Pós Graduação: Planejamento e Gestão Ambiental. NUPPE Núcleo de Pós Graduação, Pesquisa e Extensão Faculdade Almeida Rodrigues

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pós Graduação: Planejamento e Gestão Ambiental. NUPPE Núcleo de Pós Graduação, Pesquisa e Extensão Faculdade Almeida Rodrigues"

Transcrição

1 Pós Graduação: Planejamento e Gestão Ambiental NUPPE Núcleo de Pós Graduação, Pesquisa e Extensão Faculdade Almeida Rodrigues Série ISO e Auditoria Ambiental Apresentação Engenheira Química: Ursula Guerra Ferreira - UFU Pós Graduação: Gestão Empresarial FGV Pós Graduação: Perícia, Auditoria e Gestão Ambiental IPOG Cursos: Auditor Líder NBR ISO 14001:2004 BSI Management Systems Auditor Líder NBR ISO 9001:2008 BSI Management Systems Experiência: Tratamento de Água e Efluentes Sistemas de Gestão Ambiental - SGA Sistemas de Gestão Integrada SGI 1

2 Objetivos: Entender a organização ISO; NBR ISO e Auditoria Ambiental Conhecer a evolução das normas de Sistema de Gestão do Meio Ambiente; Compreender e manejar princípios, requisitos e controles da NBR ISO 14001:2004 e entender o seu objetivo; Conhecer os conceitos e fundamentos dos aspectos e impactos ambientais; Compreender e colocar em prática metodologias de levantamento e avaliação dos impactos que estão ocorrendo na terra, na água e no ar; Entender os processos de auditorias, as características de auditores e os processos de certificação; Colocar em prática os conceitos apresentados. Módulo1, história das normas de gestão ambiental, organização ISO e processo de certificação 2

3 Questão meio ambiente nas organizações; Evolução dos conceitos de gestão ambiental; Para onde vamos? Nas décadas de 80 e 90, a função meio ambiente ganha força com a ocorrência de acidentes significativos. Bhopal 1984 Índia : Vazamento isocianato metílico de uma fábrica química, o que causou 3300 mortes e doentes; Chernobil 1986 Ucrânia : Acidente em usina nuclear que possuía 3 reatores, houve a explosão de um reator com a liberação de césio 137 radioativo contaminando 75% da Europa, da Irlanda ao norte da Grécia, 31 pessoas morreram e foram evacuadas, até hoje as mortes chegam a mais 500. A proteção de aço e cimento do reator foi destruída; Chernobil 1991 Outro reator pegou fogo; Chernobil 1994 Observou-se deficiência nos dois reatores em funcionamento, em 97 o protocola de acordo entre a Ucrânia e 7 países industrializados encerrou as atividades em Chernobil em troca de assistência econômica.até o final do ano passado 3 milhões de pessoas sofreram doenças congênitas. O sarcófago do reator está em mau estado de conservação e há risco de vazamento de 160 toneladas de combustível ativo.ainda hoje há radioatividade em alimentos e carnes de caça da região. A irradiação no ar foi 30 vezes maior que da bomba de Hiroshima. 3

4 Goiânia 1987 Um aparelho de radioterapia foi roubado de uma clínica e continha cloreto de césio, os ladrões acharam interessante o brilho do pó e distribuíram a parentes e amigos e parte do equipamento foi vendido a um ferro velho, 249 pessoas foram contaminadas, destas 20 foram hospitalizadas e 4 morreram. Os sintomas característicos foram náuseas, vômitos, diarréia e câncer. Exxon Valdez 1989 Um petroleiro colidiu com rochas submersas o que provocou um rasgo no navio e derramou no Alasca m3 de petróleo. Morreram aves, 20 baleias, 3500 lontras do mar e 200 focas. Reino Unido 1993 Um petroleiro sob tempestades chocou-se com uma rocha e derramou petróleo. Este acidente foi 2 vezes maior que o do Exxon Valdez. Golfo do México 2010 No dia 20 de abril, uma explosão na plataforma da British Petroleum Deepwater Horizon, no Golfo do México, matou 11 pessoas e rompeu tubulações no fundo do oceano. Desde então, uma quantidade estimada entre 3 e 4 milhões de barris de petróleo vazou, fazendo deste o maior acidente ambiental da história dos Estados Unidos. Em 15 de julho, a petroleira anunciou que o vazamento, enfim, foi estancado. 4

5 Japão 2011 Em 11/03/2011 um terremoto e um tsunami atingiram o Japão deixando milhares de mortos e causando muita destruição. Uma usina nuclear também foi atingida, ocasionando explosões nos reatores nucleares e contaminando pessoas, animais e o meio ambiente com radioatividade. Mulher coleta água em vazamento, que pode estar contaminada em iodo-137 radioativo, na cidade de Ishimaki. Tóquio proibiu venda alimentos de áreas próximas a Fukushima Desde 1953 quando 300 pessoas morreram ao ingerir peixe contaminado com mercúrio no Japão, houve início da reflexão para a preservação do meio ambiente e denúncias de degradação do solo, deflorestamentos, extinção das espécies e acidentes começaram a ocorrer. Eventos internacionais 72 Clube de Roma O grupo queria limitar o crescimento econômico com base no conceito de que esse consumo elevado de produtos levaria a destruição de recursos naturais. Não houve aderência internacional. 72 Declaração de Estocolmo Foi elaborado um plano de ação para o meio ambiente e uma lista de princípios, comportamentos e responsabilidades para decisões ambientais. O conceito utilizado foi de desenvolvimento sustentável: o valor total dos bens disponíveis produzidos pelo homem ou encontrados na natureza devem permanecer constantes de uma geração para outra. 78 Selo azul (Alemanha) Passou a ser colocado o selo azul (anjo azul) em produtos que não produziam impactos sobre o meio ambiente. 85 Convenção de Viena Foi acordado o objetivo de reduzir em 50% o uso de CFC s para a proteção da camada de ozônio. 5

6 Eventos internacionais 87 Protocolo de Montreal + Relatório de Brutland Novos acordos para reduzir o uso de substâncias que destroem a camada de ozônio e CFC s. 89 Convenção da Basiléia Redução de movimentos transfronteiros de resíduos perigosos ao mínimo e com manejamento eficiente e seguro para minimizar a quantidade de resíduos gerados e seu tratamento seguro próximo à fonte geradora. 92 Rio 92 Declaração do Rio sobre o meio ambiente, Agenda 21, administração de florestas, mudanças no clima, desenvolvimento sustentável. 05 Protocolo de Kioto Regula os níveis de concentração de gases no efeito estufa. Os Estados Unidos não assinaram. Há cada dia os países estão mais conscientes e vêm utilizando métodos para informar ao consumidor se o produto que está adquirindo vem de um processo auto sustentável. Exemplo: selo verde (FSC Forest Stewardchip Council) usado em diversos países para prevenir a exploração ilegal de madeira. Década de 80 Brasil Lei 6938 de Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e da outras providências. Estabelece a política nacional do meio ambiente, licenciamento, avaliação de impactos ambientais, revisão de atividades efetivas ou potencialmente poluidoras. Resolução CONAMA N o 1 de Fixa regras de licenciamento ambiental. Discrimina as atividades que devem realizar o Estudos de Impactos Ambientas EIA e o Relatório de Impacto ao Maio Ambiente RIMA, visando o licenciamento para extração, tratamentos minerais, várias indústrias, serviços de utilidades, uso de recursos naturais e outros. 6

7 História das Normas de Sistema de Gestão Ambiental Instituto Britânico de Normalização (BSI) desenvolveu e publicou o padrão para um sistema de gerenciamento ambiental chamado BS 7750 (1992) A BS7750 se relaciona com a isso afim de facilitar uma implantação conjunta. Credenciamento disponível desde julho de No Brasil a fábrica de celulose Bahia Sul foi a primeira empresa de seu ramo no mundo a receber o credenciamento segundo a BS7750 História das Normas de Sistema de Gestão Ambiental EMAS - Eco Management Audit Scheme Sistema europeu de eco gestão e auditorias. Instituído na Comunidade Européia em 29/06/1993. Consiste em 21 artigos e 5 anexos. É voluntário e mais abrangente que a ISSO

8 História das Normas de Sistema de Gestão Ambiental Origem das Normas ISO Reino Comunidade Comunidade Industrial Unido Européia Internacional BS 5750 EM ISO 9000 BS 7750 EMAS ISO Responsible CARE História das Normas de Sistema de Gestão Ambiental A visão de como tratar as questões ambientais foi evoluindo até chegar até chegar ao nível de Gestão do Sistema Ambiental das organizações Conscientização: Clube de Roma Controle: Conferência de Estocolmo Planejamento: EIA RIMA Gestão Ambiental: EMAS/BS/ISO Certificação Ambiental 8

9 O que é ISO? A ISO International Organization for Standartization é uma organização sediada em Genebra, na Suíça, fundada em A sigla ISO foi originada da palavra isonomia. O propósito da ISO é desenvolver e promover normas que possam ser utilizadas igualmente por todos os países do mundo. Cerca de 157 países integram esta organização, especializada em padronização, cujos membros são entidades normativas de âmbito nacional. O Brasil é representado pela associação de normas técnicas ABNT. O que é ISO? Em junho de 1993: Foi instalado o Comitê 207 de ISO, visando elaborar uma série de normas que ofereçam ferramentas para a gestão ambiental. A normalização ISO refere-se à quais elementos do sistema de meio ambienta devem ser implementados e não sobre técnicas e métodos para implementá-los. Estas normas são genéricas por natureza. As normas ISO série forma traduzidas, palavra por palavra, pela ABNT, recebendo neste caso a denominação NBR ISO 14000:

10 Sistemas de Gestão de Sucesso O sistema de gestão é bem sucedido quando: A alta administração compreende a importância e fornece o suporte necessário; A implementação é bem planejada e é comunicada de forma eficaz para toda a organização; Pessoas em todos os níveis são treinadas e motivadas para desempenhar um papel ativo; O sistema é regularmente e continuamente analisado e auditado; Programas de auditoria são uma ferramenta pró-ativa, baseado em evidências e agregam valor ao processo. Sistemas de Gestão Ambiental Problemas ambientais devem ser identificados e corrigidos no próprio setor de trabalho Estágio da detecção do problema/custo 1) Corrigido no próprio setor/ 1 (referência) 2) Corrigido na empresa depois de sair do setor/ 10 vezes mais 3) Corrigido após o resíduo sair da empresa/ 100 vezes mais 10

11 Sistemas de Gestão Ambiental Procedimentos (futuro) Ações (presente) Registros (passado) (Retroalimentação) Auditorias SBC Sistema Brasileiro de Certificação INMETRO Órgão). Credenciador (Acreditador) Organismos credenciados (acreditados): Certificação de sistemas (BSI, CGS, ABS, BVQI, Fundação Vanzoline etc.), no Brasil temos mais de 40 organismos certificadores nacionais e internacionais (OCC s). Certificação de pessoas (RAC, RAB, IRKA) (OPC s Treinamentos também podem ser acreditados, como por exemplo o treinamento de auditor líder de 5 dias. Empresas de treinamento em geral podem obter esta acreditação como a MCG, e as certificadoras como a BSI, ABS, CGS etc (OTC`s). 11

12 SBC Sistema Brasileiro de Certificação Certificação ISO O Sistema Brasileiro de Certificação é composto pelo INMETRO e organismos credenciados para realizarem a certificação. A certificação consiste num processo de avaliação independente do SGA de uma empresa, frente aos requisitos pré estabelecidos de uma norma, tal como a ISO 14001, por um organismo de terceira parte credenciado para tal. As certificadoras no Brasil são credenciadas pelo INMETRO para realizar certificações nas organizações. As empresas que desejam se certificar devem pesquisar entre as certificadoras aquelas que podem atendê-la melhor e solicitar uma cotação que vai abranger custos, dias de auditoria, localidades a serem auditadas, normas de referência e deve definir que acreditações a empresa deseja ter no seu certificado. Processo Certificação ISO Contato com a certificadora Auditoria de adequação Auditoria de pré certificação ou inicial Auditoria de Conformidade Recomendado Sim Não Emissão do certificado Manutenção do sistema de gestão ambiental Auditoria de Follow up Auditorias periódicas de manutenção e auditoria de recertificação 12

13 Documentação Fase 1 Auditoria de Adequação Objetivo: Analisar se a documentação do SGA está compatível com os requisitos aplicáveis. Auditoria de adequação por ser feita no escritório da empresa certificadora ou na empresa, é preferível que seja na empresa e geralmente gera um relatório; A empresa deverá apresentar as licenças ambientais, a avaliação de aspectos e impactos ambientais, a política ambiental, as metas ambientais. Implementação Fase 2 Objetivo: Verificar se o SGA documentado está implementado e concluir se atende a norma de referência. A empresa deve atender toda a legislação ambiental aplicável, um não atendimento a legislação impede a certificação. Os auditores recomendam ou não a certificação, e solicitam ações corretivas para as não conformidades encontradas e programam uma auditoria de acompanhamento para 6 meses depois. Após aprovação das ações corretivas a empresa é recomendada e o certificado com validade de três anos é emitido. Riscos advindos de impactos ambientais Potencial exposição legal e regulamentar; Custo para alteração do impacto; Efeito das alterações em outras atividades ou processos; Preocupações das partes interessadas; Efeito da imagem pública da organização. Origem NBR ISO 14004:

14 Benefícios da implantação da NBR ISO Redução de custos com a economia de recursos naturais e minimização da geração de resíduos; Possibilidade de atingir mercados restritos como a comunidade européia. Diminuição de processos de responsabilidade civil. Obtenção de recursos de órgãos como BID, Banco Mundial, BNDS. Controle de seus impactos ambientais significativos; Atendimento ás regulamentações estaduais, municipais e federais; Promover uma imagem positiva da empresa; Planejar e realizar melhorias contínuas. Exercício 1 14

Sistema de Gestão Ambiental NBR ISO 14001 e Tecnologia Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental NBR ISO 14001 e Tecnologia Ambiental Curso e- Learning Sistema de Gestão Ambiental NBR ISO 14001 e Tecnologia Ambiental Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão

Leia mais

25/02/2016. Auditoria? Fiscalização? LCF 0694 Auditoria e Certificação Ambiental

25/02/2016. Auditoria? Fiscalização? LCF 0694 Auditoria e Certificação Ambiental Auditoria? Perícia? Consultoria? Fiscalização? Bady Bassitt é um município brasileiro do estado de São Paulo. A cidade tem uma população de 14.603 habitantes Bady Bassitt se localiza no norte do estado,

Leia mais

Módulo 2. Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios.

Módulo 2. Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios. Módulo 2 Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios. História das normas de sistemas de gestão de saúde e segurança

Leia mais

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001.

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL ASPECTOS GERAIS Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. Histórico: Normas e Gestão SSO BS 8800 Instituto Britânico

Leia mais

Mini-curso Sistema de Gestão Ambiental. Ivo Neves Gerente de Consultoria. For the benefit of business and people

Mini-curso Sistema de Gestão Ambiental. Ivo Neves Gerente de Consultoria. For the benefit of business and people Mini-curso Sistema de Gestão Ambiental Ivo Neves Gerente de Consultoria For the benefit of business and people UNICAMP, Outubro 2005 1 Módulo I MÓDULO I VISÃO GERAL DE TEMAS AMBIENTAIS 2 1 Módulo I Conceitos

Leia mais

22/06/2015. Cronograma finalização da disciplina GA I. Instrumentos de Gestão Ambiental. ambiental. Auditoria Ambiental

22/06/2015. Cronograma finalização da disciplina GA I. Instrumentos de Gestão Ambiental. ambiental. Auditoria Ambiental Cronograma finalização da disciplina GA I Instrumentos de Gestão Ambiental São ferramentas que auxiliam o gestor no seu plano de gestão ambiental Política e Legislação Ambiental Licenciamento Ambiental

Leia mais

Acidentes e seus impactos no mundo:

Acidentes e seus impactos no mundo: Acidentes e seus impactos no mundo: O mundo dos negócios está, diariamente, se tornando mais vinculado à questão da sustentabilidade. Ser sustentável, atualmente, já não é um privilégio ou um diferencial

Leia mais

CURSO EMBALAGENS DE PAPELCARTÃO, PAPEL E MICRO-ONDULADO. São Paulo/2013 Fernando Sandri

CURSO EMBALAGENS DE PAPELCARTÃO, PAPEL E MICRO-ONDULADO. São Paulo/2013 Fernando Sandri CURSO EMBALAGENS DE PAPELCARTÃO, PAPEL E MICRO-ONDULADO São Paulo/2013 Fernando Sandri Fernando Sandri Graduado em Engenharia Química pela EM- Universidade Estadual de Maringá. Pós graduado em MBA Marketing

Leia mais

TEXTO: INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

TEXTO: INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL FACENS / IAT Instituto de Aperfeiçoamento Tecnológico Curso de Pós-Graduação MBA Lato-Sensu em: Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental Disciplina: Gerenciamento e Controle Ambiental Carga horária: 24h Prof.

Leia mais

ENTENDENDO A ISO 14000

ENTENDENDO A ISO 14000 UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS ENTENDENDO A ISO 14000 Danilo José P. da Silva Série Sistema de Gestão Ambiental Viçosa-MG/Janeiro/2011

Leia mais

Estudando a Implantação da ISO 14001 no segmento de plástico em pequenas e médias empresas

Estudando a Implantação da ISO 14001 no segmento de plástico em pequenas e médias empresas FACULDADE DE TECNOLOGIA SOROCABA Faculdade de Tecnologia de Sorocaba Programa de Graduação em Tecnologia dos Polímeros Graduando: Thaís Andressa de Souza Estudando a Implantação da ISO 14001 no segmento

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA ISO 14.001:2004 O que é ISO? A ISO - International Organization for Standardization é uma organização sediada em Genebra, na Suíça. Foi fundada em 1946; A sigla ISO foi

Leia mais

Faculdade de Ilhéus INTRODUÇÃO À BIOSSEGURANÇA. Profª MSc Priscilla Céo

Faculdade de Ilhéus INTRODUÇÃO À BIOSSEGURANÇA. Profª MSc Priscilla Céo Faculdade de Ilhéus INTRODUÇÃO À BIOSSEGURANÇA Profª MSc Priscilla Céo BIOSSEGURANÇA É o conjunto de ações voltadas para a prevenção, minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades de pesquisa,

Leia mais

Gestão Ambiental. Definição. Processo de articulação das ações a

Gestão Ambiental. Definição. Processo de articulação das ações a Definição Processo de articulação das ações a dos diferentes agentes sociais que interagem em um dado espaço, visando garantir a adequação dos meios de exploração dos recursos ambientais às especificidades

Leia mais

Sistema Gestão Ambiental

Sistema Gestão Ambiental Sistema Gestão Ambiental Sistema Gestão Ambiental - ISO 14001 Agora você vai conhecer o Sistema de Gestão Ambiental da MJRE CONSTRUTORA que está integrado ao SGI, entender os principais problemas ambientais

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 ZOOTECNIA/UFG DISCIPLINA DE GPA Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Introdução EVOLUÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL Passou por três grandes etapas: 1ª. Os problemas ambientais são localizados

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental (ISO 14001) e os desafios na implantação. São Paulo

Sistema de Gestão Ambiental (ISO 14001) e os desafios na implantação. São Paulo Sistema de Gestão Ambiental (ISO 14001) e os desafios na implantação São Paulo Apresentação Pessoal Ailton de Paula - Pós Graduação em Administração Industrial / Qualidade - Fundação Carlos Alberto Vanzolini

Leia mais

O mar está morrendo!

O mar está morrendo! A UU L AL A O mar está morrendo! O mar, além de ser fonte de recursos para a humanidade, serve também como local de turismo. Esse ambiente abriga uma grande quantidade de seres vivos, desde formas microscópicas

Leia mais

AULA 2 A CONTABILIDADE E O MEIO AMBIENTE. Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO

AULA 2 A CONTABILIDADE E O MEIO AMBIENTE. Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO 1 2 1. Conceituar a Contabilidade Ambiental; 2. Definir Meio Ambiente 3. Citar as finalidades da Contabilidade Ambiental; 4. Conhecer a evolução histórica; 3

Leia mais

DÉCADA DE 80, DEVIDO A GRANDES ACIDENTES, PREOCUPAÇÃO MUNDIAL BRASIL, 1984, PREOCUPAÇÃO GEROU ÊNFASE APÓS ROMPIMENTO DE DUTO, SEGUIDO DE

DÉCADA DE 80, DEVIDO A GRANDES ACIDENTES, PREOCUPAÇÃO MUNDIAL BRASIL, 1984, PREOCUPAÇÃO GEROU ÊNFASE APÓS ROMPIMENTO DE DUTO, SEGUIDO DE DÉCADA DE 80, DEVIDO A GRANDES ACIDENTES, PREOCUPAÇÃO MUNDIAL BRASIL, 1984, PREOCUPAÇÃO GEROU ÊNFASE APÓS ROMPIMENTO DE DUTO, SEGUIDO DE INCÊNDIO, CAUSANDO CERCA DE 500 VÍTIMA, 93 FATAIS. VILA SOCÓ CUBATÃO

Leia mais

Conteúdo. Introdução. Conscientização ambiental Desenvolvimento sustentável Aspectos/Impactos. Prof MSc. Laercio Avileis Junior_2009

Conteúdo. Introdução. Conscientização ambiental Desenvolvimento sustentável Aspectos/Impactos. Prof MSc. Laercio Avileis Junior_2009 Conteúdo Introdução Conscientização ambiental Desenvolvimento sustentável Aspectos/Impactos Introdução CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL Meio Ambiente Circunvizinhança em que uma organização opera, incluindo ar,

Leia mais

AUDITORIAS AMBIENTAIS COMPULSÓRIAS EM UNIDADES MARÍTIMAS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO

AUDITORIAS AMBIENTAIS COMPULSÓRIAS EM UNIDADES MARÍTIMAS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO 1 AUDITORIAS AMBIENTAIS COMPULSÓRIAS EM UNIDADES MARÍTIMAS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO Lidinei Arueira Júnior (UFF-LATEC) lidinei@petrobras.com.br Stella Regina Reis da Costa (UFRRJ-UFF) stella@ufrrj.br Este

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL INDICE MÓDULO 1... 4 Introdução... 4 Tópico I... 4 A Relação do Meio Ambiente com as Organizações... 4 Os Acidentes Ambientais... 4 Sistemas de Gerenciamento... 5 Os Negócios e o Meio Ambiente... 5 As

Leia mais

XX RAPAL DI 11 Presentado por Brasil Punto agenda 12a SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ SGA/EACF

XX RAPAL DI 11 Presentado por Brasil Punto agenda 12a SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ SGA/EACF XX RAPAL DI 11 Presentado por Brasil Punto agenda 12a SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ SGA/EACF Sistema de Gestão Ambiental na Estação Antártica Comandante Ferraz SGA/EACF

Leia mais

Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo.

Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade IV Natureza sociedade: questões ambientais. Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo. 2 CONTEÚDO

Leia mais

P 2: Quais os limites entre aspectos relativos ao meio ambiente e à segurança?

P 2: Quais os limites entre aspectos relativos ao meio ambiente e à segurança? INTERPRETAÇÃO NBR ISO 14001 (1996), JULHO 2001 CB-38/SC-01/GRUPO DE INTERPRETAÇÃO INTRODUÇÃO O CB-38, Comitê Brasileiro de Gestão Ambiental, da ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas, decidiu criar

Leia mais

Bom-dia a todos! Prof. Oceano Zacharias. www.quality.eng.br 1

Bom-dia a todos! Prof. Oceano Zacharias. www.quality.eng.br 1 Bom-dia a todos! Prof. Oceano Zacharias www.quality.eng.br 1 1 ISO 9001 Sistema de Gestão da Qualidade RUMO À RECERTIFICAÇÃO Módulo 0 www.quality.eng.br 2 2 Oceano Zacharias Físico, Matemático e Engenheiro

Leia mais

Normas ISO 14000. Haroldo Mattos de Lemos

Normas ISO 14000. Haroldo Mattos de Lemos Normas ISO 14000 Haroldo Mattos de Lemos Presidente, Conselho Técnico da ABNT; Superintendente, ABNT/CB 38 Vice Presidente do ISO/TC 207 (Normas ISO 14000) Presidente, Conselho Empresarial de Meio Ambiente

Leia mais

DPS1035 Gestão Ambiental e Sustentabilidade. CGEP Eng a. Morgana Pizzolato, Dr a.

DPS1035 Gestão Ambiental e Sustentabilidade. CGEP Eng a. Morgana Pizzolato, Dr a. DPS1035 Gestão Ambiental e Sustentabilidade CGEP Eng a. Morgana Pizzolato, Dr a. Contextualização A preocupação por parte das organizações com seus impactos ambientais tornou-se uma componente constante

Leia mais

RESÍDUOS INDUSTRIAS INTRODUÇÃO. Profa. Margarita Maria Dueñas O. margarita.unir@gmail.com

RESÍDUOS INDUSTRIAS INTRODUÇÃO. Profa. Margarita Maria Dueñas O. margarita.unir@gmail.com RESÍDUOS INDUSTRIAS INTRODUÇÃO Profa. Margarita Maria Dueñas O. margarita.unir@gmail.com SUMÁRIO Contexto Resíduos sólidos Resíduos industriais Classificação Resíduos industriais líquidos Resíduos industriais

Leia mais

Professor: Cláudio Custódio. www.espacogeografia.com.br

Professor: Cláudio Custódio. www.espacogeografia.com.br Professor: Cláudio Custódio www.espacogeografia.com.br Estocolmo 1972 -Desenvolvimento zero X Desenvolvimento a qualquer custo. - Desenvolvimento sustentável - Crise do petróleo Rio 1992 - Agenda 21 -

Leia mais

Programa de Rotulagem de Sustentabilidade Selo SustentaX para Empresa Prestadora de Serviços de Limpeza Pós-Obra e Pré-Ocupação

Programa de Rotulagem de Sustentabilidade Selo SustentaX para Empresa Prestadora de Serviços de Limpeza Pós-Obra e Pré-Ocupação para Empresa Prestadora de Serviços de Limpeza Pós-Obra e Pré- Revisão de 11/05/21 2ª. Revisão 31/05/21 Revisão Técnica Nome: Eng. Alexandre Schinazi Cargo: Engenheiro CREA: 246223 Assinatura: Data: Aprovação

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 Prof. Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim INTRODUÇÃO A norma ISO 14001 faz parte de um conjunto mais amplo de normas intitulado ISO série 14000. Este grupo

Leia mais

Normas ISO 14000. Haroldo Mattos de Lemos. Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do RJ 27/11/2015

Normas ISO 14000. Haroldo Mattos de Lemos. Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do RJ 27/11/2015 Normas ISO 14000 Haroldo Mattos de Lemos Presidente, Conselho Técnico da ABNT; Superintendente, ABNT/CB 38 Vice Presidente do ISO/TC 207 (Normas ISO 14000) Presidente, Conselho Empresarial de Meio Ambiente

Leia mais

Comissão Nacional de Energia Nuclear - CNEN CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA NUCLEAR - CDTN

Comissão Nacional de Energia Nuclear - CNEN CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA NUCLEAR - CDTN Comissão Nacional de Energia Nuclear - CNEN CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA NUCLEAR - CDTN PUBLICAÇÃO CDTN 931 Sistema de Gestão Ambiental SGA de acordo com as Normas NBR ISO 14001 e 14004, da

Leia mais

Ambiental. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados.

Ambiental. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Ambiental Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Nossos serviços Temos forte atuação na gestão de pleitos perante as agências ambientais e o Ministério

Leia mais

Química. Prof. Arilson. Aluno(a):

Química. Prof. Arilson. Aluno(a): Produção de energia Projeções indicam que até 2050 o consumo de energia terá um aumento de 160%.Uma das possíveis opções para solucionar esse problema de produção de energia é a utilização da energia nuclear.existem

Leia mais

NORMAS SÉRIE ISO 14000

NORMAS SÉRIE ISO 14000 NORMAS SÉRIE ISO 14000 O que é a ISO? Organização Internacional para Padronização História e Filosofia da ISO A ISO foi fundada em 1947, tem sede em Genebra (Suíça) e é uma federação mundial de organismos

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Segurança da Informação Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Histórico O BSi (British Standard Institute) criou a norma BS 7799,

Leia mais

Gestão Ambiental e Gerenciamento de Riscos

Gestão Ambiental e Gerenciamento de Riscos CONCURSO PETROBRAS TÉCNICO(A) AMBIENTAL JÚNIOR Gestão Ambiental e Gerenciamento de Riscos Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS DE PROVAS DA BANCA CESGRANRIO DRAFT Produzido por Exatas Concursos www.exatas.com.br

Leia mais

Planejamento estratégico ambiental da ANTAQ O que seria o trabalho do Grupo?

Planejamento estratégico ambiental da ANTAQ O que seria o trabalho do Grupo? Planejamento estratégico ambiental da ANTAQ O que seria o trabalho do Grupo? Projeto: Elaborar e implementar o Planejamento Estratégico Ambiental da ANTAQ Objetivo: Reestruturar a atuação na área ambiental

Leia mais

SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES. Material Complementar de Estudos

SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES. Material Complementar de Estudos SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES Material Complementar de Estudos O que é a Organização ISO A ISO - Internacional Organization for Stardardization - é maior organização para Desenvolvimento e publicação

Leia mais

Linha do Tempo da Responsabilidade Social

Linha do Tempo da Responsabilidade Social Linha do Tempo da Responsabilidade Social Elaboração: Annabella de Fátima Prates Coordenação: Marisa Seoane Rio Resende Fundada a OIT Organização Internacional do Trabalho. Formula padrões de trabalho

Leia mais

Apresentação da fala. - O que rege a questão ambiental nos. - A gestão ambiental nos portos - Desafios a serem suplantados

Apresentação da fala. - O que rege a questão ambiental nos. - A gestão ambiental nos portos - Desafios a serem suplantados Apresentação da fala Parte I portos Parte II Parte III Parte IV - O que rege a questão ambiental nos - A gestão ambiental nos portos - Desafios a serem suplantados - Conclusão Parte I CONTEXTO A valorização

Leia mais

A GESTÃO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DO PASSIVO AMBIENTAL

A GESTÃO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DO PASSIVO AMBIENTAL A GESTÃO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DO PASSIVO AMBIENTAL PSEUDÔNIMO: DECONT SUMÁRIO INTRODUÇÃO...1 1. O PROBLEMA DA PESQUISA...3 1.1.Situação Problema e Questões de Pesquisa...3 1.2.Proposições...4

Leia mais

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países)

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países) A SÉRIE ISO 14.000 A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE NORMALIZAÇÃO (ISO) ISO => Internacional Organization for Standardization Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça),

Leia mais

VI-043 CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL X ACIDENTES AMBIENTAIS. CONSIDERAÇÕES SOBRE UM CASO REAL.

VI-043 CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL X ACIDENTES AMBIENTAIS. CONSIDERAÇÕES SOBRE UM CASO REAL. VI-043 CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL X ACIDENTES AMBIENTAIS. CONSIDERAÇÕES SOBRE UM CASO REAL. Sergio PintoAmaral (1) Doutorando em Engenharia Ambiental na COPPE/UFRJ (1998 em diante) - Msc. em Tecnologia Ambiental

Leia mais

7/5/2012. Esta evolução compreende etapas distintas de pensamento, representadas por fases que precederam a visão largamente difundida no presente.

7/5/2012. Esta evolução compreende etapas distintas de pensamento, representadas por fases que precederam a visão largamente difundida no presente. Gestão Ambiental Empresarial Prof. Carlos Henrique A. de Oliveira Gestão Ambiental Objetivos Compreender o processo de evolução da conscientização ambiental; Conhecer conceitos relacionados ao desenvolvimento

Leia mais

BIOÉTICA E MEIO AMBIENTE. INTER-RELAÇÃO SAÚDE E MEIO AMBIENTE Século V a.c. Sobre os ares, as águas e os lugares Escola hipocrática.

BIOÉTICA E MEIO AMBIENTE. INTER-RELAÇÃO SAÚDE E MEIO AMBIENTE Século V a.c. Sobre os ares, as águas e os lugares Escola hipocrática. BIOÉTICA E AMBIENTE BIOÉTICA E MEIO AMBIENTE INTER-RELAÇÃO SAÚDE E MEIO AMBIENTE Século V a.c. Sobre os ares, as águas e os lugares Escola hipocrática. BIOÉTICA E MEIO AMBIENTE OS TRÊS P QUE AMEAÇAM A

Leia mais

SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL

SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL Histórico, Significado e implicações www.danielbertoli.com Histórico Preocupações no pós-guerra (50 e 60) Discussões sobre contaminação e exaustão de recursos

Leia mais

Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008

Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008 Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do

Leia mais

Tratados internacionais sobre o meio ambiente

Tratados internacionais sobre o meio ambiente Tratados internacionais sobre o meio ambiente Conferência de Estocolmo 1972 Preservação ambiental X Crescimento econômico Desencadeou outras conferências e tratados Criou o Programa das Nações Unidas para

Leia mais

feema - Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente Curso de Legislação e Normas para o Licenciamento Ambiental Junho de 2002

feema - Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente Curso de Legislação e Normas para o Licenciamento Ambiental Junho de 2002 Página 1 feema - Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente Curso de Legislação e Normas para o Licenciamento Ambiental Junho de 2002 DZ 056 - Diretriz para Realização de Auditoria Ambiental capa

Leia mais

ANÁLISE DE RISCO AMBIENTAL

ANÁLISE DE RISCO AMBIENTAL ANÁLISE DE RISCO AMBIENTAL Wanderley Feliciano Filho CRQ IV- Novembro/ 006 Conceito Constituicional Artigo Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial

Leia mais

ISO/IEC 20000. Curso e-learning. Sistema de Gerenciamento de Serviços da Tecnologia da Informação

ISO/IEC 20000. Curso e-learning. Sistema de Gerenciamento de Serviços da Tecnologia da Informação Curso e-learning ISO/IEC 20000 Sistema de Gerenciamento de Serviços da Tecnologia da Informação Este é um curso independente desenvolvido pelo TI.exames em parceria com a CONÊXITO CONSULTORIA que tem grande

Leia mais

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL LEGISLAÇÃO AMBIENTAL LEGISLAÇÃO AMBIENTAL TRATAMENTO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS DÉCADA DE 60 TRATAMENTO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL LEGISLAÇÃO AMBIENTAL LEGISLAÇÃO AMBIENTAL TRATAMENTO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS DÉCADA DE 60 TRATAMENTO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS HISTÓRICO: DÉCADA DE 60 CLUBE DE ROMA LIMITS TO GROWTH (1972) RISCOS DE UM CRESCIMENTO ECONÔMICO CONTÍNUO PRIMEIROS MOVIMENTOS AMBIENTALISTAS CONTAMINAÇÃO DAS ÁGUAS E DO MAR DESCONTAMINAÇÃO DO RIO TAMISA

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

Gerenciamento de Riscos

Gerenciamento de Riscos Gerenciamento de Riscos Introdução Crescimento industrial das últimas décadas Industrias maiores e mais complexas Acidentes industriais Investir na prevenção Histórico Engenharia de Confiabilidade - Análise

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS 1. JUSTIFICATIVA O presente Termo de Referência tem por fim orientar a elaboração do PGRS conforme previsto no

Leia mais

A CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL COMO ESTRATÉGIA EMPRESARIAL MICHEL EPELBAUM 1

A CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL COMO ESTRATÉGIA EMPRESARIAL MICHEL EPELBAUM 1 A CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL COMO ESTRATÉGIA EMPRESARIAL MICHEL EPELBAUM 1 RESUMO Dentre os vários instrumentos técnicos e gerenciais de proteção ambiental usados pelas empresas e pela sociedade, a certificação

Leia mais

Grandes Acidentes Industriais Mundiais Convenção 174 da OIT

Grandes Acidentes Industriais Mundiais Convenção 174 da OIT Grandes Acidentes Industriais Mundiais Convenção 174 da OIT Eng. Nelson Agostinho Burille - Presidente Associação Nacional de Engenharia de Segurança do Trabalho 3 o Seminário Nacional de Segurança e Saúde

Leia mais

Requisitos sobre competências pessoais para atividades com equipamentos e instalações em áreas classificadas contendo atmosferas explosivas

Requisitos sobre competências pessoais para atividades com equipamentos e instalações em áreas classificadas contendo atmosferas explosivas 52 Requisitos sobre competências pessoais para atividades com equipamentos e instalações em áreas classificadas contendo atmosferas explosivas Elaborado por Luiz Mauro Alves e Roberval Bulgarelli A certificação

Leia mais

ISO 14000. Prof. William da Cruz Sinotti sinottiw@gmail.com

ISO 14000. Prof. William da Cruz Sinotti sinottiw@gmail.com SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO SISTEMA DE SELEÇÃO USINICADA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA ISO 14000

Leia mais

Profa. Margarita Ma. Dueñas O. margarita.unir@gmail.com

Profa. Margarita Ma. Dueñas O. margarita.unir@gmail.com Profa. Margarita Ma. Dueñas O. margarita.unir@gmail.com Meio ambiente é o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em

Leia mais

ISO - International Organization for Standardization

ISO - International Organization for Standardization ISO - International Organization for Standardization ISO - Organização Internacional para Normalização: Genebra Suíça em 1947 120 países = 95% PIB Mundial Comitês técnicos e Comitês político Aprovação

Leia mais

Rótulo Ecológico para o processo de tratamento de solução eletrolítica de baterias automotivas

Rótulo Ecológico para o processo de tratamento de solução eletrolítica de baterias automotivas Pág. Nº 2/10 0 Introdução O programa de Rotulagem Ambiental da ABNT foi desenvolvido para apoiar um esforço contínuo para melhorar e/ou manter a qualidade ambiental por meio da redução do consumo de energia

Leia mais

RETROSPECTIVA DAS AÇÕES DA REDE CLIMA DA CNI EM 2013

RETROSPECTIVA DAS AÇÕES DA REDE CLIMA DA CNI EM 2013 RETROSPECTIVA DAS AÇÕES DA REDE CLIMA DA CNI EM 2013 Cenário Nacional e Internacional De acordo com os termos do protocolo Kyoto, as nações industrializadas se comprometeriam a reduzir em 5,2% as emissões

Leia mais

Portaria n.º 341, de 24 de setembro de 2008

Portaria n.º 341, de 24 de setembro de 2008 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 341, de 24 de setembro de

Leia mais

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Curso e Learning Sistema de Gestão de Segurança da Informação Interpretação da norma NBR ISO/IEC 2700:2006 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

Habilitação recomendada para ministrar o componente curricular:

Habilitação recomendada para ministrar o componente curricular: Ementa do Curso Curso: SEGURANÇA DO TRABALHO Etapa: 1ª Componente Curricular: PROTEÇÃO AMBIENTAL - PA Carga Horária: 80 H/A Habilitação recomendada para ministrar o componente curricular: BIÓLOGO ENGENHEIRO

Leia mais

25/01/2010 - Foi publicada a IN nº 1, de 19 de janeiro de 2010, que dispõe sobre os critérios de sustentabilidade

25/01/2010 - Foi publicada a IN nº 1, de 19 de janeiro de 2010, que dispõe sobre os critérios de sustentabilidade Página 1 de 8 25/01/2010 - Foi publicada a IN nº 1, de 19 de janeiro de 2010, que dispõe sobre os critérios de sustentabilidade INSTRUÇÃO NORMATIVA N O 1, DE 19 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre os critérios

Leia mais

Qualidade Ambiental ABNT

Qualidade Ambiental ABNT Qualidade Ambiental ABNT PROGRAMA ABNT DE ROTULAGEM AMBIENTAL Andreia Oliveira ABNT Fundação em 1940; Entidade privada, sem fins lucrativos e considerada de utilidade pública; Único fórum brasileiro de

Leia mais

Sistemas e Instrumentos de Gestão Ambiental

Sistemas e Instrumentos de Gestão Ambiental Sistemas e Instrumentos de Gestão Ambiental Série ISO 14000 Prof. Gustavo Rodrigo Schiavon Eng. Ambiental A questão ambiental empresarial encontrase em fases distintas nos diversos países do mundo: De

Leia mais

Consumo Nacional de Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio CFC.

Consumo Nacional de Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio CFC. Nome do Indicador: Consumo Nacional de Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio CFC. Os clorofluorcarbonos (CFC's) são substâncias artificiais que foram por muito tempo utilizadas nas indústrias de

Leia mais

PUC Goiás. Prof. Ricardo Resende Dias, MSc.

PUC Goiás. Prof. Ricardo Resende Dias, MSc. PUC Goiás Prof. Ricardo Resende Dias, MSc. 1 2 3 4 RAZÕES PARA ADOÇÃO DE PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS AUMENTAR A QUALIDADE DO PRODUTO AUMENTAR A COMPETITIVIDADE DAS EXPORTAÇÕES ATENDER O CONSUMIDOR COM PREOCUPAÇÕES

Leia mais

AUDITORIA AMBIENTAL PARA DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES

AUDITORIA AMBIENTAL PARA DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 AUDITORIA AMBIENTAL PARA DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES M. H. M. Nunes(*), L. M. Castro * Mineração de Alumínio da Votorantim Metais, maura.nunes@vmetais.com.br. RESUMO

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Atuação da Organização 1. Qual(is) o(s) setor(es) de atuação da empresa? (Múltipla

Leia mais

Estabelece diretrizes socioambientais relativas ao processo de crédito do Itaú Unibanco para empresas.

Estabelece diretrizes socioambientais relativas ao processo de crédito do Itaú Unibanco para empresas. RISCO SOCIOAMBIENTAL Estabelece diretrizes socioambientais relativas ao processo de crédito do Itaú Unibanco para empresas. 1. OBJETIVO Formalizar os critérios socioambientais que são adotados pelo Itaú

Leia mais

PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Palavra chave: certificacao, auditoria, organizacao, extensao, manutenção

PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Palavra chave: certificacao, auditoria, organizacao, extensao, manutenção 1 de 16 1. OBJETIVO: Estabelecer a metodologia para a solicitação, extensão, manutenção e revalidação de certificados de conformidade. 2. APLICAÇÃO: Aplicável a todo processo de certificação, extensão

Leia mais

DISCIPLINA GESTÃO AMBIENTAL E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Instrumentos de Gestão Ambiental Empresarial

DISCIPLINA GESTÃO AMBIENTAL E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Instrumentos de Gestão Ambiental Empresarial FACULDADE NOVO MILÊNIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO GERAL PROFESSORA CAMILA VIDAL DISCIPLINA GESTÃO AMBIENTAL E RESPONSABILIDADE SOCIAL Instrumentos de Gestão Ambiental Empresarial Introdução As empresas são

Leia mais

Inventário de PCB. Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano Departamento de Qualidade Ambiental na Indústria

Inventário de PCB. Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano Departamento de Qualidade Ambiental na Indústria Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano Departamento de Qualidade Ambiental na Indústria Inventário de PCB Brasília, 28 de novembro de 2014. Legalmente amparado Convenção

Leia mais

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições:

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições: MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 109, de 13 de junho de 2005. O PRESIDENTE DO

Leia mais

RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000

RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000 RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000 O Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA, no uso das competências que lhe foram conferidas pela Lei no 6.938, de 31 de agosto de 1981, regulamentada pelo Decreto

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 04) O que é uma Norma Aquilo que se estabelece como base ou medida para a realização

Leia mais

ISO 14000 GESTÃO AMBIENTAL. Prof. Mba Aldemir Almeida

ISO 14000 GESTÃO AMBIENTAL. Prof. Mba Aldemir Almeida ISO 14000 GESTÃO AMBIENTAL Prof. Mba Aldemir Almeida O QUE É ISO?? A PALAVRA ISOS VEM DO GREGO QUE SIGNIFICA IGUALDADE. A ISO: International Organization for Standardization - ORGANIZAÇÃO INTERNATIONAL

Leia mais

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000)

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) Ao longo do tempo as organizações sempre buscaram, ainda que empiricamente, caminhos para sua sobrevivência, manutenção e crescimento no mercado competitivo.

Leia mais

Adequação Ambiental na Indústria Naval. Estaleiro Mauá. Daniel Meniuk Raphael Goffeto Schulz

Adequação Ambiental na Indústria Naval. Estaleiro Mauá. Daniel Meniuk Raphael Goffeto Schulz Adequação Ambiental na Indústria Naval Estaleiro Mauá Daniel Meniuk Raphael Goffeto Schulz Objetivos Descrever o ambiente para o surgimento e permanência da gestão ambiental no Estaleiro Mauá Apresentar

Leia mais

Apoio CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS CLIMÁTICOS NAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS

Apoio CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS CLIMÁTICOS NAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS CLIMÁTICOS NAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS 1 O quê vamos ver? 2 PRIMEIRA PARTE ALGUNS DADOS SOBRE O MERCADO DE SEGUROS NO BRASIL E NO MUNDO MERCADO DE SEGUROS MUNDIAL 2008-2009

Leia mais

00 05/11/2009 Elaboração Emissão Aprovada

00 05/11/2009 Elaboração Emissão Aprovada Página 1 de 8 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 05/11/29 Elaboração Emissão Aprovada OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS DESTE ELABORAÇÃO ANÁLISE

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( X ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

ISO 14000. 1. Introdução

ISO 14000. 1. Introdução ISO 14000 1 Sumário 1. Introdução... Página 03 2. O significado da sigla ISO... Página 03 3. Os objetivos da ISO... Página 04 4. Origem da ISO 14000... Página 04 5. O que é a ISO 14000... Página 04 6.

Leia mais

Associação Brasileira de Materiais Compósitos MANUAL DE RECUPERAÇÃO DE TAMBORES METÁLICOS

Associação Brasileira de Materiais Compósitos MANUAL DE RECUPERAÇÃO DE TAMBORES METÁLICOS MANUAL DE RECUPERAÇÃO DE TAMBORES METÁLICOS Introdução Este documento é um guia orientativo aos associados da Abmaco que desejem efetuar a disposição adequada de tambores e embalagens de resina poliéster

Leia mais

GESTÃO E PRÁTICAS AMBIENTAIS EM ADEQUAÇÃO ÀS NORMAS DA ISO-14000: UMA COMPARAÇÃO ENTRE AS PRÁTICAS BRASILEIRAS E INTERNACIONAIS

GESTÃO E PRÁTICAS AMBIENTAIS EM ADEQUAÇÃO ÀS NORMAS DA ISO-14000: UMA COMPARAÇÃO ENTRE AS PRÁTICAS BRASILEIRAS E INTERNACIONAIS GESTÃO E PRÁTICAS AMBIENTAIS EM ADEQUAÇÃO ÀS NORMAS DA ISO-14000: UMA COMPARAÇÃO ENTRE AS PRÁTICAS BRASILEIRAS E INTERNACIONAIS Ednilson Silva Felipe 1 Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Everaldo

Leia mais

NORMA TÉCNICA 32/2014 Produtos Perigosos em Edificações de Armazenamento e Manejo

NORMA TÉCNICA 32/2014 Produtos Perigosos em Edificações de Armazenamento e Manejo ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 32/2014 Produtos Perigosos em Edificações de Armazenamento e Manejo SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

EXERCÍCIO E7 (individual)

EXERCÍCIO E7 (individual) PCC-2530 Sistemas de Gestão da Qualidade nas Empresas da Construção Civil Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Sistemas de Gestão Integrada: Segurança do Trabalho, Qualidade, Ambiente e Responsabilidade

Leia mais

Economia verde, desenvolvimento sustentável e inovação - Os caminhos da indústria brasileira

Economia verde, desenvolvimento sustentável e inovação - Os caminhos da indústria brasileira Economia verde, desenvolvimento sustentável e inovação - Os caminhos da indústria brasileira Nelson Pereira dos Reis Federação das Indústrias do Estado de São Paulo Fiesp Vice presidente Departamento de

Leia mais

Considerando a elaboração da norma brasileira ABNT NBR 16001 Responsabilidade Social Requisitos;

Considerando a elaboração da norma brasileira ABNT NBR 16001 Responsabilidade Social Requisitos; Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial- Inmetro Portaria n.º 027, de 09 de fevereiro de 2006. O PRESIDENTE

Leia mais