RANKING NACIONAL DE CRÉDITO RURAL - MAIO/2009

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RANKING NACIONAL DE CRÉDITO RURAL - MAIO/2009"

Transcrição

1

2 Rural Mercantil do Brasil Banestes RANKING NACIONAL DE CRÉDITO RURAL - MAIO/2009 Saldo devedor do Crédito Rural em R$ mil ,9 % BN Bradesco Santander/ Real Itaú/ Unibanco Sicredi HSBC Bancoob Nossa Caixa Banrisul * Safra Citibank 0

3 COMPARATIVO CRÉDITO RURAL no MT x Valores em Reais Base Junho 2009

4 COMPARATIVO CRÉDITO RURAL ESTRATIFICADO Valores em Reais Modalidades 2008/2009 N operações 2009/2010 Crescimento COMERCIALIZACAO ,44 CUSTEIO AGRICOLA ,01 CUSTEIO PECUARIO ,97 CUSTEIO capatdo em DÓLAR ,99 INVESTIMENTO AGRICOLA ,87 INVESTIMENTO PECUARIO ,15 TOTAL ,00 Base Junho 2009

5 CRÉDITO RURAL ESTRATIFICADO 15% COMERCIALIZACAO 8% 58% 38% INVESTIMENTO AGRICOLA INVESTIMENTO PECUARIO CUSTEIO PECUARIO 16% 20% CUSTEIO capatdo em DÓLAR CUSTEIO AGRICOLA 3%

6 LINHAS DE CRÉDITO, PRODUTOS E SERVIÇOS ACC e ACE (Câmbio) CPR MCR 6.2 POUPANÇA TR POUPANÇA EQUALIZADA (6,75% a.a.) RECURSOS PRÓPRIOS EQUALIZADOS (6,75% a.a.) EGF BNDES FCO (Para pequenos) Pronaf e Proger MOEDA ESTRANGEIRA (DÓLAR) CONSÓRCIO DE PESADOS

7 ADMINISTRADORA DE CONSÓRCIOS SICREDI A UNIÃO DE FORÇAS PARA REALIZAR SONHOS packshot_linha cópia

8 ADMINISTRADORA DE CONSÓRCIOS SICREDI Empresa Própria Apenas 3 ANOS de Fundação Já é a 15 a Administradora de Consórcios do País, com mais de cotas Menor taxa de Administração do mercado (9%) e menor custo final (15,73%) Vantagem do Cooperativismo 50% das Assembléias Nacionais Itinerantes realizadas no MT sucesso do produto.

9 COMPETITIVIDADE - PESADOS ADMINISTRADORA DE CONSÓRCIOS MASSEY FERGUSON TX ADM FUNDO DE RESERVA SEGURO DE VIDA PREÇO FINAL S/CRÉDITO 14,00% 1,00% 0,08% 38,18% BRADESCO 15,00% 2,10% 0,06% 20,29% VOLKSWAGEN 16,00% 0,10% 0,07% 19,73% FORD 13,50% 0,00% 0,04% 15,75% UNIBANCO 14,00% 0,00% 0,04% 16,08% RANDON (John Deere) BB CONSÓRCIOS 13,00% 2,00% 0,07% 18,98% 10,00% 5,50% 0,06% 18,93% SICREDI 9,00% 4,00% 0,055% 15,73% Carta de crédito até R$ ,00 Administradora de Consórcios SICREDI

10 VANTAGENS DO SISTEMA DE CONSÓRCIOS Mensalidades acessíveis e sem juros. Taxa Adminstração + Fundo de Reserva + Seguro de Vida = 15,73% do Valor do Bem, em 100 meses = 0,1573% a.m ou 1,88% a.a. É a forma mais barata de adquirir um bem de forma parcelada, pois não busca recursos no mercado financeiro. O consorciado concorre mensalmente por sorteio, ou pode programar sua contemplação através de lance, e após esta, ele decide o prazo de quitação. Pode dar um bem usado para avaliação como lance (entrada).

11 LINHA DE MOEDA ESTRANGEIRA DÓLAR

12 EVOLUÇÃO DA LINHA DE MOEDA ESTRANGEIRA Valores em Reais Ano Período Set-Dez 1 o Semestre Previsão Ano Crescimento % Valor aplicado ,0 N o Operações Base Junho 2009

13 VANTAGENS DA LINHA AO PRODUTOR Aquisição antecipada de insumos com descontos. (ganhos de 15 a 30%) Menor exigência de garantias frente as Traders. CPR Financeira, não física. Produto livre para comercialização (ganho de 5% no preço de venda). Fortalecimento e Rentabilidade da Cooperativa Distribuição de Sobras ao associado funciona como um desconto na taxa de juros.

14 DEMONSTRATIVOS NAS ASSEMBLÉIAS EXEMPLO DE RETORNO SOBRE O CAPITAL SOCIAL Associado 1 - PF ProdutorRural Conta Corrente Poupança Crédito Investimentos Juros do Cheque Especial Seguro Tarifas Pagas Valor Distribuído 1.279,16 3, ,92 934,82 110,76 127,72 92, ,64 Capital Social Inicial Juros (6% s/ SMA) Imposto de Renda Valor Distribuído Total Recebido , ,04-356, , ,98 % de Retorno s/ Capital 20,98%

15 DASAFIOS DA LINHA MOEDA ESTRANGEIRA Captação no mercado internacional Afetada pela Crise Mundial. Valores limitados a 15% do Patrimônio da Sicredi Regional. SOLUÇÕES FUTURAS Parceria com o RABOBANK (fonte) Busca por outras fontes - Poupança Rural

16 POUPANÇA VERDE SICREDI

17 POUPANÇA VERDE SICREDI Desde 2004 apenas

18 BENEFÍCIOS DA POUPANÇA VERDE AO PRODUTOR Acesso a crédito rural a juros baixos (6,75%) equalizados pelo Tesouro Nacional. Maior limites de valores que os do MCR. (PF até R$ 750 mil no total das culturas, como Soja: até R$ 450 mil contra R$ 170 mil do MCR) Recurso é aplicado localmente na mesma comunidade que capta a poupança, gerando fortalecimento da economia local. Quando a carteira crescer, possibilidade de Crédito Imobiliário com 10% do saldo da Poupança.

19 POUPANÇA NO MATO GROSSO 4 % R$ 89 MILHÕES Praça R$ 2,2 BILHÕES 96 % Sicredi

20 COMO CRESCER OS RECURSOS DA POUPANÇA, FONTE DE CRÉDITO RURAL Entidades ligadas ao Agronegócio manterem depósitos de seus fundos na Poupança Verde Sicredi Rentabilidade da poupança equivalente a dos fundos. Produtores rurais e pessoas relacionadas ao agronegócio aplicarem na Poupança. Campanha Nacional do POUPEDI. Crianças, jovens, aposentados, profissionais liberais, pessoas físicas e jurídicas, todos podem poupar que o SICREDI retorna para a própria comunidade, e até 70% em crédito Rural.

21 O SICREDI será do tamanho que os produtores rurais quiserem e do tamanho que o Mato Grosso precisar.

22 VEM SER DONO, VEM PRO SICREDI OBRIGADO!

23ª Abertura Oficial da COLHEITA DO ARROZ. Restinga Seca - RS

23ª Abertura Oficial da COLHEITA DO ARROZ. Restinga Seca - RS 23ª Abertura Oficial da COLHEITA DO ARROZ. Restinga Seca - RS Carteira de Crédito Sicredi Fevereiro/2013 Saldo da Carteira de Crédito do Sicredi Carteira de Crédito Sicredi R$ 10.310,12 56,13% R$ 4.563,96

Leia mais

LEASING. Leasing operacional praticado pelo fabricante do bem, sendo realmente um aluguel. (Telefones, computadores, máquinas e copiadoras).

LEASING. Leasing operacional praticado pelo fabricante do bem, sendo realmente um aluguel. (Telefones, computadores, máquinas e copiadoras). LEASING Leasing operacional praticado pelo fabricante do bem, sendo realmente um aluguel. (Telefones, computadores, máquinas e copiadoras). Leasing financeiro mais comum, funciona como um financiamento.

Leia mais

O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE

O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE AGENTES DA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DAS COMUNIDADES ONDE ATUAM Principais

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 22-10-08) Edição de 27 de Outubro de 08 Crise não teve impacto significativo nas operações

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

Empréstimo. Pagamento em até 30 meses; Sem taxa de abertura de crédito; Parcelas debitadas em conta; Limites analisados pela renda.

Empréstimo. Pagamento em até 30 meses; Sem taxa de abertura de crédito; Parcelas debitadas em conta; Limites analisados pela renda. Produtos Conta Corrente Com isenção de tarifas de manutenção, dez folhas cheques, quatro extratos mensais, emissão de extratos on-line, tarifas reduzidas, só na Credlíder. Conta Poupança A Poupança Credlider

Leia mais

Programa 2014 Agropecuária Sustentável, Abastecimento e Comercialização

Programa 2014 Agropecuária Sustentável, Abastecimento e Comercialização 0299 - Equalização de Preços nas Aquisições do Governo Federal e na Formação de Estoques Reguladores e Estratégicos AGF 1. Descrição: O AGF (Aquisições do Governo Federal) é o instrumento tradicional da

Leia mais

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 22 de maio de 2012 1 A situação da economia internacional

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS Resultados dos estudos sobre a redução de taxas de juros praticadas por bancos públicos e privados. Orientações aos consumidores. Face aos diversos anúncios de redução de juros veiculados na mídia a partir

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS COOPERATIVAS PARA A EXPANSÃO DO CRÉDITO

A IMPORTÂNCIA DAS COOPERATIVAS PARA A EXPANSÃO DO CRÉDITO A IMPORTÂNCIA DAS COOPERATIVAS PARA A EXPANSÃO DO CRÉDITO INDICE O Sistema Financeiro Nacional - SFN Instituições de Crédito Cooperativas de Crédito Diferenças entre Bancos e Cooperativas de Crédito O

Leia mais

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Norte

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Norte em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Norte O desempenho e os resultados alcançados pelo Sicoob Norte em comprovam as vantagens do trabalho coletivo em cooperativa. Mesmo num ano de muitas

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA. Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA. Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Certificado de Recebíveis do Agronegócio Instrumento de captação de recursos e de investimento no agronegócio O produto O Certificado de

Leia mais

Crédito Rural. Comissão de Agricultura e Reforma Agrária - CRA 10.06.2011

Crédito Rural. Comissão de Agricultura e Reforma Agrária - CRA 10.06.2011 Ciclo de Palestras e Debates Crédito Rural Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária - CRA 10.06.2011 CONTEXTUALIZAÇÃO FINANCIAMENTO DO AGRONEGÓCIO BNDES LINHAS DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO

Leia mais

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Sul

em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Sul em números Relatório de Prestação de Contas Sicoob Sul O desempenho e os resultados alcançados pelo Sicoob Sul em comprovam as vantagens do trabalho coletivo em cooperativa. Mesmo num ano de muitas incertezas

Leia mais

23ª ABERTURA DA COLHEITA DO ARROZ. Restinga Seca - RS. Diretoria de Agronegócios (DF)

23ª ABERTURA DA COLHEITA DO ARROZ. Restinga Seca - RS. Diretoria de Agronegócios (DF) 23ª ABERTURA DA COLHEITA DO ARROZ Restinga Seca - RS 21-02-2013 Protagonista do Agronegócio Mundial Brasil Protagonista do Agronegócio Mundial População crescerá 2,15 bilhões de habitantes até 2050, elevando

Leia mais

Microfinanças e Cooperativismo de Crédito

Microfinanças e Cooperativismo de Crédito Microfinanças e Cooperativismo de Crédito Gilson Bittencourt gilson.bittencourt@fazenda.gov.br 1 Microfinanças: Objetivos do Governo Federal Facilitar e ampliar o acesso ao crédito entre os empreendedores

Leia mais

Informações Financeiras Consolidadas

Informações Financeiras Consolidadas Informações Financeiras Consolidadas 3º trimestre 2007 Dados Cadastrais Denominação Comercial: Banrisul S/A Natureza Jurídica: Banco Múltiplo Público Estadual. Sociedade de Economia Mista, sob forma de

Leia mais

Ações de apoio à Produção Agrícola Gilson Bittencourt

Ações de apoio à Produção Agrícola Gilson Bittencourt Ações de apoio à Produção Agrícola Gilson Bittencourt gilson.bittencourt@fazenda.gov.br 1 Ações de apoio à Produção Agrícola Safra 2008/2009 Lançamento do Plano de Safra da Agricultura Empresarial com

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015 (dados junho de 2015) A SPE não é a fonte primária das informações disponibilizadas nesta apresentação. A SPE apenas consolida e organiza as informações

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA GABINETE DO MINISTRO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL VOTOS APROVADOS NA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CMN 16/04/2009

MINISTÉRIO DA FAZENDA GABINETE DO MINISTRO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL VOTOS APROVADOS NA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CMN 16/04/2009 MINISTÉRIO DA FAZENDA GABINETE DO MINISTRO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL VOTOS APROVADOS NA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CMN 16/04/2009 1 - PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA ESTOCAGEM DE ÁLCOOL ETÍLICO COMBUSTÍVEL

Leia mais

LINHAS DE FINANCIAMENTO - HIDROSP SISTEMAS HIDRÁULICOS LTDA

LINHAS DE FINANCIAMENTO - HIDROSP SISTEMAS HIDRÁULICOS LTDA LINHAS DE FINANCIAMENTO - HIDROSP SISTEMAS HIDRÁULICOS LTDA 1 - OUROCARD AGRO (Banco do Brasil) OuroCard Agro é um cartão de crédito, em que é possível adquirir bens e produtos agrícolas, por meio de financiamento

Leia mais

CIZA-NEWS EDIÇÃO 96 ANO 2014

CIZA-NEWS EDIÇÃO 96 ANO 2014 CIZA-NEWS EDIÇÃO 96 ANO 2014 NOTÍCIAS DE SUMA IMPORTÂNCIA DO COOPERATIVISMO Fusão de dois bancos de cooperativas (BANCOOB E BANSICREDI) pode criar instituição maior que o Credit Suisse e o JP Morgan no

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 12 de Novembro de 2015

Análise de Custo do Crédito 12 de Novembro de 2015 Análise de Custo do Crédito 12 de Novembro de 2015 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil,

Leia mais

o mapa da mina de crédito Figura 1 - Passos para decisão de tomada de crédito

o mapa da mina de crédito Figura 1 - Passos para decisão de tomada de crédito crédito rural: o mapa da mina Por: Felipe Prince Silva, Ms. Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente UNICAMP. Economista Agrosecurity Gestão de Agro-Ativos LTDA e Agrometrika Informática e Serviços

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 29 de Janeiro de 2015

Análise de Custo do Crédito 29 de Janeiro de 2015 Análise de Custo do Crédito 29 de Janeiro de 2015 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

Crédito Agro Principais Linhas de Crédito. Fortaleza (CE), maio de 2014

Crédito Agro Principais Linhas de Crédito. Fortaleza (CE), maio de 2014 Crédito Agro Principais Linhas de Crédito Fortaleza (CE), maio de 2014 Agricultura Familiar Principais Linhas de Crédito Pronaf Custeio - Beneficiários: Agricultores familiares, exceto dos grupos A e B;

Leia mais

TABELA DE CAPTAÇÃO DAS TAXAS DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA PRATICADAS PELAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS EM 02/05/12

TABELA DE CAPTAÇÃO DAS TAXAS DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA PRATICADAS PELAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS EM 02/05/12 TABELA DE CAPTAÇÃO DAS S DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA EM 02/05/12 BANCO DO BRASIL BRADESCO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL HSBC MODALIDADES DE CRÉDITO CARTÃO DE CRÉDITO 2,94* 13,56* 2,10* 14,99* 1,90* 2,85** 6,03*

Leia mais

PRODUTOS E SERVIÇOS PARA OS PEQUENOS E MINI PRODUTORES RURAIS

PRODUTOS E SERVIÇOS PARA OS PEQUENOS E MINI PRODUTORES RURAIS PRODUTOS E SERVIÇOS PARA OS PEQUENOS E MINI PRODUTORES RURAIS SETEMBRO - 2011 BANCO DO NORDESTE APOIO AO MINI E PEQUENO PRODUTOR RURAL PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO RURAL DO NORDESTE (RURAL) FONTE:

Leia mais

BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br

BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br Parabéns! Agora você faz parte de uma cooperativa Sicoob e conta com todos os produtos e serviços de um banco,

Leia mais

DÚVIDAS SOBRE O CONSÓRCIO (FAQ) 1. Por que utilizar o sistema CONSÓRCIO NACIONAL UNIVERSITÁRIO?

DÚVIDAS SOBRE O CONSÓRCIO (FAQ) 1. Por que utilizar o sistema CONSÓRCIO NACIONAL UNIVERSITÁRIO? DÚVIDAS SOBRE O CONSÓRCIO (FAQ) 1. Por que utilizar o sistema CONSÓRCIO NACIONAL UNIVERSITÁRIO? O Consórcio Nacional Universitário é uma modalidade destinada para alunos universitários que desejam poupar

Leia mais

projetos com alto grau de geração de emprego e renda projetos voltados para a preservação e a recuperação do meio ambiente

projetos com alto grau de geração de emprego e renda projetos voltados para a preservação e a recuperação do meio ambiente O QUE É O FCO? O Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) foi criado pela Lei n.º 7.827, de 27.09.1989, que regulamentou o art. 159, inciso I, alínea c, da Constituição Federal, com

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 29 de Maio de 2014

Análise de Custo do Crédito 29 de Maio de 2014 Análise de Custo do Crédito 29 de Maio de 2014 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

FCO FUNDO CONSTITUCIONAL DE FUNDO CONSTITUCIONAL DE FINANCIAMENTO DO CENTRO-OESTE

FCO FUNDO CONSTITUCIONAL DE FUNDO CONSTITUCIONAL DE FINANCIAMENTO DO CENTRO-OESTE FCO FUNDO CONSTITUCIONAL DE FUNDO CONSTITUCIONAL DE FINANCIAMENTO DO CENTRO-OESTE QUAIS SÃO AS PRIORIDADES DO FCO? O QUE É O FCO? O Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) foi criado

Leia mais

Avenida Paulista, 949 22º andar

Avenida Paulista, 949 22º andar Avenida Paulista, 949 22º andar São Paulo, 30 de novembro de 2012 1 I n t r o d u ç ã o 140 CRÉDITO PRODUÇÃO BRASIL Fase de ouro Fase de crise Fase da agricultura de mercado 133 127 162 120 114 117 105

Leia mais

Alterações na Poupança

Alterações na Poupança PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS INVESTIMENTOS POUPANÇA A conta de poupança foi criada para estimular a economia popular e permite a aplicação de pequenos valores que passam a gerar rendimentos mensalmente.

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 30 de janeiro de 2014

Análise de Custo do Crédito 30 de janeiro de 2014 Análise de Custo do Crédito 30 de janeiro de 2014 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA. GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito

ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA. GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito INSTITUCIONAL HISTÓRICO - Idéia junho/2001; - Estudos Jurídicos novembro/2002;

Leia mais

Volume de crédito segue em expansão em 2008

Volume de crédito segue em expansão em 2008 Relatório Febraban - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 25-03-2008) Edição de 25 de março de 2008 Volume de crédito segue em expansão em 2008 O ritmo

Leia mais

Painel de Banca. Brasil 1 / 17. Perfil sociodemográfico Real delivery Painel IR % Total painelistas: 37.144 88,0% Sexo Homem 13.341.

Painel de Banca. Brasil 1 / 17. Perfil sociodemográfico Real delivery Painel IR % Total painelistas: 37.144 88,0% Sexo Homem 13.341. 1 / 17 Painel de Banca Brasil Características Tamanho painel (ISO): 121.966 Pessoas perfiladas (ISO): 49.597 Taxa de resposta estimada (ISO): 30% Atualizado: 15/12/2014 Tamanho (ISO): o número de participantes

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 29-07-2008) Edição de 30 de julho de 2008 Crédito à pessoa jurídica permanece forte Em junho

Leia mais

Programa CAIXA Melhor Crédito

Programa CAIXA Melhor Crédito Programa CAIXA Melhor Crédito CAIXA REDUZ A PARTIR DE HOJE TAXAS DE JUROS EM ATÉ 88% O Caixa Melhor Crédito trará beneficio imediato para mais de 25 milhões de clientes A Caixa Econômica Federal anunciou

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 24-06-2008) Edição de 25 de junho de 2008 Operações de crédito à pessoa física apresentam

Leia mais

(com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009

(com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009 Relatório Febraban - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009 Em Abril de 2009, operações de crédito atingiram

Leia mais

Sicoob Sul-Litorâneo

Sicoob Sul-Litorâneo Sicoob Sul-Litorâneo Mensagem da Diretoria 02 2013 Relatório Anual Mais uma vez, a força do trabalho cooperativo foi comprovada através do desempenho e resultados alcançados pelo Sicoob em 2013. Enquanto

Leia mais

Novas Condições de Comercialização para Seguros - Ramo Automóvel Vigência a partir de 1/06/2010

Novas Condições de Comercialização para Seguros - Ramo Automóvel Vigência a partir de 1/06/2010 (Atualizações indicadas com esta seta ) CIRCULAR COBRANÇA AUTO Prezado Corretor, Ref.: Novas Condições de Comercialização para Seguros - Ramo Automóvel Vigência a partir de 1/06/2010 Seguem condições atualizadas

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Organização Internacional do Café - OIC Londres, 21 de setembro de 2010. O Sistema Agroindustrial do Café no Brasil - Overview 1 Cafés

Leia mais

Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais

Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais Diretoria de Negócios Internacionais Setembro/2013 Banco do Brasil. Do Brasil para o mundo. Do mundo para o Brasil O Banco do Comércio

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 02 de Abril de 2015

Análise de Custo do Crédito 02 de Abril de 2015 Análise de Custo do Crédito 02 de Abril de 2015 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

BOLETIM MENSAL. 1º Trimestre 2009

BOLETIM MENSAL. 1º Trimestre 2009 BOLETIM MENSAL 1º Trimestre 2009 Sistema Financeiro 4 - Crédito do Sistema Financeiro 5 - Carteiras de Financiamento (CDC) e Leasing Aquisição de Veículos 6 - Saldo e Recursos Liberados Financiamento CDC

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 26 de Fevereiro de 2015

Análise de Custo do Crédito 26 de Fevereiro de 2015 Análise de Custo do Crédito 26 de Fevereiro de 2015 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil,

Leia mais

Gerente de Mercados da OCB. Brasília, 08 de abril de 2011

Gerente de Mercados da OCB. Brasília, 08 de abril de 2011 ENDIVIDAMENTO DO SETOR AGROPECUÁRIO EVANDRO SCHEID NINAUT Gerente de Mercados da OCB Brasília, 08 de abril de 2011 Organização das Cooperativas Brasileiras Ci Criada em 1.969 IV Congresso Brasileiro i

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL TEMAS VOLUME DE RECURSOS Do aporte nacional, garantir para o RS no mínimo 20% (vinte por cento) dos recursos para financiamento agropecuário de forma oportuna, tempestiva e suficiente. Aumentar os limites

Leia mais

XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América. Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME

XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América. Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME Fortaleza, 30 de outubro de 2006 1 Sumário 1 - Mercado MPE 2 - Acesso ao

Leia mais

CONVÊNIO BNDES/FECAMP/CECON-IE-UNICAMP/IE-UFRJ

CONVÊNIO BNDES/FECAMP/CECON-IE-UNICAMP/IE-UFRJ CONVÊNIO BNDES/FECAMP/CECON-IE-UNICAMP/IE-UFRJ PROJETO DE ESTUDOS SOBRE AS PERSPECTIVAS DA INDÚSTRIA FINANCEIRA BRASILEIRA E O PAPEL DOS BANCOS PÚBLICOS SUBPROJETO MERCADO DE CRÉDITO BANCÁRIO FINANCIAMENTO

Leia mais

Programa BB Aqüicultura e Pesca

Programa BB Aqüicultura e Pesca Programa BB Aqüicultura e Pesca O Banco do Brasil é o maior parceiro dos empreendedores brasileiros, sejam grandes ou pequenos produtores. Isso vale, também, para a aqüicultura e pesca. Assim, com o objetivo

Leia mais

Informativo Econômico

Informativo Econômico Faculdade de Cie ncias Econo micas, Administrativas e Conta beis de Divino polis Instituto de Po s-graduaça o Pesquisa e Extensa o Nu cleo de Pesquisas Econo micas Informativo Econômico Ano VIII Sétima

Leia mais

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 1 Senhores Associados: RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 Temos a satisfação de apresentar o Relatório da Gestão e as Demonstrações Contábeis da CREDICOAMO Crédito Rural Cooperativa, relativas às atividades desenvolvidas

Leia mais

Nova Estrutura de Dados de Crédito

Nova Estrutura de Dados de Crédito Nova Estrutura de Dados de Crédito Este boxe apresenta as principais alterações introduzidas recentemente nas estatísticas de crédito publicadas pelo Banco Central 1. A reformulação objetivou ampliar a

Leia mais

TAXAS DE JUROS COBRADAS POR BANCOS EM OPERAÇÕES DE CRÉDITO

TAXAS DE JUROS COBRADAS POR BANCOS EM OPERAÇÕES DE CRÉDITO TAXAS DE JUROS COBRADAS POR BANCOS EM OPERAÇÕES DE CRÉDITO Período: de 18/9/2012 a 24/9/2012 * Modalidade: Desconto de duplicatas, tipo prefixado TAXA DE JUROS Banco Citibank S A 1,02 12,95 Banco ABC Brasil

Leia mais

Subsídios para uma nova política agropecuária com gestão de riscos

Subsídios para uma nova política agropecuária com gestão de riscos Subsídios para uma nova política agropecuária com gestão de riscos Evandro Gonçalves Brito Diretoria de Agronegócios / Banco do Brasil Uberlândia (MG), 18 de novembro de 2010. Desafios Globais Os dez maiores

Leia mais

Consórcio. Imobiliário. na prática. Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros!

Consórcio. Imobiliário. na prática. Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros! Consórcio Imobiliário na prática Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros! 1 Sobre a empresa A A+ Consórcios iniciou suas atividades com o objetivo de gerir

Leia mais

O crédito ao setor privado atingiu R$1.948 bilhões no final de 2011, após acréscimos de 2,2% no mês e de 18,9% em relação a dezembro de 2010.

O crédito ao setor privado atingiu R$1.948 bilhões no final de 2011, após acréscimos de 2,2% no mês e de 18,9% em relação a dezembro de 2010. O volume total de crédito do sistema financeiro, computadas as operações com recursos livres e direcionados, atingiu R$2.030 bilhões em dezembro, após crescimento mensal de 2,3%. Ao longo de 2011, o crédito

Leia mais

A EMPRESA. Mais em www.inovatyon.com.br PAG 3

A EMPRESA. Mais em www.inovatyon.com.br PAG 3 VERSÃO 2.0 SONHOS DOS 1º Comprar a casa própria 2º Viajar pelo Brasil 3º Ter seu próprio negócio 4º Comprar um automóvel 5º Viajar para o exterior 6º Ter um diploma de ensino superior 7º Ter plano de saúde

Leia mais

Linhas de Crédito. Capital de Giro

Linhas de Crédito. Capital de Giro Linhas de Crédito Capital de Giro Apresentação FIESP Jul/2015 Operações mais utilizadas NOME CONTA GARANTIDA CAIXA CH.EMPRESA CAIXA CREDITO ESPECIAL EMPRESA - PRE/PRICE - GARANTIA FGO GIROCAIXA RECURSOS

Leia mais

Instituto de Estudos Jurídicos da Atividade Rural DÍVIDAS AGRÍCOLAS: Questões Legais e Reflexos Econômicos Palestrante: Ricardo Barbosa Alfonsin ricardo@alfonsin.com.br Convidado Especial: Ruy Rosado de

Leia mais

Cédula de Produto Rural -

Cédula de Produto Rural - Renda Fixa Cédula de Produto Rural - CPR Cédula do Produto Rural Comercialização de produtos do agronegócio com recebimento antecipado O produto A Cédula do Produtor Rural é um título de crédito lastreado

Leia mais

Análise de Custo do Crédito

Análise de Custo do Crédito Análise de Custo do Crédito 07 de Março de 2013 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP elaborou um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com o

Leia mais

O papel do Banco do Brasil na exportação de produtos agropecuários. Maicon Bertuol

O papel do Banco do Brasil na exportação de produtos agropecuários. Maicon Bertuol O papel do Banco do Brasil na exportação de produtos agropecuários Maicon Bertuol Passo Fundo, 26/05/2011 Vantagens da Exportação diversificação de mercados e de riscos; melhoria da qualidade e produtividade;

Leia mais

SICOOB NORTE. Resultados

SICOOB NORTE. Resultados SICOOB NORTE Resultados 2014 MENSAGEM DA DIRETORIA O Sicoob Norte conseguiu ótimos resultados, numa clara demonstração da força do trabalho cooperativo, na busca por maior participação no mercado financeiro

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.2- Caderneta de Poupança

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.2- Caderneta de Poupança Conhecimentos Bancários Item 2.1.2- Caderneta de Poupança Conhecimentos Bancários Item 2.1.2- Caderneta de Poupança DAV Custo ZERO (IF) Não há remuneração Cliente Superavitário RENTABILIDADE Conhecimentos

Leia mais

Panorama do Mercado de Crédito

Panorama do Mercado de Crédito Panorama do Mercado de Crédito FEBRABAN Dezembro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe ÍNDICE I. Evolução do Crédito II. Pessoa Física III. Pessoa Jurídica IV. Inadimplência V. Spread VI. Projeções

Leia mais

Linhas Agrícolas Agosto 2013

Linhas Agrícolas Agosto 2013 Linhas Agrícolas Agosto 2013 MERCADO DE CRÉDITO DÍVIDA PRIVADA Dividido em 3 Principais Classes de Ativo: Crédito Geral: Linha de KG, Conta Garantida, Finame, PSI; CCB, Debênture; Crédito Imobiliário:

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 03 de Abril de 2014

Análise de Custo do Crédito 03 de Abril de 2014 Análise de Custo do Crédito 03 de Abril de 2014 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil 1 A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil Guido Mantega Outubro de 2008 1 2 Gravidade da Crise Crise mais forte desde 1929 Crise mais grave do que as ocorridas nos anos 1990 (crise de US$ bilhões

Leia mais

Efeitos da Entrada de Bancos Estrangeiros no Setor Bancário Brasileiro: Evolução do Crédito e dos Indicadores Operacionais

Efeitos da Entrada de Bancos Estrangeiros no Setor Bancário Brasileiro: Evolução do Crédito e dos Indicadores Operacionais Efeitos da Entrada de Bancos Estrangeiros no Setor Bancário Brasileiro: Evolução do Crédito e dos Indicadores Operacionais Marcos Roberto Vasconcelos Departamento de Economia Universidade Estadual de Maringá

Leia mais

PRONAMP PROGRAMA NACIONAL DE APOIO AO MÉDIO PRODUTOR RURAL. novembro de 2013

PRONAMP PROGRAMA NACIONAL DE APOIO AO MÉDIO PRODUTOR RURAL. novembro de 2013 PRONAMP PROGRAMA NACIONAL DE APOIO AO MÉDIO PRODUTOR RURAL novembro de 2013 EVOLUÇÃO DO FINANCIAMENTO RURAL 160,0 1200% 140,0 1100% 1000% 120,0 900% BILHÕES 100,0 80,0 60,0 40,0 424% 349% 800% 700% 600%

Leia mais

Fundamentos de Mercado Futuro e de Opções no Agronegócio

Fundamentos de Mercado Futuro e de Opções no Agronegócio Fundamentos de Mercado Futuro e de Opções no Agronegócio Quais alternativas um produtor rural tem para diminuir os riscos de preços na hora de vender sua safra? Modelo tradicional: contato direto com o

Leia mais

O C artão d o S ervidor PR P E R F E EI E TUR U A R A MU M N U I N CI C PA P L A L DE D E LOND N R D I R NA N

O C artão d o S ervidor PR P E R F E EI E TUR U A R A MU M N U I N CI C PA P L A L DE D E LOND N R D I R NA N O Cartão do Servidor PREFEITURA MUNICIPAL DE LONDRINA Cartão BMG Card O BMG Card é um cartão de crédito com bandeira MasterCard, direcionado aos Servidores Públicos Estatutários do Governo de Santa Catarina,

Leia mais

(MLRV) CRÉDITO INTERNO JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1

(MLRV) CRÉDITO INTERNO JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 CRÉDITO INTERNO JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: Também chamado seguro de crédito doméstico, esse seguro oferece cobertura com validade no território

Leia mais

Taxa de Juros de Capital de Giro - Média quadrissemanal (% a.a.) Início da queda dos spreads bancários dos Bancos Públicos

Taxa de Juros de Capital de Giro - Média quadrissemanal (% a.a.) Início da queda dos spreads bancários dos Bancos Públicos Análise de Custo do Crédito 18 de Janeiro de 2013 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP elaborou um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

seu dinheiro Consórcio ou financiamento? #103 Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel

seu dinheiro Consórcio ou financiamento? #103 Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel #103 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel Consórcio ou financiamento? Poupança com ganho real Investimento volta a superar a inflação

Leia mais

Coordenação Geral de Crédito

Coordenação Geral de Crédito Presidência da República Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca Subsecretaria de Planejamento de Aqüicultura e Pesca Coordenação Geral de Crédito Panorâmica de Crédito em CRÉDITO 05/05/08 - Linhas

Leia mais

Impactos do Plano Verão para as instituições financeiras

Impactos do Plano Verão para as instituições financeiras Impactos do Plano Verão para as instituições financeiras Roberto Luis Troster* São Paulo, novembro de 2008 *Roberto Luis Troster é economista e doutor em economia pela USP Universidade de São Paulo e pósgraduado

Leia mais

SICOOB CREDIROCHAS. Resultados

SICOOB CREDIROCHAS. Resultados SICOOB CREDIROCHAS Resultados 2014 MENSAGEM DA DIRETORIA O Sicoob Credirochas conseguiu ótimos resultados numa clara demonstração da força do trabalho cooperativo, na busca por maior participação no mercado

Leia mais

INVESTIMENTOS 1ª aula

INVESTIMENTOS 1ª aula INVESTIMENTOS 1ª aula Regis Klock - Graduação em Ciências Econômicas Pontifícia Universidade Católica - Pós-Graduação em Didática e Metodologia do Ensino Superior UMC - Universidade Mogi das Cruzes Experiência

Leia mais

O cooperativismo de crédito e você

O cooperativismo de crédito e você O cooperativismo de crédito e você A Cooperativa de Crédito é uma instituição financeira sem fins lucrativos de propriedade dos associados, controlada de forma democrática por seus membros, e tem o propósito

Leia mais

1. Objetivo e Descrição do fundo

1. Objetivo e Descrição do fundo FATOR VERITÀ FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ: 11.664.201/0001-00 Administrado pelo Banco Fator S.A. CNPJ: 33.644.196/0001-06 RELATÓRIO SEMESTRAL 1º. SEM. 2012 1. Objetivo e Descrição do fundo

Leia mais

INFORME APROSOJA Nº 87/2015 30 de Julho de 2015. Venda casada de produtos bancários atrelados ao crédito rural. Sem Reciprocidade

INFORME APROSOJA Nº 87/2015 30 de Julho de 2015. Venda casada de produtos bancários atrelados ao crédito rural. Sem Reciprocidade INFORME APROSOJA Nº 87/2015 30 de Julho de 2015 Venda casada de produtos bancários atrelados ao crédito rural Produtor, a, atenta a diversos relatos de produtores quanto a insistência de agentes bancários

Leia mais

WEBINAR SEGURO DPVAT O SEGURO DO TRÂNSITO. Palestrante Vera Cataldo

WEBINAR SEGURO DPVAT O SEGURO DO TRÂNSITO. Palestrante Vera Cataldo 1 WEBINAR SEGURO DPVAT O SEGURO DO TRÂNSITO Palestrante Vera Cataldo Seguro DPVAT Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre ou por sua carga, a pessoas transportadas

Leia mais

COOPERATIVA DE CRÉDITO

COOPERATIVA DE CRÉDITO 3 COOPERATIVISMO Baseia-se na união de pessoas onde cada membro deve contribuir com uma parcela ou quota parte, colaborando para a melhoria das condições econômicas e sociais de todos que fazem parte dessa

Leia mais

Em direção à. Lembre-se de que não é permitido financiar imóveis em áreas não urbanizadas, assim como chácaras e sítios.

Em direção à. Lembre-se de que não é permitido financiar imóveis em áreas não urbanizadas, assim como chácaras e sítios. 24 Dinheiro&Direitos 47 dezembro 2013-janeiro 2014 Bancos Parcelas Em direção à Ilustração: Perkins 1 Tenha em mente o valor da casa ou do apartamento que você deseja comprar. Deve estar de acordo com

Leia mais

NORMATIVOS SOBRE DÍVIDAS DO CRÉDITO RURAL DO PRONAF (VIGENTES EM 24 DE JANEIRO DE 2014)

NORMATIVOS SOBRE DÍVIDAS DO CRÉDITO RURAL DO PRONAF (VIGENTES EM 24 DE JANEIRO DE 2014) NORMATIVOS SOBRE DÍVIDAS DO CRÉDITO RURAL DO PRONAF (VIGENTES EM 24 DE JANEIRO DE ) NORMATIVO PERMANENTE DISPOSTO NO MCR 2.6.9 e MCR 10.1.24 a 26 MCR 2.6.9 Permanente Parcelas a vencer/ operações com ou

Leia mais

NORMATIVOS SOBRE DÍVIDAS DO CRÉDITO RURAL DO PRONAF (VIGENTES EM 19 DE DEZEMBRO DE 2014)

NORMATIVOS SOBRE DÍVIDAS DO CRÉDITO RURAL DO PRONAF (VIGENTES EM 19 DE DEZEMBRO DE 2014) NORMATIVOS SOBRE DÍVIDAS DO CRÉDITO RURAL DO PRONAF (VIGENTES EM 19 DE DEZEMBRO DE 2014) NORMATIVO PERMANENTE DISPOSTO NO MCR 2.6.9 e MCR 10.1.24 a 26 MCR 2.6.9 Permanente Parcelas a vencer/ operações

Leia mais

DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

DIRETORIA DE INVESTIMENTOS DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal de Investimentos NOVEMBRO Rio de Janeiro 2012 Diretoria de Investimentos Antonio Paulo Vogel de Medeiros Diretor Gerência de Operações e Planejamento Marcio

Leia mais

Políticas Agrícolas e Comercio Internacional Acadêmicas: Jéssica Mello e Marcele Leal

Políticas Agrícolas e Comercio Internacional Acadêmicas: Jéssica Mello e Marcele Leal Políticas Agrícolas e Comercio Internacional Acadêmicas: Jéssica Mello e Marcele Leal Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF) O Pronaf iniciou em 28 de julho de 1996, pelo

Leia mais

O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander.

O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander. ANÁLISE COMPARATIVA RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2013 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica

Leia mais

NORMATIVOS SOBRE DÍVIDAS DO CRÉDITO RURAL DO PRONAF (VIGENTES EM 18 DE SETEMBRO DE 2014)

NORMATIVOS SOBRE DÍVIDAS DO CRÉDITO RURAL DO PRONAF (VIGENTES EM 18 DE SETEMBRO DE 2014) NORMATIVOS SOBRE DÍVIDAS DO CRÉDITO RURAL DO PRONAF (VIGENTES EM 18 DE SETEMBRO DE 2014) NORMATIVO PERMANENTE DISPOSTO NO MCR 2.6.9 e MCR 10.1.24 a 26 MCR 2.6.9 Permanente Parcelas a vencer/ operações

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA DE TAXA DE JUROS NAS MODALIDADES: CRÉDITO PESSOAL, CONSIGNADO E CHEQUE ESPECIAL NA CIDADE DE GOIÂNIA

RELATÓRIO DA PESQUISA DE TAXA DE JUROS NAS MODALIDADES: CRÉDITO PESSOAL, CONSIGNADO E CHEQUE ESPECIAL NA CIDADE DE GOIÂNIA RELATÓRIO DA PESQUISA DE TAXA DE JUROS NAS MODALIDADES: CRÉDITO PESSOAL, CONSIGNADO E CHEQUE ESPECIAL NA CIDADE DE GOIÂNIA Pesquisa realizada pelos técnicos do Procon Goiás, entre os dias 4 e 9 de setembro

Leia mais

SOLUÇÕES EM NEGÓCIOS. Para os Municípios. O Banco dos Municípios

SOLUÇÕES EM NEGÓCIOS. Para os Municípios. O Banco dos Municípios O BANCO DO BRASIL SOLUÇÕES EM NEGÓCIOS Para os Municípios O Banco dos Municípios $ O BB em Números Ativos totais - R$ 459 bilhões Administração de Recursos de Terceiros - R$ 241,5 bilhões (19% de participação

Leia mais