ALTERADA RESOLUÇÃO 050, de 02 de OUTUBRO DE 2001

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ALTERADA RESOLUÇÃO 050, de 02 de OUTUBRO DE 2001"

Transcrição

1 ALTERADA RESOLUÇÃO 050, de 02 de OUTUBRO DE 2001 Altera o regulamento de Uniformes e Insígnias do Corpo de Bombeiros Militar (RUICBM), aprovado pela resolução nº 013 de 29 de janeiro de 2000 Minas Gerais O Coronel BM Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, no uso das atribuições conferidas pelo Art. 2º, 4º, inciso X, do Decreto nº 4.875, de 18 de janeiro de 2.000, e: Considerando que atualmente no mercado, estão sendo confeccionadas e vendidas as peças de fardamento do CBMMG, apresentando detalhes que diferem do previsto do Regulamento de Uniformes e Insígnias do CBMMG; Considerando que as especificações da peças de fardamento devem estar de acordo com o Regulamento de Uniformes e insígnias do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais; Considerando ainda a necessidade de adequações e correções do texto do Regulamento apresentado anteriormente. Resolve: Art. 1º- Alterar o Regulamento de Uniformes e Insígnias do Corpo de Bombeiros Militar (RUICBM), dando nova redação Art.2º - A DAL providenciará as Normas para Distribuição e Controle de Uniformes e o Catálogo de Especificação de Tecidos e Uniformes do CBMMG. Art. 3º - Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação e revoga as disposições em contrário. QCG em Belo Horizonte, 02 de outubro de 2001 José Maria Gomes, Coronel BM Comandante Geral

2 CAPÍTULO I NORMAS GERAIS Art. 1º - O presente Regulamento contém as prescrições sobre os uniformes do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, as peças complementares, as insígnias, os distintivos, as plaquetas e cadarços de identificação e condecorações, regulando a sua posse, composição e uso. Art. 2º - O uso correto dos uniformes é fator primordial na boa apresentação individual e coletiva dos militares do CBMMG, contribuindo para o fortalecimento da disciplina e do bom conceito da Corporação perante a opinião pública. Art. 3º- Constitui obrigação de todo militar do CBMMG zelar por seus uniformes, distintivos, insígnias e pela sua correta apresentação em público, bem como de seus subordinados. Art. 4º - Os Uniformes prescritos neste Regulamento são de uso exclusivo do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais. Art. 5º - É proibido alterar as características dos Uniformes e a eles sobrepor peças, artigos, insígnias ou distintivos de qualquer natureza, não previstos neste Regulamento ou em ato do Comandante-Geral. Parágrafo Único Excetuam-se, para fins de cumprimento deste artigo, os equipamentos de proteção individual, que serão usados, exclusivamente, em serviço. Art. 6º - Os componentes da Corporação que comparecerem fardados à solenidades militares e atos sociais, deverão fazê-lo com uniformes previstos para a ocasião ou designados pela autoridade competente. Art. 7º - Para fins deste Regulamento, estende-se aos Aspirantes-a-Oficial as prescrições referentes aos Oficiais; aos Alunos do Curso de Habilitação de Oficiais (CHO) e Curso Especial de Formação de Oficiais (CEFO) as prescrições referentes aos Cadetes, salvo quando se dispuser expressamente em contrário. Art. 8º - É facultado aos integrantes do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, quando em cursos fora ou à disposição de outras co-irmãs, o uso do Uniforme da Corporação anfitriã, mediante prévio acordo entre as Instituições.

3 Art. 9º - Para os integrantes de outras co-irmãs, matriculados em cursos de formação no CBMMG, será obrigatório o uso dos uniformes previstos neste Regulamento, sendo, entretanto, facultativo para os demais cursos. Art As cores, tonalidades, texturas de tecidos, tipos, modelos, distintivos, acabamentos, formato de peças e complementos são os constantes do Catálogo de Especificação de Uniformes do CBMMG e Especificação de Equipamentos de Proteção Individual, aprovadas por normas de segurança, sendo vedada qualquer alteração, criação e inclusão de novos itens de fardamento sem a análise pela DAL e aprovação pelo EMBM. Art O Estado fornecerá aos Alunos de cursos de formação, aos Cabos e Soldados, todos os uniformes de posse obrigatória e peças básicas de fardamentos, necessários ao desempenho da função bombeiro-militar, conforme normas de distribuição específica. CAPÍTULO II CODIFICAÇÃO, CLASSIFICAÇÃO, COMPOSIÇÃO E USO DOS UNIFORMES Art Os uniformes previstos neste regulamento estão codificados e classificados conforme Anexo A deste Regulamento. Art A composição e uso dos uniformes estão descritos no Anexo B deste Regulamento. CAPÍTULO III CLASSIFICAÇÃO E USO DAS INSÍGNIAS Art Os postos são identificados por insígnias usadas no sentido longitudinal das platinas, de acordo com a descrição seguinte: 1º - Oficiais Superiores: I - Comandante-Geral: - A platina, é formada por bordado de estrela de cinco pontas em cor dourada ao centro de um círculo vermelho, contornado por uma fita azul, contendo vinte e sete estrelas prateadas. Abaixo, três estrelas de oito pontas em metal, dispostas em forma triangular, em cor amarelo-ouro. Esse

4 conjunto é delimitado por folhas de louros, laçadas pelo prolongamento da fita azul. As estrelas de oito pontas serão também bordadas, nas luvas amovíveis utilizadas nos uniformes de serviço operacional; II - Coronel BM: - três insígnias compostas; III - Tenente Coronel BM: - duas insígnias compostas e uma insígnia base; IV - Major BM: - uma insígnia composta e duas insígnias base. 2 - Oficiais intermediários e subalternos: I - Capitão BM: - três insígnias base; II - Primeiro Tenente BM: - duas insígnias base; III - Segundo Tenente BM: - uma insígnia base. 3º - Aspirante a Oficial BM: - uma estrela de cinco pontas (cheia). Art As graduações são identificadas de acordo com as descrições seguintes: 1º Cadete, Aluno do Curso de Habilitação de Oficiais e Aluno do Curso Especial de Formação de Oficiais: I- Cadete: Distintivo básico da Corporação, em dourado, inscrita em círculo, com barretes indicativos do ano do curso; II- Aluno do CHO e do CEFO: contorno de triângulo equilátero, contendo o distintivo básico da Corporação, em dourado, inscrito em círculo, com barretes indicativos do ano do curso; III- Para as graduações deste parágrafo, será a passadeira bordada nas platinas das gandolas, jaqueta e camisa cinza. Na platina da túnica será usada a insígnia metálica em dourado, contendo uma estrela de cinco pontas escrita em circulo. 2º Subtenente BM: Passadeira bordada: triângulo equilátero vazado bordado em linha de seda na cor prateada, disposto no centro da passadeira em tecido cinza escuro, usada na gandola, jaqueta, blusão de manutenção,

5 macacão e camisa cinza; em tecido branco, usada na camisa e jaqueta branca (Quadro de Saúde), obedecendo as formas e dimensões da insígnia metálica; II- Metálica: triângulo equilátero vazado na cor dourada, dispostos no centro da platina da túnica. 3º Primeiro Sargento BM: I- Divisa bordada: cinco divisas formando dois conjuntos, um superior de 03 (três) e outro inferior de 02 (duas) divisas, separadas em 0,5 cm. Possuirá, ainda, o distintivo básico, na cor das divisas, abaixo do conjunto inferior; II- usada no terço superior de ambas as mangas das túnicas, das camisas cinza e branca, gandolas, blusão de manutenção, macacão e jaqueta. 4º Segundo Sargento BM: I- Divisa bordada: quatro divisas formando dois conjuntos, um superior de 03 (três) e outro inferior de 01 (uma) divisa, separadas em 0,5 cm. Possuirá, ainda, o distintivo básico, na cor das divisas, abaixo do conjunto inferior; II- usada no terço superior de ambas as mangas das túnicas, das camisas cinza e branca, gandolas, blusão de manutenção e jaqueta. 5º Terceiro Sargento BM: I- Divisa bordada: três divisas formando um conjunto superior, sobre o distintivo básico, na cor das divisas; II- usada no terço superior de ambas as mangas das túnicas, das camisas cinza e branca, gandolas, blusão de manutenção e jaqueta. 6º Cabo BM: I- Divisa bordada: duas divisas formando um conjunto superior, sobre o distintivo básico, na cor das divisas; usada no terço superior de ambas as mangas das túnicas, das camisas cinza e branca, gandolas, blusão de manutenção e jaqueta. 7º Considerações gerais: As divisas de que trata este artigo serão confeccionadas em tecido misto de poliéster/seda, em fundo preto, com as barras e distintivo básico tecido com linha de seda prateada. Art As insígnias de que trata o Art.14 deste regulamento serão confeccionadas : 1º - Bordada: I- Insígnia composta, na cor dourada;

6 II- Insígnia base, na cor prateada; III- Estrela de cinco pontas (cheia), na cor dourada; IV- usadas em passadeiras de tecido cinza escuro ou tecido branco (QOS), nas platinas das gandolas, jaqueta e nas camisas branca e cinza meia manga. 2º - Metálica: I- Insígnia composta, na cor dourada; II- Insígnia base, na cor prateada; III- Estrela de cinco pontas (cheia), na cor dourada; usadas em platinas da túnica. Art As insígnias, de que trata o art.14, serão formadas pelo bordado de uma tocha acesa cruzada por duas machadinhas, tudo na cor dourada, ao centro de um círculo vermelho, contornado por uma fita azul, contendo cinco estrelas prateadas, centralizada em uma estrela prateada de quatro pontas insígnia base, ou dourada de oito pontas insígnia composta. O conjunto (platina ou passadeira) é formado, da seguinte maneira: (alterado pela resolução nº 105, de 13ago03, alterada pela resolução nº 141, de 10set04)) I Coronel: três estrelas de oitos pontas na cor dourada; II Tenente-Coronel: duas estrelas de oito pontas na cor dourada e uma estrela de quatro pontas prateada; III Major: uma estrela de oito pontas dourada e duas estrelas de quatro pontas prateadas; IV Capitão: três estrelas de quatro pontas, prateadas; V Primeiro-tenente: duas estrelas de quatro pontas, prateadas; VI Segundo-tenente: uma estrela de quatro pontas, prateada; 1º A platina será bordada em tecido cinza escuro, utilizado na confecção da calça do uniforme 1º A, no tamanho de 13,5 cm (treze e meio centímetros) por 6,0 cm (seis centímetros), com base em acrílico rígido, contendo um botão banhado a ouro na extremidade. 2º As platinas serão usadas somente nos uniformes 1º A e 2º A. Nos uniformes 3º A, 3º B, 3º C, 3º D, 4º A e 4º D elas serão substituídas pelas passadeiras. Estas serão produzidas em tecido cinza escuro ou branco, utilizado na confecção da calça do uniforme 4º A ou 3º B.

7 3º - As passadeiras e platinas possuirão listras longitudinais, bordadas em alto relevo, nas laterais das insígnias, sendo douradas para os oficiais superiores, e prateadas para os intermediários e subalternos. Art Nos capacetes de proteção brancos, para motociclista, será adesivado, na parte frontal da peça, o distintivo da Corporação. Art As miniaturas do distintivo básico serão usadas nas camisas manga longa e meia manga cinza e na camisa branca meia manga, centradas sobre uma linha de base de um triângulo isósceles, cujo vértice é a ponta da gola e com a altura de 35 milímetros. Art As divisas de Sargento e Cabo serão colocadas em todas as mangas, dispostas a 02 (dois) centímetros dos distintivos, da Unidade Federativa e da Corporação, de forma proporcional. CAPÍTULO IV CLASSIFICAÇÃO E USO DOS DISTINTIVOS E CONDECORAÇÕES Art Os distintivos do CBMMG são os seguintes: 1º - Distintivo da Corporação: I - Escudo de quatro circunferências concêntricas, a primeira em preto com 01 (um) milímetro de espessura; a segunda em vermelho com 07 (sete) milímetros de espessura e com os dizeres : CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MINAS GERAIS, em letras brancas de 01 (um) milímetro de traço; a terceira em preto com 01 (um) milímetro de espessura; a quarta em azul escuro, com 55 (cinqüenta e cinco) milímetros de diâmetro, tendo em seu interior o distintivo básico, com as chamas amarela e vermelha, as machadinhas na cor verde e lâmina branca, com cravo em preto, o archote na cor amarela e na parte central do distintivo básico, quatro triângulos equilátero concêntricos, o primeiro em preto com 01 (um) milímetro de espessura; o segundo em branco com 03 (três) milímetros de espessura; o terceiro em preto com 01 (um) milímetro de espessura e o quarto em vermelho com 17 (dezessete) milímetros de lado; abaixo do distintivo básico uma mangueira na cor branca, formando três círculos, sendo um na parte inferior do archote e os outros dois nas partes inferiores dos cabos das machadinhas, tendo, ainda, nas extremidades da mangueira, dois esguichos na cor amarela; II - Uso:

8 em tecido bordado, no lado esquerdo das mangas das túnicas, da jaqueta, das camisas cinza e branca meia manga, das gandolas, blusão de manutenção e macacão, com a sua parte superior disposta a 04 (quatro) centímetros da costura superior da manga e centralizado; no boné regulável cinza escuro, na parte frontal, em tecido bordado. c) nas camisetas vermelhas de gola olímpica, com 07 cm (sete centímetros) de diâmetro, na altura do tórax, no lado esquerdo, com o centro posicionado a 10 cm (dez centímetros) abaixo da gola. (acrescentado pela Resolução nº 105, de 13ago03, alterada pela resolução nº 141, de 10set04) 2º - Distintivo da Unidade Federativa: I - medirá 70 (setenta) milímetros horizontalmente, respeitando-se, proporcionalmente, às demais medidas, sendo confeccionado em tecido bordado; II - usado do lado direito das mangas das túnicas, da jaqueta, das camisas cinza e branca meia manga, das gandolas e macacão, com a sua parte superior disposta a 04 (quatro) centímetros da costura superior da manga e centralizado. 3º - Distintivo de Comandante-Geral: I- padrão utilizado pelos Comandantes-Gerais de Corpos de Bombeiros Militares; II- as insígnias de gola, molda das em metal e afixadas nas golas das túnicas e da camisa cinza, representarão o brasão da Corporação, no lado direito, e a insígnia de Comandante-Geral, no lado esquerdo. 4º - Distintivo de Comandante: I- representado por um estrela de metal de cinco pontas (cheia), dourada, podendo ser confeccionada em tecido, quando nos uniformes operacionais; usada acima do bolso direito das camisas, gandolas e macacão, facultativamente, nas túnicas e jaquetas, pelos oficiais que houverem, efetivamente, exercido ou assumido os seguintes cargos: a) Chefe e Subchefe do EMBM, Diretor, Comandante de Unidade de Execução e Chefe de Seção do EMBM; b) o Oficial usará apenas um distintivo, independente do número de comandos exercidos. 5º - Distintivos dos Círculos em coberturas (Florão): I - são representados por distintivos próprios, chamados de florão, ajustados na parte frontal da boina, quepe e chapéu, com a função de identificar os círculos dos Oficiais e Praças;

9 II- na boina vermelha para Oficiais, será de forma elíptica, com bordadura azul, carregada de 21 (vinte e um) estrelas de prata, tendo na base um listel azul contendo o nome da Unidade Federativa (Minas Gerais), em caracteres prateados. No interior da elipse, um distintivo em metal com duas circunferências concêntricas, a primeira em dourado com 02 (dois) milímetros de espessura; a segunda em vermelho com 17 (dezessete) milímetros de diâmetro, contendo em seu interior o distintivo básico da Corporação nas proporções compatíveis com a circunferência e o tamanho do florão. Envolve a elipse uma coroa de louros dourados com 40 (quarenta) milímetros de altura por 55 (cinqüenta e cinco) milímetros de largura. O distintivo é todo em metal; III- na boina vermelha para Cadetes e Alunos do CHO e do CEFO, será confeccionado de acordo com o disposto para Oficiais, exceto quanto à medida da coroa de louros, que terá 40 (quarenta) milímetros de altura por 40 (quarenta) milímetros de largura; IV- na boina vermelha para Subtenentes e Sargentos, será de forma elíptica, com bordadura prateada com 02 (dois) milímetros de espessura, tendo na base um listel azul contendo o nome da Unidade Federativa (Minas Gerais), em caracteres prateados. O interior da elipse será em vermelho contendo em seu centro o distintivo básico da Corporação, nas proporções compatíveis com a elipse e o tamanho do florão. Envolve a elipse uma moldura dourada com 42 (quarenta e dois) milímetros de altura por 35 (trinta e cinco) milímetros de largura. Na parte externa, ladeando a moldura, uma coroa de louros na cor prateada com 30 (trinta) milímetros de altura e 07 (sete) milímetros de largura. O distintivo é todo em metal; V- na boina vermelha para Cabos e Soldados, será de forma elíptica, com bordadura prateada com 02 (dois) milímetros de espessura, tendo na base um listel azul contendo o nome da Unidade Federativa (Minas Gerais), em caracteres prateados. O interior da elipse será em azul contendo em seu centro o distintivo básico da Corporação, nas proporções compatíveis com a elipse e o tamanho do florão. Envolve a elipse uma moldura dourada com 42 (quarenta e dois) milímetros de altura por 35 (trinta e cinco) milímetros de largura. Na parte externa, ladeando a moldura, uma coroa de louros na cor prateada com 30 (trinta) milímetros de altura e 07 (sete) milímetros de largura. O distintivo é todo em metal; VI- no quepe para Oficiais, será de forma elíptica, com bordadura azul, carregada de 21 (vinte e um) estrelas de prata, tendo na base um listel azul contendo o nome da Unidade Federativa (Minas Gerais), em caracteres prateados. No interior da elipse, um distintivo em metal com duas circunferências concêntricas, a primeira em dourado com 03 (três) milímetro de espessura; a segunda em vermelho com 28 (vinte e oito) milímetros de diâmetro, contendo em seu interior o distintivo básico da Corporação nas proporções compatíveis com a circunferência e o tamanho do florão.

10 Envolve a elipse uma coroa de louros dourados com 70 (setenta) milímetros de altura por 95 (noventa e cinco) milímetros de largura. O distintivo é todo em metal; VII- no quepe para Cadetes e Alunos do CHO e do CEFO, será confeccionado de acordo com o disposto para Oficiais, exceto quanto à medida da coroa de louros, que terá 70 (setenta) milímetros de altura por 70 (setenta) milímetros de largura; VIII- no quepe para Subtenentes e Sargentos, será de forma elíptica, com bordadura prateada com 02 (dois) milímetros de espessura, tendo na base um listel azul contendo o nome da Unidade Federativa (Minas Gerais), em caracteres prateados. O interior da elipse será em vermelho contendo em seu centro o distintivo básico da Corporação, nas proporções compatíveis com a elipse e o tamanho do florão. Envolve a elipse uma moldura dourada com 72 (setenta e dois) milímetros de altura por 60 (sessenta) milímetros de largura. Na parte externa, ladeando a moldura, uma coroa de louros na cor prateada com 50 (cinqüenta) milímetros de altura e 10 (dez) milímetros de largura. O distintivo é todo em metal; IX - no quepe para Cabos e Soldados, será de forma elíptica, com bordadura prateada com 02 (dois) milímetros de espessura, tendo na base um listel azul contendo o nome da Unidade Federativa (Minas Gerais), em caracteres prateados. O interior da elipse será em azul contendo em seu centro o distintivo básico da Corporação, nas proporções compatíveis com a elipse e o tamanho do florão. Envolve a elipse uma moldura dourada com 72 (setenta e dois) milímetros de altura por 60 (sessenta) milímetros de largura. Na parte externa, ladeando a moldura, uma coroa de louros na cor prateada com 50 (cinqüenta) milímetros de altura e 10 (dez) milímetros de largura. O distintivo é todo em metal; X - no chapéu para Oficiais e Praças feminino será usado o mesmo florão da boina. 6º - Distintivo Básico do Corpo de Bombeiros Militar: I - constituído por duas machadinhas cruzadas, com um archote aceso e um triângulo equilátero no centro, confeccionado em metal dourado, sendo usado nas duas extremidades da gola das túnicas e das camisas cinza e branca, sendo utilizado em todos os quadros e categorias da Corporação, nas medidas específicas. 7º - Distintivos de Cursos: I - Os distintivos de cursos/estágios realizados na Corporação serão confeccionados em modelos próprios e consoante as especificações técnicas prescritas no Catálogo de Especificação de Uniformes; II - Será permitido o uso de, no máximo, seis distintivos, sendo dois na parte central do bolso direito, dois acima do bolso direito e dois de uso típico no braço (um de cada lado), correspondentes

11 aos Cursos de Formação, de Aperfeiçoamento e de Especialização, sendo permitido, também, o uso de um na parte central do bolso esquerdo, quando realizado no exterior, nas seguintes condições: a) os distintivos correspondentes aos Cursos de Formação e Aperfeiçoamento, confeccionados em metal, serão usados, na parte central do bolso direito, sendo permitido o uso de apenas um desses distintivos, correspondente ao curso de maior destaque ou maior duração; b) os distintivos correspondentes aos Cursos de Especialização, confeccionados em metal, sendo permitido o uso de, no máximo, três distintivos; serão colocados, o primeiro, acima do bolso direito, rente à costura superior e corresponderá, sempre, ao curso de maior destaque ou de maior duração, o segundo distintivo ficará a 02 (dois) cm acima do primeiro, e o terceiro na parte central do bolso direito ou ficando a 0,5 (meio) cm abaixo do distintivo correspondente ao Curso de Formação ou Aperfeiçoamento; c) os distintivos de Curso de Formação, Aperfeiçoamento ou de Especialização terão uma versão confeccionada em tecido, seguindo o mesmo padrão do distintivo de metal, com especificações próprias consoante do Catálogo de Especificação de Uniformes, sendo de uso previsto, apenas, para os Uniformes Operacionais, seguindo as mesmas orientações de utilização descritas para os distintivos de metal; d) o distintivo de Curso ou Estágio de uso típico no braço, permitido apenas o uso de um em cada braço, será fixado nas mangas a 02 (dois) cm abaixo da costura dos ombros das camisas cinza e branca, blusão de manutenção, gandolas e macacão; e) Os distintivos indicativos de curso para Oficiais são os seguintes: 1) Curso de Formação para Oficiais: - 4º ano: distintivo básico inscrito em círculo e acrescido de 04 (quatro) barras verticais, na cor dourada; - 3º ano: distintivo básico inscrito em círculo e acrescido de 03 (três) barras verticais, na cor dourada; - 2º ano: distintivo básico inscrito em círculo e acrescido de 02 (duas) barras verticais, na cor dourada; - 1º ano: distintivo básico inscrito em círculo e acrescido de 01 (uma) barra vertical, na cor dourada. 2) Curso de Habilitação de Oficiais (CHO): - triângulo, em vermelho, inscrito em círculo da mesma cor. 3) Curso Especial de Formação de Oficial (CEFO):

12 - 1º ano: triângulo em vermelho, inscrito em círculo dourado, acrescido de 01 (uma) barra vertical dourada; - 2º ano: triângulo em vermelho, inscrito em círculo dourado, acrescido de 02 (duas) barras verticais douradas; f) os Cadetes e Alunos do CEFO usarão, obrigatoriamente, alamar nos Uniformes 1º A e 2º A, com as seguintes correspondências entre as cores: 1) 4º ano do CFO e 2º ano do CEFO: cor vermelha; 2) 3º ano do CFO e 1º ano do CEFO: cor azul; 3) 2º ano do CFO: cor amarela; 4) 1º ano do CFO: cor verde. g) o alamar deverá ser usado do lado esquerdo para os Cadetes e Alunos, quando armados de espadim, quando armados de fuzil, será usado do lado direito; h) o uso de distintivos de cursos ou estágios realizados na Corporação, deverá estar regulamentados através de Resolução específica do Comando; i) os cursos ou estágios realizados fora da Corporação seguirão as normas de utilização dos órgãos/entidades que o concederam, desde que reconhecidos pelo CBMMG e, neste caso, o militar concluinte do curso ou estágio somente poderá usar o distintivo depois da publicação do ato concedente em Boletim Geral. Art As condecorações deverão ser usadas com cuidado e sobriedade. 1º - As condecorações nacionais têm precedência sobre as estrangeiras, sendo que entre as nacionais a ordem é a seguinte: I - Ordens Honoríficas; II - Medalhas ou cruzes de mérito militar ou civil; III - Medalhas de tempo de serviço; IV - Medalhas comemorativas. 2º - A precedência obedecerá ao critério de antigüidade, isto é, a data da sua instituição, quando do mesmo grau, exceto se ao ser criada a condecoração lhe for previamente determinada a precedência; de outra forma, prevalecerá a de grau mais elevado. 3º - Tratando-se de condecorações estrangeiras, o critério a seguir é o mesmo; apenas a ordem de precedência é regulada não pela antigüidade da instituição, mas sim pela data de sua concessão.

13 4º - A não ser quando o respectivo Regulamento expressamente determinar o contrário, as condecorações serão usadas sempre do lado esquerdo. 5º - As condecorações, adotadas ou de uso permitido no Corpo de Bombeiros Militar, nacionais e estrangeiras, de caráter civil ou militar, sob a forma de medalhas, comendas e barretas, obedecem as seguintes normas e considerações: I - consideram-se de Caráter Militar aquelas condecorações outorgadas pelas Forças Armadas, Corpos de Bombeiros Militares ou Polícias Militares, nacionais ou estrangeiras, quando Instituição Permanente; II - consideram-se de Caráter Civil aquelas condecorações de mérito cívico administrativo, profissional ou intelectual, nacionais ou estrangeiras, quando instituídas sob a forma de Ordens Permanentes e devidamente disciplinadas em Lei ou Regulamento; III - é expressamente proibido o uso de medalhas e barretas recebidas em simpósios, congressos, datas comemorativas, instituições literárias ou científicas, competições desportivas ou qualquer outra espécie que fuja à orientação dos itens I e II anteriormente referidos; IV - as condecorações nacionais e estrangeiras serão colocadas nos uniformes de acordo com as Leis ou Decretos de sua adoção ou segundo as normas prescritas em regulamentos militares, sendo usadas obrigatoriamente: a) nas paradas e desfiles, qualquer que seja o uniforme estabelecido; b) por ocasião de outras solenidades, quando determinado pela autoridade competente, nos uniformes 1º A, 2º A, 3º A e 3º B; V - Em Solenidades e Atos Oficiais Nacionais as condecorações devem ser: a) usadas com prioridade as condecorações brasileiras; b) destacadas as condecorações de outros países quando a solenidade for sujeita ao cerimonial daquele país; c) destacadas as condecorações de outras instituições militares e Forças Armadas quando a solenidade for sujeita ao cerimonial dessas instituições. Art As Condecorações são identificadas da seguinte forma: 1º - Barreta comum: I - peça de metal revestida com um ou mais pedaços de fita correspondendo à medalha conferida, de uso quando determinado; II - são colocadas acima do bolso superior esquerdo (rente à costura), das túnicas, paletós e camisas;

14 III - devem ser organizadas em até quatro fileiras de três peças, de cima para baixo e da esquerda para a direita, ficando a última colocada rente à costura do bolso superior esquerdo. 2º - Colar: I - tipo de condecoração constituída de dupla corrente, ornada com os elementos alegóricos da mesma, tendo insígnia pendente de sua parte inferior; II - nada impede o uso do colar juntamente com outras condecorações, devendo ser usado somente um colar de cada vez. O mesmo será colocado no pescoço, por dentro das túnicas e na sua altura natural, sem necessidade de suspendê-lo ou de diminuir o seu tamanho. 3º - Comenda: I - insígnia de Comendador e de Grande Oficial (Grande Medalha), geralmente usada no pescoço, pendente de uma fita; II - esta insígnia será usada no pescoço, presa por fita, que se coloca rente ao colarinho, por baixo da gola da camisa e por cima da gravata, ficando a fita ligeiramente coberta e a comenda exposta, para fora da túnica; III - somente uma comenda poderá ser usada de cada vez e será sempre a de maior grau. 4º - Medalha: I - tipo de condecoração que deve ser disposta do lado esquerdo do peito, acima do bolso das túnicas e camisas; II - será usada em uma única fileira com no máximo três medalhas, segundo a ordem de precedência; III - o alinhamento será sempre da direita para a esquerda e de cima para baixo, uma ao lado da outra, obedecendo o alinhamento pelas medalhas e nunca pelas fitas. 5º - Fita: I - tira estreita de tecido, geralmente de gorgurão de seda chamalotada, em cores e dimensões fixadas, de onde pendem as medalhas ou as insígnias de menor grau das ordens honoríficas. 6º - Passador: I - peça retangular de metal, integrante de algumas medalhas, por onde atravessa a fita; II - destina-se a representar honrarias ou distinguir, pelas figuras que o ornam, tempo de serviço, categorias ou outros motivos, sendo normalmente igual à barreta respectiva. 7º - Roseta: I - laço ou botão de fita da respectiva condecoração, usado na botoeira da lapela do traje civil.

15 Art São peças complementares dos uniformes: 1º - Agasalho de Chuva para Motociclistas: I - usado como proteção contra chuva, nas Unidades que executam o serviço motorizado com emprego de motocicletas. 2º - Alamares de cordão rayon: I - para Cadetes e Alunos do CEFO, usado para identificar o ano do curso, nos uniformes 1º A e 2º A; II - para Chefes de Gabinete Militar, Assistentes Militares e Ajudantes-de-Ordens: a) amarelo, com pingente, para os uniformes 1º A e 2º A; b) amarelo, curto, sem pingente, para o uniforme 3º A; c) os alamares são colocados ao ombro, do lado esquerdo da túnica ou da camisa. 3º - Blusão de Couro Preto: I - usado pelos motociclistas da Corporação como proteção eventual contra as intempéries e quedas. Será adquirido segundo as especificações e incluído na carga do Almoxarifado da Unidade, que fará o controle de seu uso. Será distribuído exclusivamente aos motociclistas. 4º - Cachecol de Lã: I - de uso facultativo, em ocasiões de baixa temperatura, desde que devidamente enrolado no pescoço e sem dificultar ou impedir a identificação do militar. Seu uso será permitido quando as condições climáticas assim o indicarem, a critério do Comandante ou Chefe. 5º - Capa de Chuva: I - capa usada como proteção contra chuva, na cor cinza escuro impermeável. 6º - Capote: II - usado em ocasião de frio intenso pelo militares empregados em serviço de guarda de aquartelamento, na cor cinza escuro. 7º - Cinto Operacional: I - usado no uniforme 4º A; II - o uso de acessórios, como componentes do cinto, dependerá de estudo pela DAL e aprovação pelo EMBM. 8º - Colete Refletivo: I - usado em ocasiões que exijam maior ostensividade e identificação imediata do militar. 9º - Etiquetas de Identificação:

16 I - a identificação do militar do CBMMG, nos diversos uniformes e peças complementares, será feita da seguinte forma: a) nos uniformes operacionais, aplicado acima do bolso, do lado direito. O cadarço (tarjeta) de identificação individual será na cor vermelha e nas dimensões do tamanho da tampa do bolso, com largura de 02 (dois) centímetros, em letras brancas com 01 (um) centímetro de altura, contendo o posto ou graduação, o nome de guerra e o tipo e fator sanguíneo do militar; b) nas camisas cinza e branca meia manga, na parte superior da pestana do bolso direito, é usada a plaqueta de identificação, confeccionada em acrílico vermelho, nas dimensões de 1,7 (um virgula sete) centímetros de altura por 7,5 (sete e meio) centímetros de comprimento, contendo o posto ou graduação, abreviados, e o nome de guerra do militar estampados em letras maiúsculas, tipo imprensa, na cor branca. A largura dessas letras deverá ser proporcional à altura que medirá 08 (oito) milímetros; b) nas camisas cinza e branca meia manga, na parte superior da pestana do bolso direito, é usada a plaqueta de identificação, confeccionada em acrílico, ou metal recoberto por acrílico, vermelho, nas dimensões de 1,7 cm (um centímetro e sete décimos) de altura por 7,5 cm (sete e meio centímetros) de comprimento, contendo o posto ou graduação, abreviados, e o nome de guerra do militar estampado em letras maiúsculas, tipo imprensa, na cor branca ou dourada. A largura dessas letras deverá ser proporcional à altura que medirá 08 mm (oito milímetros); (alterado pela resolução nº 141, de 10set04) c) nas camisetas vermelhas é obrigatório constar, na altura do tórax, 10 (dez) centímetros abaixo da gola e no lado esquerdo, a designação do posto ou graduação abreviados, e o nome de guerra do militar, tudo em letra de imprensa de 01 (um) centímetro, na cor preta. Para os Alunos dos Cursos de Formação e Aperfeiçoamento, a 01 (um) centímetro abaixo do nome, deverá constar o nome do curso. c) nas camisetas vermelhas de gola olímpica é obrigatório constar, a 1 cm (um centímetro) abaixo do distintivo da Corporação o posto ou graduação abreviados e o nome de guerra do militar, tudo em letra de imprensa de 1 cm (um centímetro), na cor preta. Para os Alunos dos cursos de formação e aperfeiçoamento, a 1 cm (um centímetro) abaixo do distintivo da Corporação, deverá constar o distintivo indicativo do ano do curso, se Cadetes e Alunos do CHO, ou o nome do curso abreviado se alunos dos cursos de formação e aperfeiçoamento de praças. O posto ou graduação e o nome de guerra destes Alunos

17 constarão a 1 cm (um centímetro) abaixo dos distintivos de ano ou do nome do curso. (alterado pela resolução nº 105, de 13ago03, alterada pela resolução nº 141, de 10set04) c) nas camisetas vermelhas de gola olímpica é obrigatório constar, a 1 cm (um centímetro) abaixo do distintivo da Corporação o posto ou graduação abreviados e o nome de guerra do militar, tudo em letra de imprensa de 1 cm (um centímetro), na cor branca. Para os Alunos dos cursos de formação e aperfeiçoamento, a 1 cm (um centímetro) abaixo do distintivo da Corporação, deverá constar o distintivo indicativo do ano do curso, se Cadetes e Alunos do CHO, ou o nome do curso abreviado se alunos dos cursos de formação e aperfeiçoamento de praças. O posto ou graduação e o nome de guerra destes Alunos constarão a 1 cm (um centímetro) abaixo dos distintivos de ano ou do nome do curso. (alterado pela Resolução nº 205, de 31mai06) 10º - Jaqueta: I - usada com os uniformes operacionais e administrativos. 11º - Luvas: I - pretas de punho curto, em complemento aos uniformes 1º A, 2º A, 3º A e 4º A; II - pretas de punho médio (canhões), de uso obrigatório para o uniforme 4º B (motociclistas); III é obrigatório o uso, quando o militar estiver armado de espada. 12º - Passadeira cinza escuro: I - para uso nas platinas das camisas e cinza, gandolas, jaquetas, blusão de manutenção e macacão, com aplicação bordada das insígnias, com vistas à identificação pronta e precisa dos postos e graduações. 13º - Talim: I - de couro preto, para uso com os uniformes 1º A, 2º A, 3º A e 3º A, quando o militar estiver armado de espada. CAPÍTULO V UNIFORMES DE POSSE OBRIGATÓRIA

18 Art São Uniformes de posse obrigatória: 1º - Uniformes de Gala e Passeio: I - Uniforme 1º A e 2º A - para Oficiais, Cadetes e Alunos do CEFO e CHO; II - Uniforme 2º A - para Subtenentes e Sargentos. 2º - Uniformes Operacionais: I - de posse obrigatória para todos aqueles que exercem atividade operacional, conforme o previsto para a respectiva atividade. 3º - Uniformes Administrativos: I - de posse obrigatória para os militares empregados na administração de Unidades, de acordo com sua respectiva classe, categoria ou especialidade; 4º - Uniformes para Delegações e Práticas Desportivas: I Uniformes 5º A e 5º B - todos militares empregados no serviço ativo da Corporação. CAPÍTULO VI DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS Art A pala dos quepes, boné regulável e dos chapéus dos oficiais superiores será revestida, em seu lado externo, de ramada bordada em modelo próprio. Regulamento. Art Será facultativo o uso da barreta, observando-se as prescrições dos Art. 21 e 22 deste Art Para o militar transitar fardado, não estando de serviço, são previstos os seguintes uniformes: 1º A, 2º A, 3º A e 3º B, os Uniformes Operacionais (exceto de Prevenção Aquática) com boina, boné regulável, quepe ou chapéu. Art O militar em tratamento psiquiátrico ou com problema físico que prejudique a estética, tal como braço engessado, pé fraturado ou prescrição para usar chinelo, após parecer médico e decisão do Comando ou Chefe, ficará dispensado do uso de fardamento. Art É obrigatório o uso de capacete para motociclistas, quando o militar fardado empregar motocicleta própria como meio de transporte.

19 Art É facultado o uso de guarda chuva ou sombrinha para o militar transitar fardado, desde que não esteja de serviço e as condições pluviométricas assim o exigirem. Parágrafo Único: O guarda-chuva e a sombrinha deverão ser dobráveis, pretos e sem estampas. Art Aos Bombeiros Militares que prestam serviço na Coordenadoria de Defesa Civil (CEDEC) é autorizado o uso de colete identificador da Instituição, quando não estiverem fardados, em atividades tipicamente operacionais. Art É facultativo o uso da camiseta vermelha para o Bombeiro Militar sob os uniformes, salvo disposição em contrário. Art As peças estabelecidas neste Regulamento, como de uso facultativo, obedecerão as condições de uso determinadas por cada Comandante ou Chefe, de modo que haja uniformidade na utilização dessas peças. Art O Comandante-Geral poderá cassar o direito de uso dos uniformes do CBMMG, dos militares da reserva ou reformados, cuja conduta for considerada ofensiva aos preceitos e ética bombeiro militar. Art. 35 O militar do CBMMG, armado ou não, ao se descobrir deverá conduzir a cobertura entre o braço esquerdo e o corpo, com a copa para fora. A pala do gorro deverá estar para frente, segurando-a com o polegar por cima e os demais dedos por baixo. A boina deverá estar com o emblema para a frente. 1º - O uso da cobertura é dispensado no interior das Unidades do CBMMG, em veículos em geral e locais cobertos; 2º - O militar do CBMMG deverá descobri-se quando nas cerimônias fúnebres e religiosas ou no interior de templos e edifícios, ressalvado-se os casos em que estiver de serviço nestes locais ou em guarda de honra. Art Os militares do sexo masculino do CBMMG devem usar cabelo de corte curto e barba raspada. É permitido o uso de bigode, devendo ser curto, sem ultrapassar as comissuras labiais. É permitido o uso de costeletas desde que não ultrapassem a linha do targus auricular.

20 1º - O militar que tiver que usar características diferentes do que foi estipulado neste artigo, em virtude de estética ou motivo de saúde, deverá requerer autorização ao respectivo Comandante, justificando seu pedido por receita ou prescrição médica; 2º - Compete ao Comandante-Geral regular o corte de cabelo dos componentes da Corporação, por proposta do Diretor de Recursos Humanos. Art Os militares do sexo feminino terão o cabelo classificado dentro dos padrões curto, médio e longo. 1º - Cabelo curto quando seu corte não ultrapassar a linha superior da parte posterior da gola das camisas e gandolas; 2º - Cabelo médio quando ultrapassar a linha superior da parte posterior da gola das camisas e gandolas, não ultrapassando a linha superior dos ombros. 3º - Cabelo longo - quando ultrapassar a linha superior dos ombros; 4º - O cabelo médio deverá ser arranjado com o penteado tipo rabo-de-cavalo ou que o mantenha baixo, de forma a se evitar armações exageradas; 5º - O cabelo longo deverá ser usado das seguintes formas: I permitir-se-á o uso de rabo-de-cavalo quando se tratar de uso do uniforme de educação física ou agasalho; II permitir-se-á, também, o uso de rabo-de-cavalo com trança quando se tratar de uso dos uniformes operacionais e administrativos, internamente ou em serviço operacional, sendo vedado o uso quando em trânsito. II - permitir-se-á, também, o uso do rabo-de-cavalo com trança nos serviços administrativo e de guarda de aquartelamento, sendo vedado o uso no serviço operacional ou em trânsito. (alterado pela resolução nº 141, de 10set04) 6º - O penteado não deve impedir o correto posicionamento da cobertura; 7º - O militar feminino que tiver que usar características diferentes do que foi estipulado neste artigo, em virtude de estética ou motivo de saúde, deverá requerer autorização ao respectivo Comandante, justificando seu pedido por receita ou prescrição médica.

21 Art O Oficial e Praça que tiver seu uniforme ou peça do mesmo inutilizado em ato de serviço poderá solicitar sua reposição, o que será feito gratuitamente, após sumária verificação por parte de seu Comandante. Art. 39 Quando autorizado pelo Comando, o militar do CBMMG poderá usar trajes civis no cumprimento de missões específicas, solenidades civis ou em outras ocasiões. O militar masculino poderá utilizar terno na cor preta, cinza ou azul marinho e o militar feminino poderá utilizar Tailleur ou vestido social. Nesses casos, o militar deverá utilizar o bótom com o Distintivo da Corporação. Art Este Regulamento entrará em vigor na data de sua publicação, revogando as disposições em contrário. Quartel em Belo Horizonte, 02 de outubro de JOSÉ MARIA GOMES, CEL BM Comandante Geral ANEXO "A" AO RUICBM CLASSIFICAÇÃO DOS UNIFORMES CODIGO 1º 2º 3º CLASSIFICAÇÃO UNIFORME DE GALA 1º A Uniforme Branco UNIFORME FORMAL 2º A Uniforme Cinza UNIFORME PASSEIO 3º A Uniforme de Trânsito e Expediente 3º B Uniforme para o Pessoal de Saúde 3º C Uniforme para Gestantes 3º D Uniforme para Manutenção UNIFORME OPERACIONAL 4º Uniforme Operacional 4º A 4º B

22 Uniforme para Motociclista 4º C Uniforme de Prevenção Aquática 4º D Uniforme para Patrulhamento Aéreo 5º UNIFORME DE EDUCAÇÃO FÍSICA 5º A Uniforme de Educação Física 5º B Agasalho de Educação Física Quartel em Belo Horizonte, 02 de outubro de JOSÉ MARIA GOMES, CEL BM COMANDANTE GERAL ANEXO "B" AO RUIBM DESCRIÇÃO, COMPOSIÇÃO E USO DOS UNIFORMES 1 UNIFORME DE GALA CÓD. DESCRIÇÃO,COMPOSIÇÃO E USO

23 1º A Uniforme Branco Uso COMPOSIÇÃO PARA O MILITAR MASCULINO: - sapato preto; - meia preta; - calça cinza escuro; - camisa branca de manga comprida; - cinto vermelho com fivela da Corporação; - gravata vertical preta; - túnica branca; - quepe cinza escuro. 1) Exclusivo em solenidades cívico-militares e em outras ocasiões, quando determinado. COMPOSIÇÃO PARA O MILITAR FEMININO: - sapato social preto, salto médio; - meia-calça fumê; - saia cinza escuro; - cinto vermelho com fivela da Corporação; - blusa branca de manga comprida; - gravata vertical preta; - túnica branca; - chapéu cinza escuro. Observações: 1) O Cadete e Aluno do CEFO deverão usar um alamar na cor indicativa do ano do curso; 2) para os militares femininos da Banda de Música será facultativo o uso da calça. 2 UNIFORME FORMAL COD. DESCRIÇÃO,COMPOSIÇÃO E USO 2º A Uniforme Cinza Uso

24 COMPOSIÇÃO PARA O MILITAR MASCULINO: - sapato preto; - meia preta; - calça cinza escuro; - cinto vermelho com fivela da Corporação; - camisa cinza de manga longa; - gravata vertical preta; - túnica cinza escuro; - quepe cinza escuro. 1) Exclusivo em solenidades cívico-militares e em outras ocasiões, quando determinado. COMPOSIÇÃO PARA O MILITAR FEMININO: - sapato social preto, salto médio; - meia-calça fumê; - saia e/ou calça cinza escuro; - cinto vermelho com fivela da Corporação; - camisa cinza; - gravata vertical preta; - túnica cinza escuro; - chapéu cinza escuro. Observação 1) O cadete e Aluno do CEFO deverão usar um alamar na cor indicativa do ano do curso. 3 UNIFORME PASSEIO (alterado pela Resolução nº 275/07) COD. DESCRIÇÃO,COMPOSIÇÃO E USO 3º A Uniforme de Trânsito e Expediente

25 COMPOSIÇÃO PARA O MILITAR MASCULINO: (COMPOSIÇÃO PARA O MILITAR) - sapato preto; - meia preta; - calça cinza escuro; - cinto vermelho com fivela da Corporação; - camisa cinza meia manga; - camiseta vermelha; - boina vermelha, boné regulável cinza ou quepe. COMPOSIÇÃO PARA O MILITAR FEMININO: (COMPOSIÇÃO PARA A MILITAR) - sapato preto; - meia fina cor da pele; - saia e/ou calça cinza escuro; - cinto vermelho com fivela da Corporação; - blusa cinza meia manga - boina vermelha, boné regulável cinza ou chapéu. Observações 1) O quepe e chapéu cinza escuro deverão ser usados em solenidades ou quando determinado; 2) durante a realização de cursos o militar feminino usará, obrigatoriamente, a calça de cor cinza escuro; 3) será facultativo o uso do boné regulável cinza escuro, bem como a camiseta vermelha. 4) nos serviços internos, é facultativo o uso da camisa cinza meia manga, sendo que, a camiseta vermelha deverá ser usada para dentro da calça. (Revogado pela Resolução nº 307/08) 1) Nas atividades administrativas, trânsito ou quando determinado. 2) Para a utilização da camisa vermelha, esta deverá atender os padrões previstos nas normas em vigor no CBMMG. (Revogado pela Resolução nº 307/08)

26 COD. DESCRIÇÃO,COMPOSIÇÃO E USO 3º B Uniforme para Pessoal de Saúde Uso COMPOSIÇÃO PARA O MILITAR MASCULINO: - - sapato branco - meia branca; - calça branca; - camisa branca meia manga; - cinto branco com fivela da Corporação; - boné regulável branco.. Pelos militares do QOS e QPE Aux. Saúde, nos ambulatórios, enfermarias, clínicas e nos demais serviços de assistência à saúde. COMPOSIÇÃO PARA O MILITAR FEMININO: - - sapato branco; - meia branca; - calça e/ou saia branca; - blusa branca meia manga; - cinto branco com fivela da Corporação; - boné regulável branco. Observações É obrigatório o uso do distintivo da Corporação na manga esquerda e o distintivo da Unidade Federativa na manga direita da camisa, bem como as insígnias do posto ou graduação (divisas e passadeiras).

27 COD. DESCRIÇÃO,COMPOSIÇÃO E USO 3º C Uniformes para Gestantes Uso COMPOSIÇÃO BÁSICA: - sapato preto; - meia fina cor da pele; - vestido jumper para gestante cinza escuro; - blusa cinza meia manga; - boné regulável cinza escuro ou boina vermelha. Observações: 1) Para pessoal da área de saúde o uniforme terá as mesmas características e peças na cor branca; 2) poderá ser usado com chinelos ou similar, quando com prescrição médica; 3) este uniforme é de uso interno, excepcionalmente, em situações de serviço, usado externamente. 1) É de uso restrito ao interior dos Quartéis, substituindo os demais uniformes, a partir do 3º mês de gestação e em solenidade de formatura da gestante ou outras solenidades, quando determinado. COD. DESCRIÇÃO,COMPOSIÇÃO E USO 3º D Uniforme para Manutenção Uso COMPOSIÇÃO BÁSICA: - borzeguim preto; - meia preta; - cinto vermelho com fivela da Corporação; - blusão cinza escuro manga curta; - calça cinza escuro; 1) Nas atividades diárias do centro de manutenção ou em qualquer OBM, no exercício de serviços gerais; 2) é proibido o uso para o trânsito externo, exceto se - boné regulável cinza escuro ou boina vermelha. no desempenho da atividade.

28 4 UNIFORME OPERACIONAL COD. DESCRIÇÃO,COMPOSIÇÃO E USO 4º A Uniforme Operacional Uso COMPOSIÇÃO BÁSICA: - meia preta: 1) Para o serviço - borzeguim ou bota cano longo preto; operacional, guarda em - calça cinza escuro; - cinto vermelho com fivela da Corporação; aquartelamentos, instruções e deslocamentos externos. - gandola cinza escuro de manga comprida; - cinto ginástico; - boné regulável cinza escuro ou boina vermelha. Observações 1) Nas instruções e nas atividades internas, a camiseta vermelha poderá substituir a gandola; 2) no serviço operacional, quando necessário, o uniforme poderá ser composto com o colete refletivo. 3) no teatro de operações não é facultativo o uso da manga da gandola dobrada; 4) nos serviços de guarda de aquartelamento o cinto operacional, será substituído por um equivalente ao cinturão usado na PMMG; 5) nos serviços internos, de guarda de aquartelamento, de vistoria e administrativos, poderá ser usada a gandola cinza de manga curta, para dentro da calça. É facultativo o uso em trânsito. COD. DESCRIÇÃO,COMPOSIÇÃO E USO 4º B Uniforme para Motociclista Uso COMPOSIÇÃO BÁSICA: - bota preta; Quando em serviço - meia preta; operacional e administrativo - culote cinza escuro; com emprego de - cinto vermelho com fivela da Corporação; motocicleta. - gandola cinza escuro; - cinto ginástico; - boné regulável cinza ou boina vermelha; - - luvas pretas, com punho longo; - capacete branco de motociclista, com visor e queixera.

29 (alterado pela resolução nº 105, de 13ago03, alterada pela resolução nº 141, de 10set04) COD. DESCRIÇÃO,COMPOSIÇÃO E USO 4º C Uniforme de Prevenção Aquática Uso COMPOSIÇÃO BÁSICA: - boné regulável cinza escuro; (boné regulável vermelho) - Quando em serviços de - camiseta vermelha; (camiseta tipo regata vermelha) prevenção aquática diversas - camiseta tipo regata vermelha com uma lista amarela na vertical, e no interior de com 8 cm (oito centímetros) de largura; sobre a lista, o Distintivo embarcações. Básico da Corporação, com 7cm de diâmetro, na altura do tórax, do - Em operações de lado esquerdo. Nas costas, a inscrição Bombeiros Minas Gerais na cor amarela; (acrescentado pela Resolução nº 141 /04) salvamento aquático. - short de natação na cor azul para Praças e na cor preta para Oficiais; - Quando em serviços de - short de natação (tipo sungão) na cor vermelha, sendo que para os prevenção e salvamento Cb e Sd terá uma listra amarela em cada lateral, para os Sgt e aquático e para os envolvidos Subten duas listras amarelas e para os oficiais três listras amarelas; no Prodinata. para os alunos dos diversos cursos de formação de Oficiais, o short terá três listras brancas em cada lateral; - Em serviços de prevenção e - tênis preto; salvamento aquático e para os - meia branca. envolvidos no Prodinata. Observações: 1) No interior de embarcações, deverá ser utilizado o colete salva-vidas como equipamento de salvamento aquático;. 2) será facultativo o uso do boné regulável, do tênis preto com a meia branca ou sandálias de borracha de dedo com tiras pretas; 2) será facultativo o uso do boné regulável, do tênis preto com a meia branca ou sandálias de borracha de dedo integralmente na cor preta; 3) o militar feminino deverá usar o maiô de natação, na cor preta para Oficiais e azul para Praças. 3) A militar deverá usar maiô de natação na cor preta, sendo que para as Cb e Sd terá uma lista amarela em cada lateral, para as Sgt e Subten duas listas amarelas e para as oficiais três listas amarelas; para as alunas dos diversos cursos de formação de oficiais, o maiô terá três listas brancas em cada lateral. Será facultativo o uso do short extensor de lycra, na cor preta, por baixo do maiô. COD. DESCRIÇÃO,COMPOSIÇÃO E USO 4º D Uniforme para Patrulhamento Aéreo Uso

Art. 1º. Fica aprovado o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/RN), anexo ao presente Decreto.

Art. 1º. Fica aprovado o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/RN), anexo ao presente Decreto. Decreto nº 16.039, de 3 de maio de 2002. Dispõe sobre o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/ RN). O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, usando da

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS DO RUCBMRN

DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS DO RUCBMRN CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMRN (RUCBM) ANEXO I DA PORTARIA Nº 153 GAB CMDO, DE 29 DE AGOSTO DE 2014. DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS

Leia mais

INSTITUCIONALIZA O UNIFORME

INSTITUCIONALIZA O UNIFORME DECRETO Nº29.482, de 03 de outubro de 2008. INSTITUCIONALIZA O UNIFORME DO PROGRAMA RONDA DO QUARTEIRÃO E MODIFICA O DECRETO Nº18.063, DE 06 DE AGOSTO DE 1986 (REGULAMENTODE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR

Leia mais

Art. 3º - Compete ainda, ao Comandante Geral estabelecer normas para aplicação do Regulamento ora aprovado.

Art. 3º - Compete ainda, ao Comandante Geral estabelecer normas para aplicação do Regulamento ora aprovado. DECRETO N.º 18.063, de 06 de agosto de 1986 Aprova o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Ceará e dá outras providências O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ, no uso de suas atribuições legais que

Leia mais

Anexo ao Decreto XXXXXXXXX. CAPÍTULO I Das Disposições Gerais

Anexo ao Decreto XXXXXXXXX. CAPÍTULO I Das Disposições Gerais Anexo ao Decreto XXXXXXXXX CAPÍTULO I Das Disposições Gerais Art. 1º - O presente Regulamento contém as prescrições sobre os uniformes, peças complementares, insígnias e distintivos do Corpo de Bombeiros

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA ICA 168-6/2011 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA PESSOAL-MILITAR RCA 35-2 REGULAMENTO DE UNIFORMES PARA OS MILITARES DA AERONÁUTICA (RUMAER) 2012 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DIRETORIA

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E HISTÓRICO DA AERONÁUTICA

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E HISTÓRICO DA AERONÁUTICA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E HISTÓRICO DA AERONÁUTICA Fl. nº 1 Rio de Janeiro, 13 de abril de 2005 ADITAMENTO AO BOLETIM DO COMANDO DA AERONÁUTICA Nº 068 Para conhecimento do Pessoal

Leia mais

REGULAMENTO DE UNIFORMES

REGULAMENTO DE UNIFORMES POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS ANEXO III REGULAMENTO DE UNIFORMES TÍTULO I Generalidades Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS

SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS REGULAMENTO DE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR DA PARAÍBA (RUPMPB) SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS I - 8º UNIFORME CAVALARIA 8º UNIFORME A (8ºA) - CAVALARIA HISTÓRICO NEGO a) 8º UNIFORME

Leia mais

Palácio Paiaguás, em Cuiabá, 18 de outubro 2012, 191º da Independência e 124º da República. Transc. D.O. n 25911 de 18/10/2012

Palácio Paiaguás, em Cuiabá, 18 de outubro 2012, 191º da Independência e 124º da República. Transc. D.O. n 25911 de 18/10/2012 DECRETO Nº 1.400, DE 18 DE OUTUBRO DE 2012. Aprova o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso RUPM/MT e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO, no uso

Leia mais

DECRETO Nº 39.034, DE FEVEREIRO DE 2006

DECRETO Nº 39.034, DE FEVEREIRO DE 2006 1 DECRETO Nº 39.034, DE FEVEREIRO DE 2006 APROVA O REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO,

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEDALHA SERVIÇO BOMBEIRO MILITAR ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DECRETO Nº 18.428 São Luís, 03 de dezembro de 2001. Regulamenta o art. 158,

Leia mais

ATOS DO PODER EXECUTIVO

ATOS DO PODER EXECUTIVO ESTADO DA PARAÍBA Nº 14.621 João Pessoa - Domingo, 17 de Abril de 2011 Preço: R$ 2,00 ATOS DO PODER EXECUTIVO DECRETO Nº 32.101, DE 15 DE ABRIL DE 2011 Aprova o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros

Leia mais

Maceió - Terça-feira 23 de maio de 2006 3

Maceió - Terça-feira 23 de maio de 2006 3 23 de maio de 2006 3 DECRETO Nº 3.192, DE 22 DE MAIO DE 2006. APROVA O REGULAMENTO DE UNIFORME DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS. ALAGOAS, no uso das atribuições que lhe confere o inciso

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 43.430, DE 29 DE OUTUBRO DE 2004. (republicado no DOE nº 03, de 06 de janeiro de 2005) (vide abaixo publicação

Leia mais

REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL

REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL 2014 REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE ALAGOAS Maceió-AL 1 COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO NOVO REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL Presidente Cel. QOBM/Comb. Mat. 139983-4 - Adriano

Leia mais

SÍMBOLO DA FAB. RUMAER Insígnias e Acessórios - Página 1

SÍMBOLO DA FAB. RUMAER Insígnias e Acessórios - Página 1 SÍMBOLO DA FAB RUMAER Insígnias e Acessórios - Página 1 INSÍGNIA DE POSTO PARA USO NA GOLA E GORRO MARECHAL-DO-AR TENENTE-BRIGADEIRO MAJOR-BRIGADEIRO BRIGADEIRO RUMAER Insígnias e Acessórios - Página 2

Leia mais

Regulamento de Uniformes APLICÁVEL AO CBM/AP

Regulamento de Uniformes APLICÁVEL AO CBM/AP COLETÂNEA DA Regulamento de Uniformes APLICÁVEL AO CBM/AP VOLUME 1 GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAPÁ Antônio Waldez Góes da Silva SECRETÁRIO ESPECIAL DE DESENVOLVIMENTO DA DEFESA SOCIAL Aldo Alves Ferreira

Leia mais

http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/boletins.php http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/separatas.php Continue lendo...

http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/boletins.php http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/separatas.php Continue lendo... SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO INFORMAÇÃO As Portarias do Comandante do Exército, todas de 6 de março de 2014, abaixo listadas, alteram, revogam e incluem dispositivos no Regulamento de Uniformes do Exército

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR REGULAMENTO DE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1ª EDIÇÃO 2012 1 RIO GRANDE

Leia mais

Separata ao Boletim do Exército

Separata ao Boletim do Exército Separata ao Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO SEPARATA AO BE Nº 11/2014 PORTARIA COMANDANTE DO EXÉRCITO Nº 158, DE 6 DE MARÇO DE 2014. Altera o Capítulo

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA. Subcomando Geral - Nº 012-12 de agosto de 2003 LEGISLAÇÃO JURISPRUDÊNCIA E NORMAS GERAIS LJNG

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA. Subcomando Geral - Nº 012-12 de agosto de 2003 LEGISLAÇÃO JURISPRUDÊNCIA E NORMAS GERAIS LJNG POLÍCIA MILITAR DA BAHIA Subcomando Geral - Nº 012-12 de agosto de 2003 LEGISLAÇÃO JURISPRUDÊNCIA E NORMAS GERAIS LJNG SUMÁRIO SUPLEMENTO LJNG N.º 012 06 DE AGOSTO DE 2003 QUARTA - FEIRA 1 - PORTARIA N.º

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEDALHA ALFERES MORAES SANTOS

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEDALHA ALFERES MORAES SANTOS ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEDALHA ALFERES MORAES SANTOS ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DECRETO Nº 18.430 São Luís, 03 de dezembro de 2001. Regulamenta o art. 158, da

Leia mais

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO ESCOLAR E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Capítulo I Das disposições preliminares

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO ESCOLAR E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Capítulo I Das disposições preliminares DIRETORIA DE EDUCAÇÃO ESCOLAR E ASSISTÊNCIA SOCIAL INSTRUÇÃO 02 / 2012. DEEAS Regula o uso de uniformes do Colégio Tiradentes da Policial Militar de Minas Gerais. Capítulo I Das disposições preliminares

Leia mais

UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES)

UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES) UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES) PEÇA ESPECIFICAÇÃO USO AQUISIÇÃO OBSERVAÇÕES SAPATO Social preto, padrão militar, com cadarço. Preferencialmente em lojas militares Evitar uso de sapato social com

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL PORTARIA Nº 005/BM-1/07

ESTADO DE MATO GROSSO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL PORTARIA Nº 005/BM-1/07 ESTADO DE MATO GROSSO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL PORTARIA Nº 005/BM-1/07 Aprova as Normas Gerais de Ação (NGA) para o Corpo Feminino do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso.

Leia mais

S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS. Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro

S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS. Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro Atendendo a que os modelos dos uniformes e distintivos a utilizar pelos elementos do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015. Série. Número 34

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015. Série. Número 34 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS Portaria n.º 50/2015 Aprova o Regulamento do Fardamento

Leia mais

DECRETO Nº 16.144, DE 27 DE JULHO DE 1994

DECRETO Nº 16.144, DE 27 DE JULHO DE 1994 DECRETO Nº 16.144, DE 27 DE JULHO DE 1994 APROVA o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Amazonas e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAZONAS, usando das atribuições que lhe são

Leia mais

LEI Nº 1543, DE 10 DE ABRIL DE 2008 DE 2008.

LEI Nº 1543, DE 10 DE ABRIL DE 2008 DE 2008. LEI Nº 1543, DE 10 DE ABRIL DE 2008 DE 2008. Autoria: Poder Legislativo Estabelece normas para as cerimônias públicas e a ordem geral de precedência no Município de Lucas do Rio Verde - MT. O Prefeito

Leia mais

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul. Secretário de Estado de Fazenda JADER RIEFFE JULIANELLI AFONSO

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul. Secretário de Estado de Fazenda JADER RIEFFE JULIANELLI AFONSO SUPLEMENTO 11-1 0-1977 Diário Oficial Estado de Mato Grosso do Sul ANO XXXVI n. 8.810 CAMPO GRANDE-MS, SEGUNDA-FEIRA, 27 PÁGINAS GOVERNADOR ANDRÉ PUCCINELLI Vice-Governadora SIMONE TEBET Secretário de

Leia mais

SUMÁRIO. José de Anchieta Junior - Governador do Estado Boa Vista-RR, (quarta-feira) 19 de Dezembro de 2007

SUMÁRIO. José de Anchieta Junior - Governador do Estado Boa Vista-RR, (quarta-feira) 19 de Dezembro de 2007 SUMÁRIO Página Atos do Poder Executivo...01 Governadoria do Estado...01 Casa Militar...37 Casa Civil...37 Controladoria Geral do Estado...38 Secretaria de Estado da Gestão Estratégica e Administração...38

Leia mais

O Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, no uso das atribuições que lhe confere o inciso VII, do artigo 89, da Constituição Estadual,

O Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, no uso das atribuições que lhe confere o inciso VII, do artigo 89, da Constituição Estadual, P O D E R E X E C U T I V O DECRETO Nº 10.529 DE 29 DE OUTUBRO DE 2.001 D i s p õ e s o b r e a M e d a l h a I M P E R A - D O R D O M P E D R O I I n o C o r p o d e B o m b e i r o s M i l i t a r d

Leia mais

MARCOS AURÉLIO MACEDO DE MELO TENCEL PM (ORG)

MARCOS AURÉLIO MACEDO DE MELO TENCEL PM (ORG) 0 MARCOS AURÉLIO MACEDO DE MELO TENCEL PM (ORG) LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR INCLUI UNIFORMES DO COLÉGIO E DA GUARDA PALACIANA FORTALEZA - CEARÁ MARÇO - 2012 ATÉ AQUI O SENHOR NOS AJUDOU 1 MARCO AURÉLIO MACÊDO

Leia mais

II - NORMAS PARA O PENTEADO E O CORTE DE CABELO FEMININO PARA OFICIAIS E PRAÇAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE (CBMRN).

II - NORMAS PARA O PENTEADO E O CORTE DE CABELO FEMININO PARA OFICIAIS E PRAÇAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE (CBMRN). II - NORMAS PARA O PENTEADO E O CORTE DE CABELO FEMININO PARA OFICIAIS E PRAÇAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE (CBMRN). 1. FINALIDADE Estabelecer procedimentos uniformes para a apresentação

Leia mais

ESTADO DE PERNAMBUCO POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL

ESTADO DE PERNAMBUCO POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL ESTADO DE PERNAMBUCO POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL SEXTA-FEIRA - RECIFE, - SUNOR Nº G 1.0.00.018 ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Profissionalismo, organização, asseio, segurança, confiança. Muitas são as mensagens que uma equipe uniformizada passa para clientes e fornecedores e

Profissionalismo, organização, asseio, segurança, confiança. Muitas são as mensagens que uma equipe uniformizada passa para clientes e fornecedores e Manual de Uniformes Profissionalismo, organização, asseio, segurança, confiança. Muitas são as mensagens que uma equipe uniformizada passa para clientes e fornecedores e que justificam o investimento no

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 463, DE 03 DE JANEIRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 463, DE 03 DE JANEIRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 463, DE 03 DE JANEIRO DE 2012. Dispõe sobre o subsídio dos Militares do Estado e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPCT DIREN COSEA COLÉGIO MILITAR DOM PEDRO II

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPCT DIREN COSEA COLÉGIO MILITAR DOM PEDRO II CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPCT DIREN COSEA COLÉGIO MILITAR DOM PEDRO II NORMAS REGULAMENTADORAS DAS GRADUAÇÕES NO CORPO DE ALUNOS Normatiza os procedimentos a serem adotados na concessão

Leia mais

CAPÍTULO IV Dos Distintivos

CAPÍTULO IV Dos Distintivos CAPÍTULO IV Dos Distintivos Art. 44. O presente Capítulo trata do uso e da descrição geral dos distintivos que são usados nos uniformes básicos ou peças complementares. Art. 46. Para efeito de aplicação

Leia mais

COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007.

COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007. COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007. Aprova as Instruções Gerais para o Funcionamento dos Hotéis de Trânsito do Exército (IG 30-52). O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso das atribuições

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N. 290, DE 28 DE JULHO DE 2014 O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

LEI COMPLEMENTAR N. 290, DE 28 DE JULHO DE 2014 O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI COMPLEMENTAR N. 290, DE 28 DE JULHO DE 2014 Altera a Lei Complementar n. 164, de 3 de julho de 2006, que Dispõe sobre o Estatuto dos Militares do Estado do Acre e dá outras providências. O GOVERNADOR

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA CENTRO DE ENSINO BOMBEIRO MILITAR ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA CENTRO DE ENSINO BOMBEIRO MILITAR ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA CENTRO DE ENSINO BOMBEIRO MILITAR ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR Caro futuro Cadete, Nós, da Academia de Bombeiro Militar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CONSELHO SUPERIOR

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CONSELHO SUPERIOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 032/2009, de 03 de setembro de 2009. Aprova, ad referendum do Conselho Superior, as

Leia mais

1º UNIFORME B1, MASCULINO, OFICIAIS - 1º B1: - boné masculino branco (uso eventual); - túnica branca de gala, com passadeiras; - camisa branca de mang

1º UNIFORME B1, MASCULINO, OFICIAIS - 1º B1: - boné masculino branco (uso eventual); - túnica branca de gala, com passadeiras; - camisa branca de mang 1º UNIFORME A1, MASCULINO, OFICIAIS - 1º A1: - jaqueta masculina azul-ferrete de gala, com platinas duras de encaixe, azul-ferrete; - camisa branca de gala; - gravata preta horizontal; - calça azul-ferrete

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO ANEXO À PORTARIA Nº PM4-001/2.1/97 DESCRIÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DAS PEÇAS DOS UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR 1 ÍNDICE UNIFORMES DE GALA Item Página I - G-1.1 "Masculino"

Leia mais

ENXOVAL PARA OS ALUNOS QUE IRÃO INICIAR O CURSO: Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública

ENXOVAL PARA OS ALUNOS QUE IRÃO INICIAR O CURSO: Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública ENXOVAL PARA OS ALUNOS QUE IRÃO INICIAR O CURSO: Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública 1. MATERIAL ESCOLAR BÁSICO - Caneta esferográfica azul, preta e vermelha; - lápis preto,

Leia mais

PORTARIA Nº 12/GCG/PMMT/07 BCG N. 3393 DE 21-01-2008.

PORTARIA Nº 12/GCG/PMMT/07 BCG N. 3393 DE 21-01-2008. PORTARIA Nº 12/GCG/PMMT/07 BCG N. 3393 DE 21-01-2008. Dispõe sobre aprovação do Regulamento para Apresentação Pessoal dos Policiais Militares da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso. O COMANDANTE GERAL

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE GESTÃO E PLANEJAMENTO GABINETE

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE GESTÃO E PLANEJAMENTO GABINETE 1 2 ANEXO I REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE PADRÃO DE ATENDIMENTO VAPT VUPT DO PROCON-GOIÁS FINALIDADE Art. 1º A Unidade Padrão de Atendimento Vapt Vupt do PROCON - Goiás tem por finalidade: I. Responsabilizar-se

Leia mais

Tropa de Elite - Polícia Militar Legislação da Polícia Militar Parte 05 Wagner Gomes

Tropa de Elite - Polícia Militar Legislação da Polícia Militar Parte 05 Wagner Gomes Tropa de Elite - Polícia Militar Legislação da Polícia Militar Parte 05 Wagner Gomes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. PROMOÇÃO CONCEITO: O acesso na hierarquia

Leia mais

SEPARATA DO BGPM Nº 95

SEPARATA DO BGPM Nº 95 POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS AJUDÂNCIA-GERAL SEPARATA DO BGPM Nº 95 BELO HORIZONTE, 11 DE DEZEMBRO DE 2014. Para conhecimento da Polícia Militar de Minas Gerais e devida execução, publica-se o seguinte:

Leia mais

DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS

DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS 1- COLETE : - Azul marinho; - 02 (duas) faixas refletivas, na direção horizontal, na cor laranja;

Leia mais

Assinatura Publicação 26/10/00 27/10/00, Folha 1

Assinatura Publicação 26/10/00 27/10/00, Folha 1 Assinatura Publicação 26/10/00 27/10/00, Folha 1 Ementa: APROVA O REGULAMENTO DE UNIFORMES DA GUARDA CIVIL METROPOLITANA DE SAO PAULO, E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. DECRETO Nº 40.001, 26 DE OUTUBRO DE 2000

Leia mais

REGULAMENTO DE UNIFORMES. Generalidades. alunos do CPMG, permitindo sua rápida identificação perante os demais membros da comunidade.

REGULAMENTO DE UNIFORMES. Generalidades. alunos do CPMG, permitindo sua rápida identificação perante os demais membros da comunidade. SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS ANEXO III TÍTULO I Generalidades Art. 1º O

Leia mais

ASSOCIAÇÃO AMAZONAS RORAIMA

ASSOCIAÇÃO AMAZONAS RORAIMA ASSOCIAÇÃO AMAZONAS RORAIMA SEÇÃO 3 UNIFORME DE AVENTUREIROS I. EMBLEMAS, INSÍGNIAS, TIRAS, DISTINTIVOS, DIVISAS E BANDEIRAS OBJETIVO DA INSTRUÇÃO O presente regulamento tem por objetivo prescrever os

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA BANDEIRA ACREANA

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA BANDEIRA ACREANA LEI N. 1.170, DE 22 DE DEZEMBRO DE 1995 Regulamenta e define a forma e apresentação da Bandeira do Estado do Acre, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa

Leia mais

FICHAS REFERENCIAIS UNIFORMES SENAC

FICHAS REFERENCIAIS UNIFORMES SENAC FICHAS REFERENCIAIS UNIFORMES SENAC RECEPÇÃO - SECRETARIA ESCOLAR - CENTRAL DE MATRÍCULA CAIXAS - CONTACT CENTER - BIBLIOTECA FEMININO - INVERNO 01 RECEPÇÃO - SECRETARIA ESCOLAR - CENTRAL DE MATRÍCULA

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO PORTARIA DO COMANDO-GERAL Nº 919, DE 16 DE JULHO DE 2009

ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO PORTARIA DO COMANDO-GERAL Nº 919, DE 16 DE JULHO DE 2009 ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO PORTARIA DO COMANDO-GERAL Nº 919, DE 16 DE JULHO DE 2009 Regula os afastamentos temporários na PMPR O Comandante-Geral da Polícia Militar do Estado

Leia mais

APÊNDICE V. Modelos de Uniforme e Crachá

APÊNDICE V. Modelos de Uniforme e Crachá APÊNDICE V Modelos de Uniforme e Crachá MARÇO DE 2016 1 23 ÍNDICE 1.1. Apresentação...3 1.2. Tecidos...3 2.1. Gerente Feminino...5 2.2. Atendente Feminino...7 2.3. Gestante...9 2.4. Orientador Feminino...

Leia mais

2 As placas dos veículos oficiais, deverão conter, gravados nas tarjetas ou, em espaço correspondente, na própria placa, os seguintes caracteres:

2 As placas dos veículos oficiais, deverão conter, gravados nas tarjetas ou, em espaço correspondente, na própria placa, os seguintes caracteres: RESOLUÇÃO Nº 45/98 Estabelece o Sistema de Placas de Identificação de Veículos, disciplinado pelos artigos 115 e 221 do Código de Trânsito Brasileiro O CONSELHO, NACIONAL DE TRÂNSITO - CONTRAN, usando

Leia mais

-----------NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DA CHAVE DA CIDADE E MEDALHA MUNICIPAL: - Pelo Sr. Presidente foi apresentada a seguinte proposta:...

-----------NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DA CHAVE DA CIDADE E MEDALHA MUNICIPAL: - Pelo Sr. Presidente foi apresentada a seguinte proposta:... -----------NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DA CHAVE DA CIDADE E MEDALHA MUNICIPAL: - Pelo Sr. Presidente foi apresentada a seguinte proposta:... ----------- PREÂMBULO... -----------A Câmara Municipal de Bragança,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4242, DE 14 DE MARÇO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 4242, DE 14 DE MARÇO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 4242, DE 14 DE MARÇO DE 2013. Aprova o Regulamento de Uniformes e Insígnias da Polícia Militar de Minas Gerais RUIPM. O COMANDANTE-GERAL DA POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS, no uso da atribuição

Leia mais

Vitória, 13 de abril de 2010. Mensagem n º 060 / 2010. Senhor Presidente:

Vitória, 13 de abril de 2010. Mensagem n º 060 / 2010. Senhor Presidente: Vitória, 13 de abril de 2010. Mensagem n º 060 / 2010 Senhor Presidente: Encaminho à apreciação dessa Casa de Leis o anexo projeto de lei que tem por objetivo criar a Indenização para Aquisição de Fardamento,

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 005/2011.

PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 005/2011. PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 005/2011. Cria a Medalha Delegado José Gilberto Barros Faria em homenagem a policiais civis, agentes penitenciários e demais servidores civis de carreira da segurança pública. A

Leia mais

R-5-PM. Polícia Militar do Estado de São Paulo REGULAMENTO DE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR. 3ª Edição. Tiragem: 1.000 exemplares

R-5-PM. Polícia Militar do Estado de São Paulo REGULAMENTO DE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR. 3ª Edição. Tiragem: 1.000 exemplares R-5-PM Polícia Militar do Estado de São Paulo REGULAMENTO DE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR 3ª Edição Tiragem: 1.000 exemplares 1996 Setor Gráfico do CSM/MInt - 1 - POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

LEI N 951, DE 18 DE MARÇO DE 2003

LEI N 951, DE 18 DE MARÇO DE 2003 LEI N 951, DE 18 DE MARÇO DE 2003 Dispõe sobre as Normas do Cerimonial Público e Ordem de Precedência no Município de Bonito-MS., e dá outras providências. Autor: Luemir do Couto Coelho O Prefeito Municipal

Leia mais

MATÉRIA INSTRUÇÃO GERAL UNIDADE DIDÁTICA III FARDAMENTO. ASSUNTO Uniformes e Distintivos do Exército

MATÉRIA INSTRUÇÃO GERAL UNIDADE DIDÁTICA III FARDAMENTO. ASSUNTO Uniformes e Distintivos do Exército MATÉRIA INSTRUÇÃO GERAL UNIDADE DIDÁTICA III FARDAMENTO ASSUNTO Uniformes e Distintivos do Exército OBJETIVOS - Identificar o uso de cada uniforme. - Descrever a composição dos uniformes mais usados. -

Leia mais

ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR

ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Subordinação: Finalidade: ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR - ADMINISTRAÇÃO DIRETA AO PREFEITO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR PORTARIA Nº 153/2014 GAB CMDO/CBMRN O COMANDANTE GERAL DO CORPO DE BOMBEIROS

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO MARANHÃO ESTADO MAIOR GERAL 3ª SEÇÃO Av. Jerônimo de Albuquerque, s/n

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO MARANHÃO ESTADO MAIOR GERAL 3ª SEÇÃO Av. Jerônimo de Albuquerque, s/n ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO MARANHÃO ESTADO MAIOR GERAL 3ª SEÇÃO Av. Jerônimo de Albuquerque, s/n - Calhau São Luís MA CEP: 65.074-220tel. (098) 3268-3059

Leia mais

JOGOS DESPORTIVOS DO EXÉRCITO 2013

JOGOS DESPORTIVOS DO EXÉRCITO 2013 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx - DPEP COMISSÃO DE DESPORTOS DO EXÉRCITO (L Mil Foot-ball/1915) 1. FINALIDADE JOGOS DESPORTIVOS DO EXÉRCITO 2013 INSTRUÇÕES TÉCNICO-NORMATIVAS Difundir as

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO PIAUÍ C A P Í T U L O I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O presente Regulamento contém as prescrições sobre os uniformes do Corpo de Bombeiros

Leia mais

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul 11-1 0-1977 Diário Oficial Estado de Mato Grosso do Sul ANO XXXII n. 7.655 CAMPO GRANDE-MS, QUARTA-FEIRA, 68 PÁGINAS GOVERNADOR ANDRÉ PUCCINELLI Vice-Governador MURILO ZAUITH Secretário de Estado de Governo

Leia mais

EDITAL Nº 001/2014 P/3 2º BPM

EDITAL Nº 001/2014 P/3 2º BPM ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO MARANHÃO COMANDO DO POLICIAMENTO DE ÁREA DO INTERIOR 4 2º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR EDITAL Nº 001/2014 P/3 2º BPM I Curso

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 1.247/MD, DE 2 DE SETEMBRO DE 2008

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 1.247/MD, DE 2 DE SETEMBRO DE 2008 MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 1.247/MD, DE 2 DE SETEMBRO DE 2008 Disciplina a ocupação de cargos e funções militares, a concessão da Gratificação de Exercício em Cargo

Leia mais

(P 2 ) Exames de ELIMINATÓRIO Aptidão Física (P 3 ) Inspeção da. ELIMINATÓRIO Saúde (P 4 ) Avaliação. ELIMINATÓRIO Psicológica (P 5 ) Investigação

(P 2 ) Exames de ELIMINATÓRIO Aptidão Física (P 3 ) Inspeção da. ELIMINATÓRIO Saúde (P 4 ) Avaliação. ELIMINATÓRIO Psicológica (P 5 ) Investigação CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DIRETORIA DE PESSOAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NAS FILEIRAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL NA QUALIFICAÇÃO

Leia mais

LEI Nº 6.456, DE 20 DE JANEIRO DE 2004.

LEI Nº 6.456, DE 20 DE JANEIRO DE 2004. LEI Nº 6.456, DE 20 DE JANEIRO DE 2004. FIXA O SUBSÍDIO DOS MEMBROS DA POLÍCIA MILITAR E DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS, DEFINE AS VERBAS DE CARÁTER INDENIZATÓRIO, OS CARGOS E FUNÇÕES

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999

LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999 LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999 Dispõe sobre a organização básica do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais - CBMMG - e dá outras providências. O Povo do Estado de Minas Gerais, por seus representantes,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013 Regulamenta o processo de implementação e avaliação da flexibilização para ajuste de jornada de trabalho

Leia mais

ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Referente ao Pregão nº 038/2010

ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Referente ao Pregão nº 038/2010 ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Referente ao Pregão nº 038/2010 LOTE 01: ESPECIFICAÇÕES DO ITEM 1: Blusa para usuários do sexo feminino, colarinho, com pence de busto no sentido horizontal frente e pence

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI COMPLEMENTAR N. 305, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015 Cria o Corpo Voluntário de Militares do Estado da Reserva Remunerada e dispõe sobre a convocação dos inscritos para serviço ativo em caráter transitório.

Leia mais

ANEXO V PROPOSTA COMERCIAL PADRONIZADA PREGÃO N. 038/2010

ANEXO V PROPOSTA COMERCIAL PADRONIZADA PREGÃO N. 038/2010 À DME Distribuição S/A - DMED PREGÃO N. 038/2010 A empresa..., inscrita no CNPJ/MF sob o n..., estabelecida à Av./Rua..., n..., bairro..., na cidade de..., CEP..., telefone..., fax..., e-mail..., vem pela

Leia mais

ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS PORTARIA Nº 011 /05/CAT-CBMAP

ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS PORTARIA Nº 011 /05/CAT-CBMAP ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS PORTARIA Nº 011 /05/CAT-CBMAP Aprova a Norma Técnica nº 010/2005-CBMAP, sobre atividades eventuais no Estado do Amapá,

Leia mais

POLÍTICA DE F E M I N I N O

POLÍTICA DE F E M I N I N O POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DO UNIFORME F E M I N I N O PROPOSTA O Grupo Villela já conta com mais de 160 profissionais em seu quadro funcional, por isso estamos trabalhando pela padronização e pela profissionalização

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR DO PARANÁ COMANDO DO CORPO DE BOMBEIROS

ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR DO PARANÁ COMANDO DO CORPO DE BOMBEIROS PORTARIA N.º 002 de 09 de abril de 2009. Estabelece no âmbito do Corpo de Bombeiros critérios aplicáveis em todo o Estado do Paraná para a sinalização por bandeiras nas praias do litoral e nos balneários

Leia mais

DECRETO Nº 3.192, DE 22 DE MAIO DE 2006.

DECRETO Nº 3.192, DE 22 DE MAIO DE 2006. DECRETO Nº 3.192, DE 22 DE MAIO DE 2006. APROVA O REGULAMENTO DE UNIFORME DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS. O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso das atribuições que lhe confere o

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA 8428-(2) Diário da República, 1.ª série N.º 185 22 de setembro de 2015 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Portaria n.º 304-A/2015 de 22 de setembro A Lei n.º 19/2004,

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais;

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2451 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o estágio de estudantes junto ao poder público Municipal, suas autarquias e fundações e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado

Leia mais

9 - Pai Italiano Quantidade: 1. Execução de 1 chapéu de feltro com fita de veludo e pena; 1 casaco de camurça e lã forrado de oxford com debrum em

9 - Pai Italiano Quantidade: 1. Execução de 1 chapéu de feltro com fita de veludo e pena; 1 casaco de camurça e lã forrado de oxford com debrum em 9 - Pai Italiano Quantidade: 1. Execução de 1 chapéu de feltro com fita de veludo e pena; 1 casaco de camurça e lã forrado de oxford com debrum em couro; 1 colete de veludo com galões metalizados e gregas;

Leia mais

UNIFORME SESI. Especificação Técnica

UNIFORME SESI. Especificação Técnica UNIFORME SESI Especificação Técnica 2015 SUMÁRIO 1. CAMISETA MANGA CURTA 3 2. CAMISETA MANGA LONGA 10 3. REGATA 17 4. POLO MASCULINA 24 5. POLO FEMININA 32 6. JAQUETA MASCULINA - TACTEL 40 7. JAQUETA MASCULINA

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI COMPLEMENTAR Nº 272, DE 11 DE JUNHO DE 2007 - D.O. 12.06.07. Autor: Poder Executivo * Fixa o efetivo do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso, e dá outras providências. (*Revogada pela

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 94 DE 14 DE OUTUBRO DE 2014.

ATO NORMATIVO Nº 94 DE 14 DE OUTUBRO DE 2014. ATO NORMATIVO Nº 94 DE 14 DE OUTUBRO DE 2014. REGULAMENTA A APLICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS PREVISTOS NAS RESOLUÇÕES TJAL Nº 02/2014 E 18/2014, REVOGA OS ATOS NORMATIVOS Nº 12, DE 19 DE MARÇO DE 2014 E Nº 19,

Leia mais

Minas Olímpica/ Jogos de Minas 2015

Minas Olímpica/ Jogos de Minas 2015 Minas Olímpica/ Jogos de Minas 2015 Regulamento Específico Ciclismo Art. 1º - A competição de ciclismo do Minas Olímpica/Jogos de Minas obedecerá as regras da Confederação Brasileira de Ciclismo e Federação

Leia mais

Instituir um padrão único de grafismo para os veículos no âmbito do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte e dá outras providências.

Instituir um padrão único de grafismo para os veículos no âmbito do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte e dá outras providências. GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR GABINETE DO COMANDO GERAL PORTARIA Nº 104/2015 GAB CMDO CBMRN Dispõe sobre

Leia mais

Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha

Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Notas. 1.- O presente Capítulo compreende apenas os artefatos confeccionados de qualquer matéria têxtil, com exclusão das pastas ("ouates") e dos

Leia mais

QUARTEL DO COMANDO GERAL 3ª SEÇÃO DO ESTADO MAIOR GERAL PM/3 NOTA DE INSTRUÇÃO Nº 012/2015-PM/3

QUARTEL DO COMANDO GERAL 3ª SEÇÃO DO ESTADO MAIOR GERAL PM/3 NOTA DE INSTRUÇÃO Nº 012/2015-PM/3 POLÍCIA MILITAR DO PIAUÍ QUARTEL DO COMANDO GERAL 3ª SEÇÃO DO ESTADO MAIOR GERAL PM/3 NOTA DE INSTRUÇÃO Nº 012/2015-PM/3 SOLENIDADE CÍVICO MILITAR ALUSIVA AO DIA DA BANDEIRA, CONCESSÃO DE DIPLOMAS DE AMIGO

Leia mais

Regulamento de Prova de Tiro Numero 1/2013. Duelo 20 segundos

Regulamento de Prova de Tiro Numero 1/2013. Duelo 20 segundos Regulamento de Prova de Tiro Numero 1/2013 Duelo 20 segundos FINALIDADE Regulamentar a Prova de Tiro Duelo 20 segundos no âmbito do Estande de Tiro do 2º Batalhão de Policia do Exercito. MODALIDADE Tiro

Leia mais

1. DA CONVOCAÇÃO PARA A MATRÍCULA NO CURSO DE FORMAÇÃO E PARA A INVESTIGAÇÃO SOCIAL

1. DA CONVOCAÇÃO PARA A MATRÍCULA NO CURSO DE FORMAÇÃO E PARA A INVESTIGAÇÃO SOCIAL O SECRETÁRIO DE ESTADO DA GESTÃO E PREVIDÊNCIA, na qualidade de Presidente da Comissão Central de Concurso Público, criada por meio do Decreto Estadual n.º 28.608, de 28 de setembro de 2012, torna pública

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Colação de Grau Solene

APRESENTAÇÃO. Colação de Grau Solene 1 APRESENTAÇÃO A Solenidade de Colação de Grau ou Formatura é um dos momentos mais importantes para a comunidade acadêmica, pois concretiza o trabalho desenvolvido durante o período de estudos na faculdade

Leia mais