PLANO DE PROVIDÊNCIAS UNIDADE JURISDICIONADA : SECRETARIA NACIONAL DE SEG.ALIM E NUTRICIONAL RELATORIO NR :

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE PROVIDÊNCIAS UNIDADE JURISDICIONADA : SECRETARIA NACIONAL DE SEG.ALIM E NUTRICIONAL RELATORIO NR : 208492"

Transcrição

1 PLANO DE PROVIDÊNCIAS UNIDADE JURISDICIONADA : SECRETARIA NACIONAL DE SEG.ALIM E NUTRICIONAL RELATORIO NR : Item do Relatório de Auditoria Falta de apuração dos indicadores definidos para o Programa Acesso à Alimentação no exercício de Recomendação: Recomendamos a implementação das mudanças propugnadas para os indicadores relativos ao Programa, conforme declarado pelo Gestor, e que se tome a medida de, em situações semelhantes, fazer-se o devido registro da situação no quadro destinado a esse esclarecimento, no Sistema SIGPLAN Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente Providências a serem Implementadas Esta SESAN estará realizando os ajustes relativos ao indicadores relativos ao Programa Acesso a Alimentação, de forma que as justificativa que por ventura houverem serão registradas no quadro destinado no Sistema SIGPLAN Prazo limite de implementação: 31/12/ Item do Relatório de Auditoria Fragilidades encontradas no Sistema de Informação responsável por gerir as informações cadastrais e gerenciais relativas à construção de Cisternas, no que se refere ao Sistema SIGA Recomendação: Recomendamos à unidade que priorize o desenvolvimento da compatibilidade técnica entre os sistemas SIGA e SIG-Cisternas, concluindo o projeto de importação dos dados deste último, de forma a promover amplo acompanhamento e monitoramento da ação de cisternas, utilizando as ferramentas disponíveis neste sistema, evitando dependência externa e adquirindo acesso completo aos dados das cisternas, sem interveniência direta da entidade executora do termo de parceria em questão Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente Providências a serem Implementadas O aprimoramento do sistema SIG-Cisterna e o desenvolvimento do aplicativo de importação dos dados será desenvolvido pela Coordenação Geral de Informática do MDS, e acompanhado e apoiado por esta área técnica. Nesse ínterim, ressalte-se ainda que esta SESAN efetua controle periódico dos dados constantes no sistema SIGA, tendo acesso online ao mesmo. A base de dados completa referente às cisternas 1

2 construídas entre os anos de 2003 e 2007 encontra-se nos autos do processo de prestação de contas final do Termo de Parceria 001/2003, bem como todos os termos de recebimento das cisternas. Entretanto, entendendo a necessidade de controle dos dados em sistema único referente a todos os parceiros do MDS na construção de cisternas e atendendo à recomendação da Controladoria Geral da União, apresento o presente plano de providências evidenciando a importância do mesmo para aprimoramento do largo controle já existente. Dessa forma, o prazo final para inserção dos dados no sistema SIG-Cisterna é de 4 meses, compreendendo 3 meses de desenvolvimento da ferramenta de importação de dados e adaptações necessárias ao sistema para comportar os dados da parceria junto à AP1MC, e 30 dias para envio da base de dados da entidade, conforme layout pré-estabelecido a ser informado à AP1MC Prazo limite de implementação:30/11/ Item do Relatório de Auditoria Aprovação de proposta de convênio constando pesquisa de preço sem cotação em, no mínimo, três fornecedores distintos, para elementos de despesa constantes do plano de trabalho do Convênio nº 340/2006, em discordância com a jurisprudência do Tribunal de Contas da União Recomendação: Recomendamos à Unidade que mantenha gestões, junto aos convênios e termos de parceria doravante firmados com o MDS, no sentido de solicitar do proponente a apresentação de, no mínimo, três cotações de preços, oriundos de fornecedores distintos, para cada elemento de despesa constante do plano de trabalho, em atendimento ao que recomendam os Acórdãos TCU nºs 980/ Plenário e 1.584/ Segunda Câmara, combinados com o art. 27 da IN/STN nº 01/1997 e em consonância com o princípio da economicidade e da busca pela proposta mais vantajosa Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente Providências a serem Implementadas Os aspectos evidenciados serão observados na celebração de novos convênios para a construção de cisternas no que tange aos itens passíveis de realização de cotação de preços, sendo exigidas três cotações de preço abrangendo os materiais de construção da cisterna, materiais de comunicação, entre outros itens constantes no plano de trabalho Prazo limite de implementação: 31/08/ Item do Relatório de Auditoria Liberação dos recursos, pelo concedente, em desacordo com o cronograma de desembolso do Convênio nº 340/ Recomendação: Recomendamos à Unidade que observe os prazos previstos no cronograma de desembolso constante do plano de trabalho dos convênios doravante firmados, em observância ao art. 18 da IN/STN nº 01/ Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente 2

3 4.3 - Providências a serem Implementadas Informo que esta Secretária fará os esforços necessários para que não ocorra atrasos na liberação de recursos dos convênios a serem firmados Prazo limite de implementação: 03/11/ Item do Relatório de Auditoria Publicação intempestiva do extrato do Convênio nº 340/2006, pela imprensa nacional, transparecendo problemas no que tange à instrução processual de documentos atinentes aos convênios e outros instrumentos congêneres, no âmbito da Unidade Recomendação: Recomendamos à Unidade que observe os prazos legais previstos no art. 17 da IN/STN nº 01/97, quando da publicação, no Diário Oficial da União, dos extratos dos termos de convênios e aditivos doravante firmados Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente Providências a serem Implementadas Os prazos legais para publicação dos convênios e termos aditivos serão observados, de forma que não ocorra atrasos e/ou falta de publicação dos instrumentos firmados por esta Secretaria Prazo limite de implementação: 01/08/ Item do Relatório de Auditoria Ausência de definição quanto às atribuições de entidades intervenientes no Convênio nº 318/2006 (SIAFI ) Recomendação: Faz-se necessário que, nas situações semelhantes ora por diante, as atribuições/responsabilidades de cada um dos participantes do convênio, na qualidade de concedente, convenente, interveniente ou executor, sejam definidos com clareza, no que pertine a responsabilidades e prerrogativas, ainda que não se preveja qualquer tipo de compensação financeira, em cumprimento aos mandamentos da IN/STN nº 01/97, em especial o inciso XVII do seu art. 7º Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente Providências a serem Implementadas Informo que serão acatadas as recomendações contidas no Relatório de Tomada de Contas Anual Agregada de forma que, ora em diante, sejam definidas com clareza as atribuições e responsabilidades de cada um dos participantes, seja dos convênios, seja dos termos de parecerias, firmados com esta Secretaria Prazo limite de implementação: 30/12/ Item do Relatório de Auditoria Não cumprimento de providências acordadas referentes a constatações acerca do Convênio SIAFI nº Número Original 008/2003, com a Fundação Zerbini, registradas no Relatório de Avaliação da Gestão relativo ao exercício de

4 7.1 - Recomendação: Recomendamos à Unidade que providencie a cobrança dos esclarecimentos requisitados e que, em situações semelhantes, garanta-se quanto a uma manifestação tempestiva de parte dos parceiros, tendo em vista a solução de eventuais pendências em prazo o menor possível, com o intuito de se evitar o agravamento dos problemas detectados Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente Providências a serem Implementadas Informo que essa Secretaria está tomando as medidas para que sejam sanadas as inconsistências apontadas no Convênio SIAFI nº Número Original 008/2003, firmado com a Fundação Zerbini Prazo limite de implementação: 31/12/ Item do Relatório de Auditoria Insuficiência de gestões da Unidade no sentido de promover diligências, junto ao convenente, com vistas a elucidar os fatos apresentados como problemas enfrentados pela Prefeitura de Santa Maria do Cambucá/PE na execução do Convênio nº 189/2006 e que, no decorrer de sua vigência, no exercício de 2007, culminaram na inexecução total do objeto pretendido Recomendação: Recomendação 001 Recomendamos à Unidade que: a) atente para o art. 7º, inc. V, da IN/STN nº 01/97, no que tange às responsabilidades da Unidade, que, na figura de concedente, deve promover o acompanhamento, fiscalização e avaliação da execução dos convênios firmados, fazendo gestão sobre a execução física do Convênio nº 189/2006, solicitando esclarecimentos quanto ao progresso das atividades e sua coerência com o proposto no Plano de Trabalho; b) quando da apresentação da prestação de contas final, efetue apurada análise técnica, financeira e contábil na documentação apresentada pelo convenente, principalmente no que se refere à relação de pagamentos, extratos da conta-corrente do convênio e da aplicação dos recursos enquanto não utilizados no período entre a celebração do convênio ( ) e a solicitação do aditamento ( ), além da relação de bens, de forma a aferir a veracidade das informações prestadas pelo Gestor municipal, à época do aditamento, atentando inclusive para a legitimidade das notas fiscais e documentos de licitações anexados à prestação de contas; Recomendação 002 No caso de constatadas irregularidades na prestação de contas, implemente medidas de forma a obter restituição dos valores envolvidos, promovendo tomada de contas especial, caso empreendidas, sem sucesso, todas as providências saneadoras, com fulcro no 1º, do art. 38 da IN/STN nº 01/ Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente ao posicionamento( 1 ) (1) Concordo (2) Concordo parcialmente (3) Discordo Providências a serem Implementadas Informo que esta Unidade, acatando o contido na Solicitação de Auditoria nº 007/2008, já esta 4

5 realizando gestão sobre o Convênio 189/2006 de forma a averiguar o cumprimento de seu objeto, solicitando a apresentação dos Relatórios Bimestrais e demais documentos referentes ao Processo Licitatório realizado pela Prefeitura, conforme o Ofício 132/2008/CGDIIN/DAPE/MDS, datado em 14 de março de (em anexo) Informo ainda que, no que tange as responsabilidades desta Unidade, estará sendo agendada para as próximas semanas, uma visita técnica ao Município de Santa Maria do Cambucá/PE de forma a averiguar a veracidade dos documentos apresentados pela Prefeitura Prazo limite de implementação: 31/12/ Item do Relatório de Auditoria Irregularidades relacionadas à documentação comprobatória da Prestação de Contas Parcial do Termo de Parceria nº 02/2005, referente ao exercício de 2006, no que tange às notas fiscais, recibos de pagamentos, despesas não previstas no plano de trabalho, documentação bancária apresentada, pagamentos em duplicidade, além de divergências entre as informações constantes dos diversos documentos anexos à prestação de contas Recomendação: Recomendação 001 Recomendamos à unidade que: a) implemente, de forma minuciosa e detalhada, nova análise técnica, contábil e financeira sobre a prestação de contas parcial do Termo de Parceria nº 02/2005, apresentada pelo Instituto de Ação da Cidadania dos Funcionários do BNB, referente ao exercício de 2006, atentando para as impropriedades acima elencadas, solicitando documentação adicional para dirimir as dúvidas e os vícios encontrados, empreendendo busca por situações irregulares similares às encontradas e diligenciando a executora do termo de parceria, quando necessário; b) efetue analise técnica, contábil e financeira, nos mesmos moldes, quando do recebimento da prestação de contas parcial referente ao exercício de 2007, atentando para as impropriedades apontadas pela equipe de auditoria, bem como as que porventura sejam encontradas pelas áreas competentes da SESAN, após nova análise sobre a prestação de contas do exercício de 2006; c) com relação ao item "j", quando o objeto dos convênios e parcerias contemplarem a realização de capacitações, a unidade deverá estipular cláusulas, nos respectivos termos de convênio e de parceria, que prevejam a apresentação compulsória da lista ou controle de freqüência destes cursos, os quais deverão conter os nomes dos participantes, CPF dos mesmos, acompanhada de um telefone de contato, de forma a permitir diligências no intuito de aferir a efetiva execução da avença. Recomendação 002 Providencie a glosa dos valores relativos aos gastos impugnados ou acompanhados de documentos inidôneos, quando comprovadas as irregularidades apresentadas e outras similares, após concluídas todas as análises de cunho técnico, contábil e financeiro empreendidas pelas áreas competentes, com fulcro na Cláusula Décima Terceira do Termo de Parceria nº 02/ Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente ao posicionamento ( 2 ) (1) Concordo (2) Concordo parcialmente (3) Discordo Providências a serem Implementadas Informo que, conforme informado anteriormente, quando da Solicitação de Auditoria nº 005/2008, esta Unidade esta promovendo nova análise técnica da Prestação de Contas do citado Termo de Parceria de forma a apurar os fatos levantados pela Equipe de Auditoria. Após a conclusão da 5

6 análise, a citada prestação será encaminhada para a análise financeira e contábil para, se comprovadas irregularidades, sejam solicitadas a glosa dos recursos Prazo limite de implementação: 31/12/ Item do Relatório de Auditoria Publicação intempestiva dos extratos de convênio pela imprensa nacional, transparecendo problemas no que tange à instrução processual de documentos atinentes aos convênios e outros instrumentos congêneres, no âmbito da Unidade Recomendação: Observe os prazos legais previstos no art. 17, da IN/STN nº 01/97, quando da publicação, no Diário Oficial da União, dos extratos dos termos de convênios e aditivos doravante firmados com a secretaria Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente Providências a serem Implementadas Os prazos legais para publicação dos convênios e termos aditivos serão observados, de forma que não ocorra atrasos e/ou falta de publicação dos instrumentos firmados por esta Secretaria Prazo limite de implementação: 01/08/ Item do Relatório de Auditoria Irregularidades relacionadas à documentação comprobatória da Prestação de Contas Final do Convênio nº 243/2005, no que se refere às notas fiscais, à contrapartida do convenente, às despesas não previstas no plano de trabalho e à realização de gastos com recursos do convênio sem procedimento licitatório Recomendação: Recomendação 001 Recomendamos à unidade que: a) ao se efetuar a análise técnica, contábil e financeira da prestação de contas final do Convênio nº 243/2005, atente para as impropriedades acima elencadas, solicitando documentação adicional para dirimir as dúvidas e os vícios encontrados, empreendendo busca por situações irregulares similares às encontradas e diligenciando a executora do convênio, quando necessário; b)atente, ao se analisar a documentação comprobatória da prestação de contas final dos futuros convênios firmados com a SESAN, aos dispositivos legais consubstanciados na da IN/STN nº 01/97, Seção I, arts. 27 a 31 e art. 38, inciso I, verificando elementos como a elegibilidade dos gastos efetuados, aferindo, inclusive, se estes gastos foram realizados em consonância com a Lei nº 8.666/93; Recomendação 002 Caso comprovadas as irregularidades apresentadas e outras similares, após concluídas todas as análises de cunho técnico, contábil e financeiro empreendidas pelas áreas competentes da SESAN, providencie a devida instauração de tomada de contas especial, com fulcro no art. 38 da IN/STN nº 01/97 e em consonância com os itens 5.4 e 5.5 da Cláusula Quinta do Termo de Convênio Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente 6

7 Providências a serem Implementadas Atinente aos questionamentos contidos na SA nº 006/2008, informamos que o convênio foi analisado, quanto aos aspectos financeiros, e encaminhado à convenente a Nota Técnica nº 088/2008/UOF/MDS, relatando as inconsistências detectadas, além de solicitar esclarecimentos a respeito dos itens apontados no Relatório de Auditoria. Informamos que tão logo tenhamos a resposta da convenente, a prestação de contas estará apta a ser analisada para emissão de Parecer Conclusivo Prazo limite de implementação: 31/12/ Item do Relatório de Auditoria Aprovação de proposta de convênio constando pesquisa de preço sem cotação em, no mínimo, três fornecedores distintos, para elementos de despesa constantes do plano de trabalho do Convênio nº 243/2005, em discordância com a jurisprudência do Tribunal de Contas da União Recomendação: Recomendamos à Unidade que mantenha gestões, junto aos convênios e termos de parceria doravante firmados com o MDS, no sentido de solicitar do proponente a apresentação de, no mínimo, três cotações de preços, oriundos de fornecedores distintos, para cada elemento de despesa constante do plano de trabalho, em atendimento ao que recomendam os Acórdãos TCU nºs 980/ Plenário e 1.584/ Segunda Câmara, combinados com o art. 27 da IN/STN nº 01/97 e em consonância com o princípio da economicidade e da busca pela proposta mais vantajosa Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente ao posicionamento ( 3 ) (1) Concordo (2) Concordo parcialmente (3) Discordo Providências a serem Implementadas O Convênio foi firmado em 2004 e pago em 2005, e não era impeditivo a formalização de convênio com a ausência de tal documentação. Esta inconformidade foi superada nos anos subseqüentes, graças à adoção de Editais de Seleção Pública de Propostas para a formalização de novos convênios. Foi apresentado prestação de contas final a este Ministério e a mesma foi analisada e aprovada pela área técnica e encontra-se na Unidade de Orçamento e Finanças/UOF para proceder análise financeira. Desse modo, salvo melhor juízo, não há o que modificar no processo visto que já foram superadas as fase de habilitação e seleção e ou formalização do referido convênio. Vale ressaltar que foi procedido fiscalização na localidade e foi encontrado sucesso na execução do convênio. O Convenente já prestou contas e constatou-se o cumprimento do objeto pactuado Prazo limite de implementação: Não se aplica Item do Relatório de Auditoria Descumprimento de cláusula do Termo de Convênio no Processo nº / Convênio Original nº 253/2006 e SIAFI nº , celebrado com a Prefeitura Municipal de Piancó/PB, relativo à implantação de cozinha comunitária no município Recomendação: 7

8 Recomendamos ao Gestor que providencie a solução da pendência, fazendo valer sua função de ente fiscalizador, por meio dos instrumentos próprios, em cumprimento ao Termo de Convênio em questão Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente ao posicionamento ( 2 ) (1) Concordo (2) Concordo parcialmente (3) Discordo Providências a serem Implementadas Quanto ao não encaminhamento dos relatórios de execução físico-financeira trimestrais por parte da Convenente, reiteramos que a SESAN providenciou diversas solicitações de ordem informal (telefone / mensagens eletrônicas) e de ordem formal por meio do Ofício nº 535/2007, de 03 de maio de 2007, e do Ofício nº 2.165/2007, de 23 de setembro de Devido ao não atendimento das solicitações por parte da Convenente, o Gestor realizou visita técnica em 19 de março de 2008 para monitoramento e avaliação da execução do objeto pactuado por meio do Convênio nº 253/2006. Entendemos que é possível obter maior efetividade no encaminhamento dos relatórios a partir da transferência de recursos em parcelas e da previsão de sanções para os casos de descumprimento do subitem da cláusula segunda do Termo de Convênio Prazo limite de implementação: Não se aplica 14 - Item do Relatório de Auditoria Formalização de contrato de aluguel de imóvel destinado à construção de cozinha comunitária, sem o esclarecimento quanto à origem dos recursos relativos ao respectivo pagamento, no Processo nº / Número Original 253/2006 e SIAFI nº , celebrado com a Prefeitura Municipal de Piancó/PB, relativo à implantação de cozinha comunitária no município Recomendação: O Gestor deverá, no decorrer dos trabalhos de análise da prestação de contas, evidenciar que as despesas relativas ao aluguel do imóvel destinado à construção da cozinha comunitária não impactaram os recursos destinados à implantação do equipamento, haja vista a incompatibilidade de tal situação com as regras da Ação de Governo Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente ao posicionamento ( 3 ) (1) Concordo (2) Concordo parcialmente (3) Discordo Providências a serem Implementadas Informamos que a Convenente apresentou preliminarmente como documentação do imóvel a Escritura de Compra e Venda de 21 de março de 2007 e o Contrato de Locação de imóvel nº 384/2007 de 30 de abril de 2007 firmado entre a Prefeitura Municipal de Piancó e o Sr. Ivomar Tavares Badu, ambos juntados ao processo em 30 de julho de Porém, considerando que a Instrução Normativa STN 01 de 15 de janeiro de 1997 permite a realização de obras ou benfeitorias somente em imóveis que sejam de posse do Proponente ou que estejam enquadrados nas situações previstas no inciso IX do artigo 2º desta IN, a Convenente foi orientada no sentido de desenvolver um Termo de Cessão de Uso entre as partes para enquadrar o imóvel na categoria apresentada pela alínea e (inciso IX do artigo 2º), rescindindo conseqüentemente o Contrato de Locação de imóvel anteriormente apresentado. Dessa forma foram juntados ao processo em 16 de agosto de 2007 a Escritura Pública de Desmembramento de 09 de julho de 2007 e o Contrato de Cessão de Uso de um imóvel comercial de 05 de junho de 2007, documentos que atestam a regularidade do imóvel para a realização de obras civis conforme a IN STN 01/1997. Quanto aos recursos relativos ao pagamento do aluguel do imóvel localizado à Rua Severino de Paulo Farias, s/n Centro 8

9 informamos que, caso necessários, os mesmos seriam garantidos pela Convenente, visto que no Plano de Trabalho aprovado (fls. 78 a 84) constavam somente duas metas: 1 - implantação de cozinha comunitária, através de adequação do espaço para instalação de cozinha comunitária, aquisição de material permanente e aquisição de material de consumo e 2 - Capacitação através da contratação de pessoal (PF) Prazo limite de implementação: Não se aplica 15 - Item do Relatório de Auditoria Divergência, em publicidade do convenente, na informação relativa aos valores envolvidos no convênio SIAFI nº Processo nº / ConvênioOriginal nº 253/2006 e SIAFI nº , celebrado com a Prefeitura Municipal de Piancó/PB, relativo a implantação de cozinha comunitária no município Recomendação: O Gestor deverá, quando da análise da prestação de contas, esclarecer a divergência apontada, providenciando, caso necessário, os devidos ajustes Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente Providências a serem Implementadas Na tabela 22 apresentada no Relatório de Auditoria (Convênio 253/2007 Divergência de valores) existe um erro formal. Foi informado na coluna Termo de Convênio que o recurso total da obra é de R$ ,14, porém este recurso se refere ao valor total do Convênio, que conforme Plano de Trabalho aprovado envolve duas metas: 1 - implantação de cozinha comunitária, através de adequação do espaço para instalação de cozinha comunitária, aquisição de material permanente e aquisição de material de consumo e 2 - Capacitação através da contratação de pessoal (PF). Ainda conforme o Plano de Trabalho aprovado, o Recurso Federal de R$ ,32 (informado na mesma coluna) destina R$ ,00 para aplicação na execução das adequações do espaço físico na natureza de despesa Outros Serviços de Terceiros PJ, que somada à contrapartida municipal totaliza R$ ,82. O valor de R$ ,00 se encontra compatível com o apresentado na Placa da Obra da cozinha comunitária, porém o valor da contrapartida (R$ ,28) se encontra divergente do aprovado (R$ ,82), pois a Convenente licitou e executou a obra baseada em projeto diferente do aprovado previamente por meio do laudo de análise de arquitetura e engenharia de 01 de dezembro de 2006 (fls. 147 a 150). É importante ressaltar que no momento da visita técnica realizada em 19 de março de 2008 a placa da obra não se encontrava mais no local, visto que a cozinha comunitária estava em pleno funcionamento. Neste sentido foram passadas as recomendações de instalação da placa de fachada conforme os padrões do Manual de Identidade Visual dos Programas da SESAN/MDS Prazo limite de implementação: 31/12/ Item do Relatório de Auditoria Construção sem a devida aprovação do projeto técnico, no âmbito do Convênio Original nº 253/2006 e SIAFI nº , celebrado com a Prefeitura Municipal de Piancó/PB, relativo a implantação de cozinha comunitária no município Recomendação: A Unidade deverá, com base nos aspectos técnicos que nortearam a não aprovação do projeto, providenciar o ajuste necessário à regular aplicação dos recursos Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente ao posicionamento ( 3 ) (1) Concordo (2) Concordo parcialmente (3) Discordo 9

10 Providências a serem Implementadas Foi realizada visita técnica de monitoramento do referido Convênio em 19 de março de 2008 com objetivo de verificar o funcionamento, operação e gestão da unidade e a constatação do endereço informado. Conforme informações apresentadas no Relatório de Visita in loco, neste momento foram identificados pontos positivos na gestão dos programas sociais municipais, porém também falhas na funcionalidade da unidade. Não há como realizar os ajustes à regular aplicação dos recursos, pois o Convênio se encontra atualmente em processo de prestação de contas final, e além disso, na época da visita técnica a obra da cozinha comunitária já havia sido concluída, restando atividades somente na obra do centro de oportunidades (edificação geminada com a cozinha, porém independente). Dessa forma, esta área técnica aguardará a finalização da análise técnica e financeira da prestação de contas final, podendo esta remeter à devolução dos recursos referente à execução da obra em questão Prazo limite de implementação: Não se aplica Item do Relatório de Auditoria Realização de despesa fora da vigência no Convênio SIAFI nº Processo nº / Convênio Original nº 253/2006, celebrado com a Prefeitura Municipal de Piancó/PB, relativo a implantação de cozinha comunitária no município Recomendação: Deverá o Gestor atentar para os achados apontados quando da análise da prestação de contas do convênio, providenciando a solução dos problemas eventualmente detectados/confirmados Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente ao posicionamento ( ) (1) Concordo (2) Concordo parcialmente (3) Discordo Providências a serem Implementadas O município foi notificado por meio do Ofício nº 43 DPSD/SESAN/MDS, sendo instado a dar justificativas acerca do ocorrido, para então analisando o caso - utilizando o poder discricionário - tomarmos as providências cabíveis Prazo limite de implementação: 31/08/ Item do Relatório de Auditoria Não comprovação da disponibilização de recursos de contrapartida no Processo nº / Convênio Original nº 253/2006 e SIAFI nº , celebrado com a Prefeitura Municipal de Piancó/PB, relativo a implantação de cozinha comunitária no município Recomendação: O Gestor deverá providenciar, durante os trabalhos relativos à análise da prestação de contas, a avaliação dos fatos apontados e, caso se faça necessária, determinar os devidos ajustes Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente Providências a serem Implementadas 10

11 Foi recebida documentação referente à prestação de contas do referido Convênio em 17 de março de Após análise prévia foi constatado que a mesma se encontrava incompleta, e dessa forma, foi solicitada documentação complementar por meio do Ofício nº 57 CGPPAN/DPSD/SESAN/MDS. Considerando as impropriedades detectadas na visita técnica realizada em 19 de março de 2008 e o não atendimento das solicitações feitas por meio do Ofício supracitado, as exigências foram reiteradas por meio do Ofício nº 43 DPSD/SESAN/MDS, tendo sido incluídos neste o detalhamento dos erros de preenchimento do Relatório de Execução do Objeto mencionados no Ofício anterior, como a não disponibilização dos recursos da contrapartida e de seu respectivo rendimento de aplicação financeira Prazo limite de implementação: 31/12/ Item do Relatório de Auditoria Ausência de providências por parte da SESAN, no que tange ao descumprimento do prazo para encaminhamento das prestações de contas dos convênios pelos convenentes, em desacordo com o 5º do art. 28 da IN/STN nº 01/ Recomendação: Recomendamos à Unidade que adote medidas eficazes visando à cobrança, junto aos convenentes, das prestações de contas a serem apresentadas, sob pena de serem tomadas as providências determinadas no 2º do art. 31 da IN/STN nº 01/ Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente Providências a serem Implementadas Diversas medidas vêm sendo adotadas no sentido de corrigir tais pendências, de forma que os prazos de apresentação de prestação de contas sejam cumpridos pelos convenentes ou, no caso da não apresentação, o devido registro no SIAFI Prazo limite de implementação: 31/12/ Item do Relatório de Auditoria Descumprimento do prazo fixado pela IN/STN nº 01/97 para análise das prestações de contas de convênios Recomendação: Recomendação 001 Recomendamos à Unidade que adote medidas eficazes visando à emissão tempestiva dos pareceres técnico e financeiro relativos às prestações de contas apresentadas pelos convenentes, a fim de cumprir o prazo de 60 dias estabelecido no art. 31 da IN/STN nº 01/97. Recomendação 002 O Gestor devera tomar providências no sentido de incrementar a estrutura do setor e melhorar as rotinas de trabalho, a fim de lidar com a crescente demanda da área de segurança alimentar e nutricional Posicionamento do Gestor em relação à recomendação: assinale abaixo o nº correspondente Providências a serem Implementadas 11

12 Informo que têm sido envidados esforços para incrementar a capacidade de análise das prestações de contas, quanto aos aspectos técnicos, relativos ao cumprimento do objeto e alcance das metas físicas, e os financeiros, quanto à regular aplicação dos recursos públicos investidos nos convênios, dentro dos prazos estabelecidos pela IN 01/97. Conforme relatado anteriormente os principais problemas que ocasionam o não cumprimento dos prazos referem-se a: falta de pessoal; ausência de capacitação para desempenho desta atribuição; limitação do espaço físico das instalações da SESAN; e, aumento significativo do número de convênios firmados. No que se refere a estruturação da equipe de análise de prestação de contas esta SESAN vem tomando varias providências, no sentido de dar celeridade as análises, vários concursados foram alocados para essa tarefa, entretanto, o quantitativo de pessoal alocado para a análise de prestação de contas ainda não é suficiente. Como é sabido, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome é um órgão novo e por isso as instalações disponibilizadas não atendem a contento, e a falta de instalações adequadas acaba interferindo na produção. Entretanto, a SPOA/MDS vem fazendo esforços para que esse problema de instalações seja minimizado Prazo limite de implementação: 31/03/2009 Crispim Moreira Secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Substituto 12

INSTRUÇÃO NORMATIVA AGE N.º 10, DE 20 DE MAIO DE 2010.

INSTRUÇÃO NORMATIVA AGE N.º 10, DE 20 DE MAIO DE 2010. AUDITORIA GERAL DO ESTADO ATOS DO AUDITOR-GERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA AGE N.º 10, DE 20 DE MAIO DE 2010. Estabelece normas de organização e apresentação das prestações de contas de convênios que impliquem

Leia mais

CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E SUAS PRESTAÇÕES DE CONTAS. Seminário Administrativo Itapema/SC

CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E SUAS PRESTAÇÕES DE CONTAS. Seminário Administrativo Itapema/SC CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E SUAS PRESTAÇÕES DE CONTAS. TERMOS DE COOPERAÇÃO. DO CONTROLE DA NECESSIDADE AO NECESSÁRIO CONTROLE. COFEN-COREN Lei nº. 5.905, de 12/07/1973. Art. 1º. São criados o Conselho

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TOMADA DE CONTAS ANUAL AGREGADA TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº : 71000.010766/2007-25

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NA APLICAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS PÚBLICOS DE CONVÊNIOS

BOAS PRÁTICAS NA APLICAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS PÚBLICOS DE CONVÊNIOS GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO AUDITORIA GERAL DO ESTADO BOAS PRÁTICAS NA APLICAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS PÚBLICOS DE CONVÊNIOS APLICAÇÃO DE RECURSOS PÚBLICOS DE CONVÊNIOS

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural Serviço Nacional de Aprendizagem Rural REGULAMENTO DOS PROCEDIMENTOS PARA CELEBRAÇÃO DE TERMOS DE COOPERAÇÃO Estabelece diretrizes, normas e procedimentos para celebração, execução e prestação de contas

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS ABORDAGEM Conceitos relacionados ao tema; Legislação aplicável à execução; Modelo de gestão e processo adotado pela Fundep. O que é o SICONV? CONCEITOS

Leia mais

Orientações para o. Alexandre Lages Cavalcante Controlador Geral do Estado. Juliana Barros da Cruz Oliveira Superintendente de Controle Financeiro

Orientações para o. Alexandre Lages Cavalcante Controlador Geral do Estado. Juliana Barros da Cruz Oliveira Superintendente de Controle Financeiro Orientações para o Controle de Convênios Alexandre Lages Cavalcante Controlador Geral do Estado Juliana Barros da Cruz Oliveira Superintendente de Controle Financeiro Maio/2010 Devolução de recursos de

Leia mais

ANEXO IV ORIENTAÇÕES E FORMULÁRIOS PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS

ANEXO IV ORIENTAÇÕES E FORMULÁRIOS PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANEXO IV ORIENTAÇÕES E FORMULÁRIOS PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS Em conformidade às competências do CAU/BR previstas na Lei nº 12.378/2010 e em seu Regimento Geral, são apoiados projetos que contribuem para

Leia mais

C O N V Ê N I O Nº 055/2014

C O N V Ê N I O Nº 055/2014 C O N V Ê N I O Nº 055/2014 Que entre si celebram de um lado o MUNICÍPIO DE ITABIRITO, pessoa jurídica de direito público interno, inscrição no CNPJ sob o nº 18.307.835/0001-54, com endereço a Avenida

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CERTIFICADO DE AUDITORIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CERTIFICADO DE AUDITORIA 1 de 10 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CERTIFICADO DE AUDITORIA CERTIFICADO Nº :201108660 UNIDADE AUDITADA :110008 - MINISTERIO DA PESCA E

Leia mais

C O N V Ê N I O Nº 015/2015

C O N V Ê N I O Nº 015/2015 C O N V Ê N I O Nº 015/2015 Que entre si celebram de um lado o MUNICÍPIO DE ITABIRITO, pessoa jurídica de direito público interno, inscrição no CNPJ sob o nº 18.307.835/0001-54, com endereço a Avenida

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 23036.000146/2007-28 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

TERMO DE PARCERIA (Art. 9º da Lei nº 9.790, de 23.3.99, e Art. 8º do Decreto nº 3.100, de 30.6.99)

TERMO DE PARCERIA (Art. 9º da Lei nº 9.790, de 23.3.99, e Art. 8º do Decreto nº 3.100, de 30.6.99) TERMO DE PARCERIA (Art. 9º da Lei nº 9.790, de 23.3.99, e Art. 8º do Decreto nº 3.100, de 30.6.99) TERMO DE PARCERIA QUE ENTRE SI CELEBRAM A (UNIÃO/ESTADO/MUNICÍPIO), ATRAVÉS DO (ÓRGÃO/ENTIDADE ESTATAL),

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO (PALP) 2015-2018 Sumário: 1 INTRODUÇÃO... 4 2 AUDITORIAS DE CONFORMIDADE (OU DE REGULARIDADE)... 5 2.1 Atos de nomeação e admissão, respectivamente, para cargos efetivos

Leia mais

ANEXO VII LEI Nº13.190 DE 11 DE JULHO DE

ANEXO VII LEI Nº13.190 DE 11 DE JULHO DE ANEXO VII LEI Nº13.190 DE 11 DE JULHO DE 2014 Dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para o exercício de 2015, e dá outras providências. Art. 60 - Sem prejuízo das disposições contidas nos demais artigos,

Leia mais

Siconv para Convenentes

Siconv para Convenentes Siconv para Convenentes Módulo2 Portal de Convênios e Siconv Brasília - 2015. Fundação Escola Nacional de Administração Pública Presidente Gleisson Rubin Diretor de Desenvolvimento Gerencial Paulo Marques

Leia mais

Contratos. Licitações & Contratos - 3ª Edição

Contratos. Licitações & Contratos - 3ª Edição Contratos 245 Conceito A A Lei de Licitações considera contrato todo e qualquer ajuste celebrado entre órgãos ou entidades da Administração Pública e particulares, por meio do qual se estabelece acordo

Leia mais

C O N V Ê N I O Nº 025/2014

C O N V Ê N I O Nº 025/2014 C O N V Ê N I O Nº 025/2014 Que entre si celebram de um lado o MUNICÍPIO DE ITABIRITO, pessoa jurídica de direito público interno, inscrição no CNPJ sob o nº 18.307.835/0001-54, com endereço a Avenida

Leia mais

a autarquia, de forma a evitar dependência em relação ao prestador, bem como garantir a segurança das informações. Acórdão 1937/2003 Plenário

a autarquia, de forma a evitar dependência em relação ao prestador, bem como garantir a segurança das informações. Acórdão 1937/2003 Plenário a autarquia, de forma a evitar dependência em relação ao prestador, bem como garantir a segurança das informações. Acórdão 1937/2003 Plenário Cumpra fielmente as cláusulas pactuadas nos contratos, evitando

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO PORTARIA N.º 652, DE 19 DE MAIO DE 2011 RESOLVE: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO PORTARIA N.º 652, DE 19 DE MAIO DE 2011 RESOLVE: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS PORTARIA N.º 652, DE 19 DE MAIO DE 2011 A SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, especialmente em referência ao disposto no artigo 25, da Constituição Federal de 1988, e ao

Leia mais

CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS NO SICONV

CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS NO SICONV CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS NO SICONV Gianna Lepre Perim Curitiba - 2013 SICONV VEDAÇÕES PI 507/2011 VEDAÇÕES Art. 10º É vedada a celebração de convênios e contratos de repasse: I - com órgãos e entidades

Leia mais

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FÍSICO-FINANCEIRO

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FÍSICO-FINANCEIRO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO FÍSICO-FINANCEIRO INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO FÍSICO: refere-se ao indicador físico de qualificação e quantificação do produto de cada meta e etapa a executar e executada. 1. EXECUTOR:

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul : CONS. IRAN COELHO DAS NEVES

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul : CONS. IRAN COELHO DAS NEVES Relatório Voto : REV - G.ICN - 00901/2011 PROCESSO TC/MS : 6107/2008 PROTOCOLO : 908430 ÓRGÃO : PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ALVORADA DO SUL ORDENADOR (A) DE : ARLEI SILVA BARBOSA DESPESAS CARGO DO ORDENADOR

Leia mais

EXEMPLO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS ESPECIAL

EXEMPLO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS ESPECIAL ANEXO II EXEMPLO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS ESPECIAL (PARA CONVÊNIO OU INSTRUMENTOS CONGÊNERES) RELATÓRIO DE TCE Nº XX/2013 DADOS DO CONVÊNIO PROCESSO ORIGINAL 90000.000050/2009-99 INSTRUMENTO ORIGINAL

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS INTEGRANTES DAS AUDITORIAS INTERNAS DAS ENTIDADES VINCULADAS AO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

ASSOCIAÇÃO DOS INTEGRANTES DAS AUDITORIAS INTERNAS DAS ENTIDADES VINCULADAS AO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ASSOCIAÇÃO DOS INTEGRANTES DAS AUDITORIAS INTERNAS DAS ENTIDADES VINCULADAS AO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ROTEIRO DE VERIFICAÇÃO TOMADA DE CONTAS ESPECIAL GT - 8 O QUE É De acordo com o art. 3º da Instrução

Leia mais

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032)

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032) PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032) SELECIONA PROFISSIONAL, COM O SEGUINTE PERFIL: CONSULTOR (Consultor por Produto - Serviços Não Continuados) Consultor Especialista em Projetos

Leia mais

TREINAMENTO PARA OS NOVOS DIRETORES DE DEPARTAMENTOS DA UNIVERSIDADE

TREINAMENTO PARA OS NOVOS DIRETORES DE DEPARTAMENTOS DA UNIVERSIDADE TREINAMENTO PARA OS NOVOS DIRETORES DE DEPARTAMENTOS DA UNIVERSIDADE Salvador, 21 e 22 de julho de 2010 CONVÊNIOS EQUIPE: Alessandro Chaves de Jesus Ana Lucia Alcântara Tanajura Cristiane Neves de Oliveira

Leia mais

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032)

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032) PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032) SELECIONA PROFISSIONAL, COM O SEGUINTE PERFIL: CONSULTOR (Consultor por Produto - Serviços Não Continuados) Consultor Especialista em Projetos

Leia mais

MANUAL RESUMIDO DE FISCALIZAÇÃO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS O QUE SÃO?

MANUAL RESUMIDO DE FISCALIZAÇÃO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS O QUE SÃO? MANUAL RESUMIDO DE FISCALIZAÇÃO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS O QUE SÃO? Na prestação dos serviços públicos e para o seu funcionamento é necessário que a Administração Pública adquira bens e/ou contrate serviços

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25/2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25/2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25/2007 Dispõe sobre a entrega, o envio e a disponibilização dos dados e das informações em meio informatizado, que os responsáveis pelos órgãos ou entidades da administração direta

Leia mais

CONVÊNIO N o 96, DE 19 DE OUTUBRO DE 2015. Convênio que entre si celebram o Município de Santa Maria e o Banco da Esperança - Ação Social.

CONVÊNIO N o 96, DE 19 DE OUTUBRO DE 2015. Convênio que entre si celebram o Município de Santa Maria e o Banco da Esperança - Ação Social. CONVÊNIO N o 96, DE 19 DE OUTUBRO DE 2015 Convênio que entre si celebram o Município de Santa Maria e o Banco da Esperança - Ação Social. O MUNICÍPIO DE SANTA MARIA, com sede na cidade de Santa Maria,

Leia mais

AUDITORIA EM I TREINAMENTO DE AUDITORIA EM CONVÊNIOS

AUDITORIA EM I TREINAMENTO DE AUDITORIA EM CONVÊNIOS I TREINAMENTO DE AUDITORIA EM CONVÊNIOS AUDITORIA EM CONVÊNIOS Ricardo Brito Borges Assessor Técnico de Controle Interno Controladoria Geral do Estado de Alagoas Superintendência de Controle Financeiro

Leia mais

NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI

NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI Dispõe sobre as atribuições dos agentes de compras

Leia mais

RELATÓRIO DA EXECUÇÃO FÍSICO-FINANCEIRA

RELATÓRIO DA EXECUÇÃO FÍSICO-FINANCEIRA PREENCHIMENTO DO ANEXO III RELATÓRIO DA EXECUÇÃO FÍSICO-FINANCEIRA FÍSICO: refere-se ao indicador físico da qualificação e quantificação do produto de cada meta e etapa executada e a executar. Não fazer

Leia mais

PRIMEIRA CÂMARA - SESSÃO: 06/05/14

PRIMEIRA CÂMARA - SESSÃO: 06/05/14 PRIMEIRA CÂMARA - SESSÃO: 06/05/14 12 TC-038280/026/11 Órgão Público Concessor: Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente Fundação Casa - SP. Entidade(s) Beneficiária(s): Fraternidade

Leia mais

Secretaria do Planejamento

Secretaria do Planejamento Salvador, Bahia Sexta-Feira 10 de outubro de 2014 Ano XCIX N o 21.543 Secretaria do Planejamento INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02 DE 08 DE OUTUBRO DE 2014 Orienta os órgãos e entidades da Administração Pública

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICÍPIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICÍPIO TRILHA DE AUDITORIA CONVÊNIOS - SICONV CONTROLADORIA-GERAL DO MUNICÍPIO Contagem, 09 de Março de 2015 Nicolle Ferreira Bleme AUDITORA-GERAL EQUIPE RESPONSÁVEL Flaviano Coelho Barbosa GERENTE DE AUDITORIA

Leia mais

Número: 00190.010534/2012-04. Unidade Examinada: Município de Diadema/SP

Número: 00190.010534/2012-04. Unidade Examinada: Município de Diadema/SP Número: 00190.010534/2012-04 Unidade Examinada: Município de Diadema/SP Relatório de Demandas Externas n 00190.010534/2012-04 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIAGERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIAGERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS 1 de 6 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIAGERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2010 PROCESSO

Leia mais

O modelo OS do Espírito Santo e a gestão e controle das organizações qualificadas. Flávio Alcoforado f.alcoforado@uol.com.br

O modelo OS do Espírito Santo e a gestão e controle das organizações qualificadas. Flávio Alcoforado f.alcoforado@uol.com.br O modelo OS do Espírito Santo e a gestão e controle das organizações qualificadas Flávio Alcoforado f.alcoforado@uol.com.br ORGANIZAÇÃO SOCIAL Modelo: Pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos,

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e a atuação da Secretaria de Controle Interno e dá outras

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO - RELATÓRIO DE AUDITORIA nº 07/ 2012 Página 1 de 5 SUMÁRIO EXECUTIVO

SUMÁRIO EXECUTIVO - RELATÓRIO DE AUDITORIA nº 07/ 2012 Página 1 de 5 SUMÁRIO EXECUTIVO SUMÁRIO EXECUTIVO - RELATÓRIO DE AUDITORIA nº 07/ 2012 Página 1 de 5 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA EMPRESA BRASIL DE COMUNICAÇÃO AUDITORIA INTERNA SUMÁRIO EXECUTIVO Documento: Relatório de Auditoria EBC nº

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO PLANO ANUAL DE AUDITORIA (PAA) 2014 Sumário: 1 INTRODUÇÃO... 4 2 DO PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO (PALP)... 6 3 DAS ATIVIDADES DE MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO.... 6 3.1 Apoio ao Tribunal de Contas

Leia mais

a.1) em área desapropriada ou em desapropriação por Estado, por Município, pelo Distrito Federal ou pela União;

a.1) em área desapropriada ou em desapropriação por Estado, por Município, pelo Distrito Federal ou pela União; INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 4, DE 17 DE MAIO DE 2007 DOU de 18.5.2007 _ Retificação _DOU de 21.5.2007 Altera dispositivos, que especifica, da Instrução Normativa nº 1, de 15 de janeiro de 1997, disciplinadora

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 14/2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 14/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 14/2011 Ver também IN 7/13 Disciplina a organização e a apresentação das contas anuais dos administradores e demais responsáveis por unidades jurisdicionadas das administrações direta

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/14 I-DOS CONCEITOS 1- Para os fins desta Instrução Normativa, considera-se: 1.1 - Fiscalização: a observação sistemática e periódica da execução do contrato; 1.2 - Contrato Administrativo: o ajuste que

Leia mais

CERTIFICADO DE AUDITORIA Nº 001/2010

CERTIFICADO DE AUDITORIA Nº 001/2010 CERTIFICADO DE AUDITORIA Nº 001/2010 UNIDADES: Senado Federal Fundo Especial do Senado Federal - FUNSEN EXERCÍCIO: 2009 Examinamos os atos de gestão dos responsáveis relacionados às fls. 95 a 97 deste

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA Pró-Reitoria de Planejamento Coordenadoria de Projetos e Convênios

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA Pró-Reitoria de Planejamento Coordenadoria de Projetos e Convênios MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA Pró-Reitoria de Planejamento Coordenadoria de Projetos e Convênios CARTILHA DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CONVÊNIOS Elaboração: José Joaquim

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 Versão: 01 Data de aprovação: 7 de outubro de 2014. Ato de aprovação: Resolução n.º 112 /2014 Unidade

Leia mais

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece os procedimentos e as normas a serem adotados pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, para o encerramento anual

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO (PALP) 2013-2014 Sumário: 1 INTRODUÇÃO... 3 2 BIÊNIO 2013-2014: ATIVIDADES DE MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO.... 3 2.1 Apoio ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo...

Leia mais

Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP

Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP Relatório de Demandas Externas n 00190.004342/ 2013-31 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

A Transferência de Recursos do OGU foi Simplificada. Conte com a parceria da CAIXA nos projetos do seu município.

A Transferência de Recursos do OGU foi Simplificada. Conte com a parceria da CAIXA nos projetos do seu município. A Transferência de Recursos do OGU foi Simplificada. Conte com a parceria da CAIXA nos projetos do seu município. As novas regras e o papel da CAIXA na transferência de recursos da União. A CAIXA na Transferência

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS CONCEDENTE

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS CONCEDENTE ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS CONCEDENTE 1 APRESENTAÇÃO Convênios são acordos firmados por entidades públicas de qualquer espécie, ou entre estas

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CERTIFICADO DE AUDITORIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CERTIFICADO DE AUDITORIA 1 de 5 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CERTIFICADO DE AUDITORIA CERTIFICADO Nº : 201109414 UNIDADE AUDITADA :225001 - CIA.DE ENTREPOSTOS E ARMAZENS

Leia mais

PORTARIA CGU Nº 328, DE 29 DE FEVEREIRO DE 2008

PORTARIA CGU Nº 328, DE 29 DE FEVEREIRO DE 2008 PORTARIA CGU Nº 328, DE 29 DE FEVEREIRO DE 2008 O SECRETÁRIO-EXECUTIVO DA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO, no uso da competência que lhe foi atribuída pelo art. 24 do Anexo ao Decreto nº 5.683, de 24 de janeiro

Leia mais

Fortalecimento. CONTRATOS DE REPASSE E SICONV da Gestão Pública: Operacionalização CAIXA Prestação de Contas

Fortalecimento. CONTRATOS DE REPASSE E SICONV da Gestão Pública: Operacionalização CAIXA Prestação de Contas Fortalecimento CONTRATOS DE REPASSE E SICONV da Gestão Pública: Operacionalização CAIXA Prestação de Contas Fases do Convênio Prestação de Contas Parcial Prestação de Contas Final Tomada de Contas Especial

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES CONTROLE INTERNO 01/06 1 DOS OBJETIVOS 1.1 Definir normas para elaboração dos contratos de aquisição de materiais, prestação de serviços gerais e prestação de serviços e obras de engenharia. 1.2 Normatizar os procedimentos

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA RAAAI 2004 I - INTRODUÇÃO

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA RAAAI 2004 I - INTRODUÇÃO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA RAAAI 2004 I - INTRODUÇÃO A da Universidade Federal do Amazonas apresenta o seu Relatório Anual de Atividades de, com base no Decreto nº. 3.591/2000,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014 DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE SUBVENÇÃO SOCIAL, AUXÍLIO FINANCEIRO, CONTRIBUIÇÃO E OUTRAS FONTES DE RECURSO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO. A Controladoria Geral do Município

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

INSTRUÇÃO DGA Nº 81, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014

INSTRUÇÃO DGA Nº 81, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 INSTRUÇÃO DGA Nº 81, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 #Estabelece procedimentos para registro, no SICONV, de informações referentes a Convênios com OBTV. O Coordenador da Administração Geral, no uso de suas atribuições,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA: Auditoria de Gestão EXERCÍCIO: 2010 PROCESSO: 00190-015347/2011-28

Leia mais

CONVÊNIOS EXECUÇÃO PRESTAÇÃO DE CONTAS

CONVÊNIOS EXECUÇÃO PRESTAÇÃO DE CONTAS CONVÊNIOS EXECUÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS CONTA BANCÁRIA ESPECÍFICA O convenente deverá manter os recursos repassados na conta específica, somente sendo permitidos saques para pagamento das despesas relativas

Leia mais

Palestrante: EDUARDO JOSÉ MATTOS DA SILVA Bacharel em Ciências Econômicas pela Faculdade da Católica de Brasília Bacharel em Direito pela Faculdade

Palestrante: EDUARDO JOSÉ MATTOS DA SILVA Bacharel em Ciências Econômicas pela Faculdade da Católica de Brasília Bacharel em Direito pela Faculdade Palestrante: EDUARDO JOSÉ MATTOS DA SILVA Bacharel em Ciências Econômicas pela Faculdade da Católica de Brasília Bacharel em Direito pela Faculdade Euro Americana de Brasília Chefe da Divisão de Gestão

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN-MPU Nº 2.898/2014

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN-MPU Nº 2.898/2014 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN-MPU Nº 2.898/2014 Referência : Correio eletrônico, de 17/9/2014. Protocolo AUDIN-MPU nº 1693/2014.

Leia mais

Portal dos Convênios SICONV. Ajuste do Plano de Trabalho, Termo Aditivo e Prorroga de Ofício Perfis de Convenente e Concedente.

Portal dos Convênios SICONV. Ajuste do Plano de Trabalho, Termo Aditivo e Prorroga de Ofício Perfis de Convenente e Concedente. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios SICONV Ajuste do Plano de Trabalho, Termo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO. PORTARIA Nº 372/2014-GR, de 17 de março de 2014.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO. PORTARIA Nº 372/2014-GR, de 17 de março de 2014. PORTARIA Nº 372/2014-GR, de 17 de março de 2014. A DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, e tendo em vista o que consta no Processo UFRPE Nº 23082.022258/2012-41,

Leia mais

REGULAMENTO DOS PROCEDIMENTOS PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS E ACORDOS DE COOPERAÇÃO TÉCNICA

REGULAMENTO DOS PROCEDIMENTOS PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS E ACORDOS DE COOPERAÇÃO TÉCNICA REGULAMENTO DOS PROCEDIMENTOS PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS E ACORDOS DE COOPERAÇÃO TÉCNICA I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º A ABDI tem por objeto promover a execução de políticas de desenvolvimento industrial,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TOMADA DE CONTAS ANUAL AGREGADA TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 71000.002060/2007-90

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 23040.000699/2007-11 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE RONDÔNIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE RONDÔNIA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE RONDÔNIA TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006

Leia mais

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras SUMÁRIO O Sistema de Registro de Preços do Governo do Estado

Leia mais

CONVÊNIO SEDAC N 19/2011

CONVÊNIO SEDAC N 19/2011 ... ~ecretaria aa~ura G o V E. R N O D O E S TA D Pro O RIO GRANDE DO SU c. n S ECRET A R I A DA CUL TUR.1f~:.É.~--~~.:...,~~~-- CONVÊNIO SEDAC N 19/2011 CONVÊNIO que celebram o ESTADO DO RIO GRANDE DO

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº. 03/2008 Setor: Licitações, Contratos e Convênios (CCC e DCF) Período: 09/06/2008 a 30/06/2008 Legislação Aplicada: - Lei nº. 8.666/93 - Lei nº. 11.170/2005 - Decreto nº. 3.931/01

Leia mais

Portal dos Convênios

Portal dos Convênios Portal dos Convênios Um novo paradigma nas tranferências voluntárias da União Rogério Santanna dos Santos São Paulo, 10 de novembro de 2008 Roteiro Apresentação Metas do Portal dos Convênios Contexto Transferências

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS PROPONENTE - CONVENENTE

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS PROPONENTE - CONVENENTE ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SICONV SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIO PORTAL DOS CONVÊNIOS PROPONENTE - CONVENENTE 1 APRESENTAÇÃO Convênios são acordos firmados por entidades públicas de qualquer espécie,

Leia mais

MANUAL DE CONVÊNIOS E CONTRATOS

MANUAL DE CONVÊNIOS E CONTRATOS MANUAL DE CONVÊNIOS E CONTRATOS Apresentação Com o objetivo de orientar e esclarecer algumas dúvidas, a Consultoria Jurídica da Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA disponibiliza este manual aos servidores,

Leia mais

LEI Nº 3.829, DE 12 DE ABRIL DE 2012

LEI Nº 3.829, DE 12 DE ABRIL DE 2012 LEI Nº 3.829, DE 12 DE ABRIL DE 2012 Autoriza conceder Contribuição à Associação da Casa Familiar Rural de Pato Branco. A Câmara Municipal de Pato Branco, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal,

Leia mais

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno - SFC

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno - SFC Controladoria-Geral da União- CGU Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno - SFC Seminário sobre o Marco Legal das Organizações da Sociedade Civil (PLS 649/2011) Painel II Monitoramento

Leia mais

Tribunal de Contas da União. Número do documento: AC-0337-31/99-1. Identidade do documento: Acórdão 337/1999 - Primeira Câmara

Tribunal de Contas da União. Número do documento: AC-0337-31/99-1. Identidade do documento: Acórdão 337/1999 - Primeira Câmara Tribunal de Contas da União Número do documento: AC-0337-31/99-1 Identidade do documento: Acórdão 337/1999 - Primeira Câmara Ementa: Tomada de Contas Especial. Convênio. FAE. Prefeitura Municipal de Magé

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013 1. O que é Registro de Preços? PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013 O Sistema de Registro de Preços é "o conjunto de procedimentos para seleção de proposta

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO CONTROLE INTERNO DO PODER LEGISLATIVO DE POCONÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Presidente da Câmara Municipal de Poconé,

Leia mais

Portal dos Convênios SICONV. Ajuste do Plano de Trabalho, Termo Aditivo e Prorroga de Ofício Perfis de Convenente e Concedente.

Portal dos Convênios SICONV. Ajuste do Plano de Trabalho, Termo Aditivo e Prorroga de Ofício Perfis de Convenente e Concedente. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios SICONV Ajuste do Plano de Trabalho, Termo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/Nº 19 DE 24 DE ABRIL DE 2009 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Constituição Federal Artigos 205, 206, 208

Leia mais

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 342, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2008

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 342, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2008 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 342, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2008 Altera a Portaria Interministerial nº 127/MP/MF/CGU, de 29 de maio de 2008,

Leia mais

Disciplina a concessão de auxílio-transporte às Prefeituras Municipais para garantir aos alunos acesso à escola pública estadual

Disciplina a concessão de auxílio-transporte às Prefeituras Municipais para garantir aos alunos acesso à escola pública estadual 32 São Paulo, 121 (89) Diário Ofi cial Poder Executivo - Seção I sexta-feira, 13 de maio de 2011 Resolução SE-28, de 12-5-2011 Disciplina a concessão de auxílio-transporte às Prefeituras Municipais para

Leia mais

PARECER Nº 03/2013. C ON S U L T A

PARECER Nº 03/2013. C ON S U L T A PARECER Nº 03/2013. EMENTA: CONSULTA DIVERSA. DOCUMENTAÇÃO PRECÁRIA. PARECER ABSTRATO. RESPEITO AOS PRAZOS DA COMISSÃO DE TRANSMISSÃO DE CARGOS E DE PRESTAÇÃO DE CONTAS. RESOLUÇÃO N. 1311/12 E N. 1060/05

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 010/2005-CAD/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 010/2005-CAD/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 010/2005-CAD/UNICENTRO Celebra Termo de Convênio nº 019/2005 firmado entre a UNICENTRO e Fundação Araucária. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço saber que o

Leia mais

Bem-vindo a sala de aula do curso: Siconv Transferências voluntárias da União. Facilitador: Fernanda Lyra

Bem-vindo a sala de aula do curso: Siconv Transferências voluntárias da União. Facilitador: Fernanda Lyra Bem-vindo a sala de aula do curso: Siconv Transferências voluntárias da União Facilitador: Fernanda Lyra Horário da Aula: 28 de janeiro - Segunda - das 18h às 20h SICONV TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

C O N V Ê N I O Nº 145/2014

C O N V Ê N I O Nº 145/2014 C O N V Ê N I O Nº 145/2014 Que entre si celebram de um lado o MUNICÍPIO DE ITABIRITO, pessoa jurídica de direito público interno, inscrição no CNPJ sob o nº 18.307.835/0001-54, com endereço a Avenida

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 12/2013 Brasília, 20 de março de 2013. Técnica/Jurídico TÍTULO: Orientações sobre gestão de convênios.

NOTA TÉCNICA Nº 12/2013 Brasília, 20 de março de 2013. Técnica/Jurídico TÍTULO: Orientações sobre gestão de convênios. NOTA TÉCNICA Nº 12/2013 Brasília, 20 de março de 2013. ÁREA: Técnica/Jurídico TÍTULO: Orientações sobre gestão de convênios. REFERÊNCIAS: Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Lei Federal

Leia mais

Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação Procedimentos Possíveis Achados

Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação Procedimentos Possíveis Achados Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação s Possíveis Achados 1 As características da unidade de controle interno atendem aos preceitos normativos e jurisprudenciais? Ato que criou

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84, incisos IV e VI, da Constituição,

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84, incisos IV e VI, da Constituição, DECRETO 3.100, de 30 de Junho de 1999. Regulamenta a Lei nº 9.790, de 23 de março de 1999, que dispõe sobre a qualificação de pessoas jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, como Organizações

Leia mais

Sistema Integrado de Planejamento e Gestão Fiscal SIGEF. MÓDULO TRANSFERÊNCIAS (Convênio e Contrato de Apoio Financeiro)

Sistema Integrado de Planejamento e Gestão Fiscal SIGEF. MÓDULO TRANSFERÊNCIAS (Convênio e Contrato de Apoio Financeiro) Sistema Integrado de Planejamento e Gestão Fiscal SIGEF MÓDULO TRANSFERÊNCIAS (Convênio e Contrato de Apoio Financeiro) Diretoria de Auditoria Geral DIAG Gerência de Auditoria de Recursos Antecipados -

Leia mais

Como Executar e Prestar Contas de Convênios

Como Executar e Prestar Contas de Convênios Presidência da República Secretaria Especial de Políticas Para as Mulheres Subsecretaria de Planejamento Setor de Prestação de Contas Como Executar e Prestar Contas de Convênios Legislação Básica Constituição

Leia mais