FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES LINHAS DE FINANCIAMENTO BNDES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES LINHAS DE FINANCIAMENTO BNDES"

Transcrição

1 FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES LINHAS DE FINANCIAMENTO BNDES Desde 2000, a ABINEE firmou convênio com o BNDES, para a instalação de um Posto de Informações, na sede da entidade, com o objetivo de facilitar a divulgação de informações sobre o acesso das pequenas e médias empresas às suas linhas de financiamento. O DRI presta atendimento, no referido Posto, sobre as linhas disponíveis no mercado, condições e exigências para a obtenção dos financiamentos voltados especificamente às exportações, através das instituições financeiras credenciadas. Confira abaixo. BNDES-EXÍM PRÉ-EMBARQUE Financiamento ao exportador, com Receita Operacional Bruta (ROB), anual igual ou superior a R$ 90 milhões, na fase pré-embarque da produção de bens e serviços, destinados à exportação. Os bens financiáveis estão segmentados por NCMs nos Grupos I (bens de capital), II (bens de consumo) e III (bens especiais), apoiados conforme avaliação prévia no BNDES. IMPORTANTE EM VIGÊNCIA O PSI PROGRAMA BNDES DE SUSTENTAÇÃO DO INVESTIMENTO SUBPROGRAMA DE EXPORTAÇÃO PRÉ-EMBARQUE, ATÉ , ATRAVÉS DO QUAL PODERÃO SER PLEITEADOS FINANCIAMENTOS, NA FASE PRÉ-EMBARQUE, PARA A PRODUÇÃO DE BENS DE CAPITAL, DESTINADOS À EXPORTAÇÃO, POR EMPRESA EXPORTADORA, PRODUTORA DE BENS DE CAPITAL, CADASTRADA NO SISCOMEX E CONSTANTE NOS REGISTROS DE EXPORTAÇÃO (RE). O PSI CONTEMPLA A LINHA PRÉ-EMBARQUE E PRE-EMBARQUE EMPRESA ÂNCORA. OS ITENS FINANCIÁVEIS SÃO OS BENS DE CAPITAL INDICADOS NO GRUPO I (BNDES), EXCETO OS CÓDIGOS E , QUE APRESENTEM INDICE DE NACIONALIZAÇÃO, EM VALOR E PESO, IGUAL OU SUPERIOR A 60%, OU CUMPRIR PPB. PRAZO DE VIGÊNCIA OPERAÇÕES DE FINANCIAMENTO PROTOCOLADAS ATÉ 30 DE NOVEMBRO DE 2015 E CONTRATADAS ATÉ 31 DE DEZEMBRO DE BNDES- PRÉ EMBARQUE ÁGIL Financiamento ao exportador, na fase pré-embarque, da produção destinada à exportação de bens indicados na Relação de Produtos Financiáveis, associada a um Compromisso de Exportação, para um período de 6 a 36 meses. Operação indireta, realizada através das instituições financeiras credenciadas. OBS: PARA PRODUÇÃO DE BENS DE CAPITAL DESTINADOS À EXPORTAÇÃO, NA FASE PRÉ EMBARQUE, QUE FAÇAM PARTE DO GRUPO I DA RELAÇÃO DE PRODUTOS FINANCIÁVEIS DO BNDES (EXCETO CÓDIGOS E ), O FINANCIAMENTO OCORRERÁ NO ÂMBITO DO BNDES-PSI EXPORTAÇÃO PRÉ EMBARQUE, COM CONDIÇÕES MAIS FAVORÁVEIS DURANTE A VIGÊNCIA DO PROGRAMA. PARA OS DEMAIS BENS E SERVIÇOS, O RECEBIMENTO DE SOLICITAÇÕES DE FINANCIAMENTO NO ÂMBITO DESTA LINHA ESTÁ TEMPORARIAMENTE SUSPENSO. BNDES-EXÍM PRÉ-EMBARQUE ESPECIAL Financiamento ao exportador, na fase pré-embarque, da produção destinada à exportação de bens indicados na Relação de Produtos Financiáveis, visando o incremento das exportações brasileiras. Operação indireta, realizada através das instituições financeiras credenciadas. OBS: PARA PRODUÇÃO DE BENS DE CAPITAL DESTINADOS À EXPORTAÇÃO, NA FASE PRÉ EMBARQUE, QUE FAÇAM PARTE DO GRUPO I DA RELAÇÃO DE PRODUTOS FINANCIÁVEIS DO BNDES (EXCETO CÓDIGOS E ), O FINANCIAMENTO OCORRERÁ NO ÂMBITO DO BNDES-PSI EXPORTAÇÃO PRÉ EMBARQUE, COM CONDIÇÕES MAIS FAVORÁVEIS DURANTE A VIGÊNCIA DO PROGRAMA. PARA OS DEMAIS BENS E SERVIÇOS, O RECEBIMENTO DE SOLICITAÇÕES DE FINANCIAMENTO NO ÂMBITO DESTA LINHA ESTÁ TEMPORARIAMENTE SUSPENSO.

2 BNDES- PRÉ EMBARQUE EMPRESA ÂNCORA Financiamento, na fase pré-embarque, da comercialização dos bens indicados na Relação de Produtos Financiáveis, produzidos por micro, pequenas e médias empresas, através de empresa exportadora (empresa-âncora). Devem apresentar índice de nacionalização mínimo de 60%, em valor e peso, ou estar enquadrados no PPB. Operação indireta, realizada através das instituições financeiras credenciadas. IMPORTANTE CONTEMPLADO TAMBÈM PELO PSI PROGRAMA BNDES DE SUSTENTAÇÃO DO INVESTIMENTO. BNDES-EXÍM PÓS-EMBARQUE O BNDES apoia a comercialização, no exterior, de bens e serviços brasileiros por meio do BNDES- Exím Pós Embarque, através de duas modalidades: 1. SUPPLIER CREDIT crédito ao exportador. A colaboração financeira ocorre por meio da apresentação ao BNDES de títulos ou documentos do principal e juros do financiamento concedido pelo exportador ao importador. Esses títulos são descontados, pelo BNDES, sendo o resultado do desconto liberado à empresa exportadora; 2. BUYER CREDIT crédito ao importador. Nessas operações os contratos de financiamento são estabelecidos diretamente entre o BNDES e a empresa importadora, com interveniência do exportador. As operações são analisadas caso a caso, podendo atender estruturas específicas de garantias e desembolso. Por terem condições diferenciadas e envolverem diretamente o importador, possuem custo relativo mais elevado que a modalidade Supplier, além de possuírem prazo de análise mais longo. BNDES EXIM AUTOMÁTICO Uma nova linha de financiamento, para favorecer os exportadores brasileiros, apoiando a comercialização de bens brasileiros no exterior, na fase pós-embarque, por meio de uma rede de bancos credenciados pelo BNDES no exterior. O produto pode ser operado por duas modalidades: 1) Desconto de Carta de Crédito financiamento por meio de desconto de carta de crédito, emitida ou confirmada pelo banco no exterior em favor do exportador; 2) Formalização contratual financiamento por meio de instrumento contratual específico com o BNDES e emissão de autorizações de desembolso dos recursos diretamente para o exportador. Em ambas as estruturas não há direito de regresso contra o exportador. Destina-se aos exportadores brasileiros, inclusive tradings companies, aos importadores e aos bancos no exterior, que terão uma linha de crédito competitiva e maior facilidade para originar operações com seus clientes locais. Os itens financiáveis são bens de capital e de consumo brasileiros. Condições: Prazo de financiamento: até 5 anos Pagamento de principal e de juros: semestral Taxa de juros do BNDES: Libor acrescida da remuneração do BNDES (de 0,4% a 1,35% ao ano, dependendo do país do banco no exterior) Despesas do exportador: - Comissão de administração do Banco Mandatário no Brasil até 1% flat sobre o valor liberado ao exportador ou até US$ 10 mil por operação + Remuneração do Banco no Exterior - Desconto de Carta de Crédito: Custo pela emissão ou confirmação da carta de crédito, que deve ser negociado entre o importador e o banco no exterior - Formalização contratual: Spread do banco no exterior pela assunção do risco do importador, que deve ser negociado entre o importador e o banco no exterior

3 CARACTERÍSTICAS MODALIDADE Pré-Embarque Pré-Embarque Empresa Âncora Pós-Embarque Beneficiários Nível de Participação do BNDES (Valor) % Empresa exportadora, de qualquer porte, constituída sob as leis brasileiras e que tenha sede e administração no país, inclusive trading company ou comercial exportadora (que deverão transferir os recursos diretamente às produtoras dos bens objeto do financiamento). Para bens do grupo I, subgrupo Máquinas até 70% do valor de exportação; Para bens do grupo I, exceto subgrupo Máquinas - Até 30% do valor de exportação; Para bens do grupo II e III, exceto automóveis de passeio até 90% do valor de exportação; Para serviços até 90% do valor de exportação. Empresas âncora que viabilizem a exportação indireta de bens produzidos por micro, pequenas ou médias empresas. Podem ser enquadradas nesta modalidade como empresas âncora, a critério do BNDES, trading companies, comerciais exportadoras ou demais empresas exportadoras que participem da cadeia produtiva e que adquiram a produção de determinado conjunto significativo de micro, pequenas ou médias empresas visando a sua exportação. Para bens do grupo I, subgrupo Máquinas até 30% do valor FOB; excluída a comissão do agente comercial e eventuais pré-pagamentos Demais bens classificados no grupo I - Até 30% do valor FOB; excluída a comissão do agente comercial e eventuais pré-pagamentos Para bens classificados no grupo II e III, exceto automóveis de passeio até 90% do valor FOB, excluída a comissão do agente comercial e eventuais pré-pagamentos Empresas de qualquer porte, exportadoras de bens e/ou serviços, constituídas pelas leis brasileiras, que tenham sede e administração no Brasil, incluindo-se trading companies e empresa comercial exportadora. Na modalidade Supplier Credit:: Até 100% do valor da exportação, no Incoterm constante do Registro de Operações de Crédito, do Siscomex, a critério do BNDES. PSI PRÉ EMBARQUE MPMEs Subgrupo máquinas do Grupo I - Até 70% do valor de exportação Para Média-Grandes e Grandes Empresas até 50% do valor de exportação PSI PRÉ EMBARQUE MPMEs Subgrupo máquinas do Grupo I - Até 70% do valor de exportação Para Média-Grandes e Grandes Empresas até 50% do valor de exportação Prazo do Financiamento Para máquinas do Grupo I, até 3 anos Para os demais bens e serviços até 2 anos Com prazo total de financiamento de 36 meses. Para máquinas do Grupo I, até 24 meses Para os demais itens até 18 meses Com prazo total de financiamento de 36 meses. O prazo total de financiamento a ser concedido pelo exportador ao importador não poderá ultrapassar 15 anos, devendo constar do Registro de Operações de Crédito (RC) do Siscomex. Na exportação de bens, o prazo deverá ser contado a partir da data de embarque.

4 Prazo de Amortização Para bens do grupo I, a amortização pode ser paga em parcela única ou dividida em até 24 parcelas mensais, e deve ser concluída na data limite do embarque. Para bens do grupo I, a amortização pode ser paga em parcela única ou dividida em até 18 parcelas mensais, e deve ser concluída na data limite do embarque. Para os demais bens e serviços. a amortização pode ser paga em parcela única ou dividida em até 12 parcelas mensais, e deve ser concluída na data limite do embarque. Para os demais bens e serviços. a amortização pode ser paga em parcela única ou dividida em até 12 parcelas mensais, e deve ser concluída na data limite do embarque. Em parcela única ou em até 24 parcelas mensais e sucessivas. Em parcela única ou em até 24 parcelas mensais e sucessivas. Encargos 50%TJLP e 50% TJFPE ou TS Subgrupo Máquinas Grupo I - + 1,5% a.a.+ 0,1% a.a.+ Renumeração Agente Financeiro Demais bens do Grupo I - +2,0% a.a.+0,1% a.a.+ Remuneração Agente Financeiro Bens classificados no Grupo II e III e serviços 100% TJLP ou TS + 2,0% a.a.+ 0,1% a.a. + Remuneração Agente Financeiro MPME s: Taxa fixa de 10% a.a. MÉDIAS E GRANDES EMPRESAS Taxa fixa de 11,0% a.a. 50%TJLP e 50% TJFPE ou TS Subgrupo Máquinas Grupo I - + 1,5% a.a.+ 0,1% a.a.+ Renumeração Agente Financeiro Demais bens do Grupo I - +2,0% a.a.+0,1% a.a.+ Remuneração Agente Financeiro Bens classificados no Grupo II e III e serviços 100% TJLP ou TS + 2,0% a.a.+ 0,1% a.a. + Remuneração Agente Financeiro MPME s: Taxa fixa de 10% a.a. MÉDIAS E GRANDES EMPRESAS Taxa fixa de 11,0% a.a. Custo Financeiro+Remuneração Básica do BNDES+Taxa de Risco LIBOR+Remuneração do BNDES de, no mínimo, 1,2% a.a.+ Taxa de Risco de Crédito Comissão de Administração até 1% flat sobre o valor liberado Comissão por Compromisso 0,5% a.a. Outros encargos o BNDES cobra encargos específicos no caso de necessidade de estudos e de estruturação da operação.. Negociadas entre a Instituição Financeira Credenciada e o cliente. Negociadas entre a empresa e o Agente Financeiro. Os títulos de crédito (notas promissórias e letras de câmbio), deverão ser garantidos por aval ou fiança bancária de instituições financeiras com limite de crédito de

5 seguradoras especializadas (SBCE ou outras). As cartas de crédito deverão ser emitidas por instituições financeiras, também como limite de crédito para operar com o BNDES ou por instituições autorizadas a operar no âmbito do CCR/Aladi. Seguro de crédito à Exportação emitido pela Agência Brasileira de Fundos Garantidores e S.A. ABPG ou por outras com limite de crédito aprovado pelo BNDES. INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS CREDENCIADAS JUNTO AO BNDES Última atualização: abril/2015 ABC-Brasil, ABN AMRO, AFParana, Agefepe AgeRio, Alfa BI, Alfa CFI Badesc, Badesul, Banco do Brasil, Bancoob, Bandes, Banese, Banestes, Banif, Banpara, Banrisul BM, Bansicredi, Barclays, Basa, BDMG, BI BM, Bicbanco, BNB, BNP Brasil, Boncred FI, Boncred LS, Bradesco BM, Bradesco Leasing, BRB, BRDE, BRP BM, BTG Pactual, BTMU BR, BV Leasing Caixa, Caixa Geral, Caterpillar BM, Cecred,Citibank BM, Citibank BR, CNH, CR Suisse BI, Credit Agri, Cresol Baser, Cresol SC-RS Daycoval BM, Desenbahia, Desenvolve SP, Deutsche BK, Dibens Leasing, DLL BM Fidis, Finep Goiasfomento, Guanabara BM HSBC BM Induscred, ING Bank, Itaú BBA, Itaú Unibanco BM, Itaubank, Itaúcard BM, Itaú Leasing John Deere BM, J. Safra, JP Morgan KDB BM, KEB BM Maxima BC, Maxinvest BM, Mercedes BM, Mercedes Leasing, Mizuho, Moneo BM, MT Fomento Paraná BM,Pine BM, Pto Real BI Rabobank, Randon BM, Rendimento BM, Rodobens BM Safra BM, Safra Leasing, Santander BM, Scania BM, Scotiabk BM, Semear, SG Brasil, Standard BI, Sumitomo BM Tribanco BM Unibanco BM, Uniprime CCM Volkswagen BM, Volvo BM, Votorantim BM Fonte: AC/DERIF Classificação de PORTE de empresa pelo BNDES: - Microempresas: receita operacional bruta anual ou anualizada até R$ ,00; - Pequenas empresas: receita operacional bruta anual ou anualizada superior a R$ ,00 e inferior ou igual a R$ ,00. - Médias empresas: receita operacional bruta anual ou anualizada superior a R$ ,00 e inferior ou igual a R$ ,00. - Médias-grandes empresas: receita operacional bruta anual ou anualizada superior a R$ ,00 e inferior ou igual a R$ ,00. - Grandes empresas: receita operacional bruta anual ou anualizada superior a R$ ,00.

6 PROEX PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES BANCO DO BRASIL Proex Financiamento - Financiamento ao exportador ou ao importador de bens e serviços brasileiros, realizado exclusivamente pelo Banco do Brasil, com recursos do Tesouro Nacional. Proex Equalização Exportação financiada pelas instituições financeiras, no país e no exterior, na qual o Proex paga parte dos encargos financeiros, tornando-os equivalentes àqueles praticados no mercado internacional. CARACTERÍSTICAS PROEX FINANCIAMENTO Beneficiárias Empresas exportadoras com faturamento anual bruto de R$ 600 milhões. Modalidades Financiamento Suplier s credit (ao exportador) e Buyer s credit (ao importador) PROEX EQUALIZAÇÃO A exportação é financiada por instituições financeiras ou de crédito (financiador) estabelecidas no País ou no exterior. Equalização Suplier s credit (ao exportador) e Buyer s credit (ao importador) Percentual Financiável Até 100% do valor da exportação para os financiamentos com prazo até 2 anos e até 85% do valor de exportação nos demais casos. Sem limite de valor. A equalização é calculada sobre até 85% do valor exportado, de acordo com a mercadoria, na modalidade incoterm pactuada. Bens de 60 dias até 10 anos Serviços será definido, caso a caso. Prazos Bens de 60 dias até 10 anos Serviços definidos pelo Comitê de Crédito às Exportações CCEx. Encargos Taxas de juros praticadas no mercado internacional. São negociados entre a instituição financiadora e o exportador. Aval, fiança ou carta de crédito de estabelecimento de crédito ou financeiro de primeira linha ou seguro de crédito à exportação. São negociadas entre a instituição financiadora e o exportador. Exigências do Agente Para a concessão do financiamento é pré-requisito que o exportador São negociadas entre a instituição financiadora e o exportador. esteja em situação regular com o INSS, FGTS e Receita Federal. Produtos Financiáveis Bens e Serviços (constantes da Portaria 58,de ,do MDIC) e Bens e Serviços Portaria MDIC nº 98, de Forma de Pagamento A amortização do financiamento é feita pelo importador em prestações O pagamento ao financiador ocorre por intermédio da emissão semestrais iguais e sucessivas. de Notas do Tesouro Nacional, da Série I (NTN-I). Moeda de Pagamento Dólar dos EUA ou outra moeda de livre conversibilidade. Notas do Tesouro Nacional. ACC ADIANTAMENTO SOBRE CONTRATO DE CÂMBIO

7 Adiantamento de recursos à empresa exportadora, em moeda nacional, referente a uma exportação a ser realizada no futuro. Beneficiárias Produtos elegíveis Prazo Cobertura Custo da Operação Fonte de Recursos Empresas exportadoras de qualquer porte. Todos os bens, sem distinção. Até 360 dias, antes do embarque. Adiantamento de até 100% do valor da exportação, com prazo de pagamento de até 750 dias nas fases préembarque (ACC) e pós-embarque (ACE) Cobrado sob a forma de juros, normalmente no momento da liquidação do contrato de câmbio, é arbitrado a partir da taxa LIBOR+spread incidentes sobre o valor em moeda estrangeira. Privados captados no exterior. Fidejussórias (pessoais) ou reais. No caso da não realização da exportação, será cobrado do exportador IOF, mais diferença entre taxa de juros pactuadas e a taxa SELIC, mais juros de mora e outros custos previstos no contrato. ACE ADIANTAMENTO SOBRE AS CAMBIAIS ENTREGUES Adiantamento de recursos, em moeda nacional, ao exportador, após o embarque da mercadoria para o exterior, mediante a transferência ao Banco dos direitos sobre a venda a prazo. Beneficiárias Produtos elegíveis Prazo Cobertura Custo da Operação Fonte de Recursos Empresas exportadoras de qualquer porte. Todos os bens, sem distinção. Prazo de até 390 dias após o embarque das mercadorias. Até 100% do valor exportado. Fixado pela instituição financeira, que acrescerá spread ao custo de captação no exterior, com base no porte da empresa, no risco da operação, etc. Normalmente, Libor+spread incidentes sobre o valor em moeda estrangeira. Privados, captados no exterior. Negociadas entre o exportador e a instituição financeira. São mais brandas que as do ACC, tendo em vista a ocorrência do embarque (ex: saque de exportação, seguro de crédito, etc.) Atualizado em abril/2015.

BNDES Operação PROGEREN - 13.12.2011

BNDES Operação PROGEREN - 13.12.2011 BNDES Operação PROGEREN - 13.12.2011 Objetivo Aumentar a produção, o emprego e a massa salarial, por meio do apoio financeiro para capital de giro. Vigência Até 31.12.2012. Clientes Podem ser clientes

Leia mais

Financiamento e Garantia às Exportações Um guia rápido aos exportadores brasileiros

Financiamento e Garantia às Exportações Um guia rápido aos exportadores brasileiros 2015 Financiamento e Garantia às Exportações Um guia rápido aos exportadores brasileiros Sumário Introdução... 2 O Programa PROEX... 2 PROEX Financiamento... 3 Mais Alimentos Internacional... 4 PROEX Equalização...

Leia mais

LINHAS DE FINANCIAMENTO - HIDROSP SISTEMAS HIDRÁULICOS LTDA

LINHAS DE FINANCIAMENTO - HIDROSP SISTEMAS HIDRÁULICOS LTDA LINHAS DE FINANCIAMENTO - HIDROSP SISTEMAS HIDRÁULICOS LTDA 1 - OUROCARD AGRO (Banco do Brasil) OuroCard Agro é um cartão de crédito, em que é possível adquirir bens e produtos agrícolas, por meio de financiamento

Leia mais

Guia Prático de acesso a. Linhas de Crédito. para promoção da

Guia Prático de acesso a. Linhas de Crédito. para promoção da Guia Prático de acesso a Linhas de Crédito para promoção da Sustentabilidade dos Cafeicultores 2ª edição, atualizada e revisada - Julho 2015 Introdução Caro produtor, Este Guia, patrocinado pelo Programa

Leia mais

Apoio do BNDES às Exportações ABIMAQ

Apoio do BNDES às Exportações ABIMAQ Apoio do BNDES às Exportações ABIMAQ São Paulo, 17.03.2015 Política de Privacidade: Documento Reservado Empresas do Sistema BNDES - Unidade Gestora AEX/DECEX3 Agenda 1. BNDES Exim 2. Linhas e Programas

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR AEX Nº 002/2015, de 30 de janeiro de 2015.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR AEX Nº 002/2015, de 30 de janeiro de 2015. BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AEX Nº 002/2015, de 30 de janeiro de 2015. Altera e consolida as Normas Operacionais da Linha de Financiamento BNDES Exim Pré-embarque

Leia mais

Apoio do BNDES às Exportações Fórum A Industria de Defesa no Estado do Paraná Curitiba, 21.07.2014

Apoio do BNDES às Exportações Fórum A Industria de Defesa no Estado do Paraná Curitiba, 21.07.2014 Apoio do BNDES às Exportações Fórum A Industria de Defesa no Estado do Paraná Curitiba, 21.07.2014 Política de Privacidade: Documento Reservado Empresas do Sistema BNDES - Unidade Gestora AEX/DESAL/GERI1

Leia mais

COMO FINANCIAR AS EXPORTAÇÕES PELO BNDES EXIM COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR

COMO FINANCIAR AS EXPORTAÇÕES PELO BNDES EXIM COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR BRASÍLIA, 2014 COMO FINANCIAR AS EXPORTAÇÕES PELO BNDES EXIM COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA - CNI Robson Braga de Andrade Presidente Diretoria

Leia mais

Apoio ao Exportador: mecanismos de financiamento

Apoio ao Exportador: mecanismos de financiamento Apoio ao Exportador: mecanismos de financiamento Apresentação do BNDES no ENCOMEX Empresarial Vitória Vitória, 09.08.2012 Política de Privacidade: Documento Reservado Empresas do Sistema BNDES - Unidade

Leia mais

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES: PROEX

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES: PROEX PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES: PROEX PROEX FINANCIAMENTO FINALIDADE: Proporcionar e apoiar o exportador brasileiro na comercialização com o exterior de bens e serviços em condições de financiamento

Leia mais

PROGRAMA BNDES-exim PÓS-EMBARQUE SUPPLIER CREDIT REGULAMENTO

PROGRAMA BNDES-exim PÓS-EMBARQUE SUPPLIER CREDIT REGULAMENTO PROGRAMA BNDES-exim PÓS-EMBARQUE Julho/2002 SUPPLIER CREDIT REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar a comercialização, no exterior, dos bens indicados na Relação de Produtos Financiáveis aprovada pelo BNDES e/ou

Leia mais

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais Classificação: Ostensivo Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Capítulo I - REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar, na fase pós-embarque, a comercialização,

Leia mais

O BNDES Mais Perto de Você

O BNDES Mais Perto de Você O BNDES Mais Perto de Você Rio de Janeiro - RJ 11 de março de 2010 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Federal Principal fonte de crédito de longo

Leia mais

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Capítulo I - REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar, na fase pós-embarque, a comercialização, no exterior, de bens

Leia mais

Departamento de Financiamentos da ABIMAQ Posto de Informações ABIMAQ/BNDES (11) 5582-6361 defi@abimaq.org.br www.abimaq.org.br

Departamento de Financiamentos da ABIMAQ Posto de Informações ABIMAQ/BNDES (11) 5582-6361 defi@abimaq.org.br www.abimaq.org.br Departamento de Financiamentos da ABIMAQ Posto de Informações ABIMAQ/BNDES (11) 5582-6361 defi@abimaq.org.br www.abimaq.org.br Serviços Prestados pelo Departamento de Financiamentos O Departamento de Financiamentos

Leia mais

XVII Fórum BNB de Desenvolvimento XVI Encontro Regional de Economia

XVII Fórum BNB de Desenvolvimento XVI Encontro Regional de Economia XVII Fórum BNB de Desenvolvimento XVI Encontro Regional de Economia Financiamento aos pequenos negócios como Estratégia de Desenvolvimento Formas de Operação Operações Diretas Contratadas diretamente com

Leia mais

Formas de apoio do BNDES

Formas de apoio do BNDES Formas de apoio do BNDES ABIMAQ São Paulo/SP 16 de junho de 2011 BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos Contexto BNDES FGI - Fundo Garantidor para Investimentos Micro, Pequena e Média Empresa Solicitação

Leia mais

O BNDES Mais Perto de Você. julho de 2009

O BNDES Mais Perto de Você. julho de 2009 O BNDES Mais Perto de Você julho de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União Federal; Principal fonte de crédito de longo prazo; Subsidiárias BNDESPar

Leia mais

bancos com agência em Lavras, MG

bancos com agência em Lavras, MG bancos com agência em Lavras, MG 237 Banco Bradesco S.A. 756 Banco Cooperativo do Brasil S.A. - BANCOOB 001 Banco do Brasil S.A. 389 Banco Mercantil do Brasil S.A. 033 Banco Santander (Brasil) S.A. 104

Leia mais

CRÉDITO PARA O COMÉRCIO FECOMERCIO SP. Automático BNDES

CRÉDITO PARA O COMÉRCIO FECOMERCIO SP. Automático BNDES $ CRÉDITO FECOMERCIO SP PARA O COMÉRCIO BNDES Automático Apresentação A Federação do Comércio do Estado de São Paulo, FECOMERCIO SP, elegeu como sua prioridade a questão do crédito para as pequenas e médias

Leia mais

Recebíveis. Antecipação de Crédito Lojista ACL. BB Giro Cartões. BB Giro Recebíveis. Desconto de Cheques. Desconto de Títulos

Recebíveis. Antecipação de Crédito Lojista ACL. BB Giro Cartões. BB Giro Recebíveis. Desconto de Cheques. Desconto de Títulos Atualizada em 29/04/2015 Capital de Giro BB Capital de Giro Mix Pasep Recebíveis Antecipação de Crédito Lojista ACL Financiamento de Investimentos BB Crédito Empresa BB Giro Empresa Flex BB Giro Cartões

Leia mais

Análise de Custo do Crédito

Análise de Custo do Crédito Análise de Custo do Crédito 07 de Março de 2013 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP elaborou um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com o

Leia mais

O BNDES mais perto de você. abril de 2009

O BNDES mais perto de você. abril de 2009 O BNDES mais perto de você abril de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União Federal; Principal fonte de crédito de longo prazo; Apoio ao mercado

Leia mais

TAXAS DE JUROS COBRADAS POR BANCOS EM OPERAÇÕES DE CRÉDITO

TAXAS DE JUROS COBRADAS POR BANCOS EM OPERAÇÕES DE CRÉDITO TAXAS DE JUROS COBRADAS POR BANCOS EM OPERAÇÕES DE CRÉDITO Período: de 18/9/2012 a 24/9/2012 * Modalidade: Desconto de duplicatas, tipo prefixado TAXA DE JUROS Banco Citibank S A 1,02 12,95 Banco ABC Brasil

Leia mais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 11 - Exportação SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 11 - Exportação SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. Este capítulo dispõe sobre as operações no mercado de câmbio relativas às exportações brasileiras de mercadorias e de serviços. 2. O exportador de mercadorias ou de serviços

Leia mais

Feira Internacional da Amazônia Manaus - AM

Feira Internacional da Amazônia Manaus - AM O BNDES Mais Perto de Você Feira Internacional da Amazônia Manaus - AM 25 de novembro de 2009 Como apoiamos Operações Diretas Contratadas t diretamente t com o BNDES Operações Indiretas Instituições i

Leia mais

TUDO PARA VOCÊ EXPORTAR

TUDO PARA VOCÊ EXPORTAR ============================================================ TUDO PARA VOCÊ EXPORTAR ============================================================ APEX, Correios, Banco do Brasil e BNDES (Utilidade Pública

Leia mais

BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos. Agosto de 2011

BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos. Agosto de 2011 BNDES FGI BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos Agosto de 2011 Por que solicitar a garantia do BNDES FGI? Em que ela é útil? A garantia do BNDES FGI pode aumentar as chances de uma empresa conseguir

Leia mais

Paulo Sérgio Sodré. Departamento de Credenciamento e Financiamento

Paulo Sérgio Sodré. Departamento de Credenciamento e Financiamento 1 Paulo Sérgio Sodré Departamento de Credenciamento e Financiamento Máquinas áqu as e equipamentos equ pa e tos 2 BNDES Missão Promover o desenvolvimento sustentável e competitivo da economia brasileira,

Leia mais

Produtos e Serviços. Convênio. Banco do Brasil S.A. e ABIMAQ

Produtos e Serviços. Convênio. Banco do Brasil S.A. e ABIMAQ Produtos e Serviços Convênio Banco do Brasil S.A. e ABIMAQ 2 Prezadas Associadas, As informações aqui tratadas foram disponibilizadas pelo Banco do Brasil e orientam sua empresa como obter os benefícios

Leia mais

Mercado de Câmbio. Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas.

Mercado de Câmbio. Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas. Definição: Mercado de Câmbio Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas. O mercado de Câmbio de TAXAS LIVRES opera com o dólar comercial. TAXAS FLUENTES opera com o dólar flutuante

Leia mais

Linha BNDES Exim Automático

Linha BNDES Exim Automático Linha BNDES Exim Automático Ajudando sua empresa a exportar mais através da rede de bancos credenciados do BNDES no exterior Como incrementar as exportações da minha empresa oferecendo mais prazo de pagamento

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 03 de Abril de 2014

Análise de Custo do Crédito 03 de Abril de 2014 Análise de Custo do Crédito 03 de Abril de 2014 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

Propostas do BNDES para o Desenvolvimento da Aquicultura Brasileira

Propostas do BNDES para o Desenvolvimento da Aquicultura Brasileira Propostas do BNDES para o Desenvolvimento da Aquicultura Brasileira Jaldir Freire Lima Maio/2014 Diagnóstico Linhas de crédito convencionais são pouco adequadas à realidade do setor Principais dificuldades:

Leia mais

BNDES-exim Linhas de Financiamento à Exportação

BNDES-exim Linhas de Financiamento à Exportação Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES-exim Linhas de Financiamento à Exportação Centro das Indústrias do Estado de São Paulo São Paulo, 20 de junho de 2007 BNDES-exim: Objetivos Oferecer

Leia mais

ASSESSORIA AO CRÉDITO E INOVAÇÃO Incentivando o Desenvolvimento Mineiro. Departamento de Economia Posto de Informações do BNDES Posto Avançado do BDMG

ASSESSORIA AO CRÉDITO E INOVAÇÃO Incentivando o Desenvolvimento Mineiro. Departamento de Economia Posto de Informações do BNDES Posto Avançado do BDMG ASSESSORIA AO CRÉDITO E INOVAÇÃO Incentivando o Desenvolvimento Mineiro Departamento de Economia Posto de Informações do BNDES Posto Avançado do BDMG www.bndes.gov.br LINHAS DE CRÉDITO BNDES Automático

Leia mais

Apoio do BNDES às Empresas de Comércio e Serviços. São Paulo - SP 24.jun.2015

Apoio do BNDES às Empresas de Comércio e Serviços. São Paulo - SP 24.jun.2015 Apoio do BNDES às Empresas de Comércio e Serviços São Paulo - SP 24.jun.2015 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Principal fonte de crédito de longo

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 26 de Fevereiro de 2015

Análise de Custo do Crédito 26 de Fevereiro de 2015 Análise de Custo do Crédito 26 de Fevereiro de 2015 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil,

Leia mais

EQ PS -Fortaleza. Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

EQ PS -Fortaleza. Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social EQ PS -Fortaleza Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software Marcio Wegmann masil@bndes.gov.br Depto. Indústria Eletrônica Área Industrial Princípios Norteadores da Atuação do BNDES

Leia mais

Financiamentos à exportação de bens e serviços através de instituições financeiras credenciadas, nas modalidades:

Financiamentos à exportação de bens e serviços através de instituições financeiras credenciadas, nas modalidades: Linhas de Apoio à Exportação do BNDES Financiamentos à exportação de bens e serviços através de instituições financeiras credenciadas, nas modalidades: Pré-embarque: financia a produção de bens a serem

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Transportadoras de Carga. São Paulo - SP 16.abr.2015

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Transportadoras de Carga. São Paulo - SP 16.abr.2015 Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Transportadoras de Carga São Paulo - SP 16.abr.2015 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Principal fonte

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 29 de Janeiro de 2015

Análise de Custo do Crédito 29 de Janeiro de 2015 Análise de Custo do Crédito 29 de Janeiro de 2015 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos. Dezembro de 2011

BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos. Dezembro de 2011 BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos Dezembro de 2011 Contexto Solicitação de financiamento MPME Exigência de garantias Agente Financeiro BNDES FGI Atua como complementador de garantias para o

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 29 de Maio de 2014

Análise de Custo do Crédito 29 de Maio de 2014 Análise de Custo do Crédito 29 de Maio de 2014 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR AEX Nº 008/2016, de 10 de maio de 2016.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR AEX Nº 008/2016, de 10 de maio de 2016. BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AEX Nº 008/2016, de 10 de maio de 2016. Ref.: Circular AEX nº 002/2016, de 29 de janeiro de 2016. Ass.: Alteração das Normas Operacionais

Leia mais

Financiamento ao comércio exterior e apoio aos negócios internacionais

Financiamento ao comércio exterior e apoio aos negócios internacionais Financiamento ao comércio exterior e apoio aos negócios internacionais Bento Gonçalves RS Novembro de 2012 Participação de mercado (janeiro a outubro de 2012) Grandes números Adiantamento sobre Contrato

Leia mais

Linhas de Financiamento para a Construção Civil

Linhas de Financiamento para a Construção Civil Linhas de Financiamento para a Construção Civil Câmara Brasileira da Indústria de Construção 16 de dezembro de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da

Leia mais

O BNDES Mais Perto de Você. Santos - SP 22 de maio de 2014

O BNDES Mais Perto de Você. Santos - SP 22 de maio de 2014 O BNDES Mais Perto de Você Santos - SP 22 de maio de 2014 Agenda Informações Institucionais Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas Projetos de Investimento Aquisição de Máquinas e Equipamentos Capital

Leia mais

RANKING NACIONAL DE CRÉDITO RURAL - MAIO/2009

RANKING NACIONAL DE CRÉDITO RURAL - MAIO/2009 Rural Mercantil do Brasil Banestes RANKING NACIONAL DE CRÉDITO RURAL - MAIO/2009 Saldo devedor do Crédito Rural em R$ mil 16.000.000 14.000.000 12.000.000 10.000.000 8.000.000 6.000.000 4.000.000 5,9 %

Leia mais

PROSOFT. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES

PROSOFT. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação PROSOFT Agosto / 2008 1 Definições:

Leia mais

FGO e FGI. Fundos garantidores de risco de crédito Como as micro, pequenas e médias empresas podem se beneficiar. 2ª Edição

FGO e FGI. Fundos garantidores de risco de crédito Como as micro, pequenas e médias empresas podem se beneficiar. 2ª Edição FGO e FGI Fundos garantidores de risco de crédito Como as micro, pequenas e médias empresas podem se beneficiar 2ª Edição Brasília 2010 Sumário Apresentação 5 5 1 O que é o fundo garantidor de risco de

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Outubro 2009

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Outubro 2009 Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Outubro 2009 BH COPA 2014 Agenda Resumo Institucional Os Projetos que Apoiamos Formas de Atuação Condições de Financiamento Fechamento Agenda Resumo

Leia mais

Apoio às MPMEs. Sorocaba/SP. 30 de novembro de 2011

Apoio às MPMEs. Sorocaba/SP. 30 de novembro de 2011 Apoio às MPMEs Sorocaba/SP 30 de novembro de 2011 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Infra-estrutura

Leia mais

PROEX Onde Globalização é Sinônimo de Oportunidade.

PROEX Onde Globalização é Sinônimo de Oportunidade. PROEX Onde Globalização é Sinônimo de Oportunidade. Com a globalização, o mundo passou a formar um mercado gigantesco, sem barreiras e limites. Hoje, a qualidade dos produtos é a única fronteira que separa

Leia mais

11º Encontro Técnico de Alto Nível: Compostagem

11º Encontro Técnico de Alto Nível: Compostagem 11º Encontro Técnico de Alto Nível: Compostagem São Paulo / SP 02 de outubro de 2015 Mercado Brasileiro de Fertilizantes Situação atual do mercado nacional de fertilizantes minerais: altamente dependente

Leia mais

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet. Curitiba / PR 17 de março de 2014

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet. Curitiba / PR 17 de março de 2014 Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet Curitiba / PR 17 de março de 2014 Agenda Informações Institucionais Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas Projetos de Investimento Aquisição de Máquinas

Leia mais

9.4. Benefícios creditícios

9.4. Benefícios creditícios 9.4. Benefícios creditícios CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: FORTUNA, Eduardo. Mercado Financeiro Produtos e Serviços. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1996. VAZQUEZ, José Lopes.

Leia mais

A sistemática dos financiamentos sujeitos à TJ-462 será a mesma vigente para a TJLP, inclusive no que se refere à:

A sistemática dos financiamentos sujeitos à TJ-462 será a mesma vigente para a TJLP, inclusive no que se refere à: Capítulo II CONDIÇÕES GERAIS 1. SISTEMÁTICA DE CÁLCULO DOS JUROS. Os juros, aí considerados o Custo Financeiro, a Remuneração do BNDES e a Remuneração do Agente Financeiro, serão calculados sobre o saldo

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 12 de Novembro de 2015

Análise de Custo do Crédito 12 de Novembro de 2015 Análise de Custo do Crédito 12 de Novembro de 2015 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil,

Leia mais

Comercio Exterior na CAIXA ENCOMEX. Maio/2014

Comercio Exterior na CAIXA ENCOMEX. Maio/2014 Comercio Exterior na CAIXA ENCOMEX Maio/2014 Histórico Comercio Exterior na CAIXA Licença para operar Comércio Exterior Autorização BACEN para Operações de Câmbio Lançamento NCE Lançamento ACC/ACE Primeiro

Leia mais

Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Normas Operacionais Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Capítulo I - REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar, na fase pós-embarque, a comercialização, no exterior, de bens de fabricação nacional, observadas

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 30 de janeiro de 2014

Análise de Custo do Crédito 30 de janeiro de 2014 Análise de Custo do Crédito 30 de janeiro de 2014 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

CIRCULAR SUP/AOI Nº 26/2015-BNDES. Rio de Janeiro, 03 de julho de 2015. Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing

CIRCULAR SUP/AOI Nº 26/2015-BNDES. Rio de Janeiro, 03 de julho de 2015. Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 26/2015-BNDES Rio de Janeiro, 03 de julho de 2015 Ref.: Ass.: Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing Refinanciamento de

Leia mais

IRPF - Limites para DIRPF

IRPF - Limites para DIRPF IRPF - Limites para DIRPF SUMÁRIO: 1. 1. Exercício 2013 Quadro de Limites e Tabelas a Serem Observados pela Pessoa Física DISCRIMINAÇÃO OBRIGATORIEDADE DE ENTREGA DA DIRPF/2013 - Declaração de Ajuste Anual

Leia mais

Análise de Custo do Crédito

Análise de Custo do Crédito Análise de Custo do Crédito 22 de Novembro de 2012 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP elaborou um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

Senado Federal. O BNDES e o Apoio ao Setor de Software

Senado Federal. O BNDES e o Apoio ao Setor de Software Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática O BNDES e o Apoio ao Setor de Software Alan Fischler Área Industrial Depto das Industrias de TICs 11/04/2012 Brasília

Leia mais

PROEX E FINANCIAMENTO AO COMÉRCIO EXTERIOR

PROEX E FINANCIAMENTO AO COMÉRCIO EXTERIOR PROEX E FINANCIAMENTO AO COMÉRCIO EXTERIOR Proex É um programa do Governo Federal de apoio às exportações brasileiras de bens e serviços, a custos compatíveis com os praticados no mercado internacional.

Leia mais

A importância do crédito para as pequenas e médias empresas. Condicionantes da oferta de crédito

A importância do crédito para as pequenas e médias empresas. Condicionantes da oferta de crédito A importância do crédito para as pequenas e médias empresas Condicionantes da oferta de crédito Distribuição de empresas por porte MICRO PEQUENA MÉDIA GRANDE 0,4% 0,7% 6,2% Micro e Pequenas empresas 98,9%

Leia mais

Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI

Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI CIRCULAR Nº 79/2009 Rio de Janeiro, 24 de julho de 2009. Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI O Superintendente

Leia mais

APOIO ÀS MPME s. CIESP Campinas SP 28/05/2013

APOIO ÀS MPME s. CIESP Campinas SP 28/05/2013 APOIO ÀS MPME s CIESP Campinas SP 28/05/2013 Agenda 1. Informações Institucionais 2. Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas Projetos de Investimento Aquisição de Máquinas e Equipamentos Capital de

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR AEX Nº 001/2015, de 30 de janeiro de 2015.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR AEX Nº 001/2015, de 30 de janeiro de 2015. BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AEX Nº 001/2015, de 30 de janeiro de 2015. Altera e consolida as Normas Operacionais da Linha de Financiamento BNDES Exim Pré-embarque.

Leia mais

Instituição Financeira do Governo do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009.

Instituição Financeira do Governo do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009. Presidência 1 Instituição Financeira do Governo do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009. Instrumento institucional de apoio à execução de políticas de

Leia mais

BNDES Financiamento de Programas de Investimentos

BNDES Financiamento de Programas de Investimentos BNDES Financiamento de Programas de Investimentos! As novas ações anunciadas pelo governo para facilitar o acesso da pequena empresa ao BNDES! Linhas de financiamento - as mais comuns Autor: José Carlos

Leia mais

Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais

Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais Diretoria de Negócios Internacionais Setembro/2013 Banco do Brasil. Do Brasil para o mundo. Do mundo para o Brasil O Banco do Comércio

Leia mais

Taxa de Juros de Capital de Giro - Média quadrissemanal (% a.a.) Início da queda dos spreads bancários dos Bancos Públicos

Taxa de Juros de Capital de Giro - Média quadrissemanal (% a.a.) Início da queda dos spreads bancários dos Bancos Públicos Análise de Custo do Crédito 18 de Janeiro de 2013 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP elaborou um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009 CAFÉ COM CRÉDITO Santo André - SP 06 de outubro de 2009 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Bens de

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 09 de Janeiro de 2014

Análise de Custo do Crédito 09 de Janeiro de 2014 Análise de Custo do Crédito 09 de Janeiro de 2014 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

BNDES - AUTOMÁTICO. Vitória - 22 de abril de 2010

BNDES - AUTOMÁTICO. Vitória - 22 de abril de 2010 BNDES - AUTOMÁTICO n Grupo: Aline Pereira Fracalossi Andrea Abreu Carlos Adriano Elika Capucho Janete Pontes Victor Henrique Vitória - 22 de abril de 2010 BNDES Automático n Finalidade Financiar projetos

Leia mais

Novas Condições de Comercialização para Seguros - Ramo Automóvel Vigência a partir de 1/06/2010

Novas Condições de Comercialização para Seguros - Ramo Automóvel Vigência a partir de 1/06/2010 (Atualizações indicadas com esta seta ) CIRCULAR COBRANÇA AUTO Prezado Corretor, Ref.: Novas Condições de Comercialização para Seguros - Ramo Automóvel Vigência a partir de 1/06/2010 Seguem condições atualizadas

Leia mais

Financiamento a Investimentos BNDES PROMINP/Angra dos Reis 7 a 8 de agosto de 2003 Nova Estrutura Organizacional Conselho de Administração Auditoria Presidente Carlos Lessa Vice-Presidente Darc Costa Gabinete

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 02 de Abril de 2015

Análise de Custo do Crédito 02 de Abril de 2015 Análise de Custo do Crédito 02 de Abril de 2015 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO LINHAS DE CRÉDITO PARA MICRO, PEQUENA E MÉDIA EMPRESAS Novembro 2008 FUNGETUR Fundo Geral de Turismo Fomentar e prover recursos para o financiamento de atividades

Leia mais

1 Banco do Brasil S.A. 2 Banco Central do Brasil. 3 Banco da Amazônia S.A. 4 Banco do Nordeste do Brasil S.A. 6 Banco Nacional Crédito Cooperativo S/A

1 Banco do Brasil S.A. 2 Banco Central do Brasil. 3 Banco da Amazônia S.A. 4 Banco do Nordeste do Brasil S.A. 6 Banco Nacional Crédito Cooperativo S/A Número Nome 1 Banco do Brasil S.A. 2 Banco Central do Brasil 3 Banco da Amazônia S.A. 4 Banco do Nordeste do Brasil S.A. 6 Banco Nacional Crédito Cooperativo S/A 7 BNDES - Banco Nacional de Desenvolv.

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 02 de Outubro de 2015

Análise de Custo do Crédito 02 de Outubro de 2015 Análise de Custo do Crédito 02 de Outubro de 2015 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

APOIO DO SISTEMA BNDES ÀS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

APOIO DO SISTEMA BNDES ÀS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS APOIO DO SISTEMA BNDES ÀS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS FINAME/DEREM 12/04/2000 APOIO DO SISTEMA BNDES ÀS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Historicamente, o BNDES tem voltado sua ação para o apoio

Leia mais

OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II

OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II COMO FUNCIONAM AS OPERAÇÕES EM MOEDA NACIONAL COM JUROS PÓS FIXADOS EM CDI? COMO FUNCIONAM AS OPERAÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA? O QUE SÃO OPERAÇÕES DE ACC

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Incentivo à Armazenagem para Empresas e Cooperativas Cerealistas Nacionais BNDES Cerealistas

Ass.: Programa BNDES de Incentivo à Armazenagem para Empresas e Cooperativas Cerealistas Nacionais BNDES Cerealistas Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 43/2014-BNDES Rio de Janeiro, 20 de outubro de 2014 Ref.: Produtos BNDES Automático e BNDES Finame Agrícola Ass.: Programa BNDES

Leia mais

Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI

Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI CIRCULAR Nº 71/2009 Rio de Janeiro, 10 de julho de 2009. Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI O Superintendente

Leia mais

FUNDAÇÃO ECONOMIA DE CAMPINAS FECAMP PROJETO DE ESTUDOS SOBRE AS PERSPECTIVAS DA INDÚSTRIA FINANCEIRA BRASILEIRA E O PAPEL DOS BANCOS PÚBLICOS

FUNDAÇÃO ECONOMIA DE CAMPINAS FECAMP PROJETO DE ESTUDOS SOBRE AS PERSPECTIVAS DA INDÚSTRIA FINANCEIRA BRASILEIRA E O PAPEL DOS BANCOS PÚBLICOS FUNDAÇÃO ECONOMIA DE CAMPINAS FECAMP PROJETO DE ESTUDOS SOBRE AS PERSPECTIVAS DA INDÚSTRIA FINANCEIRA BRASILEIRA E O PAPEL DOS BANCOS PÚBLICOS SUBPROJETO MERCADO DE CRÉDITO BANCÁRIO CRÉDITO ÀS EXPORTAÇÕES

Leia mais

O BNDES Mais Perto de Você. Rio de Janeiro - RJ 29 de setembro de 2015

O BNDES Mais Perto de Você. Rio de Janeiro - RJ 29 de setembro de 2015 O BNDES Mais Perto de Você Rio de Janeiro - RJ 29 de setembro de 2015 Agenda 1. 2. 3. 4. 5. Informações Institucionais Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas Exportação Projetos de Investimento e Inovação

Leia mais

AULA 19. Mercado de Câmbio II

AULA 19. Mercado de Câmbio II AULA 19 Mercado de Câmbio II Posição de Câmbio A posição de câmbio é representada pelo saldo das operações de câmbio (compra e venda de moeda estrangeira, de títulos e documentos que as representem e de

Leia mais

BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada. Outubro de 2014

BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada. Outubro de 2014 BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada Outubro de 2014 Agenda 1. Aspectos Institucionais 2. Formas de Atuação 3. Indústria de Base Florestal Plantada 1. Aspectos Institucionais Linha

Leia mais

Reunião de Trabalho da cadeia produtiva de Defesa e Segurança do Grande ABC. São Bernardo do Campo - SP 18 de abril de 2013

Reunião de Trabalho da cadeia produtiva de Defesa e Segurança do Grande ABC. São Bernardo do Campo - SP 18 de abril de 2013 Reunião de Trabalho da cadeia produtiva de Defesa e Segurança do Grande ABC São Bernardo do Campo - SP 18 de abril de 2013 Agenda 1. Informações Institucionais 2. Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Curso Profissional Técnicas de Secretariado. Ano Lectivo: 2009/10. Disciplina: Técnicas de Secretariado

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Curso Profissional Técnicas de Secretariado. Ano Lectivo: 2009/10. Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano Lectivo: 2009/10 Disciplina: Técnicas de Secretariado Professora: Adelina Silva Novembro de 2009 Trabalho realizado por: Sara Gonçalves n.º16 12ºS Financiamento á Exportação O produto baseia-se na

Leia mais

Linhas de Financiamento BNDES Exim ABIMAQ

Linhas de Financiamento BNDES Exim ABIMAQ Linhas de Financiamento BNDES Exim ABIMAQ São Paulo, 04.06.2014 Política de Privacidade: Documento Reservado Empresas do Sistema BNDES - Unidade Gestora AEX/DESAL/GERI1 Agenda 1. Informações Institucionais

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA. GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito

ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA. GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito INSTITUCIONAL HISTÓRICO - Idéia junho/2001; - Estudos Jurídicos novembro/2002;

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Campinas - SP 17.mar.2015 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? Operações Indiretas N o de operações 2014*

Leia mais

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet. Vitória ES 08/04/2015

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet. Vitória ES 08/04/2015 Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet Vitória ES 08/04/2015 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? Operações Indiretas N o de operações 2014 1,14

Leia mais

Diretoria de Comércio Exterior

Diretoria de Comércio Exterior Diretoria de Comércio Exterior Rede de atendimento no País 15.212 pontos Banco do Brasil rede de atendimento Rede de TAA 39.417 terminais Agências no exterior 42 dependências em 23 países 1.471 Bancos

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 06 de Março de 2015

Análise de Custo do Crédito 06 de Março de 2015 Análise de Custo do Crédito 06 de Março de 2015 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais