Coleções. Page 1. Coleções. Prof. Anderson Augustinho Uniandrade

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Coleções. Page 1. Coleções. Prof. Anderson Augustinho Uniandrade"

Transcrição

1 Page 1

2 podem ser comparadas com arrays, visto que também apresentam a capacidade de armazenar referências para vários objetos. Entretanto, as coleções apresentam uma gama de funcionalidades bem maior do que os arrays. As coleções não podem armazenar tipos primitivos. Armazenam apenas referências para objetos.

3 Java Collections Framework Java Collections Framework (JCF) é um conjunto de interfaces e classes criadas no Java para suprir a necessidade de utilização de estruturas de dados diversas. A hierarquia de interfaces da JCF é apresentada abaixo.

4 Java Collections Framework Collection É a principal interface do framework, sendo implementada pela maioria das coleções. List A interface List define os métodos das listas, e entre outras, possui as seguintes implementações: ArrayList, Vector e LinkedList. Set Estrutura de dados que não permite a inclusão de objetos repetidos. Implementações mais importantes: HashSet, LinkedHashSet, TreeSet. Map Trabalha com pares de chave-valor. As implementações mais importantes são: HashMap, LinkedHashMap, TreeMap.

5 Listas Uma List é uma Collection que pode conter elementos duplicados. Assim como no caso dos arrays, os índices de List são baseados em zero. A interface List é implementada por várias classes, incluindo: ArrayList É uma implementação de array redimensionável. Vector Parecido com ArrayList, mas é mais lento por possuir métodos sincronizados. LinkedList Implementação de lista encadeada. Devido a esta característica, a LinkedList se mostra mais rápida quando existem operações de inclusão/remoção de elementos no meio da lista.

6 Exemplo ArrayList 1 de 2 //Declara e instancia a lista List nomes = new ArrayList(); //Adicionar elementos nomes.add("joão"); nomes.add("ana"); nomes.add("maria"); //Imprimir o tamanho da lista System.out.println("Elementos na lista: " + nomes.size()); //Remover um objeto nomes.remove("joão");

7 Exemplo ArrayList 2 de 2 //Percorrer a lista com foreach String nome; for (Object objeto : lista) { nome = (String) objeto; System.out.println("Nome: " + nome); }

8 Conjuntos Um conjunto, representado pela interface Set, é uma coleção que possui elementos únicos. Em outras palavras, o método add(object elemento) de um Set não adiciona o elemento na lista caso ele já tenha sido adicionado anteriormente. Em se tratando de conjuntos que armazenam Strings, por exemplo, este comportamento é automático. No caso de conjuntos que armazenam instâncias de outras classes (aquelas criadas pelo próprio programador, por exemplo), é necessário que sejam implementados os métodos equals() e hashcode(). A interface Set possui diferentes implementações, incluindo: HashSet Armazena seus elementos em uma tabela hash. TreeSet Armazena seus elementos em uma estrutura de árvore, e os classifica no momento da sua inserção no conjunto.

9 Exemplo HashSet Set nomes = new HashSet(); //Adicionar elementos nomes.add("joão"); nomes.add("ana"); nomes.add("maria"); nomes.add("ana");//não será adicionado //Imprimir o tamanho da lista System.out.println("Elementos na lista: " + nomes.size());

10 Mapas Map associa chaves aos valores, e não aceita chaves duplicadas. Os Maps são diferentes dos Sets pelo fato de que possuem chaves e valores, enquanto os Sets possuem apenas valores. A interface Map é implementada por várias classes, incluindo: HashTable Armazena seus elementos em uma tabela hash. HashMap Assim como a HashTable, armazena seus elementos em uma tabela hash. É uma implementação mais rápida por não possuir métodos sincronizados. TreeMap Armazena seus elementos em uma estrutura de árvore, e os classifica no momento da sua inserção no mapa.

11 Exemplo HashMap //Cria um HashMap para armazenar os clientes Map clientes = new HashMap(); //Instanciando um objeto Cliente Cliente c1 = new Cliente(); c1.setnome("joão Silva"); //Inserindo o objeto no HashMap clientes.put(" ", c1); //Consultando o HashMap Cliente cliente1 = (Cliente) clientes.get(" ");

12 Classe Collections (algoritmos de coleções) A estrutura de coleções possui vários algoritmos para manipular elemtnos de coleção. Estes algoritmos são implementados como métodos da classe Collections. sort Classifica os elementos de uma List reverse Inverte os elementos de uma List shuffle Ordena aleatoriamente os elementos de uma List min Retorna o menor elemento em uma Collection max Retorna o maior elemento em uma Collection

13 Tipos Genéricos Os tipos genéricos foram incorporados ao Java na versão 5. A sua utilização apresenta alguma vantagens, em termos de simplicidade do código e robustez das aplicações. Com genéricos, podemos instanciar as nossas coleções especificando o tipo de dados que será armazenado. List<String> lista = new ArrayList<String>(); À partir disso, não será permitido adicionar objetos de outros tipos de dados, evitando erros de programação. Além disso, não é mais necessária a conversão de objetos que antes eram recuperados das coleções como instâncias da classe Object.

14 Criação de Classes Genéricas Algumas classes, principalmente aquelas que são utilizadas como estruturas de dados, armazenam instâncias de outras classes. No caso das listas, por exemplo, podemos ter uma lista de String, uma lista de Integer, uma lista de Pessoa, etc. Estamos diante de um exemplo de classe que pode ser parametrizada. As classes do Java Collection Framework são parametrizadas. Podemos criar as nossas próprias classes parametrizadas. public class Cliente<E> {... }

15 Métodos Genéricos Métodos sobrecarregados são frequentemente utilizados para realizar as mesmas operações, sobre tipos de dados diferentes. Para isto, precisamos declarar métodos com o mesmo nome, diferenciando-se entre si através do tipo de dados da variável recebida como argumento. public void printarray(integer[] arr) {... } public void printarray(string[] arr) {... } Com métodos genéricos, podemos substituir os métodos acima por um único método: public <E> void printarray(e[] arr) {... }

16 Exemplo ArrayList + Generic //Declara e instancia a lista List<String> nomes = new ArrayList<String>(); //Adicionar elementos nomes.add("joão"); nomes.add("ana"); nomes.add("maria"); //Percorrer a lista com foreach //com o benefício de generic for (String nome : lista) { System.out.println("Nome: " + nome); }

Coleções Avançadas. Programação Orientada a Objetos Java. Prof. Anselmo Cardoso Paiva Prof. Geraldo Braz Junior

Coleções Avançadas. Programação Orientada a Objetos Java. Prof. Anselmo Cardoso Paiva Prof. Geraldo Braz Junior Coleções Avançadas Programação Orientada a Objetos Java Prof. Anselmo Cardoso Paiva Prof. Geraldo Braz Junior Objetivos Aprender como o conceito de coleção pode ser expresso de forma genérica Examinar

Leia mais

Laboratório de Programação. Aula 13 Java 5COP088. Aula 13 Genéricos e Conjuntos Java Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior. Sylvio Barbon Jr barbon@uel.

Laboratório de Programação. Aula 13 Java 5COP088. Aula 13 Genéricos e Conjuntos Java Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior. Sylvio Barbon Jr barbon@uel. 5COP088 Laboratório de Programação Aula 13 Genéricos e Conjuntos Java Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior 1 Sumário: 1) Métodos hashcode(), equals() e tostring(); 2) Conjuntos; 3) Genéricos; 4) Resumo. 2 1)

Leia mais

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com Coleções List Set Map Classes e interfaces do pacote java.util que representam listas, conjuntos e mapas. Solução flexível para armazenar objetos. Quantidade

Leia mais

Java Coleções. Rodrigo C. de Azevedo

Java Coleções. Rodrigo C. de Azevedo Java Coleções Rodrigo C. de Azevedo OMG Certified UML Professional Fundamental OMG Certified UML Professional Intermediate CompTIA Project+ Sun Certified Associate for Java Platform Sun Certified Programmer

Leia mais

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1 1 Apresentação O Curso Java Starter foi projetado com o objetivo de ajudar àquelas pessoas que têm uma base de lógica de programação e desejam entrar no mercado de trabalho sabendo Java, A estrutura do

Leia mais

Programação II Java Collections Framework (JCF) Christopher Burrows

Programação II Java Collections Framework (JCF) Christopher Burrows Programação II Java Collections Framework (JCF) Christopher Burrows Arrays Um Array é um contentor que armazena um número fixo de valores de um tipo. Exemplo: int arrayint[] = new int[9];

Leia mais

Programação OO em Java. Profa Andréa Schwertner Charão DELC/CT/UFSM

Programação OO em Java. Profa Andréa Schwertner Charão DELC/CT/UFSM Programação OO em Java Profa Andréa Schwertner Charão DELC/CT/UFSM Sumário Classes abstratas Interfaces Tipos genéricos Coleções Classes abstratas São classes que não podem ser instanciadas, porque representam

Leia mais

Programação OO em Java. Profa Andréa Schwertner Charão DELC/CT/UFSM

Programação OO em Java. Profa Andréa Schwertner Charão DELC/CT/UFSM Programação OO em Java Profa Andréa Schwertner Charão DELC/CT/UFSM Sumário Classes abstratas Interfaces Tipos genéricos Coleções Introdução GUI Classes abstratas São classes que não podem ser instanciadas,

Leia mais

Programação Java. em Ambiente Distribuído. Ênfase no Mapeamento Objeto-Relacional com JPA, EJB e Hibernate. Douglas Rocha Mendes.

Programação Java. em Ambiente Distribuído. Ênfase no Mapeamento Objeto-Relacional com JPA, EJB e Hibernate. Douglas Rocha Mendes. Programação Java em Ambiente Distribuído Ênfase no Mapeamento Objeto-Relacional com JPA, EJB e Hibernate Douglas Rocha Mendes Novatec Copyright 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados

Leia mais

Técnicas de Programação Avançada TCC- 00.174 Prof.: Anselmo Montenegro www.ic.uff.br/~anselmo anselmo@ic.uff.br

Técnicas de Programação Avançada TCC- 00.174 Prof.: Anselmo Montenegro www.ic.uff.br/~anselmo anselmo@ic.uff.br Técnicas de Programação Avançada TCC- 00.174 Prof.: Anselmo Montenegro www.ic.uff.br/~anselmo anselmo@ic.uff.br Conteúdo: Coleções Material elaborado com contribuição do Professor Luiz André Coleções Uma

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Prof. Kléber de Oliveira Andrade pdjkleber@gmail.com Coleções, Propriedades, Resources e Strings (Parte 2) Coleções É comum usarmos um objeto que armazena vários outros

Leia mais

Programação Orientada a Objectos - P. Prata, P. Fazendeiro

Programação Orientada a Objectos - P. Prata, P. Fazendeiro Java Collections Framework (JCF) Uma coleção (collection) é um objeto que agrupa vários elementos. A JCF consiste numa arquitetura para representação e manipulação de coleções. Contém: - Um conjunto de

Leia mais

API e Coleções Java. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira

API e Coleções Java. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira API e Coleções Java Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Java API Introdução API Endereço http://download.oracle.com/javase/6/docs/api/ API - Descrição API - Resumo API - Detalhes Coleções

Leia mais

Capítulo 21. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra

Capítulo 21. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra Capítulo 21 Coleções Objetivos do Capítulo Analisar o conceito de coleção e sua relação com as estruturas de dados. Apresentar a arquitetura do framework de coleções do Java. Indicar as classes e interfaces

Leia mais

Rafael Santos. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais www.lac.inpe.br/ rafael.santos. Rafael Santos - www.lac.inpe.br/ rafael.

Rafael Santos. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais www.lac.inpe.br/ rafael.santos. Rafael Santos - www.lac.inpe.br/ rafael. Coleções e Aplicações Rafael Santos Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais www.lac.inpe.br/ rafael.santos Rafael Santos - www.lac.inpe.br/ rafael.santos 1 / 54 Tópicos 1 Sobre... 2 Revisão de Java 3

Leia mais

Slide 1 Deitel/Deitel, 8e. Java Como programar Copyright 2010 Pearson Education

Slide 1 Deitel/Deitel, 8e. Java Como programar Copyright 2010 Pearson Education Java Como Programar, 8/E Slide 1 Slide 2 Slide 3 Métodos genéricos e classes genéricas (e interfaces) permitem especificar, com uma única declaração de método, um conjunto de métodos relacionados ou, com

Leia mais

Especialização em web com interfaces ricas

Especialização em web com interfaces ricas Especialização em web com interfaces ricas Conceitos avançados de programação Prof. Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares fabrizzio@inf.ufg.br professor.fabrizzio@gmail.com Instituto de Informática Universidade

Leia mais

Coleções. Conceitos e Utilização Básica. c Professores de ALPRO I 05/2012. Faculdade de Informática PUCRS

Coleções. Conceitos e Utilização Básica. c Professores de ALPRO I 05/2012. Faculdade de Informática PUCRS Coleções Conceitos e Utilização Básica c Professores de ALPRO I Faculdade de Informática PUCRS 05/2012 ALPRO I (FACIN) Coleções: Básico 05/2012 1 / 41 Nota Este material não pode ser reproduzido ou utilizado

Leia mais

TIPOS PARAMETRIZADOS CLASSES GENÉRICAS PARTE I

TIPOS PARAMETRIZADOS CLASSES GENÉRICAS PARTE I TIPOS PARAMETRIZADOS CLASSES GENÉRICAS PARTE I JAVA5 Tiger JAVA6 - Mustang ARQUITECTURAS DE SOFTWARE F. Mário Martins 2011 1 EVOLUÇÃO ARQUITECTURAS DE SOFTWARE F. Mário Martins 2011 2 EVOLUÇÃO JSE ARQUITECTURAS

Leia mais

Paradigmas da Programação PPROG. Linguagem JAVA. Interfaces. (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 9) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2013/14) 1/33

Paradigmas da Programação PPROG. Linguagem JAVA. Interfaces. (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 9) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2013/14) 1/33 PPROG Paradigmas da Programação Linguagem JAVA Interfaces (Livro Big Java, Late Objects Capítulo 9) Nelson Freire (ISEP DEI-PPROG 2013/14) 1/33 PPROG Motivação para usar Interfaces Definição de Interface

Leia mais

ARRAYS. Um array é um OBJETO que referencia (aponta) mais de um objeto ou armazena mais de um dado primitivo.

ARRAYS. Um array é um OBJETO que referencia (aponta) mais de um objeto ou armazena mais de um dado primitivo. Cursos: Análise, Ciência da Computação e Sistemas de Informação Programação I - Prof. Aníbal Notas de aula 8 ARRAYS Introdução Até agora, utilizamos variáveis individuais. Significa que uma variável objeto

Leia mais

TCC 00.174 Prof.: Leandro A. F. Fernandes www.ic.uff.br/~laffernandes. Conteúdo: Tipos Genéricos

TCC 00.174 Prof.: Leandro A. F. Fernandes www.ic.uff.br/~laffernandes. Conteúdo: Tipos Genéricos Programação de Computadores II TCC 00.174 Prof.: Leandro A. F. Fernandes www.ic.uff.br/~laffernandes Conteúdo: Material elaborado pelos profs. Anselmo Montenegro e Marcos Lage com contribuições do prof.

Leia mais

Tipos de Dado Abstrato: Listas, Filas e Pilhas

Tipos de Dado Abstrato: Listas, Filas e Pilhas Tipos de Dado Abstrato: Listas, Filas e Pilhas Estruturas de Dados Prof. Vilson Heck Junior Introdução Tradicionalmente conhecidos como Tipos de Dado Abstrato, são algumas Estruturas de Dados básicas e

Leia mais

Orientação a Objetos com Java

Orientação a Objetos com Java Everton Coimbra de Araújo Orientação a Objetos com Java Simples, Fácil e Eficiente Visual Books Sumário Prefácio... 11 Introdução... 13 1 Introdução à Orientação a Objetos... 17 1.1 Conceitualização...

Leia mais

Tópicos de Orientação a Objetos

Tópicos de Orientação a Objetos Capítulo 3 Tópicos de Orientação a Objetos Um bom design de software visa a uma arquitetura flexível que permita futuras alterações, facilite a produção de código organizado e legível, maximizando seu

Leia mais

Linguagens de Programação

Linguagens de Programação Linguagens de Programação Prof. Miguel Elias Mitre Campista http://www.gta.ufrj.br/~miguel Parte IV Introdução à Programação em C++ (Continuação) Relembrando da Última Aula... Funções Classes de armazenamento

Leia mais

Lista encadeada class No { Coleções. Enumeration. Lista encadeada (continuação) Enumeration Exemplo usando a classe Lista anterior

Lista encadeada class No { Coleções. Enumeration. Lista encadeada (continuação) Enumeration Exemplo usando a classe Lista anterior Coleções Retirado do Tutorial Java class Lista { No inicio = null; Lista encadeada class No { void insereinicio(object obj) { No n = new No(obj, inicio); inicio = n; Object obj; No prox; No(Object obj,

Leia mais

Programação Java. em Ambiente Distribuído. Ênfase no Mapeamento Objeto-Relacional com JPA, EJB e Hibernate. Douglas Rocha Mendes.

Programação Java. em Ambiente Distribuído. Ênfase no Mapeamento Objeto-Relacional com JPA, EJB e Hibernate. Douglas Rocha Mendes. Programação Java em Ambiente Distribuído Ênfase no Mapeamento Objeto-Relacional com JPA, EJB e Hibernate Douglas Rocha Mendes Novatec Copyright 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados

Leia mais

Programação Orientada a Objetos II Aula - 16 Coleções

Programação Orientada a Objetos II Aula - 16 Coleções Programação Orientada a Objetos II Aula - 16 Coleções Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional Coleções Conceito Geral Uma coleção é uma estrutura de dados que permite armazenar vários objetos.

Leia mais

Modulo IIa Extra: Object

Modulo IIa Extra: Object Modulo IIa Extra: Object Professor Ismael H F Santos ismael@tecgraf.puc-rio.br April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - ismael@tecgraf.puc-rio.br 1 Bibliografia Linguagem de Programação JAVA Ismael H. F. Santos,

Leia mais

JAVA 1.5 na plataforma J2SE 5.0 Tiger Novas Construções, Sintaxe, Tipos e Polimorfismo

JAVA 1.5 na plataforma J2SE 5.0 Tiger Novas Construções, Sintaxe, Tipos e Polimorfismo JAVA 1.5 na plataforma J2SE 5.0 Tiger Novas Construções, Sintaxe, Tipos e Polimorfismo GENERICS (Tipos Parametrizados, Classes Parametrizadas) : têm o objectivo de tornar as Colecções seguras em termos

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Collections Prof. Edwar Saliba Júnior Fevereiro de 2011 Unidade 08 Arranjos, Listas, Filas, Pilhas, Conjuntos e Mapas 1 Introdução Java fornece implementação de Estruturas de Dados recorrentemente utilizadas.

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia Campus Irecê Disciplina: Linguagem Técnica II Prof o Jonatas Bastos

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia Campus Irecê Disciplina: Linguagem Técnica II Prof o Jonatas Bastos Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia Campus Irecê Disciplina: Linguagem Técnica II Prof o Jonatas Bastos Nome: LISTA DE EXERCÍCIO 1 Collections Framework 1. Criem um projeto que

Leia mais

Tabela de símbolos: tabelas de espalhamento

Tabela de símbolos: tabelas de espalhamento Tabela de símbolos: tabelas de espalhamento Marcelo K. Albertini 14 de Janeiro de 2014 2/28 Resumo de complexidades Análises para operação efetuada após N inserções pior caso caso médio keys chave get

Leia mais

CAPITULO 3 VARIÁVEIS DO TIPO ARRAY

CAPITULO 3 VARIÁVEIS DO TIPO ARRAY CAPITULO 3 VARIÁVEIS DO TIPO ARRAY Um array é um tipo de variável que armazena vários valores de uma só vez, mudando apenas o seu índice (ou chave associativa). É através deste índice que identificamos

Leia mais

Desenvolvimento e Projeto de Aplicações Web

Desenvolvimento e Projeto de Aplicações Web Desenvolvimento e Projeto de Aplicações Web cecafac@gmail.com Coleções Conteúdo 1 Introdução Desde a versão 1.2 do JDK, a plataforma J2SE inclui um framework de coleções (Collections) Uma coleção é um

Leia mais

Linguagem de Programação Orientada a Objeto Coleções

Linguagem de Programação Orientada a Objeto Coleções Linguagem de Programação Orientada a Objeto Coleções Professora Sheila Cáceres Coleções Uma coleção é uma estrutura de dados que permite armazenar vários objetos As operações que podem ser feitas em coleções

Leia mais

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1 1 Apresentação O Curso Java Starter foi projetado com o objetivo de ajudar àquelas pessoas que têm uma base de lógica de programação e desejam entrar no mercado de trabalho sabendo Java, A estrutura do

Leia mais

Seminário - C# DSO II. Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2. Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo

Seminário - C# DSO II. Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2. Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo Seminário - C# DSO II Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2 Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo Roteiro Breve Histórico Plataforma.NET Características da Linguagem Sintaxe Versões

Leia mais

Programação Orientada a Objetos - 3º semestre AULA 08 Prof. André Moraes

Programação Orientada a Objetos - 3º semestre AULA 08 Prof. André Moraes Pág 50 Programação Orientada a Objetos - 3º semestre AULA 08 Prof. André Moraes 10 CORREÇÃO DE QUESTÕES DE AVALIAÇÃO 1 PARTE I - AVALIAÇÃO TEÓRICA 11 RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO: A) Qual a diferença entre

Leia mais

Coleções. Prof. Marcelo Roberto Zorzan

Coleções. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Coleções Prof. Marcelo Roberto Zorzan Coleções Aula de Hoje Introdução Coleções podem representar estruturas de dados complexas de forma transparente para o programador. Exemplos: Músicas favoritas armazenadas

Leia mais

Aula 16: Estudo de Caso: A API de Coleções do Java

Aula 16: Estudo de Caso: A API de Coleções do Java Aula 16: Estudo de Caso: A API de Coleções do Java Você não pode ser um programador Java competente sem compreender as partes cruciais da biblioteca Java. Os tipos básicos estão todos em java.lang, e são

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Unidade 20 ArrayList: Operações de Busca Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 TIPOS DE BUSCAS... 3 BUSCA ESPECÍFICA... 3 BUSCA ABRANGENTE... 3 PROCEDIMENTO DE BUSCA...

Leia mais

Programação Orientada a Objetos. Collections - Java

Programação Orientada a Objetos. Collections - Java 1 Programação Orientada a Objetos Collections - Java Coleções Conceito Geral Uma coleção é uma estrutura de dados que permite armazenar vários objetos. Em Java, a coleção também é um objeto. As operações

Leia mais

Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java

Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java Qualiti Software Processes Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java Versã o 1.0 Este documento só pode ser utilizado para fins educacionais, no Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco.

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Curso: Engenharia de Software Arquitetura de Software Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 12 Consultas JPQL Consultas JPQL Consultas em JPQL

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Sistemas Operativos 2003/2004 Trabalho Prático #2 -- Programação em C com ponteiros -- Objectivos Familiarização

Leia mais

Computação II Orientação a Objetos

Computação II Orientação a Objetos Computação II Orientação a Objetos Fabio Mascarenhas - 2014.1 http://www.dcc.ufrj.br/~fabiom/java Classes abstratas Até agora, usamos interfaces toda vez que queríamos representar algum conceito abstrato

Leia mais

Collections. Programação Orientada por Objetos (POO) Centro de Cálculo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Collections. Programação Orientada por Objetos (POO) Centro de Cálculo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Collections Programação Orientada por Objetos (POO) Centro de Cálculo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Pedro Alexandre Pereira (palex@cc.isel.ipl.pt) Coleções em Java As coleções agrupam vários

Leia mais

5 Caso de estudo O cartão fidelidade

5 Caso de estudo O cartão fidelidade 5 Caso de estudo O cartão fidelidade Cartão de fidelização de clientes das distribuidoras de combustível. Definição em JAVA da classe CartaoFidelidade, que deverá apresentar uma funcionalidade semelhante

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO AO JAVA... 1

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO AO JAVA... 1 SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO AO JAVA... 1 A Origem... 2 O Caminho Para a Aprendizagem... 4 Java Como Plataforma... 6 Finalidade... 9 Características... 11 Perspectivas... 13 Exercícios... 14 CAPÍTULO

Leia mais

Prevayler. Perola. André Luís Sales de Moraes Juliana Keiko Yamaguchi Tatiana Yuka Takaki

Prevayler. Perola. André Luís Sales de Moraes Juliana Keiko Yamaguchi Tatiana Yuka Takaki Prevayler Perola André Luís Sales de Moraes Juliana Keiko Yamaguchi Tatiana Yuka Takaki Prevayler Prevayler é a implementação em Java do conceito de Prevalência. É um framework que prega uma JVM invulnerável

Leia mais

RUI ROSSI DOS SANTOS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES EM. Java

RUI ROSSI DOS SANTOS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES EM. Java RUI ROSSI DOS SANTOS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES EM Java 2ª Edição n Sumário VII Sumário CAPÍTULO 1 Introdução ao Java... 1 A Origem... 2 O Caminho Para a Aprendizagem... 4 Java como Plataforma... 6 Finalidade...

Leia mais

Manipulação de Dados em PHP (Visualizar, Inserir, Atualizar e Excluir) Parte 2

Manipulação de Dados em PHP (Visualizar, Inserir, Atualizar e Excluir) Parte 2 Desenvolvimento Web III Manipulação de Dados em PHP (Visualizar, Inserir, Atualizar e Excluir) Parte 2 Prof. Mauro Lopes 1-31 21 Objetivos Nesta aula iremos trabalhar a manipulação de banco de dados através

Leia mais

Collections Framework

Collections Framework Collections Framework 1 Arrays p Manipular array é bastante trabalhoso. p Dificuldades aparecem em diversos momentos: n não podemos redimensionar um array em Java; n é impossível buscar diretamente por

Leia mais

Bruce Eckel, Thinking in Java, 4th edition, PrenticeHall, New Jersey, cf. http://mindview.net/books/tij4. jvo@ualg.pt José Valente de Oliveira 16-1

Bruce Eckel, Thinking in Java, 4th edition, PrenticeHall, New Jersey, cf. http://mindview.net/books/tij4. jvo@ualg.pt José Valente de Oliveira 16-1 Streams III Bruce Eckel, Thinking in Java, 4th edition, PrenticeHall, New Jersey, cf. http://mindview.net/books/tij4 jvo@ualg.pt José Valente de Oliveira 16-1 Previously: Serializing a collection public

Leia mais

Hashing. Rafael Nunes LABSCI-UFMG

Hashing. Rafael Nunes LABSCI-UFMG Hashing Rafael Nunes LABSCI-UFMG Sumário Mapeamento Hashing Porque utilizar? Colisões Encadeamento Separado Endereçamento Aberto Linear Probing Double Hashing Remoção Expansão Quando não usar! Mapeamento

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

Duração 124 horas/aula

Duração 124 horas/aula MySQL Pacote - Introdução, Programação Administração java + Java para e Otimização WEB Objetivo Este é o pacote que inclui dois dos principais cursos na carreira JAVA, proporcionando uma formação ainda

Leia mais

Tipos agregados. Tipos estruturados

Tipos agregados. Tipos estruturados Tipos agregados ou Tipos estruturados permitem a implementação de agrupamentos de dados. exemplos: lista de valores que representam as taxas mensais de inflação durante um ano; ficha de cadastro de um

Leia mais

Paradigmas de Programação

Paradigmas de Programação Paradigmas de Programação Tipos de Dados Aula 5 Prof.: Edilberto M. Silva http://www.edilms.eti.br Prof. Edilberto Silva / edilms.eti.br Tipos de Dados Sistema de tipos Tipos de Dados e Domínios Métodos

Leia mais

5. Generics, Iterators e Comparable em Java. Tipos de Dados Abstractos Generics em Java

5. Generics, Iterators e Comparable em Java. Tipos de Dados Abstractos Generics em Java 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Fernando Silva DCC-FCUP Estruturas de Dados Fernando Silva (DCC-FCUP) 5. Generics, Iterators e Comparable em Java Estruturas de Dados 1 / 12 Tipos de Dados Abstractos

Leia mais

EMENTA DO CURSO. Tópicos:

EMENTA DO CURSO. Tópicos: EMENTA DO CURSO O Curso Preparatório para a Certificação Oracle Certified Professional, Java SE 6 Programmer (Java Básico) será dividido em 2 módulos e deverá ter os seguintes objetivos e conter os seguintes

Leia mais

Orientação a Objetos

Orientação a Objetos 1. Domínio e Aplicação Orientação a Objetos Um domínio é composto pelas entidades, informações e processos relacionados a um determinado contexto. Uma aplicação pode ser desenvolvida para automatizar ou

Leia mais

DICIONÁRIOS. template<class K,class T> class Par { public: K chave; T valor; Par():chave(),valor()

DICIONÁRIOS. template<class K,class T> class Par { public: K chave; T valor; Par():chave(),valor() DICIONÁRIOS Esta estrutura inclui-se nos chamados contentores associativos, que não são mais do que uma colecção de estruturas de tipo Par, com dois membros de dados (chave de pesquisa e valor associado),

Leia mais

Possui como idéia central a divisão de um universo de dados a ser organizado em subconjuntos mais gerenciáveis.

Possui como idéia central a divisão de um universo de dados a ser organizado em subconjuntos mais gerenciáveis. 3. Tabelas de Hash As tabelas de hash são um tipo de estruturação para o armazenamento de informação, de uma forma extremamente simples, fácil de se implementar e intuitiva de se organizar grandes quantidades

Leia mais

Reuso com Herança a e Composiçã

Reuso com Herança a e Composiçã Java 2 Standard Edition Reuso com Herança a e Composiçã ção Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Como aumentar as chances de reuso Separar as partes que podem mudar das partes que não mudam. Exemplo:

Leia mais

5 Mecanismo de seleção de componentes

5 Mecanismo de seleção de componentes Mecanismo de seleção de componentes 50 5 Mecanismo de seleção de componentes O Kaluana Original, apresentado em detalhes no capítulo 3 deste trabalho, é um middleware que facilita a construção de aplicações

Leia mais

Exercícios de Revisão Java Básico

Exercícios de Revisão Java Básico Exercícios de Revisão Java Básico (i) Programação básica (estruturada) 1) Faça um programa para calcular o valor das seguintes expressões: S 1 = 1 1 3 2 5 3 7 99... 4 50 S 2 = 21 50 22 49 23 48...250 1

Leia mais

Introdução linguagem Java principais pacotes. Bruno Calegaro

Introdução linguagem Java principais pacotes. Bruno Calegaro Introdução a linguagem Java e principais pacotes Bruno Calegaro O que é o Java? O Java é uma linguagem de programação de propósito geral, concorrente, com base em classes e orientada a objetos. Foi projetada

Leia mais

01/06/2016 INF1636 PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS. Programa Capítulo 15. Coleções. A Interface List. A Classe LinkedList. Exercício.

01/06/2016 INF1636 PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS. Programa Capítulo 15. Coleções. A Interface List. A Classe LinkedList. Exercício. INF1636 PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS Departamento de Informática PUC-Rio Ivan Mathias Filho ivan@inf.puc-rio.br Programa Capítulo 15 Coleções A Interface List A Classe LinkedList Exercício A Interface

Leia mais

Módulo 06 Desenho de Classes

Módulo 06 Desenho de Classes Módulo 06 Desenho de Classes Última Atualização: 13/06/2010 1 Objetivos Definir os conceitos de herança, polimorfismo, sobrecarga (overloading), sobreescrita(overriding) e invocação virtual de métodos.

Leia mais

Aula 9: Igualdade entre objetos, Cópia de objetos e Visões

Aula 9: Igualdade entre objetos, Cópia de objetos e Visões Aula 9: Igualdade entre objetos, Cópia de objetos e Visões 9.1 O Contrato da Classe Object Toda classe estende a classe Object e, portanto, herda também todos os seus métodos. Dois destes métodos são particularmente

Leia mais

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ...

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ... Programação Na Web Linguagem Java Parte II Sintaxe António Gonçalves break com o nome do bloco Nome do bloco Termina o bloco class class Matrix Matrix { private private int[][] int[][] mat; mat; public

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 03 APRESENTAÇÃO: Hoje vamos conhecer o comando switch, o bloco try catch;

Leia mais

Árvore B UNITINS ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS 3º PERÍODO 43

Árvore B UNITINS ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS 3º PERÍODO 43 AULA A 3 ESTRUTURA RA DE DADOS Árvore B Esperamos que, ao final desta aula, você seja capaz de: identificar as vantagens da árvore B em relação às árvores binária de busca e AVL; conhecer as funções de

Leia mais

Orientação a Objetos AULA 09

Orientação a Objetos AULA 09 Orientação a Objetos AULA 09 Prof. Fabrício Martins Mendonça Conteúdo da Aula ü Coleções ü Coleções lista de objetos ü Coleções conjuntos 2 Coleções Podemos armazenar vários objetos em um array e este

Leia mais

Arquivo Digital de Trabalhos Práticos de Alunos

Arquivo Digital de Trabalhos Práticos de Alunos Arquivo Digital de Trabalhos Práticos de Alunos Projecto Integrado Engenharia de Linguagens Eduardo Ribeiro Miguel Nunes Objectivos Criação de uma interface Web para incorporação de Objectos Digitais;

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -TRATAMENTO DE EXCEÇÕES. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -TRATAMENTO DE EXCEÇÕES. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -TRATAMENTO DE EXCEÇÕES Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br ROTEIRO 5. Tratamento de Exceções Introdução e conceitos Capturando exceção usando

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com Java

Programação Orientada a Objetos com Java Programação Orientada a Objetos com Java Fernando Lozano Consultor Independente fernando@lozano.eti.br www.lozano.eti.br Sun Java Certified Programmer IBM Visual Age Certified Associate Developer MCSE

Leia mais

Boas Práticas de Programação

Boas Práticas de Programação Boas Práticas de Programação João Arthur Brunet Monteiro Mestrando em Informática - COPIN 25/10/2008 João Arthur Brunet Monteiro 1/ 27 Roteiro Introdução 1 Introdução Objetivos Contextualização 2 Práticas

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em

Programação Orientada a Objetos em Programação Orientada a Objetos em Flávio Miguel Varejão UFES Utilidades Pacotes com várias classes amplamente utilizadas Exemplos Vector, ArrayList, Calendar, Currency, Random, Formatter, Scanner, Comparator,

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Servidor de Aplicações WEB Tomcat Servidor Tomcat Foi desenvolvido

Leia mais

Tipos de Dados, Tipos Abstratos de Dados Estruturas de Dados

Tipos de Dados, Tipos Abstratos de Dados Estruturas de Dados Tipos de Dados, Tipos Abstratos de Dados Estruturas de Dados Tipo de dados, tipo abstrato de dados, estruturas de dados Termos parecidos, mas com significados diferentes Tipo de dado Em linguagens de programação

Leia mais

Programação em Linguagens de Scripts Aula 12. Prof. Msc. Anderson da Cruz

Programação em Linguagens de Scripts Aula 12. Prof. Msc. Anderson da Cruz Programação em Linguagens de Scripts Aula 12 Prof. Msc. Anderson da Cruz Roteiro Estruturas de Dados em Perl Introdução Tipo Escalar Conceitos, Operadores e Funções Tipo Array Conceitos, Operadores e Funções

Leia mais

Coleções em Java. Prof. Gustavo Willam Pereira ENG10082 Programação II. Créditos: Prof. Clayton Vieira Fraga Filho

Coleções em Java. Prof. Gustavo Willam Pereira ENG10082 Programação II. Créditos: Prof. Clayton Vieira Fraga Filho Coleções em Java Prof. Gustavo Willam Pereira ENG10082 Programação II Créditos: Prof. Clayton Vieira Fraga Filho Introdução O que é uma coleção? Um objeto que agrupa múltiplos elementos em uma única unidade

Leia mais

Organizações Básicas de Arquivos

Organizações Básicas de Arquivos Estrtura de Dados II Organizações Básicas de Arquivos Prof Márcio Bueno ed2tarde@marciobueno.com / ed2noite@marciobueno.com Introdução Armazenamento de pequeno volume de dados Distribuição simples dos

Leia mais

BCC221 Programação Orientada a Objetos. Prof. Marco Antonio M. Carvalho 2014/2

BCC221 Programação Orientada a Objetos. Prof. Marco Antonio M. Carvalho 2014/2 BCC221 Programação Orientada a Objetos Prof. Marco Antonio M. Carvalho 2014/2 Site da disciplina: http://www.decom.ufop.br/marco/ Moodle: www.decom.ufop.br/moodle Lista de e- mails: bcc221- decom@googlegroups.com

Leia mais

Sistema Gerenciador de Hotel. Adriano Douglas Girardello. Ana Paula Fredrich. Tiago Alexandre Schulz Sippert

Sistema Gerenciador de Hotel. Adriano Douglas Girardello. Ana Paula Fredrich. Tiago Alexandre Schulz Sippert UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Sistema Gerenciador de Hotel Adriano Douglas Girardello

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 4 a série Programação Orientada a Objetos A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem

Leia mais

Professor: Douglas Sousa Cursos de Computação

Professor: Douglas Sousa Cursos de Computação Linguagem de Programação C# Professor: Douglas Sousa Cursos de Computação Agenda Conceitos Básicos; Principais Características; Visual Studio; Meu Primeiro Programa; A Linguagem C#; Sistemas de Tipos;

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Programação Orientada a Objetos. Encapsulamento

Programação Orientada a Objetos. Encapsulamento Programação Orientada a Objetos Encapsulamento de Dados Ocultação de dados Garante a transparência de utilização dos componentes do software, facilitando: Entendimento Reuso Manutenção Minimiza as interdependências

Leia mais

Objetos não existem isolados

Objetos não existem isolados Relacionamento Entre Objetos Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Introdução Objetos não existem isolados São formados por outros objetos Objetos usam outros objetos

Leia mais

DAS5102 Fundamentos da Estrutura da Informação

DAS5102 Fundamentos da Estrutura da Informação Pilhas A estrutura de dados Pilha emula a forma de organização de objetos intuitiva que é utilizada diariamente nos mais diversos contextos da vida humana. Containeres são empilhados e desempilhados diariamente

Leia mais

Banco de Dados. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com

Banco de Dados. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Banco de Dados Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Roteiro Mapeamento de objetos para modelo relacional Estratégias de persistência Persistência JDBC Mapeando Objetos para o Modelo Relacional

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

Tabelas Hash. Também conhecido como tabelas de dispersão. Até agora... MoFvação. Exercício

Tabelas Hash. Também conhecido como tabelas de dispersão. Até agora... MoFvação. Exercício Tabelas Hash Rohit Gheyi Também conhecido como tabelas de dispersão 1 Até agora Listas Chaves ordenadas ou não Árvores Binárias de Pesquisa Ordenadas Heaps Binárias Chaves com certa ordem MoFvação Estruturas

Leia mais

Tabelas de Espalhamento

Tabelas de Espalhamento Tabelas de Espalhamento Motivação Algumas das estruturas de dados vistas anteriormente requerem que seus elementos (células dinâmicas) sejam inspecionados seqüencialmente até que a desejada seja encontrada.

Leia mais