CURSO DE DIREITO TRIBUTÁRIO. Prof. Jefté Fernando Lisowski

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO DE DIREITO TRIBUTÁRIO. Prof. Jefté Fernando Lisowski"

Transcrição

1

2 CRÉDITO TRIBUTÁRIO Art. 139 a 182 do CTN - Decorre da obrigação principal e tem a mesma natureza desta - A constituição do CT dá exigibilidade à obrigação tributária - Depende do lançamento realizado por autoridade administrativa (vide art. 142 do CTN) Art Compete privativamente à autoridade administrativa constituir o crédito tributário pelo lançamento, assim entendido o procedimento administrativo tendente a verificar a ocorrência do fato gerador da obrigação correspondente, determinar a matéria tributável, calcular o montante do tributo devido, identificar o sujeito passivo e, sendo caso, propor a aplicação da penalidade cabível. Parágrafo único. A atividade administrativa de lançamento é vinculada e obrigatória, sob pena de responsabilidade funcional.

3 CRÉDITO TRIBUTÁRIO Art. 139 a 182 do CTN - As circunstâncias que modificam o CT, sua extensão ou efeitos, garantias ou privilégios, ou que excluem sua exigibilidade não afetam a obrigação tributária que lhe dá origem. - O CT regularmente constituído só se modifica ou extingue, ou tem sua exigibilidade suspensa ou excluída, nos casos previstos no CTN, fora os quais não podem ser dispensadas, sob pena de responsabilidade funcional.

4 CRÉDITO TRIBUTÁRIO Art. 139 a 182 do CTN LANÇAMENTO - Procedimento x Ato Administrativo - Constitui o Crédito Tributário verificando - a ocorrência do fato gerador - montante devido (base de cálculo e alíquota) - matéria tributável - sujeito passivo - penalidade aplicável (quando for o caso) - efeito declaratório (efeito ex tunc retroage ao tempo do fato gerador) - rege-se pela lei vigente na data do fato gerador, ainda que posteriormente modificada ou revogada (salvo casos de retroatividade benigna)

5 CRÉDITO TRIBUTÁRIO MODALIDADES DE LANÇAMENTO - POR HOMOLOGAÇÃO (AUTO LANÇAMENTO) Art. 150 do CTN - Legislação atribui ao sujeito passivo o dever de antecipar o pagamento sem prévio exame da autoridade administrativa. - Pagamento antecipado extingue o crédito tributário sob condição resolutória até ulterior homologação do lançamento. - Se a lei não fixar prazo para a homologação, será ele de cinco anos, a contar da ocorrência do fato gerador. - Homologação Tácita: Se não houver manifestação da Fazenda Pública, considera-se homologado lançamento e definitivamente extinto o crédito tributário (salvo se comprovado o dolo, fraude ou simulação onde se aplica o prazo do art. 173, I, do CTN). - Ex: IPI, ICMS, PIS, COFINS, IRPJ, CSL. (Formas de autolançamento DCTF, DIPJ, DIME/SC, etc

6 CRÉDITO TRIBUTÁRIO Art. 139 a 182 do CTN MODALIDADES DE LANÇAMENTO - POR DECLARAÇÃO (MISTO) Art. 147 do CTN - Sujeito passivo presta informações à Fazenda Pública sobre matéria de fato, que efetua o lançamento com base nos dados fornecidos pelo sujeito passivo. - Retificação por iniciativa do declarante, que reduza ou exclua o tributo só se admite em caso de erro e antes da notificação do lançamento. - Sempre que não mereçam fé as declarações ou esclarecimento do sujeiro passivo, a autoridade pode arbitrar o valo ou preço de bens, direitos, serviços ou atos jurídicos mediante procedimento regular (contraditório) - Ex: São raros os casos, em SC temos o ITCMD

7 CRÉDITO TRIBUTÁRIO Art. 139 a 182 do CTN MODALIDADES DE LANÇAMENTO - DE OFÍCIO (OU DIRETO) Art. 149 do CTN - Realizado integralmente pela autoridade administrativa, que já dispõe dos dados necessários para efetuar o lançamento; - Ex.: IPVA e IPTU - Também ocorre quando o lançamento por declaração ou homologação é revisto pela autoridade administrativa;

8 CRÉDITO TRIBUTÁRIO MODALIDADES DE LANÇAMENTO Art O lançamento é efetuado e revisto de ofício pela autoridade administrativa nos seguintes casos: I - quando a lei assim o determine; II - quando a declaração não seja prestada, por quem de direito, no prazo e na forma da legislação tributária; III - quando a pessoa legalmente obrigada, embora tenha prestado declaração nos termos do inciso anterior, deixe de atender, no prazo e na forma da legislação tributária, a pedido de esclarecimento formulado pela autoridade administrativa, recuse-se a prestá-lo ou não o preste satisfatoriamente, a juízo daquela autoridade; IV - quando se comprove falsidade, erro ou omissão quanto a qualquer elemento definido na legislação tributária como sendo de declaração obrigatória; V - quando se comprove omissão ou inexatidão, por parte da pessoa legalmente obrigada, no exercício da atividade a que se refere o artigo seguinte;

9 CRÉDITO TRIBUTÁRIO MODALIDADES DE LANÇAMENTO Art O lançamento é efetuado e revisto de ofício pela autoridade administrativa nos seguintes casos:... VI - quando se comprove ação ou omissão do sujeito passivo, ou de terceiro legalmente obrigado, que dê lugar à aplicação de penalidade pecuniária; VII - quando se comprove que o sujeito passivo, ou terceiro em benefício daquele, agiu com dolo, fraude ou simulação; VIII - quando deva ser apreciado fato não conhecido ou não provado por ocasião do lançamento anterior; IX - quando se comprove que, no lançamento anterior, ocorreu fraude ou falta funcional da autoridade que o efetuou, ou omissão, pela mesma autoridade, de ato ou formalidade especial. Obs: Revisão do lançamento só pode ser feito enquanto não extinto o direito da Fazenda Pública (homologação tácita)

10 CRÉDITO TRIBUTÁRIO - Suspendem a exigibilidade do crédito tributário (art. 151 do CTN) - moratória; - o depósito do seu montante integral; - as reclamações e os recursos, nos termos das leis reguladoras do processo tributário administrativo; - a concessão de medida liminar em mandado de segurança. - a concessão de medida liminar ou de tutela antecipada, em outras espécies de ação judicial; (Incluído pela Lcp nº 104, de ) - o parcelamento. (Incluído pela Lcp nº 104, de )

11 CRÉDITO TRIBUTÁRIO - Suspendem a exigibilidade do crédito tributário (art. 151 do CTN) - moratória (gênero) e parcelamento (espécie); - ampliação do prazo de pagamento do tributo - concedida por lei (vide art. 97, VI) - em caráter geral pelo ente tributante com competência tributária - em caráter individual por despacho adm., autorizado por lei - pode se limitar a determinada região ou classe ou categoria de SP - concessão em caráter individual não gera direito adquirido e pode ser revogado de ofício, qdo o beneficiado não satisfizer as condições - salvo disposição de lei, os juros e multa não se excluem em caso de parcelamento

12 CRÉDITO TRIBUTÁRIO - Extinguem o crédito tributário: Art. 156 do CTN - o pagamento; - a compensação; - a transação; - a remissão; - a prescrição e a decadência; - a conversão de depósito em renda;

13 CRÉDITO TRIBUTÁRIO -Extinguem o crédito tributário: Art. 156 do CTN - o pagamento antecipado e a homologação do lançamento nos termos do disposto no artigo 150 e seus 1º e 4º; - a consignação em pagamento, nos termos do disposto no 2º do artigo 164; - a decisão administrativa irreformável, assim entendida a definitiva na órbita administrativa, que não mais possa ser objeto de ação anulatória; - a decisão judicial passada em julgado. - a dação em pagamento em bens imóveis, na forma e condições estabelecidas em lei. (Incluído pela Lcp nº 104, de )

14 EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO PAGAMENTO - A imposição de penalidade não ilide o pagamento integral do crédito tributário. - O pagamento de um crédito não importa em presunção de pagamento: - quando parcial, das prestações em que se decomponha; - quando total, de outros créditos referentes ao mesmo ou a outros tributos. - Quando a legislação tributária não dispuser a respeito, o pagamento é efetuado na repartição competente do domicílio do sujeito passivo. - Quando a legislação tributária não fixar o tempo do pagamento, o vencimento do crédito ocorre trinta dias depois da data em que se considera o sujeito passivo notificado do lançamento. - A legislação tributária pode conceder desconto pela antecipação do pagamento, nas condições que estabeleça.

15 EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO PAGAMENTO - O CT não integralmente pago no vencimento é acrescido de juros de mora, seja qual for o motivo determinante da falta, sem prejuízo da imposição das penalidades cabíveis e da aplicação de quaisquer medidas de garantia previstas nesta Lei ou em lei tributária. - Se a lei não dispuser de modo diverso, os juros de mora são calculados à taxa de um por cento ao mês. Tributos Federias e Estaduais: TAXA SELIC (correção + juros) Municipal de Lages: IGP-M (correção monetária) + 1% (juros) -O pagamento é efetuado: - em moeda corrente, cheque ou vale postal; - nos casos previstos em lei, em estampilha, em papel selado, ou por processo mecânico.

16 EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO PAGAMENTO - Existindo simultaneamente dois ou mais débitos vencidos do mesmo sujeito passivo para com a mesma pessoa jurídica de direito público, relativos ao mesmo ou a diferentes tributos ou provenientes de penalidade pecuniária ou juros de mora, a autoridade administrativa competente para receber o pagamento determinará a respectiva imputação, obedecidas as seguintes regras, na ordem em que enumeradas: - em primeiro lugar, aos débitos por obrigação própria, e em segundo lugar aos decorrentes de responsabilidade tributária; - primeiramente, às contribuições de melhoria, depois às taxas e por fim aos impostos; - na ordem crescente dos prazos de prescrição; - na ordem decrescente dos montantes.

17 EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO PAGAMENTO (consignação em pagamento) - Em quais situações é possível a consignação em pagamento? - recusa de recebimento, ou subordinação deste ao pgto de outro tributo ou de penalidade, ou ao cumprimento de obrigação acessória; - subordinação do recebimento ao cumprimento de exigências administrativas - Julgada procedente a consignação, o pagamento se reputa efetuado e a importância - Julgada improcedente a consignação no todo ou em parte, cobra-se o crédito sem fundamento legal; - exigência, por mais de uma pessoa jurídica de direito público, de tributo idêntico sobre um mesmo fato gerador. - A consignação só pode versar sobre o crédito que o consignante se propõe pagar. consignada é convertida em renda; acrescido de juros de mora, sem prejuízo das penalidades cabíveis.

18 EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO PAGAMENTO INDEVIDO - O sujeito passivo tem direito, independentemente de prévio protesto, à restituição total ou parcial do tributo, seja qual for a modalidade do seu pagamento, ressalvado o disposto no 4º do artigo 162, nos seguintes casos: - cobrança ou pagamento espontâneo de tributo indevido ou maior que o devido em face da legislação tributária aplicável, ou da natureza ou circunstâncias materiais do fato gerador efetivamente ocorrido; - erro na edificação do sujeito passivo, na determinação da alíquota aplicável, no cálculo do montante do débito ou na elaboração ou conferência de qualquer documento relativo ao pagamento; - reforma, anulação, revogação ou rescisão de decisão condenatória. - A restituição de tributos que comportem, por sua natureza, transferência do respectivo encargo financeiro somente será feita a quem prove haver assumido o referido encargo, ou, no caso de tê-lo transferido a terceiro, estar por este expressamente autorizado a recebê-la.

19 EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO PAGAMENTO INDEVIDO - A restituição total ou parcial do tributo dá lugar à restituição, na mesma proporção, dos juros de mora e das penalidades pecuniárias, salvo as referentes a infrações de caráter formal não prejudicadas pela causa da restituição. - O direito de pleitear a restituição extingue-se com o decurso do prazo de 5 (cinco) anos, contados: - nas hipótese dos incisos I e II do artigo 165, da data da extinção do CT; - na hipótese do inciso III do artigo 165, da data em que se tornar definitiva a decisão administrativa ou passar em julgado a decisão judicial que tenha reformado, anulado, revogado ou rescindido a decisão condenatória. - Prescreve em dois anos a ação anulatória da decisão administrativa que denegar a restituição.

20 EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO COMPENSAÇÃO - A lei pode, nas condições e sob as garantias que estipular, ou cuja estipulação em cada caso atribuir à autoridade administrativa, autorizar a compensação de créditos tributários com créditos líquidos e certos, vencidos ou vincendos, do sujeito passivo contra a Fazenda pública. (Vide Decreto nº 7.212, de 2010) - É vedada a compensação mediante o aproveitamento de tributo, objeto de contestação judicial pelo sujeito passivo, antes do trânsito em julgado da respectiva decisão judicial. Art 170-A (Artigo incluído pela Lcp nº 104, de ) TRANSAÇÃO - A lei pode facultar, nas condições que estabeleça, aos sujeitos ativo e passivo da obrigação tributária celebrar transação que, mediante concessões mútuas, importe em determinação de litígio e conseqüente extinção de crédito tributário. - A lei indicará a autoridade competente para autorizar a transação em cada caso.

21 EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO REMISSÃO - A lei pode autorizar a autoridade administrativa a conceder, por despacho fundamentado, remissão total ou parcial do crédito tributário, atendendo: - à situação econômica do sujeito passivo; - ao erro ou ignorância excusáveis do sujeito passivo, quanto a matéria de fato; - à diminuta importância do crédito tributário; - a considerações de eqüidade, em relação com as características pessoais ou materiais do caso; - a condições peculiares a determinada região do território da entidade tributante. - O despacho referido neste artigo não gera direito adquirido, aplicando-se, quando cabível, o disposto no artigo 155.

22 EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO DECADÊNCIA - O direito da Fazenda Pública constituir o CT extingue-se após 5 anos, contados: - do primeiro dia do exercício seguinte àquele em que o lançamento poderia ter sido efetuado; - da data em que se tornar definitiva a decisão que houver anulado, por vício formal, o lançamento anteriormente efetuado. PRESCRIÇÃO - A ação para a cobrança do CT prescreve em 5 anos, contados da data da sua constituição definitiva. - A prescrição se interrompe: 1- pela citação pessoal feita ao devedor; 2 pelo despacho do juiz que ordenar a citação em execução fiscal; 3 - pelo protesto judicial; 4 - por qualquer ato judicial que constitua em mora o devedor; 5 - por qualquer ato inequívoco ainda que extrajudicial, que importe em reconhecimento do débito pelo devedor.

23 EXCLUSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO - Excluem o crédito tributário: I - a isenção; II - a anistia. - A exclusão do crédito tributário não dispensa o cumprimento das obrigações acessórias dependentes da obrigação principal cujo crédito seja excluído, ou dela conseqüente. - Salvo disposição de lei em contrário, a isenção não é extensiva: - às taxas e às contribuições de melhoria; - aos tributos instituídos posteriormente à sua concessão. - A isenção, salvo se concedida por prazo certo e em função de determinadas condições, pode ser revogada ou modificada por lei, a qualquer tempo, observado o principio da anterioridade.

24 EXCLUSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO - Excluem o crédito tributário: I - a isenção; II - a anistia. - A anistia abrange exclusivamente as infrações cometidas anteriormente à vigência da lei que a concede, não se aplicando: I - aos atos qualificados em lei como crimes ou contravenções e aos que, mesmo sem essa qualificação, sejam praticados com dolo, fraude ou simulação pelo sujeito passivo ou por terceiro em benefício daquele; II - salvo disposição em contrário, às infrações resultantes de conluio entre duas ou mais pessoas naturais ou jurídicas. - A anistia, quando não concedida em caráter geral, é efetivada, em cada caso, por despacho da autoridade administrativa, em requerimento com a qual o interessado faça prova do preenchimento das condições e do cumprimento dos requisitos previstos em lei para sua concessão. - O despacho referido neste artigo não gera direito adquirido, aplicando-se, quando cabível, o disposto no artigo 155.

25 Garantias e Privilégios do Crédito Tributário - Sem prejuízo dos privilégios especiais sobre determinados bens, que sejam previstos em lei, responde pelo pagamento do crédito tributário a totalidade dos bens e das rendas, de qualquer origem ou natureza, do sujeito passivo, seu espólio ou sua massa falida, inclusive os gravados por ônus real ou cláusula de inalienabilidade ou impenhorabilidade, seja qual for a data da constituição do ônus ou da cláusula, excetuados unicamente os bens e rendas que a lei declare absolutamente impenhoráveis. - Presume-se fraudulenta a alienação ou oneração de bens ou rendas, ou seu começo, por sujeito passivo em débito para com a Fazenda Pública, por crédito tributário regularmente inscrito como dívida ativa, salvo se reservar bens suficientes para pagamento ou garantia da dívida. - Na hipótese de o devedor tributário, devidamente citado, não pagar nem apresentar bens à penhora no prazo legal e não forem encontrados bens penhoráveis, o juiz determinará a indisponibilidade de seus bens e direitos, comunicando a decisão, preferencialmente por meio eletrônico, aos órgãos e entidades que promovem registros de transferência de bens, especialmente ao registro público de imóveis e às autoridades supervisoras do mercado bancário e do mercado de capitais, a fim de que, no âmbito de suas atribuições, façam cumprir a ordem judicial. A Estad sem q ativid

26 Garantias e Privilégios do Crédito Tributário - O crédito tributário prefere a qualquer outro, ressalvados os créditos decorrentes da legislação do trabalho ou do acidente de trabalho. - A cobrança judicial do crédito tributário não é sujeita a concurso de credores ou habilitação em falência, recuperação judicial, concordata, inventário ou arrolamento. - O concurso de preferência somente se verifica entre pessoas jurídicas de direito público, na seguinte ordem: I - União; II - Estados, Distrito Federal e Territórios, conjuntamente e pró rata; III - Municípios, conjuntamente e pró rata. Art. 191-A. A concessão de recuperação judicial depende da apresentação da prova de quitação de todos os tributos, observado o disposto nos arts. 151, 205 e 206 desta Lei. Salvo quando expressamente autorizado por lei, nenhum departamento da administração pública da União, dos Estados, do Distrito Federal, ou dos Municípios, ou sua autarquia, celebrará contrato ou aceitará proposta em concorrência pública sem que o contratante ou proponente faça prova da quitação de todos os tributos devidos à Fazenda Pública interessada, relativos à atividade em cujo exercício contrata ou concorre.

Fiscal Online Disciplina: Direito Tributário Prof. Eduardo Sabbag Data: 13.07.2012 MATERIAL DE APOIO MONITORIA. Índice 1.

Fiscal Online Disciplina: Direito Tributário Prof. Eduardo Sabbag Data: 13.07.2012 MATERIAL DE APOIO MONITORIA. Índice 1. Fiscal Online Disciplina: Direito Tributário Prof. Eduardo Sabbag Data: 13.07.2012 MATERIAL DE APOIO MONITORIA Índice 1. Anotações de Aula 1. ANOTAÇÕES DE AULA DIREITO TRIBUTARIO NO CTN Art. 155-A CTN.

Leia mais

CRÉDITO TRIBUTÁRIO. e) A aplicação retroativa de legislação tributária formal pode atribuir responsabilidade tributária aterceiros.

CRÉDITO TRIBUTÁRIO. e) A aplicação retroativa de legislação tributária formal pode atribuir responsabilidade tributária aterceiros. CRÉDITO TRIBUTÁRIO 01- Sobre o lançamento, com base no Código Tributário Nacional, assinale a opção correta. a) O lançamento é um procedimento administrativo pelo qual a autoridade fiscal, entre outras

Leia mais

Lançamento. Crédito Tributário: Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com

Lançamento. Crédito Tributário: Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com Direito Tributário Crédito tributário:conceito e constituição. Lançamento: conceito e modalidades de lançamento. Hipóteses de alteração do lançamento. Suspensão da exigibilidade do crédito tributário.

Leia mais

Questões Extras Direito Tributário Profº Ricardo Alexandre www.lfg.com.br/ www.cursoparaconcursos.com.br

Questões Extras Direito Tributário Profº Ricardo Alexandre www.lfg.com.br/ www.cursoparaconcursos.com.br TRIBUTO - CONCEITO 1. (ESAF/GEFAZ-MG/2005) Na atividade de cobrança do tributo a autoridade administrativa pode, em determinadas circunstâncias, deixar de aplicar a lei. 2. (ESAF/GEFAZ-MG/2005) Segundo

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO

DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO EXCLUSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO Art. 175 ao Art. 182 CTN Centro de Ensino Superior do Amapá Direito Financeiro e Tributário II Professora: Ilza Facundes Macapá-AP, 2013.1

Leia mais

CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE TRIBUTÁRIO FCC

CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE TRIBUTÁRIO FCC CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE TRIBUTÁRIO FCC Lançamento 1-(FCC - 2012 - Prefeitura de São Paulo - SP - Auditor Fiscal do Município) Um contribuinte do Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU possuía

Leia mais

Legislação e tributação comercial

Legislação e tributação comercial 6. CRÉDITO TRIBUTÁRIO 6.1 Conceito Na terminologia adotada pelo CTN, crédito tributário e obrigação tributária não se confundem. O crédito decorre da obrigação e tem a mesma natureza desta (CTN, 139).

Leia mais

LIVRO SEGUNDO NORMAS GERAIS DE DIREITO TRIBUTÁRIO TÍTULO I LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Seção I. Disposição Preliminar

LIVRO SEGUNDO NORMAS GERAIS DE DIREITO TRIBUTÁRIO TÍTULO I LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Seção I. Disposição Preliminar CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL LEI Nº 5.172, DE 25 DE OUTUBRO DE 1966, DOU DE 27/10/1966 LIVRO SEGUNDO NORMAS GERAIS DE DIREITO TRIBUTÁRIO TÍTULO I LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Seção

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ TRADIÇÃO, EXPERIÊNCIA E OUSADIA DE QUEM É PIONEIRO Data: 23/03/2010 Estudo dirigido Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO II Professora: ILZA MARIA

Leia mais

CAPÍTULO 1 - TRIBUTOS 1.1 CONCEITO DE TRIBUTO...16 1.2 ESPÉCIES DE TRIBUTOS...20 1.3 COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA...22

CAPÍTULO 1 - TRIBUTOS 1.1 CONCEITO DE TRIBUTO...16 1.2 ESPÉCIES DE TRIBUTOS...20 1.3 COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA...22 CAPÍTULO 1 - TRIBUTOS 1.1 CONCEITO DE TRIBUTO...16 1.2 ESPÉCIES DE TRIBUTOS...20 1.3 COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA...22 1.3.1 CARACTERÍSTICAS DA COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA...25 1.3.1.1 INDELEGABILIDADE...25 1.3.1.2

Leia mais

06) Precisa atender o princípio da noventena: 01) Qual ente é destituído de poder para instituir tributo?

06) Precisa atender o princípio da noventena: 01) Qual ente é destituído de poder para instituir tributo? 01) Qual ente é destituído de poder para instituir tributo? a) União b) Estado c) Território Federal d) Distrito Federal 02) Qual diploma normativo é apto para estabelecer normas gerais em matéria de legislação

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011 Recolhimento Espontâneo 001 Quais os acréscimos legais que incidirão no caso de pagamento espontâneo de imposto ou contribuição administrado pela Secretaria da Receita

Leia mais

Murillo Lo Visco 1 Editora Ferreira

Murillo Lo Visco 1 Editora Ferreira Olá pessoal! Sabemos que se aproxima a prova do concurso destinado a selecionar candidatos para provimento de vagas no cargo de Fiscal de Rendas de 3ª Categoria, do quadro da Secretaria de Estado de Fazenda

Leia mais

ÍNDICE. Alguns estudos do autor... Prefácio...

ÍNDICE. Alguns estudos do autor... Prefácio... ÍNDICE Alguns estudos do autor................... Prefácio..................................... 5 11 Capítulo I - CONCEITO DE DIREITO TRIBUTÁRIO 1. Direito financeiro e direito tributário........ 23 2.

Leia mais

CAUSAS DE EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO SHIRLEY ALONSO RODRIGUES SILVERIO LOPES 1

CAUSAS DE EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO SHIRLEY ALONSO RODRIGUES SILVERIO LOPES 1 1 CAUSAS DE EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO SHIRLEY ALONSO RODRIGUES SILVERIO LOPES 1 RESUMO O presente trabalho tem por objetivo apreciar as causas de extinção do crédito tributário através da análise

Leia mais

Decadência e Prescrição em Matéria Tributária

Decadência e Prescrição em Matéria Tributária CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO TRIBUTÁRIO Decadência e Prescrição em Matéria Tributária F A B I A N A D E L P A D R E T O M É G O I Â N I A, 1 1 / 0 4 / 2 0 1 5 CICLO DE POSITIVAÇÃO DO DIREITO CONSTITUIÇÃO

Leia mais

MATERIAL DE APOIO MONITORIA

MATERIAL DE APOIO MONITORIA Delegado Federal Disciplina: Direito Tributário Prof. Eduardo Sabbag Data: 13.01.2010 Aula n.º 08 MATERIAL DE APOIO MONITORIA Índice 1. Artigos Correlatos 1.1 Lançamento por homologação 2. Jurisprudência

Leia mais

Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS... 11

Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS... 11 Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS... 11 CAPÍTULO I DIREITO TRIBUTÁRIO, TRIBUTO E SUAS ESPÉCIES... 13 1. Breve introdução ao Direito Tributário...13 2. Tributo...14 3. Espécies

Leia mais

O artigo 156 do CTN elenca 11 modalidades distintas de extinção do crédito tributário. Vejamos:

O artigo 156 do CTN elenca 11 modalidades distintas de extinção do crédito tributário. Vejamos: 11. EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO Nos MA s anteriores vimos que a obrigação tributária nasce com a ocorrência do fato gerador e o crédito tributário é constituído a partir do lançamento tributário, podendo,

Leia mais

SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL. Lei nº 5.172, de 25 de outubro de 1966. I. Disposições Gerais

SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL. Lei nº 5.172, de 25 de outubro de 1966. I. Disposições Gerais SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL Lei nº 5.172, de 25 de outubro de 1966 I. Disposições Gerais 1. Sistema Tributário Nacional é regido pela Emenda Constitucional nº 18, Lei nº 5.172, de 25/10/66 e leis complementares:

Leia mais

Dispõe sobre o Código Tributário do Município de Hortolândia e dá outras providências

Dispõe sobre o Código Tributário do Município de Hortolândia e dá outras providências LEI Nº 1.801, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2.006 Dispõe sobre o Código Tributário do Município de Hortolândia e dá outras providências ÂNGELO AUGUSTO PERUGINI, Prefeito do Município de Hortolândia, faço saber

Leia mais

dispensadas, sob pena de responsabilidade funcional na forma da lei, a sua efetivação ou as respectivas

dispensadas, sob pena de responsabilidade funcional na forma da lei, a sua efetivação ou as respectivas SUSPENSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO É preciso voltar para o artigo 141 do CTN: Art. 141. O crédito tributário regularmente constituído somente se modifica ou extingue, ou tem sua exigibilidade suspensa ou

Leia mais

Direito Tributário. Módulo IV: Obrigação Tributária e Crédito Tributário.

Direito Tributário. Módulo IV: Obrigação Tributária e Crédito Tributário. Direito Tributário Módulo IV: Obrigação Tributária e Crédito Tributário. Obrigação Tributária Relação obrigacional entre Poder Público e Contribuinte. Obrigação Tributária Espécies: 1. Principal (obrigação

Leia mais

Vamos lá... *** a) Artigo 168: No caso de interrupção de pagamento de débito parcelado, o saldo proporcional

Vamos lá... *** a) Artigo 168: No caso de interrupção de pagamento de débito parcelado, o saldo proporcional Olá pessoal, tudo bem? Muitos estudos? Espero que sim. Vou começar a trabalhar com vocês alguns aspectos importantes da Legislação do ICMS RJ que podem ser cobrados no próximo concurso para Auditor Fiscal

Leia mais

PARECER DOS RECURSOS REFERENTES À ELABORAÇÃO DAS QUESTÕES DE PROVA OU GABARITO PRELIMINAR

PARECER DOS RECURSOS REFERENTES À ELABORAÇÃO DAS QUESTÕES DE PROVA OU GABARITO PRELIMINAR QUESTÃO: 22 22- Assinale a alternativa correta: (A) O direito do contribuinte em pleitear a repetição de tributos sujeitos a lançamento por homologação, indevidamente recolhidos, extingue-se em cinco anos,

Leia mais

www.direitofacil.com f ÅâÄtwÉ W Üx àé gü uâàöü É @ `öüv t cxä áátü

www.direitofacil.com f ÅâÄtwÉ W Üx àé gü uâàöü É @ `öüv t cxä áátü TRIBUTÁRIO 02 QUESTÕES DE CONCURSO 01 - (TTN/97 ESAF) O Distrito Federal pode instituir a) impostos, taxas e empréstimos compulsórios b) imposto sobre serviços de qualquer natureza; taxas, em razão do

Leia mais

Comentários da prova ISS-SJC/SP Disciplina: Direito Tributário Professora: Aline Martins

Comentários da prova ISS-SJC/SP Disciplina: Direito Tributário Professora: Aline Martins Comentários da prova ISS-SJC/SP Prof. Aline Martins 1 de 7 ANÁLISE DAS QUESTÕES DE DIREITO TRIBUTÁRIO ISS-SJC/SP Oi pessoal! Vou comentar abaixo as quatro questões de Direito Tributário da prova do concurso

Leia mais

Leis, Tratados e Convenções Internacionais e Decretos

Leis, Tratados e Convenções Internacionais e Decretos 1. LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA. Art. 96. A expressão "legislação tributária" compreende as leis, os tratados e as convenções internacionais, os decretos e as normas complementares que versem, no todo ou em parte,

Leia mais

Município de Venâncio Aires

Município de Venâncio Aires LEI COMPLEMENTAR Nº 064, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2013. Disciplina o Sistema Tributário do Município, consolida Leis e institui o novo Código Tributário Municipal. AIRTON LUIZ ARTUS, PREFEITO MUNICIPAL DE

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO RUFINO

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO RUFINO LEI COMPLEMENTAR Nº 016/2005 DE 29 de dezembro de 2005 INSTITUI O CÓDIGO TRIBUTÁRIO E DISPÕE SOBRE O SISTEMA TRIBUTÁRIO DO MUNICÍPIO DE RIO RUFINO O Prefeito do Município de Rio Rufino, Estado de Santa

Leia mais

Art. 5º O conteúdo e o alcance dos atos regulamentares restringem-se aos das leis em função das quais tenham sido expedidos.

Art. 5º O conteúdo e o alcance dos atos regulamentares restringem-se aos das leis em função das quais tenham sido expedidos. Página 1 de 84 Lei Complementar nº 21/2005 de 26/12/2005 Institui o Código Tributário Municipal. Art. 1º Fica instituído o Código Tributário do Município de São José, Estado de Santa Catarina, na forma

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA LEI Nº 3.256, DE 24 DE DEZEMBRO DE 2003 Institui o programa de recuperação de créditos tributários da fazenda pública municipal REFIM e dá outras providências. Piauí Lei: O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA,

Leia mais

LEI Nº 699 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2001

LEI Nº 699 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2001 LEI Nº 699 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2001 INSTITUI O CÓDIGO TRIBUTÁRIO DO MUNICÍPIO DE PRIMAVERA DO LESTE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE PRIMAVERA DO LESTE, ESTADO DE MATO GROSSO, APROVOU

Leia mais

constitucional dos Estados e Municípios d) supletiva da legislação dos Estados e Municípios e) concorrente com os Estados e os Municípios

constitucional dos Estados e Municípios d) supletiva da legislação dos Estados e Municípios e) concorrente com os Estados e os Municípios 01- O estabelecimento de normas gerais em matéria de legislação tributária sobre obrigação, lançamento, crédito, prescrição e decadência tributários, deverá fazer-se, segundo norma contida na Constituição,

Leia mais

CTN Legislação Tributária

CTN Legislação Tributária UNISUL - DEPARTAMENTO DE DIREITO DIREITO TRIBUTÁRIO Prof. Vicente Lisboa Capella Florianópolis, novembro/2012 CTN Legislação Tributária Art. 96. A expressão "legislação tributária" compreende as as leis,

Leia mais

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB 7ª PARTE RIO TRIBUTÁRIO. Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.com

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB 7ª PARTE RIO TRIBUTÁRIO. Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.com PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB 7ª PARTE OBRIGAÇÃO E CRÉDITO TRIBUTÁRIO RIO Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.com RELAÇÃO JURÍDICO DICO-TRIBUTÁRIA RIA - CRONOLOGIA PRIN CC ÍPIO DD A A LL

Leia mais

Simulado Super Receita 2013 Direito Tributário Simulado Rafael Saldanha

Simulado Super Receita 2013 Direito Tributário Simulado Rafael Saldanha Simulado Super Receita 2013 Direito Tributário Simulado Rafael Saldanha 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 01 - (ESAF/2012) Analise as proposições a seguir e

Leia mais

DECRETO Nº 2.525, DE 4 DE SETEMBRO DE 2014 - Institui o Programa de Recuperação de Créditos da Fazenda Estadual REFAZ e dá outras providências.

DECRETO Nº 2.525, DE 4 DE SETEMBRO DE 2014 - Institui o Programa de Recuperação de Créditos da Fazenda Estadual REFAZ e dá outras providências. DECRETO Nº 2.525, DE 4 DE SETEMBRO DE 2014 - Institui o Programa de Recuperação de Créditos da Fazenda Estadual REFAZ e dá outras providências. EMENTA: Concede parcelamento de débitos fiscais com anistia

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N 1.645/2006, 25 DE AGOSTO DE 2006.

LEI COMPLEMENTAR N 1.645/2006, 25 DE AGOSTO DE 2006. LEI COMPLEMENTAR N 1.645/2006, 25 DE AGOSTO DE 2006. Dispõe sobre o Sistema Tributário Municipal de Bueno Brandão e dá outras providências correlatas A CÂMARA MUNICIPAL DE BUENO BRANDÃO, ESTADO DE MINAS

Leia mais

Lei Complementar Nº 69/2012

Lei Complementar Nº 69/2012 Lei Complementar Nº 69/2012 Dispõe sobre o Sistema Tributário do Município de Rolândia e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ROLÂNDIA, ESTADO DO PARANÁ, aprovou e eu, PREFEITO MUNICIPAL, sanciono

Leia mais

PREFEITURAMUNICIPALDE MONTEALEGREDE MINAS

PREFEITURAMUNICIPALDE MONTEALEGREDE MINAS PREFEITURAMUNICIPALDE MONTEALEGREDE MINAS ADM.2001 I 2004 LEI COMPLEMENTAR N 044~DE 29 DE JUNHO DE 2004. DISPÕE SOBRE O PARCELAMENTO, A COMPENSAÇÃO, A DAÇÃO EM PAGAMENTO, REMISSÃO E REDUÇÃO DE MULTAS E

Leia mais

MINUTA LEI ANISTIA / LEI Nº 16.943

MINUTA LEI ANISTIA / LEI Nº 16.943 MINUTA LEI ANISTIA / LEI Nº 16.943 Dispõe sobre a concessão de redução na multa e no juros de mora no pagamento de crédito tributário do ICMS nas situações que especifica. A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO

Leia mais

DISPOSIÇÃO PRELIMINAR

DISPOSIÇÃO PRELIMINAR LEI COMPLEMENTAR Nº 632 DISPÕE SOBRE O CÓDIGO TRIBUTÁRIO DO. JOÃO PAULO KLEINÜBING, Prefeito Municipal de Blumenau. Faço saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu

Leia mais

DISPOSIÇÃO PRELIMINAR

DISPOSIÇÃO PRELIMINAR 1 LEI COMPLEMENTAR N...... Dispõe sobre o Código Tributário do Município de Rio Branco, capital do Estado do Acre, e dá outras providências. O PREFEITO DE RIO BRANCO - ACRE, FAZ SABER que a Câmara Municipal

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 25, DE 29 DE DEZEMBRO 2006. A CÂMARA MUNICIPAL DE NOVA FRIBURGO decreta e eu sanciono e promulgo a seguinte.

LEI COMPLEMENTAR Nº 25, DE 29 DE DEZEMBRO 2006. A CÂMARA MUNICIPAL DE NOVA FRIBURGO decreta e eu sanciono e promulgo a seguinte. LEI COMPLEMENTAR Nº 25, DE 29 DE DEZEMBRO 2006 A CÂMARA MUNICIPAL DE NOVA FRIBURGO decreta e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei Complementar INSTITUI O CÓDIGO TRIBUTÁRIO DO MUNICÍPIO DE NOVA FRIBURGO

Leia mais

Dívida Ativa e Certidões Negativas

Dívida Ativa e Certidões Negativas Direito Tributário Aula 7 Dívida Ativa e Certidões Negativas Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com sekarkache@yahoo.com.br Dívida Ativa Constitui dívida ativa tributária a proveniente de crédito

Leia mais

Redução Juros sobre Multa Punitiva. Redução Multa Punitiva. Parcela Única 60% 60% 75% 75% - N/A

Redução Juros sobre Multa Punitiva. Redução Multa Punitiva. Parcela Única 60% 60% 75% 75% - N/A TRIBUTÁRIO 16/11/2015 ICMS - Regulamentação do Programa Especial de Parcelamento do Estado de São Paulo PEP Reduções Com base na autorização do Convênio ICMS 117/2015, de 07 de outubro de 2015, no último

Leia mais

Nesta matéria vamos tratar dos prazos de prescrição para a guarda de documentos contábeis, declarações acessórias e dos tributos federais pagos.

Nesta matéria vamos tratar dos prazos de prescrição para a guarda de documentos contábeis, declarações acessórias e dos tributos federais pagos. GUARDA DE DOCUMENTOS E LIVROS Prazos de Prescrição 1. Introdução Com a chegada do novo ano, as empresas têm a necessidade de guardar os documentos fiscais de períodos anteriores e com eles vêm dúvidas

Leia mais

Primeiras Linhas de Direito Tributário

Primeiras Linhas de Direito Tributário Aldemario Araujo Castro Mestre em Direito Professor da Universidade Católica de Brasília (UCB) Coordenador da Especialização a distância em Direito do Estado da UCB Membro do Conselho Consultivo da Associação

Leia mais

RECURSOS DIREITO TRIBUTÁRIO- ALEXANDRE LUGON PROVA 2 ATRFB (ÁREA GERAL) -DIREITO TRIBUTÁRIO

RECURSOS DIREITO TRIBUTÁRIO- ALEXANDRE LUGON PROVA 2 ATRFB (ÁREA GERAL) -DIREITO TRIBUTÁRIO RECURSOS DIREITO TRIBUTÁRIO- ALEXANDRE LUGON QUESTÃO 1 1 - Responda às perguntas abaixo e em seguida assinale a opção correta. I. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios cobrar

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL PORTARIA CONJUNTA Nº 900, DE 19 DE JULHO DE 2002. Disciplina o pagamento ou parcelamento de débitos de que trata o art. 11 da Medida Provisória nº 38, de 14 de maio de 2002.

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS ÍNDICE TÍTULO I... 9 NORMAS GERAIS DE DIREITO TRIBUTÁRIO... 9 CAPÍTULO II... 9 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 9

ESTADO DE GOIÁS ÍNDICE TÍTULO I... 9 NORMAS GERAIS DE DIREITO TRIBUTÁRIO... 9 CAPÍTULO II... 9 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 9 ÍNDICE TÍTULO I... 9 NORMAS GERAIS DE DIREITO TRIBUTÁRIO... 9 CAPÍTULO I... 9 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 9 CAPÍTULO II... 9 LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA... 9 SEÇÃO I... 9 DISPOSIÇÕES GERAIS... 9 SEÇÃO II...

Leia mais

Suspensão da Exigibilidade do Crédito Tributário

Suspensão da Exigibilidade do Crédito Tributário Faculdades Integradas IPEP Campinas/SP Disciplina: Legislação Tributária Administração de Empresas Apostila 02 Professor: Rodrigo Tomas Dal Fabbro Suspensão da Exigibilidade do Crédito Tributário Muitas

Leia mais

LEI MUNICIPAL N.º 547/2011

LEI MUNICIPAL N.º 547/2011 LEI MUNICIPAL N.º 547/2011 Institui o Código Tributário do Município de SANTO ANTÔNIO DO JACINTO e dá outras providências. Raniene José da Silva, Prefeito Municipal de Santo Antônio do Jacinto MG, no uso

Leia mais

DISPOSIÇÃO PRELIMINAR. Parágrafo único. Esta Lei tem a denominação de Código Tributário do Município de Paranavaí.

DISPOSIÇÃO PRELIMINAR. Parágrafo único. Esta Lei tem a denominação de Código Tributário do Município de Paranavaí. Prefeitura do Município de Paranavaí Paço Municipal Prefeito Antônio José Messias ESTADO DO PARANÁ 1 LEI Nº 2.384/2002 DISPÕE SOBRE O SISTEMA TRIBUTÁRIO DO MUNICÍPIO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

PLANO DE CURSO 2014/02 TOTAL DE AULAS/ OU CARGA HORÁRIA

PLANO DE CURSO 2014/02 TOTAL DE AULAS/ OU CARGA HORÁRIA Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2014/ DISCIPLINA: DIREITO TRIBUTÁRIO II PROFESSOR: MARCELO MARTINS ALTOÉ TURMA: 9º DM / EN UNIDADE

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 12 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

LEI Nº 1017 De 22 de Novembro de 2006. LAURI LUIZ SCHEEREN, Prefeito Municipal de Pirapó, Estado do Rio Grande do Sul,

LEI Nº 1017 De 22 de Novembro de 2006. LAURI LUIZ SCHEEREN, Prefeito Municipal de Pirapó, Estado do Rio Grande do Sul, LEI Nº 1017 De 22 de Novembro de 2006 INSTITUI O SISTEMA TRIBUTÁRIO O MUNICÍPIO DE PIRAPÓ RS. LAURI LUIZ SCHEEREN, Prefeito Municipal de Pirapó, Estado do Rio Grande do Sul, FAÇO SABER, que a Câmara Municipal

Leia mais

Professor Alex Sandro.

Professor Alex Sandro. 1 (OAB 2009-3 CESPE Q. 58) Considere que João e Marcos tenham deliberado pela constituição de sociedade limitada, com atuação no segmento de transporte de cargas e passageiros na América do Sul. Nessa

Leia mais

Direito Tributário Exercícios Aula 2

Direito Tributário Exercícios Aula 2 Direito Tributário Exercícios Aula 2 Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com (PGE.RN.2001.FCC.47) São causas extintivas do crédito tributário, segundo o Código Tributário Nacional: a) o pagamento,

Leia mais

RESOLUÇÃO AGE Nº 279, DE 6 DE OUTUBRO DE 2011. (Texto Consolidado)

RESOLUÇÃO AGE Nº 279, DE 6 DE OUTUBRO DE 2011. (Texto Consolidado) RESOLUÇÃO AGE Nº 279, DE 6 DE OUTUBRO DE 2011. (Texto Consolidado) Regulamenta o oferecimento e a aceitação de seguro garantia e da carta de fiança no âmbito da Advocacia Geral do Estado - AGE. O ADVOGADO-GERAL

Leia mais

PARTE I INTRODUÇÃO REGRA GERAL

PARTE I INTRODUÇÃO REGRA GERAL PARTE I INTRODUÇÃO Este guia tratará dos prazos de guarda e manutenção de livros e documentos fiscais, seja de competência federal, estadual ou municipal, bem como das multas decorrentes da falta, atraso

Leia mais

Fiscal - quando seu principal objetivo é a arrecadação de recursos financeiros para o Estado.

Fiscal - quando seu principal objetivo é a arrecadação de recursos financeiros para o Estado. TRIBUTO Conceito: É toda prestação pecuniária, compulsória, em moeda ou cujo valor nela possa se exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa

Leia mais

Resolução de Questões Direito Tributário Prof. Vinícius Casalino 18.03.2009

Resolução de Questões Direito Tributário Prof. Vinícius Casalino 18.03.2009 01. Analise os itens a seguir: I - Imposto direto é aquele em que a pessoa que praticou o fato tipificado na lei suporta o respectivo ônus fiscal e imposto indireto é aquele em que o ônus financeiro do

Leia mais

PARCELAMENTO TRIBUTÁRIO

PARCELAMENTO TRIBUTÁRIO PARCELAMENTO TRIBUTÁRIO Depósitos Judiciais (REsp. 1.251.513/PR) e a conversão do depósito pela Fazenda Pública José Umberto Braccini Bastos umberto.bastos@bvc.com.br CTN ART. 151 o depósito é uma das

Leia mais

Sumário. Parte I - CAP 01 - Tributo Conceitos e Espécies Parte I - CAP 02 - Competência Tributária 2.1 Repartição das receitas tributárias 18

Sumário. Parte I - CAP 01 - Tributo Conceitos e Espécies Parte I - CAP 02 - Competência Tributária 2.1 Repartição das receitas tributárias 18 Parte I - CAP 01 - Tributo Conceitos e Espécies Parte I - CAP 02 - Competência Tributária 2.1 Repartição das receitas tributárias 18 2.2 Exercício da competência tributária 20 Parte I - CAP 03 - Princípios

Leia mais

AULA 26 1. As causas que suspendem a exigibilidade do crédito tributário também impendem a fluência do lapso prescricional.

AULA 26 1. As causas que suspendem a exigibilidade do crédito tributário também impendem a fluência do lapso prescricional. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Direito Tributário / Aula 26 Professor: Mauro Luís Rocha Lopes Monitora: Mariana Simas de Oliveira AULA 26 1 CONTEÚDO DA AULA: Extinção do crédito tributário:

Leia mais

1.627/2004 - Institui o Código Tributário do Município de Viçosa e dá outras providências

1.627/2004 - Institui o Código Tributário do Município de Viçosa e dá outras providências 1.627/2004 - Institui o Código Tributário do Município de Viçosa e dá outras providências 08/12/2004 O Povo do Município de Viçosa, por seus representantes legais, aprovou e eu, em seu nome, sanciono e

Leia mais

Abrangência: Esse programa abrange:

Abrangência: Esse programa abrange: Condições a serem observadas para adesão ao programa de recuperação fiscal que concede condições especiais para o pagamento à vista e o parcelamento de débitos de qualquer natureza (Portaria Conjunta PGFN/RFB

Leia mais

CÓDIGO MUNICÍPIO DE ARACAJU

CÓDIGO MUNICÍPIO DE ARACAJU ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACAJU SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS COORDENADORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Divisão de Tributação COORDENADORIA DE INFORMÁTICA CÓDIGO TRIBUTÁRIO DO MUNICÍPIO

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS TRIBUTÁRIAS

CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS TRIBUTÁRIAS CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS TRIBUTÁRIAS LEI Nº 5054/97 LEI COMPLEMENTAR Nº 007/97 E SUAS ALTERAÇÕES DIRETORIA LEGISLATIVA SETOR DE PROCESSAMENTO DE PROJETOS SETOR DE PROGRAMAÇÃO LEI COMPLEMENTAR Nº 007/97 (NR

Leia mais

Direito Tributário Toque 9 Salvo disposição em contrário (2)

Direito Tributário Toque 9 Salvo disposição em contrário (2) 10Olá pessoal! Dando continuidade ao tema salvo disposição de lei em contrário, vamos retomar a partir do item 11. Segue abaixo a lista completa, lembrando que no Toque 8 tratamos dos itens 1 a 10. 1.

Leia mais

Das Espécies de Lançamento Tributário São três as espécies de lançamento tributário: de ofício, por declaração e por homologação.

Das Espécies de Lançamento Tributário São três as espécies de lançamento tributário: de ofício, por declaração e por homologação. CRÉDITO TRIBUTÁRIO Das Espécies de Lançamento Tributário São três as espécies de lançamento tributário: de ofício, por declaração e por homologação. a) Lançamento de Ofício: é aquele feito pela autoridade

Leia mais

Sumário Capítulo I Tributação, Direito Tributário e Tributo Capítulo II Espécies Tributárias Capítulo III Competência Tributária Capítulo IV

Sumário Capítulo I Tributação, Direito Tributário e Tributo Capítulo II Espécies Tributárias Capítulo III Competência Tributária Capítulo IV Sumário Capítulo I Tributação, Direito Tributário e Tributo 15 1. Origem da tributação e da sua limitação 15 2. A tributação como instrumento da sociedade 18 3. Fiscalidade e extrafiscalidade 20 4. Direito

Leia mais

DECRETO Nº 36.777 DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 (D.O. RIO DE 18/02/2013) O Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO Nº 36.777 DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 (D.O. RIO DE 18/02/2013) O Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais, DECRETO Nº 36.777 DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 (D.O. RIO DE 18/02/2013) Regulamenta os arts. 5º a 9º e 23, da Lei nº 5.546, de 27 de dezembro de 2012, que instituem remissão, anistia e parcelamento estendido,

Leia mais

LEI N. 440, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2006.

LEI N. 440, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2006. LEI N. 440, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2006. Ementa: Altera e revoga a Lei n. 15, de 21 de dezembro de 1990; Lei n. 1 de 28 de dezembro de 1998 (Código Tributário do Município de Itatiaia CTMI); Lei n. 399,

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº 38/2015. Capítulo I Disposições Gerais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº 38/2015. Capítulo I Disposições Gerais PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº 38/2015 Institui o Programa de Recuperação Fiscal REFIS do Município de Jaboticabal, e dá outras providências. Capítulo I Disposições Gerais Art. 1º Fica instituído, nos

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ DECRETO N. 4.489

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ DECRETO N. 4.489 Publicado no Diário Oficial Nº 8708 de 08/05/2012 O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, e considerando o disposto na Lei

Leia mais

LEI Nº - 3.959 DE 29 DE DEZEMBRO DE 1989. A Câmara Municipal de Maceió decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº - 3.959 DE 29 DE DEZEMBRO DE 1989. A Câmara Municipal de Maceió decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº - 3.959 DE 29 DE DEZEMBRO DE 1989 DISPÕE SOBRE O CÓDIGO TRIBUTÁRIO DO MUNICÍPIO DE MACEIÓ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Maceió decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º - Esta

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS TRIBUTÁRIAS DO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS

CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS TRIBUTÁRIAS DO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS IX CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS TRIBUTÁRIAS DO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS que compreende as disposições do Código Tributário Municipal X Prefeitura de São Luís Secretaria Municipal da Fazenda XI DECRETO N. º 33.144,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 02, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2009.

LEI COMPLEMENTAR Nº 02, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2009. LEI COMPLEMENTAR Nº 02, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2009. Dispõe sobre o Código Tributário do Município de Caucaia (CTMC) e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE CAUCAIA Faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO ASSESSORIA TÉCNICO-LEGISLATIVA DECRETO Nº 110, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2009

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO ASSESSORIA TÉCNICO-LEGISLATIVA DECRETO Nº 110, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2009 DECRETO Nº 110, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2009 PUBLICADO EM PLACAR Em / / Dispõe sobre a regulamentação da Lei Complementar nº 187, de 12 de agosto de 2009, que autoriza a transação tributária para fins de

Leia mais

MUNICÍPIO DE LUCAS DO RIO VERDE/MT

MUNICÍPIO DE LUCAS DO RIO VERDE/MT MUNICÍPIO DE LUCAS DO RIO VERDE/MT CÓDIGO TRIBUTÁRIO MUNICIPAL Lei complementar nº 046 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006.Autoria: Poder Executivo LEI COMPLEMENTAR Nº 046, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006 Dispõe sobre

Leia mais

LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR

LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR ATUALIZAÇÃO 9 De 1.11.2014 a 30.11.2014 VADE MECUM LEGISLAÇÃO 2014 CÓDIGO CIVIL PÁGINA LEGISLAÇÃO ARTIGO CONTEÚDO 215 Lei 10.406/2002 Arts. 1.367 e 1.368-B Art. 1.367. A propriedade fiduciária em garantia

Leia mais

Direito Tributário Revisão Final

Direito Tributário Revisão Final Direito Tributário Revisão Final Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com Tributo (Conceito): Tributo é toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que

Leia mais

II - Fontes do Direito Tributário

II - Fontes do Direito Tributário II - Fontes do Direito Tributário 1 Fontes do Direito Tributário 1 Conceito 2 - Classificação 3 - Fontes formais 3.1 - principais 3.2 complementares 4 Doutrina e jurisprudência 2 1 - Conceito As fontes

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em março de 2014, o Estado A instituiu, por meio de decreto, taxa de serviço de segurança devida pelas pessoas jurídicas com sede naquele Estado, com base de cálculo

Leia mais

FATO GERADOR. Conceito - É o fato, o conjunto de fatos a que o legislador vincula o nascimento da obrigação jurídica de pagar um tributo determinado.

FATO GERADOR. Conceito - É o fato, o conjunto de fatos a que o legislador vincula o nascimento da obrigação jurídica de pagar um tributo determinado. Instituições de Direito Profª Doutora Ideli Raimundo Di Tizio p 14 FATO GERADOR Conceito - É o fato, o conjunto de fatos a que o legislador vincula o nascimento da obrigação jurídica de pagar um tributo

Leia mais

Toque 14 - FGV - Fiscal de Rendas/ MS - 2006 (2ª parte)

Toque 14 - FGV - Fiscal de Rendas/ MS - 2006 (2ª parte) Olá, pessoal! Neste Toque continuaremos a análise da prova aplicada pela FGV em 21/05/2006, que selecionou candidatos ao cargo de Fiscal de Rendas para a Secretaria de Receita e Controle do Estado do Mato

Leia mais

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA Tendo em vista a implantação das Áreas de Livre Comércio de Brasiléia,

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Altera e acrescenta dispositivos à Lei n o 5.172, de 25 de outubro de 1966 - Código Tributário Nacional. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1 o A Lei n o 5.172, de 25 de outubro

Leia mais

lançamento A cada (notificação) 5 anos 5 anos 1º de janeiro 1º/01

lançamento A cada (notificação) 5 anos 5 anos 1º de janeiro 1º/01 DIREITO TRIBUTÁRIO Jurisprudência do STJ Prescrição e Decadência Ministra Eliana Calmon 1. GENERALIDADES - Fato Gerador obrigação gç lançamento crédito tributário - Lançamento (art. 142 do CTN) - Tipos

Leia mais

MUNICÍPIO DE CAUCAIA

MUNICÍPIO DE CAUCAIA LEI N 1765, DE 25 DE AGOSTO 2006. Institui o Programa de Recuperação Fiscal - REFIS no Município de Caucaia, e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL DE CAUCAIA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO 1 1) O DIREITO MATERIAL DE PAGAMENTO POR CONSIGNAÇÃO a) Significado da palavra consignação b) A consignação como forma de extinção da obrigação c) A mora accipiendi 2 c)

Leia mais

ÍNDICE. TÍTULO III - ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA... pág. 25

ÍNDICE. TÍTULO III - ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA... pág. 25 ÍNDICE TÍTULO I - LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA...pág.04 TÍTULO II - NORMAS GERAIS DE DIREITO TRIBUTÁRIO.........pág. 06 CAPÍTULO I - TRIBUTOS......pág. 06 CAPÍTULO II - OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA...pág. 07 CAPÍTULO

Leia mais

DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1 º - A Lei Complementar nº 001, de 29 de dezembro de 1995

DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1 º - A Lei Complementar nº 001, de 29 de dezembro de 1995 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 º - A Lei Complementar nº 001, de 29 de dezembro de 1995 Art. 2º - Este Código estabelece normas de direito tributário e disciplina a atividade do Fisco Municipal e dos

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO EXAME ORDEM FGV EXCLUSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA PROCESSO JUDICIAL TRIBUTÁRIO

DIREITO TRIBUTÁRIO EXAME ORDEM FGV EXCLUSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA PROCESSO JUDICIAL TRIBUTÁRIO Aula 03 Ponto 1: Ponto 2: Ponto 3: Ponto 4: EXCLUSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA PROCESSO JUDICIAL TRIBUTÁRIO PONTO 1: EXCLUSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO As duas hipóteses

Leia mais

Sumário CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL (LEI NQ 5.172, DE 25-10-1966), 29

Sumário CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL (LEI NQ 5.172, DE 25-10-1966), 29 Sumário Lista de abreviaturas, 19 Prefácio à 7'l edição, 21 Prefácio à 5'l edição, 23 Prefácio à 1 'l edição, 25 CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL (LEI NQ 5.172, DE 25-10-1966), 29 Disposição preliminar, 30 Art.

Leia mais

Recuperação Extrajudicial, Judicial e Falência. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Recuperação Extrajudicial, Judicial e Falência. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Recuperação Extrajudicial, Judicial e Falência Recuperação Extrajudicial, Judicial e Falência Decreto-lei nº 7.661, de 21 de junho de 1945 Lei de Falências revogado. Lei nº 11.101, de 09 de fevereiro de

Leia mais

LEI Nº 14.505, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2009

LEI Nº 14.505, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2009 ESTADO DO CEARÁ LEI Nº 14.505, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2009 Publicada no DOE em 19/11/2009. O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ. DISPÕE SOBRE A REMISSÃO, A ANISTIA E A TRANSAÇÃO DE CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS RELACIONADOS

Leia mais