LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES"

Transcrição

1 ENGENHEIRO CIVIL

2 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2007 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo. 24 abr. 2007, p. E5. Ilustrada. QUESTÃO 01 Nos quadrinhos, pode-se interpretar da criação do 13º trabalho de Hércules que (A) o esforço físico do herói foi proporcional ao seu esforço intelectual. (B) o trabalho burocrático também requer um esforço de herói. (C) os heróis gregos despendiam mais energia que os trabalhadores atuais. (D) os gregos atribuíam ao trabalho burocrático um caráter divino. QUESTÃO 02 Na seqüência dos quadrinhos, o efeito de humor é construído com o auxílio da (A) metáfora. (B) ironia. (C) polissemia. (D) intertextualidade. Leia o texto para responder às questões de 03 a 07. Simplicidade é a norma Grande parte dos produtos de sucesso no setor de eletrônicos [...] compartilha uma característica: a facilidade de uso. Design e desempenho continuam a ser trunfos importantes para atrair o consumidor, mas o plug and play ou seja, o aparelho que entra em funcionamento assim que é ligado na tomada e se aperta o botão liga é um argumento de venda mais poderoso do que nunca. Muito mais que oferecer as tecnologias de ponta ou os aparelhos mais sofisticados, toda a indústria deve facilitar a vida de quem usa tais tecnologias, diz Flávio Gomes, diretor-geral da divisão de fotografia da K. para a América Latina. A área em que Gomes trabalha é um bom exemplo das virtudes da simplicidade. No século XIX, o francês Louis-Jacques Daguerre inventou um processo de fixação de imagens, o daguerreótipo, precursor da fotografia moderna. Mas ela só se popularizou meio século depois, quando o americano George Eastman criou um processo simples de tirar e revelar fotos, o rolo de filme, que prevaleceu até o surgimento da fotografia digital, há uma década. Hoje as máquinas digitais são cheias de recursos, mas as mais populares são as que simplificam a transferência das fotos para o computador e a impressão. Nem tudo é tão fácil no mundo digital prova disso é a variedade de formatos de arquivos de áudio e de vídeo, capaz de confundir o mais bem informado consumidor, mas cada vez mais eletrônicos lidam com esses padrões diferentes sem a necessidade de intervenção do usuário. VEJA, São Paulo: Abril, no. 52, nov. 2005, p. 50. Edição Especial. QUESTÃO 03 A aplicação da norma da simplicidade ao mundo da alta tecnologia é justificada pela (A) dificuldade de acesso das pessoas às novas tecnologias. (B) satisfação de necessidades imediatas dos consumidores. (C) alta popularidade alcançada pelas máquinas fotográficas digitais. (D) adaptação dos eletrônicos aos diferentes formatos de arquivos. QUESTÃO 04 Na organização do texto, a progressão das idéias se realiza segundo o esquema (A) geral / particular / geral. (B) facilidade / dificuldade. (C) causa / conseqüência. (D) exemplo / citação / conjectura. LÍNGUA PORTUGUESA

3 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2007 QUESTÃO 05 A fala de Flávio Gomes referenda os argumentos do autor do texto, pois (A) prevê uma nova realidade no mundo da tecnologia de ponta. (B) inibe a produção de aparelhos plug and play pela indústria tecnológica. (C) traduz a autoridade proveniente de sua atividade profissional. (D) pressupõe o lucro como o interesse principal da indústria. QUESTÃO 06 No texto, um contra-argumento à tendência do mundo tecnológico para a busca da simplicidade é: (A) O surgimento de máquinas digitais cheias de recursos. (B) A existência de vários formatos de arquivos de áudio e vídeo. (C) A invenção do rolo fotográfico pelo americano George Eastman. (D) O fato de design e desempenho serem grandes trunfos para vender produtos. QUESTÃO 07 Na constituição do nome plug and play observa-se uma estratégia metonímica, mostrada na relação de proximidade entre (A) o inventor do aparelho e o aparelho inventado. (B) o mundo tecnológico e os recursos digitais. (C) as ações do usuário e o modo de funcionamento do aparelho. (D) as funções do aparelho e a conquista do público consumidor. Leia o texto a seguir para responder às questões de 08 a 10. Conde Empreiteira de Mãos Obra Ltda Av: Santos Dumont telefax: Londrina - Pr. CGC/MF / Prezado Sr (a) Síndico (a) 1 Venho por esta vos comunicar-lhe que nossa empresa é especializada, em serviços de pinturas de edifícios, residências, salas comerciais, com finíssimo acabamento. 2 Nossos funcionários são todos profissionais treinados em suas funções, com seguro de vida, para oferecerlhes á nossos clientes, proficionalismo, segurança de quem tem 10 anos de tradição em pinturas. 3 Nos garantimos nossos serviços prestados aos nossos clientes por um período de 05 anos. 4 Responsabilizaremos pelas obrigações trabalhista e fiscais, de modo em que nosso pessoal que prestará os serviços de mão-de-obra, sob seu comando. 5 A responsabilidade civil, trabalhista e penas de danos pessoais, acidentes de trabalho, serão por conta de nossa empresa prestadora de serviços. 6 Faremos seu orçamento sem compromisso 7 Consulte-nos pelo fone (043) falar com Sr. Marcelino. Conde Empreiteira de Mão de Obra LTDA LOPES, H. V. et al. Língua portuguesa. São Paulo: Editora do Brasil, p QUESTÃO 08 No primeiro parágrafo, a redundância no uso pronominal tem por conseqüência (A) estabelecimento inadequado do interlocutor. (B) informações limitadas a respeito das especialidades da empresa. (C) incoerência entre os objetivos da carta e o conteúdo comunicado. (D) ocultação do referente sujeito na frase inicial. QUESTÃO 09 Os argumentos usados para convencer o síndico a aderir aos serviços da empreiteira (A) são recorrentes em gêneros textuais oficiais. (B) são apropriados aos fins a que a carta se destina. (C) prejudicam a composição da imagem da empresa. (D) desconsideram o tipo de cliente visado. QUESTÃO 10 No segundo parágrafo, entre os vários problemas de desvio das normas da escrita, pode-se apontar como prejudicial à conexão sintática: (A) A grafia errada da palavra profissionalismo. (B) A utilização imprópria da crase. (C) O tempo de experiência expresso em numeral. (D) O uso incorreto da vírgula. LÍNGUA PORTUGUESA

4 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2007 Para responder às questões 11 e 12, leia o texto que segue. Para mim brincar Nada mais gostoso do que mim sujeito de verbo no infinitivo. Pra mim brincar. As cariocas que não sabem gramática falam assim. Todos os brasileiros deviam falar como as cariocas que não sabem gramática. As palavras mais feias da língua portuguesa são quiçá, alhures e amiúde. BANDEIRA, M. Seleta em prosa e verso. 4. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, p. 19. QUESTÃO 11 Segundo o texto, a beleza das palavras está em pertencerem (A) à fala coloquial. (B) ao dialeto carioca. (C) às mulheres. (D) aos brasileiros. QUESTÃO 13 Segundo o texto, o que contraria as suposições da avó de Gilberto Freyre? (A) A máxima de que toda regra tem exceções. (B) A demora do menino em aprender a escrever. (C) A precocidade e a qualidade da formação do neto. (D) A morte da avó quando ele ainda era menino. QUESTÃO 14 Infradotado faz parte de um grupo semântico diferente da palavra (A) infrator. (B) infra-assinado. (C) infranasal. (D) infra-som. QUESTÃO 15 QUESTÃO 12 Qual regra da gramática normativa as pessoas contrariam quando dizem pra mim brincar? (A) Verbos no infinitivo não exigem sujeito. (B) Pronomes oblíquos exercem função de objeto. (C) Advérbios podem se comportar como preposição. (D) Pronomes átonos dispensam preposição. Leia o texto para responder as questões 13 e 14. A preocupação da avó de Freyre As avós, com as exceções de toda regra, torcem pelo sucesso dos netos. E se preocupam muito se eles têm alguma dificuldade. A avó paterna do sociólogo Gilberto Freyre ( ) morreu quando ele tinha nove anos, muito preocupada porque ele estava demorando a aprender a escrever. Supunha ela, até, que o neto fosse infradotado, quando depois da morte dela se constatou que, pelo contrário, ele era superdotado. Pois, aos 14 anos, o pernambucano Gilberto Freyre não apenas escrevia muito bem em seu idioma, como ensinava inglês, e, antes de fazer 18 anos, ensinaria também francês e sabia grego. Bacharelou-se em ciências e letras aos 16 anos, aos 18 anos foi estudar nos Estados Unidos, diplomando-se em sociologia na Universidade de Baylor, no Texas. Entre suas amizades da juventude, incluíam-se os poetas Willian Yeats e Rabindranath Tagore. O POPULAR, Goiânia, 5 mai p. 12. Política. Disponível em: Acesso em: 6 abr O cartum traz uma crítica à bioengenharia, pois questiona (A) a cientificidade dos métodos usados nas experiências com células humanas. (B) a aplicação dos recursos financeiros de incentivo às pesquisas em genética. (C) o uso de crianças como cobaias em experiências com células-tronco. (D) a interferência de suas descobertas no desenvolvimento natural da espécie humana. LÍNGUA PORTUGUESA

5 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001 /2007 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÃO 16 O enchimento de vãos de modo a evitar que a alvenaria e vedação trinque junto às vigas superiores é denominado (A) apicoamento. (B) galgamento. (C) encunhamento. (D) vedação. QUESTÃO 17 A função das vergas na construção de uma edificação é: (A) apoiar as travessas das portas. (B) evitar o aparecimento de trincas na alvenaria, nos cantos das esquadrias. (C) possibilitar a fixação dos batentes das janelas. (D) servir de suporte para as montantes das esquadrias. QUESTÃO 18 Na realização de um corte em terra na etapa de terraplanagem de uma obra de construção civil, o volume de terra a ser transportado (A) é igual ao volume de terra natural. (B) é 10% menor do que o volume de terra natural. (C) é maior do que o volume de terra natural. (D) é igual a 75% do volume de terra natural. QUESTÃO 19 Observe a figura a seguir, em que se apresentam as peças da fôrma de um pilar. QUESTÃO 20 Uma viga cuja função é absorver o momento resultante da excentricidade de um pilar em relação à sua fundação é chamada de (A) viga Gerber. (B) viga Vierendeel. (C) viga de rigidez. (D) viga de equilíbrio. QUESTÃO 21 O vidro produzido com duas ou mais camadas de vidro, intercaladas por uma ou mais películas de polivinil butiral e unidas por um processo de pressão e calor é denominado (A) vidro estirado. (B) vidro laminado. (C) vidro plano aramado. (D) vidro plano temperado. QUESTÃO 22 Na adequada instalação de um portal de madeira, uma peça é chumbada à alvenaria, durante a sua execução, para posterior fixação do portal de madeira durante a fase de acabamento da obra. O nome dessa peça é (A) aduela. (B) contra-marco. (C) sôcolo. (D) travessa. QUESTÃO 23 Junto às lajes de sacada e de cobertura, ao pé do parapeito, coloca-se um tubo para o escoamento das águas, tendo comprimento e declividade adequados de modo a não permitir o seu retorno. O nome desse tubo é (A) tubo de queda. (B) extravasor. (C) bocal. (D) buzinote. As letras A, B, C e D na figura representam, respectivmente, (A) painel, montante, gravata, aprumador. (B) painel, gravata, aprumador, painel e pontalete. (C) painel, aprumador, gravata e montante. (D) painel, pontalete, montante e aprumador. QUESTÃO 24 O descolamento de revestimento de argamassa muito rica em cimento é conseqüência da (A) retração na secagem. (B) expansão ao longo do tempo. (C) carbonatação. (D) pulverulência. ENGENHEIRO CIVIL-COMOB

6 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001 /2007 QUESTÃO 25 A ascensão da água à superfície do concreto, trazendo consigo partículas de cimento é um fenômeno conhecido como (A) exsudação. (B) lixiviação. (C) expansibilidade. (D) hidratação. QUESTÃO 26 Segundo a NBR 9050/2004, são consideradas rampas os pisos cujas inclinações longitudinais são maiores do que (A) 2%. (B) 3%. (C) 5%. (D) 7%. QUESTÃO 27 Segundo a NBR 9050/2004, para uma adequada condição de acessibilidade, os vãos livres mínimos das portas e corredores de uso comum com até 4,0 m de extensão deverão ser, respectivamente, de (A) 80 cm e 90 cm (B) 80 cm e 100 cm (C) 90 cm e 100 cm (D) 90 cm e 120 cm QUESTÃO 28 Uma viga de concreto armado apoiada em dois pilares, também de concreto, foi modelada, dimensionada e detalhada como um elemento bi-rotulado. Entretanto, por causa de um erro na execução da armação, a ferragem negativa junto aos apoios teve sua área consideravelmente aumentada e prolongada para dentro dos pilares. Nessa situação, há risco de (A) surgimento de fissuras verticais no meio do vão da viga, junto à ferragem positiva. (B) surgimento de fissuras na viga, inclinadas 45º, próximas aos apoios. (C) aumento da deformação vertical da viga, no meio do vão. (D) surgimento de momento fletor atuante nos pilares em virtude do carregamento da viga. QUESTÃO 29 Em uma viga metálica, executada em perfil I laminado, observa-se a presença de pares de chapas metálicas retangulares soldadas transversalmente à alma do perfil, regularmente espaçadas ao longo do vão. O objetivo dessas chapas é o de evitar a (A) flambagem local da mesa. (B) flambagem local da alma. (C) flambagem lateral por flexo-torção. (D) ruptura da seção por cisalhamento. QUESTÃO 30 Considerando-se a aceleração da gravidade igual a 10 m/s 2, a tensão devida à aplicação de uma carga de kgf perpendicularmente a uma superfície quadrada com 6 cm de lado é igual a (A) 1 MPa. (B) 10 MPa. (C) 100 MPa. (D) 1000 MPa. QUESTÃO 31 Em uma camada de argila homogênea de altura H, o recalque no meio da camada é mais rápido se a camada de argila apoiar-se sobre (A) uma rocha sã impermeável. (B) uma camada arenosa. (C) uma outra camada de argila. (D) uma camada de rocha fraturada. QUESTÃO 32 Na investigação de subsolo para fins de cálculo e dimensionamento das fundações, o SPT representa o número de golpes necessários para cravação do amostrador em (A) 5 cm. (B) 15 cm. (C) 30 cm. (D) 45 cm. QUESTÃO 33 Baixo custo de mobilização e desmobilização, baixa intensidade de ruído e vibrações, facilidade de alteração durante a execução em função de condições adversas às previstas e possibilidade de atravessar solos com pedras e matacões. Essas são características de fundações do tipo (A) tubulões. (B) estacas Franki. (C) estacas Mega. (D) estacas Strauss. ENGENHEIRO CIVIL-COMOB

7 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001 /2007 QUESTÃO 34 Em um concreto que será aplicado em um ambiente a- gressivo, é recomendado o uso de (A) agregados de granulometria fina e boa resistência mecânica. (B) baixa relação água/cimento e cimento adequado. (C) baixas resistências mecânicas e agregados pesados. (D) cimento de alta resistência inicial e agregados leves. QUESTÃO 35 Na construção civil, usa-se aço CA-50 e CA-60. A diferença entre um aço e outro pode ser expressa assim: (A) o CA-60 tem massa específica maior do que o CA-50. (B) o CA-50 é um aço trefilado, enquanto o CA-60 é um aço laminado a quente. (C) o CA-60 tem maior deformação específica do que o CA-50. (D) o CA-50 é mais dúctil do que o CA-60. QUESTÃO 36 Um edifício com estrutura em concreto armado, com controle do concreto realizado por meio da moldagem de corpos de prova, poderá ter seu concreto aceito se (A) a média aritmética simples dos resultados dos corpos de prova for maior que o fck de projeto ou igual a ele. (B) o desvio padrão dos resultados dos corpos de prova for inferior a 4 MPa. (C) nenhum resultado dos corpos de prova for menor do que o fck de projeto. (D) o fck estimado for maior que o fck de projeto ou igual a ele. QUESTÃO 37 A deformação de estruturas de concreto provocada por carregamentos externos, mantidos ao longo do tempo, é denominada (A) deformação permanente. (B) elasticidade. (C) fluência. (D) reologia. QUESTÃO 38 De acordo com as recomendações da norma brasileira, o início da pega do cimento NÃO pode ocorrer antes de (A) 1 hora. (B) 1 hora e 30 minutos. (C) 2 horas. (D) 2 horas e 30 minutos. QUESTÃO 39 No empilhamento do cimento em sacos, a hidratação dos grãos de cimento (A) ocorre mais rapidamente para pilhas acima de 15 sacos. (B) ocorre mais lentamente para pilhas acima de 15 sacos. (C) independe do número de sacos armazenados por pilha. (D) independe do tipo e local de armazenamento. QUESTÃO 40 Os poços-de-visita são importantes elementos da infraestrutura urbana e são encontrados em sistemas de (A) abastecimento de água, drenagem pluvial e esgoto sanitário. (B) abastecimento de água e drenagem pluvial. (C) abastecimento de água e esgoto sanitário. (D) drenagem pluvial e de esgoto sanitário. QUESTÃO 41 O orçamento é um importante instrumento para o acompanhamento e controle de uma obra. Levando-se em conta o princípio de Pareto, segundo o qual um pequeno número de serviços ou insumos é responsável por uma parcela mais significativa do custo total, pode-se representar os diversos insumos ou etapas de uma obra em ordem decrescente de preço por meio (A) do Diagrama de Blocos. (B) do Diagrama PERT-CPM. (C) do Diagrama de Gantt. (D) da Curva ABC. QUESTÃO 42 Diversas são as modalidades de contrato para a execução de obras. Para a execução de uma determinada obra, cujas quantidades e especificações dos serviços a serem realizados estão bem determinadas, a modalidade de contrato indicada é o contrato por (A) preço global. (B) preços unitários. (C) administração. (D) empreitada parcial. QUESTÃO 43 Segundo a NR-18/2004, uma CIPA centralizada deve ser organizada por empresa que possua, na mesma cidade, um ou mais canteiros ou frentes de trabalho com pelo menos (A) 50 trabalhadores. (B) 70 trabalhadores. (C) 100 trabalhadores. (D) 150 trabalhadores. ENGENHEIRO CIVIL-COMOB

8 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001 /2007 QUESTÃO 44 Segundo a NR-18/2004, diversas atividades no canteiro de obras somente podem ser executadas por trabalhadores qualificados. Uma forma de comprovar esta qualificação é apresentar a experiência na função, anotada em Carteira de Trabalho, por pelo menos (A) 6 meses. (B) 9 meses. (C) 12 meses. (D) 18 meses. QUESTÃO 45 De acordo com a Lei 8.666/93 e legislação complementar, a partir da publicação oficial dos avisos de licitação das modalidades de concorrência, tomada de preços e convite, para a execução de uma obra por empreitada por preço global do tipo menor preço, os prazos mínimos para o recebimento das propostas dos licitantes serão, respectivamente, (A) 30 dias, 15 dias e 7 dias. (B) 45 dias, 30 dias e 5 dias. (C) 30 dias, 15 dias e 5 dias úteis. (D) 45 dias, 15 dias e 5 dias úteis. QUESTÃO 46 De acordo com a Lei 8.666/93, a modalidade de licitação entre interessados devidamente cadastrados ou que a- tendam a todas as condições exigidas para cadastramento até o terceiro dia anterior à data do recebimento das propostas, observada a necessária qualificação, chamase (A) Concorrência. (B) Tomada de preços. (C) Convite. (D) Leilão. A figura a seguir será utilizada nas questões 47 e 48. QUESTÃO 47 A planilha da figura apresentada traz o resumo de um orçamento de obra confeccionado no Excel 2002 em português. Para ordenar as etapas da obra de acordo com os custos, em ordem crescente, deve-se: (A) Selecionar da célula A2 até a célula C10, clicar no menu Ferramentas, selecionar a opção Ordenar, selecionar Classificar por e escolher o valor % ou Coluna B, selecionar a ordem Crescente e clicar em OK. (B) Selecionar a coluna B, clicar no menu Dados, selecionar a opção Ordenar, selecionar a ordem Crescente e clicar em OK. (C) Selecionar as linhas 2 até a 10, clicar no menu Dados, selecionar a opção Classificar, selecionar Classificar por e escolher o valor % ou Coluna B, selecionar a ordem Crescente e clicar em OK. (D) Selecionar da célula A1 até a célula C10, clicar no menu Ferramentas, selecionar a opção Classificar, selecionar a ordem Crescente e clicar em OK. QUESTÃO 48 Na planilha da figura apresentada, uma forma correta de obter o custo total das etapas é digitar, na celular B11: (A) =TOTAL(B2-B10) (B) =B2++B10 (C) =TOTCOL(B) (D) =SOMA(B2:B10) QUESTÃO 49 Empregando o processador de textos Word 2002, versão em português, para a elaboração de um relatório técnico de Engenharia, necessitou-se configurar o texto para a apresentação de espaço duplo entre as linhas. Uma vez selecionado todo o texto, uma forma correta para este procedimento é o seguinte: (A) Clicar no menu Formatar, clicar na opção Parágrafo e selecionar Duplo na opção Entre linhas. (B) Clicar no menu Editar, clicar na opção Formato e selecionar Duplo na opção Entre linhas. (C) Clicar no menu Ferramentas, clicar na opção Opções e selecionar Duplo na opção Espaçamento. (D) Clicar no menu Exibir, clicar na opção Formato e selecionar Duplo na opção Espaçamento. QUESTÃO 50 Durante a elaboração de um desenho no programa Autocad 2000, ocasionalmente é necessária a visualização conjunta de todos os objetos gráficos criados na área de trabalho. Essa visualização pode ser obtida por meio dos seguintes procedimentos: (A) Clicar no menu Tools e clicar em Zoom All. (B) Clicar no menu View e clicar na opção Regen All. (C) Clicar no menu View, selecionar a opção Zoom e clicar em Extents. (D) Clicar no menu Tools, selecionar a opção Zoom e clicar na opção All. ENGENHEIRO CIVIL-COMOB

ANALISTA EM CUL ANALIST TURA A EM CUL E DESPORTOS I

ANALISTA EM CUL ANALIST TURA A EM CUL E DESPORTOS I PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo. 24 abr. 2007,

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES CONSTRUÇÃO EDIFÍCIO PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São

Leia mais

ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de

Leia mais

ANALISTA EM CUL ANALIST TURA A EM CUL E DESPORTOS I

ANALISTA EM CUL ANALIST TURA A EM CUL E DESPORTOS I PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo. 24 abr. 2007,

Leia mais

PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARQUITETÔNICO

PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARQUITETÔNICO PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARQUITETÔNICO PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA. Leia o texto para responder às questões de 03 a 07.

PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA. Leia o texto para responder às questões de 03 a 07. PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo. 24 abr. 2007,

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ASSISTENTE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2007 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo.

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP Curso: Arquitetura e Urbanismo Assunto: Cálculo de Pilares Prof. Ederaldo Azevedo Aula 4 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP

Leia mais

ÍNDICE DO LIVRO CÁLCULO E DESENHO DE CONCRETO ARMADO autoria de Roberto Magnani SUMÁRIO LAJES

ÍNDICE DO LIVRO CÁLCULO E DESENHO DE CONCRETO ARMADO autoria de Roberto Magnani SUMÁRIO LAJES ÍNDICE DO LIVRO CÁLCULO E DESENHO DE CONCRETO ARMADO autoria de Roberto Magnani SUMÁRIO LAJES 2. VINCULAÇÕES DAS LAJES 3. CARREGAMENTOS DAS LAJES 3.1- Classificação das lajes retangulares 3.2- Cargas acidentais

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001 /2007

LÍNGUA PORTUGUESA PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001 /2007 LÍNGUA PORTUGUESA QUESTÃO 1 Leia o texto. QUESTÃO 02 A aplicação da norma da simplicidade ao mundo da alta tecnologia é justificada pela (A) dificuldade de acesso das pessoas às novas tecnologias. (B)

Leia mais

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I Aula 9 Fundações Parte 1 Cristóvão C. C. Cordeiro O que são? São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO Curso Técnico de Edificações Profª Engª Civil Alexandra Müller Barbosa EMENTA Estudos de procedimentos executivos: Estruturas portantes, Elementos vedantes, Coberturas, Impermeabilização,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PROJETO DE FUNDAÇÕES Todo projeto de fundações

Leia mais

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO Segurança Antes do início de qualquer serviço, verificar a existência e condições dos equipamentos de segurança

Leia mais

PROVA DE ENGENHARIA CIVIL. Para uma viga bi-apoiada, com carga concentrada, se desprezarmos o efeito do peso próprio, é CORRETO afirmar:

PROVA DE ENGENHARIA CIVIL. Para uma viga bi-apoiada, com carga concentrada, se desprezarmos o efeito do peso próprio, é CORRETO afirmar: 18 PROVA DE ENGENHARIA CIVIL QUESTÃO 41 Para uma viga bi-apoiada, com carga concentrada, se desprezarmos o efeito do peso próprio, é CORRETO afirmar: a) o diagrama do esforço cortante (DEC) é composto

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 1a. parte: TÉCNICA Engenheiro Civil - Ph.D. 85-3244-3939 9982-4969 la99824969@yahoo.com.br skipe: la99824969 de que alvenaria

Leia mais

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO CONCEITO A tipologia estrutural composta por bloco, argamassa, graute e eventualmente armações é responsável por um dos sistemas construtivos

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7 AULA 7 CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES Disciplina: Projeto de Estruturas CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS 1 CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS ALOJAMENTO DAS ARMADURAS Armadura longitudinal (normal/flexão/torção) Armadura

Leia mais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais LA-J ARTEFATOS DE CIMENTO LUCAS LTDA Av. Cônsul Assaf Trad 6977 Em frente ao Shopping Bosque dos Ipês / Campo Grande MS 0800 647 1121 www.lajlucas.com.br

Leia mais

CH semanal. Titulação Mínima. Terça-feira de 9h35 às 11h15 e Quinta-feira de 9h15 às 11h15. Segunda-feira de 19h às 21h45 e de 21h55 às 22h35

CH semanal. Titulação Mínima. Terça-feira de 9h35 às 11h15 e Quinta-feira de 9h15 às 11h15. Segunda-feira de 19h às 21h45 e de 21h55 às 22h35 Planilha atualizada em 21/01/2015 Vaga Curso Disciplina Ementa Horário CH semanal Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável Prazo para envio de currículos Campus 1 Administração

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL CONCEITO Estacas são importantes e comuns elementos

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP FUNDAÇÃO 1. TIPO DE SOLO A primeira parte da casa a ser construída são suas fundações, que

Leia mais

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Contribuição técnica nº 19 EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Autor: ROSANE BEVILAQUA Eng. Consultora Gerdau SA São Paulo, 01 de setembro de 2010. PROGRAMA Introdução Vantagens da utilização de Edifícios

Leia mais

ANALISTA EM A ANALIST SSUNTOS SOCIAIS I

ANALISTA EM A ANALIST SSUNTOS SOCIAIS I ASSISTENTE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo.

Leia mais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais Blocos de CONCRETO DESCRIÇÃO: Elementos básicos para a composição de alvenaria (estruturais ou de vedação) BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO SIMPLES COMPOSIÇÃO Cimento Portland, Agregados (areia, pedra, etc.)

Leia mais

TECNICAS CONSTRUTIVAS I

TECNICAS CONSTRUTIVAS I Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios TECNICAS CONSTRUTIVAS I Prof. Leandro Candido de Lemos Pinheiro leandro.pinheiro@riogrande.ifrs.edu.br FUNDAÇÕES Fundações em superfície: Rasa, Direta

Leia mais

ANALISTA EM OBRA ANALIST S E URBANISMO I

ANALISTA EM OBRA ANALIST S E URBANISMO I ARQUITETO PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo. 24

Leia mais

Soluções em Lajes Alveolares

Soluções em Lajes Alveolares Soluções em Lajes Alveolares Oferecer Soluções Inovadoras e bom atendimento é o nosso compromisso Presente no mercado da construção civil desde de 1977, o Grupo Sistrel vem conquistando o mercado brasileiro

Leia mais

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS Você foi incumbido do planejamento da execução do edifício habitacional, constituído por um subsolo, um pavimento térreo e oito pavimentos tipo, com

Leia mais

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Será que é resistente? Aceita qualquer revestimento? E se molhar? Esse mar de dúvidas invade

Leia mais

Resumidamente, vamos apresentar o que cada item influenciou no cálculo do PumaWin.

Resumidamente, vamos apresentar o que cada item influenciou no cálculo do PumaWin. Software PumaWin principais alterações O Software PumaWin está na versão 8.2, as principais mudanças que ocorreram ao longo do tempo estão relacionadas a inclusão de novos recursos ou ferramentas, correção

Leia mais

37 3231-4615 www.levemix.com.br GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX. Comodidade, economia e segurança ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES

37 3231-4615 www.levemix.com.br GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX. Comodidade, economia e segurança ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX Orientações técnicas para o melhor desempenho de sua concretagem Comodidade, economia e segurança 37 3231-4615 www.levemix.com.br ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES

Leia mais

Disciplina: Construção Civil I Procedimentos para Início da Obra

Disciplina: Construção Civil I Procedimentos para Início da Obra UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Disciplina: Construção Civil I Procedimentos para Início da Obra André Luís Gamino Professor Área de Construção Civil

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Fundações

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Fundações UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções Patologia das Fundações ETAPAS IMPORTANTES: Determinar o número de furos de sondagem, bem como a sua localização; Analisar

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME ANITA OLIVEIRA LACERDA - anitalic@terra.com.br PEDRO AUGUSTO CESAR DE OLIVEIRA SÁ - pedrosa@npd.ufes.br 1. INTRODUÇÃO O Light Steel Frame (LSF) é um sistema

Leia mais

Tensão para a qual ocorre a deformação de 0,2%

Tensão para a qual ocorre a deformação de 0,2% O QUE É DIMENSIONAR UMA ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO? Dimensionar uma estrutura de concreto armado é determinar a seção de concreto (formas) e de aço (armadura) tal que: a estrutura não entre em colapso

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS O cimento é um dos materiais de construção mais utilizados em obras civis. Com relação a esse aglomerante, julgue os itens a seguir. 61 No recebimento em uma obra, os sacos devem

Leia mais

Aula 4 : Desenho de Estruturas

Aula 4 : Desenho de Estruturas Aula 4 : Desenho de Estruturas Índice: UNIDADE 4 DESENHO DE ESTRUTURAS 4.1 Introdução; Fundações: - São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Assunto: Fundações Diretas Prof. Ederaldo Azevedo Aula 5 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Introdução: Todo peso de uma obra é transferido para o terreno em que a mesma é apoiada. Os esforços produzidos

Leia mais

Professor Douglas Constancio. 1 Elementos especiais de fundação. 2 Escolha do tipo de fundação

Professor Douglas Constancio. 1 Elementos especiais de fundação. 2 Escolha do tipo de fundação Professor Douglas Constancio 1 Elementos especiais de fundação 2 Escolha do tipo de fundação Americana, junho de 2005 0 Professor Douglas Constancio 1 Elementos especiais de fundação Americana, junho de

Leia mais

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados Projeto e Dimensionamento de de Estruturas metálicas e mistas de de aço e concreto MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados 1 Sistemas estruturais: coberturas

Leia mais

DESENHO E ARQUITETURA COBERTURA E NOÇÕES DE ESTRUTURA

DESENHO E ARQUITETURA COBERTURA E NOÇÕES DE ESTRUTURA CURSO TÉCNICO EM TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIAS DESENHO E ARQUITETURA COBERTURA E NOÇÕES DE ESTRUTURA Elisa Furian elisafurian@outlook.com COBERTURAS Constituem estruturas de múltipla função que tem por objetivo:

Leia mais

Soluções para Alvenaria

Soluções para Alvenaria Aços Longos Soluções para Alvenaria BelgoFix Tela BelgoRevest Murfor BelgoFix Telas Soldadas Galvanizadas para Alvenaria BelgoFix : marca registrada da Belgo Bekaert Arames BelgoFix são telas soldadas

Leia mais

UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES

UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES 200888 Técnicas das Construções I UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 5 o Impermeabilização é a proteção das construções contra

Leia mais

Como funciona? SUMÁRIO

Como funciona? SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Benefícios e Vantagens... 2 3. Como utilizar?... 2 3.1. Criar Chave / Senha de Usuário... 2 3.2. Recursos da Barra Superior... 2 3.2.1. Opções... 3 3.2.1.1. Mover Para...

Leia mais

200888 Técnicas das Construções I FUNDAÇÕES. Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 3

200888 Técnicas das Construções I FUNDAÇÕES. Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 3 200888 Técnicas das Construções I FUNDAÇÕES Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 3 O que são?: São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas

Leia mais

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura.

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 4 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 2 de abril, 2003. CONCEPÇÃO ESTRUTURAL A concepção estrutural, ou simplesmente estruturação, também chamada

Leia mais

LISTA 1 CS2. Cada aluno deve resolver 3 exercícios de acordo com o seu númeo FESP

LISTA 1 CS2. Cada aluno deve resolver 3 exercícios de acordo com o seu númeo FESP LISTA 1 CS2 Cada aluno deve resolver 3 exercícios de acordo com o seu númeo FESP Final 1 exercícios 3, 5, 15, 23 Final 2 exercícios 4, 6, 17, 25 Final 3- exercícios 2, 7, 18, 27 Final 4 exercícios 1 (pares),

Leia mais

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10 - -03 1/5 - -03 2/5 - -03 3/5 - -03 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Lastro de concreto magro, traço 1:4:8, cimento, areia e brita. Fundo e vigas de concreto armado, moldados in loco: - Fôrmas de tábuas de

Leia mais

Soluções para Alvenaria

Soluções para Alvenaria Aços Longos Soluções para Alvenaria BelgoFix Tela BelgoRevest Produtos Murfor BelgoFix Telas Soldadas Galvanizadas para Alvenaria BelgoFix são telas soldadas produzidas com fio de 1,65 mm de diâmetro e

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MAJ MONIZ DE ARAGÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO Idade do concreto. Verificação da resistência. Módulo de

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE ALVENARIA ESTRUTURAL: BLOCOS DE CONCRETO DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE O uso de alvenaria como sistema estrutural já vem sendo usado a centenas de anos, desde as grandes

Leia mais

MINISTERIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO 23ª REGIÃO RUA E S/N, CENTRO POLÍTICO ADMINISTRATIVO, CUIABÁ - MT

MINISTERIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO 23ª REGIÃO RUA E S/N, CENTRO POLÍTICO ADMINISTRATIVO, CUIABÁ - MT MINISTERIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO 23ª REGIÃO RUA E S/N, CENTRO POLÍTICO ADMINISTRATIVO, CUIABÁ - MT MEMÓRIA DE CÁLCULO ESTRUTURA DE CONCRETO SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 1.1. Hipóteses

Leia mais

CONTROLE TECNOLÓGICO DO CONCRETO MCC2001 AULA 6 (parte 1)

CONTROLE TECNOLÓGICO DO CONCRETO MCC2001 AULA 6 (parte 1) CONTROLE TECNOLÓGICO DO CONCRETO MCC2001 AULA 6 (parte 1) Disciplina: Materiais de Construção II Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2015 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia

Leia mais

Parede de Garrafa Pet

Parede de Garrafa Pet CONCEITO As paredes feitas com garrafas pet são uma possibilidade de gerar casas pré fabricadas através da reciclagem e é uma solução barata e sustentável. As garrafas pet são utilizadas no lugar dos tijolos

Leia mais

TIPOS DE ESTRUTURAS. Prof. Marco Pádua

TIPOS DE ESTRUTURAS. Prof. Marco Pádua TIPOS DE ESTRUTURAS Prof. Marco Pádua A função da estrutura é transmitir para o solo a carga da edificação. Esta carga compõe-se de: peso próprio da estrutura, cobertura, paredes, esquadrias, revestimentos,

Leia mais

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA ECC 1008 ESTRUTURAS DE CONCRETO PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA (Aulas 9-12) Prof. Gerson Moacyr Sisniegas Alva Algumas perguntas para reflexão... É possível obter esforços (dimensionamento) sem conhecer

Leia mais

PAINÉIS E PAREDES DE MADEIRA

PAINÉIS E PAREDES DE MADEIRA PAINÉIS E PAREDES DE MADEIRA As paredes de madeira dividem-se em: Paredes Estruturais Divisão e fechamento de ambientes Suportar cargas verticais e transmití-las as fundações Suportar cargas horizontais

Leia mais

1.1 Conceitos fundamentais... 19 1.2 Vantagens e desvantagens do concreto armado... 21. 1.6.1 Concreto fresco...30

1.1 Conceitos fundamentais... 19 1.2 Vantagens e desvantagens do concreto armado... 21. 1.6.1 Concreto fresco...30 Sumário Prefácio à quarta edição... 13 Prefácio à segunda edição... 15 Prefácio à primeira edição... 17 Capítulo 1 Introdução ao estudo das estruturas de concreto armado... 19 1.1 Conceitos fundamentais...

Leia mais

ESTRUTURAS. Prof. Eliseu Figueiredo Neto

ESTRUTURAS. Prof. Eliseu Figueiredo Neto ESTRUTURAS Prof. Eliseu Figueiredo Neto PAREDES DE TIJOLO Assentamento dos tijolos: Quanto a colocação (ou dimensão das paredes) dos tijolos, podemos classificar as paredes em: cutelo, de meio tijolo,

Leia mais

FUNDAÇÕES REALIDADE ATUAL

FUNDAÇÕES REALIDADE ATUAL SEFE 7 Seminário de Engenharia de Fundações Especiais e Geotecnia FUNDAÇÕES REALIDADE ATUAL Antônio Sérgio Damasco Penna FUNDAÇÕES REALIDADE ATUAL As conquistas do período, o avanço tecnológico, a fartura

Leia mais

a) 290mm; 250mm; 200mm b) 400mm; 475mm; 350mm c) 250mm; 200mm; 330mm d) 250mm; 350mm; 200mm

a) 290mm; 250mm; 200mm b) 400mm; 475mm; 350mm c) 250mm; 200mm; 330mm d) 250mm; 350mm; 200mm Engenheiro Civil 11) O quadroabaixo mostra o volume de precipitação de água da chuva no município, nos últimos sete meses. Com base nos valores apresentados, marque a opção que corresponde aos valores

Leia mais

Elementos Estruturais de Concreto Armado

Elementos Estruturais de Concreto Armado UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Elementos Estruturais de Concreto Armado Prof. Guilherme Brigolini Elementos Estruturais de Concreto Armado Produção de

Leia mais

FUNDAÇÕES PROFUNDAS. 1 semestre/2012

FUNDAÇÕES PROFUNDAS. 1 semestre/2012 CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL FUNDAÇÃO TEORIA EC8P30/EC9P30 FUNDAÇÕES PROFUNDAS 1 semestre/2012 1. ESTACAS DE DESLOCAMENTO São aquelas introduzidas no terreno através de algum processo

Leia mais

AULA 5. NBR 6122- Projeto e Execução de Fundações Métodos Empíricos. Relação entre Tensão Admissível do Solo com o número de golpes (N) SPT

AULA 5. NBR 6122- Projeto e Execução de Fundações Métodos Empíricos. Relação entre Tensão Admissível do Solo com o número de golpes (N) SPT AULA 5 NBR 6122- Projeto e Execução de Fundações Métodos Empíricos Relação entre Tensão Admissível do Solo com o número de golpes (N) SPT março 2014 Disciplina - Fundações Zeide Nogueira Furtado Relação

Leia mais

TC042 CONSTRUÇÃO CIVIL IV AULA 5

TC042 CONSTRUÇÃO CIVIL IV AULA 5 TC042 CONSTRUÇÃO CIVIL IV AULA 5 DURAÇÃO DAS ATIVIDADES Como estimar a duração das atividades ou serviços? Existem duas formas básicas: Determina-se a quantidade de dias e a partir deste parâmetro compõe-se

Leia mais

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural.

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural. Alvenaria Estrutural Introdução CONCEITO ESTRUTURAL BÁSICO Tensões de compressão Alternativas para execução de vãos Peças em madeira ou pedra Arcos Arco simples Arco contraventado ASPECTOS HISTÓRICOS Sistema

Leia mais

Serviços e Projetos em Engenharia para todos os segmentos.

Serviços e Projetos em Engenharia para todos os segmentos. Apresentação da Empresa Sumário 02 Quem Somos 03 Urbanismo e Infraestrutura 04 Arquitetura e Paisagismo 05 Área de Estruturas 06 Proteção contra Incêndio 07 Área de Hidráulica 08 Instalações Elétricas

Leia mais

Capítulo 3 Propriedades Mecânicas dos Materiais

Capítulo 3 Propriedades Mecânicas dos Materiais Capítulo 3 Propriedades Mecânicas dos Materiais 3.1 O ensaio de tração e compressão A resistência de um material depende de sua capacidade de suportar uma carga sem deformação excessiva ou ruptura. Essa

Leia mais

LOCAL: RUA MANOEL JOSÉ PIRES, S.N. AMÉRICO BRASILIENSE S.P. PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE AMÉRICO BRASILIENSE S.P.

LOCAL: RUA MANOEL JOSÉ PIRES, S.N. AMÉRICO BRASILIENSE S.P. PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE AMÉRICO BRASILIENSE S.P. OBJETO: LAUDO TÉCNICO DE VISTORIA DAS CONDIÇÕES FÍSICAS DA ESTRUTURA DE COBERTURA DE ÁREA IDENTIFICADA COMO REFEITÓRIO DA C.E.R. LEILA L. D. T. PIZZA DURANTE LOCAL: RUA MANOEL JOSÉ PIRES, S.N. AMÉRICO

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

Relatório de Estágio Curricular. Rafael Menezes Albuquerque

Relatório de Estágio Curricular. Rafael Menezes Albuquerque Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica Relatório de Estágio Curricular Rafael Menezes Albuquerque São José dos Campos Novembro2005 Relatório de Estágio

Leia mais

Tutorial USERADM. Inserindo conteúdos no site

Tutorial USERADM. Inserindo conteúdos no site Tutorial USERADM Inserindo conteúdos no site Como acessar o Administrador de Conteúdos do site? 1. Primeiramente acesse o site de sua instituição, como exemplo vamos utilizar o site da Prefeitura de Aliança-TO,

Leia mais

plataforma elevatória até 4m modelos ac08 ac11 acionamento hidráulico

plataforma elevatória até 4m modelos ac08 ac11 acionamento hidráulico plataforma elevatória até 4m modelos ac08 ac11 acionamento hidráulico JUL/2011 Acionamento Hidráulico Atende às normas NBR 9050 e NBR15655-1 Movimentação por botão de pressionamento constante ou joystick

Leia mais

MEMBRANAS DE POLIURETANO DE ALTO DESEMPENHO SISTEMA A BASE DE POLIURETANO PARA LAJES C/ TRANSITO DE PEDESTRE E TRANSITO DE VEÍCULOS

MEMBRANAS DE POLIURETANO DE ALTO DESEMPENHO SISTEMA A BASE DE POLIURETANO PARA LAJES C/ TRANSITO DE PEDESTRE E TRANSITO DE VEÍCULOS MEMBRANAS DE POLIURETANO DE ALTO DESEMPENHO SISTEMA A BASE DE POLIURETANO PARA LAJES C/ TRANSITO DE PEDESTRE E TRANSITO DE VEÍCULOS Angelo Derolle Filho SISTEMA VULKEM PRINCIPAIS VANTAGENS Sistema Impermeável

Leia mais

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 221 ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE

Leia mais

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO RAMPA NAÚTICA DE ARAGARÇAS-GO O presente memorial descritivo tem por objetivo fixar normas específicas para CONSTRUÇÃO DE UMA RAMPA NAÚTICA - RIO ARAGUAIA, em área de 3.851,89

Leia mais

CONSTRUTORA A F CINTRA LTDA. Recuperação e Reforço de Estruturas Restauração de Fachadas - Impermeabilizações Pisos - Laudos Técnicos

CONSTRUTORA A F CINTRA LTDA. Recuperação e Reforço de Estruturas Restauração de Fachadas - Impermeabilizações Pisos - Laudos Técnicos Guarujá, 30 janeiro de 2014. Condomínio Edifício Tivoli Garden. Av. Atlântica, 490. Enseada Guarujá - SP. At.: Sr. Wanderley Síndico. Ref: Execução de serviços de construção de sacadas na fachada frontal,

Leia mais

2 Materiais e Métodos

2 Materiais e Métodos 1 ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DE VIGAS REFORÇADAS POR ACRÉSCIMO DE CONCRETO À FACE COMPRIMIDA EM FUNÇÃO DA TAXA DE ARMADURA LONGITUDINAL TRACIONADA PRÉ-EXISTENTE Elias Rodrigues LIAH; Andréa Prado Abreu REIS

Leia mais

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos Prof. Marco Pádua Se a superestrutura do edifício for definida por um conjunto de elementos estruturais formados por lajes, vigas e pilares caracterizando

Leia mais

Fundações Profundas:

Fundações Profundas: UNIVERSIDADE: Curso: Fundações Profundas: Tubulões Aluno: RA: Professor: Disciplina: Professor Douglas Constancio Fundações I Data: Americana, abril de 004. 1 Fundações Profundas: Tubulões A altura H (embutimento)

Leia mais

OBRAS DE TERRA MUROS DE ARRIMO OU DE CONTENÇÃO

OBRAS DE TERRA MUROS DE ARRIMO OU DE CONTENÇÃO OBRAS DE TERRA MUROS DE ARRIMO OU DE CONTENÇÃO CURSO: Engenharia Civil SÉRIE: 10º Semestre DISCIPLINA: Obras de Terra CARGA HORÁRIA SEMANAL: 02 aulas-hora CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 40 aulas-hora 1.DEFINIÇÕES

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

PROJETO INFORMÁTICA NA ESCOLA

PROJETO INFORMÁTICA NA ESCOLA EE Odilon Leite Ferraz PROJETO INFORMÁTICA NA ESCOLA AULA 1 APRESENTAÇÃO E INICIAÇÃO COM WINDOWS VISTA APRESENTAÇÃO E INICIAÇÃO COM WINDOWS VISTA Apresentação dos Estagiários Apresentação do Programa Acessa

Leia mais

EXERCÍCIOS DE ESTRUTURAS DE MADEIRA

EXERCÍCIOS DE ESTRUTURAS DE MADEIRA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ENGENHARIA CIVIL,ARQUITETURA E URBANISMO Departamento de Estruturas EXERCÍCIOS DE ESTRUTURAS DE MADEIRA RAFAEL SIGRIST PONTES MARTINS,BRUNO FAZENDEIRO DONADON

Leia mais

APOSTILA WORD BÁSICO

APOSTILA WORD BÁSICO APOSTILA WORD BÁSICO Apresentação O WORD é um editor de textos, que pertence ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de textos, cartas, memorandos, documentos, mala

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOWEB EM DRENAGEM DO CANAL DA VILA NATAL CUBATÃO SP

UTILIZAÇÃO DE GEOWEB EM DRENAGEM DO CANAL DA VILA NATAL CUBATÃO SP UTILIZAÇÃO DE GEOWEB EM DRENAGEM DO CANAL DA VILA NATAL CUBATÃO SP Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Pedro Henrique Piassa Distribuidor: Ramalho Comercial Ltda. SETEMBRO 1997

Leia mais

UNIP - Universidade Paulista Campus Brasília. ICET Instituto de Ciências e Tecnologia PROJETO DE FUNDAÇÕES POR ESTACA DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL

UNIP - Universidade Paulista Campus Brasília. ICET Instituto de Ciências e Tecnologia PROJETO DE FUNDAÇÕES POR ESTACA DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL UNIP - Universidade Paulista Campus Brasília ICET Instituto de Ciências e Tecnologia PROJETO DE FUNDAÇÕES POR ESTACA DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL PROJETO DE FUNDAÇÕES POR ESTACA DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO ARGOPAR PARTICIPAÇÔES LTDA FUNDAÇÕES ITABORAÍ SHOPPING ITABORAÍ - RJ ÍNDICE DE REVISÕES

RELATÓRIO TÉCNICO ARGOPAR PARTICIPAÇÔES LTDA FUNDAÇÕES ITABORAÍ SHOPPING ITABORAÍ - RJ ÍNDICE DE REVISÕES CLIENTE: FOLHA 1 de 17 PROGRAMA: FUNDAÇÕES AREA: ITABORAÍ SHOPPING ITABORAÍ - RJ RESP: SILIO LIMA CREA: 2146/D-RJ Nº GEOINFRA ÍNDICE DE REVISÕES REV DESCRIÇÃO E / OU FOLHAS ATINGIDAS Emissão inicial DATA

Leia mais

MANUAL DO BLOG. Blog IBS

MANUAL DO BLOG. Blog IBS MANUAL DO BLOG Blog IBS Seja bem vindo! O Blog é um website dinâmico, um espaço virtual que usa a internet para compartilhar informações. Por meio do blog você pode publicar textos, opiniões, notícias,

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ADVOGADO PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2007 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo. 24 abr.

Leia mais

Publisher. Publisher. versão 2012.2

Publisher. Publisher. versão 2012.2 versão 2012.2 Publisher Publisher Para diagramar, vamos utilizar o Publisher, do pacote de programas Microsoft Office. As instruções valem para as versões 2003, 2007 e 2010 do pacote. Vamos aprender através

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO OBJETO: Fechamento de quadra esportiva da Escola Municipal de Ensino Fundamental

Leia mais

Word e Excel. Marque Certo ou Errado

Word e Excel. Marque Certo ou Errado A figura acima mostra uma janela do Word 2002, com um texto em processo de edição. Nesse texto, a expressão União Européia é o único trecho formatado como negrito e a palavra continente está selecionada.

Leia mais

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Iniciando o Windows XP...2 Desligar o computador...3 Área de trabalho...3

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II TIPOS Água Fria Esgoto Águas Pluviais Água Quente Incêndio

Leia mais