DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE"

Transcrição

1 DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Aula 8 Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo Prof. Diego Vale de Medeiros

2 8.1 PRINCÍPIOS QUE REGEM A EXECUÇÃO DAS MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS A PARTIR DA LEI 12594/12 I- LEGALIDADE, não podendo o adolescente receber tratamento mais gravoso do que o conferido ao adulto; II - EXCEPCIONALIDADE DA INTERVENÇÃO JUDICIAL e da imposição de medidas, favorecendo-se meios de AUTOCOMPOSIÇÃO DE CONFLITOS; III - PRIORIDADE A PRÁTICAS OU MEDIDAS QUE SEJAM RESTAURATIVAS e, sempre que possível, atendam às NECESSIDADES DAS VÍTIMAS; IV - PROPORCIONALIDADE em relação à ofensa cometida; V-BREVIDADE DA MEDIDA EM RESPOSTA AO ATO COMETIDO, em especial o respeito ao que dispõe o art. 122 da Lei n o 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente);

3 VI - INDIVIDUALIZAÇÃO, considerando-se a idade, capacidades e circunstâncias pessoais do adolescente; VII - MÍNIMA INTERVENÇÃO, restrita ao necessário para a realização dos objetivos da medida; VIII - NÃO DISCRIMINAÇÃO DO ADOLESCENTE, notadamente em razão de etnia, gênero, nacionalidade, classe social, orientação religiosa, política ou sexual, ou associação ou pertencimento a qualquer minoria ou status; e IX - FORTALECIMENTO DOS VÍNCULOS FAMILIARES e comunitários no processo socioeducativo.

4 8.2 Advertência Art (...) Parágrafo único. A advertência poderá ser aplicada sempre que houver prova da materialidade e indícios suficientes da autoria. Art A advertência consistirá em admoestação verbal, que será reduzida a termo e assinada.

5 8.3 Obrigação de Reparar o Dano Art Em se tratando de ato infracional com reflexos patrimoniais, a autoridade poderá determinar, se for o caso, que o adolescente restitua a coisa, promova o ressarcimento do dano, ou, por outra forma, compense o prejuízo da vítima. Parágrafo único. Havendo manifesta impossibilidade, a medida poderá ser substituída por outra adequada.

6 8.4 Prestação de Serviço à Comunidade Art A prestação de serviços comunitários consiste na realização de tarefas gratuitas de interesse geral, por período não excedente a seis meses, junto a entidades assistenciais, hospitais, escolas e outros estabelecimentos congêneres, bem como em programas comunitários ou governamentais. Parágrafo único. As tarefas serão atribuídas conforme as aptidões do adolescente, devendo ser cumpridas durante jornada máxima de oito horas semanais, aos sábados, domingos e feriados ou em dias úteis, de modo a não prejudicar a freqüência à escola ou à jornada normal de trabalho.

7 8.5 Liberdade Assistida Art A liberdade assistida será adotada sempre que se afigurar a medida mais adequada para o fim de acompanhar, auxiliar e orientar o adolescente. 1º A autoridade designará pessoa capacitada para acompanhar o caso, a qual poderá ser recomendada por entidade ou programa de atendimento. 2º A liberdade assistida será fixada pelo prazo mínimo de seis meses, podendo a qualquer tempo ser prorrogada, revogada ou substituída por outra medida, ouvido o orientador, o Ministério Público e o defensor.

8 8.6 Semiliberdade Art. 120 O regime de semiliberdade pode ser determinado desde o início, oucomoforma de transição para o meio aberto, possibilitada a realização de atividades externas, independentemente de autorização judicial. 1º É obrigatória a escolarização e a profissionalização, devendo, sempre que possível, ser utilizados os recursos existentes na comunidade. 2ºA medida não comporta prazo determinado, aplicando-se no que couber, as disposições relativas à internação.

9 8.7 Internação Art A internação constitui medida privativa da liberdade, sujeita aos princípios de brevidade, excepcionalidade erespeito à condição peculiar de pessoa em desenvolvimento. 1º Será permitida a realização de atividades externas, a critério da equipe técnica da entidade, salvo expressa determinação judicial em contrário. 2ºA medida não comporta prazo determinado, devendo sua manutenção ser reavaliada, mediante decisão fundamentada, no máximo a cada seis meses.

10 3ºEmnenhuma hipótese operíodomáximodeinternação excederáatrêsanos. 4ºAtingidoolimite estabelecido no parágrafo anterior, o adolescente deverá ser liberado, colocado em regime de semiliberdade ou de liberdade assistida. 8.8 Internação e Internação Sanção 5ºAliberação será compulsória aos vinte e um anos de idade. 6º Em qualquer hipótese a desinternação será precedida de autorização judicial, ouvido o Ministério Público.

11 7º A determinação judicial mencionada no 1º poderá ser revista a qualquer tempo pela autoridade judiciária. (Lei ) Art A medida de internação só poderá ser aplicada quando: I-tratar-sedeato infracional cometido mediante grave ameaça ou violência a pessoa; II - por reiteração no cometimento de outras infrações graves; III - por descumprimento reiterado e injustificável da medida anteriormente imposta. 1º O prazo de internação na hipótese do inciso III deste artigo não poderá ser superior a 3 (três) meses, devendoserdecretada judicialmente após o devido processo legal. (Lei nº )

12 2ºEm nenhuma hipótese será aplicada a internação, havendo outra medida adequada. Art A internação deverá ser cumprida em entidade exclusiva para adolescentes, em local distinto daquele destinado ao abrigo, obedecida rigorosa separação por critérios de idade, compleição física e gravidade da infração. Parágrafo único. Durante o período de internação, inclusive provisória, serão obrigatórias atividades pedagógicas.

13 (OAB/Exame Unificado ) Acerca da medida socioeducativa de internação, prevista no ECA, assinale a opção correta. (A)Comprovada a autoria e materialidade de ato infracional considerado hediondo, tal como o tráfico de entorpecentes, ao adolescente infrator deve, necessariamente, ser aplicada medida socioeducativa de internação. (B)O adolescente que atinge os 18 anos de idade deve ser compulsoriamente liberado da medida socioeducativa de internação em razão do alcance da maioridade penal. (C)No processo para apuração de ato infracional de adolescente, não se exige defesa técnica por advogado. (D)A medida socioeducativa de internação não comporta prazo determinado, devendo sua manutenção ser reavaliada, mediante decisão fundamentada, no máximo a cada 6 meses.

14 (OAB/Exame Unificado ) Acerca da medida socioeducativa de internação, prevista no ECA, assinale a opção correta. (D)A medida socioeducativa de internação não comporta prazo determinado, devendo sua manutenção ser reavaliada, mediante decisão fundamentada, no máximo a cada 6 meses. Gabarito "D"

ECA ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

ECA ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ECA ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 01. Segundo o eca, Artigo 36, a tutela será deferida, nos termos da lei civil, a pessoa de até: (A) 12 anos incompletos. (B) 14 anos incompletos. (C) 16 anos incompletos.

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente

Estatuto da Criança e do Adolescente Estatuto da Criança e do Adolescente Material Teórico Atos Infracionais e Medidas Socioeducativas Responsável pelo Conteúdo: Profa. Ms. Reinaldo Zychan de Moraes Revisão Textual: Profa. Esp. Márcia Ota

Leia mais

LEGISLAÇÃO ESPECIAL PARA ANALISTA JUDICIÁRIO PACOTE TJDFT PROFESSOR: MARCOS GIRÃO

LEGISLAÇÃO ESPECIAL PARA ANALISTA JUDICIÁRIO PACOTE TJDFT PROFESSOR: MARCOS GIRÃO AULA 03 Caro futuro Analista do TJDFT, Nesta aula, finalizaremos nosso estudo sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente abordando assuntos importantes e, certamente, os mais cobrados em questões de

Leia mais

Direito da Criança e do Adolescente

Direito da Criança e do Adolescente CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito da Criança e do Adolescente CERT 7ª Fase Promotor de Justiça Artigos 81 ao 130, ECA Período 2006-2016 1) Com. Exam. (MPE SP) - PJ - 2015 Direito da Criança e do

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 67, DE 16 DE MARÇO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº 67, DE 16 DE MARÇO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº 67, DE 16 DE MARÇO DE 2011. Dispõe sobre a uniformização das fiscalizações em unidades para cumprimento de medidas socioeducativas de internação e de semiliberdade pelos membros do Ministério

Leia mais

ECA ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

ECA ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ECA ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 01. Segundo a ECA (Estatuto da Criança e Adolescente) a creche e a pré-escola será gratuita para: (A) Crianças até 3 anos. (B) Crianças de 0 a 6 anos de idade.

Leia mais

RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROVA FGV TJ/GO. RAFAEL TREVIZOLI NEVES PSICÓLOGO CRP 06/ COLABORADOR EducaPsico

RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROVA FGV TJ/GO. RAFAEL TREVIZOLI NEVES PSICÓLOGO CRP 06/ COLABORADOR EducaPsico RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROVA FGV TJ/GO RAFAEL TREVIZOLI NEVES PSICÓLOGO CRP 06/107847 COLABORADOR EducaPsico Agosto/2014 RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROVA - FGV Tribunal de Justiça do Estado de Goiás Analista

Leia mais

CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 15, DE 11 DE JUNHO DE 2012.

CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 15, DE 11 DE JUNHO DE 2012. PROVIMENTO Nº 15, DE 11 DE JUNHO DE 2012. Disciplina a execução das medidas socioeducativas de liberdade assistida e prestação de serviços à comunidade, bem como as de internação e de semiliberdade nas

Leia mais

TESES INSTITUCIONAIS INFÂNCIA E JUVENTUDE INFRACIONAL

TESES INSTITUCIONAIS INFÂNCIA E JUVENTUDE INFRACIONAL TESES INSTITUCIONAIS INFÂNCIA E JUVENTUDE INFRACIONAL SÚMULA 01: Não cabe medida socioeducativa de internação por ato infracional de tráfico de entorpecentes, exceto nos casos de reiteração em ato infracional

Leia mais

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Aula 7 Apuração do Ato Infracional Prof. Diego Vale de Medeiros 7.1 Característica do Ato infracional Art. 103. Considera-se ato infracional a conduta descrita como

Leia mais

IASES. Gerência de MSE em Meio Aberto do Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo - IASES

IASES. Gerência de MSE em Meio Aberto do Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo - IASES IASES Gerência de MSE em Meio Aberto do Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo - IASES Cenário Estadual da Trajetória da Instituição de Atendimento Socioeducativo 1967 FESBEM Fundação

Leia mais

Aula demonstrativa Estatuto da Criança e do Adolescente Prof. Aloizio Medeiros

Aula demonstrativa Estatuto da Criança e do Adolescente Prof. Aloizio Medeiros Aula demonstrativa Estatuto da Criança e do Adolescente Prof. Aloizio Medeiros AULA 0 INTRODUÇÃO AO ECA Solução de questões Aula 01 Arts. 7 ao 24. Solução de questões Aula 02 Arts. 53 ao 69, 141, 143,

Leia mais

Conselheira Meliane Higa Cimatti Conselho Tutelar Norte

Conselheira Meliane Higa Cimatti Conselho Tutelar Norte Conselheira Meliane Higa Cimatti Conselho Tutelar Norte O Conselho Tutelar é um instrumento fundamental de defesa dos direitos da criança e do adolescente. Ele existe para corrigir os desvios dos que,

Leia mais

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Aula 5 DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR Prof. Diego Vale de Medeiros 5.1 PRINCÍPIOS INCORPORADOS COM A LEI 12010/09 NA APLICAÇÃO DAS MEDIDAS DE PROTEÇÃO Novos Princípios

Leia mais

Art. 2 o A Lei n o 8.069, de 13 de julho de 1990, Estatuto da Criança e do Adolescente, passa a vigorar com as seguintes alterações:

Art. 2 o A Lei n o 8.069, de 13 de julho de 1990, Estatuto da Criança e do Adolescente, passa a vigorar com as seguintes alterações: Dispõe sobre responsabilização de adolescentes por atos infracionais e institui sistema de responsabilidade progressiva para atos infracionais de extremada gravidade; altera as Leis n os 8.069, de 13 de

Leia mais

Entidades de Atendimento ao Idoso

Entidades de Atendimento ao Idoso Entidades de Atendimento ao Idoso São responsáveis pela manutenção das próprias unidades, observadas as normas de planejamento e execução emanadas do órgão competente da Política Nacional do Idoso (art.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça HABEAS CORPUS Nº 50.582 - SP (2005/0199175-2) RELATOR IMPETRANTE IMPETRADO PACIENTE : MINISTRO PAULO MEDINA : FLÁVIO AMÉRICO FRASSETO - PROCURADORIA DA ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO

Leia mais

PARECER TÉCNICO A RESPEITO DO PL N 2.517/ I. CONSIDERAÇÕES ACERCA DO PROJETO DE LEI N 2517/2015 APROVADO NO SENADO EM 14 DE JULHO DE 2015

PARECER TÉCNICO A RESPEITO DO PL N 2.517/ I. CONSIDERAÇÕES ACERCA DO PROJETO DE LEI N 2517/2015 APROVADO NO SENADO EM 14 DE JULHO DE 2015 PARECER TÉCNICO A RESPEITO DO PL N 2.517/2015 1 O presente parecer comenta as sugestões de alteração legislativa propostas no PLS n 333/2015, de autoria do Senador Federal José Serra, na forma de seu substitutivo,

Leia mais

RELAÇÕES POSSÍVEIS ENTRE O ECA E A LEI /2006

RELAÇÕES POSSÍVEIS ENTRE O ECA E A LEI /2006 RELAÇÕES POSSÍVEIS ENTRE O ECA E A LEI 11.343/2006 LUCIANA LINERO Promotora de Justiça Centro de Apoio Operacional das Promotorias da Criança e do Adolescente MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ A política

Leia mais

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Sexta-feira, 6 de Dezembro de 2013 Ano XIX - Edição N.: 4451 Poder Executivo Secretaria Municipal de Políticas Sociais - CMDCA RESOLUÇÃO CMDCA/BH Nº 102/2013 Dispõe sobre a política municipal para execução

Leia mais

FEMA- FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO MUNICÍPIO DE ASSIS BACHAREL EM DIREITO TÁSSIA APARECIDA DE PAULO PEREIRA

FEMA- FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO MUNICÍPIO DE ASSIS BACHAREL EM DIREITO TÁSSIA APARECIDA DE PAULO PEREIRA FEMA- FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO MUNICÍPIO DE ASSIS BACHAREL EM DIREITO TÁSSIA APARECIDA DE PAULO PEREIRA CONSIDERAÇÕES SOBRE O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Assis, 20 de Agosto de 2013 TÁSSIA APARECIDA

Leia mais

Material de Apoio Prof. Fernando Tadeu Marques Apontamentos de Direito Penal. Da suspensão condicional da pena - Sursis (arts.

Material de Apoio Prof. Fernando Tadeu Marques Apontamentos de Direito Penal. Da suspensão condicional da pena - Sursis (arts. Da suspensão condicional da pena - Sursis (arts. 77 ao 82, CP) Conceito A suspensão condicional da pena, também conhecida por sursis, pode ser conceituada como a suspensão parcial da execução da pena privativa

Leia mais

Direito da Criança e do Adolescente

Direito da Criança e do Adolescente CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito da Criança e do Adolescente 1) CESPE - PJ (MPE RR)/MPE RR/2012 Direito da Criança e do Adolescente Assinale a opção correta a respeito dos institutos da guarda,

Leia mais

DANILO HENRIQUE RAVAGNANI PINTAR A FALHA NA APLICAÇÃO DA MEDIDA SÓCIO-EDUCATIVA DE INTERNAÇÃO DO ECA.

DANILO HENRIQUE RAVAGNANI PINTAR A FALHA NA APLICAÇÃO DA MEDIDA SÓCIO-EDUCATIVA DE INTERNAÇÃO DO ECA. DANILO HENRIQUE RAVAGNANI PINTAR A FALHA NA APLICAÇÃO DA MEDIDA SÓCIO-EDUCATIVA DE INTERNAÇÃO DO ECA. Assis - SP 2010 DANILO HENRIQUE RAVAGNANI PINTAR A FALHA NA APLICAÇÃO DA MEDIDA SÓCIO-EDUCATIVA DE

Leia mais

PARECER Nº, DE Relator: Senador JOSÉ PIMENTEL

PARECER Nº, DE Relator: Senador JOSÉ PIMENTEL PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre o Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 333, de 2015, do Senador José Serra, que altera o Decreto-Lei nº 2.848 de 7 de dezembro de

Leia mais

Resolução CONANDA nº 117 de 11/07/2006

Resolução CONANDA nº 117 de 11/07/2006 Resolução CONANDA nº 117 de 11/07/2006 Publicado no DO em 12 jul 2006 Altera dispositivos da Resolução nº 113/2006, que dispõe sobre os parâmetros para a institucionalização e fortalecimento do Sistema

Leia mais

Estatuto da Criança e Adolescente Lei 8.069/90 Convenção Pan-americana sobre os Direitos da Criança Prof. Gladson Miranda

Estatuto da Criança e Adolescente Lei 8.069/90 Convenção Pan-americana sobre os Direitos da Criança Prof. Gladson Miranda Estatuto da Criança e Adolescente Lei 8.069/90 Convenção Pan-americana sobre os Direitos da Criança Prof. Gladson Miranda Interpretação do ECA Na interpretação do ECA, devem ser considerados os fins sociais

Leia mais

PROCESSO DE ESCOLHA UNIFICADO DOS CONSELHEIROS TUTELARES PROVA ESCRITA. Instruções para realização da prova

PROCESSO DE ESCOLHA UNIFICADO DOS CONSELHEIROS TUTELARES PROVA ESCRITA. Instruções para realização da prova CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE RIO DO SUL SC PROCESSO DE ESCOLHA UNIFICADO DOS CONSELHEIROS TUTELARES PROVA ESCRITA Instruções para realização da prova 1. Esta prova contem:

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente

Estatuto da Criança e do Adolescente DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR O ECA define três modalidades de família. São elas: NATURAL (art. 25, Caput) EXTENSA OU AMPLIADA (art. 25, único) SUBSTITUTA (art. 28) NATURAL Entende-se por família natural

Leia mais

XXII EXAME DE ORDEM ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PROF.ª MAÍRA ZAPATER

XXII EXAME DE ORDEM ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PROF.ª MAÍRA ZAPATER XXII EXAME DE ORDEM ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PROF.ª MAÍRA ZAPATER Noções introdutórias A doutrina da proteção integral Art. 1º Esta Lei dispõe sobre a proteção integral à criança e ao adolescente.

Leia mais

ASPECTOS PENAIS DO ECA (ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE) E DO ESTATUTO DA JUVENTUDE

ASPECTOS PENAIS DO ECA (ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE) E DO ESTATUTO DA JUVENTUDE ASPECTOS PENAIS DO ECA (ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE) E DO ESTATUTO DA JUVENTUDE COUTO, Leonardo Martins (Direito, correspondência leonardomartinscouto@hotmail.com) LEITE, Sthefanie Ferreira (Direito,

Leia mais

II INFÃNCIA EM FOCO O ATO INFRACIONAL E (IN)DISCIPLINAR NO CONTEXTO ESCOLAR: busca de alternativas com trabalhos em parceria

II INFÃNCIA EM FOCO O ATO INFRACIONAL E (IN)DISCIPLINAR NO CONTEXTO ESCOLAR: busca de alternativas com trabalhos em parceria II INFÃNCIA EM FOCO - 2006 O ATO INFRACIONAL E (IN)DISCIPLINAR NO CONTEXTO ESCOLAR: busca de alternativas com trabalhos em parceria Msc. Celeste Aparecida Dias (IN)DISCIPLINAR NO CONTEXTO OBJETIVO Caracterizar

Leia mais

XXIII EXAME DE ORDEM ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PROFª MAÍRA ZAPATER

XXIII EXAME DE ORDEM ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PROFª MAÍRA ZAPATER XXIII EXAME DE ORDEM ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PROFª MAÍRA ZAPATER Noções introdutórias A doutrina da proteção integral Art. 1º Esta Lei dispõe sobre a proteção integral à criança e ao adolescente.

Leia mais

LEI N /90 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Prof. Thábata Filizola Roteiro de Estudos

LEI N /90 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Prof. Thábata Filizola Roteiro de Estudos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA 1. Direito/dever constitucional (art. 227): Assegurar direitos proteger contra negligência, discriminação, violência, etc. - proteção à infância (art. 6º) 2. Outros dispositivos

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça HABEAS CORPUS Nº 269.966 - SP (2013/0137589-6) RELATOR IMPETRANTE ADVOGADO IMPETRADO PACIENTE : MINISTRO SEBASTIÃO REIS JÚNIOR : DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO : DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO

Leia mais

Instruções: iv. O penúltimo candidato a terminar seu teste deverá aguardar a que o último termine para sair da sala. Questões:

Instruções: iv. O penúltimo candidato a terminar seu teste deverá aguardar a que o último termine para sair da sala. Questões: Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Timbó - SC Teste de Qualificação para os Candidatos ao Conselho Tutelar Novembro de 2010 Número do Nota Candidato Instruções: i. Marque seu

Leia mais

ECA ESTATUTO DA CRIANÇA E ADOLESCENTE

ECA ESTATUTO DA CRIANÇA E ADOLESCENTE Thiago Flávio E-mail: thiagofgnaves@gmail.com Lei Federal que trata sobre os direitos das crianças e adolescentes em todo o Brasil; A Lei está dividida em duas partes: geral e especial; A parte GERAL são

Leia mais

CENTRODE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE DIREITO FULANO DE TAL

CENTRODE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE DIREITO FULANO DE TAL CENTRODE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE DIREITO FULANO DE TAL A MEDIDA SOCIOEDUCATIVA DE INTERNAÇÃO E A RESSOCIALIZAÇÃO DOS ADOLESCENTES INFRATORES EM AMAPÁ NO PERÍODO DE 2010 A 2011 MACAPÁ 2012 CENTRODE

Leia mais

Questões V ou

Questões V ou LEI 8.112/1990 Questões V ou F @CONCURSEIROESTÚPIDO Informações: Este material contém questões de Verdadeiro ou Falso, sobre a Lei 8.112/1990 Estatuto dos Servidores Públicos Federais. São 210 questões

Leia mais

WALLACE FRANÇA ESTATUDO DO IDOSO E ECA

WALLACE FRANÇA ESTATUDO DO IDOSO E ECA WALLACE FRANÇA ESTATUDO DO IDOSO E ECA 1. (Ano: 2015 Banca: CONSULPLAN Órgão: TJ-MG) Prova: Titular de Serviços de Notas e de Registros Quanto à legislação especial, assinale a alternativa (ADAPTADA):

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente

Estatuto da Criança e do Adolescente Estatuto da Criança e do Adolescente Parte Especial Professor André Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Estatuto da Criança e do Adolescente PARTE ESPECIAL TÍTULO I Da Política de Atendimento CAPÍTULO

Leia mais

Língua Portuguesa Protestos contra a redução da maioridade penal marcam os 25 anos do ECA Movimentos sociais e entidades ligadas à defesa dos direitos

Língua Portuguesa Protestos contra a redução da maioridade penal marcam os 25 anos do ECA Movimentos sociais e entidades ligadas à defesa dos direitos Caderno de Provas EDITAL Nº 001/2015-FUNDAC/RN AGENTE EDUCACIONAL - 30 de agosto de 2015 - INSTRUÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA 01. Use apenas caneta esferográfica, confeccionada em material transparente,

Leia mais

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL MEDIA COMPLEXIDADE

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL MEDIA COMPLEXIDADE OBJETIVO: Prestar atendimento especializado às famílias e indivíduos cujos direitos tenham sido ameaçados ou violados e/ou que já tenha ocorrido rompimento familiar ou comunitário. PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL

Leia mais

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XX

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XX PROCESSO PENAL MARATONA OAB XX AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA RESOLUÇÃO 213/15 RESOLUÇÃO Nº 213/15 - CNJ Art. 1º Determinar que toda pessoa presa em flagrante delito, independentemente da motivação ou natureza

Leia mais

LEI Nº , DE 18 DE JANEIRO DE 2012 (Lei do SINASE)

LEI Nº , DE 18 DE JANEIRO DE 2012 (Lei do SINASE) Página1 LEI Nº 12.594, DE 18 DE JANEIRO DE 2012 (Lei do SINASE) De que trata a lei? Institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase); Regulamenta a execução das medidas socioeducativas

Leia mais

Ponto 12 do plano de ensino

Ponto 12 do plano de ensino Ponto 12 do plano de ensino Livramento condicional: conceito e natureza jurídica, requisitos (objetivos e subjetivos), concessão, condições, revogação obrigatória e revogação facultativa, prorrogação,

Leia mais

3º Fórum de Pediatria/CFM

3º Fórum de Pediatria/CFM 3º Fórum de Pediatria/CFM Fundamentos éticos e legais do atendimento a vítimas de violência Aspectos Legais José Alejandro Bullón Coordenador Jurídico do CFM Aspectos legais do atendimento vítimas de violência

Leia mais

S u m á r i o. Capítulo 1 Conceitos Capítulo 2 Aplicação do ECA Princípio da Proteção Integral da Criança e do Adolescente...

S u m á r i o. Capítulo 1 Conceitos Capítulo 2 Aplicação do ECA Princípio da Proteção Integral da Criança e do Adolescente... S u m á r i o Capítulo 1 Conceitos... 1 1. Nascituro...1 2. Criança...6 3. Adolescente...6 4. Menor Adulto ou Jovem (EC n o 65/2010)...7 5. Adulto...8 Capítulo 2 Aplicação do ECA... 13 Capítulo 3 Princípio

Leia mais

FUNDAMENTOS JURÍDICOS DE APLICABILIDADE DAS MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS: ASPECTOS RELEVANTES ACERCA DOS MENORES EM CONFLITO COM A LEI

FUNDAMENTOS JURÍDICOS DE APLICABILIDADE DAS MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS: ASPECTOS RELEVANTES ACERCA DOS MENORES EM CONFLITO COM A LEI FUNDAMENTOS JURÍDICOS DE APLICABILIDADE DAS MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS: ASPECTOS RELEVANTES ACERCA DOS MENORES EM CONFLITO COM A LEI LEGAL BASES FOR THE APPLICABILITY OF SOCIO-EDUCATIONAL MEASURES: RELEVANT

Leia mais

LIVRAMENTO CONDICIONAL

LIVRAMENTO CONDICIONAL LIVRAMENTO CONDICIONAL Arts. 83 a 90 do CP e 131 e s. da LEP. Consagrado no CP de 1890, mas com efetiva aplicação pelo Decreto 16.665 de 1924. É mais uma tentativa de diminuir os efeitos negativos da prisão.

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS 2015 REGIME DISCIPLINAR DISCENTE DISTRIBUIÇÃO DE PONTOS APROVAÇÃO RECUPERAÇÃO REPROVAÇÃO SEGUNDA CHAMADA DE AVALIAÇÕES REVISÃO DOS RESULTADOS ELOIZA

Leia mais

OBJETIVOS DA AULA 03/09/2009 POLÍTICA SOCIAL SETORIAL: INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA AULA 3 ECA: UMA LEI ESPECÍFICA NA ÁREA DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA

OBJETIVOS DA AULA 03/09/2009 POLÍTICA SOCIAL SETORIAL: INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA AULA 3 ECA: UMA LEI ESPECÍFICA NA ÁREA DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA POLÍTICA SOCIAL SETORIAL: INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA DATA: 08/09/09 AULA 3 ECA: UMA LEI ESPECÍFICA NA ÁREA DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA PROFESSORAS: Suely Quixabeira Arely Soares Lúcia Helena Anastácio OBJETIVOS

Leia mais

Ponto 6 do plano de ensino: Penas restritivas de direito.

Ponto 6 do plano de ensino: Penas restritivas de direito. Ponto 6 do plano de ensino: Penas restritivas de direito. Espécies: prestação pecuniária, perda de bens e valores, prestação de serviços à comunidade ou a entidades públicas, interdição temporária de direitos

Leia mais

Constituição de 1988

Constituição de 1988 Constituição de 1988 Mas o que é constituição Conjunto de regras e normas estabelecidas pela sociedade para se governar. Ela é a Carta Magna ( Latim:Grande Carta) de uma E nação. Carta Magna = Constituição

Leia mais

LEI Nº 8.069/1990 E ALTERAÇÕES (ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE).

LEI Nº 8.069/1990 E ALTERAÇÕES (ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE). LEI Nº 8.069/1990 E ALTERAÇÕES (ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE). OBS1: As questões foram retiradas da Material Edital em Questões da Polícia Civil da Editora Vestcon, que aborda todas as matérias

Leia mais

+ Da prática do ato infracional

+ Da prática do ato infracional ECA Questões Penais (Reverencio a obra de Guilherme Freire de Melo Barros sobre a temática, que muito me ajudou na exposição das noções sobre o exposto). 24.05.2017 Da prática do ato infracional Capitulo

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente

Estatuto da Criança e do Adolescente Estatuto da Criança e do Adolescente Curso de 80 questões comentadas e inéditas baseado no Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/1990). AULA 01 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. QUESTÕES SEM COMENTÁRIOS...

Leia mais

ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Policial Federal e Polícia Civil 2011 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE EXERCÍCIOS LISTA 1 DE EXERCÍCIO ECA 1. (CESPE/PC PA - 2006) De acordo com a jurisprudência do STJ e do STF, julgue o item: A.

Leia mais

INFÂNCIA INFRACIONAL

INFÂNCIA INFRACIONAL INFÂNCIA INFRACIONAL BREVE HISTÓRICO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 1) BRASIL IMPERIAL Início da preocupação com os infratores Ordenações Filipinas: imputabilidade penal com 7 anos de idade Código

Leia mais

Ministério Público do Estado de Mato Grosso 1ª Promotoria de Justiça Cível de Barra do Bugres-MT

Ministério Público do Estado de Mato Grosso 1ª Promotoria de Justiça Cível de Barra do Bugres-MT NOTIFICAÇÃO RECOMENDATÓRIA nº 003/2015 Considerando o teor de fls. 17/19, o Sr. José Damião é o locador do imóvel em questão, e o Sr. José Limeira da Silva Filho é o locatário, o Promotor de Justiça, oficiante

Leia mais

INTRODUÇÃO. b) direitos previdenciários e trabalhistas. d) pleno e formal conhecimento do ato infracional

INTRODUÇÃO. b) direitos previdenciários e trabalhistas. d) pleno e formal conhecimento do ato infracional ESTUDOS SOBRE O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE LEITURA COMPLEMENTAR: Constituição Federal: arts. 227 a 229 INTRODUÇÃO I TRATAMENTO CONSTITUCIONAL (art. 227 a 229, CF) - art. 227: absoluta prioridade!!!

Leia mais

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Aula 1 Sistema Jurídico dos Direitos da Criança e do Adolescente Prof. Diego Vale de Medeiros 1.1 INTRODUÇÃO Especialização da organização judiciária Contextualização

Leia mais

Da Ordem Social: da família, da criança, do adolescente e do idoso.

Da Ordem Social: da família, da criança, do adolescente e do idoso. Da Ordem Social: da família, da criança, do adolescente e do idoso. Cretella Júnior e Cretella Neto Direito Constitucional III Prof. Dr. João Miguel da Luz Rivero jmlrivero@gmail.com Base da ordem social

Leia mais

Das Penas Parte IV. Aula 4

Das Penas Parte IV. Aula 4 Das Penas Parte IV Aula 4 PENAS RESTRITIVAS DE DIREITO Art 44 - As penas restritivas de direitos são autônomas e substituem as privativas de liberdade [...] Conceito Elas perfazem uma espécie de pena,

Leia mais

CEJUR. Não serão distribuídas folhas suplementares para rascunho nem para texto definitivo.

CEJUR. Não serão distribuídas folhas suplementares para rascunho nem para texto definitivo. CEJUR SELEÇÃO SIMPLIFICADA PARA PREENCHIMENTO DE 4 (QUATRO) VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO RESERVA DE ESTAGIÁRIO DE DIREITO DA DEFENSORIA PÚBLICA DE ALMAS, DIANÓPOLIS E TAGUATINGA, ESTADO DO TOCANTINS Confira

Leia mais

Suspensão Condicional da Pena. Aula 5

Suspensão Condicional da Pena. Aula 5 Suspensão Condicional da Pena Aula 5 SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA Conceito Instituto importado do direito francês consistente na possibilidade de o juiz liberar o condenado do cumprimento da pena privativa

Leia mais

Direito Penal. Livramento Condicional: Conceito e Consequências, Requisitos para a Concessão e Prorrogação do Período de Prova. Professor Adriano Kot

Direito Penal. Livramento Condicional: Conceito e Consequências, Requisitos para a Concessão e Prorrogação do Período de Prova. Professor Adriano Kot Direito Penal Livramento Condicional: Conceito e Consequências, Requisitos para a Concessão e Prorrogação do Período de Prova Professor Adriano Kot www.acasadoconcurseiro.com.br www.estudaquepassa.com.br

Leia mais

O REITOR DA UNVIERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS, no uso de suas atribuições legais e

O REITOR DA UNVIERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS, no uso de suas atribuições legais e CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N.º 001/2001-CONSUNIV DISPÕE sobre o regime disciplinar dos discentes. O REITOR DA UNVIERSIDADE, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO a necessidade de regulamentar

Leia mais

II - afastamento do lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida;

II - afastamento do lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida; Art. 22. Constatada a prática de violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos desta Lei, o juiz poderá aplicar, de imediato, ao agressor, em conjunto ou separadamente, as seguintes medidas

Leia mais

SESSÃO DA TARDE PENAL E PROCESSO PENAL Lei Maria da Penha. Professor: Rodrigo J. Capobianco

SESSÃO DA TARDE PENAL E PROCESSO PENAL Lei Maria da Penha. Professor: Rodrigo J. Capobianco SESSÃO DA TARDE PENAL E PROCESSO PENAL Lei Maria da Penha Professor: Rodrigo J. Capobianco Lei 11.340/06 Protege a mulher a violência doméstica e familiar A violência doméstica não é somente a violência

Leia mais

Direito Penal. Livramento Condicional. Professor Joerberth Nunes.

Direito Penal. Livramento Condicional. Professor Joerberth Nunes. Direito Penal Livramento Condicional Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Penal LIVRAMENTO CONDICIONAL CÓDIGO PENAL TÍTULO V DAS PENAS CAPÍTULO V DO LIVRAMENTO CONDICIONAL Requisitos

Leia mais

MEDIDAS SOCIOEDUCATIVA Centro de Referência Especializado de Assistência Social - CREAS

MEDIDAS SOCIOEDUCATIVA Centro de Referência Especializado de Assistência Social - CREAS MEDIDAS SOCIOEDUCATIVA Centro de Referência Especializado de Assistência Social - CREAS SOCIO MEASURES SPECIALIZED REFERENCE CENTER FOR SOCIAL ASSISTANCE - CREAS MIRANDA, Andreia Matucuma Universidade

Leia mais

ENUNCIADOS DO FONAVID, atualizados até o FONAVID VIII, realizado em Belo Horizonte/MG, entre 09 e 12 de novembro/2016.

ENUNCIADOS DO FONAVID, atualizados até o FONAVID VIII, realizado em Belo Horizonte/MG, entre 09 e 12 de novembro/2016. ENUNCIADOS DO FONAVID, atualizados até o FONAVID VIII, realizado em Belo Horizonte/MG, entre 09 e 12 de novembro/2016. ENUNCIADO 1: Para incidência da Lei Maria da Penha, não importa o período de relacionamento

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO POLÍCIA MILITAR GOIÁS CADETE

CONTROLE DE CONTEÚDO POLÍCIA MILITAR GOIÁS CADETE CONTROLE DE CONTEÚDO POLÍCIA MILITAR GOIÁS CADETE LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO AULA LEITURA LEITURA QUESTÕES REVISÃO 1 Linguagem: como instrumento de ação e interação presente em todas as atividades

Leia mais

1.Visão histórica e princípios: Obs. Art.100 ECA 12 princípios expressos- Lei /09

1.Visão histórica e princípios: Obs. Art.100 ECA 12 princípios expressos- Lei /09 MPU / 2011 1.Visão histórica e princípios: Obs. Art.100 ECA 12 princípios expressos- Lei 12.010/09 Art.100. Parágrafo único. São também princípios que regem a aplicação das medidas: I - condição da criança

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça HABEAS CORPUS Nº 195.777 - RS (2011/0018531-9) RELATORA IMPETRANTE IMPETRADO PACIENTE ADVOGADO : MINISTRA LAURITA VAZ : NORA LAVÍNIA CAMPOS CRUZ - DEFENSORA PÚBLICA : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Da Família, da Criança, do Adolescente e do Idoso Professor André Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional CAPÍTULO VII DA FAMÍLIA, DA CRIANÇA, DO ADOLESCENTE,

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Da Família, da Criança, do Adolescente e do Idoso Professor: André Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional CAPÍTULO VII Da Família, da Criança, do Adolescente,

Leia mais

Prof. Edison Luiz Devos Barlem

Prof. Edison Luiz Devos Barlem Prof. Edison Luiz Devos Barlem O artigo 227 da Constituição Federal de 1988 originou o ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ( ECA ) e diz: É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança

Leia mais

RESOLUÇÃO TSE /2008* 1

RESOLUÇÃO TSE /2008* 1 RESOLUÇÃO TSE 22.901/2008* 1 * 1 Resolução alterada pelas Resoluções TSE 23.386/2012, 23.477/2016 e 23.497/2016. PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 18.456 CLASSE 19ª BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro

Leia mais

Ponto 8 do plano de ensino. Medidas de segurança:

Ponto 8 do plano de ensino. Medidas de segurança: Ponto 8 do plano de ensino Medidas de segurança: Conceito, natureza, sistemas, pressupostos, espécies, duração, locais de internação e tratamento, duração, exame de verificação de cessação de periculosidade,

Leia mais

OBSERVAÇÃO: NÃO HAVERÁ QUALQUER ALTERAÇÃO NA EMENTA E NO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ALUSIVOS À DISCÍPLINA DIREITO PROCESSUAL CIVIL V.

OBSERVAÇÃO: NÃO HAVERÁ QUALQUER ALTERAÇÃO NA EMENTA E NO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ALUSIVOS À DISCÍPLINA DIREITO PROCESSUAL CIVIL V. 1) EM CONFORMIDADE COM OS LIVROS EXISTENTES NA BIBLIOTECA DO CESUT, A DISCÍPLINA DIREITO PROCESSUAL CIVIL V TERÁ AS SEGUINTES OBRAS REFERENCIAIS: THEODORO JÚNIOR, Humberto. Curso de Direito processual

Leia mais

MATÉRIA- LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA GUARDA MUNICIPAL- CTBA

MATÉRIA- LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA GUARDA MUNICIPAL- CTBA -LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990 Estatuto da Criança e Adolescente-ECA Esta Lei dispõe sobre a proteção integral à criança e ao adolescente. Considera-se criança, para os efeitos desta Lei, a pessoa

Leia mais

ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Dos crimes praticados contra crianças e adolescentes Arts. 225 a 244-B, ECA. Atenção para os delitos dos arts. 240 a 241 (A, B, C, D e E), bem como 244-B. Est. do Desarmamento

Leia mais

AULA 04 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; ; LEI DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 04

AULA 04 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; ; LEI DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 04 AULA 04 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 04 CAPÍTULO VII DA FAMÍLIA, DA CRIANÇA, DO ADOLESCENTE E DO

Leia mais

AS MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS NA PERSPECTIVA DO SISTEMA NACIONAL DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO (SINASE) 1

AS MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS NA PERSPECTIVA DO SISTEMA NACIONAL DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO (SINASE) 1 AS MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS NA PERSPECTIVA DO SISTEMA NACIONAL DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO (SINASE) 1 AVILA, Lisélen 2 ; DRUZIAN, Andressa 3 ;AGUINSKY, Beatriz 4 1 Trabalho do tipo bibliográfico 2 Assistente

Leia mais

ÍNDICE VOLUME 1. Semântica: o significado das palavras e das sentenças: linguagem denotativa e conotativa; sinonímia, antonímia e polissemia...

ÍNDICE VOLUME 1. Semântica: o significado das palavras e das sentenças: linguagem denotativa e conotativa; sinonímia, antonímia e polissemia... Polícia Militar do Estado de Goiás PMGO Cadete ÍNDICE VOLUME 1 CONHECIMENTOS GERAIS: Língua Portuguesa: Linguagem: como instrumento de ação e interação presente em todas as atividades humanas; funções

Leia mais

Projeto de Decreto. (Criar uma denominação/nome própria para o programa)

Projeto de Decreto. (Criar uma denominação/nome própria para o programa) Projeto de Decreto Dispõe sobre as atribuições e competência do Programa de Execução de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto, atendendo à Resolução do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente,

Leia mais

Pós Penal e Processo Penal. Legale

Pós Penal e Processo Penal. Legale Pós Penal e Processo Penal Legale LEI 12.403/11 (continuação) Introdução Principais alterações: Da Prisão Domiciliar O Capítulo IV mudou o seu foco. Da Prisão Domiciliar O Capítulo IV mudou o seu foco.

Leia mais

PORTARIA No- 204, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2016

PORTARIA No- 204, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2016 PORTARIA No- 204, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2016 Define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços de saúde públicos e privados em todo o território

Leia mais

Pós Penal e Processo Penal. Legale

Pós Penal e Processo Penal. Legale Pós Penal e Processo Penal Legale EXECUÇÃO PENAL 1. LEP - Estrutura A LEP Lei das Execuções Penais é estruturada da seguinte forma: - Do objeto e aplicação da LEP - Do condenado e do internado - Dos órgãos

Leia mais

Legislação da Criança e do Adolescente Prof. Marcos Girão 1-) Resolução CONANDA nº 113/2006

Legislação da Criança e do Adolescente Prof. Marcos Girão 1-) Resolução CONANDA nº 113/2006 Legislação da Criança e do Adolescente Prof. Marcos Girão 1-) Resolução CONANDA nº 113/2006 O Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente constitui-se, nos níveis Federal, Estadual, Distrital

Leia mais

Prof. Marcelo Lebre. Crimes Hediondos. Noções Gerais sobre a Lei nº 8.071/1990

Prof. Marcelo Lebre. Crimes Hediondos. Noções Gerais sobre a Lei nº 8.071/1990 Prof. Marcelo Lebre Crimes Hediondos Noções Gerais sobre a Lei nº 8.071/1990 1. INTRODUÇÃO 1.1. Previsão Constitucional art. 5º, inciso XLIII CF/1988 - A lei considerará crimes inafiançáveis e insuscetíveis

Leia mais

PORTARIA VEP 001 DE 14 DE MARÇO DE 2017

PORTARIA VEP 001 DE 14 DE MARÇO DE 2017 PORTARIA 001 DE 14 DE MARÇO DE 2017 Dispõe sobre o calendário e os requisitos para o gozo das Saídas Temporárias no ano de 2017, no âmbito do sistema penitenciário do Distrito Federal. A Doutora LEILA

Leia mais

PALAVRAS CHAVE garantia de direitos - defesa de adolescentes ações educativas.

PALAVRAS CHAVE garantia de direitos - defesa de adolescentes ações educativas. 7. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA PERFIL DOS ADOLESCENTES ENVOLVIDOS COM A PRÁTICA DE ATOS INFRACIONAIS ATENDIDOS PELO NÚCLEO DE ESTUDOS E DEFESA DOS

Leia mais

A Família na legislação - Constituição Federal de 1988

A Família na legislação - Constituição Federal de 1988 1 Texto 1- AULA 7 ALGUMAS REFERENCIAS LEGAIS PARA O TRABALHO COM FAMILIAS DE ADOLESCENTES COM MEDIDA SOCIOEDUCATIVA A Família na legislação - Constituição Federal de 1988 Art. 226: A Família, base da sociedade,

Leia mais

Pág. 25 Item 3.5. Direitos do preso

Pág. 25 Item 3.5. Direitos do preso Atualização Pág. 25 Item 3.5. Direitos do preso Segundo parágrafo e continuação na pág. 26: Texto no livro: O caput do art. 306 do Código de Processo Penal possui a mesma redação do referido inciso LXII,

Leia mais

TÍTULO: CRIANÇA E ADOLESCENTE EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA RESTRITIVA DE LIBERDADE: ASPECTOS NORMATIVOS.

TÍTULO: CRIANÇA E ADOLESCENTE EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA RESTRITIVA DE LIBERDADE: ASPECTOS NORMATIVOS. TÍTULO: CRIANÇA E ADOLESCENTE EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA RESTRITIVA DE LIBERDADE: ASPECTOS NORMATIVOS. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: DIREITO INSTITUIÇÃO:

Leia mais

Adriana Cunha do AMARAL 1 Ana Clara Amado SANTOS 2 Isabelle Almeida de OLIVEIRA 3 Juliene Aglio PARRÃO 4 2 ECA - ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Adriana Cunha do AMARAL 1 Ana Clara Amado SANTOS 2 Isabelle Almeida de OLIVEIRA 3 Juliene Aglio PARRÃO 4 2 ECA - ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE O ADOLESCENTE EM CUMPRIMENTO DE MEDIDAS SÓCIOEDUCATIVAS DE LIBERDADE ASSISTIDA E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Á COMUNIDADE NO CENTRO DE REFERENCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL. Adriana Cunha do AMARAL

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº A DE 2010

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº A DE 2010 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 7.672-A DE 2010 EMENDA DE REDAÇÃO Altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que dispõe sobre o Estatuto da Criança

Leia mais