MÓDULO FOLHA DE PAGAMENTO IR-FONTE/DECLARAÇÃO DE DEPENDENTES/COMPROVANTE DE RENDIMENTOS 5.3

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MÓDULO FOLHA DE PAGAMENTO IR-FONTE/DECLARAÇÃO DE DEPENDENTES/COMPROVANTE DE RENDIMENTOS 5.3"

Transcrição

1 MÓDULO 5 FOLHA DE PAGAMENTO 5.3 IR-FONTE/DECLARAÇÃO DE DEPENDENTES/COMPROVANTE DE RENDIMENTOS

2 DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS SUMÁRIO ASSUNTO PÁGINA 5.3. IR-FONTE/DECLARAÇÃO DE DEPENDENTES/COMPROVANTE DE RENDIMENTOS INTRODUÇÃO ENCARGOS DE FAMÍLIA MENOR POBRE FILHOS NASCIDOS NO DECORRER DO MÊS FILHOS DE PAIS SEPARADOS RENDIMENTOS AUFERIDOS POR AMBOS OS CÔNJUGES DEPENDENTES COM RENDIMENTOS COMPROVAÇÃO DE DEPENDENTES ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE DA FONTE PAGADORA PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO DE DEPENDENTES INCIDÊNCIA DO IMPOSTO VÁRIOS PAGAMENTOS NO MESMO MÊS COMPLEMENTAÇÕES OU DIFERENÇAS SALARIAIS ADIANTAMENTO DE SALÁRIO Empréstimos sem Encargos Financeiros RENDIMENTOS RECEBIDOS ACUMULADAMENTE TABELA PROGRESSIVA DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DEDUÇÕES ADMITIDAS PENSÕES ALIMENTÍCIAS Recálculo da Pensão Alimentícia Tributação do Valor da Pensão DEPENDENTES CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PREVIDÊNCIA PRIVADA Fonte Pagadora não Responsável pelo Desconto das Contribuições APOSENTADORIAS E PENSÕES CUSTAS JUDICIAIS ACRÉSCIMO DA CPMF INCIDÊNCIA DO IR/FONTE NAS FÉRIAS VALOR TRIBUTÁVEL DEDUÇÕES ADMITIDAS TRIBUTAÇÃO DO 13º SALÁRIO DEDUÇÕES ADMITIDAS ADIANTAMENTO DA PRIMEIRA PARCELA DISPENSA DE RETENÇÃO RENDIMENTOS NÃO ABRANGIDOS PELA DISPENSA DE RETENÇÃO PRAZOS PARA RECOLHIMENTO CÓDIGOS DO DARF EXEMPLOS PRÁTICOS COMPROVANTE DE RENDIMENTO RENDIMENTOS SEM RETENÇÃO NA FONTE FUSÃO, CISÃO, INCORPORAÇÃO E EXTINÇÃO DE EMPRESAS TRABALHADOR AUTÔNOMO PREENCHIMENTO DO COMPROVANTE EMISSÃO DO COMPROVANTE DE RENDIMENTOS POR PROCESSAMENTO DE DADOS EMISSÃO PELO PROGRAMA GERADOR DA DIRF INFORMAÇÕES A SEREM PRESTADAS NO COMPROVANTE PENALIDADES EXEMPLO PRÁTICO FASCÍCULO 5.3

3 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL 5.3. IR-FONTE/DECLARAÇÃO DE DEPENDENTES/ COMPROVANTE DE RENDIMENTOS INTRODUÇÃO A pessoa física ou jurídica que pagar rendimentos do trabalho assalariado está obrigada a efetuar a retenção do Imposto de Renda na Fonte calculado com base na Tabela Progressiva. Para fins de determinação da base de cálculo do imposto, é facultado ao contribuinte deduzir do rendimento tributável, aos encargos de família. Para tanto, o contribuinte, empregado ou não, deve apresentar à empresa a Declaração de Dependentes. A pessoa física que prestar serviços a outra pessoa física ou a pessoa jurídica, cujo pagamento tenha sofrido retenção de IR/Fonte, deverá receber da fonte pagadora o Comprovante de Rendimentos. A seguir, examinaremos as normas a serem observadas pela fonte pagadora para cálculo e retenção do IR/Fonte, para apresentação da declaração de dependentes e do comprovante de rendimentos, sendo que nos Fascículos 5.1 e 5.2 analisamos como as empresas podem elaborar a folha de pagamento, com a retenção dos encargos sociais ENCARGOS DE FAMÍLIA Para fins de retenção do IR/Fonte, a empresa pode deduzir do rendimento do trabalho assalariado, dentre outras parcelas, a importância referente aos encargos de família. O valor para dedução mensal, em vigor do período de janeiro/2008 a dezembro/2008, é de R$ 137,99, por dependente. São considerados dependentes da pessoa física, para fins da legislação do Imposto de Renda: a) o cônjuge; b) o companheiro ou a companheira, desde que haja vida em comum por mais de 5 anos, ou por período inferior se da união resultou filho; c) a filha, o filho, a enteada ou o enteado, até 21 anos, ou de qualquer idade quando incapacitado física ou mentalmente para o trabalho; d) menor pobre, até 21 anos, que o contribuinte crie e eduque e do qual detenha guarda judicial; e) o irmão, neto ou o bisneto, sem arrimo dos pais, até 21 anos, desde que o contribuinte detenha guarda judicial, ou de qualquer idade quando incapacitado física ou mentalmente para o trabalho; f) os pais, avós, bisavós, desde que não aufiram rendimentos, tributáveis ou não, superiores ao limite de isenção mensal de R$ 1.372,81 (janeiro/2008 a dezembro/2008); g) o absolutamente incapaz, assim considerados o menor de 16 anos, o louco, o surdo-mudo que não puder exprimir sua vontade e o pródigo, assim declarado judicialmente, do qual o contribuinte seja tutor ou curador. Os dependentes citados nas letras c e e poderão ser assim considerados, até 24 anos de idade, desde que estejam cursando estabelecimento de ensino superior ou escola técnica de segundo grau MENOR POBRE Para os efeitos fiscais, considera-se menor pobre o abandonado, o órfão ou aquele cujos pais não possam prover sua subsistência por incapacidade financeira ou econômica, segundo os preceitos da lei comum. O sobrinho ou o primo do contribuinte, enquanto menor de idade, pode ser considerado como menor pobre, desde que obedecidas as condições necessárias. Em qualquer caso, o menor pobre somente pode ser considerado como dependente do contribuinte se este mantiver o pátrio poder, guarda, tutela ou adoção simples FILHOS NASCIDOS NO DECORRER DO MÊS Uma vez comunicado e comprovado o nascimento do filho pelo contribuinte, à fonte pagadora, este faz jus à dedução relativa a dependentes, mesmo que o nascimento tenha ocorrido no último dia do mês FILHOS DE PAIS SEPARADOS O contribuinte poderá considerar dependente, em condições normais, os filhos e/ou filhos que ficaram sob sua guarda, em cumprimento de decisão judicial ou acordo homologado judicialmente. Nesse caso, deverá oferecer à tributação, na sua Declaração de Rendimentos, a importância que receber do ex-cônjuge a título de pensão alimentícia. O cônjuge responsável pelo pagamento da pensão judicial poderá deduzir o valor pago a esse título, e não poderá deduzir o valor correspondente aos dependentes. FASCÍCULO 5.3 3

4 DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS RENDIMENTOS AUFERIDOS POR AMBOS OS CÔNJUGES Quando ambos os cônjuges auferem rendimentos, os dependentes comuns ao casal podem ser considerados no cálculo do IR/Fonte incidente sobre os rendimentos do trabalho assalariado percebidos mensalmente por um ou outro cônjuge, sendo vedada a dedução concomitantemente de um mesmo dependente na determinação da base de cálculo de mais de um contribuinte DEPENDENTES COM RENDIMENTOS O fato de os dependentes auferirem, no ano-base, rendimentos tributáveis ou não, não descaracteriza essa condição, desde que tais rendimentos sejam somados aos rendimentos do declarante COMPROVAÇÃO DE DEPENDENTES Para fins de desconto do IR/Fonte, os encargos de família, correspondentes ao cônjuge, filhos e outros dependentes, são comprovados na fonte pagadora, mediante declaração em modelo próprio, preenchida em uma única via, que deve ficar em poder da fonte pagadora para eventual exibição ao Fisco. No caso de dependentes comuns ao casal, a declaração deve ser assinada por ambos os cônjuges, para o efeito mencionado no item ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE DA FONTE PAGADORA À fonte pagadora não cabe nenhuma responsabilidade sobre as informações prestadas pelos seus empregados, para efeito do desconto do Imposto de Renda na fonte PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO DE DEPENDENTES Para declarar seus dependentes, o contribuinte pode utilizar o modelo que reproduzimos a seguir, devidamente preenchido, cujos dados podem ser acrescidos de outros, no interesse de cada empregador. DECLARAÇÃO DE ENCARGOS DE FAMÍLIA PARA FINS DE IMPOSTO DE RENDA Nome do Declarante: FÁBIO CARDOSO Matrícula Endereço: RUA ITABAIANA, 142 Bairro: GRAJAÚ Estado Civil: CASADO CPF: Departamento: FATURAMENTO Em obediência à legislação do Imposto de Renda, venho pela presente informar-lhe que tenho como encargo de família, as pessoas abaixo relacionadas: Nº Ordem DEPENDENTES CONSIDERADOS COMO ENCARGO DE FAMÍLIA Relação de Dependência Data do Nascimento Grau de Instrução 01 VERA PEREIRA CARDOSO ESPOSA ENS. MÉDIO 02 MÁRCIA PEREIRA CARDOSO FILHA ENS. MÉDIO Declaro, sob as penas da lei, que as informações aqui prestadas são verdadeiras e de minha inteira responsabilidade, não cabendo a V. Sas. (fonte pagadora) qualquer responsabilidade perante a fiscalização. Rio de Janeiro, 20 de fevereiro de 2008 Assinatura do Declarante Assinatura do Cônjuge Sempre que ocorrer a alteração nesta declaração, a mesma deverá ser renovada. OBS.: Ler com atenção as instruções no verso. 4 FASCÍCULO 5.3

5 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL INCIDÊNCIA DO IMPOSTO Para fins de incidência do Imposto de Renda devido pelas pessoas físicas, deve ser considerado o mês em que os rendimentos do trabalhado assalariado forem PAGOS. Considera-se pagamento a entrega de recursos ao beneficiário, ainda que mediante depósito em instituição financeira VÁRIOS PAGAMENTOS NO MESMO MÊS O Imposto de Renda deve ser retido por ocasião de cada pagamento efetuado no mês. Na hipótese de haver mais de um pagamento no mês, pela mesma fonte pagadora, o imposto incidirá sobre a soma de todos os rendimentos, recebidos pela pessoa física, compensando-se o imposto retido nos pagamentos anteriores, se houver COMPLEMENTAÇÕES OU DIFERENÇAS SALARIAIS As complementações ou diferenças salariais pagas devem ser tributadas na fonte com base na tabela em vigor no mês do pagamento, ainda que se refira a meses anteriores. No entanto, a diferença ou complementação deverá ser adicionada aos demais rendimentos pagos no mês para cálculo do imposto a ser retido ADIANTAMENTO DE SALÁRIO No caso de adiantamento de salários, a retenção será dispensada se os rendimentos forem integralmente pagos no próprio mês a que se referirem. Nesse caso, o fato gerador terá lugar quando ocorrer o pagamento integral, incidindo o imposto sobre o valor total dos rendimentos pagos no mês. No entanto, se o adiantamento de salário for pago em mês diferente dos rendimentos a que se referirem, o imposto incidirá de imediato sobre o adiantamento, como examinado no item Assim, se a empresa pagar adiantamento de salário no dia 15 eosaldodesalário no dia 30 do mesmo mês, o IR/Fonte somente incidirá uma vez, ou seja, no pagamento do dia 30, sobre o total pago. No entanto, se o saldo de salário for pago, por exemplo, no dia 5 do mês seguinte, a fonte pagadora deve reter o imposto sobre o adiantamento do dia 15, devendo, entretanto, considerar tudo que foi pago dentro do mês Empréstimos sem Encargos Financeiros Para fins de incidência do IR/Fonte, serão considerados adiantamentos quaisquer valores fornecidos ao beneficiário, a título de empréstimo, quando não tiverem previstos a cobrança de encargos financeiros, forma e o prazo de pagamento RENDIMENTOS RECEBIDOS ACUMULADAMENTE No caso de rendimentos recebidos acumuladamente, o imposto incidirá, no mês do recebimento, sobre o total dos rendimentos, inclusive correção monetária e juros TABELA PROGRESSIVA DO IMPOSTO O Imposto de Renda retido na fonte sobre os rendimentos do trabalho assalariado deve ser calculado aplicando-se sobre a base de cálculo as alíquotas constantes da Tabela Progressiva do Imposto de Renda. A Lei /2007 reajustou, para os anos-calendário de 2007 a 2010, a Tabela Progresiva do Imposto de Renda retido na Fonte incidente sobre os rendimentos do trabalho assalariado. A seguir, demonstramos as Tabelas Progressivas do Imposto de Renda, em vigor de até : Para o ano-calendário de 2007 BASE DE CÁLCULO EM R$ ALÍQUOTA % PARCELA A DEDUZIR DO IMPOSTO EM R$ Até 1.313,69 Acima de 1.313,70 até 2.625, ,05 Acima de 2.625,12 27,5 525,19 Para o ano-calendário de 2008 BASE DE CÁLCULO EM R$ ALÍQUOTA % PARCELA A DEDUZIR DO IMPOSTO EM R$ Até 1.372,81 Acima de 1.372,82 até 2.743, ,92 Acima de 2.743,25 27,5 548,82 FASCÍCULO 5.3 5

6 DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS Para o ano-calendário de 2009 BASE DE CÁLCULO EM R$ ALÍQUOTA % PARCELA A DEDUZIR DO IMPOSTO EM R$ Até 1.434,59 Acima de 1.434,60 até 2.866, ,19 Acima de 2.866,70 27,5 573,52 Para o ano-calendário de 2010 BASE DE CÁLCULO EM R$ ALÍQUOTA % PARCELA A DEDUZIR DO IMPOSTO EM R$ Até 1.499,15 Acima de 1.499,16 até 2.995, ,87 Acima de 2.995,70 27,5 599, BASE DE CÁLCULO A base de cálculo do IR/Fonte é determinada pela renda bruta diminuída das deduções permitidas em lei. Para os fins examinados neste trabalho, constitui renda bruta mensal a soma dos rendimentos do trabalho assalariado percebidos durante o mês. Serão tributados da mesma forma que os rendimentos do trabalho assalariado os rendimentos decorrentes da prestação de serviços pagos a titulares, administradores ou dirigentes de pessoas jurídicas, bem como as gratificações a eles concedidas DEDUÇÕES ADMITIDAS Na determinação da base de cálculo poderão ser deduzidos: PENSÕES ALIMENTÍCIAS Na apuração da base de cálculo do IR/Fonte, poderão ser deduzidas do rendimento bruto, as importâncias pagas a título de pensão alimentícia em face das normas do Direito de Família, quando em cumprimento de decisão judicial ou acordo homologado judicialmente, inclusive a prestação de alimentos provisionais. As sentenças judiciais, regra geral, determinam o pagamento das pensões alimentícias com base em percentual incidente sobre o rendimento líquido, ou seja, após a dedução do respectivo IR/Fonte e da Previdência Social. Para cálculo do IR/Fonte é necessário conhecer o valor da pensão alimentícia paga, que por sua vez depende do valor do IR/Fonte para ser calculada. Neste caso, apresenta-se um sistema de duas equações com duas incógnitas, o valor da pensão alimentícia e o valor do IR/Fonte, como segue: P=(RB INSS IR)x a 100 IR=(RB D INSS P)x b 100 PD Onde: P = pensão; RB = rendimento bruto; INSS = contribuição do empregado à Previdência Social ou a entidades de previdência privada, cujo ônus tenha sido do próprio contribuinte e destinado a seu benefício; IR = Imposto de Renda na Fonte; a = percentual da pensão; D = dependentes (quando não se referir à mesma pessoa beneficiária da pensão); b = alíquota da Tabela Progressiva do Imposto; PD = Parcela a deduzir da Tabela Progressiva. Sendo assim, para cálculo do valor da pensão deverá ser utilizada a seguinte equação: P={RB INSS [(RB D INSS P)x b a PD]}x FASCÍCULO 5.3

7 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL Recálculo da Pensão Alimentícia Após apurado o valor da pensão, pode ocorrer de a base de cálculo do imposto enquadrar-se em classe de renda da Tabela Progressiva inferior àquela utilizada no cálculo de pensão. Neste caso, o cálculo da pensão deverá ser refeito utilizando-se a alíquota e a parcela a deduzir correspondentes à base de cálculo apurada no primeiro cálculo da pensão Tributação do Valor da Pensão A pessoa física beneficiária da pensão alimentícia sujeita-se ao recolhiimento do carnê-leão, considerado como antecipação do Imposto de Renda devido na Declaração de Ajuste Anual. Note-se que nos pagamentos de pensão alimentícia efetuados por pessoas jurídicas não há retenção do IR/Fonte, pois a pessoa jurídica é apenas uma intermediária na operação DEPENDENTES Através da Lei /2007, foram alterados os valores das deduções por dependente para os anos-calendários de 2007 a 2010: R$ 132,05, por dependente, para o ano-calendário de 2007; R$ 137,99, por dependente, para o ano-calendário de 2008; R$ 144,20, por dependente, para o ano-calendário de 2009; R$ 150,69, por dependente, para o ano-calendário de CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS Contribuições para a Previdência Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios PREVIDÊNCIA PRIVADA Poderão ser deduzidas da renda bruta, para cálculo do IR/Fonte incidente sobre os rendimentos do trabalho assalariado ou de administradores, as contribuições para as entidades de previdência privada domiciliadas no País e as contribuições para o Fundo de Aposentadoria Programada Individual (FAPI), cujo ônus tenha sido do contribuinte, destinadas a custear benefícios complementares assemelhados aos da Previdência Social, cujo titular ou quotista seja trabalhador com vínculo empregatício ou administrador e seja também contribuinte do regime de Previdência Social Fonte Pagadora não Responsável pelo Desconto das Contribuições Ainda que a fonte pagadora não seja responsável pelo desconto das contribuições para as entidades de previdência privada e para o FAPI, esses valores poderão ser considerados para fins de dedução da base de cálculo do IR/Fonte, desde que haja anuência da empresa e que o beneficiário lhe forneça o original do comprovante de pagamento APOSENTADORIAS E PENSÕES O valor de R$ 1.372,81, poderá ser deduzido, na apuração da base de cálculo do imposto no ano-calendário de 2008, correspondente à parcela isenta dos rendimentos provenientes de aposentadoria e pensão, transferência para a reserva remunerada ou reforma, pagos pela Previdência Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, por qualquer pessoa jurídica de direito público interno, ou por entidade de previdência complementar, a partir do mês em que o contribuinte completar 65 anos de idade. Caso o contribuinte receba mais de um dos rendimentos mencionados, como, por exemplo, aposentadoria e pensão, o limite será considerado em relação à soma desses rendimentos pagos no mês. Cabe ressaltar que a isenção somente se aplica aos rendimentos provenientes das aposentadorias e pensões mencionadas, não alcançando outros tipos de rendimentos. Por meio da Lei /2007, foram alterados os valores da parcela isenta dos rendimentos provenientes de aposentadoria e pensão, dentre outros, que passam a ser os seguintes: R$ 1.313,69, para o ano-calendário de 2007; R$ 1.372,81, para o ano-calendário de 2008; R$ 1.434,59, para o ano-calendário de 2009; R$ 1.499,15, para o ano-calendário de CUSTAS JUDICIAIS No caso de rendimentos recebidos acumuladamente mediante ação judicial, do valor bruto recebido, poderão ser deduzidas as despesas com ação judicial necessárias ao recebimento de rendimentos acumulados, inclusive das despesas de advogados que não tenham sido indenizadas ACRÉSCIMO DA CPMF Não integra a base de cálculo do IR/Fonte o valor do acréscimo de remuneração, em percentual proporcional à CPMF, dos benefícios de prestação continuada e os de prestação única e dos proventos dos inativos, pensionistas e demais benefícios, não excedentes a 10 salários mínimos, no período de vigência da contribuição. FASCÍCULO 5.3 7

8 DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS INCIDÊNCIA DO IR/FONTE NAS FÉRIAS As férias pagas num determinado mês devem sofrer tributação em separado dos salários porventura pagos naquele mesmo mês. Da mesma forma, as férias indenizadas, inclusive proporcionais, pagas em rescisão de contrato de trabalho e a diferença de férias decorrente de reajuste salarial paga em mês posterior, deverão também ser tributadas em separado dos demais rendimentos VALOR TRIBUTÁVEL O valor tributável das férias corresponde ao valor pago a este título, acrescido do abono pecuniário pago ao empregado e o adicional de 1/3 assegurado pela Constituição Federal DEDUÇÕES ADMITIDAS No cálculo do IR/Fonte incidente sobre as férias, também são admitidas as deduções de que trata o item deste trabalho, quando incidentes sobre as mesmas TRIBUTAÇÃO DO 13º SALÁRIO O valor do 13º Salário deve ser tributado em separado dos demais rendimentos, incidindo o imposto sobre o valor integral, no mês de sua quitação. Considera-se mês da quitação o mês de dezembro ou mês da rescisão do contrato de trabalho ou o mês do seu pagamento acumulado. No caso de pagamento de complementação do 13º salário, posteriormente ao mês de quitação, o imposto deve ser recalculado tomando-se por base o total desta gratificação, mediante a Tabela Progressiva do mês de quitação, deduzindo-se do imposto assim apurado o valor retido anteriormente. A tributação do 13º salário ocorre exclusivamente na fonte DEDUÇÕES ADMITIDAS Para determinar a base de cálculo do imposto incidente sobre o 13º Salário, são admitidas as deduções aplicáveis aos demais rendimentos, mencionados no item Serão deduzidas da base de cálculo do 13º Salário as contribuições previdenciárias e as pensões alimentícias pagas com base nessa gratificação ADIANTAMENTO DA PRIMEIRA PARCELA Não haverá retenção do IR/Fonte por ocasião do pagamento da primeira parcela do 13º Salário. A retenção do imposto somente será efetuada sobre o pagamento da segunda parcela, no mês de dezembro ou no mês em que se der a rescisão do contrato de trabalho. Nesse caso, deve ser somado o valor das duas parcelas calculando-se o imposto sobre o total DISPENSA DE RETENÇÃO Está dispensada a retenção do imposto incidente sobre os rendimentos do trabalho assalariado de valor igual ou inferior a R$ 10, RENDIMENTOS NÃO ABRANGIDOS PELA DISPENSA DE RETENÇÃO A dispensa de retenção não abrange os rendimentos sujeitos à tributação exclusiva na fonte. Portanto, o IR/Fonte incidente sobre o 13º Salário, pago por ocasião da rescisão do contrato de trabalho ou no mês de dezembro, deverá ser retido ainda que seu valor seja igual ou inferior a R$ 10, PRAZOS PARA RECOLHIMENTO O IR/Fonte sobre rendimentos do trabalho assalariado deve ser recolhido até o último dia útil do 1º decêndio do mês subseqüente ao mês de ocorrência dos fatos geradores. O recolhimento do IR/Fonte deve ser efetuado, de forma centralizada, pelo estabelecimento matriz da pessoa jurídica CÓDIGOS DO DARF O recolhimento do Imposto de Renda retido na fonte deve ser efetuado pelas fontes pagadoras mediante utilização do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF), em duas vias, com o código Quando houver mais de um pagamento no mês, a títulos diferentes, será utilizado o Código correspondente ao rendimento de maior valor pago no mês EXEMPLOS PRÁTICOS I Empregado com 3 dependentes, tendo como rendimento bruto, no mês de janeiro/2008 a importância de R$ 5.000,00, que foi paga dentro do próprio mês, do seguinte modo: DATA ESPÉCIE VALOR (R$) Adiantamento do salário de janeiro/2008 (30% do salário) , Saldo de salário de janeiro/ ,00 8 FASCÍCULO 5.3

9 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL a) Pagamento em Sobre o adiantamento não haverá incidência do IR/Fonte, uma vez que todo o rendimento relativo ao salário de janeiro/2008 será pago dentro desse próprio mês; b) Pagamento em Base de Cálculo Adiantamento de salário de janeiro/ r$ 1.500,00 Saldo de salário de janeiro/ r$ 3.500,00 R$ 5.000,00 Contribuições Previdenciárias [11% de R$ 2.894,28 (limite máximo previdenciário)]...( ) R$ 318,37 Dependentes (3 x R$ 137,99)...( ) R$ 413,97 Renda tributável...r$ 4.267,66 c) Cálculo do Imposto (aplicar tabela do IR/Fonte) R$ 4.267,66 x 27,5...R$ 1.173, Parcela a deduzir...( ) R$ 548,82 Imposto retido em R$ 624,79 II Empregado com 2 dependentes, que recebe R$ 3.600,00 mensais, sendo 30% como adiantamento de salário no dia 20 de cada mês e o saldo até o 5º dia do mês seguinte, auferiu, nos meses de janeiro e fevereiro/2008, os seguintes rendimentos: DATA ESPÉCIE VALOR (R$) Saldo de salário de dezembro/ , Adiantamento de salário de janeiro/ , Saldo de salário de janeiro/ , Adiantamento de salário de fevereiro/ ,00 a) Pagamento em Base de Cálculo Rendimento bruto...r$ 2.520,00 Contribuições Previdenciárias [11% de R$ 2.894,28 (limite máximo previdenciário)]...( ) R$ 318,37 Dependentes (2 x R$ 137,99)...( ) R$ 275,98 Renda Tributável...R$ 1.925,65 Cálculo do Imposto (aplicar tabela do IR/Fonte) R$ 1.925,65 x 15...R$ 288, Parcela a deduzir...( ) R$ 205,92 Imposto retido em R$ 82,93 b) Pagamento em Base de Cálculo Rendimento Bruto Mensal Saldo de Salário de dezembro/ r$ 2.520,00 Adiantamento de salário de janeiro/ r$ 1.080,00...R$ 3.600,00 Contribuições Previdenciárias (11% de R$ 2.894,28)...( ) R$ 318,37 Dependentes (2 x R$ 137,99)...( ) R$ 275,98 Rendimento tributável...r$ 3.005,65 Cálculo do Imposto (aplicar tabela do IR/Fonte) R$ 3.005,65 x 27,5...R$ 826, Parcela a deduzir...( ) R$ 548,82 Imposto devido em R$ 277,73 Imposto retido em ( ) R$ 82,93 Imposto retido em R$ 194,80 c) Pagamento em Base de Cálculo Rendimento Bruto...R$ 2.520,00 Contribuições Previdenciárias (11% de R$ 2.894,28)...( ) R$ 318,37 Dependentes (2 x R$ 137,99)...( ) R$ 275,98 Renda Tributável...R$ 1.925,65 FASCÍCULO 5.3 9

10 DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS Cálculo do Imposto (aplicar tabela do IR/Fonte) R$ 1.925,65 x 15...R$ 288, Parcela a deduzir...( ) R$ 205,92 Imposto retido em R$ 82,93 d) Pagamento em Base de Cálculo Rendimento Bruto Saldo de salário de janeiro/ r$ 2.520,00 Adiantamento de salário de fevereiro/ r$ 1.080,00 R$ 3.600,00 Contribuições Previdenciárias (11% de R$ 2.894,28)...( ) R$ 318,37 Dependentes (2 x R$ 137,99)...( ) R$ 275,98 Rendimento Tributável...R$ 3.005,65 Cálculo do Imposto (aplicar tabela do IR/Fonte) R$ 3.005,65 x 27,5...R$ 826, Parcela a deduzir...( ) R$ 548,82 Imposto devido em R$ 277,73 Imposto retido em ( ) R$ 82,93 Imposto retido em R$ 194,80 III Pessoa jurídica paga a determinado empregado salário bruto mensal no valor de R$ ,00, devendo efetuar o desconto de pensão alimentícia correspondente a 30% do salário líquido do empregado, isto é, após a dedução do INSS e do IR/Fonte Dessa forma temos: RB = R$ ,00 INSS = R$ 318,37 D = não há b = 27,5% PD = R$ 548,82(parcela a deduzir do imposto correspondente à aliquota de 27,5%) a = 30% Sendo assim, efetuam-se os cálculos a seguir: CÁLCULO DA PENSÃO P={RB INSS [(RB D INSS P)x b a PD]}x P = {13.250,00 318,37 [(13.250,00 318,37 P) x 27,5 548,82 ]} x P = {12.931,63 [(12.931,63 P) x 0, ,82]} x 0,30 P = {12.931,63 [3.556,20 0,275P 548,82]} x 0,30 P = {12.931,63 [3.007,38 0,275P]} x 0,30 P = {12.931, ,38 + 0,275P} x 0,30 P = {9.924,25 + 0,275P} x 0,30 P = 2.977,28 + 0,0825P P 0,0825P = 2.977,28 1P 0,0825P = 2.977,28 0,9175P = 2.977,28 P= 2.977,28 0,9175 P = 3.244,99 CÁLCULO DO IR/FONTE Encontrado o valor da pensão alimentícia podemos calcular o IR/Fonte. Base de Cálculo Rendimento Bruto...R$ ,00 INSS... ( ) R$ 318,37 Pensão Alimentícia...( ) R$ 3.244,99 Base de Cálculo do Imposto de Renda...R$ 9.686,64 10 FASCÍCULO 5.3

11 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL Imposto 27,5% de 9.686,64...R$ 2.663,83 Parcela a Deduzir...( ) R$ 548,82 Imposto a ser retido...r$ 2.115,01 Para confirmar o valor da pensão alimentícia, basta resolver a fórmula a seguir, inserindo o valor do IR/Fonte encontrado (R$ 2.115,01). P=(RB INSS IR)x a 100 P = (13.250,00 318, ,01) x 0,30 P = ,62 x 0,30 P = 3.244, COMPROVANTE DE RENDIMENTO O Comprovante de Rendimentos deve ser entregue até o último dia útil do mês de fevereiro do ano-calendário subseqüente àquele a que se referirem os rendimentos. O Comprovante de Rendimentos também deve ser fornecido por ocasião da rescisão do contrato de trabalho, quando for o caso RENDIMENTOS SEM RETENÇÃO NA FONTE No caso de rendimentos pagos por pessoas jurídicas, não sujeitos à retenção do IR/Fonte, o Comprovante de Rendimentos deverá ser fornecido, no mesmo prazo do item , desde que o beneficiário o tenha solicitado até o dia 15 de janeiro do ano subseqüente àquele a que se referirem os rendimentos FUSÃO, CISÃO, INCORPORAÇÃO E EXTINÇÃO DE EMPRESAS Na hipótese de extinção pelo encerramento da liquidação, fusão, incorporação ou cisão total da empresa, o Comprovante de Rendimentos deverá ser fornecido até o último dia útil do mês subseqüente ao da ocorrência do evento TRABALHADOR AUTÔNOMO O trabalhador autônomo e o transportador autônomo de cargas poderão, opcionalmente, utilizar o Recibo de Pagamento a Autônomo (RPA), ou o Conhecimento de Frete, em substituição ao Comprovante de Rendimentos, desde que contenham a identificação da fonte pagadora PREENCHIMENTO DO COMPROVANTE A fonte pagadora está obrigada a entregar aos beneficiários o Comprovante de Rendimentos Pagos e de Retenção do Imposto de Renda na Fonte, em uma única via. No Comprovante de Rendimentos deverão ser informados a natureza e o montante do rendimento bruto tributável, as deduções e o Imposto de Renda retido na fonte, relativos ao ano-calendário correspondente. Os valores serão informados no valor total anual. No cabeçalho deverá ser informado o ano-calendário correspondente EMISSÃO DO COMPROVANTE DE RENDIMENTOS POR PROCESSAMENTO DE DADOS O Comprovante de Rendimentos Pagos e de Retenção de Imposto de Renda na Fonte, aprovado pela Instrução Normativa 120 SRF/2000, poderá ser adquirido em papelarias especializadas ou obtido na página da Secretaria da Receita Federal do Brasil na Internet. Todavia, a fonte pagadora poderá optar pela emissão dos Comprovantes de Rendimentos através de processamento eletrônico de dados adotando leiaute diferente do estabelecido, desde que contenha todas as informações nele previstas, dispensada assinatura ou chancela mecânica. Foi permitido à fonte pagadora a disponibilização por meio da Internet do Comprovante de Rendimentos para pessoa física que possua endereço eletrônico (correio eletrônico ou ), ficando aquela dispensada do fornecimento da via impressa. Contudo, a pessoa física citada anteriormente poderá solicitar, sem ônus, o fornecimento da via impressa do Comprovante de Rendimentos EMISSÃO PELO PROGRAMA GERADOR DA DIRF Opcionalmente a fonte pagadora poderá emitir o Comprovante de Rendimentos através do programa aprovado pela Secretaria da Receita Federal do Brasil para o preenchimento da Declaração do Imposto de Renda na Fonte (DIRF), relativamente aos dados de beneficiários nela incluídos. FASCÍCULO

12 DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS INFORMAÇÕES A SEREM PRESTADAS NO COMPROVANTE Nos respectivos campos do Comprovante de Rendimentos Pagos e de Retenção na Fonte deverão ser informados: I ANO-CALENDÁRIO Preencher com o ano calendário a que se referem as informações do Comprovante. II QUADRO 1 FONTE PAGADORA PESSOA JURÍDICA OU PESSOA FÍSICA Deverá ser preenchido com os dados da fonte pagadora (pessoa física ou jurídica) e respectivo CNPJ ou CPF. III QUADRO 2 PESSOA FÍSICA BENEFICIÁRIA DOS RENDIMENTOS Informar neste campo o CPF e o nome completo do beneficiário, bem como a natureza dos rendimentos (rendimentos do trabalho não assalariado, aluguéis, royalties, rendimentos do trabalho assalariado, etc). IV QUADRO 3 RENDIMENTOS TRIBUTÁVEIS, DEDUÇÕES E IMPOSTO RETIDO NA FONTE Linha 1 TotaldosRendimentos Será informado nesta linha o valor total anual de todos os rendimentos tributáveis na fonte e na Declaração de Ajuste pagos ao beneficiário. Deverão ser observadas as seguintes normas: a) Férias e Participações nos Lucros Os rendimentos provenientes de férias, acrescidos de 1/3 do salário e do abono, se for o caso, e os provenientes de participação nos lucros da empresa, serão informados na Linha 1, juntamente com os demais rendimentos tributáveis; b) Transportador Autônomo Informar o valor correspondente a 40% do rendimento decorrente do transporte de carga e de serviços com trator, máquina de terraplenagem, colheitadeira e assemelhados. Quando se tratar de transporte de passageiros, será informado nesta Linha o valor correspondente a 60% do rendimento bruto; c) Aluguéis O rendimento decorrente de aluguel de bens será informado nesta Linha, deduzido dos encargos relacionados a seguir, cujo pagamento tenha sido efetuado pelo locatário, desde que o ônus tenha sido exclusivamente do locador: impostos, taxas e emolumentos incidentes sobre o bem que produzir o rendimento; aluguel pago pela locação de imóvel sublocado; despesas pagas pela cobrança ou recebimento do rendimento; despesas de condomínio; d) Proventos de Pensão ou Aposentadoria Pagos a Contribuinte com Idade a Partir de 65 anos Informar o valor dos proventos de aposentadoria e pensão, transferência para reserva remunerada ou reforma, que exceder ao valor correspondente à soma dos limites mensais de isenção (R$ 1.313,69 de janeiro a dezembro/2007) pagos, a partir do mês em que o contribuinte completar 65 anos, pela Previdência Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios ou por qualquer pessoa jurídica de direito público interno, ou por entidade de previdência complementar; e) Rendimentos do Trabalho Assalariado Recebidos do Governo Brasileiro por Ausentes no Exterior a Serviço do País Indicar o valor correspondente a 25% dos rendimentos do trabalho assalariado recebidos por servidores de autarquias ou repartições do governo brasileiro situadas no exterior, convertidos em Reais com base no valor do dólar dos Estados Unidos, fixado para compra, pelo Banco Central do Brasil e divulgado pela Secretaria da Receita Federal do Brasil, para o último dia útil da primeira quinzena do mês anterior ao do pagamento do rendimento; f) Rendimentos de Sócios ou Titular de Microempresa ou Empresa de Pequeno Porte Informar os rendimentos pagos a sócio ou titular de microempresa ou empresa de pequeno porte, a título de remuneração pela prestação de serviços, pro-labore e aluguéis; g) Rendimentos Pagos a Sócio, Acionista ou Titular da Pessoa Jurídica Submetida ao Regime de Tributação do Lucro Real, Presumido ou Arbitrado Devem ser informados os rendimentos pagos a título de lucros ou dividendos a sócios, acionistas, ou titular da pessoa jurídica submetida à tributação pelo lucro real, presumido ou arbitrado, excedentes ao valor apurado no ano-calendário com base na escrituração, se caracterizada a insuficiência de lucros acumulados ou reservas de lucros de exercícios anteriores. Os rendimentos pagos a sócios, acionistas, ou titular de pessoa jurídica tributada com base no lucro real, presumido ou arbitrado, a título de remuneração pela prestação de serviços ou quaisquer outros pagamentos que não se refiram à distribuição de lucros, tais como pró-labore e aluguéis, bem assim outros rendimentos que não se refiram a lucros ou dividendos apurados em balanços serão também informados nesta Linha; h) Rendimentos Tributáveis com Exigibilidade Suspensa Também deve ser informado na Linha 1ovalordosrendimentos tributáveis pagos em que a tributação esteja com exigibilidade suspensa em virtude de depósito judicial do imposto ou que, mediante concessão de liminar em mandado de segurança, nos termos do artigo 151 do Código Tributário Nacional, não tenha havido retenção do Imposto de Renda na fonte. 12 FASCÍCULO 5.3

13 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL Linha 2 Contribuição Previdenciária Oficial Nesta Linha será indicado o valor total da contribuição para a Previdência Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. Linha 3 Contribuição à Previdência Privada e ao Fundo de Aposentadoria Programada Individual (FAPI) Deverá ser informado nesta Linha o valor pago relativo ao total das contribuições para as entidades de previdência privada e sociedades seguradoras domiciliadas no Brasil e das contribuições para o FAPI Fundo de Aposentadoria Programada Individual, cujo ônus tenha sido do contribuinte participante, destinadas a custear benefícios complementares assemelhados aos da Previdência Social. Linha 4 PensãoAlimentícia A fonte pagadora deverá informar nesta Linha o valor total pago a título de pensão alimentícia em face das normas do Direito de Família, por força de decisão judicial ou acordo homologado judicialmente, inclusive o valor dos alimentos provisionais. Linha 5 ImpostodeRenda Retido Informar nesta Linha o valor total do IR/Fonte sobre os rendimentos tributáveis, informados na Linha 01, inclusive o Imposto de Renda retido e depositado judicialmente. V QUADRO 4 RENDIMENTOS ISENTOS E NÃO-TRIBUTÁVEIS No Quadro 4 serão informados pelo valor total anual, os rendimentos isentos e não-tributáveis pagos no ano de 2007, conforme examinamos a seguir. Linha 1 ParcelaIsentadosProventosdeAposentadoria,Reserva,ReformaePensão. Informar nesta Linha: a) contribuinte que tenha completado 65 anos de idade anteriormente ao ano a que se referirem os rendimentos: a soma dos valores recebidos em cada mês do ano-calendário de 2007, não excedentes a R$ 1.313,69, de janeiro a dezembro/2007, relativos à parcela isenta dos proventos de aposentadoria, reserva remunerada, reforma e pensão pagos pela Previdência Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, por qualquer pessoa jurídica de direito público interno ou entidade de previdência privada; e a parcela isenta, não excedente a R$ 1.313,69, referente ao 13º salário; b) contribuinte que tenha completado 65 anos de idade no ano-calendário de 2007: a soma dos valores recebidos em cada mês, a partir do mês de aniversário, inclusive, não excedentes a R$ 1.313,69, relativos à parcela isenta dos proventos de aposentadoria, reserva remunerada, reforma e pensão pagos pela Previdência Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, por qualquer pessoa jurídica de direito público interno ou entidade de previdência privada; e a parcela isenta, não excedente a R$ 1.313,69, referente ao 13º salário. Linha 2 Diárias e Ajudas de Custo Informar nesta Linha o valor total das diárias destinadas ao pagamento de despesas de alimentação e pousada, por serviço eventual realizado em município diferente do da sede de trabalho, inclusive no exterior, e ajudas de custo pagas em caso de remoção de um município para outro, relativas às despesas de transporte, frete e locomoção do beneficiário e seus familiares. Linha 3 Pensão,ProventosdeAposentadoria ou Reforma por Moléstia Grave e Aposentadoria ou Reforma por Acidente em Serviço. Informar os rendimentos provenientes de aposentadoria ou reforma motivada por acidente em serviço e os pagos aos aposentados, reformados e pensionistas, portadores de moléstia profissional, tuberculose ativa, alienação mental, esclerose múltipla, neoplasia maligna, cegueira, hanseníase, paralisia irreversível e incapacitante, cardiopatia grave, Doença de Parkinson, espondiloartrose anquilosante, nefropatia grave, hepatopatia grave, estados avançados de Doença de Paget (osteíte deformante), contaminação por radiação, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) e fibrose cística (mucoviscidose), comprovada de acordo com a legislação vigente, mesmo que a doença tenha sido contraída após a aposentadoria, a reforma ou concessão da pensão. Linha 4 Lucros ou Dividendos Apurados a partir de 1996, pagos por PJ (Lucro Real, Presumido ou Arbitrado) Nesta linha deverão ser informados os rendimentos correspondentes a lucros e dividendos apurados a partir de 1º de janeiro de 1996, distribuídos, no ano-calendário de 2007, a sócio, acionista, ou a titular de pessoa jurídica submetida ao regime de tributação com base no lucro real, presumido ou arbitrado, apurados com base em balanço. Linha5 Valores Pagos ao Titular ou Sócio da Microempresa ou Empresa de Pequeno Porte, exceto Pro Labore, Aluguéis ou Serviços Prestados. Deverão ser informados nesta linha os valores pagos ao titular ou sócio de microempresa ou empresa de pequeno porte, exceto prestação de serviços, pro labore ou aluguéis. Linha 6 Indenizações por Rescisão de Contrato de Trabalho, Inclusive a Título de PDV, e Acidente de Trabalho. Deverão ser informados os valores pagos a título de indenização por despedida ou rescisão de contrato de trabalho assalariado, inclusive a título de incentivo à adesão a Programa de Desligamento Voluntário (PDV), e indenização por acidente de trabalho. FASCÍCULO

14 DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS Linha 7 Outros Nesta linha deverão ser informados os demais rendimentos isentos não compreendidos nas linhas anteriores, inclusive o valor do acréscimo de remuneração proporcional ao valor da CPMF. VI QUADRO 5 RENDIMENTOS SUJEITOS À TRIBUTAÇÃO EXCLUSIVA Neste campo deverão ser informados pelo valor total anual, os rendimentos tributados exclusivamente na fonte pagos em Linha 1 Décimo Terceiro Salário Preencher com valor líquido do 13º Salário. Nesse caso, o valor líquido corresponde ao rendimento bruto menos as deduções de dependentes, pensão alimentícia, contribuição previdenciária oficial e privada e para o FAPI, se for o caso, utilizadas para reduzir a base de cálculo desta gratificação, e o respectivo valor do IR/Fonte, inclusive no caso em que a tributação esteja com a exigibilidade suspensa, em virtude de depósito judicial do imposto ou que, mediante concessão de liminar em mandado de segurança, nos termos do artigo 151 do CTN, não tenha havido a retenção na fonte. No que se refere ao 13º Salário relativo aos rendimentos mencionados na Linha 01 do Quadro 4, considera-se rendimento líquido, para fins de preenchimento dessa linha, o rendimento bruto menos as deduções de dependentes, pensão alimentícia, contribuição previdenciária, se for o caso, a parcela isenta até R$ 1.313,69 relativa ao 13º salário, e do respectivo valor do IR/Fonte. Linha 2 Outros Nesta linha será informado o valor líquido dos demais rendimentos sujeitos à tributação exclusiva, tais como prêmios em dinheiro, bens e serviços, obtidos em loterias, sorteios, concursos e corridas de cavalo e juros pagos ou creditados a titular, sócio, acionista de pessoa jurídica, a título de remuneração do capital próprio. VII QUADRO 6 INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES Neste campo serão mencionadas as informações complementares ao Comprovante de Rendimentos, tais como: a) onomeeocpfdetodos os beneficiários da pensão alimentícia, quando esta for informada na Linha 4 do Quadro 3, e o valor correspondente a cada um dos beneficiários, ainda que o pagamento seja efetuado pelo total a um só dos beneficiários ou ao responsável, informando separadamente o valor referente ao 13º Salário; b) as despesas médico-odonto-hospitalares, assim considerados os gastos efetuados com médicos, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e hospitais, bem como as provenientes de exames laboratoriais e serviços radiológicos, aparelhos ortopédicos e próteses ortopédicas e dentárias; c) o valor reembolsado a esse título de despesas médicas e/ou odontológicas pelo empregado ao empregador, no caso de a empresa manter convênio e pagar diretamente ao prestador de serviço; d) o valor correspondente à diferença entre o que foi pago diretamente pelo empregado eoreembolsadopelo empregador, caso a pessoa jurídica retenha o comprovante de despesas médicas; e) o valor descontado mensalmente do empregado para cobertura de despesas com hospitalização, assistência médica e dentária, deduzidas, se for o caso, as importâncias ressarcidas pela fonte pagadora; f) relativamente aos rendimentos tributáveis, descritos no Quadro 3, Linha 1, em que a tributação esteja com exigibilidade suspensa, em virtude de depósito judicial do imposto ou que, mediante concessão de liminar em mandado de segurança, nos termos do artigo 151 do CTN, não tenha havido a retenção do Imposto de Renda na fonte, deverão ser informados o valor dos rendimentos tributáveis pagos, o total do imposto depositado judicialmente, o número do processo judicial, a vara, a seção judiciária ou tribunal onde o mesmo está em curso e a data da decisão judicial PENALIDADES As penalidades por infrações relacionadas ao Comprovante de Rendimentos são: multa de R$ 41,43, por documento, quando a fonte pagadora deixar de fornecer o Comprovante no prazo fixado ou deixar de fornecê-lo com exatidão; multa de 300% do valor indevidamente utilizável, como redução do Imposto de Renda a pagar ou aumento do imposto a restituir ou a compensar, independente de outras penalidades administrativas ou criminais, quando a fonte pagadora prestar informação falsa sobre os rendimentos pagos, deduções ou imposto retido na fonte. Na mesma penalidade incorrerá aquele que se beneficiar da informação, sabendo ou devendo saber da falsidade EXEMPLO PRÁTICO A seguir, demonstramos, hipoteticamente, o preenchimento do Comprovante de Rendimentos,tomandopor base uma pessoa jurídica que pagou a pessoa física rendimentos do trabalho assalariado no decorrer do ano-calendário de 2007, conforme relacionamos a seguir: Total dos salários e férias pagos em R$ ,00 Total das contribuições para o INSS sobre salários e férias...r$ 3.789,93 Total do IR/Fonte sobre salários e férias...r$ 8.719,68 13º salário...r$ 5.000,00 Contribuições para o INSS sobre o 13º salário...r$ 318,37 IR/Fonte sobre o 13º salário...r$ 725,94 Dependentes (1)...R$ 132,05 Valor das despesas médicas descontado do empregado...r$ 6.300,00 14 FASCÍCULO 5.3

15 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE Ano-calendário FONTE PAGADORA PESSOA JURÍDICA OU PESSOA FÍSICA NOME EMPRESARIAL/NOME CNPJ/CPF RANS COMÉRCIO DE ALIMENTOS LTDA / PESSOA FÍSICA BENEFICIÁRIA DOS RENDIMENTOS CPF NOME COMPLETO NATUREZA DO RENDIMENTO PEDRO DE OLIVEIRA MATOS RENDIMENTO DO TRABALHO ASSALARIADO 3. RENDIMENTOS TRIBUTÁVEIS, DEDUÇÕES E IMPOSTO RETIDO NA FONTE VALORES EM REAIS 01. Total dos Rendimentos (inclusive férias) , Contribuição Previdenciária Oficial 3.789, Contribuição à Previdência Privada e ao Fundo de Aposentadoria Programada Individual (FAPI), 04. Pensão Alimentícia (informar o beneficiário no Quadro 6), 05. Imposto de Renda Retido 8.719,68 4. RENDIMENTOS ISENTOS E NÃO TRIBUTÁVEIS VALORES EM REAIS 01. Parcela Isenta dos Proventos de Aposentadoria, Reserva, Reforma e Pensão (65 anos ou mais), 02. Diárias e Ajudas de Custo, 03. Pensão, Proventos de Aposentadoria ou Reforma por Moléstia Grave e Aposentadoria ou Reforma por Acidente em Serviço, 04. Lucro e Dividendo Apurado a partir de 1996 pago por PJ (Lucro Real, Presumido ou Arbitrado), 05. Valores Pagos ao Titular ou Sócio da Microempresa ou Empresa de Pequeno Porte, exceto Pro-labore, Aluguéis ou Serviços Prestados, 06. Indenizações por rescisão de contrato de trabalho, inclusive a título de PDV, e acidente de trabalho, 07. Outros (especificar), 5. RENDIMENTOS SUJEITOS À TRIBUTAÇÃO EXCLUSIVA (RENDIMENTO LÍQUIDO) VALORES EM REAIS 01. Décimo Terceiro Salário 3.823,64 (*) 02. Outros, 6. INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DESPESAS MÉDICO-HOSPITALARES: R$ 6.300,00 7. RESPONSÁVEL PELAS INFORMAÇÕES NOME DATA ASSINATURA MAURÍCIO DUARTE Aprovado pela IN/SRF nº 120/ (*) Valor correspondente à: R$ 5.000,00 R$ 318,37 R$ 132,05 R$ 725,94 = 3.823,64 FASCÍCULO

16 DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei 9.532, de (Informativo 50/97); Lei , de (Informativo 53/2004); Lei , de (Informativo 47/2005); Lei , de (Informativo 24/2006); Lei , de (Fascículo 22/2007); Decreto 3.000, de Regulamento do Imposto de Renda (RIR) artigos 77 ao 80, 83, 642, 941, 943 e 965 (Portal COAD); Instrução Normativa 11 SRF, de (Informativo 08/96); Instrução Normativa 15 SRF, de (Informativo 06/2001); Instrução Normativa 93 SRF, de (Informativo 53/97); Instrução Normativa 120 SRF, de (Informativo 02/2001); Instrução Normativa 288 SRF, de (Informativo 05/2003); Instrução Normativa 588 SRF, de (Informativo 52/2005) Instrução Normativa 793 RFB, de (Fascículo 51/2007). 16 FASCÍCULO 5.3

ANO XXVI - 2015-1ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 01/2015

ANO XXVI - 2015-1ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 01/2015 ANO XXVI - 2015-1ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 01/2015 IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE COMPROVANTE ANUAL DE RENDIMENTOS PAGOS OU CREDITADOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE

Leia mais

COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE

COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE Ano Calendário/ 2010 Quer entender um pouco mais sobre este documento? Conheça as informações que devem constar em cada quadro

Leia mais

DIRF - 2013. Fortaleza-CE, 20 de fevereiro de 2013. Plantão Fiscal da DRF/Fortaleza

DIRF - 2013. Fortaleza-CE, 20 de fevereiro de 2013. Plantão Fiscal da DRF/Fortaleza DIRF - 2013 Fortaleza-CE, 20 de fevereiro de 2013 Plantão Fiscal da DRF/Fortaleza 1 O QUE É A DIRF? É a Declaração em que é informada à RFB: Os rendimentos pagos a pessoas físicas domiciliadas no País,

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE

IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE LÚCIA HELENA BRISKI YOUNG Estão sujeitos à incidência do imposto na fonte, calculado de acordo com a tabela progressiva mensal, os rendimentos do trabalho assalariado pagos

Leia mais

Parte II. A declaração

Parte II. A declaração Parte II A declaração Declaração Anual de Ajustes Deve ser apresentada até o último dia de abril do exercício seguinte ao da ocorrência do fato gerador (31/12). Pode ser apresentada de forma: completa

Leia mais

Cartilha Declaração de Imposto de Renda 2016

Cartilha Declaração de Imposto de Renda 2016 CARTILHA DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2016 1 SUMÁRIO 1. OBRIGATORIEDADE DE APRESENTAÇÃO... 4 1.1. Pessoas obrigadas à apresentação da Declaração de Ajuste Anual IRPF 2016... 4 1.2. Pessoas dispensadas

Leia mais

Entenda como é realizado o cálculo do Imposto de Renda Retido na Fonte:

Entenda como é realizado o cálculo do Imposto de Renda Retido na Fonte: Entenda como é realizado o cálculo do Imposto de Renda Retido na Fonte: Observação: Como exemplo, será utilizado o Demonstrativo de Pagamento fictício apresentado abaixo, cuja competência é de junho de

Leia mais

Comprovante de Rendimentos Pagos e de Imposto Sobre a Renda Retido na Fonte

Comprovante de Rendimentos Pagos e de Imposto Sobre a Renda Retido na Fonte Comprovante de Rendimentos Pagos e de Imposto Sobre a Renda Retido na Fonte INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DO COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE IMPOSTO SOBRE A RENDA RETIDO NA FONTE Quadro 3: Nesse

Leia mais

14/2/2013 DIRF-2013. Professor Carlos Alberto Silva de Lima Bacharel em Ciências Contábeis Pós Graduado

14/2/2013 DIRF-2013. Professor Carlos Alberto Silva de Lima Bacharel em Ciências Contábeis Pós Graduado DIRF-2013 Professor Carlos Alberto Silva de Lima Bacharel em Ciências Contábeis Pós Graduado 1 Obrigatoriedade de apresentação Programa gerador A apresentação Prazo de apresentação Retificação Processamento

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Centro de Economia e Administração. Faculdade de Ciências Contábeis

Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Centro de Economia e Administração. Faculdade de Ciências Contábeis Pontifícia Universidade Católica de Campinas Centro de Economia e Administração Faculdade de Ciências Contábeis OBRIGATORIEDADE DE APRESENTAÇÃO Renda Recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste

Leia mais

Guia Personnalité IR 2011

Guia Personnalité IR 2011 Guia Personnalité IR 2011 Índice Imposto de Renda 2011... 03 Obrigatoriedade de entrega da declaração... 04 Orientações gerais... 04 Formas de entrega... 05 Multa pelo atraso na entrega... 05 Imposto a

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone/fax (11) 4742-6674 Desde 1987 Legislação Consultoria Assessoria Informativos Treinamento Auditoria Pesquisa Qualidade Relatório

Leia mais

Complemento: Bairro/Distrito: vila menck. CEP: 06390-170 DDD/Telefone: (11) 98460-6248

Complemento: Bairro/Distrito: vila menck. CEP: 06390-170 DDD/Telefone: (11) 98460-6248 IDENTIFICAÇÃO DO CONTRIBUINTE Nome: ricardo soares da costa Data de Nascimento: 05/01/1979 Título Eleitoral: Possui cônjuge ou companheiro(a)? Sim CPF do cônjuge ou companheiro(a): 314.250.128-25 Houve

Leia mais

IRPF 2012. Principais Novidades. Março 2013. Elaborado por: Wagner Mendes. O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a).

IRPF 2012. Principais Novidades. Março 2013. Elaborado por: Wagner Mendes. O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a). Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

RENDIMENTOS TRIBUTÁVEIS RECEBIDOS DE PESSOA FÍSICA E DO EXTERIOR PELOS DEPENDENTES

RENDIMENTOS TRIBUTÁVEIS RECEBIDOS DE PESSOA FÍSICA E DO EXTERIOR PELOS DEPENDENTES IDENTIFICAÇÃO DO CONTRIBUINTE Nome: RODRIGO GERMANO DELMASSO MARTINS Data de Nascimento: 09/06/1980 Título Eleitoral: 014536812011 Houve mudança de endereço? Não Um dos declarantes é pessoa com doença

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos DIRF Rendimento Tributável Nota Fiscal Cooperativa Médica

Parecer Consultoria Tributária Segmentos DIRF Rendimento Tributável Nota Fiscal Cooperativa Médica DIRF Rendimento Tributável Nota Fiscal Cooperativa Médica 24/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão...

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 301 - Data 17 de outubro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA FÍSICA - IRPF PREVIDÊNCIA PRIVADA-PGBL.

Leia mais

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2 Guia de Declaração de IRPF 2011 Ano-calendário 2010 Previdência IR 2010 Prev e Cp_v2 Quem é obrigado a declarar? Está obrigada a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente

Leia mais

Sumário. www.coad.com.br TRABALHO FGTS FONTE PIS/PASEP PREVIDÊNCIA SOCIAL

Sumário. www.coad.com.br TRABALHO FGTS FONTE PIS/PASEP PREVIDÊNCIA SOCIAL ÚLTIMO DIÁRIO PESQUISADO 01/02/2008 Fascículo Semanal nº 05 Ano XLII 2008 FECHAMENTO: 01/02/2008 EXPEDIÇÃO: 07/02/2008 PÁGINAS: 056/045 Sumário FGTS PRAZO DE RECOLHIMENTO Agenda Tributária Fevereiro/2008

Leia mais

DIRF 2016 Aspectos Gerais para Apresentação. 1. Introdução DIRF-2015-1 -

DIRF 2016 Aspectos Gerais para Apresentação. 1. Introdução DIRF-2015-1 - SUMÁRIO 1. Introdução 2. Prazo para Apresentação 2.1. Situações especiais 2.2. Saída definitiva do País 3. Programa Gerador da DIRF 2016 3.1. Apresentação da DIRF 2016 3.2. Processamento da DIRF 2016 4.

Leia mais

CARTILHA PARA EMISSÃO DA DIRF NO ESTADO DA BAHIA

CARTILHA PARA EMISSÃO DA DIRF NO ESTADO DA BAHIA CARTILHA PARA EMISSÃO DA DIRF NO ESTADO DA BAHIA 2014 1 ÍNDICE 1. O QUE É DIRF... 3 2. OBRIGATORIEDADE DE EMISSÃO DA DIRF... 3 3. QUAIS INFORMAÇÕES DEVEM CONSTAR NA DIRF... 5 4. CRITÉRIOS UTILIZADOS PARA

Leia mais

ANO XXV - 2014-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2014

ANO XXV - 2014-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2014 ANO XXV - 2014-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2014 IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE DIRF - DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE - NORMAS PARA APRESENTAÇÃO 2014... Pág. 104

Leia mais

Seja portador de uma das seguintes doenças: AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida): Doença de Paget em estados avançados (Osteíte deformante):

Seja portador de uma das seguintes doenças: AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida): Doença de Paget em estados avançados (Osteíte deformante): 1 POR DESCONHECIMENTO APOSENTADOS PORTADORES DE DOENÇAS GRAVES NÃO GOZAM DA ISENÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA DE PESSOA FÍSICA IRPF E DEIXAM DE RESTITUIR VALORES RECOLHIDOS INDEVIDAMENTE - Lei nº. 7.713/1988

Leia mais

Treinamento da DIRF e Comprovante de Rendimentos

Treinamento da DIRF e Comprovante de Rendimentos Treinamento da DIRF e Comprovante de Rendimentos Este treinamento tem o objetivo de demonstrar as informações e funcionalidades da DIRF em relação às rotinas específicas do sistema JB Folha de Pagamento.

Leia mais

Atualizado até maio de 2014

Atualizado até maio de 2014 1 Atualizado até maio de 2014 Secretário da Receita Federal do Brasil Carlos Alberto Freitas Barreto Subsecretário de Tributação e Contencioso da Receita Federal do Brasil Paulo Ricardo de Souza Cardoso

Leia mais

Dia Obrigação Competência, fato gerador e outras particularidades

Dia Obrigação Competência, fato gerador e outras particularidades Calendário de Obrigações de Julho/2010. Dia Obrigação Competência, fato gerador e outras particularidades 06 (3ª feira) Salários Último dia para pagamento dos salários referentes ao mês de Junho/2010.

Leia mais

Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte. 1) O Órgão Público está obrigado à entrega da DIRF?

Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte. 1) O Órgão Público está obrigado à entrega da DIRF? Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte 1) O Órgão Público está obrigado à entrega da DIRF? Sim. A legislação da DIRF, Instrução Normativa n 1.406, de 23 de outubro de 2013, coloca como pessoa jurídica

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA - 2011

IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA - 2011 IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA - 2011 Perguntas e Respostas 1. QUAL CONDIÇÃO TORNA A PESSOA FÍSICA OBRIGADA A APRESENTAR DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA? Está obrigado a apresentar a declaração,

Leia mais

INVESTIMENTO I - IMPOSTO DE RENDA NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR II - SIMULE E FAÇA CONTRIBUIÇÕES ADICIONAL

INVESTIMENTO I - IMPOSTO DE RENDA NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR II - SIMULE E FAÇA CONTRIBUIÇÕES ADICIONAL INVESTIMENTO I - IMPOSTO DE RENDA NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR II - SIMULE E FAÇA CONTRIBUIÇÕES ADICIONAL I - IMPOSTO DE RENDA NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR A Lei n.º 11.053, de 29 de dezembro de 2004, trouxe

Leia mais

DIRF 2011. Secretaria da Receita Federal do Brasil

DIRF 2011. Secretaria da Receita Federal do Brasil DIRF 2011 O que é a DIRF? É a Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte feita pela FONTE PAGADORA, destinada a informar à Secretaria da Receita Federal o valor do Imposto de Renda retido na fonte,

Leia mais

Cape contabilidade LUCRO PRESUMIDO

Cape contabilidade LUCRO PRESUMIDO LUCRO PRESUMIDO 1. PESSOAS JURÍDICAS QUE PODEM OPTAR A partir do ano-calendário de 2003, poderão optar pelo lucro presumido as pessoas jurídicas que não estiverem obrigadas ao lucro real, e tenham auferido,

Leia mais

CARTILHA DE DOAÇÃO PARA O FUMCAD

CARTILHA DE DOAÇÃO PARA O FUMCAD CARTILHA DE DOAÇÃO PARA O FUMCAD ÍNDICE O que é o FUMCAD 2 Conceito e Natureza Jurídica 2 Doações 3 Dedução das Doações Realizadas no Próprio Exercício Financeiro 4 Passo a Passo para a Doação 5 Principais

Leia mais

Declaração de Ajuste Anual IN RFB nº 1.246, de 03/02/2012

Declaração de Ajuste Anual IN RFB nº 1.246, de 03/02/2012 Prof. professorjm@tributosefinancas.com.br Imposto de Renda de Pessoa Física IN RFB nº 1.246, de 03/02/2012 DOU 06/02/2012 São Mateus ES, 23 de março de 2012 AtualizaçãodaTabelaProgressiva DeduçãodasdoaçõesaosConselhosMunicipais,Estaduaise

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Cálculo proporcional do INSS e dedução do IRRF na folha após férias de 30 dias 16/05/14

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Cálculo proporcional do INSS e dedução do IRRF na folha após férias de 30 dias 16/05/14 Cálculo proporcional do INSS e dedução do IRRF na folha após férias de 30 dias 16/05/14 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

Declaração de Imposto de Renda 2012

Declaração de Imposto de Renda 2012 Declaração de Imposto de Renda 2012 Cartilha Índice 1. Forma de elaborar a declaração de IRPF 2012... 3 1.1 Formas de entrega... 3 1.2 Prazo de entrega... 3 1.3 Multa pelo atraso na entrega da declaração...

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 3.000, DE 26 DE MARÇO DE 1999. Regulamenta a tributação, fiscalização, arrecadação e administração do Imposto Texto Republicado

Leia mais

Organização Hilário Corrêa Assessoria Empresarial e Contabilidade

Organização Hilário Corrêa Assessoria Empresarial e Contabilidade Desde o dia 02/03/2015 iniciamos o período de entrega da declaração de imposto de renda pessoa física de 2015 com base nos fatos ocorridos no ano de 2014, a declaração poderá ser transmitida até o dia

Leia mais

Decreto nº 3.000, de 26 de março de 1999

Decreto nº 3.000, de 26 de março de 1999 Decreto nº 3.000, de 26 de março de 1999 Tributação das Pessoas Físicas - ( Livro 1 - Art 2º a 145 ) TÍTULO I CONTRIBUINTES E RESPONSÁVEIS Subtítulo I Contribuintes Capítulo I PESSOAS FÍSICAS DOMICILIADAS

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015 Até dia Obrigação 4 IRRF Histórico Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.01.2015,

Leia mais

Comprovante de Rendimentos Financeiros

Comprovante de Rendimentos Financeiros Comprovante de Rendimentos Financeiros INFORME DE RENDIMENTOS FINANCEIROS MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL INFORME DE RENDIMENTOS FINANCEIROS DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

OBRIGAÇÕES FEDERAIS OUTUBRO/2008

OBRIGAÇÕES FEDERAIS OUTUBRO/2008 OBRIGAÇÕES FEDERAIS OUTUBRO/2008 DIA 2 (Quinta) CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS RECLAMATÓRIA TRABALHISTA PESSOAS OBRIGADAS: Empregadores, inclusive domésticos, que participaram de ação judicial na Justiça

Leia mais

DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples

DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples Wagner Mendes Contador, Pós-Graduado em Controladoria, Auditoria e Tributos, Consultor Tributário, Especialista em Tributos Federais, Contabilidade e Legislação

Leia mais

Especial Imposto de Renda 2015

Especial Imposto de Renda 2015 Especial Imposto de Renda 2015 01. Durante o ano de 2014 contribuí para a Previdência Social como autônoma. Como devo fazer para deduzir esses valores? Qual campo preencher? Se pedirem CNPJ, qual devo

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Retenção Imposto de Renda para Empregados com Multiplos Vínculos.

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Retenção Imposto de Renda para Empregados com Multiplos Vínculos. Retenção Imposto de Renda para Empregados com Multiplos Vínculos. 23/05/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 5 4. Conclusão...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Dedução de dependentes da base de cálculo do IRRF - Federal

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Dedução de dependentes da base de cálculo do IRRF - Federal Dedução de dependentes da base de cálculo do IRRF - Federal 03/02/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 4. Conclusão...

Leia mais

Índice 1. Obrigatoriedades... 3. 2. Forma de elaborar a declaração de IRPF 2013... 4. 2.1 Formas de entrega... 4. 2.2 Prazo de entrega...

Índice 1. Obrigatoriedades... 3. 2. Forma de elaborar a declaração de IRPF 2013... 4. 2.1 Formas de entrega... 4. 2.2 Prazo de entrega... Índice 1. Obrigatoriedades... 3 2. Forma de elaborar a declaração de IRPF 2013... 4 2.1 Formas de entrega... 4 2.2 Prazo de entrega... 4 2.3 Multa pelo atraso na entrega da declaração... 4 3. Modelos de

Leia mais

EDITAL DE BOLSA SOCIAL DE ESTUDO ANO 2016

EDITAL DE BOLSA SOCIAL DE ESTUDO ANO 2016 EDITAL DE BOLSA SOCIAL DE ESTUDO ANO 2016 A ORDEM AUXILIADORA DAS SENHORAS EVANGÉLICAS - OASE: 1. IEL Instituto Educacional Luterano; Por meio de seu PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EDUCACIONAL, conforme

Leia mais

IRPF IMPOSTO DE RENDA

IRPF IMPOSTO DE RENDA Le f is c L e g i s l a c a o F i s c a l CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE

Leia mais

Contratos de Mútuo Empréstimos Incidência de IRRF e IOF

Contratos de Mútuo Empréstimos Incidência de IRRF e IOF Contratos de Mútuo Empréstimos Incidência de IRRF e IOF Os contratos de mútuo, comumente realizados entre pessoas físicas e jurídicas, serão tributados, na fonte, pelo Imposto de Renda e pelo Imposto sobre

Leia mais

IX ISENÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NA APOSENTADORIA

IX ISENÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NA APOSENTADORIA IX ISENÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NA APOSENTADORIA Instrução Normativa SRF 15, de 6/2/2001 O que é? Os portadores de câncer (neoplasia maligna) estão isentos do Imposto de Renda relativo aos rendimentos de

Leia mais

Pessoas obrigadas a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do IRPF 2015

Pessoas obrigadas a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do IRPF 2015 Pessoas obrigadas a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do IRPF 2015 Está obrigada a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente ao exercício de 2015, a pessoa física

Leia mais

III Semana de Administração, Orçamentária, Financeira e de Contratações Públicas do Governo Federal Recolhimento de Tributos no SIAFI

III Semana de Administração, Orçamentária, Financeira e de Contratações Públicas do Governo Federal Recolhimento de Tributos no SIAFI III Semana de Administração, Orçamentária, Financeira e de Contratações Públicas do Governo Federal Recolhimento de Tributos no SIAFI Organização: Paulo Henrique Feijó Atualização: Março/ 2006 RETENÇÃO/RECOLHIMENTO

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO E TRIBUTOS

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO E TRIBUTOS VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO E TRIBUTOS Orientador Empresarial IRRF - DIRF Ano Calendário 2010 Programa Gerador 2011 - Disposições INSTRUÇÃO NORMATIVA

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Comissão Central do Vestibular Unificado

Universidade Estadual de Maringá Comissão Central do Vestibular Unificado Universidade Estadual de Maringá Comissão Central do Vestibular Unificado VESTIBULAR DE INVERNO/2011 Home CVU Home UEM O Sistema de Cotas Sociais, forma de ingresso aos cursos de graduação da UEM, é destinado

Leia mais

Regras de Aposentadorias e Pensões

Regras de Aposentadorias e Pensões Seguridade Social: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 140 - Data 5 de junho de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA FÍSICA - IRPF DESPESAS MÉDICAS. FERTILIZAÇÃO

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS ABRIL/2014. Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de Março/2014:

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS ABRIL/2014. Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de Março/2014: AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS ABRIL/2014 03/Abril. 5ª Feira. IOF - Imposto sobre Operações Financeiras. Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de Março/2014: - Operações

Leia mais

Orientações gerais. Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física DIRPF e Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior CBE

Orientações gerais. Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física DIRPF e Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior CBE Orientações gerais Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física DIRPF e Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior CBE Exercício 2016 Ano base 2015 Exercício É o ano de apresentação da declaração Ano-Base

Leia mais

Orientações Gerais Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física DIRPF E Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior CBE

Orientações Gerais Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física DIRPF E Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior CBE Orientações Gerais Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física DIRPF E Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior CBE Exercício 2013 Ano base 2012 I. DIRPF - Obrigatoriedade de Apresentação da Declaração

Leia mais

Art. 2º - Aprovar o Regulamento Geral do Programa de Assistência à Saúde dos Servidores do Detran/DF, que acompanha esta Instrução de Serviço.

Art. 2º - Aprovar o Regulamento Geral do Programa de Assistência à Saúde dos Servidores do Detran/DF, que acompanha esta Instrução de Serviço. Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ INSTRUÇÃO Nº 12, DE 21 DE JANEIRO 2008 Cria o Programa de Assistência à Saúde dos Servidores do Departamento de Trânsito do Distrito Federal

Leia mais

CAPÍTULO III DA FORMA DE ELABORAÇÃO

CAPÍTULO III DA FORMA DE ELABORAÇÃO Instrução Normativa RFB Nº 1246 DE 03/02/2012 (Federal) Data D.O.: 06/02/2012 Dispõe sobre a apresentação da Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente ao exercício de 2012, ano-calendário

Leia mais

Cartilha Imposto de Renda 2014 ÍNDICE 1. OBRIGATORIEDADE DE APRESENTAÇÃO...3

Cartilha Imposto de Renda 2014 ÍNDICE 1. OBRIGATORIEDADE DE APRESENTAÇÃO...3 CARTILHA DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2014 ÍNDICE 1. OBRIGATORIEDADE DE APRESENTAÇÃO...3 2. FORMA DE ELABORAR A DECLARAÇÃO DE IRPF 2014...4 2.1 FORMAS DE ENTREGA...4 2.2 PRAZO DE ENTREGA...4 2.3 MULTA

Leia mais

MANUAL DO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE. Mafon 2005. Atualizado até março de 2005

MANUAL DO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE. Mafon 2005. Atualizado até março de 2005 MANUAL DO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE Mafon 2005 Atualizado até março de 2005 Secretário da Receita Federal Jorge Antonio Deher Rachid Secretário-Adjunto da Receita Federal Carlos Alberto Freitas

Leia mais

Benefício Novos valores da tabela de salários de contribuição e reajustes de benefícios

Benefício Novos valores da tabela de salários de contribuição e reajustes de benefícios Benefício Novos valores da tabela de salários de contribuição e reajustes de benefícios TEXTO NA ÍNTEGRA Em face da publicação do Decreto nº 8.618/2015 - DOU de 30.12.2015, este procedimento foi atualizado.

Leia mais

Esse ano temos algumas novidades importantes!

Esse ano temos algumas novidades importantes! Sabemos que, a cada ano, o cerco se fecha em torno dos profissionais da área de saúde. Assim, todo o cuidado é pouco na hora de declarar o seu imposto de renda. Esse ano temos algumas novidades importantes!

Leia mais

Assunto: Contabilização do pagamento da Contribuição ao Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público PIS/PASEP

Assunto: Contabilização do pagamento da Contribuição ao Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público PIS/PASEP Nota Técnica n 003/2012/GECON Vitória, 08 de Março de 2012. Assunto: Contabilização do pagamento da Contribuição ao Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público PIS/PASEP

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA DEFINIÇÃO DE MICROEMPRESA SOCIAL

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA DEFINIÇÃO DE MICROEMPRESA SOCIAL ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR LEI Nº 6.559, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2004 Publicada no DOE em 31 de dezembro de 2004 DISPÕE SOBRE A MICROEMPRESA SOCIAL, ESTABELECENDO TRATAMENTO TRIBUTÁRIO DIFERENCIADO,

Leia mais

Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente

Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente Apesar de ter sido sancionada em 13 de junho de 1990, a Lei nº 8.069, que permite às empresas e às pessoas físicas destinar parte do que pagam

Leia mais

ASSUNTO: PEDIDO DE RESTITUIÇÃO IRRF MOLÉSTIA GRAVE

ASSUNTO: PEDIDO DE RESTITUIÇÃO IRRF MOLÉSTIA GRAVE MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM MACAPÁ SEÇÃO DE ORIENTAÇÃO E ANÁLISE TRIBUTÁRIA - SAORT PROCESSO Nº PARECER x INTERESSADO CNPJ/CPF

Leia mais

Manual de Referência DIRF

Manual de Referência DIRF 30/01/2015 Sumário Título do documento Prefácio... 3 Introdução... 4 1. Novas Funções... 4 2. Processo Preparação das Informações... 4 2.1. Limite Mínimo Para Geração Arquivo... 4 2.2. Geração Valores

Leia mais

http://agenda.cenofisco.com.br/agenda/agenda.dll/infobase/5/11/13/170?f=templates&fn=document-fra...

http://agenda.cenofisco.com.br/agenda/agenda.dll/infobase/5/11/13/170?f=templates&fn=document-fra... 0 http://agenda.cenofisco.com.br/agenda/agenda.dll/infobase/5/11/13/170?f=templates&fn=document-fra... Outubro Notas Cenofisco: 1ª) Além das obrigações relacionadas neste Calendário, o assinante poderá,

Leia mais

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL DA CONTRIBUIÇÃO (EFD CONTRIBUIÇÕES) Diário Oficial da União Nº 43, Seção 1, sexta-feira, 2 de Março de 2012

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL DA CONTRIBUIÇÃO (EFD CONTRIBUIÇÕES) Diário Oficial da União Nº 43, Seção 1, sexta-feira, 2 de Março de 2012 Circular 112/2012 São Paulo, 06 de Março de 2012. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL DA CONTRIBUIÇÃO (EFD CONTRIBUIÇÕES) Diário Oficial da União Nº 43, Seção 1, sexta-feira, 2 de

Leia mais

a d en e R d sto o p e Im 20 d eclaração Cartilha D 1

a d en e R d sto o p e Im 20 d eclaração Cartilha D 1 ÍNDICE 1. Obrigatoriedades... 3 2. Forma de elaborar a declaração de IRPF 2014... 4 2.1 Formas de entrega... 4 2.2 Prazo de entrega... 4 2.3 Multa pelo atraso na entrega da declaração... 4 3. Modelos de

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos IRRF de Transportador Autônomo

Parecer Consultoria Tributária Segmentos IRRF de Transportador Autônomo Parecer Consultoria Tributária Segmentos IRRF de 10/02/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Incidência do IRRF para

Leia mais

MATERIAL EXTRAIDO DA REVISTA SEMANA COAD Nº 19 PG. 285 / 2009

MATERIAL EXTRAIDO DA REVISTA SEMANA COAD Nº 19 PG. 285 / 2009 MATERIAL EXTRAIDO DA REVISTA SEMANA COAD Nº 19 PG. 285 / 2009 Informativo 19 - Página 285 - Ano 2009 ORIENTAÇÃO MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Opção pelo SIMEI Conheça as condições para recolhimento

Leia mais

Obrigatoriedade na declaração

Obrigatoriedade na declaração A declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física 2010 aparece com algumas novidades, especialmente em relação aos parâmetros que definem a obrigatoriedade da apresentação, o que deverá fazer com que diminua,

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE MAIO DE 2011 (ÂMBITO FEDERAL)

OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE MAIO DE 2011 (ÂMBITO FEDERAL) OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE MAIO DE 2011 (ÂMBITO FEDERAL) 04.05 (4ª feira) IOF Imposto Sobre Operações Financeiras Último dia para o recolhimento do IOF referente ao

Leia mais

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS OU DIVIDENDOS - TRATAMENTO FISCAL

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS OU DIVIDENDOS - TRATAMENTO FISCAL LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL Nº 03/2007 15/10/2007 DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS OU DIVIDENDOS TRATAMENTO FISCAL Colaboração do AFRFB Nilo Carvalho Supervisor do Plantão Fiscal da Receita Federal do Brasil,

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE BOLSA DE ESTUDO NÃO RESTITUÍVEL (BOLSA FILANTRÓPICA) 2016

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE BOLSA DE ESTUDO NÃO RESTITUÍVEL (BOLSA FILANTRÓPICA) 2016 RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE BOLSA DE ESTUDO NÃO RESTITUÍVEL (BOLSA FILANTRÓPICA) 2016 1. INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 Será concedida a Bolsa Filantrópica com base nos critérios básicos consignados

Leia mais

IOB Setorial JURÍDICO. Sociedade de advogados - Aspectos tributários 6. EMPRESAS EM LIQUIDAÇÃO 7. EMPRESAS EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL 1.

IOB Setorial JURÍDICO. Sociedade de advogados - Aspectos tributários 6. EMPRESAS EM LIQUIDAÇÃO 7. EMPRESAS EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL 1. 6. EMPRESAS EM LIQUIDAÇÃO Segundo o art. 16 da Instrução Normativa DNRC em tela, ao final dos nomes dos empresários e das sociedades empresárias que estiverem em processo de liquidação, após a anotação

Leia mais

JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO

JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO Alunos: Gleidiane Lacerda de Souza Raichelle Piol Professor: Aldimar Rossi RESUMO: O presente trabalho tem a finalidade de falar de Juros sobre capital próprio (JSCP) é uma

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.311, de 31 de dezembro de 2012

Instrução Normativa RFB nº 1.311, de 31 de dezembro de 2012 Instrução Normativa RFB nº 1.311, de 31 de dezembro de 2012 DOU de 31.12.2012 Altera a Instrução Normativa RFB nº 1.131, de 21 de fevereiro de 2011, que dispõe sobre os procedimentos a serem adotados para

Leia mais

PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) Nome. Matrícula Lotação Tel. Comercial. Email: Carteira de Identidade CPF

PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) Nome. Matrícula Lotação Tel. Comercial. Email: Carteira de Identidade CPF ELETRA - FUNDAÇÃO CELG DE SEGUROS E PREVIDÊNCIA www.eletra.org.br - versão: 05/2015 12.08.2015 - pág.: 1 PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) ( ) ATIVO ( ) APOSENTADO

Leia mais

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador WELLINGTON DIAS

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador WELLINGTON DIAS PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 110, de 2012, da Senadora Vanessa Grazziotin, que altera os arts. 4º e 8º da Lei nº 9.250, de 26 de dezembro de

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2011

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2011 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2011 Até dia Obrigação Histórico 3 IRRF Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.01.2011,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TRÊS LAGOAS ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE TRÊS LAGOAS ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL LEI N. 2.808, DE 18 DE MARÇO DE 2014. "CRIA O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS DO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS." MARCIA MOURA, Prefeita Municipal de Três Lagoas, Estado de

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015 Até dia Obrigação 3 IRRF Salário de Agosto de 2015 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.08.2015, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra

Leia mais

Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015

Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015 Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015 Até: Segunda-feira, dia 6 IOF Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de março/2015: - Operações de crédito - Pessoa Jurídica - Cód. Darf 1150 - Operações de crédito

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013 INFORMAÇÕES GERAIS Pessoa Jurídica Lucro Real Tributação com base no lucro efetivo demonstrado através do livro diário de contabilidade (obrigatório) 1. Empresas obrigadas à apuração

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL. Débitos Previdenciários Municípios Parcelamento Normatização

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL. Débitos Previdenciários Municípios Parcelamento Normatização TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL Orientador Empresarial Débitos Previdenciários Municípios Parcelamento Normatização INSTRUÇÃO NORMATIVA SRP 10/2005 DOU:

Leia mais

Especial Imposto de Renda 2015

Especial Imposto de Renda 2015 Especial Imposto de Renda 2015 01. Os gastos com aparelhos de audição para dependentes podem ser deduzidos como despesas médicas na Declaração de Ajuste Anual? Não. A legislação do Imposto de Renda considera

Leia mais

Digite o título aqui. Informativo 17/2015

Digite o título aqui. Informativo 17/2015 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui Informativo 17/2015 PUBLICADA LEI QUE PROMOVE ALTERAÇÕES NOS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Lei nº 13.135, de 17 de junho de 2015 - DOU de

Leia mais

FORMULÁRIO DE RECADASTRAMENTO

FORMULÁRIO DE RECADASTRAMENTO DADOS CADASTRAIS Nome (não abrevie): Sexo: Data de Nascimento: / / Estado Civil: CPF:.. - Identidade: xxxx - Data de Emissão: / / Expedidor: Naturalidade: Nacionalidade: Mãe: Pai: Banco: Agência: Conta

Leia mais

Elaboração: Nilson José da Silva. Auditor do Estado. Cristina Santos Vilella. Auditora do Estado

Elaboração: Nilson José da Silva. Auditor do Estado. Cristina Santos Vilella. Auditora do Estado Versão 1 - Cuiabá Novembro de 2005 1 Elaboração: Nilson José da Silva Auditor do Estado Cristina Santos Vilella Auditora do Estado 2 APRESENTAÇÃO A Auditoria-Geral do Estado de Mato Grosso AGE-MT após

Leia mais

IR-FONTE Rendimentos de Aplicações Financeiras, Juros Sobre Capital Próprio, Prêmios, Multas e Vantagens, de que trata o art. 7º da Lei nº 9.

IR-FONTE Rendimentos de Aplicações Financeiras, Juros Sobre Capital Próprio, Prêmios, Multas e Vantagens, de que trata o art. 7º da Lei nº 9. AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL JANEIRO DE 2016 06.01 (4ª Feira) IR-FONTE Rendimentos de Aplicações Financeiras, Juros Sobre Capital Próprio, Prêmios, Multas e Vantagens, de que trata o art. 7º da Lei nº 9.430/1996

Leia mais

AGENDA DE CONTRIBUIÇÕES, TRIBUTOS E OBRIGAÇÕES

AGENDA DE CONTRIBUIÇÕES, TRIBUTOS E OBRIGAÇÕES Sinduscon Ceará - Agosto / 2014 DIAS OBRIGAÇÕES DESCRIÇÃO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL 05 (terça-feira) IRRF RETIDO NA FONTE Recolher até o 3º dia útil após o último decêndio do mês anterior, os fatos gerados a

Leia mais