Mal. c) Os personagens comparecem com o perfil individualizado, marcado por uma personalidade complexa. d) Gil Vicente traça um quadro crítico da sociedade portuguesa da época, porém poupa, por questões ideológicas e políticas, a Igreja e a Nobreza. e) Entre as características próprias da dramaturgia de Gil Vicente, destaca-se o fato de ele seguir rigorosamente as normas do teatro clássico. Um fenômeno comum no campo literário é o diálogo entre textos de épocas distintas. O texto faz referências muito óbvias às cantigas de amigo da idade média galegoportuguesa. Assinale, a respeito desse aspecto, a afirmação verdadeira. a) Das cantigas de amigo medievais ressurge o tema da mulher apaixonada que lamenta a indiferença de seu amante. b) Retoma a estrutura de composição em que se observa um diálogo entre o eu-lírico masculino e a amiga, característica das cantigas de amigo. c) Embora seja um texto visivelmente moderno, percebe-se 7. Assinale a afirmativa correta a respeito das cantigas de amor: a) O ambiente nelas retratado é eminentemente rural. b) Têm origem no ciclo do trovadorismo que se desenvolveu na Península Ibérica entre os séculos XI e XII, notadamente na região da Galiza. c) O eu-lírico masculino proclama seu amor pela dama que dialoga com as cantigas de amigo ao repre- sentar uma relação amorosa possível. d) O eu-lírico deste texto mantém, das cantigas medievais o tema da coita amorosa. e) Do ponto de vista da composição, retoma a fórmula marcada pela repetição de pares de versos sintática e semanticamente assemelhados. (Senhora) que lhe é submissa. d) O caráter platônico da relação amorosa nelas representada resulta do distanciamento social que afasta o eu-lírico de sua dama. 9. A seguir reproduz-se um trecho do Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente: Vem o Fidalgo e, chegando ao batel infernal, diz: e) A coita amorosa nelas comparece como representação dos sofrimentos que o amante deve atravessar até Fidalgo Esta barca onde vai ora, que assi está apercebida? (apercebida = preparada) conquistar sua Senhora. Diabo Vai pera a ilha perdida, e há-de partir logo ess ora. (ess ora= agora) 8. Leia o poema a seguir. Fidalgo Pera lá vai a senhora? CANTIGA DE AMIGO Diabo Senhor, a vosso serviço. a lulu quer o que quer qualquer mulher Fidalgo Parece-me isso cortiço... que o amigo a abrace bem e que a faça rir também Diabo Porque a vedes lá de fora. a lulu tem um medo mas guarda-se em segredo Fidalgo Porém, a que terra passais? o amigo vai esperar que ela queira pô-lo a par Diabo Pera o inferno, senhor. e se a conversa fica em perigo Fidalgo Terra é bem sem-sabor. ele ri-se um pouco e triunfante diz-lhe é bom ser teu amigo mas igualmente bom ser (...) Entremos, pois que assi é. [ teu amante a lulu não traz más recordações Diabo Ora, senhor, descansai, passeai e suspirai. Em tanto virá mais gente. e o amigo atrás diverte-a com canções Fidalgo Ó barca, como és ardente! Maldito quem

4 Simulado Embora de autoria de um poeta moderno do século XX, o soneto dialoga com o passado literário da língua portuguesa. Dentre os elementos que remetem à tradição encontra-se ao menos um em que é possível identi- em ti vai! ficar vestígios da lírica trovadoresca. Indique-o. a) A promessa de um amor fiel e espiritualizado. Diz o Diabo ao Moço da cadeira*: b) Presença de um discurso que tende a exagerar a intensidade Diabo Nom entras cá! Vai-te d i! A cadeira é cá do sentimento amoroso. sobeja; cousa que esteve na igreja nom se há-de embarcar aqui. Cá lha darão de marfim, marchetada de dolores, com tais modos de lavores, que estará fora de si... *moço da cadeira: o pajem (criado) que acompanhava o fidalgo. c) Os versos 3 e 8 contêm palavras de sentidos opostos que registram as mesmas contradições vividas pelo homem apaixonado, tal como nas cantigas de amor. d) Reafirma-se a noção de coita amorosa : o homem apaixonado sofre intensamente pelo seu amor. e) O sofrimento por amor resulta da frustração do desejo masculino, sempre ignorado pelo objeto de sua paixão. Sobre essa passagem é correto afirmar: a) O comportamento do pajem (moço da cadeira) representa submissão das classes subalternas à aristocracia. b) A resignação do Fidalgo com o destino que o aguarda assinala a humildade característica de sua condição. c) O Diabo mostra-se respeitoso ao longo do diálogo. d) Pode-se afirmar que a arrogância do Fidalgo é aqui representada como um defeito moral. e) O caráter moderno do teatro de Gil Vicente revela-se nessa passagem pelo distanciamento da vida e dos tipos sociais. 11. A respeito do soneto de Vinicius de Moraes pode-se afirmar que: a) Fala do desejo de um amor completo que se manifesta de diversas formas. b) A estrofe final, de tom pessimista, sintetiza a frustração do amante que reconhece a impossibilidade de seu amor. c) O emprego de afirmações contraditórias registra a incapacidade do homem apaixonado de compreender seu estado. d) A impossibilidade de realização amorosa evidenciase Texto para as questões 10 e 11. SONETO DO AMOR TOTAL Amo-te tanto, meu amor... não cante em imagens como a que se encontra no verso 4. e) A referência à morte na última estrofe marca a superação do amor erótico. O humano coração com mais verdade. Amo-te como amigo e como amante 12. Observe a imagem a seguir. Numa sempre diversa realidade Amo-te afim, de um calmo amor prestante, E te amo além, presente na saudade. Amo-te, enfim, com grande liberdade Dentro da eternidade e a cada instante. Amo-te como um bicho, simplesmente, De um amor sem mistério e sem virtude Com um desejo maciço e permanente. E de te amar assim muito e amiúde, É que um dia em teu corpo de repente Hei de morrer de amar mais do que pude. Vinicius de Moraes - Antologia Poética

5 Simulado - 6 Hieronymus Bosch Assinale a firmativa correta: a) É uma cena que remete às cantigas de amigo, pois ambas capturam situações típicas do cotidiano medieval. b) A tela reproduz o sistema de ideias predominante na Europa a partir do século XVI, marcado pela intensa vida religiosa e pelo desprezo a tudo que dissesse respeito ao humano, também encontrado nas cantigas de amor. c) A profusão de figuras humanas e sua diversidade revela a atenção do pintor pelos temas religiosos. d) O conjunto de técnicas empregadas na representação da cena é característico de um período em que o Renascimento já surgia com força no cenário artístico-cultural europeu, ao qual podemos associar o teatro de Gil Vicente. e) Tal qual em vários autos de Gil Vicente, percebe-se na cena acima forte inclinação religiosa e tendência a estender um olhar crítico ao universo humano.

6 Simulado O Ministério da Fazenda descobriu uma nova esperteza no Instituto de Resseguros do Brasil. O Instituto técnico faz. e) a dinâmica do jogo depende do planejamento que o alardeou um lucro no primeiro semestre de 3,1 bilhões de cruzeiros, que esconde na verdade um prejuízo de 15. No texto, a comparação do campo com um quadro 2bi. Brasil, Cuba e Costa Rica são os três únicos países cujas empresas de resseguro são estatais. a) o pessimismo do tático em relação ao futuro do jogo. negro aponta: Veja, 01/09/ pág. 31 b) um recurso utilizado no vestiário. c) a visão de jogo como movimento contínuo. Conclui-se do texto que seu autor: d) o recurso didático preferido pelo técnico Tim. a) acredita que a esperteza do Instituto de Resseguros e) um meio de pensar o jogo como algo previsível. gerou lucro e não prejuízo. b) dá como certo que o prejuízo do Instituto é maior do 16. Leia o texto a seguir. que o lucro alardeado. Ora, aí está justamente e epígrafe do livro, se eu lhe c) julga que o Instituto de Resseguros agiu de boa fé. quisesse pôr alguma, e não me ocorresse outra. Não é d) dá a entender que é contrário ao fato de o Instituto de somente um meio de completar as pessoas da narração Resseguros ser estatal. com as ideias que deixarem, mas ainda um par de lunetas para que o leitor do livro penetre o que for menos e) tem informação de que em Cuba e na Costa Rica os institutos de resseguros camuflam seus prejuízos. claro ou totalmente escuro. Por outro lado, há proveito em irem as pessoas da Texto para as questões 14 e 15. minha história colaborando nela, ajudando o autor, por GOLS DE COCURUTO uma lei de solidariedade, espécie de troca de serviços, O melhor momento do futebol para um tático é o entre o enxadrista e os seus trebelhos(*). minuto de silêncio. É quando os times ficam perfilados, Se aceitas a comparação, distinguirás o rei e a dama, cada jogador com as mãos nas costas e mais ou menos no lugar que lhes foi designado no esquema - e torre, nem a torre de peão. Há ainda a diferença da cor, o bispo e o cavalo, sem que o cavalo possa fazer de parados. Então o tático pode olhar o campo como se branca e preta, mas esta não tira o poder da marcha de fosse um quadro negro e pensar no futebol como alguma coisa lógica e diagramável. Mas aí começa o jogo e tida, e assim vai o mundo. cada peça, e afinal umas e outras podem ganhar a par- tudo desanda. Os jogadores se movimentam e o futebol Machado de Assis - Esaú e Jacó passa a ser regido pelo imponderável, esse inimigo mortal de qualquer estrategista. O futebol brasileiro já teve (*)Trebelhos: peças do jogo de xadrez grandes estrategistas cruelmente traídos pela dinâmica A intervenção direta do narrador no texto cumpre a função de: do jogo. O Tim, por exemplo. Tático exemplar, planejava todo o jogo numa mesa de botão. Da entrada em campo a) distanciar o leitor da articulação da história, evitando até a troca de camisetas, incluindo o minuto de silêncio. Foi um técnico de sucesso mas nunca conseguiu b) despertar a atenção do leitor para a estrutura da obra, identificação emocional com as personagens. uma reputação no campo à altura de sua reputação no convidando-o a participar da organização da narrativa. vestiário. Falava um jogo e o time jogava outro. O problema do Tim, diziam todos, era que seus botões eram cuja sequência lógico-temporal é complexa. c) levar o leitor a refletir sobre as narrativas tradicionais, mais inteligentes do que seus jogadores. d) sintetizar a sequência dos episódios, para explicar a L. F. Veríssimo - O Estado de São Paulo, 23/08/1993 trama da narração. e) confundir o leitor, provocando incompreensão da sequência narrativa. 14. A tese que o autor defende é a de que, em futebol: a) o planejamento tático está sujeito à interferência do acaso. 17. Leia o texto a seguir. b) a lógica rege as jogadas. Os principais problemas da agricultura brasileira referem-se muito mais à diversidade dos impactos causa- c) a inteligência dos jogadores é que decide o jogo. d) os momentos iniciais decidem como será o jogo. dos pelo caráter truncado da modernização, do que à

7 Simulado - 8 persistência de segmentos que dela teriam ficado imunes. Se hoje existem milhões de estabelecimentos agrí- Ri porque é engraçado ver um corpo todo picado, algozes. colas marginalizados, isso se deve muito mais à natureza do próprio processo de modernização, do que à sa de sua reação. respondeu o estudante ao ser questionado sobre a cau- sua suposta falta de abrangência. O crime em si já seria uma clara evidência de que Folha de São Paulo, 13/09/1994 bestas-feras estão à solta e à vontade no país. Mas ainda daria, num esforço de auto-engano, para dizer que Segundo o texto: crimes bestiais ocorrem em todas as partes do mundo. a) o processo de modernização deve tornar-se mais Mas a reação dos moradores prova que não se trata abrangente para implementar a agricultura. de uma perversidade circunstancial e circunscrita. Não. b) os problemas da agricultura resultam do impacto causado pela modernização progressiva do setor. res básicos, ao convívio civilizado. O anormal, o patoló- O país perde, crescentemente, o respeito à vida, a valo- c) os problemas da agricultura resultam da inadequação gico, o bestial, vira normal. É engraçado, como diz o do processo de modernização do setor. estudante. d) segmentos do setor agrícola recusam-se a adotar processos de modernização. de, a partir do topo, quando o presidente da República O processo de animalização contamina a socieda- e) os problemas da agricultura decorrem da não-modernização de estabelecimentos agrícolas marginalizados. dos desmoralizados e confraterniza com trambiqueiros diz que seu partido está desmoralizado, mas vai à festa confessos. Também deve achar engraçado. 18. Em - No capitalismo clássico, os impostos que recaíam sobre os salários o faziam de uma forma sempre comandante do massacre de 111 pessoas, sob aplau- Alguma surpresa quando é declarado inocente o indireta. - o pronome o: sos de parcela da sociedade para quem presos não têm a) tem valor corretivo e retoma o termo salários. direito à vida? São bestas-feras, e deve ser engraçado b) é complemento nominal e retoma o sujeito os impostos. matá-los. É a lei da selva, no asfalto. c) é complemento verbal e retoma a informação recaíam sobre os salários. ALGAZARRA à REPORTAGEM, pode-se dizer que os 19. No trecho Os próprios moradores descreveram a d) é complemento verbal e retoma a expressão os impostos. a) o sujeito e o predicado do verbo descreveram. dois termos DESTACADOS são, respectivamente, b) o adjunto adnominal e o adjunto adverbial do verbo Texto para as questões 19 e 20. descreveram. A ANIMALIZAÇÃO DO PAÍS c) o objeto direto e o objeto indireto do verbo descreveram. Clóvis Rossi - Folha de São Paulo, 21/02/2006 São Paulo - No sóbrio relato de Elvira Lobato, lia-se d) o aposto e o vocativo do verbo descreveram. ontem, nesta Folha, a história de um Honda Fit abandonado em uma rua do Rio de Janeiro com uma cabeça verbo descreveram. e) o complemento nominal e o agente da passiva do sobre o capô e os corpos de dois jovens negros, retalhados a machadadas, no interior do veículo. 20. Na frase seguinte, lê-se: No sóbrio relato de Elvira Prossegue o relato: A reação dos moradores foi tão Lobato, LIA-SE ontem, nesta Folha, a história de um chocante como as brutais mutilações. Vários moradores buscaram seus celulares para fotografar os corpos, ação de ler expressa em LIA-SE tem como agente: Honda Fit abandonado.... Em relação a esse trecho, a e os mais jovens riram e fizeram troça dos corpos. a) Um grupo generalizado de leitores. Os próprios moradores descreveram a algazarra à b) Apenas Elvira Lobato, uma vez que ela é a autora do reportagem. Eu gritei: Está nervoso e perdeu a cabeça?, relatou um motoboy que pediu para não ser identi- c) Apenas o relato de Elvira Lobato, pois é ele que exer- artigo referido pelo autor. ficado, enquanto um estudante admitiu ter rido e feito ce a ação expressa pelo verbo. piada ao ver que o coração e os intestinos de uma das d) Exclusivamente o próprio autor deste artigo (Clóvis vítimas tinham sido retirados e expostos por seus Rossi), porque só ele pôde ter acesso ao texto.

8 Simulado - 9 e) Somente os jovens negros referidos no artigo, pois o que aconteceu com eles é o centro deste artigo. O emprego dos recursos verbais e não-verbais nesse gênero textual adota como uma das estratégias persuasivas: a) evidenciar a inutilidade terapêutica do cigarro. 21. Na revista Veja de 06/08/2008, a propaganda de determinada montadora de veículos apresentava os modelos espalhados pela página e, no alto, à direita, a seguinte frase: Sair Quando você de rotina vai? FUJA DO PADRÃO. b) indicar a utilidade do cigarro como pesticida contra ratos e baratas. c) apontar para o descaso do Ministério da Saúde com a população infantil. d) mostrar a relação direta entre o uso do cigarro e o aparecimento de problemas no aparelho respiratório. e) indicar que os que mais sofrem as consequências do Analise as afirmações: I - A frase - sair Quando você da rotina vai? não possui tabagismo são os fumantes ativos, ou seja, aqueles que fazem o uso direto do cigarro. elementos que remetam aos aspectos formais da língua portuguesa, daí a sua ininteligibilidade. II - Do ponto de vista comercial, fugir do padrão significa adquirir um veículo da montadora. Linguisticamente, fugir do 23. A diferença entre os quadrados de dois números naturais é 40. Um dos possíveis valores da soma dos quadrados desses números é: padrão manifesta-se como uma frase que não atende aos padrões de organização sintática da língua portuguesa. a) 51 b) 68 c) 202 d) 75 e) 121 III - A frase - sair Quando você da rotina vai? - está dentro da construção formal da frase em língua portuguesa. 24. Sendo a 3 + b 3 + 3ab (a + b) = 64, então a + b é igual a: a) 2 b) 4 c) 6 d) 8 e) 16 Está correto somente o que se afirma em: a) I b) II c) III 25. A soma das raízes positivas da equação d) I e II e) II e III. x 3-4x 2 - x + 4 = 0 é igual a: a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) As imagens seguintes fazem parte de uma campanhado Ministério da Saúde contra o tabagismo. 26. Simplificando a expressão: O Ministério da Saúde Adverte: FUMAR CAUSA CÂNCER DE PULMÃO. O Ministério da Saúde Adverte: FUMAR CAUSA CÂNCER DE LARINE. O Ministério da Saúde Adverte: CRIANÇAS QUE CONVIVEM COM FUMANTES TÊM MAIS ASMA, PNEUMONIA, SINUSITE E ALERGIA. x y y x , obtemos: 6 x 24 6 y a) 12 5 x 24 5 y b) 8 6 x 24 6 y c) 8 6 x 12 6 y d) 12 5 x 12 5 y e) 12 O Ministério da Saúde Adverte: FUMAR CAUSA CÂNCER DE BOCA E PERDA DOS DENTES. O Ministério da Saúde Adverte: EM GESTANTES, FUMAR PROVOCA PARTOS PREMATUROS E O NASCIMENTO DE CRIANÇAS COM PESO ABAIXO DO NORMAL. O Ministério da Saúde Adverte: AO FUMAR VOCÊ INALA ARSÊNICO E NAFTALINA, TAMBÉM USADOS CONTRA RATOS E BARATAS 27. Efetuando-se 20 a) b) obtém-se: c) d) 0 e) /04/ Qual é o maior dos números a seguir: a) b) c) 8 25 d) e)

9 Simulado É noite do dia 29 de junho e está muito frio. Justamente hoje, comecei a fazer plantão no Hospital São Paulo como estagiário de radiologia. Por sorte, conheci o Dr. Ricardo - um médico muito simpático - e a Carol (uma gatassa ), enfermeira assistente da maternidade. Logo fizemos amizade e a noite passou rapidamente. Na manhã seguinte, ao final do expediente, perguntamonos quando estaríamos novamente juntos se os plantões do Dr. Ricardo ocorrem a cada 8 dias, os de Carol, a cada 4 dias e os meus, a cada 6 dias. Quando será? a) No dia 07 de julho. b) No dia 23 de julho. c) Antes de 18 de julho. d) Somente em 29 de julho. e) Não antes de agosto. 30. Na figura, ABCD é um retângulo e os pontos C, D e E são colineares. O valor de do segmento CE é: A 30 º E D respectivas quantidades das substâncias na solução em equilíbrio, é constante e vale K a. Sabe-se que para cada x moléculas de HA que se ionizam, são formados x íons H + e x de A. Então, se a quantidade inicial de HA é C o (em que nada foi ionizado ainda), na situação de equilíbrio é C o x. Assim, a equação que determina a quantidade x ionizada na situação em equilíbrio é: a) x 2 + K a x + C o = 0 b) x 2 + K a x K a C o = 0 c) x 2 + K a x + K a C o = 0 d) x 2 + K a x C o = 0 e) x 2 K a x + K a C o = Marés - movimento de fluxo e refluxo periódico das águas oceânicas resultante da influência gravitacional da Lua e do Sol sobre a Terra. A cada dia, o movimento do mar produz duas marés de águas vivas e duas marés de águas mortas no intervalo entre as marés de águas vivas. As mares de águas vivas ocorrem: a) Nas Sizigias b) Nas Quadraturas c) No Periélio d) No Equinócio e) No Apogeu 30 B 60 º C 35. Respoder à questão com base no desenho e nas afirmativas 12:00 horas do dia 21 de junho a) 10(3 + 3) b) 15(3 3) c) 15(1+ d) 30 3 e) 45 5x 3 5x A equação = 0, tem uma raiz que é x 2 x + 2 um número: a) Maior que 2 b) Menor que 2 c) Par d) Primo e) Divisor de A equação x 2 5x + k = 0 tem r e s como raízes. Se r 2 + s 2 = 11, então o valor de k é: a) 7 b) 8 c) 9 d) 10 e) Os químicos denotam os ácidos pelo símbolo HA. Este ácido se dissocia em íons positivos H + e negativos A. Assim, o estado de equilíbrio de uma solução de ácido fraco contém moléculas HA, íons H + e íons A e é denotado por uma equação química HA H + + A. Ao mesmo tempo em que moléculas HA se ionizam, íons positivos H + e negativos A estão formando moléculas de ácido HA. + [H ].[A ] A relação, em que [H + ], [A ] e [HA] são as [HA] 3) I - Os raios solares estão perpendicularmente ao solo, pois o desenho representa um lugar situado na linha do Trópico de Capricórnio, no momento em que inicia o inverno. II - A situação evidenciada no desenho é, provavelmente, de solstício de verão no Hemisfério Norte. III - Esta data corresponde, provavelmente, ao início de verão no Hemisfério Norte, e o local representado está situado em qualquer ponto sobre o Trópico de Câncer. IV - Simultaneamente à situação mostrada no desenho, no Hemisfério Sul, o Sol também está incidindo perpendicularmente, ao meio-dia, em qualquer ponto do Trópico de Capricórnio. V - O desenho não se refere a Porto Alegre, pois nesta latitude não ocorre a incidência perpendicular dos raios solares. A análise do desenho e das afirmativas permite concluir que estão corretas apenas: raios solares

10 Simulado - 11 a) I, II e III b) I, II e IV c) I, III, IV e V d) II, III e V e) III, IV e V 36. No quadro a seguir, estão localizadas as cidades A, B, C e D, e as setas indicam rotas aéreas. De acordo com a localização das cidades e a direção das rotas, assinale a alternativa INCORRETA: W 0º E 90º 75º 60º 45º 30º 15º 15º 30º 45º 60º 75º 90º N S a) Os passageiros de um avião que parte da cidade A com destino à cidade B terão de adiantar seus relógios quando chegarem ao aeroporto da cidade B, devido à diferença de fuso horário. b) Todas as cidades estão localizadas no mesmo hemisfério. c) A rota de B para C indica que o avião parte de um ponto mais setentrional em direção a um ponto mais meridional. d) Não há diferença de fuso horário entre as cidades B e A, embora estejam em latitudes diferentes. e) Todas as cidades estão localizadas em latitudes diferentes. D A B C 75º 60º 45º 30º 15º 0º 15º 30º 45º 60º 75º 90º 38. Leia a descrição seguinte: aponta a direção de um ponto localizado no horizonte ou de um corpo celeste, fornece ângulos que variam de 0º a 360º, sempre no plano horizontal, a partir do norte e no sentido horário. A palavra que preenche adequadamente a lacuna é: a) O azimute. b) A analema. c) A declinação. d) A latitude. e) A longitude. 39. Espaço, lugar, território e paisagem constituem conceitos dos estudos geográficos. Leia os itens abaixo. I - O território constitui para a Geografia apenas o domínio político de um Estado dentro de um determinado espaço geográfico. Território e espaço, portanto, têm exatamente o mesmo significado. II - O espaço geográfico, ou simplesmente espaço, é analisado levando em conta os lugares, as regiões, os territórios e as paisagens. III - Tudo aquilo que vemos e que nossa visão alcança é a paisagem. A dimensão da paisagem é a dimensão da percepção, o que chega aos nossos sentidos. IV - A paisagem é o conjunto das formas construídas pelo homem moderno em função de recursos tecnológicos. O espaço é composto por essas formas e pela vida que as anima. Portanto paisagem e espaço são sinônimos, têm o mesmo significado. V - O lugar é um espaço produzido ao longo de um determinado tempo. Apresenta singularidades, é carregado de simbolismo e agrega ideias e sentidos produzidos por aqueles que o habitam. 37. Um navio que, navegando pelo Atlântico, cruza o Trópico de Câncer e segue do norte para o sul, de tal forma que, observando-se no mapa, a trajetória percorrida é representada como uma reta. Esse percurso descrito no enunciado revela que o navio: I - Seguirá passando por latitudes cada vez maiores até cruzar a linha equatorial. II - Estará modificando constantemente a latitude, porém permanece na mesma longitude. III - Estará se aproximando cada vez mais do meridiano de origem. IV - Estará navegando pelas águas do hemisfério austral. V - Estará se distanciando cada vez mais do círculo polar ártico. Estão corretas as afirmações: a) I, II e IV. b) I, III e V. c) II e III. d) II e V. e) III, IV e V. Sobre o significado desses termos para a Geografia, assinale as assertivas corretas: a) I, II, III e IV. b) I, II, IV e V. c) II, III, IV e V. d) II, III e IV. e) II, III e V. 40. As empresas transnacionais exercem importante papel no comércio internacional e nos investimentos estrangeiros espalhados ao redor do mundo. Com relação à atuação das empresas transnacionais, é correto afirmar: a) ocorre nos países subdesenvolvidos e é responsável tanto pelo desenvolvimento econômico e social local quanto pela diminuição das desigualdades de classes. b) permite a independência financeira e de operação de investimentos das filiais frente às matrizes. c) busca verticalizar, por meio da globalização, a produção, objetivando a redução final do custo.

11 Simulado - 12 d) transfere as matrizes localizadas nos países sede, b) Somente as afirmativas I e IV são corretas. como EUA, Europa e Japão, para países subdesenvolvidos, a fim de pagar menos impostos. d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. e) restringe-se aos países desenvolvidos, em virtude da e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. presença de um mercado consumidor mais lucrativo. 42. Observe o quadro a seguir. 41. Observe o desenho e o texto. Importantes invenções dos séculos XIX e XX Assim Caminha a Humanidade - Sociedade de Consumo - /blogdopedronelito.blogspot.com.br/2012/02/assimcaminha-humanidade.html, 29/05/2012 Invenções Ano Inventores Telefone 1876 Alexander Graham Bell (escocês, residente no Canadá e nos EUA) Carro 1886 Gottlieb Daimler (alemão) Rádio 1896 Guglielmo Marconi (italiano) Avião 1903 Irmãos Wright (norte-americanos): 1906 Flyer 1 Alberto Santos Dumont (brasileiro): 14 bis Computador 1945 Marinha dos EUA e Universidade de Harvard: Harvard Mark 1" Satélite 1957 Comunidade científica da URSS: Sputinik Internet 1969 Comunidade científica dos EUA: Arpanet adaptado de BOMENY, Helena e outros - Tempos Modernos, Tempos de Sociologia - São Paulo: Editora do Brasil, 2010 A sociedade de consumo mantém uma correlação com o neoliberalismo, que amplia o espaço privado, restringe o espaço público e transforma os direitos sociais em serviços demarcados pelo mercado. Sobre essa dinâmica, considere as afirmativas a seguir. I - Na lógica neoliberal do mercado, a busca do sucesso, a qualquer preço, pelo indivíduo e a volatilidade do sistema econômico-financeiro geram fatores de insegurança social. II - O planeta foi transformado em uma unidade de operações das corporações financeiras, sendo a fragmentação e a dispersão socioeconômica consideradas como natural e positiva. III - Os valores sociais constituídos no seio das comunidades tradicionais são respeitados por indivíduos egocentrados, portadores dos valores essenciais do neoliberalismo. IV - A democracia encontra-se prestigiada pela capacidade dos cidadãos de vender os direitos conquistados como serviços. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I e II são corretas. As invenções apresentadas no quadro afetaram o mundo contemporâneo, em especial, no que se refere à circulação de ideias, pessoas e mercadorias. Em conjunto, essas invenções tiveram efeito principalmente sobre a ampliação da: a) intervenção estatal. b) integração territorial. c) distribuição da riqueza. d) mobilidade ocupacional. e) desglobalização financeira. 43. Leia os textos a seguir. I Ao se emanciparem da tutela senhorial, muitos camponeses foram desligados legalmente da antiga terra. Deveriam pagar, para adquirir propriedade ou arrendamento. Por não possuírem recursos, engrossaram a camada cada vez maior de jornaleiros e trabalhadores volantes, outros, mesmo tendo propriedade sobre um pequeno lote, suplementavam sua existência com o assalariamento esporádico. MACHADO, P. P. Política e colonização no Império Porto Alegre: EdUFRGS, adaptado

12 Simulado - 13 II qualquer informação. Com a globalização da economia ampliou-se a O verdadeiro problema das sociedades pós-industriais não é a penúria**, mas a abundância. As socieda- hegemonia do modelo de desenvolvimento agropecuário, com seus padrões tecnológicos, caracterizando o des modernas têm à sua disposição muito mais do que agronegócio. Essa nova face da agricultura capitalista necessitam em objetos, informações e contatos. também mudou a forma de controle e exploração da terra. Ampliou-se, assim, a ocupação de áreas agricultáveis uma oferta, não excessiva, mas incoerente, e uma de- Ou,mais exatamente, disso resulta uma desarmonia entre e as fronteiras agrícolas se estenderam. manda que, confusamente, exige uma escolha muito SADER, E.; JINKINGS, I. Enciclopédia Contemporânea da América mais rápida a absorver. Por isso os órgãos de informação devem escolher, uma vez que o homem contempo- Latina e do Caribe - São Paulo: Boitempo, adaptado râneo apressado, estressado, desorientado busca uma Os textos demonstram que, tanto na Europa do século linha diretriz, uma classificação mais clara, um XIX quanto no contexto latino-americano do século XXI, condensado do que é realmente importante. as alterações tecnológicas vivenciadas no campo interferem na vida das populações locais, pois (**) miséria, pobreza (*) fome excessiva, desejo descontrolado a) induzem os jovens ao estudo nas grandes cidades, Voyenne, B. Informação hoje. Lisboa: Armand Colin, adaptado causando o êxodo rural, uma vez que formados, não retornam à sua região de origem. Com o uso das novas tecnologias, os domínios midiáticos b) impulsionam as populações locais a buscar linhas de obtiveram um avanço maior e uma presença mais atuante junto ao público, marcada ora pela quase simultanei- financiamento estatal com o objetivo de ampliar a agricultura familiar, garantindo sua fixação no campo. dade das informações, ora pelo uso abundante de imagens. A relação entre as necessidades da sociedade c) ampliam o protagonismo do Estado, possibilitando a grupos econômicos ruralistas produzir e impor políticas moderna e a oferta de informação, segundo o texto, é agrícolas, ampliando o controle que tinham dos mercados. desarmônica, porque: d) aumentam a produção e a produtividade de determinadas culturas em função da intensificação da mecanizates antes de publicá-las. a) o jornalista seleciona as informações mais importanção, do uso de agrotóxicos e cultivo de plantas transgênicas. do que a tecnologia pode dar. b) o ser humano precisa de muito mais conhecimento e) desorganizam o modo tradicional de vida impelindo-as à c) o problema da sociedade moderna é a abundância de busca por melhores condições no espaço urbano ou em informações e de liberdade de escolha. outros países em situações muitas vezes precárias. d) a oferta é incoerente com o tempo que as pessoas têm para digerir a quantidade de informação disponível. 44. A marcha galopante das tecnologias teve por primeiro resultado multiplicar em enormes proporções tanto a maneira desorganizada e sem controle efetivo. e) a utilização dos meios de informação acontece de massa das notícias que circulam quanto as ocasiões de sermos solicitados por elas. Os profissionais têm tendência a considerar esta inflação como automaticamen- consciência por parte dos historiadores do relativismo 45. O que força a história a se redefinir é a tomada de te favorável ao público, pois dela tiram proveito e tornam-se obcecados pela imagem liberal do grande merdores do passado providencialistas ou positivistas, mas de sua ciência. A História não é exclusiva dos historiacado em que cada um, dotado de luzes por definição o produto de uma situação, de uma história(...) A história nova não se contenta mais com as ilusões da Histó- iguais, pode fazer sua escolha em toda liberdade. Isso jamais foi realizado e tende a nunca ser. Na verdade, os ria positivista, e, a partir daí, faz uma crítica decisiva do leitores, ouvintes, telespectadores, mesmo se se abandonam à sua bulimia*, não são realmente nutridos por arrastá-la para uma coisa diferente dela mesma, quer fato ou do acontecimento histórico que se arrisca a esta indigesta sopa de informações e sua busca finaliza em frustração. Cada vez mais frequentemente, até, sistemas de explicação histórica. se trate de finalismos marxistas ou dos mais seguros eles ressentem esse bombardeio de riquezas falsas Goff, Jacques Le. E Nora, Pierre como agressivo e se refugiam na resistência a toda ou A Escrita da História - Paris, Gallimard, vol. I - pag. 10

13 Simulado - 14 Pela leitura do texto, pode-se depreender que: a) A história é toda ela relativista, pois trabalha sempre com conceitos totalizantes que deem conta da complexidade das sociedades como Modo de Produção ou sistema. b) Para a história nova, o processo histórico é permeado pelo conflito entre forças produtivas e relações sociais de produção. c) A história deve ser uma ciência exclusiva de especialistas que se utilizem de métodos, abordagens consistentes para o estudo crítico do passado. d) A história nova recusa a filosofia tradicional, mas se mantém aberta às contribuições de outras áreas, extrapolando as divisões tradicionais e acrescentando novos estudos. 47. Leia os itens a seguir, que contém possíveis condições para o surgimento do Estado nas sociedades da Antiguidade. I - Gradativa diferenciação da sociedade em classes sociais, impulsionada por uma divisão do trabalho mais intensa, capaz de produzir excedentes de alimentos. II - Passagem da economia comunal para uma economia escravista, propiciando aumento da produção de excedentes e de trocas, com uma divisão do trabalho entre agricultura, pecuária e artesanato. III - Constituição da propriedade da terra e do regime de servidão coletiva nas sociedades orientais para que as grandes construções públicas fossem realizadas sob orientação dos grupos dirigentes. e) O papel determinante exercido pela economia e a crença na evolução histórica fazem da história nova, a mais inovadora das concepções de história. Quais dentre eles apresentam efetivas condições para tal surgimento? a) I b) I e II c) I e III 46. O período Neolítico foi marcado pela transição do d) II e III e) I, II e III coletivismo do período pré-histórico à verdadeira noção de propriedade dos tempos históricos. (...) A produção de grãos deu origem ao celeiro e, este, por sua vez, originou uma muralha de proteção. Logo foi preciso formar um exército para defender o celeiro. Com isso, surgiram o poder para controlar o excedente e a figura do administrador, a quem cabia fixar os impostos e registrar os sacos de trigo produzidos. (...) Erigiam-se assim os pilares de um mundo novo, bem diverso do da Pré-História. Cláudio Vicentino. História Geral. Editora scipione. 1991) 48. Leia com atenção as afirmações a seguir sobre as condições sociais, políticas e econômicas do Egito e da Mesopotâmia e assinale a alternativa correta. a) As condições ecológicas explicam porque a agricultura de irrigação era praticada através de uma agricultura individualista. b) Na economia da Baixa Mesopotâmia, sob influência direta das cheias dos rios Tigre e Eufrates, erigiram-se economias guerreiras e militaristas como a dos assírios. c) A presença dos rios Nilo, Tigre e Eufrates possibilitou o desenvolvimento da agricultura e das primeiras civilizações, O texto permite concluir que: a) Não havia diferença significativa entre a pré-história e o novo período mencionado no texto. b) O advento do poder central manteve como fundamento da sociedade, o coletivismo praticado nos tempos préhistóricos. c) A referência à propriedade e dos excedentes estão ligados ao aparecimento da muralha e de um exército sob a égide de reinos e governos unificados. d) Na Suméria, os templos e zigurates foram construídos graças à riqueza que os sacerdotes administravam à custa do trabalho dos escravos que constituíam a base do modo de produção asiático. e) No Egito Antigo, havia a crença de que práticas de embalsamamento e mumificação dos mortos prolongavam a vida terrena e o êxito da agricultura. que não existiam durante o período coletivista. d) O mundo novo que surgiu aboliu completamente os elementos dos tempos pré-históricos como o extrativismo e a divisão natural de tarefas. e) O aparecimento da figura do imperador foi determinado pelas crenças religiosas das comunidades primitivas que atrelavam sua sobrevivência unicamente a um ser superior e imortal. 49. Os antigos egípcios não tinham, como nós, uma noção de arte como atividade que se autojustifica: arquitetos, escultores ou pintores viam-se como funcionários ou como artesãos que produziam objetos funcionais para uso religioso, funerário ou de outro tipo. A arte girava em torno dos deuses, do rei-deus e da corte. Sendo o faraó o construtor principal e o maior consumidor de objetos de arte (...)

14 Simulado - 15 A partir de texto e de seus conhecimentos, pode-se afirmar que: XIX, que permitiram a reversão do anterior quadro de teção às populações indígenas, no começo do século a) No Egito predominava a noção de arte pela arte, daí extermínio observado até aquele momento. a popularidade das criações artísticas. b) Havia no Egito um governo plutocrático, governado pelos 51. A economia das possessões coloniais portuguesas ricos mecenas que financiavam as obras artísticas. na América foi marcada por mercadorias que, uma vez c) No antigo Egito, os artistas eram especialistas de exportadas para outras regiões do mundo, podiam alcançar alto valor e garantir, aos envolvidos em seu co- tempo integral, admirados e cortejados por todos, principalmente pelos escribas, sacerdotes e pelo faraó que mércio, grandes lucros. Além do açúcar, explorado desde meados do século XVI, e do ouro, extraído regular- buscavam legitimar seu status social. d) No Egito, as obras de arte buscavam retratar o poder mente desde fins do XVII, merecem destaque, como elementos de exportação presentes nessa economia: político e religioso dos faraós, sendo por isso, instrumentos ideológicos do Estado. a) tabaco, algodão e derivados da pecuária. e) Os pintores, arquitetos e escultores tinham como única b) ferro, sal e tecidos. preocupação, a beleza de suas obras, pois trabalhavam c) escravos indígenas, arroz e diamantes. apenas para o deleite dos consumidores. d) animais exóticos, cacau e embarcações. e) drogas do sertão, frutos do mar e cordoaria. 50. A população indígena brasileira aumentou 150% na década de 1990, passando de 294 mil pessoas para 734 Texto para as questões de 52 a 54. mil, de acordo com uma pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O cresmover a primitiva acumulação capitalista nos quadros A colonização [...] organiza-se no sentido de procimento médio anual foi de 10,8%, quase seis vezes da economia europeia, ou noutros termos, estimular o maior do que o da população brasileira em geral. progresso burguês nos quadros da sociedade ocidental. 21/11/2007 É esse sentido profundo que articula todas as peças do sistema: assim, em primeiro lugar, o regime do comércio se desenvolve nos quadros do exclusivo metropoli- A notícia acima apresenta: a) dado pouco relevante, já que a maioria das populações indígenas do Brasil encontra-se em fase de produtos indispensáveis ou complementares às econotano; daí, a produção colonial orientar-se para aqueles extinção, não subsistindo, inclusive, mais nenhuma população originária dos tempos da colonização portugue- a permitir o funcionamento global do sistema. Em oumias centrais; enfim, a produção se organiza de molde sa da América. tras palavras: não bastava produzir os produtos com b) discrepância em relação a uma forte tendência histórica observada no Brasil, desde o século XVI, mas que pensável produzi-los de modo a que a sua comercia- procura crescente nos mercados europeus, era indis- não é uniforme e absoluta, já que nas últimas décadas lização promovesse estímulos à acumulação burguesa não apenas tais populações indígenas têm crescido, mas nas economias europeias. Não se tratava apenas de também o próprio número de indivíduos que se produzir para o comércio, mas para uma forma especial autodenominam indígenas. de comércio - o comércio colonial; é, mais uma vez, o c) um consenso em torno do reconhecimento da importância dos indígenas para o conjunto da população bra- capital), que comanda todo o processo da colonização. sentido último (aceleração da acumulação primitiva de sileira, que se revela na valorização histórica e cultural Ora, isto obrigava as economias coloniais a se organizarem de molde a permitir o funcionamento do sistema que tais elementos sempre mereceram das instituições nacionais. de exploração colonial, o que impunha a adoção de formas de trabalho compulsório ou na sua forma limite, o d) resultado de políticas públicas que provocaram o fim dos conflitos entre os habitantes de reservas indígenas escravismo. e demais agentes sociais ao seu redor, como proprietários rurais e pequenos trabalhadores. XVII e XVIII transitava-se da servidão feudal para o tra- (...) Assim, enquanto na Europa dos séculos XVI, e) natural continuidade da tendência observada desde a balho assalariado, que passou a dominar as relações criação das primeiras políticas governamentais de pro- de produção a partir da revolução industrial, no Ultra-

15 Simulado - 16 mar, isto é, no cenário da europeização do mundo, o salariato: como poderiam, então, funcionar os mecanismos do exclusivo comercial?) monstro da escravidão mais crua reaparecia com uma intensidade e desenvolvimento inéditos.(...). Bem é verdade (...) que Marx dizia que as colônias acabam por volume e no ritmo definido pelo mercado europeu, aten- Por outro lado, a produção colonial exportadora, no revelar o segredo da sociedade capitalista... dendo pois às necessidades do desenvolvimento capitalista, só se podia ajustar ao sistema colonial organi- Novais, Fernando A - Portugal e Brasil na Crise do Antigo Sistema Colonial ( ). 2ª. ed. São Paulo: Hucitec, 1981, págs zando-se como produção em larga escala, o que pressupunha amplos investimentos iniciais; com isso ficava 52. Segundo o autor, o sentido maior da colonização também excluída a possibilidade de uma produção organizada à base de pequenos proprietários autônomos, era: a) O enriquecimento da burguesia que havia apoiado o que produzissem sua subsistência, exportando o pequeno excedente. rei contra a nobreza. b) O enriquecimento de ambas, nobreza e burguesia, que idem - págs começavam a afastar-se da Monarquia. c) A dispersão de capital por todo o país, de modo a causar desenvolvimento homogêneo. autor: Sobre a adoção da mão de obra escrava, conforme o d) A acumulação de capital, origem fundadora do sistema do capital no Ocidente. b) Integrou o sistema, articulando uma forma de trabalho a) Buscou impedir o povoamento das colônias. e) Conforme a região, a ocupação para povoamento ou para ao comércio, impedindo a acumulação de capital na metrópole. a exploração, afirmando as necessidades da Europa. c) Integrou o sistema, articulando uma forma de trabalho ao comércio, impulsionando a acumulação de capi- 53. Efetivamente, nas condições históricas em que se processa a colonização da América, a implantação de tal na metrópole. formas compulsórias de trabalho decorria fundamentalmente da necessária adequação da empresa coloniza- tendência natural dos sistemas coloniais de todas as d) Foi uma forma de produção em larga escala, uma dora aos mecanismos do Antigo Sistema Colonial, tendente a promover a primitiva acumulação capitalista na e) Buscava impedir o desenvolvimento de uma economia épocas. economia europeia; do contrário, dada a abundância de de subsistência nas colônias, afirmando o Pacto Colonial. um fator de produção (a terra), o resultado seria a constituição no Ultramar de núcleos europeus de povoamento, desenvolvendo uma economia de subsistência volta- a) Opõem-se, já que no primeiro texto não se ressalta o 54. Em relação aos dois textos, deve-se admitir que: da para o seu próprio consumo, sem vinculação efetiva papel dos escravos. com os centros dinâmicos metropolitanos. Isto, entretanto, ficava fora dos impulsos expansionistas do capivo negro como mercadoria e o segundo como mão de obra. b) Opõem-se porque o primeiro aponta o papel do escratalismo mercantil europeu, não respondia às suas necessidades. (...) Produzir para o mercado europeu nos tar a questão da acumulação de capital mercantil. c) São textos complementares que juntos buscam apon- quadros do comércio colonial tendentes a promover a d) A alternativa anterior estaria perfeitamente correta se acumulação primitiva de capital nas economias europeias não se tivesse referido a capital mercantil e preferisse exigia formas compulsórias de trabalho, pois do contrário, ou não se produziria para o mercado europeu (os e) Os dois textos não se relacionam, embora tenham sido acumulação de capital para o capitalismo. colonos povoadores desenvolveriam uma economia voltada para o próprio consumo), ou se se imaginasse uma escritos pelo mesmo autor. produção exportadora organizada por empresários que 55. A imagem a seguir mostra uma célula pertencente a assalariassem trabalho, os custos da produção seriam um grupo de seres vivos. Assinale a alternativa que contenha as letras indicando estruturas que nos dariam total tais que impediriam a exploração colonial (...) (os salários dos produtores diretos tinham de ser de tal nível que certeza de ser uma célula eucarionte e não procarionte e compensassem a alternativa de eles se tornarem produtores autônomos de sua subsistência, evadindo-se do conter o tipo de substância usado como reserva tratar-se de uma célula vegetal; a alternativa marcada deve energética.

16 Simulado - 17 clorofila, transporte ativo c) contração muscular, dentes, hemoglobina, hemocianina, impulso nervoso C d) paratireoide, contração muscular, coagulação sanguínea, B A fotossíntese, raquitismo e) bócio endêmico, raquitismo, anemia, coagulação sanguínea, hipotireoidismo a) B e C; A; amido b) B e C; A; quitina c) A; apenas B; amido d) A; C e B; glicogênio e) A; B e C; amido 56. No esquema a seguir, as estruturas indicadas pelos números V, VII, IV e II, realizam como funções principais: I V I I I I I VI IV VII a) fotossíntese, controle osmótico, secreção, síntese de lipídeos b) respiração, controle osmótico, secreção, síntese protéica c) divisão celular, armazenamento, síntese de lipídeos, síntese protéica d) respiração, desintoxicação, secreção, síntese protéica e) secreção, controle osmótico, síntese de ATP, síntese de esteroides 57. Os minerais, assim como as vitaminas e água, são nutrientes reguladores, participando diretamente no metabolismo celular, nas reações enzimáticas e na elaboração de inúmeras substâncias e estruturas em qualquer ser vivo. Os elementos como: Iodo, cálcio, ferro, magnésio, potássio e sódio, estão direta ou indiretamente envolvidos com as estruturas, funções e patologias bem conhecidas. Encontramos a correlação correta e respectiva na alternativa: a) hormônio do metabolismo; ossos, hemácias; fotossíntese, impulso nervoso b) tireoide, transporte de gases, coagulação sanguínea, Leia atentamente o texto que servirá para responder às questões 58 e 59. A descoberta da doença de Chagas foi uma das mais completas e bem sucedidas da história da biologia, da ecologia e da patologia parasitária humana. Pela primeira vez na história, um mesmo pesquisador descobriu a doença, bem como seu agente etiológico, vetor, reservatórios doméstico e silvestre e animais de laboratório susceptíveis à infecção. Em 1907 o Dr. Carlos Ribeiro Justiniano das Chagas (Carlos Chagas), Assistente do Instituto Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, foi designado pelo então Diretor, Dr. Oswaldo Gonçalves Cruz, para controlar a malária entre os trabalhadores na construção do prolongamento da Estrada de Ferro Central do Brasil, na região do Rio das Velhas, entre Corinto e Pirapora, no Norte do Estado de Minas Gerais. Instalando em um vagão de trem, ao mesmo tempo, sua residência e laboratório e utilizando como ambulatório o alpendre de uma casa abandonada na pequena localidade de Lassance, Carlos Chagas iniciou o trabalho de controle da malária. Como médico e pesquisador não se limitou ao tratamento dos doentes. Nas horas vagas, capturava, classificava e estudava os hábitos dos anofelinos e de outros mosquitos locais, examinava o sangue de animais domésticos e silvestres, procurando esclarecer aspectos nosológicos (nosologia: estudo das moléstias) e ecológicos desconhecidos. Em 1908, Chagas encontrou no sangue de um pequeno macaco, comum na região - Callitrhix penicillata (marmoset) -, um tripanossomo que denominou Trypanosoma minasense (Chagas, 1908). Nesse mesmo ano, o engenheiro Cantarino Mota, da Estrada de Ferro, chamou a sua atenção para a presença de grandes hematófagos, chamados de barbeiros pelos residentes da região, nas choupanas. Examinando-as, Chagas encontra nas frestas das paredes grande quantidade desses insetos, os quais classifica provisoriamente como Conorrhinus sanguesuga, verificando no conteúdo intestinal deles a presença de numerosos flagelados

17 Simulado - 18 que identificou como Chrithidias, hoje designados epimastigotas (Hoare, 1972). Formulou na ocasião duas hipóteses: os flagelados seriam parasitos do próprio inseto ou formas evolutivas de um parasito de vertebrados, talvez o Trypanosoma minasense ou outro parasita do próprio homem. Não tendo condições laboratoriais seguras em Lassance, Chagas mandou exemplares dos insetos, infectados com os flagelados, para o seu mestre, Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro. Este os fez alimentar em Callithrix de laboratório, limpos, os quais apresentaram três semanas depois tripanossomos no sangue. Chamado por Oswaldo Cruz, Chagas veio ao Rio de Janeiro e verificou que o tripanossomo dos macacos era completamente diferente do Trypanosoma minasense por ele estudado anteriormente. Apresentava morfologia diversa, formas finas e largas, infectavam com facilidade animais de laboratório como o macaco, o cão, o coelho e o gato e era cultivado em meio de ágar-sangue. Ao novo tripanossomo, Chagas deu o nome de Trypanosoma quantidade de barbeiros, mas verificou no conteúdo intestinal a presença de numerosos flagelados que identificou como Chrithidias, hoje designados epimastigotas (Hoare, 1972). Formulou na ocasião duas hipóteses: os flagelados seriam parasitos do próprio inseto, formas evolutivas de um parasito de vertebrados ou parasita do próprio homem. A presença dos tripanossomos no conteúdo intestinal do transmissor deve ter ocorrido, pois: a) Os barbeiros adquiriram os tripanossomos através das fezes de seus reservatórios naturais. b) Os insetos adquiriram os tripanossomos sugando o sangue de seus reservatórios naturais ou de pessoa contaminada. c) Os Panstrongylus megistus já nascem com os tripanossomos, pois são seus vetores. d) No barro formador das paredes da casa de pau a pique já existe o protozoário. e) Os Conorrhinus sanguesuga adquirem os tripanossomos das fezes de outros insetos habitantes da mesma parede. cruzi em homenagem ao seu mestre e diretor, Oswaldo Cruz. Os insetos trazidos por Chagas foram então classificados por seu colega do Instituto, com maior experiência 60. O esquema representa um ovo de lagarto em pleno desenvolvimento embrionário. em Entomologia, Arthur Neiva, como Conorrhinus CO II 2 O 2 megistus (Neiva, 1910), hoje Panstrongylus megistus casca do ovo (Burmeister, 1835). Bibliografia: COURA, José Rodrigues - Síntese Histórica e Evolução dos Conhecimentos Sobre Doença de Chagas. In: DIAS, João Carlos Pinto; COURA, José Rodrigues (Orgs.). Clínica e Terapêutica da Doença de Chagas: Uma abordagem prática para o clínico geral. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1997, 486 págs córion I câmera aérea clara As estruturas indicadas pelos algarismos I e II representam: 58. O texto anterior traz um breve e histórico relato sobre a descoberta da doença de Chagas, fazendo referência também à malária. A principal diferença entre os causadores dessas duas doenças é: a) A forma de locomoção, respectivamente, por flagelos e sem estrutura locomotora. b) A forma de locomoção, respectivamente, por flagelos e esporos. c) Ser a primeira transmitida por mosquitos e a malária pelo percevejo barbeiro. d) Ser a primeira transmitida pelo Trypanosoma cruzi e a segunda pelo esporozoário Plasmodium sp. e) Ser a primeira transmitida pela picada do barbeiro e a segunda pela do mosquito Anopheles sp. a) O alantoide, que armazena as substâncias nutritivas para o embrião e o saco vitelínico. b) O âmnio, que acumula o líquido amniótico, no qual fica mergulhado o embrião e o alantoide, no qual são armazenados os produtos da excreção nitrogenada. c) O saco vitelínico, que é uma estrutura que impede a desidratação do embrião e o alantoide. d) O alantoide, no qual são armazenados nutrientes para o embrião e o âmnio, que é responsável pela nutrição das células embrionárias. e) O alantoide, no qual são armazenados os produtos da excreção nitrogenada e o âmnio, que acumula o líquido amniótico, no qual fica mergulhado o embrião. 59. Chagas encontrou nas frestas das paredes grande 61. Analise o esquema a seguir e assinale a alternativa

18 Simulado - 19 que indica corretamente o nome da estrutura A na fase Sobre as quatro frases anteriores pode ser afirmado que: de gástrula do desenvolvimento embrionário e seu destino num tubarão e numa lombriga: não o Renascimento, estando, portanto, I e III errados. a) Na verdade, o século XVI abrange o período Barroco e C b) Todos os alunos acertaram o que afirmaram. D c) Só o aluno III errou, uma vez que a caixa torácica também faz parte do celoma humano. B d) Os alunos II e IV fizeram afirmações incorretas. e) O aluno II errou, pois somente a lombriga é animal A celomado, já a planária é acelomado. a) blastocele, ânus e boca. b) arquênteron, ânus e boca. QUANTAS ESPÉCIES EXISTEM NA TERRA? c) blastóporo, ânus e boca. A diversidade da vida é um dos aspectos mais d) blastóporo, boca e ânus. marcantes do nosso planeta, daí saber quantas espécies habitam a Terra está entre as questões mais funda- e) blastóporo, ânus e epiderme. mentais da ciência. 62. A figura a seguir faz parte da obra de Andrea Vesalius, Apesar de 250 anos de classificação taxonômica e De Humani Corporis Fabrica, publicada em Bruxelas, mais de 1,2 milhão de espécies já catalogadas em um em 1543, mostra o celoma humano com alguns órgãos banco de dados central, nossos resultados sugerem que internos, pertencentes ao sistema genito-urinário. Diversos outros órgãos foram retirados, permitindo desta for- das espécies no oceano ainda aguardam descrição. cerca de 86% das espécies existentes na Terra e 91% ma observar o espaço celomático. Globalmente, a nossa melhor aproximação para o número total de espécies é baseada na opinião de especialistas taxonômicos, cujas estimativas variam entre 3 e 100 milhões de espécies... Mora C, Tittensor DP, Adl S, Simpson AGB, Worm B (2011) PLoS Biol 9 (8): e doi: /journal.pbio Da análise dos dados a seguir, publicados pela PLoS (Public Library of Science) em 23/08/2011. PLANTAS E ANIMAIS OCEÂNICOS E TERRESTRES Sobre a época dos trabalhos de Vesalius e sobre o celoma que foi muito importante no desenvolvimento dos órgãos internos durante a evolução animal, 4 alunos da fizeram as seguintes afirmações: I - O celoma é revestido por fora e por dentro por mesoderme e pode ser observado nesta imagem baseada em estátuas da antiguidade clássica, como era comum na execução de obras artísticas do Renascimento. II - A planária e a lombriga podem ser citadas como organismos celomados. III - Nesta obra do Renascimento, os rins estão localizados na cavidade celomática, porém, não o coração, uma vez que este não está no celoma, mas na caixa torácica. IV - Todos os organismos triblásticos são também celomados. Domínio Eukarya Reino Plantae Reino Animalia Número de Espécies Ambiente Marinho Ambiente Terrestre descritas previstas descritas previstas a) o número conhecido de espécies animais deve ser aproximadamente maior do que b) o número previsto de espécies animais no ambiente terrestre deve ser menor do que c) são conhecidas, no ambiente terrestre, espécies vegetais. d) eram previstas, no ambiente marinho, aproximadamente, espécies vegetais. e) eram calculadas, aproximadamente, espécies animais no ambiente marinho. 64. Camundongos, ratos e ratazanas são roedores, por-

19 Simulado - 20 tanto apresentam crescimento contínuo dos dentes incisivos necessitando roer para desgastá-los antes que sível concluir que: A interpretação mais recente dessa análise, torna pos- saiam de sua boca. A ratazana, que pertence à espécie a) essas três espécies de mamíferos apresentam semelhança até o grupo taxonômico família, tendo os chim- Rattus norvegicus, pode atingir mais de 30 centímetros de comprimento apresentando cauda curta menor que o panzés evoluído após os bonobos. tamanho somado de sua cabeça e seu corpo e orelhas b) chimpanzés e bonobos evoluíram após o homem e as três pequenas. espécies diferenciam-se já no grupo taxonômico classe. Mus musculus, popularmente denominado camundongo ou rato-doméstico, em média atinge 8 centímetros e espécies, os bonobos são mais recentes e a semelhan- c) ao longo da evolução animal, envolvendo essas três Rattus rattus (rato-preto) pode alcançar 40 cm de comprimento expondo uma cauda longa maior do que o com- taxonômica filo. ça entre as mesmas já está presente na categoria primento de sua cabeça e do seu corpo. d) Pan troglodytes já estava presente no planeta antes As orelhas do rato são maiores do que as orelhas de Pan paniscus e Homo sapiens e a diferença entre as das ratazanas. três espécies só pode ser observada no grupo taxonômico gênero. e) embora bonobos e chimpanzés sejam primatas assim como o homem, as duas espécies participam de um domínio diferente do domínio humano. 66. No quadro a seguir são relatadas algumas espécies de aves frugívoras e certas espécies vegetais cujos frutos são consumidos por esses animais, numa determinada área da mata atlântica ; Myrtaceae Não é correto afirmarmos que: a) Rattus rattus e Mus musculus compõem um mesmo filo. b) da análise das dimensões corpóreas desses três animais, o camundongo é um ratinho e a ratazana, um ratão. c) rato-preto, rato-doméstico e ratazana roem para desgastar dentes com crescimento sucessivo. d) fígado e ossos de Mus musculus e Rattus norvegicus podem ser fontes de eucélulas. e) Rattus norvegicus, Rattus rattus e Mus musculus formam uma mesma ordem. 65. Utilizando-se a análise bioquímica das proteínas e dos ácidos desoxirribonucleicos presentes na estrutura celular dos organismos de chimpanzés (Pan troglodytes), de seres humanos (Homo sapiens) e bonobos (Pan paniscus), pode-se mostrar seu provável parentesco através de um cladograma; Eugenia uniflora pitangueira Myrciaria cauliflora jabuticabeira Psidium guajava goiabeira Psittacidae Brotogeris chiriri periquito Pionus maximiliani maitaca-verde É correto afirmar que nesse quadro estão sendo citados; a) duas espécies de aves, dois taxa da categoria família, e três taxa da categoria gênero. b) cinco táxons da categoria gênero, três espécies de vegetais e dois táxons da categoria família. c) um táxon da categoria família e três espécies do reino Animalia. d) duas espécies animais e uma família pertencentes ao domínio Animalia. e) dois táxons da categoria família onde as cinco espécies, necessariamente, se relacionam. 67. A obtenção do alumínio a partir do minério bauxita envolve enorme quantidade de energia (3,6 x 10 6 joules por latinha), além do fato de a bauxita conter (em média) 55% de óxido de alumínio (alumina) e 45% de resíduos sólidos que podem gerar problemas ambientais.

20 Simulado - 21 Estimando em 10 minutos o tempo de duração de um banho, em um chuveiro cuja potência é de W, o número de banhos que poderiam ser tomados com a energia gasta na produção de apenas uma latinha de alumínio seria: (Dado: w = J. s 1 ) a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) Se uma determinada quantidade de um gás ideal ocupa o volume V 0 a 0ºC, a elevação de cada 1ºC na temperatura aumenta em 1/273 o volume anterior, sob pressão constante. Assim, a equação 1 V = V0 + V0 t permite calcular o volume a cada 273 temperatura desde que a pressão não se altere. O gráfico que traduz corretamente esta relação é: a) v b) v c) v o ºC d) v e) v o ºC 69. Um frasco para medicamento com capacidade de 50 ml, contém 35 ml de remédio, sendo o volume restante ocupado por ar. Uma enfermeira encaixa uma seringa nesse frasco e retira 10 ml do medicamento, sem que tenha entrado ou saído ar do frasco. Considere que durante o processo a temperatura do sistema tenha permanecido constante e que o ar dentro do frasco possa ser considerado um gás ideal. situação inicial ar 35 ml o ºC o ºC situação final ar o ºC 70. O rótulo de um pacote de batata frita indica que o produto possui 5% do valor diário de referência (VD) de NaCl. Dadas as massas molares em g mol 1, Na + = 23; Cl = 35,5 e a constante de Avogadro, 6,02 x mol 1, e sabendo-se que o VD definido pela Organização Mundial da Saúde para o NaCl é de 2,4 g, quantos íons Na + são ingeridos se o conteúdo total desse pacote for consumido? a) 0,012 b) 0,020 c) 12 x d) 31 x e) 20 x Uma barra de certo metal, de massa igual a 37,8g, foi introduzida num cilindro graduado contendo água. O nível da água contida no cilindro, antes (1) e após (2) a imersão da barra metálica é mostrado na figura I Analisando-se a figura, pode-se afirmar que o metal da barra metálica é provavelmente o: a) Ag, d = 10,50 g/cm 3 b) Al, d = 2,70 g/cm 3 c) Fe, d = 7,87 g/cm 3 d) Mg, d = 1,74 g/cm 3 e) Pb, d = 11,30 g/cm A velocidade com que um gás atravessa uma membrana é inversamente proporcional à raiz quadrada de sua massa molar. Três bexigas idênticas, feitas com membrana permeável a gases, expostas ao ar e inicialmente vazias, foram preenchidas, cada uma, com um gás diferente. Os gases utilizados foram hélio, hidrogênio e metano, não necessariamente nesta ordem. As bexigas foram amarradas, com cordões idênticos, a um suporte II 10 ml Na situação final em que a seringa com o medicamento ainda estava encaixada no frasco, a retirada dessa dose fez com que a pressão do ar dentro do frasco passasse a ser, em relação à pressão inicial: a) 60% maior b) 40% maior c) 60% menor d) 40% menor e) 25% menor. A B C Suporte Decorrido algum tempo, observou-se que as bexigas estavam como na figura. Conclui-se que as bexigas A,

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA 2011/HIST8ANOEXE2-PARC-1ºTRI-I AVALIAÇÃO PARCIAL 1º TRIMESTRE

Leia mais

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo ( Ásia, África,

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 2 Colonização Para melhor entender o espaço africano hoje, é necessário olhar para o passado afim de saber de que forma aconteceu a ocupação africana. E responder: O

Leia mais

Aula 1. Atividades. V. A cartografia é a arte que tem o interesse de explicar a origem do planeta Terra. Estão corretas: e) II, IV e V.

Aula 1. Atividades. V. A cartografia é a arte que tem o interesse de explicar a origem do planeta Terra. Estão corretas: e) II, IV e V. Aula 1 1. Atividades A palavra cartografia é relativamente nova, sendo utilizada pela primeira vez em 8 de dezembro de 1839. Seu uso aconteceu na carta escrita em Paris, enviada pelo português Visconde

Leia mais

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - PORTUGUÊS - 8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== BRINCADEIRA Começou

Leia mais

Professor: MARCOS ROBERTO Disciplina: HISTÓRIA Aluno(a): Série: 9º ano - REGULAR Turno: MANHÃ Turma: Data:

Professor: MARCOS ROBERTO Disciplina: HISTÓRIA Aluno(a): Série: 9º ano - REGULAR Turno: MANHÃ Turma: Data: Professor: MARCOS ROBERTO Disciplina: HISTÓRIA Aluno(a): Série: 9º ano - REGULAR Turno: MANHÃ Turma: Data: REVISÃO FINAL PARA O SIMULADO 1ª Avaliação: Imperialismo na Ásia e na África 01. Podemos sempre

Leia mais

VERIFICAÇÃO GLOBAL 4 HISTÓRIA 2ª ETAPA 7 a SÉRIE OLÍMPICA ENSINO FUNDAMENTAL

VERIFICAÇÃO GLOBAL 4 HISTÓRIA 2ª ETAPA 7 a SÉRIE OLÍMPICA ENSINO FUNDAMENTAL 1. Analise os quesitos a seguir e assinale, nos itens I e II, a única opção correta: (1,0 ponto) I. Observe a tirinha do Hagar e o texto de Alberto Caeiro: Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode

Leia mais

As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista?

As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista? As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista? Navegar era preciso, era Navegar era preciso navegar... Por quê? O que motivou o expansionismo marítimo no século

Leia mais

COLÉGIO O BOM PASTOR PROF. RAFAEL CARLOS SOCIOLOGIA 3º ANO. Material Complementar Módulos 01 a 05: Os modos de produção.

COLÉGIO O BOM PASTOR PROF. RAFAEL CARLOS SOCIOLOGIA 3º ANO. Material Complementar Módulos 01 a 05: Os modos de produção. COLÉGIO O BOM PASTOR PROF. RAFAEL CARLOS SOCIOLOGIA 3º ANO Material Complementar Módulos 01 a 05: Os modos de produção. Modos de Produção O modo de produção é a maneira pela qual a sociedade produz seus

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE GEOGRAFIA

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE GEOGRAFIA COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE GEOGRAFIA Aluno(a): Nº Ano: 9º Turma: Data: / /2012 Nota: Professor(a): Edvaldo Valor da Prova: 65 pontos Orientações gerais: 1)

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES

CADERNO DE ATIVIDADES COLÉGIO ARNALDO 2014 CADERNO DE ATIVIDADES GEOGRAFIA ATENÇÃO: Este trabalho deverá ser realizado em casa, trazendo as dúvidas para serem sanadas durante as aulas de plantão. Aluno (a): 5º ano Turma: Professora:

Leia mais

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares Walter Benjamin - Questões de Vestibulares 1. (Uem 2011) A Escola de Frankfurt tem sua origem no Instituto de Pesquisa Social, fundado em 1923. Entre os pensadores expoentes da Escola de Frankfurt, destaca-se

Leia mais

Brasil e suas Organizações políticas e administrativas. Brasil Atual 27 unidades político-administrativas 26 estados e distrito federal

Brasil e suas Organizações políticas e administrativas. Brasil Atual 27 unidades político-administrativas 26 estados e distrito federal Brasil e suas Organizações políticas e administrativas GEOGRAFIA Em 1938 Getúlio Vargas almejando conhecer o território brasileiro e dados referentes a população deste país funda o IBGE ( Instituto Brasileiro

Leia mais

Marie Curie Vestibulares Lista 4 Geografia Matheus Ronconi AGROPECUÁRIA, INDÚSTRIA E DISTRIBUIÇÃO TECNOLÓGICA MUNDIAL

Marie Curie Vestibulares Lista 4 Geografia Matheus Ronconi AGROPECUÁRIA, INDÚSTRIA E DISTRIBUIÇÃO TECNOLÓGICA MUNDIAL AGROPECUÁRIA, INDÚSTRIA E DISTRIBUIÇÃO TECNOLÓGICA MUNDIAL 1) (UDESC - 2012) São exemplos da indústria de bens de consumo (ou leve): a) Indústria de autopeças e de alumínio. b) Indústria de automóveis

Leia mais

Matemática Matemática Ciências Inglês História Geografia LPG LPG

Matemática Matemática Ciências Inglês História Geografia LPG LPG Joinville, 29 de novembro de 2013. Senhores Pais: Informamos que dia 06/12/2013, sexta feira, a partir das 14h, o boletim on-line estará disponível com notas referentes ao terceiro trimestre (após recuperação

Leia mais

O MUNDO MEDIEVAL. Prof a. Maria Fernanda Scelza

O MUNDO MEDIEVAL. Prof a. Maria Fernanda Scelza O MUNDO MEDIEVAL Prof a. Maria Fernanda Scelza Antecedentes Crises políticas no Império Romano desgaste; Colapso do sistema escravista; Problemas econômicos: aumento de impostos, inflação, descontentamento;

Leia mais

AS ORIGENS DO SUBDESENVOLVIMENTO

AS ORIGENS DO SUBDESENVOLVIMENTO AS ORIGENS DO SUBDESENVOLVIMENTO 1. A TEORIA LIBERAL Os Países pobres são pobres porque não atingiram ainda a eficiência produtiva e o equilíbrio econômico necessário à manutenção de um ciclo de prosperidade

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 01

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 LISTA DE EXERCÍCIOS 01 01 - (Unicamp 2014) Desde o período neolítico, os povos de distintas partes do mundo desenvolveram sistemas agrários próprios aproveitando as condições naturais de seus habitats

Leia mais

História/15 6º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / RECUPERAÇÃO FINAL 2015 HISTÓRIA 6º ano

História/15 6º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / RECUPERAÇÃO FINAL 2015 HISTÓRIA 6º ano História/15 6º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / 6ºhis302r RECUPERAÇÃO FINAL 2015 HISTÓRIA 6º ano Aluno(a), Seguem os conteúdos trabalhados no 2º trimestre. Como base neles você deverá iniciar seus

Leia mais

MUDANÇAS NO FEUDALISMO. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG

MUDANÇAS NO FEUDALISMO. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG MUDANÇAS NO FEUDALISMO Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG MUDANÇAS NO FEUDALISMO A partir do século XI Expansão das áreas de cultivo, as inovações técnicas.

Leia mais

No modo de produção escravista os trabalhadores recebiam salários muito baixos.

No modo de produção escravista os trabalhadores recebiam salários muito baixos. Atividade extra Fascículo 2 Sociologia Unidade 3 Questão 1 Leia com atenção o texto de Paul Lovejoy sobre escravidão: Enquanto propriedade, os escravos eram bens móveis: o que significa dizer que eles

Leia mais

O PULO DO GATO. Luiz Carlos Bresser-Pereira

O PULO DO GATO. Luiz Carlos Bresser-Pereira O PULO DO GATO Luiz Carlos Bresser-Pereira Entrevista publicada em Synthesis no.3, maio 1992; 4-9. Melhorar de vida tem sido uma preocupação do homem desde o século X, na Idade Média, quando a invenção

Leia mais

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPEIA E CONQUISTA DA AMÉRICA Nos séculos XV e XVI, Portugal e Espanha tomaram a dianteira marítima e comercial europeia, figurando entre as grandes

Leia mais

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar)

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Somos parte de uma sociedade, que (re)produz, consome e vive em uma determinada porção do planeta, que já passou por muitas transformações, trata-se de seu lugar, relacionando-se

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO UFMG / 2015

CONCURSO PÚBLICO UFMG / 2015 CONCURSO PÚBLICO UFMG / 2015 MÚSICO / CORREPETIDOR-CANTO LÍNGUA PORTUGUESA / LEGISLAÇÃO SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO Antes de começar a fazer as provas: Verifique se este caderno contém provas de: Língua

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

1. O rei da Belíndia (uma fábula para tecnocratas)

1. O rei da Belíndia (uma fábula para tecnocratas) 1. O rei da Belíndia (uma fábula para tecnocratas) ~ Era uma vez um reino situado num longínguo rincão a meio caminho entre o Ocidente e o Oriente, denominando Belindia. Segundo revelações dos antigos,

Leia mais

De Profundis.indd 25 20/05/15 18:01

De Profundis.indd 25 20/05/15 18:01 Janeiro de 1995, quinta feira. Em roupão e de cigarro apagado nos dedos, sentei me à mesa do pequeno almoço onde já estava a minha mulher com a Sylvie e o António que tinham chegado na véspera a Portugal.

Leia mais

Os Descobrimentos, a comunicação a nível global e a Conquista do Espaço

Os Descobrimentos, a comunicação a nível global e a Conquista do Espaço Os Descobrimentos, a comunicação a nível global e a Conquista do Espaço Este ponto é aqui. É a nossa casa. Somos nós, numa imagem tirada a partir de 6 mil milhões de quilómetros da Terra pela sonda Voyager

Leia mais

Jogli - 2012!! Gabarito: 1.E. 2.A. 3.E. 4.B. Geografia 2012!!!

Jogli - 2012!! Gabarito: 1.E. 2.A. 3.E. 4.B. Geografia 2012!!! Jogli - 2012!! Gabarito: 1.E. 2.A. 3.E. 4.B. Geografia 2012!!! 1.(UFABC 2009) Exibicionismo burguês. Verdadeiros espetáculos da evolução humana (as e xposições universais) traziam um pouco de tudo: de

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS 3º trimestre 2012

PLANO DE ESTUDOS 3º trimestre 2012 PLANO DE ESTUDOS 3º trimestre 2012 ano: 9º disciplina: geografia professor: Meus caros (as) alunos (as): Durante o 2º trimestre, você estudou as principais características das cidades globais e das megacidades

Leia mais

Urbanização Brasileira

Urbanização Brasileira Urbanização Brasileira 1. Veja, 28/6/2006 (com adaptações).27 Com base nessas informações, assinale a opção correta a respeito do pedágio nas cidades mencionadas. a) A preocupação comum entre os países

Leia mais

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009 Questão 01 UFBA - -2009 2ª FASE 2009 Na Época Medieval, tanto no Oriente Médio, quanto no norte da África e na Península Ibérica, muçulmanos e judeus conviviam em relativa paz, fazendo comércio e expressando,

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Total aulas previstas

Total aulas previstas ESCOLA BÁSICA 2/3 DE MARTIM DE FREITAS Planificação Anual de História do 7º Ano Ano Lectivo 2011/2012 LISTAGEM DE CONTEÚDOS TURMA Tema 1.º Período Unidade Aulas Previas -tas INTRODUÇÃO À HISTÓRIA: DA ORIGEM

Leia mais

BIOLOGIA. Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

BIOLOGIA. Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS BIOLOGIA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este caderno contém sete questões, constituídas de itens e subitens, abrangendo um total de quinze

Leia mais

HISTÓRIA DO DIREITO DO TRABALHO NO MUNDO OCIDENTAL

HISTÓRIA DO DIREITO DO TRABALHO NO MUNDO OCIDENTAL HISTÓRIA DO DIREITO DO TRABALHO NO MUNDO OCIDENTAL CÊGA, Anderson Associação Cultural e Educacional de Garça ACEG - Garça andersoncega@yahoo.com.br TAVARES, Guilherme Associação Cultural e Educacional

Leia mais

O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT)

O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT) O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT) O capitalismo teve origem na Europa, entre os séculos XIII e XIV, com o renascimento urbano e comercial e o surgimento de uma nova classe social:

Leia mais

Manual de Aplicação do Jogo da Escolha. Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas

Manual de Aplicação do Jogo da Escolha. Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas Manual de Aplicação do Jogo da Escolha Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas 1 1. Como o jogo foi elaborado O Jogo da Escolha foi elaborado em 1999 pelo Centro de Pesquisa em Álcool e Drogas

Leia mais

R.: R.: R.: R.: R.: R.: R.:

R.: R.: R.: R.: R.: R.: R.: PROFESSOR: EQUIPE DE HISTÓRIA BANCO DE QUESTÕES - HISTÓRIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== 01- Como o relevo

Leia mais

CONTEÚDOS PARA A 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL 1ª ETAPA 2014 ENSINO FUNDAMENTAL II CONTEÚDOS DA 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL DE CIÊNCIAS 1ª ETAPA 2014

CONTEÚDOS PARA A 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL 1ª ETAPA 2014 ENSINO FUNDAMENTAL II CONTEÚDOS DA 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL DE CIÊNCIAS 1ª ETAPA 2014 CONTEÚDOS DA 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL DE CIÊNCIAS 1ª ETAPA 2014 6º ANO - 17/ 03/ 2014 - Ecologia (níveis de organização; relações alimentares; cadeia e teia alimentar; relações ecológicas); 7º ANO - 17/ 03/

Leia mais

BRASIL: O ENSINO SUPERIOR ÀS PRIMEIRAS UNIVERSIDADES COLÔNIA IMPÉRIO PRIMEIRA REPÚBLICA

BRASIL: O ENSINO SUPERIOR ÀS PRIMEIRAS UNIVERSIDADES COLÔNIA IMPÉRIO PRIMEIRA REPÚBLICA BRASIL: O ENSINO SUPERIOR ÀS PRIMEIRAS UNIVERSIDADES COLÔNIA IMPÉRIO PRIMEIRA REPÚBLICA Tânia Regina Broeitti Mendonça 1 INTRODUÇÃO: Os espanhóis fundaram universidades em seus territórios na América desde

Leia mais

MARX, Karl Contribuição à Crítica da Economia Política

MARX, Karl Contribuição à Crítica da Economia Política ////////////////////////// Ficha de Leitura * ////////////////////////// MARX, Karl Contribuição à Crítica da Economia Política Introdução [À Crítica da Economia Política] Prefácio [Para a Crítica da Economia

Leia mais

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação 1 1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação O objetivo principal de Introdução Filosofia é despertar no aluno a percepção que a análise, reflexão

Leia mais

PROVA de HISTÓRIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006. Questão 01 II) Leia, atentamente, o trecho abaixo e responda ao que se pede:

PROVA de HISTÓRIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006. Questão 01 II) Leia, atentamente, o trecho abaixo e responda ao que se pede: PROVA de HISTÓRIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006 (cada questão desta prova vale até cinco pontos) Questão 01 Leia, atentamente, o trecho abaixo e responda ao que se pede: Para o filósofo grego Platão, nenhuma

Leia mais

É o estudo do processo de produção, distribuição, circulação e consumo dos bens e serviços (riqueza).

É o estudo do processo de produção, distribuição, circulação e consumo dos bens e serviços (riqueza). GEOGRAFIA 7ª Série/Turma 75 Ensino Fundamental Prof. José Gusmão Nome: MATERIAL DE ESTUDOS PARA O EXAME FINAL A GEOGRAFIA DO MUNDO SUBDESENVOLVIDO A diferença entre os países que mais chama a atenção é

Leia mais

GABARITO PRÉ-VESTIBULAR

GABARITO PRÉ-VESTIBULAR LINGUAGENS 01. C 02. D 03. C 04. B 05. C 06. C 07. * 08. B 09. A 10. D 11. B 12. A 13. D 14. B 15. D LÍNGUA ESTRANGEIRA 16. D 17. A 18. D 19. B 20. B 21. D MATEMÁTICA 22. D 23. C De acordo com as informações,

Leia mais

FILOSOFIA. Fernando Pessoa FILOSOFIA

FILOSOFIA. Fernando Pessoa FILOSOFIA Fernando Pessoa FILOSOFIA FILOSOFIA Se há um assunto eminentemente filosófico é a classificação das ciências. Pertence à filosofia e a nenhuma outra ciência. É só no ponto de vista mais genérico que podemos

Leia mais

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de A U A U L L A A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de rotação. É esse movimento que dá origem à sucessão dos dias

Leia mais

Guerra fria (o espaço mundial)

Guerra fria (o espaço mundial) Guerra fria (o espaço mundial) Com a queda dos impérios coloniais, duas grandes potências se originavam deixando o mundo com uma nova ordem tanto na parte política quanto na econômica, era os Estados Unidos

Leia mais

Como está a situação da população mundial e que expectativa razoável podemos ter para o futuro?

Como está a situação da população mundial e que expectativa razoável podemos ter para o futuro? População mundial Leia as manchetes abaixo: População mundial superará 9,2 bilhões em 2050, estima ONU BBC Brasil Casais ricos burlam lei do filho único na China BBC Brasil A população mundial atingiu

Leia mais

Sistema de Ensino CNEC

Sistema de Ensino CNEC 1 SUMÁRIO VOLUME 1 "O homem é um pedaço do Universo cheio de vida." Ralph Waldo Emerson Capítulo 1 O Tempo não para 5 Capítulo 2 Você percebendo-se como sujeito histórico 20 Capítulo 3 O Universo que nos

Leia mais

a. Na Idade Média, a principal riqueza que um homem poderia possuir era a terra. No texto, identifique

a. Na Idade Média, a principal riqueza que um homem poderia possuir era a terra. No texto, identifique Atividade extra Vivendo a vida do seu jeito Questão 1 A agricultura para consumo era, no feudalismo, a atividade principal. O comércio, muito reduzido. As terras não tinham valor de troca, de mercado,

Leia mais

CRISE DO ESCRAVISMO. O Brasil foi o último país da América Latina a abolir a escravidão.

CRISE DO ESCRAVISMO. O Brasil foi o último país da América Latina a abolir a escravidão. CRISE DO ESCRAVISMO A Dinamarca foi o primeiro país Europeu a abolir o tráfico de escravos em 1792. A Grã-Bretanha veio a seguir, abolindo em 1807 e os Estados Unidos em 1808. O Brasil foi o último país

Leia mais

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR RESENHA Neste capítulo, vamos falar acerca do gênero textual denominado resenha. Talvez você já tenha lido ou elaborado resenhas de diferentes tipos de textos, nas mais diversas situações de produção.

Leia mais

ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL

ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL AULA 10 LITERATURA PROFª Edna Prado ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL I - CONTEXTO HISTÓRICO Na aula passada nós estudamos as principais características do Romantismo e vimos que a liberdade era a mola

Leia mais

GEOGRAFIA Profª. Raquel Matos

GEOGRAFIA Profª. Raquel Matos GEOGRAFIA Profª. Raquel Matos 01. Os jogos da última Copa do Mundo, realizados na Coréia do Sul e no Japão, foram transmitidos no Brasil com uma diferença de 12 horas, devido ao fuso horário. "Trabalhando

Leia mais

IV PARTE FILOSOFIA DA

IV PARTE FILOSOFIA DA IV PARTE FILOSOFIA DA 119 P á g i n a O que é? Como surgiu? E qual o seu objetivo? É o que veremos ao longo desta narrativa sobre a abertura do trabalho. Irmos em busca das estrelas, no espaço exterior,

Leia mais

CAPÍTULO 11 CAMINHOS ABERTOS PELA SOCIOLOGIA. Em cena: A realidade do sonho

CAPÍTULO 11 CAMINHOS ABERTOS PELA SOCIOLOGIA. Em cena: A realidade do sonho CAPÍTULO 11 CAMINHOS ABERTOS PELA SOCIOLOGIA Em cena: A realidade do sonho Uma mapa imaginário ( página 123) A sociologia foi uma criação da sociedade urbana. Com a advento da industrialização as grandes

Leia mais

Oficina de Roteiro - Onda Cidadã

Oficina de Roteiro - Onda Cidadã Oficina de Roteiro - Onda Cidadã ---Pesquisa Todo vídeo necessita de pesquisa para ser produzido. Isto ajuda a organizar as ideias e facilita a produção. Faça a sua própria pesquisa (...) você deve fazer

Leia mais

BIOGRAFIA HUMANA. Terceiro espelho: A Infância e fase da Autoconsciência. Alma da Consciência: 0-7 Infância / 35-42 Maturidade.

BIOGRAFIA HUMANA. Terceiro espelho: A Infância e fase da Autoconsciência. Alma da Consciência: 0-7 Infância / 35-42 Maturidade. BIOGRAFIA HUMANA Terceiro espelho: A Infância e fase da Autoconsciência Alma da Consciência: 0-7 Infância / 35-42 Maturidade Edna Andrade Nascemos totalmente desamparados, totalmente dependentes e indefesos.

Leia mais

Roteiro semanal. 3º ano Matutino. Deus é bom e sua bondade dura para sempre. (Salmos 106:1)

Roteiro semanal. 3º ano Matutino. Deus é bom e sua bondade dura para sempre. (Salmos 106:1) Roteiro semanal 3º ano Matutino De 23 a 27 de fevereiro Colégio Guilherme Ramos. Goiânia, 23 de fevereiro de 2015. Professora: Nome: Turma: 3 ano Ensino Fundamental Segunda-feira 23/02/2015 Português no

Leia mais

1. INTRODUÇÃO CONCEITUAL SOBRE O DESENVOLVIMENTO E O CRESCIMENTO ECONÔMICO

1. INTRODUÇÃO CONCEITUAL SOBRE O DESENVOLVIMENTO E O CRESCIMENTO ECONÔMICO 1. INTRODUÇÃO CONCEITUAL SOBRE O DESENVOLVIMENTO E O CRESCIMENTO ECONÔMICO A análise da evolução temporal (ou dinâmica) da economia constitui o objeto de atenção fundamental do desenvolvimento econômico,

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 8 o ano 3 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. 25 de janeiro de 1835, ao amanhecer o dia na cidade de Salvador, 600 negros entre libertos e escravos levantaram-se decididos

Leia mais

Material de apoio para o exame final

Material de apoio para o exame final Professor Rui Piassini Geografia 1ºEM Material de apoio para o exame final Questão 01) Um transatlântico, navegando pelo Oceano Índico, cruza o Trópico de Capricórnio e segue do Sul para o Norte. Observando

Leia mais

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MÓDULO I Corredor Etnoambiental Tupi Mondé Atividade 1 Conhecendo mais sobre nosso passado, presente e futuro 1. No

Leia mais

Exercícios sobre África: Características Físicas e Organizações Territoriais

Exercícios sobre África: Características Físicas e Organizações Territoriais Exercícios sobre África: Características Físicas e Organizações Territoriais 1. Observe o mapa a seguir. As partes destacadas no mapa indicam: a) Áreas de clima desértico. b) Áreas de conflito. c) Áreas

Leia mais

BLOCO DE ATIVIDADES / EXERCÍCIOS PROPOSTOS

BLOCO DE ATIVIDADES / EXERCÍCIOS PROPOSTOS Rede de Educação Missionárias Servas do Espírito Santo Colégio Nossa Senhora da Piedade Av. Amaro Cavalcanti, 2591 Encantado Rio de Janeiro / RJ CEP: 20735042 Tel: 2594-5043 Fax: 2269-3409 E-mail: cnsp@terra.com.br

Leia mais

Roteiro de Estudos. 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série

Roteiro de Estudos. 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série Roteiro de Estudos 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série Professor: Eduardo O que devo saber: Globalização, comércio mundial e blocos econômicos. O Comércio Global. O protecionismo. O comércio

Leia mais

Teorema de Pitágoras. Módulo 1 Unidade 10. Para início de conversa... Matemática e Suas Tecnologias Matemática 1

Teorema de Pitágoras. Módulo 1 Unidade 10. Para início de conversa... Matemática e Suas Tecnologias Matemática 1 Módulo 1 Unidade 10 Teorema de Pitágoras Para início de conversa... Certamente, você já deve ter ouvido falar no Teorema de Pitágoras. Pois bem, nesta unidade, ele será o centro das atenções, mas vamos

Leia mais

Equipe de Língua Portuguesa. Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA

Equipe de Língua Portuguesa. Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA Aluno (a): Série: 3ª TUTORIAL 3B Ensino Médio Data: Turma: Equipe de Língua Portuguesa Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA TERMOS INTEGRANTES = completam o sentido de determinados verbos e nomes. São

Leia mais

ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO

ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO QUESTÃO 01 - Sobre as características gerais dos movimentos terrestres, julgue os itens: a) É incorreto dizer que o Sol nasce a leste e se põe a oeste,

Leia mais

Trabalhar as regiões

Trabalhar as regiões A U A UL LA Trabalhar as regiões Nesta aula, vamos aprender como a organi- zação espacial das atividades econômicas contribui para diferenciar o espaço geográfico em regiões. Vamos verificar que a integração

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Um projeto para discutir Direitos Humanos necessariamente tem que desafiar à criatividade, a reflexão, a crítica, pesquisando, discutindo e analisando

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CIÊNCIAS HUMANAS 3º ANO FILOSOFIA FILOSOFIA NA HISTÓRIA

Leia mais

Capitalismo e sociedade rural na Alemanha Capitalismo Agrário Ideal e Sociedade Agrária Conservadora

Capitalismo e sociedade rural na Alemanha Capitalismo Agrário Ideal e Sociedade Agrária Conservadora Capitalismo e sociedade rural na Alemanha Capitalismo Agrário Ideal e Sociedade Agrária Conservadora No texto "Capitalismo e Sociedade Rural na Alemanha", Marx Weber se propõe a refletir sobre a sociedade

Leia mais

O continente africano

O continente africano O continente africano ATIVIDADES Questão 04 Observe o mapa 2 MAPA 2 Continente Africano Fonte: . A região do Sahel, representada

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica UFRGS ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica 1. (Ufrgs 2014) Considere as seguintes afirmações sobre conceitos utilizados em ecologia. I. Nicho ecológico é a posição biológica ou funcional que um ecossistema

Leia mais

Doença de Chagas. 4) Número de Aulas: as atividades serão desenvolvidas em três etapas, divididas em aulas a critério do professor.

Doença de Chagas. 4) Número de Aulas: as atividades serão desenvolvidas em três etapas, divididas em aulas a critério do professor. Doença de Chagas Introdução Em 1909 o pesquisador do Instituto Osvaldo Cruz, Carlos Chagas, descobriu uma doença infecciosa no interior de Minas Gerais. Segundo seus estudos, era causada pelo protozoário

Leia mais

1º ano. 1) Relações de Trabalho, Relações de Poder...

1º ano. 1) Relações de Trabalho, Relações de Poder... Liberdade, propriedade e exploração. A revolução agrícola e as relações comerciais. Capítulo 1: Item 5 Relações de trabalho nas sociedades indígenas brasileiras e americanas. Escravidão e servidão. Divisão

Leia mais

SOBRE A HISTÓRIA BOM TRABALHO PARA TODOS!

SOBRE A HISTÓRIA BOM TRABALHO PARA TODOS! As pistas e propostas de trabalho que se seguem são apenas isso mesmo: propostas e pistas, pontos de partida, sugestões, pontapés de saída... Não são lições nem fichas de trabalho, não procuram respostas

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo:

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo: CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I Conteúdo: - Alguns aspectos que interferem na saúde das pessoas - Saúde como Direito Constitucional dos brasileiros

Leia mais

PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA

PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA Adriana Zanela Nunes (UFRJ) zannelli@bol.com.br, zannelli@ig.com.br zannelli@ibest.com.br

Leia mais

SIMULADO DO ENEM TESTE SEUS CONHECIMENTOS

SIMULADO DO ENEM TESTE SEUS CONHECIMENTOS SIMULADO DO ENEM TESTE SEUS CONHECIMENTOS Simulado do Enem: 1 - Analise as representações cartográficas a seguir: Estas representações são anamorfoses geográficas. Uma anamorfose geográfica representa

Leia mais

HISTÓRIA - 6º AO 9º ANO

HISTÓRIA - 6º AO 9º ANO A FORMAÇÃO DO CURRÍCULO DA REDE O solicitou-nos uma base para colocar em discussão com os professores de história da rede de São Roque. O ponto de partida foi a grade curricular formulada em 2008 pelos

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 8 o ano o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o :. Leia os textos e responda às questões e. Texto Na Grécia Antiga, Aristóteles (384 a.c.-3 a.c.) já defendia a ideia de que o Universo

Leia mais

ipea 45 NOTA TÉCNICA Pobreza e crise econômica: o que há de novo no Brasil metropolitano anos

ipea 45 NOTA TÉCNICA Pobreza e crise econômica: o que há de novo no Brasil metropolitano anos ipea 45 anos NOTA TÉCNICA Pobreza e crise econômica: o que há de novo no Brasil metropolitano Rio de Janeiro, maio de 2009 1 Pobreza e crise econômica: o que há de novo no Brasil metropolitano Marcio Pochmann

Leia mais

4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome:

4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: 4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: Querida criança, Além desta revisão, estude, em seu Material Didático, os conteúdos do Volume III. Leia este texto: ASA BRANCA

Leia mais

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer CAUSAS: Acirramento da concorrência comercial entre as potências coloniais; Crise das lavouras de cana; Estagnação da economia portuguesa na segunda metade do século XVII; Necessidade de encontrar metais

Leia mais

O capitalismo e o Advento de uma sociedade de consumo

O capitalismo e o Advento de uma sociedade de consumo O capitalismo e o Advento de uma sociedade de consumo Camila Fernandes Colégio Mãe de Deus T. 301 Resumo: A condição da redução do cidadão em consumidor, e a criação de tal cultura global, deu-se através

Leia mais

PROLEGÓMENOS Uma corrente literária não passa de uma metafísica.

PROLEGÓMENOS Uma corrente literária não passa de uma metafísica. António Mora PROLEGÓMENOS Uma corrente literária não passa de uma metafísica. PROLEGÓMENOS Uma corrente literária não passa de uma metafísica. Uma metafísica é um modo de sentir as coisas esse modo de

Leia mais

Movimentos da Terra. 4) Número de aulas: São seis etapas que serão divididas em aulas a critério do professor.

Movimentos da Terra. 4) Número de aulas: São seis etapas que serão divididas em aulas a critério do professor. Movimentos da Terra 1) Objetivo Geral Aplicar os conhecimentos sobre os movimentos da Terra e da Lua para o cotidiano, e mais especificamente, para a economia de energia elétrica como o horário de verão

Leia mais

Equivalência da estrutura de uma frase em inglês e português

Equivalência da estrutura de uma frase em inglês e português 1 Equivalência da estrutura de uma frase em inglês e português A partir do momento que você souber de cor a função de cada peça do nosso jogo de dominó, você não terá mais problemas para formular frases,

Leia mais

Diferenças entre o mundo rural e o urbano.

Diferenças entre o mundo rural e o urbano. Oficina Urbanização Esta oficina tem como objetivo analisar uma das principais características do mundo atual; a vida em cidades. Pretendemos compreender a evolução das cidades na história e como se configuram

Leia mais