PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano"

Transcrição

1 PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano 2014 CONCEITOS GERAIS DOS SERVIÇOS E Lei nº 3401/06 ( Plano Diretor), Lei nº 3420/07 (Código de Posturas), Lei nº 3428/07 (Código de Obras e Instalações), Lei nº 3429 (Lei de Uso e Ocupação do Solo), Lei nº 3430/07 (Lei de Parcelamento do Solo), Lei Federal nº 6766/79 do Parcelamento do Solo - ITEM CONCEITO FOLHA 01 CERTIDÃO DE VIABILIDADE 2 02 ALVARÁ DE APROVAÇÃO DE PROJETO 2 03 RENOVAÇÃO DO ALVARÁ DE APROVAÇÃO DE PROJETO INICIAL ª VIA DO ALVARÁ DE APROVAÇÃO DE PROJETO INICIAL 4 05 ALVARÁ DE LICENÇA DE CONSTRUÇÂO 4 06 RENOVAÇÃO DO ALVARÁ DE LICENÇA DE CONSTRUÇÃ ª VIA DO ALVARÁ DE LICENÇA DE CONSTRUÇÃO 6 08 APROVAÇÃO DE PROJETO + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO ( PROCESSO ÚNICO) 09 RENOVAÇÃO DO ALVARÁ DE APROVAÇÃO + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO (PROCESSO ÚNICO) 10 2ª VIA DO ALVARÁ DE APROVAÇÃO + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO (PROCESSO ÚNICO) 11 REFORMA - ALVARÁ DE APROVAÇÃO DE PROJETO + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO ( com ou sem acréscimo de área) 12 REFORMA - RENOVAÇÃO DO ALVARÁ DE APROVAÇÃO + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO 13 REFORMA - 2ª VIA DO ALVARÁ DE APROVAÇÃO + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO ALVARÁ DE REGULARIZAÇÃO DE IMÓVEL = ANÁLISE + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO + HABITE-SE 15 2ª VIA DO ALVARÁ DE REGULARIZAÇÃO = HABITE-SE HABITE-SE ª VIA DE HABITE-SE ACEITE-SE ª VIA DE ACEITE-SE ALVARÁ DE DEMOLIÇÃO REMEMBRAMENTO DESMEMBRAMENTO LOTEAMENTO (conforme Lei 3430/07- municipal e Lei 6766/79-federal) CONDOMÍNIO = CONJUNTO RESIDENCIAL CERTIDÃO NARRATIVA

2 01-CERTIDÃO DE VIABILIDADE Documento especificando a zona onde o empreendimento se insere e indicando as Leis e os artigos das mesmas que deverão ser atendidos para a elaboração do projeto e / ou parcelamento, de acordo com o material apresentado. 01 Requerimento especificando o uso pretendido 02 Tipo de uso predominante a que se destina ( no caso de condomínio, se serão apresentadas as plantas das casas ou se trata de condomínio de lotes) planta de situação esc; 1/2000 com os devidos confrontantes 04 Divisas da gleba a parcelar, se for o caso 05 Curvas de nível a cada 2,00m 06 Localização de cursos e corpos d água, maciços vegetais e construções existentes 07 Indicação dos elementos existentes no local ou suas adjacências, com as respectivas distâncias da área a ser parcelada, tais como: - arruamentos contíguos a todo o perímetro, - vias de comunicação, - áreas livres - equipamentos urbanos e comunitários existentes no local ou em suas adjacências, numa faixa de mil metros, com as respectivas distâncias da área a ser parcelada 08 Características, dimensões e localizações dos usos contíguos 02 - ALVARÁ DE APROVAÇÃO DE PROJETO Documento emitido pela Prefeitura ao proprietário, expressando a concordância com a legislação urbanística e de construção do Município. Deve ser solicitado quando o requerente quer ter a certeza, por algum motivo, de que o projeto pode ser aprovado mas não tem interesse e/ou condições de começar a construção de imediato. Assim, ele terá 12 meses e pode renovar por mais 12 meses para solicitar a licença de construção conforme Art. 42 e Art. 43 da Lei 3428/07 (Código de Obras) Só deve ser solicitado, quando ainda não tem nenhuma construção no terreno (caso contrário, será considerado como solicitação para reforma com acréscimo de área, que é outro item específico) ATENÇÃO: Este Alvará de Aprovação de Projeto não autoriza a iniciar a construção Quando o projeto for elaborado em mais de um lote, o processo pode até ser concluído e emitido o Alvará de Aprovação de Projeto mas na hora da solicitação do Alvará de Licença de Construção, que é o único documento que autoriza a iniciar a construção, o processo de remembramento destes lotes tem que estar concluído e o lote resultante tem que estar registrado no Cartório de Imóveis. 01 Cópia do Laudo de Viabilidade 02 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 03 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual será implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis. Se o terreno onde for implantada a edificação estiver situado dentro de um condomínio, no documento de propriedade deve constar a fração ideal que lhe é atribuída ( art. 73 da Lei 3430/07-Parcelamento de solo) ou apresentar cópia da convenção do condomínio onde constem os parâmetros específicos. Os lotes e terrenos devem obedecer às condições estabelecidas na legislação de Parcelamento do Solo municipal, estadual e federal em vigor e devem ser regularmente definidos em Escritura Pública, registrada em Cartório de Registro de Imóveis, na qual conste todas as suas metragens e áreas.( art. 92 da Lei 3428/07 Código de Obras) 2

3 04 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a aprovação do projeto, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (dois) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico com as devidas assinaturas do proprietário e do autor do projeto ; (sugerimos anexar apenas um jogo completo e após a análise e constatado o cumprimento de todas as exigências, anexar então, já devidamente enquadrados na lei, os dois jogos exigidos( um jogo fica arquivado e outro com o requerente) ou tantos jogos quantos sejam necessários para satisfazer às necessidades do requerente) 06 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 07 CND (Certidão Negativa de Débito Tributário - inscrição na Prefeitura) do(s) autor(es) do projeto - atualizada É o documento que comprova que o profissional que elaborou o projeto está inscrito na Prefeitura como profissional autônomo e portanto está apto para prestar serviços referente ao Município. Mesmo que o profissional esteja inscrito em outro município, tem que se inscrever em Gravatá. Ver o Código Tributário do município, Art. 6º item 7 e item 7.01, Art. 25, Art.26 II, Art. 32 e Art RRT (Registro de Responsabilidade Técnica) do profissional autor do projeto; emitido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) ou ART (Anotação de Responsabilidade Técnica ) emitido pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) com comprovante de pagamento 09 Levantamento topográfico completo, quando necessário, a critério do órgão competente da municipalidade Conforme art III da Lei 3428/07 (Código de Obras) Em alguns casos, a necessidade da topografia será definida apenas no momento da análise. Em outros casos, como remembramento, desmembramento, loteamento e condomínios, a apresentação é sempre exigida 10 EIV (Estudo de Impacto de Vizinhança), nas hipóteses previstas conforme art. 60 da Lei 3429/07 (Lei do Uso e Ocupação do Solo) 11 Anuência prévia de outros órgãos competentes, sempre que o projeto envolver questões pertinentes às suas atribuições Ex: Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros, etc 03 - RENOVAÇÃO DO ALVARÁ DE APROVAÇÃO DE PROJETO INICIAL Quando se expira o prazo de validade de um Alvará de Aprovação de Projeto, é possível renovar-se o mesmo por igual período (no caso de aprovação, 12 meses) desde que seja feita a solicitação para renovação antes que termine o prazo de validade inicial. Art. 42 do Código de Obras Se já tiver expirado o prazo de validade, tem que ser iniciado um novo processo de Aprovação de projeto Só pode ser renovado uma única vez 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual será implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis para verificação se o proprietário continua o mesmo 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a renovação da aprovação do projeto, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (dois) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico já aprovado com o devido carimbo de aprovação para receberem o carimbo de renovação por mais um período igual um jogo completo de 3

4 plantas ficará arquivado na prefeitura 05 Cópia do Alvará de Aprovação do Projeto inicial 06 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 04-2ª VIA DO ALVARÁ DE APROVAÇÃO DE PROJETO INICIAL Quando o requerente perde o Alvará de Aprovação original. ATENÇÃO: A 2ª via do Alvará só poderá ser emitida se houver comprovação, de alguma forma, de que já houve um Alvará e em que data foi expedido Se o requerente tiver as plantas carimbadas, terá então, nos carimbos, o nº e a data do protocolo do processo de aprovação do projeto Se ainda estiver, comprovadamente, dentro do prazo de validade, o documento de 2ª via será emitido ressaltando que corresponde ao tempo restante de validade Também pode ser válido o comprovante do pagamento da taxa de emissão do Alvará inicial pois nele deverá ter as informações necessárias Se o requerente não tiver plantas e nenhum documento que comprove que já houve um Alvará, terá que solicitar nova aprovação de projeto com um novo processo. 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual será implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis para verificação se o proprietário continua o mesmo 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção da 2ª via do alvará de aprovação do projeto, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF 04 Cópia de 01 (um) jogo completo de plantas do projeto arquitetônico já aprovado, com o devido carimbo específico (para indicarem a data da emissão do Alvará inicial e consequentemente o tempo restante de validade). Este jogo ficará arquivado com o processo 05 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 05 - ALVARÁ DE LICENÇA DE CONSTRUÇÂO Licença concedida pela Prefeitura ao proprietário, expressando a concordância com os termos para a EXECUÇÃO DO PROJETO que já estava aprovado, de acordo com a legislação urbanística e de construção do município. ATENÇÂO: Este é o caso para quando o requerente já aprovou um projeto mas não requereu ainda a licença para construir. Se ainda não houve a aprovação de um projeto, o solicitante pode requerer a Aprovação e a Licença de Construção ao mesmo tempo e então os formulários a serem utilizados serão os de Processo Único, (item 08), onde valem todas as informações dadas para Aprovação e para Licença Observar que se a solicitação for para construção em mais de um terreno, só poderá abrir um processo se estiver aprovado o processo de remembramento destes terrenos ou se no mesmo 4

5 momento solicitar os dois processos independentes, um do outro: o de remembramento e o de licença. Neste caso, o processo de licença pode continuar mas o Alvará de Licença de Construção só será emitido após a aprovação do remembramento e o registro do terreno resultante no Cartório de Registro de Imóveis 01 Cópia do Alvará de Aprovação do Projeto, obtido quando da solicitação para análise do projeto 02 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 03 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual será implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis, onde deve constar o mesmo proprietário que assinou as plantas de aprovação de projeto (para comprovação de que não houve mudança de titularidade do imóvel entre o processo de aprovação de projeto e o processo solicitado de licença de construção) Se no Alvará de Aprovação constou como sendo a ser edificado em mais de um lote, neste momento tem que já estar com o lote resultante do remembramento, registrado no Cartório de Registro Geral de Imóveis. Se o terreno onde for implantada a edificação estiver situado dentro de um condomínio, no documento de propriedade deve constar a fração ideal que lhe é atribuída ( art. 73 da Lei 3430/07-Parcelamento de solo) ou apresentar cópia da convenção do condomínio onde constem os parâmetros específicos Os lotes e terrenos devem obedecer às condições estabelecidas na legislação de Parcelamento do Solo municipal, estadual e federal em vigor e devem ser regularmente definidos em Escritura Pública, registrada em Cartório de Registro de Imóveis, na qual conste todas as suas metragens e áreas.( art. 92 da Lei 3428/07 Código de Obras) 04 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção do alvará de licença de construção, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (três) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico, já aprovado e carimbado, que já tinham as assinaturas do proprietário e do autor do projeto e agora deve ter também a do responsável técnico pela execução da obra ( após a emissão do Alvará um jogo será arquivado, um jogo deverá ficar sempre na obra, junto com a cópia do Alvará de Construção - art. 56 do Código de Obras - e o outro deve ficar com o proprietário. 06 CND (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) do imóvel - atualizada; Durante a análise, o analista pode constatar a necessidade da apresentação do Cadastro Imobiliário) 07 CND (Certidão Negativa de Débito Tributário - inscrição na Prefeitura) do(s) responsável (eis) técnico(s) pela execução da obra - atualizada É o documento que comprova que o profissional que está se responsabilizando pela obra está inscrito na Prefeitura como profissional autônomo e portanto está apto para prestar serviços referente ao Município. Mesmo que o profissional esteja inscrito em outro município, tem que se inscrever em Gravatá. Ver o Código Tributário do município, Art. 6º item 7 e item 7.01, Art. 25, Art.26 II, Art. 32 e Art ART (Anotação de Responsabilidade Técnica ) emitido pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) ou RRT (Registro de Responsabilidade Técnica) emitido pelo CAU ( Conselho de Arquitetura e Urbanismo) do profissional responsável pela execução da obra, com comprovante de pagamento 09 Projeto do sistema final de esgoto já aprovado no órgão ambiental do Estado (CPRH) = LI = Licença de Implantação; 10 Anuência prévia de outros órgãos competentes, sempre que o projeto envolver questões pertinentes às suas atribuições ( a serem definidas pelo analista de acordo com o Código) 11 Projeto aprovado pelo COSCIPE (Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico para o Estado de Pernambuco) considerando que conforme o art. 2º, só ficam isentas das exigências deste Código as edificações residenciais privativas unifamiliares, 12 EIV (Estudo de Impacto de Vizinhança), nas hipóteses previstas conforme art. 60 da Lei 3429/07 (Lei do Uso e Ocupação do Solo) 13 Cronograma para conclusão dos serviços; ( art. 49 I Código de Obras) 14 Cópia do projeto estrutural, para as edificações habitacionais com mais de 2 (dois) pavimentos e para edificação não habitacional com mais de 500m² devidamente assinada pelo responsável técnico; ( art. 49 I Código de Obras) 15 Projeto de movimentação de terra de acordo com o art. 46, art. 97 e art. 108 ao art. 111 do Código de Obras 5

6 06 - RENOVAÇÃO DO ALVARÁ DE LICENÇA DE CONSTRUÇÃO Quando se expira o prazo de validade de um Alvará é possível renovar o mesmo por igual período (no caso de licença, 12 meses para construções até 500,00m² e 24 meses para construções acima de 500,00m²) desde que a construção já tenha sido iniciada e seja feita a solicitação para renovação antes que termine o prazo de validade inicial. Art. 53 do Código de Obras Se já tiver expirado o prazo de validade, tem que ser iniciado um novo processo Só pode ser renovado uma única vez (art. 53 2º) 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) ATENÇÂO: se durante este período houve mudança de titularidade, deve ser anexado o novo documento de titularidade. 02 Cópia de 03 (três) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico já aprovado e licenciado, com os devidos carimbos específicos (para receberem o carimbo de renovação por mais um período igual) 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção da renovação do alvará de licença de construção, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (dois) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico já aprovado com o devido carimbo de aprovação e licença de construção para receberem o carimbo de renovação por mais um período igual um jogo completo de plantas ficará arquivado na prefeitura 05 Cópia do Alvará de Licença de Construção inicial 06 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 07-2ª VIA DO ALVARÁ DE LICENÇA DE CONSTRUÇÃO Quando o requerente perde o Alvará original e ainda não concluiu a obra. ATENÇÃO: A 2ª via do Alvará só poderá ser emitida se houver comprovação, de alguma forma, de que já houve um Alvará e em que data foi expedido Se o requerente tiver as plantas carimbadas, terá então, nos carimbos, o nº e a data do protocolo do processo de licença de construção Se ainda estiver, comprovadamente, dentro do prazo de validade, o documento de 2ª via será emitido ressaltando que corresponde ao tempo restante de validade Também pode ser válido o comprovante do pagamento da taxa de emissão do Alvará inicial pois nele deverá ter as informações necessárias Se o requerente não tiver plantas e nenhum documento que comprove que já houve um Alvará, terá que solicitar nova aprovação de projeto com um novo processo. 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do 6

7 CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual será implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis ATENÇÂO: se houve mudança de titularidade, deve ser anexado o novo documento de titularidade Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção da 2ª via do alvará de licença de 03 construção, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF 04 Cópia de 01 (um) jogo completo de plantas do projeto arquitetônico já aprovado, com o devido carimbo específico (para indicarem a área de construção, a data da emissão do Alvará inicial e consequentemente o tempo restante de validade). Este jogo ficará arquivado com o processo 05 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 08 - APROVAÇÃO DE PROJETO + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO ( PROCESSO ÚNICO) Documento emitido pela Prefeitura ao proprietário, expressando a concordância com a legislação urbanística e de construção do Município e através do qual fica concedida a autorização para o início das obras Só deve ser solicitado, quando ainda não tem nenhuma construção no terreno (caso contrário, será considerado como solicitação para reforma com acréscimo de área, que é outro item específico) Nenhum requerimento de Aprovação de Projeto + Licença de construção pode ser protocolado sem que seja anexado pelo menos um jogo completo de plantas e o título de propriedade do terreno contendo todas as dimensões do mesmo, sem os quais não poderá ser iniciada a análise. Os outros documentos exigidos, constantes na relação específica poderão ser entregues posteriormente durante a análise (em tempo a ser definido pelo analista), desde que no formulário de solicitação seja feita esta observação e que o requerente assine junto confirmando estar ciente do fato Observar que se a solicitação for para construção em mais de um terreno, só poderá abrir um processo se estiver em andamento o processo de remembramento destes terrenos ou se no mesmo momento solicitar os dois processos: o de remembramento e o de licença de construção. Neste caso, o processo pode continuar mas o Alvará de Licença de Construção só será emitido após a aprovação do remembramento 01 Cópia do Laudo de Viabilidade 02 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 03 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual será implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis Se o terreno onde for implantada a edificação estiver situado dentro de um condomínio, no documento de propriedade deve constar a fração ideal que lhe é atribuída ( art. 73 da Lei 3430/07-Parcelamento de solo) ou apresentar cópia da convenção do condomínio onde constem os parâmetros específicos Os lotes e terrenos devem obedecer às condições estabelecidas na legislação de Parcelamento do Solo municipal, estadual e federal em vigor e devem ser regularmente definidos em Escritura Pública, registrada em Cartório de Registro de Imóveis, na qual conste todas as suas metragens e áreas.( art. 92 da Lei 3428/07 Código de Obras) 04 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a aprovação do projeto e licença de construção, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a 7

8 resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (três) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico com as devidas assinaturas do proprietário, do autor do projeto e do responsável técnico pela execução ; (sugerimos anexar apenas um jogo completo e após a análise e constatado o cumprimento de todas as exigências, anexar então, já devidamente enquadrados na lei, os três jogos exigidos - após a emissão do Alvará um jogo será arquivado, um jogo deverá ficar sempre na obra, junto com a cópia do Alvará de Construção - art. 56 do Código de Obras - e o outro deve ficar com o proprietário) ou tantos jogos quantos sejam necessários para satisfazer às necessidades do requerente) 06 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 07 CND (Certidão Negativa de Débito Tributário - inscrição na Prefeitura) do(s) autor(es) do projeto - atualizada É o documento que comprova que o profissional que elaborou o projeto está inscrito na Prefeitura como profissional autônomo e portanto está apto para prestar serviços referente ao Município. Mesmo que o profissional esteja inscrito em outro município, tem que se inscrever em Gravatá conforme o Código Tributário do município, Art. 6º item 7 e item 7.01, Art. 25, Art.26 II, Art. 32 e Art RRT (Registro de Responsabilidade Técnica) do profissional autor do projeto; emitido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) com comprovante de pagamento 09 CND (Certidão Negativa de Débito Tributário - inscrição na Prefeitura) do(s) responsável (eis) técnico(s) da construção - atualizada É o documento que comprova que o profissional que está se responsabilizando pela obra está inscrito na Prefeitura como profissional autônomo e portanto está apto para prestar serviços referente ao Município. Mesmo que o profissional esteja inscrito em outro município, tem que se inscrever em Gravatá conforme o Código Tributário do município, Art. 6º item 7 e item 7.01, Art. 25, Art.26 II, Art. 32 e Art ART (Anotação de Responsabilidade Técnica ) do profissional responsável pela execução da obra, emitido pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) com comprovante de pagamento 11 Levantamento topográfico completo, quando necessário, a critério do órgão competente da municipalidade Conforme art III da Lei 3428/07 (Código de Obras) Em alguns casos, a necessidade da topografia será definida apenas no momento da análise. Em outros casos, como remembramento, desmembramento, loteamento e condomínios, a apresentação é sempre exigida 12 Projeto de movimentação de terra de acordo com o art. 46, art. 97 e art. 108 ao art. 111 do Código de Obras 13 EIV (Estudo de Impacto de Vizinhança), nas hipóteses previstas conforme art. 60 da Lei 3429/07 (Lei do Uso e Ocupação do Solo) 14 Anuência prévia de outros órgãos competentes, sempre que o projeto envolver questões pertinentes às suas atribuições (a serem definidas pelo analista, de acordo com o Código)Ex: Vigilância Sanitária 15 Projeto do sistema final de esgoto já aprovado no órgão ambiental do Estado (CPRH) = LI = Licença de Implantação; 16 Projeto aprovado pelo COSCIPE (Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico para o Estado de Pernambuco) considerando que conforme o art. 2º, só ficam isentas das exigências deste Código as edificações residenciais privativas unifamiliares, 17 Cronograma para conclusão dos serviços; ( art. 49 I Código de Obras) 18 Cópia do projeto estrutural, para as edificações habitacionais com mais de 2 (dois) pavimentos e para edificação não habitacional com mais de 500m² devidamente assinada pelo responsável técnico; ( art. 49 I Código de Obras) 09 - RENOVAÇÃO DO ALVARÁ DE APROVAÇÃO + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO (PROCESSO ÚNICO) Quando se expira o prazo de validade de um Alvará é possível renovar o mesmo por igual período (no caso de licença, 12 meses para construções até 500,00m² e 24 meses para construções acima de 500,00m²) desde que a construção já tenha sido iniciada e seja feita a solicitação para renovação antes que termine o prazo de validade inicial. Art. 53 do Código de Obras Se já tiver expirado o prazo de validade, tem que ser iniciado um novo processo. 8

9 Só pode ser renovado uma única vez (art. 53 2º) 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) ATENÇÂO: se houve mudança de titularidade, deve ser anexado o novo documento de titularidade 02 Cópia de 03 (três) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico já aprovado e licenciado, com os devidos carimbos específicos (para receberem o carimbo de renovação por mais um período igual) 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção da renovação do alvará de aprovação do projeto e licença de construção, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (dois) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico já aprovado com o devido carimbo de aprovação e licença de construção para receberem o carimbo de renovação por mais um período igual um jogo completo de plantas ficará arquivado na prefeitura 05 Cópia do Alvará de Licença de Construção inicial 06 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 10-2ª VIA DO ALVARÁ DE APROVAÇÃO + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO (PROCESSO ÚNICO) Quando o requerente perde o Alvará original e ainda não concluiu a obra. ATENÇÃO: A 2ª via do Alvará só poderá ser emitida se houver comprovação, de alguma forma, de que já houve um Alvará e em que data foi expedido Se o requerente tiver as plantas carimbadas, terá então, nos carimbos, o nº e a data do protocolo do processo de licença de construção Se ainda estiver, comprovadamente, dentro do prazo de validade, o documento de 2ª via será emitido ressaltando que corresponde ao tempo restante de validade Também pode ser válido o comprovante do pagamento da taxa de emissão do Alvará inicial pois nele deverá ter as informações necessárias Se o requerente não tiver plantas e nenhum documento que comprove que já houve um Alvará, terá que solicitar nova aprovação de projeto com um novo processo. 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual será implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis para verificação se o proprietário continua o mesmo 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção da 2ª via do alvará de aprovação do projeto e licença de construção, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF 04 Cópia de 01 (um) jogo completo de plantas do projeto arquitetônico já aprovado, com o devido carimbo específico (para indicarem a área de construção, a data da emissão do Alvará inicial e consequentemente o tempo restante de validade). Este jogo ficará arquivado com o processo 9

10 05 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 11 REFORMA - ALVARÁ DE APROVAÇÃO DE PROJETO + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO ( com ou sem acréscimo de área) Licença concedida pela Prefeitura ao proprietário, expressando a concordância com os termos para a execução do projeto previamente aprovado, que consiste em modificar edificação existente, com acréscimo, manutenção ou redução de sua área, altura e/ou número de pavimentos, tudo de acordo com a legislação urbanística e de construção do município OBS Todo processo de reforma tem que ter anexado o Habite-se do processo inicial. Se não tiver, é porque o proprietário nunca concluiu os procedimentos obrigatórios e então o processo passa a ser de regularização e não de reforma, ou seja, a Prefeitura não é obrigada a aceitar como certa a construção existente. OBS. 02 Nos processos de reforma que forem ter mudança de uso tem que colocar nas plantas, o novo uso pretendido Nenhum requerimento de Aprovação de Projeto e Licença de Construção para reforma pode ser protocolado sem que seja anexado pelo menos um jogo completo de plantas devidamente caracterizadas como reforma conforme as normas da ABNT (com linhas amarelas para o que vai demolir, vermelhas para o que vai construir e pretas para o que vai permanecer) e o título de propriedade da construção existente, com a devida descrição dos cômodos e das áreas, sem os quais não poderá ser iniciada a análise. Os outros documentos exigidos, constantes na relação específica poderão ser entregues posteriormente durante a análise (em tempo a ser definido pelo analista), desde que no formulário de solicitação seja feita esta observação e que o requerente assine junto confirmando estar ciente do fato Se o projeto foi elaborado utilizando mais área de terreno do que consta na documentação da construção existente, o requerente terá que solicitar primeiro o remembramento destes terrenos. O Alvará de Licença de Construção para a reforma só será emitido se o lote resultante já estiver registrado no Cartório de Registro Geral de Imóveis Em todos os projetos para reforma, as plantas devem estar de acordo com as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), ou seja, com linhas amarelas para o que vai demolir, vermelhas para o que vai construir e pretas para o que vai permanecer porque se não estiverem, com certeza o processo entrará logo em exigência pois não terá condições de análise. 01 Cópia do Laudo de Viabilidade ( o projeto pode ter sido aprovado de uma forma e não ser possível na nova forma pretendida e apresentada, inclusive se houver mudança de uso) 02 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 03 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel identificando a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis Se o terreno onde for implantada a edificação estiver situado dentro de um condomínio, no documento de propriedade deve constar a fração ideal que lhe é atribuída ( art. 73 da Lei 3430/07-Parcelamento de solo) ou apresentar cópia da convenção do condomínio onde constem os parâmetros específicos. Os lotes e terrenos devem obedecer às condições estabelecidas na legislação de Parcelamento do Solo municipal, estadual e federal em vigor e devem ser regularmente definidos em Escritura Pública, registrada em Cartório de Registro de Imóveis, na qual conste todas as suas metragens e áreas.( art. 92 da Lei 3428/07 Código de Obras) 04 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a aprovação do projeto e licença de construção para a reforma, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver 10

11 solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (três) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico com as devidas assinaturas do proprietário, do autor do projeto e do responsável técnico pela execução ; (sugerimos anexar apenas um jogo completo e após a análise e constatado o cumprimento de todas as exigências, anexar então, já devidamente enquadrados na lei, os três jogos exigidos - após a emissão do Alvará um jogo será arquivado, um jogo deverá ficar sempre na obra, junto com a cópia do Alvará de Construção - art. 56 do Código de Obras - e o outro deve ficar com o proprietário) ou tantos jogos quantos sejam necessários para satisfazer às necessidades do requerente). Considerar que na hora de solicitar o Aceite-se, terá que ser entregue um jogo original (com a representação de vermelho e amarelo) já carimbado de licenciado, para receber o carimbo de Aceite-se e ser arquivado. Assim, deve ser sempre considerado um jogo a mais. 06 Cópia do Habite-se da construção existente para comprovação da conclusão do processo 07 Cópia autenticada de 01 (um) jogo original completo de plantas do projeto arquitetônico licenciado da construção existente. 08 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 09 CND (Certidão Negativa de Débito Tributário - inscrição na Prefeitura) do(s) autor(es) do projeto - atualizada É o documento que comprova que o profissional que elaborou o projeto está inscrito na Prefeitura como profissional autônomo e portanto está apto para prestar serviços referente ao Município. Mesmo que o profissional esteja inscrito em outro município, tem que se inscrever em Gravatá. Ver o Código Tributário do município, Art. 6º item 7 e item 7.01, Art. 25, Art.26 II, Art. 32 e Art RRT (Registro de Responsabilidade Técnica) do profissional autor do projeto; emitido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) - com comprovante de pagamento 11 CND (Certidão Negativa de Débito Tributário - inscrição na Prefeitura) do(s) responsável (eis) técnico(s) da construção - atualizada É o documento que comprova que o profissional que está se responsabilizando pela obra está inscrito na Prefeitura como profissional autônomo e portanto está apto para prestar serviços referente ao Município. Mesmo que o profissional esteja inscrito em outro município, tem que se inscrever em Gravatá. Ver o Código Tributário do município, Art. 6º item 7 e item 7.01, Art. 25, Art.26 II, Art. 32 e Art ART (Anotação de Responsabilidade Técnica ) do profissional responsável pela execução da obra, emitido pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) - com comprovante de pagamento 13 Levantamento topográfico completo, quando necessário, a critério do órgão competente da municipalidade Conforme art III da Lei 3428/07 (Código de Obras) Em alguns casos, a necessidade da topografia será definida apenas no momento da análise. Em outros casos, como remembramento, desmembramento, loteamento e condomínios, a apresentação é sempre exigida 14 EIV (Estudo de Impacto de Vizinhança), nas hipóteses previstas conforme art. 60 da Lei 3429/07 (Lei do Uso e Ocupação do Solo) Se for enquadrado dentro da necessidade, anexar cópia do que já foi aprovado. Para o caso de acréscimo de área e/ou mudança de uso, apresentar complemento. 15 Anuência prévia de outros órgãos competentes, sempre que o projeto envolver questões pertinentes às suas atribuições (a serem definidas pelo analista)ex: Vigilância Sanitária 16 Projeto do sistema final de esgoto já aprovado no órgão ambiental do Estado (CPRH) = LI = Licença de Implantação; 17 Projeto aprovado pelo COSCIPE (Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico para o Estado de Pernambuco) considerando que conforme o art. 2º, só ficam isentas das exigências deste Código as edificações residenciais privativas unifamiliares, 18 Cronograma para conclusão dos serviços; ( art. 49 I Código de Obras) 19 Cópia do projeto estrutural, para as edificações habitacionais com mais de 2 (dois) pavimentos e para edificação não habitacional com mais de 500m² devidamente assinada pelo responsável técnico; ( art. 49 I Código de Obras) 12 - REFORMA - RENOVAÇÃO DO ALVARÁ DE APROVAÇÃO + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO Quando se expira o prazo de validade de um Alvará é possível renovar o mesmo por igual período (no caso de licença, 12 meses para construções até 500,00m² e 24 meses para construções acima de 500,00m²) desde que a construção já tenha sido iniciada e seja feita a 11

12 solicitação para renovação antes que termine o prazo de validade inicial. Art. 53 do Código de Obras Se já tiver expirado o prazo de validade, tem que ser iniciado um novo processo Só pode ser renovado uma única vez (art. 53 2º) 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) ATENÇÂO: se houve mudança de titularidade, deve ser anexado o novo documento de titularidade 02 Cópia de 03 (três) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico já aprovado e licenciado, com os devidos carimbos específicos (para receberem o carimbo de renovação por mais um período igual) 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção da renovação do alvará de aprovação do projeto e licença de construção para a reforma, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (dois) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico já aprovado com o devido carimbo de aprovação e licença de construção para receberem o carimbo de renovação por mais um período igual um jogo completo de plantas ficará arquivado na prefeitura 05 Cópia do Alvará de Licença de Construção inicial 06 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista. 13 REFORMA - 2ª VIA DO ALVARÁ DE APROVAÇÃO + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO Quando o requerente perde o Alvará original e ainda não concluiu a obra. ATENÇÃO: A 2ª via do Alvará só poderá ser emitida se houver comprovação, de alguma forma, de que já houve um Alvará e em que data foi expedido Se o requerente tiver as plantas carimbadas, terá então, nos carimbos, o nº e a data do protocolo do processo de licença de construção Se ainda estiver, comprovadamente, dentro do prazo de validade, o documento de 2ª via será emitido ressaltando que corresponde ao tempo restante de validade Também pode ser válido o comprovante do pagamento da taxa de emissão do Alvará inicial pois nele deverá ter as informações necessárias Se o requerente não tiver plantas e nenhum documento que comprove que já houve um Alvará, terá que solicitar nova aprovação de projeto com um novo processo. 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) ATENÇÂO: se houve mudança de titularidade, deve ser anexado o novo documento de titularidade 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual será implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis para verificação se o proprietário continua o mesmo Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção da 2ª via do alvará de aprovação do 03 projeto e licença de construção para a reforma, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o 12

13 andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF 04 Cópia de 01 (um) jogo completo de plantas do projeto arquitetônico já aprovado e licenciado, com o devido carimbo específico (para indicarem a área de construção, a data da emissão do Alvará inicial e consequentemente o tempo restante de validade). Este jogo ficará arquivado com o processo 05 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 14 ALVARÁ DE REGULARIZAÇÃO DE IMÓVEL = ANÁLISE + LICENÇA DE CONSTRUÇÃO + HABITE-SE Quando foi executada a construção sem o Alvará de Licença de Construção e o requerente quer finalizar o processo. Na conclusão do processo, será emitido o Habite-se resultante da regularização ( se foi construção nova) ou Aceite-se resultante da regularização ( se foi feita uma reforma) O requerente não pode solicitar logo o Habite-se ou Aceite-se porque na regularização não houve antes um projeto para ser analisado, o que garante que a construção obedece aos parâmetros da lei Para haver a regularização de um imóvel o requerente deve apresentar as plantas com a representação EXATAMENTE IGUAL AO QUE FOI CONSTRUÍDO (tendo sido obedecidos ou não os parâmetros das leis existentes no município) pois antes de começar a análise o analista enviará ao local um fiscal que comprovará a veracidade das informações e caso as plantas apresentadas não correspondam, o processo entrará em exigência antes mesmo de ser analisado O processo de regularização também é um processo conclusivo pois ao se constatar que a construção está executada obedecendo a todos os parâmetros exigidos (apenas não cumpriu o desenvolvimento normal que seria a aprovação do projeto e a licença de construção) e que a documentação apresentada está de acordo com o exigido, é emitido o Habite-se (construção nova) ou Aceite-se ( reforma) Se for constatada que a construção foi executada sem atender aos parâmetros exigidos pela lei vigente no município, o processo será indeferido ou entrará em exigência para que o requerente faça as devidas adequações Se a construção a ser regularizada estiver utilizando mais de um lote, o requerente terá que solicitar primeiro o remembramento dos lotes envolvidos. O Alvará de Regularização = Habite-se só será emitido se o lote resultante já estiver registrado no Cartório de Registro Geral de Imóveis Se o requerente possuir um alvará de licença de construção, mas fora do prazo de validade, o processo é de regularização. 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual está implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis. Se o terreno onde for implantada a edificação estiver situado dentro de um condomínio, no documento de propriedade deve constar a fração ideal que lhe é atribuída ( art. 73 da Lei 3430/07-Parcelamento de solo) ou apresentar cópia da convenção do condomínio onde constem os parâmetros específicos. Os lotes e terrenos devem obedecer às condições estabelecidas na legislação de Parcelamento do Solo municipal, estadual e federal em vigor e devem ser regularmente definidos em Escritura Pública, registrada em Cartório de Registro de Imóveis, na qual conste todas as suas metragens e 13

14 áreas.( art. 92 da Lei 3428/07 Código de Obras) 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção do alvará de regularização da construção, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (dois) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico com as devidas assinaturas do proprietário, do autor do projeto e do responsável técnico pela execução ou que forneceu o Laudo Técnico) ; (sugerimos anexar apenas um jogo completo e após a análise e constatado o cumprimento de todas as exigências, anexar então, já devidamente enquadrados na lei, os dois jogos exigidos - após a emissão do Alvará um jogo será arquivado, e o outro deve ficar com o proprietário) ou tantos jogos quantos sejam necessários para satisfazer às necessidades do requerente) 05 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 06 CND (Certidão Negativa de Débito Tributário - inscrição na Prefeitura) do(s) autor(es) do projeto - atualizada É o documento que comprova que o profissional que elaborou o projeto está inscrito na Prefeitura como profissional autônomo e portanto está apto para prestar serviços referente ao Município. Mesmo que o profissional esteja inscrito em outro município, tem que se inscrever em Gravatá. Ver o Código Tributário do município, Art. 6º item 7 e item 7.01, Art. 25, Art.26 II, Art. 32 e Art RRT (Registro de Responsabilidade Técnica) do profissional autor do projeto; emitido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) com comprovante de pagamento 08 Laudo de Vistoria Técnica da construção emitido por um engenheiro com registro no CREA 09 ART (Anotação de Responsabilidade Técnica ) do profissional responsável pelo Laudo de Vistoria Técnica, emitido pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia)- com comprovante de pagamento 10 CND (Certidão Negativa de Débito Tributário - inscrição na Prefeitura) do(s) responsável (eis) técnico(s)que assinou o Laudo de Vistoria Técnica da construção - atualizada É o documento que comprova que o profissional que está se responsabilizando pela obra está inscrito na Prefeitura como profissional autônomo e portanto está apto para prestar serviços referente ao Município. Mesmo que o profissional esteja inscrito em outro município, tem que se inscrever em Gravatá. Ver o Código Tributário do município, Art. 6º item 7 e item 7.01, Art. 25, Art.26 II, Art. 32 e Art EIV (Estudo de Impacto de Vizinhança), nas hipóteses previstas conforme art. 60 da Lei 3429/07 (Lei do Uso e Ocupação do Solo) 12 Aprovação dos órgãos competentes, sempre que o projeto envolver questões pertinentes às suas atribuições (a serem definidas pelo analista). Ex: Vigilância Sanitária, Secretaria de educação, Secretaria de saúde, etc. 13 LO = Licença de Operação, emitida pelo órgão ambiental do Estado (CPRH) 14 Atestado emitido pelo Corpo de Bombeiros, para confirmação de atendimento ao COSCIPE (Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico para o Estado de Pernambuco) considerando que conforme o art. 2º, só ficam isentas das exigências deste Código as edificações residenciais privativas unifamiliares, 15-2ª VIA DO ALVARÁ DE REGULARIZAÇÃO = HABITE-SE Quando o requerente perde o Alvará original ATENÇÃO: A 2ª via do Alvará só poderá ser emitida se houver comprovação, de alguma forma, de que já houve um Alvará e em que data foi expedido Se o requerente tiver as plantas carimbadas, terá então, nos carimbos, o nº e a data do protocolo do processo de licença de construção Também pode ser válido o comprovante do pagamento da taxa de emissão do Alvará inicial pois nele deverá ter as informações necessárias Se o requerente não tiver plantas e nenhum documento que comprove que já houve um Alvará, terá que solicitar nova regularização, com um novo processo. 14

15 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) ATENÇÂO: se houve mudança de titularidade, deve ser anexado o novo documento de titularidade 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual será implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis para verificação se o proprietário continua o mesmo 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção da 2ª via do alvará de regularização da construção, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF 04 Cópia de 01 (um) jogo completo de plantas do projeto arquitetônico já regularizado, com os devidos carimbos. Este jogo ficará arquivado com o processo 05 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 16 - HABITE-SE Documento expedido pela Prefeitura, que autoriza a ocupação e / ou uso de uma nova obra, quando ela já está concluída. O habite-se finaliza todo o processo que se inicia com a aprovação do projeto e a licença de construção e também é emitido quando um processo de regularização é concluído. Só após concedido é que o proprietário pode registrar o imóvel no Cartório do Registro Geral de Imóveis. Ver Art.59 e Art.60 do Código de Obras Para obras grandes, com vários blocos autônomos, por ex. condomínios e hotéis, é possível ir obtendo habite-se parciais, a medida em que vão concluindo estes blocos, desde que conjuntamente com a parte comum do empreendimento. No entanto, todas as vezes que for solicitar o habite-se de mais uma edificação, devem ser apresentados todos os outros já obtidos Observar que de princípio, se houve uma licença de construção, com certeza para a obtenção da mesma, o proprietário apresentou a titularidade do terreno já registrada no Cartório do Registro Geral de Imóveis. Ocorre que durante a obra pode ter havido mudança de proprietário e portanto a solicitação de Habite-se tem que ser feita e assinada pelo mesmo proprietário que assinou as plantas que originaram o Alvará de Licença ou tem que ser anexado um documento deste proprietário, com firma reconhecida em Cartório,autorizando o solicitante para tal procedimento e então garanta que de fato quem está obtendo o documento solicitado é o proprietário atual. 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual está implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis. Deve ser a mesma titularidade do alvará de construção. 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção do habite-se, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (dois) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico já licenciado e carimbado ou cópias devidamente autenticadas. Observar que 01 (um) dos jogos ficará arquivado na Prefeitura após a conclusão do processo e portanto devem ser anexados tantos jogos quantos o requerente achar necessário. Obs.: Se for conjunto residencial = condomínio devem ser apresentados 03 (três) jogos mínimos pois um jogo ficará arquivado na Secretaria de Planejamento e outro na Secretaria de Finanças. ATENÇÃO: Todas as plantas entregues devem ser cópias autenticadas das plantas que foram carimbadas na 15

16 licença de construção 05 Cópia do Alvará de Licença de Construção. Se for condomínio = conjunto residencial, apresentar os alvarás da área comum e de todas as unidades ou o alvará único do empreendimento com todos os elementos. 06 Cópia de todos os habite-se parciais já obtidos anteriormente, se for o caso 07 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 08 ART (Anotação de Responsabilidade Técnica ) do profissional responsável pela obra, emitido pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia).Cópia da mesma ART apresentada para a licença de construção para comprovação de que não houve mudança de responsabilidade técnica durante a obra 09 CND (Certidão Negativa de Débito Tributário - inscrição na Prefeitura) do(s) responsável (eis) técnico(s)que executou a obra 10 Atestado de conclusão de outros órgãos competentes, sempre que o projeto envolver questões pertinentes às suas atribuições (que foram definidas pelo analista e constem como pendências no Alvará de Licença de Construção. Ex: Vigilância Sanitária 11 LO = Licença de Operação emitida pelo órgão ambiental do Estado (CPRH) 12 Atestado do Corpo de Bombeiros para confirmação do atendimento ao COSCIPE (Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico para o Estado de Pernambuco) considerando que conforme o art. 2º, só ficam isentas das exigências deste Código as edificações residenciais privativas unifamiliares, 17-2ª VIA DE HABITE-SE Quando o requerente perde o Habite-se original ATENÇÃO: A 2ª via do Alvará só poderá ser emitida se houver comprovação, de alguma forma, de que já houve um Habite-se anterior e em que data foi expedido Se o requerente tiver as plantas carimbadas, terá então, nos carimbos de habite-se, o número do mesmo e a data em que foi emitido Também pode ser válido o comprovante do pagamento da taxa de emissão do Habite-se inicial pois nele deverá ter as informações necessárias Se o requerente não tiver plantas e nenhum documento que comprove que já houve um Alvará, terá que iniciar um novo processo. 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual está implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis. 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção da 2ª via do habite-se, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (dois) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico que foi regularizado ou licenciado, com o carimbo específico de habite-se ou cópias devidamente autenticadas. Observar que 01 (um) dos jogos ficará arquivado na Prefeitura após a conclusão do processo e portanto devem ser anexados tantos jogos quantos o requerente achar necessário. 05 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 18 ACEITE-SE Documento expedido pela Prefeitura, que autoriza a ocupação e / ou uso de uma obra que foi reformada, com ou sem acréscimo de área mas que sofreu alterações em relação ao definido 16

17 no Habite-se obtido quando foi feita a construção original. Após concedido o Aceite-se, o proprietário pode ir ao Cartório do Registro Geral de Imóveis para fazer as devidas alterações das características do imóvel Observar que de princípio, se houve uma reforma, houve uma licença de construção para reforma e com certeza para a obtenção da mesma, o proprietário apresentou a titularidade do terreno já registrada no Cartório do Registro Geral de Imóveis. Ocorre que durante a obra pode ter havido mudança de proprietário e portanto a solicitação de Aceite-se tem que ser feita e assinada pelo mesmo proprietário que assinou as plantas que originaram o Alvará de Licença de Reforma ou tem que ser anexado um documento deste proprietário, com firma reconhecida em Cartório, autorizando o solicitante para tal procedimento e então garanta que de fato quem está obtendo o documento solicitado é o proprietário atual. 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual está implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis. 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção do aceite-se, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (dois) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico já licenciado e carimbado ou cópias devidamente autenticadas. Observar que 01 (um) dos jogos ficará arquivado na Prefeitura após a conclusão do processo e portanto devem ser anexados tantos jogos quantos o requerente achar necessário. Observar também que o jogo que ficará arquivado deve ter a representação adequada de reforma e portanto se for cópia, deve ser colorida. Obs.: Se for conjunto residencial = condomínio devem ser apresentados 03 (três) jogos mínimos pois um jogo ficará arquivado na Secretaria de Planejamento e outro na Secretaria de Finanças. ATENÇÃO: Todas as plantas entregues devem ser cópias autenticadas das plantas que foram carimbadas na licença de construção 05 Cópia do Alvará de Licença de Construção para reforma. Se for condomínio = conjunto residencial, apresentar os alvarás da área comum e de todas as unidades ou o alvará único do empreendimento com todos os elementos 06 Cópia de todos os habite-se e aceite-se parciais ou não, já obtidos anteriormente, se for o caso 07 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 08 ART (Anotação de Responsabilidade Técnica ) do profissional responsável pela obra, emitido pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia).Cópia da mesma ART apresentada para a licença de construção para comprovação de que não houve mudança de responsabilidade técnica durante a obra 09 CND (Certidão Negativa de Débito Tributário - inscrição na Prefeitura) do(s) responsável (eis) técnico(s)que executou a obra 10 Atestado de conclusão de outros órgãos competentes, sempre que o projeto envolver questões pertinentes às suas atribuições (que foram definidas pelo analista e constem como pendências no Alvará de Licença de Construção. Ex: Vigilância Sanitária 11 LO = Licença de Operação emitida pelo órgão ambiental do Estado (CPRH) 12 Atestado do Corpo de Bombeiros para confirmação do atendimento ao COSCIPE (Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico para o Estado de Pernambuco) considerando que conforme o art. 2º, só ficam isentas das exigências deste Código as edificações residenciais privativas unifamiliares, 19-2ª VIA DE ACEITE-SE Quando o requerente perde o Aceite-se original 17

18 ATENÇÃO: A 2ª via do Alvará só poderá ser emitida se houver comprovação, de alguma forma, de que já houve um Habite-se anterior e em que data foi expedido Se o requerente tiver as plantas carimbadas, terá então, nos carimbos de habite-se, o número do mesmo e a data em que foi emitido Também pode ser válido o comprovante do pagamento da taxa de emissão do Habite-se inicial pois nele deverá ter as informações necessárias Se o requerente não tiver plantas e nenhum documento que comprove que já houve um Alvará, terá que iniciar um novo processo. 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel no qual está implantada a edificação, com registro no Cartório Geral de Imóveis. 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção da 2ª via do aceite-se, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF (dois) ou mais jogos completos de plantas do projeto arquitetônico que foi regularizado ou licenciado, com o carimbo específico de aceite-se ou cópias devidamente autenticadas. Observar que 01 (um) dos jogos ficará arquivado na Prefeitura após a conclusão do processo e portanto devem ser anexados tantos jogos quantos o requerente achar necessário. 05 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 20 ALVARÁ DE DEMOLIÇÃO Total ou parcial derrubamento de uma edificação; Quando o requerente não tem interesse em manter alguma construção existente em seu terreno por qualquer razão pode ser porque quer fazer uma reforma com um projeto novo sem aproveitar nada do que já existia ( se for aproveitar alguma coisa, nesse caso é reforma), ou porque a construção é muito antiga e oferece riscos, etc) É fundamental que o requerente coloque o prazo de duração dos trabalhos pois este prazo também interfere na liberação ou não do Alvará, em função dos transtornos que este serviço possa vir a causar Observar que se a demolição for substituída de imediato por outra construção, não precisa desta certidão pois a autorização está implícita na licença de execução para reforma 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do imóvel (edificação), com registro no Cartório Geral de Imóveis. Se o imóvel for alugado e a solicitação não for assinada pelo proprietário, deve ser apresentado o contrato de locação e uma autorização do proprietário concordando com a demolição, tudo devidamente registrado em Cartório conforme item abaixo 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para a obtenção do alvará de demolição, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a 18

19 resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF 04 Cópia do Habite-se da construção existente se a mesma for demolida integralmente 05 Cópia de 03 (tres) jogos completos de plantas do levantamento arquitetônico da construção total com a marcação em linha amarela do que vai ser demolido, para análise da necessidade de medidas especiais de segurança. No quadro legenda deve constar a área total da construção existente e a área de construção que se pretende demolir. Após a emissão do alvará, um jogo ficará arquivado na Secretaria de Planejamento e um jogo ficará na Secretaria de Finanças. 06 CND do imóvel - (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) - atualizada; Durante a análise, o analista 07 Laudo expedido e assinado por profissional habilitado e por membros dos órgãos fiscalizadores, caso a demolição utilizar explosivos. Ver art. 58 2º da lei 3428/07- Código de Obras 08 Termo de garantia das condições de segurança dos operários, dos vizinhos, dos transeuntes, das benfeitorias, dos logradouros e das propriedades vizinhas, emitido por um responsável técnico, ou o proprietário ou representante legal, com assinatura com firma reconhecida em cartório ( art. 58 3º da lei 3428/07- Código de Obras 09 Anuência prévia de outros órgãos competentes, sempre que o projeto envolver questões pertinentes às suas atribuições (Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária, etc) Estes documentos só terão a necessidade definida após a análise e portanto podem ser entregues depois 21- REMEMBRAMENTO É o reagrupamento de lotes pertencentes a loteamento para constituição de novos lotes.( lei 3430/07- art. 25-4º) 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do(s) proprietário(s) (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 02 Cópia autenticada do documento de propriedade de cada lote a ser remembrado, com registro no Cartório Geral de Imóveis. 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para solicitação do remembramento, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF 04 Levantamento topográfico de todos os terrenos a serem remembrados ( Ver art. 35 do Código de Obras) (tres) ou mais jogos completos de plantas do remembramento. Observar que após a conclusão do processo 01 (um) dos jogos ficará arquivado na Secretaria de Planejamento e outro ficará arquivado na Secretaria de Finanças e portanto devem ser anexados tantos jogos quantos o requerente achar necessário. Obs: No site da Prefeitura de Gravatá, pode-se obter orientações de como apresentar graficamente o projeto de remembramento 06 Memorial descritivo completo, assinado pelo responsável técnico, contendo todas as informações dos lotes iniciais e do lote resultante (denominação, medidas, ângulos, área e confrontantes), das áreas verdes, institucionais, vias de circulação e fundo de terras 07 CND (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) de cada lote a ser remembrado - atualizada; Durante a análise, o analista pode constatar a necessidade da apresentação do Cadastro Imobiliário para confirmação da existência oficial ou não de construção dentro dos terrenos a serem remembrados) 08 Cópia do Alvará de Habite-se das construções que existirem nos terrenos, se for o caso; 09 Cópia do Alvará de demolição das construções que existiam nos terrenos, se for o caso 10 CND (Certidão Negativa de Débito Tributário - inscrição na Prefeitura) do(s) responsável (eis) técnico(s) 11 ART (Anotação de responsabilidade Técnica) do responsável técnico emitida pelo CREA ou RRT (Registro de Responsabilidade Técnica) emitido pelo CAU- com comprovante de pagamento; 19

20 22 - DESMEMBRAMENTO É a subdivisão de uma gleba ou terreno em unidades imobiliárias autônomas, destinados a a edificação, com aproveitamento do sistema viário existente, desde que não implique na abertura de novas vias e logradouros públicos, nem no prolongamento, modificação ou ampliação dos já existentes. Art. 93 ao Art. 97 do Código de Obras ATENÇÃO: dependendo da zona onde o terreno estiver inserido poderá ou não ser desmembrado 01 Cópia autenticada da identidade e do CPF do(s) proprietário(s) (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ, do contrato social da empresa e da identidade e CPF do representante legal da mesma) 02 Cópia autenticada do documento de propriedade do lote a ser desmembrado, com registro no Cartório Geral de Imóveis. 03 Procuração ou Declaração de anuência do proprietário para solicitação do desmembramento, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida no Cartório. Se quem estiver solicitando não for o proprietário e nem o responsável técnico, o processo só será iniciado com esta declaração, onde o proprietário Sr. XXXXXXX autoriza o requerente Sr. XXXXXXX, identidade XXXXXX e CPF XXXXX a resolver tudo que se fizer necessário para o andamento do processo referente ao imóvel XXXX ( diz o lote, quadra, loteamento ou rua, etc) de sua propriedade. O documento deve ter a assinatura reconhecida em Cartório e o requerente deve apresentar cópia da sua identidade e do seu CPF 04 Levantamento topográfico do terreno a ser desmembrado ( Ver art. 35 do Código de Obras) (tres) ou mais jogos completos de plantas do desmembramento. Observar que após a conclusão do processo 01 (um) dos jogos ficará arquivado na Secretaria de Planejamento e outro ficará arquivado na Secretaria de Finanças e portanto devem ser anexados tantos jogos quantos o requerente achar necessário. Obs: No site da Prefeitura de Gravatá, pode-se obter orientações de como apresentar graficamente o projeto de desmembramento 06 Memorial descritivo completo, assinado pelo responsável técnico, contendo todas as informações do lote inicial e dos lotes resultantes (denominações, medidas, ângulos, áreas e confrontantes), das áreas verdes, institucionais, vias de circulação e fundo de terras 07 CND (Certidão Negativa de Débitos Imobiliários) do lote a ser desmembrado - atualizada; Durante a análise, o analista pode constatar a necessidade da apresentação do Cadastro Imobiliário para confirmação da existência oficial ou não de construção dentro do terreno a ser desmembrados) 08 Cópia do Alvará de Habite-se das construções que existirem no terreno, se for o caso; 09 Cópia do Alvará de demolição das construções que existiam no terreno, se for o caso 10 CND (Certidão Negativa de Débito Tributário - inscrição na Prefeitura) do(s) responsável (eis) técnico(s) 11 ART (Anotação de responsabilidade Técnica) do responsável técnico emitida pelo CREA ou RRT (Registro de Responsabilidade Técnica) emitido pelo CAU- com comprovante de pagamento; 23 - LOTEAMENTO (conforme Lei 3430/07- municipal e Lei 6766/79-federal) É uma modalidade de parcelamento de solo com abertura de novas vias e quadras e a divisão destas quadras em lotes. Atenção: o requerimento e a solicitação devem ser preenchidos de acordo com o que foi pleiteado na solicitação do laudo de viabilidade, portanto para requerer loteamento, o laudo, as plantas e os documentos, todos tem que se referir a loteamento 01 Cópia do Laudo de Viabilidade 02 Cópia autenticada do documento de propriedade da área a ser loteada, com registro no Cartório Geral de Imóveis. (se for pessoa jurídica, apresentar cópia do CNPJ e do contrato social da empresa ) 03 Cópia autenticada da identidade e do CPF do proprietário (se for pessoa jurídica, apresentar cópia da identidade e CPF do representante legal da mesma) 04 Declaração de anuência do proprietário para o parcelamento, caso o requerente seja terceiro, com firma reconhecida em Cartório. Neste caso, apresentar cópia autenticada do CPF e RG do requerente 05 Cópia do Alvará de Habite-se da construção que existir no terreno se for o caso 20

PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO - SEMURH

PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO - SEMURH Documentos pessoais do requerente; Certidão Negativa do IPTU; Documento de responsabilidade técnica emitido pelo CREA ou CAU; Declaração do engenheiro ou arquiteto responsável pela obra; Aprovação do projeto

Leia mais

APROVAÇÃO E LICENÇA - RESIDENCIAL UNIFAMILIAR

APROVAÇÃO E LICENÇA - RESIDENCIAL UNIFAMILIAR APROVAÇÃO E LICENÇA - RESIDENCIAL UNIFAMILIAR 1. Formulário Padrão (fornecido pelo IMPLURB) devidamente preenchido, sendo imprescindível conter o nome do interessado, número do telefone, número do celular

Leia mais

EMPRESA MUNICIPAL DE OBRAS E URBANIZAÇÃO COORDENADORIA DE CONTROLE URBANO ANUÊNCIA PRÉVIA PARA CONSTRUÇÃO INICIAL DE EDIFICAÇÃO NÃO RESIDENCIAL

EMPRESA MUNICIPAL DE OBRAS E URBANIZAÇÃO COORDENADORIA DE CONTROLE URBANO ANUÊNCIA PRÉVIA PARA CONSTRUÇÃO INICIAL DE EDIFICAÇÃO NÃO RESIDENCIAL ANUÊNCIA PRÉVIA PARA CONSTRUÇÃO INICIAL DE EDIFICAÇÃO NÃO RESIDENCIAL 1. Requerimento assinado pelo proprietário ou procurador legalmente constituído. 2. Nº da inscrição cadastral do imóvel para prova

Leia mais

Manual da Construção. Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Econômico

Manual da Construção. Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Econômico Manual da Construção Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Econômico APRESENTAÇÃO A presente cartilha é uma contribuição da Prefeitura Municipal de Viana, através da Secretaria de Planejamento

Leia mais

VISTORIA PREVIA ALVARÁ DE FUNCIONAMENTO (INICIO DE ATIVIDADE)

VISTORIA PREVIA ALVARÁ DE FUNCIONAMENTO (INICIO DE ATIVIDADE) VISTORIA PREVIA REQUERIMENTO PREENCHIDO E ASSINADO PELO REPRESENTANTE LEGAL DA EMPRESA DECLARACAO A PROPRIO PUNHO INFORMANDO O RAMO DE ATIVIDADE GUIA DE IPTU DO ULTIMO ANO QUITADA LISTA DE DOCUMENTOS DISPONIVEL

Leia mais

ir l Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente Manual da Construção Legal

ir l Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente Manual da Construção Legal ASCOM t ru ir l e g a legal construir cons Quero l Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente Elaboração: Lilian Márcia Neves Haddad Arquiteta Urbanista, CREA 90.776/D MG - Especialista em Planejamento

Leia mais

ANEXO I - DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA INGRESSO DO PROCESSO DE ALVARÁ PROVISÓRIO

ANEXO I - DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA INGRESSO DO PROCESSO DE ALVARÁ PROVISÓRIO ANEXOS AO DECRETO Nº 25.023 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009 ANEXO I - DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA INGRESSO DO PROCESSO DE ALVARÁ PROVISÓRIO 2.Cópia do contrato de locação do imóvel onde funcionará a atividade,

Leia mais

O Prefeito Municipal de Joinville, no exercício de suas atribuições, e com fundamento no inciso IX, do art. 68, da Lei Orgânica do Município,

O Prefeito Municipal de Joinville, no exercício de suas atribuições, e com fundamento no inciso IX, do art. 68, da Lei Orgânica do Município, DECRETO Nº 18.250, de 15 de setembro de 2011. Regulamenta o processo administrativo de aprovação de projetos, alvará para construção, reforma, ampliação, demolição, e vistoria final de edificações, uniformizando

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação. Documentação para aprovação

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação. Documentação para aprovação PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação DIRETORIA DE APROVAÇÃO DE PROJETOS Onde requerer: Praça de Atendimento 2 - Centro Administrativo Térreo Endereço: Avenida

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC)

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) Todos os empreendimentos da área da construção civil, em operação ou a serem implantados, geradores de qualquer

Leia mais

Roteiros de Processos PASSO A PASSO

Roteiros de Processos PASSO A PASSO SECRETARIA DE PLANEJAMENTO Roteiros de Processos PASSO A PASSO Roteiro dos Processos da SEPLAN À Secretaria de Planejamento compete formular, planejar e implementar a política de planejamento e desenvolvimento

Leia mais

Bradesco Administradora de Consórcios Ltda.

Bradesco Administradora de Consórcios Ltda. Prezado(a) Consorciado(a), Para melhor atendê-lo, elaboramos este Guia Prático de Contratação de Imóvel destacando as modalidades de aquisição, fases do processo, documentos necessários, emissão e registro

Leia mais

SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL

SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL 1 APROVAÇÃO DE PROJETOS TRANSCRIÇÃO DE TRECHOS LEGISLAÇÃO PERTINENTE CÓDIGO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROJETOS E OBRAS PARTICULARES JUNDIAÍ cartilha_obras_pmj.indd 1 09/10/09 20:03 cartilha_obras_pmj.indd 2 09/10/09 20:03 ÍNDICE APRESENTAÇÃO [pag. 1] SERVIÇOS PRESTADOS PELA DIRETORIA

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA SECRETARIA DE PLANEJAMENTO -SEPLAN DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA EMISSÕES DE:

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA SECRETARIA DE PLANEJAMENTO -SEPLAN DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA EMISSÕES DE: DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA EMISSÕES DE: 1. ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO / AMPLIAÇÃO /REFORMA / REGULARIZAÇÃO de Deve ter os dados do proprietário, dimensões do lote e ser registrada em cartório. Será aceito dimensões

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS DA PREFEITURA

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS DA PREFEITURA PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS DA PREFEITURA IMÓVEIS - EDIFICAÇÕES E LOTEAMENTOS A Prefeitura Municipal de Aracaju fiscaliza e licencia obras de edificação e de parcelamento do solo

Leia mais

Documentos CICAP - ampliação e reformas residenciais e conclusão de unidades comerciais.

Documentos CICAP - ampliação e reformas residenciais e conclusão de unidades comerciais. Documentos CICAP - ampliação e reformas residenciais e conclusão de unidades comerciais. Adicionar os documentos abaixo aos demais documentos do comprador. Certidão de Tributos Estaduais, da UF onde está

Leia mais

MANUAL PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS

MANUAL PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS MANUAL PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS ORIENTAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS REALIZADOS E OS SERVIÇOS PRESTADOS PELA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVILVIMENTO URBANO SMDU, PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS NO MUNICÍPIO

Leia mais

O Sr. Prefeito Municipal de Volta Redonda, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei;

O Sr. Prefeito Municipal de Volta Redonda, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei; DECRETO N.º 9185 EMENTA: Institui o DCU SIMPLES, um conjunto de Programas de Ação do Departamento de Controle Urbanístico da Secretaria Municipal de Planejamento, para aprovação de projetos e licenciamento

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO LUIS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO SEMURH

PREFEITURA DE SÃO LUIS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO SEMURH Projeto de Lei nº, de de de Institui o primeiro plano municipal de incentivo à construção civil, e dá outras providências. O PREFEITO DE SÃO LUÍS, Capital do Estado do Maranhão Faço saber a todos os seus

Leia mais

Quinta-feira, 26 de Abril de 2007 Ano XIII - Edição N.: 2834 Diário Oficial do Município Poder Executivo Secretaria Municipal de Governo

Quinta-feira, 26 de Abril de 2007 Ano XIII - Edição N.: 2834 Diário Oficial do Município Poder Executivo Secretaria Municipal de Governo Quinta-feira, 26 de Abril de 2007 Ano XIII - Edição N.: 2834 Diário Oficial do Município Poder Executivo Secretaria Municipal de Governo DECRETO Nº 12.693 DE 25 DE ABRIL DE 2007 Estabelece procedimentos

Leia mais

CHEK LIST DE DOCUMENTAÇÕES PARA ABERTURA DE PROCESSOS COORDENADORIA DE URBANISMO ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO - UNIFAMILIAR

CHEK LIST DE DOCUMENTAÇÕES PARA ABERTURA DE PROCESSOS COORDENADORIA DE URBANISMO ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO - UNIFAMILIAR ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE MUNICÍPIO DE PARNAMIRIM SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE E DO DESENVOLVIMENTO URBANO CHEK LIST DE DOCUMENTAÇÕES PARA ABERTURA DE PROCESSOS COORDENADORIA DE URBANISMO

Leia mais

CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015

CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015 CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015 OBJETIVO Estabelecer as regras e procedimentos para concessão de viabilidade técnica, aprovação de projetos e acompanhamento

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS 2007 PMA

PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS 2007 PMA PERGUNTAS E RESPOSTAS CONSTANTES NO GUIA DE SERVIÇOS 2007 PMA IMÓVEIS - EDIFICAÇÕES E LOTEAMENTOS A Prefeitura Municipal de Aracaju fiscaliza e licencia obras de edificação e de parcelamento do solo através

Leia mais

Tema: Aprovação de Loteamentos Município de Franca. Palestrante: Nicola Rossano Costa

Tema: Aprovação de Loteamentos Município de Franca. Palestrante: Nicola Rossano Costa Tema: Aprovação de Loteamentos Município de Franca Palestrante: Nicola Rossano Costa Leis Municipais Plano diretor Lei Complementar nº 050/2003 e posteriores alterações Plano viário Lei complementar nº

Leia mais

Estado de Mato Grosso Município de Tangará da Serra Assessoria Jurídica

Estado de Mato Grosso Município de Tangará da Serra Assessoria Jurídica MENSAGEM PROJETO DE LEI xxx/gp/2012 Tangará da Serra/MT, xx de xxxxxxxxxx de 2012. Excelentíssimo Senhor Presidente, Excelentíssimos (a) Senhores (a) Vereadores (a), Cumprimentando-o cordialmente, vimos

Leia mais

REGULARIZAÇÃO POSTO DE ABASTECIMENTO E SERVIÇOS DE VEÍCULOS

REGULARIZAÇÃO POSTO DE ABASTECIMENTO E SERVIÇOS DE VEÍCULOS POSTO DE ABASTECIMENTO E SERVIÇOS DE VEÍCULOS I- Requerimento (modelo fornecido pela EMURB), assinado pelo proprietário ou procurador legalmente constituído. II- Número da inscrição cadastral do imóvel

Leia mais

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar:

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar: Institui Projeto Simplificado e dispõe sobre a forma de apresentação de projetos de construção de edificações residenciais unifamiliares, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE GUARATINGUETÁ

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST)

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) ANÁLISE DOCUENTAL (CHECK LIST) CONSTRUÇÃO CIVIL CÓDIGO 10.00 GRUPO/ATIVIDADES CONSTRUÇÃO CIVIL PPD 10.01 Empreendimentos ultifamiliares Sem Infra- Estrutura (Condomínios e Conjuntos Habitacionais); 10.02

Leia mais

DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA AMBIENTAL DE ESTAÇÃO RÁDIO-BASE (ERB) Portaria SMMA nº 002/2012 e Lei Mun. 11.535/2005

DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA AMBIENTAL DE ESTAÇÃO RÁDIO-BASE (ERB) Portaria SMMA nº 002/2012 e Lei Mun. 11.535/2005 DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA AMBIENTAL DE ESTAÇÃO RÁDIO-BASE (ERB) Portaria SMMA nº 002/2012 e Lei Mun. 11.535/2005 ***TODOS OS DOCUMENTOS E PROJETOS ENTREGUES FICARÃO RETIDOS. *** TODOS OS PROJETOS

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA OBTENÇÃO DO ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA OBTENÇÃO DO ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO NOME ou RAZÃO SOCIAL: NOME FANTASIA: DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA OBTENÇÃO DO ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO DOCUMENTOS APRESENTADOS SIM NÃO N.A* 1 Requerimento solicitando o Alvará de construção, conforme modelo

Leia mais

DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO.

DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO. DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO. PESSOA JURÍDICA: a) instrumento de constituição primitivo e respectivas alterações, se houver, admitindo-se a Última alteração quando consolidada,

Leia mais

Cartilha para Aprovação de Projetos Habitacionais do Distrito Federal

Cartilha para Aprovação de Projetos Habitacionais do Distrito Federal Secretaria de Estado de Gestão do Território e Habitação Segeth Cartilha para Aprovação de Projetos Habitacionais do Distrito Federal Orientada pela Central de Aprovação de Projetos (CAP) CARTILHA PARA

Leia mais

PORTARIA GSF N 38/2013 Teresina (PI), 10 de junho de 2013.

PORTARIA GSF N 38/2013 Teresina (PI), 10 de junho de 2013. PORTARIA GSF N 38/2013 Teresina (PI), 10 de junho de 2013. Publicado no DOM n 1.528, de 14.06.2013 Dispõe sobre procedimentos para solicitações referentes ao Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU,

Leia mais

RESOLUÇÃO SMF Nº 2835 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2015

RESOLUÇÃO SMF Nº 2835 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2015 RESOLUÇÃO SMF Nº 2835 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2015 Disciplina os procedimentos referentes aos benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FAZENDA,

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO A SER APRESENTADA PARA EMISSÃO DE CERTIDÃO DE ACERVO TÉCNICO:

DOCUMENTAÇÃO A SER APRESENTADA PARA EMISSÃO DE CERTIDÃO DE ACERVO TÉCNICO: O QUE É ACERVO TÉCNICO? O Acervo Técnico é o conjunto das atividades desenvolvidas ao longo da vida do profissional, compatíveis com suas atribuições desde que registradas no Crea-ES por meio de ARTS -Anotações

Leia mais

DECRETO Nº 3941, DE 11 DE JANEIRO DE 2.012. APROVA A CARTILHA PARA PARCELAMENTO DO SOLO (LOTEAMENTOS E CONDOMÍNIOS URABANÍSTICOS).

DECRETO Nº 3941, DE 11 DE JANEIRO DE 2.012. APROVA A CARTILHA PARA PARCELAMENTO DO SOLO (LOTEAMENTOS E CONDOMÍNIOS URABANÍSTICOS). DECRETO Nº 3941, DE 11 DE JANEIRO DE 2.012. APROVA A CARTILHA PARA PARCELAMENTO DO SOLO (LOTEAMENTOS E CONDOMÍNIOS URABANÍSTICOS). O Prefeito Municipal de Uberaba, Estado de Minas Gerais, no uso das atribuições

Leia mais

196,6 referente à habitação unifamiliar isolada e habitação multifamiliar única e isolada R$ 196,60.

196,6 referente à habitação unifamiliar isolada e habitação multifamiliar única e isolada R$ 196,60. ANEXO XII LICENÇA PARA EXECUÇÃO DE OBRAS OU SERVIÇOS DE ENGENHARIA 1.0 TERRENO R$ 1.0.1 Análise de terreno referente a desmembramento, remembramento e demarcação, com 163,89 área até 5.000m². 1.0.2 Análise

Leia mais

LICENÇA DE INSTALAÇÃO LI

LICENÇA DE INSTALAÇÃO LI LICENÇA DE INSTALAÇÃO LI Autoriza o início da implementação do empreendimento ou atividade, de acordo com as especificações constantes dos planos, programas e projetos aprovados, incluindo as medidas de

Leia mais

ORDEM DO DIA FLS.394 , ESTADO DE SÃO PAULO. OFíCIO GP. N. 196/2012 Proc. n", 3194/96. Senhor Presidente,

ORDEM DO DIA FLS.394 , ESTADO DE SÃO PAULO. OFíCIO GP. N. 196/2012 Proc. n, 3194/96. Senhor Presidente, ORDEM DO DIA FLS.394 "R" U~,.-:.-L.C. _~"'''' "'-'~ (".':N,~ -..,.~:..:-.;::..-

Leia mais

I seja aprovado o projeto arquitetônico;

I seja aprovado o projeto arquitetônico; PROJETO DE LEI Nº 106/2015. INSTITUI A LICENÇA PRÉVIA PARA FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS QUE ESPECIFICA, EM IMÓVEIS E EDIFICAÇÕES QUE NÃO CUMPRAM OS REQUISITOS EXIGIDOS PELA LEGISLAÇÃO EM VIGOR PARA

Leia mais

DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DE OBRAS

DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DE OBRAS DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO DE OBRAS HABITE-SE CERTIDÃO RETIFICAÇÃO DE NÚMERO E DE ENDEREÇO CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO PARA EMPREENDIMENTO DE USO RESIDENCIAL E NÃO RESIDENCIAL RENOVAÇÃO DE HABITE-SE/

Leia mais

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Atenção: Documentos apresentados em fotocópia devem ser autenticados em Cartório ou acompanhados dos originais para receberem autenticação do CREA. Documentos obrigatórios

Leia mais

LICENÇA DE INSTALAÇÃO LI

LICENÇA DE INSTALAÇÃO LI LICENÇA DE INSTALAÇÃO LI Autoriza o início da implementação do empreendimento ou atividade, de acordo com as especificações constantes dos planos, programas e projetos aprovados, incluindo as medidas de

Leia mais

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO ( ) Este documento Requerimento padrão do empreendedor ou representante legal; deve ser preenchido e assinado pelo requerente

Leia mais

Para que um estabelecimento esteja legalizado, é necessário, inicialmente, obter um alvará de licença, documento concedido pela Prefeitura.

Para que um estabelecimento esteja legalizado, é necessário, inicialmente, obter um alvará de licença, documento concedido pela Prefeitura. CARTILHA DE ALVARÁ Este pequeno manual abordará, de maneira simplificada, os requisitos para obtenção de alvará de licenciamento para a abertura de casa noturna ou boate. Para que um estabelecimento esteja

Leia mais

Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia

Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia Publicado no D.O.E. de 17 de maio de 2005. Orienta os órgãos da Administração Pública do Poder Executivo Estadual, quanto à incorporação de imóveis

Leia mais

II FÓRUM DE SAÚDE PÚBLICA E MEIO AMBIENTE DO CRMV-RJ. Licenciamento Ambiental e o Controle da Comercialização de Agrotóxicos

II FÓRUM DE SAÚDE PÚBLICA E MEIO AMBIENTE DO CRMV-RJ. Licenciamento Ambiental e o Controle da Comercialização de Agrotóxicos II FÓRUM DE SAÚDE PÚBLICA E MEIO AMBIENTE DO CRMV-RJ Licenciamento Ambiental e o Controle da Comercialização de Agrotóxicos NOVO SISTEMA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DECRETO Nº

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Heber Xavier Ferreira Coordenador do COPLAN/ALTO VALE

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Heber Xavier Ferreira Coordenador do COPLAN/ALTO VALE RESOLUÇÃO COPLAN Nº 001/2012 O Coordenador do COPLAN/ALTO VALE, no exercício de suas atribuições e, atendendo a deliberação ocorrida na reunião ordinária do dia 07/12/2011, resolve: Art. 1º Fica aprovado,

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AO LICENCIAMENTO AMBIENTAL AMMA EUSÉBIO PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS. ANÁLISE DOCUMENTAL

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AO LICENCIAMENTO AMBIENTAL AMMA EUSÉBIO PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS. ANÁLISE DOCUMENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AO LICENCIAMENTO AMBIENTAL AMMA EUSÉBIO PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS. ANÁLISE DOCUMENTAL SIT Nº ÍTEM 1 FASE I (LICENÇA PRÉVIA LP) Requerimento (formulário de solicitação) devidamente

Leia mais

Informação para quem vai comprar, construir ou reformar.

Informação para quem vai comprar, construir ou reformar. Informação para quem vai comprar, construir ou reformar. Última Alteração - Dez/2007 Guia SUA CASA Orientação para quem vai comprar ou construir casas, terrenos e apartamentos. Importante: Este guia oferece

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) REGULARIZAÇÃO

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) REGULARIZAÇÃO ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) REGULARIZAÇÃO Regularização de Licença de Instalação (Empreendimento ou Atividade sem qualquer Licenciamento Ambiental) LICENÇA DE INSTALAÇÃO (Regularização) - Exigida nos

Leia mais

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA DE INSTALAÇÃO (LI) LAVA JATO E SIMILARES ( ) Este documento;

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA DE INSTALAÇÃO (LI) LAVA JATO E SIMILARES ( ) Este documento; I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA DE INSTALAÇÃO (LI) LAVA JATO E SIMILARES ( ) Este documento; () () () () () Requerimento padrão do empreendedor ou representante legal; deve ser preenchido

Leia mais

REGISTRO DE LOTEAMENTO / DESMEMBRAMENTO

REGISTRO DE LOTEAMENTO / DESMEMBRAMENTO REGISTRO DE LOTEAMENTO / DESMEMBRAMENTO (Lei 6.766/79 alterada pela Lei 9.785/99 e Lei Estadual 7.943/2004) Lei 6.766/1979 - Art. 2º.: 1º - Considera-se loteamento a subdivisão de gleba em lotes destinados

Leia mais

O contribuinte do IPTU é o proprietário do imóvel, o titular do seu domínio útil ou o seu possuidor, a qualquer título.

O contribuinte do IPTU é o proprietário do imóvel, o titular do seu domínio útil ou o seu possuidor, a qualquer título. IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU FATO GERADOR E INCIDÊNCIA O Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU tem como fato gerador a propriedade, o domínio útil ou posse de todo e qualquer bem imóvel

Leia mais

INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Estabelece procedimentos administrativos para fins de Registro de Atestado de obra/serviço no Crea-RS, conforme disposto na Resolução do Confea

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 008 Licenciamento Ambiental de Condomínios Residenciais Horizontais e Verticais e Atividade de Hotelaria

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 008 Licenciamento Ambiental de Condomínios Residenciais Horizontais e Verticais e Atividade de Hotelaria INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 008 Licenciamento Ambiental de Condomínios Residenciais Horizontais e Verticais e Atividade de Hotelaria Disciplina o processo de licenciamento ambiental de condomínios residenciais

Leia mais

Informações para Licenciamento Ambiental Municipal de PADARIAS, CONFEITARIAS E PASTELARIAS (2.640,10 Padarias, Confeitarias e Pastelarias)

Informações para Licenciamento Ambiental Municipal de PADARIAS, CONFEITARIAS E PASTELARIAS (2.640,10 Padarias, Confeitarias e Pastelarias) PADARIAS, CONFEITARIAS E PASTELARIAS (2.640,10 ) 1 - IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR Nome ou Razão Social: CNPJ: CPF: CGC/TE: Endereço (Rua/Av.) : nº: Bairro: CEP: Município: Telefone: Celular: e-mail: Contato

Leia mais

Contrate um Arquiteto ou Engenheiro

Contrate um Arquiteto ou Engenheiro CONSTRUÇÃO É COISA SÉRIA Contrate um Arquiteto ou Engenheiro Evite surpresas desagradáveis Construção é coisa séria: evite surpresas desagradáveis Organização: expediente AEAM - Associação de Engenheiros

Leia mais

Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade

Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade Prefeitura Municipal de São Leopoldo Secretaria Municipal da Fazenda Coordenadoria Tributária Divisão de Tributos Mobiliários Seção

Leia mais

Guia do Requerente. Orientações de preenchimento

Guia do Requerente. Orientações de preenchimento Guia do Requerente Orientações de preenchimento Bem-vindo (a) ao nosso novo sistema on-line de atendimento Empresa Legal. Este documento é o Guia do Requerente. Ele o (a) ajudará em seu contato com o ambiente

Leia mais

IT - 34 CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS

IT - 34 CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS IT - 34 CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS SUMÁRIO APÊNDICES 1 - Objetivo A - Solicitação de Cadastro de Pessoa Jurídica 2 - Referências normativas B - Solicitação de Cadastro de Pessoa

Leia mais

Manual para Empreendimentos (Compilação das NT.DTE.004 a 009)

Manual para Empreendimentos (Compilação das NT.DTE.004 a 009) Manual para Empreendimentos (Compilação das NT.DTE.004 a 009) Revisão de 06/03/2014 Companhia de Saneamento Ambiental de Atibaia Diretoria Técnica Gerência de Engenharia Página1 Este Manual objetiva reunir

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul DECRETO N 17.078, DE 16 DE JULHO DE 2014. Aprova a atualização do Plano de Classificação e da Tabela de Temporalidade de s da Secretaria Municipal de Urbanismo SMU, atividades-fim, e revoga o Decreto nº

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DCU - SIMPLES

MANUAL DE INSTRUÇÕES DCU - SIMPLES PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS E EMISSÃO DE ALVARÁ DE OBRA MANUAL DE INSTRUÇÕES DCU - SIMPLES 2002 P DEPARTAMENTO DE CONTROLE URBANÍSTICO 1 A edição do Manual de Instruções e Procedimentos para

Leia mais

LEI N.º 1.721/2007. CAPÍTULO I. Da Aprovação do Projeto de Parcelamento. I consulta prévia por parte do interessado à Prefeitura Municipal;

LEI N.º 1.721/2007. CAPÍTULO I. Da Aprovação do Projeto de Parcelamento. I consulta prévia por parte do interessado à Prefeitura Municipal; LEI N.º 1.721/2007. Ementa: Dispõe sobre a instituição de NORMAS GERAIS QUE VISAM REGULAMENTAR A LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO URBANO, O CÓDIGO DE OBRAS E O CÓDIGO DE POSTURAS NO QUE DIZ RESPEITO À APROVAÇÃO

Leia mais

DECRETO ESTADUAL nº 52.052, de 13 de agosto de 2007

DECRETO ESTADUAL nº 52.052, de 13 de agosto de 2007 2009 DECRETO ESTADUAL nº 52.052, de 13 de agosto de 2007 Institui, no âmbito da Secretaria de Estado da Habitação Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais Cidade Legal Comitê de Regularização

Leia mais

REGULARIZAÇÃO E HABITE-SE DE OBRA UNIFAMILIAR

REGULARIZAÇÃO E HABITE-SE DE OBRA UNIFAMILIAR REGULARIZAÇÃO E HABITE-SE DE OBRA UNIFAMILIAR 3. CND - Certidão Negativa de Débitos ou Guia de quitação atual do IPTU ou Documento que comprove a isenção deste. 4. Contrato de Locação se o imóvel for alugado.

Leia mais

Manual de Aprovação Eletrônica de Projetos

Manual de Aprovação Eletrônica de Projetos Manual de Aprovação Eletrônica de Projetos 1 Conteúdo Apresentação... 1 O que é a aprovação eletrônica de projetos?... 2 Quais os serviços disponíveis?... 3 Como cadastrar sua senha web?... 4 Aprovação

Leia mais

CREDENCIAMENTO Nº 2014/12284 (7421) Errata

CREDENCIAMENTO Nº 2014/12284 (7421) Errata CREDENCIAMENTO Nº 2014/12284 (7421) Errata OBJETO: Credenciamento de empresas que cumpram as exigências de habilitação, visando à contratação de serviços técnicos profissionais de engenharia e/ou arquitetura,

Leia mais

O 10. QUADROS DA NBR 12.721/2006, COM ART O 11. ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO O 12. ATESTADO DE IDONEIDADE FINANCEIRA O 13. CONTRATO-PADRÃO

O 10. QUADROS DA NBR 12.721/2006, COM ART O 11. ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO O 12. ATESTADO DE IDONEIDADE FINANCEIRA O 13. CONTRATO-PADRÃO LISTA DE DOCUMENTOS 1 Lei 4.591/64, Provimento nº 260/CGJ/2013. O incorporador deverá apresentar, no Ofício de Registro de Imóveis, os seguintes documentos, organizados nesta ordem. CHECK LIST O 1. MEMORIAL

Leia mais

CONSTRUÇÃO E REFORMA MÃOS À OBRA. Cartilha de orientação ao cidadão

CONSTRUÇÃO E REFORMA MÃOS À OBRA. Cartilha de orientação ao cidadão CONSTRUÇÃO E REFORMA MÃOS À OBRA Cartiha de orientação ao cidadão Apresentação A Prefeitura Municipa de Via Veha, por intermédio da Secretaria Municipa de Desenvovimento Urbano, apresenta esta cartiha

Leia mais

Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação!

Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação! Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação! Para realizar sua contemplação providenciar a documentação solicitada abaixo e levar até uma loja do Magazine Luiza ou representação autorizada

Leia mais

DECLARAÇÃO DE CONFORMIDADE DA CASA DE LIXO

DECLARAÇÃO DE CONFORMIDADE DA CASA DE LIXO DECLARAÇÃO DE CONFORMIDADE DA CASA DE LIXO A entrada do processo é feita no protocolo da EMSURB localizada na portaria do Parque da Sementeira. Após a análise é fornecida a DECLARAÇÃO E O PARECER TÉCNICO

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS 01) ALTERAÇÃO DE DADOS NO CADASTRO IMOBILIÁRIO FISCAL ; - Registro do imóvel (emissão com menos de 1 ano); - CPF e identidade do titular ou dos sócios

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST)

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) CÓDIGO 03.00 GRUPO/ATIVIDADES RESÍDUOS SÓLIDOS E PPD Armazenamento Temporário de Resíduos A 03.01 das Classes I Perigoso ou A Serviço de Saúde 03.02 Armazenamento Temporário

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA 1. INTRODUÇÃO Este Termo de Referência tem por objetivo estabelecer as exigências técnicas e a metodologia para a contratação de serviços técnicos

Leia mais

Cartilha ALVARÁ L OCALIZAÇÃO E F UNCIONAMENTO

Cartilha ALVARÁ L OCALIZAÇÃO E F UNCIONAMENTO Cartilha ALVARÁ L OCALIZAÇÃO E F UNCIONAMENTO I NTRODUÇÃO Caro empreendedor, elaboramos esta cartilha com o objetivo de auxiliá-lo na abertura de novas empresas, licenciamentos e renovações de alvarás.

Leia mais

FAQ Perguntas Frequentes

FAQ Perguntas Frequentes FAQ Perguntas Frequentes Índice 01. Incorporação Imobiliária...3 02. Contrato...4 03. Pagamento e Boletos...5 04. Financiamento...6 05. Distrato e Transferência...8 06. Documentações...9 07. Instalação

Leia mais

Dispõe sobre a Autorização Prévia à Análise Técnica de Plano de Manejo Florestal Sustentável- APAT, e dá outras providências

Dispõe sobre a Autorização Prévia à Análise Técnica de Plano de Manejo Florestal Sustentável- APAT, e dá outras providências INSTRUÇÃO NORMATIVA MMA Nº 4, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2006 Dispõe sobre a Autorização Prévia à Análise Técnica de Plano de Manejo Florestal Sustentável- APAT, e dá outras providências A MINISTRA DE ESTADO

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) COLETA, TRANSPORTE, ARMAZENAMENTO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E PRODUTOS

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) COLETA, TRANSPORTE, ARMAZENAMENTO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E PRODUTOS ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) CÓDIGO 03.00 GRUPO/ATIVIDADES RESÍDUOS SÓLIDOS E PPD Armazenamento Temporário de Resíduos A 03.01 das Classes I Perigoso ou A Serviço de Saúde 03.02 Armazenamento Temporário

Leia mais

Documento sujeito a revisões periódicas Natal RN CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-1975 / 3232-2118

Documento sujeito a revisões periódicas Natal RN CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-1975 / 3232-2118 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Postos (Revendedores e de Abastecimento) e Sistemas

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST)

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) CÓDIGO 09.00 GRUPO/ATIVIDADES 09.07 Postos de Revenda de Combustíveis e Derivados de Petróleo com ou sem lavagem e ou lubrificação de veículos PPD M AGRUPAMENTO NORMATIVO

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PARCELAMENTO DO SOLO LOTEAMENTOS E DESMEMBRAMENTOS 04 vias do processo contendo na capa o número

Leia mais

ADEQUAÇÃO AO SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

ADEQUAÇÃO AO SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS ADEQUAÇÃO AO SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS Este documento. Requerimento padrão do empreendedor ou representante legal. Cadastro Descritivo da Atividade - Geral devidamente

Leia mais

LICENÇA DE OPERAÇÃO - LO

LICENÇA DE OPERAÇÃO - LO LICENÇA DE OPERAÇÃO - LO Autoriza o início da atividade, do empreendimento ou da pesquisa científica, após a verificação do efetivo cumprimento das medidas de controle ambiental e condicionantes determinadas

Leia mais

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013.

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. Disciplina a liberação, o cancelamento e a baixa de Alvará de Localização e Funcionamento no município de Erechim. O Prefeito Municipal de Erechim, Estado do

Leia mais

O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, Faço saber que a Câmara Legislativa do Distrito Federal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, Faço saber que a Câmara Legislativa do Distrito Federal decreta e eu sanciono a seguinte Lei: PROJETO LEI COMPLEMENTAR Nº (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Dispõe sobre loteamento fechado e alienação de lotes ou parcelas de terras públicas no território do Distrito Federal e dá outras providências.

Leia mais

CARTILHA INSCRIÇÃO MUNICIPAL E REDESIM

CARTILHA INSCRIÇÃO MUNICIPAL E REDESIM CARTILHA INSCRIÇÃO MUNICIPAL E REDESIM 1- ATRAVÉS DA REDESIM PORTAL REGIN 1.1 -SOLICITAÇÃO DE INSCRIÇÃO MUNICIPAL ( EMPRESA SEM REGISTRO NA JUCEB) PASSO 1: PEDIDO DE VIABILIDADE DE INSCRIÇÃO A empresa

Leia mais

Instituto de Meio Ambiente de Alagoas IMA Diretoria da Presidência DIPRE Diretoria Técnica DIT Diretoria de Licenciamento DILIC POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

Instituto de Meio Ambiente de Alagoas IMA Diretoria da Presidência DIPRE Diretoria Técnica DIT Diretoria de Licenciamento DILIC POSTOS DE COMBUSTÍVEIS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS LICENÇA PRÉVIA 1. Formulário de requerimento padrão dirigido à Presidência do IMA, devidamente preenchido e assinado; 2. Comprovante de pagamento da Taxa de Concessão da Licença

Leia mais

CONSTRUÇÃO E REFORMA. Cartilha de orientação ao cidadão MÃOS À OBRA. INFORMAÇÕES: www.vilavelha.es.gov.br Tel: 3149-7293

CONSTRUÇÃO E REFORMA. Cartilha de orientação ao cidadão MÃOS À OBRA. INFORMAÇÕES: www.vilavelha.es.gov.br Tel: 3149-7293 CONSTRUÇÃO E REFORMA MÃOS À OBRA INFORMAÇÕES: www.viaveha.es.gov.br Te: 3149-7293 Cartiha de orientação ao cidadão Apresentação Habite-se A Prefeitura Municipa de Via Veha, por intermédio da Secretaria

Leia mais

TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS

TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS Autores: Rita de Cássia Junqueira: Cargo atual: Tecnóloga Sanitarista Formação: Tecnologia Sanitária Universidade de Campinas -

Leia mais

REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA CONCESSÃO DA LICENÇA PARA LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE EVENTOS.

REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA CONCESSÃO DA LICENÇA PARA LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE EVENTOS. DECRETO Nº 16.785, DATA: 5 de outubro de 2005. REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA CONCESSÃO DA LICENÇA PARA LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE EVENTOS. O Prefeito Municipal de Foz do Iguaçu,

Leia mais

Relação de Documentos necessários para Aprovação de Projetos Particulares. Check-List. Gerência de Serviços Técnicos - Departamento de Projeto

Relação de Documentos necessários para Aprovação de Projetos Particulares. Check-List. Gerência de Serviços Técnicos - Departamento de Projeto Relação de Documentos necessários para Aprovação de Projetos Particulares Check-List Gerência de Serviços Técnicos - Departamento de Projeto Diretoria de Serviços Operacionais 1. RESUMO Relação de documentos

Leia mais

NORMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

NORMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN n 042/DAT/CBMSC)

Leia mais

*Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012.

*Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012. *Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012. O Prefeito Municipal de Chapecó, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

DECRETO Nº 50.943, DE 23 DE OUTUBRO DE 2009 (Regulamenta as disposições da Lei Nº 15.003, de 23 de Outubro de 2009)

DECRETO Nº 50.943, DE 23 DE OUTUBRO DE 2009 (Regulamenta as disposições da Lei Nº 15.003, de 23 de Outubro de 2009) DECRETO Nº 50.943, DE 23 DE OUTUBRO DE 2009 (Regulamenta as disposições da Lei Nº 15.003, de 23 de Outubro de 2009) Estabelece diretrizes e normas referentes à construção, instalação, reforma, ampliação

Leia mais

NORMA OPERACIONAL/IFTM Nº 01, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013

NORMA OPERACIONAL/IFTM Nº 01, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013 NORMA OPERACIONAL/IFTM Nº 01, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013 Dispõe sobre procedimentos relativos à gestão de imóveis no âmbito do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro. O

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST)

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) AGROPECUÁRIA CÓDIGO 01.00 GRUPO/ATIVIDADES AGROPECUÁRIA PPD AGRUPAMENTO NORMATIVO 01.01 Criação de Animais Sem Abate(avicultura,ovinocaprinocultura,suino M cultura,bovinocultura,escargot, ranicultura)

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS 1. Quais os casos passíveis de licenciamento ambiental junto ao setor Anexo III Áreas Verdes do (DLA), visando a Autorização Ambiental Municipal? São passíveis de licenciamento ambiental pelo Anexo III:

Leia mais