REGISTRO DE LOTEAMENTO / DESMEMBRAMENTO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGISTRO DE LOTEAMENTO / DESMEMBRAMENTO"

Transcrição

1 REGISTRO DE LOTEAMENTO / DESMEMBRAMENTO (Lei 6.766/79 alterada pela Lei 9.785/99 e Lei Estadual 7.943/2004) Lei 6.766/ Art. 2º.: 1º - Considera-se loteamento a subdivisão de gleba em lotes destinados a edificação, com abertura de novas vias de circulação, de logradouros públicos ou prolongamento, modificação ou ampliação das vias existentes. 2º- Considera-se desmembramento a subdivisão de gleba em lotes destinados a edificação, com aproveitamento do sistema viário existente, desde que não implique na abertura de novas vias e logradouros públicos, nem no prolongamento, modificação ou ampliação dos já existentes. DOCUMENTOS E PROVIDÊNCIAS NECESSÁRIAS PARA O REGISTRO 1) Unificação das áreas contíguas em uma só matrícula, no caso de mais de uma, antes da apresentação dos documentos para registro em Cartório ou o seu desmembramento, se for o caso; 2) Prova de baixa no INCRA e Certidão Municipal dizendo que a área a ser loteada está localizada em área urbana, caso ainda conste como rural, para prévias averbações; 3) Requerimento do proprietário, dirigido ao Oficial de Registro de Imóveis desta Comarca, com firma reconhecida, solicitando o registro do LOTEAMENTO, constando o número da matrícula ou transcrição onde será feito o registro solicitado; 3.1) Tratando o proprietário de pessoa jurídica, o requerimento deverá ser assinado pelo(s) representante(s) legal(is), devendo ser juntado o Contrato ou Estatuto Social e todas as eventuais alterações, devidamente registrados no Oficial de Registro Civil das Pessoas Jurídicas ou na Junta Comercial competentes, provando a regularidade de situação e representação da empresa e Certidão Simplificada da Junta Comercial válida. 3.2) Se o requerente, pessoa física ou jurídica, for representado por procurador, deverá, então, ser juntado também o competente instrumento de mandato, com poderes especiais. 4) Título de propriedade do imóvel (escritura original); 5) Histórico dos títulos de propriedade do imóvel, abrangendo os últimos vinte anos (Certidão Vintenária - RI). 6) CERTIDÕES NEGATIVAS: a) de tributos federais, estaduais e municipais incidentes sobre o imóvel; b) de ações reais referentes ao imóvel, pelo período de 10 anos (RI);

2 c) de ações penais com respeito ao crime contra o patrimônio e contra a Administração Pública (Cartório Distribuidor - Fórum); 7) CERTIDÕES: a) dos Cartórios de Protestos de Títulos, em nome do loteador, pelo período de 10 anos (Cartório de Protesto); b) de ações pessoais relativas ao loteador, pelo período de 10 anos (Cartório Distribuidor - Fórum); c) de ônus reais relativos ao imóvel (RI); d) de ações penais contra o loteador, pelo período de 10 anos (Cartório Distribuidor Fórum); 8) Certidão Negativa de Débito do INSS (se pessoa jurídica); 9) Cópia do ato de aprovação do loteamento (DECRETO DA PREFEITURA) e comprovante do termo de verificação pela Prefeitura da execução das obras exigidas por legislação municipal, que incluirão, no mínimo, a execução das vias de circulação do loteamento, demarcação dos lotes, quadras e logradouros e das obras de escoamento de águas pluviais (CERTIDÃO DA PREFEITURA) ou da aprovação de um cronograma, com a duração máxima de 02 anos, acompanhado de competente instrumento de garantia para a execução das obras (CONTRATO PADRÃO DE EXECUÇÃO DE OBRAS + MINUTA da escritura de HIPOTECA em favor do Município); 10) Carta Técnica da Viabilidade dos Serviços Públicos (PMSM SAAE ESCELSA), conforme parecer do Ministério Público do Estado do Espírito Santo, nos autos n ; 11) Exemplar do CONTRATO PADRÃO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA e TERMO DE TRANSFERÊNCIA, ou de cessão ou de promessa de cessão, do qual constarão obrigatoriamente as indicações previstas no art. 26, da Lei 6.766/79; 12) Declaração do cônjuge do requerente de que consente no registro do loteamento (se pessoa física); 13) Expedição de Licença Prévia do IEMA (Instituto Estadual do Meio Ambiente), referente ao licenciamento ambiental e Laudo Técnico do órgão ambiental IDAF -, antes da aprovação do município (art. 34, Lei Estadual n /2004); 14) MEMORIAL DESCRITIVO aprovado e assinado pelo engenheiro responsável, contendo as confrontações, medidas e áreas de todas as quadras, lotes e demais áreas reservadas a equipamentos comunitários ou outras quaisquer doadas à Municipalidade; 15) PLANTA que coincida com o Memorial Descritivo em gênero, número e grau, devidamente aprovada pelos órgãos estaduais e municipais e assinada pelo engenheiro responsável, além do seu arquivo em pdf, que pode ser transmitido por ou disponibilizado por CD ou Pendrive. 16) PLANTA BEM REDUZIDA do loteamento para publicação do Edital em Jornal de grande circulação na região por 03 (três) dias consecutivos.

3 NOTAS IMPORTANTES NOTA 1: Deverão ser apresentadas também em nome dos sócios, as certidões de que tratam os itens 06 e 07 acima, no caso de proprietário pessoa jurídica, conforme parecer do Ministério Público do Estado do Espírito Santo, nos autos n NOTA 2: Assim que o projeto de LOTEAMENTO/DESMEMBRAMENTO receba a aprovação da Prefeitura Municipal, inicia-se a contagem do prazo de cento e oitenta (180) dias, sob pena de caducidade da aprovação, para que o mesmo seja submetido à apreciação do Oficial de Registro de Imóveis da Comarca. NOTA 3: Para empreendimentos abrangidos pelo PMCMV PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA, deverão ainda, ser apresentados os seguintes documentos: a) Apresentação de Declaração do agente financeiro de enquadramento do projeto do empreendimento no âmbito do PMCMV; b) Declaração do loteador do limite máximo de valor das unidades habitacionais enquadradas no PMCMV, para fins de aplicação das faixas de descontos de emolumentos, declarando ainda se comprometer a não alienar nenhuma daquelas unidades enquadradas no PMCMV por valor superior ao limite máximo declarado; c) Declaração do loteador de que as unidades enquadradas no âmbito do PMCMV se destinam exclusivamente ao atendimento do público comprador com renda familiar máxima de 10 salários mínimos, se comprometendo a não alienar estas unidades a comprador com renda familiar superior, por não se enquadrar no âmbito do PMCMV. PROCEDIMENTOS ANTERIORES AO REGISTRO Após o decurso do prazo de 15 (quinze) dias da terceira e última publicação no jornal de grande circulação na região, sem impugnação de terceiros, os autos serão encaminhados, obrigatoriamente, ao Ministério Público, conforme art. 39 da Lei Estadual n /2004: Art. 39. Os Oficiais de Registro de Imóveis, no atendimento do artigo 19 da Lei Federal nº 6.766/79, deverão abrir vistas dos autos, no prazo referido no citado artigo 19, obrigatoriamente, sempre ao representante do Ministério Público, independentemente da existência de impugnação de terceiros que, se oferecida, merecerá o processamento estabelecido em lei. Se houver impugnação de terceiros, o processo de loteamento será encaminhado ao Juiz da Vara de Registros Públicos, seguindo o trâmite do art. 19 da Lei 6.766/1979 a saber: Art º -... Se houver impugnação de terceiros, o Oficial do Registro de Imóveis intimará o requerente e a Prefeitura Municipal, ou o Distrito Federal quando for o caso, para que sobre ela se manifestem no prazo de 5 cinco) dias, sob pena de arquivamento do processo. Com tais manifestações o processo será enviado ao juiz competente para decisão. 2º - Ouvido o Ministério Público no prazo de 5 (cinco) dias, o juiz decidirá de plano ou após instrução sumária, devendo remeter ao interessado as vias ordinárias caso a matéria exija maior indagação.

4 E X C E Ç Õ E S AO REGISTRO ESPECIAL da 6.766/79 Código de Normas da Corregedoria Geral da Justiça deste Estado: Art Não estão sujeitos ao registro de que trata o art.18 da Lei Federal nº 6.766/79: I as divisões inter vivos celebradas anteriormente a 19/12/1979; II as divisões inter vivos para extinção de condomínios formados antes da vigência da Lei Federal nº 6.766/79; III as divisões levadas a efeito em processos judiciais, qualquer que seja a época de sua homologação ou celebração; IV o desmembramento decorrente de arrematação, adjudicação, usucapião ou desapropriação, bem como qualquer desmembramento oriundo de título judicial, respeitadas as posturas municipais, em imóveis urbanos e legislação agrária em imóveis rurais; V os desmembramentos oriundos de alienações de partes de imóveis, desde que, no próprio título ou em requerimento que o acompanhe, o adquirente requeira a unificação da parte adquirida à outra contígua de sua propriedade, nos termos do art. 235 da Lei de Registros Públicos. Nestes casos não é exigível a testada mínima de 5 metros, nem a área mínima de 125 m² (art. 4º, inciso II, Lei Federal nº 6.766/79) para o imóvel desmembrado, mas o imóvel que sofrer o desmembramento deve permanecer com as medidas iguais ou superiores a estas, salvo quando outra for fixada pela legislação estadual ou dos Municípios interessados, que então prevalecerá; VI o desdobro do lote, assim entendido exclusivamente o parcelamento de um lote em dois, ou o parcelamento de lote resultante de loteamento ou de desmembramento já regularmente inscrito ou registrado, observados, os limites mínimos de testada para a via pública e de área; Art. 4º, inciso II, Lei Federal nº 6.766/79. VII o desmembramento decorrente de escritura que verse sobre compromissos formalizados antes de 19/12/1979; VIII o desmembramento decorrente de cessão ou de promessas de cessão integral de compromisso de compra e venda, formalizado anteriormente a 19/12/1979; IX o desmembramento em que houver, em cada lote dele resultante, construção comprovada por auto de conclusão, vistoria, Habite-se ou alvará de construção, ou ainda, quando haja expressa referência à edificação no aviso-recibo do imposto municipal; X o desmembramento de que resultarem lotes que, até o exercício de 1979, tenham sido individualmente lançados para pagamento de imposto territorial; XI o desmembramento de terrenos situados em vias e arruamentos públicos oficiais, integralmente urbanizados, desde que aprovado pelo Município com declaração de se tratar de imóvel urbanizado e de dispensa do parcelador realizar quaisquer melhoramentos públicos; XII a subdivisão de terreno situado em zona urbanizada, mesmo que haja modificação no sistema viário oficial ou implique em abertura de rua, desde que aprovada pelo município e seja apresentado o projeto de subdivisão ao Registro de Imóveis acompanhado de declaração de se tratar de imóvel urbanizado e com expressa dispensa do parcelador realizar quaisquer melhoramentos públicos. 1º Para os fins do contido nos incisos I, VII e VIII deste artigo, consideram-se formalizados os instrumentos que tenham sido prenotados, averbados, inscritos ou registrados no ofício de registro de imóveis ou registrados no ofício de registro de títulos e documentos, ou ainda, aqueles em que, ao menos, a firma de um dos

5 contratantes tenha sido reconhecida ou em que tiver sido feito o recolhimento antecipado do imposto de transmissão. 2º Em todas as hipóteses previstas neste artigo é obrigatória a averbação das divisões ou desmembramentos ocorridos, nos termos da Lei de Registros Públicos. Art Fica dispensado da observância do preceito do art. 18 da Lei Federal nº 6.766/79, o parcelamento que preencha cumulativamente as seguintes condições: I não implique abertura de novas vias de circulação, de logradouros públicos, prolongamento, modificação ou ampliação de vias existentes ou, de modo geral, transferência de áreas para o domínio público; II não provenha de imóvel que, a partir da vigência da Lei Federal nº 6.766/79, já tenha sido objeto de outro parcelamento; III não importe em fragmentação superior a 10 (dez) lotes. RECOMENDAÇÃO SINOREG 03/2013 O SINOREG ES - Sindicato de Notários e Registradores do Espírito Santo orienta aos Oficiais de Registro de Imóveis do Estado do Espírito Santo, pela Recomendação n de 21/06/2013 no sentido de que o procedimento estabelecido no artigo 39 da lei 7.943/2004 (oitiva do Ministério Público, mesmo sem impugnação de terceiros) não se aplica para os casos de mero desdobro ou averbações de desmembramento em que o registro especial de que trata o artigo 18 da lei 6.766/79 não é exigido. Desta maneira, resumidamente, ficam dispensados da oitiva do Ministério Público para exame de conformidade as situações previstas no art , do Código de Normas, ou seja, quando preencher cumulativamente as seguintes três condições: 1- não implique abertura de novas vias de circulação, de logradouros públicos, prolongamento, modificação ou ampliação de vias existentes ou, de modo geral, transferência de áreas para o domínio público; 2- não provenha de imóvel que, a partir da vigência da Lei Federal nº 6.766/79, já tenha sido objeto de outro parcelamento; 3- não importe em fragmentação superior a 10 (dez) lotes. Neste caso, é necessária a declaração do Município atestando que o parcelamento (1) é de imóvel em área já urbanizada, razão pela qual o parcelador está (2) dispensado de realizar quaisquer melhoramentos públicos, que o parcelamento (3) não implica na abertura de novas vias de circulação, de logradouros públicos, prolongamento, modificação ou ampliação de vias existentes ou qualquer transferência de áreas para o domínio público, (4) que não provem de imóvel já parcelado sob a égide da Lei 6.766/19779 e (5) que não importa em fragmentação superior a 10 (dez) lotes. Também nesta situação, poderão ser dispensados alguns dos documentos constantes da relação retro, excepcionalmente, examinados caso a caso.

O 10. QUADROS DA NBR 12.721/2006, COM ART O 11. ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO O 12. ATESTADO DE IDONEIDADE FINANCEIRA O 13. CONTRATO-PADRÃO

O 10. QUADROS DA NBR 12.721/2006, COM ART O 11. ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO O 12. ATESTADO DE IDONEIDADE FINANCEIRA O 13. CONTRATO-PADRÃO LISTA DE DOCUMENTOS 1 Lei 4.591/64, Provimento nº 260/CGJ/2013. O incorporador deverá apresentar, no Ofício de Registro de Imóveis, os seguintes documentos, organizados nesta ordem. CHECK LIST O 1. MEMORIAL

Leia mais

MODELOS REFERIDOS NO ROTEIRO

MODELOS REFERIDOS NO ROTEIRO MODELOS REFERIDOS NO ROTEIRO 1 MODELO 01 (matrícula imprópria para o registro de loteamento por ferir o princípio da especialidade subjetiva e objetiva) Obs. Deverá o imóvel estar perfeitamente descrito

Leia mais

Parcelamento do Solo Urbano Loteamentos e Desmembramentos (Lei 6766/79 e art. 713 e ss do novo CN/CGJ/SC)

Parcelamento do Solo Urbano Loteamentos e Desmembramentos (Lei 6766/79 e art. 713 e ss do novo CN/CGJ/SC) Parcelamento do Solo Urbano Loteamentos e Desmembramentos (Lei 6766/79 e art. 713 e ss do novo CN/CGJ/SC) GUIA nº Matrícula nº Vinculada ok ( ); Vinculada a guia ; Central Indisp. ok( ). Considera-se loteamento

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAPÁ

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAPÁ PROVIMENTO Nº 0060/97 O Desembargador GILBERTO DE PAULA PINHEIRO, Vice- Presidente/Corregedor-Geral da Justiça do Estado do Amapá, no uso de suas atribuições legais, Considerando que a Lei Federal nº 6.766,

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS DA PREFEITURA

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS DA PREFEITURA PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS DA PREFEITURA IMÓVEIS - EDIFICAÇÕES E LOTEAMENTOS A Prefeitura Municipal de Aracaju fiscaliza e licencia obras de edificação e de parcelamento do solo

Leia mais

Documentos CICAP - ampliação e reformas residenciais e conclusão de unidades comerciais.

Documentos CICAP - ampliação e reformas residenciais e conclusão de unidades comerciais. Documentos CICAP - ampliação e reformas residenciais e conclusão de unidades comerciais. Adicionar os documentos abaixo aos demais documentos do comprador. Certidão de Tributos Estaduais, da UF onde está

Leia mais

REGISTRO DE LOTEAMENTO / DESMEMBRAMENTO

REGISTRO DE LOTEAMENTO / DESMEMBRAMENTO REGISTRO DE LOTEAMENTO / DESMEMBRAMENTO (Lei 6.766/79 alterada pela Lei 9.785/99 e Lei Estadual 7.943/2004) Lei 6.766/1979 - Art. 2º.: 1º - Considera-se loteamento a subdivisão de gleba em lotes destinados

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS 2007 PMA

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS 2007 PMA PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS 2007 PMA IMÓVEIS - EDIFICAÇÕES E LOTEAMENTOS A Prefeitura Municipal de Aracaju fiscaliza e licencia obras de edificação e de parcelamento do solo através

Leia mais

I requerimento preenchido e assinado pelo requerente ou representante legal;

I requerimento preenchido e assinado pelo requerente ou representante legal; Instrução Normativa nº 006, de 30 de setembro de 2013. O Diretor Presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo- IDAF, usando das atribuições que lhe confere o artigo 35 da

Leia mais

DOCUMENTOS RECOMENDADOS PARA REGISTROS DE INCORPORAÇÕES E LOTEAMENTOS E/OU CONDOMÍNIO DE TERRENOS

DOCUMENTOS RECOMENDADOS PARA REGISTROS DE INCORPORAÇÕES E LOTEAMENTOS E/OU CONDOMÍNIO DE TERRENOS DOCUMENTOS RECOMENDADOS PARA REGISTROS DE INCORPORAÇÕES E LOTEAMENTOS E/OU CONDOMÍNIO DE TERRENOS 1) Título de propriedade com certidões do Registro de Imóveis (artigo 197, da Lei Federal 6.015/73 e Lei

Leia mais

Relação de Documentos OBRIGATÓRIOS a ser encaminhada pela UTE para o Agente Financeiro UTE CÓDIGO DA PROPOSTA - -

Relação de Documentos OBRIGATÓRIOS a ser encaminhada pela UTE para o Agente Financeiro UTE CÓDIGO DA PROPOSTA - - UTE INFORMAÇÕES PARA CONTATO: NOME: TELEFONES: ( ) EMAIL: AGENTE FINANCEIRO DE ENCAMINHAMENTO DA PROPOSTA: ( ) BANCO DO BRASIL ( ) BANCO DO NORDESTE ( ) CAIXA ECONÔMICA FEDERAL LINHA DE FINANCIAMENTO:

Leia mais

DOCUMENTOS DO VENDEDOR PESSOA FÍSICA. Cópia da Carteira de Identidade com o nome correto, conforme comprovante de estado civil atualizado;

DOCUMENTOS DO VENDEDOR PESSOA FÍSICA. Cópia da Carteira de Identidade com o nome correto, conforme comprovante de estado civil atualizado; DOCUMENTOS DO VENDEDOR PESSOA FÍSICA Cópia da Carteira de Identidade com o nome correto, conforme comprovante de estado civil atualizado; Nota: caso o proponente for casado(a), enviar também os documentos/certidões

Leia mais

Bradesco Administradora de Consórcios Ltda.

Bradesco Administradora de Consórcios Ltda. Prezado(a) Consorciado(a), Para melhor atendê-lo, elaboramos este Guia Prático de Contratação de Imóvel destacando as modalidades de aquisição, fases do processo, documentos necessários, emissão e registro

Leia mais

Lei Municipal N.º 1413

Lei Municipal N.º 1413 1 EMENTA: -- Disciplina o parcelamento da terra no Município de Volta Redonda, Estado do Rio de Janeiro. A Câmara Municipal Aprova e Eu Sanciono a Seguinte Lei: -- CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art.

Leia mais

Código de Processo Civil, encontramos regras nesse sentido nos artigos 1003 e seguintes, 1022 e seguintes, artigo 1026.

Código de Processo Civil, encontramos regras nesse sentido nos artigos 1003 e seguintes, 1022 e seguintes, artigo 1026. Escritura pública de inventário e partilha Documentos Necessários A relação de documentos necessários para uma escritura pública de inventário e partilha, especialmente quando contemplam bens imóveis,

Leia mais

Edição nº 51/2015 Brasília - DF, quinta-feira, 19 de março de 2015. Corregedoria PROVIMENTO Nº 44, DE 18 DE MARÇO DE 2015. Seção I Disposições Gerais

Edição nº 51/2015 Brasília - DF, quinta-feira, 19 de março de 2015. Corregedoria PROVIMENTO Nº 44, DE 18 DE MARÇO DE 2015. Seção I Disposições Gerais Corregedoria PROVIMENTO Nº 44, DE 18 DE MARÇO DE 2015 Estabelece normas gerais para o registro da regularização fundiária urbana. Seção I Disposições Gerais Art. 1º. O processo e os atos de registro da

Leia mais

DECRETO ESTADUAL nº 52.052, de 13 de agosto de 2007

DECRETO ESTADUAL nº 52.052, de 13 de agosto de 2007 2009 DECRETO ESTADUAL nº 52.052, de 13 de agosto de 2007 Institui, no âmbito da Secretaria de Estado da Habitação Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais Cidade Legal Comitê de Regularização

Leia mais

Quinta-feira, 26 de Abril de 2007 Ano XIII - Edição N.: 2834 Diário Oficial do Município Poder Executivo Secretaria Municipal de Governo

Quinta-feira, 26 de Abril de 2007 Ano XIII - Edição N.: 2834 Diário Oficial do Município Poder Executivo Secretaria Municipal de Governo Quinta-feira, 26 de Abril de 2007 Ano XIII - Edição N.: 2834 Diário Oficial do Município Poder Executivo Secretaria Municipal de Governo DECRETO Nº 12.693 DE 25 DE ABRIL DE 2007 Estabelece procedimentos

Leia mais

CONCEITOS DE IMÓVEL RURAL: aplicações na Certificação e no Registro de Imóveis

CONCEITOS DE IMÓVEL RURAL: aplicações na Certificação e no Registro de Imóveis CONCEITOS DE IMÓVEL RURAL: aplicações na Certificação e no Registro de Imóveis RIDALVO MACHADO DE ARRUDA PROCURADOR FEDERAL (PFE-INCRA/PB) ESPECIALISTA EM DIREITO REGISTRAL IMOBILIÁRIO NO DIREITO AGRÁRIO

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº126, DE 18 DE ABRIL DE 2008

LEI COMPLEMENTAR Nº126, DE 18 DE ABRIL DE 2008 LEI COMPLEMENTAR Nº126, DE 18 DE ABRIL DE 2008 Acrescenta dispositivos à Lei nº 1041, 11 de julho de 1979, que regula o loteamento de terrenos urbanos no Município de Dourados, e dá outras providências

Leia mais

NOTA TÉCNICA CONJUNTA PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA

NOTA TÉCNICA CONJUNTA PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA NOTA TÉCNICA CONJUNTA PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA Associação dos Notários e Registradores do Brasil ANOREG/BR Instituto de Registro Imobiliário do Brasil IRIB Associação dos Registradores Imobiliários

Leia mais

Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia

Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia Publicado no D.O.E. de 17 de maio de 2005. Orienta os órgãos da Administração Pública do Poder Executivo Estadual, quanto à incorporação de imóveis

Leia mais

Relação de Documentos OBRIGATÓRIOS a ser encaminhado pela UTE ao Agente Financeiro UTE CÓDIGO DA PROPOSTA - -

Relação de Documentos OBRIGATÓRIOS a ser encaminhado pela UTE ao Agente Financeiro UTE CÓDIGO DA PROPOSTA - - UTE INFORMAÇÕES PARA CONTATO: NOME: TELEFONE: ( ) EMAIL: AGENTE FINANCEIRO DE ENCAMINHAMENTO DA PROPOSTA: ( ) BANCO DO BRASIL ( ) BANCO DO NORDESTE ( ) CAIXA ECONÔMICA FEDERAL LINHA DE FINANCIAMENTO: (

Leia mais

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto.

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Orientações para aquisição de Bens Imóveis Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Lembrando que a análise do seu

Leia mais

Válida até 30/03/2011

Válida até 30/03/2011 Tabela de Emolumentos / 2011 (1) Válida até 30/03/2011 Anexo da Portaria nº 1448 /CGJ/2010 (a que se refere o 1º do artigo 2º da Lei n.º 15.424, de 30 de dezembro de 2004, atualizado nos termos do artigo

Leia mais

TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS

TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo - ARISP. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2010. Lei Estadual

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL RESIDENCIAL

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL RESIDENCIAL RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL RESIDENCIAL Nota: Os documentos abaixo relacionados deverão ser apresentados na forma original ou por cópia autenticada em cartório. DOCUMENTOS DO COMPRADOR

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano 2014 CONCEITOS GERAIS DOS SERVIÇOS E Lei nº 3401/06 ( Plano Diretor), Lei nº 3420/07 (Código

Leia mais

TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis

TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo - ARISP. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2009. Lei Estadual

Leia mais

1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$) OFICIAL ESTADO CARTEIRA REG CIVIL T JUSTIÇA TOTAL

1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$) OFICIAL ESTADO CARTEIRA REG CIVIL T JUSTIÇA TOTAL TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARISP. Em vigor a partir de 6 de janeiro de 2012. Lei 11.331,

Leia mais

1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$) OFICIAL ESTADO CARTEIRA REG CIVIL T JUSTIÇA TOTAL

1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$) OFICIAL ESTADO CARTEIRA REG CIVIL T JUSTIÇA TOTAL TABELA II DOS OFÍCIOS DE REGISTRO DE IMÓVEIS Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARISP. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2013. Lei 11.331,

Leia mais

1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$) OFICIAL ESTADO CARTEIRA REG CIVIL T JUSTIÇA TOTAL

1. Registro com valor declarado DISCRIMINAÇÃO (R$) OFICIAL ESTADO CARTEIRA REG CIVIL T JUSTIÇA TOTAL 1. Registro com valor declarado a De até 986,00 66,70 18,96 14,04 3,51 3,51 106,72 b 986,01 até 2.462,00 107,03 30,43 22,53 5,63 5,63 171,25 c 2.462,01 até 4.104,00 192,01 54,57 40,42 10,11 10,11 307,22

Leia mais

Tabela de Custas TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARI. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2015.

Leia mais

TABELA 1 (R$) Taxa de Fiscalização Judiciária. Valor Final ao Usuário ATOS DO TABELIÃO DE NOTAS. Código

TABELA 1 (R$) Taxa de Fiscalização Judiciária. Valor Final ao Usuário ATOS DO TABELIÃO DE NOTAS. Código ANEXO II Códigos dos atos praticados pelos serviços notariais e de registro (a que se refere o art. 8º, inciso I, da Portaria-Conjunta nº 03/2005/TJMG/CGJ/SEF-MG, de 30 de março de 2005, com valores constantes

Leia mais

TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis

TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis ABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2009. Lei Estadual nº 11.331/02 com as alterações da Lei Estadual nº 13.290/08. Decreto nº 47.589/03. ermo de Acordo de

Leia mais

4.9 PROJETO DE LEI DO DIREITO DE PREEMPÇÃO

4.9 PROJETO DE LEI DO DIREITO DE PREEMPÇÃO 302 4.9 PROJETO DE LEI DO DIREITO DE PREEMPÇÃO Regulamento o exercício do direito de preempção pelo Poder Público Municipal de acordo com a Lei de Revisão do Plano Diretor, e dá outras providências. A

Leia mais

O Prefeito Municipal de Resende, no exercício das atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, em seu artigo 74, inciso XV,

O Prefeito Municipal de Resende, no exercício das atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, em seu artigo 74, inciso XV, DECRETO Nº 5218 DE 09 DE NOVEMBRO DE 2011. EMENTA: Regulamenta os procedimentos de declaração, avaliação, emissão de guias de recolhimento, processo de arbitramento e a instauração do contencioso fiscal

Leia mais

TABELA A ATOS DOS TABELIÃES. 01 ABERTURA DE FIRMA (ficha de autógrafos)... R$ 4,60

TABELA A ATOS DOS TABELIÃES. 01 ABERTURA DE FIRMA (ficha de autógrafos)... R$ 4,60 TABELA A ATOS DOS TABELIÃES 01 ABERTURA DE FIRMA (ficha de autógrafos)... R$ 4,60 02 ATAS NOTARIAIS (pela lavratura e registro, conforme a complexidade do fato observado a ser transformado em ato jurídico

Leia mais

O contribuinte do IPTU é o proprietário do imóvel, o titular do seu domínio útil ou o seu possuidor, a qualquer título.

O contribuinte do IPTU é o proprietário do imóvel, o titular do seu domínio útil ou o seu possuidor, a qualquer título. IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU FATO GERADOR E INCIDÊNCIA O Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU tem como fato gerador a propriedade, o domínio útil ou posse de todo e qualquer bem imóvel

Leia mais

Tabela de Emolumentos / 2014

Tabela de Emolumentos / 2014 Tabela de / 2014 Anexo Único da Portaria nº 2.992/CGJ/2013 (a que se refere o 1º do art. 2º da Lei Estadual nº 15.424, de 30 de dezembro de 2004, com alterações posteriores, atualizado nos termos do artigo

Leia mais

Sumário Introdução 1. Escorço histórico 2. Condomínio edilício 3. Direitos e deveres no condomínio edilício

Sumário Introdução 1. Escorço histórico 2. Condomínio edilício 3. Direitos e deveres no condomínio edilício Sumário Introdução 13 1. Escorço histórico 15 1.1. O surgimento da propriedade horizontal no mundo 16 1.2. Condomínio edilício no Brasil 17 2. Condomínio edilício 20 2.1. A questão do nome do instituto

Leia mais

Para extinção das dívidas e/ou saldos devedores do contrato com fundamento no art. 7º da MP nº 496/2010:

Para extinção das dívidas e/ou saldos devedores do contrato com fundamento no art. 7º da MP nº 496/2010: DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA: Extinção de dívidas do contrato Compra do imóvel com base no art. 12 da Lei nº 11.483/2007 Substituição do beneficiário do contrato de compra e venda ou cessão de direitos Emissão

Leia mais

Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação!

Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação! Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação! Para realizar sua contemplação providenciar a documentação solicitada abaixo e levar até uma loja do Magazine Luiza ou representação autorizada

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA UTILIZAÇÃO DO FGTS (Check list) Modalidade: AQUISIÇÃO À VISTA (DAMP 1)

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA UTILIZAÇÃO DO FGTS (Check list) Modalidade: AQUISIÇÃO À VISTA (DAMP 1) (I) DO COMPRADOR ( ) Ficha Cadastral do Proponente (Original, preenchida, datada e assinada) ( ) Documento de Identidade de todos os compradores e seus respectivos cônjuges, se for o caso ( ) CPF de todos

Leia mais

1 de 8 23/12/2011 23:24

1 de 8 23/12/2011 23:24 1 de 8 23/12/2011 23:24 TABELA 4 (R$) ATOS DO OFICIAL DE REGISTRO DE IMÓVEIS Emolumentos Taxa de Fiscalização Judiciária Valor Final ao Usuário 1 Averbação (com todas as anotações e referências a outros

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO LEI Nº 1552, DE 18 DE AGOSTO DE 2011. Disciplina a dação em pagamento de obras, serviços e bem móvel como forma de extinção da obrigação tributária no Município de Codó, prevista no inciso XI do artigo

Leia mais

USUCAPIÃO INSTRUÇÕES PARA PETIÇÃO INICIAL

USUCAPIÃO INSTRUÇÕES PARA PETIÇÃO INICIAL USUCAPIÃO INSTRUÇÕES PARA PETIÇÃO INICIAL PODER JUDICIÁRIO ĬSUMÁRIO I L. A espécie de Usucapião pág 3 II. O(s) autor(es) e seus documentos pág 4 III. O imóvel usucapiendo pág 6 IV. Antecipação de perícia

Leia mais

Estatuto é utilizado em casos de sociedades por ações ou entidades sem fins lucrativos.

Estatuto é utilizado em casos de sociedades por ações ou entidades sem fins lucrativos. Documento 1 Estatuto ou Contrato Social consolidado com todas as alterações realizadas, devidamente arquivado no registro de comércio da sede da sociedade participante. É o documento pelo qual uma empresa

Leia mais

Clipping. Minas Gerais - Caderno 1 - Diário do Executivo - página 18 Ano 122 - Nº 225, Belo Horizonte, sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Clipping. Minas Gerais - Caderno 1 - Diário do Executivo - página 18 Ano 122 - Nº 225, Belo Horizonte, sexta-feira, 28 de novembro de 2014 Veículo: Minas Gerais Data: 28/11/2014 Editoria: Diário do Executivo Página: 18 Clipping Minas Gerais - Caderno 1 - Diário do Executivo - página 18 Ano 122 - Nº 225, Belo Horizonte, sexta-feira, 28 de

Leia mais

DECRETO Nº 18.432, DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A:

DECRETO Nº 18.432, DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A: DECRETO Nº 18.432, DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. Regulamenta o procedimento administrativo da Transferência de Potencial Construtivo (TPC), previsto nos arts. 51 e seguintes da Lei Complementar nº 434, de

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 6.766, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1979 Dispõe sobre o parcelamento do solo urbano e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

Senado Federal Subsecretaria de Informações

Senado Federal Subsecretaria de Informações Senado Federal Subsecretaria de Informações LEI Nº 6.766, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1979 Dispõe sobre o parcelamento do solo urbano e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO - SEMURH

PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO - SEMURH Documentos pessoais do requerente; Certidão Negativa do IPTU; Documento de responsabilidade técnica emitido pelo CREA ou CAU; Declaração do engenheiro ou arquiteto responsável pela obra; Aprovação do projeto

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 82, DE 13 DE SETEMBRO DE 2004

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 82, DE 13 DE SETEMBRO DE 2004 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 82, DE 13 DE SETEMBRO DE 2004 Estabelece as condições para atendimento com redes de energia elétrica nos lotes situados em loteamentos

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA DECRETO Nº 13.346, DE 24 DE JUNHO DE 2013. Regulamenta a Lei Complementar nº 4.403, de 5 de junho de 2013, que Estabelece obrigação de uso do sistema ITBI

Leia mais

LEI Nº 5.196. Disciplina a cobrança do IPTU, estimula a criação de loteamentos, e dá outras providências.

LEI Nº 5.196. Disciplina a cobrança do IPTU, estimula a criação de loteamentos, e dá outras providências. LEI Nº 5.196 Disciplina a cobrança do IPTU, estimula a criação de loteamentos, e dá outras providências. O POVO DE PELOTAS, ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, POR SEU PREFEITO, FAZ SABER QUE SUA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o 5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS AVENÇAS PARTES CONTRATANTES COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o n.... e no RG sob o n...., residente

Leia mais

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROGRAMA DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR-PROCON Rua Álvaro Mendes, 2294, Centro Teresina PI, CEP: 64000-060 Fones: (86)3221-5848 (86) 3216-4550 TERMO DE AJUSTAMENTO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná LEI Nº 872/2009 Disciplina a dação de bens imóveis como forma de extinção da obrigação tributária no município de Juranda,, prevista no inciso XI do artigo 156 do Código Tributário Nacional, acrescido

Leia mais

CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015

CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015 CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015 OBJETIVO Estabelecer as regras e procedimentos para concessão de viabilidade técnica, aprovação de projetos e acompanhamento

Leia mais

TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis

TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis TABELA II Dos Ofícios de Registro de Imóveis Tabela elaborada sob responsabilidade da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo ARISP. Em vigor a partir de 8 de janeiro de 2014. Lei 11.331,

Leia mais

PARECER CONJUR / MCIDADES Nº 1796/2007. Processo nº 80000.014403/2007-50

PARECER CONJUR / MCIDADES Nº 1796/2007. Processo nº 80000.014403/2007-50 PARECER CONJUR / MCIDADES Nº 1796/2007 CONSULTA EFETUADA PELA CAIXA. ANÁLISE DE ESCRI- TURA DE ÁREA DE INTERVENÇÃO, REFERENTE A CON- TRATO DE REPASSE CELEBRADO COM O MUNICÍPIO DE (...). IMÓVEL ORIUNDO

Leia mais

Estado de Mato Grosso Município de Tangará da Serra Assessoria Jurídica

Estado de Mato Grosso Município de Tangará da Serra Assessoria Jurídica MENSAGEM PROJETO DE LEI xxx/gp/2012 Tangará da Serra/MT, xx de xxxxxxxxxx de 2012. Excelentíssimo Senhor Presidente, Excelentíssimos (a) Senhores (a) Vereadores (a), Cumprimentando-o cordialmente, vimos

Leia mais

ANEXO II - Códigos dos atos praticados pelos serviços notariais e de registro

ANEXO II - Códigos dos atos praticados pelos serviços notariais e de registro ANEXO II - s dos atos praticados pelos serviços notariais e de registro ATOS DO TABELIÃO DE NOTAS TABELA 1 (R$) Valor Final ao Usuário 1 Aprovação de testamento cerrado 139,36 43,83 183,19 1101-5 2 Ata

Leia mais

DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO.

DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO. DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO. PESSOA JURÍDICA: a) instrumento de constituição primitivo e respectivas alterações, se houver, admitindo-se a Última alteração quando consolidada,

Leia mais

USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL

USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL DOCUMENTOS: Requerimento com a qualificação completa dos interessados, firmado por advogado devidamente constituído. Não há necessidade de reconhecimento de firma (item 2.1 da Circular

Leia mais

http://www.leismunicipais.com.br/cgi-local/forpgs/showinglaw.pl

http://www.leismunicipais.com.br/cgi-local/forpgs/showinglaw.pl Página 1 de 7 LEI Nº 9430, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2010. DISPÕE SOBRE ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO MUNICÍPIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Projeto de Lei nº 481/2010 - autoria do EXECUTIVO. A Câmara

Leia mais

ÍNDICE. CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares...01. CAPÍTULO II Das Definições...01. CAPÍTULO III Das Áreas Parceláveis e não Parceláveis...

ÍNDICE. CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares...01. CAPÍTULO II Das Definições...01. CAPÍTULO III Das Áreas Parceláveis e não Parceláveis... ÍNDICE CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares...01 CAPÍTULO II Das Definições...01 CAPÍTULO III Das Áreas Parceláveis e não Parceláveis...02 CAPÍTULO IV Dos Requisitos Urbanísticos...03 CAPÍTULO V Da

Leia mais

NORTE: Com o Loteamento Veneza (Antiga Chácara 55) LESTE: Com a quadra 148 (Aeroporto); SUL: Com a Chácara 53; OESTE: Com a Rua Renascença.

NORTE: Com o Loteamento Veneza (Antiga Chácara 55) LESTE: Com a quadra 148 (Aeroporto); SUL: Com a Chácara 53; OESTE: Com a Rua Renascença. DECRETO N o 1487/2006 DATA: 27 de janeiro de 2006. SÚMULA: Aprova, com ressalvas, o Loteamento denominado LOTEAMENTO ALPHAVILLE. MARINO JOSE FRANZ, Prefeito Municipal de Lucas do Rio Verde, Estado de Mato

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014. Súmula: Estabelece normas e procedimentos para a realização de inscrição dos mutuários, relaciona os documentos necessários a instruir

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO DO ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPA Nº 02/2011 Versão: 01 Publicação: DJE nº de / /2012 Unidade Responsável: Departamento de Material e Patrimônio - DMP I FINALIDADE Dispor sobre os procedimentos

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO CONTRATO DE COMPRA E VENDA

MINUTA DE CONTRATO CONTRATO DE COMPRA E VENDA MINUTA DE CONTRATO CONTRATO DE COMPRA E VENDA TERMO DE COMPROMISSO DE COMPRA E VENDA DE BEM IMÓVEL QUE ENTRE SI FAZEM A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ALTO VALE DO RIO DO PEIXE - FUNIARP E. Na forma abaixo: FUNDAÇÃO

Leia mais

ESTADO DE SÃO PAULO - BRASIL INCENTIVO FISCAL. Lei Complementar 405/07

ESTADO DE SÃO PAULO - BRASIL INCENTIVO FISCAL. Lei Complementar 405/07 INCENTIVO FISCAL Lei Complementar 405/07 REQUISITOS EXIGIDOS PARA OBTENÇÃO E CONCESSÃO DO BENEFÍCIO Do beneficiário: Regularidade fiscal no âmbito municipal da empresa e dos sócios; Quitação integral de

Leia mais

RESOLUÇÃO SMF Nº 2835 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2015

RESOLUÇÃO SMF Nº 2835 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2015 RESOLUÇÃO SMF Nº 2835 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2015 Disciplina os procedimentos referentes aos benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FAZENDA,

Leia mais

T A B E L A 4-2015 ATOS DO OFICIAL DE REGISTRO DE IMÓVEIS. Emolumentos Recompe-MG Emolumentos Taxa de Valor Final Código. (Fundo de Compensação)

T A B E L A 4-2015 ATOS DO OFICIAL DE REGISTRO DE IMÓVEIS. Emolumentos Recompe-MG Emolumentos Taxa de Valor Final Código. (Fundo de Compensação) T A B E L A 4-2015 ATOS DO OFICIAL DE REGISTRO DE IMÓVEIS Emolumentos Recompe-MG Emolumentos Taxa Valor Final Código Brutos (B/C do Recompe-MG) (Fundo Compensação) Líquidos (Recompe-MG já duzidos) Fiscalização

Leia mais

Roteiro Operacional Última atualização 20/11/2014

Roteiro Operacional Última atualização 20/11/2014 Roteiro Operacional Última atualização 20/11/2014 1. Público alvo Pessoas Físicas que possua imóvel com documentação regular, bem como: ASSALARIADO e FUNCIONÁRIO PÚBLICO; APOSENTADOS E PENSIONISTAS; SÓCIO

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul DECRETO N 17.078, DE 16 DE JULHO DE 2014. Aprova a atualização do Plano de Classificação e da Tabela de Temporalidade de s da Secretaria Municipal de Urbanismo SMU, atividades-fim, e revoga o Decreto nº

Leia mais

PROVIMENTO CG N.º 02/2005

PROVIMENTO CG N.º 02/2005 PROVIMENTO CG N.º 02/2005 Altera a redação do item 48.3 da Seção II do Capítulo XX, e dos itens 123 e 124 da Subseção IV da Seção II do Capítulo XX das Normas de Serviço da Corregedoria Geral da Justiça.

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PARCELAMENTO DO SOLO LOTEAMENTOS E DESMEMBRAMENTOS 04 vias do processo contendo na capa o número

Leia mais

CHECKLIST DETALHADO PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL PESSOA JURÍDICA 1. DOCUMENTOS DE ANÁLISE DE CRÉDITO

CHECKLIST DETALHADO PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL PESSOA JURÍDICA 1. DOCUMENTOS DE ANÁLISE DE CRÉDITO Após a aprovação do crédito e a avaliação do imóvel, retorne à sua Agência com a relação completa dos documentos descritos nos itens abaixo, para a efetivação de seu financiamento. 1. DOCUMENTOS DE ANÁLISE

Leia mais

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013.

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. Disciplina a liberação, o cancelamento e a baixa de Alvará de Localização e Funcionamento no município de Erechim. O Prefeito Municipal de Erechim, Estado do

Leia mais

1º ENCONTRO REGINAL DO CORI/MG EM VARGINHA

1º ENCONTRO REGINAL DO CORI/MG EM VARGINHA 1º ENCONTRO REGINAL DO CORI/MG EM VARGINHA DAS CÉDULAS DE CRÉDITO HUMBERTO GOMES DO AMARAL RI MUZAMBINHO rimuzambinho@yahoo.com.br Telefone: 035-3571-5041 1- Cédula de Crédito Bancário Alienação Fiduciária

Leia mais

A lei de incentivos fiscais de Campinas

A lei de incentivos fiscais de Campinas A lei de incentivos fiscais de Campinas Lei 12.802/06 com as alterações formuladas na Lei 12.653/06: A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Campinas, sanciono e promulgo a seguinte lei:

Leia mais

14/06/2013. Andréa Baêta Santos

14/06/2013. Andréa Baêta Santos Tema: DIREITO REGISTRAL IMOBILIÁRIO Questões de Registro de Imóveis 14/06/2013 1. Na certidão em relatório Oficial deve sempre se ater ao quesito requerente? formulado o pelo Não, pois sempre que houver

Leia mais

LEI Nº 11.441/2007 ESCRITURA PÚBLICA DE INVENTÁRIO E PARTILHA

LEI Nº 11.441/2007 ESCRITURA PÚBLICA DE INVENTÁRIO E PARTILHA SUCESSÕES: LEI Nº 11.441/2007 ESCRITURA PÚBLICA DE INVENTÁRIO E PARTILHA DOCUMENTOS ROTEIRO INTRODUÇÃO DOCUMENTOS NECESSÁRIOS ...una mala política legislativa, consagrada a través del tiempo, no se sabe

Leia mais

Prefeitura Municipal da Estância Turística de Paraguaçu Paulista Estado de São Paulo

Prefeitura Municipal da Estância Turística de Paraguaçu Paulista Estado de São Paulo Prefeitura Municipal da Estância Turística de Paraguaçu Paulista Estado de São Paulo CÓDIGO DE PARCELAMENTO DO SOLO URBANO DO MUNICÍPIO DE PARAGUAÇU PAULISTA LEI COMPLEMENTAR Nº. 12, DE 08 DE DEZEMBRO

Leia mais

Informação para quem vai comprar, construir ou reformar.

Informação para quem vai comprar, construir ou reformar. Informação para quem vai comprar, construir ou reformar. Última Alteração - Dez/2007 Guia SUA CASA Orientação para quem vai comprar ou construir casas, terrenos e apartamentos. Importante: Este guia oferece

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE COMAM - CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE. DELIBERAÇÃO NORMATIVA N o 19/98

SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE COMAM - CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE. DELIBERAÇÃO NORMATIVA N o 19/98 DELIBERAÇÃO NORMATIVA N o 19/98 O Conselho Municipal de Meio Ambiente, no uso de suas atribuições que lhe são conferidas pela Lei n. o 4.253 de 04.12.85, regulamenta os procedimentos administrativos para

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL URBANO, que entre si celebram:

INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL URBANO, que entre si celebram: INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROMESSA DE VENDA E COMPRA DE IMÓVEL URBANO, que entre si celebram: I - de um lado, na qualidade de Promitente VENDEDORA, a FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL DO BANCO ECONÔMICO S/A-ECOS,

Leia mais

Incorporação Imobiliária

Incorporação Imobiliária Incorporação Imobiliária Lei nº 4.591, de 16 de dezembro de 1964 Incorporação Imobiliária Incorporação imobiliária é a atividade exercida pela pessoa física ou jurídica, empresário ou não que se compromete

Leia mais

RESUMO DA TABELA DE EMOLUMENTOS E TFJ DE 2015 EM VIGOR PARA ATOS PRATICADOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015

RESUMO DA TABELA DE EMOLUMENTOS E TFJ DE 2015 EM VIGOR PARA ATOS PRATICADOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 RESUMO DA TABELA DE EMOLUMENTOS E TFJ DE 2015 EM VIGOR PARA ATOS PRATICADOS A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 1- ATOS DO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS VALORES EM R$ ATO VALORES TOTAL BUSCA (POR PERÍODO

Leia mais

Resolução SMU nº 728 de 10 de julho de 2007

Resolução SMU nº 728 de 10 de julho de 2007 Resolução SMU nº 728 de 10 de julho de 2007 Altera a Resolução SMU n.º 703 de 29/12/2006 que consolida, organiza e atualiza as normas, os procedimentos e a padronização para a elaboração e aprovação dos

Leia mais

INCORPORAÇÕES IMOBILIÁRIAS. Uma análise sob a ótica contratual

INCORPORAÇÕES IMOBILIÁRIAS. Uma análise sob a ótica contratual INCORPORAÇÕES IMOBILIÁRIAS Uma análise sob a ótica contratual LEI ESPECIAL LEI Nº. 4.591, de 16 de dezembro de 1964 (com alterações da Lei nº. 10.931/04) Dispõe sobre o condomínio em edificações e as incorporações

Leia mais

NOVO CPC INTRODUZ A USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL NO PAÍS

NOVO CPC INTRODUZ A USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL NO PAÍS NOVO CPC INTRODUZ A USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL NO PAÍS João Pedro Lamana Paiva 1 O novo Código de Processo Civil (Lei nº 13.105, de 16.3.2015), sancionado em 16.3.2015, introduz na ordem jurídica brasileira,

Leia mais

DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS. Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total

DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS. Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS Curso de Técnico em Transações Imobiliárias Curso Total DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS DO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS. FINALIDADE. DOS TÍTULOS REGISTRÁVEIS: ESCRITURA

Leia mais

Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO N o 85.064, DE 26 DE AGOSTO DE 1980. Regulamenta a Lei nº 6.634, de 2 de maio de 1979, que dispõe sobre a Faixa de Fronteira O PRESIDENTE

Leia mais

a) Título (Alteração contratual), recomendando-se indicar o nº de seqüência da alteração;

a) Título (Alteração contratual), recomendando-se indicar o nº de seqüência da alteração; ALTERAÇÃO DE SOCIEDADE EMPRESÁRIA: *ELEMENTOS DA ALTERAÇÃO CONTRATUAL a) Título (Alteração contratual), recomendando-se indicar o nº de seqüência da alteração; b) Preâmbulo; c) Corpo da alteração: Nova

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLNIZA GABINETE DA PREFEITA. Lei nº. 116/2003. Súmula :

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLNIZA GABINETE DA PREFEITA. Lei nº. 116/2003. Súmula : ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLNIZA GABINETE DA PREFEITA Lei nº. 116/2003 Súmula : Dispõe sobre a autorização ao Poder Executivo Municipal de Colniza MT, em aprovar o Projeto de Desmembramento

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO LUIS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO SEMURH

PREFEITURA DE SÃO LUIS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO SEMURH Projeto de Lei nº, de de de Institui o primeiro plano municipal de incentivo à construção civil, e dá outras providências. O PREFEITO DE SÃO LUÍS, Capital do Estado do Maranhão Faço saber a todos os seus

Leia mais

O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, Faço saber que a Câmara Legislativa do Distrito Federal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, Faço saber que a Câmara Legislativa do Distrito Federal decreta e eu sanciono a seguinte Lei: PROJETO LEI COMPLEMENTAR Nº (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Dispõe sobre loteamento fechado e alienação de lotes ou parcelas de terras públicas no território do Distrito Federal e dá outras providências.

Leia mais