ANALISTA EM CUL ANALIST TURA A EM CUL E DESPORTOS I

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANALISTA EM CUL ANALIST TURA A EM CUL E DESPORTOS I"

Transcrição

1

2 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo. 24 abr. 2007, p. E5. Ilustrada. QUESTÃO 01 Nos quadrinhos, pode-se interpretar da criação do 13º trabalho de Hércules que (A) o esforço físico do herói foi proporcional ao seu esforço intelectual. (B) o trabalho burocrático também requer um esforço de herói. (C) os heróis gregos despendiam mais energia que os trabalhadores atuais. (D) os gregos atribuíam ao trabalho burocrático um caráter divino. QUESTÃO 02 Na seqüência dos quadrinhos, o efeito de humor é construído com o auxílio da (A) metáfora. (B) ironia. (C) polissemia. (D) intertextualidade. Leia o texto para responder às questões de 03 a 07. Simplicidade é a norma Grande parte dos produtos de sucesso no setor de eletrônicos [...] compartilha uma característica: a facilidade de uso. Design e desempenho continuam a ser trunfos importantes para atrair o consumidor, mas o plug and play ou seja, o aparelho que entra em funcionamento assim que é ligado na tomada e se aperta o botão liga é um argumento de venda mais poderoso do que nunca. Muito mais que oferecer as tecnologias de ponta ou os aparelhos mais sofisticados, toda a indústria deve facilitar a vida de quem usa tais tecnologias, diz Flávio Gomes, diretor-geral da divisão de fotografia da K. para a América Latina. A área em que Gomes trabalha é um bom exemplo das virtudes da simplicidade. No século XIX, o francês Louis-Jacques Daguerre inventou um processo de fixação de imagens, o daguerreótipo, precursor da fotografia moderna. Mas ela só se popularizou meio século depois, quando o americano George Eastman criou um processo simples de tirar e revelar fotos, o rolo de filme, que prevaleceu até o surgimento da fotografia digital, há uma década. Hoje as máquinas digitais são cheias de recursos, mas as mais populares são as que simplificam a transferência das fotos para o computador e a impressão. Nem tudo é tão fácil no mundo digital prova disso é a variedade de formatos de arquivos de áudio e de vídeo, capaz de confundir o mais bem informado consumidor, mas cada vez mais eletrônicos lidam com esses padrões diferentes sem a necessidade de intervenção do usuário. VEJA, São Paulo: Abril, no. 52, nov. 2005, p. 50. Edição Especial. QUESTÃO 03 A aplicação da norma da simplicidade ao mundo da alta tecnologia é justificada pela (A) dificuldade de acesso das pessoas às novas tecnologias. (B) satisfação de necessidades imediatas dos consumidores. (C) alta popularidade alcançada pelas máquinas fotográficas digitais. (D) adaptação dos eletrônicos aos diferentes formatos de arquivos. QUESTÃO 04 Na organização do texto, a progressão das idéias se realiza segundo o esquema (A) geral / particular / geral. (B) facilidade / dificuldade. (C) causa / conseqüência. (D) exemplo / citação / conjectura. LÍNGUA PORTUGUESA

3 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 QUESTÃO 05 A fala de Flávio Gomes referenda os argumentos do autor do texto, pois (A) prevê uma nova realidade no mundo da tecnologia de ponta. (B) inibe a produção de aparelhos plug and play pela indústria tecnológica. (C) traduz a autoridade proveniente de sua atividade profissional. (D) pressupõe o lucro como o interesse principal da indústria. QUESTÃO 06 No texto, um contra-argumento à tendência do mundo tecnológico para a busca da simplicidade é: (A) O surgimento de máquinas digitais cheias de recursos. (B) A existência de vários formatos de arquivos de áudio e vídeo. (C) A invenção do rolo fotográfico pelo americano George Eastman. (D) O fato de design e desempenho serem grandes trunfos para vender produtos. QUESTÃO 07 Na constituição do nome plug and play observa-se uma estratégia metonímica, mostrada na relação de proximidade entre (A) o inventor do aparelho e o aparelho inventado. (B) o mundo tecnológico e os recursos digitais. (C) as ações do usuário e o modo de funcionamento do aparelho. (D) as funções do aparelho e a conquista do público consumidor. Leia o texto a seguir para responder às questões de 08 a 10. Conde Empreiteira de Mãos Obra Ltda Av: Santos Dumont telefax: Londrina - Pr. CGC/MF / Prezado Sr (a) Síndico (a) 1 Venho por esta vos comunicar-lhe que nossa empresa é especializada, em serviços de pinturas de edifícios, residências, salas comerciais, com finíssimo acabamento. 2 Nossos funcionários são todos profissionais treinados em suas funções, com seguro de vida, para oferecerlhes á nossos clientes, proficionalismo, segurança de quem tem 10 anos de tradição em pinturas. 3 Nos garantimos nossos serviços prestados aos nossos clientes por um período de 05 anos. 4 Responsabilizaremos pelas obrigações trabalhista e fiscais, de modo em que nosso pessoal que prestará os serviços de mão-de-obra, sob seu comando. 5 A responsabilidade civil, trabalhista e penas de danos pessoais, acidentes de trabalho, serão por conta de nossa empresa prestadora de serviços. 6 Faremos seu orçamento sem compromisso 7 Consulte-nos pelo fone (043) falar com Sr. Marcelino. Conde Empreiteira de Mão de Obra LTDA LOPES, H. V. et al. Língua portuguesa. São Paulo: Editora do Brasil, p QUESTÃO 08 No primeiro parágrafo, a redundância no uso pronominal tem por conseqüência (A) estabelecimento inadequado do interlocutor. (B) informações limitadas a respeito das especialidades da empresa. (C) incoerência entre os objetivos da carta e o conteúdo comunicado. (D) ocultação do referente sujeito na frase inicial. QUESTÃO 09 Os argumentos usados para convencer o síndico a aderir aos serviços da empreiteira (A) são recorrentes em gêneros textuais oficiais. (B) são apropriados aos fins a que a carta se destina. (C) prejudicam a composição da imagem da empresa. (D) desconsideram o tipo de cliente visado. QUESTÃO 10 No segundo parágrafo, entre os vários problemas de desvio das normas da escrita, pode-se apontar como prejudicial à conexão sintática: (A) A grafia errada da palavra profissionalismo. (B) A utilização imprópria da crase. (C) O tempo de experiência expresso em numeral. (D) O uso incorreto da vírgula. LÍNGUA PORTUGUESA

4 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 Para responder às questões 11 e 12, leia o texto que segue. Para mim brincar Nada mais gostoso do que mim sujeito de verbo no infinitivo. Pra mim brincar. As cariocas que não sabem gramática falam assim. Todos os brasileiros deviam falar como as cariocas que não sabem gramática. As palavras mais feias da língua portuguesa são quiçá, alhures e amiúde. BANDEIRA, M. Seleta em prosa e verso. 4. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, p. 19. QUESTÃO 11 Segundo o texto, a beleza das palavras está em pertencerem (A) à fala coloquial. (B) ao dialeto carioca. (C) às mulheres. (D) aos brasileiros. QUESTÃO 13 Segundo o texto, o que contraria as suposições da avó de Gilberto Freyre? (A) A máxima de que toda regra tem exceções. (B) A demora do menino em aprender a escrever. (C) A precocidade e a qualidade da formação do neto. (D) A morte da avó quando ele ainda era menino. QUESTÃO 14 Infradotado faz parte de um grupo semântico diferente da palavra (A) infrator. (B) infra-assinado. (C) infranasal. (D) infra-som. QUESTÃO 15 QUESTÃO 12 Qual regra da gramática normativa as pessoas contrariam quando dizem pra mim brincar? (A) Verbos no infinitivo não exigem sujeito. (B) Pronomes oblíquos exercem função de objeto. (C) Advérbios podem se comportar como preposição. (D) Pronomes átonos dispensam preposição. Leia o texto para responder as questões 13 e 14. A preocupação da avó de Freyre As avós, com as exceções de toda regra, torcem pelo sucesso dos netos. E se preocupam muito se eles têm alguma dificuldade. A avó paterna do sociólogo Gilberto Freyre ( ) morreu quando ele tinha nove anos, muito preocupada porque ele estava demorando a aprender a escrever. Supunha ela, até, que o neto fosse infradotado, quando depois da morte dela se constatou que, pelo contrário, ele era superdotado. Pois, aos 14 anos, o pernambucano Gilberto Freyre não apenas escrevia muito bem em seu idioma, como ensinava inglês, e, antes de fazer 18 anos, ensinaria também francês e sabia grego. Bacharelou-se em ciências e letras aos 16 anos, aos 18 anos foi estudar nos Estados Unidos, diplomando-se em sociologia na Universidade de Baylor, no Texas. Entre suas amizades da juventude, incluíam-se os poetas Willian Yeats e Rabindranath Tagore. O POPULAR, Goiânia, 5 mai p. 12. Política. Disponível em: Acesso em: 6 abr O cartum traz uma crítica à bioengenharia, pois questiona (A) a cientificidade dos métodos usados nas experiências com células humanas. (B) a aplicação dos recursos financeiros de incentivo às pesquisas em genética. (C) o uso de crianças como cobaias em experiências com células-tronco. (D) a interferência de suas descobertas no desenvolvimento natural da espécie humana. LÍNGUA PORTUGUESA

5 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001/2006 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÃO 16 Em relação à definição de arteterapia, é correto afirmar que é um campo de (A) interface com especificidade própria. (B) junção de conhecimentos de arte e psicologia. (C) recriação da estética formal. (D) vinculação do processo criativo a alguma escola artística específica. QUESTÃO 17 A característica principal da arteterapia é (A) a comunicação da cultura e a estética da arte. (B) a dotação ao cliente de habilidades artísticas específicas. (C) a educação de vida diária. (D) a compreensão e conscientização de realidades do inconsciente. QUESTÃO 18 A arteterapia tem como objetivo: (A) Desenvolver integralmente o indivíduo, interrelacionando a arte com outras disciplinas. (B) Reconstituir conflitos emocionais e desenvolver a criatividade. (C) Assegurar o conhecimento do outro e do produto final. (D) Emitir conteúdos críticos e avaliar a produção artística. QUESTÃO 19 Os referenciais teóricos da arteterapia apóiam-se em teorias e técnicas (A) políticas e religiosas. (B) sociais e pessoais. (C) escolhidas e acrescidas da criatividade profissional. (D) centradas na pessoa e na moral. QUESTÃO 20 O foco do arteterapeuta baseia-se (A) na construção da teoria apoiada na sua experiência. (B) em modelos teóricos centralizados nos sintomas ou na doença do usuário. (C) na rigidez teórica ou na técnica artística. (D) na observação desvinculada da intenção das imagens. QUESTÃO 21 O papel do arteterapeuta inclui (A) a transformação da pessoa. (B) a facilitação do processo terapêutico do usuário. (C) a desvinculação da pessoa com o significado da produção imagética. (D) a adoção de soluções prontas. QUESTÃO 22 A avaliação na arteterapia implica em (A) reduzir a produção artística numa interpretação estética. (B) racionalizar objetivamente a produção imagética. (C) interpretar as imagens desconsiderando a história de vida do usuário. (D) olhar para elementos emergentes da composição relacionados à história da pessoa. QUESTÃO 23 Na atuação profissional do arteterapeuta é importante (A) descuidar das imagens internas pessoais. (B) fortalecer a autonomia criativa de si mesmo e do usuário. (C) limitar os recursos disponíveis no espaço terapêutico. (D) valorizar a experiência pessoal em detrimento dos novos conhecimentos e de novas técnicas. QUESTÃO 24 No processo da arteterapia, a ênfase recai (A) no comportamento e na postura do usuário. (B) no produto final, ou seja, na linguagem da produção artística. (C) na transformação do processo usuário-trabalho artístico. (D) antes e depois do processo. QUESTÃO 25 O trabalho arteterapêutico composto pelo continuum das terapias expressivas (ETC) inclui os níveis: (A) Sensório-afetivo, perceptual-motor, simbólico-criativo e cognitivo (B) Perceptual-afetivo, sensório-simbólico, cognitivo-motor e criativo (C) Sensório-motor, perceptual-afetivo, cognitivo-simbólico e criativo (D) Criativo-afetivo, sensório-motor, perceptual-simbólico e cognitivo

6 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001/2006 QUESTÃO 26 Qual é o nível do continuum das terapias expressivas (ETC) que perpassa todos os níveis? (A) Perceptual (B) Cognitivo (C) Sensório (D) Criativo QUESTÃO 27 A materialidade permite o confronto e, gradualmente, a atribuição de significados às informações advindas de níveis mais (A) superficiais da psique, que serão apreendidas pela consciência da pessoa. (B) superficiais da psique, que serão apreendidas pelo inconsciente da pessoa. (C) profundos da psique, que serão apreendidas pela consciência da pessoa. (D) profundos da psique, que serão apreendidas pelo inconsciente da pessoa. QUESTÃO 28 A forma criativa e construtiva conduz a um maior controle da ação pela expressão, concretizada na afetividade, promovendo a evolução da comunicação (A) não-verbal para a verbal. (B) gestual para a não-verbal. (C) verbal para a não-verbal. (D) gestual para a corporal. QUESTÃO 29 Em arteterapia, pode-se trabalhar símbolos, arquétipos e o processo de individuação. Esta abordagem terapêutica é característica da (A) psicanálise. (B) gestaltterapia. (C) psicologia analítica. (D) antroposofia. QUESTÃO 30 Em arteterapia, pode-se enfatizar o insight, o fechamento, as características de figura-e-fundo e a fluidez de processos perceptivos. Esta abordagem terapêutica é característica da (A) psicanálise. (B) gestaltterapia. (C) psicologia analítica. (D) antroposofia. QUESTÃO 31 Entre as várias abordagens terapêuticas, a arteterapia segue algumas etapas em seu processo. Qual é a seqüência dessas etapas? (A) Sensibilização, acolhimento e compartilhamento do processo. (B) Compartilhamento do processo, acolhimento e modalidades expressivas. (C) Transposição de linguagens, sensibilização e desdobramento de modalidades expressivas. (D) Sensibilização, modalidades expressivas e compartilhamento do processo. QUESTÃO 32 As modalidades terapêuticas em arteterapia são variadas e contêm características principais definidas. Com base neste conhecimento, é correto afirmar: (A) No desenho, predomina a função de flexibilidade. (B) Na pintura, predomina a função multiplicadora. (C) Na gravura, predomina a função ordenadora. (D) Na construção, predomina a função estruturadora. QUESTÃO 33 A técnica de pintura possui três obstáculos principais da representação da matéria, que são: (A) Limite da superfície trabalhada, variações de tonalidades e cores (B) Variações de cores, linhas e elementos vazados (C) Variações de tonalidades, cores e linhas (D) Limite da superfície trabalhada, volume e elementos vazados QUESTÃO 34 Em arteterapia existem materiais expressivos que, com base na criatividade, podem ser materializados em outra forma, quando se introduz as dimensões caos, ordem, desordem e nova ordem. Qual é o material expressivo que caracteriza este processo? (A) Tinta (B) Sucata (C) Gesso (D) Lápis

7 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001/2006 QUESTÃO 35 No processo arteterapêutico trabalha-se com variedade de materiais e modalidades expressivas que têm características diversas. Tendo em vista essa variedade, quais materiais possuem as características de fácil manuseio, disponível ao controle pessoal, e transmitem segurança e sensação de estabilidade? (A) Giz de cera, guache e têmpera. (B) Argila, gesso, tinta a dedo e papéis. (C) Giz de cera, aquarela e argila. (D) Lápis de cor, giz de cera e caneta hidrográfica. QUESTÃO 36 Uma das vantagens prioritárias de se adotar a arteterapia para o tratamento individual é o fato de que ela (A) favorece a socialização. (B) estimula a possibilidade de consciência, reconhecimento e apreciação do outro. (C) estimula um enfoque mais profundo e reservado para a pessoa expor seus conteúdos internos. (D) valoriza novos paradigmas de inclusão humanizados. QUESTÃO 37 A atuação da arteterapia no contexto da reforma psiquiátrica objetiva (A) centrar as estratégias terapêuticas na reinserção social. (B) priorizar intervenções individuais. (C) atuar com foco na doença mental. (D) atrair e ocupar o portador de transtorno mental. QUESTÃO 38 A arteterapia aplicada no contexto escolar tem, como foco principal, (A) desenvolver o autoconhecimento e o crescimento psíquicos. (B) diminuir a dor e o desconforto físicos. (C) auxiliar no restabelecimento e na reintegração da pessoa à sociedade. (D) educar para o tempo livre. QUESTÃO 39 A arteterapia, no contexto hospitalar, tem como objetivo principal: (A) Auxiliar na aprendizagem significativa. (B) Promover a socialização, o ajustamento e a integração com o ambiente. (C) Trabalhar com conflitos de gerenciamento. (D) Transformar saberes e práticas em pressupostos teóricos. QUESTÃO 40 Com o auxílio da expressão artística e da criatividade, a pessoa participa do contínuo processo de crescimento no contexto (A) social. (B) político. (C) moral. (D) técnico. QUESTÃO 41 Na oficina criativa, busca-se explorar várias dimensões espaciais simultâneas, utilizando-se para tanto as linguagens da (A) dança e do teatro. (B) arte e do movimento. (C) música e da psicoterapia. (D) arte e da pintura. QUESTÃO 42 O processo arteterapêutico na abordagem junguiana consiste (A) na ativação inconsciente do arquétipo, numa elaboração e formalização da produção artística acabada. (B) em experiências que redimensionam atividades cotidianas. (C) na mobilização energética dos níveis sensorial, e- mocional e cognitivo de funcionamento humano, que emergem pela experiência presente. (D) na compreensão e no insight que se manifestam tanto do vivido quanto das reflexões sobre esse vivido. QUESTÃO 43 O processo de amplificação da arteterapia na psicologia analítica significa: (A) Aumentar a possibilidade de compreensão do significado de um símbolo. (B) Estimular o aquecimento e o envolvimento na atividade. (C) Compartilhar reflexões individuais ou grupais. (D) Ampliar o tamanho da produção imagética. QUESTÃO 44 Em arteterapia, o trajeto é marcado por símbolos particulares que (A) criam oportunidades de ações com base na institucionalização do usuário. (B) assinalam, informam e definem sobre os estágios da jornada de individuação de cada pessoa. (C) desenvolvem recursos físicos, cognitivos e emocionais. (D) proporcionam habilidades, por meio de experiências terapêuticas, com linguagens artísticas restritas.

8 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001/2006 QUESTÃO 45 Na psicologia analítica, os seres humanos têm quatro funções (tipos de conduta). Considerada principal, uma delas se apresenta mais desenvolvida e mais consciente do que as outras. A que permanece no inconsciente é a função inferior, enquanto as outras são consideradas auxiliares. Quando a função sensação é a principal, qual é a sua função inferior e as suas auxiliares? (A) A inferior é o pensamento, e as auxiliares são o sentimento e a intuição. (B) A inferior é o sentimento, e as auxiliares são a intuição e o pensamento. (C) A inferior é a intuição, e as auxiliares são o sentimento e o pensamento. (D) A inferior é o sentimento, e as auxiliares são a sensação e a intuição. QUESTÃO 46 As funções psíquicas, na psicologia analítica, podem ser correlacionadas com os quatro elementos básicos da natureza: ar, água, fogo e terra. Quais destes elementos estão relacionados com as funções psíquicas, respectivamente? (A) Sensação, sentimento, intuição e pensamento (B) Sentimento, intuição, sensação e pensamento (C) Intuição, pensamento, sensação e sentimento (D) Pensamento, sentimento, intuição e sensação QUESTÃO 49 A arteterapia aplicada à psiquiatria, na perspectiva da psicologia analítica, é uma técnica que (A) visa aumentar o poder hegemônico dominante. (B) transforma a expressão de conteúdos da consciência. (C) explora problemas e potencialidades coletivos, por meio da expressão verbal e pelo trabalho multidisciplinar. (D) facilita a expressão de conteúdos inconscientes conflituosos que invadem a consciência. QUESTÃO 50 Ao facilitar a expressão dos estados psíquicos das pessoas com transtorno mental, a arteterapia proporciona (A) a valorização da cronificação dos indivíduos. (B) a expressão de conteúdos de aprendizagem. (C) a comunicação entre consciente e inconsciente. (D) a manutenção dos núcleos bloqueados e das áreas adormecidas. RASCUNHO QUESTÃO 47 A função psíquica intuição está relacionada com (A) a adaptação do indivíduo à realidade objetiva. (B) o esclarecimento, o julgamento e a classificação do significado dos objetos. (C) a percepção inconsciente do possível curso de desenvolvimento do objeto. (D) a apreciação de valores, agradáveis ou desagradáveis. QUESTÃO 48 A função psíquica pensamento está relacionada com (A) a adaptação do indivíduo à realidade objetiva. (B) o esclarecimento, o julgamento e a classificação do significado dos objetos. (C) a apreciação de valores, agradáveis ou desagradáveis. (D) a percepção inconsciente do possível curso de desenvolvimento do objeto.

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ASSISTENTE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2007 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo.

Leia mais

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA PROJETO: ARTES NA EDUCAÇÃO ESPECIAL O CORPO E A MENTE EM AÇÃO LUCAS DO RIO VERDE 2009 APRESENTAÇÃO Em primeiro lugar é preciso compreender

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES CONSTRUÇÃO EDIFÍCIO PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São

Leia mais

ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de

Leia mais

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna:

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna: TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na

Leia mais

ANEXO I AÇÃO EDUCATIVA: CURSO CUIDANDO DO CUIDADOR

ANEXO I AÇÃO EDUCATIVA: CURSO CUIDANDO DO CUIDADOR ANEXO I AÇÃO EDUCATIVA: CURSO CUIDANDO DO CUIDADOR SUMÁRIO 1. identificação da atividade 02 2. Caracterização da atividade 02 3. Resumo das ações 04 4. Justificativa 04 5. Objetivos 05 6. Metodologia 05

Leia mais

ANALISTA EM CUL ANALIST TURA A EM CUL E DESPORTOS I

ANALISTA EM CUL ANALIST TURA A EM CUL E DESPORTOS I PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo. 24 abr. 2007,

Leia mais

OFICINA CRIATIVA é o trabalho de atendimento individual ou grupal, composto de certas etapas, no qual o sujeito expressa criativamente uma imagem

OFICINA CRIATIVA é o trabalho de atendimento individual ou grupal, composto de certas etapas, no qual o sujeito expressa criativamente uma imagem CURSO: PSICOPEDAGOGIA Universidade São Judas Tadeu Módulo: INTERVENÇÕES PSICOPEDAGÓGICAS Observação: Todos os textos foram elaborados pela professora Rosa Maria Carvalho da Silveira. Alguns desses textos

Leia mais

ARTETERAPIA na EDUCAÇÃO INCLUSIVA

ARTETERAPIA na EDUCAÇÃO INCLUSIVA GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO DIVISÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Responsável: Denize da Silva Souza ARTETERAPIA na EDUCAÇÃO INCLUSIVA Cristina Dias Allessandrini

Leia mais

Leya Leituras Projeto de Leitura

Leya Leituras Projeto de Leitura Leya Leituras Projeto de Leitura Nome do livro: JAPĨĨ E JAKÃMĨ Uma história de amizade Autor: Yaguarê Yamã Nacionalidade do autor: Brasileira Currículo do autor: Escritor, professor e artista plástico

Leia mais

PROGRAMA: GRAVIDEZ SAUDÁVEL, PARTO HUMANIZADO

PROGRAMA: GRAVIDEZ SAUDÁVEL, PARTO HUMANIZADO PROGRAMA: GRAVIDEZ SAUDÁVEL, PARTO HUMANIZADO BOM PROGRESSO- RS 2009 PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM PROGRESSO Administração: Armindo Heinle CNPJ. 94726353/0001-17 End. Av. Castelo Branco, n 658 Centro CEP:

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL PROPAGANDA

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL PROPAGANDA O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL PROPAGANDA Anilda Costa Alves Jamile Alves da Silva Leônidas José da Silva Jr Universidade Estadual da Paraíba anildauepb@gmail.com milygta10@hotmail.com

Leia mais

Cartilha da FIJ Os Jornalistas e o Direito Autoral

Cartilha da FIJ Os Jornalistas e o Direito Autoral Cartilha da FIJ Os Jornalistas e o Direito Autoral Esta é uma publicação que tem como tema o direito autoral dos jornalistas. Um tema intimamente ligado aos direitos dos cidadãos e da cidadania. Mas este

Leia mais

RESENHA resenha resumo resenha crítica Título: Identificação do resenhista: Referência: Dados sobre o(s) autor(es): Dados sobre a obra: Apreciação:

RESENHA resenha resumo resenha crítica Título: Identificação do resenhista: Referência: Dados sobre o(s) autor(es): Dados sobre a obra: Apreciação: RESENHA Resenha é a apreciação crítica sobre uma determinada obra (livro, artigo, texto, filme, etc.). Trata-se de um breve texto, semelhante a um resumo, que visa comentar um trabalho realizado. Será

Leia mais

História da Mídia Impressa na Educação

História da Mídia Impressa na Educação História da Mídia Impressa na Educação LUSTOSA, Elem Acadêmica do Curso de Pedagogia Iniciação Científica MACIEL, Margareth de Fátima Doutorado em Educação UNICENTRO - PARANÁ RESUMO Esse texto aborda a

Leia mais

Eugênio Cunha eugenio@eugeniocunha.com www.eugeniocunha.com

Eugênio Cunha eugenio@eugeniocunha.com www.eugeniocunha.com Autismo: um olhar pedagógico Eugênio Cunha eugenio@eugeniocunha.com www.eugeniocunha.com Algumas reflexões iniciais: Primeiramente, é importante dizer que não há respostas prontas para todas as questões

Leia mais

INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: O BINÔMIO COMPUTADOR E EDUCAÇÃO

INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: O BINÔMIO COMPUTADOR E EDUCAÇÃO INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: O BINÔMIO COMPUTADOR E EDUCAÇÃO por Wesley José Silva Setembro, 2004 A informática hoje vem sendo uma das soluções a ser implantada na didática de ensino aprendizagem, tendo como

Leia mais

Concurso Público para provimento de cargo efetivo de Docentes. Edital 13/2015 LETRAS/PEDAGOGIA/LIBRAS Campus São João del-rei

Concurso Público para provimento de cargo efetivo de Docentes. Edital 13/2015 LETRAS/PEDAGOGIA/LIBRAS Campus São João del-rei Questão 01 O reconhecimento oficial da Língua Brasileira de Sinais como meio legal de comunicação se deu a partir: a) da publicação da Lei n o 10.436, em 2002. b) da elaboração do Dicionário de Língua

Leia mais

Tratamento da dependência do uso de drogas

Tratamento da dependência do uso de drogas Tratamento da dependência do uso de drogas Daniela Bentes de Freitas 1 O consumo de substâncias psicoativas está relacionado a vários problemas sociais, de saúde e de segurança pública, sendo necessário

Leia mais

Texto 1: Trecho do artigo A importância da disciplina e da autonomia para alunos em cursos de EAD.

Texto 1: Trecho do artigo A importância da disciplina e da autonomia para alunos em cursos de EAD. Estes três textos têm como tema a Educação a Distância, leia-os atentamente. Texto 1: Trecho do artigo A importância da disciplina e da autonomia para alunos em cursos de EAD. Uma das formas mais utilizadas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA. Leia o texto para responder às questões de 03 a 07.

PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA. Leia o texto para responder às questões de 03 a 07. PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI, A. Folha de S. Paulo. São Paulo. 24 abr. 2007,

Leia mais

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE Martyhellen Maria Monteiro da Silva - Acadêmica do 8º período do Curso de Pedagogia-UVA, Bolsista do PIBID/UVA-Pedagogia

Leia mais

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO Profa. Drª. Ana Maria Maranhão 1 Resumo: A tecnologia da Informação e de modo específico o computador, oferece as diferentes

Leia mais

MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER

MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER Nilton Cezar Ferreira 1 Por mais de dois séculos já se faz reformas curriculares no Brasil, no entanto nenhuma dessas reformas conseguiu mudar de forma

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO

EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO Neste ciclo, o projeto é desenvolvido de forma integrada, a partir de um tema as áreas de conhecimento do currículo escolar devem contribuir com seus conteúdos e metodologias no

Leia mais

INFORMATIVO 2015 GRUPO

INFORMATIVO 2015 GRUPO INFORMATIVO 2015 GRUPO 5 Considerar a criança como sujeito é levar em conta, nas relações que com ela estabelecemos, que ela tem desejos, ideias, opiniões, capacidade de decidir, de criar, e de inventar,

Leia mais

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática.

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática. DESAFIOS DO ENSINO DA INFORMÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES RESUMO Jéssyca Edly Messias Ribeiro (IFRN) jeh_edly@hotmail.com Jefferson Hernane da Silva

Leia mais

MDI/EAD: olhando com olhos de águia... 1

MDI/EAD: olhando com olhos de águia... 1 MDI/EAD: olhando com olhos de águia... 1 Um dos fatores que mais influenciam a permanência do educando em uma iniciativa EAD é a qualidade dos materiais que lhe são postos à disposição: não podem apresentar

Leia mais

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE Unidade II ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL Profa. Ana Lucia M. Gasbarro A formação pessoal e social da criança, áreas de conhecimento e desenvolvimento da criança Introdução A importância

Leia mais

O ENSINO DO PRINCÍPIO DE BERNOULLI ATRAVÉS DA WEB: UM ESTUDO DE CASO

O ENSINO DO PRINCÍPIO DE BERNOULLI ATRAVÉS DA WEB: UM ESTUDO DE CASO O ENSINO DO PRINCÍPIO DE BERNOULLI ATRAVÉS DA WEB: UM ESTUDO DE CASO Rivanildo Ferreira de MOURA 1, Marcos Antônio BARROS 2 1 Aluno de Graduação em Licenciatura em Física, Universidade Estadual da Paraíba-UEPB,

Leia mais

EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1

EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1 EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1 Claudemir Monteiro Lima Secretária de Educação do Estado de São Paulo claudemirmonteiro@terra.com.br João

Leia mais

ENTREVISTA Alfabetização na inclusão

ENTREVISTA Alfabetização na inclusão ENTREVISTA Alfabetização na inclusão Entrevistadora:Amarílis Hernandes Santos Formação: Aluna da graduação de Pedagogia USP Formada em Ciências Biológicas Mackenzie Contato: amarilishernandes@yahoo.com.br

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: ANÁLISE DO PLANO DE AULA

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: ANÁLISE DO PLANO DE AULA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: ANÁLISE DO PLANO DE AULA Adriana Rosicléia Ferreira CASTRO Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte/ UERN - CAMEAM Pós-graduanda em Psicopedagogia

Leia mais

O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Luiz Carlos Chiofi Universidade Estadual de Londrina - PDE luizquinzi@seed.pr.gov.br Marta Regina Furlan

Leia mais

Módulo II - Teórico TEXTO 3: SURDEZ, FUNÇÕES COGNITIVAS E LIBRAS

Módulo II - Teórico TEXTO 3: SURDEZ, FUNÇÕES COGNITIVAS E LIBRAS 1 1 Módulo II - Teórico TEXTO 3: SURDEZ, FUNÇÕES COGNITIVAS E LIBRAS Rosimar Bortolini Poker A principal conseqüência da surdez refere-se aos prejuízos na comunicação natural dos sujeitos surdos que atingem

Leia mais

Tratamento do TCAP. Psicologia: como os processos mentais interferem na vida do sujeito. História individual, singularidade.

Tratamento do TCAP. Psicologia: como os processos mentais interferem na vida do sujeito. História individual, singularidade. Tratamento do TCAP Psicologia: como os processos mentais interferem na vida do sujeito História individual, singularidade Psicoterapia: Tratamento: multidisciplinar Equipe coesa Importância de entender

Leia mais

Plano Editorial Julho 2006

Plano Editorial Julho 2006 Plano Editorial Julho 2006 Missão Uma agência que noticia processos ocorridos no espaço público político (governo, Estado e cidadania), com foco nos interesses do cidadão brasileiro. Público-Alvo Cidadãos

Leia mais

O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO -AEE E O ALUNO COM SURDOCEGUEIRA E OU COM

O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO -AEE E O ALUNO COM SURDOCEGUEIRA E OU COM O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO -AEE E O ALUNO COM SURDOCEGUEIRA E OU COM DEFICIÊNCIA MÚLTPLA A pessoa com Surdocegueira O conceito de surdocegueira Surdocegueira é uma condição que apresenta outras

Leia mais

PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARQUITETÔNICO

PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARQUITETÔNICO PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARQUITETÔNICO PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº001 /2006 LÍNGUA PORTUGUESA Leia os quadrinhos para responder as questões 01 e 02. ITURRUSGARAI,

Leia mais

Centro Educacional Mundo do Saber. Turma: Jardim 1 A. Professora: Lucia Helena Schmoeller. Projeto: Turma dos Smurfs.

Centro Educacional Mundo do Saber. Turma: Jardim 1 A. Professora: Lucia Helena Schmoeller. Projeto: Turma dos Smurfs. Centro Educacional Mundo do Saber Turma: Jardim 1 A Professora: Lucia Helena Schmoeller Projeto: Turma dos Smurfs Justificativa Em uma vila em encantada moram duendes azuis que se chamam smurfs que completa

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2008

PROJETO DE LEI N o, DE 2008 PROJETO DE LEI N o, DE 2008 (Da Sra. Professora Raquel Teixeira) Dispõe sobre a regulamentação do exercício da atividade de Psicopedagogia. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º É livre, em todo o território

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Processo Seletivo 2013 CURSOS TÉCNICOS PRESENCIAIS 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. Processo Seletivo 2013 CURSOS TÉCNICOS PRESENCIAIS 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO Processo Seletivo 2013 CURSOS TÉCNICOS PRESENCIAIS 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO APOLÔNIO SALLES

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO APOLÔNIO SALLES NÍVEL: FUNDAMENTAL TURNO: MANHÃ GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO APOLÔNIO SALLES SUPLETIVO 2013 QUADRO DE PROVAS PORTUGUÊS PRÉDIO: SALA: NOME COMPLETO: RG: Nº DE INSCRIÇÃO:

Leia mais

Mostra de Projetos 2011

Mostra de Projetos 2011 Mostra de Projetos 2011 Fala cidadão: promovendo o direcionamento social, educacional e profissional do aluno da E.J.A, visando à transformação de sua realidade, na construção da cidadania Mostra Local

Leia mais

Considerando a necessidade de planejar e organizar o trabalho a ser desenvolvido por estes servidores no âmbito da Universidade Federal de Uberlândia;

Considerando a necessidade de planejar e organizar o trabalho a ser desenvolvido por estes servidores no âmbito da Universidade Federal de Uberlândia; DESPACHO DECISÓRIO Nº 001/2014/FACED/UFU Define diretrizes e orientações para organização do trabalho e atuação dos servidores técnico-administrativos no cargo de tradutor e intérprete de Linguagem de

Leia mais

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE Romero Bomfim dos Santos 1 ; Elida Roberta Soares de Santana²; Bruno Fernandes

Leia mais

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS 1 O Método do Caso e o Ensino em Administração O uso do Método do Caso nas escolas de administração no Brasil é relativamente recente, embora não haja

Leia mais

AUTOCONTROLE E EXPRESSIVIDADE EMOCIONAL: DESENVOLVENDO HABILIDADE DE SENTIR E EXPRESSAR-SE

AUTOCONTROLE E EXPRESSIVIDADE EMOCIONAL: DESENVOLVENDO HABILIDADE DE SENTIR E EXPRESSAR-SE AUTOCONTROLE E EXPRESSIVIDADE EMOCIONAL: DESENVOLVENDO HABILIDADE DE SENTIR E EXPRESSAR-SE ANDRADE 1, Fernando C. B. de; SANTOS 2, Carmen S. G. dos; VASCONCELOS 3, Maria Helena Venâncio; Centro de Educação/Departamento

Leia mais

PROJETO DE VIVÊNCIA 2016.1

PROJETO DE VIVÊNCIA 2016.1 FACULDADE PIO DÉCIMO LICENCIATURA EM QUÍMICA ENSINO DE QUÍMICA ÁREA 4 PROF a MARIA ANTÔNIA ARIMATÉIA FREITAS QUESTÃO 01 Com base na projeção da população brasileira para o período 2010-2040 apresentada

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Comunicação Visual CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR. Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h

Curso Técnico Integrado em Comunicação Visual CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR. Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h Curso Técnico Integrado em Comunicação Visual CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h Introdução à Comunicação Visual 40 horas Não tem Desenho I 40 horas Não

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores TDIC: FORMAR OU NÃO FORMAR PROFESSORES PARA SEU USO? Eugenio Maria De França Ramos, Adriel

Leia mais

A ILUSÃO NOS ADOECE E A REALIDADE NOS CURA. O ENIGMA DA DOENÇA E DA CURA

A ILUSÃO NOS ADOECE E A REALIDADE NOS CURA. O ENIGMA DA DOENÇA E DA CURA 1 A ILUSÃO NOS ADOECE E A REALIDADE NOS CURA. O ENIGMA DA DOENÇA E DA CURA José Fernando de Freitas RESUMO Os doentes têm uma relação especial com suas doenças. A mente diz que quer se curar, mas, na realidade,

Leia mais

INDISCIPLINA ESCOLAR E A RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO: UMA ANÁLISE SOB AS ÓTICAS MORAL E INSTITUCIONAL

INDISCIPLINA ESCOLAR E A RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO: UMA ANÁLISE SOB AS ÓTICAS MORAL E INSTITUCIONAL INDISCIPLINA ESCOLAR E A RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO: UMA ANÁLISE SOB AS ÓTICAS MORAL E INSTITUCIONAL ZANDONATO, Zilda Lopes - UNESP GT: Educação Fundamental/nº 13 Agência Financiadora: não contou com financiamento

Leia mais

Pré-Escola 4 e 5 anos

Pré-Escola 4 e 5 anos PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Secretaria Municipal da Educação e Cultura SMEC DIÁRIO DE CLASSE Educação Infantil Pré-Escola 4 e 5 anos DIÁRIO DE CLASSE ESCOLA: CRE: ATO DE CRIAÇÃO DIÁRIO OFICIAL / /

Leia mais

Unidade I. Estrutura e Organização. Infantil. Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro

Unidade I. Estrutura e Organização. Infantil. Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro Unidade I Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro Introdução A disciplina Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil tem o objetivo de provocar reflexões

Leia mais

Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área.

Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área. Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área. Autores: Ligia Claudia Gomes de Souza Universidade Salgado de Oliveira Faculdades Integradas Maria Thereza.

Leia mais

Jéssica Victória Viana Alves, Rospyerre Ailton Lima Oliveira, Berenilde Valéria de Oliveira Sousa, Maria de Fatima de Matos Maia

Jéssica Victória Viana Alves, Rospyerre Ailton Lima Oliveira, Berenilde Valéria de Oliveira Sousa, Maria de Fatima de Matos Maia PSICOMOTRICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL Jéssica Victória Viana Alves, Rospyerre Ailton Lima Oliveira, Berenilde Valéria de Oliveira Sousa, Maria de Fatima de Matos Maia INTRODUÇÃO A psicomotricidade está

Leia mais

A ESCOLA ITINERANTE DE INFORMÁTICA DA PREFEITURA DO RECIFE COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO DIGITAL LIMITES E POSSIBILIDADES

A ESCOLA ITINERANTE DE INFORMÁTICA DA PREFEITURA DO RECIFE COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO DIGITAL LIMITES E POSSIBILIDADES 1 A ESCOLA ITINERANTE DE INFORMÁTICA DA PREFEITURA DO RECIFE COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO DIGITAL LIMITES E POSSIBILIDADES Recife PE Maio 2009 Flávia Barbosa Ferreira de Santana Universidade Federal de

Leia mais

LETRA DE PROFESSOR: IMPLICAÇÕES EM AULAS DE MATEMÁTICA

LETRA DE PROFESSOR: IMPLICAÇÕES EM AULAS DE MATEMÁTICA LETRA DE PROFESSOR: IMPLICAÇÕES EM AULAS DE MATEMÁTICA Nilson de Matos Silva Fundação Helena Antipoff nilson.ise@gmail.com Resumo: Algumas universidades do mundo oferecem a disciplina de caligrafia em

Leia mais

Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia

Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia E.E. Frontino Guimarães Sala 5 2ª Sessão Professor(es) Apresentador(es): Meire Pereira de França Roseli Fernandes Euquério Lima Realização: Foco Desenvolvimento da

Leia mais

A EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO: VIVENDO E APRENDENDO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO: VIVENDO E APRENDENDO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL P á g i n a 123 A EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO: VIVENDO E APRENDENDO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Fábio de Melo BANDEIRA (Esp./UEG) (fabiobandeira@ueg.br) Ludimilla Ribeiro de ALMEIDA (UEG/G) (lu_dimilla22@hotmail.com)

Leia mais

7ª Semana de Licenciatura Educação Científica e Tecnológica: Formação, Pesquisa e Carreira De 08 a 11 de junho de 2010

7ª Semana de Licenciatura Educação Científica e Tecnológica: Formação, Pesquisa e Carreira De 08 a 11 de junho de 2010 7ª Semana de Licenciatura Educação Científica e Tecnológica: Formação, Pesquisa e Carreira De 08 a 11 de junho de 2010 A IMPORTÂNCIA DO BRINQUEDO NO PROCESSO EDUCATIVO DA CRIANÇA Eder Mariano Paiva Filho

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001 /2007

LÍNGUA PORTUGUESA PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001 /2007 LÍNGUA PORTUGUESA QUESTÃO 1 Leia o texto. QUESTÃO 02 A aplicação da norma da simplicidade ao mundo da alta tecnologia é justificada pela (A) dificuldade de acesso das pessoas às novas tecnologias. (B)

Leia mais

PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS ESPANHOL 2 Área: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Disciplina: Língua Espanhola carga horária: 60 horas

PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS ESPANHOL 2 Área: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Disciplina: Língua Espanhola carga horária: 60 horas MINISTERIO DA DEFESA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXERCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS ESPANHOL 2 Área: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Leia mais

Nossa Responsabilidade e Compromisso com a Gente Brasileira

Nossa Responsabilidade e Compromisso com a Gente Brasileira Notandum Libro 12 2009 CEMOrOC-Feusp / IJI-Universidade do Porto Nossa Responsabilidade e Compromisso com a Gente Brasileira Prof. Dr. Jair Militão da Silva Prof. Associado FEUSP - Aposentado Professor

Leia mais

CURRÍCULO 1º ANO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM

CURRÍCULO 1º ANO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM CURRÍCULO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM ORALIDADE Formar frases com seqüência e sentido. Relacionar palavras que iniciam com vogais. Associar primeira letra/som em palavras iniciadas por vogal. Falar

Leia mais

4 - Seu Curso. 4.1 - Informações Específicas sobre o Curso. 4.1.1 - Histórico. 4.1.3 - Objetivos Específicos

4 - Seu Curso. 4.1 - Informações Específicas sobre o Curso. 4.1.1 - Histórico. 4.1.3 - Objetivos Específicos 4 - Seu Curso 4.1 - Informações Específicas sobre o Curso 4.1.1 - Histórico A Universidade Federal de Uberlândia, num esforço coletivo liderado pela atual gestão vem trabalhando na excelência de ensino,

Leia mais

Aula 02 O ATO DE LER ATO DE LER

Aula 02 O ATO DE LER ATO DE LER Aula 02 O ATO DE LER Nesta aula trataremos sobre um assunto extremamente interessante: a leitura. Você já parou para pensar sobre as diversas formas de leitura que temos a oportunidade de fazer?? E de

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. Prática profissional de Serviço Social na APROAUT - Associação de Proteção aos Autistas

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. Prática profissional de Serviço Social na APROAUT - Associação de Proteção aos Autistas VIII Jornada de Estágio de Serviço Social Prática profissional de Serviço Social na APROAUT - Associação de Proteção aos Autistas PANZARINI, Nathanie Hariene 1 ABREU, Marcia Fidelis de 2 SOUZA, Cristiane

Leia mais

Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais

Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais Cristina Novikoff c_novikoff@yahoo.com.br UNIGRANRIO Natália Xavier Pereira nxpereira@hotmail.com UNIGRANRIO Resumo:O uso da tecnologia

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DE AUXILIAR TÉCNICO ADMINISTRATIVO OUTUBRO 2008 INSTRUÇÕES ESPECIAIS

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DE AUXILIAR TÉCNICO ADMINISTRATIVO OUTUBRO 2008 INSTRUÇÕES ESPECIAIS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DE AUXILIAR TÉCNICO ADMINISTRATIVO OUTUBRO 2008 INSTRUÇÕES ESPECIAIS Em atendimento à solicitação da Coordenação da Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde SMS, a Associação

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL 1 º PERÍODO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL 1 º PERÍODO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL 1 º PERÍODO 1) História da Terapia Ocupacional (30 hs) EMENTA: Marcos históricos que antecederam o surgimento formal da profissão de

Leia mais

Educação Acessível para Todos

Educação Acessível para Todos Educação Acessível para Todos Instituto Paradigma A inclusão das crianças com deficiência nas escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental não constitui um debate diferente da inclusão social de todos

Leia mais

1. INTRODUÇÃO. e Alexsandro da Silva. 1 Andréa Carla Agnes e Silva é dinamizadora do Programa "Escola Aberta", sob orientação de Telma Ferraz Leal

1. INTRODUÇÃO. e Alexsandro da Silva. 1 Andréa Carla Agnes e Silva é dinamizadora do Programa Escola Aberta, sob orientação de Telma Ferraz Leal TÍTULO: OFICINA DE LEITURA: UMA PROPOSTA DINÂMICA PARA FORMAÇÃO DE LEITORES AUTORA: Andréa Carla Agnes e Silva 1 INSTITUIÇÃO: Universidade Federal de Pernambuco Escola Aberta ÁREA TEMÁTICA: Educação 1.

Leia mais

Inclusão Social da Pessoa com Deficiência Intelectual:

Inclusão Social da Pessoa com Deficiência Intelectual: Inclusão Social da Pessoa com Deficiência Intelectual: Educação Especial no Espaço da Escola Especial Trabalho, Emprego e Renda Autogestão, Autodefesa e Família APAE : INTEGRALIDADE DAS AÇÕES NO CICLO

Leia mais

EXPRESSÃO CORPORAL: UMA REFLEXÃO PEDAGÓGICA

EXPRESSÃO CORPORAL: UMA REFLEXÃO PEDAGÓGICA EXPRESSÃO CORPORAL: UMA REFLEXÃO PEDAGÓGICA Rogério Santos Grisante 1 ; Ozilia Geraldini Burgo 2 RESUMO: A prática da expressão corporal na disciplina de Artes Visuais no Ensino Fundamental II pode servir

Leia mais

A Ciência e a Arte de Ser Dirigente. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua

A Ciência e a Arte de Ser Dirigente. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua A Ciência e a Arte de Ser Dirigente Autor: Ader Fernando Alves de Pádua 1 INTRODUÇÃO Este tema traz a tona uma grande questão que vamos tentar responder nestas poucas paginas, ser um dirigente requer grande

Leia mais

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA - APRESENTAÇÃO 1- COMO SURGIU A IDÉIA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 2- O QUE SIGNIFICA INCLUSÃO ESCOLAR? 3- QUAIS AS LEIS QUE GARANTEM A EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 4- O QUE É UMA ESCOLA

Leia mais

ANO 20 / Nº 60 / abril DE 2014

ANO 20 / Nº 60 / abril DE 2014 1 ANO 20 / Nº 60 / abril DE 2014 Manhã da família amplia o convívio e compartilha o trabalho desenvolvido com as diferentes linguagens o projeto educativo do andrews Um dos principais valores e garantias

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE POS GRADUAÇÃO LATO SENSU. Ano: 2014/2015

PROJETO PEDAGÓGICO DE POS GRADUAÇÃO LATO SENSU. Ano: 2014/2015 PROJETO PEDAGÓGICO DE POS GRADUAÇÃO LATO SENSU Ano: 2014/2015 1 - JUSTIFICATIVA A hospitalização pode ser experienciada como um dos momentos mais delicados e difíceis do processo do adoecer. Isso porque

Leia mais

ESTÁGIO EM PSICOLOGIA EM PROCESSOS SOCIAIS: CRIANDO E RECRIANDO O PROCESSO DE AUTONOMIA DOS SUJEITOS NO CAPS AD. 1

ESTÁGIO EM PSICOLOGIA EM PROCESSOS SOCIAIS: CRIANDO E RECRIANDO O PROCESSO DE AUTONOMIA DOS SUJEITOS NO CAPS AD. 1 ESTÁGIO EM PSICOLOGIA EM PROCESSOS SOCIAIS: CRIANDO E RECRIANDO O PROCESSO DE AUTONOMIA DOS SUJEITOS NO CAPS AD. 1 Kenia S. Freire 2, Sabrina Corrêa Da Silva 3, Jaqueline Oliveira 4, Carolina B. Gross

Leia mais

AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE ARTE

AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE ARTE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE ARTE Juliana Stedille 1 Richelly de Macedo Ramos 2 Edi Jussara Candido Lorensatti 3 Resumo Este artigo busca verificar quais os procedimentos adotados por professores da disciplina

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Helton Andrade Canhamaque/UFES heltongeoufes@hotmail.com Júlio de Souza Santos/UFES juliogeoufes@hotmail.com INTRODUÇÃO O trabalho em questão

Leia mais

ARTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL

ARTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL ARTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL Ione Rossi Ribeiro Professora de Artes da APAE de Tupaciguara, graduada em Artes Plásticas pela Universidade Federal de Uberlândia e pós-graduada em Educação Especial pelas Faculdades

Leia mais

ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Palavras chave: Software Educativo; Construção do Conhecimento; Aprendizagem.

ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Palavras chave: Software Educativo; Construção do Conhecimento; Aprendizagem. ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Débora Janaína Ribeiro e Silva Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba debora_jr10@yahoo.com.br Resumo Este trabalho teve como

Leia mais

FAQ PROGRAMA BILÍNGUE

FAQ PROGRAMA BILÍNGUE FAQ PROGRAMA BILÍNGUE 1) O que é o bilinguismo? Segundo alguns teóricos, o bilinguismo é qualquer sistema de educação escolar no qual, em dado momento e período, simultânea ou consecutivamente, a instrução

Leia mais

Desmistificando o Programa de Computador

Desmistificando o Programa de Computador Desmistificando o Programa de Computador Hoje vou explicar, da maneira mais simples possível, como funciona um programa de computador. Na sua essência um programa de computador nada mais é que uma coletânea

Leia mais

Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003. Rio de Janeiro, 28 de maio de 2008.

Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003. Rio de Janeiro, 28 de maio de 2008. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Departamento de Artes & Design Curso de especialização O Lugar do Design na Leitura Disciplina: Estratégia RPG Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003

Leia mais

Palavras-chave: Informática na Educação, Computador na Escola, Blogs

Palavras-chave: Informática na Educação, Computador na Escola, Blogs O USO DO BLOG NO PROCESSO EDUCACIONAL: RELATO DE EXPERIÊNCIA DA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL PROFESSORA CÂNDIDA ZASSO DE NOVA PALMA. Franciele Liliane Vendruscolo 1 Kássia Quadros Ferreira 2

Leia mais

O DESENHO COMO EXPRESSÃO DA SUBJETIVIDADE EM CRIANÇAS HOSPITALIZADAS: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

O DESENHO COMO EXPRESSÃO DA SUBJETIVIDADE EM CRIANÇAS HOSPITALIZADAS: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA O DESENHO COMO EXPRESSÃO DA SUBJETIVIDADE EM CRIANÇAS HOSPITALIZADAS: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Trabalho de curso 2014 Herminia Dias de Freitas Lahana Giacomini de Vasconcellos Luciana Stefano Acadêmica

Leia mais

A NECESSIDADE DA PESQUISA DO DOCENTE PARA UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA INCLUSIVA, PRINCIPALMENTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL E NO TRABALHO COM AUTISTAS

A NECESSIDADE DA PESQUISA DO DOCENTE PARA UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA INCLUSIVA, PRINCIPALMENTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL E NO TRABALHO COM AUTISTAS XXII Semana de Educação da Universidade Estadual do Ceará 31 de agosto a 04 de setembro de 2015 A NECESSIDADE DA PESQUISA DO DOCENTE PARA UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA INCLUSIVA, PRINCIPALMENTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL

Leia mais

OS JOGOS DIGITAIS EDUCATIVOS NAS AULAS DE CIÊNCIAS

OS JOGOS DIGITAIS EDUCATIVOS NAS AULAS DE CIÊNCIAS OS JOGOS DIGITAIS EDUCATIVOS NAS AULAS DE CIÊNCIAS SAYONARA RAMOS MARCELINO FERREIRA QUIRINO (UEPB) WILAVIA FERREIRA ALVES (UEPB) RAFAELA CORREIA DOS SANTOS (UEPB) PAULA ALMEIDA DE CASTRO (ORIENTADORA

Leia mais

Prof.ª Lísia Regina Ferreira Michels Dra em Psicologia da Educação (PUC- SP) Docente da UNIVALI

Prof.ª Lísia Regina Ferreira Michels Dra em Psicologia da Educação (PUC- SP) Docente da UNIVALI Repensando a educação inclusiva Prof.ª Lísia Regina Ferreira Michels Dra em Psicologia da Educação (PUC- SP) Docente da UNIVALI Percurso histórico: da segregação à inclusão As raízes históricas e culturais

Leia mais

INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO

INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO EM SEGURANÇA DO TRABALHO IMPORTÂNCIA INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO Quando do início de um empreendimento, de um negócio ou qualquer atividade; As expectativas e desejos de início são grandes:

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA E INTERDISCIPLINARIDADE NA CORREÇÃO DE FLUXO EM ITAJAÍ/SC

MODELAGEM MATEMÁTICA E INTERDISCIPLINARIDADE NA CORREÇÃO DE FLUXO EM ITAJAÍ/SC ISSN 2316-7785 MODELAGEM MATEMÁTICA E INTERDISCIPLINARIDADE NA CORREÇÃO DE FLUXO EM ITAJAÍ/SC Rafael Borini Martins Costa Borini Instituto Federal Catarinense - Campus Camboriú rborini@hotmail.com Resumo

Leia mais

RESOLUÇÃO CEB Nº 3, DE 26 DE JUNHO DE 1998

RESOLUÇÃO CEB Nº 3, DE 26 DE JUNHO DE 1998 RESOLUÇÃO CEB Nº 3, DE 26 DE JUNHO DE 1998 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio O Presidente da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação, de conformidade

Leia mais

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Douglas Vaz, Suelen Silva de Andrade Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {doug.vaz,

Leia mais

Dispõe sobre o atendimento educacional especializado aos alunos identificados com altas habilidades ou superdotados no âmbito do Município de Manaus.

Dispõe sobre o atendimento educacional especializado aos alunos identificados com altas habilidades ou superdotados no âmbito do Município de Manaus. PROJETO DE LEI N º 280/2013 ESTADO DO AMAZONAS Dispõe sobre o atendimento educacional especializado aos alunos identificados com altas habilidades ou superdotados no âmbito do Município de Manaus. Art.

Leia mais

Técnicas de ensino e domínios de aprendizagem

Técnicas de ensino e domínios de aprendizagem Técnicas de ensino e domínios de aprendizagem Realizado por Janeiro de 2009 De acordo com Bloom a aprendizagem ocorre em três domínios: cognitivo psicomotor (habilidades) afetivo (atitudes ) Domínio cognitivo

Leia mais