Linguagem de Programação em C

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Linguagem de Programação em C"

Transcrição

1 Linguagem de Programação em C Anderson L. S. Moreira

2 O que fazer com essa apresentação 2

3 Introdução Por que programar? Quando o homem necessita do auxilio do computador para executar algumas tarefas. O Que é um programa? Conjunto de instruções de uma determinada linguagem através das quais, um computador executa algumas tarefas.

4 Introdução O Que é uma linguagem? Uma linguagem consiste de um conjunto de palavras reservadas e regras de sintaxe que possibilita criar programas de computadores. Este conjunto de palavras possui regras de estruturação lógica e sintática própria.

5 Exemplos de Códigos: BASIC Pseudo-código leia(num) para n de 1 até 10 passo 1 faça tab num*n imprima(tab) fim-para; BASIC 10 input num 20 for n=1 to 10 step 1 30 let tab=num*n 40 print chr$(tab) 50 next n

6 Exemplos de Códigos: FORTRAN Pseudo-código leia(num) para n de 1 até 10 passo 1 faça tab num*n imprima(tab) fim-para; FORTRAN read (num) do 10 n=1:10 tab=num*n write(tab) 10 continue

7 Exemplos de Códigos: Assembly Pseudo-código leia(num) para n de 1 até 10 passo 1 faça tab num*n imprima(tab) fim-para; Assembly (Intel 8088) MOV CX,0 IN AX,PORTA MOV DX,AX LABEL: INC CX MOV AX,DX MUL CX OUT AX, PORTA CMP CX,10 JNE LABEL

8 Exemplos de Códigos: C Pseudo-código leia(num) para n de 1 até 10 passo 1 faça tab num*n imprima(tab) fim-para; C scanf(&num); for(n=1;n<=10;n++){ tab=num*n; printf( \n %d, tab); };

9 Tipos de Linguagens: Baixo Nível São linguagens com foco na maquina, ou seja, utiliza instruções detalhadas que controla os circuitos internos do computador. Usualmente são genericamente chamadas de linguagens de maquina, Assembly ou de linguagem de montagem.

10 Tipos de Linguagens: Baixo Nível Vantagens: Maior velocidade de processamento e ocupam menor espaço na memória. Desvantagens: Pouca portabilidade, ou seja, o código é gerado para um tipo de processador não serve para outro.

11 Tipos de Linguagens: Alto Nível São linguagens voltadas para que haja uma maior interação entre o homem e a máquina. Necessitam de compiladores ou interpretadores para gerar as instruções do microprocessador.

12 Tipos de Linguagens: Alto Nível Vantagens: São compiladas ou interpretadas, têm maior portabilidade podendo ser executados em várias plataformas com pouquíssimas modificações. Desvantagens: São mais lentas e ocupam mais memória.

13 Histórico C foi originalmente desenvolvida por Dennis Ritchie e K. Thompson nos Laboratórios Bell nos anos 70.Derivadas de duas linguagens anteriores chamadas BCPL e B. Inicialmente para máquinas com o sistema operacional UNIX. Tornou-se uma das mais importantes e populares nos últimos dias. Foi projetada para o desenvolvimento de programas estruturados e modulares.

14 Histórico Nos anos seguintes, a popularidade da linguagem C aumentou consideravelmente, aumentando também o surgimento de ferramentas de desenvolvimento. Inicialmente, muitas implementações do C não traduziam fielmente a definição original, o que gerou alguns problemas de incompatibilidade A portabilidade proposta pela definição original ficou bastante comprometida.

15 Introdução O Padrão ANSI Buscando uma padronização na definição da linguagem C, a American National Standard Institute (ANSI ANSI), desenvolveu um padrão hoje bastante utilizado no mundo da linguagem C, chamado de C padrão ANSI ou C ANSI. Quase todas as ferramentas de desenvolvimento da linguagem C atuais, seguem este padrão.

16 Compiladores x Interpretadores A única linguagem que o computador entende é a linguagem de máquina. Programas escritos em um linguagem de alto nível, devem ser traduzidos para a linguagem de máquina. Os Programas que fazem esta tradução, classificam em: - INTERPRETADORES - COMPILADORES

17 Compiladores x Interpretadores Os INTERPRETADORES, traduzem o código fonte em linguagem de máquina através da interpretação de cada instrução feita a medida que o software é executado. Necessitam de um componente interpretador presente na máquina. Os COMPILADORES, por sua vez, traduzem o código fonte em linguagem de máquina através da geração de um programa.obj, que após ser linkeditado, torna-se um arquivo executável. Em C os programas são compilados.

18 Como criar um programa Basicamente três passos : 1) Digitar o programa em um editor de texto e gravar atribuindo a extensão.c ; 2) Compilar o programa (fonte) criando um arquivo com extensão.obj. Chamado de programa objeto; 3) Link-editar o programa objeto criando finalmente o programa executado (com extensão.exe ).

19 Estrutura básica de um programa Um programa em C consiste de uma ou várias funções, onde uma delas precisa ser denominada main e deve existir em algum lugar de seu programa. Esta função marca o início da execução do programa. Outras funções podem ser definidas pelo programador ou preencher a função main, porém em um programa executável em C, a função main deve sempre existir.

20 Estrutura básica de um programa main(argumentos) { /* início do corpo da função */ } /* término do corpo da função */ Uma função deve conter : - Um header que consiste do nome da função - Uma lista de argumentos entre parênteses. - Um bloco de instruções delimitado por chaves.

21 Estrutura básica de um programa O nome da função, os parênteses e as chaves, são os únicos elementos obrigatórios de uma função Os comentários podem aparecer em qualquer lugar de um programa, devendo ser colocados entre os delimitadores /* e */ Letras minúsculas e maiúsculas não são equivalentes em C. Note que cada expressão dentro do bloco deve terminar com um ponto-evírgula.

22 Exemplo de um programa em C #include <stdio.h> /* programa que imprime: Boa Noite */ void main () { printf("boa Noite"); }

23 Estrutura básica de um programa Se utilizamos uma função no corpo da função main(), devemos incluir a biblioteca que contenha esta função. Por exemplo : Se colocarmos a função pritnf() no corpo da função main(), devemos incluir a biblioteca stdio.h. Isto é feito com a diretiva : #include, Assim: #include <stdio.h> void main() { printf("boa Noite"); }

24 O que é uma IDE (Integrated Development Environment) Um conjunto de ferramentas para desenvolver bibliotecas, aplicações ou programas (debugger, compilador, linker, etc ) Um ambiente baseado em janelas do tipo GUI Gerenciamento de projeto Configuações de construção Programação confortável

25 Code Blocks - Highlighting Editor

26 Auto completar

27 Diferentes compiladores

28 Organização em pastas

29 Folding

30 Questionário 1 Onde a linguagem C foi desenvolvida e quando? Explique a diferença entre programas interpretados e programas compilados. Como é formada uma função na linguagem C? Como inserir comentários em um programa em C?

31 Questionário 1 No programa abaixo, existem alguns erro, com a ajuda do compilador, tente descobri-lo #include <stdiox.h> #include <conio.h> Main () ( printf("boa Noite"); getch(); )

32 Regra de identificação Todas as letras maiúsculas de A a Z e as minúsculas de a a z, os dígitos de 0 a 9 e alguns caracteres especiais, podem ser utilizados na criação de códigos em C. Os nomes de variáveis, funções e matrizes em C, obedecem a regra de que você pode usar letras e números, porem o primeiro digito deve ser apenas uma LETRA ou o caractere especial underline (_). Um nome não pode ser uma das palavras reservadas da linguagem C.

33 Regra de identificação Exemplo de nomes válidos : a y12 soma1 _estoque Exemplos de nomes não válidos : 2th (o primeiro caractere deve ser letra ou _ ) a (inicia com um caractere ilegal ( ) ) numero-ordem (caractere ilegal (-)) nome completo (espaço em branco)

34 Regra de identificação Um identificador de nome pode ter mais de 32 caracteres, porem somente os 32 primeiros serão reconhecidos. Algumas implementações do C, reconhece apenas os 8 (oitos) primeiros, assim os nomes : taxa_dia e taxa_diaria, nestes sistemas não tem diferenca, pois o compilador reconhece apenas os oitos primeiros caracteres.

35 Palavras reservadas auto double int struct break else long switch case enum register typedef char extern return union const float short unsigned continue for signed void default goto sizeof volatile do if static while São apenas 32 palavras reservadas que não podem ser utilizadas para outro propósito

36 Tipos de Dados Em C existem 5 tipos válidos: tipo Palavra Reservada Quant. Bit Bytes Faixa Caracter Char a 127 Inteiro Int a Ponto flutuante Float E-38 a 3.4E+38 Pont. Flutuante duplo Double E-308 a 1.7E+308 Sem valor void 0 0 Sem valor

37 Tipos de Dados Modificadores de Tipos Com exceção do tipo void, os demais tipos podem ter alguns modificadores. Um modificador é usado para alterar o significado do tipo para adequá-los melhor às necessidades do programador.

38 Tipos de Dados Os modificadores são : signed, unsigned, long e short Exemplo de utilização: Se uma variável é declarada como char ela ocupa 8 bit e tem a faixa de valores de -128 a 127, mais se o modificador unsigned é colocado antes da palavra char, ela continua ocupando 8 bits, mais sua faixa de valores vai de 0 a 255.

39 Tipo de Dados Inteiro Os dados inteiros são caracterizados pelos números positivos ou negativos que não seja fracionário. Em C referenciamos este tipo de dados com os seguintes identificadores : Tipo do Inteiro Qt.Bit Faixa int a long int a unsigned int 16 De 0 até signed long int 32 De 0 até

40 Tipo de Dados Reais Os dados reais são caracterizados pelos números positivos, negativos, inteiros e os fracionários. Em C referenciamos este tipo de dados com os seguintes identificadores : Tipo do Inteiro Qt.Bit Faixa float 32 de 3.4e-38 até 3.4e+38 double 64 de 1.7e-308 até 1.7e+308 Long double 128 de -3.4e-4932 até 1.1e+4932

41 Tipo de Dados Caracteres Os dados caracteres são caracterizados pelas sequencias de letras, números e simbolos especiais delimitados por ( ). Em C referenciamos este tipo de dados pelo identificadores : char podendo armazenar de 0 até 255 caracteres

42 Tipo de Dados Lógicos Na linguagem C não existe o tipo de dados booleano, ou seja, não existe o valor lógico false ou true de forma predefinida. Em C qualquer valor igual a 0 (zero), é considerado como valor lógico falso e qualquer valor diferente de 0 (zero), é considerado como valor lógico verdadeiro.

43 Constantes Constantes são valores que permanecem fixos e na linguagem C temos 4 tipos básicos de constantes: - Inteiras - ponto-flutuante - caracteres - string (cadeia de caracteres)

44 Constantes numéricas As constantes do tipo Inteiras e de ponto-flutuante, representam números. As constantes do tipo Inteiras podem ser escritas em três sistemas de numeração, sendo : decimal (base 10) octal (base 8) hexadecimal (base 16) Uma constante inteira decimal pode ser formada por qualquer combinação dos dígitos de 0 a 9. Se tem mais de dois dígitos, o primeiro não pode ser zero. Ex.:

45 Constantes numéricas Uma constante inteira octal pode ser formada por qualquer combinação dos dígitos de 0 a 7 e o primeiro deve ser zero. Ex.: Uma constante inteira hexadecimal pode ser formada por qualquer combinação dos dígitos de 0 a 9 e de A a F (maiúsculas ou minúsculas). Deve sempre iniciar com 0x ou 0X. Ex.: 0x 0x1 0xABC 0xabc Normalmente a magnitude de uma constante inteira é: Decimal = Octal = Hexa = 0x7FFF

46 Constantes numéricas As constantes do tipo ponto-flutuante é um número na base 10 que contem casas decimais e/ou um expoente. Ex.: e2 Observe que o caractere que separa a casa decimal é um ponto e não uma virgula Para representar um número com expoente, trocamos a base 10 pela letra e. Assim para representar 2 x 10², teremos: 200. ou 2e2 ou 2e+2 ou 2E2 ou 2.0e+2

47 Constantes caracteres As constantes do tipo caracter consiste em um simples caractere colocado entre apóstrofos. Ex.: A x 5 $ Uma constante de caractere tem valores inteiros correspondentes a um conjunto de caracteres específicos. Normalmente os computadores utilizam o conjunto de caracteres ASCII, onde cada caractere é representado por uma combinação de 7 bits, Representando assim 2e+7 = 128 diferentes caracteres. Desta forma, cada constante de caractere, tem um valor inteiro correspondente.

48 Constantes caracteres Caracter Valor Caracter Valor Caracter Valor Caracter Valor A 65 M 77 a B 66 N 78 b C 67 O 79 c D 68 P 80 d E 69 Q 81 e F 70 G 71 H 72 I 73 J 74 K 75 L 76 R 82 S 83 T 84 U 85 V 86 W 87 X 88 f 102 g 103 h 104 i 105 j 106 k 107 l DEL 127 ESC 27

49 Constantes string As constantes do tipo string consiste em um conjunto de caracteres colocado entre aspas. Ex.: anderson bahia Recife Boa Noite!!! *(I+3)/J Algumas seqüências de caracteres podem ser incluídas dentro da string para possibilitar a formatação. Ex.: Esta é a primeira linha\n e esta a segunda linha

50 Seqüência de escape Alguns caracteres especiais e os não-imprimíveis, são expressos como uma sequência de escape. Uma sequencia de escape sempre começa com uma barra invertida ( \ ) seguida por um caractere. Alguns comandos em C, são representados desta forma. Ex.: Caracter Seqüência de escape Valor ASCII Nova linha (line feed) FD \n 10 Campainha (bell) \a 07 Tabulação horizontal \t 09 Tabulação vertical \v 11 Aspas ( ) \ 34 Apóstrofo ( ) \ 39 Interrogação (?) \? 63 Barra invertida (\) \\ 92 Nulo (null) \0 00

51 Variáveis As variáveis são o aspecto fundamental em qualquer linguagem de computador. Uma variável nada mais é que um espaço de memória reservado para armazenar um certo tipo de dado. Uma variável deve receber um nome para servir de referência e a cada instante ela pode conter valores diferente.

52 Declaração de Variáveis Declarar uma variável significa reservar um espaço em memória para um determinado tipo de dados e indicar que o conteúdo daquele espaço, será referenciado pelo o nome da variável. Uma declaração de variável consiste em um tipo seguido do nome da variável. Exemplo: int num; // uma variável do tipo int char a; // uma variável do tipo char

53 Declaração de variáveis: Para serem usadas, as variáveis precisam ser declaradas de modo que o compilador possa reservar espaço na memória para o valor a ser armazenado. A forma geral de uma declaração é: tipo lista_de_variaveis; Exemplos: int i; unsigned int a, b, c; double salario;

54 Atribuição de valores às variáveis Após ser declarada, a variável pode receber valores. O operador de atribuição "=" indica que o valor à direita será atribuído à variável. O valor inicial pode ser atribuído de duas formas: - Durante a declaração da variável Ex.: int i=0, j=10; - Durante execução de uma a função

55 Tipos de Variáveis O tipo de uma variável informa a quantidade de memória, em bytes, que ela irá ocupar e a forma como o seu conteúdo será armazenado. Os tipos de dados básicos do C visto anteriormente devem ser utilizados para prototipar uma variável conforme a necessidade do programa.

56 Nomes de Variáveis Você pode usar quantos caracteres quiser para um nome de variável com o primeiro caracter sendo obrigatoriamente um letra ou sublinhado(_). Uma variável não pode ter o mesmo nome de uma palavra reservada do C e não deverá ter o mesmo nome de um função. Na linguagem C, maiúsculas e minúsculas tem tratamento diferenciado, assim, cont, Cont e CONT são três variáveis distintas.

57 Atribuição de valores às variáveis É possível atribuir a uma variável o valor resultante de uma expressão. Ex.: int a; a = (8+2)/2; A atribuição de uma variável do tipo char, pode ser feita de duas formas: - Atribuindo uma constante de caractere: char b = A ; - Atribuindo o código ASCII correspondente antecedido pela barra invertida: char b = \65

58 Analisando um Programa Exemplo 01 #include <stdio.h> int a=5; // declaração de um inteiro 04 int b=5; // declaração de um inteiro 05 int soma; // declaração de um inteiro void main() 08 { 09 soma=a+b; 10 printf("%d",soma); 11 }

59 Analisando um Programa Exemplo 01 #include <stdio.h> int a=5, b=5, soma; void main() 06 { 07 soma=a+b; 08 printf("%d",soma); 09 }

60 Atribuição de valores às variáveis Na linguagem C, não temos o tipo string pre-definido, o que nos leva a utilizar os vetores de caracter. Desta forma um string em C será atribuída a um vetor do tipo char na sua inicialização. char nome[20] = ; A Atribuição de uma constante de caracter diretamente a um vetor de caracter já declarado e não inicializado, só pode ser feito com auxilio de outras funções.ex.: char nome[20]; strcpy(nome, );

61 Analisando um Programa Exemplo #include <stdio.h> #include <conio.h> char nome[20]; void main() { printf("digite o seu nome : "); scanf("%s", nome); printf("ola! %s ",nome); getch(); }

62 Conversão de tipos Algumas vezes o compilador faz uma conversão automática quando vai atribuir um valor de uma expressão a uma variável. Ex.: sendo: void main() { float f1,f = 21.45; char c1,c = 'A'; int i1,i = 10; } i1 = f; // i1 receberá o valor 21 printf("%d\n",i1); f1 = i; // f1 receberá o valor printf("%f\n",f1); c1 = i; // c1 receberá o valor 10 printf("%d\n",c1); i1 = c; // i1 receberá o valor 65 printf("%d\n",i1); getch();

63 Conversão de tipos O Programador pode forçar a conversão. Ex.: sendo: void main() { int a = 65; float x = 2.1, y = 8.95, z; char c; c = (char)a; printf("valor de c ( %c ) --> %d\n", c,c); c = (char)(a + (int)x); printf("valor de c ( %c ) --> %d\n", c,c); z = (float)((int)x * (int)y); printf("valor de z ( %f ) --> %d\n", z,z); z = (float)((x * y)); printf("valor de z ( %f ) --> %d\n", z,z); } getch();

64 Entrada e Saída Para que exemplos possam ser construídos, necessitamos conhecer um pouco sobre entrada e saída de dados. Um programa que não fornece resultados nem pede valores para operar não deve ter grande utilidade. A entrada de dados será feita pelo teclado e a saída poderá ser vista na tela do computador. Com isto, é possível resolver problemas bastante interessantes.

65 Biblioteca Padrão Para termos acesso à biblioteca que contém as funções, macros e variáveis que facilitam a entrada e saída de dados, o programa deve conter a declaração no início do programa. #include <stdio.h> Normalmente os programadores usam os símbolos menor (<) e maior (>), mas é possível a alternativa #include "stdio.h"

66 Saída - A Função printf A função printf permite que dados sejam escritos na tela do computador. O formato é de uso simples e bastante flexível, permitindo que os dados possam ser apresentados de diversas maneiras. Syntax: printf(controle, arg1, arg2,...); Onde os argumentos são impressos de acordo com a maneira indicada pelo controle. Um exemplo simples pode tornar a explicação mais clara.

67 Saída - A Função printf O programa abaixo imprime o valor da variável ano. #include <stdio.h> #include <conio.h> // Biblioteca de entrada e saída ARGUMENTO main() { int ano = 2008; // Declarei ano como inteiro e ja defini seu valor. printf( Estamos no ano %d ", ano ); getch(); } Na tela do computador será impresso: Estamos no ano 2008; CONTROLE

68 Saída - A Função printf O controle, que deve aparecer sempre entre " ", define como serão impressos os argumentos. Neste controle podem existir dois tipos de informações: caracteres comuns e códigos de formatação. Os caracteres comuns, como no exemplo (Estamos no ano) são escritos na tela sem nenhuma modificação. Os códigos de formatação, aparecem precedidos por um % e são aplicados aos argumentos na ordem em que aparecem.

69 Códigos de Formatação Deve haver um código de formatação para cada argumento. O código %d indica que o valor armazenado em ano deve ser impresso na notação inteiro decimal. Código Comentário % c Caractere simples % d Inteiro decimal com sinal % i Inteiro decimal com sinal % e Real em notação científica com e % f Real em ponto flutuante % o Inteiro em base octal % s Cadeia Caracteres % u Inteiro decimal sem sinal % x Inteiro em base hexadecimal (letras minúsculas) % % Imprime o caracter %

70 Saída justificada Um sinal de menos para especificar que o argumento deve ser tabulado a esquerda no seu campo de impressão pode ser acrescentado. Exemplo a seguir ilustra os dois tipos de justificação. main() { } int ano = 2007; printf("justificado a esquerda Ano = %-8d\n", ano); printf("justificado a direita Ano = %8d\n", ano); getch(); Observe

71 Especificador de Precisão O especificador de precisão consiste de um ponto que separa o número que define o tamanho do campo do número que especifica o máximo número de dígitos a serem impressos a direita do ponto em um número do tipo float ou double #include <stdio.h> #include <conio.h> Observe main() { float r = 1.0/3.0; printf("o resultado e = %9.5f\n", r); getch(); }

72 Códigos de Formatação Ao executar o exemplo verifique que \n não é impresso. A barra inclinada é chamada de seqüência de escape, indicando que o próximo caracter não é para ser impresso mas representa caracteres invisíveis, por exemplo. Alguns destes caracteres são: Código Descrição \n Passa para uma nova linha \t Tabulação \b Retorna um caracter \f Salta uma página \0 Caracter nulo

73 Entrada - A Função scanf A função scanf pode ser utilizada para entrada de dados a partir do teclado. Esta função é equivalente à função printf e seu formato é: Syntax: scanf(controle, arg1, arg2,...); Uma diferença fundamental existe entre as duas funções é que os argumentos da função scanf são os endereços das variáveis que irão receber os valores lidos e não, como em printf, as próprias variáveis.

74 Entrada - A Função scanf A indicação que estamos referenciando um endereço e não a variável se faz pelo operador &. Por exemplo, o comando scanf("%d %d", &a, &b) espera que dois valores inteiros sejam digitados no teclado. O primeiro é armazenado na variável a e o segundo em b.

75 Entrada - A Função scanf Cada variável a ser lida, deverá ser precedida pelo caracter & Para sequência de caracteres (%s), o caractere & não deverá ser usado.

76 Entrada - A Função scanf int main() { int numero; char string[30]; printf("digite uma string: "); scanf("%s",string); printf("digite um numero: "); scanf("%d",&numero); printf("a string digitada foi: \t%s\n", string); printf("o numero digitado foi: \t%d\n", numero); }

77 Lendo e Imprimindo Caracteres Para ler e escrever caracteres do teclado as funções de entrada e saída mais simples são getchar e putchar que estão na biblioteca stdio.h #include <stdio.h> #include <conio.h> main() { char c; int i; printf("entre com um caracter entre 0 e 9.\n"); c = getchar(); printf("o caracter lido foi o "); putchar(c); } getch();

78 Lendo e Imprimindo Caracteres Na definição original da função getchar a entrada é armazenada até que a tecla ENTER seja apertada. Com isto caracteres ficam em um buffer esperando para serem tratados. Em ambientes onde é necessário tratar o caractere imediatamente esta função pode não ser útil. Muitos compiladores incluem funções para permitir entrada interativa de dados. As duas funções mais comuns são getch e getche e seus protótipos podem ser encontrados na biblioteca <conio.h>.

79 Lendo e Imprimindo Strings Um string em C é um vetor de caracteres. Para usar strings é preciso primeiro definir um espaço para armazená-los. Para isto é preciso declarar o tamanho e o tipo do vetor. Por exemplo: char nome[40]; Quando definir o tamanho do vetor observar que todo string em C termina com o caracter null ('\0'), que é automaticamente inserido pelo compilador. Portanto o vetor nome pode armazenar no máximo 39 caracteres.

80 Lendo e Imprimindo Strings Exemplo : #include <stdio.h> #include <conio.h> void main ( ) { char nome[40]; puts("por favor, qual o seu nome."); scanf("%s", nome); printf( Em que posso ajuda-lo %s?\n", nome); getch(); }

81 Expressões e Operadores Adição: Expressão 1 + expressão 2 Primeiros as duas expressões serão avaliadas e só depois a adição é realizada. Pode ter uma conversão de tipos, depois da avaliação das expressões: float x,y; int z; z=y+x;

82 Expressões e Operadores Subtração: Expressão 1 - expressão 2 As duas expressões são avaliadas, depois a subtração é realizada, e o valor obtido é o valor da expressão. - Expressão A semântica de (-expressão) é a mesma do que (0 - expressão).

83 Expressões e Operadores Multiplicação: Expressão 1 * expressão 2 As duas expressões são avaliadas, depois a multiplicação é realizada, e o valor obtido é o valor da expressão.

84 Expressões e Operadores Divisão: Expressão 1 / expressão 2 Diferente das outras linguagens, em C o / designa ao mesmo tempo a divisão dos inteiros e dos reais.

85 Expressões e Operadores Divisão: Caso os dois operandos inteiros sejam positivos, o sistema arredonda o resultado da divisão : 7 / 2 retorna 3 Caso os dois operandos inteiros sejam de sinal diferentes, o arredondamento depende do compilador. -7 / 2 ou 7 / -2retornam -3 ou -4 (geralmente -4)

86 O Módulo % Expressão 1 % Expressão 2 As duas expressões devem retornar valores de tipo inteiro O módulo retorna o resto da divisão inteira. 7 % 2 retorna 1 Caso um dois operadores sejam negativo, o sinal do módulo depende da implementação, mas é geralmente o sinal do primeiro 7 % 2 retornam 1-7 % 2 retornam -1 7 % -2 retornam 1

87 Operadores Relacionais Expressão1 operador Expressão2 Operador Relação == Igual!= Diferente > Maior >= Maior ou igual < Menor <= Menor igual O resultado da comparação será um valor lógico : 1 - Verdadeira e; 0 - Falsa.

88 Operadores Lógicos Expressão1 operador Expressão2 Operador Relação && E (and) Ou (or)! Negação (not) exemplos: (a && b) (a == 0) (b!= 0)! ((a = = 0) && (b<3))

89 Operador & É o operador de endereçamento (ponteiro): Ele permite apontar qualquer variável: &a é o endereço da variável a

90 Incremento x = x + 1; x++; ++x; s+=i; /* s=s+i*/ z = y++; /* z=y e depois y++ */ z = ++y; /* y++ e depois z = y (novo) */

91 Decremento y = y - 1; /* isto decrementa y */ y--; /* isto decrementa y */ --y; /* isto decrementa y */ s-=i; /* s=s-i*/ z = y--; /* z =y e depois y- - */ z = --y; /* y-- e depois z=y (o novo)*/

92 Condicional (IF) if (b >= 3.0) a = 2.0; else a = 10.5; Igual a : a = (b >= 3.0? 2.0 : 10.5 ); c = (a > b? a : b); /* c=maior(a,b) */ c = (a > b? b : a); /* c=menor(a,b) */

93 Questionário 2 Baseado no que foi visto em sala de aula, responda: Escreva um programa que declare variáveis do tipo inteiro, char e float, inicializando-as, e imprima os seus valores. Faça um programa capaz de ler um valor real e escreve-lo com apenas uma casa decimal.

94 Questionário 2 Sabendo que os argumentos da função "printf" podem ser expressões (a+b, a/b, a*b...), e não somente argumentos, faça um programa capaz de ler um valor inteiro X e imprimir na tela o cubo, o quadrado e a metade de X. Ex.: para X= 6, imprimir Cubo = 18; Quadrado = 36; Metade = 3.

95 Exercícios Escreva um programa que leia 3 números reais e imprima a média aritmética destes números. Escreva um programa que ler uma temperatura em graus Celsius e apresenta o valor em Fahrenheit. (Formula: F = (9 X C + 160)/5) Escreva um programa que ler uma temperatura em graus Fahrenheit e apresenta o valor em Celsius. (Formula: C = (F - 32) * (5/9)

96 Dúvidas

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis Variáveis Variáveis são locais onde armazenamos valores na memória. Toda variável é caracterizada por um nome, que a identifica em um programa,

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Construções Básicas Programa em C #include int main ( ) { Palavras Reservadas } float celsius ; float farenheit ; celsius = 30; farenheit = 9.0/5

Leia mais

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C Resumo da Introdução de Prática de Programação com C A Linguagem C O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional

Leia mais

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu. Programação Estruturada Linguagem C Fundamentos da Linguagem Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Sumário Estrutura Básica Bibliotecas Básicas Tipos de Dados Básicos Variáveis/Declaração

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Produção / Elétrica Algoritmos e Programação Parte 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída. Prof. Críston Algoritmos e Programação

Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída. Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C Linguagem de uso geral (qualquer tipo de aplicação) Uma das linguagens mais utilizadas Foi utilizada

Leia mais

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10 1. TIPOS DE DADOS... 3 1.1 DEFINIÇÃO DE DADOS... 3 1.2 - DEFINIÇÃO DE VARIÁVEIS... 3 1.3 - VARIÁVEIS EM C... 3 1.3.1. NOME DAS VARIÁVEIS... 3 1.3.2 - TIPOS BÁSICOS... 3 1.3.3 DECLARAÇÃO DE VARIÁVEIS...

Leia mais

AULA 2: INTRODUÇÃO A LINGUAGEM DE C. Curso: Ciência da Computação Profª.: Luciana Balieiro Cosme

AULA 2: INTRODUÇÃO A LINGUAGEM DE C. Curso: Ciência da Computação Profª.: Luciana Balieiro Cosme AULA 2: INTRODUÇÃO A LINGUAGEM DE C Curso: Ciência da Computação Profª.: Luciana Balieiro Cosme Agenda Introdução a linguagem C Compiladores Variáveis IDEs Exemplos Exercícios Introdução A Linguagem C

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição de constantes:

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. A Linguagem C

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. A Linguagem C Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação A Linguagem C Prof. Renato Pimentel 1 Programação Quando queremos criar ou desenvolver um software para realizar determinado tipo de processamento

Leia mais

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br LP II Estrutura de Dados Introdução e Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Considerações Gerais Introdução a Linguagem C Variáveis e C Tipos de

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C INF1005 Programação 1 Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Programa Programa é um algoritmo escrito em uma linguagem de programação. No nosso

Leia mais

Curso de Linguagem C

Curso de Linguagem C Curso de Linguagem C 1 Aula 1 - INTRODUÇÃO...4 AULA 2 - Primeiros Passos...5 O C é "Case Sensitive"...5 Dois Primeiros Programas...6 Introdução às Funções...7 Introdução Básica às Entradas e Saídas...

Leia mais

Introdução a C Tipos de Dados Variáveis Operadores

Introdução a C Tipos de Dados Variáveis Operadores Introdução a C Tipos de Dados Variáveis Operadores INF1005 Programação I Prof. Hélio Lopes lopes@inf.puc-rio.br sala 408 RDC 1 introdução a C tópicos ciclo de desenvolvimento sistemas numéricos tipos de

Leia mais

Programação: Tipos, Variáveis e Expressões

Programação: Tipos, Variáveis e Expressões Programação de Computadores I Aula 05 Programação: Tipos, Variáveis e Expressões José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/56 Valores Valor é uma entidade

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Prof. Yandre Maldonado - 1 Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa Prof. Yandre Maldonado - 2 Linguagem C: Desenvolvida por Dennis Ritchie nos laboratórios da AT&T Bell (EUA) no início dos anos 70; Algol

Leia mais

Linguagem C. TGSI Lógica de Programação / Linguagem C Prof. Marcos Roberto

Linguagem C. TGSI Lógica de Programação / Linguagem C Prof. Marcos Roberto Linguagem C O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional UNIX. O C é derivado de uma outra linguagem: o B,

Leia mais

Variáveis e Comandos de Atribuição

Variáveis e Comandos de Atribuição BCC 201 - Introdução à Programação Variáveis e Comandos de Atribuição Guillermo Cámara-Chávez UFOP 1/47 Estrutura Básica de um programa C I < d i r e t i v a s do pré p r o c e s s a d o r > < d e c l

Leia mais

Programas simples em C

Programas simples em C Programas simples em C Problema 1. Escreve um programa em C que dados dois inteiros indique se são iguais ou qual o maior. Utilizar a construção em 5 etapas... quais? 1. Perceber o problema 2. Ideia da

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

Componentes da linguagem C++

Componentes da linguagem C++ Componentes da linguagem C++ C++ é uma linguagem de programação orientada a objetos (OO) que oferece suporte às características OO, além de permitir você realizar outras tarefas, similarmente a outras

Leia mais

Conceitos de Linguagens de Programação

Conceitos de Linguagens de Programação Conceitos de Linguagens de Programação Aula 07 Nomes, Vinculações, Escopos e Tipos de Dados Edirlei Soares de Lima Introdução Linguagens de programação imperativas são abstrações

Leia mais

2. Constantes e Variáveis

2. Constantes e Variáveis 2. Constantes e Variáveis Neste capitulo veremos como os dados constantes e variáveis são manipulados pela linguagem C. O que são constantes inteiras, reais, caracteres e strings. Quais são as regras de

Leia mais

MC102 Algoritmos e Programação de Computadores 2ª Aula Programa, entrada e saída de dados

MC102 Algoritmos e Programação de Computadores 2ª Aula Programa, entrada e saída de dados MC102 Algoritmos e Programação de Computadores 2ª Aula Programa, entrada e saída de dados 1. Objetivos Falar sobre programa de computador, diferenciando programa em linguagem de máquina, de programa em

Leia mais

Conceitos Básicos de C

Conceitos Básicos de C Conceitos Básicos de C Bibliografia Problem Solving & Program design in C, Jeri R. Hanly e Elliot B. Kpffman, 3 a edição Data Structures and Algorithm Analysis in C, Mark Allen Weiss, 2 a edição, Addison-Wesley,

Leia mais

O COMPUTADOR. Introdução à Computação

O COMPUTADOR. Introdução à Computação O COMPUTADOR Introdução à Computação Sumário O Hardware O Software Linguagens de Programação Histórico da Linguagem C Componentes Básicos do Computador O HARDWARE: O equipamento propriamente dito. Inclui:

Leia mais

Programação Básica em Arduino Aula 2

Programação Básica em Arduino Aula 2 Programação Básica em Arduino Aula 2 Execução: Laboratório de Automação e Robótica Móvel Variáveis são lugares (posições) na memória principal que servem para armazenar dados. As variáveis são acessadas

Leia mais

Java Como Programar, 8/E

Java Como Programar, 8/E Capítulo 2 Introdução aos aplicativos Java Java Como Programar, 8/E (C) 2010 Pearson Education, Inc. Todos os 2.1 Introdução Programação de aplicativo Java. Utilize as ferramentas do JDK para compilar

Leia mais

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO Tópicos Estrutura Básica B de Programas C e C++ Tipos de Dados Variáveis Strings Entrada e Saída de Dados no C e C++ INTRODUÇÃO O C++ aceita

Leia mais

Conceitos básicos da linguagem C

Conceitos básicos da linguagem C Conceitos básicos da linguagem C 2 Em 1969 Ken Thompson cria o Unix. O C nasceu logo depois, na década de 70. Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando o sistema operacional UNIX criado por

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo COMPILADORES Toda linguagem de programação

Leia mais

Algoritmo e Técnica de Programação - Linguagem C

Algoritmo e Técnica de Programação - Linguagem C Algoritmo e Técnica de Programação Linguagem C Gilbran Silva de Andrade 5 de junho de 2008 Introdução A liguagem C foi inventada e implementada por Dennis Ritchie em um DEC PDP-11 que utilizava o sistema

Leia mais

Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões

Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões Professor: Max Pereira http://paginas.unisul.br/max.pereira Ciência da Computação Primeiro Programa em Java public class OlaPessoal

Leia mais

Tipos de Dados Simples

Tipos de Dados Simples Programação 11543: Engenharia Informática 6638: Tecnologias e Sistemas de Informação Cap. 3 Tipos de Dados Simples Tipos de Dados Simples Objectivos: Hierarquia de tipos de dados Tipos de dados simples

Leia mais

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento Hello World Linguagem C printf("hello world!\n"); main é a função principal, a execução do programa começa por ela printf é uma função usada para enviar dados para o vídeo Palavras Reservadas auto double

Leia mais

Programação Estruturada I

Programação Estruturada I Programação Estruturada I Introdução a Linguagem C Prof. Thiago Caproni Tavares 1 Prof. Mateus dos Santos 2 1 thiago.tavares@ifsuldeminas.edu.br 2 mateus.santos@ifsuldeminas.edu.br Última Atualização:

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar Introdução à Java Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Código Exemplo da Aula Criar a classe Aula.java com o seguinte código: public class Aula { public static void

Leia mais

Vetores. Vetores. Figura 1 Exemplo de vetor com 10 elementos

Vetores. Vetores. Figura 1 Exemplo de vetor com 10 elementos Vetores Nos capítulos anteriores estudamos as opções disponíveis na linguagem C para representar: Números inteiros em diversos intervalos. Números fracionários com várias alternativas de precisão e magnitude.

Leia mais

Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre

Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre Cap. 02 Fundamentos de Linguagens Sumário : Linguagem, alfabeto e gramática

Leia mais

Linguagem e Técnicas de Programação I Operadores, expressões e funções. Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa.

Linguagem e Técnicas de Programação I Operadores, expressões e funções. Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa. Linguagem e Técnicas de Programação I Operadores, expressões e funções Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa. Ameliara Freire Operadores básicos Toda linguagem de programação, existem

Leia mais

Linguagem de Programação I

Linguagem de Programação I Linguagem de Programação I Curso de Sistemas de Informação Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br DESU / DAI 2016 Linguagem de Programação C 2 1 Linguagem de Programação C Os programas em C consistem em

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S PROGRAMAÇÃO I VA R I Á V E I S, C O N S TA N T E S, O P E R A D O R E S E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S Variáveis 2 Variáveis são locais onde são armazenados os valores na memória. Toda variável é

Leia mais

Linguagem e Técnicas de Programação I Programação estruturada e fundamentos da linguagem C

Linguagem e Técnicas de Programação I Programação estruturada e fundamentos da linguagem C Linguagem e Técnicas de Programação I Programação estruturada e fundamentos da linguagem C Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa. Ameliara Freire Continuando as aulas sobre os fundamentos

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 12 Cadeia de Caracteres (Strings) Edirlei Soares de Lima Caracteres Até o momento nós somente utilizamos variáveis que armazenam números (int, float ou

Leia mais

ITENS FUNDAMENTAIS. Profª Angélica da Silva Nunes

ITENS FUNDAMENTAIS. Profª Angélica da Silva Nunes ITENS FUNDAMENTAIS Profª Angélica da Silva Nunes CONCEITOS BÁSICOS Hardware - é a parte física do computador, tais como: teclado, monitor de vídeo, etc. Software - são os programas e aplicativos que permitem

Leia mais

Aluísio Eustáquio da Silva

Aluísio Eustáquio da Silva 1 Aluísio Eustáquio da Silva SciLab Programável Material didático usado em aulas de Programação de Computadores, Algoritmos e Lógica de Programação Betim Maio de 2012 2 PROGRAMAÇÃO O SciLab permite que

Leia mais

13 Números Reais - Tipo float

13 Números Reais - Tipo float 13 Números Reais - Tipo float Ronaldo F. Hashimoto e Carlos H. Morimoto Até omomentonoslimitamosaouso do tipo inteiro para variáveis e expressões aritméticas. Vamos introduzir agora o tipo real. Ao final

Leia mais

20 Caracteres - Tipo char

20 Caracteres - Tipo char 0 Caracteres - Tipo char Ronaldo F. Hashimoto e Carlos H. Morimoto Até agora vimos como o computador pode ser utilizado para processar informação que pode ser quantificada de forma numérica. No entanto,

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++ INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++ 1 - VARIÁVEIS Variáveis espaço de memória reservado para armazenar tipos de dados, com um nome para referenciar seu conteúdo. Observações importantes Todas as variáveis devem

Leia mais

Italo Valcy <italo@dcc.ufba.br>

Italo Valcy <italo@dcc.ufba.br> Programação C Módulo 01 Introdução à linguagem C Italo Valcy www.ieee.org/ufba Italo Valcy Programação em C Licença de uso e distribuição Todo o material aqui disponível pode, posteriormente,

Leia mais

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Breve Histórico A linguagem de programação C foi criada na década de 70, por Dennis Ritchie, que a implementou,

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

Aula 1. // exemplo1.cpp /* Incluímos a biblioteca C++ padrão de entrada e saída */ #include <iostream>

Aula 1. // exemplo1.cpp /* Incluímos a biblioteca C++ padrão de entrada e saída */ #include <iostream> Aula 1 C é uma linguagem de programação estruturada desenvolvida por Dennis Ritchie nos laboratórios Bell entre 1969 e 1972; Algumas características: É case-sensitive, ou seja, o compilador difere letras

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Linguagem de Programação C

Linguagem de Programação C Linguagem de Programação C Aula 08 Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Universidade Federal Rural do Semiárido Departamento de Ciências Exatas e Naturais 13 de novembro de 2009 Introdução O que é uma linguagem

Leia mais

#include <stdio.h> Void main() { printf( Cheguei!\n"); } INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C

#include <stdio.h> Void main() { printf( Cheguei!\n); } INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C #include Void main() { printf( Cheguei!\n"); } INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C ANTES DO C ERA A LINGUAGEM B B foi essencialmente uma simplificação da linguagem BCPL. B só tinha um tipo de dado, que

Leia mais

Aula 4 Pseudocódigo Tipos de Dados, Expressões e Variáveis

Aula 4 Pseudocódigo Tipos de Dados, Expressões e Variáveis 1. TIPOS DE DADOS Todo o trabalho realizado por um computador é baseado na manipulação das informações contidas em sua memória. Estas informações podem ser classificadas em dois tipos: As instruções, que

Leia mais

Algoritmos e Programação Conceitos e Estruturas básicas (Variáveis, constantes, tipos de dados)

Algoritmos e Programação Conceitos e Estruturas básicas (Variáveis, constantes, tipos de dados) Algoritmos e Programação Conceitos e Estruturas básicas (Variáveis, constantes, tipos de dados) Os algoritmos são descritos em uma linguagem chamada pseudocódigo. Este nome é uma alusão à posterior implementação

Leia mais

CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS. João Gabriel Ganem Barbosa

CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS. João Gabriel Ganem Barbosa CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS João Gabriel Ganem Barbosa Sumário Motivação História Linha do Tempo Divisão Conceitos Paradigmas Geração Tipos de Dados Operadores Estruturada vs

Leia mais

LINGUAGEM C. Estrutura básica de um programa

LINGUAGEM C. Estrutura básica de um programa LINGUAGEM C Estrutura básica de um programa Um programa em linguagem C é constituído por uma sequência de funções (módulos) que em conjunto irão permitir resolver o problema proposto. Estas funções contêm

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Prof a.dr a.thatyana de Faria Piola Seraphim (ECO) Prof.Dr.Enzo Seraphim (ECO) Universidade Federal de Itajubá thatyana@unifei.edu.br seraphim@unifei.edu.br Introdução - História A linguagem de programação

Leia mais

Convertendo Algoritmos para a Linguagem C

Convertendo Algoritmos para a Linguagem C onvertendo Algoritmos para a Linguagem Notas de Aula Prof. Francisco Rapchan www.geocities.com/chicorapchan O objetivo deste texto é mostrar alguns programas em, dando uma breve descrição de seu funcionamento

Leia mais

Curso de C: uma breve introdução

Curso de C: uma breve introdução V Semana de Engenharia Elétrica - UFBA Licença de uso e distribuição Todo o material aqui disponível pode, posteriormente, ser utilizado sobre os termos da: Creative Commons License:

Leia mais

Linguagens de programação

Linguagens de programação Prof. André Backes Linguagens de programação Linguagem de Máquina Computador entende apenas pulsos elétricos Presença ou não de pulso 1 ou 0 Tudo no computador deve ser descrito em termos de 1 s ou 0 s

Leia mais

Linguagens de Programação I

Linguagens de Programação I Linguagens de Programação I Tema # 4 Operadores em C Susana M Iglesias FUNÇÕES ENTRADA-SAÍDA I/O printf(), utilizada para enviar dados ao dispositivo de saída padrão (stdout), scanf(), utilizada para ler

Leia mais

2 Um Primeiro Programa em C

2 Um Primeiro Programa em C 2 Um Primeiro Programa em C Ronaldo F. Hashimoto, Carlos H. Morimoto e José A. R. Soares OobjetivodessaaulaéintroduzirvocêàlinguagemCemambienteLinux,primeiramentemostrandoasua estrutura, e a seguir com

Leia mais

Exercício de Revisão Linguagem C

Exercício de Revisão Linguagem C Exercício de Revisão Linguagem C * Baseado no material do curso: PET Engenharia de Computação - UFES Responda às questões a seguir, selecionando a alternativa mais apropriada dentre aquelas existentes.

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/2. Introdução à Programação de Computadores. Aula - Tópico 1

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/2. Introdução à Programação de Computadores. Aula - Tópico 1 Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/2 Introdução à Programação de Computadores Aula - Tópico 1 1 Por que usar um computador? Como conversar com um computador? 0101001001010100101011 0010100110101011111010

Leia mais

Fundamentos de Programação

Fundamentos de Programação Fundamentos de Programação ESCOLA Fundamentos de Programação 1 Escola Alcides Maya - Primeiro Módulo 2 Sumário Fundamentos de Programação 1 Fundamentos de Programação 1 Introdução... 4 2 Introdução à Linguagem

Leia mais

ESTRUTURA DE UM PROGRAMA EM C++ Estrutura de um Programa em C++

ESTRUTURA DE UM PROGRAMA EM C++ Estrutura de um Programa em C++ ESTRUTURA DE UM PROGRAMA EM C++ Estrutura de um Programa em C++ #include { Este trecho é reservado para o corpo da função, com a declaração de suas variáveis locais, seus comandos e funções

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 APROG Algoritmia e Programação Linguagem JAVA Básico Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 Linguagem Java Estrutura de um Programa Geral Básica Estruturas de Dados Variáveis Constantes Tipos de Dados

Leia mais

Sintaxe Básica de Java Parte 1

Sintaxe Básica de Java Parte 1 Sintaxe Básica de Java Parte 1 Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marcioubeno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Estrutura de Programa Um programa

Leia mais

Programação em C++: Introdução

Programação em C++: Introdução Programação em C++: Introdução J. Barbosa J. Tavares Visualização Científica Conceitos básicos de programação Algoritmo Conjunto finito de regras sobre as quais se pode dar execução a um dado processo

Leia mais

Linguagens de Programação

Linguagens de Programação 68 Linguagens de Programação Uma linguagem de programação é um vocabulário e um conjunto de regras gramaticais usadas para escrever programas de computador. Esses programas instruem o computador a realizar

Leia mais

Linguagens de Programação PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES. Linguagem C. Linguagem C Estrutura Básica. Constante (literais) Linguagem C Primeiro Programa

Linguagens de Programação PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES. Linguagem C. Linguagem C Estrutura Básica. Constante (literais) Linguagem C Primeiro Programa Linguagens de Programação PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES Linguagem C - Introdução Linguagens de Máquina Representação numérica Difícil utilização e compreensão Específica para cada máquina Linguagens Simbólicas(Assembly)

Leia mais

Roteiro 1: Dados, variáveis, operadores e precedência

Roteiro 1: Dados, variáveis, operadores e precedência 1. Introdução Universidade Federal do ABC Disciplina: Processamento da Informação (BC-0505) Assunto: Dados, variáveis, operadores e precedência Roteiro 1: Dados, variáveis, operadores e precedência Nesta

Leia mais

Estruturas de entrada e saída

Estruturas de entrada e saída capa Estruturas de entrada e saída - A linguagem C utiliza de algumas funções para tratamento de entrada e saída de dados. - A maioria dessas funções estão presentes na biblioteca . - As funções

Leia mais

Algoritmos com VisuAlg

Algoritmos com VisuAlg Algoritmos com VisuAlg Prof Gerson Volney Lagemann Depto Eng de Produção e Sistemas UDESC - CCT Algoritmos com VisuAlg Introdução A linguagem VisuAlg é simples, seu objetivo é disponibilizar um ambiente

Leia mais

Estrutura de Dados. Prof. Gustavo Willam Pereira. Créditos: Profa. Juliana Pinheiro Campos

Estrutura de Dados. Prof. Gustavo Willam Pereira. Créditos: Profa. Juliana Pinheiro Campos Estrutura de Dados Prof. Gustavo Willam Pereira Créditos: Profa. Juliana Pinheiro Campos ESTRUTURAS DE DADOS Ementa Introdução à Linguagem C. Recursividade. Alocação dinâmica de memória. Conceito de tipos

Leia mais

CAPÍTULO 3 - TIPOS DE DADOS E IDENTIFICADORES

CAPÍTULO 3 - TIPOS DE DADOS E IDENTIFICADORES CAPÍTULO 3 - TIPOS DE DADOS E IDENTIFICADORES 3.1 - IDENTIFICADORES Os objetos que usamos no nosso algoritmo são uma representação simbólica de um valor de dado. Assim, quando executamos a seguinte instrução:

Leia mais

Programando em C++ Histórico da Linguagem C

Programando em C++ Histórico da Linguagem C Programando em C++ Joaquim Quinteiro Uchôa joukim@comp.ufla.br DCC-UFLA, 2002 Programando em C++ p.1/38 Histórico da Linguagem C Linguagem C: 1972 - Laboratório Bells, por Dennis Ritchie, a partir da linguagem

Leia mais

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo:

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo: Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

Introdução à Linguagem

Introdução à Linguagem Introdução à Linguagem Curso de Nivelamento do PPGMNE Janeiro / 2011 Juliano J. Scremin jjscremin@jjscremin.t5.com.br Um pouco de história Um pouco de história: Nascimento do Python Um pouco de história:

Leia mais

Laboratório de Programação. Prof. Oscar Luiz Monteiro de Farias fariasol@gmail.com

Laboratório de Programação. Prof. Oscar Luiz Monteiro de Farias fariasol@gmail.com Laboratório de Programação Prof. Oscar Luiz Monteiro de Farias fariasol@gmail.com Ementa: Equivalente ao sumário do livro: The C Programming Language, Second edition. Autores: Brian W. Kernighan, Dennis

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Engenharia de CONTROLE e AUTOMAÇÃO Introdução à Linguagem C Aula 02 DPEE 1038 Estrutura de Dados para Automação Curso de Engenharia de Controle e Automação Universidade Federal de Santa Maria beltrame@mail.ufsm.br

Leia mais

Laboratório de Programação 02

Laboratório de Programação 02 Laboratório de Programação 02 Ambiente de Desenvolvimento e Revisão da Linguagem C Prof. Carlos Eduardo de Barros Paes Prof. Julio Arakaki Departamento de Computação PUC-SP Code::Blocks Ambiente integrado

Leia mais

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Edwar Saliba Júnior Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Belo Horizonte 2010 Sumário 1 Nota:... 2 2 Comandos e Palavras Reservadas:... 3 3 Dicas... 4 3.1 Strings

Leia mais

A Linguagem C. A forma de um programa em C

A Linguagem C. A forma de um programa em C A Linguagem C Criada em 1972 por D. M. Ritchie e K. Thompson. Tornou-se uma das mais importantes e populares, principalmente pela portabilidade e flexibilidade. Foi projetada para o desenvolvimento de

Leia mais

Linguagens de Programação I

Linguagens de Programação I Linguagens de Programação I Tema # 8 Strings e Estruturas Susana M Iglesias 1 STRINGS - INTRODUÇÃO Strings (cadeia de caracteres): é uma serie de caracteres que podem ser tratados como uma unidade simples,

Leia mais

Linguagem C Tipos de Dados. void; escalares; sizeof Vectores; strings em C Estruturas Introdução ao pré-processador

Linguagem C Tipos de Dados. void; escalares; sizeof Vectores; strings em C Estruturas Introdução ao pré-processador Linguagem C Tipos de Dados void; escalares; sizeof Vectores; strings em C Estruturas Introdução ao pré-processador Funções void void pode ser usado em lugar de um tipo, para indicar a ausência de valor

Leia mais

Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução. (procedimentos e funções)

Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução. (procedimentos e funções) Aulas anteriores... Formulação adequada do problema Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução Definição do algoritmo Método de decomposição hierárquica utilizando

Leia mais

Linguagem de Programação C

Linguagem de Programação C Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Computação Linguagem de Programação C Prof. Ricardo Pezzuol Jacobi rjacobi@cic.unb.br Variáveis vari veis em um programa C est o associadas a posi es

Leia mais

Primeiro Curso de Programação em C 3 a Edição

Primeiro Curso de Programação em C 3 a Edição Edson Luiz França Senne Primeiro Curso de Programação em C 3 a Edição Visual Books Sumário Prefácio da Terceira Edição 9 Prefácio da Primeira Edição 11 Aula 1 13 Regras de sintaxe de uma linguagem de programação...

Leia mais

Curso Prático de C++

Curso Prático de C++ Sumário Autor: Prof. Luiz Bianchi Universidade Regional de Blumenau FUNDAMENTOS... 3 Declaração de variáveis... 4 Tipos de dados... 4 Operador de atribuição... 5 Comentários... 5 Tipos modificados... 6

Leia mais

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C / C++

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C / C++ Edwar Saliba Júnior Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C / C++ Belo Horizonte 2009 Sumário 1 Nota:... 2 2 Comandos e Palavras Reservadas:... 3 3 Dicas... 4

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Waldemar Celes e Roberto Ierusalimschy 29 de Fevereiro de 2012 1 Ciclo de desenvolvimento O modelo hipotético de computador utilizado no capítulo anterior, embora muito

Leia mais

17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular

17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular 17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular Unesp Campus de Guaratinguetá Curso de Programação Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro Ministrado por: Prof. André Amarante 17

Leia mais