Separata ao Boletim do Exército

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Separata ao Boletim do Exército"

Transcrição

1 Separata ao Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO SEPARATA AO BE Nº 11/2014 PORTARIA COMANDANTE DO EXÉRCITO Nº 158, DE 6 DE MARÇO DE Altera o Capítulo V (Das Insígnias) e os art. 44 ao 67 do Capítulo VI (Dos Distintivos) do Regulamento de Uniformes do Exército (R-124), aprovado pela Portaria Ministerial nº 806, de 17 de dezembro de 1998, que com esta baixa. Brasília, DF, 14 de março de 2014.

2 2 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

3 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO GABINETE DO COMANDANTE PORTARIA Nº 158, DE 6 DE MARÇO DE EB / Altera, inclui e revoga dispositivos no Regulamento de Uniformes do Exército (R-124). O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso das atribuições que lhe conferem os arts. 4º e 19 da Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, e o inciso XI do art. 20 da Estrutura Regimental do Comando do Exército, aprovada pelo Decreto nº 5.751, de 12 de abril de 2006, ouvido o Estado-Maior do Exército, e de acordo com o que propõe a Secretaria-Geral do Exército, resolve: Art. 1º Alterar os Capítulo V (Das Insígnias) e os art. 44 ao 67 do Capítulo VI (Dos Distintivos) do Regulamento de Uniformes do Exército (R-124), aprovado pela Portaria Ministerial nº 806, de 17 de dezembro de 1998, que com esta baixa. Art. 2º Estabelecer que esta Portaria entre em vigor na data de sua publicação, sendo o seu cumprimento: I - Quanto ao uso de insígnias e distintivos dourados: a. para os subtenentes e sargentos, facultativo até 1º de dezembro de 2014 e, obrigatório a partir dessa data; e b. para os cabos, soldados e alunos, facultativo até 1º de junho de 2015 e, obrigatório a partir dessa data. Art. 3º Revogar do art. 68 ao 111-C, do Capítulo VI (Dos Distintivos) do Regulamento de Uniformes do Exército (R-124), aprovado pela Portaria Ministerial nº 806, de 17 de dezembro de Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

4 CAPÍTULO V DAS INSÍGNIAS Art. 35. O presente Capítulo trata das prescrições relativas às insígnias usadas nos uniformes básicos, masculinos e femininos, nos uniformes especiais e nas peças complementares. Parágrafo único. Para o uso das insígnias nos uniformes femininos, será observada a correspondência com as prescrições estabelecidas para os uniformes masculinos. Art. 36. As insígnias em vigor são as seguintes: I - de oficial-general; II - de oficial superior, oficial intermediário e oficial subalterno; III - de subtenente; IV - de sargento; V - de cabo; VI - de aluno de curso de formação; VII - de aluno de Centro ou Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva; VIII - de taifeiro; IX - de soldado do efetivo profissional; e X - de atirador de Tiro de Guerra. Art. 37. A composição, o uso e a descrição das insígnias de oficial-general obedecem às seguintes prescrições: I - compõem-se de estrelas singelas de cinco pontas, encimadas pelo símbolo do Exército, observando-se as seguintes disposições: a) Marechal: cinco estrelas em sautor; b) General de Exército: quatro estrelas acantonadas (retângulo); c) General de Divisão: três estrelas em roquete (triângulo); e d) General de Brigada: duas estrelas em faixa. 4 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

5 II - podem ser bordadas, metálicas ou plastificadas: a) as prescrições relativas às insígnias bordadas são as seguintes: 1. as insígnias bordadas são usadas nas platinas dos 1º e 2º uniformes, nas ombreiras dos 3º uniformes, da japona de passeio e da véstia dos uniformes especiais de Saúde; 2. as insígnias dos 1º e 2º uniformes são bordadas com fio Myller dourado e prateado, sendo que as cores verde, amarela e azul, no interior das elipses do símbolo do Exército, são bordadas com linha 100% poliéster 120; e Marechal General de Exército General de Divisão General de Brigada 3. as insígnias dos uniformes 3ºA, 3º B1 e 3º B2, da japona de passeio e da véstia dos uniformes especiais de Saúde são bordadas com linha 100% poliéster 120. Esse bordado deverá ser na cor cinza-escuro, sendo as cores verde-oliva, amarela e azul, no interior da elipse do símbolo do Exército, bordadas com o mesmo tipo de linha. b) as prescrições relativas às insígnias metálicas são as seguintes: 1. as insígnias metálicas podem ser em miniatura ou em tamanho normal; 2. as insígnias metálicas em miniatura são armadas em peça única, prateada, em relevo, sendo que as cores verde, amarela e azul, no interior do símbolo do Exército, são esmaltadas; Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

6 Marechal General de Exército General de Divisão General de Brigada 3. as insígnias metálicas em miniatura são colocadas na gola, alinhadas e centradas sobre a linha base de um triângulo isósceles, com altura de 30mm, cujo vértice é a ponta da gola do capote preto, da jaqueta verde-oliva, da jaqueta branca, da camisa bege manga comprida e da capa verdeoliva impermeável; Insígnias metálicas em miniatura 4. as insígnias metálicas em tamanho normal são constituídas de estrelas prateadas, em relevo, e do símbolo do Exército, idêntico ao usado nas boinas; e 5. as insígnias metálicas em tamanho normal são usadas nas platinas da camisa bege meiamanga. 6 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

7 Marechal General de Exército General de Divisão General de Brigada c) as prescrições relativas às insígnias plastificadas são as seguintes: 1. as insígnias plastificadas são confeccionadas em cloreto de polivinil (PVC) pelo processo de moldagem a quente, na cor cinza, sobre um suporte que reproduz o tecido de padronagem camuflada, sendo aplicadas por meio de velcro na cor verde-oliva; e Marechal General de Exército General de Divisão General de Brigada Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

8 2. as insígnias plastificadas são colocadas na gola, alinhadas e centradas sobre a linha base de um triângulo isósceles, cujo vértice é a ponta da gola, em ambos os lados, da blusa dos 4º uniformes. Insígnias plastificadas, na gola do 4º uniforme 3. na japona de campanha, deve ser posicionada a partir do alinhamento do 2º botão de cima para baixo, tangenciando a costura do abotoamento do lado esquerdo e acima do distintivo da Arma, Quadro ou Serviço, quando houver. alinhamento do 2º botão, lado esquerdo Insígnia plastificada, na japona de campanha 8 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

9 Art. 38. A composição, o uso e a descrição das insígnias de oficial superior, oficial intermediário e oficial subalterno obedecem às seguintes prescrições: I - composição: a) Coronel: três estrelas com Cruzeiro do Sul, radiadas, em linha; b) Tenente-Coronel: duas estrelas com Cruzeiro do Sul, radiadas, e uma simples, em linha; c) Major: uma estrela com Cruzeiro do Sul, radiada, e duas simples, em linha; d) Capitão: três estrelas com Cruzeiro do Sul, simples, em linha; e) 1º Tenente: duas estrelas com Cruzeiro do Sul, simples, em linha; f) 2º Tenente: uma estrela com Cruzeiro do Sul, simples; e g) Aspirante a Oficial: uma estrela prateada. II - podem ser bordadas, metálicas ou plastificadas. III - as prescrições relativas às insígnias bordadas são as seguintes: a) uso: as insígnias bordadas são usadas nos 1º uniformes, nas véstias e camisas brancas dos uniformes especiais de Saúde. 1. descrição: a. as insígnias usadas nos 1º uniformes são bordadas com fio Myller dourado e prateado sobre uma platina forrada com tecido aveludado na cor preta e, nas bordas, dois frisos bordados em fio Myller na cor ouro novo: 1) insígnias de oficial superior: estrela com Cruzeiro do Sul, radiada, constituída de uma estrela metálica simples, de cinco pontas, prateada. Ao centro, há uma coroa circular azul com estrelas prateadas, contendo um campo azul, no qual está inscrita a Constelação do Cruzeiro do Sul, com estrelas prateadas, medindo 27mm de diâmetro, sobreposta a uma estrela metálica de quinze pontas, também de 27mm de diâmetro. Cada ponta dessa estrela representa-se metade em amarelo e metade em dourado; e Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

10 Coronel Tenente-Coronel Major 2) insígnias de oficiais intermediário e subalterno - estrela com Cruzeiro do Sul, simples, constituída de uma estrela metálica de cinco pontas, prateada. Ao centro, há uma coroa circular azul com estrelas prateadas, contendo um campo azul, no qual está inscrita a Constelação do Cruzeiro do Sul, com estrelas prateadas. Capitão 1º Tenente 2º Tenente 3) insígnia de aspirante a oficial - estrela metálica de cinco pontas, singela, prateada, com 27mm de diâmetro e 5mm de altura Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

11 Aspirante a oficial b. as insígnias usadas nas ombreiras das véstias e das camisas brancas dos uniformes especiais de Saúde são bordadas de acordo com as seguintes prescrições: 1) oficial superior: estrela de cinco pontas, radiada, com 27mm de diâmetro, bordada com linha 100% poliéster 120 de cor cinza-escuro; Coronel Tenente-Coronel Major 2) oficial intermediário e oficial subalterno: estrela de cinco pontas, simples, com 27mm de diâmetro, bordada com linha 100% poliéster 120 de cor cinza-escuro; e Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

12 Capitão 1º Tenente 2º Tenente 3) aspirante a oficial: contorno de uma estrela de cinco pontas, com 27mm de diâmetro, bordada com linha 100% poliéster 120 de cor cinza-escuro. Aspirante a Oficial IV - as prescrições relativas às insígnias metálicas são as seguintes: a) as insígnias metálicas podem ser em miniatura ou em tamanho normal; b) as insígnias metálicas em miniatura são colocadas na gola, alinhadas e centradas sobre a linha base de um triângulo isósceles, com altura de 30mm, cujo vértice é a ponta da gola, do lado esquerdo, do capote preto, da jaqueta verde-oliva, da jaqueta branca, da camisa bege manga comprida e da capa verde-oliva impermeável; 12 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

13 Insígnia e distintivo metálicos em miniatura, na gola da camisa c) as insígnias metálicas em miniaturas são armadas em uma única peça, em relevo, sendo esmaltadas as cores não prateadas; Coronel Tenente-Coronel Major Capitão 1º Tenente 2º Tenente Aspirante a oficial d) as insígnias metálicas em tamanho normal são usadas nas platinas da camisa bege meiamanga, nas ombreiras dos 2º A1, 2º A2, 3º A, 3º B1, 3º B2, 3º D1, 3º D2, 3º D3 e na japona de passeio; e e) a descrição das insígnias metálicas em tamanho normal é a seguinte: 1. oficial superior: platina, na cor verde-oliva, composta de estrela com Cruzeiro do Sul, radiada, constituída de um conjunto formado por uma estrela, com Cruzeiro do Sul simples, sobreposta a uma estrela de quinze pontas, de 27mm de diâmetro. Cada ponta dessa estrela representa-se metade em amarelo e metade em dourado; Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

14 Coronel Tenente-Coronel Major 2. oficial intermediário e oficial subalterno: platina, na cor verde-oliva, composta de estrela com Cruzeiro do Sul, simples, constituída de uma estrela de cinco pontas prateada, tendo ao centro uma coroa circular azul com estrelas prateadas, contendo um campo azul no qual está inscrita a Constelação do Cruzeiro do Sul com estrelas prateadas; e Capitão 1º Tenente 2º Tenente 3. aspirante a oficial: platina, na cor verde-oliva, composta de estrela de cinco pontas, prateada, com 27mm de diâmetro. Aspirante a Oficial 14 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

15 V - as prescrições relativas às insígnias plastificadas são as seguintes: a) as insígnias plastificadas são colocadas na gola, alinhadas e centradas sobre a linha base de um triângulo isósceles, cujo vértice é a ponta da gola, do lado esquerdo, da blusa dos 4º uniformes. Insígnia e distintivo plastificados, na gola do 4º uniforme b) na japona de campanha, deve ser posicionada a partir do alinhamento do 2º botão de cima para baixo, tangenciando a costura do abotoamento do lado esquerdo e acima do distintivo da Arma, Quadro ou Serviço, quando houver. alinhamento do 2º botão, lado esquerdo Insígnia plastificada, na japona de campanha Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

16 c) as insígnias plastificadas são confeccionadas em cloreto de polivinil (PVC) pelo processo de moldagem a quente, na cor cinza, sobre um suporte que reproduz o tecido de padronagem camuflada, sendo aplicadas por meio de velcro na cor verde-oliva. Art. 39. O uso e a descrição da insígnia de subtenente obedecem às seguintes prescrições: I - descrição: um losango vazado; II - a insígnia pode ser bordada, metálica, ou plastificada; III - as prescrições relativas à insígnia bordada são as seguintes: a) a insígnia bordada é usada nas ombreiras das véstias e das camisas brancas dos uniformes especiais de Saúde; e 120. b) compõe-se de um losango vazado, na cor cinza-escuro, bordado em linha 100% poliéster 16 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

17 IV - a insígnia metálica pode ser em miniatura ou em tamanho normal: a) a insígnia metálica em miniatura é colocada, alinhada e centrada sobre a linha base de um triângulo isósceles, com altura de 30mm, cujo vértice é a ponta da gola, do lado esquerdo, do capote preto, das jaquetas verde-oliva e branca, da camisa bege manga comprida e da capa verde-oliva impermeável; e Insígnia e distintivo metálicos em miniatura, na gola da camisa bege manga comprida b) a insígnia metálica em tamanho normal é usada nas platinas verde-oliva da camisa bege meia-manga, nas ombreiras dos 2º A1, 2º A2, 3º A, 3º B1, 3º B2, 3º D1, 3º D2, 3º D3 e na japona de passeio; e Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

18 V - as prescrições relativas à insígnia plastificada são as seguintes: a) a insígnia plastificada é colocada alinhada e centrada sobre a linha base de um triângulo isósceles, cujo vértice é a ponta da gola, do lado esquerdo, da blusa dos 4º uniformes. b) a insígnia plastificada é confeccionada em cloreto de polivinil (PVC) pelo processo de moldagem a quente, na cor cinza, sobre um suporte que reproduz o tecido de padronagem camuflada, sendo aplicada por meio de velcro na cor verde-oliva. Insígnia e distintivo plastificados, na gola do 4º uniforme c) na japona de campanha, deve ser posicionada a partir do alinhamento do 2º botão de cima para baixo, tangenciando a costura do abotoamento do lado esquerdo e acima do distintivo da Arma, Quadro ou Serviço, quando houver; e alinhamento do 2º botão, lado esquerdo Insígnia plastificada, na japona de campanha 18 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

19 Art. 40. O uso e a descrição da insígnia de sargento obedecem às seguintes prescrições: I - descrição geral da insígnia de sargento: conjunto de divisas sobre um suporte formado por um escudete antigo, estilizado e reverso, de acordo com a especificação abaixo: a) 1º Sargento: cinco divisas distribuídas em dois conjuntos; um superior, de três, e outro inferior, composto de duas divisas, separados por uma divisa na cor branca ou prateada; b) 2º Sargento: quatro divisas, distribuídas em dois conjuntos; um superior, de três, e outro inferior, composto de uma divisa, separados por uma divisa na cor branca ou prateada; e c) 3º Sargento: três divisas. II - as insígnias de sargento podem ser bordadas, metálicas ou plastificadas; a) as prescrições relativas às insígnias bordadas são as seguintes: 1. as insígnias bordadas são usadas no terço superior, a 80mm da costura, de ambas as mangas dos uniformes 2º A1, 2º A2, 3º A, 3º B1, 3º B2, 3º D1, 3º D2 e 3º D3, na japona de passeio e na véstia dos uniformes especiais de Saúde; e 2. compõe-se de conjunto composto por um suporte formado por um escudete antigo, estilizado e reverso, e pelas divisas correspondentes às graduações, bordadas com linha 100% poliéster 120. Esse bordado deverá ser na cor cinza-escuro, quando o suporte for verde-oliva e nas divisas das véstias de Saúde; na cor verde-oliva, quando o suporte for bege; e amarelo-escuro, quando o suporte for cinza, sendo que o suporte deve ser do mesmo tecido do uniforme sobre o qual a insígnia será aplicada. a. 1º Sargento Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

20 3º A, 3º B1, 3º B2 e japona de passeio. 3º D1, 3º D2, 3º D3, 3º D4 e 3º D5. véstia dos uniformes especiais de Saúde. 2º A1 e 2º A2. b. 2º Sargento c. 3º Sargento 20 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

21 b) as prescrições relativas às insígnias metálicas são as seguintes: 1. as insígnias metálicas em miniatura são colocadas na gola, alinhadas e centradas sobre a linha base de um triângulo isósceles, com altura de 30mm, cujo vértice é a ponta da gola, do lado esquerdo, do capote preto, das jaquetas verde-oliva e branca, da camisa bege manga comprida e da capa verde-oliva impermeável; e Insígnia e distintivo metálicos em miniatura, na gola da camisa bege manga comprida 2. compõe-se de insígnia na cor dourada, em brocante, composta por um suporte formado por um escudete antigo, estilizado e reverso, e pelas divisas correspondentes às respectivas graduações. c) as prescrições relativas às insígnias plastificadas são as seguintes: 1. a insígnia plastificada é colocada, alinhada e centrada, sobre a linha base de um triângulo isósceles, cujo vértice é a ponta da gola, do lado esquerdo, da blusa dos 4º uniformes. Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

22 Insígnias e distintivo plastificados, na gola do 4º uniforme 2. na japona de campanha, deve ser posicionada a partir do alinhamento do 2º botão de cima para baixo, tangenciando a costura do abotoamento do lado esquerdo e acima do distintivo da Arma, Quadro ou Serviço, quando houver; e alinhamento do 2º botão, lado esquerdo Insígnia e distintivo plastificados, na japona de campanha 2. a insígnia plastificada é confeccionada em cloreto de polivinil (PVC) pelo processo de moldagem a quente, na cor cinza, sobre um suporte que reproduz o tecido de padronagem camuflada, sendo aplicada por meio de velcro na cor verde-oliva Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

23 Art. 41. O uso e a descrição das insígnias de cabo e de soldado do efetivo profissional obedecem às seguintes prescrições: I - descrição geral: conjunto composto por um suporte formado por um escudete antigo, estilizado e reverso, e pelas divisas correspondentes às graduações: a) cabo: duas divisas; e b) soldado do efetivo profissional: uma divisa. Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

24 II - as insígnias de cabo e de soldado do efetivo profissional podem ser bordadas, metálicas ou plastificadas; a) as prescrições relativas à insígnia bordada são as seguintes: 1. as insígnias bordadas são usadas no terço superior, a 80mm da costura, de ambas as mangas dos uniformes 3º B1, 3º B2, 3º D1, 3º D2 e 3º D3, da japona de passeio e da véstia dos uniformes especiais de Saúde; e 2. compõe-se de conjunto composto por um suporte formado por um escudete antigo, estilizado e reverso, e pelas divisas correspondentes às graduações, bordadas com linha 100% poliéster 120. Esse bordado deverá ser na cor cinza-escuro, quando o suporte for verde-oliva e nas divisas das véstias de Saúde; na cor verde-oliva, quando o suporte for bege, sendo que o suporte deve ser do mesmo tecido do uniforme sobre o qual a insígnia será aplicada. b) as prescrições relativas às insígnias metálicas são as seguintes: 1. as insígnias metálicas em miniatura são colocadas na gola, alinhadas e centradas sobre a linha base de um triângulo isósceles, com altura de 30mm, cujo vértice é a ponta da gola do lado esquerdo, das jaquetas verde-oliva e branca e da capa verde-oliva impermeável; e Insígnia e distintivo metálicos, na gola da jaqueta verde-oliva 24 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

25 2. compõe-se de insígnia na cor dourada, em brocante, composta por um suporte formado por um escudete antigo, estilizado e reverso e pelas divisas correspondentes às graduações. c) as prescrições relativas à insígnia plastificada são as seguintes: 1. a insígnia plastificada é colocada, alinhada e centrada, sobre a linha base de um triângulo isósceles, cujo vértice é a ponta da gola, do lado esquerdo, da blusa dos 4º uniformes. Insígnia e distintivo plastificados, na gola do 4º uniforme 2. na japona de campanha, deve ser posicionada a partir do alinhamento do 2º botão de cima para baixo, tangenciando a costura do abotoamento do lado esquerdo e acima do distintivo da Arma, Quadro ou Serviço, quando houver; e Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

26 alinhamento do 2º botão, lado esquerdo Insígnia e distintivo plastificados, na japona de campanha 3. a insígnia plastificada é confeccionada em cloreto de polivinil (PVC) pelo processo de moldagem a quente, na cor cinza, sobre um suporte que reproduz o tecido de padronagem camuflada, sendo aplicada por meio de velcro na cor verde-oliva. Art. 42. A descrição e as condições para o uso das insígnias de aluno do curso de formação de oficiais da Escola de Saúde do Exército (EsSEx); da Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx); da Reserva, usadas por alunos de Centro ou Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva, e dos alunos do curso de formação de sargentos de carreira são as seguintes: I - insígnia de aluno do curso de formação de oficiais da EsSEx e da EsFCEx: a) a insígnia compõe-se de uma estrela singela, vazada, com 20mm de diâmetro, sobre um retângulo de 40mm x 30mm; 26 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

27 b) a insígnia pode ser bordada ou plastificada: Insígnias bordadas Insígnia plastificada 1. a insígnia é bordada em linha 100% poliéster 120. Esse bordado deverá ser na cor cinzaescuro, sobre um retângulo do mesmo tecido do uniforme sobre o qual a insígnia será aplicada. Deve ser usada na parte superior de ambas as mangas, 80mm abaixo da costura, do blusão verde-oliva e da camisa bege meia-manga dos uniformes 3º D, respectivamente, da véstia branca dos uniformes especiais de Saúde e da japona de passeio; e 2. a insígnia plastificada é colocada, alinhada e centrada, sobre a linha base de um triângulo isósceles, cujo vértice é a ponta da gola, do lado esquerdo, da blusa dos 4º uniformes. É confeccionada em cloreto de polivinil (PVC), pelo processo de moldagem a quente, na cor cinza, sobre um suporte que reproduz o tecido de padronagem camuflada, sendo aplicada por meio de velcro na cor verde-oliva. Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

28 Insígnias plastificadas, na gola do 4º uniforme 3. na japona de campanha, deve ser posicionada a partir do alinhamento do 2º botão de cima para baixo, tangenciando a costura do abotoamento do lado esquerdo e acima do distintivo da Arma, Quadro ou Serviço, quando houver. alinhamento do 2º botão, lado esquerdo Insígnia e distintivo plastificados, na japona de campanha II - insígnia da Reserva usada por alunos de Centro ou Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva: a) as insígnias da Reserva podem ser metálicas ou plastificadas: 28 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

29 1. a insígnia metálica da Reserva compõe-se de um tope circular de metal esmaltado dourado, com 21mm de diâmetro, contendo em seu interior dois anéis de 4mm cada e um círculo central de 5mm de diâmetro, com as cores azul-celeste, amarelo e verde, do interior para a periferia: Insígnia metálica de Reserva, na platina a. durante o período básico de formação, a insígnia metálica da Reserva deve ser usada nas platinas da camisa bege meia-manga dos uniformes 3º D, em ambos os lados da gola da camisa bege manga comprida dos uniformes 3º B e 3º C, do blusão verde-oliva dos uniformes 3º B, da jaqueta verde-oliva e da capa verde-oliva impermeável; e Insígnia e distintivo metálicos, na camisa bege meia-manga (Período Básico) b. durante o período de qualificação, a insígnia metálica da Reserva deve ser usada nas platinas da camisa bege meia-manga dos uniformes 3º D, na ponta da gola, do lado esquerdo, da camisa bege manga comprida dos uniformes 3º B e 3º C, da jaqueta verde-oliva e da capa verde-oliva impermeável. Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

30 Insígnia e distintivo metálicos em miniatura, na gola da camisa bege manga comprida 2. a insígnia plastificada da Reserva deve ter o uso, a disposição e a confecção de acordo com os seguintes critérios: a. insígnia plastificada deve ser confeccionada em cloreto de polivinil (PVC), pelo processo de moldagem a quente, na cor cinza, com a mesma descrição e dimensões da insígnia metálica, sobre um suporte retangular, medindo 40mm por 30mm, que reproduz o tecido de padronagem camuflada, sendo aplicado por meio de velcro na cor verde-oliva; b. a insígnia plastificada é colocada, alinhada e centrada, sobre a linha base de um triângulo isósceles, cujo vértice é a ponta da gola, em ambos os lados, da blusa dos 4º uniformes durante o Período Básico, e, na ponta da gola, do lado esquerdo, após a escolha da Qualificação; 30 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

31 Insígnias plastificadas, na gola do 4º uniforme, após a escolha da Qualificação. c. na japona de campanha, durante o Período Básico, deve ser posicionada a partir do alinhamento do 2º botão de cima para baixo, tangenciando a costura do abotoamento do lado esquerdo. O distintivo da Arma, Quadro ou Serviço, colocado abaixo da insígnia, é usado após a escolha da Qualificação. alinhamento do 2º botão, lado esquerdo Insígnia e distintivo plastificados, na japona de campanha b) durante o período de qualificação, o distintivo metálico de Arma, Quadro ou Serviço deve ser usado na ponta da gola, do lado direito, da jaqueta verde-oliva, da capa verde-oliva impermeável e da camisa bege manga comprida dos uniformes 3º B e 3º C, e, em ambos os lados da gola da camisa bege meia-manga e do blusão verde-oliva. Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

32 Insígnias e Distintivos metálicos, na camisa bege meia-manga III - insígnia de aluno dos cursos de formação de sargentos: a) descrição geral: insígnia constituída por uma estrela singela, vazada, encimada por divisas correspondentes à graduação de cabo, sobre um suporte formado por um escudete antigo, estilizado e reverso. b) a insígnia pode ser metálica, bordada ou plastificada; c) a insígnia metálica compõe-se de um conjunto dourado, em brocante, uma estrela singela, vazada, encimada por divisas correspondentes à graduação de cabo, sobre um suporte formado por um escudete antigo, estilizado e reverso: 1. durante o período básico, a insígnia metálica de aluno deve ser usada nas pontas da gola da camisa bege manga comprida dos uniformes 3º B e 3º C, das jaquetas verde-oliva e branca e da capa verde-oliva impermeável; 32 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

33 Insígnias e distintivo metálicos em miniatura, na gola da camisa bege manga comprida (Período Básico) 2. após a escolha da qualificação, a insígnia metálica de aluno é usada na ponta da gola, do lado esquerdo, da camisa bege manga comprida dos uniformes 3º B e 3º C, das jaquetas verde-oliva e branca e da capa verde-oliva impermeável; e Insígnias e distintivo metálicos em miniatura, na gola da camisa bege manga comprida (Período de Qualificação) 3. durante o período de qualificação, o distintivo metálico de Arma, Quadro ou Serviço deve ser usado na ponta da gola, do lado direito, da jaqueta verde-oliva, da capa verde-oliva impermeável e da camisa bege manga comprida dos uniformes 3º B e 3º C, e em ambos os lados da gola da camisa bege meia-manga e do blusão verde-oliva. Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

34 d) a insígnia bordada é constituída por uma estrela singela, vazada, com 20mm de diâmetro, encimada por divisas correspondentes à graduação de cabo, sobre um suporte formado por um escudete antigo, estilizado e reverso, bordada com linha 100% poliéster 120. Esse bordado deverá ser na cor cinza-escuro, no suporte verde-oliva e nas divisas das véstias de Saúde; na cor verde-oliva, quando o suporte for bege, sendo que o suporte deve ser do mesmo tecido do uniforme sobre o qual a insígnia será aplicada; e) a insígnia bordada deve ser usada na parte superior de ambas as mangas, 80mm abaixo da costura, do blusão verde-oliva do uniforme 3º B, da camisa bege meia-manga do uniforme 3º D, da véstia branca dos uniformes especiais de Saúde e da japona de passeio; e f) a insígnia plastificada deve ser confeccionada em cloreto de polivinil (PVC), pelo processo de moldagem a quente, na cor cinza, sobre um suporte que reproduz o tecido de padronagem camuflada, sendo aplicado por meio de velcro na cor verde-oliva: 34 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

35 g) a insígnia plastificada é colocada, alinhada e centrada, sobre a linha base de um triângulo isósceles, cujo vértice é a ponta da gola, em ambos os lados, da blusa dos 4º uniformes, durante o período básico, e, na ponta da gola, do lado esquerdo, após a escolha da qualificação; Insígnias plastificadas, na gola do 4º uniforme (Período Básico) h) na japona de campanha, durante o Período Básico, deve ser posicionada a partir do alinhamento do 2º botão de cima para baixo, tangenciando a costura do abotoamento do lado esquerdo. O distintivo da Arma, Quadro ou Serviço, colocado abaixo da insígnia, é usado após a escolha da Qualificação. alinhamento do 2º botão, lado esquerdo Insígnia plastificada, na japona de campanha (Período Básico) Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

36 alinhamento do 2º botão, lado esquerdo Insígnia plastificada, na japona de campanha (Período de Qualificação) Art. 43. O uso e a descrição das insígnias de taifeiro e de atiradores de Tiro de Guerra obedecem às seguintes prescrições: I - descrição geral da insígnia de taifeiro: letra "T" encimada ou não por divisas: a) Taifeiro-Mor: duas divisas, com a letra "T" sob o ângulo inferior; b) Taifeiro de 1ª Classe: uma divisa, com a letra "T" sob o ângulo; e 36 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

37 c) Taifeiro de 2ª Classe: a letra "T". II - as insígnias de taifeiro podem ser bordadas ou plastificadas: a) as prescrições relativas à insígnia bordada são as seguintes: 1. a insígnia bordada deve ser usada na parte superior de ambas as mangas, 80mm abaixo da costura, dos uniformes 3º B1, 3º B2, 3º D1, 3º D2, 3º D3 e da japona de passeio; e Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

38 2. a insígnia é bordada com linha 100% poliéster 120 na cor cinza-escuro quando o suporte for verde-oliva, e, na cor verde-oliva, quando o suporte for bege, sendo que o suporte deve ser do mesmo tecido do uniforme sobre o qual a insígnia será aplicada. b) as prescrições relativas à insígnia plastificada são as seguintes: 1. as insígnias plastificadas são confeccionadas em cloreto de polivinil (PVC) pelo processo de moldagem a quente, na cor cinza, sobre um suporte que reproduz o tecido de padronagem camuflada, sendo aplicadas por meio de velcro na cor verde-oliva; e 2. a insígnia plastificada é colocada, alinhada e centrada, sobre a linha base de um triângulo isósceles, cujo vértice é a ponta da gola, em ambos os lados, da blusa dos 4º uniformes. Insígnias plastificadas, na gola do 4º uniforme 38 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

39 3. na japona de campanha, deve ser posicionada a partir do alinhamento do 2º botão de cima para baixo, tangenciando a costura do abotoamento do lado esquerdo. alinhamento do 2º botão, lado esquerdo Insígnia plastificada, na japona de campanha III. O uso e a descrição da insígnia de Tiro de Guerra obedecem às seguintes prescrições: a) compõe-se de um círculo, com 30mm de diâmetro, tendo inscrito em seu interior a sigla "TG", estilizado, tudo sobre um quadrado de 40mm de lado; IV. as insígnias de Tiro de Guerra serão plastificadas: a) as insígnias plastificadas são confeccionadas em cloreto de polivinil (PVC) pelo processo de moldagem a quente, na cor cinza, sobre um suporte que reproduz o tecido de padronagem camuflada, sendo aplicadas por meio de velcro na cor verde-oliva; e b) a insígnia plastificada é colocada, alinhada e centrada, sobre a linha base de um triângulo isósceles, cujo vértice é a ponta da gola, em ambos os lados, da blusa dos 4º uniformes. Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

40 Insígnias plastificadas, na gola do 4º uniforme c) na japona de campanha, deve ser posicionada a partir do alinhamento do 2º botão de cima para baixo, tangenciando a costura do abotoamento do lado esquerdo. alinhamento do 2º botão, lado esquerdo Insígnia plastificada, na japona de campanha 40 - Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

41 CAPÍTULO VI DOS DISTINTIVOS Art. 44. O presente Capítulo trata do uso e da descrição geral dos distintivos que são colocados sobre os uniformes ou peças complementares. Parágrafo único. A inclusão de um novo distintivo deverá ser precedida de proposta apresentada pela Organização Militar (OM) interessada, via canal de comando, cabendo ao Grupo de Trabalho Encarregado de Estudar Modificações no RUE (GTU) estudar e propor ao Comandante do Exército a sua criação. Art. 45. Os distintivos de cursos ou estágios e os de especialização ou extensão só poderão ser usados por militares que tenham realizado, com aproveitamento, os respectivos cursos ou estágios, sendo vedado o seu uso por militares que realizaram apenas o curso de formação no estabelecimento de ensino em que funcionam também os cursos de especialização ou extensão. Art. 46. É vedado o uso de distintivos enquadrados em qualquer uma das situações abaixo: I - distintivos de cursos e estágios realizados nos Estabelecimentos de Ensino (EE) e OM do Exército não regulamentados; e II - distintivos de cursos e estágios realizados nos demais estabelecimentos de ensino, nacionais ou estrangeiros, que não tenham o uso homologado. Art. 47. Para o uso dos distintivos nos uniformes femininos, para os quais não foram feitas referências específicas neste Capítulo, será observada, quando for o caso, a correspondência com as prescrições estabelecidas para os uniformes masculinos ou para situações semelhantes já descritas para os uniformes femininos, nas quais a colocação de outros distintivos da mesma natureza esteja regulamentada. Art. 48. Os distintivos estão agrupados por seções e grupos, considerando a afinidade e a posição nos diversos uniformes. 1º Seção I - Distintivos dos uniformes de passeio. I - Distintivos do Grupo A (Arma, Quadro, Serviço e Qualificação Militar). II - Distintivos do Grupo B (cursos de Formação, Graduação, Aperfeiçoamento, Gestão, Altos Estudos e Política, Estratégia e Alta Administração). III - Distintivos do Grupo C (Comando, Chefia ou Direção de OM). IV - Distintivos do Grupo D (cursos e estágios posicionados acima do bolso superior direito). Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

42 V - Distintivos do Grupo E (cursos e estágios posicionados sobre o bolso superior direito). VI - Distintivos do Grupo F (faixas semicirculares). VII - Distintivos do Grupo G (cursos ou estágios realizados fora da Força e distintivos para ex-integrantes de força de paz). VIII - Distintivos do Grupo H (demais distintivos). 2º Seção II - Distintivos dos uniformes operacionais. I - Distintivos do Grupo A (Arma, Quadro, Serviço e Qualificação Militar). II - Distintivos do Grupo D (cursos e estágios posicionados acima do bolso superior direito dos uniformes). III - Distintivos do Grupo E (cursos e estágios posicionados sobre o bolso superior direito). IV - Distintivos do Grupo F (faixas semicirculares). V - Distintivos do Grupo G (cursos ou estágios realizados fora da Força e distintivos para exintegrantes de força de paz). VI - Distintivos do Grupo H (demais distintivos). VII - Distintivos do Grupo I (distintivos de gorro). 3º Seção III - Distintivos de uso específico. I - Distintivos para os uniformes da Aviação do Exército. II - Distintivos de Militares Inativos Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

43 Seção I - Distintivos dos uniformes de passeio Art. 49. A montagem dos distintivos nos uniformes 2º, 3ºA e 3ºB deve observar as seguintes prescrições: POSIÇÃO 6 Grupo A POSIÇÃO 5 Grupo F POSIÇÃO 4 Grupo C ou D POSIÇÃO 3 Grupo D POSIÇÃO 2 Grupo B POSIÇÃO 7 Serviço no Exterior POSIÇÃO 8 Grupo G POSIÇÃO 9 DOM POSIÇÃO 1 Grupo E 1º O posicionamento dos distintivos deve observar as seguintes prescrições: I - Posição 1: 1 (um) distintivo do Grupo E (curso ou estágio). Localização: 10mm abaixo do distintivo que estiver na Posição 2; II - Posição 2: 1 (um) distintivo do Grupo B (curso de Formação, Graduação, Aperfeiçoamento, Gestão, Altos Estudos e de Política, Estratégia e Alta Administração). Localização: centralizado sobre o macho do bolso direito, quando for utilizado somente um distintivo, ou na parte superior do macho do bolso direito, quando forem utilizados dois distintivos sobre o macho do bolso direito. Para o uso desses distintivos deverá ser observado ainda que: Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

44 a) é obrigatório o uso do distintivo do curso de nível mais elevado realizado no Brasil; b) o distintivo dos Cursos de Altos Estudos da Escola de Comando e Estado-Maior, quando utilizado com os uniformes 1ºA, 2ºA, 3ºA ou 3ºB, deverá ser bordado e posicionado na manga direita, a 30mm da borda superior do canhão da manga da túnica e do blusão, em linha de raiom de cor cinzaescuro; e c) os militares que realizaram curso no Instituto Militar de Engenharia (IME) deverão observar o prescrito no 1º art. 52; III - Posição 3: 1 (um) distintivo do Grupo D (curso ou estágio). Localização: tangenciando a costura do bolso superior direito; IV - Posição 4: a) 1 (um) distintivo do Grupo C (Comando, Chefia ou Direção de OM). Localização: 30mm acima do bolso direito, quando for usado isoladamente acima do bolso superior direito, ou a 10mm do distintivo que estiver na Posição 3. O uso do distintivo desse grupo é obrigatório para os oficiais e praças possuidores do referido distintivo e facultativo para os oficiais-generais; ou b) 1 (um) distintivo do Grupo D (curso ou estágio). Localização: 10mm acima do distintivo que estiver na posição 3. Somente para o militar que tenha mais de um distintivo do Grupo D e que não possua distintivo do Grupo C; V - Posição 5: 1 (um) distintivo do Grupo F (faixa semicircular). Localização: 10mm abaixo da costura da manga direita; VI - Posição 6: a) 2 (dois) distintivos do Grupo A (Arma, Quadro ou Serviço). Localização: em ambos os lados da gola, acima da lapela da túnica dos uniformes 2º e 3ºA e do blusão dos uniformes 3ºB; e b) 1 (um) distintivo do Grupo A (Arma, Quadro ou Serviço). Localização: do lado direito, na ponta da gola da camisa bege manga comprida dos 3º uniformes; VII - Posição 7: o Distintivo de Serviço no Exterior. Localização: 10mm abaixo da costura da manga esquerda; VIII - Posição 8: 1 (um) distintivo do Grupo G (curso ou estágio realizado fora da Força ou distintivo para ex-integrante de força de paz). Localização: 10mm acima do bolso esquerdo ou a 10mm acima da linha de barretas; Parágrafo único: só é permitido 1 (um) distintivo acima do bolso esquerdo; e IX - Posição 9: o Distintivo de Organização Militar (DOM). Localização: conforme previsto na letra c) do inciso VIII do art Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

45 2º As barretas devem tangenciar a costura do bolso superior esquerdo. Art. 50. A montagem dos distintivos na camisa bege meia-manga dos uniformes 3 D deve observar as seguintes prescrições: POSIÇÃO 6 Grupo A POSIÇÃO 5 Grupo F POSIÇÃO 4 Grupo C ou D POSIÇÃO 3 Grupo D POSIÇÃO 7 Serviço no Exterior POSIÇÃO 8 Grupo G POSIÇÃO 2 Grupo B POSIÇÃO 9 DOM POSIÇÃO 1 Grupo E 1º O posicionamento dos distintivos deve observar as seguintes prescrições: I - Posição 1: 1 (um) distintivo do Grupo E (curso ou estágio). Localização: 10mm abaixo do distintivo que estiver na Posição 2; II - Posição 2: 1 (um) distintivo do Grupo B (curso de Formação, Graduação, Aperfeiçoamento, Gestão, Altos Estudos e de Política, Estratégia e Alta Administração). Localização: centralizado sobre o macho do bolso direito, quando for utilizado somente um distintivo, ou na parte superior do macho do bolso direito, quando forem utilizados dois distintivos sobre o macho do bolso direito. Para o uso desses distintivos deverá ser observado ainda que: Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

46 a) é obrigatório o uso do distintivo do curso de nível mais elevado realizado no Brasil; b) o distintivo dos Cursos de Altos Estudos da Escola de Comando e Estado-Maior, quando utilizado com os uniformes 1ºA, 2ºA, 3ºA ou 3ºB, deverá ser bordado e posicionado na manga direita, a 3mm da borda superior do canhão da manga da túnica e do blusão, em linha de raiom de cor cinzaescuro; e c) os militares que realizaram curso no Instituto Militar de Engenharia deverão observar o prescrito no 1º art. 52; III - Posição 3: 1 (um) distintivo do Grupo D (curso ou estágio). Localização: tangenciando a costura do bolso superior direito; IV - Posição 4: a) 1 (um) distintivo do Grupo C (Comando, Chefia ou Direção de OM). Localização: 30mm acima do bolso direito, quando for usado isoladamente acima do bolso superior direito, ou a 10mm do distintivo que estiver na Posição 3. O uso do distintivo desse grupo é obrigatório para os oficiais e praças possuidores do referido distintivo e facultativo para os oficiais-generais; ou b) 1 (um) distintivo do Grupo D (curso ou estágio). Localização: 10mm acima do distintivo que estiver na posição 3. Somente para o militar que tenha mais de um distintivo do Grupo D e que não possua distintivo do Grupo C; V - Posição 5: 1 (um) distintivo do Grupo F (faixa semicircular). Localização: 10mm abaixo da costura da manga direita; VI - Posição 6: 2 (dois) distintivos do Grupo A (Arma, Quadro ou Serviço). Localização: devem ser posicionados em ambos os lados, nas pontas das golas, alinhados e centrados sobre a linha base de um triângulo isósceles, cujo vértice é a ponta da gola; VII - Posição 7: o Distintivo de Serviço no Exterior. Localização: 10mm abaixo da costura da manga esquerda; VIII - Posição 8: 1 (um) distintivo do Grupo G (curso ou estágio realizado fora da Força ou distintivo para ex-integrante de força de paz). Localização: 10mm acima do bolso esquerdo ou a 10mm acima da linha de barretas; Parágrafo único: só é permitido 1 (um) distintivo acima do bolso esquerdo; e IX - Posição 9: o Distintivo de Organização Militar (DOM). Localização: conforme previsto na letra c) do inciso VIII do art º As barretas devem tangenciar a costura do bolso superior esquerdo. 3º A Plaqueta de Identificação deve ser posicionada na pestana do bolso direito, ao centro, tangenciando a segunda costura da pestana Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

47 Subseção I - Distintivos do Grupo A (Arma, Quadro, Serviço e Qualificação Militar) Art. 51. O uso dos distintivos de Arma, Quadro ou Serviço e dos correspondentes à Qualificação Militar deve observar as seguintes prescrições: 1º Os distintivos bordados devem ser usados nas seguintes condições: I - na cor dourada, em ambos os lados da gola do uniforme 1º A; II - na cor cinza, no centro do bolso esquerdo da véstia branca dos uniformes especiais de saúde e da camisa branca dos uniformes especiais de saúde femininos; III - na cor cinza, na altura do peito, do lado esquerdo do vestido de gestante branco do uniforme 1ºA3 de Saúde e da camisa meia-manga especial branca do uniforme 1ºA4 de Saúde. 2º Os distintivos metálicos, na cor dourada para oficiais e praças, devem ser usados nas seguintes condições: I - em ambos os lados da gola, acima da lapela da túnica dos uniformes 2º e 3ºA e do blusão dos uniformes 3ºB; II - do lado direito, na ponta da gola, da camisa bege manga comprida dos 3º uniformes, das jaquetas verde-oliva e branca, do capote preto e da capa verde-oliva impermeável; e III - em ambos os lados, nas pontas da gola da camisa bege meia-manga dos uniformes 3ºD. 3º O uso dos distintivos metálicos pelos alunos dos Cursos de Formação de Sargentos de Carreira deverá estar de acordo com o prescrito no inciso V do art. 3º do Anexo B deste Regulamento. 4º Os distintivos apresentam a seguinte composição: Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

48 Nome do distintivo Descrição Oficiais Subtenentes e Sargentos Cabos e soldados Infantaria Dois fuzis cruzados com uma granada de mão no cruzamento. Cavalaria Duas lanças cruzadas com bandeirolas e um laço de fita no cruzamento. Artilharia Uma bomba em chamas. Engenharia Um castelo Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

49 Nome do distintivo Descrição Oficiais Subtenentes e Sargentos Cabos e soldados Intendência Uma folha de acanto com a base voltada para a esquerda e a ponta direita do observador, quando colocado no lado esquerdo do usuário. Em posição inversa, quando colocado no lado direito do usuário. Comunicações Um círculo vazado irradiando quatro setas para os pontos cardeais. Material Bélico Dois canhões coloniais cruzados. Engenheiro Militar Uma roda dentada vazada circunscrevendo um castelo. Não é previsto. Não é previsto. Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

50 Nome do distintivo Descrição Oficiais Subtenentes e Sargentos Cabos e soldados Médico Uma serpente enleando um sabre. Deve ser posicionada de forma que a cabeça da serpente fique voltada para o ombro do militar. Não é previsto. Não é previsto. Dentista Uma haste enleada por duas serpentes. Não é previsto. Não é previsto. Farmacêutico Uma ânfora com uma serpente. Deve ser posicionada de forma que a cabeça da serpente fique voltada para o ombro do militar. Não é previsto. Não é previsto. Veterinária Um facho com uma serpente enleada em forma de V. Não é previsto. Não é previsto Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

51 Nome do distintivo Descrição Oficiais Subtenentes e Sargentos Cabos e soldados Enfermagem Uma lamparina sobreposta a um sabre. Não é previsto. Não é previsto. Capelão Militar Católico Uma cruz latina. Não é previsto. Não é previsto. Capelão Militar Protestante Um livro aberto com um facho. Não é previsto. Não é previsto. Quadro Auxiliar de Oficiais Uma roda dentada vazada com um sabre, tendo cruzadas, no interior do vazamento, duas penas. Não é previsto. Não é previsto. Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

52 Nome do distintivo Descrição Oficiais Subtenentes e Sargentos Cabos e soldados Quadro Complementar Um triângulo isósceles vazado sobreposto por um sabre. Não é previsto. Saúde Uma cruz vermelha de braços iguais. Não é previsto. Aviação do Exército O símbolo do Exército superposto a duas asas simbólicas da Aviação do Exército, réplicas do antigo símbolo da Aviação Militar. Não é previsto. Corneteiro Uma corneta. Não é previsto Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

53 Nome do distintivo Descrição Oficiais Subtenentes e Sargentos Cabos e soldados Clarim Um clarim. Não é previsto. Músico Uma lira. Não é previsto. Topógrafo Uma seta, apontando para cima, sobre uma esfera armilar. Não é previsto. Não é previsto. Veterinária Uma cruz azul de braços iguais. Não é previsto. Não é previsto. Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

54 Nome do distintivo Descrição Oficiais Subtenentes e Sargentos Cabos e soldados Comandos Um crânio humano estilizado, atravessado de baixo para cima por um sabre. Não é previsto. Não é previsto Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de 2014.

55 Subseção II - Distintivos do Grupo B (Formação, Graduação, Aperfeiçoamento, Gestão, Altos Estudos e Política, Estratégia e Alta Administração) Art. 52. O uso dos distintivos inseridos neste grupo deverá observar as seguintes prescrições: 1º É permitido o uso de apenas um distintivo, correspondente ao de nível mais elevado, exceto para os possuidores de cursos do Instituto Militar de Engenharia, que deverão observar as seguintes prescrições: I - àqueles, formados no IME, que possuírem curso(s) de doutorado e/ou mestrado, antes de realizarem o curso de aperfeiçoamento, é permitido o uso de apenas um distintivo, correspondente ao de nível mais elevado; II - àqueles, formados no IME, que possuírem curso(s) de altos estudos e/ou aperfeiçoamento, é permitido o uso de até dois distintivos, sendo o primeiro (de altos estudos ou aperfeiçoamento) usado na parte superior do macho do bolso direito, e o segundo (de doutorado, mestrado ou graduação) posicionado na parte inferior do macho do bolso direito. Em ambos os casos, a escolha do distintivo deverá recair sobre os de níveis mais elevados; e III - àqueles, formados em outros estabelecimentos de ensino, que possuírem curso(s) de graduação, mestrado e/ou doutorado do IME, e que tenham permanecido na arma, quadro ou serviço de origem, é permitido o uso do Distintivo de Graduação, Mestrado ou Doutorado do IME, que pode ser posicionado na parte inferior do macho do bolso direito. A escolha deverá recair sobre o de nível mais elevado. 2º É obrigatório o uso do distintivo do curso de nível mais elevado realizado no Brasil. 3º Estão incluídos neste grupo os distintivos dos cursos, considerados de Altos Estudos e de Política, Estratégia e Alta Administração, realizados na Marinha do Brasil, na Força Aérea Brasileira e na Escola Superior de Guerra. 4º O distintivo deve ser usado nos seguintes uniformes: 2º, 3ºA, 3ºB e 3ºD. 5º Posição: a) nos uniformes masculinos: 1. deve ser centralizado sobre o macho do bolso direito, quando for utilizado somente um distintivo, ou na parte superior do macho do bolso direito, quando forem utilizados dois distintivos sobre o macho do bolso direito; e Separata ao Boletim do Exército nº 11, de 14 de março de

INSTITUCIONALIZA O UNIFORME

INSTITUCIONALIZA O UNIFORME DECRETO Nº29.482, de 03 de outubro de 2008. INSTITUCIONALIZA O UNIFORME DO PROGRAMA RONDA DO QUARTEIRÃO E MODIFICA O DECRETO Nº18.063, DE 06 DE AGOSTO DE 1986 (REGULAMENTODE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR

Leia mais

http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/boletins.php http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/separatas.php Continue lendo...

http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/boletins.php http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/separatas.php Continue lendo... SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO INFORMAÇÃO As Portarias do Comandante do Exército, todas de 6 de março de 2014, abaixo listadas, alteram, revogam e incluem dispositivos no Regulamento de Uniformes do Exército

Leia mais

Art. 1º. Fica aprovado o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/RN), anexo ao presente Decreto.

Art. 1º. Fica aprovado o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/RN), anexo ao presente Decreto. Decreto nº 16.039, de 3 de maio de 2002. Dispõe sobre o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/ RN). O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, usando da

Leia mais

SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS

SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS REGULAMENTO DE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR DA PARAÍBA (RUPMPB) SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS I - 8º UNIFORME CAVALARIA 8º UNIFORME A (8ºA) - CAVALARIA HISTÓRICO NEGO a) 8º UNIFORME

Leia mais

CAPÍTULO IV Dos Distintivos

CAPÍTULO IV Dos Distintivos CAPÍTULO IV Dos Distintivos Art. 44. O presente Capítulo trata do uso e da descrição geral dos distintivos que são usados nos uniformes básicos ou peças complementares. Art. 46. Para efeito de aplicação

Leia mais

REGULAMENTO DE UNIFORMES

REGULAMENTO DE UNIFORMES POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS ANEXO III REGULAMENTO DE UNIFORMES TÍTULO I Generalidades Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS DO RUCBMRN

DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS DO RUCBMRN CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMRN (RUCBM) ANEXO I DA PORTARIA Nº 153 GAB CMDO, DE 29 DE AGOSTO DE 2014. DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS

Leia mais

Maceió - Terça-feira 23 de maio de 2006 3

Maceió - Terça-feira 23 de maio de 2006 3 23 de maio de 2006 3 DECRETO Nº 3.192, DE 22 DE MAIO DE 2006. APROVA O REGULAMENTO DE UNIFORME DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS. ALAGOAS, no uso das atribuições que lhe confere o inciso

Leia mais

Art. 3º - Compete ainda, ao Comandante Geral estabelecer normas para aplicação do Regulamento ora aprovado.

Art. 3º - Compete ainda, ao Comandante Geral estabelecer normas para aplicação do Regulamento ora aprovado. DECRETO N.º 18.063, de 06 de agosto de 1986 Aprova o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Ceará e dá outras providências O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ, no uso de suas atribuições legais que

Leia mais

UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES)

UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES) UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES) PEÇA ESPECIFICAÇÃO USO AQUISIÇÃO OBSERVAÇÕES SAPATO Social preto, padrão militar, com cadarço. Preferencialmente em lojas militares Evitar uso de sapato social com

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA ICA 168-6/2011 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA PESSOAL-MILITAR RCA 35-2 REGULAMENTO DE UNIFORMES PARA OS MILITARES DA AERONÁUTICA (RUMAER) 2012 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DIRETORIA

Leia mais

Boletim do Exército Nº 28/2006. Brasília - DF, 14 de julho de 2006. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército Nº 28/2006. Brasília - DF, 14 de julho de 2006. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Nº 28/2006 Brasília - DF, 14 de julho de 2006. BOLETIM DO EXÉRCITO N º 28/2006 Brasília - DF, 14 de julho de 2006.

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEDALHA SERVIÇO BOMBEIRO MILITAR ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DECRETO Nº 18.428 São Luís, 03 de dezembro de 2001. Regulamenta o art. 158,

Leia mais

Boletim do Exército N 52/2003. Brasília - DF, 26 de dezembro de 2003. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército N 52/2003. Brasília - DF, 26 de dezembro de 2003. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO N 52/2003 Brasília - DF, 26 de dezembro de 2003. BOLETIM DO EXÉRCITO N 52/2003 Brasília - DF, 26 de dezembro de

Leia mais

MANUAL DE USO DA MARCA EXÉRCITO BRASILEIRO

MANUAL DE USO DA MARCA EXÉRCITO BRASILEIRO MANUAL DE USO DA MARCA Aprovado pela Portaria nº 885, de 4 de novembro de 2008, do Comandante do Exército Brasileiro. Identidade Visual Marca A Marca Exército Brasileiro identifica e representa a Força.

Leia mais

ESTADO DE PERNAMBUCO POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL

ESTADO DE PERNAMBUCO POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL ESTADO DE PERNAMBUCO POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL SEXTA-FEIRA - RECIFE, - SUNOR Nº G 1.0.00.018 ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Palácio Paiaguás, em Cuiabá, 18 de outubro 2012, 191º da Independência e 124º da República. Transc. D.O. n 25911 de 18/10/2012

Palácio Paiaguás, em Cuiabá, 18 de outubro 2012, 191º da Independência e 124º da República. Transc. D.O. n 25911 de 18/10/2012 DECRETO Nº 1.400, DE 18 DE OUTUBRO DE 2012. Aprova o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso RUPM/MT e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO, no uso

Leia mais

Boletim do Exército Nº 41/2011. Brasília, DF, 14 de outubro de 2011. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército Nº 41/2011. Brasília, DF, 14 de outubro de 2011. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Nº 41/2011 Brasília, DF, 14 de outubro de 2011. BOLETIM DO EXÉRCITO Nº 41/2011 Brasília, DF, 14 de outubro de

Leia mais

Regulamento de Uniformes APLICÁVEL AO CBM/AP

Regulamento de Uniformes APLICÁVEL AO CBM/AP COLETÂNEA DA Regulamento de Uniformes APLICÁVEL AO CBM/AP VOLUME 1 GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAPÁ Antônio Waldez Góes da Silva SECRETÁRIO ESPECIAL DE DESENVOLVIMENTO DA DEFESA SOCIAL Aldo Alves Ferreira

Leia mais

1 de 42 26/04/2016 12:54

1 de 42 26/04/2016 12:54 COMPRASNET O SITE DE COMPRAS DO GOVERNO 1 de 42 26/04/2016 12:54 MINISTÉRIO DA DEFESA Comando do Exército Estado Maior do Exército Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00010/2014 (SRP) Às 15:28

Leia mais

DECRETO Nº 16.144, DE 27 DE JULHO DE 1994

DECRETO Nº 16.144, DE 27 DE JULHO DE 1994 DECRETO Nº 16.144, DE 27 DE JULHO DE 1994 APROVA o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Amazonas e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAZONAS, usando das atribuições que lhe são

Leia mais

S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS. Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro

S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS. Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro Atendendo a que os modelos dos uniformes e distintivos a utilizar pelos elementos do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 43.430, DE 29 DE OUTUBRO DE 2004. (republicado no DOE nº 03, de 06 de janeiro de 2005) (vide abaixo publicação

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA GERAL DO EXÉRCITO. Vade Mécum de Cerimonial Militar do Exército VADE MÉCUM 04 GUARDA BANDEIRA

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA GERAL DO EXÉRCITO. Vade Mécum de Cerimonial Militar do Exército VADE MÉCUM 04 GUARDA BANDEIRA MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA GERAL DO EXÉRCITO Vade Mécum de Cerimonial Militar do Exército VADE MÉCUM 04 GUARDA BANDEIRA PORTARIA Nº 249, DE 28 DE MAIO DE 2001 (ALTERADA PELA PORTARIA

Leia mais

O Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, no uso das atribuições que lhe confere o inciso VII, do artigo 89, da Constituição Estadual,

O Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, no uso das atribuições que lhe confere o inciso VII, do artigo 89, da Constituição Estadual, P O D E R E X E C U T I V O DECRETO Nº 10.529 DE 29 DE OUTUBRO DE 2.001 D i s p õ e s o b r e a M e d a l h a I M P E R A - D O R D O M P E D R O I I n o C o r p o d e B o m b e i r o s M i l i t a r d

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015. Série. Número 34

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015. Série. Número 34 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS Portaria n.º 50/2015 Aprova o Regulamento do Fardamento

Leia mais

DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL PORTARIA Nº 142-DGP, DE 10 DE JULHO DE 2007.

DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL PORTARIA Nº 142-DGP, DE 10 DE JULHO DE 2007. DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL PORTARIA Nº 142-DGP, DE 10 DE JULHO DE 2007. Aprova as Instruções Reguladoras para a Execução da Evacuação e do Traslado de Corpos (IR 30-51). O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEDALHA ALFERES MORAES SANTOS

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEDALHA ALFERES MORAES SANTOS ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEDALHA ALFERES MORAES SANTOS ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DECRETO Nº 18.430 São Luís, 03 de dezembro de 2001. Regulamenta o art. 158, da

Leia mais

-----------NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DA CHAVE DA CIDADE E MEDALHA MUNICIPAL: - Pelo Sr. Presidente foi apresentada a seguinte proposta:...

-----------NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DA CHAVE DA CIDADE E MEDALHA MUNICIPAL: - Pelo Sr. Presidente foi apresentada a seguinte proposta:... -----------NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DA CHAVE DA CIDADE E MEDALHA MUNICIPAL: - Pelo Sr. Presidente foi apresentada a seguinte proposta:... ----------- PREÂMBULO... -----------A Câmara Municipal de Bragança,

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI COMPLEMENTAR Nº 272, DE 11 DE JUNHO DE 2007 - D.O. 12.06.07. Autor: Poder Executivo * Fixa o efetivo do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso, e dá outras providências. (*Revogada pela

Leia mais

LEI N 951, DE 18 DE MARÇO DE 2003

LEI N 951, DE 18 DE MARÇO DE 2003 LEI N 951, DE 18 DE MARÇO DE 2003 Dispõe sobre as Normas do Cerimonial Público e Ordem de Precedência no Município de Bonito-MS., e dá outras providências. Autor: Luemir do Couto Coelho O Prefeito Municipal

Leia mais

O Governador do Estado do Tocantins Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O Governador do Estado do Tocantins Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 2.822, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 4.037 Dispõe sobre a Carreira e o Subsídio dos Bombeiros Militares do Estado do Tocantins, e adota outras providências. O Governador

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE GESTÃO E PLANEJAMENTO GABINETE

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE GESTÃO E PLANEJAMENTO GABINETE 1 2 ANEXO I REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE PADRÃO DE ATENDIMENTO VAPT VUPT DO PROCON-GOIÁS FINALIDADE Art. 1º A Unidade Padrão de Atendimento Vapt Vupt do PROCON - Goiás tem por finalidade: I. Responsabilizar-se

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 48.697, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011. (publicado no DOE nº 241 de 16 de dezembro de 2011) Dispõe sobre os

Leia mais

COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007.

COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007. COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007. Aprova as Instruções Gerais para o Funcionamento dos Hotéis de Trânsito do Exército (IG 30-52). O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso das atribuições

Leia mais

SUMÁRIO. José de Anchieta Junior - Governador do Estado Boa Vista-RR, (quarta-feira) 19 de Dezembro de 2007

SUMÁRIO. José de Anchieta Junior - Governador do Estado Boa Vista-RR, (quarta-feira) 19 de Dezembro de 2007 SUMÁRIO Página Atos do Poder Executivo...01 Governadoria do Estado...01 Casa Militar...37 Casa Civil...37 Controladoria Geral do Estado...38 Secretaria de Estado da Gestão Estratégica e Administração...38

Leia mais

REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL

REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL 2014 REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE ALAGOAS Maceió-AL 1 COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO NOVO REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL Presidente Cel. QOBM/Comb. Mat. 139983-4 - Adriano

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.632/11, DE 9 DE FEVEREIRO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 3.632/11, DE 9 DE FEVEREIRO DE 2011 Altera o Anexo da Resolução nº 420, de 12 de fevereiro de 2004, que aprova as Instruções Complementares ao Regulamento do Transporte Terrestre de Produtos Perigosos. A Diretoria da Agência Nacional de

Leia mais

MINIS TÉRIO DA. Todos os direitos reservados ao Ministério Jovem da AAmaR. Conselho do Ministério da Música da AAmaR

MINIS TÉRIO DA. Todos os direitos reservados ao Ministério Jovem da AAmaR. Conselho do Ministério da Música da AAmaR Regulamento de Uniformes MINIS TÉRIO Todos os direitos reservados ao Ministério Jovem da Conselho do Ministério da Música da JOVEM Alvo A mensagen do advento a todo mundo em minha geração III. UNIFORME

Leia mais

Boletim do Exército N 18/2006. Brasília - DF, 5 de maio de 2006. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército N 18/2006. Brasília - DF, 5 de maio de 2006. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO N 18/2006 Brasília - DF, 5 de maio de 2006. BOLETIM DO EXÉRCITO N 18/2006 Brasília - DF, 5 de maio de 2006. ÍNDICE

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS PARA O SISTEMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL MILITAR DO EXÉRCITO

INSTRUÇÕES GERAIS PARA O SISTEMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL MILITAR DO EXÉRCITO MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL INSTRUÇÕES GERAIS PARA O SISTEMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL MILITAR DO EXÉRCITO 1ª Edição 2014 PORTARIA Nº 1494, DE 11 DEDEZEMBRO

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 327, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 327, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 327, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO PORTARIA DO COMANDO-GERAL Nº 919, DE 16 DE JULHO DE 2009

ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO PORTARIA DO COMANDO-GERAL Nº 919, DE 16 DE JULHO DE 2009 ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO PORTARIA DO COMANDO-GERAL Nº 919, DE 16 DE JULHO DE 2009 Regula os afastamentos temporários na PMPR O Comandante-Geral da Polícia Militar do Estado

Leia mais

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul 11-1 0-1977 Diário Oficial Estado de Mato Grosso do Sul ANO XXXII n. 7.655 CAMPO GRANDE-MS, QUARTA-FEIRA, 68 PÁGINAS GOVERNADOR ANDRÉ PUCCINELLI Vice-Governador MURILO ZAUITH Secretário de Estado de Governo

Leia mais

SÍMBOLO DA FAB. RUMAER Insígnias e Acessórios - Página 1

SÍMBOLO DA FAB. RUMAER Insígnias e Acessórios - Página 1 SÍMBOLO DA FAB RUMAER Insígnias e Acessórios - Página 1 INSÍGNIA DE POSTO PARA USO NA GOLA E GORRO MARECHAL-DO-AR TENENTE-BRIGADEIRO MAJOR-BRIGADEIRO BRIGADEIRO RUMAER Insígnias e Acessórios - Página 2

Leia mais

Separata ao Boletim do Exército

Separata ao Boletim do Exército Separata ao Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO SEPARATA AO BE Nº 3/2015 COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 012, DE 9 DE JANEIRO DE 2015. Aprova as

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E HISTÓRICO DA AERONÁUTICA

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E HISTÓRICO DA AERONÁUTICA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E HISTÓRICO DA AERONÁUTICA Fl. nº 1 Rio de Janeiro, 13 de abril de 2005 ADITAMENTO AO BOLETIM DO COMANDO DA AERONÁUTICA Nº 068 Para conhecimento do Pessoal

Leia mais

Boletim do Exército Nº 28/2008. Brasília - DF, 11 de julho de 2008. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército Nº 28/2008. Brasília - DF, 11 de julho de 2008. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Nº 28/2008 Brasília - DF, 11 de julho de 2008. BOLETIM DO EXÉRCITO Nº 28/2008 Brasília - DF, 11 de julho de 2008.

Leia mais

ANEXO I - ENCARTE D. 1.4 Os materiais deverão ser entregues no local do evento ou no local indicado pela CONTRATANTE.

ANEXO I - ENCARTE D. 1.4 Os materiais deverão ser entregues no local do evento ou no local indicado pela CONTRATANTE. Encarte D Página 1 ITEM 4 - MATERIAIS ANEXO I - ENCARTE D 1. DO FORNECIMENTO DE MATERIAIS 1.1 O serviço de fornecimento de materiais para a realização de eventos consiste da disponibilização, sem retorno,

Leia mais

RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 689/2010 SES/SENAI PR

RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 689/2010 SES/SENAI PR RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 689/2010 SES/SENAI PR A Comissão de Licitações do Sistema FIEP, instituída pela Portaria nº 06/2010, informa o RESULTADO do Pregão Presencial nº 689/2010: Protocolo: 6018/2010

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 005/2011.

PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 005/2011. PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 005/2011. Cria a Medalha Delegado José Gilberto Barros Faria em homenagem a policiais civis, agentes penitenciários e demais servidores civis de carreira da segurança pública. A

Leia mais

Projeto de Uniformização. Gerente: Mara Nogueira Machado Consultor: Sidney Araújo

Projeto de Uniformização. Gerente: Mara Nogueira Machado Consultor: Sidney Araújo Projeto de Uniformização Gerente: Mara Nogueira Machado Consultor: Sidney Araújo DETALHE Camisa Fem Tradicional TECIDO: Tricoline Elastano TECIDO DETALHE: Microleve COR: Branco COR DETALHES: 10 Verde Bandeira

Leia mais

Boletim do Exército Nº 20/2012. Brasília, DF, 18 de maio de 2012. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército Nº 20/2012. Brasília, DF, 18 de maio de 2012. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Nº 20/2012 Brasília, DF, 18 de maio de 2012. BOLETIM DO EXÉRCITO Nº 20/2012 Brasília, DF, 18 de maio de 2012.

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO PIAUÍ C A P Í T U L O I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O presente Regulamento contém as prescrições sobre os uniformes do Corpo de Bombeiros

Leia mais

APÊNDICE V. Modelos de Uniforme e Crachá

APÊNDICE V. Modelos de Uniforme e Crachá APÊNDICE V Modelos de Uniforme e Crachá MARÇO DE 2016 1 23 ÍNDICE 1.1. Apresentação...3 1.2. Tecidos...3 2.1. Gerente Feminino...5 2.2. Atendente Feminino...7 2.3. Gestante...9 2.4. Orientador Feminino...

Leia mais

MANUAL DE PRODUÇÃO PADRONIZAÇÃO DOS UNIFORMES ESCOLARES DA SATC

MANUAL DE PRODUÇÃO PADRONIZAÇÃO DOS UNIFORMES ESCOLARES DA SATC MANUAL DE PRODUÇÃO PADRONIZAÇÃO DOS UNIFORMES ESCOLARES DA SATC CALÇA ADIDAS MASCULINA Tecido: Elanca 28% Algodão e 72% Poliéster Pantone Verde: 190415 ESPECIFICAÇÃO DOS DETALHES: Largura do Cós: Elástico

Leia mais

ASSOCIAÇÃO AMAZONAS RORAIMA

ASSOCIAÇÃO AMAZONAS RORAIMA ASSOCIAÇÃO AMAZONAS RORAIMA SEÇÃO 3 UNIFORME DE AVENTUREIROS I. EMBLEMAS, INSÍGNIAS, TIRAS, DISTINTIVOS, DIVISAS E BANDEIRAS OBJETIVO DA INSTRUÇÃO O presente regulamento tem por objetivo prescrever os

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA N o 916/MD, DE 13 DE JUNHO DE 2008. Aprova a Diretriz para a Difusão e Implementação do Direito Internacional dos Conflitos Armados (DICA) nas

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 1.247/MD, DE 2 DE SETEMBRO DE 2008

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 1.247/MD, DE 2 DE SETEMBRO DE 2008 MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 1.247/MD, DE 2 DE SETEMBRO DE 2008 Disciplina a ocupação de cargos e funções militares, a concessão da Gratificação de Exercício em Cargo

Leia mais

Boletim do Exército Nº 18/2013. Brasília, DF, 3 de maio de 2013. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército Nº 18/2013. Brasília, DF, 3 de maio de 2013. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Nº 18/2013 Brasília, DF, 3 de maio de 2013. BOLETIM DO EXÉRCITO Nº 18/2013 Brasília, DF, 3 de maio de 2013. ÍNDICE

Leia mais

www.dfpc.eb.mil.br/index.php/legislacao/61

www.dfpc.eb.mil.br/index.php/legislacao/61 PORTARIA N o 004 - D Log, DE 08 DE MARÇO DE 2001. Aprova as Normas que Regulam as Atividades dos Atiradores. O CHEFE DO DEPARTAMENTO LOGÍSTICO, no uso das atribuições previstas no inciso XV do art. 27

Leia mais

Instituir um padrão único de grafismo para os veículos no âmbito do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte e dá outras providências.

Instituir um padrão único de grafismo para os veículos no âmbito do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte e dá outras providências. GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR GABINETE DO COMANDO GERAL PORTARIA Nº 104/2015 GAB CMDO CBMRN Dispõe sobre

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIFORME EXECUTIVO PARA ATENDENTE COMERCIAL

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIFORME EXECUTIVO PARA ATENDENTE COMERCIAL ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIFORME EXECUTIVO PARA ATENDENTE COMERCIAL 1. PALETÓ MASCULINO 30039 Paletó padrão alfaiataria, três botões, 03 (três) bolsos embutidos (externo) 01 (um) bolso embutido (interno)

Leia mais

Fitas soltas (1cm de largura) Nesta ordem. Camiseta preta ou body com fitas soltas pregadas na gola (nas cores vermelha, amarela, e verde)

Fitas soltas (1cm de largura) Nesta ordem. Camiseta preta ou body com fitas soltas pregadas na gola (nas cores vermelha, amarela, e verde) MENINAS GRUPO 04 A Cabelo com penteado utilizando elásticos nas cores verde, amarela e vermelha MENINAS GRUPO 04 A Cabelo com penteado utilizando elásticos nas cores verde, amarela e vermelha Fitas soltas

Leia mais

LEI Nº 1543, DE 10 DE ABRIL DE 2008 DE 2008.

LEI Nº 1543, DE 10 DE ABRIL DE 2008 DE 2008. LEI Nº 1543, DE 10 DE ABRIL DE 2008 DE 2008. Autoria: Poder Legislativo Estabelece normas para as cerimônias públicas e a ordem geral de precedência no Município de Lucas do Rio Verde - MT. O Prefeito

Leia mais

REGULAMENTO DO UNIFORME N.º 2 FARDA DE TRABALHO DO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS. CAPÍTULO I Disposições gerais

REGULAMENTO DO UNIFORME N.º 2 FARDA DE TRABALHO DO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS. CAPÍTULO I Disposições gerais REGULAMENTO DO UNIFORME N.º 2 FARDA DE TRABALHO DO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define o uniforme n.º 2, farda de trabalho, dos

Leia mais

DECRETO Nº 3.192, DE 22 DE MAIO DE 2006.

DECRETO Nº 3.192, DE 22 DE MAIO DE 2006. DECRETO Nº 3.192, DE 22 DE MAIO DE 2006. APROVA O REGULAMENTO DE UNIFORME DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS. O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso das atribuições que lhe confere o

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Secretaria de Estado de Gestão e Recursos Humanos SEGER

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Secretaria de Estado de Gestão e Recursos Humanos SEGER 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 APÊNDICE X UNIFORMES E CRACHÁS 18 SUMÁRIO 1 DESCRIÇÃO GERAL DOS UNIFORMES... 20 1.1 Entrega de Uniformes... 20 1.2 Substituição de Uniformes... 20 1.3 Reposição

Leia mais

LEI Nº 5.700, DE 1º DE SETEMBRO DE 1971

LEI Nº 5.700, DE 1º DE SETEMBRO DE 1971 LEI Nº 5.700, DE 1º DE SETEMBRO DE 1971 Dispõe sobre a Forma e a Apresentação dos Símbolos Nacionais, e dá outras Providências.... CAPÍTULO II DA FORMA DOS SÍMBOLOS NACIONAIS... Seção II Da Bandeira Nacional

Leia mais

Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado

Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado 1 POSTOS UAI - PROJETO DE UNIFORMIZAÇÃO ARTIGO COD. PAG FUNÇÃO AGASALHO FEMININO BEGE T- 11/ T-12 58 COPEIRA AGASALHO FEMININO PRETO T-13 13 ATEN. RECEPÇÃO,

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE MATERIAL BÉLICO (Dir G de MB/1952)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE MATERIAL BÉLICO (Dir G de MB/1952) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE MATERIAL BÉLICO (Dir G de MB/1952) PORTARIA N o 036-DMB, DE 09 DE DEZEMBRO DE 1999 Aprova as normas que regulam o comércio de armas e munições.

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N. 290, DE 28 DE JULHO DE 2014 O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

LEI COMPLEMENTAR N. 290, DE 28 DE JULHO DE 2014 O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI COMPLEMENTAR N. 290, DE 28 DE JULHO DE 2014 Altera a Lei Complementar n. 164, de 3 de julho de 2006, que Dispõe sobre o Estatuto dos Militares do Estado do Acre e dá outras providências. O GOVERNADOR

Leia mais

ABERTURA: 13/03/15 às 14:30 horas.

ABERTURA: 13/03/15 às 14:30 horas. NOTIFICAÇÃO PARA SESSÃO PÚBLICA DE COMPRA Nº. 001/2015 TIPO: MENOR PREÇO POR PEÇA OBJETO: AQUISIÇÃO DE GORRO COM PALA (BONÉ) COR PRETA PADRÃO PMGO. LOCAL DE REALIZAÇÃO: SEDE DA FUNDAÇÃO TIRADENTES Av.

Leia mais

1ª PARTE LEIS E DECRETOS 2ª PARTE ATOS ADMINISTRATIVOS COMANDANTE DO EXÉRCITO

1ª PARTE LEIS E DECRETOS 2ª PARTE ATOS ADMINISTRATIVOS COMANDANTE DO EXÉRCITO 1ª PARTE LEIS E DECRETOS Sem alteração. 2ª PARTE ATOS ADMINISTRATIVOS COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 813, DE 28 DE SETEMBRO DE 2012. Aprova as Normas para a Realização das Atividades de Auditoria e

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012. MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012. Aprova o Regulamento Interno da Biblioteca da PR/TO. O PROCURADOR-CHEFE DA PROCURADORIA

Leia mais

Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha

Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Notas. 1.- O presente Capítulo compreende apenas os artefatos confeccionados de qualquer matéria têxtil, com exclusão das pastas ("ouates") e dos

Leia mais

DESCRIÇÃO UNIFORMES BLAZER FEMININO

DESCRIÇÃO UNIFORMES BLAZER FEMININO DESCRIÇÃO UNIFORMES BLAZER FEMININO Blazer padrão alfaiataria, acinturado, modelo tradicional com três botões bolsos com lapelas. Tecido composto c/ 100% poliéster, (padrão Sanyotex ou Superior); Sanyotex:

Leia mais

PORTARIA Nº 727, DE 8 DE OUTUBRO DE 2007.

PORTARIA Nº 727, DE 8 DE OUTUBRO DE 2007. PORTARIA Nº 727, DE 8 DE OUTUBRO DE 2007. Delega competência para a prática de atos administrativos e dá outras providências. O COMAN D A N T E DO EXÉ R C I T O, no uso das atribuições que lhe conferem

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL SRP Nº 04-059/2014 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 051/2014

PREGÃO PRESENCIAL SRP Nº 04-059/2014 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 051/2014 Estado da Paraíba PREGÃO PRESENCIAL SRP Nº 04-059/2014 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 051/2014 Aos vinte e dois dias do mês de outubro do ano de 2014 a, através da Comissão Especial de Registro de Preços,

Leia mais

PROJETO DE LEI. c) Quadro de Oficial Auxiliar Bombeiro Militar (QOABM): - 44 (quarenta e quatro) Capitães.

PROJETO DE LEI. c) Quadro de Oficial Auxiliar Bombeiro Militar (QOABM): - 44 (quarenta e quatro) Capitães. PROJETO DE LEI Fixa o efetivo do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Sul. Art. 1º O efetivo do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Sul é fixado em 6.925 (seis mil novecentos

Leia mais

I-18-PM. Polícia Militar do Estado de São Paulo Instrução Policial Militar

I-18-PM. Polícia Militar do Estado de São Paulo Instrução Policial Militar I-18-PM Polícia Militar do Estado de São Paulo Instrução Policial Militar INSTRUÇÕES PARA A LAVRATURA, A APOSTILA E A EXPEDIÇÃO DE CARTAS PATENTES, FOLHAS DE APOSTILA E CERTIDÕES AFINS Setor Gráfico do

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 92, DE 18 DE JUNHO DE 2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 92, DE 18 DE JUNHO DE 2009 Publicada no Boletim de Serviço nº 7 em 7/7/2009. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 92, DE 18 DE JUNHO DE 2009 Dispõe sobre o controle de acesso, a utilização de crachá e a proteção das dependências internas no âmbito

Leia mais

Boletim do Exército Nº 23/2014. Brasília, DF, 6 de junho de 2014. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército Nº 23/2014. Brasília, DF, 6 de junho de 2014. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Nº 23/2014 Brasília, DF, 6 de junho de 2014. BOLETIM DO EXÉRCITO Nº 23/2014 Brasília, DF, 6 de junho de 2014.

Leia mais

Manual de identidade visual

Manual de identidade visual Manual de identidade visual apresentação....................................3 Versões horizontal e vertical........................4 grid de construção................................5 Cores institucionais...............................6

Leia mais

PORTARIA MTE Nº 11, DE 09.01.2015

PORTARIA MTE Nº 11, DE 09.01.2015 PORTARIA MTE Nº 11, DE 09.01.2015 Altera o Anexo II da Norma Regulamentadora nº 28. O Ministro de Estado do Trabalho e Emprego, no uso das atribuições que lhe conferem o inciso II do parágrafo único do

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. Fixa os critérios e procedimentos para a realização de concursos públicos de provas e títulos, destinados ao provimento dos cargos efetivos do

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP Instrução nº 2541/2011 Dispõe sobre a padronização das placas de identificação das Unidades do Crea-SP. O Vice Presidente no exercício da Presidência do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia

Leia mais

PRESIDÊNCIA 04/12/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 031/2013

PRESIDÊNCIA 04/12/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 031/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 04/12/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 031/2013 Assunto: Estabelecer

Leia mais

Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO 38/2001

Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO 38/2001 Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO 38/2001 Brasília, DF, 21 de setembro de 2001 BOLETIM DO EXÉRCITO Nº 38/2001 Brasília, DF, 21 de setembro de 2001

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 49/12 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 49/12 CONSUNI 0 RESOLUÇÃO Nº 49/12 CONSUNI Altera dispositivo do art. 18 do Estatuto do Centro Universitário Católica de Santa Catarina em Joinville e acrescenta os 1º e 2º ao art. 19. O Conselho Universitário CONSUNI

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO PORTARIA DO COMANDO-GERAL Nº 841, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010.

ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO PORTARIA DO COMANDO-GERAL Nº 841, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010. ESTADO DO PARANÁ POLÍCIA MILITAR ESTADO-MAIOR 1ª SEÇÃO PORTARIA DO COMANDO-GERAL Nº 841, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010. Estabelece as normas para avaliação do exercício operacional do Curso de Formação de

Leia mais

CAMPEONATO DE FUTEBOL DE CAMPO MÁSTER 2013 FUTEBOL NÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO TÉCNICO NOTA OFICIAL 001/13 REGULAMENTO

CAMPEONATO DE FUTEBOL DE CAMPO MÁSTER 2013 FUTEBOL NÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO TÉCNICO NOTA OFICIAL 001/13 REGULAMENTO CAMPEONATO DE FUTEBOL DE CAMPO MÁSTER 2013 FUTEBOL NÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO TÉCNICO NOTA OFICIAL 001/13 REGULAMENTO Dispõe sobre as normas a serem estabelecidas no Regulamento do Campeonato de MÁSTER

Leia mais

Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência

Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência ATA DE JULGAMENTO DA CONCORRÊNCIA Nº 15/2011 Ata da sessão de JULGAMENTO das propostas referente a CONCORRÊNCIA 15/2011, do tipo menor preço unitário, segundo especificado no item 02 do Edital (REGISTRO

Leia mais

APÊNDICE X UNIFORMES E CRACHÁS

APÊNDICE X UNIFORMES E CRACHÁS APÊNDICE X UNIFORMES E CRACHÁS 1 SUMÁRIO 1 DESCRIÇÃO GERAL DOS UNIFORMES... 3 2 ESPECIFICAÇÕES DOS UNIFORMES... 3 2.1 Uniforme Atendimento... 4 2.2 Uniforme Administrativo... 7 2.3 Uniforme Supervisão...

Leia mais

7518 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 273 24 de Novembro de 2001 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. c) Uniforme n. o 2; d) Uniforme n. o 3.

7518 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 273 24 de Novembro de 2001 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. c) Uniforme n. o 2; d) Uniforme n. o 3. 7518 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 273 24 de Novembro de 2001 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Portaria n. o 1314/2001 de 24 de Novembro Nos termos do disposto no artigo 43. o do Regulamento Geral

Leia mais

SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS

SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 017-SEF, DE 25 DE OUTUBRO DE 2006. Aprova as Normas para a Administração das Receitas Geradas pelas Unidades Gestoras. O SECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS,

Leia mais

Gen Ex ERON CARLOS MARQUES Secretário de Economia e Finanças

Gen Ex ERON CARLOS MARQUES Secretário de Economia e Finanças MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DO EXÉRCITO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA N o 046 - SEF, DE 01 DE JULHO DE 2005. Estabelece Normas Complementares para Consignação de Descontos em Folha de Pagamento.

Leia mais

REGULAMENTO PARA PERCEPÇÃO DE BOLSAS NO ÂMBITO DO IFTO Aprovado pela Resolução nº 01/2014/CONSUP/IFTO, de 14 de março de 2014.

REGULAMENTO PARA PERCEPÇÃO DE BOLSAS NO ÂMBITO DO IFTO Aprovado pela Resolução nº 01/2014/CONSUP/IFTO, de 14 de março de 2014. REGULAMENTO PARA PERCEPÇÃO DE BOLSAS NO ÂMBITO DO IFTO Aprovado pela Resolução nº 01/2014/CONSUP/IFTO, de 14 de março de 2014. Regulamenta a percepção de bolsas por servidores do Instituto Federal de Educação,

Leia mais

Paulo Dinarte Tavares Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão RESOLUÇÃO Nº 12/2008

Paulo Dinarte Tavares Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão RESOLUÇÃO Nº 12/2008 RESOLUÇÃO Nº 12/2008 Regulamenta o Trabalho de Curso para conclusão do Curso de Direito. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Faculdade Campo Real, no uso de suas atribuições e, CONSIDERANDO a

Leia mais

LEI MUNICIPAL 563/73

LEI MUNICIPAL 563/73 LEI MUNICIPAL 563/73 Dispõe sobre a organização administrativa da PREFEITURA MUNICIPAL DE TAQUARA e dá outras providências. ALCEU MARTINS, Prefeito Municipal de Taquara: Faço saber que a Câmara Municipal,

Leia mais