SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO. O Equilíbrio entre o interesse público e a confiança dos mercados. O dilema do regulador

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO. O Equilíbrio entre o interesse público e a confiança dos mercados. O dilema do regulador"

Transcrição

1 SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO O Equilíbrio entre o interesse público e a confiança dos mercados Ou O dilema do regulador Coimbra, fevereiro de 2015

2 2004 Novo marco regulatório - Compras das distribuidoras em leilões - Repasse para tarifas - Separação energia nova e velha - Energia térmica contratada por capacidade Algo errado?? GESEL Grupo de Estudos do Setor Elétrico IE/UFRJ 2

3 CARACTERÍSTICAS DO PARQUE HIDRÁULICO Novos projetos não possuem reservatórios Dificuldade crescente de licenciamento ambiental de novos projetos hidrelétricos (região da Amazônia) Perda da capacidade de regularização plurianual Redução gradativa da regularização plurianual ,2 5,7 5,4 Categoria 1 4, RELAÇÃO EN.ARMAZENADA / CARGA Plano Decenal , Produção hidrelétrica se torna cada vez mais dependente das afluências, que resultam das chuvas

4 Energia Afluente (%MLT) 180 % MLT - Sudeste - Centro Oeste Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

5 Energia Afluente (%MLT) 160 % MLT - Nordeste Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

6 Energia Afluente (%MLT) % MLT - Sul % MLT - Norte Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out 100 Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

7 Energia Armazenada EAR (%EAR max) - NE EAR (% EAR max) SE/CO , Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez , Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez GESEL Grupo de Estudos do Setor Elétrico IE/UFRJ 7

8 Preço de Liquidação de diferenças 800 Media do PLD Mensal (R$/MWh) GESEL Grupo de Estudos do Setor Elétrico IE/UFRJ 8

9 Preço de Liquidação de diferenças PLD mensal 2014 (SE/CO) SE/CO 900 PLD Máximo dez-13 jan-14 fev-14 mar-14 abr-14 mai-14 jun-14 jul-14 ago-14 set-14 out-14 GESEL Grupo de Estudos do Setor Elétrico IE/UFRJ 9

10 Brasil maio/2014 MDIC CRISE ENERGÉTICA?? Situação bastante delicada no limite da capacidade do sistema Chuvas no Sul significam algum alívio Base térmica e sistema de transmissão tem sustentado reservatórios Com sistema de transmissão e térmicas de 2002 já estaríamos em racionamento Calendário eleitoral impede ações mais sensatas das autoridades: Campanha de preservação de água e energia Implantação de bandeira tarifária pela ANEEL Mudança do PLD Está acontecendo agora: - ANEEL reduziu teto PLD E O REGULADOR??- ANEEL implantou bandeiras - Governo vai iniciar campanhas

11 Evolução dos acontecimentos Set/2012 Nov/2012 Edição da MP 579 Renova concessões de geração e transmissão Agentes passam a ter tarifas reguladas Limite prazo para renovação antecipada CESP, COPEL e CEMIG não renovam geração 31/12/2012 Leilão A-1 de 2012 Vencem MW de energia velha Leilão é adiado devido revisão tarifária de cotas 11

12 Evolução dos acontecimentos Início 2013 Final 2013 Início 2014 Leilão A-1 Janeiro sem chuvas dispara PLD Empresas não vendem no A-1 (exposição Distribuidoras) Leilão A-1 Vencem mais MW médios Com cenário hidrológico ninguém vende em A-1 Leilão A-0 de 2014 (Lei especial) Aumenta exposição das distribuidoras Governo contrata MWm a R$ 270,00/MWh 12

13 CONSEQUÊNCIAS Distribuidoras 1 Descontratadas (involuntário) em mais de MW Exposição à liquidação no MCP Elevados custos financeiros pela: Operação das térmicas Exposição devido descontração e geração abaixo da GF de cotas AÇÕES DA ANEEL E GOVERNO Permissão para uso da CDE para cobrir Agravado por exposição Metodologia de reajustes das tarifas Metodologia de cálculo e Empréstimo limites do PLD via CCEE empréstimo ACR Ainda assim, elevados reajustes

14 CONSEQUÊNCIAS Geradores térmicos Despacho contínuo das térmicas não estavam preparadas Indisponibilidade resulta em exposição à liquidação no MCP Problemas regulatórios ampliam problemas de indisponibilidade ADOMP AÇÕES DA ANEEL Ajustes regulatórios

15 CONSEQUÊNCIAS Geradores hídricos Geração abaixo da garantia física do MRE (GSF Generation Scaling Factor) Exposição ao MCP (PLD) - atinge principalmente estatais (maiores geradores) AÇÕES DO GOVERNO E ANEEL Nenhuma do Governo até o momento mas Exposição ao PLD pressões de por obras ajuda é grande em atraso ANEEL iniciou audiência para ajustes regulatórios

16 E o que faz agora o Regulador Restabelece o equilíbrio do setor: Revisão Extraordinária das distribuidoras (CDE, exposição e térmicas) Bandeira Tarifária turbinada Audiências para ajustes regulatórios gerais (comercialização, leilões, reajusyes, etc) GESEL Grupo de Estudos do Setor Elétrico IE/UFRJ 16

17 Nelson Hubner

XXXI ENCONSEL Perspectivas para o Setor Elétrico Brasileiro

XXXI ENCONSEL Perspectivas para o Setor Elétrico Brasileiro XXXI ENCONSEL Perspectivas para o Setor Elétrico Brasileiro Prof. Nivalde de Castro Coordenador do GESEL-UFRJ Uberlândia, 23 de Novembro de 2015 Sumário 1. Características da Crise do SEB: i. Lado Real

Leia mais

Gestão da Comercialização na CEMIG. Bernardo Afonso Salomão de Alvarenga Diretor Comercial

Gestão da Comercialização na CEMIG. Bernardo Afonso Salomão de Alvarenga Diretor Comercial Gestão da Comercialização na CEMIG Bernardo Afonso Salomão de Alvarenga Diretor Comercial Situação atual da CEMIG no mercado de energia elétrica Recursos Próprios: Cemig GT Sá Carvalho Rosal Horizontes

Leia mais

Painel II - O Novo Modelo do Setor Elétrico - Perspectivas? Moderação de Roberto Zilles, IEE/USP

Painel II - O Novo Modelo do Setor Elétrico - Perspectivas? Moderação de Roberto Zilles, IEE/USP Seminário O Estado Atual do Setor Elétrico Brasileiro - Crise ou Consequência? Painel II - O Novo Modelo do Setor Elétrico - Perspectivas? Mesa 1 - Os Descaminhos do Modelo Setorial: questões e alternativas

Leia mais

Energia, o que esperar em 2.015

Energia, o que esperar em 2.015 Energia, o que esperar em 2.015 ABRAMAT Otávio Carneiro de Rezende Diretor Presidente Usina Hidrelétrica Ourinhos Surgimos para administrar a geração e o consumo do Grupo Votorantim. Hoje atendemos a diversos

Leia mais

Perspectivas do mercado livre, comercialização de energia, risco e estratégia de precificação. Luiz Fernando Leone Vianna

Perspectivas do mercado livre, comercialização de energia, risco e estratégia de precificação. Luiz Fernando Leone Vianna Perspectivas do mercado livre, comercialização de energia, risco e estratégia de precificação Luiz Fernando Leone Vianna 02.06.2014 A Apine A Apine 64 associados Geradores privados e concessionárias de

Leia mais

MERCADO ELÉTRICO. Centralizar a Gestão de Riscos? Professor Adilson de Oliveira Instituto de Economia Universidade Federal do Rio de Janeiro/Brazil

MERCADO ELÉTRICO. Centralizar a Gestão de Riscos? Professor Adilson de Oliveira Instituto de Economia Universidade Federal do Rio de Janeiro/Brazil MERCADO ELÉTRICO Centralizar a Gestão de Riscos? Professor Adilson de Oliveira Instituto de Economia Universidade Federal do Rio de Janeiro/Brazil Roteiro 1. Pano de Fundo 2. Reforma e Crise 3. Novo Mercado

Leia mais

III Seminário sobre a Matriz e Segurança Energética FGV / IBRE / CERI

III Seminário sobre a Matriz e Segurança Energética FGV / IBRE / CERI III Seminário sobre a Matriz e Segurança Energética FGV / IBRE / CERI Painel I O cenário político: Posição do Governo e Planejamento Energético Desafios e Cenários da Operação do SIN Hermes Chipp Diretor

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL FEVEREIRO Preço de Liquidação das Diferenças. Intercâmbio de Energia entre Submercados. Nordeste. Norte SE/CO.

INFORMATIVO MENSAL FEVEREIRO Preço de Liquidação das Diferenças. Intercâmbio de Energia entre Submercados. Nordeste. Norte SE/CO. JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV R$/MWh R$/MWh R$/MWh Preço de Liquidação das Diferenças 600,00 PLD Médio FEV/2019 800 PLD Médio Anual

Leia mais

Regulação do Setor Elétrico Brasileiro Contexto e Desafios Atuais

Regulação do Setor Elétrico Brasileiro Contexto e Desafios Atuais Regulação do Setor Elétrico Brasileiro Contexto e Desafios Atuais Seminário Internacional Desafios da Regulação do Setor Elétrico Romeu Donizete Rufino Diretor-Geral da ANEEL 12 de fevereiro de 2015 Universidade

Leia mais

O mercado Livre de Energia Cenários e oportunidades para redução de custos

O mercado Livre de Energia Cenários e oportunidades para redução de custos O mercado Livre de Energia Cenários e oportunidades para redução de custos Bento Gonçalves Rio Grande do Sul Chapecó Santa Catarina www.ludfor.com.br 1 Institucional 2 Sistema Elétrico 3 Acontecimentos

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL MAI.2012

INFORMATIVO MENSAL MAI.2012 R$/MWh R$/MWh R$/MWh Preço de Liquidação das Diferenças PLD Médio MAI/212 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 25, 6 2, 5 15, 4 1, 5, 3 2 1, MÉDIA SEMANA 1 1/ a 4/ NORTE SEMANA 2 5/ a 11/ SEMANA 3 12/ a 18/

Leia mais

Reunião Pública Anual com Analistas e Investidores 2017

Reunião Pública Anual com Analistas e Investidores 2017 Reunião Pública Anual com Analistas e Investidores 2017 Mauro Arce Presidente Almir Martins Diretor Financeiro e de RI Mituo Hirota Diretor de Geração Marcio Rea Diretor Administrativo 14 de Dezembro de

Leia mais

Resultados 3T17. Novembro, 2017

Resultados 3T17. Novembro, 2017 Resultados 3T17 Novembro, 2017 Destaques 3T17 ESTRATÉGIA DE COMERCIALIZAÇÃO Nível de contratação do ano de 2017 reduzido de 88% para 79% R$ 130 milhões de custos evitados com a estratégia de mitigação

Leia mais

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração Operações do Mercado de Energia Evolução e Perspectiva Seminário FIEPE 11 de abril de 2013 Paulo Born Conselho de Administração Agenda Visão Geral do Mercado de Energia Governança e Ambientes de Comercialização

Leia mais

Panorama Mensal do Setor Elétrico

Panorama Mensal do Setor Elétrico Janeiro 19 Análise Estrutural e Conjuntural da Operação Física e Comercial do Setor Elétrico Brasileiro Histórico dos Níveis dos Reservatórios SIN Histórico dos Níveis dos Reservatórios por Submercado

Leia mais

OS DESAFIOS DO SETOR ELÉTRICO. Brasília 29/07/2016 DELSON JOSÉ AMADOR

OS DESAFIOS DO SETOR ELÉTRICO. Brasília 29/07/2016 DELSON JOSÉ AMADOR OS DESAFIOS DO SETOR ELÉTRICO Brasília 29/07/2016 DELSON JOSÉ AMADOR UM POUCO DE HISTÓRIA * ATÉ A DÉCADA DE 1970 - REMUNERAÇÃO GARANTIDA : COMPUTADA NA TARIFA - EQUALIZAÇÃO TARIFÁRIA : AJUSTE NA REMUNERAÇÃO

Leia mais

3º Ciclo Revisões Tarifárias Periódicas

3º Ciclo Revisões Tarifárias Periódicas 8 02 3 PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) 4ª Semana de Fevereiro de 203 Fevereiro (6.02.203 a 22.02.203) PLD médio PLD médio 2 R$/MWh Sudeste Sul Nordeste Norte Sudeste 87,88 93,57 Pesada 27,60 27,60

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL OUT.2012

INFORMATIVO MENSAL OUT.2012 R$/MWh R$/MWh R$/MWh INFORMATIVO MENSAL OUT.212 Preço de Liquidação das Diferenças PLD Médio OUT/212 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 4, 6 35, 3, 5 25, 2, 15, 1, 5, 4 3 2 1, MÉDIA SEMANA 1 1/ a 5/ NORTE

Leia mais

Café da Manhã JP Morgan Ricardo Cyrino 27 de julho de 2017

Café da Manhã JP Morgan Ricardo Cyrino 27 de julho de 2017 Café da Manhã JP Morgan Ricardo Cyrino 27 de julho de 2017 Agenda Hidrologia e Regulação Estratégia de Crescimento & Nova Plataforma Comercial Atualizações Setoriais 2 Hidrologia e Regulação 3 Desempenho

Leia mais

CRISE DE ENERGIA E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO 2 9 D E A B R I L D E

CRISE DE ENERGIA E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO 2 9 D E A B R I L D E CRISE DE ENERGIA E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO 2 9 D E A B R I L D E 2 0 1 5 PERSPECTIVAS DE RESTRIÇÃO NO ABASTECIMENTO DE ENERGIA ITEMIZAÇÃO APRESENTAÇÃO OS MOTIVOS DA SITUAÇÃO ATUAL SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS

Leia mais

Case: a sobre contratação das distribuidoras, suas causas e seus efeitos

Case: a sobre contratação das distribuidoras, suas causas e seus efeitos Case: a sobre contratação das distribuidoras, suas causas e seus efeitos Fernando Umbria LPS Consultoria Energética LPS Sobras das distribuidoras As distribuidoras encontram-se com elevados excedentes

Leia mais

Oferta e Demanda de Energia Elétrica: Cenários. Juliana Chade

Oferta e Demanda de Energia Elétrica: Cenários. Juliana Chade Oferta e Demanda de Energia Elétrica: Cenários Juliana Chade Agenda Cenário atual Preços Afluências Reservatórios Consumo de energia elétrica Meteorologia/Clima Expansão da Oferta Projeções de PLD 2 Agenda

Leia mais

Perspectivas do Setor Elétrico 2017 a 2021 A ótica do mercado

Perspectivas do Setor Elétrico 2017 a 2021 A ótica do mercado Perspectivas do Setor Elétrico 2017 a 2021 A ótica do mercado ENASE 2017-14º Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração 17/05/2017 Agenda CCEE Mercado

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL JUN.2014

INFORMATIVO MENSAL JUN.2014 JAN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN INFORMATIVO MENSAL.214 Preço de Liquidação das Diferenças 7, 6, PLD Médio /214 PLD TETO = 822,83 8 7 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 5, 6 4, 5

Leia mais

UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA. Energy Expo Fórum. Estratégias Vencedoras na Compra de Energia no Mercado Livre

UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA. Energy Expo Fórum. Estratégias Vencedoras na Compra de Energia no Mercado Livre UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA Energy Expo Fórum Estratégias Vencedoras na Compra de Energia no Mercado Livre Uma Empresa Forte em Energia 24 Usinas em Operação e 5 em Construção R$ 1,4 bilhão de investimentos

Leia mais

Santander VII Conferência Setor Elétrico Brasil Wilson Ferreira Jr CEO

Santander VII Conferência Setor Elétrico Brasil Wilson Ferreira Jr CEO Santander VII Conferência Setor Elétrico Brasil Wilson Ferreira Jr CEO Fevereiro São Paulo, 2016 07 de março de 2012 1 Temas para discussão 1 2 3 4 5 6 7 Panorama 2015-2016 Repactuação do risco hidrológico

Leia mais

A CCEE e a operacionalização do mercado de energia elétrica em 2015 Canal Energia Agenda Setorial /03/2015

A CCEE e a operacionalização do mercado de energia elétrica em 2015 Canal Energia Agenda Setorial /03/2015 A CCEE e a operacionalização do mercado de energia elétrica em 2015 Canal Energia Agenda Setorial 2015 19/03/2015 Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração A CCEE e destaques

Leia mais

Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 A ótica do Mercado

Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 A ótica do Mercado Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 A ótica do Mercado Reunião Plenária da ABRAGE Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração 20/09/18 Grandes números CCEE e mercado de energia elétrica

Leia mais

Seminário - O Estado Atual do Setor Elétrico Brasileiro - Crise ou Consequência? Dimensões da Crise - O custo da energia e a explosão das tarifas

Seminário - O Estado Atual do Setor Elétrico Brasileiro - Crise ou Consequência? Dimensões da Crise - O custo da energia e a explosão das tarifas Seminário - O Estado Atual do Setor Elétrico Brasileiro - Crise ou Consequência? Dimensões da Crise - O custo da energia e a explosão das tarifas São Paulo, 02 de abril de 2015 Carlos Augusto Ramos Kirchner

Leia mais

Reunião Pública Anual com Analistas e Investidores 2016

Reunião Pública Anual com Analistas e Investidores 2016 Reunião Pública Anual com Analistas e Investidores 2016 Mauro Arce Presidente Almir Fernando Martins Diretor Financeiro e de RI Mituo Hirota Diretor de Geração Marcio Rea Diretor Administrativo 13 de Dezembro

Leia mais

42,6 42,0 43,0 40,0 40,3 29,0 30,1 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4 23,1 20,5

42,6 42,0 43,0 40,0 40,3 29,0 30,1 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4 23,1 20,5 % Armazenamento AGO RV1 1.1 ARMAZENAMENTO HISTÓRICO DO SISTEMA INTEGRADO NACIONAL 100 80 60 40 20 56,8 55,7 54,8 53,5 50,2 49,5 42,3 42,9 38,5 40,4 42,6 42,0 43,0 40,0 34,9 37,0 38,1 40,3 34,4 35,7 29,0

Leia mais

42,6 42,0 43,0 40,0 40,3 29,0 30,1 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4 23,1 20,5

42,6 42,0 43,0 40,0 40,3 29,0 30,1 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4 23,1 20,5 % Armazenamento MAIO RV4 1.1 ARMAZENAMENTO HISTÓRICO DO SISTEMA INTEGRADO NACIONAL 100 40 20 56,8 55,7 54,7 50,2 42,3 42,9 38,5 40,4 42,6 42,0 43,0 40,0 34,9 37,0 38,1 40,3 34,4 35,7 29,0 30,1 32,3 23,4

Leia mais

Garantia do Atendimento do SIN Visões de Curto ( ) e Médio Prazos ( )

Garantia do Atendimento do SIN Visões de Curto ( ) e Médio Prazos ( ) Garantia do Atendimento do SIN Visões de Curto (2015-2016) e Médio Prazos (2017-2019) Hermes Chipp Diretor Geral FGV 1 Rio de Janeiro, 17/08/2015 Condições Hidroenergéticas de 2010 a 2015 2010 2011 2012

Leia mais

Resultados 2016 Março, 2017

Resultados 2016 Março, 2017 Resultados Março, 2017 Hidrologia e Reservatórios Redução da afluência no SIN em (86,7% da MLT 1 vs. 89,4% em 2015) com maior nível dos reservatórios em 31,7% em vs. 29,4% em 2015 Destaques $ Preço de

Leia mais

Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 A ótica do Mercado

Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 A ótica do Mercado Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 A ótica do Mercado 15º ENASE Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração 23/05/2018 Grandes números da CCEE 7.062 agentes 13% crescimento no último ano

Leia mais

Consequências Comerciais Decorrentes da Insegurança Jurídica Relativa à Utilização dos Recursos Hídricos FIESP 07/03/2018

Consequências Comerciais Decorrentes da Insegurança Jurídica Relativa à Utilização dos Recursos Hídricos FIESP 07/03/2018 Consequências Comerciais Decorrentes da Insegurança Jurídica Relativa à Utilização dos Recursos Hídricos FIESP 07/03/2018 FURNAS Sistema de Geração FURNAS Sistema de Transmissão 3 Temas Atuais do Setor

Leia mais

Tarifas CELPA. Audiência Pública CINDRA Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia

Tarifas CELPA. Audiência Pública CINDRA Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia Audiência Pública CINDRA Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia Tarifas CELPA Davi Antunes Lima Superintendente de Gestão Tarifária - ANEEL 22 de abril de 2015 Brasília

Leia mais

Nº 54 Fevereiro/

Nº 54 Fevereiro/ www.ccee.org.br Nº 54 Fevereiro/212 8 1 8 O Info Mercado é uma publicação mensal que traz os principais resultados das operações contabilizadas no âmbito da CCEE. Esta edição refere-se aos dados da contabilização

Leia mais

Perspectivas do Mercado de Energia

Perspectivas do Mercado de Energia Perspectivas do Mercado de Energia Tractebel Energia GDF SUEZ - todos os direitos reservados Março de 2014 1 Conjuntura do Sistema 2 Recordes de demanda mensal de energia elétrica... Fev/14 68.500 61.106

Leia mais

Companhia Energética de Minas Gerais. Condição Atual do Setor Elétrico. Luiz Fernando Rolla

Companhia Energética de Minas Gerais. Condição Atual do Setor Elétrico. Luiz Fernando Rolla Companhia Energética de Minas Gerais Condição Atual do Setor Elétrico Luiz Fernando Rolla Ativos de qualidade superior #1 Distribuidora de energia* + #2 Maior grupo de transmissão + #3 Maior grupo de geração

Leia mais

Perspectivas do Setor de Energia Elétrica

Perspectivas do Setor de Energia Elétrica Perspectivas do Setor de Energia Elétrica Palestra Apimec RJ 19/set/2011 Leonardo Lima Gomes Agenda 1. Visão Geral do Setor 2. Mercado de Energia Elétrica 3. Perspectivas Desenvolvimento Mercado 4. Perspectivas

Leia mais

Energia em Foco Estratégias e Dasafios para o Futuro

Energia em Foco Estratégias e Dasafios para o Futuro Energia em Foco Estratégias e Dasafios para o Futuro Cenário e Perspectivas para o Setor Elétrico Brasileiro Romeu Rufino Diretor Geral da ANEEL 28.08.2015 Mantenedores: 1 FGV Energia Ciclo de palestras

Leia mais

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA 1 4T14 GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Maiores geradores mundiais de energia elétrica (TWh) 2013 Total 23.127,0 (100%) China 5.361,6 (23,2%) EUA 4.260,4 (18,4%) Índia 1.102,9 (4,8%) Japão Rússia 1.088,1 1.060,7

Leia mais

Encontro Nacional sobre o Futuro das PCHs. Cenário e tarifas do mercado livre e regulado

Encontro Nacional sobre o Futuro das PCHs. Cenário e tarifas do mercado livre e regulado Encontro Nacional sobre o Futuro das PCHs Cenário e tarifas do mercado livre e regulado 22 de agosto de 2013 Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração Agenda Comercialização

Leia mais

Análise PLD 4ª semana operativa de abril

Análise PLD 4ª semana operativa de abril 1,16 37,61 13, 19,3 8,9 67,31 97,36 13,43 38,73 7,8 9,4 166,69 63,6 94,1 3,66 3,4 37,73 49,4 7,93 61,3 83,43 11,8 149,,1 166, 1,19 11,44 18,43 16,4 87, 39,73 46,1 36,68 3,66 331,1 689, www.ccee.org.br

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL MAI.2014

INFORMATIVO MENSAL MAI.2014 JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ INFORMATIVO MENSAL.214 Preço de Liquidação das Diferenças 9, PLD Médio /214 8 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 8, 7, 6, 5, 4, PLD TETO 822,83 7 6 5

Leia mais

Utilities Day Santander São Paulo, Fevereiro de 2016

Utilities Day Santander São Paulo, Fevereiro de 2016 Utilities Day Santander São Paulo, Fevereiro de 2016 1 Fluxos nos Sistemas de Potência O fluxo dos elétrons Baseado em Leis Universais: - Kirchhoff's - Ohm s - Gauss s - Equações de Maxwell - Equações

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL ABR.2014

INFORMATIVO MENSAL ABR.2014 JAN MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN INFORMATIVO MENSAL.214 Preço de Liquidação das Diferenças 9, 8, 7, 6, 5, 4, PLD Médio /214 PLD TETO 822,83 8 7 6 5 4 PLD Médio

Leia mais

42,6 42,0 43,0 40,0 40,3 29,0 30,1 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4 23,1 20,5

42,6 42,0 43,0 40,0 40,3 29,0 30,1 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4 23,1 20,5 % Armazenamento 1.1 ARMAZENAMENTO HISTÓRICO DO SISTEMA INTEGRADO NACIONAL 100 60 40 20 56,8 55,7 54,8 53,5 50,2 42,3 42,9 38,5 40,4 42,6 42,0 43,0 40,0 34,9 37,0 38,1 40,3 34,4 35,7 29,0 30,1 32,3 23,4

Leia mais

Resultados 1T17 Maio, 2017

Resultados 1T17 Maio, 2017 Resultados 1T17 Maio, 2017 Hidrologia e Reservatórios Redução da afluência no SIN 1 no 1T17 (67,1% da MLT 2 vs. 97,4% da MLT no 1T16) reflete no menor nível dos reservatórios no 1T17 atingindo 39,2% vs.

Leia mais

Excelência Energética

Excelência Energética ACONTECEU LEILÃO A-5 TERÁ PREÇOS DIFERENCIADOS PARA GERADORES COM E SEM OUTORGA O Leilão A-5/, cuja realização se dará no dia 29 de abril, teve seu edital, além dos respectivos anexos, aprovado pela ANEEL.

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL JUL.2011

INFORMATIVO MENSAL JUL.2011 R$/MWh R$/MWh R$/MWh Preço de Liquidação das Diferenças 35, PLD Médio MAI/211 JUL/211 5 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 3, 25, 4 2, 15, 1, 5,, NORTE MÉDIA SEMANA 1 1 SEMANA SEMANA 2 2 SEMANA 3SEMANA 3SEMANA

Leia mais

O PLD da 5ª semana de Novembro foi republicado devido a um erro de entrada de dado no Modelo:

O PLD da 5ª semana de Novembro foi republicado devido a um erro de entrada de dado no Modelo: 02 2 3 PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) PLD - ª Semana de Dezembro de 203 Dezembro (30..203 a 06.2.203) PLD médio PLD médio 2 R$/MWh Sudeste Sul Nordeste Norte Sudeste 309,49 309,33 Pesada 33,8

Leia mais

Risco Hidrológico - GSF

Risco Hidrológico - GSF São Paulo, SP 18/09/2015 Risco Hidrológico - GSF GSF 2008/2014 2 3 Pleito dos agentes Pleito inicial: compensação pelo despacho fora da ordem do mérito, incluindo a energia de reserva Processo ANEEL iniciado

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL MAR.2014

INFORMATIVO MENSAL MAR.2014 INFORMATIVO MENSAL.214 Preço de Liquidação das Diferenças 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, PLD Médio /214 PLD TETO 822,83 7 6 5 4 3 2 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 1,, MÉDIA SEMANA 1 1/ a 7/ NORTE SEMANA 2 8/

Leia mais

Fontes renováveis e smart grid

Fontes renováveis e smart grid Fontes renováveis e smart grid 2º Seminário sobre a Inserção de novas fontes renováveis no Planejamento Energético Nacional Mario Daher Gerente Executivo - ONS COPPE-UFRJ Rio de Janeiro, 30/04/2014 1 As

Leia mais

Comercialização de Energia ACL e ACR

Comercialização de Energia ACL e ACR Comercialização de Energia ACL e ACR Capítulo 3 Mercado, Tarifas e Preços Prof. Alvaro Augusto W. de Almeida Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Eletrotécnica alvaroaugusto@utfpr.edu.br

Leia mais

Painel 2: CCEE e a operação do mercado 22/03/2018 Agenda Setorial 2018: Reforma Setorial e Perspectivas 2018

Painel 2: CCEE e a operação do mercado 22/03/2018 Agenda Setorial 2018: Reforma Setorial e Perspectivas 2018 Painel 2: CCEE e a operação do mercado 22/03/2018 Agenda Setorial 2018: Reforma Setorial e Perspectivas 2018 Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração Agenda Institucional Mercado Livre Desafios

Leia mais

42,6 42,0 43,0 40,0 40,3 29,0 30,1 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4 23,1 20,5

42,6 42,0 43,0 40,0 40,3 29,0 30,1 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4 23,1 20,5 % Armazenamento JUNHO RV0 1.1 ARMAZENAMENTO HISTÓRICO DO SISTEMA INTEGRADO NACIONAL 20 56,8 55,7 54,8,2 42,3 42,9 38,5,4 42,6 42,0 43,0,0 34,9 37,0 38,1,3 34,4 35,7 29,0 30,1 32,3 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4

Leia mais

Painel 2: O mercado em /04/2017 Agenda Setorial 2017: Abastecimento, Preço e Perspectivas

Painel 2: O mercado em /04/2017 Agenda Setorial 2017: Abastecimento, Preço e Perspectivas Painel 2: O mercado em 2017 03/04/2017 Agenda Setorial 2017: Abastecimento, Preço e Perspectivas Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração Agenda Grandes números da CCEE A expansão do mercado

Leia mais

Aperfeiçoamentos do Mercado Atacadista de Energia. Roberto Brandão

Aperfeiçoamentos do Mercado Atacadista de Energia. Roberto Brandão Aperfeiçoamentos do Mercado Atacadista de Energia Roberto Brandão Brasília, 18/09/2018 Sumário 1. Fragilidades do de energia no atacado 2. Histórico da crise no mercado atacadista 3. Perspectivas de aprimoramento

Leia mais

Comercialização de Energia ACL e ACR

Comercialização de Energia ACL e ACR Comercialização de Energia ACL e ACR Capítulo 3 Mercado, Tarifas e Preços Prof. Alvaro Augusto W. de Almeida Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Eletrotécnica alvaroaugusto@utfpr.edu.br

Leia mais

Agenda Positiva do Mercado Livre de Energia 14º Encontro Internacional de Energia - FIESP 5 de agosto de Ricardo Lima Conselho de Administração

Agenda Positiva do Mercado Livre de Energia 14º Encontro Internacional de Energia - FIESP 5 de agosto de Ricardo Lima Conselho de Administração Agenda Positiva do Mercado Livre de Energia 14º Encontro Internacional de Energia - FIESP 5 de agosto de 2013 Ricardo Lima Conselho de Administração Agenda Visão geral de mercado Dados de Comercialização

Leia mais

Análise PLD 4ª semana operativa de novembro

Análise PLD 4ª semana operativa de novembro 37,61 13,25 19,3 28,95 67,31 38,73 125,16 97,36 7,28 29,42 35,66 3,42 37,73 49,42 135,43 75,93 61,32 83,43 166,69 115,58 147,5 263,6 287,2,21 233,1 238,84 231,48 24,92 395,73 689,25 www.ccee.org.br Nº

Leia mais

Abertura do Mercado. Brasília, 11 de dezembro de 2018.

Abertura do Mercado. Brasília, 11 de dezembro de 2018. Abertura do Mercado Brasília, 11 de dezembro de 2018. ABRACEEL 97 Associados Histórico A origem do mercado livre no Brasil O mercado livre de energia elétrica foi criado há 23 anos pela Lei 9.074, publicada

Leia mais

Panorama do Setor Elétrico Brasileiro. Adriano Pires Janeiro/2015

Panorama do Setor Elétrico Brasileiro. Adriano Pires Janeiro/2015 Panorama do Setor Elétrico Brasileiro Adriano Pires Janeiro/2015 1 Índice Contextualização e Perspectivas para o Setor Elétrico: Mudança no perfil do setor elétrico Questão regulatória (MP 579) Momento

Leia mais

O Mercado Livre de Energia Elétrica

O Mercado Livre de Energia Elétrica O Mercado Livre de Energia Elétrica Conjuntura atual do setor elétrico, seus impactos na indústria e perspectivas futuras. Campetro Energy Novembro de 2015 Sumário 1. Institucional Grupo Votorantim e Votorantim

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL JAN.2011

INFORMATIVO MENSAL JAN.2011 FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ INFORMATIVO MENSAL.211 Preço de Liquidação das Diferenças PLD Médio /211 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 6, 5 5, 4

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL FEV.2014

INFORMATIVO MENSAL FEV.2014 INFORMATIVO MENSAL.214 Preço de Liquidação das Diferenças 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, PLD Médio /214 PLD TETO = 822,83 7 6 5 4 3 2 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 1,, NORTE MÉDIA SEMANA 1 1/ a 7/ SEMANA 2 8/

Leia mais

Análise PLD 4ª semana operativa de outubro

Análise PLD 4ª semana operativa de outubro 37,61 13,25 19,3 28,95 67,31 38,73 125,16 97,36 7,28 29,42 35,66 3,42 37,73 49,42 135,43 75,93 61,32 83,43 166,69 115,58 147,5 263,6 287,2 213,29 214,32 193,41 165,81 395,73 689,25 www.ccee.org.br Nº 265

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Análise PLD 1ª semana operativa de janeiro

Análise PLD 1ª semana operativa de janeiro s www.ccee.org.br Nº 17 1ª semana de janeiro/215 8 1 8 O InfoPLD é uma publicação semanal que traz uma análise dos fatores que influenciam na formação do Preço de Liquidação das Diferenças - PLD, calculado

Leia mais

Resultados 1T14. Maio, 2014

Resultados 1T14. Maio, 2014 Resultados Maio, 2014 Destaques Operacional & Comercial Manutenção do nível de indisponibilidades não programadas em patamares reduzidos (1,18% no versus 1,01% no ); queda média anual de 39% desde 2010

Leia mais

Análise PLD 3ª semana operativa de março

Análise PLD 3ª semana operativa de março 12,16 37,61 13,2 19,3 28,9 67,31 97,36 13,43 38,73 7,28 29,42 166,69 263,6 287,2 94,1 3,66 3,42 37,73 49,42 7,93 61,32 83,43 11,8 149,2 2,21 166, 122,19 121,44 128,43 184,49 18,6 238, 219,1 39,73 689,2

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL MAI.2013

INFORMATIVO MENSAL MAI.2013 JAN JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN INFORMATIVO MENSAL.213 Preço de Liquidação das Diferenças 4, PLD Médio /213 6 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 35, 3, 25, 2, 15, 1, 5 4

Leia mais

Planejamento da Matriz Elétrica Brasileira e a Importância das Questões Ambientais

Planejamento da Matriz Elétrica Brasileira e a Importância das Questões Ambientais III Seminário "Estratégias para Conservação de Peixes em Minas Gerais 5 anos do Programa Peixe Vivo Planejamento da Matriz Elétrica Brasileira e a Importância das Questões Ambientais Prof. Nivalde J. de

Leia mais

Resultados 3T16 Novembro, 2016

Resultados 3T16 Novembro, 2016 Resultados Novembro, 2016 Hidrologia e Reservatórios Redução da afluência do SIN no para 86,5% da MLT 1 na comparação com o 3T15 e nível dos reservatórios ficaram em 38,3% Preço de Energia Expectativa

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL MARÇO Preço de Liquidação das Diferenças. Intercâmbio de Energia entre Submercados. Nordeste. Norte SE/CO. Sul

INFORMATIVO MENSAL MARÇO Preço de Liquidação das Diferenças. Intercâmbio de Energia entre Submercados. Nordeste. Norte SE/CO. Sul JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR R$/MWh R$/MWh R$/MWh Preço de Liquidação das Diferenças 400,00 PLD Médio MAR/2019 800 PLD Médio

Leia mais

Boletim de conjuntura do setor elétrico brasileiro

Boletim de conjuntura do setor elétrico brasileiro 15 de Agosto de 2016 Boletim de conjuntura do setor elétrico brasileiro A energia elétrica é insumo essencial à indústria, podendo representar até 40% dos custos de produção em setores eletrointensivos.

Leia mais

Resultados 2T15 Agosto, 2015

Resultados 2T15 Agosto, 2015 Resultados Agosto, 2015 Destaques Afluência no SIN no de 91% da MLT 1 (vs. 104% em ) Hidrologia Nível de reservatórios do SIN encerrou o em 38,3% vs. 43,0% no Rebaixamento médio do MRE de 18,9% no vs.

Leia mais

1. SUMÁRIO EXECUTIVO. O Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) encerrou janeiro/2015 com um fator de ajuste de 80,6%.

1. SUMÁRIO EXECUTIVO. O Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) encerrou janeiro/2015 com um fator de ajuste de 80,6%. O InfoMercado mensal apresenta os dados da prévia de medição de fevereiro/15 e os principais resultados da contabilização das operações do mercado de energia elétrica em janeiro/15. Este boletim traz um

Leia mais

Boletim de conjuntura do setor elétrico brasileiro

Boletim de conjuntura do setor elétrico brasileiro Junho de 2017 4ª Edição Boletim de conjuntura do setor elétrico brasileiro A energia elétrica é insumo essencial à indústria, podendo representar até 40% dos custos de produção em setores eletrointensivos.

Leia mais

RISCO HIDROLÓGICO, MRE E GSF

RISCO HIDROLÓGICO, MRE E GSF RISCO HIDROLÓGICO, MRE E GSF Camila Rodrigues Advogada da Justen, Pereira, Oliveira & Talamini A matriz elétrica brasileira tem como principal fonte geradora a hidráulica. A utilização do fluxo da água

Leia mais

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças)

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) 2 2 PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) 3ª Semana de Novembro de 202 Novembro (0..202 a 6..202) PLD médio PLD médio 2 R$/MWh Sudeste Sul Nordeste Norte Sudeste 430,56 440,6 Pesada 453,5 453,5 453,5

Leia mais

Análise PLD 2ª semana operativa de janeiro

Análise PLD 2ª semana operativa de janeiro 125,16 37,61 13,25 19,3 28,95 67,31 97,36 135,43 38,73 7,28 29,42 166,69 263,6 98,49 35,66 3,42 37,73 49,42 75,93 61,32 83,43 115,58 147,5 2,21 218,98 122,42 148,4 11,24 287,2 395,73 689,25 www.ccee.org.br

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL AGO.2013

INFORMATIVO MENSAL AGO.2013 JAN SET OUT NOV DEZ JAN SET OUT NOV DEZ JAN Preço de Liquidação das Diferenças 3, PLD Médio /213 6 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 25, 5 2, 15, 1, 4 3 2 5,, MÉDIA SEMANA 1 27/ a 2/ NORTE SEMANA 2 3/ a 9/

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA

PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA Manoel Zaroni Torres São Paulo, 30 de Março de 2016 1 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 PIB: histórico x projeção 7,6%

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL MAR.2012

INFORMATIVO MENSAL MAR.2012 R$/MWh R$/MWh R$/MWh Preço de Liquidação das Diferenças PLD Médio MAR/212 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 2, 6 18, 16, 5 14, 12, 1, 8, 6, 4, 2, 4 3 2 1, MÉDIA SEMANA 1 1/ a 2/ NORTE SEMANA 2 3/ a 9/ SEMANA

Leia mais

Análise PLD 3ª semana operativa de fevereiro

Análise PLD 3ª semana operativa de fevereiro 125,16 37,61 13,25 19,3 28,95 67,31 97,36 135,43 38,73 7,28 29,42 166,69 263,6 94,28 35,66 3,42 37,73 49,42 75,93 61,32 83,43 115,58 149,2 2,21 166,5 122,19 121,44,64 111,91,97 287,2 395,73 689,25 www.ccee.org.br

Leia mais

Resultados 2T17. Agosto, 2017

Resultados 2T17. Agosto, 2017 Resultados 2T17 Agosto, 2017 Destaques 2T17 ESTRATÉGIA DE COMERCIALIZAÇÃO / GESTÃO DE RISCOS: Redução do nível de contratação para 80%, em 2017, como estratégia de redução da exposição ao risco hidrológico

Leia mais

EDP BRASIL. Miguel Setas, CEO EDP Brasil

EDP BRASIL. Miguel Setas, CEO EDP Brasil EDP BRASIL Miguel Setas, CEO EDP Brasil 1 Perfil Corporativo 2 Ambiente Macro, Energético e Regulatório 3 Foco estratégico 2016-2020 1 1 EDP - Energias de Portugal Free Float Posição da EDP Brasil no mercado

Leia mais

Miguel Setas, CEO. EDP Energias do Brasil

Miguel Setas, CEO. EDP Energias do Brasil Miguel Setas, CEO EDP Energias do Brasil 0 Perfil Corporativo: companhia integrada privada com operações em distribuição, geração e comercialização de energia elétrica EDP Energias de Portugal Free Float

Leia mais

RESULTADOS DA CONTABILIZAÇÃO - FEV/15

RESULTADOS DA CONTABILIZAÇÃO - FEV/15 O InfoMercado mensal apresenta os dados da prévia de medição de março/15 e os principais resultados da contabilização das operações do mercado de energia elétrica em fevereiro/15. Este boletim traz um

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL ABR Preço de Liquidação das Diferenças. Intercâmbio de Energia entre Submercados. Nordeste. Norte SE/CO. Sul

INFORMATIVO MENSAL ABR Preço de Liquidação das Diferenças. Intercâmbio de Energia entre Submercados. Nordeste. Norte SE/CO. Sul JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR R$/MWh R$/MWh R$/MWh Preço de Liquidação das Diferenças 250,00 PLD Médio ABR/2019 800 PLD

Leia mais

UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA. Gestão de riscos de energia no novo contexto regulatório

UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA. Gestão de riscos de energia no novo contexto regulatório UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA Gestão de riscos de energia no novo contexto regulatório UMA EMPRESA FORTE EM ENERGIA Uma Empresa Forte em Energia 24 Usinas em Operação e 5 em Construção R$ 1,4 bilhão de

Leia mais

Nº 003 Março/ Nº de usinas

Nº 003 Março/ Nº de usinas Introdução O Boletim de Operação das Usinas é uma publicação mensal que apresenta os principais resultados consolidados de capacidade, garantia física e geração das usinas, tendo como referência a contabilização

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais