Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C"

Transcrição

1 Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011

2 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis e Constantes...4 Tipos de Dados...5 Mandando mensagem na tela do computador (printf)...6 Pegando dados do usuário ( Scanf )...8 Operadores Aritméticos ( Matemáticos)...8 Operadores de Incremento / Decremento...8 Operadores Relacionais...9 Operadores Lógicos...9 Laços...10 Laço For (Para)...10 Laço While (Enquanto)...11 Laço Do...While (Faça Enquanto)...12 Comando IF (Se)...13 Comando SWITCH...CASE...14

3 Como instalar um programa para executar o C Para podermos utilizar a linguagem C precisamos de um programa especifico, para isso temos vários porem irei mostrar como trabalhar com um muito simples: O DevC. 1. Em primeiro lugar acesse o link abaixo e faça o download do arquivo: _setup.exe/download 3. Depois de feito o download mande executar o programa baixado. 4. Na primeira tela ele te dará um aviso para não instalar caso já exista uma versão instalada anteriormente. Clique em OK 5. Ele irá carregar os arquivos e pedirá a linguagem, deixe em Português e clique em OK 6. Ele irá exibir o contrato de licença, clique em ACEITO. 7. Será aberta uma tela para selecionar os componentes, clique em Seguinte sem desmarcar nenhuma opção. 8. Escolha o local onde deseja instalar o programa e clique em Instalar. 9. Será feita a copia dos arquivos e ele deve perguntar se deseja instalar ele para todos os usuários do computador ( for all user computers...). Clique em SIM. 10. Terminando de instalar você pode clicar em terminar que o programa será executado pela primeira vez. 11. Ele irá abrir uma tela dizendo ser uma versão Beta de software e etc. Clique em OK. 12. Será pedido para selecionar uma linguagem, pode escolher Português Brasil e clique em NEXT 13. Deixe marcada a opção Yes e clique em Next. 14. Deixe marcada a opção Yes novamente e clique em Next. 15. Aguarde até que seja concluída a operação da copia de alguns arquivos. 16. Terminado de copiar clique em OK para iniciar a área do programa. Para criar um projeto para testar os programas é só seguir os passos abaixo: 1. Clique no menu Arquivo > Novo > Projeto 2. Marque na parte de baixo da janela a opção Projeto C e clique na opção Console Application 3. Aperte OK 4. Escolha uma pasta para salvar o projeto 5. Clique em Salvar e será aberto um arquivo com algumas linhas já digitadas 6. Apague as linhas e agora é só desenvolver seu sistema 7. Após digitar o programa é só usar o atalho F9 para compilar e executar, ao apertar o F9 será pedido para você salvar mais um arquivo, clique em salvar e veja seu programa sendo executado.

4 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C Na linguagem de Programação C a todo momento em que iremos criar um novo programa temos que iniciar nossa função principal ( main ). Esta função principal possui uma sintaxe que deve ser repetida para todo e qualquer programa pois é nela que teremos todos os passos do nosso programa sendo executado. A sintaxe da função principal main é: main () Todo e qualquer programa deve estar entre esta função principal. Veja o exemplo: main() int numero; numero = 4; Variáveis e Constantes Em alguns momentos do nosso dia a dia precisamos guardar muitas coisas para usarmos em momentos adequados. Assim como no nosso dia a dia em nossos programas em certos momentos devemos guardar determinadas informações para utilizar em um determinado momento, porem como podemos guardar estas informações? Para guardar estas informações temporariamente na programação iremos utilizar de variáveis que são espaços reservados na memoria do computador para que possamos guardar um determinado tipo de informação. Em alguns momentos esses valores que guardamos podem sofrer muitas alterações enquanto nosso programa funciona, como por exemplo o resultado de uma conta em que num determinado momento começa sendo 0 e em outro pode passar a ser 10 ou qualquer outro numero, por esse motivo dessas informações sofrerem varias alterações que então estes espaços são chamados de variáveis, pois seus valores podem ser alterados varias vezes durante a execução de um programa. Em outros casos podemos definir um espaço para um determinado valor que não será alterado, ou seja, será o mesmo durante todo o programa, como por exemplo o valor de PI que não muda ele é sempre 3,14... então assim estes espaços que guardam valores que não mudam são chamados de Constantes. Para dizer ao programa que precisamos de um espaço de uma variável ou constante precisamos informar qual o tipo de dado que estes valores terão, se serão textos, números, caracteres e etc., para isso é necessário conhecer quais tipos de dados podemos ter, que é o que veremos a seguir.

5 Tipos de Dados Cada informação é formada por um tipo de dado diferente, pode ser um texto, um número, um caractere e etc, na linguagem C temos alguns principais tipos de dados que mais veremos e que são identificados por nomes em inglês. Para vermos os principais tipos de dados, observe os dados abaixo retirados do nosso livro do PLT. Char Usado para representar um caractere ou um conjunto deles int Usado para representar um numero inteiro positivo ou negativo float Usado para representar um numero real positivo ou negativo ( números com virgula) Lembre-se que os dados inteiros podem ser definidos como reais porem o inverso não pode ser dito. Podemos guardar um valor inteiro em uma variável real, mas não podemos guardar um valor real em uma variável inteira. Como podemos dizer para o programa o tipo de dado que minha variável irá guardar? Para declarar ao programa o tipo de dado de uma variável é simplesmente digitar após o inicio da função principal main o tipo de dado da maneira como vimos acima e na frente do tipo um nome que irá identificar esta variável. Veja o exemplo: main() int numero; float media; char nome; Desta maneira é declaramos uma variável em nosso programa. Para dar um nome a estas variáveis existe algumas regrinhas que devem ser respeitadas, como por exemplo: Todo nome de variável deve começar com uma letra ou _ (underline) e os demais caracteres podendo ser letras, números e outros _ ( underlines ) geralmente usados para separar palavras. Variáveis com letras maiúsculas são diferentes das com letras minusculas. Não podem conter palavras chaves da linguagem C ( para ver lista ver pag 17 do PLT).

6 Mandando mensagem na tela do computador (printf) Para enviar uma mensagem atraves de seu programa á qualquer usuário que esta vendo a tela do computador usamos uma função chamada printf, sua sintaxe é a seguinte: Para enviar somente uma frase: printf( frase a ser enviada na tela ); Para enviar uma frase e o valor de uma variavel: printf( frase a ser enviada especificador de formato, nome da variável a ser exibida); Repare que utilizamos aqui um tal de especificador de formato, este especificador é formado por um sinal de %(porcentagem) e uma letra que vai identificar qual o tipo de dado será exibido na tela. Para cada tipo de dado temos um especificador diferente: Se formos exibir um numero inteiro ( int ) usamos o %d Se formos exibir um numero real ( float ) usamos o %f Se formos exibir um único caractere (char) usamos o %c Se formo exibir um conjunto de caractere, um texto por exemplo ( char ) usamos o %s ATENÇÃO: Onde o especificador for colocado entre as aspas do printf é onde o valor,que esta guardado na variável, será mostrado. Veja exemplos: main() int idade; float media; char letra; idade = 25; media = 3.5; letra = 'M'; printf( Depois dessa frase vai aparecer a idade %d., idade); printf( %f Antes dessa frase apareceu a media., media); printf( A letra %c vai aparecer no meio da frase., letra); system( pause );

7 Isto irá imprimir na tela o seguinte resultado: Depois dessa frase vai aparecer a idade Antes dessa frase apareceu a media. A letra M vai aparecer no meio da frase. O system( pause ) fará uma pausa no programa até o usuário digitar qualquer tecla. Saiba tambem que os valores reais, podem ser configurados quanto ao numero de casas decimais, para isso usa-se entre o % e o f um. (ponto final) e o numero de casas decimais que deseja exibir. Exemplo: main() float media; media = 3.568; printf( %.2f Antes dessa frase apareceu a media., media); system( pause ); Este resultado será exibido apenas 3.56 já que o numero de casas no %f foi delimitado em 2 casas após da virgula.

8 Pegando dados do usuário ( Scanf ) Para capturar um dado do usuário também iremos usar os especificadores de formato, porem agora com a função scanf. Vamos ver a sintaxe do comando scanf: scanf( especificador, &nome_da_variavel); O comando scanf diferente do printf serve somente para pegar um dado digitado pelo usuário e guardá-lo em uma variável. ATENÇÃO: NÃO ESQUEÇA QUE ANTES DE ESCREVER O NOME DA VARIAVEL DEVE-SE ADICIONAR UM & (LÊ-SE E COMERCIAL ). Vejamos um exemplo: main() int idade; printf( Digite sua idade ); scanf( %d, &idade); printf( Sua idade eh: %d,idade); Operadores Aritméticos ( Matemáticos) Para realizarmos contas podemos usar os operadores aritméticos, + para soma, - para subtração, * para multiplicação e / para divisão. Operadores de Incremento / Decremento Estes operadores controlam a soma ou subtração de 1 no valor de uma variável. Estes operadores são: ++ Incrementa 1 -- Decrementa 1 var++ ou var-- Pós fixado ++var ou --var Pré fixado

9 Sempre que o sinal de ++ ou -- vier acompanhado de uma variável significa que o valor daquela variável será incrementado ( ++ ) ou decrementado( -- ) em 1.Para entender melhor veja o exemplo: main() n = 5 x = n++ printf( x = %d n=%d,x,n); Neste caso será exibido na tela a seguinte frase: x = 6 n = 5. O n++ pode ser visto como a expressão n = n + 1. Operadores Relacionais Os operadores relacionais trabalham a relação entre valores dentro de uma condição. Vão verificar se um valor é maior, menor, maior ou igual, igual e etc a outro valor. Os operadores são: > Maior < Menor >= Maior ou igual <= Menor ou igual == Igual!= Diferente Operadores Lógicos Os operadores lógicos vão servir para analisarmos um grupo de condições de maneira unida ou separada. && Lógico E Lógico OU! Lógico Negação Se estivermos analisando duas condições entre um operador E estamos querendo saber se as duas condições são respeitadas ao mesmo tempo, já quando temos duas condições entre um operador OU queremos saber se ao menos uma das duas condições são respeitadas.

10 Laços Os laços são estruturas de repetição, servem para repetir uma determinada sequencia de códigos de acordo com uma determinada condição. Existem 3 tipos de laços o FOR, WHILE e DO...WHILE. Laço For (Para) O laço for trabalha com 3 parâmetros, inicialização de variáveis, condição de execução e incremento. Vejamos sua sintaxe: for(inicialização ; condição/teste ; incremento ) comandos a serem executados; A inicialização vai dar a uma variável de controle um valor inicial para ser analisado. A condição/teste é a condição para que o laço seja executado, ou seja, enquanto a condição dentro do laço for verdadeira o laço será executado rodando todas as linhas de comandos que estão dentro dele, no instante em que ela deixar de ser verdadeira então o laço termina dando sequência ao programa ou terminando o programa caso não tenha mais nenhuma linha de programação. O incremento vai fazer com que seja aumentado a variável de controle que estará sendo testada na condição, fazendo assim com que não tenhamos um laço rodando infinitamente, também chamado de loop infinito. Exemplo: main() int num; for ( num = 0 ; num < 10 ; num ++ ) printf( Numero %d \n, num ); system( pause ); No exemplo anterior veremos que será impresso na tela os valores de 0 até 9, onde nossa variável num recebeu um valor inicial de 0 e a condição do laço testa para que num seja menor que 10. Dessa maneira enquanto o valor de num for menor que 10 o printf de dentro do laço será executado, mas como no final do FOR temos o incremento de num++, a cada vez que o laço iniciar o valor da variável num será aumentado em 1, assim na primeira vez será 1 depois 2 depois 3 até que num seja igual a 10 e o laço termine.

11 Laço While (Enquanto) O laço while trabalha com apenas um parâmetro que é a condição de execução e é utilizado quando não se conhece o numero de ciclos/voltas/iterações que serão executadas. Diferente do FOR em que sabemos o inicio e o fim através da inicialização, aqui não sabemos o seu inicio ou fim, que pode ser dado por exemplo pelo usuário através de um dado de entrada do scanf. Vejamos sua sintaxe: while(condição) comandos a serem executados; Enquanto a condição dentro do laço for verdadeira o laço será executado rodando todas as linhas de comandos que estão dentro dele, no instante em que ela deixar de ser verdadeira então o laço termina dando sequência ao programa ou terminando o programa caso não tenha mais nenhuma linha de programação. Exemplo: main() int num; printf( Digite até qual numero você deseja contar? ); scanf( %d,&num); while( num>=0 ) printf( Numero %d \n, num ); num--; system( pause ); No exemplo anterior vemos que o usuário passa um valor final para o meu laço, onde verifico se o valor dado pelo usuário é maior que zero. Enquanto o numero for maior que zero então ele continuará imprimindo o numero e diminuindo 1 no valor de num até que num seja então igual a zero e finalize a execução do laço.

12 Laço Do...While (Faça Enquanto) O Do...While é muito parecido com o While com uma diferença, enquanto o teste da condição no while é realizado antes de começar o laço, no Do While o teste da condição é realizado no fim, fazendo com que o conteúdo dentro dele seja executado pelo menos uma única vez. Vejamos sua sintaxe: Do comandos a serem executados; while(condição); O laço começa executando as linhas dentro dele e depois realiza o teste da condição, caso a condição seja verdadeira então ele continua a executar os comandos dentro do laço até que a condição se torne falsa. Exemplo: main() int num; do printf( Digite 1 para sair ou qualquer outro numero para continuar ); scanf( %d,&num); while(num!= 1) system( pause ); No exemplo anterior vemos que enquanto o usuário digitar qualquer numero diferente de 1 o laço continuará a perguntar a opção para ele, mas perceba que a primeira vez ele perguntou a opção do usuário antes de fazer qualquer teste. Quando o usuário digitar 1 então a condição será falsa e o laço encerrará dando continuidade ao programa.

13 Comando IF (Se) O comando IF serve para realizar testes de condições, onde o resultado será verdadeiro ou falso. Ele testa uma condição e caso esta seja verdadeira ele executa uma instrução, caso a condição resulte em ser falsa ele irá executar as instruções que virão após o comando ELSE ( SENÃO). Veja sua sintaxe: IF (condição) instruções se verdadeira; ELSE instruções se falsa; Exemplo: main() int idade; printf( Digite sua idade ); scanf( %d, &idade); if(idade<18) printf( Você é menor de idade. ); else printf( Você é maior de idade ); system( pause ); O exemplo irá verificar através da idade do usuário se ele é maior ou menor de idade, dessa maneira ele trabalha a condição de se a idade é menor de 18 anos caso seja verdadeiro ele exibe uma mensagem, caso contrario ele exibirá que o usuário é maior de idade.

14 Comando SWITCH...CASE Para uso da declaração da decisão com múltiplas ramificações usamos o switch, neste caso se temos uma variável que queremos testar para uma quantidade grande de valores usamos o switch. Vejamos sua sintaxe: switch(expressão constante) case constante1: instruções; break; case constante2: instruções; break; default: instruções; A partir de uma variavel testamos o valor da mesma para vários casos, se nenhum caso for aceito então é executada a instrução do caso default.

15 Exemplo: main() int n; printf( Digite um numero inteiro: ); scanf( %d,&n); switch(n) case 1: printf( Você digitou o numero um! ); break; case 2: printf( Você digitou o numero dois! ); break; case 3: printf( Você digitou o numero tres! ); break; default: printf( Você não digitou 1 nem 2 nem 3! ); system( pause );

Linguagem C: Estruturas de Controle. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Linguagem C: Estruturas de Controle. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Linguagem C: Estruturas de Controle Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Estrutura de Controle e de Fluxo Comandos de Seleção: O comando if; Ifs Aninhados; A escada if-else-if; A expressão condicional;

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais

Programação WEB I Estruturas de controle e repetição

Programação WEB I Estruturas de controle e repetição Programação WEB I Estruturas de controle e repetição Operadores de Incremento Operadores de incremento servem como expressões de atalho para realizar incrementos em variáveis Operadores de Incremento Vamos

Leia mais

Algoritmos com VisuAlg

Algoritmos com VisuAlg Algoritmos com VisuAlg Prof Gerson Volney Lagemann Depto Eng de Produção e Sistemas UDESC - CCT Algoritmos com VisuAlg Introdução A linguagem VisuAlg é simples, seu objetivo é disponibilizar um ambiente

Leia mais

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 9. Introdução a linguagem C Estruturas de decisão

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 9. Introdução a linguagem C Estruturas de decisão CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 9 Introdução a linguagem C Estruturas de decisão Introdução à Linguagem C Linguagem compilada. Desenvolvida sobre os paradigmas de programação procedural. Uma das linguagens

Leia mais

3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 3.1. CONCEITOS BÁSICOS. Lógica de Programação

3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 3.1. CONCEITOS BÁSICOS. Lógica de Programação Lógica de Programação 3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C Caro Aluno Vamos iniciar o terceiro capítulo da nossa disciplina. Agora vamos começar a aplicar os conceitos vistos nos capítulos anteriores em uma linguagem

Leia mais

Comandos Sequenciais if else, e Switch

Comandos Sequenciais if else, e Switch Introdução à Programação Comandos Sequenciais if else, e Switch 1º ano - ESI e IGE (2011/2012) Engenheiro Anilton Silva Fernandes (afernandes@unipiaget.cv) O computador pensa? Muitas vezes utiliza-se a

Leia mais

Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas

Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas 1 de 5 21-08-2011 22:15 Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas Adição de Colunas com Valores Calculados: Vamos, inicialmente, relembrar, rapidamente alguns conceitos básicos sobre Consultas

Leia mais

JAVA NETBEANS PGOO Prof. Daniela Pires Conteúdo

JAVA NETBEANS PGOO Prof. Daniela Pires Conteúdo Conteúdo Estruturas de repetição (loops, laços)... 2 WHILE (enquanto)... 2 DO... WHILE (faça... enquanto)... 2 FOR... 3 FOREACH... 4 EXERCICIO LOOP FOR... 4 Novo Projeto... 5 Controles SWING... 10 1 Estruturas

Leia mais

Curso de Programação Computadores

Curso de Programação Computadores 3 O Primeiro Programa em C Unesp Campus de Guaratinguetá Curso de Programação Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro 3 O Primeiro Programa em C 3.1 - Introdução Depois dos conceitos

Leia mais

Prof. Esp. Adriano Carvalho

Prof. Esp. Adriano Carvalho Prof. Esp. Adriano Carvalho O que é um Programa? Um arquivo contendo uma sequência de comandos em uma linguagem de programação especifica Esses comandosrespeitam regras de como serem escritos e quais

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++ INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++ 1 - VARIÁVEIS Variáveis espaço de memória reservado para armazenar tipos de dados, com um nome para referenciar seu conteúdo. Observações importantes Todas as variáveis devem

Leia mais

2 echo "PHP e outros.";

2 echo PHP e outros.; PHP (Hypertext Preprocessor) Antes de qualquer coisa, precisamos entender o que é o PHP: O PHP(Hypertext Preprocessor) é uma linguagem interpretada gratuita, usada originalmente apenas para o desenvolvimento

Leia mais

Associação Educacional Dom Bosco Curso de Engenharia 1º ano

Associação Educacional Dom Bosco Curso de Engenharia 1º ano Formatação condicional utilizando o valor da célula O que é? Algumas vezes é preciso destacar os valores, ou seja, como colocar em vermelho ou entre parênteses, os negativos, e de outra cor os positivos,

Leia mais

OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE

OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE 3.1 Operadores Os operadores indicam o tipo de operação matemática que será executada gerando novos valores a partir de um ou mais operadores. São muito utilizados em

Leia mais

Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 1 Levante e ande - Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Ano: 02/2011 Nesta Edição

Leia mais

LINGUAGEM C UMA INTRODUÇÃO

LINGUAGEM C UMA INTRODUÇÃO LINGUAGEM C UMA INTRODUÇÃO AULA 1 Conceitos muito básicos 1 Introdução O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Na disciplina de Cálculo Numérico, vamos trabalhar com a linguagem C++ e o compilador que vamos usar é o Dev C++.

Na disciplina de Cálculo Numérico, vamos trabalhar com a linguagem C++ e o compilador que vamos usar é o Dev C++. Data: 14/8 Página 1 de 9 Primeiros passos Introdução Na disciplina de Cálculo Numérico, vamos trabalhar com a linguagem C++ e o compilador que vamos usar é o Dev C++. No tutorial anterior, mostramos como

Leia mais

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br LP II Estrutura de Dados Introdução e Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Considerações Gerais Introdução a Linguagem C Variáveis e C Tipos de

Leia mais

Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição Estruturas de Repetição Lista de Exercícios - 04 Linguagem e Técnicas de Programação Professor: Edwar Saliba Júnior Estruturas de Repetição O que são e para que servem? São comandos que são utilizados

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo COMPILADORES Toda linguagem de programação

Leia mais

P r o g r a m a ç ã o d e C o m p u t a d o r e s 1 o S e m - 2 0 1 3 P r o f. A n d r é A m a r a n t e L u i z L A B 5 tag %2d while printf PE1:

P r o g r a m a ç ã o d e C o m p u t a d o r e s 1 o S e m - 2 0 1 3 P r o f. A n d r é A m a r a n t e L u i z L A B 5 tag %2d while printf PE1: Inteligência É a faculdade de criar objetos artificiais, especialmente ferramentas para fazer ferramentas. Henri Bergson. WHILE Além dos comandos if-else e switch, o controle de fluxo de um programa pode

Leia mais

AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO PYTHON

AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO PYTHON Computadores e Programação Engª Biomédica Departamento de Física Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Ano Lectivo 2003/2004 FICHA 1 AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO PYTHON 1.1. Objectivos

Leia mais

Como Gerar documento em PDF com várias Imagens

Como Gerar documento em PDF com várias Imagens Como Gerar documento em PDF com várias Imagens Para Gerar documento em PDF com várias Imagens, temos que seguir dois passos: 1. Inserir Imagens no Word 2. Gerar PDF a partir de documento do Word 1- Inserir

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO DO ODONTO TECHNOLOGY

MANUAL DE INSTALAÇÃO DO ODONTO TECHNOLOGY MANUAL DE INSTALAÇÃO DO ODONTO TECHNOLOGY 1 Índice I - Prefácio...3 II - Instalação do tipo servidor...4 III Obter o nome do computador servidor...17 IV Instalação do tipo cliente...19 V Como inserir a

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA. CC 2º Período

PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA. CC 2º Período PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CC 2º Período PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA Aula 06: Ponteiros Declarando e utilizando ponteiros Ponteiros e vetores Inicializando ponteiros Ponteiros para Ponteiros Cuidados a serem

Leia mais

COMO INSTALAR O CATÁLOGO

COMO INSTALAR O CATÁLOGO Este guia tem por finalidade detalhar as etapas de instalação do catálogo e assume que o arquivo de instalação já foi baixado de nosso site. Caso não tenho sido feita a etapa anterior favor consultar o

Leia mais

ALGORITMOS PARTE 01. Fabricio de Sousa Pinto

ALGORITMOS PARTE 01. Fabricio de Sousa Pinto ALGORITMOS PARTE 01 Fabricio de Sousa Pinto Algoritmos: Definição 2 É uma sequência de instruções finita e ordenada de forma lógica para a resolução de uma determinada tarefa ou problema. Algoritmos 3

Leia mais

Tutorial de Matlab Francesco Franco

Tutorial de Matlab Francesco Franco Tutorial de Matlab Francesco Franco Matlab é um pacote de software que facilita a inserção de matrizes e vetores, além de facilitar a manipulação deles. A interface segue uma linguagem que é projetada

Leia mais

Componentes da linguagem C++

Componentes da linguagem C++ Componentes da linguagem C++ C++ é uma linguagem de programação orientada a objetos (OO) que oferece suporte às características OO, além de permitir você realizar outras tarefas, similarmente a outras

Leia mais

A lógica de programação ajuda a facilitar o desenvolvimento dos futuros programas que você desenvolverá.

A lógica de programação ajuda a facilitar o desenvolvimento dos futuros programas que você desenvolverá. INTRODUÇÃO A lógica de programação é extremamente necessária para as pessoas que queiram trabalhar na área de programação, seja em qualquer linguagem de programação, como por exemplo: Pascal, Visual Basic,

Leia mais

CONFIGURAÇÃO MINIMA EXIGIDA:

CONFIGURAÇÃO MINIMA EXIGIDA: Este tutorial parte do princípio que seu usuário já possua conhecimentos básicos sobre hardware, sistema operacional Windows XP ou superior, firewall, protocolo de rede TCP/IP e instalação de software.

Leia mais

Manual de Utilização COPAMAIL. Zimbra Versão 8.0.2

Manual de Utilização COPAMAIL. Zimbra Versão 8.0.2 Manual de Utilização COPAMAIL Zimbra Versão 8.0.2 Sumário ACESSANDO O EMAIL... 1 ESCREVENDO MENSAGENS E ANEXANDO ARQUIVOS... 1 ADICIONANDO CONTATOS... 4 ADICIONANDO GRUPOS DE CONTATOS... 6 ADICIONANDO

Leia mais

INTRODUÇÃO AO JAVA PARA PROGRAMADORES C

INTRODUÇÃO AO JAVA PARA PROGRAMADORES C PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB INTRODUÇÃO AO JAVA PARA PROGRAMADORES C Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar a grande semelhança entre Java e C Apresentar a organização diferenciada

Leia mais

Gerenciamento e Captura de Cheques - Sistec. Manual de Instalação e Importação ÍNDICE 1.INSTALAÇÃO. 1.1 - Instalando o programa

Gerenciamento e Captura de Cheques - Sistec. Manual de Instalação e Importação ÍNDICE 1.INSTALAÇÃO. 1.1 - Instalando o programa ÍNDICE 1 1.INSTALAÇÃO 1.1 - Instalando o programa 1.2 - Configurando dados do cliente 1.3 - Identificando o leitor de cheques Gerenciamento e Captura de Cheques - Sistec 1.4 - Cadastrando a conta do cliente

Leia mais

MANUAL DO ANIMAIL 1.0.0.1142 Terti Software

MANUAL DO ANIMAIL 1.0.0.1142 Terti Software O Animail é um software para criar campanhas de envio de email (email Marketing). Você pode criar diversas campanhas para públicos diferenciados. Tela Principal do sistema Para melhor apresentar o sistema,

Leia mais

SUMÁRIO TUTORIAL DO HQ. 2 DICAS PEDAGÓGICAS:. 2 DOWNLOAD DA INSTALAÇÃO. 2 PASSO 1 FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD. 2 PASSO 2 ESCOLHENDO A VERSÃO.

SUMÁRIO TUTORIAL DO HQ. 2 DICAS PEDAGÓGICAS:. 2 DOWNLOAD DA INSTALAÇÃO. 2 PASSO 1 FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD. 2 PASSO 2 ESCOLHENDO A VERSÃO. SUMÁRIO TUTORIAL DO HQ... 2 DICAS PEDAGÓGICAS:... 2 DOWNLOAD DA INSTALAÇÃO... 2 PASSO 1 FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD... 2 PASSO 2 ESCOLHENDO A VERSÃO... 3 PASSO 3 INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO... 4 CRIANDO NOVAS

Leia mais

Programação Básica em Arduino Aula 2

Programação Básica em Arduino Aula 2 Programação Básica em Arduino Aula 2 Execução: Laboratório de Automação e Robótica Móvel Variáveis são lugares (posições) na memória principal que servem para armazenar dados. As variáveis são acessadas

Leia mais

TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH!

TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH! UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP) ESCOLA DE ARTES, CIÊNCIAS E HUMANIDADES (EACH) TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH! Autoria e revisão por: PET Sistemas

Leia mais

MANUAL DE FTP. Instalando, Configurando e Utilizando FTP

MANUAL DE FTP. Instalando, Configurando e Utilizando FTP MANUAL DE FTP Instalando, Configurando e Utilizando FTP Este manual destina-se auxiliar os clientes e fornecedores da Log&Print na instalação, configuração e utilização de FTP O que é FTP? E o que é um

Leia mais

3. No painel da direita, dê um clique com o botão direito do mouse em qualquer espaço livre (área em branco).

3. No painel da direita, dê um clique com o botão direito do mouse em qualquer espaço livre (área em branco). Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 2 Criando e compartilhando uma pasta - Prática Autor: Júlio Battisti - Site: www.juliobattisti.com.br Neste tópico vamos criar e compartilhar uma pasta chamada

Leia mais

Linguagem e Técnicas de Programação I Operadores, expressões e funções. Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa.

Linguagem e Técnicas de Programação I Operadores, expressões e funções. Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa. Linguagem e Técnicas de Programação I Operadores, expressões e funções Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa. Ameliara Freire Operadores básicos Toda linguagem de programação, existem

Leia mais

Tutorial Gerar arquivo PDF. Gerando um documento pdf com várias imagens 1- Inserir imagem no Word

Tutorial Gerar arquivo PDF. Gerando um documento pdf com várias imagens 1- Inserir imagem no Word Tutorial Gerar arquivo PDF. Com o objetivo de simplificar e diminuir o tamanho de arquivos anexos nos projetos, elaboramos um pequeno tutorial mostrando como gerar um único arquivo no formato pdf contendo

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C INF1005 Programação 1 Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Programa Programa é um algoritmo escrito em uma linguagem de programação. No nosso

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS

CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS Relembrando... Gabinete Ligando o computador São três passos básicos O ambiente Windows O Windows é um tipo de software chamado sistema operacional

Leia mais

WF Processos. Manual de Instruções

WF Processos. Manual de Instruções WF Processos Manual de Instruções O WF Processos é um sistema simples e fácil de ser utilizado, contudo para ajudar os novos usuários a se familiarizarem com o sistema, criamos este manual. Recomendamos

Leia mais

Manual de Instalação do Softphone (Discador) BVC Telecomunicações.

Manual de Instalação do Softphone (Discador) BVC Telecomunicações. Manual de Instalação do Softphone (Discador) BVC Telecomunicações. 1- Clique no link indicado no seu e-mail de ativação para baixar o Softphone (Discador). Você encontra também para baixar no site da BVC

Leia mais

Como instalar uma impressora?

Como instalar uma impressora? Como instalar uma impressora? Antes de utilizar uma impressora para imprimir seus documentos, arquivos, fotos, etc. é necessário instalá-la e configurá-la no computador. Na instalação o computador se prepara

Leia mais

Manual de Instalação SystemFarma AutoCred

Manual de Instalação SystemFarma AutoCred Manual de Instalação SystemFarma AutoCred Requisitos do Sistema Para iniciar a instalação é necessário antes verificar os seguintes requisitos do sistema: Windows 98 ou superior com no mínimo 32 MB de

Leia mais

Conceitos Importantes:

Conceitos Importantes: Conceitos Importantes: Variáveis: Por Flávia Pereira de Carvalho, 2007 i O bom entendimento do conceito de variável é fundamental para elaboração de algoritmos, consequentemente de programas. Uma variável

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição de constantes:

Leia mais

20 Caracteres - Tipo char

20 Caracteres - Tipo char 0 Caracteres - Tipo char Ronaldo F. Hashimoto e Carlos H. Morimoto Até agora vimos como o computador pode ser utilizado para processar informação que pode ser quantificada de forma numérica. No entanto,

Leia mais

1/48. Curso GNU/Linux. Aula 3. Dino Raffael Cristofoleti Magri

1/48. Curso GNU/Linux. Aula 3. Dino Raffael Cristofoleti Magri 1/48 Curso GNU/Linux Aula 3 Dino Raffael Cristofoleti Magri Julho/2008 2/48 Veja uma cópia dessa licença em http://creativecommons.org/licenses/by nc sa/2.5/br/ 3/48 Sumário 1 CONFIGURAR TECLADO...6 1.1

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO

MANUAL DE UTILIZAÇÃO MANUAL DE UTILIZAÇÃO Módulo de operação Ativo Bem vindo à Vorage CRM! Nas próximas paginas apresentaremos o funcionamento da plataforma e ensinaremos como iniciar uma operação básica através do nosso sistema,

Leia mais

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas Microsoft Power Point 2003 No Microsoft PowerPoint 2003, você cria sua apresentação usando apenas um arquivo, ele contém tudo o que você precisa uma estrutura para sua apresentação, os slides, o material

Leia mais

Excel Planilhas Eletrônicas

Excel Planilhas Eletrônicas Excel Planilhas Eletrônicas Capitulo 1 O Excel é um programa de cálculos muito utilizado em empresas para controle administrativo, será utilizado também por pessoas que gostam de organizar suas contas

Leia mais

GUIA INTEGRA SERVICES E STATUS MONITOR

GUIA INTEGRA SERVICES E STATUS MONITOR GUIA INTEGRA SERVICES E STATUS MONITOR 1 - Integra Services Atenção: o Integra Services está disponível a partir da versão 2.0 do software Urano Integra. O Integra Services é um aplicativo que faz parte

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Compartilhamento de Arquivos no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução...

Leia mais

Tutorial Ouvidoria. Acesso, Utilização, Visualização das Manifestações e Resposta ao Manifestante

Tutorial Ouvidoria. Acesso, Utilização, Visualização das Manifestações e Resposta ao Manifestante Tutorial Ouvidoria Acesso, Utilização, Visualização das Manifestações e Resposta ao Manifestante Como acessar a Ouvidoria? 1. Primeiramente acesse o site de sua instituição, como exemplo vamos utilizar

Leia mais

José Romildo Malaquias 2011-1

José Romildo Malaquias 2011-1 Programação de Computadores I Aula 08 Programação: Estruturas de Repetição José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/58 Motivação Como imprimir os três

Leia mais

AUXÍLIO COMPUTACIONAL

AUXÍLIO COMPUTACIONAL AUXÍLIO COMPUTACIONAL Sumário 1 Introdução...1 2 Sistema Operacional...1 2.1 Usando o Linux - no seu PenDrive...2 2.2 Usando o Linux - instalado no seu HD...4 2.3 Instalando Softwares Diretamente...4 2.3.1

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

Manual Captura S_Line

Manual Captura S_Line Sumário 1. Introdução... 2 2. Configuração Inicial... 2 2.1. Requisitos... 2 2.2. Downloads... 2 2.3. Instalação/Abrir... 3 3. Sistema... 4 3.1. Abrir Usuário... 4 3.2. Nova Senha... 4 3.3. Propriedades

Leia mais

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 2 Pedreiros da Informação Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL

Leia mais

2 Orientação a objetos na prática

2 Orientação a objetos na prática 2 Orientação a objetos na prática Aula 04 Sumário Capítulo 1 Introdução e conceitos básicos 1.4 Orientação a Objetos 1.4.1 Classe 1.4.2 Objetos 1.4.3 Métodos e atributos 1.4.4 Encapsulamento 1.4.5 Métodos

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 APROG Algoritmia e Programação Linguagem JAVA Básico Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 Linguagem Java Estrutura de um Programa Geral Básica Estruturas de Dados Variáveis Constantes Tipos de Dados

Leia mais

atube Catcher versão 3.8 Manual de instalação do software atube Catcher

atube Catcher versão 3.8 Manual de instalação do software atube Catcher atube Catcher versão 3.8 Manual de instalação do software atube Catcher Desenvolvido por: Clarice Mello, Denis Marques Campos Dezembro de 2014 Sumario 1. Objetivo deste manual...3 2. Requisitos para instalação...3

Leia mais

CERTIFICADO DIGITAL CONECTIVIDADE DIGITAL ICP GUIA PLANCON DE INSTRUÇÕES PARA INSTALAR SEU TOKEN, PENDRIVE OU LEITOR DE CARTÕES

CERTIFICADO DIGITAL CONECTIVIDADE DIGITAL ICP GUIA PLANCON DE INSTRUÇÕES PARA INSTALAR SEU TOKEN, PENDRIVE OU LEITOR DE CARTÕES CERTIFICADO DIGITAL CONECTIVIDADE DIGITAL ICP GUIA PLANCON DE INSTRUÇÕES PARA INSTALAR SEU TOKEN, PENDRIVE OU LEITOR DE CARTÕES Se você já adquiriu seu Certificado Digital e ainda não o instalou, este

Leia mais

Lazarus pelo SVN Linux/Windows

Lazarus pelo SVN Linux/Windows Lazarus pelo SVN Linux/Windows Sei que não faltam artigos sobre como obter e compilar o Lazarus e o FPC pelo SVN, mas sei também que nunca é de mais divulgar um pouco mais e talvez escrever algo diferente.

Leia mais

Programação de Computadores I. Conhecendo a IDE Code::Blocks

Programação de Computadores I. Conhecendo a IDE Code::Blocks Code::Blocks Conhecendo a IDE Programação de Computadores I Professor: Edwar Saliba Júnior Conhecendo a IDE Code::Blocks Apresentação: 1) Abra a IDE (Integrated Development Environment), ou seja, o Ambiente

Leia mais

Follow-Up Acompanhamento Eletrônico de Processos (versão 3.0) Manual do Sistema. 1. Como acessar o sistema Requisitos mínimos e compatibilidade

Follow-Up Acompanhamento Eletrônico de Processos (versão 3.0) Manual do Sistema. 1. Como acessar o sistema Requisitos mínimos e compatibilidade do Sistema Índice Página 1. Como acessar o sistema 1.1 Requisitos mínimos e compatibilidade 03 2. Como configurar o Sistema 2.1 Painel de Controle 2.2 Informando o nome da Comissária 2.3 Escolhendo a Cor

Leia mais

ROTEIRO DE INSTALAÇÃO

ROTEIRO DE INSTALAÇÃO ROTEIRO DE INSTALAÇÃO O objetivo deste roteiro é descrever os passos para a instalação do sistema UNICO, afim, de auxiliar os técnicos e evitar possíveis dúvidas e erros de instalação. Instalador O instalador

Leia mais

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - SLIM

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - SLIM GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - SLIM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Requisitos... 3 3. Diretório do Slim... 3 4. Procedimento para Transferência de Servidor... 3 4.1 Compartilhamento da

Leia mais

LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA. Prof. André R. Backes

LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA. Prof. André R. Backes LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA Prof. André R. Backes 1 COMANDOS DE CONTROLE CONDICIONAL Os programas escritos até o momento são programas sequeciais: um comando é executado após o outro, do começo ao fim do

Leia mais

&XUVRGH,QWURGXomRDR (GLWRUGH3ODQLOKDV([FHO

&XUVRGH,QWURGXomRDR (GLWRUGH3ODQLOKDV([FHO Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática &XUVRGH,QWURGXomRDR (GLWRUGH3ODQLOKDV([FHO Flaviano Aguiar Liziane Santos Soares Jugurta Lisboa Filho (Orientador) PROJETO UNESC@LA Setembro de

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DO BACKUP

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DO BACKUP SISTEMA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DO BACKUP Apresentação Após o término da instalação você deverá configurar o Backup para que você tenha sempre uma cópia de segurança dos seus dados

Leia mais

Manual do Sistema "Vida Controle de Contatos" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Vida Controle de Contatos Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Vida Controle de Contatos" Editorial Brazil Informatica I Vida Controle de Contatos Conteúdo Part I Introdução 2 1 Vida Controle... de Contatos Pessoais 2 Part II Configuração 2 1 Configuração...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA RESUMO DE AULA CRIAÇÃO E MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS

Leia mais

AULA 2: INTRODUÇÃO A LINGUAGEM DE C. Curso: Ciência da Computação Profª.: Luciana Balieiro Cosme

AULA 2: INTRODUÇÃO A LINGUAGEM DE C. Curso: Ciência da Computação Profª.: Luciana Balieiro Cosme AULA 2: INTRODUÇÃO A LINGUAGEM DE C Curso: Ciência da Computação Profª.: Luciana Balieiro Cosme Agenda Introdução a linguagem C Compiladores Variáveis IDEs Exemplos Exercícios Introdução A Linguagem C

Leia mais

Configurando um Grupo Doméstico e Compartilhando arquivos no Windows 7

Configurando um Grupo Doméstico e Compartilhando arquivos no Windows 7 Configurando um Grupo Doméstico e Compartilhando arquivos no Windows 7 Para criar um grupo doméstico e compartilhar arquivos é necessário que tenhamos pelo menos dois computadores ligados entre si (em

Leia mais

Iniciação à Informática

Iniciação à Informática Meu computador e Windows Explorer Justificativa Toda informação ou dado trabalhado no computador, quando armazenado em uma unidade de disco, transforma-se em um arquivo. Saber manipular os arquivos através

Leia mais

Planilha Eletrônica Excel

Planilha Eletrônica Excel COLÉGIO LA SALLE CANOAS Técnico em Informática Planilha Eletrônica Excel Excel Prof. Valter N. Silva Colégio La Salle Canoas Página 2 1. NOÇÕES BÁSICAS O Microsoft Excel 7.0 é um programa de planilha eletrônica,

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES (Teoria)

PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES (Teoria) PC PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES (Teoria) Aula 01 Prof. Ricardo Veras (prof.rveras@gmail.com) ALGORITMOS "Seqüência ordenada de passos, que deve ser seguida para a realização de um tarefa" "Algoritmo é um

Leia mais

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 4 O Componente Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Ano: 03/2011

Leia mais

O Excel é um programa de computador desenvolvido para gerenciar dados na forma de planilhas.

O Excel é um programa de computador desenvolvido para gerenciar dados na forma de planilhas. O que é o Excel? O Excel é um programa de computador desenvolvido para gerenciar dados na forma de planilhas. Ele possibilita ao usuário desenvolver planilhas que efetuem cálculos, dos mais simples aos

Leia mais

Manual de Instalação. SafeSign Standard 3.0.77. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeSign Standard 3.0.77. (Para MAC OS 10.7) SafeSign Standard 3.0.77 (Para MAC OS 10.7) 2/23 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Hardware Homologado... 4 5 Instruções de Instalação... 5

Leia mais

Passo-a-Passo para Criação de Conta no site Griaule e Download do Programa SDK e da Licença Fingerprint SDK 2009

Passo-a-Passo para Criação de Conta no site Griaule e Download do Programa SDK e da Licença Fingerprint SDK 2009 1 Importante: Passo-a-Passo para Criação de Conta no site Griaule e Download do Programa SDK e da Licença Fingerprint SDK 2009 É importante salientar que a Licença SDK não trabalha sozinha. Para que que

Leia mais

Manual do Sistema "Fala Comigo - Sistema de Atendimento On-Line" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Fala Comigo - Sistema de Atendimento On-Line Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Fala Comigo - Sistema de Atendimento On-Line" Editorial Brazil Informatica I Fala Comigo - Sistema de Atendimento On-Line Conteúdo Part I Introdução 2 1 Fala Comigo -... Sistema de Atendimento

Leia mais

Sistemas Operacionais. Curso Técnico Integrado Profa: Michelle Nery

Sistemas Operacionais. Curso Técnico Integrado Profa: Michelle Nery Sistemas Operacionais Curso Técnico Integrado Profa: Michelle Nery Conteúdo Programático Virtual Box Instalação do Virtual Box Instalação do Extension Pack Criando uma Máquina Virtual Instalando o Windows

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais

Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL.

Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL. Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2012 Edição 7 Listando e Gravando Listando itens em ComboBox e gravando os dados no

Leia mais

13 Números Reais - Tipo float

13 Números Reais - Tipo float 13 Números Reais - Tipo float Ronaldo F. Hashimoto e Carlos H. Morimoto Até omomentonoslimitamosaouso do tipo inteiro para variáveis e expressões aritméticas. Vamos introduzir agora o tipo real. Ao final

Leia mais

CAPÍTULO 3 - TIPOS DE DADOS E IDENTIFICADORES

CAPÍTULO 3 - TIPOS DE DADOS E IDENTIFICADORES CAPÍTULO 3 - TIPOS DE DADOS E IDENTIFICADORES 3.1 - IDENTIFICADORES Os objetos que usamos no nosso algoritmo são uma representação simbólica de um valor de dado. Assim, quando executamos a seguinte instrução:

Leia mais

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Requisitos... 3 3. Diretório do Millennium... 3 4. Procedimento para Transferência de Servidor... 3 4.1 Compartilhamento

Leia mais

Cartilha da Nota Fiscal Eletrônica do Hábil Empresarial Profissional 7.0. Obrigado por usar nosso software! Koinonia Software Ltda.

Cartilha da Nota Fiscal Eletrônica do Hábil Empresarial Profissional 7.0. Obrigado por usar nosso software! Koinonia Software Ltda. Cartilha da Nota Fiscal Eletrônica do Hábil Empresarial Profissional 7.0 Obrigado por usar nosso software! Koinonia Software Ltda. (0**46) 3225-6234 I Cartilha_NFe_Habil_7 Índice Cap. I Bem Vindo 1 Cap.

Leia mais

MANUAL DO INSTAR-MAIL 1.0. Pagina de login e senha do Instar-Mail

MANUAL DO INSTAR-MAIL 1.0. Pagina de login e senha do Instar-Mail 1º Passo: Acesse o seguinte endereço http://www.smtp.com.br/sg/cliente/logar.php MANUAL DO INSTAR-MAIL 1.0 2º Passo: Será apresentada uma tela solicitando o seu login e senha: Sendo assim: Digite o seu

Leia mais