Introdução à Linguagem C

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução à Linguagem C"

Transcrição

1 Prof. Yandre Maldonado - 1 Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa

2 Prof. Yandre Maldonado - 2 Linguagem C: Desenvolvida por Dennis Ritchie nos laboratórios da AT&T Bell (EUA) no início dos anos 70; Algol Algol (1960 (1960 Europa) Europa) BCPL BCPL (Inglaterra) (Inglaterra) C é uma das linguagens de maior aceitação: Portabilidade (Compiladores disponíveis para PC s, Mainframes, etc.) Muitos compiladores C produzem código bastante otimizado; Reúne tanto características de alto nível quanto de baixo nível (muitas vezes chamada de nível médio); Em 1983 foi criado o comitê ANSI-C; B (1970 (1970 EUA) EUA) C (1972 (1972 EUA) EUA)

3 Prof. Yandre Maldonado - 3 C vs. C++ C C++ Linguagem C: linguagem de programação imperativa estruturada; Linguagem C++: Linguagem Orientada a Objetos; Formadas pela linguagem C adicionada de um conjunto de instruções voltados à OO; Quem sabe programar em C conhece a maior parte de C++;

4 Prof. Yandre Maldonado - 4 Turbo C vs. Turbo Pascal Termos básicos similares; Algumas funções semelhantes; C tem maior controle direto sobre o computador; O C possui fraca verificação de erros; A linguagem C é case sensitive ; C é a linguagem de um programador Herbert Schildt

5 Prof. Yandre Maldonado - 5 A linguagem C é utilizada na criação de diversos tipos de aplicação, tais como: Sistemas Operacionais; Processadores de Texto; Planilhas Eletrônicas; Sistemas Gerenciadores de BD; Processadores Gráficos; Problemas de Engenharia; Compiladores; C é uma linguagem versátil

6 Prof. Yandre Maldonado - 6 C: linguagem de nível médio; C Alto nível: --Estruturada; --Modular; --Portátil; Baixo nível: --Linguagem de de máquina; --Bits e bytes; --Endereços de de memória;

7 Prof. Yandre Maldonado - 7 Primeiros passos na Linguagem C: C é case sensitive: Pode-se declarar quatro variáveis diferentes com os nomes Soma, soma, SOMA e SoMa, embora não seja recomendável na maioria das vezes; Todas as palavras reservadas da linguagem C devem ser descritas em letra minúscula, assim temos: for : palavra reservada que rotula a estrutura de repetição para ; if : palavra reservada que rotula a estrutura de seleção se ; For : poderia ser um nome de variável; If : poderia ser um nome de variável;

8 Prof. Yandre Maldonado - 8 Estrutura básica de um programa em C: Todo programa em C possui no mínimo uma função; A função main() é obrigatória e é a primeira a ser executada. É a função principal, o ponto de partida do programa que será criado; Por isso, a noção de função e de programa freqüentemente se confundem quando se programa em linguagem C;

9 Prof. Yandre Maldonado - 9 Forma geral de um programa em C: inclusão de arquivos de cabeçalho declaração de variáveis globais main () declaração da função principal (obrigatória). Os parênteses indicam que trata-se de uma função toda função começa com o símbolo, equivale ao início (begin) de um bloco de instruções declaração de variáveis locais... comandos;... toda função termina com o símbolo, equivale ao fim (end) de um bloco de instruções As instruções descritas no programa terminam sempre com ;, como na linguagem Pascal.

10 Prof. Yandre Maldonado - 10 O menor programa possível em C seria: main () É um programa vazio, que não contém instruções para executar; Formatação dos programas: é livre, mas convém manter a legibilidade; main main () () main main () () Bons exemplos main main (( )) main main () () Maus exemplos

11 Prof. Yandre Maldonado - 11 auto do goto short union Comentários: podem ser incluídos em qualquer parte do programa. Se ocupar apenas uma linha, basta que a mesma seja iniciada com // ; Se ocupar mais de uma linha, o comentário deve iniciar com o símbolo /* e terminar com o símbolo */ ; Palavras reservadas da Linguagem C: break double if signed unsigned case else int sizeof void char enum long static volatile const extern main struct while continue float register switch default for return typedef

12 Prof. Yandre Maldonado - 12 Exercícios: Por que pode-se dizer que C é uma linguagem de nível médio? Fale sobre características positivas e negativas da linguagem C. Descreva a relação existente entre a linguagem C e C++.

13 Prof. Yandre Maldonado - 13 Instruções de programa: printf() Função de E/S; Para utilizá-la deve-se incluir no cabeçalho o arquivo stdio.h (standard i/o); Forma geral: printf(string_de_controle, lista_de_argumentos); Primeiro programa em C: #include #include <stdio.h> <stdio.h> #include #include <conio.h> <conio.h> void void main main () () printf printf ( Oi ( Oi mundo. ); mundo. ); getch getch (); (); #include #include <stdio.h> <stdio.h> #include #include <conio.h> <conio.h> void void main() main() clrscr(); clrscr(); printf("oi printf("oi mundo"); mundo"); getch getch (); ();

14 Prof. Yandre Maldonado - 14 scanf() Função de E/S; Para utilizá-la deve-se incluir no cabeçalho o arquivo stdio.h (standard i/o); Forma geral: scanf(string_de_controle, lista_de_argumentos); Expressão de controle \n : pode ser Código %c utilizada dentro da string de controle %d para iniciar uma nova linha; %ld Long %e Códigos de Formatação %f %o %s %u %x Significado Caractere simples Decimal Notação científica Ponto flutuante Octal Cadeia de caracteres Decimal sem sinal Hexadecimal

15 Prof. Yandre Maldonado - 15 Tipos de variáveis: Tipo Bits Escala void 0 Sem valor char a 127 int a float E+38 a 3.4E+38 double E+308 a 1.7E+308 long int E+38 a 3.4E+38 unsigned char 8 0 a 255 unsigned int 16 0 a 65535

16 Prof. Yandre Maldonado - 16 Declaração de variáveis: tipo nome; Regras gerais: Declarar antes do uso; Incluir na declaração o nome e tipo da variável; Na ocorrência de mais de uma variável de mesmo tipo, podemos declará-las separando seus nomes por vírgulas em uma mesma linha; Em C, não existe tipo booleano (lógico) e nem string (cadeia); O valor zero (0) é considerado falso e qualquer outro valor é considerado verdadeiro; Exemplos: int K; double valores; float quadro; char caracter;

17 Prof. Yandre Maldonado - 17 Introdução à Linguagem C Outras funções de E/S: putchar() A função putchar() imprime uma variável do tipo caracter na tela; Arquivo de inclusão: <stdio.h> Exemplo: #include #include <stdio.h> <stdio.h> #include <conio.h> #include <conio.h> main() main() char char letra; letra; clrscr(); clrscr(); letra='a'; letra='a'; putchar(letra); putchar(letra); getch(); getch();

18 Prof. Yandre Maldonado - 18 Introdução à Linguagem C Outras funções de E/S: getch() A função getch() lê um caractere do teclado sem ecoá-lo na tela (no turbo C); Arquivo de inclusão: <conio.h> Exemplo: #include #include <stdio.h> <stdio.h> #include <conio.h> #include <conio.h> main() main() char char letra; letra; clrscr(); clrscr(); printf printf ("Digite ("Digite um um caracter: caracter: "); "); letra=getch(); letra=getch(); printf ("\ncaractere digitado: %c\n", letra); printf ("\ncaractere digitado: %c\n", letra); getch (); getch ();

19 Prof. Yandre Maldonado - 19 Introdução à Linguagem C Outras funções de E/S: getche() A função getche() lê um caractere do teclado e imprime o mesmo na tela; Arquivo de inclusão: <conio.h> Exemplo: #include #include <stdio.h> <stdio.h> #include <conio.h> #include <conio.h> main() main() char char letra; letra; clrscr(); clrscr(); printf printf ("Digite ("Digite um um caracter: caracter: "); "); letra=getche(); letra=getche(); printf ("\ncaractere digitado: %c", letra); printf ("\ncaractere digitado: %c", letra); getch (); getch ();

20 Prof. Yandre Maldonado - 20 Programa para calcular a área de um círculo: #include <stdio.h> #include <conio.h> main () () float R, R, Area; clrscr(); printf ("Digite o raio da da circunferencia: "); "); scanf ("%f",&r); Area = 3.14*R*R; printf ("A ("A area do do circulo e igual a: a: %f\n\n",area); getch (); ();

21 Prof. Yandre Maldonado - 21 Exercícios: Faça um programa em C para calcular o volume de um cilindro a partir dos valores da altura e do raio do mesmo. Dica: V=h*π*R 2 ; Faça um programa em C para calcular as raízes reais de uma equação do segundo grau do tipo ax 2 +bx+c=0. Dica: =b 2-4*a*c; x 1 =(-b+delta 1/2 )/(2*a); x 2 =(-b-delta 1/2 )/(2*a);

22 Prof. Yandre Maldonado - 22 #include <stdio.h> #include <conio.h> #include <math.h> Volume do Cilindro void void main main () () float float R, R, H, H, V; V; printf ("Calculo do do Volume de de um um Cilindro\n\n"); printf ("Digite o valor valor do do raio raio da da base base do do cilindro: "); "); scanf scanf ("%f", &R); &R); printf ("Digite o valor valor da da altura do do cilindro: "); "); scanf scanf ("%f", &H); &H); V=3.14*pow(R,2)*H; printf ("\n\no Volume do do Cilindro igual igual a: a: %.2f", V); V); printf ("\n\n\nfim da da execução!\n"); getch();

23 Prof. Yandre Maldonado - 23 #include #include <stdio.h> <stdio.h> #include #include <conio.h> <conio.h> #include #include <math.h> <math.h> void void main main () () float float a, a, b, b, c, c, delta, delta, x1, x1, x2; x2; printf printf ("Calculo ("Calculo das das ra zes ra zes reais reais da da equacao equacao do do tipo tipo ax2+bx+c=0\n\n"); printf printf ("Digite ("Digite o valor valor do do coeficiente coeficiente a: a: "); "); scanf scanf ("%f", ("%f", &a); &a); printf printf ("Digite ("Digite o valor valor do do coeficiente coeficiente b: b: "); "); scanf scanf ("%f", ("%f", &b); &b); printf printf ("Digite ("Digite o valor valor do do coeficiente coeficiente c: c: "); "); scanf scanf ("%f", ("%f", &c); &c); delta=b*b-4*a*c; delta=b*b-4*a*c; x1=(-b+sqrt(delta))/(2*a); x2=(-b-sqrt(delta))/(2*a); printf printf ("\n\no ("\n\no valor valor de de x1 x1 : : %f", %f", x1); x1); printf printf ("\ne ("\ne o valor valor de de x2 x2 : : %f", %f", x2); x2); printf printf ("\n\n\nfim ("\n\n\nfim da da execução!\n\n"); execução!\n\n"); getch getch (); (); Raízes da Equação do 2º grau

24 Operadores: Introdução à Linguagem C Prof. Yandre Maldonado - 24 Op. = *= /= %= += -= + Significado Atribuição Aritmético de atribuição (multiplicação) Aritmético de atribuição (divisão) Aritmético de atribuição (módulo) Aritmético de atribuição (adição) Aritmético de atribuição (subtração) Soma Exemplo A=5; caracter= B ; N*=2; equivale a N=N*2; N/=4; equivale a N=N/4; N%=5; equivale a p igual ao resto da divisão de p por 5; N+=3; equivale a N=N+3; N-=2; equivale a N=N-2; A=A+1; - Subtração Total=subtotal-desconto; * Multiplicação nota=nota*2; / Divisão Comissão=lucro/4; % Módulo (retorna o resto da divisão) Resto=8%3; ++ Incrementa de um o operando i++; -- Decrementade um o operando j--;

25 Prof. Yandre Maldonado - 25 Alguns cuidados devem ser tomados quando se utiliza os operadores de incremento: k=3*n++; é equivalente a k=(3*n); n=n+1; k=3*++n é equivalente a n=n+1; k=3*(n);

26 Prof. Yandre Maldonado - 26 Outros operadores: Relacionais: Op. > >= < <= == Significado Maior Maior igual Menor Menor igual Igual!= Diferente Lógicos: Op. Significado && Lógico E Lógico OU! Lógico de negação

27 Prof. Yandre Maldonado - 27 Tabela de precedência de operadores: Op. Tipo ++ Incremento -- Decremento! Lógico Não * Multiplicação / Divisão % Resto + - < <= > >= Adição Subtração Menor Menor igual Maior Maior igual

28 Prof. Yandre Maldonado - 28 Op. < <= > >= ==!= && = *= /= %= += -= Tipo Menor Menor igual Maior Maior igual Igual Diferente E (lógico) OU (lógico) Atribuição Atribuição (mult.) Atribuição (div.) Atribuição (resto) Atribuição (adição) Atribuição (subt.)

29 Prof. Yandre Maldonado - 29 Comandos de Decisão (Estruturas de Seleção) if-else; if if (expressão (expressão de de teste) teste) switch; instrução instrução 1; 1; instrução instrução 2; Comando if-else Bloco 1 2; instrução Estrutura geral instrução n; n; else Esta estrutura de seleção é else instrução capaz de tomar uma decisão instrução 1; 1; instrução instrução 2; 2; simples, se a expressão de Bloco instrução instrução n; n; teste for verdadeira, o bloco de instruções 1 será executado e o 2 ignorado. Se a expressão de teste for falsa acontecerá o contrário; A palavra else pode ser omitida juntamente com o seu bloco de instruções (bloco 2). Neste caso, caso a expressão de teste seja falsa, a execução salta para a próxima instrução seguinte ao bloco 1;

30 Prof. Yandre Maldonado - 30 Exemplo de programa com if-else: dados dois valores inteiros X e Y descubra qual é o maior; #include #include <stdio.h> <stdio.h> #include #include <conio.h> <conio.h> void void main() main() int int X, X, Y; Y; printf printf ("Digite ("Digite um um valor valor inteiro inteiro para para X: X: "); "); scanf scanf ("%d", ("%d", &X); &X); printf printf ("Digite ("Digite um um valor valor inteiro inteiro para para Y: Y: "); "); scanf scanf ("%d", ("%d", &Y); &Y); if if (X>Y) (X>Y) printf printf ("O ("O valor valor de de X X é é maior maior que que o o de de Y.\n"); Y.\n"); else else printf printf ("O ("O valor valor de de Y Y é é maior maior que que o o de de X.\n"); X.\n"); getch getch (); ();

31 Prof. Yandre Maldonado - 31 O comando switch: Instrução de seleção múltipla; Equivalente ao case do Pascal; Permite a seleção exclusiva de um entre vários blocos de instruções; Forma geral switch switch (expressão) (expressão) case case constante1: constante1: instrução instrução 1; 1; instrução instrução n; n; break; break; case case constante2: constante2: instrução instrução 1; 1; instrução instrução n; n; break; break; case case constante constante n: n: instrução instrução 1; 1; instrução instrução n; n; break; break; default: default: instrução instrução 1; 1; instrução instrução n; n;

32 Prof. Yandre Maldonado - 32 Observações referentes à sintaxe: O corpo do switch deve estar entre chaves; O corpo de cada case pode conter um número qualquer de instruções, sendo que a última deve ser um break. Caso este break não apareça, todas as instruções que estiverem dentro do switch (inclusive dos demais case s) que aparecerem na seqüência serão executadas; A instrução break causa a saída imediata do corpo do switch; Quando a instrução switch é executada, a expressão é avaliada e o controle é transferido diretamente para o grupo de instruções correspondentes ao valor de expressão;

33 Prof. Yandre Maldonado - 33 Se nenhum case corresponder ao valor da expressão, o grupo de instruções declaradas em default serão executadas. Isto quando o default existir, pois ele é opcional; O padrão ANSI C determina que um switch possa ter pelo menos 257 comandos case; O comando switch só pode testar igualdade, enquanto que o if pode avaliar expressões lógicas e relacionais; Duas constantes case no mesmo switch não podem ter o mesmo valor;

34 Prof. Yandre Maldonado - 34 Introdução à Linguagem C Exemplo de programa com o comando switch: #include <stdio.h> #include #include <stdio.h> #include <conio.h> <conio.h> void main () void main () char char op; op; printf ("Escolha uma opcao: \n\n"); printf printf ("Escolha uma opcao: \n\n"); printf (" (" Primeira Primeira opcao;\n\n"); printf opcao;\n\n"); printf (" (" Segunda Segunda opcao;\n\n"); printf (" 3 - Terceira opcao;\n\n"); opcao;\n\n"); printf printf (" (" Quarta Terceira opcao;\n\n"); opcao;\n\n"); op=getch(); printf (" 4 - Quarta opcao;\n\n"); op=getch(); switch (op) switch (op) case case '1': printf '1': ("Voce escolheu a primeira opcao!\n\n"); break; printf ("Voce escolheu a primeira opcao!\n\n"); case break; case '2': printf '2': ("Voce escolheu a segunda opcao!\n\n"); break; printf ("Voce escolheu a segunda opcao!\n\n"); case break; case '3': printf '3': printf ("Voce ("Voce escolheu escolheu a a terceira terceira opcao!\n\n"); break; opcao!\n\n"); case break; '4': case printf '4': printf ("Voce ("Voce escolheu escolheu a a quarta quarta opcao!\n\n"); break; opcao!\n\n"); default: break; default: printf ("Voce nao escolheu nenhuma das opcoes oferecidas!\n\n"); printf ("Voce nao escolheu nenhuma das opcoes oferecidas!\n\n"); getch getch (); ();

35 Prof. Yandre Maldonado - 35 Exercício: Faça um algoritmo para calcular o valor total a pagar por um consumidor que abasteceu seu carro, sabendo que serão informados o tipo de combustível escolhido (G/A/D) e o número de litros consumido. Considere os seguintes preços por litro de combustível: Gasolina R$ 1,50; Álcool R$ 0,90; Diesel R$ 0,80.

36 Prof. Yandre Maldonado - 36 Comandos de Iteração (Estruturas de Controle de Repetições) Controle de Repetição por Contador: Comando for; Controle de Repetição Lógico: Iteração Pré-teste (equivalente ao while do Pascal): Comando while; Iteração Pós-teste (equivalente ao repeat do Pascal): Comando do-while;

37 Prof. Yandre Maldonado - 37 Comando for: Permite a repetição da execução de um bloco de instruções controlada por um contador; Forma geral: for (inicialização; condição; incremento) bloco de instruções; Onde: inicialização: é a atribuição do valor inicial ao contador; condição: estabelece a condição limite de parada para a repetição do laço; incremento: estabelece o valor segundo o qual o contador deve variar;

38 Prof. Yandre Maldonado - 38 Exemplo de uso do comando for: um programa que imprime os números de 1 a 20 na tela; #include <stdio.h> #include <conio.h> void main () () int int i; i; for for (i=1;i<=20;i++) printf ("Numero: %d\n",i); getch (); ();

39 Prof. Yandre Maldonado - 39 Exercícios: 1. Durante trinta dias de um determinado mês, foram colhidas as temperaturas médias diárias de uma determinada região em graus celsius. Faça um algoritmo que calcule e informe a temperatura média do mês, e a temperatura mais alta do mês. 2. Faça um algoritmo que calcule o fatorial de um número inteiro fornecido pelo usuário.

40 Prof. Yandre Maldonado - 40 Comando while: Permite a repetição da execução de um bloco de instruções controlada por uma condição lógica; Forma geral: while (condição) bloco de instruções; Onde: condição: pode ser qualquer expressão (aritmática, lógica ou relacional), e é verdadeira quando diferente de 0 (zero); bloco de instruções: comando ou bloco de comandos que devem ter a execução realizada enquanto a condição for verdadeira; A execução do laço while se encerra quando a condição for falsa, neste caso o controle de execução passa para a primeira linha que aparecer após o bloco de instruções;

41 Prof. Yandre Maldonado - 41 Exemplo de uso do comando while: um programa que imprime na tela os números inteiros digitados pelo usuário, até que este digite um valor negativo; #include <stdio.h> #include <conio.h> void main () () int int n=0; while (n>=0) printf ("Digite um um numero: "); "); scanf ("%d",&n);

42 Prof. Yandre Maldonado - 42 Introdução à Linguagem C Comando do-while: Permite a repetição da execução de um bloco de instruções controlada por uma condição lógica. Esta condição é testada após a execução do bloco, isso significa que um laço do-while será executado pelo menos uma vez; Forma geral: do bloco de instruções; while (condição); Onde: condição: pode ser qualquer expressão (aritmática, lógica ou relacional), e é verdadeira quando diferente de 0 (zero); bloco de instruções: comando ou bloco de comandos que devem ter a execução realizada enquanto a condição for verdadeira; A execução do laço do-while se encerra quando a condição for falsa, neste caso o controle de execução passa para a primeira linha que aparecer após o comando do-while;

43 Prof. Yandre Maldonado - 43 Exemplo de uso do comando do-while: um programa que imprime na tela os números inteiros digitados pelo usuário, até que este digite um valor negativo; #include <stdio.h> #include <conio.h> void main () () int int n; n; do do printf ("Digite um um numero: "); "); scanf ("%d",&n); while (n>=0);

44 Prof. Yandre Maldonado - 44 Exercícios: 1. Faça um algoritmo para calcular a soma entre os números de um conjunto de números inteiros e positivos a ser fornecido pelo usuário utilizando os comandos while e do-while; 2. Faça um algoritmo que permita ao usuário inserir dados para as seguintes perguntas: Idade (inteiro); Altura (real); Sexo (caracter, m ou f); Sabe-se que o número de entrevistados é indefinido, e depois de inseridos os dados o algoritmo deverá informar: O número de mulheres cuja idade está entre 20 e 35 anos; O número de homens que tem mais de 1.80m de altura;

45 Prof. Yandre Maldonado - 45 Agregados de Dados Homogêneos: conjuntos (ou matrizes) Coleção de variáveis de mesmo tipo referenciadas por um nome comum; Cada elemento específico é acessado através de um índice; Os elementos ocupam posições contíguas de memória; Equivalente ao array (vetor) em Pascal; Heterogêneos: estruturas Reúnem uma coleção de variáveis que podem ser referenciadas por um nome; Maneira conveniente de se ter informações relacionadas agrupadas; Equivalente ao record (registro) em Pascal;

46 Prof. Yandre Maldonado - 46 Vetores e Matrizes (Agregados Homogêneos) Forma geral: tipo nome_mat [tamanho]; Exemplo 1: uma vetor para armazenar até 10 valores inteiros: int vetor_inteiro [10]; Exemplo 2: uma vetor para armazenar 20 caracteres (equivalente a string do Pascal): char nome_pessoa [20]; Em C, toda vetor tem 0 como o índice do seu primeiro elemento. Portanto, quando você escreve char p[10]; você está declarando uma vetor de caracteres que tem dez elementos, p[0] até p[9].

47 Prof. Yandre Maldonado - 47 O seguinte programa carrega uma matriz de inteiros com os números de 0 a 99: #include <stdio.h> #include <conio.h> void main () () int int x[100]; int int i; i; for for (i=0;i<100;++i) x[i]=i; for for (i=0;i<100;++i) printf (" (" %d %d,",x[i]); printf ("\n\n"); getch();

48 Prof. Yandre Maldonado - 48 Para a leitura de vetores de caracteres, pode-se utilizar a função gets(), da biblioteca <stdio.h>; Forma geral: gets(matriz_a_ser_lida); Exemplo: ler uma cadeia de caracteres a ser digitada pelo usuário na matriz nome descrita a seguir: char nome[25];... gets(nome); Para escrever uma vetor de caracteres na tela, pode-se utilizar a função puts(), também presente na biblioteca <stdio.h>; Forma geral: puts(matriz_a_ser_escrita);

49 Prof. Yandre Maldonado - 49 O seguinte programa lê uma matriz de caracteres (string) digitada pelo usuário e posteriormente imprime na tela: #include <stdio.h> #include <conio.h> void void main main () () char char nome[25]; printf ("Digite um um nome: nome: "); "); gets(nome); printf ("O ("O nome nome que que voce voce digitou e: e: "); "); puts(nome); // // ou ou printf ("O ("O nome nome que que voce voce digitou e: e: %s\n\n", nome); getch getch (); ();

50 Prof. Yandre Maldonado - 50 Estruturas: A palavra chave struct informa ao compilador que um modelo de estrutura está sendo definido; Forma geral: struct identificador tipo nome_da_variável; tipo nome_da_variável; tipo nome_da_variável;... Exemplo: struct pessoa char nome[30]; char endereco[40]; char cidade[20]; int idade; ; A declaração mostrada ao ao lado apenas define a forma da da estrutura, neste caso ainda não foi foi criada nenhuma variável, portanto ainda não houve gasto de de memória.

51 Prof. Yandre Maldonado - 51 Declaração de Matrizes Bidimensionais Para declarar uma matriz bidimensional de inteiros de tamanho 10x10, pode-se fazer: int matriz [10] [10]; Para atribuir o valor 30 à célula de índices 5 (na primeira dimensão) e 4 (na segunda dimensão), pode-se fazer: matriz [5][4]=30;

52 Prof. Yandre Maldonado - 52 Para se criar uma variável do tipo da estrutura definida anteriormente, você deve declarar: struct pessoa cliente; assim, você estaria criando uma variável chamada cliente do tipo da estrutura pessoa; A quantidade de bytes consumidos por uma variável de um tipo de estrutura equivale a soma dos valores gastos por cada um de seus membros (ou campos); No caso anterior teríamos: =92 bytes; Os membros individuais de uma estrutura são referenciados através do operador ponto. Para atribuir o valor 45 a idade da variável cliente declarada anteriormente, poderíamos ter: cliente.idade=45;

53 Prof. Yandre Maldonado - 53 Matrizes de Estruturas: Pode-se criar matrizes de estruturas; Para criar uma matriz para armazenar informações referentes a 50 pessoas, de acordo com a estrutura pré-definida anteriormente, poderíamos fazer: struct pessoa clientes[50]; Neste caso, para atribuirmos o valor 30 ao campo idade do cliente de índice 17, poderíamos fazer: clientes[17].idade=30;

54 Prof. Yandre Maldonado - 54 Exercícios: 1. Faça um algoritmo que permita ao usuário digitar valores inteiros e positivos para uma matriz de tamanho físico 10X10, e que ao final informe qual é a média, e o valor do maior número digitado. 2. Faça um algoritmo que permita armazenar os nomes e as quatro notas bimestrais para um total de 20 alunos. Depois de armazenadas as informações, o algoritmo deverá fazer uma varredura sobre as mesma a fim de identificar qual dos alunos obteve a maior nota no 3º bimestre e informar o seu nome. 3. Faça um algoritmo que armazene as seguintes informações sobre um conjunto de no máximo 30 carros que estão a venda: modelo, ano, preço, e placa. Ao final, o algoritmo deve percorrer as informações a fim de descobrir qual dos carros é o mais barato, e deve informar seu modelo e ano.

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C Resumo da Introdução de Prática de Programação com C A Linguagem C O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional

Leia mais

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu. Programação Estruturada Linguagem C Fundamentos da Linguagem Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Sumário Estrutura Básica Bibliotecas Básicas Tipos de Dados Básicos Variáveis/Declaração

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Produção / Elétrica Algoritmos e Programação Parte 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis Variáveis Variáveis são locais onde armazenamos valores na memória. Toda variável é caracterizada por um nome, que a identifica em um programa,

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10 1. TIPOS DE DADOS... 3 1.1 DEFINIÇÃO DE DADOS... 3 1.2 - DEFINIÇÃO DE VARIÁVEIS... 3 1.3 - VARIÁVEIS EM C... 3 1.3.1. NOME DAS VARIÁVEIS... 3 1.3.2 - TIPOS BÁSICOS... 3 1.3.3 DECLARAÇÃO DE VARIÁVEIS...

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição de constantes:

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Construções Básicas Programa em C #include int main ( ) { Palavras Reservadas } float celsius ; float farenheit ; celsius = 30; farenheit = 9.0/5

Leia mais

Linguagem C. TGSI Lógica de Programação / Linguagem C Prof. Marcos Roberto

Linguagem C. TGSI Lógica de Programação / Linguagem C Prof. Marcos Roberto Linguagem C O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional UNIX. O C é derivado de uma outra linguagem: o B,

Leia mais

Introdução à Linguagem C. Introdução à Linguagem C. Introdução à Linguagem C C++ Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa

Introdução à Linguagem C. Introdução à Linguagem C. Introdução à Linguagem C C++ Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa Prof. Yandre Maldonado - 1 Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa Prof. Yandre Maldonado - 2 Linguagem C: Desenvolvida por Dennis Ritchie nos laboratórios da AT&T Bell (EUA) no início dos anos 70; Algol

Leia mais

Introdução a C Tipos de Dados Variáveis Operadores

Introdução a C Tipos de Dados Variáveis Operadores Introdução a C Tipos de Dados Variáveis Operadores INF1005 Programação I Prof. Hélio Lopes lopes@inf.puc-rio.br sala 408 RDC 1 introdução a C tópicos ciclo de desenvolvimento sistemas numéricos tipos de

Leia mais

Programação Básica em Arduino Aula 2

Programação Básica em Arduino Aula 2 Programação Básica em Arduino Aula 2 Execução: Laboratório de Automação e Robótica Móvel Variáveis são lugares (posições) na memória principal que servem para armazenar dados. As variáveis são acessadas

Leia mais

Curso de Linguagem C

Curso de Linguagem C Curso de Linguagem C 1 Aula 1 - INTRODUÇÃO...4 AULA 2 - Primeiros Passos...5 O C é "Case Sensitive"...5 Dois Primeiros Programas...6 Introdução às Funções...7 Introdução Básica às Entradas e Saídas...

Leia mais

Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída. Prof. Críston Algoritmos e Programação

Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída. Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C Linguagem de uso geral (qualquer tipo de aplicação) Uma das linguagens mais utilizadas Foi utilizada

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C INF1005 Programação 1 Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Programa Programa é um algoritmo escrito em uma linguagem de programação. No nosso

Leia mais

Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre

Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre Cap. 02 Fundamentos de Linguagens Sumário : Linguagem, alfabeto e gramática

Leia mais

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br LP II Estrutura de Dados Introdução e Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Considerações Gerais Introdução a Linguagem C Variáveis e C Tipos de

Leia mais

Programação Estruturada I

Programação Estruturada I Programação Estruturada I Introdução a Linguagem C Prof. Thiago Caproni Tavares 1 Prof. Mateus dos Santos 2 1 thiago.tavares@ifsuldeminas.edu.br 2 mateus.santos@ifsuldeminas.edu.br Última Atualização:

Leia mais

Algoritmo e Técnica de Programação - Linguagem C

Algoritmo e Técnica de Programação - Linguagem C Algoritmo e Técnica de Programação Linguagem C Gilbran Silva de Andrade 5 de junho de 2008 Introdução A liguagem C foi inventada e implementada por Dennis Ritchie em um DEC PDP-11 que utilizava o sistema

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. A Linguagem C

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. A Linguagem C Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação A Linguagem C Prof. Renato Pimentel 1 Programação Quando queremos criar ou desenvolver um software para realizar determinado tipo de processamento

Leia mais

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO Tópicos Estrutura Básica B de Programas C e C++ Tipos de Dados Variáveis Strings Entrada e Saída de Dados no C e C++ INTRODUÇÃO O C++ aceita

Leia mais

O COMPUTADOR. Introdução à Computação

O COMPUTADOR. Introdução à Computação O COMPUTADOR Introdução à Computação Sumário O Hardware O Software Linguagens de Programação Histórico da Linguagem C Componentes Básicos do Computador O HARDWARE: O equipamento propriamente dito. Inclui:

Leia mais

Componentes da linguagem C++

Componentes da linguagem C++ Componentes da linguagem C++ C++ é uma linguagem de programação orientada a objetos (OO) que oferece suporte às características OO, além de permitir você realizar outras tarefas, similarmente a outras

Leia mais

Conceitos Básicos de C

Conceitos Básicos de C Conceitos Básicos de C Bibliografia Problem Solving & Program design in C, Jeri R. Hanly e Elliot B. Kpffman, 3 a edição Data Structures and Algorithm Analysis in C, Mark Allen Weiss, 2 a edição, Addison-Wesley,

Leia mais

Tipos de Dados Simples

Tipos de Dados Simples Programação 11543: Engenharia Informática 6638: Tecnologias e Sistemas de Informação Cap. 3 Tipos de Dados Simples Tipos de Dados Simples Objectivos: Hierarquia de tipos de dados Tipos de dados simples

Leia mais

AULA 2: INTRODUÇÃO A LINGUAGEM DE C. Curso: Ciência da Computação Profª.: Luciana Balieiro Cosme

AULA 2: INTRODUÇÃO A LINGUAGEM DE C. Curso: Ciência da Computação Profª.: Luciana Balieiro Cosme AULA 2: INTRODUÇÃO A LINGUAGEM DE C Curso: Ciência da Computação Profª.: Luciana Balieiro Cosme Agenda Introdução a linguagem C Compiladores Variáveis IDEs Exemplos Exercícios Introdução A Linguagem C

Leia mais

MC102 Algoritmos e Programação de Computadores 2ª Aula Programa, entrada e saída de dados

MC102 Algoritmos e Programação de Computadores 2ª Aula Programa, entrada e saída de dados MC102 Algoritmos e Programação de Computadores 2ª Aula Programa, entrada e saída de dados 1. Objetivos Falar sobre programa de computador, diferenciando programa em linguagem de máquina, de programa em

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++ INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++ 1 - VARIÁVEIS Variáveis espaço de memória reservado para armazenar tipos de dados, com um nome para referenciar seu conteúdo. Observações importantes Todas as variáveis devem

Leia mais

ESTRUTURA DE UM PROGRAMA EM C++ Estrutura de um Programa em C++

ESTRUTURA DE UM PROGRAMA EM C++ Estrutura de um Programa em C++ ESTRUTURA DE UM PROGRAMA EM C++ Estrutura de um Programa em C++ #include { Este trecho é reservado para o corpo da função, com a declaração de suas variáveis locais, seus comandos e funções

Leia mais

Aula 1. // exemplo1.cpp /* Incluímos a biblioteca C++ padrão de entrada e saída */ #include

Aula 1. // exemplo1.cpp /* Incluímos a biblioteca C++ padrão de entrada e saída */ #include <iostream> Aula 1 C é uma linguagem de programação estruturada desenvolvida por Dennis Ritchie nos laboratórios Bell entre 1969 e 1972; Algumas características: É case-sensitive, ou seja, o compilador difere letras

Leia mais

Linguagem e Técnicas de Programação I Operadores, expressões e funções. Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa.

Linguagem e Técnicas de Programação I Operadores, expressões e funções. Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa. Linguagem e Técnicas de Programação I Operadores, expressões e funções Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa. Ameliara Freire Operadores básicos Toda linguagem de programação, existem

Leia mais

Programação: Tipos, Variáveis e Expressões

Programação: Tipos, Variáveis e Expressões Programação de Computadores I Aula 05 Programação: Tipos, Variáveis e Expressões José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/56 Valores Valor é uma entidade

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

Linguagem de Programação em C

Linguagem de Programação em C Linguagem de Programação em C Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@recife.ifpe.edu.br http://alsm.cc O que fazer com essa apresentação 2 Introdução Por que programar? Quando o homem necessita do auxilio

Leia mais

Programação em C++: Introdução

Programação em C++: Introdução Programação em C++: Introdução J. Barbosa J. Tavares Visualização Científica Conceitos básicos de programação Algoritmo Conjunto finito de regras sobre as quais se pode dar execução a um dado processo

Leia mais

José Romildo Malaquias 2011-1

José Romildo Malaquias 2011-1 Programação de Computadores I Aula 08 Programação: Estruturas de Repetição José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/58 Motivação Como imprimir os três

Leia mais

Linguagem C: Estruturas de Controle. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Linguagem C: Estruturas de Controle. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Linguagem C: Estruturas de Controle Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Estrutura de Controle e de Fluxo Comandos de Seleção: O comando if; Ifs Aninhados; A escada if-else-if; A expressão condicional;

Leia mais

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento Hello World Linguagem C printf("hello world!\n"); main é a função principal, a execução do programa começa por ela printf é uma função usada para enviar dados para o vídeo Palavras Reservadas auto double

Leia mais

Italo Valcy

Italo Valcy <italo@dcc.ufba.br> Programação C Módulo 01 Introdução à linguagem C Italo Valcy www.ieee.org/ufba Italo Valcy Programação em C Licença de uso e distribuição Todo o material aqui disponível pode, posteriormente,

Leia mais

ITENS FUNDAMENTAIS. Profª Angélica da Silva Nunes

ITENS FUNDAMENTAIS. Profª Angélica da Silva Nunes ITENS FUNDAMENTAIS Profª Angélica da Silva Nunes CONCEITOS BÁSICOS Hardware - é a parte física do computador, tais como: teclado, monitor de vídeo, etc. Software - são os programas e aplicativos que permitem

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais

Curso de C: uma breve introdução

Curso de C: uma breve introdução V Semana de Engenharia Elétrica - UFBA Licença de uso e distribuição Todo o material aqui disponível pode, posteriormente, ser utilizado sobre os termos da: Creative Commons License:

Leia mais

Programas simples em C

Programas simples em C Programas simples em C Problema 1. Escreve um programa em C que dados dois inteiros indique se são iguais ou qual o maior. Utilizar a construção em 5 etapas... quais? 1. Perceber o problema 2. Ideia da

Leia mais

Fundamentos de Programação

Fundamentos de Programação Fundamentos de Programação ESCOLA Fundamentos de Programação 1 Escola Alcides Maya - Primeiro Módulo 2 Sumário Fundamentos de Programação 1 Fundamentos de Programação 1 Introdução... 4 2 Introdução à Linguagem

Leia mais

Laboratório de Programação 02

Laboratório de Programação 02 Laboratório de Programação 02 Ambiente de Desenvolvimento e Revisão da Linguagem C Prof. Carlos Eduardo de Barros Paes Prof. Julio Arakaki Departamento de Computação PUC-SP Code::Blocks Ambiente integrado

Leia mais

Curso básico de Linguagem C. Desenvolvido por Ricardo Lüders

Curso básico de Linguagem C. Desenvolvido por Ricardo Lüders Curso básico de Linguagem C Desenvolvido por Ricardo Lüders Introdução Introdução > Sobre o curso Sobre o curso O curso será apresentado em 5 (cinco) encontros, totalizando 20 (vinte) horas/aula. Apresentará

Leia mais

LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA. Prof. André R. Backes

LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA. Prof. André R. Backes LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA Prof. André R. Backes 1 COMANDOS DE CONTROLE CONDICIONAL Os programas escritos até o momento são programas sequeciais: um comando é executado após o outro, do começo ao fim do

Leia mais

Variáveis e Comandos de Atribuição

Variáveis e Comandos de Atribuição BCC 201 - Introdução à Programação Variáveis e Comandos de Atribuição Guillermo Cámara-Chávez UFOP 1/47 Estrutura Básica de um programa C I < d i r e t i v a s do pré p r o c e s s a d o r > < d e c l

Leia mais

Conceitos de Linguagens de Programação

Conceitos de Linguagens de Programação Conceitos de Linguagens de Programação Aula 07 Nomes, Vinculações, Escopos e Tipos de Dados Edirlei Soares de Lima Introdução Linguagens de programação imperativas são abstrações

Leia mais

Linguagem de Programação I

Linguagem de Programação I Linguagem de Programação I Curso de Sistemas de Informação Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br DESU / DAI 2016 Linguagem de Programação C 2 1 Linguagem de Programação C Os programas em C consistem em

Leia mais

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo:

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo: Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

LINGUAGEM C. Estrutura básica de um programa

LINGUAGEM C. Estrutura básica de um programa LINGUAGEM C Estrutura básica de um programa Um programa em linguagem C é constituído por uma sequência de funções (módulos) que em conjunto irão permitir resolver o problema proposto. Estas funções contêm

Leia mais

3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 3.1. CONCEITOS BÁSICOS. Lógica de Programação

3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 3.1. CONCEITOS BÁSICOS. Lógica de Programação Lógica de Programação 3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C Caro Aluno Vamos iniciar o terceiro capítulo da nossa disciplina. Agora vamos começar a aplicar os conceitos vistos nos capítulos anteriores em uma linguagem

Leia mais

Princípios de programação em Linguagem C Cesar Tadeu Pozzer UFSM 16/08/2010

Princípios de programação em Linguagem C Cesar Tadeu Pozzer UFSM 16/08/2010 Princípios de programação em Linguagem C Cesar Tadeu Pozzer UFSM 16/08/2010 Introdução a Programação em Linguagem C Antes de um algoritmo ser executado no computador, ele deve ser traduzido em uma linguagem

Leia mais

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Edwar Saliba Júnior Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Belo Horizonte 2010 Sumário 1 Nota:... 2 2 Comandos e Palavras Reservadas:... 3 3 Dicas... 4 3.1 Strings

Leia mais

Tipo de Dados em Linguagem C

Tipo de Dados em Linguagem C Tipo de Dados em Linguagem C Principais tipos de dados em C int : tipo de dados inteiros (exemplo: 1, -3, 100, -9, 18, etc.) float : tipo de dados reais (exemplo: 1.33, 3.14, 2.00, -9.0, 1.8, etc.) Ocupa

Leia mais

CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS. João Gabriel Ganem Barbosa

CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS. João Gabriel Ganem Barbosa CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS João Gabriel Ganem Barbosa Sumário Motivação História Linha do Tempo Divisão Conceitos Paradigmas Geração Tipos de Dados Operadores Estruturada vs

Leia mais

Registros. Técnicas de Programação. Rafael Silva Guimarães :p://:p.ci.ifes.edu.br/informa@ca/rafael_guimaraes

Registros. Técnicas de Programação. Rafael Silva Guimarães :p://:p.ci.ifes.edu.br/informa@ca/rafael_guimaraes Rafael Silva Guimarães :p://:p.ci.ifes.edu.br/informa@ca/rafael_guimaraes Registros Técnicas de Programação Baseado no material do Prof. Rafael Vargas Mesquita Conceito de Registro (Struct) Vetores e Matrizes

Leia mais

Estrutura de Dados. Prof. Gustavo Willam Pereira. Créditos: Profa. Juliana Pinheiro Campos

Estrutura de Dados. Prof. Gustavo Willam Pereira. Créditos: Profa. Juliana Pinheiro Campos Estrutura de Dados Prof. Gustavo Willam Pereira Créditos: Profa. Juliana Pinheiro Campos ESTRUTURAS DE DADOS Ementa Introdução à Linguagem C. Recursividade. Alocação dinâmica de memória. Conceito de tipos

Leia mais

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Breve Histórico A linguagem de programação C foi criada na década de 70, por Dennis Ritchie, que a implementou,

Leia mais

2. Constantes e Variáveis

2. Constantes e Variáveis 2. Constantes e Variáveis Neste capitulo veremos como os dados constantes e variáveis são manipulados pela linguagem C. O que são constantes inteiras, reais, caracteres e strings. Quais são as regras de

Leia mais

Curso Prático de C++

Curso Prático de C++ Sumário Autor: Prof. Luiz Bianchi Universidade Regional de Blumenau FUNDAMENTOS... 3 Declaração de variáveis... 4 Tipos de dados... 4 Operador de atribuição... 5 Comentários... 5 Tipos modificados... 6

Leia mais

Introdução à Programação em Linguagem C

Introdução à Programação em Linguagem C Material Complementar EA869 (Prof. Von Zuben DCA/FEEC/Unicamp) 1 1. Enfoque Introdução à Programação em Linguagem C Será tratada aqui a linguagem C tradicional, sendo que existem outras variantes tais

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Também chamado de estrutura de seleção múltipla (caso). Assim como o if-else, o switch também é uma estrutura de seleção. O if-else realiza o teste

Leia mais

Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição Estruturas de Repetição Introdução No capítulo anterior verificamos que a execução seqüencial dos comandos da função main nos limita a programação de algoritmos muito simples. Passamos, então, a dedicar

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 APROG Algoritmia e Programação Linguagem JAVA Básico Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 Linguagem Java Estrutura de um Programa Geral Básica Estruturas de Dados Variáveis Constantes Tipos de Dados

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I IEC012. Linguagem C - Guia de bolso - Prof. César Melo

Algoritmos e Estruturas de Dados I IEC012. Linguagem C - Guia de bolso - Prof. César Melo Algoritmos e Estruturas de Dados I IEC012 Linguagem C - Guia de bolso - Prof. César Melo Histórico A linguagem C é uma linguagem de programação inventada na década de 1970 por Dennis Ritchie Brian Kennigaham.

Leia mais

Java Como Programar, 8/E

Java Como Programar, 8/E Capítulo 2 Introdução aos aplicativos Java Java Como Programar, 8/E (C) 2010 Pearson Education, Inc. Todos os 2.1 Introdução Programação de aplicativo Java. Utilize as ferramentas do JDK para compilar

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Ciência da Computação Algoritmos e Estruturas de Dados I (AED-I) Prof. Nilton

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Ciência da Computação Algoritmos e Estruturas de Dados I (AED-I) Prof. Nilton Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Ciência da Computação Algoritmos e Estruturas de Dados I (AED-I) Prof. Nilton nilton@comp.uems.br Introdução A linguagem C foi inventada por Dennis Ritchie e

Leia mais

Vetores. Vetores. Figura 1 Exemplo de vetor com 10 elementos

Vetores. Vetores. Figura 1 Exemplo de vetor com 10 elementos Vetores Nos capítulos anteriores estudamos as opções disponíveis na linguagem C para representar: Números inteiros em diversos intervalos. Números fracionários com várias alternativas de precisão e magnitude.

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo COMPILADORES Toda linguagem de programação

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Introdução à Programação Carga horária total: 60 Carga horária teórica: 0 Carga horária prática: 60 Código da Disciplina: CCMP0041 Período de oferta: 2010.2 Turma: CA

Leia mais

Primeiro Curso de Programação em C 3 a Edição

Primeiro Curso de Programação em C 3 a Edição Edson Luiz França Senne Primeiro Curso de Programação em C 3 a Edição Visual Books Sumário Prefácio da Terceira Edição 9 Prefácio da Primeira Edição 11 Aula 1 13 Regras de sintaxe de uma linguagem de programação...

Leia mais

5 Apresentando a linguagem C

5 Apresentando a linguagem C 5 Apresentando a linguagem C O criador da linguagem de programação C foi Dennis Ritchie que, na década de 70, programou-a por meio de um computador DEC PDP-11 rodando sistema operacional Unix. Entretanto,

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Prof a.dr a.thatyana de Faria Piola Seraphim (ECO) Prof.Dr.Enzo Seraphim (ECO) Universidade Federal de Itajubá thatyana@unifei.edu.br seraphim@unifei.edu.br Introdução - História A linguagem de programação

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Apostila de Introdução à Linguagem C

Apostila de Introdução à Linguagem C Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Engenharia e Arquitetura Programa de Educação Tutorial Apostila de Introdução à Linguagem C Por Marcela Rocha Tortureli de Sá Bolsista do grupo PETCivil

Leia mais

Parte I. Conhecendo A Linguagem C

Parte I. Conhecendo A Linguagem C 1 Parte I Conhecendo A Linguagem C 3 1 CONCEITOS BÁSICOS DA LINGUAGEM C Antes mesmo de falarmos em linguagem C, gostaria de apresentar-lhes o Juan, um passarinho bem simpático que tem por objetivo chamar

Leia mais

INF 1620 P1-10/04/02 Questão 1 Nome:

INF 1620 P1-10/04/02 Questão 1 Nome: INF 1620 P1-10/04/02 Questão 1 Considere uma disciplina que adota o seguinte critério de aprovação: os alunos fazem duas provas (P1 e P2) iniciais; se a média nessas duas provas for maior ou igual a 5.0,

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S PROGRAMAÇÃO I VA R I Á V E I S, C O N S TA N T E S, O P E R A D O R E S E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S Variáveis 2 Variáveis são locais onde são armazenados os valores na memória. Toda variável é

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I. Universidade Federal de São João del-rei Pedro Mitsuo Shiroma Sala 119 Bloco 3

Algoritmos e Estruturas de Dados I. Universidade Federal de São João del-rei Pedro Mitsuo Shiroma Sala 119 Bloco 3 Algoritmos e Estruturas de Dados I Universidade Federal de São João del-rei Pedro Mitsuo Shiroma Sala 119 Bloco 3 Laboratório de AEDS 1 Aula 01 Linguagens de Programação Cada linguagem de programação obedece

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO Carga horária total: 60 h Carga horária teórica: 30 h Carga horária prática: 30 h Código da Disciplina: CCMP0041 Período de oferta: 2015.2 Turma:

Leia mais

Linguagens de programação

Linguagens de programação Prof. André Backes Linguagens de programação Linguagem de Máquina Computador entende apenas pulsos elétricos Presença ou não de pulso 1 ou 0 Tudo no computador deve ser descrito em termos de 1 s ou 0 s

Leia mais

LTP-IV. Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira. Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo

LTP-IV. Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira. Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo LTP-IV Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo Contato e-mail: slago@ime.usp.br home page: www.ime.usp.br/~slago apostila: Linguagem

Leia mais

APOSTILA PHP PARTE 1

APOSTILA PHP PARTE 1 APOSTILA PHP PARTE 1 1. Introdução O que é PHP? PHP significa: PHP Hypertext Preprocessor. Realmente, o produto foi originalmente chamado de Personal Home Page Tools ; mas como se expandiu em escopo, um

Leia mais

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C / C++

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C / C++ Edwar Saliba Júnior Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C / C++ Belo Horizonte 2009 Sumário 1 Nota:... 2 2 Comandos e Palavras Reservadas:... 3 3 Dicas... 4

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Marcos Monteiro MBA, ITIL, Perito Computacional Forense Agenda Conceitos de lógica Conceitos de algoritmo Representações de algoritmo Algoritmo x Linguagem Conceitos de lógica

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Waldemar Celes e Roberto Ierusalimschy 29 de Fevereiro de 2012 1 Ciclo de desenvolvimento O modelo hipotético de computador utilizado no capítulo anterior, embora muito

Leia mais

Programação de Computadores I. Ponteiros

Programação de Computadores I. Ponteiros Ponteiros Prof. Edwar Saliba Júnior Outubro de 2012 Unidade 13 Ponteiros 1 Identificadores e Endereços Na linguagem C, uma declaração de variável faz associação entre um identificador e endereços de memória;

Leia mais

Convertendo Algoritmos para a Linguagem C

Convertendo Algoritmos para a Linguagem C onvertendo Algoritmos para a Linguagem Notas de Aula Prof. Francisco Rapchan www.geocities.com/chicorapchan O objetivo deste texto é mostrar alguns programas em, dando uma breve descrição de seu funcionamento

Leia mais

Programando em C++ Histórico da Linguagem C

Programando em C++ Histórico da Linguagem C Programando em C++ Joaquim Quinteiro Uchôa joukim@comp.ufla.br DCC-UFLA, 2002 Programando em C++ p.1/38 Histórico da Linguagem C Linguagem C: 1972 - Laboratório Bells, por Dennis Ritchie, a partir da linguagem

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Engenharia de CONTROLE e AUTOMAÇÃO Introdução à Linguagem C Aula 02 DPEE 1038 Estrutura de Dados para Automação Curso de Engenharia de Controle e Automação Universidade Federal de Santa Maria beltrame@mail.ufsm.br

Leia mais

Exercício de Revisão Linguagem C

Exercício de Revisão Linguagem C Exercício de Revisão Linguagem C * Baseado no material do curso: PET Engenharia de Computação - UFES Responda às questões a seguir, selecionando a alternativa mais apropriada dentre aquelas existentes.

Leia mais

SENAC Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso de Programação em C. Linguagem C

SENAC Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso de Programação em C. Linguagem C SENAC Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso de Programação em C Linguagem C Florianópolis 2003 Linguagem C Marcelo Buscioli Tenório Curso de Programação em C SENAC 2 1 PREFÁCIO... 5 Histórico...

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Introdução à Linguagem C Eduardo Simões de Albuquerque Instituto de Informática UFG 13/03/2006 1 História Inventada e desenvolvida por Dennis Ritchie em um DEC- PDP 11 Originária de: BCPL desenvolvida

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

Técnicas de Programação I

Técnicas de Programação I Técnicas de Programação I Conceitos básicos C/C++ Material baseado nas aulas da Profa. Isabel Harb Manssour http://www.inf.pucrs.br/~manssour/laproi, entre outros materias Registros e Arquivos Conceito

Leia mais