Instruções: iv. O penúltimo candidato a terminar seu teste deverá aguardar a que o último termine para sair da sala. Questões:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instruções: iv. O penúltimo candidato a terminar seu teste deverá aguardar a que o último termine para sair da sala. Questões:"

Transcrição

1 Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Timbó - SC Teste de Qualificação para os Candidatos ao Conselho Tutelar Novembro de 2010 Número do Nota Candidato Instruções: i. Marque seu número no espaço respectivo, conforme a lista de presenças; ii. Leia com atenção às questões e marque a(s) alternativa(s) pertinente(s) utilizando caneta, sem rasurar; iii. O teste poderá ser entregue preenchido e o candidato poderá se retirar da sala a partir de 30 minutos do início da aplicação; iv. O penúltimo candidato a terminar seu teste deverá aguardar a que o último termine para sair da sala. Questões: 1. A doutrina da Proteção Integral, constante do Estatuto da Criança e do Adolescente, veio substituir, em termos jurídicos, institucionais e pedagógicos, a concepção anterior, que é chamada de: a. ( ) Doutrina da Situação Integral b. ( ) Doutrina da Situação Irregular c. ( ) Doutrina da Proteção Compartilhada d. ( ) Doutrina do Bem-estar Social e. ( ) Doutrina da Proteção Irregular 2. Dentre os listados abaixo, qual deles NÃO é um Direito da Criança e do Adolescente, constante no Estatuto (Lei Federal 8069/90)? a. ( ) Convivência Familiar b. ( ) Liberdade c. ( ) Dignidade d. ( ) Brincadeiras adequadas a cada faixa de idade e. ( ) Profissionalização 3. Quem e como pode reverter uma decisão do Conselho Tutelar? a. ( ) O Promotor Público, através de ofício encaminhado ao Conselho Tutelar. b. ( ) O Prefeito Municipal, através de uma portaria. c. ( ) O Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente, através de Resolução. d. ( ) A Secretaria Municipal da Assistência Social, através de parecer da equipe técnica. e. ( ) O Juiz da Comarca, através de sentença judicial. 4. Sobre a posição do Conselho Tutelar em relação aos demais órgãos, é correto afirmar: a. ( ) O Conselho Tutelar é remunerado pela Prefeitura Municipal e a ela é subordinado. b. ( ) O Conselho Tutelar é subordinado ao Ministério Público que também é encarregado de zelar pelos direitos c. ( ) O Conselho Tutelar é autônomo e apenas vinculado à Prefeitura Municipal. d. ( ) O Conselho Tutelar é subordinado somente ao Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente. e. ( ) O Conselho Tutelar é vinculado ao Poder Judiciário e remunerado pela Prefeitura Municipal. 5. Em relação às atribuições do Conselho Tutelar, assinale (V) para verdadeiro, e (F) para falso e assinale a alternativa que corresponde ao resultado apurado: ( ) O Conselho Tutelar pode requisitar serviços públicos nas áreas de Educação, Saúde, Assistência Social, Previdência, Trabalho e Segurança. ( ) O Conselho Tutelar pode determinar a perda do Poder Familiar, quando o direito da criança ou adolescente estejam sob grave ameaça. ( ) Cabe ao Conselho Tutelar assessorar o Poder Público Municipal na elaboração do orçamento público para a Proteção 1

2 ( ) O Conselho Tutelar não pode tomar quaisquer medidas em relação aos pais ou responsáveis por crianças ou adolescentes. ( ) A fiscalização dos programas de atendimento à criança e ao adolescentes é uma das atribuições do Conselho Tutelar. a. ( ) V, V, V, F, V b. ( ) V, F, V, F, V c. ( ) F, V, V, F, F d. ( ) V, F, F, V, F 6. Em relação ao ato infracional, podemos afirmar: a. ( ) Compete ao Conselho Tutelar aplicar medidas sócio-protetivas às crianças autoras de ato infracional. b. ( ) Não compete ao Conselho Tutelar qualquer providência relacionada ao ato infracional c. ( ) Compete ao Conselho Tutelar aplicar medidas socioeducativas aos adolescentes autores de ato infracional. d. ( ) Compete ao Conselho Tutelar executar as medidas socioeducativas aos adolescentes com medidas aplicadas pelo Poder Judiciário. e. ( ) Compete ao Conselho Tutelar defender perante o Juiz, os adolescentes a quem se atribua a autoria de ato infracional. 7. O Direito à educação NÃO compreende: a. ( ) O preparo da criança e do adolescente para o exercício da cidadania. b. ( ) O direito de contestar os critérios avaliativos utilizados na escola. c. ( ) A participação da família na definição das propostas educacionais. d. ( ) A escolha da escola pública de preferência da família. e. ( ) Organização e participação em entidades estudantis. 8. A relação entre Violência e Maus-tratos pode ser caracterizada como: a. ( ) É caso de Violência quando ocorre agressão física e Maus-tratos, quando a agressão é psicológica. b. ( ) Não há qualquer distinção entre violência e maus-tratos. c. ( ) Maus-tratos é um agravante dos casos de violência quando este é praticado por pessoa que tenha responsabilidades sobre a criança ou adolescente. d. ( ) É considerada violência a atitude que deixa marcas ou sequelas na criança ou adolescente, do contrário, é considerado maus-tratos. e. ( ) É violência quando ocorre agressão psicológica e maus-tratos quando a agressão é física e deixa marcas ou sequelas na criança ou adolescente. 9. Sobre a fiscalização das entidades de atendimento, podemos afirmar que: a. ( ) Somente o Poder Judiciário e o Ministério Público podem realizar fiscalização nas entidades de b. ( ) Conselho Tutelar, Ministério Público e Poder Judiciário podem realizar fiscalização nas entidades de c. ( ) Somente o Conselho Tutelar e o Ministério Público podem realizar fiscalização nas entidades de d. ( ) Somente o Conselho Tutelar pode realizar fiscalização nas entidades de e. ( ) Conselho Tutelar e Conselho Municipal de Direitos podem fiscalizar as entidades de atendimento à criança e ao adolescente. 10. Sobre a requisição de serviços nas áreas de educação, saúde, assistência social, previdência, trabalho e segurança pública, é correto afirmar: a. ( ) O Conselho Tutelar só pode requisitar serviços a partir de ordem judicial fundamentada. b. ( ) O Conselho Tutelar deve representar ao Ministério Público solicitando que este proceda a requisição de serviços, quando necessário. c. ( ) Cabe ao técnicos do município avaliar a adequação e a viabilidade da requisição de serviços pelo Conselho Tutelar. d. ( ) Somente o Poder Judiciário tem autoridade para requisitar serviços do Poder Público Municipal. e. ( ) O Conselho Tutelar tem autonomia para requisitar serviços nas áreas de educação, saúde, assistência social, previdência, trabalho e segurança pública. 2

3 11. As medidas sócio-protetivas, contidas no artigo 101 entre os incisos de Ia VII, do Estatuto da Criança e do Adolescente: a. ( ) Podem ser aplicadas pelo Conselho Tutelar nos casos de ameaça ou violação aos direitos da criança e do adolescente. b. ( ) Podem ser aplicadas pelo Ministério Público aos adolescentes autores de ato infracional. c. ( ) Podem ser aplicadas exclusivamente pela autoridade judiciária em casos de ameaça ou violação aos direitos d. ( ) Podem ser aplicadas pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, no caso de registro das entidades e. ( ) Podem ser aplicadas pelos técnicos da administração municipal, às crianças autoras de atos infracionais. 12. Em relação à suspensão ou destituição do Poder Familiar, antes chamado de Pátrio Poder, pode-se afirmar: a. ( ) Pode ser definida pelo Conselho Tutelar nos casos em que não seja possível a manutenção da convivência familiar e comunitária. b. ( ) Pode ser definida pelo Conselho Tutelar em casos de grave violência praticada contra a criança ou adolescente em ambiente doméstico. c. ( ) Pode ser definida pelo Conselho Tutelar em casos de extrema miséria da família, para salvaguardar os direitos d. ( ) Pode ser definida exclusivamente pelo Poder Judiciário. e. ( ) Pode ser definida pelo Ministério Público a partir de relatório do Conselho Tutelar. 13. Sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, assinale (V) para verdadeiro e (F ) para Falso e assinale a alternativa que corresponde ao resultado apurado: ( ) Refere-se a toda a pessoa entre 0 a 18 anos e, excepcionalmente, até os 21 anos quando previsto em lei, considerado seu desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social. ( ) Trata, exclusivamente, de crianças e adolescentes pobres, abandonados ou autores de atos infracionais. ( ) Institui a Doutrina da Proteção Integral em substituição à Doutrina da Situação Irregular de crianças e adolescentes. ( ) Tem como base importante a Declaração Universal dos Direitos Humanos. ( ) Representa a substituição da velha norma da Proteção Integral pela atual Doutrina da Situação Irregular. a. ( ) V, V, V, F, V b. ( ) F, V, V, F, F c. ( ) V, F, V, V, F d. ( ) V, F, V, F, V 14. Sobre o Conselho Municipal de Direitos e o Conselho Tutelar, assinale a alternativa correta: a. ( ) O Conselho Tutelar é composto por cinco membros eleitos e é subordinado ao Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente. b. ( ) O Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente é remunerado e trabalha em regime de plantão para atender os casos de violação ou ameaça aos direitos. c. ( ) O Conselho Tutelar é escolhido pelo Conselho Municipal de Direitos para mandato de 3 anos, permitida uma recondução. d. ( ) O Conselho Tutelar somente age a partir de denúncias recebidas ou a partir de iniciativa do Conselho Municipal de Direitos. e. ( ) O Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente é composto por representantes governamentais e não governamentais, é deliberativo e exerce o controle das ações em todos os níveis. 15. Em casos de famílias em condição de vulnerabilidade sócio-econômica, assinale (V) para verdadeiro e (F) para Falso e assinale a alternativa que corresponde ao resultado apurado: ( ) Compete ao Conselho Tutelar fornecer cestas básicas e demais condições visando a garantia dos direitos da Criança e do Adolescentes em situação de vulnerabilidade. ( ) Compete ao Conselho Municipal de Direitos atender as famílias em situação de vulnerabilidade. ( ) Compete ao Conselho Tutelar providenciar o atendimento, aplicando as medidas adequadas ou pela requisição de serviços para as famílias em situação de vulnerabilidade, mantendo o convívio familiar e comunitário. ( ) Compete ao Conselho Tutelar suspender o Poder Familiar (antes chamado de Pátrio Poder) e proceder o abrigamento das crianças em adolescentes em situação de vulnerabilidade. ( ) Compete ao Poder Executivo fornecer cestas básicas e demais condições para a garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente, às famílias em situação de vulnerabilidade. 3

4 a. ( ) V, V, F, F, V b. ( ) F, F, V, F, V c. ( ) V, F, V, V, F d. ( ) V, F, F, F, V 16. Em relação com ao Direito à educação o Conselho Tutelar deve: a. ( ) Atuar diretamente com os estudantes, garantindo a disciplina e o aproveitamento escolar destes. b. ( ) Decidir sobre a expulsão de estudantes que descumpram as regras de disciplina da escola. c. ( ) Requisitar serviços na área de educação, em apoio à escola, visando a garantia dos direitos. d. ( ) Capacitar os professores sobre os direitos e. ( ) Fiscalizar as escolas, identificando eventuais irregularidades e comunicando o Conselho de Municipal Direitos da Criança e do Adolescente. 17. A Prioridade Absoluta à criança e ao adolescente, constante na Constituição Federal e no Estatuto, NÃO compreende: a. ( ) Primazia em receber proteção e socorro em quaisquer circunstâncias. b. ( ) Precedência do atendimento nos serviços públicos ou de relevância pública. c. ( ) Preferência na formulação e na execução das políticas sociais públicas. d. ( ) Antecedência em todas as listagens e classificações. e. ( ) Destinação privilegiada de recursos públicos nas áreas relacionadas com a proteção à infância e à juventude. 18. Em relação aos maus-tratos, é correto afirmar que: a. ( ) É obrigatório, aos profissionais de educação, saúde e assistência social, a comunicação de casos de suspeita ou confirmação de maus-tratos à autoridade policial e ao Conselho Tutelar. b. ( ) É obrigatório, aos profissionais de educação, saúde e assistência social, a comunicação à autoridade policial e ao Conselho Tutelar, somente os casos confirmados de maus-tratos. c. ( ) É obrigatório, aos profissionais de educação, saúde e assistência social, a comunicação somente ao Conselho Tutelar, os casos de suspeita ou confirmação de maus-tratos. d. ( ) Compete ao Conselho Tutelar a identificação e responsabilização do agressor, nos casos de maus-tratos contra a criança ou adolescente. e. ( ) Compete ao Conselho Tutelar o encaminhamento do agente agressor para atendimento e o devido tratamento, nos casos de maus-tratos contra a criança e o adolescente. 19. Qual das alternativas abaixo NÃO é uma medida socioeducativa aplicável aos adolescentes autores de ato infracional? a. ( ) Obrigação de reparar do dano. b. ( ) Prestação de Serviços à Comunidade c. ( ) Liberdade Assistida d. ( ) Advertência e. ( ) Prisão-albergue 20. Em relação ao descumprimento de determinação do Conselho Tutelar, assinale a alternativa correta: a. ( ) Constitui infração administrativa somente quando na forma dolosa, isto é, com a intenção. b. ( ) Quando ocorrer, o Conselho Tutelar deverá aplicar uma das medidas aos pais ou responsáveis, constantes no artigo 129 do Estatuto. c. ( ) Quando ocorrer, o Conselho Tutelar deverá aplicar uma multa de três a vinte salários de referência, aplicando o dobro em caso de reincidência d. ( ) Constitui infração administrativa, independente de ocorrer de forma dolosa ou culposa, isto é, com ou sem intenção. e. ( ) Quando ocorrer, o Conselho Tutelar deverá comunicar ao Conselho Municipal de Direitos, através de um relatório. 4

5 Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Timbó - SC Teste de Qualificação para os Candidatos ao Conselho Tutelar Novembro de 2010 Gabarito Questão Resposta Questão Resposta 1 B 11 A 2 D 12 D 3 E 13 C 4 C 14 E 5 B 15 B 6 A 16 C 7 D 17 D 8 C 18 A 9 B 19 E 10 E 20 D Timbó, 17 de novembro de Célio Vanderlei Moraes IEP Instituto de Educação Permanente Instituto de Educação Permanente S/S Ltda IEP -- C NPJ: / Rua Padre Lourenço Rodrigues de Andrade, 650. Florianópolis - SC 5

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA- 1990) regulamenta o Artigo da Constituição Federal de 1988 que prevê:

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA- 1990) regulamenta o Artigo da Constituição Federal de 1988 que prevê: 1 O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA- 1990) regulamenta o Artigo - 227 da Constituição Federal de 1988 que prevê: É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente,

Leia mais

PROCESSO DE ESCOLHA UNIFICADO DOS CONSELHEIROS TUTELARES PROVA ESCRITA. Instruções para realização da prova

PROCESSO DE ESCOLHA UNIFICADO DOS CONSELHEIROS TUTELARES PROVA ESCRITA. Instruções para realização da prova CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE RIO DO SUL SC PROCESSO DE ESCOLHA UNIFICADO DOS CONSELHEIROS TUTELARES PROVA ESCRITA Instruções para realização da prova 1. Esta prova contem:

Leia mais

Conselheira Meliane Higa Cimatti Conselho Tutelar Norte

Conselheira Meliane Higa Cimatti Conselho Tutelar Norte Conselheira Meliane Higa Cimatti Conselho Tutelar Norte O Conselho Tutelar é um instrumento fundamental de defesa dos direitos da criança e do adolescente. Ele existe para corrigir os desvios dos que,

Leia mais

O Conselho Tutelar e o Ministério Público PAOLA DOMINGUES BOTELHO REIS DE NAZARETH PROMOTORA DE JUSTIÇA COORDENADORA CAO-DCA

O Conselho Tutelar e o Ministério Público PAOLA DOMINGUES BOTELHO REIS DE NAZARETH PROMOTORA DE JUSTIÇA COORDENADORA CAO-DCA O Conselho Tutelar e o Ministério Público PAOLA DOMINGUES BOTELHO REIS DE NAZARETH PROMOTORA DE JUSTIÇA COORDENADORA CAO-DCA CONSELHO TUTELAR 1. CONCEITO (art. 131, ECA): órgão permanente e autônomo, não

Leia mais

OBJETIVOS DA AULA 03/09/2009 POLÍTICA SOCIAL SETORIAL: INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA AULA 3 ECA: UMA LEI ESPECÍFICA NA ÁREA DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA

OBJETIVOS DA AULA 03/09/2009 POLÍTICA SOCIAL SETORIAL: INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA AULA 3 ECA: UMA LEI ESPECÍFICA NA ÁREA DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA POLÍTICA SOCIAL SETORIAL: INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA DATA: 08/09/09 AULA 3 ECA: UMA LEI ESPECÍFICA NA ÁREA DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA PROFESSORAS: Suely Quixabeira Arely Soares Lúcia Helena Anastácio OBJETIVOS

Leia mais

IX CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CMDCA CAMPINAS II ENCONTRO ESTADUAL DE GESTORES MUNICIPAIS DE CONVÊNIO

IX CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CMDCA CAMPINAS II ENCONTRO ESTADUAL DE GESTORES MUNICIPAIS DE CONVÊNIO II ENCONTRO ESTADUAL DE GESTORES MUNICIPAIS DE CONVÊNIO FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FIA O Estatuto da Criança e Adolescente - ECA estabelece a Política de Atendimento a Criança e Adolescente:

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PROVA OBJETIVA - CONSELHO TUTELAR CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PROVA OBJETIVA - CONSELHO TUTELAR CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROVA OBJETIVA - CONSELHO TUTELAR CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 1. Art. 3º do ECA: a criança e adolescente gozam de todos os inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da de que trata esta lei (...). Assinale

Leia mais

Vem Pra Potere!

Vem Pra Potere! Provas de Terça Vem Pra Potere! www.poteresocial.com.br/site www.poteresocial.com.br\site Fone: 85 3224.0127// WhatsApp 85 99952.2704 Insta @poteresocial Face: Potere Social PREFEITURA MUNICIPAL DE MOJUÍ

Leia mais

DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) Paulo Sérgio Lauretto titular da DEPCA Campo Grande/MS

DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) Paulo Sérgio Lauretto titular da DEPCA Campo Grande/MS DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) Paulo Sérgio Lauretto titular da DEPCA Campo Grande/MS Objetivo Fazer um resgate histórico do funcionamento da DEPCA como era e como

Leia mais

CONSELHO TUTELAR Professora Cristiane Dupret

CONSELHO TUTELAR Professora Cristiane Dupret CONSELHO TUTELAR E SUAS ALTERAÇÕES NO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PELA LEI 12.696/12 1.1 Natureza e formação do Conselho Tutelar O ECA dispõe acerca do Conselho Tutelar a partir do seu artigo

Leia mais

ECA ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

ECA ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ECA ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 01. Segundo o eca, Artigo 36, a tutela será deferida, nos termos da lei civil, a pessoa de até: (A) 12 anos incompletos. (B) 14 anos incompletos. (C) 16 anos incompletos.

Leia mais

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Aula 9 Política de Atendimento Profa. Leila Rocha Sponton 9.1 Política de Atendimento Art. 86. A política de atendimento dos direitos da criança e do adolescente far-se-á

Leia mais

Aula demonstrativa Estatuto da Criança e do Adolescente Prof. Aloizio Medeiros

Aula demonstrativa Estatuto da Criança e do Adolescente Prof. Aloizio Medeiros Aula demonstrativa Estatuto da Criança e do Adolescente Prof. Aloizio Medeiros AULA 0 INTRODUÇÃO AO ECA Solução de questões Aula 01 Arts. 7 ao 24. Solução de questões Aula 02 Arts. 53 ao 69, 141, 143,

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº A DE 2010

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº A DE 2010 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 7.672-A DE 2010 EMENDA DE REDAÇÃO Altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que dispõe sobre o Estatuto da Criança

Leia mais

WALLACE FRANÇA ESTATUDO DO IDOSO E ECA

WALLACE FRANÇA ESTATUDO DO IDOSO E ECA WALLACE FRANÇA ESTATUDO DO IDOSO E ECA 1. (Ano: 2015 Banca: CONSULPLAN Órgão: TJ-MG) Prova: Titular de Serviços de Notas e de Registros Quanto à legislação especial, assinale a alternativa (ADAPTADA):

Leia mais

(Em apenso os PLs 6.362, de 2009, e 800, de 2011)

(Em apenso os PLs 6.362, de 2009, e 800, de 2011) COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 4.569, DE 2008 (Em apenso os PLs 6.362, de 2009, e 800, de 2011) Altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que dispõe sobre o Estatuto da

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO TUTELAR DE ITATIAIA

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO TUTELAR DE ITATIAIA REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO TUTELAR DE ITATIAIA Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. O presente regimento interno disciplina o funcionamento do Conselho Tutelar do Município de Itatiaia vinculado

Leia mais

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Aula 8 Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo Prof. Diego Vale de Medeiros 8.1 PRINCÍPIOS QUE REGEM A EXECUÇÃO DAS MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS A PARTIR DA LEI 12594/12

Leia mais

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Sexta-feira, 6 de Dezembro de 2013 Ano XIX - Edição N.: 4451 Poder Executivo Secretaria Municipal de Políticas Sociais - CMDCA RESOLUÇÃO CMDCA/BH Nº 102/2013 Dispõe sobre a política municipal para execução

Leia mais

ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Guilherme Freire de Melo Barros Graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ; Pós-graduado em Direito Processual Civil pelo Instituto Romeu Bacellar; LLM em Contratos Internacionais e Resolução

Leia mais

II - afastamento do lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida;

II - afastamento do lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida; Art. 22. Constatada a prática de violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos desta Lei, o juiz poderá aplicar, de imediato, ao agressor, em conjunto ou separadamente, as seguintes medidas

Leia mais

OBSERVAÇÃO: NÃO HAVERÁ QUALQUER ALTERAÇÃO NA EMENTA E NO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ALUSIVOS À DISCÍPLINA DIREITO PROCESSUAL CIVIL V.

OBSERVAÇÃO: NÃO HAVERÁ QUALQUER ALTERAÇÃO NA EMENTA E NO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ALUSIVOS À DISCÍPLINA DIREITO PROCESSUAL CIVIL V. 1) EM CONFORMIDADE COM OS LIVROS EXISTENTES NA BIBLIOTECA DO CESUT, A DISCÍPLINA DIREITO PROCESSUAL CIVIL V TERÁ AS SEGUINTES OBRAS REFERENCIAIS: THEODORO JÚNIOR, Humberto. Curso de Direito processual

Leia mais

Aprendendo a ser Enfermeira Pediátrica. P rofª Graça P i menta UCSal

Aprendendo a ser Enfermeira Pediátrica. P rofª Graça P i menta UCSal Aprendendo a ser Enfermeira Pediátrica P rofª Graça P i menta UCSal A ssi stên ci a de Enfermagem P edi átri ca Na Assistência de Enfermagem Pediátrica torna-se necessário para a prestação de cuidados

Leia mais

* QUALIFICAÇÃO EXIGIDA: Graduação em. inscrição nos órgãos competentes.

* QUALIFICAÇÃO EXIGIDA: Graduação em. inscrição nos órgãos competentes. PSICÓLOGO - CLASSE C ESPECIALIDADE: Psicólogo Judicial PROVIMENTO: Concurso Público PROPOSTAS DESTACADAS EM VERMELHO SÃO DE AUTORIA DOS (AS) PSICOLOGOS (AS); PROPOSTAS EM AZUL ACATADAS PELOS (AS) PSICOLOGOS

Leia mais

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Aula 1 Sistema Jurídico dos Direitos da Criança e do Adolescente Prof. Diego Vale de Medeiros 1.1 INTRODUÇÃO Especialização da organização judiciária Contextualização

Leia mais

Ministério Público do Estado de Mato Grosso 1ª Promotoria de Justiça Cível de Barra do Bugres-MT

Ministério Público do Estado de Mato Grosso 1ª Promotoria de Justiça Cível de Barra do Bugres-MT NOTIFICAÇÃO RECOMENDATÓRIA nº 003/2015 Considerando o teor de fls. 17/19, o Sr. José Damião é o locador do imóvel em questão, e o Sr. José Limeira da Silva Filho é o locatário, o Promotor de Justiça, oficiante

Leia mais

Direito da Criança e do Adolescente

Direito da Criança e do Adolescente CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito da Criança e do Adolescente CERT 7ª Fase Promotor de Justiça Artigos 81 ao 130, ECA Período 2006-2016 1) Com. Exam. (MPE SP) - PJ - 2015 Direito da Criança e do

Leia mais

NORMAS. FEDERAL BRASIL - Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 Estatuto da Criança e do Adolescente.

NORMAS. FEDERAL BRASIL - Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 Estatuto da Criança e do Adolescente. NORMAS FEDERAL BRASIL - Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 Estatuto da Criança e do Adolescente. RESOLUÇÃO CONANDA Nº 139, DE 17 MARÇO DE 2010 Dispõe sobre os parâmetros para a criação e funcionamento

Leia mais

PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO E COMBATE AO TRABALHO INFANTIL. Araucária 2016

PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO E COMBATE AO TRABALHO INFANTIL. Araucária 2016 PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO E COMBATE AO TRABALHO INFANTIL. Araucária 2016 Soeli do Rocio Nunes Lechinhoski Pedagoga do Departamento de Ensino Fundamental da Secretaria Municipal de Educação (2013-2016) Secretaria

Leia mais

B. DADOS DO RESPONSÁVEL PELO PREENCHIMENTO

B. DADOS DO RESPONSÁVEL PELO PREENCHIMENTO ITINGA MÊS E ATUALIZAÇÃO: 10 ANO: 2009 Município: ITINGA A. AOS GERAIS O MUNICÍPIO (Órgão Gestor do PAIR Minas) Endereço: Praça Humaitá Nº 31 Complemento : Bairro: Porto Alegre Cep: 39610000 Telefone:

Leia mais

AULA 04 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; ; LEI DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 04

AULA 04 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; ; LEI DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 04 AULA 04 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 04 CAPÍTULO VII DA FAMÍLIA, DA CRIANÇA, DO ADOLESCENTE E DO

Leia mais

Ministério Público DO ESTADO DE MATO GROSSO 1ª Promotoria de Justiça Cível da Comarca de Barra do Bugres

Ministério Público DO ESTADO DE MATO GROSSO 1ª Promotoria de Justiça Cível da Comarca de Barra do Bugres SIMP nº. 000954-033/2016 NOTIFICAÇÃO RECOMENDATÓRIA nº 002/2016 O Promotor de Justiça, oficiante na Comarca de Barra do Bugres/MT, no uso de suas atribuições legais e constitucionais, na defesa do patrimônio

Leia mais

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Aula 3 Direitos Fundamentais I Prof. Diego Vale de Medeiros 3.1 Do Direito à Vida e à Saúde Art. 7º A criança e o adolescente têm direitoaproteçãoà vida e à saúde, mediante

Leia mais

Prof. Edison Luiz Devos Barlem

Prof. Edison Luiz Devos Barlem Prof. Edison Luiz Devos Barlem O artigo 227 da Constituição Federal de 1988 originou o ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ( ECA ) e diz: É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança

Leia mais

ECA NA ESCOLA ANEXO 1 TEXTO DE APOIO

ECA NA ESCOLA ANEXO 1 TEXTO DE APOIO ECA NA ESCOLA ANEXO 1 TEXTO DE APOIO ECA NA ESCOLA AGENTES EDUCACIONAIS I E II Constatamos em nosso cotidiano enormes preocupações com as violências que ocorrem em vários espaços de convivência social,

Leia mais

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Aula 5 DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR Prof. Diego Vale de Medeiros 5.1 PRINCÍPIOS INCORPORADOS COM A LEI 12010/09 NA APLICAÇÃO DAS MEDIDAS DE PROTEÇÃO Novos Princípios

Leia mais

II INFÃNCIA EM FOCO O ATO INFRACIONAL E (IN)DISCIPLINAR NO CONTEXTO ESCOLAR: busca de alternativas com trabalhos em parceria

II INFÃNCIA EM FOCO O ATO INFRACIONAL E (IN)DISCIPLINAR NO CONTEXTO ESCOLAR: busca de alternativas com trabalhos em parceria II INFÃNCIA EM FOCO - 2006 O ATO INFRACIONAL E (IN)DISCIPLINAR NO CONTEXTO ESCOLAR: busca de alternativas com trabalhos em parceria Msc. Celeste Aparecida Dias (IN)DISCIPLINAR NO CONTEXTO OBJETIVO Caracterizar

Leia mais

PARECER CREMEC Nº 27/ /09/2010

PARECER CREMEC Nº 27/ /09/2010 PARECER CREMEC Nº 27/2010 17/09/2010 PROCESSO-CONSULTA PROTOCOLO CREMEC nº 4619/2010 Assunto: ABUSO SEXUAL DE MENOR Relatora: DRA. PATRÍCIA MARIA DE CASTRO TEIXEIRA EMENTA: LEI N.º 8.069, DE 13 DE JULHO

Leia mais

RESOLUÇÕES DA COMISSÃO DE ÉTICA PÚBLICA

RESOLUÇÕES DA COMISSÃO DE ÉTICA PÚBLICA RESOLUÇÕES DA COMISSÃO DE ÉTICA PÚBLICA - Resoluções 1 a 10 da Comissão de Ética Pública da Presidência da República. Professora Claudete Pessôa Regimento Interno da Comissão de Ética Pública Resolução

Leia mais

Direito à Saúde da Criança e do Adolescente

Direito à Saúde da Criança e do Adolescente Direito à Saúde da Criança e do Adolescente Constituição Federal de 1988 Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade,

Leia mais

RELAÇÕES POSSÍVEIS ENTRE O ECA E A LEI /2006

RELAÇÕES POSSÍVEIS ENTRE O ECA E A LEI /2006 RELAÇÕES POSSÍVEIS ENTRE O ECA E A LEI 11.343/2006 LUCIANA LINERO Promotora de Justiça Centro de Apoio Operacional das Promotorias da Criança e do Adolescente MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ A política

Leia mais

DISPOSITIVOS LEGAIS E CONSTITUCIONAIS SOBRE CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

DISPOSITIVOS LEGAIS E CONSTITUCIONAIS SOBRE CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DISPOSITIVOS LEGAIS E CONSTITUCIONAIS SOBRE CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA CONSTITUIÇÃO FEDERAL Artigo 5 o, inciso IV: Art. 5º. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente

Estatuto da Criança e do Adolescente Estatuto da Criança e do Adolescente Curso de 80 questões comentadas e inéditas baseado no Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/1990). AULA 01 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. QUESTÕES SEM COMENTÁRIOS...

Leia mais

L E I Nº 1.667, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2006.

L E I Nº 1.667, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2006. L E I Nº 1.667, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2006. AUTOR: PREFEITO MUNICIPAL, FERNANDO ANTÔNIO CECILIANO JORDÃO A CÂMARA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: DISPÕE SOBRE A POLÍTICA

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAMÍLIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO PARANÁ CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DO PARANÁ

SECRETARIA DE ESTADO DA FAMÍLIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO PARANÁ CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAMÍLIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO PARANÁ CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DO PARANÁ A SEDS A Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social

Leia mais

Secretaria de Políticas Para Crianças Adolescentes e Juventude do Distrito Federal

Secretaria de Políticas Para Crianças Adolescentes e Juventude do Distrito Federal Secretaria de Políticas Para Crianças Adolescentes e Juventude do Distrito Federal Criada pelo Decreto nº 32.716 de 01 de janeiro de 2011 CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 227. É dever da família, da sociedade

Leia mais

Concurso Público para Conselho Tutelar

Concurso Público para Conselho Tutelar Prefeitura Municpal de Teresópolis Conselheiro Tutelar Caderno: 2 Aplicação: Tarde Concurso Público para Conselho Tutelar LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES 1. A duração da prova é de 4 horas, já incluído

Leia mais

A PRÁTICA DOS ACADÊMICOS DE SERVIÇO SOCIAL NA VARA DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE, PONTA GROSSA - PR

A PRÁTICA DOS ACADÊMICOS DE SERVIÇO SOCIAL NA VARA DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE, PONTA GROSSA - PR A PRÁTICA DOS ACADÊMICOS DE SERVIÇO SOCIAL NA VARA DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE, PONTA GROSSA - PR ALMEIDA, Mayara Rodrigues (Estágio Supervisionado II) ELACHE, Sônia Maia (Supervisora de Campo) HOLZMANN,

Leia mais

CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO

CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RESGATE HISTÓRICO Assistência Social enquanto política pública de direitos. Relevante marco no processo histórico de construção de um sistema de

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 A Presidente do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Direitos da criança e do adolescente. Estatuto da criança e do adolescente. Violação. Medidas de Proteção.

PALAVRAS-CHAVE Direitos da criança e do adolescente. Estatuto da criança e do adolescente. Violação. Medidas de Proteção. 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO N 52/2016 Macaé, 03 de outubro de 2016.

ORDEM DE SERVIÇO N 52/2016 Macaé, 03 de outubro de 2016. ORDEM DE SERVIÇO N 52/2016 Macaé, 03 de outubro de 2016. O Diretor Geral do campus Macaé do INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE, Marcos Antônio Cruz Moreira, nomeado pela Portaria

Leia mais

Tópico 2: Sistema de Contabilidade Federal.

Tópico 2: Sistema de Contabilidade Federal. Tópico 2: Sistema de Contabilidade Federal. 1.(INMETRO/CESPE/2009/AEMQ/Contador) O Sistema de Contabilidade Federal tem por finalidade registrar os atos e fatos relacionados com a administração orçamentária,

Leia mais

Plantão Judiciário Semanal

Plantão Judiciário Semanal Plantão Judiciário Semanal O plantão judiciário semanal corresponde a feriados, fins de semana e dias úteis fora do horário ordinário do expediente forense, excetuado o período de 20 de dezembro a 6 de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI. Conselho Universitário - CONSU

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI. Conselho Universitário - CONSU MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI Conselho Universitário - CONSU RESOLUÇÃO N.º XXX CONSU, DE XXX DE XXX DE 2014. RESOLVE: Estabelece o Regimento Interno e

Leia mais

EDITAL DE N.º 001/2011 PROCESSO DE ESCOLHA DE CONSELHEIRO TUTELAR

EDITAL DE N.º 001/2011 PROCESSO DE ESCOLHA DE CONSELHEIRO TUTELAR EDITAL DE N.º 001/2011 PROCESSO DE ESCOLHA DE CONSELHEIRO TUTELAR O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente COMDICA, do Município de Não-Me-Toque/RS, TORNA PÚBLICO, para conhecimento

Leia mais

B. DADOS DO RESPONSÁVEL PELO PREENCHIMENTO

B. DADOS DO RESPONSÁVEL PELO PREENCHIMENTO PONTO OS VOLANTES MÊS E ATUALIZAÇÃO: 10 ANO: 2009 Município: PONTO OS VOLANTES A. AOS GERAIS O MUNICÍPIO (Órgão Gestor do PAIR Minas) Endereço: RUA O GINÁSIO Nº 10 Complemento : APT Bairro: CENTRO Cep:

Leia mais

Prefeitura Municipal de Rio Claro Estado de São Paulo

Prefeitura Municipal de Rio Claro Estado de São Paulo LEI N 4006 De 15 de dezembro de 2009 (Reorganiza o CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÂO DE RIO CLARO COMERC, criado pelo artigo 261 da Lei Orgânica do Município e dá outras providências) Artigo 1º - O Conselho

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE O ARTIGO 194 DO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE.

REFLEXÕES SOBRE O ARTIGO 194 DO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. REFLEXÕES SOBRE O ARTIGO 194 DO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. Jefferson Barbin Torelli * E.C.A. Art. 194. O procedimento para imposição de penalidade administrativa por infração ás normas de proteção

Leia mais

Infância em Foco. Redes

Infância em Foco. Redes Infância em Foco Redes Infância e Adolescência como OPORTUNIDADE para... a continuidade da cultura dos povos e da VIDA a possibilidade das reinvenções necessárias para a sustentabilidade do planeta a Democracia

Leia mais

Sábado, 11 de Junho de 2016 Ano XXII - Edição N.: 5065 RESOLUÇÃO CMDCA/BH Nº 125/2016

Sábado, 11 de Junho de 2016 Ano XXII - Edição N.: 5065 RESOLUÇÃO CMDCA/BH Nº 125/2016 Sábado, 11 de Junho de 2016 Ano XXII - Edição N.: 5065 Poder Executivo Secretaria Municipal de Políticas Sociais CMDCA RESOLUÇÃO CMDCA/BH Nº 125/2016 Dispõe sobre os atestados de qualidade e eficiência

Leia mais

COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA

COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Pelo presente instrumento, na forma da Lei nº 7.347/85, de um lado o DO ESTADO DE MATO GROSSO, por meio de seu agente signatário, infra-afirmado, doravante denominado

Leia mais

MÓDULO 1. Gestão do Sistema Socioeducativo

MÓDULO 1. Gestão do Sistema Socioeducativo Capacitação dos Profissionais do Sistema Municipal de Atendimento Socioeducativo (SIMASE) com Base nos Parâmetros de Gestão Teórico-metodológicos do Plano Decenal de Atendimento Socioeducativo do Município

Leia mais

LEI Nº 73, DE 30 MAIO DE 2006.

LEI Nº 73, DE 30 MAIO DE 2006. LEI Nº 73, DE 30 MAIO DE 2006. O Prefeito Municipal de Tijucas do Sul, Estado do Paraná: A Câmara Municipal decretou e eu sanciono a seguinte Lei: Reforma a estrutura organizacional da Administração Pública

Leia mais

ATIVIDADES REALIZADAS PELA COFI EM VISITAS DE FISCALIZAÇÃO

ATIVIDADES REALIZADAS PELA COFI EM VISITAS DE FISCALIZAÇÃO ATIVIDADES REALIZADAS PELA COFI EM 2015 1 O Conselho Regional de Serviço Social da 14ª Região (CRESS/RN), por meio da Comissão de Orientação e Fiscalização (COFI), tem realizado diversas atividades e visitas

Leia mais

Criança ou adolescente com indícios de. exploração sexual. Se é flagrante

Criança ou adolescente com indícios de. exploração sexual. Se é flagrante s nas rodovias estaduais e O cidadão ou profissional que deixar de prestar assistência à criança ou ao em situação de exploração sexual, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, responderá pelo crime

Leia mais

EDITAL DE N.º 001/2013 PROCESSO DE ESCOLHA DE CONSELHEIRO TUTELAR SUPLENTE

EDITAL DE N.º 001/2013 PROCESSO DE ESCOLHA DE CONSELHEIRO TUTELAR SUPLENTE EDITAL DE N.º 001/2013 PROCESSO DE ESCOLHA DE CONSELHEIRO TUTELAR SUPLENTE O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente COMDICA, do Município de Não-Me-Toque/RS, TORNA PÚBLICO, para conhecimento

Leia mais

Estado de Mato Grosso MINISTÉRIO PÚBLICO 2ª Promotoria de Justiça Cível de Alta Floresta/MT

Estado de Mato Grosso MINISTÉRIO PÚBLICO 2ª Promotoria de Justiça Cível de Alta Floresta/MT ASSUNTO: RECOMENDAÇÃO MINISTERIAL ACERCA DO USO DE APARELHOS ELETRÔNICOS EM SALA DE AULA NOTIFICAÇÃO RECOMENDATÓRIA Nº. 03/2014 O DO ESTADO DE MATO GROSSO, por intermédio da Promotora de Justiça titular

Leia mais

CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 15, DE 11 DE JUNHO DE 2012.

CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 15, DE 11 DE JUNHO DE 2012. PROVIMENTO Nº 15, DE 11 DE JUNHO DE 2012. Disciplina a execução das medidas socioeducativas de liberdade assistida e prestação de serviços à comunidade, bem como as de internação e de semiliberdade nas

Leia mais

comunitária, além de colocá-los a salvo de todas as formas de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

comunitária, além de colocá-los a salvo de todas as formas de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão. SISTEMA DE GARANTIA DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Art. 227 - É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida,

Leia mais

ética ética ética ética ética ética ética ética ética ética ética ética EDUCATIVA ética CONSULTIVA ética CONCILIADORA RESPONSABILIZADORAética ética

ética ética ética ética ética ética ética ética ética ética ética ética EDUCATIVA ética CONSULTIVA ética CONCILIADORA RESPONSABILIZADORAética ética ÉTICA EDUCATIVA CONCILIADORA PREVENTIVA RESPONSABILIZADORA COMISSÃO DE CONSULTIVA DO IFBA COMISSÃO DE ÉTICA DO IFBA 3 Apresentação Esta guia tem como objetivo esclarecer, orientar e estimular a compreensão

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 696, DE 4 DE JUNHO DE 2012.

LEI COMPLEMENTAR Nº 696, DE 4 DE JUNHO DE 2012. LEI COMPLEMENTAR Nº 696, DE 4 DE JUNHO DE 2012. Cria o Fundo Municipal dos Direitos A- nimais (FMDA) e institui seu Conselho Gestor. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE JANGADA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE JANGADA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE JANGADA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Edital n 001/2014 CONSELHEIRO TUTELAR SELEÇÃO DE CONSELHEIROS

Leia mais

Direito da Criança e do Adolescente

Direito da Criança e do Adolescente CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito da Criança e do Adolescente 1) CESPE - PJ (MPE RR)/MPE RR/2012 Direito da Criança e do Adolescente Assinale a opção correta a respeito dos institutos da guarda,

Leia mais

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 2013 PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 1- POLÍTICAS DE PROTEÇÃO POLÍTICA PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL/ PROTEÇÃO ESPECIAL 1.1- META: COMBATE AO TRABALHO

Leia mais

PORTARIA Nº 061/2017, DE 05/04/2017 RESOLVE: Instituir o Programa de Serviço Voluntário no âmbito da Fundação FACELI.

PORTARIA Nº 061/2017, DE 05/04/2017 RESOLVE: Instituir o Programa de Serviço Voluntário no âmbito da Fundação FACELI. PORTARIA Nº 061/2017, DE 05/04/2017 Institui o Programa de Serviço Voluntário no âmbito da Fundação FACELI e dá outras providências. A Presidente da Fundação Faculdades Integradas do Ensino Superior do

Leia mais

Critérios de para análise Projetos para captação de recursos do FIA Palhoça

Critérios de para análise Projetos para captação de recursos do FIA Palhoça Critérios de para análise Projetos para captação de recursos do FIA Palhoça Resolução 001/2013 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), de Palhoça, No uso de suas atribuições

Leia mais

EXMO. SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE FORTALEZA.

EXMO. SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE FORTALEZA. . CÂMARA MUNICIPAL DE " PROJETO DE INDIÇÃO N /2016. Dispõe sobre a divulgação do Disque 100 nos impressos da Secretaria Municipal de Educação - SME, bem como nos livros e cadernos distribuídos aos alunos

Leia mais

Prova: MPE-SC MPE-SC - Promotor de Justiça - Tarde

Prova: MPE-SC MPE-SC - Promotor de Justiça - Tarde Prova: MPE-SC - 2012 - MPE-SC - Promotor de Justiça - Tarde De acordo com o Estatuto do Idoso Lei n. 10.741/2003: I Os Conselhos do Idoso, o Ministério Público e a Vigilância Sanitária estão legitimados

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS EI Nº 1421/2011 DATA: 15 de fevereiro de 2011 SÚMULA: Cria o Conselho Gestor do Telecentro Comunitário do Município de Sinop/MT e dá outras providências. JUAREZ COSTA, PREFEITO MUNICIPAL DE SINOP, ESTADO

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO Informações importantes a serem consideradas no processo de elaboração do Plano Municipal: 1. O PLANO deve prever ações articuladas nas áreas de educação, saúde, assistência social, cultura, capacitação

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA FADIP

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA FADIP REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA FADIP O Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Bacharelado em Direito da FADIP Faculdade Dinâmica do Vale do Piranga,

Leia mais

REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA

REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA REGIMENTO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA Art. 1º - A Secretaria de Relações Institucionais SERIN, criada pela Lei nº 10.549, de 28 de dezembro de 2006, tem

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 006/2012 CONSUNI Homologa o Regimento Interno da Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Universidade Federal da Fronteira Sul. O Conselho Universitário CONSUNI, da Universidade Federal da

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 15/2015

RESOLUÇÃO Nº 15/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE ALEGRETE ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Lei Municipal nº. 4.761, de 06 de maio de 2011

Leia mais

MATRIZ 4: ESTRATÉGIA NACIONAL DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL

MATRIZ 4: ESTRATÉGIA NACIONAL DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE MATRIZ 4: ESTRATÉGIA NACIONAL DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL CARTA

Leia mais

Regulamento da Revista Thema

Regulamento da Revista Thema Regulamento da Revista Thema Capítulo I - Da finalidade e objetivo Art. 1 o - A Revista Thema é publicada pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense (IFSul) através da Pró-Reitoria

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Administrativo Delegado da Polícia Federal Período: 2004-2016 Sumário Direito Administrativo... 3 Princípios Administrativo... 3 Ato Administrativo... 3 Organização

Leia mais

Constituição de 1988

Constituição de 1988 Constituição de 1988 Mas o que é constituição Conjunto de regras e normas estabelecidas pela sociedade para se governar. Ela é a Carta Magna ( Latim:Grande Carta) de uma E nação. Carta Magna = Constituição

Leia mais

PORTARIA No- 204, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2016

PORTARIA No- 204, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2016 PORTARIA No- 204, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2016 Define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços de saúde públicos e privados em todo o território

Leia mais

Art. 2. O programa fica vinculado à Secretaria Municipal de Saúde e Ação Social e tem por objetivos:

Art. 2. O programa fica vinculado à Secretaria Municipal de Saúde e Ação Social e tem por objetivos: Projeto: 11/2012 Lei nº 4.036/2012 Institui o Programa Família Acolhedora de Crianças e Adolescentes e dá outras providências. Art. 1º. Fica instituído o Programa Família Acolhedora de Crianças e Adolescentes

Leia mais

LEI N 3.994, DE 18 DE MARÇO DE 2014.

LEI N 3.994, DE 18 DE MARÇO DE 2014. LEI N 3.994, DE 18 DE MARÇO DE 2014. FIA. Dispõe sobre o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PALHOÇA, Estado de Santa Catarina.

Leia mais

1.5 Abrigo em entidade...162 1.6 Abrigo temporário...164 2. Competência para aplicação das medidas de proteção...165

1.5 Abrigo em entidade...162 1.6 Abrigo temporário...164 2. Competência para aplicação das medidas de proteção...165 SUMÁRIO DOUTRINA CAPÍTULO I INTRODUÇÃO... 3 1. Breve evolução histórica dos direitos dos idosos no Brasil... 3 2. Perfil Constitucional dos direitos dos idosos... 5 3. Princípios norteadores dos direitos

Leia mais

RESOLUÇÃO TJ/OE/RJ Nº11/2016 (TEXTO CONSOLIDADO)

RESOLUÇÃO TJ/OE/RJ Nº11/2016 (TEXTO CONSOLIDADO) RESOLUÇÃO TJ/OE/RJ Nº11/2016 (TEXTO CONSOLIDADO) Dispõe sobre a reorganização e consolidação da Coordenadoria Judiciária de Articulação das Varas da Infância e da Juventude e do Idoso do Tribunal de Justiça

Leia mais

TESES INSTITUCIONAIS INFÂNCIA E JUVENTUDE INFRACIONAL

TESES INSTITUCIONAIS INFÂNCIA E JUVENTUDE INFRACIONAL TESES INSTITUCIONAIS INFÂNCIA E JUVENTUDE INFRACIONAL SÚMULA 01: Não cabe medida socioeducativa de internação por ato infracional de tráfico de entorpecentes, exceto nos casos de reiteração em ato infracional

Leia mais

EDITAL DE N.º 001/2015 PROCESSO DE ESCOLHA DE CONSELHEIRO TUTELAR

EDITAL DE N.º 001/2015 PROCESSO DE ESCOLHA DE CONSELHEIRO TUTELAR EDITAL DE N.º 001/2015 PROCESSO DE ESCOLHA DE CONSELHEIRO TUTELAR O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente COMDICA, do Município de Não-Me-Toque/RS, TORNA PÚBLICO, para conhecimento

Leia mais

Art. 2º- O Comitê Gestor será composto por 4 (quatro) membros titulares e seus respectivos suplentes. Sendo:

Art. 2º- O Comitê Gestor será composto por 4 (quatro) membros titulares e seus respectivos suplentes. Sendo: Regimento Interno Regimento Interno do Comitê Gestor de Investimento do Plano de Suplementação de Aposentadoria e Pensão da Bandeirante Energia S.A. PSAP/Bandeirante 26/2/2015 CAPÍTULO I - DA FINALIDADE

Leia mais

Prefeitura Municipal de São João del-rei

Prefeitura Municipal de São João del-rei Mensagem n 045/2013 Do: Gabinete do Prefeito Ao: Exmº Sr. Vereador Antônio Carlos de Jesus Fuzatto Presidente da Câmara Municipal de São João del-rei Senhor Presidente, Com os nossos respeitosos cumprimentos,

Leia mais

CARGO: CONSELHEIRO TUTELAR

CARGO: CONSELHEIRO TUTELAR CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PROCESSO SELETIVO RESOLUÇÃO Nº 15/2013 PROVA OBJETIVA E PROVA DE REDAÇÃO: 12 de janeiro de 2014 CARGO: CONSELHEIRO TUTELAR Nome do Candidato:

Leia mais

3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Ituiutaba Curadoria de Defesa de Infância e Juventude

3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Ituiutaba Curadoria de Defesa de Infância e Juventude 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Ituiutaba Curadoria de Defesa de Infância e Juventude RECOMENDAÇÃO Nº /2016/IJ O MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL, por sua Promotora de Justiça, titular da 3ª Promotoria

Leia mais