Funções Inorgânicas. Letícia R. Teixeira. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Funções Inorgânicas. Letícia R. Teixeira. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons."

Transcrição

1 Letícia R. Teixeira Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons.

2 1. Funções Químicas As substâncias químicas são classificadas como inorgânicas e orgânicas. As inorgânicas são aquelas que não possuem cadeias carbônicas e as orgânicas são as que possuem. As substâncias inorgânicas são divididas em quatro grupos, ácidos, bases, sais e óxidos, chamados de funções inorgânicas. As substâncias orgânicas são divididas em hidrocarbonetos, funções halogenadas, funções oxigenadas e funções nitrogenadas e, do mesmo modo, os grupos são denominados funções orgânicas (Figura 1). Figura 1: Classificação das substâncias químicas As substâncias pertencentes a cada um dos grupos mostrados na Figura 1 possuem propriedades químicas em comum. O que confere as propriedades às substâncias participantes de uma mesma função é sua capacidade de reagir. Substâncias que reagem da mesma forma, quando colocadas em uma mesma situação, normalmente, pertencem à mesma função.. 1.

3 Sabemos, por exemplo, que o metanol (C 3 O) e o etanol (C 3 C 2 O) pertencem à função Álcool. Estas substâncias possuem propriedades químicas semelhantes, como a formação de ácidos nas reações de oxidação e a formação de gás carbônico, água e energia nas reações de combustão. As Equações 1 e 2 mostram as reações de oxidação do metanol e do etanol, respectivamente: C 3 O + O 2 COO + 2 O (Equação 1) (metanol) (ácido metanóico) C 3 C 2 O + O 2 C 3 COO + 2 O (Equação 2) (etanol) (ácido etanoico ou ácido acético) Por outro lado, a parafina (C ) e o butano (C 3 C 2 C 2 C 3 ) sofrem reação de combustão, mas não são classificados como álcoois, uma vez que não sofrem reações de oxidação nas mesmas condições que o metanol e o etanol. A parafina e o butano são classificados como idrocarbonetos. Veja as classificações na Tabela 1 abaixo: Tabela 1: Classificação de Algumas Substâncias Orgânicas. Composto Reação de Oxidação Reação de combustão Classificação Metanol Sim Sim Álcool Etanol Sim Sim Álcool Butano Não Sim idrocarboneto Parafina Não Sim idrocarboneto. 2.

4 Portanto, atenção! Para descobrir a função química a que pertence uma determinada substância, não basta verificar um só tipo de reação química. É preciso verificar um conjunto de reações. No nosso exemplo, duas reações foram suficientes para diferenciar hidrocarbonetos de álcoois. Agora que conhecemos um dos procedimentos que os químicos utilizam para classificar as substâncias em funções químicas, vamos apresentar duas funções inorgânicas muito importantes: os ácidos e as bases. 2. Os Ácidos e as Bases: Um Pouco de istória O comportamento ácido-base é conhecido há muitos e muitos anos. A palavra ácido (do latim acidus) significa azedo, álcali (do árabe al qaliy) significa cinzas vegetais. Os termos ácido, álcali e base datam da Antiguidade, da Idade Média e do século XVIII, respectivamente. As teorias ácido-base, ou seja, as teorias que procuram explicar o comportamento dessas substâncias baseando-se em algum princípio mais geral, são também bastante antigas. Em 1789, Antoine-Laurent Lavoisier afirmava que "o oxigênio é o princípio acidificante". Em outras palavras, dizia que todo ácido deveria ter oxigênio. Entretanto, já nesta época, Claude-Louis Berthollet (1787) e umphry Davy (1810) descreveram vários ácidos que não apresentavam o oxigênio, tais como o ácido cianídrico (CN), ácido sulfídrico ( 2 S) e ácido clorídrico (Cl) As teorias de ácidos e bases que serão tratadas aqui datam do século XX: teoria de Arrhenius (1887), Brönsted-Lowry (1923) e de Lewis (1923). 3. Os Ácidos e as Bases: O Conceito de Arrhenius Svante August Arrhenius ( ), químico, físico e matemático sueco, propôs, em 1887, uma teoria para explicar o comportamento de ácidos e bases. Segundo o conceito de Arrhenius, ácidos são substâncias que, em solução aquosa, aumentam a concentração de íons hidrogênio, +, que, na presença de água, formam o cátion hidrônio ( 3 O + ); e bases são substâncias que, em solução aquosa, aumentam a concentração de íons hidroxila (O - ). O cloreto de hidrogênio, Cl, por exemplo, a temperatura ambiente, é um gás. Quando dissolvido em água, o Cl forma íons + (aq) e Cl - (aq) (Equação 3) e é chamado de ácido clorídrico. Cl(g) 2 O + (aq) + Cl - (aq) (Equação 3). 3.

5 Mas, como será que ocorre a formação desses íons? Na molécula de Cl, os átomos de hidrogênio e de cloro estão unidos por uma ligação covalente ( Cl). Em solução aquosa, a ligação covalente é rompida, com a consequente formação de íons + (aq) e Cl - (aq). Esse processo é chamado de ionização. Como a ionização do Cl leva à formação de íons + (aq), ele é um ácido, segundo o conceito de Arrhenius. Já o hidróxido de sódio, NaO, é um sólido iônico. Nele, a ligação não é entre átomos, mas entre os íons Na + e O -. Ao contrário das moléculas de Cl que sofrem ionização em solução aquosa, os íons do NaO se dissociam. Observe o esquema abaixo: compostos moleculares + água ionização solução iônica compostos iônicos + água dissociação solução iônica Como o O - é um dos íons liberados na dissociação do NaO, esse composto é uma base, segundo o conceito de Arrhenius. Uma consequência da teoria de Arrhenius é que podemos considerar que nem todos os ácidos e bases são igualmente fortes, ou seja, nem todos se ionizam ou dissociam em água completamente, como ocorre com o Cl e o NaO, que são exemplos de ácido e base fortes. O ácido acético (C 3 COO), presente no vinagre, e o ácido cítrico ( 3 C 6 5 O 7 ), presente no limão, são exemplos de ácidos fracos. Em solução aquosa, esses ácidos não se ionizam completamente. Sua ionização leva a um equilíbrio químico, em que os íons estão presentes juntamente com os ácidos não ionizados, conforme mostram as Equações 4 e 5: C 3 COO(aq) C 3 COO - (aq) + + (aq) Equação 4 3 C 6 5 O 7 (aq) 2 C 6 5 O 7- (aq) + + (aq) Equação 5 O ácido acético e o ácido cítrico, assim como todos os outros ácidos que têm esse comportamento, são chamados de ácidos fracos. Do mesmo modo, existem as bases fracas. A acidez e a basicidade das soluções podem ser medidas utilizando-se a escala de p. Esta escala está relacionada com a concentração de íons hidrogênio, + ou 3 O +, presentes na solução e varia de 0 a

6 Desse modo, soluções aquosas que apresentam p menor que 7 são consideradas ácidas, e aquelas que apresentam p maior que 7 são básicas. Quanto mais ácida for uma solução, menor será o valor de seu p e, quanto mais básica, maior o seu p. Soluções muito ácidas podem apresentar p < 0 e soluções muito básicas p > 14. Observe na Figura 2 abaixo a escala de p e o p de algumas soluções: Figura 2: A escala de p A teoria de Arrhenius, embora muito útil, apresenta algumas limitações. Uma delas é que se aplica apenas a soluções aquosas. Desse modo, os químicos Johannes Nicolaus Bronsted ( ) e Thomas Martin Lowry ( ) propuseram de forma independente uma nova teoria, mais abrangente, para explicar o comportamento de ácidos e bases, conhecida como teoria de Bronsted-Lowry. 4. Os Ácidos e as Bases: O Conceito de Bronsted-Lowry De acordo com a teoria de Bronsted-Lowry, ácidos são doadores de prótons e bases são aceptoras de prótons. Vamos analisar um exemplo genérico: A + B A - + B +. 5.

7 Nesta reação, o átomo de hidrogênio da espécie A é transferido para a molécula B, formando B +. Portanto, segundo a teoria de Brönsted-Lowry, A é um ácido porque transferiu um próton para B. Do mesmo modo, nessa reação, B é uma base porque recebeu um próton de A. A reação entre A e B leva à formação das espécies A - e B +. Esta é uma reação reversível. Isso significa que os produtos da reação também reagem entre si, regenerando os reagentes: A - + B + A + B Assim, o átomo de hidrogênio de B + é transferido para A -. Portanto, B + é um ácido e A - é uma base, segundo Brönsted-Lowry. Desse modo, A e A - formam um par ácido-base conjugado. Ou seja, A é um ácido porque doa um próton e transforma-se em A -. A - é uma base porque recebe um próton e transforma-se em A. Do mesmo modo, B e B + formam um segundo par ácido-base conjugado. Mas, será que no equilíbrio as quantidades de A, B, A - e B + serão as mesmas? Ou teremos uma maior quantidade de reagentes ou produtos? Seria possível prever o sentido para o qual o equilíbrio estaria deslocado? O equilíbrio estará deslocado no sentido da formação do ácido mais fraco e da base mais fraca. Se A e B forem o ácido e a base mais fracos, eles estarão presente em maior quantidade, e o equilíbrio poderá ser representado da seguinte forma:. 6.

8 Mas, se A - e B + forem o ácido e a base mais fracos, teremos: Vejamos um exemplo real para que fique mais claro: A amônia, uma base fraca, reage com o ácido cítrico, um ácido fraco, conforme a Equação 6: 3 C 6 5 O 7 (aq) + N 3 (aq) N 4+ (aq) + 2 C 6 5 O 7- (aq) (Equação 6) ácido cítrico amônia íon amônio íon citrato Neste caso, o equilíbrio estará deslocado para os produtos, uma vez que o ácido cítrico ( 3 C 6 5 O 7 ) é um ácido mais forte que o íon amônio (N 4+ ), e que a Amônia (N 3 ) é uma base mais forte que o íon citrato ( 2 C 6 5 O 7- ). É importante salientar que os conceitos de ácido e base, segundo Bronsted-Lowry, são relativos. Observe as Equações abaixo: N 3 (g) + 2 O(l) amônia N 4 + (aq) + O - (aq) íon amônio íon hidróxido Equação 7 C 3 COO(aq) + 2 O(l) C 3 COO - (aq) + 3 O + (aq) Equação 8 ácido acético íon acetato íon hidrônio. 7.

9 Na primeira reação a água doa um próton para a amônia, formando N 4+ (aq) e O - (aq), enquanto que, na segunda, a água recebe um próton do ácido acético formando C 3 COO - (aq) e 3 O + (aq). Portanto, fica claro que a água, segundo o conceito de Bronsted-Lowry, é um ácido na primeira reação e uma base na segunda. Por isso, a água é denominada uma substância anfótera. Para que uma substância anfótera possa agir como ácido, ele deve ser posta em contato com uma base mais forte que a sua base e, para agir como base, reagir com um ácido mais forte que seu ácido. 5. Os Ácidos e as Bases: O Conceito de Lewis Gilbert Newton Lewis ( ), um químico americano, propôs uma teoria de ácidos em bases no mesmo ano em que Bronsted e Lowry apresentaram a sua teoria. De acordo com Lewis, ácidos são espécies capazes de receber pares de elétrons, e bases são espécies capazes de doar pares de elétrons. Desse modo, uma reação ácido-base consiste na formação de uma ligação covalente coordenada mais estável, como mostra a Figura 3. N: + + N + Figura 3: Reação ácido-base segundo o conceito de Lewis A proposta de Lewis é mais abrangente que as anteriores; no entanto, não as invalida. Trataremos agora das duas outras funções inorgânicas que citamos no início do texto: os sais e os óxidos. 6. Os sais A maioria das pessoas, quando ouve a palavra sal, pensa no sal de cozinha. Mas, se você disser a palavra sal para um químico, ele provavelmente irá lhe perguntar de que sal você está falando. Pois, o sal de cozinha (cloreto de sódio, NaCl) é apenas um exemplo dessa enorme classe de substâncias. Sais são compostos iônicos que, em solução aquosa, se dissociam, formando pelo menos um cátion diferente do hidrogênio, + (aq), e um ânion diferente da hidroxila, O - (aq), e do oxigênio, O 2- (aq). Os. 8.

10 sais podem ser obtidos através de reações de neutralização, que são as que ocorrem entre um ácido e uma base e que têm como produto um sal e água. ácido + base sal + água A reação entre o ácido clorídrico, Cl, e o hidróxido de sódio, NaO, por exemplo, forma o sal cloreto de sódio, NaCl, e água (Equação 9). Cl(aq) + NaO(aq) NaCl(aq) + 2 O(l) (Equação 9) O NaCl é formado pelo cátion Na +, vindo da base NaO, e pelo anion Cl -, vindo do ácido Cl. Isso irá acontecer em todos os casos, ou seja, o ácido sempre irá formar o ânion do sal e a base o cátion do sal. Vejamos outro exemplo de sal, o sulfato de sódio, Na 2 SO 4. Esse sal pode ser obtido através da reação entre o hidróxido de sódio, NaO, e o ácido sulfúrico, 2 SO 4 (Equação 10). 2 SO 4 (aq) + 2NaO(aq) Na 2 SO 4 (aq) O(l) (Equação 10) O Na 2 SO 4 é formado pelo cátion Na +, vindo da base NaO, e pelo ânion SO 4 2-, vindo do ácido 2 SO 4. Existe uma infinidade de sais conhecidos pelo homem. Alguns são produzidos artificialmente, em reações de neutralização. Outros, como o cloreto de sódio, são obtidos de fontes naturais, ou seja, já se encontram disponíveis na natureza.. 9.

11 7. Os Óxidos Óxidos são compostos binários, ou seja, formados por dois elementos distintos, dos quais o mais eletronegativo é o oxigênio. Apenas o elemento flúor é mais eletronegativo que o oxigênio. Assim, qualquer outro elemento, com a exceção do flúor, reage com oxigênio formando óxidos. Dizer que qualquer elemento reage com o oxigênio não é exagero. Como o oxigênio é muito reativo, é difícil encontrar um elemento que não seja capaz de reagir com ele. Desse modo, esta classe de compostos engloba um número muito grande de substâncias. Óxidos são compostos binários, ou seja, formados por dois elementos distintos, dos quais o mais eletronegativo é o oxigênio. Apenas o elemento flúor é mais eletronegativo que o oxigênio. Assim, qualquer outro elemento, com a exceção do flúor, reage com oxigênio formando óxidos. Dizer que qualquer elemento reage com o oxigênio não é exagero. Como o oxigênio é muito reativo, é difícil encontrar um elemento que não seja capaz de reagir com ele. Desse modo, esta classe de compostos engloba um número muito grande de substâncias. Óxido de lítio (Li 2 O), óxido de sódio (Na 2 O), óxido de potássio (K 2 O), óxido de rubídio (Rb 2 O), óxido de césio (Cs 2 O) e óxido de francio (Fr 2 O) são formados com elementos do grupo 1A da tabela periódica. Óxido de berilo (BeO), óxido de magnésio (MgO), óxido de cálcio (CaO), óxido de estrôncio (SrO), óxido de bário (BaO) e óxido de radio (RaO) são formados com elementos do grupo 2A. Sabemos que o número de oxidação dos elementos do grupo 1A é +1 e do grupo 2A é +2. Já o número de oxidação do oxigênio nos óxidos é -2. Por isso, o oxigênio combina-se com os elementos do grupo 1A da tabela periódica formando óxidos do tipo E 2 O e com elementos do grupo 2A formando EO. Os elementos do grupo 3A da tabela periódica têm número de oxidação +3. Desse modo, temos o óxido de boro (B 2 O 3 ), o óxido de alumínio (Al 2 O 3 ), o óxido de gálio (Ga 2 O 3 ) e o óxido de índio (In 2 O 3 ). Os óxidos são, portanto, substâncias do tipo ExOy, em que x é o número de oxidação do oxigênio e y é o número de oxidação do elemento que está combinado com ele. Na coluna 4A, as coisas começam a ficar um pouco diferentes, pois os elementos podem apresentar mais de um número de oxidação. O carbono, por exemplo, pode combinar-se com o oxigênio formando dois compostos bastante conhecidos: o monóxido de carbono (CO) e o dióxido de carbono (CO 2 ), nos quais o seu número de oxidação é +2 e +4, respectivamente. O enxofre, que pertence ao grupo 6A da tabela periódica, combina-se com o oxigênio formando o trióxido de enxofre (SO 3 ) e o dióxido de enxofre (SO 2 ), nos quais o seu número de oxidação é +6 e +4, respectivamente.. 10.

12 Como esta classe de compostos é muito grande, suas propriedades também podem variar muito. Por isso, os óxidos são divididos em quatro grupos, de acordo com seu comportamento em solução aquosa. São eles: óxidos ácidos, óxidos básicos, óxidos neutros e óxidos anfóteros. Óxidos ácidos. Quando dissolvidos em água, formam ácidos. Vejamos alguns exemplos: CO 2 (g) + 2 O(l) 2 CO 3 (aq) dióxido de carbono ácido carbônico SO 3 (g) + 2 O(l) 2SO 4 (aq) trióxido de enxofre ácido sulfúrico Óxidos básicos. Quando dissolvidos em água, formam bases. Na 2 O(s) + 2 O(l) 2 NaO(aq) óxido de sódio hidróxido de sódio Óxidos neutros. Não reagem com a água. Óxidos anfóteros. Comportam-se como base na presença de ácidos e como ácidos na presença de bases. Al 2 O 3 (s) + 6Cl(aq) 2AlCl 3 (aq) O(l) Al 2 O 3 (s) + 6NaO(aq) 2Al(O) 3 (aq) O(l) 8. Considerações Finais Agora que conhecemos um pouco mais sobre cada uma das funções inorgânicas, vamos resumir alguns pontos importantes. Vimos que as substâncias químicas são classificadas em categorias chamadas funções químicas, de acordo com suas propriedades e com suas reações com outras substâncias. As funções inorgânicas são: ácidos, bases, sais e óxidos. Os ácidos reagem com as bases formando sal e água. Esta reação é denominada reação de neutralização. Alguns óxidos reagem com água formando ácidos ou bases. á também óxidos que se comportam como ácidos na presença de base e como base na presença de ácidos.. 11.

13 Essas quatro classes de compostos englobam um número muito grande de substâncias que estão presentes em nosso dia a dia. Elas estão em todos os lugares... Na medicina, nos alimentos, no corpo humano, na limpeza da nossa casa, poluindo o ambiente... Por todo lado existem reações envolvendo ácidos, bases, sais e óxidos.. 12.

Teoria Ácido-Base e Reações Químicas

Teoria Ácido-Base e Reações Químicas Aula ao Vivo Teoria Ácido-Base e Reações Químicas Química Allan Rodrigues 27.04.2015 Existem várias teorias sobre ácidos e bases. Dentre elas, temos a teoria do químico sueco Svante August Arrhenius, que

Leia mais

ÁCIDOS E BASES. + (aq) + OH - (aq)

ÁCIDOS E BASES. + (aq) + OH - (aq) ÁCIDOS E BASES O conhecimento sobre termodinâmica, particularmente sobre as constantes de equilíbrio é de grande importância na discussão quantitativa das forças de ácidos e bases o que permite desenvolver

Leia mais

Química Geral 3º ANO

Química Geral 3º ANO Química Geral 3º ANO Teoria de Arrhenius Teoria Ácido-Base Teoria de Arrhenius Teoria Ácido-Base Ácido são substâncias que, dissolvidas em água, se ionizam liberando, na forma de cátions, exclusivamente

Leia mais

Química em Solventes não Aquosos. Prof. Fernando R. Xavier

Química em Solventes não Aquosos. Prof. Fernando R. Xavier Química em Solventes não Aquosos Prof. Fernando R. Xavier UDESC 2013 Reações químicas podem acontecer em cada uma das fases ordinárias da matéria (gasosa, líquida ou sólida). Exemplos: Grande parte das

Leia mais

Ácidos e bases. Aula 8 Ácidos e Bases / ph. Par ácido-base conjugado. Ácidos e bases

Ácidos e bases. Aula 8 Ácidos e Bases / ph. Par ácido-base conjugado. Ácidos e bases Aula 8 Ácidos e Bases / ph Prof. Ricardo Aparicio - IQ/Unicamp - 1s/2009 QG107 (Biologia) - 1s/2009 Definição de Brønsted-Lowry (1923) definição mais abrangente que a de Arrhenius ácidos e bases = ácidos

Leia mais

Para facilitar o estudo da Química, as substâncias são divididas em grupos, chamados de funções químicas!!!!

Para facilitar o estudo da Química, as substâncias são divididas em grupos, chamados de funções químicas!!!! Para facilitar o estudo da Química, as substâncias são divididas em grupos, chamados de funções químicas!!!! As principais funções inorgânicas são: ácidos, bases, sais e óxidos. Ácidos Uma características

Leia mais

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g (ACAFE) Foi dissolvida uma determinada massa de etanol puro em 200 g de acetona acarretando em um aumento de 0,86 C na temperatura de ebulição da acetona. Dados: H: 1 g/mol, C: 12 g/mol, O: 16 g/mol. Constante

Leia mais

CONCEITOS MODERNOS DE ÁCIDOS E BASES

CONCEITOS MODERNOS DE ÁCIDOS E BASES CONCEITOS MODERNOS DE ÁCIDOS E BASES Portal de Estudos em Química (PEQ) www.profpc.com.br Página 1 01 Na reação segundo a equação: EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 1 1 1 3 2 2 4 NH H O NH OH a) Qual o doador de

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa QUESTÃO 01 Num laboratório químico, havia três frascos que continham, respectivamente, um alcano, um álcool e um alqueno. Foram realizados experimentos que envolviam

Leia mais

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 RESPONDA AS QUESTÕES DE 1 a 30, MARCANDO UMA DAS ALTERNATIVAS DE ACORDO COM O QUE SE PEDE QUESTÃO 1 Peso 2 A dissolução do cloreto de amônio, NH 4 Cl(s), em água ocorre

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2011-2 GABARITO DA PROVA DISCURSIVA DE QUÍMICA

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2011-2 GABARITO DA PROVA DISCURSIVA DE QUÍMICA UFJF CNCURS VESTIBULAR 2011-2 GABARIT DA PRVA DISCURSIVA DE QUÍMICA Questão 1 Sabe-se que compostos constituídos por elementos do mesmo grupo na tabela periódica possuem algumas propriedades químicas semelhantes.

Leia mais

01) (ACAFE) O grupo de átomos que é encontrado na forma monoatômica pelo fato de serem estáveis é:

01) (ACAFE) O grupo de átomos que é encontrado na forma monoatômica pelo fato de serem estáveis é: 01) (ACAFE) O grupo de átomos que é encontrado na forma monoatômica pelo fato de serem estáveis é: a) Halogênios b) Calcogênios c) Metais Alcalinos Terrosos d) Metais Alcalinos e) Gases Nobres 02) (UFF-RJ)

Leia mais

a) Qual a configuração eletrônica do cátion do alumínio isoeletrônico ao gás nobre neônio?

a) Qual a configuração eletrônica do cátion do alumínio isoeletrônico ao gás nobre neônio? Questão 1: O Brasil é o campeão mundial da reciclagem de alumínio, colaborando com a preservação do meio ambiente. Por outro lado, a obtenção industrial do alumínio sempre foi um processo caro, consumindo

Leia mais

PROVA ESPECIALMENTE ADEQUADA DESTINADA A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE QUÍMICA

PROVA ESPECIALMENTE ADEQUADA DESTINADA A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE QUÍMICA PROVA ESPECIALMENTE ADEQUADA DESTINADA A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE QUÍMICA TEMAS 1. Estrutura da matéria 1.1 Elementos, átomos e iões 1.2

Leia mais

1) Faça o balanceamento das equações abaixo:

1) Faça o balanceamento das equações abaixo: PROFESSORA: GIOVANA CARABALLO MELATTI DATA: / /2015 COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA LISTA DE EXERCÍCIOS DE SALA ALUNO: LISTA DE EXERCÍCIOS REVISÃO 1) Faça o balanceamento das equações abaixo: a) C 2 H 6

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final Disciplina: Química Ano: 2012 Professor (a): Elisa Landim Turma: 1º FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação. Faça a lista

Leia mais

Química - Grupo J - Gabarito

Química - Grupo J - Gabarito - Gabarito 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor Informe a que volume deve ser diluído com água um litro de solução de um ácido fraco HA 0.10 M, de constante de ionização extremamente pequena (K

Leia mais

Dissociação e Ionização. Dissociação iônica

Dissociação e Ionização. Dissociação iônica 2ª Fase - Funções da química inorgânica Investigando caminhos As substâncias sejam da Química Orgânica ou Inorgânica são divididas em grupos denominados funções químicas. As substâncias que pertencem a

Leia mais

NÚMERO DE OXIDAÇÃO. Porém, nem todos os compostos que existem são formados por íons. Observe a seguinte estrutura: METANO H C

NÚMERO DE OXIDAÇÃO. Porém, nem todos os compostos que existem são formados por íons. Observe a seguinte estrutura: METANO H C NÚMER DE XIDAÇÃ INTRDUÇÃ Na química há reações chamadas reações de óxido-redução que são de extrema importância no nosso dia-a-dia. Essas reações (que serão estudadas na próxima unidade) podem apresentar

Leia mais

Profa Fernanda Galante Fundamentos de Química e Biologia Molecular/ Nutrição Material 3 1 LIGAÇÕES QUIMICAS

Profa Fernanda Galante Fundamentos de Química e Biologia Molecular/ Nutrição Material 3 1 LIGAÇÕES QUIMICAS Profa Fernanda Galante Fundamentos de Química e Biologia Molecular/ Nutrição Material 3 1 LIGAÇÕES QUIMICAS REGRA DO OCTETO Cada átomo tem um número de elétrons diferente e estes e - (elétrons) estão distribuídos

Leia mais

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final)

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) 01. (Uftm) Em soluções aquosas de acetato de sódio, o íon acetato sofre hidrólise: 3 l 3 CH COO (aq) + H O( ) CH COOH (aq) + OH

Leia mais

O CONCEITO DE ARRHENIUS PARA ÁCIDOS E BASES

O CONCEITO DE ARRHENIUS PARA ÁCIDOS E BASES ÁCIDOS E BASES O CONCEITO DE ARRHENIUS PARA ÁCIDOS E BASES Apresentado pelo químico, físico e matemático sueco Svante August Arrhenius (18591927) em 1887. Ácidos são substâncias que, quando dissolvidas

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 Nome: Gabarito Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes: R 8,314 J mol -1 K -1 0,0821

Leia mais

Reações Químicas Reações Químicas DG O QUE É UMA REAÇÃO QUÍMICA? É processo de mudanças químicas, onde ocorre a conversão de uma substância, ou mais, em outras substâncias. A + B REAGENTES C +

Leia mais

CADERNO DE APOIO DE QUÍMICA GERAL. UNIDADE 4 FUNÇÕES INORGÂNICAS Ácidos, bases, sais e óxidos

CADERNO DE APOIO DE QUÍMICA GERAL. UNIDADE 4 FUNÇÕES INORGÂNICAS Ácidos, bases, sais e óxidos CADERNO DE APOIO DE QUÍMICA GERAL APLICADA AOS CURSOS DE ENGENHARIA UNIDADE 4 FUNÇÕES INORGÂNICAS Ácidos, bases, sais e óxidos NOME DOS PROFESSORES: Ana Mauriceia Castellani Danilo Giarola Rodolfo Lopes

Leia mais

Qualidade Ambiental Química

Qualidade Ambiental Química Qualidade Ambiental Química Programa Revisão dos Conceitos Básicos de Química e Estatística Poluição o Ar e a Química da Troposfera Reações Químicas ligadas à Emissão de Poluentes da Atmosfera Bibliografia

Leia mais

ÁCIDOS. Função Inorgânica

ÁCIDOS. Função Inorgânica ÁCIDOS Função Inorgânica LEMBRANDO CONCEITOS: PH POTENCIAL HIDROGENIÔNICO É a medida de acidez de uma solução aquosa, cuja escala de medidas vai de 0 a 14. ALGUNS VALORES DE PH: Substância ph Coca-cola

Leia mais

ácido 1 base 2 base 1 ácido 2

ácido 1 base 2 base 1 ácido 2 Experimento 7 ESTUDO DE ÁCIDOS E BASES EM MEIO AQUOSO OBJETIVOS Reforçar a aprendizagem do conceito de ácidos e bases por meio de experimentos simples em meio aquoso. Identificar substâncias ácidas e básicas

Leia mais

As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo.

As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo. QUÍMICA As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo. Em diversos países, o aproveitamento do lixo doméstico é quase 100%. Do lixo levado para as usinas de compostagem, após a reciclagem, obtém-se

Leia mais

De onde vêm as lágrimas?

De onde vêm as lágrimas? De onde vêm as lágrimas? É toda substância que, em solução aquosa, sofre dissociação, liberado pelo menos um cátion diferente de H + e um ânion diferente de OH -. a) Presença de oxigênio b) Sal não oxigenado

Leia mais

TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS MATERIAL RETIRADO PARCIALMENTE OU NA INTEGRA DE LISTAS DE EXERCÍCIOS ENCONTRADAS NA INTERNET

TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS MATERIAL RETIRADO PARCIALMENTE OU NA INTEGRA DE LISTAS DE EXERCÍCIOS ENCONTRADAS NA INTERNET TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS MATERIAL RETIRADO PARCIALMENTE OU NA INTEGRA DE LISTAS DE EXERCÍCIOS ENCONTRADAS NA INTERNET 1. Unifor-CE O metal potássio reage vigorosamente com água, produzindo hidrogênio

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS

PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS 3 PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS QUÍMICA 01 - O dispositivo de segurança que conhecemos como air-bag utiliza como principal reagente para fornecer o gás N 2 (massa molar igual a 28 g mol -1

Leia mais

Ácido. Base. Classifique as substâncias abaixo. HClO 4 (aq) H + (aq) + ClO 4- (aq) NaOH(aq) Na + (aq) + OH - (aq)

Ácido. Base. Classifique as substâncias abaixo. HClO 4 (aq) H + (aq) + ClO 4- (aq) NaOH(aq) Na + (aq) + OH - (aq) Classifique as substâncias abaixo HClO 4 (aq) H + (aq) + ClO 4- (aq) NaOH(aq) Na + (aq) + OH - (aq) Ácido Base Conceito de ácido e base de Arrhenius Restrito ao meio aquoso Classifique as substâncias abaixo

Leia mais

ANEXO IV. II- um armário para armazenagem de solventes, com construção resistente ao fogo.

ANEXO IV. II- um armário para armazenagem de solventes, com construção resistente ao fogo. ANEXO IV ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS. No laboratório, almoxarifado e em locais em que se tenha que armazenar ou manipular substâncias químicas, deve-se ter em conta sua composição, pois muitas delas

Leia mais

X -2(3) X -2 x (4) X - 6 = -1 X 8 = -1 X = 5 X = 7

X -2(3) X -2 x (4) X - 6 = -1 X 8 = -1 X = 5 X = 7 2001 1. - Uma camada escura é formada sobre objetos de prata exposta a uma atmosfera poluída contendo compostos de enxofre. Esta camada pode ser removida quimicamente envolvendo os objetos em questão com

Leia mais

: fórmula mínima M = (1. 12 + 4. 1) g/mol M = 16g/mol. b) A equação química do processo é: (g) + 2O 2. (g) CO 2. (g) + 2H 2

: fórmula mínima M = (1. 12 + 4. 1) g/mol M = 16g/mol. b) A equação química do processo é: (g) + 2O 2. (g) CO 2. (g) + 2H 2 20 A Bolívia é um grande produtor de gás natural (metano) e celebrou com o Brasil um acordo para a utilização deste importante recurso energético. Para seu transporte até os centros consumidores, há um

Leia mais

QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE

QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE QUESTÃO 01 Um estudante listou os seguintes processos como exemplos de fenômenos que envolvem reações químicas: I adição de álcool à gasolina. II fermentação da massa

Leia mais

FUNÇÕES INORGÂNICAS. Ácido, Base, Sal e Óxido. Paulo Migoto

FUNÇÕES INORGÂNICAS. Ácido, Base, Sal e Óxido. Paulo Migoto FUNÇÕES INORGÂNICAS Ácido, Base, Sal e Óxido Paulo Migoto Caderno II Frente II ÁCIDOS E BASES (HIDRÓXIDOS) Aulas 10 a 12 Paulo Migoto Funções químicas Função química corresponde a um conjunto de substâncias

Leia mais

Química B Extensivo V. 3

Química B Extensivo V. 3 Química B Extensivo V. 3 01) Alternativa correta: D Exercícios A água pura (destilada ) não é condutora de eletricidade pois não há presença de sais lá, mas a partir do momento que se adiciona alguma substância

Leia mais

Exercícios de ph Turma Evolução

Exercícios de ph Turma Evolução . A forma dos fios do cabelo (liso ou ondulado) se deve à forma das estruturas proteicas da queratina. Promovendo reações químicas nas ligações dissulfeto (RSSR) presentes na proteína, é possível alterar

Leia mais

Prof. Jair Alberto. Funções Inorgânicas. Prof. Busato. Química

Prof. Jair Alberto. Funções Inorgânicas. Prof. Busato. Química Prof. Jair Alberto Funções Inorgânicas Funções químicas Função química corresponde a um conjunto de substâncias que apresentam propriedades químicas semelhantes. As substâncias inorgânicas podem ser classificadas

Leia mais

QUÍMICA. LIGAÇÕES QUÍMICAS -GEOMETRIA e POLARIDADE MOLECULAR - HIBRIDIZAÇÃO - FORÇAS INTERMOLECULARES - PIRES

QUÍMICA. LIGAÇÕES QUÍMICAS -GEOMETRIA e POLARIDADE MOLECULAR - HIBRIDIZAÇÃO - FORÇAS INTERMOLECULARES - PIRES QUÍMICA Prof. Daniel Pires LIGAÇÕES QUÍMICAS -GEOMETRIA e POLARIDADE MOLECULAR - HIBRIDIZAÇÃO - FORÇAS INTERMOLECULARES - PIRES 1. Considere as seguintes moléculas: H O; PC؃; BHƒ; SF e CO. a) Indique

Leia mais

UFU 2010/1 ABERTAS (1ª FASE = ENEM)

UFU 2010/1 ABERTAS (1ª FASE = ENEM) UFU 2010/1 ABERTAS (1ª FASE = ENEM) 1-Leia o texto a seguir. Com o passar do tempo, objetos de prata escurecem e perdem seu brilho em decorrência da oxidação desse metalpelo seu contato com oxigênio e

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q53 Ácidos de Arrhenius

Química. Resolução das atividades complementares. Q53 Ácidos de Arrhenius Resolução das atividades complementares 4 Química Q53 Ácidos de Arrhenius p 35 1 (UFRGS-RS) Admitindo-se 100% de ionização para o ácido clorídrico em solução diluída, pode-se afirmar que essa solução não

Leia mais

EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015. MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/

EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015. MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/ EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015 MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/ 01. Observe na tabela a distribuição percentual dos principais elementos químicos cujos átomos, combinados,

Leia mais

QUÍMICA. 01. A Coréia do Norte realizou, recentemente, um teste. 03. A Tabela abaixo apresenta a variação da pressão de

QUÍMICA. 01. A Coréia do Norte realizou, recentemente, um teste. 03. A Tabela abaixo apresenta a variação da pressão de QUÍMIA 01. A oréia do Norte realizou, recentemente, um teste nuclear subterrâneo, que foi condenado pelo onselho de Segurança da ONU. Sabe-se que as armas em desenvolvimento por aquele país estão baseadas

Leia mais

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas QUÍMICA è Revisão: Química inorgânica Hidróxidos fortes família 1A e 2A (exceto Ca e Mg) Ácidos fortes nº de oxigênios nº de hidrogênios > 2, principalmente nítrico (HNO 3 ), clorídrico (HCl) e sulfúrico

Leia mais

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO IX Olimpíada Capixaba de Química 2011 Prova do Grupo II 2 a série do ensino médio Fase 02 Aluno: Idade: Instituição de Ensino: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS

Leia mais

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão.

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão. QUÍMICA QUESTÃ 01 Aparelhos eletrônicos sem fio, tais como máquinas fotográficas digitais e telefones celulares, utilizam, como fonte de energia, baterias recarregáveis. Um tipo comum de bateria recarregável

Leia mais

COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA

COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA 97. A solubilidade do oxalato de cálcio a 20 C é de 33,0 g por 100 g de água. Qual a massa, em gramas, de CaC 2 O 4 depositada no fundo do recipiente quando 100 g de CaC 2 O 4

Leia mais

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Os metais alcalinos, ao reagirem com água, produzem soluções dos respectivos hidróxidos e gás hidrogênio. Esta tabela apresenta

Leia mais

Modelos Gerais de Ácidos, Bases e Reações Ácido-Base

Modelos Gerais de Ácidos, Bases e Reações Ácido-Base Modelos Gerais de Ácidos, Bases e Reações Ácido-Base Prof.: Willame Bezerra A Química dos Ácidos e Bases Os ácidos e as bases estão presentes em toda parte. Os vulcões e as fontes térmicas podem ser muito

Leia mais

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático).

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). 61 b A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação descrita

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q42 Ligação metálica

Química. Resolução das atividades complementares. Q42 Ligação metálica Resolução das atividades complementares 3 Química Q42 Ligação metálica p. 59 1 (Cefet-PR) Analise as afirmações a seguir: I. O metal X é leve, sofre pouca corrosão e é bastante utilizado na construção

Leia mais

RESOLUÇÃO COMENTADA DA PROVA DA UNESP DE 2014

RESOLUÇÃO COMENTADA DA PROVA DA UNESP DE 2014 RESOLUÇÃO COMENTADA DA PROVA DA UNESP DE 2014 1-Alguns historiadores da Ciência atribuem ao filósofo pré-socrático Empédocles a Teoria dos Quatro Elementos. Segundo essa teoria, a constituição de tudo

Leia mais

A resposta correta deve ser a letra B.

A resposta correta deve ser a letra B. ITA - 1999 1- (ITA-99) Assinale a opção CORRETA em relação à comparação das temperaturas de ebulição dos seguintes pares de substâncias: a) Éter dimetílico > etanol; Propanona > ácido etanóico; Naftaleno

Leia mais

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA Questão 1: As bebidas alcoólicas contêm etanol e podem ser obtidas pela destilação do álcool (ex. whiskey e vodka) ou pela fermentação de uma variedade de produtos como frutas e outros vegetais (ex. vinho

Leia mais

química 2 Questão 37 Questão 38 Questão 39 alternativa C na alternativa B. Sabendo-se que a amônia (NH 3)

química 2 Questão 37 Questão 38 Questão 39 alternativa C na alternativa B. Sabendo-se que a amônia (NH 3) química 2 Questão 37 Questão 38 abendo-se que a amônia (N 3) é constituída por moléculas polares e apresenta boa solubilidade em água. o diclorometano (2 2) não possui isômeros. ua molécula apresenta polaridade,

Leia mais

Lista de exercícios sobre funções inorgânicas.

Lista de exercícios sobre funções inorgânicas. Lista de exercícios sobre funções inorgânicas. 1. X é uma substância gasosa nas condições ambientes. Quando liquefeita, praticamente não conduz corrente elétrica, porém forma solução aquosa que conduz

Leia mais

a) H 2 S, ligação iônica b) H 2 S, ligação covalente c) HS 2, ligação iônica d) HS 2, ligação covalente e) H 2 S, ligação metálica

a) H 2 S, ligação iônica b) H 2 S, ligação covalente c) HS 2, ligação iônica d) HS 2, ligação covalente e) H 2 S, ligação metálica SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 1 TURMA(S):

Leia mais

A) a existência do oceano líquido é uma hipótese possível, pois um sal solúvel só forma uma mistura homogênea com a água, quando ela está líquida.

A) a existência do oceano líquido é uma hipótese possível, pois um sal solúvel só forma uma mistura homogênea com a água, quando ela está líquida. TEXTO PARA A QUESTÃO 1. Sonda espacial detecta sal de cozinha em lua de Saturno A análise da composição química do anel mais externo de Saturno revelou a presença de 98% de água, 1% de cloreto de sódio,

Leia mais

Ligações Químicas Ligação Iônica Ligação Metálica

Ligações Químicas Ligação Iônica Ligação Metálica Química Geral e Inorgânica QGI0001 Eng a. de Produção e Sistemas Prof a. Dr a. Carla Dalmolin Ligações Químicas Ligação Iônica Ligação Metálica Periodicidade O átomo é visto como uma esfera, onde só as

Leia mais

Gabaritos Resolvidos Energia Química Semiextensivo V3 Frente B

Gabaritos Resolvidos Energia Química Semiextensivo V3 Frente B 01) E a) Certa para Brönsted-Lowry, ácido é a espécie que doa próton e base á a que recebe próton; b) Certa quando uma espécie perde o próton, outra recebe. Assim, haverá um ácido e uma base de cada lado

Leia mais

Conteúdo para Recuperação Final de Química. 1 ano do Ensino Médio. Bimestre Apostila Tema Páginas

Conteúdo para Recuperação Final de Química. 1 ano do Ensino Médio. Bimestre Apostila Tema Páginas Conteúdo para Recuperação Final de Química 1 ano do Ensino Médio Bimestre Apostila Tema Páginas 1 1 2 Substâncias e átomos: tipos de substâncias, simples ou composta, íons, núcleo e eletrosfera, isótopos,

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza 1) a-) Calcular a solubilidade do BaSO 4 em uma solução 0,01 M de Na 2 SO 4 Dissolução do Na 2 SO 4 : Dado: BaSO

Leia mais

Volumetria ácido-base (continuação) Prof a Alessandra Smaniotto QMC 5325 - Química Analítica - Farmácia Turmas 02102A e 02102B

Volumetria ácido-base (continuação) Prof a Alessandra Smaniotto QMC 5325 - Química Analítica - Farmácia Turmas 02102A e 02102B Volumetria ácido-base (continuação) Prof a Alessandra Smaniotto QMC 5325 - Química Analítica - Farmácia Turmas 02102A e 02102B Curvas de titulação ² A curva de titulação é a representação gráfica de como

Leia mais

Resumo Teórico. Fala Gás Nobre! Tudo bem?

Resumo Teórico. Fala Gás Nobre! Tudo bem? Resumo Teórico 2 Fala Gás Nobre! Tudo bem? Já assistimos todos os vídeos sobre a Poluição da Água. Estamos cada vez mais próximos do sucesso. Por isso quero te entregar esse material que contém o resumo

Leia mais

SIMULADO DE QUÍMICA. 1) Para eliminar a poeira e outras impurezas sólidas do ar, muitos aparelhos de purificação usam método da:

SIMULADO DE QUÍMICA. 1) Para eliminar a poeira e outras impurezas sólidas do ar, muitos aparelhos de purificação usam método da: SIMULADO DE QUÍMICA 1) Para eliminar a poeira e outras impurezas sólidas do ar, muitos aparelhos de purificação usam método da: a) ( ) filtração; b) ( ) flotação; c) ( ) separação de mistura; d) ( ) ventilação.

Leia mais

Leis Ponderais e Cálculo Estequiométrico

Leis Ponderais e Cálculo Estequiométrico Leis Ponderais e Cálculo Estequiométrico 1. (UFF 2009) Desde a Antiguidade, diversos povos obtiveram metais, vidro, tecidos, bebidas alcoólicas, sabões, perfumes, ligas metálicas, descobriram elementos

Leia mais

Regras para cálculo do nox

Regras para cálculo do nox SÉRiE Rumo ao ITA Nº 02 ENSiN PRÉ-UNIVERSITÁRI PRFESSR(a) ALuN(a) SÉRGI MATS SEDE Nº TC TuRma TuRN DaTa / / QUÍMICA Número de xidação Número de oxidação (nox) ou estado de oxidação é a real ou imaginária

Leia mais

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) 3341-1244 www.colegiosantateresinha.com.br

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) 3341-1244 www.colegiosantateresinha.com.br PLANEJAMENTO DE AÇÕES DA 2 ª ETAPA 2015 PERÍODO DA ETAPA: 01/09/2015 á 04/12/2015 TURMA: 9º Ano EF II DISCIPLINA: CIÊNCIAS / QUÍMICA 1- S QUE SERÃO TRABALHADOS DURANTE A ETAPA : Interações elétricas e

Leia mais

QUÍMICA. Geral Funções Inorgânicas (I) Prof. Italo Mammini Filho

QUÍMICA. Geral Funções Inorgânicas (I) Prof. Italo Mammini Filho QUÍMICA Geral Funções Inorgânicas (I) Prof. Italo Mammini Filho Ácidos Segundo Arrhenius... Ionizar significa formar íons, ou seja, os ácidos são compostos moleculares (seus átomos se unem por ligações

Leia mais

Orientações e sugestões para o desenvolvimento de conteúdos e habilidades para aluno DV. Ciências da Natureza/Ensino Médio. Bloco da INDÚSTRIA QUÍMICA

Orientações e sugestões para o desenvolvimento de conteúdos e habilidades para aluno DV. Ciências da Natureza/Ensino Médio. Bloco da INDÚSTRIA QUÍMICA Orientações e sugestões para o desenvolvimento de conteúdos e habilidades para aluno DV Ciências da Natureza/Ensino Médio Bloco da INDÚSTRIA QUÍMICA Com o conhecimento de átomos e moléculas, passa-se a

Leia mais

Prof. Luiz F. Silva Jr - IQ-USP

Prof. Luiz F. Silva Jr - IQ-USP ü Leitura Recomendada: Organic Chemistry, J. Clayden, N. Greeves, S. Warren, P. Wothers, Oxford, Oxford, 2001, cap. 8. ü Compreender aspectos de acidez e basicidade é essencial em Química Orgânica: i)

Leia mais

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 11 Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 4 ), para que a água esteja em conformidade com

Leia mais

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42 Processo Seletivo/UNIFAL- janeiro 2008-1ª Prova Comum TIPO 1 QUÍMICA QUESTÃO 41 Diferentes modelos foram propostos ao longo da história para explicar o mundo invisível da matéria. A respeito desses modelos

Leia mais

UFSC. Química (Amarela) 31) Resposta: 43. Comentário

UFSC. Química (Amarela) 31) Resposta: 43. Comentário UFSC Química (Amarela) 1) Resposta: 4 01. Correta. Ao perder elétrons, o núcleo exerce maior atração sobre os elétrons restantes, diminuindo o raio. Li 1s2 2s 1 Li+ 1s 2 Raio atômico: átomo neutro > íon

Leia mais

CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO Paulo Henrique Saraiva Câmara SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES Frederico

Leia mais

FUNÇÕES INORGÂNICAS. Ácido, Base, Sal e Óxido. Professora: Wellington Dias

FUNÇÕES INORGÂNICAS. Ácido, Base, Sal e Óxido. Professora: Wellington Dias FUNÇÕES INORGÂNICAS Ácido, Base, Sal e Óxido Professora: Wellington Dias Funções químicas Função química corresponde a um conjunto de substâncias que apresentam propriedades químicas semelhantes. As substâncias

Leia mais

REVISÃO FINAL AVALIAÇÃO GLOBAL 2.ª ETAPA

REVISÃO FINAL AVALIAÇÃO GLOBAL 2.ª ETAPA REVISÃO FINAL AVALIAÇÃO GLOBAL 2.ª ETAPA POLARIDADE DAS MOLÉCULAS As moléculas podem ser classificadas quanto à sua polaridade em dois grupos: polares ou apolares. Molécula apolar: µ R = 0 Molécula polar:

Leia mais

SÉRIE: 2º ano EM Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA

SÉRIE: 2º ano EM Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA SÉRIE: 2º ano EM Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA QUESTÃO 01 Em uma determinada transformação foi constatado que poderia ser representada

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL Conteúdos Competências / Habilidades Avaliação/Atividades

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL Conteúdos Competências / Habilidades Avaliação/Atividades Estrutura atômica I (Unid. 02 e 3) COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO

Leia mais

Lista de Exercícios. Química Inorgânica: Óxidos. Professor Anderson Dino

Lista de Exercícios. Química Inorgânica: Óxidos. Professor Anderson Dino Lista de Exercícios Química Inorgânica: Óxidos Professor Anderson Dino www.aulasdequimica.com.br O óxido é um composto químico binário formado por átomos de oxigênio com outro elemento em que o oxigênio

Leia mais

b) explique duas medidas adotadas pelo poder público para minimizar o problema da poluição atmosférica na cidade de São Paulo.

b) explique duas medidas adotadas pelo poder público para minimizar o problema da poluição atmosférica na cidade de São Paulo. 1. (Fuvest) Observe a imagem, que apresenta uma situação de intensa poluição do ar que danifica veículos, edifícios, monumentos, vegetação e acarreta transtornos ainda maiores para a população. Trata-se

Leia mais

Teoria de Arrhenius. Ácidos: definição e classificação

Teoria de Arrhenius. Ácidos: definição e classificação Química Teoria de Arrhenius Eletrólitos e não eletrólitos. Soluções eletrolíticas e não eletrolíticas. Ionização: formação de íons em uma solução devido à reação das moléculas de uma substância dissolvida

Leia mais

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron.

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron. Cálculos Químicos MASSA ATÔMICA Na convenção da IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada) realizada em 1961, adotou-se como unidade padrão para massa atômica o equivalente a 1/12 da massa

Leia mais

MÓDULO 4 Estudo Físico dos Gases... 13 Transformações Gasosas Equação de Estado Hipótese de Avogrado

MÓDULO 4 Estudo Físico dos Gases... 13 Transformações Gasosas Equação de Estado Hipótese de Avogrado Química SUMÁRIO Química 1 MÓDULO 3 Ligações Químicas... 3 Ligações Iônica, ovalente, ovalente Dativa e Metálica Eletrólitos e não Eletrólitos Soluções Eletrolíticas e Soluções não Eletrolíticas Química

Leia mais

Equilíbrio Ácido-Básico. Água : solvente das reações químicas

Equilíbrio Ácido-Básico. Água : solvente das reações químicas Equilíbrio Ácido-Básico Água : solvente das reações químicas Introdução Polaridade molecular: moléculas que possuem uma maior concentração de cargas numa parte da molécula. Os elétrons são compartilhados

Leia mais

FUNÇÕES INORGÂNICAS. Prof. Norma Sá

FUNÇÕES INORGÂNICAS. Prof. Norma Sá FUNÇÕES INORGÂNICAS Prof. Norma Sá FUNÇÕES INORGÂNICAS Identificação das Funções: ÁCIDOS começam com H. BASES terminam com OH. ÓXIDOS formados por 2 elementos, sendo um deles o oxigênio. HIDRETOS formados

Leia mais

Nº máximo 2 8 18 32 32 18 2. Camadas K L M N O P Q 20 Ca (Z=20) 2 8??

Nº máximo 2 8 18 32 32 18 2. Camadas K L M N O P Q 20 Ca (Z=20) 2 8?? Ligações químicas Na natureza, todos os sistemas tendem a adquirir a maior estabilidade possível. Os átomos ligam-se uns aos outros para aumentar a sua estabilidade. Os gases nobres são as únicas substâncias

Leia mais

Funções Inorgânicas. Base Peróxido Básico

Funções Inorgânicas. Base Peróxido Básico PROFESSOR: EQUIPE DE QUÍMICA BANCO DE QUESTÕES - QUÍMICA ORGÂNICA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO - PARTE 4 ============================================================================================= Funções

Leia mais

FCAV/ UNESP EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE

FCAV/ UNESP EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE FCAV/ UNESP EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE Prof a. Dr a. Luciana M. Saran 1 Tópicos da Aula: Substâncias que interferem no equilíbrio químico da água; Equilíbrio ácido-base; Soluções ácidas, neutras e alcalinas;

Leia mais

ELETROQUÍMICA (Parte II)

ELETROQUÍMICA (Parte II) ELETROQUÍMICA (Parte II) I ELETRÓLISE A eletrólise é um processo de oxirredução não espontâneo, em que a passagem da corrente elétrica em uma solução eletrolítica (solução com íons), produz reações químicas.

Leia mais

Lista exercícios N1 Química Geral Tabela Periódica, distribuição eletrônica e ligações químicas.

Lista exercícios N1 Química Geral Tabela Periódica, distribuição eletrônica e ligações químicas. 1 Parte I - Considere as informações abaixo: Lista exercícios N1 Química Geral Tabela Periódica, distribuição eletrônica e ligações químicas. Núcleo: Prótons e nêutrons. Eletrosfera: elétrons Os átomos

Leia mais

LIGAÇÕES QUÍMICAS TEORIA CORPUSCULAR

LIGAÇÕES QUÍMICAS TEORIA CORPUSCULAR LIGAÇÕES QUÍMICAS 5 TEORIA CORPUSCULAR 1 INTRODUÇÃO O fato de os gases nobres existirem na natureza como átomos isolados, levou os cientistas KOSSEL e LEWIS a elaborar um modelo para as ligações químicas.

Leia mais

Projeto Embuá Unidade de Aprendizagem: ENERGIA

Projeto Embuá Unidade de Aprendizagem: ENERGIA Projeto Embuá Unidade de Aprendizagem: ENERGIA Energia para realizar reações químicas: eletrólise do iodeto de potássio aquoso Existem reações químicas não espontâneas, mas que são realizadas com rapidez

Leia mais

Função química Conjunto

Função química Conjunto Função química Conjunto de compostos que possuem comportamento semelhantes As principais funções inorgânicas são : Os ácidos As bases Os sais Os óxidos Mas você sabe identificar? Ácidos Do ponto de vista

Leia mais

Tabel e a l P rió dica

Tabel e a l P rió dica Tabela Periódica Desenvolvimento histórico da Tabela Periódica Dmitri Mendeleev (1834-1907 ) Escreveu em fichas separadas as propriedades (estado físico, massa, etc) dos elementos químicos. Enquanto arruma

Leia mais

Polaridade de moléculas

Polaridade de moléculas Polaridade de moléculas 01. (Ufscar) É molécula polar: a) C 2 H 6. b) 1,2-dicloroetano. c) CH 3 Cl. d) p-diclorobenzeno. e) ciclopropano. 02. (Mackenzie) As fórmulas eletrônicas 1, 2 e 3 a seguir, representam,

Leia mais

1.5. Ácidos e Bases (Bibliografia Principal: Brown, 2nd) Primeira Definição: Arrhenius (1884)

1.5. Ácidos e Bases (Bibliografia Principal: Brown, 2nd) Primeira Definição: Arrhenius (1884) 1.5. Ácidos e Bases (Bibliografia Principal: Brown, 2nd) i) Reações orgânicas são catalisadas por: a) ácidos doadores de prótons (Ex: H 3 O + ) b) ácidos de Lewis (Ex: AlCl 3 ) ii) Muitas reações em química

Leia mais