5. Generics, Iterators e Comparable em Java. Tipos de Dados Abstractos Generics em Java

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "5. Generics, Iterators e Comparable em Java. Tipos de Dados Abstractos Generics em Java"

Transcrição

1 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Fernando Silva DCC-FCUP Estruturas de Dados Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 1 / 12 Tipos de Dados Abstractos Generics em Java A partir do Java 5.0, passamos a ter uma base mais robusta e genérica para lidar com tipos abstractos de dados sem que se tenha de recorrer a castings explícitos. Um tipo de dados genérico é um tipo de dados que não está definido em tempo de compilação, mas que fica completamente especificado em tempo de execução. Vantagens: permite a verificação de erros em tempo de compilação. permite que se definam classes em termos de um conjunto de tipos formais de parâmetros, que podem ser usados para abstrair variáveis internas. Exemplo: em vez de termos uma lista de inteiros, passar a ter uma lista genérica em que o tipo de dados é definido em tempo de execução. Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 2 / 12

2 Object vs. Generics Uma forma de definirmos classes com atributos que pudessem representar qualquer objecto era fazendo uso do tipo de dados Object. Por exemplo, fazendo uso das classes Node e LinkedList do capítulo 4, podemos ter: LinkedList l= new LinkedList(); l.addfirst(new Integer(2)); Integer x= (Integer) l.get(0); // casting explícito A ideia dos tipos genéricos é poder ter, por exemplo, uma definição de lista genérica em que possa posteriormente explicitar qual o tipo particular de dados que vai ter. Por exemplo: LinkedList<Integer> l= new LinkedList<Integer>(); l.addfirst(new Integer(2)); Integer x= l.get(0); Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 3 / 12 Exemplo de classe com tipos genéricos Para definir uma classe genérica, introduzimos parâmetros genéricos usando letras como E, K, T, V. Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 4 / 12

3 Definição de uma fila genérica com listas ligadas (1) Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 5 / 12 Definição de uma fila genérica (2) Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 6 / 12

4 Iteradores Um iterador é um padrão (i.e. abstracção sobre métodos existentes) que abstrai a noção de percorrer uma sequência de elementos, um de cada vez. Um iterador encapsula os conceitos de elemento corrente e seguinte numa colecção de objectos. Um TAD-iterador inclui dois métodos: hasnext() verifica se ainda existem elementos no iterador next() retorna o próximo elemento do iterador. Uma classe para suportar iteração sobre uma sequência de valores, tem de incluir o método iterator() retorna um iterador sobre elementos de um conjunto e a classe tem de especificar que é iterable. Podemos alargar as definições de Lista ligada, Pilha e Fila com iteradores. Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 7 / 12 Exemplo do uso de iteradores com listas ligadas Vamos usar iteradores com a classe LinkedList do Java. O programa guarda uma sequência de números na lista e depois percorre essa sequência com um iterador sobre os elementos da lista: Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 8 / 12

5 Ciclos for-each Quando temos sequências iteráveis, podemos ter ciclos do tipo for-each da forma: for (TipoObj nomevar : expressão) bloco_instruções; onde expressão corresponde a uma colecção de valores que implementa a classe java.lang.iterable. TipoObj tipo do objecto que o iterador retorna nomevar nome da variável que toma os valores retornados. Exemplo: Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 9 / 12 Comparação de objectos Objectos de tipos diferentes são comparados de modo diferente. As Strings são comparadas lexicograficamente, por exemplo: String a="abcd", b="abbc"; int cmp=a.compareto(b); if (cmp < 0) System.out.println(a+" antes de "+b); else if (cmp==0) System.out.println(a+" igual "+b); else System.out.println(a+" depois de "+b); E se tivermos dois objectos, por exemplo que representam alunos onde consta o nome e a média, como compará-los? Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 10 / 12

6 Exemplo com comparable (1) Consideremos a classe Aluno seguinte: Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 11 / 12 Exemplo com comparable (2) Para compararmos 2 objectos da classe Aluno, é necessário que esta implemente o Comparable e defina um método compareto(): Ver outro exemplo no final do capítulo de ordenação. Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 12 / 12

Laboratório de Programação. Aula 13 Java 5COP088. Aula 13 Genéricos e Conjuntos Java Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior. Sylvio Barbon Jr barbon@uel.

Laboratório de Programação. Aula 13 Java 5COP088. Aula 13 Genéricos e Conjuntos Java Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior. Sylvio Barbon Jr barbon@uel. 5COP088 Laboratório de Programação Aula 13 Genéricos e Conjuntos Java Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior 1 Sumário: 1) Métodos hashcode(), equals() e tostring(); 2) Conjuntos; 3) Genéricos; 4) Resumo. 2 1)

Leia mais

Coleções Avançadas. Programação Orientada a Objetos Java. Prof. Anselmo Cardoso Paiva Prof. Geraldo Braz Junior

Coleções Avançadas. Programação Orientada a Objetos Java. Prof. Anselmo Cardoso Paiva Prof. Geraldo Braz Junior Coleções Avançadas Programação Orientada a Objetos Java Prof. Anselmo Cardoso Paiva Prof. Geraldo Braz Junior Objetivos Aprender como o conceito de coleção pode ser expresso de forma genérica Examinar

Leia mais

JAVA 1.5 na plataforma J2SE 5.0 Tiger Novas Construções, Sintaxe, Tipos e Polimorfismo

JAVA 1.5 na plataforma J2SE 5.0 Tiger Novas Construções, Sintaxe, Tipos e Polimorfismo JAVA 1.5 na plataforma J2SE 5.0 Tiger Novas Construções, Sintaxe, Tipos e Polimorfismo GENERICS (Tipos Parametrizados, Classes Parametrizadas) : têm o objectivo de tornar as Colecções seguras em termos

Leia mais

Orientação a Objetos. Conceitos Iniciais Introdução a Linguagem Java. Gil Eduardo de Andrade

Orientação a Objetos. Conceitos Iniciais Introdução a Linguagem Java. Gil Eduardo de Andrade Orientação a Objetos Conceitos Iniciais Introdução a Linguagem Java Gil Eduardo de Andrade Conceitos: Orientação a Objeto Introdução Abordagem típica no desenvolvimento de sistemas complexos; Consiste

Leia mais

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1 1 Apresentação O Curso Java Starter foi projetado com o objetivo de ajudar àquelas pessoas que têm uma base de lógica de programação e desejam entrar no mercado de trabalho sabendo Java, A estrutura do

Leia mais

Paradigmas da Programação PPROG. Linguagem JAVA. Interfaces. (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 9) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2013/14) 1/33

Paradigmas da Programação PPROG. Linguagem JAVA. Interfaces. (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 9) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2013/14) 1/33 PPROG Paradigmas da Programação Linguagem JAVA Interfaces (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 9) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2013/14) 1/33 PPROG Motivação para usar Interfaces Definição de Interface

Leia mais

Bruce Eckel, Thinking in Java, 4th edition, PrenticeHall, New Jersey, cf. http://mindview.net/books/tij4. jvo@ualg.pt José Valente de Oliveira 16-1

Bruce Eckel, Thinking in Java, 4th edition, PrenticeHall, New Jersey, cf. http://mindview.net/books/tij4. jvo@ualg.pt José Valente de Oliveira 16-1 Streams III Bruce Eckel, Thinking in Java, 4th edition, PrenticeHall, New Jersey, cf. http://mindview.net/books/tij4 jvo@ualg.pt José Valente de Oliveira 16-1 Previously: Serializing a collection public

Leia mais

Pragmática das Linguagens de Programação 2004/2005

Pragmática das Linguagens de Programação 2004/2005 Instituto Superior Técnico Pragmática das Linguagens de Programação 2004/2005 Segundo Exame 11/2/2005 Número: Turma: Nome: Escreva o seu número em todas as folhas do teste. O tamanho das respostas deve

Leia mais

Coleções. Page 1. Coleções. Prof. Anderson Augustinho Uniandrade

Coleções. Page 1. Coleções. Prof. Anderson Augustinho Uniandrade Page 1 podem ser comparadas com arrays, visto que também apresentam a capacidade de armazenar referências para vários objetos. Entretanto, as coleções apresentam uma gama de funcionalidades bem maior do

Leia mais

Introdução à Programação. Interface, Polimorfismo e Dynamic Binding

Introdução à Programação. Interface, Polimorfismo e Dynamic Binding Introdução à Programação Interface, Polimorfismo e Dynamic Binding Interface Programador Java PLENO Possuir sólida experiência em programação Desenvolvimento na linguagem JAVA Webservice, Struts ou JSF(desejável)

Leia mais

Programação OO em Java. Profa Andréa Schwertner Charão DELC/CT/UFSM

Programação OO em Java. Profa Andréa Schwertner Charão DELC/CT/UFSM Programação OO em Java Profa Andréa Schwertner Charão DELC/CT/UFSM Sumário Classes abstratas Interfaces Tipos genéricos Coleções Classes abstratas São classes que não podem ser instanciadas, porque representam

Leia mais

7 RTTI e Interfaces. Desenvolvimento OO com Java. Vítor E. Silva Souza (vitorsouza@inf.ufes.br) http://www.inf.ufes.

7 RTTI e Interfaces. Desenvolvimento OO com Java. Vítor E. Silva Souza (vitorsouza@inf.ufes.br) http://www.inf.ufes. Desenvolvimento OO com Java 7 RTTI e Interfaces Vítor E. Silva Souza (vitorsouza@inf.ufes.br) http://www.inf.ufes.br/ ~ vitorsouza Departamento de Informática Centro Tecnológico Universidade Federal do

Leia mais

Exercícios de Revisão Java Básico

Exercícios de Revisão Java Básico Exercícios de Revisão Java Básico (i) Programação básica (estruturada) 1) Faça um programa para calcular o valor das seguintes expressões: S 1 = 1 1 3 2 5 3 7 99... 4 50 S 2 = 21 50 22 49 23 48...250 1

Leia mais

Módulo 06 Desenho de Classes

Módulo 06 Desenho de Classes Módulo 06 Desenho de Classes Última Atualização: 13/06/2010 1 Objetivos Definir os conceitos de herança, polimorfismo, sobrecarga (overloading), sobreescrita(overriding) e invocação virtual de métodos.

Leia mais

JAVA NETBEANS PGOO Prof. Daniela Pires Conteúdo

JAVA NETBEANS PGOO Prof. Daniela Pires Conteúdo Conteúdo Estruturas de repetição (loops, laços)... 2 WHILE (enquanto)... 2 DO... WHILE (faça... enquanto)... 2 FOR... 3 FOREACH... 4 EXERCICIO LOOP FOR... 4 Novo Projeto... 5 Controles SWING... 10 1 Estruturas

Leia mais

Programação Java. em Ambiente Distribuído. Ênfase no Mapeamento Objeto-Relacional com JPA, EJB e Hibernate. Douglas Rocha Mendes.

Programação Java. em Ambiente Distribuído. Ênfase no Mapeamento Objeto-Relacional com JPA, EJB e Hibernate. Douglas Rocha Mendes. Programação Java em Ambiente Distribuído Ênfase no Mapeamento Objeto-Relacional com JPA, EJB e Hibernate Douglas Rocha Mendes Novatec Copyright 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Templates e Pilhas. 1. Introdução

Templates e Pilhas. 1. Introdução Templates e Pilhas 1. Introdução Templates ou Generics é considerado uma forma de polimorfismo [1]. É uma forma de programar onde o tipo do dado não é considerado. Programa-se para um tipo de dado indefinido.

Leia mais

Aula 1. // exemplo1.cpp /* Incluímos a biblioteca C++ padrão de entrada e saída */ #include

Aula 1. // exemplo1.cpp /* Incluímos a biblioteca C++ padrão de entrada e saída */ #include <iostream> Aula 1 C é uma linguagem de programação estruturada desenvolvida por Dennis Ritchie nos laboratórios Bell entre 1969 e 1972; Algumas características: É case-sensitive, ou seja, o compilador difere letras

Leia mais

Conceitos de Linguagens de Programação

Conceitos de Linguagens de Programação Conceitos de Linguagens de Programação Aula 07 Nomes, Vinculações, Escopos e Tipos de Dados Edirlei Soares de Lima Introdução Linguagens de programação imperativas são abstrações

Leia mais

2 Orientação a objetos na prática

2 Orientação a objetos na prática 2 Orientação a objetos na prática Aula 04 Sumário Capítulo 1 Introdução e conceitos básicos 1.4 Orientação a Objetos 1.4.1 Classe 1.4.2 Objetos 1.4.3 Métodos e atributos 1.4.4 Encapsulamento 1.4.5 Métodos

Leia mais

Programação OO em Java. Profa Andréa Schwertner Charão DELC/CT/UFSM

Programação OO em Java. Profa Andréa Schwertner Charão DELC/CT/UFSM Programação OO em Java Profa Andréa Schwertner Charão DELC/CT/UFSM Sumário Classes abstratas Interfaces Tipos genéricos Coleções Introdução GUI Classes abstratas São classes que não podem ser instanciadas,

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em

Programação Orientada a Objetos em Programação Orientada a Objetos em Flávio Miguel Varejão UFES Utilidades Pacotes com várias classes amplamente utilizadas Exemplos Vector, ArrayList, Calendar, Currency, Random, Formatter, Scanner, Comparator,

Leia mais

Programação Orientada por Objetos

Programação Orientada por Objetos PPROG Paradigmas da Programação Programação Orientada por Objetos Relações entre Dependência Agregação Composição Associação (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 12) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2014/15)

Leia mais

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br Java Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br 3. Considere as instruções Java abaixo: int cont1 = 3; int cont2 = 2; int cont3 = 1; cont1 += cont3++; cont1 -= --cont2; cont3 = cont2++; Após a

Leia mais

Java Coleções. Rodrigo C. de Azevedo

Java Coleções. Rodrigo C. de Azevedo Java Coleções Rodrigo C. de Azevedo OMG Certified UML Professional Fundamental OMG Certified UML Professional Intermediate CompTIA Project+ Sun Certified Associate for Java Platform Sun Certified Programmer

Leia mais

Rafael Santos. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais www.lac.inpe.br/ rafael.santos. Rafael Santos - www.lac.inpe.br/ rafael.

Rafael Santos. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais www.lac.inpe.br/ rafael.santos. Rafael Santos - www.lac.inpe.br/ rafael. Coleções e Aplicações Rafael Santos Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais www.lac.inpe.br/ rafael.santos Rafael Santos - www.lac.inpe.br/ rafael.santos 1 / 54 Tópicos 1 Sobre... 2 Revisão de Java 3

Leia mais

Programação Java. com Ênfase em Orientação a Objetos. Douglas Rocha Mendes. Novatec

Programação Java. com Ênfase em Orientação a Objetos. Douglas Rocha Mendes. Novatec Programação Java com Ênfase em Orientação a Objetos Douglas Rocha Mendes Novatec Sumário Agradecimentos... 13 Sobre o autor... 14 Prefácio... 15 Capítulo 1 Introdução à linguagem Java... 16 1.1 Histórico

Leia mais

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição Lista de Contas Lista de Contas: Assinatura null Quais são os métodos necessários? class ListaDeContas { void inserir (Conta c) { void retirar (Conta c) { Conta procurar (String num) { Listas de Contas:

Leia mais

Introdução a PHP (Estruturas de Controle)

Introdução a PHP (Estruturas de Controle) Desenvolvimento Web III Introdução a PHP () Prof. Mauro Lopes 1-31 13 Objetivos Nesta aula iremos trazer ainda alguns conceitos básicos da programação com a Linguagem PHP. Iremos trabalhar conceitos das

Leia mais

Interfaces. Interfaces: Exemplo. ! São um mecanismo poderoso para ter bons desenhos pois permitem separar contratos das implementações

Interfaces. Interfaces: Exemplo. ! São um mecanismo poderoso para ter bons desenhos pois permitem separar contratos das implementações Interfaces! São um mecanismo poderoso para ter bons desenhos pois permitem separar contratos das implementações! Definem, tais como as classes, tipos mas não têm implementação! Podem declarar o constantes

Leia mais

Técnicas de Programação Avançada TCC- 00.174 Prof.: Anselmo Montenegro www.ic.uff.br/~anselmo anselmo@ic.uff.br

Técnicas de Programação Avançada TCC- 00.174 Prof.: Anselmo Montenegro www.ic.uff.br/~anselmo anselmo@ic.uff.br Técnicas de Programação Avançada TCC- 00.174 Prof.: Anselmo Montenegro www.ic.uff.br/~anselmo anselmo@ic.uff.br Conteúdo: Coleções Material elaborado com contribuição do Professor Luiz André Coleções Uma

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Engenharia de Sistemas e Tecnologias da Informação-IESTI PCO203 Tópicos Especiais em Programação

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Engenharia de Sistemas e Tecnologias da Informação-IESTI PCO203 Tópicos Especiais em Programação UNIFEI Disciplina Professor Universidade Federal de Itajubá Instituto de Engenharia de Sistemas e Tecnologias da Informação-IESTI PCO203 Tópicos Especiais em Programação Enzo Seraphim 1 Padrões de Operação

Leia mais

Modificador static e Pacotes. Alberto Costa Neto DComp - UFS

Modificador static e Pacotes. Alberto Costa Neto DComp - UFS Modificador static e Pacotes Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Roteiro Modificador static Pacotes 2 Modificador static Instanciando a classe Funcionário matricula nome cpf salario salario-min getmatricula()

Leia mais

Algoritmia e Estruturas de Dados

Algoritmia e Estruturas de Dados JOSÉ BRAGA DE VASCONCELOS JOÃO VIDAL DE CARVALHO Algoritmia e Estruturas de Dados Programação nas linguagens C e JAVA Portugal/2005 Reservados todos os direitos por Centro Atlântico, Lda. Qualquer reprodução,

Leia mais

Seminário - C# DSO II. Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2. Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo

Seminário - C# DSO II. Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2. Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo Seminário - C# DSO II Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2 Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo Roteiro Breve Histórico Plataforma.NET Características da Linguagem Sintaxe Versões

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 7 Prof. ISVega Março de 2004 Controle de Execução: Seleção Simples CONTEÚDO

Leia mais

Estruturas de controle no nível de sentença

Estruturas de controle no nível de sentença Estruturas de controle no nível de sentença Linguagens de Programação Marco A L Barbosa cba Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Sistemas Operativos 2003/2004 Trabalho Prático #2 -- Programação em C com ponteiros -- Objectivos Familiarização

Leia mais

O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação excepcional do seu tratamento, ao se programar um método em Java.

O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação excepcional do seu tratamento, ao se programar um método em Java. Exceções em Java Miguel Jonathan DCC/IM/UFRJ (rev. abril de 2011) Resumo dos conceitos e regras gerais do uso de exceções em Java O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 3: Métodos LEEC@IST Java 1/45 Métodos (1) Sintaxe Qualif Tipo Ident ( [ TipoP IdentP [, TipoP IdentP]* ] ) { [ Variável_local Instrução ]* Qualif: qualificador (visibilidade,

Leia mais

EMENTA DO CURSO. Tópicos:

EMENTA DO CURSO. Tópicos: EMENTA DO CURSO O Curso Preparatório para a Certificação Oracle Certified Professional, Java SE 6 Programmer (Java Básico) será dividido em 2 módulos e deverá ter os seguintes objetivos e conter os seguintes

Leia mais

Java Persistence Query Language JPQL

Java Persistence Query Language JPQL Introdução SELECT FROM WHERE GROUP BY HAVING ORDER BY Java Persistence Query Language JPQL Prof. Enzo Seraphim Definições Tornar SQL orientado a objetos Classes e propriedades ao invés de Tabelas e colunas

Leia mais

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com Coleções List Set Map Classes e interfaces do pacote java.util que representam listas, conjuntos e mapas. Solução flexível para armazenar objetos. Quantidade

Leia mais

Fundamentos de Programação II. Introdução à linguagem de programação C++

Fundamentos de Programação II. Introdução à linguagem de programação C++ Fundamentos de Programação II Introdução à linguagem de programação C++ Prof. Rafael Henrique D. Zottesso Material cedido por Prof. Msc. Everton Fernando Baro Agenda IDE HelloWorld Variáveis Operadores

Leia mais

Slide 1 Deitel/Deitel, 8e. Java Como programar Copyright 2010 Pearson Education

Slide 1 Deitel/Deitel, 8e. Java Como programar Copyright 2010 Pearson Education Java Como Programar, 8/E Slide 1 Slide 2 Slide 3 Métodos genéricos e classes genéricas (e interfaces) permitem especificar, com uma única declaração de método, um conjunto de métodos relacionados ou, com

Leia mais

Boas Práticas de Programação

Boas Práticas de Programação Boas Práticas de Programação João Arthur Brunet Monteiro Mestrando em Informática - COPIN 25/10/2008 João Arthur Brunet Monteiro 1/ 27 Roteiro Introdução 1 Introdução Objetivos Contextualização 2 Práticas

Leia mais

Tabelas (arrays) (vetores, matrizes, etc) Algoritmos de pesquisa Algoritmos de ordenação

Tabelas (arrays) (vetores, matrizes, etc) Algoritmos de pesquisa Algoritmos de ordenação Java Tabelas (arrays) (vetores, matrizes, etc) Algoritmos de pesquisa Algoritmos de ordenação 1 Tabelas para quê? As tabelas são utilizadas quando se pretende armazenar e manipular um grande número de

Leia mais

Javascript 101. Parte 2

Javascript 101. Parte 2 Javascript 101 Parte 2 Recapitulando O Javascript é uma linguagem de programação funcional Os nossos scripts são executados linha a linha à medida que são carregados. O código que está dentro de uma função

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

5 Caso de estudo O cartão fidelidade

5 Caso de estudo O cartão fidelidade 5 Caso de estudo O cartão fidelidade Cartão de fidelização de clientes das distribuidoras de combustível. Definição em JAVA da classe CartaoFidelidade, que deverá apresentar uma funcionalidade semelhante

Leia mais

Lição 9 Trabalhando com bibliotecas de classes

Lição 9 Trabalhando com bibliotecas de classes Lição 9 Trabalhando com bibliotecas de classes Introdução à Programação I 1 Objetivos Ao final da lição, o estudante deverá estar apto a: Explicar o que é programação orientada a objetos e alguns de seus

Leia mais

Lab de Programação de sistemas I

Lab de Programação de sistemas I Lab de Programação de sistemas I Apresentação Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Agenda Orientação a Objetos Conceitos e Práticas Programação OO

Leia mais

Orientação a Objetos

Orientação a Objetos Orientação a Objetos 1. Sobrecarga (Overloading) Os clientes dos bancos costumam consultar periodicamente informações relativas às suas contas. Geralmente, essas informações são obtidas através de extratos.

Leia mais

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução Carlos Lopes POO e Java Objetivo: proporcionar uma visão dos conceitos de POO e do seu uso na estruturação dos programas em Java. Classes e objetos em

Leia mais

UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação. Estrutura de Dados. AULA 6 Filas

UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação. Estrutura de Dados. AULA 6 Filas UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação Estrutura de Dados AULA 6 Filas Estrutura de Dados A Estrutura de Dados Fila Fila é uma estrutura de dados usada em programação, que tem regras para

Leia mais

CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA

CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA Introdução para Iniciantes Prof. M.Sc. Daniel Calife Índice 1 - A programação e a Linguagem Java. 1.1 1.2 1.3 1.4 Linguagens de Programação Java JDK IDE 2 - Criando o primeiro

Leia mais

Prova de Java. 1) Copie o programa abaixo no eclipse e complete-o, utilizando os conceitos aprendidos durante o curso. (4 pontos)

Prova de Java. 1) Copie o programa abaixo no eclipse e complete-o, utilizando os conceitos aprendidos durante o curso. (4 pontos) Prova de Java 1) Copie o programa abaixo no eclipse e complete-o, utilizando os conceitos aprendidos durante o curso. (4 pontos) O programa consiste em uma aplicação que simula o comportamento de dois

Leia mais

Java Básico. Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp

Java Básico. Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp Java Básico Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp Classes Abstratas construção de uma classe abstrata construção de classes derivadas Classes e Herança Uma classe define

Leia mais

Tipos de Dado Abstrato: Listas, Filas e Pilhas

Tipos de Dado Abstrato: Listas, Filas e Pilhas Tipos de Dado Abstrato: Listas, Filas e Pilhas Estruturas de Dados Prof. Vilson Heck Junior Introdução Tradicionalmente conhecidos como Tipos de Dado Abstrato, são algumas Estruturas de Dados básicas e

Leia mais

Programação Orientada a Objectos - P. Prata, P. Fazendeiro. Cartão de fidelização de clientes das distribuidoras de combustível.

Programação Orientada a Objectos - P. Prata, P. Fazendeiro. Cartão de fidelização de clientes das distribuidoras de combustível. Caso de estudo O cartão fidelidade Cartão de fidelização de clientes das distribuidoras de combustível. Definição em JAVA da classe CartaoFidelidade, que deverá apresentar uma funcionalidade semelhante

Leia mais

Unidade IV: Ponteiros, Referências e Arrays

Unidade IV: Ponteiros, Referências e Arrays Programação com OO Acesso em Java a BD Curso: Técnico em Informática Campus: Ipanguaçu José Maria Monteiro Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio Departamento Clayton Maciel de Informática

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR

PLANIFICAÇÃO MODULAR Direção Regional de Educação Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA ESCOLA SECUNDÁRIA/3º DR.ª M.ª CÂNDIDA ENSINO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO POR MÓDULOS Curso Profissional em funcionamento no âmbito

Leia mais

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com HelloWorld.java: public class HelloWorld { public static void main (String[] args) { System.out.println( Hello, World ); } } Identificadores são usados

Leia mais

Introdução à linguagem

Introdução à linguagem A Tecnologia Java 1 Introdução à linguagem Origens do JAVA Projecto Green, programação para a electrónica de Consumo (Dezembro 1990): Pouca memória disponível Processadores fracos Arquitecturas muito diferentes

Leia mais

Objetivos: Sun recomenda que utilize o nome de domínio da Internet da empresa, para garantir um nome de pacote único

Objetivos: Sun recomenda que utilize o nome de domínio da Internet da empresa, para garantir um nome de pacote único Pacotes e Encapsulamento Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Introdução Permite o agrupamento de classes em uma coleção chamada pacote Um pacote é uma coleção de classes

Leia mais

Especialização em web com interfaces ricas

Especialização em web com interfaces ricas Especialização em web com interfaces ricas Conceitos avançados de programação Prof. Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares fabrizzio@inf.ufg.br professor.fabrizzio@gmail.com Instituto de Informática Universidade

Leia mais

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS A Linguagem Java Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Roteiro Comentários Variáveis Tipos Primitivos de Dados Casting Comandos de Entrada e Saída Operadores Constantes 2 Comentários /** Classe para impressão

Leia mais

Encapsulamento de Dados

Encapsulamento de Dados Encapsulamento de Dados Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Modificadores de Visibilidade Especificam

Leia mais

Orientação a Objetos com Java

Orientação a Objetos com Java Everton Coimbra de Araújo Orientação a Objetos com Java Simples, Fácil e Eficiente Visual Books Sumário Prefácio... 11 Introdução... 13 1 Introdução à Orientação a Objetos... 17 1.1 Conceitualização...

Leia mais

Programação Orientada a Objetos: Lista de exercícios #1. Bruno Góis Mateus

Programação Orientada a Objetos: Lista de exercícios #1. Bruno Góis Mateus Programação Orientada a Objetos: Lista de exercícios #1 Bruno Góis Mateus 1 Contents Programação Orientada a Objetos (Bruno Góis Mateus ): Lista de exercícios #1 Classes e Instanciação 3 A classe Circle...............................................

Leia mais

Pratica JFlex. Prática criando o primeiro analisador léxico

Pratica JFlex. Prática criando o primeiro analisador léxico UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA CAMPUS DE SÃO MIGUEL DO OESTE CURSO: CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: COMPILADORES PROFESSOR: JOHNI DOUGLAS MARANGON Pratica JFlex JFlex é uma ferramenta que permite

Leia mais

DEFINIÇÃO DE MÉTODOS

DEFINIÇÃO DE MÉTODOS Cursos: Análise, Ciência da Computação e Sistemas de Informação Programação I - Prof. Aníbal Notas de aula 2 DEFINIÇÃO DE MÉTODOS Todo o processamento que um programa Java faz está definido dentro dos

Leia mais

Programação Estruturada. Programação Estruturada. Idéias Básicas da Programação Estruturada

Programação Estruturada. Programação Estruturada. Idéias Básicas da Programação Estruturada Programação Estruturada Programação Estruturada Paradigmas de Linguagens de Programação As linguagens desse paradigma são muitas vezes chamadas de linguagens convencionais, procedurais ou imperativas.

Leia mais

Aula 16: Estudo de Caso: A API de Coleções do Java

Aula 16: Estudo de Caso: A API de Coleções do Java Aula 16: Estudo de Caso: A API de Coleções do Java Você não pode ser um programador Java competente sem compreender as partes cruciais da biblioteca Java. Os tipos básicos estão todos em java.lang, e são

Leia mais

Variáveis e estruturas de controlo. Introdução à Programação André L. Santos

Variáveis e estruturas de controlo. Introdução à Programação André L. Santos Variáveis e estruturas de controlo Introdução à Programação André L. Santos Variáveis Uma variável pode ser vista como um espaço em memória onde um valor de determinado tipo (p.e. inteiro) pode ser guardado.

Leia mais

Introdução à Programação Aula 11 Mais sobre ciclos e iteração

Introdução à Programação Aula 11 Mais sobre ciclos e iteração Introdução à Programação Aula 11 Mais sobre ciclos e iteração Pedro Vasconcelos DCC/FCUP 2014 Pedro Vasconcelos (DCC/FCUP) Introdução à Programação Aula 11 Mais sobre ciclos e iteração 2014 1 / 26 Nesta

Leia mais

Acumuladores. Paradigma de Programação Funcional. Marco A L Barbosa

Acumuladores. Paradigma de Programação Funcional. Marco A L Barbosa Acumuladores Paradigma de Programação Funcional Marco A L Barbosa cba Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional. http://github.com/malbarbo/na-func

Leia mais

Compiladores - Análise Preditiva

Compiladores - Análise Preditiva Compiladores - Análise Preditiva Fabio Mascarenhas - 203. http://www.dcc.ufrj.br/~fabiom/comp Wednesday, May 8, 3 Retrocesso Local Podemos definir o processo de construção de um parser recursivo com retrocesso

Leia mais

Técnicas de Programação II

Técnicas de Programação II Técnicas de Programação II Aula 06 Orientação a Objetos e Classes Edirlei Soares de Lima Orientação a Objetos O ser humano se relaciona com o mundo através do conceito de objetos.

Leia mais

Computação II - Java Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Aula Prática - Herança, Polimorfismo e Construtores

Computação II - Java Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Aula Prática - Herança, Polimorfismo e Construtores Computação II - Java Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Aula Prática - Herança, Polimorfismo e Construtores 1 Exercícios Exercício 1: Construtores e Testes Analise a classe Conta.java, mostrada na

Leia mais

Capítulo 21. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra

Capítulo 21. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra Capítulo 21 Coleções Objetivos do Capítulo Analisar o conceito de coleção e sua relação com as estruturas de dados. Apresentar a arquitetura do framework de coleções do Java. Indicar as classes e interfaces

Leia mais

Linguagem de Programação III

Linguagem de Programação III Linguagem de Programação III Aula-3 Criando Classes em Java Prof. Esbel Tomás Valero Orellana Da Aula Anterior Classes em Java, sintaxe básica Tipos básicos de dados em Java, como escolher o tipo apropriado

Leia mais

Simulado de Linguagem de Programação Java

Simulado de Linguagem de Programação Java Simulado de Linguagem de Programação Java 1. Descreva o processo de criação de programas em Java, desde a criação do código-fonte até a obtenção do resultado esperado, por meio de sua execução. Cite as

Leia mais

BCC242. Alfabeto, Strings, Linguagens. Registro aqui o agradecimento à Profa. Lucília por ceder slides que fazem parte deste material.

BCC242. Alfabeto, Strings, Linguagens. Registro aqui o agradecimento à Profa. Lucília por ceder slides que fazem parte deste material. BCC242 Alfabeto, Strings, Linguagens Registro aqui o agradecimento à Profa. Lucília por ceder slides que fazem parte deste material. Exemplo: Máquina de Venda A máquina de venda retorna uma cocacola por

Leia mais

Tabela de símbolos: tabelas de espalhamento

Tabela de símbolos: tabelas de espalhamento Tabela de símbolos: tabelas de espalhamento Marcelo K. Albertini 14 de Janeiro de 2014 2/28 Resumo de complexidades Análises para operação efetuada após N inserções pior caso caso médio keys chave get

Leia mais

Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução. (procedimentos e funções)

Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução. (procedimentos e funções) Aulas anteriores... Formulação adequada do problema Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução Definição do algoritmo Método de decomposição hierárquica utilizando

Leia mais

INTRODUÇÃO AO JAVA PARA PROGRAMADORES C

INTRODUÇÃO AO JAVA PARA PROGRAMADORES C PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB INTRODUÇÃO AO JAVA PARA PROGRAMADORES C Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar a grande semelhança entre Java e C Apresentar a organização diferenciada

Leia mais

Manipulação de Dados em PHP (Visualizar, Inserir, Atualizar e Excluir) Parte 2

Manipulação de Dados em PHP (Visualizar, Inserir, Atualizar e Excluir) Parte 2 Desenvolvimento Web III Manipulação de Dados em PHP (Visualizar, Inserir, Atualizar e Excluir) Parte 2 Prof. Mauro Lopes 1-31 21 Objetivos Nesta aula iremos trabalhar a manipulação de banco de dados através

Leia mais

Tópicos da Aula. Classes e Objetos. Classe Pública em Java. Classes em Java. Assinatura de Métodos. Corpo de Classes e Métodos. Conceitos de classe

Tópicos da Aula. Classes e Objetos. Classe Pública em Java. Classes em Java. Assinatura de Métodos. Corpo de Classes e Métodos. Conceitos de classe DCC / ICEx / UFMG Tópicos da Aula Classes e Objetos Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo Conceitos de classe Membros Construtores, métodos de classe e métodos de objeto, atributos de classe

Leia mais

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java Linguagem Java Objetivos Compreender como desenvolver algoritmos básicos em JAVA Aprender como escrever programas na Linguagem JAVA baseando-se na Linguagem Portugol aprender as sintaxes equivalentes entre

Leia mais

Projeto de Software Orientado a Objeto

Projeto de Software Orientado a Objeto Projeto de Software Orientado a Objeto Ciclo de Vida de Produto de Software (PLC) Analisando um problema e modelando uma solução Prof. Gilberto B. Oliveira Estágios do Ciclo de Vida de Produto de Software

Leia mais

Sua resposta deve conter entre 50 a 100 palavras, incluindo o exemplo.

Sua resposta deve conter entre 50 a 100 palavras, incluindo o exemplo. MT-1 Explique como efeitos colaterais podem levar a comportamentos indesejados em um programa. Apresente um exemplo. Sua resposta deve conter entre 50 a 100 palavras, incluindo o exemplo. Esboço de resposta:

Leia mais

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS 1. A Linguagem Access Basic. 2. Módulos e Procedimentos. 3. Usar o Access: 3.1. Criar uma Base de Dados: 3.1.1. Criar uma nova Base de Dados. 3.1.2. Criar

Leia mais

Curso de Linguagem C

Curso de Linguagem C Curso de Linguagem C 1 Aula 1 - INTRODUÇÃO...4 AULA 2 - Primeiros Passos...5 O C é "Case Sensitive"...5 Dois Primeiros Programas...6 Introdução às Funções...7 Introdução Básica às Entradas e Saídas...

Leia mais

2.3. PHP Tipos de dados e operadores

2.3. PHP Tipos de dados e operadores Programação para Internet II 2.3. PHP Tipos de dados e operadores Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Tipos de dados Embora não seja necessário declarar os tipos de dados das variáveis,

Leia mais

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Breve Histórico A linguagem de programação C foi criada na década de 70, por Dennis Ritchie, que a implementou,

Leia mais

Faculdade de Ciências Universidade Agostinho Neto Departamento de Matemática e Engenharia Geográfica Ciências da Computação

Faculdade de Ciências Universidade Agostinho Neto Departamento de Matemática e Engenharia Geográfica Ciências da Computação FaculdadedeCiências UniversidadeAgostinhoNeto DepartamentodeMatemáticaeEngenhariaGeográfica CiênciasdaComputação ProgramaçãoII SegundaParte Adaptado de um original dos docentes de ISCTE Objectivos Os alunos

Leia mais

Programação Recursiva versão 1.02

Programação Recursiva versão 1.02 Programação Recursiva versão 1.0 4 de Maio de 009 Este guião deve ser entregue, no mooshak e no moodle, até às 3h55 de 4 de Maio. AVISO: O mooshak é um sistema de avaliação e não deve ser utilizado como

Leia mais