Regulamento de Uniformes APLICÁVEL AO CBM/AP

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamento de Uniformes APLICÁVEL AO CBM/AP"

Transcrição

1 COLETÂNEA DA Regulamento de Uniformes APLICÁVEL AO CBM/AP VOLUME 1

2 GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAPÁ Antônio Waldez Góes da Silva SECRETÁRIO ESPECIAL DE DESENVOLVIMENTO DA DEFESA SOCIAL Aldo Alves Ferreira COMANDANTE GERAL DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO AMAPÁ Giovanni Tavares Maciel Filho Elaboração: Estácio Janary de Oliveira Picanço - Cap BM Moises Uchôa Muniz - SD BM Mônica Lecticia Barbosa Dias da Silva - SD BM Colaborador: Jean da Silva e Silva - 2º Sgt BM Artes: Moises Uchôa Muniz Marcos Wagner Mendes Revisão: Estácio Janary de Oliveira Picanço Mônica Lecticia Barbosa D. da Silva Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá - RUCBMAP - 2ª Edição, 2008 Total de Páginas Tiragem: 100

3 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO AMAPÁ Negócio Proteção da vida e do patrimônio Missão Planejar, organizar, coordenar e controlar, no âmbito do Estado do Amapá, Ações de Defesa Civil, Prevenção e Combate à Incêndios, Busca e Salvamento, Atendimento Pré-hospitalar e Serviço de Segurança Contra Incêndio e Pânico, executando-as com eficiência, visando proteger a vida e o patrimônio do cidadão amapaense, para o bem estar comum. Visão Tornar-se uma organização proativa de referência nacional, reconhecida pela sua eficiência administrativa e operacional, mantendo-se com alto grau de credibilidade perante a população. Valores Institucionais Ética, Eficiência, Qualidade, Comprometimento Institucional, Determinação, Empreendedorismo, Hierarquia e Disciplina.

4

5 ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL PORTARIA Nº 236/06 - DDRH DE 16 DE NOVEMBRO DE 2006 APROVA O REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO AMAPÁ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O COMANDANTE GERAL DO CBMAP, usando das atribuições que lhes são conferidas pelo Decreto nº 0789, publicado no DOE nº 3726 de 17 de março de 2006, e: 1- CONSIDERANDO as recentes modificações verificadas na estrutura e nas atribuições do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá, requerendo a modernização dos procedimentos operacionais, da imagem e da apresentação dos seus efetivos; 2- CONSIDERANDO a necessidade da adequação dos Uniformes da Corporação às exigências da nova dinâmica das atividades desenvolvidas pelo CBMAP, no contexto da Defesa Social do Estado; 3- CONSIDERANDO também, a lacuna existente nas normas específicas vigentes, quanto à abrangência das situações de posse e uso de uniformes pela tropa, RESOLVE Art. 1º - Aprovar o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá, anexo a esta Portaria, que

6 regula a composição, posse e uso dos uniformes básicos e especiais da Corporação. Art. 2º - As características dos uniformes descritas neste regulamento são de exclusividade do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. Art. 3º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Macapá-AP, 16 de Novembro de 2006.

7 ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL PORTARIA Nº256/08 - DDRH DE 04 DE JULHO DE 2008 APROVA AS ALTERAÇÕES NO REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO AMAPÁ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O COMANDANTE GERAL DO CBMAP, usando das atribuições que lhes são conferidas pelo Decreto nº 0789, publicado no DOE nº 3726 de 17 de março de 2006, e: 1- CONSIDERANDO as recentes adequações nos serviços diários do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá, requerendo a implantação de novos uniformes visando a boa apresentação dos seus efetivos; 2- CONSIDERANDO a necessidade da adequação do uso de algumas peças complementares aos Uniformes da Corporação em virtude às exigências da nova dinâmica das atividades desenvolvidas pelo CBMAP, no contexto da Defesa Social do Estado; RESOLVE: Art. 1º - Aprovar as modificações do Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá, anexo a esta Portaria, que regulam a composição, posse e uso dos uniformes básicos e especiais da Corporação. Art. 2º - As características dos uniformes descritas neste regulamento são de exclusividade do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

8 Art. 3º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Macapá-AP, 04 de Julho de Giovanni Tavares Maciel Filho Cel BM Comandante Geral do CBMAP

9 APRESENTAÇÃO O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá - CBMAP, Instituição Permanente, Força Auxiliar e Reserva do Exército Brasileiro, foi criado em 20 de Dezembro de 1991, data de promulgação da 1ª Constituição do Estado do Amapá, emancipando-se da Polícia Militar do Amapá em 09 de Julho de 1992, (Lei nº 0025), tornando-se com esta lei uma instituição com autonomia financeira, orçamentária e administrativa. Reconhecendo-se a necessidade desta Corporação Militar em padronizar a confecção e o uso dos seus uniformes, como forma de propiciar a consolidação de sua identificação própria junto à sociedade e no seio dos Bombeiros Militares, implementou-se o início dos trabalhos de formulação do Regulamento de Uniformes, no ano de 1999, sob a orientação do Cap BM Estácio Janary de Oliveira Picanço, que juntamente com outros oficiais e praças envidou varias pesquisas entre as Corporações Cô-Irmãs do Brasil, e também, em outros países do mundo a fim de coletar as informações complementares e essenciais para a elaboração de um trabalho confiável e de boa qualidade. O trabalho ora apresentado em conformidade com as orientações repassadas pelo Comando Geral, procurou optar por uniformes práticos que ofereçam segurança aos usuários e custo compatível com a realidade orçamentária do Estado. Após nove anos de intensos trabalhos, agradecemos sinceramente a comissão responsável pela elaboração desta 2ª edição

10 do Regulamento de Uniformes e a todos os integrantes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá que contribuíram de forma direta e indireta para que o presente trabalho fosse concluído a contento Estamos certos de que esta iniciativa de vanguarda em muito contribuirá para o aprimoramento da gestão de pessoas, otimizando as relevantes ações do CBMAP, cujo negócio é a Proteção da Vida e do Patrimônio.

11 AGRADECIMENTOS Este regulamento é fruto de um grande esforço colaborativo de diversas pessoas, militares e civís, que contribuíram com seus conhecimentos, pesquisas, disponibilidade de tempo, opiniões e revisões. Alguns aguardaram por mais de 5 anos enquanto as diversas e crescentes dificuldades do caminho eram superadas com serenidade e responsabilidade. Por estes motivos, a comissão organizadora deste regulamento, sem citar nomes, agradece a todos que se dedicaram para a consolidação deste trabalho.

12

13 AUTORIZAÇÃO DO DIREITO DE IMAGEM Nós, abaixo assinados, autorizamos o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá a fazer uso de nossa imagem em seu Regulamento de Uniformes, bem como em quaisquer outras apresentações a ele inerentes. Luis Roberto Batista Néri - Cap BM Arlete Sandra Claudino Picanço - Cap BM Pedromar Valadares Melo - 1º Ten BM Patrícia Regina Pinheiro da Cunha - 3ºSgt BM Fem Jarbas Tavares Pinheiro - SD BM Charlene Cristina Rodrigues da Gama - SD BM Fem Gerusa Dayanne de Oliveira Medeiros - SD BM Fem Natália Ferreira de Souza Mescouto - SD BM Fem Wellerson Dias Pires - SD BM Nelson Marcio Santana Lima - SD BM Macapá - AP, 04 de Julho de 2008

14

15 SUMÁRIO 1. TITULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1. CAPITULO I - Das disposições preliminares TITULO II - DO USO DOS UNIFORMES 2.1. CAPITULO II - Dos direitos e deveres TITULO III - DOS UNIFORMES 3.1. CAPITULO III - Da definição e classificação CAPITULO IV - Das peças complementares TITULO IV - DAS INSÍGNIAS E DOS DISTINTIVOS 4.1. CAPITULO V - Da especificação e do uso TITULO V - DA IDENTIFICAÇÃO 5.1. CAPITULO VI - Das abreviações e do uso CAPITULO VII - Das insignias e das luvas TITULO VI - DAS CONDECORAÇÕES CAPITULO VIII - Do uso e classificação TITULO VII - DAS ESPECIFICAÇÕES CAPITULO IX - Das especificações e peças TITULO VIII - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS 8.1. CAPITULO X - Disposições transitórias e finais...125

16

17 TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares Art. 1º - O presente regulamento contém as prescrições sobre os uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá, peças complementares, insígnias, distintivos, identificações e condecorações, regulando a sua posse, composição e uso. Art. 2º - O uso correto dos uniformes é fator primordial na boa apresentação individual e coletiva dos militares do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá, contribuindo para o fortalecimento da disciplina, desenvolvimento do espírito de corpo e bom conceito da Corporação no seio da sociedade. Art. 3º - É dever de todo Bombeiro Militar zelar por seus uniformes e pela sua correta apresentação. Art. 4º - Os uniformes de que trata o presente regulamento constituem privilégio absoluto do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá, sendo vedado o uso de suas cores e modelos, descritos neste regulamento, por qualquer outra organização pública ou privada. 1º - É expressamente proibido o uso dos uniformes especificados neste regulamento e suas peças complementares por pessoas não autorizadas. 2º - Cabe ao Comando Geral exercer ação fiscalizadora junto a estabelecimentos de ensino, corporações, empresas e organizações de quaisquer natureza que usem uniformes, de modo a não permitir que esses possam ser confundidos com os previstos neste regulamento. Art. 5º - É proibido alterar as características dos uniformes bem como sobrepor aos mesmos, peças, insígnias ou distintivos não Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 17

18 previstos, exceto os casos constantes no Art. 7 desse regulamento. 1º - Excetuam-se os equipamentos de proteção individual, aprovados pelo Comandante Geral, que poderão ser usados exclusivamente em operações que justifiquem o seu uso. 2º- O Bombeiro Militar que encontrar-se fora do Estado do Amapá, quando o indicarem as condições particulares de sua área de operação ou em atividades de ensino externas à corporação, poderá utilizar peças de uniformes, condecorações e distintivos não previstos neste regulamento, mediante autorização expressa e publicada em expediente regulamentar do Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. Art. 6º - Os Bombeiros Militares das diferentes OBMs que comparecerem fardados a solenidades militares e atos sociais devem fazê-lo com um mesmo uniforme. 1º - Excetuam-se os casos especiais em que o Bombeiro Militar, por necessidade, tenha que usar um uniforme que a situação exija. 2º - Em solenidade interna, cabe ao Comandante, Diretor ou Chefe da respectiva unidade, especificar o uniforme a ser usado na cerimônia, de acordo com as determinações do escalão superior, caso a unidade participe da solenidade. 3º - Em solenidades ou atos sociais externos, a designação do uniforme é competência do Comandante da Unidade, em correspondência, quando for o caso, com o traje previsto para o civil ou com o uniforme determinado por outra força singular responsável pela solenidade ou ato. Art. 7º - Cabe ao Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá, baixar os atos complementares a este regulamento relativos aos seguintes assuntos: I. Especificação do material a ser usado na sua confecção, no 18 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

19 sentido de obter a máxima uniformidade de cores e qualidade; II. Peças de uniforme para atividades especializadas; III. Complementação dos uniformes, designações de peças e equipamentos não previstos neste regulamento, mas necessários aos Bombeiros Militares quando empregados em situações especiais; IV. Regulamentação do uso de traje civil para os Bombeiros Militares, quando no desempenho de função, que o requeiram. V. Distintivos, identificação e insígnias. Art. 8º - Quaisquer modificações de detalhes dos uniformes, alterações de matéria-prima e criação, modificações ou extinção de insígnias ou distintivos, só poderão ser feitas mediante expresso estudo preliminar de comitê designado para tal e posterior autorização do Comandante Geral. Art. 9º - Para os fins deste regulamento, estendem-se aos Aspirantes a Oficial e aos Cadetes as prescrições referentes aos Oficiais, salvo quando houver exceções expressas. Art.10º - Alguns uniformes previstos neste regulamento serão complementados para uso em paradas e atividades especiais, por peças de uniformes e equipamentos cuja distribuição se fará de acordo com a necessidade. Art.11 - Os casos omissos neste regulamento serão solucionados pelo Comandante Geral do Corpo Bombeiros Militar do Estado do Amapá. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 19

20 Art É permitido ao Bombeiro Militar: I- A entrada e saída dos aquartelamentos em trajes civis para tratar de assuntos de serviço, devendo ali permanecer somente o tempo necessário para a solução daqueles. Entende-se como traje civil, neste caso, o passeio formal completo, o social ou esporte, vestido, saia e blusa ou conjunto de calça comprida. No gozo desta concessão não deverá ser tolerada qualquer excentricidade em relação aos trajes da época e da localidade em que se encontrarem; II - Uso nos aquartelamentos de trajes e artigos desportivos, diversos dos estabelecidos neste Regulamento, tais como chuteiras, meiões e outros apropriados para determinados esportes, desde que deva participar de competições oficiais ou de práticas desportivas previamente autorizadas; III - A permanência, em trajes civis, desde que este pertença às seções de informações e na execução de tarefas inerentes à natureza do serviço por ele desempenhado; IV - A entrada e saída dos aquartelamentos, e até mesmo a permanência em trajes civis, no cumprimento de dispensa ou licença médica, desde que haja recomendação neste sentido pelo profissional habilitado que o atendeu; V - Comparecimento, em trajes civis, aos hospitais, ambulatórios e órgãos assistenciais da Corporação; VI - Comparecimento aos aquartelamentos, solenidades e outros atos de serviço em trajes civis, desde que se encontre à disposição de órgão civil e esteja a serviço ou representando aquele órgão; TÍTULO II DO USO DOS UNIFORMES CAPÍTULO II Dos direitos e deveres 20 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

21 VII - Se inativo, o comparecimento fardado às solenidades e eventos oficiais, desde que devidamente autorizado pelo Comandante Geral; VIII - Se feminino, o uso de brincos sem pingentes, de um colar ou corrente, de uma pulseira e de um anel, em cada mão, além da aliança, desde que as dimensões, formas e cores sejam compatíveis com a discrição necessária ao uso do uniforme, o mesmo se exigindo da maquiagem, que é facultativa no dia-a-dia, e esmalte, que devem ser aplicados de forma sóbria. Em formaturas e desfiles, a maquiagem será obrigatória e deve ser aplicada de forma padronizada, constante e moderada; IX - O uso de óculos, desde que sua armação seja compatível com a sobriedade do uniforme, em cores neutras exclusivamente; e X - O uso de telefone celular, dentro dos bolsos ou na cintura, dentro da capa de proteção, ao lado esquerdo do corpo. Art É proibido ao Bombeiro Militar: I - O uso de uniformes em circunstâncias ou condições diferentes das que são estabelecidas em legislação específica ou neste Regulamento; II - O uso, nos uniformes, de qualquer peça não prevista neste Regulamento ou em ato dele decorrente; III - O uso de uniforme demasiadamente justo ou folgado e em desacordo com as especificações técnicas previstas; IV - O uso de roupas íntimas sumárias ou com estamparia e cores que transpareçam no uniforme; V - O uso de qualquer sinal de luto nos uniformes, salvo quando houver determinação neste sentido; VI - Quando em formatura, o uso de óculos protetores de sol ou esportivos, exceto quando houver expressa recomendação médica para tal; Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 21

22 VII - Quando uniformizado, apresentar-se com aspecto fisionômico diferente daquele com que está identificado na cédula de identidade expedida pela Corporação; VIII - O uso de peças ou uniformes de Corporação estrangeira, salvo as condecorações e distintivos devidamente autorizados pelo Comandante Geral; IX - O emprego, de forma visível nos uniformes, de qualquer objeto de uso de adorno, tais como corrente de relógio, chaveiro, prendedor de gravata, lenço, broche, cordão, pulseira, etc.; e X - o uso de peças de uniformes juntamente com trajes civis. Art O corte de cabelo do pessoal masculino é o meia cabeleira rebaixado à tesoura ou máquina, salvo em cursos de formação ou quando determinado, outro corte. Parágrafo Único- Entende-se por "meia cabeleira" o corte que se usa para a parte inferior (nuca) e lateral do crânio, à máquina nº 2 (dois) e parte superior a nº4. O "pé do cabelo" deverá ser feito com o bico da tesoura contornando todo o friso (lateral e nuca) e os acertos deverão ser feitos com navalha. Art A Corporação poderá autorizar a confecção de artigos adequados à condução de peças dos uniformes, de modo a padronizar o transporte de tais peças. Art Aos Bombeiros Militares, quando fardados, só é permitido portar malas, pastas, valises, protetor para uniformes, porta-bonés e bolsas padronizadas da Corporação, ou bolsas e carteiras femininas não padronizadas, em circunstâncias especiais. Art.17 - As peças não padronizadas previstas no artigo precedente poderão ser de qualquer modelo, desde que guardem a devida sobriedade, e que sejam, preferencialmente, nas cores preta e marrom. Art As malas, pastas, valises, protetores para uniformes, 22 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

23 porta-bonés, bolsas padronizadas da Corporação ou quaisquer outros volumes, somente poderão ser transportados com as mãos, sendo proibido, em qualquer hipótese, transportá-los pendentes dos ombros, sob os braços, sobre os ombros, costas, peito ou qualquer outra parte do corpo, ensejando situações que comprometam a boa apresentação do Bombeiro Militar quando fardado. Art Cabe ao Comandante Geral do CBMAP, aprovar Norma Geral de Ação específica ao corpo feminino da Corporação, regulamentando a apresentação individual, adereços, acessórios e uniformes especiais. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 23

24 TÍTULO III DOS UNIFORMES CAPÍTULO III Da definição e classificação Art. 20 A classificação, a posse, a composição e o uso dos uniformes utilizados pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá, obedecem às seguintes prescrições: 1º Uniforme A (1º A) a) Posse: Obrigatória para Oficiais, Subtenentes e Sargentos. b) Composição da versão masculina: 1. Quepe masculino, confeccionado em tecido na cor cinza pérola escuro, com pala correlata ao posto. 2. Túnica branca, com botões dourados e luvas de insígnias metálicas. 3. Camisa branca, manga longa com botões pretos. 4. Gravata vertical preta. 5. Calça de passeio, na cor cinza pérola escuro. 6. Cinto vermelho com fivela dourada. 7. Meias pretas. 8. Sapatos pretos. 24 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

25 c) Composição da versão feminina: 1. Quepe feminino em fibra, confeccionado em tecido na cor cinza pérola escuro, com pala correlata ao posto. 2. Túnica branca, com botões dourados e luvas de insígnias metálicas. 3. Camisa branca, manga longa com botões pretos 4. Gravata de fita de gorgorão preta 5. Saia na cor cinza pérola escuro. 6. Cinto vermelho com fivela dourada. 7. Meia calça super transparente em lycra 8. Sapatos pretos de salto médio ou alto. d) Uso: Em recepções de gala, solenidades oficiais, reuniões ou cerimônias em que se exija traje a rigor ou passeio completo; Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 25

26 2º Uniforme A (2º A) a) Posse: 1. Obrigatória para Oficiais, Subtenentes e Sargentos. 2. Facultado para Cabos e Soldados. b) Composição da versão masculina: 1. Quepe masculino, na cor cinza pérola escuro, com pala correlata ao posto. 2. Túnica cinza pérola escuro, com botões dourados e luvas de insígnias metálicas. 3. Camisa manga longa na cor branca, com botões pretos. 4. Gravata vertical preta. 5. Calça de passeio, na cor cinza pérola escuro. 6. Cinto vermelho com fivela dourada. 7. Meias pretas. 8. Sapatos pretos. 26 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

27 c) Composição da versão feminina: 1. Quepe feminino em fibra, confeccionado em tecido na cor cinza pérola escuro, com pala correlata ao posto. 2. Túnica cinza pérola escuro, com botões dourados e luvas de insígnias metálicas. 3. Camisa manga longa na cor branca, com botões pretos. 4. Gravata de fita de gorgorão preta. 5. Saia na cor cinza pérola escuro. 6. Cinto vermelho com fivela dourada. 7. Meia calça super transparente em lycra. 8. Sapatos pretos de salto médio ou alto. d) Uso: Em solenidades oficiais, de caráter cívico ou militar, em que se exija traje passeio completo ou social; Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 27

28 2º Uniforme B (2º B) a) Posse: 1. Obrigatória para Oficiais, Subtenentes e Sargentos do sexo feminino em período de gestação acentuada. 2. Facultado para Cabos e Soldados.. b) Composição:. 1. Q u e p e f e m i n i n o e m f i b r a, confeccionado em tecido na cor cinza pérola escuro, com pala correlata ao posto. 2. Vestido de gestante azul pérola escuro. 3. Camisa branca manga longa, com botões pretos. 4. Gravata de fita de gorgorão preta. 5. Meia calça super transparente em lycra. 6. Sapatos pretos de salto médio ou baixo. c) Uso: Em recepções de gala, solenidades oficiais, reuniões ou cerimônias em que se exija traje a rigor ou passeio completo; 28 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

29 3º Uniforme A (3º A) a) Posse: 1. Obrigatória para Oficiais, Subtenentes e Sargentos. 2. Facultado para Cabos e Soldados. b) Composição da versão masculina: 1. Quepe masculino, na cor cinza pérola escuro, com pala correlata ao posto. 2. Túnica cinza pérola escuro, com botões dourados e luvas de insígnias metálicas. 3. Camisa manga longa na cor bege escuro, com botões pretos. 4. Gravata vertical na cor bege escuro. 5. Calça de passeio, na cor cinza pérola escuro. 6. Cinto vermelho com fivela dourada. 7. Meias pretas. 8. Sapatos pretos. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 29

30 c) Composição da versão feminina: 1. Quepe feminino em fibra, na cor cinza pérola escuro, com pala correlata ao posto. 2. Túnica cinza pérola escuro, com botões dourados e luvas de insígnias metálicas. 3. Camisa manga longa na cor bege escuro, com botões pretos. 4. Gravata vertical na cor bege escuro. 5. Saia na cor cinza pérola escuro. 6. Cinto vermelho com fivela dourada. 7. Meia calça super transparente em lycra. 8. Sapatos pretos de salto médio ou alto. d) Uso: Em trânsito, apresentações individuais e coletivas, solenidades oficiais, reuniões ou cerimônias de caráter civil, em que se exija traje passeio completo ou social; 30 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

31 3º Uniforme B (3º B) a) Posse: 1. Obrigatória para Oficiais, Subtenentes e Sargentos. 2. Facultado para Cabos e Soldados. b) Composição da versão masculina: 1. Quepe masculino, na cor cinza pérola escuro, com pala correlata ao posto. 2. Camisa manga longa na cor bege escuro, com botões pretos e tarjeta de identificação em acrílico. 3. Gravata vertical na cor bege escuro. 4. Calça de passeio masculino, na cor cinza pérola escuro. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meias pretas. 7. Sapatos pretos. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 31

32 c) Composição da versão feminina: 1. Quepe feminino em fibra, na cor cinza pérola escuro, com pala correlata ao posto. 2. Camisa manga longa na cor bege escuro, com botões pretos e tarjeta de identificação em acrílico. 3. Gravata vertical na cor bege escuro. 4. Saia na cor cinza pérola escuro. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meia calça super transparente em lycra. 7. Sapatos pretos de salto médio ou alto. d) Uso: Em atividades internas de atendimento ao público externo ou de acordo com as determinações do Comandante Geral do CBMAP. 32 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

33 3º Uniforme C (3º C) a) Posse: Obrigatória para Oficiais, Subtenentes e Sargentos do sexo feminino em período de gestação acentuada. b) Composição: 1. Quepe feminino em fibra, confeccionado em tecido na cor cinza pérola escuro, com pala correlata ao posto. 2. Camisa manga longa na cor bege escuro, com botões pretos. 3. Gravata vertical na cor bege escuro. 4. Vestido de gestante azul pérola escuro. 5. Meia calça super transparente em lycra. 6. Sapatos pretos de salto médio ou alto. c) Uso: Em solenidades oficiais, de caráter cívico ou militar, em que se exija traje passeio completo ou social; Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 33

34 4º Uniforme A (4ºA) a) Posse: Obrigatória para Oficiais e Praças. b) Composição da versão masculina:. 1. Boina cinza pérola escuro, tipo francesa. 2. Camisa passeio, meia manga na cor bege escuro, com botões pretos e luvas de insígnias bordadas. 3. Camiseta meia manga na cor vermelha. 4. Calça de passeio na cor cinza pérola escuro. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meias pretas. 7. Sapatos pretos. 34 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

35 c) Composição da versão feminina:. 1. Boina cinza pérola escuro, tipo francesa. 2. Camisa passeio, meia manga na cor bege escuro, com botões pretos e luvas de insígnias bordadas. 3. Camiseta meia manga na cor vermelha. 4. Calça de passeio na cor cinza pérola escuro. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meia super transparente em lycra. 7. Sapatos pretos de salto médio ou alto. d) Uso: 1. Em trânsito e em atividades internas e externas do expediente diário. 2. Será admitido o uso do uniforme 4ºA com saia e boina, em trânsito e nas atividades internas e externas do expediente diário, ou em outras atividades, quando determinado pelo Comandante Geral do CBMAP. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 35

36 4º Uniforme B (4º B) a) Posse: Obrigatória para Oficiais e Praças. b) Composição da versão masculina:. 1. Quepe masculino, na cor cinza pérola escuro, com pala correlata ao posto. 2. Camisa passeio meia manga na cor bege escuro, com botões pretos e luvas de insígnias metálicas. 3. Camiseta meia manga na cor vermelha. 4. Calça de passeio na cor cinza pérola escuro 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meias pretas. 7. Sapatos pretos. 36 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

37 c) Composição da versão feminina:. 1. Quepe feminino em fibra, na cor cinza pérola escuro, com pala correlata ao posto. 2. Camisa de passeio meia manga na cor bege escuro, com botões pretos e luvas de insígnias metálicas. 3. Camiseta meia manga na cor vermelha 4. Saia de passeio na cor cinza pérola escuro. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meia super transparente em lycra. 7. Sapatos pretos de salto médio ou alto. d) Uso: 1. Em trânsito, solenidades civis ou militares e em atos sociais em que seja permitido o traje esporte aos civis. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 37

38 4º Uniforme C (4º C) a) Posse: Obrigatória para Oficiais e praças do sexo feminino em período de gestação acentuada. b) Composição: 1. Boina cinza pérola escuro, tipo francesa. 2. Camisa meia manga especial, bege escuro, com botões pretos. 3. Camiseta meia manga na cor vermelha 4. Calça para gestante cinza pérola escuro. 5. Meia super transparente em lycra. 6. Sapatos pretos de salto médio, baixo ou mocassim liso. c) Uso: 1. Durante a gestação, em trânsito, em atividades internas e externas do expediente diário. 2. Será admitido o uso do uniforme 4ºC com saia e boina, em trânsito e nas atividades internas e externas do expediente diário, ou em outras atividades, quando determinado pelo Comandante geral. 38 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

39 4º Uniforme D (4º D) a) Posse: Obrigatória para Oficiais e Praças. b) Composição da versão masculina: 1. Camiseta meia manga na cor vermelha. 2.Calça de passeio na cor cinza pérola escuro. 3.Cinto vermelho com fivela dourada. 4. Meias pretas. 5. Sapatos pretos. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 39

40 c) Composição da versão feminina: 1. Camiseta meia manga na cor vermelha. 2. Calça de passeio na cor cinza pérola escuro. 3. Cinto vermelho com fivela dourada. 4. Meia super transparente em lycra. 5. Sapatos pretos de salto médio ou alto. d) Uso: 1. Em atividades internas do expediente diário. 2. Será admitido o uso do uniforme 4ºD com saia nas atividades internas do expediente diário. 40 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

41 4º Uniforme E (4º E) a) Posse: Obrigatória para Oficiais e Praças. b) Composição da versão masculina: 1. Boina cinza pérola escuro, tipo francesa. 2. Camisa de passeio, meia manga na cor bege escuro. 3. Camiseta meia manga na cor vermelha. 4. Calça de passeio na cor cinza pérola escuro. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meias pretas. 7. Coturno preto. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 41

42 c) Composição da versão feminina:. 1. Boina cinza pérola escuro, tipo francesa. 2. Camisa passeio, meia manga na cor bege escuro, 3. Camiseta meia manga na cor vermelha. 4. Calça de passeio na cor cinza pérola escuro. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meia preta. 7. Coturno preto. d) Uso: 1. Em atividades do serviço interno de Oficial de Dia e Guarda do Quartel, podendo também ser utilizado na composição de Guarda de Honra. 42 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

43 5º Uniforme A (5º A) a) Posse: Obrigatória para Oficiais e Praças do Quadro Complementar de Saúde. b) Composição da versão masculina: PEDROMAR A+ 1. Boina cinza pérola escuro, tipo francesa. 2. Jaleco meia manga e luvas brancas de insígnias bordadas. 3. Camiseta meia manga na cor vermelha. 4. Calça de passeio na cor cinza pérola escuro. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meias pretas. 7. Sapatos pretos. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 43

44 NATÁLIA A+ c) Composição da versão feminina: 1. Boina cinza pérola escuro, tipo francesa. 2. Jaleco meia manga e luvas brancas de insígnias bordadas. 3. Camiseta meia manga na cor vermelha. 4. Calça de passeio feminino na cor cinza pérola escuro. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meia super transparente em lycra. 7. Sapatos pretos de salto médio ou alto. d) Uso: Em atividades externas às unidades de saúde no atendimento ao público externo, dentro do perímetro urbano. 44 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

45 PEDROMAR A+ 5º Uniforme B (5º B) a) Posse: Obrigatória para Oficiais e Praças do Quadro Complementar de Saúde. b) Composição da versão masculina: 1. Boina cinza pérola escuro, tipo francesa. 2. Jaleco meia manga e luvas brancas de insígnias bordadas. 3. Camiseta meia manga na cor branca. 4. Calça de passeio na cor branca. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meias brancas. 7.Sapatos brancos. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 45

46 c) Composição da versão feminina: 1. Boina cinza pérola escuro, tipo francesa. 2. Jaleco meia manga e luvas brancas de insígnias bordadas. 3. Camiseta meia manga na cor vermelha. 4. Calça de passeio feminino na cor branca. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meias brancas. 7. Sapatos brancos. d) Uso: Usado no interior das unidades de saúde, para o atendimento aos públicos interno e externo. 46 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

47 6º Uniforme A (6º A) a) Posse: Obrigatória para Oficiais e Praças b) Composição 1. Gorro com pala. 2. Gandola operacional acolchoada, com botões pretos. 3. Camiseta meia manga na cor vermelha. 4. Calça operacional acolchoada. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meias pretas. 7. Coturno preto ou bota cano longo preta c) Uso: 1. Serviço diário de combate a incêndio, busca e salvamento e atendimento pré hospitalar 1.1. Em atividades de combate a incêndio urbano será admitido o uso da bota cano longo ou coturnos e, em atividades de combate a incêndio florestal serão utilizados o gorro de selva e acessórios; 1.2. Em atividades de busca e salvamento, este uniforme terá o gorro, a gandola e a calça confeccionados em tecido de cor alaranjada, sendo utilizado o coturno como calçado; 1.3. Em atividades de atendimento pré-hospitalar, este uniforme terá o gorro, a gandola e a calça confeccionados em tecido de cor azul marinho, sendo utilizado o coturno como calçado. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 47

48 6º Uniforme A (6º A) 48 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

49 6º Uniforme A (6º A) Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 49

50 6º Uniforme B (6º B) a) Posse: Obrigatória para Oficiais e Praças b) Composição: 1. Gorro com pala. 2. Camiseta meia manga na cor vermelha. 3. Calça operacional acolchoada. 4. Cinto vermelho com fivela dourada. 5. Meias pretas. 6. Coturno preto ou bota cano longo preta. 50 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

51 6º Uniforme B (6º B) c) Uso: Expediente interno e em atividades de campo não operacionais. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 51

52 6º Uniforme C (6º C) a) Posse: Obrigatória para Oficiais e Praças b) Composição masculina: 1. Gorro com pala. 2. Jaleco meia manga e luvas brancas de insígnias bordadas. 3. Camiseta meia manga na cor vermelha. 4. Calça operacional acolchoada. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meias pretas. 7. Coturno preto. 52 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

53 NATÁLIA A+ c) Composição feminina: 1. Gorro com pala. 2. Jaleco meia manga e luvas brancas de insígnias bordadas. 3. Camiseta meia manga na cor vermelha. 4. Calça operacional acolchoada. 5. Cinto vermelho com fivela dourada. 6. Meias pretas. 7. Coturno preto. d) Uso: Em atividades de campo, pelos bombeiros pertencentes ao quadro complementar de saúde. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 53

54 7º Uniforme A (7º A) a) Posse: Obrigatória para Oficiais e Praças. b) Composição da versão masculina: 1. Camiseta regata masculina. 2. Short vermelho masculino com bolsos frontais. 3.Sunga vermelha. 4. Meias brancas tipo soquete. 5.Tênis preto. 54 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

55 c) Composição da versão feminina: 1. Camiseta sem mangas feminina, na cor vermelha. 2. Short vermelho feminino, com decotes laterais. 3. Maiô vemelho. 4. Bermuda em lycra vermelha. 5. Meias brancas tipo soquete. 6.Tênis preto. d) Uso: 1. Instrução de treinamento físico. 2. Em operações de campo, de Defesa Civil ou de buscas em rios e lagos, será admitido o uso do gorro alaranjado ou cáqui, da camiseta meia manga, do cinto NA e do casaco do agasalho compondo o uniforme 7 A, quando autorizado. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 55

56 7º - Uniforme B (7º B) a) Posse: Facultativo para Oficiais e Praças. b) Composição da versão masculina: 1. Gorro com pala na cor vermelha. 2. Camiseta regata masculina de Guarda-Vidas. 3. Short vermelho masculino com bolsos frontais. 4. Sunga vermelha. 5. Sandália preta. 56 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

57 c) Composição da versão feminina: 1. Gorro com pala na cor vermelha. 2. Maiô vermelho. 3. Camiseta regata feminina de Guarda-Vidas. 3. Short vermelho feminino, com decotes laterais. 4. Sandália preta. d) Uso: 1. Em atividade de Guarda-Vidas. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 57

58 7º - Uniforme C (7º C) a) Posse: Obrigatória para Oficiais e Praças. b) Composição da versão masculina: 1. Sunga vermelha. 2. Sandália preta. c) Composição da versão feminina: 1. Maiô vermelho. 2. Sandália preta. CBMAP CBMAP d) Uso: 1. Nas Instruções de natação e de salvamento aquático. 58 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

59 CAPÍTULO IV Das peças complementares Art. 21 Peças complementares são aquelas que não entram na composição dos uniformes de que trata o Capítulo III deste regulamento. Parágrafo único As peças complementares compreendem os abrigos, os agasalhos e as peças de uso geral Art. 22 Os abrigos, os agasalhos e as demais peças usadas com os uniformes básicos são os seguintes: I - Agasalho. a) Posse: 1. Obrigatória para Oficiais e Praças. b) Uso: 1. Com o uniforme 7º A. 2. Por equipes representativas e delegações em atividades esportivas, e em atividades náuticas. 3. Em trânsito, devidamente autorizado pelo Comandante Geral do CBMAP ou Comandantes de OBMs 4. Em operações de campo, de Defesa Civil ou de buscas em rios e lagos, será admitido o uso do casaco do agasalho compondo o uniforme 7 A, quando autorizado. OFICIAIS Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 59

60 SUBTENS E SGTS CABOS E SOLDADOS 60 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

61 5ºA. chuvosos. II - Japona. a) Posse: 1. Facultativa para Oficiais e Praças. b) Uso: 1. Com o uniforme 4ºA, 4ºB, 4ºD e 2. Recomendado o uso em dias frios ou c) Tecido: Na cor cinza pérola escura. III - Alamares. a)posse: 1. Obrigatório para Oficiais, quando o desempenho da função o exigir. b)uso: No desempenho das seguintes funções: 1. Oficial do Gabinete Militar do Estado e do CBMAP. 2. Assistente do Comandante Geral. 3. Ajudante de Ordens do Comandante Geral. c) Tipos: 1. Normal: Preso ao ombro esquerdo e, por ambas as extremidades ao botão superior da túnica do 1º A e uniformes 1ºA, 2ºA e 3ºA 2. Reduzido: Preso ao ombro esquerdo do uniforme básico 4ºA e 4ºB. Normal Reduzido Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 61

62 IV - Cinto N/A vermelho. a) Posse: 1. Obrigatório para Oficiais e Praças em serviços de guarda e segurança das unidades e sub unidades, em atividades de busca e salvamento e em atividades de combate a incêndios florestais. b) Uso: 1. Com o uniforme 6ºA, destinado ao acondicionamento de armas, cantis e outros materiais. 2. Em operações de campo ou de Defesa Civil, compondo o uniforme 7 A, quando autorizado. VI - Espada, Fiador vermelho, Talim vermelho e Luva de pelica preta a) Posse: 1. Obrigatória para Oficial. b) Uso: 1. Quando determinado o uso de espada. 62 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

63 X - Capacete de Prontidão e Cinto de prontidão ou ginástico. a) Posse: 1. Obrigatória para Oficiais e Praças. Branco para Oficiais e preto para Praças. b) Uso: 1. Com o uniforme 6ºA, compondo o uniforme a ser usado por guarda-bandeiras e/ou guardas de honra. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 63

64 XI - Capa de Chuva Amarela a) Posse: 1. Facultativa para Oficiais e Praças. b) Uso: 1. Em atividades nas quais necessitem transitar sob a chuva. BO 64 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

65 XI - Jaqueta e Gorro da Defesa Civil a) Posse: 1. Facultativa para Oficiais e Praças. b) Uso: 1. Utilizado em operações externas de Defesa Civil; XI - Camiseta da Defesa Civil a) Posse: 1. Facultativa para Oficiais e Praças. b) Uso: 1. Em trânsito e em atividades internas e externas do expediente diário da Defesa Civil. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 65

66 TITULO IV DAS INSÍGNIAS E DOS DISTINTIVOS CAPITULO V Da especificação e do uso Art. 23 As insígnias e os distintivos usados na Corporação são usados nos uniformes deste regulamento, obedecendo os posicionamentos e as especificações que se seguem: I Distintivo do CBMAP: Formada pela insígnia Marechal Souza Aguiar, que é composta de duas machadinhas douradas cruzadas, formando um ângulo de 90º; um archote dourado, com chamas vermelhas colocado verticalmente entre as duas machadinhas; na intersecção, um escudo vermelho com uma estrela dourada de cinco pontas no centro; abaixo da intersecção, uma mangueira prateada, formando três círculos, que envolvem a parte inferior do cabo do archote e as partes inferiores dos cabos das machadinhas, tendo ainda nas extremidades da mangueira, dois esguichos na cor dourada. Este conjunto está envolvido por uma circunferência formada por dois cabos solteiros, que têm seus chicotes 66 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

67 unidos por dois nós direito, ficando um nó acima da chama do archote e outro sob a ponta do cabo. Esta insígnia está envolvida por uma circunferência de 7,5 cm (sete centímetros e meio) de diâmetro, na cor preta, de extremidades douradas; na parte superior desta circunferência está escrito, em letras brancas Corpo de Bombeiros Militar e na parte inferior, entre duas estrelas de cinco pontas, a palavra Amapá, também em letras brancas. a) Uso: No gorro do uniforme 6ºA, no lado esquerdo das camisas e camisetas vermelhas, no braço esquerdo das túnicas dos uniformes 1ºA, 2ºA e 3ºA, no lado esquerdo das canículas e jalecos dos uniformes 4ºA, 4ºB, 4ºE, 5ºA, 5ºB, 6ºC e na gandola do uniforme 6º A. II - As insígnias de Quadros: COMBATENTE ADMINISTRATIVO MÚSICO C O M P L E M E N TA R E S ENGENHEIRO CIVIL MÉDICO DENTISTA ASSISTENTE SOCIAL PSICÓLOGO FARMACÊUTICO FISIOTERAPEUTA ENGENHEIRO MECÂNICO ENFERMEIRO INFORMÁTICA Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 67

68 São confeccionadas em metal dourado e representam os quatro quadros existentes no CBMAP: Combatentes, Auxiliares Administrativos, Complementares e Músicos. a) Uso: 1. Na gola direita da camisa de mangas compridas bege escuro do uniforme 3ºA e nas golas da camisa de passeio, meia manga, na cor bege escuro do uniforme 4ºA, 4ºB, 4ºC e 4ºE, nos jalecos dos uniformes 4ºB, 5ºB e 6ºC, nestes casos em tamanho pequeno, voltadas para o rosto. São usadas também, em ambos os lados das lapelas das túnicas dos uniformes 1ºA, 2ºA e 3ºA, com as pontas viradas para o rosto, nestes casos em tamanho grande. 2. Nas golas dos uniformes 5ºA, 5ºB e 6ºC, as insígnias serão bordadas. Por questão de segurança nas atividades médicas. III - Distintivo de boina: Usado no lado direito da boina cinza pérola escuro. Constitui-se de um distintivo circular com fundo preto, medindo 4 (quatro) centímetros de raio, em metal estampado e esmaltado, tendo ao centro a insígnia Marechal Souza Aguiar. 68 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

69 IV - Os distintivos que podem ser usados nos braços das túnicas, canículas, jalecos e gandolas são os seguintes: 1. Lado esquerdo: Os distintivos correspondentes aos cursos de especialização, com as suas devidas cores e nomenclaturas, tipo barretes, sendo sempre utilizado àquele correspondente ao curso mais recente ou o que corresponda à atividade desenvolvida pelo bombeiro. 2. Lado direito: A bandeira do Estado do Amapá, cujas medidas devem respeitar as especificações contidas nos uniformes acima descritos. V - Os distintivos a serem usados no gorro com pala serão os dos cursos de especialização que o adotarem no lado esquerdo, o símbolo do CBMAP na frente e a bandeira do Estado do Amapá no lado direito, respeitando-se as medidas acima descritas. Art. 24 Os distintivos de cursos militares que podem ser usados nos uniformes, com exceção do uniforme 7º A e suas variações, são os seguintes: I - Cursos militares de Formação, Habilitação, Aperfeiçoamento e Curso Superior: destinados a oficiais e/ou praças, possuem distintivos que serão afixados sobre o macho do bolso superior direito das túnicas dos uniformes 1ºA, 2ºA e 3ºA e do macho do bolso direito da camisa bege meia manga do uniforme 4ºA, 4ºB e 4ºE. II - Cursos militares de especialização: destinados a oficiais e/ou praças, possuem distintivos que evidenciam o seu ciclo de ensino e respectivas modalidades. Os distintivos podem ser metálicos - que serão usados no lado direito, acima do bolso superior nas túnicas dos Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 69

70 uniformes 1ºA, 2ºA e 3ºA e acima do bolso direito da canícula do uniforme 4ºA, 4ºB e 4ºE - ou bordados em tecido, acima do bolso esquerdo da gandola do uniforme 6ºA - sendo que em alguns casos admite-se o uso de distintivos na manga esquerda da gandola do 6ºA, ou ainda, na lateral direita do gorro com pala ou do gorro de selva. a) Nas túnicas e na canícula, serão usados, além do distintivo de curso de nível mais elevado do qual o militar é detentor, no máximo três outros de especialização, enquanto que na gandola do uniforme 6ºA, só serão permitidos no máximo três distintivos referentes aos cursos de especialização, que serão bordados nas formas, cores e dimensões dos distintivos metálicos. b) Na manga esquerda da gandola do uniforme 6ºA, deverá ser usada apenas um distintivo tipo barrete, posicionado a 20mm abaixo da linha dos ombros. Art Os distintivos das OBMs serão utilizados por todos os militares de acordo com a sua lotação. I - Os distintivos das OBMs serão afixados sobre um suporte de couro e ficarão presos pelo botão do bolso superior esquerdo das túnicas dos uniformes 1º A, 2ºA e 3ºA e no bolso esquerdo da camisa bege do uniforme 4ºA, 4ºB e 4ºE. C M D O G E R A L D A G DDRH DIOP C O C 1º CI/COC 2º CI/COC 70 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

71 C O I 5º CI/COI 6º CI/COI C O E 9º CI/COE 10º CI/COE II - Distintivos de Comandante Geral, Ex-Comandante Geral e Sub-Comandante Geral: Serão afixados do lado direito do peito acima do bolso nos uniformes 4 A e 4 B. Comandante Geral Sub-Comandante Geral Ex-Comandante Geral a) Distintivos de Comandante Operacional e Comandante de Companhias: Serão afixados do lado direito do peito acima do bolso nos uniformes 4 A e 4 B. Comandante Operacional Comandante de Companhias Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 71

72 _ CAP BM SIMÃO A _ TEN BM SIMÃO A Art. 26 Os distintivos para os quepes deverão ter acabamento misto (bordado e canutilho) e as seguintes medidas. I - Quepe dos Oficiais: medirá 8,0cm (oito centímetros) de altura e 10cm (dez centímetros) de largura (medido em sua base inferior). II - Quepe das Praças: medirá 8,0cm (oito centímetros) de altura e 10cm (dez centímetros) de largura. A M A P OFICIAIS Á A M A P Á PRAÇAS Parágrafo Único - A disposição dos distintivos nos uniformes, descritas no artigos 23, 24 e 25, estão representadas nas figuras abaixo: O B M O B M 72 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

73 TÍTULO V DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO VI Das abreviações e do uso Art. 27 A identificação do Bombeiro Militar nos diversos uniformes e peças complementares de que trata o presente regulamento é feita obedecendo as abreviações a seguir: Abreviações usadas nas identificações. I - Na gandola do uniforme 6ºA e nos jalecos dos uniformes 5ºA, 5ºB e 6ºC, aplicada acima do bolso do lado direito, é usada a tarjeta de identificação individual, na cor dos uniformes, contendo o nome de guerra do Bombeiro Militar, seguido do tipo sangüíneo e fator RH, em letras pretas tipo Arial, e em letras brancas no uniforme azul marinho. 1º. As tarjetas deverão ter o mesmo comprimento da tampa do bolso da gandola, por 20mm de largura. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 73

74 SIMÃO O- SIMÃO O- SIMÃO O- SIMÃO O- 2º. Para os militares que estiverem em cursos de formação de soldados, cabos ou sargentos, as tarjetas terão a cor amarela com as bordas e as letras na cor preta. SIMÃO O- II - Nas camisas dos uniformes 3ºB, 4ºA, 4ºB e 4ºE é usada a plaqueta de identificação na cor vermelha, contendo o posto ou graduação abreviados, seguido do nome de guerra do Bombeiro Militar e do tipo sangüíneo e fator RH, escritos em letras brancas tipo Arial. A plaqueta terá a dimensão mínima de 75 x 15 mm e máxima de 80 x 18 mm. III - Na camisa e na camiseta vermelhas, é obrigatório constar, na altura do tórax, a designação do posto ou graduação abreviados, seguido do nome de guerra do Bombeiro, em letra tipo Arial de 10 mm de altura e 7mm de largura, na cor preta. _ SD BM SIMÃO A 74 Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá.

75 CAPITULO VII Das insígnias e das luvas Art O presente capítulo trata das prescrições relativas às insígnias nos uniformes e as peças complementares. 1º - As insígnias são os dispositivos associados aos escalões hierárquicos que permitem identificar e distinguir visualmente os postos e graduações dos militares fardados. 2º - Para efeito de aplicação e uso, tendo como finalidade o equilíbrio e angulação adequados, deverão ser consideradas exigências - A descrição, a disposição, a confecção e o uso das insígnias obedecerão as seguintes prescrições: Descrição de linhas verticais e horizontais imaginárias que coincidirão respectivamente com as linhas médias da largura e da altura dos distintivo, orientando seu correto posicionamento. - As insígnias de postos e graduações são as seguintes: 1º - de Oficiais e de Aspirante-a-oficial; 2º - de Cadetes; 3º - de Subtenentes; 4º - de Sargentos, Cabos e Soldados. a) Oficiais - formadas por estrelas compostas e simples: as 1 - Insígnia de Comandante Geral: Constitui-se de um distintivo circular com 17mm de diâmetro, tendo ao centro a insígia Marechal Souza Aguiar, de onde despontam três estrelas compostas de 7mm de diâmetro dispostas triângularmente, usada na gola da túnica dos uniformes 1ºA, 2ºA e 3ºA. Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amapá. 75

Art. 1º. Fica aprovado o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/RN), anexo ao presente Decreto.

Art. 1º. Fica aprovado o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/RN), anexo ao presente Decreto. Decreto nº 16.039, de 3 de maio de 2002. Dispõe sobre o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/ RN). O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, usando da

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS DO RUCBMRN

DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS DO RUCBMRN CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMRN (RUCBM) ANEXO I DA PORTARIA Nº 153 GAB CMDO, DE 29 DE AGOSTO DE 2014. DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS

Leia mais

SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS

SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS REGULAMENTO DE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR DA PARAÍBA (RUPMPB) SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS I - 8º UNIFORME CAVALARIA 8º UNIFORME A (8ºA) - CAVALARIA HISTÓRICO NEGO a) 8º UNIFORME

Leia mais

REGULAMENTO DE UNIFORMES

REGULAMENTO DE UNIFORMES POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS ANEXO III REGULAMENTO DE UNIFORMES TÍTULO I Generalidades Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

INSTITUCIONALIZA O UNIFORME

INSTITUCIONALIZA O UNIFORME DECRETO Nº29.482, de 03 de outubro de 2008. INSTITUCIONALIZA O UNIFORME DO PROGRAMA RONDA DO QUARTEIRÃO E MODIFICA O DECRETO Nº18.063, DE 06 DE AGOSTO DE 1986 (REGULAMENTODE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR

Leia mais

Art. 3º - Compete ainda, ao Comandante Geral estabelecer normas para aplicação do Regulamento ora aprovado.

Art. 3º - Compete ainda, ao Comandante Geral estabelecer normas para aplicação do Regulamento ora aprovado. DECRETO N.º 18.063, de 06 de agosto de 1986 Aprova o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Ceará e dá outras providências O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ, no uso de suas atribuições legais que

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA ICA 168-6/2011 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA PESSOAL-MILITAR RCA 35-2 REGULAMENTO DE UNIFORMES PARA OS MILITARES DA AERONÁUTICA (RUMAER) 2012 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DIRETORIA

Leia mais

Palácio Paiaguás, em Cuiabá, 18 de outubro 2012, 191º da Independência e 124º da República. Transc. D.O. n 25911 de 18/10/2012

Palácio Paiaguás, em Cuiabá, 18 de outubro 2012, 191º da Independência e 124º da República. Transc. D.O. n 25911 de 18/10/2012 DECRETO Nº 1.400, DE 18 DE OUTUBRO DE 2012. Aprova o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso RUPM/MT e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO, no uso

Leia mais

REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL

REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL 2014 REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE ALAGOAS Maceió-AL 1 COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO NOVO REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL Presidente Cel. QOBM/Comb. Mat. 139983-4 - Adriano

Leia mais

Maceió - Terça-feira 23 de maio de 2006 3

Maceió - Terça-feira 23 de maio de 2006 3 23 de maio de 2006 3 DECRETO Nº 3.192, DE 22 DE MAIO DE 2006. APROVA O REGULAMENTO DE UNIFORME DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS. ALAGOAS, no uso das atribuições que lhe confere o inciso

Leia mais

Separata ao Boletim do Exército

Separata ao Boletim do Exército Separata ao Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO SEPARATA AO BE Nº 11/2014 PORTARIA COMANDANTE DO EXÉRCITO Nº 158, DE 6 DE MARÇO DE 2014. Altera o Capítulo

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE GESTÃO E PLANEJAMENTO GABINETE

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE GESTÃO E PLANEJAMENTO GABINETE 1 2 ANEXO I REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE PADRÃO DE ATENDIMENTO VAPT VUPT DO PROCON-GOIÁS FINALIDADE Art. 1º A Unidade Padrão de Atendimento Vapt Vupt do PROCON - Goiás tem por finalidade: I. Responsabilizar-se

Leia mais

SUMÁRIO. José de Anchieta Junior - Governador do Estado Boa Vista-RR, (quarta-feira) 19 de Dezembro de 2007

SUMÁRIO. José de Anchieta Junior - Governador do Estado Boa Vista-RR, (quarta-feira) 19 de Dezembro de 2007 SUMÁRIO Página Atos do Poder Executivo...01 Governadoria do Estado...01 Casa Militar...37 Casa Civil...37 Controladoria Geral do Estado...38 Secretaria de Estado da Gestão Estratégica e Administração...38

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 43.430, DE 29 DE OUTUBRO DE 2004. (republicado no DOE nº 03, de 06 de janeiro de 2005) (vide abaixo publicação

Leia mais

Anexo ao Decreto XXXXXXXXX. CAPÍTULO I Das Disposições Gerais

Anexo ao Decreto XXXXXXXXX. CAPÍTULO I Das Disposições Gerais Anexo ao Decreto XXXXXXXXX CAPÍTULO I Das Disposições Gerais Art. 1º - O presente Regulamento contém as prescrições sobre os uniformes, peças complementares, insígnias e distintivos do Corpo de Bombeiros

Leia mais

UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES)

UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES) UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES) PEÇA ESPECIFICAÇÃO USO AQUISIÇÃO OBSERVAÇÕES SAPATO Social preto, padrão militar, com cadarço. Preferencialmente em lojas militares Evitar uso de sapato social com

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E HISTÓRICO DA AERONÁUTICA

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E HISTÓRICO DA AERONÁUTICA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E HISTÓRICO DA AERONÁUTICA Fl. nº 1 Rio de Janeiro, 13 de abril de 2005 ADITAMENTO AO BOLETIM DO COMANDO DA AERONÁUTICA Nº 068 Para conhecimento do Pessoal

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEDALHA SERVIÇO BOMBEIRO MILITAR ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DECRETO Nº 18.428 São Luís, 03 de dezembro de 2001. Regulamenta o art. 158,

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEDALHA ALFERES MORAES SANTOS

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEDALHA ALFERES MORAES SANTOS ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEDALHA ALFERES MORAES SANTOS ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DECRETO Nº 18.430 São Luís, 03 de dezembro de 2001. Regulamenta o art. 158, da

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015. Série. Número 34

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015. Série. Número 34 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS Portaria n.º 50/2015 Aprova o Regulamento do Fardamento

Leia mais

DECRETO Nº 16.144, DE 27 DE JULHO DE 1994

DECRETO Nº 16.144, DE 27 DE JULHO DE 1994 DECRETO Nº 16.144, DE 27 DE JULHO DE 1994 APROVA o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Amazonas e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAZONAS, usando das atribuições que lhe são

Leia mais

DECRETO Nº 39.034, DE FEVEREIRO DE 2006

DECRETO Nº 39.034, DE FEVEREIRO DE 2006 1 DECRETO Nº 39.034, DE FEVEREIRO DE 2006 APROVA O REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO,

Leia mais

APÊNDICE V. Modelos de Uniforme e Crachá

APÊNDICE V. Modelos de Uniforme e Crachá APÊNDICE V Modelos de Uniforme e Crachá MARÇO DE 2016 1 23 ÍNDICE 1.1. Apresentação...3 1.2. Tecidos...3 2.1. Gerente Feminino...5 2.2. Atendente Feminino...7 2.3. Gestante...9 2.4. Orientador Feminino...

Leia mais

Profissionalismo, organização, asseio, segurança, confiança. Muitas são as mensagens que uma equipe uniformizada passa para clientes e fornecedores e

Profissionalismo, organização, asseio, segurança, confiança. Muitas são as mensagens que uma equipe uniformizada passa para clientes e fornecedores e Manual de Uniformes Profissionalismo, organização, asseio, segurança, confiança. Muitas são as mensagens que uma equipe uniformizada passa para clientes e fornecedores e que justificam o investimento no

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL Confere RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL AJUDÂNCIA GERAL BOLETIM GERAL (BGCB) Nº 055 QUARTEL EM NATAL

Leia mais

CAPÍTULO IV Dos Distintivos

CAPÍTULO IV Dos Distintivos CAPÍTULO IV Dos Distintivos Art. 44. O presente Capítulo trata do uso e da descrição geral dos distintivos que são usados nos uniformes básicos ou peças complementares. Art. 46. Para efeito de aplicação

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR PORTARIA Nº 153/2014 GAB CMDO/CBMRN O COMANDANTE GERAL DO CORPO DE BOMBEIROS

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL PORTARIA Nº 005/BM-1/07

ESTADO DE MATO GROSSO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL PORTARIA Nº 005/BM-1/07 ESTADO DE MATO GROSSO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL PORTARIA Nº 005/BM-1/07 Aprova as Normas Gerais de Ação (NGA) para o Corpo Feminino do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso.

Leia mais

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO ESCOLAR E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Capítulo I Das disposições preliminares

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO ESCOLAR E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Capítulo I Das disposições preliminares DIRETORIA DE EDUCAÇÃO ESCOLAR E ASSISTÊNCIA SOCIAL INSTRUÇÃO 02 / 2012. DEEAS Regula o uso de uniformes do Colégio Tiradentes da Policial Militar de Minas Gerais. Capítulo I Das disposições preliminares

Leia mais

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul 11-1 0-1977 Diário Oficial Estado de Mato Grosso do Sul ANO XXXII n. 7.655 CAMPO GRANDE-MS, QUARTA-FEIRA, 68 PÁGINAS GOVERNADOR ANDRÉ PUCCINELLI Vice-Governador MURILO ZAUITH Secretário de Estado de Governo

Leia mais

Vitória, 13 de abril de 2010. Mensagem n º 060 / 2010. Senhor Presidente:

Vitória, 13 de abril de 2010. Mensagem n º 060 / 2010. Senhor Presidente: Vitória, 13 de abril de 2010. Mensagem n º 060 / 2010 Senhor Presidente: Encaminho à apreciação dessa Casa de Leis o anexo projeto de lei que tem por objetivo criar a Indenização para Aquisição de Fardamento,

Leia mais

Manual de Identidade Visual da Marca

Manual de Identidade Visual da Marca Manual de Identidade Visual da Marca Índice 1. Apresentação... 3 1.1 Introdução... 4 1.2 Logo... 5 1.3 Nomenclatura...7 1.4 Logotipia... 8 1.5 Versões... 9 2. Família Tipográfica... 11 3. Cores... 13 3.1

Leia mais

S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS. Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro

S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS. Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro Atendendo a que os modelos dos uniformes e distintivos a utilizar pelos elementos do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros

Leia mais

http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/boletins.php http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/separatas.php Continue lendo...

http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/boletins.php http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/separatas.php Continue lendo... SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO INFORMAÇÃO As Portarias do Comandante do Exército, todas de 6 de março de 2014, abaixo listadas, alteram, revogam e incluem dispositivos no Regulamento de Uniformes do Exército

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA. Subcomando Geral - Nº 012-12 de agosto de 2003 LEGISLAÇÃO JURISPRUDÊNCIA E NORMAS GERAIS LJNG

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA. Subcomando Geral - Nº 012-12 de agosto de 2003 LEGISLAÇÃO JURISPRUDÊNCIA E NORMAS GERAIS LJNG POLÍCIA MILITAR DA BAHIA Subcomando Geral - Nº 012-12 de agosto de 2003 LEGISLAÇÃO JURISPRUDÊNCIA E NORMAS GERAIS LJNG SUMÁRIO SUPLEMENTO LJNG N.º 012 06 DE AGOSTO DE 2003 QUARTA - FEIRA 1 - PORTARIA N.º

Leia mais

ATOS DO PODER EXECUTIVO

ATOS DO PODER EXECUTIVO ESTADO DA PARAÍBA Nº 14.621 João Pessoa - Domingo, 17 de Abril de 2011 Preço: R$ 2,00 ATOS DO PODER EXECUTIVO DECRETO Nº 32.101, DE 15 DE ABRIL DE 2011 Aprova o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros

Leia mais

Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha

Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Notas. 1.- O presente Capítulo compreende apenas os artefatos confeccionados de qualquer matéria têxtil, com exclusão das pastas ("ouates") e dos

Leia mais

SÍMBOLO DA FAB. RUMAER Insígnias e Acessórios - Página 1

SÍMBOLO DA FAB. RUMAER Insígnias e Acessórios - Página 1 SÍMBOLO DA FAB RUMAER Insígnias e Acessórios - Página 1 INSÍGNIA DE POSTO PARA USO NA GOLA E GORRO MARECHAL-DO-AR TENENTE-BRIGADEIRO MAJOR-BRIGADEIRO BRIGADEIRO RUMAER Insígnias e Acessórios - Página 2

Leia mais

-----------NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DA CHAVE DA CIDADE E MEDALHA MUNICIPAL: - Pelo Sr. Presidente foi apresentada a seguinte proposta:...

-----------NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DA CHAVE DA CIDADE E MEDALHA MUNICIPAL: - Pelo Sr. Presidente foi apresentada a seguinte proposta:... -----------NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DA CHAVE DA CIDADE E MEDALHA MUNICIPAL: - Pelo Sr. Presidente foi apresentada a seguinte proposta:... ----------- PREÂMBULO... -----------A Câmara Municipal de Bragança,

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PARELHAS RN, FAÇO SABER que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PARELHAS RN, FAÇO SABER que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N 2303/2013, DE 26 DE SETEMBRO DE 2013. Dispõe sobre a Criação e a Estrutura da Guarda Municipal, e dá outras providências. O PREFEITO DO RN, FAÇO SABER que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA INFORMATIVO DO ALUNO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA INFORMATIVO DO ALUNO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA INFORMATIVO DO ALUNO INSTRUÇÃO DE NIVELAMENTO DE CONHECIMENTO DO EFETIVO CONVOCADO PELO DFNSP - 57ª EDIÇÃO DEPARTAMENTO DA FORÇA NACIONAL

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A PROVA PRÁTICA - INTERIOR

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A PROVA PRÁTICA - INTERIOR ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A PROVA PRÁTICA - INTERIOR Os candidatos aprovados para a etapa de prova prática deverão comparecer no dia, horário e local informados no comprovante disponível na Área do Candidato,

Leia mais

VI CIRCUITO AMAZONENSE DE KARATE 2014 CAPITULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

VI CIRCUITO AMAZONENSE DE KARATE 2014 CAPITULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES VI CIRCUITO AMAZONENSE DE KARATE 2014 CAPITULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art 1º Este regulamento tem por finalidade determinar as condições gerais para a realização do VI Circuito Amazonense de

Leia mais

REGULAMENTO DO UNIFORME N.º 2 FARDA DE TRABALHO DO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS. CAPÍTULO I Disposições gerais

REGULAMENTO DO UNIFORME N.º 2 FARDA DE TRABALHO DO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS. CAPÍTULO I Disposições gerais REGULAMENTO DO UNIFORME N.º 2 FARDA DE TRABALHO DO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define o uniforme n.º 2, farda de trabalho, dos

Leia mais

ALTERADA RESOLUÇÃO 050, de 02 de OUTUBRO DE 2001

ALTERADA RESOLUÇÃO 050, de 02 de OUTUBRO DE 2001 ALTERADA RESOLUÇÃO 050, de 02 de OUTUBRO DE 2001 Altera o regulamento de Uniformes e Insígnias do Corpo de Bombeiros Militar (RUICBM), aprovado pela resolução nº 013 de 29 de janeiro de 2000 Minas Gerais

Leia mais

LEI N 951, DE 18 DE MARÇO DE 2003

LEI N 951, DE 18 DE MARÇO DE 2003 LEI N 951, DE 18 DE MARÇO DE 2003 Dispõe sobre as Normas do Cerimonial Público e Ordem de Precedência no Município de Bonito-MS., e dá outras providências. Autor: Luemir do Couto Coelho O Prefeito Municipal

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999

LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999 LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999 Dispõe sobre a organização básica do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais - CBMMG - e dá outras providências. O Povo do Estado de Minas Gerais, por seus representantes,

Leia mais

ATO PGJ N.º 230/2010

ATO PGJ N.º 230/2010 ATO PGJ N.º 230/2010 REGULAMENTA AS ATRIBUIÇÕES DA ASSESSORIA DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO AMAZONAS. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS, no uso de suas

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 327, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 327, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 327, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA

Leia mais

Instituir um padrão único de grafismo para os veículos no âmbito do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte e dá outras providências.

Instituir um padrão único de grafismo para os veículos no âmbito do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte e dá outras providências. GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR GABINETE DO COMANDO GERAL PORTARIA Nº 104/2015 GAB CMDO CBMRN Dispõe sobre

Leia mais

MARCOS AURÉLIO MACEDO DE MELO TENCEL PM (ORG)

MARCOS AURÉLIO MACEDO DE MELO TENCEL PM (ORG) 0 MARCOS AURÉLIO MACEDO DE MELO TENCEL PM (ORG) LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR INCLUI UNIFORMES DO COLÉGIO E DA GUARDA PALACIANA FORTALEZA - CEARÁ MARÇO - 2012 ATÉ AQUI O SENHOR NOS AJUDOU 1 MARCO AURÉLIO MACÊDO

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS Página 1 ÍNDICE CAPÍTULO 1 -DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS... 3 CAPÍTULO 2 - DA DESTINAÇÃO DOS LABORATÓRIOS... 3 CAPÍTULO 3 - DAS ATRIBUIÇÕES E COMPETÊNCIAS... 5 CAPÍTULO 4 - UTILIZAÇÃO

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA CENTRO DE ENSINO BOMBEIRO MILITAR ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA CENTRO DE ENSINO BOMBEIRO MILITAR ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA CENTRO DE ENSINO BOMBEIRO MILITAR ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR Caro futuro Cadete, Nós, da Academia de Bombeiro Militar

Leia mais

(P 2 ) Exames de ELIMINATÓRIO Aptidão Física (P 3 ) Inspeção da. ELIMINATÓRIO Saúde (P 4 ) Avaliação. ELIMINATÓRIO Psicológica (P 5 ) Investigação

(P 2 ) Exames de ELIMINATÓRIO Aptidão Física (P 3 ) Inspeção da. ELIMINATÓRIO Saúde (P 4 ) Avaliação. ELIMINATÓRIO Psicológica (P 5 ) Investigação CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DIRETORIA DE PESSOAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NAS FILEIRAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL NA QUALIFICAÇÃO

Leia mais

MANUAL DO ALUNO ESTÁGIO SUPERVISIONADO ENFERMAGEM

MANUAL DO ALUNO ESTÁGIO SUPERVISIONADO ENFERMAGEM MANUAL DO ALUNO ESTÁGIO SUPERVISIONADO ENFERMAGEM APRESENTAÇÃO Este Manual foi elaborado com o objetivo de fornecer as informações necessárias para o melhor desempenho nas atividades em campo de estágio

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CONSELHO SUPERIOR

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CONSELHO SUPERIOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 032/2009, de 03 de setembro de 2009. Aprova, ad referendum do Conselho Superior, as

Leia mais

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT MANTIDA PELA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MONTES CLAROS - FEMC TÍTULO I - DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente

Leia mais

BOLETIM DE SERVIÇO Nº 24

BOLETIM DE SERVIÇO Nº 24 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA SECRETARIA - EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO E INOVAÇÃO DIVISÃO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO (MONOGRAFIA) TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO (MONOGRAFIA) TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO (MONOGRAFIA) TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relativas ao Trabalho de Curso do currículo

Leia mais

102 - Puppet Noel Confeiteiro. Quantidade: 4. 4 (quatro) malhas de suplex.

102 - Puppet Noel Confeiteiro. Quantidade: 4. 4 (quatro) malhas de suplex. 102 - Puppet Noel Confeiteiro. Quantidade: 4. 4 (quatro) malhas de suplex. 103 - Bolacha Puppet. Quantidade: 8. 8 (oito) meias. 104 - Boneca Fantástica Fábrica. Quantidade: 8. Reformas e ajustes necessários.

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Curso: BACHAREL EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Curso: BACHAREL EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FLUXO DO TCC 6o SEM 7o SEM 8o SEM PESQUISA EM INFORMÁTICA Além da ementa da disciplina, o aluno desenvolverá uma proposta de pesquisa, que poderá ou não continuar a ser trabalhada nas disciplinas de TCC1,

Leia mais

Os princípios da composição do vestuário levam em conta os seguintes aspectos:

Os princípios da composição do vestuário levam em conta os seguintes aspectos: Princípios de Composição do Vestuário Para trabalhar com roupas mais elaboradas é importante conhecer os princípios de composição do vestuário. Neste nicho de mercado, este tipo de peça é desenvolvido

Leia mais

REGULAMENTO GERAL E TÉCNICO 3ª OLIMPÍADA ESTUDANTIL DE FLORIANÓPOLIS (OLESF)

REGULAMENTO GERAL E TÉCNICO 3ª OLIMPÍADA ESTUDANTIL DE FLORIANÓPOLIS (OLESF) REGULAMENTO GERAL E TÉCNICO 3ª OLIMPÍADA ESTUDANTIL DE FLORIANÓPOLIS (OLESF) 03 A 14 DE OUTUBRO DE 2011 2011 REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este Regulamento é o conjunto

Leia mais

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul. Secretário de Estado de Fazenda JADER RIEFFE JULIANELLI AFONSO

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul. Secretário de Estado de Fazenda JADER RIEFFE JULIANELLI AFONSO SUPLEMENTO 11-1 0-1977 Diário Oficial Estado de Mato Grosso do Sul ANO XXXVI n. 8.810 CAMPO GRANDE-MS, SEGUNDA-FEIRA, 27 PÁGINAS GOVERNADOR ANDRÉ PUCCINELLI Vice-Governadora SIMONE TEBET Secretário de

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO PIAUÍ C A P Í T U L O I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O presente Regulamento contém as prescrições sobre os uniformes do Corpo de Bombeiros

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. Fixa os critérios e procedimentos para a realização de concursos públicos de provas e títulos, destinados ao provimento dos cargos efetivos do

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1.º O presente Regulamento dispõe sobre o Estágio Supervisionado

Leia mais

ESTADO DE PERNAMBUCO POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL

ESTADO DE PERNAMBUCO POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL ESTADO DE PERNAMBUCO POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL SEXTA-FEIRA - RECIFE, - SUNOR Nº G 1.0.00.018 ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado

Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado 1 POSTOS UAI - PROJETO DE UNIFORMIZAÇÃO ARTIGO COD. PAG FUNÇÃO AGASALHO FEMININO BEGE T- 11/ T-12 58 COPEIRA AGASALHO FEMININO PRETO T-13 13 ATEN. RECEPÇÃO,

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DO DEPARTAMENTO DE QUÍMICA

REGULAMENTO GERAL DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DO DEPARTAMENTO DE QUÍMICA REGULAMENTO GERAL DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DO DEPARTAMENTO DE QUÍMICA Capítulo 1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Estas normas regulamentam o funcionamento dos laboratórios do Departamento de

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR REGULAMENTO DE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1ª EDIÇÃO 2012 1 RIO GRANDE

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 190, DE 28 DE MAIO DE 2008.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 190, DE 28 DE MAIO DE 2008. INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 190, DE 28 DE MAIO DE 2008. Estabelece procedimentos relativos à concessão de bolsas de pesquisa para o Programa de Pesquisa para o Desenvolvimento

Leia mais

Colocamos a disposição para melhor orientação a tabela do IPI, onde você irá encontrar as Nomenclaturas referidas de acordo com o seu produto.

Colocamos a disposição para melhor orientação a tabela do IPI, onde você irá encontrar as Nomenclaturas referidas de acordo com o seu produto. Colocamos a disposição para melhor orientação a tabela do IPI, onde você irá encontrar as Nomenclaturas referidas de acordo com o seu produto. Observe que para as Indústrias de Confecções que trabalham

Leia mais

Manual de identidade visual

Manual de identidade visual Manual de identidade visual apresentação....................................3 Versões horizontal e vertical........................4 grid de construção................................5 Cores institucionais...............................6

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS GRUPOS DE PESQUISA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO

REGULAMENTO GERAL DOS GRUPOS DE PESQUISA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

TORNEIO ESCOLAR DE ESPORTES DE LONDRINA REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I

TORNEIO ESCOLAR DE ESPORTES DE LONDRINA REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I TORNEIO ESCOLAR DE ESPORTES DE LONDRINA REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I Atualizado em 24/02/2005 DOS OBJETIVOS Art. 1 o.- Promover o desporto educacional através de várias modalidades esportivas, dando a

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO PORTARIA DO COMANDO-GERAL Nº 919, DE 16 DE JULHO DE 2009

ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO PORTARIA DO COMANDO-GERAL Nº 919, DE 16 DE JULHO DE 2009 ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO PORTARIA DO COMANDO-GERAL Nº 919, DE 16 DE JULHO DE 2009 Regula os afastamentos temporários na PMPR O Comandante-Geral da Polícia Militar do Estado

Leia mais

TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA NATUREZA. PARÁGRAFO ÚNICO Atividade curricular com ênfase exclusiva didático-pedagógica:

TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA NATUREZA. PARÁGRAFO ÚNICO Atividade curricular com ênfase exclusiva didático-pedagógica: REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO IFRR N A regulamentação geral de estágio tem por objetivo estabelecer normas e diretrizes gerais que definam uma política

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

Leia mais

Regimento Interno da Comissão Permanente de Perícia Médica, Segurança e Higiene do Trabalho CPMSHT

Regimento Interno da Comissão Permanente de Perícia Médica, Segurança e Higiene do Trabalho CPMSHT Título I Da Comissão Capítulo I Disposições Gerais Art. 1º - A Comissão Permanente de Perícia Médica, Segurança e Higiene do Trabalho CPMSHT, instituída pelo Decreto nº 9.321, de 1 de março de 2011, integrante

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004.

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004 Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado, em reunião

Leia mais

REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES.

REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES. REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES Seção I Da Natureza e Finalidade das Inspetorias Art. 1º A Inspetoria

Leia mais

CONSIDERANDO que cabe às OS o fornecimento dos insumos e equipamentos para as Unidades de Saúde sob contrato de Gestão com a SMSDC;

CONSIDERANDO que cabe às OS o fornecimento dos insumos e equipamentos para as Unidades de Saúde sob contrato de Gestão com a SMSDC; Circular S/SUBPAV/SAP n.º 08/2011. Rio de Janeiro, 09 de maio de 2011. Aos Coordenadores das A.P.s com vistas às Organizações Sociais e às Unidades Primárias de Saúde Assunto: Uniformes para as Equipes

Leia mais

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais.

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais. Portaria 1.105, de 28 de setembro de 1998 O Ministro de Estado da Educação e do Desporto, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto 1.845, de 28 de março de 1996, e tendo em vista o Parecer

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE BIOLOGIA MOLECULAR E IMUNOLOGIA APLICADO AOS CURSOS SUPERIORES DE GRADUAÇÃO E PÓS- GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE BIOLOGIA MOLECULAR E IMUNOLOGIA APLICADO AOS CURSOS SUPERIORES DE GRADUAÇÃO E PÓS- GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº23/2014 DISPÕE SOBRE O REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE BIOLOGIA MOLECULAR E IMUNOLOGIA APLICADO AOS CURSOS SUPERIORES DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO DA CNEC/IESA.

Leia mais

Regulamento Trabalho de Conclusão de Curso. Das Disposições Preliminares

Regulamento Trabalho de Conclusão de Curso. Das Disposições Preliminares Regulamento Trabalho de Conclusão de Curso Das Disposições Preliminares Art. 1. Respaldado pelo disposto nos termos do parágrafo terceiro do Artigo 65 do Regimento Unificado da Associação Educativa Evangélica

Leia mais

Regulamento do Grupo Folclórico Polônia. I Manter e promover o folclore polonês em suas mais diversas manifestações, especialmente a dança e o canto.

Regulamento do Grupo Folclórico Polônia. I Manter e promover o folclore polonês em suas mais diversas manifestações, especialmente a dança e o canto. Regulamento do Grupo Folclórico Polônia Art. 1º - O Grupo Folclórico Polônia tem como objetivos: I Manter e promover o folclore polonês em suas mais diversas manifestações, especialmente a dança e o canto.

Leia mais

REGULAMENTO DE UNIFORMES. Generalidades. alunos do CPMG, permitindo sua rápida identificação perante os demais membros da comunidade.

REGULAMENTO DE UNIFORMES. Generalidades. alunos do CPMG, permitindo sua rápida identificação perante os demais membros da comunidade. SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS ANEXO III TÍTULO I Generalidades Art. 1º O

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ESPORTES REGULAMENTO ESPORTIVO DO 4º ENATCHÊ

DEPARTAMENTO DE ESPORTES REGULAMENTO ESPORTIVO DO 4º ENATCHÊ Movimento Tradicionalista Gaúcho do Planalto Central MTG-PC DEPARTAMENTO DE ESPORTES REGULAMENTO ESPORTIVO DO 4º ENATCHÊ CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º O Encontro Esportivo, como parte das atividades

Leia mais

O Governador do Estado do Tocantins Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O Governador do Estado do Tocantins Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 2.822, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 4.037 Dispõe sobre a Carreira e o Subsídio dos Bombeiros Militares do Estado do Tocantins, e adota outras providências. O Governador

Leia mais

CAPÍTULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO

CAPÍTULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 392, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2015 Dispõe sobre aceitação, registro, vinculação, custódia, movimentação e diversificação dos ativos garantidores das operadoras no âmbito do sistema

Leia mais

O Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, no uso das atribuições que lhe confere o inciso VII, do artigo 89, da Constituição Estadual,

O Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, no uso das atribuições que lhe confere o inciso VII, do artigo 89, da Constituição Estadual, P O D E R E X E C U T I V O DECRETO Nº 10.529 DE 29 DE OUTUBRO DE 2.001 D i s p õ e s o b r e a M e d a l h a I M P E R A - D O R D O M P E D R O I I n o C o r p o d e B o m b e i r o s M i l i t a r d

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ANATOMIA HUMANA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ANATOMIA HUMANA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ANATOMIA HUMANA 2012 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 CAPÍTULO I - DA CARACTERIZAÇÃO E NATUREZA... 3 CAPÍTULO II - DOS DEVERES... 4 CAPÍTULO III - DO AGENDAMENTO E USO DO LABORATÓRIO...

Leia mais

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento da Biblioteca das Faculdades MAGSUL, objetivando sempre o aperfeiçoamento

Leia mais

Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência

Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência ATA DE JULGAMENTO DA CONCORRÊNCIA Nº 15/2011 Ata da sessão de JULGAMENTO das propostas referente a CONCORRÊNCIA 15/2011, do tipo menor preço unitário, segundo especificado no item 02 do Edital (REGISTRO

Leia mais

CONSIDERANDO, ainda, a necessidade e conveniência de consolidar todas as regras relativas aos veículos oficiais; CAPÍTULO I. Das Disposições Gerais

CONSIDERANDO, ainda, a necessidade e conveniência de consolidar todas as regras relativas aos veículos oficiais; CAPÍTULO I. Das Disposições Gerais Instrução Normativa DPG nº 02 de 23 de outubro de 2014 Dispõe sobre a gestão operacional e patrimonial da frota de veículos oficiais da Defensoria Pública do Estado do Paraná e dá outras providências.

Leia mais

Aos Coordenadores das A.P.s com vistas às Organizações Sociais e às Unidades Primárias de Saúde Assunto: Uniformes para as Equipes de Saúde da Família

Aos Coordenadores das A.P.s com vistas às Organizações Sociais e às Unidades Primárias de Saúde Assunto: Uniformes para as Equipes de Saúde da Família Circular S/SUBPAV/SAP n.º 07/2011. Rio de Janeiro, 15 de abril de 2011. Aos Coordenadores das A.P.s com vistas às Organizações Sociais e às Unidades Primárias de Saúde Assunto: Uniformes para as Equipes

Leia mais

PORTARIA N.º 249, DO DIA 13 DE FEVEREIRO DE 2014

PORTARIA N.º 249, DO DIA 13 DE FEVEREIRO DE 2014 PODER JUDICIÁRIO. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RORAIMA Seção de Biblioteca "Amazônia, patrimônio dos brasileiros" Este texto não substitui o original publicado no DJE PORTARIA N.º 249, DO DIA 13 DE

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO ANEXO À PORTARIA Nº PM4-001/2.1/97 DESCRIÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DAS PEÇAS DOS UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR 1 ÍNDICE UNIFORMES DE GALA Item Página I - G-1.1 "Masculino"

Leia mais