A Tecnologia da Informação e a saúde em Campinas.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Tecnologia da Informação e a saúde em Campinas."

Transcrição

1 A Tecnologia da Informação e a saúde em Campinas. BENATO, L. Informática dos Municípios Associados (IMA) Resumo Campinas-SP conta com mais de 1 milhão de usuários do SUS, incluindo os munícipes de Campinas e de toda Região Metropolitana de Campinas. Diante deste cenário, a IMA colabora na implantação e desenvolvimento de soluções tecnológicas que apóiam a gestão e a administração da rede de saúde do município. Este artigo mostrará um pouco de cada um dos três serviços de TI que a IMA presta para a Secretaria de Saúde do Município de Campinas-SP, sendo elas, a implantação do SIGA-Saúde, em andamento, a implantação de um serviço de atendimento telefônico para marcação de consultas, confirmação de consultas e obtenção de informações e a implantação do sistema DIM Dispensação Individualizada de Medicamentos. 1.Introdução No cenário mundial e no Brasil as políticas e estratégias setoriais de comunicação e informação encontram-se no eixo central das possibilidades de geração de novos processos, produtos e de mudanças nos modelos institucionais de gestão. O sistema de informação no Brasil mostra que apesar de um relativo esforço em coletar dados, organizar e divulgar as informações em saúde existe a necessidade de avançar, tanto na integração dos sistemas de informação, quanto no uso da informação. Para tanto, se faz necessário desenvolver estratégias para uso da informação nos processos de formulação, acompanhamento e avaliação das políticas de saúde, o que significa produzir informação para efetivação das diretrizes do SUS. O SUS em Campinas consiste num conjunto de responsabilidades com a saúde, uma complexa rede de serviços e instâncias de gestão e controle social. Surge com a Constituição de 1988, e é regulamentada pela Lei 8.080/90 e outras que definem princípios e diretrizes que devem norteá-lo e recursos para a sua viabilização. O município de Campinas é gestor pleno do sistema de saúde, sendo a rede municipal composta por unidades de saúde próprias, conveniadas e contratadas. Segundo dados IBGE 2007 o município de Campinas possui habitantes, com área total de 796,4 Km². A complexidade do sistema de saúde em Campinas levou à distritalização no ano de 2000, que é o processo progressivo de descentralização do planejamento e gestão da saúde para áreas com cerca de habitantes.

2 Atualmente, existem 05 Distritos de Saúde em Campinas: Norte, Nordeste, Sudoeste, Sul e Leste (figura 1). A rede própria de saúde do município é composta de diferentes tipos de unidades de saúde: 61 Unidades de saúde da família 03 Serviço de Assistência Domiciliar e 16 Centro de Referência 08 Hospitais, 04 Unidades PA e 01 SAMU 01 Centro de controle de zoonoses; 01 Centro de lactação e 01 Laboratório de patologia clínica; 03 Policlínicas com 28 especialidades médicas. Distribuição geográfica dos Distritos de Saúde. Campinas-SP. 2. DIM Dispensação Individualizada de Medicamento A Informática dos Municípios Associados (IMA) em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Campinas desenvolveu um sistema de Dispensação Individualizada de Medicamento (DIM). O sistema foi implantado com o objetivo de gerenciar a dispensação de medicamentos do município. O sistema foi desenvolvido baseado em arquitetura WEB, que utiliza tecnologia ADSL e Frame Relay para o acesso ao sistema pelas Unidades de Saúde, em diferentes regiões do município. Como estratégia de implantação, constituiu-se uma equipe de profissionais da saúde (multiplicadores), que definiu o cronograma de implantação, sensibilizou a equipe de saúde e o conselho local de cada unidade e assegurou que os prérequisitos necessários (conectividade de internet, equipamentos, recurso humano capacitado) fossem garantidos. Percebe-se que os impactos do DIM são positivos, na medida em que proporcionou uma qualificação no gerenciamento da Assistência Farmacêutica do município. Hoje é possível conhecer e identificar o estoque de cada unidade em tempo real, o número receitas dispensadas e avaliar os dados de utilização de medicamentos no município e prover aos gestores : Informações em tempo real, sobre as dispensações realizadas no município e o estoque de medicamentos no município; Um controle descentralizado de dispensações; Rastreabilidade dos medicamentos dispensados;

3 Permitir o remanejamento de medicamentos entre as unidades de saúde, quando necessário; Gerenciamento estratégico da Assistência Farmacêutica em qualquer ponto do município. O DIM foi baseado numa arquitetura WEB que oferece valor aos seus clientes com uma relação custo benefício atraente, pois utilizam a pilha LAMP (Linux, Apache, MYSQL e PHP). A solução consiste num aplicativo que está hospedado num servidor Linux, localizado na IMA e através da tecnologia (ADSL e Frame Relay), o Dim é acessado pelas Unidades de Saúde. A informatização da farmácia, nas unidades de saúde, permitiu ao Município de Campinas conhecer e quantificar os pacientes que retiram medicamentos na rede pública, garantir aos pacientes um atendimento qualificado no acesso a medicamentos distribuídos, melhorando dessa maneira a qualidade de atenção prestada à saúde da população. Alguns benefícios merecem ser destacados: Para o Município Identificação real da população atendida; Identificação on-line do estoque de medicamentos das unidades; Confiabilidade do perfil de consumo de medicamentos no município; Melhor gerenciamento da Assistência Farmacêutica; Controle do sistema de aproximadamente medicamentos dispensados/mês; Controle efetivo do estoque de medicamentos; Geração Automática do Livro de medicamentos sob controle especial. Para o cidadão Garantir ao cidadão atendimento universal e qualificado no acesso aos medicamentos distribuídos pelo Sistema Único de Saúde; Registro do histórico de atendimento do paciente, assegurando a rastreabilidade do medicamento dispensado (registro de lote e validade); Flexibilidade para retirada de medicamento em qualquer unidade de saúde; 3. SIGA-Saúde O SIGA-Saúde, Sistema Integrado de Informação em Saúde tem o seu desenvolvimento patrocinado pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, e está em constante evolução. A Secretaria de Saúde de Campinas obteve da Secretaria de Saúde de São Paulo a cessão de uso do código fonte de uma das versões do SIGA-Saúde e a IMA realizou, em parceria com uma empresa especializada, a instalação da aplicação, a migração de dados já existentes de outros sistemas da SMS-Campinas para o SIGA-Saúde, o treinamento dos usuários finais e continua a realizar gradualmente a implantação das funcionalidades do SIGA-Saúde na Secretaria de Saúde de Campinas. Durante a implantação das funcionalidades, o SIGA-Saúde foi integrado ao Sistema DIM Dispensação Individualizada de Medicamentos, e com isso a dispensação de medicamentos pode ser realizada diretamente no SIGA-Saúde.

4 Foram definidos Modelos Dimensionais para consultas de dados do SIGA-Saúde através de um sistema de BI (business intelligence). O sistema de BI que está em utilização é Pentaho. Esse projeto tem como objetivo proporcionar a SMS Campinas os seguintes benefícios: Ferramenta única de cadastramento de usuários (pacientes) e gerenciamento das famílias, totalmente integrada com os padrões do Cartão Nacional de Saúde; Agenda Local nos estabelecimentos de atenção básica, organizando as agendas e filas de espera nestes locais; Controle do processo de Autorização de Procedimentos de Alto Custo (APAC), otimizando tempo e custo neste processo; Central de Regulação para Marcação de Consultas e Exames Especializados, possibilitando o exercício da referência e contra-referência na rede municipal e, dessa foram, Diminuição da Movimentação do Paciente; Relatórios e indicadores fornecendo mapa da situação da rede de assistência, capacidade operacional e sua demanda, dessa forma, maior gestão da saúde do município; Consulta on-line do Histórico de Atendimentos dos Pacientes; Integração com o Sistema de Gestão de Materiais e Medicamentos (DIM), fechando o ciclo de atendimento e controle de estoque e distribuição de medicamentos a pacientes, gerando economia nos gastos com medicamentos; Possibilidade de expansão do projeto através do conhecimento adquirido pela IMA durante a transferência de tecnologia que será realizada ao longo do projeto; O projeto continua em implantação, pois ainda existem necessidades de infraestrutura e recursos humanos nos centros de saúde que impedem a utilização de todas as funcionalidades disponíveis no sistema. Atualmente temos mais de 1 milhão de usuários cadastrados, sendo munícipes da cidade de Campinas e de outras cidades próximas. Aproximadamente 50 % dos médicos estão com suas agendas no SIGA e aproximadamente 70% das unidades de saúde possuem sua agenda local gerida pelo sistema. 4. Disque Saúde O serviço Disque Saúde é um serviço que foi disponibilizado em agosto de 2009 com a finalidade de Prestar atendimento telefônico ao cidadão, com informações gerais sobre saúde e sobre os inúmeros serviços oferecidos pelo SUS no município de Campinas ; Realizar agendamentos por telefone de consultas e procedimentos nos postos de saúde, para pacientes cadastrados Cartão SUS Confirmar consultas com usuários previamente agendadas para as especialidades e procedimentos que não são atendidas nos postos de saúde (atendimento das Policlínicas). Em caso de desistência, a vaga retorna para a unidade agendar outro paciente.

5 A estrutura de atendimento telefônico gerenciada pela IMA possui 15 postos de atendimentos, funcionando diariamente de segunda a sexta-feira das 7h às 19h. Para a realização dos trabalhos, a IMA conta com o apoio técnico-operacional com 2 enfermeiras e um médico. O agendamento de consultas da atenção básica é feita através do SIGA-Saúde, e as confirmações de consultas das especialidades é feita consultando o SOL/APOENA. As informações fornecidas ao cidadão são retiradas dos sites da SMS Campinas, portais de saúde da Secretaria Estadual de Saúde e Ministério da Saúde e de toda a estrutura da Secretaria de Saúde. Atualmente 70% das unidades estão sendo atendidas pelo 160, ofertando consultas em ginecologia, pediatria, eletrocardiograma, acuidade visual, coleta de citologia oncótica e atividades de enfermagem. A média mensal de chamadas recebidas (receptivo) dos cidadãos de janeiro a fevereiro de 2010 é de aproximadamente 4000 ligações / mês e os agendamentos efetuados chegam a 2000/mês. Na confirmação das consultas das especialidades, foram elencadas oito especialidades com uma grande demanda reprimida, e são realizadas em média 4600 ligações aos cidadãos para contato e confirmação de presença na consulta. Das consultas que são confirmadas tem-se de 90 a 95% de presença nos ambulatórios de especialidades, gerando assim uma redução da falta (no show) de 25% para 10%, das pessoas contatadas. 4. Discussão e Conclusão Os três serviços citados neste artigo têm como foco a melhoria da gestão da saúde no município de campinas e a melhora da qualidade no atendimento ao cidadão. A IMA ao realizar o desenvolvimento do DIM e a sua implantação iniciou um trabalho de prestação de serviços de tecnologia da informação para a Secretaria de Saúde mais significativo, gerando informações de apoio à gestão da saúde municipal em relação aos estoques de medicamentos e sua utilização pelos cidadãos. A implantação do SIGA-Saúde, ainda em andamento, dá para a Secretaria de Saúde uma visão da produção da rede municipal de saúde e aumenta o número de informações gerenciais para a gestão da saúde municipal, além de dar aos gestores informações para otimização da gestão dos recursos da secretaria. O Disque Saúde atende o cidadão, reduz as filas nos centros de saúde e centraliza a gestão das agendas dos centros de saúde. A IMA tem o intuito de dar continuidade e sempre auxiliar a Secretaria Municipal de Saúde de Campinas em dar o apoio tecnológico necessário para o aumento da qualidade dos serviços prestados ao cidadão de Campinas e de todas as suas cidades periféricas. 6.Referências 1. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Área de Informação e Informática em Saúde. Proposta e diretrizes do Ministério da Saúde para os eixos temáticos da 12ª Conferência de Saúde Sérgio Arouca. 2003a. Acessado em 25/10/2003 e disponível no site

6 2. MATTOS, M. M; BERTONHA, M. E. A. M.; COSTA, K. S. ; GAGLIARDI, S. P. L; SILVA, A. P. L.; LAUFRANCH, A. R.;OJIMA, N. S. M.; PERCHE, M. E. - Impactos iniciais da implantação do Sistema de Dispensação Individualizada de Medicamentos D.I.M. em Campinas/SP.

TI e a Saúde em Campinas

TI e a Saúde em Campinas Informática de Municípios Associados S/A TI e a Saúde em Campinas Luciano Benato Junho de 2010 Agenda Apresentação IMA Informática de Municípios Associados S/A DIM SIGA Disque-Saúde Informática de Municípios

Leia mais

AME. Levando mais saúde para o cidadão. Junho 2009. PROCERGS - Centro de Soluções em Governo Eletrônico. Prêmio CONIP de Excelência

AME. Levando mais saúde para o cidadão. Junho 2009. PROCERGS - Centro de Soluções em Governo Eletrônico. Prêmio CONIP de Excelência PROCERGS - Centro de Soluções em Governo Eletrônico AME Levando mais saúde para o cidadão Prêmio CONIP de Excelência Categoria: Administração Pública Eficiente e Eficaz - Aplicações Voltadas para o Cidadão

Leia mais

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação. Sistemas de Informação no SUS Informação para Gestão

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação. Sistemas de Informação no SUS Informação para Gestão Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação Sistemas de Informação no SUS Informação para Gestão Contato Cláudio Giulliano Alves da Costa, MD, MSc. Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo Assessoria

Leia mais

MÓDULO 1 Conhecendo o HÓRUS

MÓDULO 1 Conhecendo o HÓRUS MÓDULO 1 Conhecendo o HÓRUS Bem-vindo(a) ao primeiro módulo do curso! A partir de agora você conhecerá as principais características do sistema HÓRUS. Para iniciar, você saberia dizer por que este sistema

Leia mais

NOTA TÉCNICA 33 2012

NOTA TÉCNICA 33 2012 NOTA TÉCNICA 33 2012 Proposta de regulamentação da base nacional de dados das ações e serviços do Componente Básico da Assistência Farmacêutica no SUS Assembleia do CONASS de 17 outubro de 2012 Brasília,

Leia mais

ATTI - ASSESSORIA TÉCNICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

ATTI - ASSESSORIA TÉCNICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ATTI - ASSESSORIA TÉCNICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A Secretaria Municipal da Saúde, visando a modernização da gestão, investiu na implantação de um Sistema Integrado de Gestão da Assistência à Saúde,

Leia mais

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Smartcity Business América 2015 Curitiba PR Brazil Maio de 2015 Sociedades Inteligentes e Governaça Airton Coelho, MsC, PMP Secretário de Ciência e

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

Sistema Integrado de Saúde

Sistema Integrado de Saúde Sistema Integrado de Saúde Além de gerar automaticamente todas as informações obrigatórias para o SUS, o sistema permite a identificação de cada pessoa dentro da sua família, com seu histórico de saúde,

Leia mais

Msc. Luiz Henrique Costa Coordenador Geral de Assistência Farmacêutica e Medicamentos Estratégicos/SCTIE/MS

Msc. Luiz Henrique Costa Coordenador Geral de Assistência Farmacêutica e Medicamentos Estratégicos/SCTIE/MS Msc. Luiz Henrique Costa Coordenador Geral de Assistência Farmacêutica e Medicamentos Estratégicos/SCTIE/MS Assistência Farmacêutica Histórico 1990: Criação da lei Orgânica do SUS Equidade Universalidade

Leia mais

Nova Plataforma Tecnológica. Barramento/Cartão SUS. XXVII CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO 05 a 08 de Março de 2013

Nova Plataforma Tecnológica. Barramento/Cartão SUS. XXVII CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO 05 a 08 de Março de 2013 Nova Plataforma Tecnológica A construção atual feita pelo DATASUS: Barramento/Cartão SUS XXVII CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO 05 a 08 de Março de 2013 Principais ações

Leia mais

Sistema Gerenciador de Unidades de Saúde. Descritivo

Sistema Gerenciador de Unidades de Saúde. Descritivo Sistema Gerenciador de Unidades de Saúde Descritivo SIGUS Sistema Gerenciador de Unidades de Saúde Visando atender as demandas de informatização dos estabelecimentos das redes públicas de saúde, a Attiva

Leia mais

PREFEITURA DE NOVO HAMBURGO INFORMATIZA SERVIÇOS DE SAÚDE E TRAZ MELHORIAS PARA CIDADÃOS E PROFISSIONAIS DA REDE

PREFEITURA DE NOVO HAMBURGO INFORMATIZA SERVIÇOS DE SAÚDE E TRAZ MELHORIAS PARA CIDADÃOS E PROFISSIONAIS DA REDE Case de Sucesso Integrando CIOs, gerando conhecimento. PREFEITURA DE NOVO HAMBURGO INFORMATIZA SERVIÇOS DE SAÚDE E TRAZ MELHORIAS PARA CIDADÃOS E PROFISSIONAIS DA REDE Perfil A Secretaria Municipal da

Leia mais

REGULAÇÃO DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS DO COMPLEXO REGULADOR DE FLORIANÓPOLIS

REGULAÇÃO DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS DO COMPLEXO REGULADOR DE FLORIANÓPOLIS TÍTULO DA PRÁTICA: REGULAÇÃO DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS DO COMPLEXO REGULADOR DE FLORIANÓPOLIS CÓDIGO DA PRÁTICA: T66 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Complexo Regulador caracteriza-se

Leia mais

Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica

Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica Maceió -Setembro/2013 HISTÓRICO PORTARIA GM/MS nº 3.916/98 POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS ESTABELECEU DIRETRIZES

Leia mais

Objetivo Principal. Objetivos Secundários

Objetivo Principal. Objetivos Secundários Objetivo Principal O Personal Med Hospitalar foi resultado de um longo esforço de O&M em hospitais de vários portes e regiões do Brasil. O sistema foi concebido a partir do detalhamento de 176 processos

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

Planejamento Estratégico 2011 para implementação de Software Livre

Planejamento Estratégico 2011 para implementação de Software Livre Planejamento Estratégico 2011 para implementação de Software Livre FÓRUM DE SOFTWARE LIVRE - 2010 Valdir Barbosa Agenda Plano estratégico 2011 para uso de Software Livre Diretrizes Objetivos e indicadores

Leia mais

Projeto Saúde On-line

Projeto Saúde On-line Projeto Saúde On-line Sistemas de computadorizados de registro médico e tecnologia de informação em saúde. INTRODUÇÃO: Visando organizar o acesso aos serviços, agilizar processo, impactar na qualidade

Leia mais

O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO

O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO Januário Montone II Congresso Consad de Gestão Pública Painel 23: Inovações gerenciais na saúde O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO

Leia mais

ANEXO V COMPETÊNCIAS DEFINIDAS

ANEXO V COMPETÊNCIAS DEFINIDAS ANEXO V COMPETÊNCIAS DEFINIDAS Compete as Unidades de Saúde (básica, secundária/ambulatórios follow up): 1. Realizar a identificação das crianças que cumprem os critérios estabelecidos para recebimento

Leia mais

CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE

CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE Apresentação: Maurício Bucciolli Guernelli Coordenador Geral DATASUS/SGEP/MS Ministério da Saúde/SGEP/DATASUS - Brasília/DF CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE CADSUS WEB CADSUS Stand Alone

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

CONCEITO OBJETIVO 24/9/2014. Indicadores de Saúde. Tipos de indicadores. Definição

CONCEITO OBJETIVO 24/9/2014. Indicadores de Saúde. Tipos de indicadores. Definição Indicadores de Saúde Definição PROFª FLÁVIA NUNES É a quantificação da realidade, que permite avaliar/comparar níveis de saúde entre diferentes populações ao longo do tempo. Tipos de indicadores IMPORTÂNCIA

Leia mais

SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DA SECRETARIA DA SAUDE PROJETO DE TRABALHO

SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DA SECRETARIA DA SAUDE PROJETO DE TRABALHO SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DA SECRETARIA DA SAUDE PROJETO DE TRABALHO INTRODUÇÃO O avanço da tecnologia trouxe inúmeros benefícios à população. Quando usada de maneira saudável e inteligente, auxilia na

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PIRIPIRI - PI

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PIRIPIRI - PI A IMPLEMENTAÇÃO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA AGOSTO - 2008 JORGE OTÁVIO MAIA BARRETO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PIRIPIRI

Leia mais

SISTEMAS INTERFACEADOS COM O SISREG

SISTEMAS INTERFACEADOS COM O SISREG SISTEMAS INTERFACEADOS COM O SISREG CADSUS WEB CNES SIGTAP SIA - BPA Médico Regulador Unidade Solicitante Central de Regulação Unidade Executante Secretarias Municipais de Saúde ou similares Estabelecimentos

Leia mais

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES Introdução A questão dos recursos humanos na área de Tecnologia da Informação é assunto de preocupação permanente no Colégio de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N. PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011 O SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO DO MUNICÍPIO

Leia mais

Instituto Sócrates Guanaes

Instituto Sócrates Guanaes Instituto Sócrates Guanaes Instituição de direito privado sem fins lucrativos; Fundado em 13 de julho de 2000; Qualificado como Organização Social; Reconhecido como instituição de utilidade pública municipal

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

Tribunais de Contas do Brasil

Tribunais de Contas do Brasil Sumário TCU... 3 TCE-AM... 3 TCE-AP... 3 TCE-BA... 3 TC-DF... 3 TCE-ES... 3 TCE-MA... 3 TCE-MG... 3 TCE-MT... 4 TCE-PB... 4 TCE-PE... 4 TCE-PI... 4 TCE-PR... 4 TCE-RJ... 4 TCE-RN... 4 TCE-RO... 4 TCE-RR...

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

E-Saúde e soluções mobile

E-Saúde e soluções mobile MINISTÉRIO DA SAÚDE GOVERNO FEDERAL E-Saúde e soluções mobile Fórum RNP O Brasil é o único país com mais de 100 milhões de habitantes que assumiu o desafio de ter um sistema universal, público e gratuito

Leia mais

Telebrasil 2006. TeleComunicações para a Inclusão Social. Prefeitura Municipal de São Paulo Secretaria Municipal de Saúde (SMS-SP)

Telebrasil 2006. TeleComunicações para a Inclusão Social. Prefeitura Municipal de São Paulo Secretaria Municipal de Saúde (SMS-SP) Telebrasil 2006 PANORAMA DA REGULAÇÃO SMS-SP Diagnóstico Não possui dados sistematizados; TeleComunicações para a Inclusão Social não existe uma uniformidade nas ações; as atividades da área, não estão

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO DE PROVIDÊNCIAS INICIAIS Março/2014 V 1.1 REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO

Leia mais

Projeto de Informatização. Como implantar um Sistema de Informação para a Saúde Pública em SP?

Projeto de Informatização. Como implantar um Sistema de Informação para a Saúde Pública em SP? Projeto de Informatização Como implantar um Sistema de Informação para a Saúde Pública em SP? Contato Cláudio Giulliano Alves da Costa, MD, MSc. Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo Assessoria Técnica

Leia mais

Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SISTEMA SAÚDE EM REDE - SISREDE

Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SISTEMA SAÚDE EM REDE - SISREDE Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SISTEMA SAÚDE EM REDE - SISREDE Belo Horizonte Pop. estimada: 2.375.151 hab. (estimativas IBGE 2010) Informatização da Rede

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO

COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO OBJETIVO DA SEÇÃO Esta seção apresenta a Competência, Conscientização e do Sistema da Qualidade da TELEDATA que atende ao item 6.2.2 Norma ISO 9001:2008. DIRETRIZES

Leia mais

Orientação sobre Plano de Ação e Demonstrativo Sintético Anual de execução físico-financeira do SUAS

Orientação sobre Plano de Ação e Demonstrativo Sintético Anual de execução físico-financeira do SUAS Curitiba, 11 de junho de 2010. Orientação sobre Plano de Ação e Demonstrativo Sintético Anual de execução físico-financeira do SUAS 1. SUAS WEB O SUAS-Web é um sistema informatizado que o Ministério do

Leia mais

SAÚDE COMO UM DIREITO DE CIDADANIA

SAÚDE COMO UM DIREITO DE CIDADANIA SAÚDE COMO UM DIREITO DE CIDADANIA José Ivo dos Santos Pedrosa 1 Objetivo: Conhecer os direitos em saúde e noções de cidadania levando o gestor a contribuir nos processos de formulação de políticas públicas.

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

Relação de iniciativas válidas no 17º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal

Relação de iniciativas válidas no 17º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal Relação de iniciativas válidas no 17º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal Inscrição INICIATIVA 1 001 SIAVANAC - Sistema de emissão e controle de Autorização de Voo da ANAC 2 002 PROJETO RESSURGIR

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Por uma política de saúde do trabalhador do SUS na Secretaria Municipal de Divinópolis/MG Marília Fraga Cerqueira

Leia mais

Município de Guarulhos População: 1.244.518 habitantes

Município de Guarulhos População: 1.244.518 habitantes Município de Guarulhos População: 1.244.518 habitantes 1 2 EQUIPAMENTOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO Hospitais Municipais: 03 Hospitais Estaduais: 02 Hospitais Filantrópicos: 02 Policlínicas: 06 Unidade de Pronto

Leia mais

GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS

GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS O Plano Diretor é uma lei municipal que estabelece diretrizes para a ocupação da cidade. Ele deve identificar e analisar as características físicas, as atividades predominantes

Leia mais

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1 Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I Atenção Básica e a Saúde da Família 1 O acúmulo técnico e político dos níveis federal, estadual e municipal dos dirigentes do SUS (gestores do SUS) na implantação

Leia mais

Marcelo Andrade Pimenta Março de 2010

Marcelo Andrade Pimenta Março de 2010 O Cidadão Digital e a Cidade Marcelo Andrade Pimenta Março de 2010 O que deve ser considerado... O desenvolvimento das TIC tem proporcionado uma dissociação entre a proximidade espacial e o desempenho

Leia mais

Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) Tratamento do Tabagismo

Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) Tratamento do Tabagismo Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) Tratamento do Tabagismo O tabagismo é, reconhecidamente, uma doença crônica, resultante da dependência à droga nicotina, e um fator de risco para cerca

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE IMPLANTAÇÃO DA REGULAÇÃO ONCOLÓGICA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Dra. Daiane da Silva Oliveira

PROPOSTA DE UM MODELO DE IMPLANTAÇÃO DA REGULAÇÃO ONCOLÓGICA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Dra. Daiane da Silva Oliveira PROPOSTA DE UM MODELO DE IMPLANTAÇÃO DA REGULAÇÃO ONCOLÓGICA DO ESTADO DE SÃO PAULO Dra. Daiane da Silva Oliveira INTRODUÇÃO Publicação da Lei 12.732; Com a Publicação da Lei 12.732, que fixa o prazo máximo

Leia mais

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013 Seminário estratégico de enfrentamento da Tuberculose e Aids no Estado do Rio de Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS Maio, 2013 1.Detecção de casos e tratamento da tuberculose 1.1. Descentralizar

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO 1.1. Gabinetes de Trabalho para Professores Tempo Integral - TI

INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO 1.1. Gabinetes de Trabalho para Professores Tempo Integral - TI INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO Atualmente a FIBRA encontra-se em novas instalações contando com 33 salas de aula climatizadas, com instalações de equipamentos de multimídia, auditório climatizado com

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

Sistemas de Informação em Saúde. Informatização da Atenção Básica Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP)

Sistemas de Informação em Saúde. Informatização da Atenção Básica Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP) Sistemas de Informação em Saúde Informatização da Atenção Básica Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP) Contato Cláudio Giulliano Alves da Costa, MD, MSc. Secretaria Municipal de Saúde de

Leia mais

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Hospital de Clínicas de Porto Alegre Ministério da Educação Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto

Leia mais

CARTA DE SÃO PAULO 5º CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E A SEGURANÇA DO PACIENTE

CARTA DE SÃO PAULO 5º CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E A SEGURANÇA DO PACIENTE CARTA DE SÃO PAULO 5º CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E A SEGURANÇA DO PACIENTE A realização do I Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos

Leia mais

Logística e distribuição de medicamentos Gestão compartilhada Vanusa Barbosa Pinto Coordenadora do Núcleo de Assistência Farmacêutica HCFMUSP

Logística e distribuição de medicamentos Gestão compartilhada Vanusa Barbosa Pinto Coordenadora do Núcleo de Assistência Farmacêutica HCFMUSP Logística e distribuição de medicamentos Gestão compartilhada Vanusa Barbosa Pinto Coordenadora do Núcleo de Assistência Farmacêutica HCFMUSP Diretora da Divisão de Farmácia ICHC Agenda Perfil Farmácia

Leia mais

6ª Jornada de Gestão em Tecnologias da. Armazenamento e Distribuição de Materiais e Medicamentos em Ambientes Hospitalares

6ª Jornada de Gestão em Tecnologias da. Armazenamento e Distribuição de Materiais e Medicamentos em Ambientes Hospitalares 6ª Jornada de Gestão em Tecnologias da Informação em Saúde Armazenamento e Distribuição de Materiais e Medicamentos em Ambientes Hospitalares Pauta Apresentação da Associação Projeto de Automação na Farmácia

Leia mais

PEX Process Excellence Week Brasil 2013 Caso Prático:

PEX Process Excellence Week Brasil 2013 Caso Prático: PEX Process Excellence Week Brasil 2013 Caso Prático: Como criar uma plataforma de negócios com um conjunto de estruturas determinantes em prol a sustentabilidade das estratégias organizacionais? Jacson

Leia mais

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo Padrão Nível 1 Uso seguro e racional de medicamentos Dimensões da qualidade Aceitabilidade, adequação e integralidade Assistência Farmacêutica

Leia mais

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE GESTÃO PÚBLICA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS" Visão: Que em 2020 Santa Maria seja um município que preste Serviços de Qualidade a seus cidadãos, com base

Leia mais

REGULAÇÃO DO ACESSO À ASSISTÊNCIA

REGULAÇÃO DO ACESSO À ASSISTÊNCIA REGULAÇÃO DO ACESSO À ASSISTÊNCIA Consiste na organização de estruturas, tecnologias e ações dirigidas aos prestadores públicos e privados, gerentes e profissionais de saúde para viabilizar o acesso do

Leia mais

INFORMATIZAÇÃO DE FARMÁCIAS PÚBLICAS UTILIZANDO SOFTWARE

INFORMATIZAÇÃO DE FARMÁCIAS PÚBLICAS UTILIZANDO SOFTWARE INFORMATIZAÇÃO DE FARMÁCIAS PÚBLICAS UTILIZANDO SOFTWARE Murilo Nunes Elias 1 1 Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC) Caixa Postal 475 88.040 900 Florianópolis

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o uso da informação de custos como ferramenta gerencial da transparência do gasto público

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o uso da informação de custos como ferramenta gerencial da transparência do gasto público

Leia mais

PLANO PLURIANUAL 2016-2018

PLANO PLURIANUAL 2016-2018 FUNÇÃO - Ser órgão de excelência, com reconhecimento social, que valoriza as profissões de enfermagem. Programa 01 - Implementar o Projeto Estratégico Setorial do Departamento de Fiscalização DEFIS. Área

Leia mais

CONSELHO DE SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SAÚDE

CONSELHO DE SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SAÚDE ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA PROFISSIONAL NÍVEL SUPERIOR CONTEUDISTA (MESTRE) PARA O CURSO DE QUALIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA, COM UTILIZAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE GESTÃO DA

Leia mais

E-SUS ATENÇÃO BÁSICA. Julho / 2013

E-SUS ATENÇÃO BÁSICA. Julho / 2013 E-SUS ATENÇÃO BÁSICA Julho / 2013 Estratégia de Qualificação da AB Saúde Bucal PMAQ Requalifica UBS PSE Telessaúde Brasil Redes Academia da Saúde Atenção Básica Financiamento Consultório na Rua Provimento

Leia mais

Experiência: Sistema de Controle logístico de Medicamentos Antirretrovirais - SICLOM

Experiência: Sistema de Controle logístico de Medicamentos Antirretrovirais - SICLOM Experiência: Sistema de Controle logístico de Medicamentos Antirretrovirais - SICLOM Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Responsável: Juliana Monteiro da Cruz, Gerente de Desenvolvimento

Leia mais

Eventos e Multimídia MINISTÉRIO DA SAÚDE. Eventos e. multimídia

Eventos e Multimídia MINISTÉRIO DA SAÚDE. Eventos e. multimídia MINISTÉRIO DA SAÚDE Eventos e Multimídia Eventos e multimídia Brasília 2014 Eventos e Multimídia O DATASUS Departamento de Informática do SUS/Ministério da Saúde foi criado em 1991. A criação do Departamento

Leia mais

A prefeitura a serviço da Comunidade

A prefeitura a serviço da Comunidade A prefeitura a serviço da Comunidade O Projeto Ação Social objetiva-se a centralizar as rotinas de trabalho em um ambiente WEB proporcionando melhoria da visualização das informações, buscando a transparência,

Leia mais

IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE. Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada

IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE. Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada 25/11/2015 HISTÓRICO: Período anterior a CF de 1988 INAMPS População e procedimentos restritos Movimento

Leia mais

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR?

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? Descubra os benefícios que podem ser encontrados ao se adaptar as novas tendências de mercado ebook GRÁTIS Como o investimento em TI pode

Leia mais

I SEMINÁRIO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE II

I SEMINÁRIO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE II Ministério da Educação Secretaria de Ensino Superior Diretoria de Hospitais Univ ersitários e Residências em Saúde A articulação da Graduação em Saúde, dos Hospitais de Ensino e das Residências em Saúde

Leia mais

Seminário de Doenças Crônicas

Seminário de Doenças Crônicas Seminário de Doenças Crônicas LINHA DE CUIDADO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETES EXPERIÊNCIA DE DIADEMA SP Dra Lidia Tobias Silveira Assistente Gabinete SMS Diadema Linha de cuidado de HAS e DM Experiência

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner. Secretário da Saúde Jorge Solla. Coordenadora da Ouvidoria SUS BAHIA Elide Oliveira de Carvalho

Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner. Secretário da Saúde Jorge Solla. Coordenadora da Ouvidoria SUS BAHIA Elide Oliveira de Carvalho 1 2 Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretário da Saúde Jorge Solla Coordenadora da Ouvidoria SUS BAHIA Elide Oliveira de Carvalho Equipe Técnica: Celurdes Carvalho Flávia Guimarães Simões

Leia mais

Seminário: Caminhos para o financiamento e acesso à saúde

Seminário: Caminhos para o financiamento e acesso à saúde Seminário: Caminhos para o financiamento e acesso à saúde Painel: Como construir programas de acesso aos medicamentos Dirceu Barbano Diretor São Paulo, 07 de junho de 2010. Acesso a medicamentos: definição...relação

Leia mais

Implantação do Sistema de Divulgação de Melhores Práticas de Gestão na Administração Pública

Implantação do Sistema de Divulgação de Melhores Práticas de Gestão na Administração Pública Ministério do Planejamento, Orçamento e Programa 0792 GESTÃO PÚBLICA EMPREENDEDORA Objetivo Promover a transformação da gestão pública para ampliar os resultados para o cidadão e reduzir custos. Indicador(es)

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais PREMIO CHICO RIBEIRO SOBRE INFORMAÇÃO DE CUSTOS E QUALIDADE DO GASTO NO SETOR Público O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o

Leia mais

PLANO DE DIRETRIZES E METAS DA AMOSC 2015

PLANO DE DIRETRIZES E METAS DA AMOSC 2015 PLANO DE DIRETRIZES E METAS DA AMOSC 2015 DIRETORIA EXECUTIVA/SECRETARIA EXECUTIVA Anexo 6 EIXOS DE ATUAÇÃO Representação Política Desenvolvimento Regional Assessoria Técnica Capacitação Processos Internos

Leia mais

Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife

Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife Perfil A Empresa Municipal de Informática Emprel é uma empresa pública, dotada de personalidade

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

* Portaria SAS/MS nº 356 de 22 de setembro de 2000

* Portaria SAS/MS nº 356 de 22 de setembro de 2000 * Portaria SAS/MS nº 356 de 22 de setembro de 2000 O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 569, de 1º de julho de 2000, que institui o Programa

Leia mais

Programa Nacional de Controle da Dengue - PNCD PLANO DE CONTINGÊNCIA AREA DA ASSISTÊNCIA

Programa Nacional de Controle da Dengue - PNCD PLANO DE CONTINGÊNCIA AREA DA ASSISTÊNCIA Programa Nacional de Controle da Dengue - PNCD PLANO DE CONTINGÊNCIA AREA DA DENGUE: PLANO DE CONTINGÊNCIA - AREA DA DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO E EXECUÇÃO DO PLANO DE CONTIGÊNCIA Apoio Ministério

Leia mais

PROJETO DE GESTÃO DE APOIO À SAÚDE

PROJETO DE GESTÃO DE APOIO À SAÚDE PROJETO DE GESTÃO DE APOIO À SAÚDE maio/2015 CONSULTORIA DE PROJETOS Consultoria nasceu com o objetivo de ajudar as Prefeituras a: Captarem recursos junto ao BID. Criarem e viabilizarem projetos de investimentos.

Leia mais

SIG VOLTADO PARA A FISCALIZAÇÃO DA ATIVIDADE PROFISSIONAL DE ARQUITETO E URBANISTA

SIG VOLTADO PARA A FISCALIZAÇÃO DA ATIVIDADE PROFISSIONAL DE ARQUITETO E URBANISTA www.caubr.gov.br SIG VOLTADO PARA A FISCALIZAÇÃO DA ATIVIDADE PROFISSIONAL DE ARQUITETO E URBANISTA Máximo Miqueles Coordenador de Geotecnologia CAU/BR São Paulo, SP 07 de maio de 2014 SISTEMA IGEO OBJETIVO

Leia mais

Implantação do e-sus AB no Município de Marília. Rafael Armentano

Implantação do e-sus AB no Município de Marília. Rafael Armentano Implantação do e-sus AB no Município de Marília Rafael Armentano Rede de Saúde no Município de Marília 01 Secretaria Municipal da Saúde 35 Unidades Básicas de Saúde com Estratégia da Saúde da Família 12

Leia mais

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura OEI/TOR/MEC/DTI nº 003/2009 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR 1. Projeto: OEI/BRA/09/004

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUNDIAÍ DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUNDIAÍ DO SUL ANEXOII ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS PARA CONCURSO PÚBLICO PARA EMPREGO PÚBLICO Nº. 001/2010 JUNDIAÍ DO SUL PARANÁ 1. Para os cargos do grupo PSF Programa da Saúde da Família, conveniados com o Governo Federal:

Leia mais

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Nº 08/2012 Av. Teotônio Segurado, Quadra 401 Sul, ACSU-SO 40, conjunto 1, Lote 17, 1º andar (prédio do antigo Sine) Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Diante da crescente procura por

Leia mais

Software Livre no Serpro

Software Livre no Serpro Software Livre no SERPRO Apresentador:Sérgio Rosa Diretor 02/03/05 Agenda O SERPRO Fatores Críticos de Sucesso Papel do SERPRO Software Livre no SERPRO Resultados Alcançados Conclusões Empresa Pública

Leia mais

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello Coordenador: Liliane Espinosa de Mello SAÚDE Visão: Que Santa Maria seja o principal Polo na Área de Saúde do interior do Rio Grande do Sul, contribuindo para a melhor qualidade de vida da população da

Leia mais

DATASUS e Software Livre

DATASUS e Software Livre DATASUS e Software Livre Moacyr Esteves Perche Coordenador Geral de Gestão de Projetos CGGP/DATASUS/SGEP/MS 09/07/2015 1 Informação em Saúde O Brasil tem longa tradição no uso de Sistemas de Informação

Leia mais