APRENDER E ENSINAR COM TECNOLOGIAS: CONSTRUÇÃO DE OBJETO MULTIMÍDIA ESCOLAR VOLTADO PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL RESUMO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APRENDER E ENSINAR COM TECNOLOGIAS: CONSTRUÇÃO DE OBJETO MULTIMÍDIA ESCOLAR VOLTADO PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL RESUMO"

Transcrição

1 APRENDER E ENSINAR COM TECNOLOGIAS: CONSTRUÇÃO DE OBJETO MULTIMÍDIA ESCOLAR VOLTADO PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Rosilãne de Lourenço Lorenzoni 1 Profª. Drª. Meri Lourdes Bezzi 2 RESUMO A construção do conhecimento tem se constituído em um desafio para educadores e educandos que buscam dinamizar a aprendizagem através de novas formas de ensinar e de aprender. Procurando contribuir com o processo de ensino-aprendizagem e torná-lo mais eficiente, esse artigo, faz parte de uma pesquisa de mestrado que tem como objetivo principal construir um objeto multimídia escolar voltado para a educação ambiental. Os objetivos específicos foram estruturados visando subsidiar o conteúdo sobre a questão ambiental, nos anos finais (6º ao 9º ano) do Ensino Fundamental, através de tecnologias interativas e incentivar a integração de tecnologias na construção pedagógica, permitindo o desenvolvimento de uma educação inovadora, qualificada e inclusiva que coloca em sua práxis, objetos multimídia escolar. Esse estudo está baseado em Wiley (2006), Lévy (1993) e Tarouco (2008) entre outros autores, os quais apontam as razões para aprender e ensinar com tecnologias, especialmente através de objetos multimídia escolar. Metodologicamente, será delineada, a matriz teórica, através de conceitos norteadores como novas tecnologias na educação, na qual procurar-se-á articular conhecimentos, tecnologias e práticas pedagógicas, favorecendo atividades colaborativas, proposta pela Rede Interativa Virtual de Educação (RIVED), a qual se constitui das seguintes etapas: design pedagógico, roteiro, guia do professor e validação. Acredita-se que os objetos multimídia escolar representam uma ferramenta de apoio pedagógico na construção dos saberes, permitindo uma aprendizagem que estimule o educando a inserir-se em formas mais dinâmicas de construção do conhecimento. Pretende-se com essa pesquisa, incentivar alunos e professores a aprender a criar e a reconstruir o seu conhecimento, desenvolvendo competências para utilizar os objetos multimídia escolar, tornando-se dinamizadores e incentivadores do uso de tecnologias na educação. Palavras-chave: Objeto Multimídia Escolar; Novas Tecnologias; Educação Ambiental INTRODUÇÃO A escola e seus profissionais vivem atualmente um grande desafio, integrar ao cotidiano escolar as mídias e as novas tecnologias, propiciando qualidade ao ensino Projeto de Pesquisa em desenvolvimento no Programa de Pós Graduação em Geomática Mestrado CCR/UFSM. 1 Graduada em Geografia -Licenciatura Plena, mestranda no programa de Pós Graduação em Geomática, CCR/UFSM 2 Orientadora, Professora do Departamento de Geociências, NERA/CCNE/UFSM 1

2 buscando torná-lo mais interessante, diversificado e desafiador. A temática em foco propõe uma transformação no fazer pedagógico visando alcançar os protagonistas dessa história: os professores e os educandos. Para que tal proposta tenha êxito sugerem-se mudanças, através das quais o educador pode auxiliar o educando a se tornar mais autônomo, crítico e capaz de construir sua própria aprendizagem, desenvolvendo sua cidadania de forma responsável. Tal contexto possibilita o surgimento de uma dimensão ampla, na qual, cada um desses personagens é igualado à condição de aprendizes, oportunizando ao aluno sair da situação de mero receptor e o professor de detentor único do saber. Várias são as razões para ensinar através das tecnologias de informação e comunicação (TICs), na escola, uma vez que, as mesmas podem ser utilizadas para enriquecer a aprendizagem e auxiliar o educando a construir seu conhecimento. Deve-se considerar, inicialmente, que as mesmas já estão inseridas no contexto social. Nesse sentido, a escola pode atuar como ambiente de integração, capaz de compensar as desigualdades sociais e regionais [...] que o acesso desigual a essas máquinas está gerando (BELONNI, 2005, p. 10). Procurando contribuir com o processo de ensino-aprendizagem e torná-lo mais eficiente, essa pesquisa tem como preocupação central construir um objeto multimídia escolar voltado para a educação ambiental. Os objetivos específicos foram estruturados visando subsidiar o conteúdo sobre a questão ambiental, nos anos finais (6º ao 9º ano) do Ensino Fundamental, através de tecnologias interativas e incentivar a integração das mesmas na construção pedagógica, possibilitando o desenvolvimento de uma educação inovadora, qualificada e inclusiva. Oportunizar às instituições de ensino público sua inserção nas novas tecnologias da educação, a fim de que possam utilizar o referido objeto multimídia escolar, como subsídio pedagógico. METODOLOGIA Metodologicamente a presente pesquisa foi estruturada em etapas. A primeira consiste na organização da matriz teórico-metodológica resgatando-se os marcos conceituais, balizados pelos conceitos norteadores do trabalho. Nesse sentido, utilizar-se-á de abordagens que enfatizem os conceitos que envolvam os objetos de aprendizagem e a educação ambiental. Paralelamente, enfocar-se-á as novas tecnologias na educação, buscando a articulação entre conhecimento, tecnologia e práticas pedagógicas. 2

3 Para a fase de construção dos objetos multimídia escolar será utilizada a metodologia proposta pela Rede Interativa Virtual de Educação (RIVED) em parceria com a Secretaria de Educação a Distância (SEED) e Secretaria de Educação Básica, ambas do MEC. Essas visam a utilização da tecnologia para incentivar e auxiliar a aprendizagem dos alunos nas instituições escolares. É importante destacar que a pesquisa encontra-se na fase inicial, ou seja, revisitandose as matrizes teóricas para alicerçar a parte prática da mesma. Também, estão sendo selecionados quais os conteúdos didáticos, sobre educação ambiental, que será utilizado para a construção do objeto multimídia escolar. Essa busca vem ao encontro da metodologia do RIVED o qual se caracteriza por ser um programa educativo que tem por finalidade tornar o processo ensino-aprendizagem mais agradável, significativo e prazeroso para os educandos. Para atender a metodologia do RIVED, no que diz respeito à elaboração dos objetos multimídia escolar, seguir-se-á as etapas: Design Pedagógico, Roteiro, Guia do Professor e Validação. O design pedagógico irá descrever de forma ampla as idéias que estão contidas para o desenvolvimento do objeto multimídia escolar. Especificar-se-á os objetivos educacionais, o tema principal e as atividades de ensino e aprendizagem voltadas para o educando. Ele permite viabilizar, esclarecer e documentar a possibilidade de ensinar os conteúdos da educação ambiental utilizando-se das potencialidades disponibilizadas pela tecnologia, como é o caso do uso dos computadores pelas escolas. O roteiro é outra etapa da construção do objeto multimídia escolar. Nessa fase, descrevem-se detalhadamente todas as telas que irão compor o objeto multimídia escolar. Auxilia na visualização final do produto e poderá minimizar possíveis frustrações e o tempo de produção. Outra fase importante para a elaboração dos objetos multimídia escolar é o guia do professor. Esse apresenta sugestões de atividades, de como usar o objeto multimídia escolar e como poderão ser utilizados pelo educador em sala de aula. A etapa seguinte ao desenvolvimento do objeto multimídia escolar é a sua validação. Constitui-se na fase primordial do referido objeto, uma vez que ela permite verificar o sucesso do mesmo, ou seja, até que ponto ele é um facilitador do conhecimento. Com relação à validação, será solicitado aos alunos que observem e explorem ao máximo o objeto multimídia escolar. Após distribuir-se-á um questionário com questões referentes à qualidade do conteúdo disponível no objeto (veracidade, compreensão acessibilidade, importância); adequação dos objetivos educacionais (se há relação com o conteúdo trabalhado em aula); 3

4 motivação (verificar se o objeto de aprendizagem incentiva o educando a utilizá-lo); interface (utilização de cores, sons, vídeos, tipo de botão adequado ao padrão de acordo com o design pedagógico) e a usabilidade (se é acessível, se propicia auxílio aos educandos, se apresenta instruções de uso, entre outros aspectos). Estes critérios tem por finalidade identificar se o objeto multimídia escolar contribuirá para o uso educacional a que se destina, de forma significativa, para o desenvolvimento do conteúdo de educação ambiental, envolvendo um contexto de aprendizagem cativante, desafiador e incentivador, que desperte o interesse do educando e o auxilie na construção de seu conhecimento. A temática voltada para a questão ambiental, utilizando-se de novas tecnologias na educação e o propósito da construção de objeto multimídia escolar, constitui-se em um desafio proposto por essa pesquisa. Nesse sentido, espera-se que o uso de objeto multimídia escolar desperte o interesse, a atenção e facilite a compreensão e aprendizagem dos alunos. Auxiliando na construção do seu conhecimento e apresentando novas formas de ensinar e aprender. Possibilitando ainda, sua reusabilidade por diferentes disciplinas, Tal fato, oportuniza que as disciplinas possam ser trabalhadas de forma interdisciplinar, sendo considerado um importante instrumento didáticopedagógico. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Na atualidade, o processo de melhoria da qualidade do ensino pode, além de outros fatores, considerar a utilização das tecnologias na educação, a qual necessita adotar novas metodologias de ensino e aprendizagem, uma vez que a educação é a base fundamental do processo de desenvolvimento. Valendo-se desse ponto de vista Perrenoud (2000, p. 128), considera que ensinar as novas tecnologias na escola é [...] formar o julgamento, o senso crítico, o pensamento hipotético e produtivo, as faculdades de observação e de pesquisa, a imaginação, a capacidade de memorizar e classificar, a leitura e análise de textos e de imagens, a representação de redes, de procedimentos e de estratégias de comunicação. Pelo exposto, um dos pontos fundamentais em qualquer iniciativa, que contemple a introdução de tecnologias na educação, é a integração destas à prática pedagógica. Esta se 4

5 torna um desafio e requer o conhecimento das mesmas e de suas potencialidades, uma vez que se constituem em instrumentos didáticos importantes frente ao paradigma tecnológico do atual período técnico-científico-informacional que vivemos. Pode dizer-se, então, que educar mediado pela tecnologia torna-se uma necessidade, pois o aluno aprende fazendo e de forma flexível, permitindo novos desenhos a educação. É necessário experimentar algo novo e desafiador, uma vez que se pretende flexibilizar procedimentos educacionais, até então rígidos e engessados pelos livros didáticos. Buscam-se, alternativas que permitam, ao educando e educador, a construção do conhecimento de forma mais espontânea à realidade, através de uma educação inovadora e reflexiva que faz uso das tecnologias tendo, nos objetos multimídia escolar, um campo irrestrito de possibilidades para a prática pedagógica. Outra constatação a ser destacada é que, através do uso das tecnologias na educação, abrir-se-ão novos caminhos para o desenvolvimento cognitivo e social do aluno, além do incentivo à pesquisa e integração do mesmo no meio tecnológico. As tecnologias também contribuem para tornar o processo educativo completo, rico e estimulante, além de auxiliar no trabalho do professor, desenvolvendo habilidades e facilitando a compreensão do conteúdo. No entanto, é necessário saber utilizá-las, adequando-as aos conteúdos desenvolvidos na sala de aula. Para tal finalidade, o professor poderá selecionar os objetos multimídia escolar que venham ao encontro de sua temática, conduzindo o aluno a reflexão, a interpretação e a contextualização com o conteúdo. Paralelamente, os objetos multimídia escolar permitem a multidisciplinaridade, fundamental às ciências em geral e a educação ambiental em particular. As tecnologias podem ser consideradas pontes que ligam o ambiente da sala de aula e o conhecimento construído nesse espaço, ao restante do mundo. Sua utilização de forma integrada, aos conteúdos, permite o desenvolvimento das potencialidades de cada educando e dos diferentes tipos de inteligência, habilidades e ações do aluno, sendo a figura do professor de extrema importância nesse processo ( MORAN, 2008). O contexto pedagógico possibilita a introdução de objetos multimídia escolar, no processo de construção do conhecimento, da escola básica. Este apresenta-se como recurso didático inovador, diante das atuais exigências de reformulação da educação escolar, imposta pela conjuntura da sociedade tecnológica e pelos seus aprendizes. É preciso integrar, cada vez mais, as tecnologias à educação escolar, uma vez que elas desempenham uma função relevante no atual sistema educacional e também fazem parte do cotidiano do educando. Observa-se que as mesmas despertam o interesse, a curiosidade e a 5

6 atenção dos alunos, pois somente a aula expositiva, pode se tornar, monótona, intelectualizada e cansativa. Além de abordar as idéias, conceitos, teorias, regras e normas pode-se propor ações que busquem interagir com o concreto para, posteriormente, abstrair, partir da ação à reflexão, da produção à teoria. Fazer uso das tecnologias, na educação, significa tornar o processo ensino-aprendizagem enriquecido e estimulante possibilitando a interação entre os conteúdos didáticos e a construção do conhecimento. Nesse contexto, a escola pode apropriar-se das tecnologias, para tornar os conteúdos mais significativos, integrando-os ao cotidiano escolar com materiais e atividades dinâmicas, animadas, interessantes e incentivadoras para o estudante, em uma perspectiva de mediação pedagógica. Estas apresentam grande potencial para ser utilizado na educação escolar, através dos objetos multimídia escolar, como recurso pedagógico interativo. Os objetos multimídia escolar são, por um lado, compreendidos como ferramentas pedagógicas que possibilitam a melhoria e a expansão do conhecimento e, por outro, como mídia e educação, pois de acordo com Belloni (2005, p.9) [...] ela exige uma abordagem criativa, crítica e interdisciplinar. É importante destacar que os objetos multimídia escolar não têm por finalidade substituir os educadores, os conteúdos didáticos e as explicações em sala de aula. Pelo contrário, essas se tornam fundamentais, uma vez que para interagir, com os objetos multimídia escolar, o educando necessita do entendimento do conteúdo. Portanto, os referidos objetos, devem ser entendidos como instrumentos de apoio pedagógico ao conteúdo trabalhado, auxiliando na revisão dos mesmos, além de desafiar o aluno a construir seu conhecimento de maneira interativa e agradável. Os objetos multimídia escolar podem incentivar os professores uma vez que eles têm o papel de dinamizar e facilitar o processo ensino-aprendizagem. Estimular o raciocínio e o pensamento crítico discente, através de questões relevantes, como é o caso da educação ambiental, oferecendo-lhes maior oportunidade de exploração da temática. Nesse contexto, os objetos multimídia escolar podem se apresentar, de diversas maneiras. Através de um livro, um polígrafo, apresentações em slides, roteiros de uma atividade ou animações digitais com auxílio das tecnologias, podendo ser reutilizados, pois de acordo com Tarouco; Fabre; Tamusiunas (2008, p.2) Os objetos educacionais podem ser definidos como qualquer recurso, suplementar ao processo de aprendizagem, que pode ser reusado para apoiar a aprendizagem. O termo objeto educacional (learning object) geralmente aplica-se a 6

7 materiais educacionais projetados e construídos em pequenos conjuntos com vistas a maximizar as situações de aprendizagem onde o recurso pode ser utilizado. Nesse artigo, considerar-se-á a idéia de construção de objeto multimídia escolar como animações, demonstrações, simulações interativas, baseados em tecnologias, a fim de auxiliar na aprendizagem dos conteúdos da educação ambiental. Propõe-se que os mesmos sejam utilizados como recursos didáticos, a fim de estimular a construção do conhecimento e auxiliar o educando a compreender melhor o conteúdo estudado. O objeto multimídia escolar voltado para educação ambiental, foco desse trabalho, pretende despertar a atenção, a curiosidade e o interesse do aluno pelos conteúdos desse tema transversal. Utilizar-se-á de uma linguagem simples, acessível e, ao mesmo tempo, desafiadora e esclarecedora, através de imagens que envolvam o aluno e o desafiem a realizar ações concretas com relação à conservação dos recursos naturais. Através do uso do objeto multimídia escolar, o aluno poderá visualizar, de maneira animada, representações dinâmicas de fenômenos naturais. Busca-se, dessa forma, facilitar a compreensão do tema ambiental, tornando-o diferente do livro didático, o qual apesar de servir como recurso pedagógico, através de representações visuais, é um recurso estático. Objeto multimídia escolar pode ser algum recurso digital que possa ser reutilizado para auxiliar na aprendizagem (WILEY, 2006). Enfatiza-se que os objetos multimídia escolar são tecnologias de apoio às aulas, podendo ser reutilizados por distintas disciplinas e alunos, possibilitando a interdisciplinaridade. De acordo com o Rived (2008), considera-se que Um objeto de aprendizagem é qualquer recurso que possa ser reutilizado para dar suporte ao aprendizado. Sua principal idéia é quebrar o conteúdo educacional disciplinar em pequenos trechos que podem ser reutilizados em vários ambientes de aprendizagem. Qualquer material eletrônico que provém informações para a construção de conhecimento pode ser considerado um objeto de aprendizagem, seja essa informação em forma de uma imagem, uma página HTM, uma simulação. A presente pesquisa basear-se-á, na construção de objeto multimídia escolar, de acordo com os padrões da Rede Interativa Virtual de Educação (RIVED/MEC). Os mesmos são disponibilizados, via on-line e definidos como: [...] atividades multimídia, interativas, animações e simulações [...] (RIVED, 2008). Tornam-se um importante recurso para auxiliar a aprendizagem dos alunos, significando um avanço da tecnologia na educação, do ensino público. 7

8 A contribuição de Lévy (1993, p. 40), enfatiza a importância da interação, pois Quanto mais ativamente uma pessoa participar da aquisição de um conhecimento, mais ela irá integrar e reter aquilo que aprender. Ora, a multimídia interativa, graças à dimensão reticular ou não linear, favorece uma atitude exploratória, ou mesmo lúdica, face ao material a ser assimilado. É, portanto, um instrumento bem adaptado a uma pedagogia ativa. Pelas colocações do autor, ficam lançadas às bases de que as salas de aulas digitais podem servir como suportes para uma melhor compreensão dos conteúdos didáticos, permitindo a interação do aluno com os objetos multimídia escolar. Entende-se que esta prática exige uma nova postura pedagógica, na qual o conhecimento dado em partes isoladas de uma área específica seja substituído pelas interconexões com os demais, fazendo com que o trabalho separado seja superado pela prática do grupo, através da multidisciplinaridade. Considerando a relevância dos objetos multimídia escolar Pimenta; Batista (2004, p. 102), assinalam que os mesmos constituem-se em Unidades de pequena dimensão, desenhadas e desenvolvidas de forma a fomentar a sua reutilização, eventualmente em mais do que um curso ou em contextos diferenciados, e passíveis de combinação e/ou articulação com outros objetos de aprendizagem de modo a formar unidades mais complexas e extensas. Valendo-se desse ponto de vista, os objetos multimídia escolar possibilitam, ao educando e ao educador, transcender as quatro paredes da sala de aula e interagir na construção do conhecimento. Em 1988 chegaram, às escolas públicas brasileiras, os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) do Ministério da Educação, com temas transversais sobre o meio ambiente. Essa foi a primeira medida oficial para a implantação da educação ambiental na rede pública. Ao se trabalhar com a educação ambiental, deve-se entendê-la de forma consciente, responsável e participativa. A mesma necessita envolver a comunidade em geral e não apenas a escolar, uma vez que os problemas ambientais decorrem de ações antrópicas, indo além dos muros escolares. A instituição escolar responsável pelo ensino e aprendizagem, não pode se eximir de sua função de trabalhar conteúdos e/ou temas referentes ao meio ambiente. Assim, a escola estará contribuindo para que os educandos se tornem capazes de tomar decisões e interagir na realidade sócio ambiental em que estão inseridos. Por outro lado, é importante lembrar que a instituição escolar não se constitui no único meio educativo, a família, o ambiente em que se vive e os meios de comunicação também 8

9 exercem influência sobre os cidadãos, os quais também são responsáveis pelo espaço onde estão inseridos. A educação ambiental pode ser trabalhada, no contexto escolar, de diversas formas e por distintas disciplinas, uma delas é, através de interações e simulações animadas, fazendo uso de tecnologias e objetos multimídia escolar, procurando despertar uma consciência crítica em relação à conservação do meio ambiente. CONSIDERAÇÕES FINAIS Acredita-se que a escola pode tornar-se um espaço que respeite, amplie e integre todos os saberes necessários ao desenvolvimento integral do aluno. Esses espaços para reflexão podem contribuir na construção da autonomia como, também, na construção de cidadãos ativos, pensantes, críticos e solidários. Nesse contexto, a educação assume um papel fundamental uma vez que promove a autonomia e propicia a participação do educando na construção de um mundo mais justo, mais humano, utilizando-se de objetos multimídia escolar para despertar a consciência crítica, preservar o meio ambiente como também utilizar-se de tecnologias as quais se fazem presentes em seu cotidiano. Aliando a tecnologia a prática pedagógica ter-se-á um ensino mais dinâmico e motivador, que garanta o acesso, a permanência, o sucesso e o bem-estar do aluno na escola. Oportunizando-lhe uma formação integral, alicerçada em uma aprendizagem, na qual, o próprio aluno interaja, aprenda e construa seu próprio conhecimento. Assim, o aluno sairá da condição de mero receptor e ouvinte, na qual era valorizada apenas a memorização mecânica do conteúdo, levando-o a condição de passividade, perda da criticidade e raciocínio. O objeto multimídia escolar proposto por esta pesquisa auxiliará na construção do conhecimento, servindo como recurso pedagógico auxiliar nesse processo, devendo considerar as habilidades e o potencial que cada aluno apresenta para trabalhar com o referido objeto. A atuação pedagógica docente constituí-se em um dos principais agentes de mudanças educacionais. As tecnologias representam uma forma de integrar práticas pedagógicas interdisciplinares, quando usadas para atender as necessidades educacionais de cada educando, na construção do ensino e aprendizagem. 9

10 O uso de objetos multimídia escolar em forma de animações interativas e simulações pode se constituir em uma estratégia pedagógica consistente para facilitar a aprendizagem, bem como, se apresentar como uma das possibilidades instrucionais que utiliza de modo natural as possibilidades oferecidas pelo computador. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BELLONNI, M. L. O que é mídia-educação. 2. ed. São Paulo: Autores Associadas, REDE INTERATIVA VIRTUAL DE EDUCAÇÃO. Disponível em: < Acesso em: 10 maio LEVY, P. As Tecnologias da Inteligência. Rio de Janeiro: Editora 34, MORAN, J. M. As mídias na educação. Disponível em: < Acesso em: 25 maio PERRENOUD, P. Dez novas competências para ensinar. Tradução: Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, PIMENTA, P.; BAPTISTA, A. A. Das plataformas de E-learning aos objetos de aprendizagem. In. DIAS, A. A. S.; GOMES, M. J (Orgs.). Elearning para formadores. Minho: TecMinho, TAROUCO, L. M. R.; FABRE, M.C. J. M; TAMUSIUNAS F.R. Reusabilidade de Objetos Educacionais. In. Novas Tecnologias na Educação. CINTED-UFRGS. v.1, nº 1, fev Disponível em: < Acesso em: 10 maio WILEY, D. A. Connecting learning objects to instructional design theory: a definition, a metaphor and a taxonomy. Disponível em Acesso em: 01 ago

CONSTRUINDO PONTES: UMA EXPERIÊNCIA DE INTERCÂMBIO CULTURAL E TECNOLÓGICO ENTRE TRÊS ESCOLAS PÚBLICAS DO BRASIL E DA ARGENTINA

CONSTRUINDO PONTES: UMA EXPERIÊNCIA DE INTERCÂMBIO CULTURAL E TECNOLÓGICO ENTRE TRÊS ESCOLAS PÚBLICAS DO BRASIL E DA ARGENTINA CONSTRUINDO PONTES: UMA EXPERIÊNCIA DE INTERCÂMBIO CULTURAL E TECNOLÓGICO ENTRE TRÊS ESCOLAS PÚBLICAS DO BRASIL E DA ARGENTINA Resumo Jessiel Odilon Junglos 1 - FURB Mauricio Capobianco Lopes 2 - FURB

Leia mais

Palavras-chave: Novas Tecnologias Educação Professor Prática Pedagógica

Palavras-chave: Novas Tecnologias Educação Professor Prática Pedagógica EDUCAÇÃO E PROFESSOR DIANTE DO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS Resumo Marília Gerlane Guimarães da Silva graduanda UEPB mariliagerlany@hotmail.com Orientadora: Profª Ms. Eliane Brito de Lima- UEPB/PMCG eliabrito@ig.com.br

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 88-GR/UNICENTRO, DE 12 DE MAIO DE 2014. Especifica a estrutura curricular do Curso de Especialização em Educação e Formação Empreendedora, modalidade de educação a distância, aprovado pela

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA CORAÇÃO EUCARÍSTICO

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA CORAÇÃO EUCARÍSTICO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA CORAÇÃO EUCARÍSTICO 1. PERFIL DO CURSO O Curso de Pedagogia da PUC Minas, alinhado com o ideário humanista defendido pela Instituição, compromete-se com

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 24/2007 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Pedagogia, na

Leia mais

Objetos de aprendizagem como ambientes interativos de aprendizagem

Objetos de aprendizagem como ambientes interativos de aprendizagem Objetos de aprendizagem como ambientes interativos de aprendizagem Prof. Me. Wagner Antonio Junior Secretaria Municipal da Educação de Bauru e-mail: wag.antonio@gmail.com Pôster Pesquisa em andamento A

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO 1. APRESENTAÇÃO O curso de Comunicação Social Habilitação em Publicidade e Propaganda, da Unochapecó, foi implantando no ano 003 com o propósito de trabalhar para

Leia mais

EIXO 4 - Política e Gestão da Educação Profissional e Tecnológica

EIXO 4 - Política e Gestão da Educação Profissional e Tecnológica EIXO 4 - Política e Gestão da Educação Profissional e Tecnológica FÓRUNS DE ESTUDOS: UMA ALTERNATIVA DE DISCUSSÃO DE NOVAS POSSIBILIDADES E AÇÕES NA MELHORIA DO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO E FORTALECIMENTO

Leia mais

A POSTURA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL DIANTE DOS NOVOS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI

A POSTURA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL DIANTE DOS NOVOS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI A POSTURA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL DIANTE DOS NOVOS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI Resumo ATAÍDE, Sandra Terezinha Guimarães 1 - UNIPLAC Eixo Temático: Formação de Professores e Profissionalização

Leia mais

A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE MANAUS/AMAZONAS

A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE MANAUS/AMAZONAS A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE MANAUS/AMAZONAS Adriana Teixeira Gomes Jediã Ferreira Lima Rosana Marques de Souza Secretaria

Leia mais

Novas Tecnologias, Educação e Complexidade 1. Aldemir Berwig 2 Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS - UNIJUÍ Ijuí, RS

Novas Tecnologias, Educação e Complexidade 1. Aldemir Berwig 2 Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS - UNIJUÍ Ijuí, RS Novas Tecnologias, Educação e Complexidade 1 Aldemir Berwig 2 Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS - UNIJUÍ Ijuí, RS Resumo O artigo tem por objeto a compreensão da utilização de diferentes

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA RELAÇÃO ENFOQUE CIÊNCIA TECNOLOGIA E

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA RELAÇÃO ENFOQUE CIÊNCIA TECNOLOGIA E 1 EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA RELAÇÃO ENFOQUE CIÊNCIA TECNOLOGIA E SOCIEDADE (CTS) Renato Luiz do Nascimento ¹ Dra. Rosemari Monteiro Castilho Foggiato Silveira² Dra. Nilcéia Aparecida Maciel Pinheiro 3 ¹

Leia mais

O CHAT COMO FERRAMENTA COLABORATIVA DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DA MATEMÁTICA NO PROGRAMA EMITEC/BA

O CHAT COMO FERRAMENTA COLABORATIVA DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DA MATEMÁTICA NO PROGRAMA EMITEC/BA 1 O CHAT COMO FERRAMENTA COLABORATIVA DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DA MATEMÁTICA NO PROGRAMA EMITEC/BA Salvador, BA, maio 2014 CLARICE DOS SANTOS SILVA BARRETO EMITec/SEC-BA claricessb@gmail.com CLAUDIO M.MATOS

Leia mais

O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE DO ENSINO SUPERIOR

O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE DO ENSINO SUPERIOR 1 O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE DO ENSINO SUPERIOR Renato Fares Khalil (Universidade Católica de Santos UNISANTOS) (Mestrado em Educação renato.khalil@unisantos.br) Orientadora: Profa.

Leia mais

Educação em Direitos Humanos Extensão

Educação em Direitos Humanos Extensão Código / Área Temática Direitos Humanos Código / Nome do Curso Etapa de ensino a que se destina Educação em Direitos Humanos Extensão QUALQUER ETAPA DE ENSINO Nível do Curso Extensão Objetivo O objetivo

Leia mais

Av. Darcy Vargas, 1200 - Parque 10, Manaus - AM, 69065-020. Purangayasika@yahoo.com.br,anny.araujo20@hotmail.com

Av. Darcy Vargas, 1200 - Parque 10, Manaus - AM, 69065-020. Purangayasika@yahoo.com.br,anny.araujo20@hotmail.com OBJETO DE APRENDIZAGEM COMO AUXÍLIO PEDAGÓGICO EM SALA DE AULA: A UTILIZAÇÃO DOS OBJETOS EDUCACIONAIS NA DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA OS ALUNOS DA ESCOLA ESTADUAL ALTAIR SEVERIANO NUNES MANAUS

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa RESUMO Jacyene Melo de Oliveira Araújo Profª Drª UFRN- CE-SEDIS Os Estágios

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação e Formação Especialização: E-learning e Formação a Distância (Regime a Distância) 14 15 Edição Instituto

Leia mais

BLOGS MATEMÁTICOS: POSSIBILIDADES DOS MODOS DE SER ALUNO E SER PROFESSOR DE MATEMÁTICA NA CONTEMPORANEIDADE

BLOGS MATEMÁTICOS: POSSIBILIDADES DOS MODOS DE SER ALUNO E SER PROFESSOR DE MATEMÁTICA NA CONTEMPORANEIDADE BLOGS MATEMÁTICOS: POSSIBILIDADES DOS MODOS DE SER ALUNO E SER PROFESSOR DE MATEMÁTICA NA CONTEMPORANEIDADE GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância Grace Da Ré Aurich,

Leia mais

JOGOS DIGITAIS NA APRENDIZAGEM DAS REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS

JOGOS DIGITAIS NA APRENDIZAGEM DAS REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS JOGOS DIGITAIS NA APRENDIZAGEM DAS REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS Patricia Aparecida Boletini Mestrando em Ensino de Ciências e Matemática 1 Ismar Frango Silveira Doutor em Engenharia Elétrica (Orientador) 2

Leia mais

SIMULAÇÕES COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DA BIOLOGIA GT 02 - TECNOLOGIAS E CONSTITUIÇÃO DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM

SIMULAÇÕES COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DA BIOLOGIA GT 02 - TECNOLOGIAS E CONSTITUIÇÃO DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM SIMULAÇÕES COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DA BIOLOGIA GT 02 - TECNOLOGIAS E CONSTITUIÇÃO DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM 1 SILVA, Karla Nunes da, 2 FERREIRA, Luciana da Cunha, 3 SILVA-FORSBERG, Maria

Leia mais

Utilização do Software de Simulações PhET como estratégia didática para o ensino dos conceitos de soluções

Utilização do Software de Simulações PhET como estratégia didática para o ensino dos conceitos de soluções Utilização do Software de Simulações PhET como estratégia didática para o ensino dos conceitos de soluções Giovana Aparecida Kafer 1, Miriam Ines Marchi 2, 1 Mestranda em Ensino de Ciências Exatas Centro

Leia mais

Competências digitais do cidadão do século XXI

Competências digitais do cidadão do século XXI UNIVERSIDADE DE LISBOA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO Competências digitais do cidadão do século XXI Autor(es) Sandra Margarida Moreira Novo, n.º 11177 MESTRADO EM TECNOLOGIAS E METODOLOGIAS DE E-LEARNING 2011/2012

Leia mais

Avaliação Institucional: Um Referencial de Qualidade para a Educação a Distância

Avaliação Institucional: Um Referencial de Qualidade para a Educação a Distância 1 Avaliação Institucional: Um Referencial de Qualidade para a Educação a Distância Marilice Mugnaini SOFFA 1 Resumo: O presente artigo apresenta uma investigação, sobre as políticas e perspectivas da avaliação

Leia mais

AMBIENTE DE APRENDIZAGEM COLABORATIVO: DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA CURSOS DE COMPUTAÇÃO

AMBIENTE DE APRENDIZAGEM COLABORATIVO: DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA CURSOS DE COMPUTAÇÃO AMBIENTE DE APRENDIZAGEM COLABORATIVO: DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA CURSOS DE COMPUTAÇÃO Danilo Abreu SANTOS, Wannyemberg K. da S. DANTAS, Adriano Araújo DOS SANTOS Departamento de Computação,

Leia mais

GDn 07 Formação de Professores que Ensinam Matemática

GDn 07 Formação de Professores que Ensinam Matemática A Prática Docente e o Uso de Metodologias Alternativas no Ensino de Matemática: Um olhar para as escolas que adotam propostas pedagógicas diferenciadas Thais Sena de Lanna Albino 1 GDn 07 Formação de Professores

Leia mais

CONCEPÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO INCLUSIVA MANTIDAS POR ESTUDANTES DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS DA UNESP DE MARÍLIA 1

CONCEPÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO INCLUSIVA MANTIDAS POR ESTUDANTES DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS DA UNESP DE MARÍLIA 1 CONCEPÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO INCLUSIVA MANTIDAS POR ESTUDANTES DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS DA UNESP DE MARÍLIA 1 Carla Cristina MARINHO 2. Sadao OMOTE 3. Faculdade de Filosofia e Ciências,

Leia mais

1. Introdução. Palavras Chaves: Observação do Espaço Escolar. Cotidiano. Processo formativo.

1. Introdução. Palavras Chaves: Observação do Espaço Escolar. Cotidiano. Processo formativo. A OBSERVAÇÃO DA ROTINA ESCOLAR COMO MEIO DE CONHECIMENTO: POSSIBILIDADES FORMATIVAS PARA O FUTURO PROFESSOR, UM RELATO DE EXPERIÊNCIA A PARTIR DO PIBID. Santos, Vanessa Lago dos Licencianda em Pedagogia,

Leia mais

O uso de jogos no ensino da Matemática

O uso de jogos no ensino da Matemática 607 O uso de jogos no ensino da Matemática Cyntia Luane Silva Godoy 1 Marlene Menegazzi 2 RESUMO Neste trabalho irei abordar a importância do uso de jogos no ensino da Matemática como um recurso didático

Leia mais

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil.

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. 6. Humanização, diálogo e amorosidade. Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. Santos, Marisa Alff dos 1 Resumo O presente trabalho tem como objetivo refletir sobre as práticas docentes

Leia mais

Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas

Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas Maévi Anabel Nono UNESP Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas Departamento de Educação São José do Rio Preto Diversos pesquisadores têm

Leia mais

OS GÊNEROS EMERGENTES NO BLOG E SUA INTERFACE NO APRENDIZADO RESUMO

OS GÊNEROS EMERGENTES NO BLOG E SUA INTERFACE NO APRENDIZADO RESUMO OS GÊNEROS EMERGENTES NO BLOG E SUA INTERFACE NO APRENDIZADO RESUMO Luciano de Lima Costa Raquel Pessoni Tinonin Thaís Inácio Braga (G CLCA UENP/CJ) Luiz Antonio Xavier Dias (Orientador CLCA UENP/CJ) O

Leia mais

A MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR EM PERNAMBUCO

A MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR EM PERNAMBUCO A MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR EM PERNAMBUCO Adriana Alves Moreira dos Santos i (UFPE) Marcelo Sabbatini ii (UFPE) Resumo: O presente trabalho

Leia mais

O uso de blogs no ensino de Matemática 2

O uso de blogs no ensino de Matemática 2 Claudinei Flavia Batista Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil bs_flavia@hotmail.com Sirlândia Souza Santana sirlandiasantana@hotmail.com Resumo Este trabalho tem como principal objetivo

Leia mais

A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE E DA UNIÃO EDUCACIONAL DO NORTE E AS TICS.

A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE E DA UNIÃO EDUCACIONAL DO NORTE E AS TICS. A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE E DA UNIÃO EDUCACIONAL DO NORTE E AS TICS Resumo: Darlan Machado DORNELES 1 Universidade Federal do Acre (UFAC) darlan.ufac@yahoo.com.br

Leia mais

EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE DA MATEMÁTICA, FRENTE A DIGITALIZAÇÃO DOS ALUNOS COM O BLOG

EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE DA MATEMÁTICA, FRENTE A DIGITALIZAÇÃO DOS ALUNOS COM O BLOG ISSN 2316-7785 EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE DA MATEMÁTICA, FRENTE A DIGITALIZAÇÃO DOS ALUNOS COM O BLOG Resumo Michele Bulhões de Mendonça Instituto Federal de Alagoas (IFAL)

Leia mais

INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Adriana Oliveira Bernardes UENF (Universidade do Estado do Norte

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

Internet e leitura crítica das mídias para surdos

Internet e leitura crítica das mídias para surdos 1 Internet e leitura crítica das mídias para surdos FARIA, Juliana Guimarães i FARIA, Nubia Guimarães ii OLIVEIRA, Fernanda Bonfim de iii ARAUJO, Jéssie Rezende iv MARTINS, Lira Matos v OLIVEIRA, Thainã

Leia mais

Curso de Especialização em ENSINO DA LINGUA PORTUGUESA

Curso de Especialização em ENSINO DA LINGUA PORTUGUESA Curso de Especialização em ENSINO DA LINGUA PORTUGUESA ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Ensino de Língua Portuguesa. OBJETIVO DO CURSO:

Leia mais

A CONSTITUIÇÃO DO SER PROFESSOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PELO PIBID DE PEDAGOGIA

A CONSTITUIÇÃO DO SER PROFESSOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PELO PIBID DE PEDAGOGIA A CONSTITUIÇÃO DO SER PROFESSOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PELO PIBID DE PEDAGOGIA Resumo Gisele Brandelero Camargo 1 - UEPG Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora:

Leia mais

A TECNOLOGIA E A SALA DE AULA: DISCUSSÕES SOBRE A UTILIZAÇÃO PEDAGÓGICA DOS BLOGS

A TECNOLOGIA E A SALA DE AULA: DISCUSSÕES SOBRE A UTILIZAÇÃO PEDAGÓGICA DOS BLOGS ISSN 2177-9139 A TECNOLOGIA E A SALA DE AULA: DISCUSSÕES SOBRE A UTILIZAÇÃO PEDAGÓGICA DOS BLOGS Lidiane Schimitz Lopes lidischimitz@hotmail.com Universidade Federal de Pelotas Pelotas, RS, Brasil André

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA RELATO DE EXPERIÊNCIA: DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO À PROPOSTA DE UM PROJETO COM FOCO NA MULTIMODALIDADE

RELATO DE EXPERIÊNCIA RELATO DE EXPERIÊNCIA: DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO À PROPOSTA DE UM PROJETO COM FOCO NA MULTIMODALIDADE RELATO DE EXPERIÊNCIA RELATO DE EXPERIÊNCIA: DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO À PROPOSTA DE UM PROJETO COM FOCO NA MULTIMODALIDADE INTRODUÇÃO Patrícia Aparecida Mendes * Thiago Henrique da Silva ** A Geografia

Leia mais

O COMPUTADOR E SUAS PARTES: COMPREENSÃO E MANIPULAÇÃO POR MEIO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM

O COMPUTADOR E SUAS PARTES: COMPREENSÃO E MANIPULAÇÃO POR MEIO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM O COMPUTADOR E SUAS PARTES: COMPREENSÃO E MANIPULAÇÃO POR MEIO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM Patrícia Gallo (UFAL) patiprof@yahoo.com.br Resumo Cada vez mais o computador e a internet compõem os recursos

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS.

CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS. CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS. Elaine Cristina Rodrigues Gomes Vidal. Gruhbas Projetos Educacionais

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico O Coordenador Pedagógico é o profissional que, na Escola, possui o importante papel de desenvolver e articular ações pedagógicas que viabilizem

Leia mais

Formação Continuada de Professores de Matemática: Uma Extensão Válida *

Formação Continuada de Professores de Matemática: Uma Extensão Válida * Formação Continuada de Professores de Matemática: Uma Extensão Válida * Mariene Helena Duarte¹, Maria da Gloria Bastos de Freitas Mesquita² marieneduarte@hotmail.com ¹ Graduanda em Química Bolsista Iniciação

Leia mais

Maríndia Mattos Morisso 2 Caterine de Moura Brachtvogel 3 Fernando Jaime González 4 Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS Ijuí, RS

Maríndia Mattos Morisso 2 Caterine de Moura Brachtvogel 3 Fernando Jaime González 4 Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS Ijuí, RS A Utilização das TIC por Professores de Educação Física de Escolas Públicas da Região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul 1 Resumo Maríndia Mattos Morisso 2 Caterine de Moura Brachtvogel 3 Fernando

Leia mais

O USO DO TANGRAM EM SALA DE AULA: DA EDUCAÇÃO INFANTIL AO ENSINO MÉDIO

O USO DO TANGRAM EM SALA DE AULA: DA EDUCAÇÃO INFANTIL AO ENSINO MÉDIO O USO DO TANGRAM EM SALA DE AULA: DA EDUCAÇÃO INFANTIL AO ENSINO MÉDIO Ana Paula Alves Baleeiro Orientadora, profª Ms. da Faculdade Alfredo Nasser apbaleeiro@yahoo.com.br Jonatas do Nascimento Sousa Graduando

Leia mais

Formação estatística dos licenciandos em matemática no Brasil

Formação estatística dos licenciandos em matemática no Brasil Formação estatística dos licenciandos em matemática no Brasil Bezerra, Lucicleide y Gitirana, Verônica UFPE Resumo O presente artigo é parte de uma pesquisa de mestrado que analisa a inserção da estatística

Leia mais

O ENSINO DE MATEMÁTICA NO CONTEXTO DAS NOVAS TECNOLOGIAS: refletindo as potencialidades do uso de softwares dinâmicos como recurso em sala de aula.

O ENSINO DE MATEMÁTICA NO CONTEXTO DAS NOVAS TECNOLOGIAS: refletindo as potencialidades do uso de softwares dinâmicos como recurso em sala de aula. O ENSINO DE MATEMÁTICA NO CONTEXTO DAS NOVAS TECNOLOGIAS: refletindo as potencialidades do uso de softwares dinâmicos como recurso em sala de aula. Nahum Isaque dos Santos CAVALCANTE. (1). (1) IFPB Campus

Leia mais

EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA: O DESAFIO DA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES

EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA: O DESAFIO DA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES 1 EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA: O DESAFIO DA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES Ecivaldo de Souza Matos UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro ecivaldo@gmail.com RESUMO Este

Leia mais

ESTUDANDO SOFTWARES MATEMÁTICOS COM ALUNOS DO ENSINO MEDIO. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância

ESTUDANDO SOFTWARES MATEMÁTICOS COM ALUNOS DO ENSINO MEDIO. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância ESTUDANDO SOFTWARES MATEMÁTICOS COM ALUNOS DO ENSINO MEDIO GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Marli Teresinha Quartieri,

Leia mais

DO EMAIL AO SITE: TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO CURSO DE PEDAGOGIA

DO EMAIL AO SITE: TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO CURSO DE PEDAGOGIA DO EMAIL AO SITE: TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO CURSO DE PEDAGOGIA SILVA, José Roberto Alves da 1 - UEPA Resumo Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não contou

Leia mais

ANEXO II- TUTORES A DISTÂNCIA- VAGAS REMANESCENTES VAGA=CHAMADA EM 2014 CR= CADASTRO DE RESERVA

ANEXO II- TUTORES A DISTÂNCIA- VAGAS REMANESCENTES VAGA=CHAMADA EM 2014 CR= CADASTRO DE RESERVA 1 CURSO IE DISCIPLINA EMENTA DA DISCIPLINA HABILITAÇÃO MÍNIMA EXIGIDA POLO Administração UFRRJ Direito Teoria do Direito e do Estado; Direito Constitucional; Direito Administrativo; Direito Ambiental;

Leia mais

inovação e ruptura, pois como correlata HERÉDIA (1998) para cada período econômico, têm-se objetivos educacionais claros, adequando-se a educação

inovação e ruptura, pois como correlata HERÉDIA (1998) para cada período econômico, têm-se objetivos educacionais claros, adequando-se a educação 1 A importância do perfil docente na mediação em EAD 05/2008 Kátia Cilene da Silva Pós-graduação em Educação Matemática e Tecnológica - PGEdumatec Universidade Federal de Pernambuco UFPe kathyacs@hotmail.com

Leia mais

Art. 3º. O Plano Municipal Decenal de Educação observará os seguintes elementos e princípios: I diagnóstico e realidade sócio-educacional e história;

Art. 3º. O Plano Municipal Decenal de Educação observará os seguintes elementos e princípios: I diagnóstico e realidade sócio-educacional e história; Lei nº 1.315, de 25 de agosto de 2003. Dispõe sobre o Plano Municipal Decenal de Educação e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE CODÓ, ESTADO DO MARANHÃO: Faço saber que a Câmara Municipal de

Leia mais

O PROCESSO PRODUTIVO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NUMA UNIDADE DO RIVED/ FÁBRICA VIRTUAL: PROBLEMAS E SOLUÇÕES

O PROCESSO PRODUTIVO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NUMA UNIDADE DO RIVED/ FÁBRICA VIRTUAL: PROBLEMAS E SOLUÇÕES O PROCESSO PRODUTIVO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NUMA UNIDADE DO RIVED/ FÁBRICA VIRTUAL: PROBLEMAS E SOLUÇÕES Nubia dos Santos Rosa Santana dos Santos (UENF) nubrosa@gmail.com Clevi Elena Rapkiewicz (UENF)

Leia mais

LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA

LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA INTRODUÇÃO Silvane Santos Souza(UNEB/Lusófona) No contexto atual em que a educação encontra-se inserida, surgem muitas inquietações

Leia mais

VII Cinform SELEÇÃO E AVALIAÇÃO DA INFORMAÇÃO RECUPERADA NA WEB: CRIAÇÃO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM

VII Cinform SELEÇÃO E AVALIAÇÃO DA INFORMAÇÃO RECUPERADA NA WEB: CRIAÇÃO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM VII Cinform SELEÇÃO E AVALIAÇÃO DA INFORMAÇÃO RECUPERADA NA WEB: CRIAÇÃO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM ROZI MARA MENDES * rozimendes@yahoo.com.br ADRIANA SUGIMOTO ** adoritchan@yahoo.com.br ANA MARIA M.

Leia mais

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF 1 SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF Fortaleza CE Junho/2009 Karla Angélica Silva do Nascimento - Faculdade Integrada da Grande Fortaleza karla@fgf.edu.br

Leia mais

TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO 63 TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO CARLOS FERNANDO DE ARAUJO JR 1 ÁDERSON GUIMARÃES PEREIRA 2 RESUMO O trabalho procura demonstrar que a aplicação das tecnologias

Leia mais

Curso de Vitrinismo EAD: uma narrativa sobre o processo de desenvolvimento de um curso a distância.

Curso de Vitrinismo EAD: uma narrativa sobre o processo de desenvolvimento de um curso a distância. Curso de Vitrinismo EAD: uma narrativa sobre o processo de desenvolvimento de um curso a distância. Liana Haussen Bacharel em Design de Moda Mestranda em Design no Porto Alegre/RS Bolsista Fapergs lianahaussen@hotmail.com

Leia mais

Palavras chave: Capitalismo, globalização, relação educador-educando.

Palavras chave: Capitalismo, globalização, relação educador-educando. A educação no século XXI, crises econômicas e a utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação nas escolas a partir da mediação docente, despertando, como consequência, a criticidade dos educandos

Leia mais

PARA ALÉM DA EAD: A COMUNICAÇÃO AFETIVA E EFETIVA

PARA ALÉM DA EAD: A COMUNICAÇÃO AFETIVA E EFETIVA PARA ALÉM DA EAD: A COMUNICAÇÃO AFETIVA E EFETIVA Resumo Gisele do Rocio Cordeiro 1 - UNINTER Daíne Cavalcanti da Silva 2 - UNINTER Luís Fernando Lopes 3 UNINTER Thereza Cristina de Souza Lima 4 - UNINTER

Leia mais

O INVISÍVEL NA EDUCAÇÃO

O INVISÍVEL NA EDUCAÇÃO O INVISÍVEL NA EDUCAÇÃO Por Cassiano Zeferino de Carvalho Neto Os cubos ao lado podem traduzir um mistério, somente desvelado e tornado significativo para os destinos humanos, bem recentemente, mais precisamente

Leia mais

CURRÍCULO E TECNOLOGIA: DIFERENTES FORMAS DE PENSAR A EDUCAÇÃO

CURRÍCULO E TECNOLOGIA: DIFERENTES FORMAS DE PENSAR A EDUCAÇÃO CURRÍCULO E TECNOLOGIA: DIFERENTES FORMAS DE PENSAR A EDUCAÇÃO MARSON, Isabel Cristina Vollet Universidade Tuiuti do Paraná marco.marson @brturbo.com.br RESUMO O presente artigo discute a influência da

Leia mais

Diretora: Caroline Pereira Cavalcante de Castro. Secretário: Jorge Luis de Andrade. Assistente Administrativo: Maria de Fátima Oliveira

Diretora: Caroline Pereira Cavalcante de Castro. Secretário: Jorge Luis de Andrade. Assistente Administrativo: Maria de Fátima Oliveira GOVERNO DO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO COORDENADORIAS DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL- NTE/ PONTA

Leia mais

O Design Instrucional e suas etapas

O Design Instrucional e suas etapas O Design Instrucional e suas etapas Régis Tractenberg 1. Definição O Design Instrucional, ou DI, é o processo sistemático e reflexivo de traduzir princípios de cognição e aprendizagem para o planejamento

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO ESTRUTURA GERAL DOS ROTEIROS DE ESTUDOS QUINZENAL Os roteiros de estudos, cujo foco está destacado nas palavras chaves, estão organizados em três momentos distintos: 1º MOMENTO - FUNDAMENTOS TEÓRICOS -

Leia mais

O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ

O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ Rose Maria Bastos Farias (UFAL) rmbfarias@hotmail.com RESUMO: Trata-se de uma pesquisa

Leia mais

A IMPORTÂNCIA ATRIBUÍDA PELO PEDAGOGO AO ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS. Palavras-chave: ensino-aprendizagem; Matemática; Anos Iniciais.

A IMPORTÂNCIA ATRIBUÍDA PELO PEDAGOGO AO ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS. Palavras-chave: ensino-aprendizagem; Matemática; Anos Iniciais. 1 A IMPORTÂNCIA ATRIBUÍDA PELO PEDAGOGO AO ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS Janaina de Carvalho Vieira da Silva, Faculdade Jesus Maria José, janainacarvieira@gmail.com Daniela Souza Lima, Faculdade

Leia mais

O USO DA CALCULADORA NO ENSINO DE ÁREA DE FIGURAS PLANAS NO LIVRO DIDÁTICO DE MATEMÁTICA

O USO DA CALCULADORA NO ENSINO DE ÁREA DE FIGURAS PLANAS NO LIVRO DIDÁTICO DE MATEMÁTICA O USO DA CALCULADORA NO ENSINO DE ÁREA DE FIGURAS PLANAS NO LIVRO DIDÁTICO DE MATEMÁTICA Maurício de Moraes Fontes Escola Técnica Estadual Magalhães Barata ETEMB-PA. mauriciofontes@gmail.com Dineusa Jesus

Leia mais

INTERDISCIPLINARIDADE E APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA COM O USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS

INTERDISCIPLINARIDADE E APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA COM O USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS 1 INTERDISCIPLINARIDADE E APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA COM O USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Kelly Cristina da Silva Ruas 1 Daniela da Costa Britto Pereira Lima 2 Resumo Este trabalho trata-se de um relato de

Leia mais

FÓRUM DE DISCUSSÃO COMO FERRAMENTA PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

FÓRUM DE DISCUSSÃO COMO FERRAMENTA PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO FÓRUM DE DISCUSSÃO COMO FERRAMENTA PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO Rose Madalena Pereira da Silva (Pedagoga e Tutora em EaD) Sara Ingrid Borba (Pedagoga, Mestre em educação e Tutora em EaD) RESUMO Este

Leia mais

O PEDAGOGO NA DOCÊNCIA E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO- APRENDIZAGEM

O PEDAGOGO NA DOCÊNCIA E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO- APRENDIZAGEM O PEDAGOGO NA DOCÊNCIA E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO- APRENDIZAGEM Helena Harumi Maruyama G Pedagogia INESUL LONDRINA PR Orientadora Ms. Maria Eliza Corrêa Pacheco D Pedagogia INESUL LONDRINA PR PAINEL e-mail:

Leia mais

OS OBJETOS DIGITAIS E SUAS UTILIZAÇÕES NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

OS OBJETOS DIGITAIS E SUAS UTILIZAÇÕES NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM OS OBJETOS DIGITAIS E SUAS UTILIZAÇÕES NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Anna F. Schwarzelmüller 1 Bárbara Ornellas 2 Resumo: com a expansão da internet e conseqüente ampliação de processos de e-learning

Leia mais

INTERDISCIPLINARIDADE NO CONTEXTO EDUCACIONAL

INTERDISCIPLINARIDADE NO CONTEXTO EDUCACIONAL INTERDISCIPLINARIDADE NO CONTEXTO EDUCACIONAL Jair Bevenute Gardas Isabel Corrêa da Mota Silva RESUMO A presente pesquisa objetiva um conhecimento amplo sobre a temática interdisciplinaridade, idealizando

Leia mais

OBJETOS DE APRENDIZAGEM: UMA NOVA PROPOSTA PARA O ENSINO DA GEOGRAFIA

OBJETOS DE APRENDIZAGEM: UMA NOVA PROPOSTA PARA O ENSINO DA GEOGRAFIA OBJETOS DE APRENDIZAGEM: UMA NOVA PROPOSTA PARA O ENSINO DA GEOGRAFIA Daniel Fagundes Audino 1 Ana Cláudia Carvalho Giordani 2 Prof a. Dr a. Meri Lourdes Bezzi 3 Prof. Dr. Roberto Cassol. 4 Resumo O presente

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Amambai 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Interdisciplinar Obs.: Para proposta

Leia mais

A TUTORIA A DISTÂNCIA NA EaD DA UFGD

A TUTORIA A DISTÂNCIA NA EaD DA UFGD Ednei Nunes de Oliveira A TUTORIA A DISTÂNCIA NA EaD DA UFGD UFGD/Faculdade de Educação a Distância Dourados MS, E-mail: edneioliveira@ufgd.edu.br Professor da FACED, Bolsista PIBID/EaD/UFGD. RESUMO Esta

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO NEURACI CAVALHEIRO O USO DA INFORMÁTICA, COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM, NA SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAL I

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE HISTÓRIA E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TICS)

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE HISTÓRIA E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TICS) A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE HISTÓRIA E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TICS) Isléia Rössler Streit Universidade de Passo Fundo istreit@upf.br Resumo: A evolução tecnológica das últimas duas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II EDITAL Nº 001/2011/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

INTERATIVIDADE E TECNOLOGIA NO PROCESSO DE TUTORIA DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNISUAM TCC3064

INTERATIVIDADE E TECNOLOGIA NO PROCESSO DE TUTORIA DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNISUAM TCC3064 INTERATIVIDADE E TECNOLOGIA NO PROCESSO DE TUTORIA DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNISUAM TCC3064 Fevereiro / 2006 Rita de Cássia Borges de Magalhães Amaral CENTRO UNIVERSITÁRIO AUGUSTO MOTTA CEAD-

Leia mais

O ESTÁGIO COMO UM ELEMENTO CONSTITUTIVO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL

O ESTÁGIO COMO UM ELEMENTO CONSTITUTIVO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL O ESTÁGIO COMO UM ELEMENTO CONSTITUTIVO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL Profª Drª. Altina Abadia da Silva 1 Profª Ms. Heloísa Vitória Castro de Paula 2 Profª Ms. Priscilla de Andrade Silva Ximenes

Leia mais

ESTATÍSTICA BÁSICA NO CURSO DE TÉCNICO INTEGRADO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

ESTATÍSTICA BÁSICA NO CURSO DE TÉCNICO INTEGRADO DE SEGURANÇA DO TRABALHO ESTATÍSTICA BÁSICA NO CURSO DE TÉCNICO INTEGRADO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Fabíola Nascimento dos Santos Paes Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco fabiola.paes@gmail.com Dorghisllany

Leia mais

Aula RELAÇÕES DE DISCIPLINARIDADE. TEMAS TRANSVERSAIS. CONTEXTUALIZAÇÃO NO ENSINO DE MATEMÁTICA

Aula RELAÇÕES DE DISCIPLINARIDADE. TEMAS TRANSVERSAIS. CONTEXTUALIZAÇÃO NO ENSINO DE MATEMÁTICA RELAÇÕES DE DISCIPLINARIDADE. TEMAS TRANSVERSAIS. CONTEXTUALIZAÇÃO NO ENSINO DE MATEMÁTICA META Promover a preparação do estagiário para a elaboração de seu Projeto de Estágio. Estabelecer conceitos e

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE E A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

FORMAÇÃO DOCENTE E A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA FORMAÇÃO DOCENTE E A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA BERGAMO, Regiane Banzzatto 1 - FACINTER rbergamo@grupouninter.com.br Eixo Temático: Formação de Professores e Profissionalização Docente Agência Financiadora:

Leia mais

Trilha 4 Como estimular conteúdos e plataformas nacionais na rede mundial

Trilha 4 Como estimular conteúdos e plataformas nacionais na rede mundial Coordenador da Trilha Lisandro Zambenedetti Granville (CGI.br, UFRGS) Oradores iniciais indicados pelo setores do CGI.br: 3º Setor Nelson Pretto (UFBA) Academia Regina Melo Silveira (LARC-USP) e Guido

Leia mais

2º ENCONTRO GRUPO DE ESTUDOS CIDADANIA E EDUCAÇÃO EM/ PARA OS DIREITOS HUMANOS. Bom dia, Profissionais da Educação

2º ENCONTRO GRUPO DE ESTUDOS CIDADANIA E EDUCAÇÃO EM/ PARA OS DIREITOS HUMANOS. Bom dia, Profissionais da Educação 2º ENCONTRO GRUPO DE ESTUDOS CIDADANIA E EDUCAÇÃO EM/ PARA OS DIREITOS HUMANOS Bom dia, Profissionais da Educação Hoje daremos continuidade aos estudos sobre os fundamentos necessários para a compreensão

Leia mais

Articulando saberes e transformando a prática

Articulando saberes e transformando a prática Articulando saberes e transformando a prática Maria Elisabette Brisola Brito Prado Na sociedade do conhecimento e da tecnologia torna-se necessário repensar o papel da escola, mais especificamente as questões

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO FOMENTO PARA TICs NA EDUCAÇÃO

CURSO DE CAPACITAÇÃO FOMENTO PARA TICs NA EDUCAÇÃO CURSO DE CAPACITAÇÃO FOMENTO PARA TICs NA EDUCAÇÃO CHAMADA INTERNA Nº 01/2011-NEAD O DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO comunica aos interessados a abertura de inscrições para o Curso de Capacitação Fomento

Leia mais

ENSINO E APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, COM A UTILIZAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA.

ENSINO E APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, COM A UTILIZAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA. ENSINO E APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, COM A UTILIZAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA. Josilene Maria de Almeida 1 ; Rosângela Miranda de Lima 2 ; Maria Sônia Lopes da Silva; Maria Anunciada

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação - PROPEP COORDENADORIA INSTITUCIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CIED

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação - PROPEP COORDENADORIA INSTITUCIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CIED UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação - PROPEP COORDENADORIA INSTITUCIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CIED PROCESSO SELETIVO DE TUTORES 2012 PROVA TIPO 2 Tutor do Curso

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD)

A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) PADILHA, Emanuele Coimbra; SELVERO, Caroline Mitidieri Graduada em Letras-Espanhol pela Universidade Federal de Santa Maria UFSM. E-mail: emanuelecp@hotmail.com

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ NILCÉIA SCHWARTZ COLAÇO O USO DO BLOG COMO RECURSO DIDÁTICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ NILCÉIA SCHWARTZ COLAÇO O USO DO BLOG COMO RECURSO DIDÁTICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ NILCÉIA SCHWARTZ COLAÇO O USO DO BLOG COMO RECURSO DIDÁTICO CURITIBA 2010 1 NILCÉIA SCHWARTZ COLAÇO O USO DO BLOG COMO RECURSO DIDÁTICO Trabalho apresentado à disciplina

Leia mais

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: NÃO QUERER FAZER USO DESSE INSTRUMENTO COMO RECURSO DIDÁTICO OU NÃO SABER?.

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: NÃO QUERER FAZER USO DESSE INSTRUMENTO COMO RECURSO DIDÁTICO OU NÃO SABER?. LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: NÃO QUERER FAZER USO DESSE INSTRUMENTO COMO RECURSO DIDÁTICO OU NÃO SABER?. Wellington Alves de Araújo 1 (CEDMB, EEX-II). Antônio Marcos Feitosa Gomes 2 (EMCDF). Péricles Souza

Leia mais

O JORNAL ELETRÔNICO EXTRA-EXTRA: ALTERNATIVA PEDAGÓGICA NA ESCOLARIZAÇÃO EM CONTEXTO HOSPITALAR

O JORNAL ELETRÔNICO EXTRA-EXTRA: ALTERNATIVA PEDAGÓGICA NA ESCOLARIZAÇÃO EM CONTEXTO HOSPITALAR O JORNAL ELETRÔNICO EXTRA-EXTRA: ALTERNATIVA PEDAGÓGICA NA ESCOLARIZAÇÃO EM CONTEXTO HOSPITALAR GONÇALVES *, Carmem Lucia - SME carmem_clg@hotmail.com PORTELA **, Mariliza Simonete - SME mlizasim@hotmail.com

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO BRASIL & BAHIA (2013) UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO D.T. RODRIGUES 1, M. ROCHA 1, D.M. BRITO 1 e G.P. PINTO 1,2. 1

Leia mais