ESTUDO DA VARIABILIDADE DA TEMPERATURA E PRECIPITAÇÃO OCORRIDA EM BELÉM E REGIÃO METROPOLITANA (PA) i. (Universidade Federal do Pará)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTUDO DA VARIABILIDADE DA TEMPERATURA E PRECIPITAÇÃO OCORRIDA EM BELÉM E REGIÃO METROPOLITANA (PA) i. (Universidade Federal do Pará)"

Transcrição

1 ESTUDO DA VARIABILIDADE DA TEMPERATURA E PRECIPITAÇÃO OCORRIDA EM BELÉM E i ALFREDO QUARESMA DA SILVA NETO ii MARIA AURORA S. DA MOTA iii (Universidade Federal do Pará) RESUMO: O trabalho fez uma avaliação de variabilidade da precipitação acumulada nas cidades de Belém e Marituba no período de 2008 a 2014 a fim de avaliar o contraste entre época seca e época chuvosa das duas cidades. O mesmo foi feito para outros oito locais em Belém no período de setembro de 2014 a junho de Os dados de precipitação foram obtidos da estação meteorológica em Belém (1 27 S e W), administrada pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), da estação meteorológica convencional dentro do campus da Universidade Federal do Pará (UFPA) e de pluviômetros instalados na cidade de Marituba e em outros seis bairros da cidade de Belém. As estações meteorológicas da UFPA e INMET apresentaram no ano de 2009 os maiores registros de precipitação no período chuvoso: 1914,2 mm e 2479,3 mm, respectivamente, enquanto que na cidade de Marituba o maior índice foi em 2012 com 2774,9 mm. No período menos chuvoso, UFPA, INMET e Marituba mostraram os menores índices em anos diferentes: 2014 (284,6 mm), 2008 (612,3 mm) e 2013 (570,7 mm), respectivamente. Verificou-se contrastes acentuados de precipitação entre os oito locais estudados, a estação meteorológica do INMET e o bairro da Pedreira foram os locais de maiores índices pluviométricos durante os dez meses observados, já o bairro da Sacramenta e a estação meteorológica da UFPA foram os locais onde ocorreram os menores índices de precipitação. Março foi o mês de maior ocorrência de chuvas em Belém, com 2616,4 mm e novembro, o de menor ocorrência com 155,0 mm. Observou-se que tem variabilidade espacial da precipitação na região Metropolitana de Belém, sendo maior no período menos chuvoso, revelando que as atividades convectivas tiveram atuação praticamente isoladas e que não são suficientes para a ocorrência de grande quantidade de precipitação na cidade e região metropolitana. PALAVRAS-CHAVE: clima, convecção, precipitação.

2 ESTUDO DA VARIABILIDADE DA TEMPERATURA E PRECIPITAÇÃO OCORRIDA EM BELÉM E PRECIPITATION AND TEMPERATURE VARIABILITY STUDY IN BELÉM AND METROPOLITAN AREA ABSTRACT: This paper is an evaluation of the accumulated precipitation rate in Belém city and Marituba city, between the years 2008 and 2014, in order to evaluate the contrast in the wet and dry seasons in the two cities. The same was made for another eight different locations in Belém, between September 2014 and june The precipitation data were obtained in the Belém s Weather Station (1 27 S e W), managed by the National Meteorological Institute (INMET), from the Personal Weather Station in the Pará Federal University (UFPA) and from rain gauges made from plastic bottles located in Marituba city and in six more districts in Belém. The UFPA and INMET Weather Stations showed in 2009 the highest precipitation records in the wet season: mm and mm, respectively. Meanwhile, in Marituba, the highest record for the wet season was in 2012: mm. For the dry season, the UFPA, INMET and Marituba showed the lowest rain rates in 2014 (284.6 mm), 2008 (612.3 mm) and 2013 (507.7 mm), respectively. Sharp precipitation contrasts can be found in the eight locations observed. The INMET Weather Station and the Pedreira district had the highest pluviometric indexes in the observed 10 months. The Sacramenta district and the UFPA Weather Station had the lowest precipitation index during the study time. March had the largest amount of rain in the Belém metropolitan area having 2616 mm. November had the smaller amount of rain occurrence having 115,0 mm. It was observed that Belém metropolitan area has an special variability of precipitation, and that it is bigger in the dry season, revealing that the connective activities had almost isolated action and that they aren t enough to make the precipitation quantity grow in the city and in its metropolitan area. KEYWORDS: weather, convection, precipitation.

3 INTRODUÇÃO: A cidade de Belém, capital do estado do Pará, tem como uma de suas características a presença de altos índices de precipitação, que ocorrem devido à sua localização na zona equatorial do globo, que é uma região de intensa convecção, com grande incidência da radiação solar ao longo do ano. Essa é uma das regiões mais chuvosas do leste da Amazônia onde a precipitação varia de 2000 a 3000 mm por ano (FIGUEROA e NOBRE, 1990). A precipitação é o principal elemento meteorológico, e o que melhor caracteriza o clima de uma região, além de ser um dos componentes do ciclo hidrológico de mais fácil medida (FITZJARRALD et al., 2008). A grande quantidade de precipitação na cidade de Belém-PA está relacionada não só com as condições locais dos movimentos convectivos, mas também, pela influência de sistemas de meso e grande escala que penetram na região, como El Niño, La Niña, ZCIT (Zona de Convergência Intertropical), frentes, etc, que agem, ora acelerando os sistemas locais, ora enfraquecendo-os (MOTA e OLIVEIRA, 1998). A região é caracterizada por um período chuvoso (dezembro a maio), no qual a precipitação contribui para as cheias dos rios e o período menos chuvoso (junho a novembro), em grande parte da região com longos períodos de estiagem. Durante o período chuvoso, a precipitação é provocada pela ZCIT, que resulta da convergência dos ventos alísios de nordeste e sudeste e é caracterizada por precipitações intensas e ventos fracos (VIANELLO e ALVES, 1991). Já as chuvas provocadas principalmente no período menos chuvoso da região são provocadas pelas Linhas de Instabilidade que se formam na parte costeira do estado, devido à circulação de brisa marítima e se dirigem para o interior do continente como linhas de nuvens convectivas (COHEN et al, 1995). Por situar-se na zona equatorial (1º 27 S e W) a cidade de Belém é caracterizada por um clima quente e úmido, outra característica da cidade de Belém e região metropolitana é que juntas cresceram de forma desordenada, desta forma Belém e municípios adjacentes tem atualmente cerca de três milhões de habitantes, fazendo com que represente a maior aglomeração urbana da região amazônica (CASTRO, 2003). Além disso, essa região tem uma alta concentração de indústrias. Desta maneira, chuvas fortes podem acarretar sérios problemas à região. Mota et (1999) em estudo sobre a precipitação em Belém durante o ano 1987 (El Niño), verificaram que a precipitação teve uma variabilidade espacial na região, na ordem de 18% na época chuvosa e de 38% na época seca, entre as estações estudadas. Ou seja, as variações mais acentuadas ocorreram durante a época seca, onde os meses de setembro, outubro e novembro tiveram variabilidade de 49%, 54% e 58% respectivamente, revelando que as atividades convectivas têm atuações praticamente isoladas o que não são suficientes para a ocorrência de grande quantidade de grande quantidade de precipitação na cidade toda. Enquanto que nos meses chuvosos a variabilidade é pequena, confirmando que o sistema cobre uma área espacial maior. Devido à grande dificuldade em formular ações que diminuam os danos causados pela chuva, existe a necessidade de reunir, sistematizar e analisar dados e

4 informações para melhorar o entendimento da distribuição espaço-temporal da chuva com vistas a subsidiar ações de planejamento de órgãos públicos responsáveis. Portanto, tornase muito importante saber a quantidade de precipitação que ocorre, ou que vai ocorrer numa determinada região, pois o excesso (inundações) ou escassez (seca) da chuva afeta praticamente todas as atividades humanas, acarretando prejuízos à sociedade, e muitas vezes podendo causar até mortes. O objetivo principal desta pesquisa é fazer uma avaliação de variabilidade da precipitação acumulada em Belém e região metropolitana, a fim de estabelecer um grau quantitativo de independência entre esse parâmetro e o efeito local da convecção, avaliando o contraste entre época seca e época chuvosa. fundamental da rede pública em suas casas durante o período de setembro de 2014 a dezembro de 2014, nos bairros do Telégrafo, Pratinha II, Sacramenta, Barreiro, Pedreira e Pratinha I (Figura 2). Figura 1 - Mapa das áreas de estudo na Região Metropolitana de Belém-PA. METODOLOGIA: MATERIAIS: A ideia básica é descrever a variabilidade da precipitação de Belém e região metropolitana no período de 01 de julho de 2008 a junho de Os dados de precipitação foram obtidos da estação meteorológica de Belém (PA) (1 27 S e W), administrada pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), da estação meteorológica convencional dentro do campus da Universidade Federal do Pará (UFPA) e de um pluviômetro confeccionado manualmente por um aluno do ensino fundamental, na cidade de Marituba, localizada na região metropolitana de Belém, no período de agosto de 2008 a agosto de 2014 (Figura 1). Também foram utilizados dados coletados por alunos de ensino Fonte: (Do autor, 2015)

5 Figura 2 - Mapa da localização das áreas de estudo da Cidade de Belém - PA. Fonte: (Do autor, 2015) Foi levada em consideração na confecção dos pluviômetros a técnica de Assunção e Assis (1997). Esses pluviômetros foram instalados nas casas dos alunos, nos locais anteriormente citados. Cada um possui uma área de captação de 165 cm², sendo constituído com um tubo PVC de 35 cm de comprimento e 14,5 cm de diâmetro, acoplado, na parte superior, a um tubo de conexão com redução de 150 para 100 mm. A base do pluviômetro é composta por uma garrafa PET e um registro plástico de esfera. Teoricamente este instrumento possui precisão similar ao obtido com o pluviômetro padrão Ville de Paris, que possui área de captação de 400 cm². Para a confecção de cálculos e gráficos neste estudo foi utilizada a planilha eletrônica. MÉTODOS: Os dados foram tratados e analisados quanto a sua consistência e posteriormente serão calculados os parâmetros termodinâmicos utilizando as informações de pressão, temperatura, umidade, observadas nas estações da UFPA e INMET, em Belém- PA. Foi feita uma avaliação estatística da precipitação coletada no período e comparada com a climatologia da precipitação para a cidade, a fim de caracterizar as estações chuvosa e menos chuvosa da cidade. Com as informações obtidas foi verificada a relação entre os parâmetros termodinâmicos e a precipitação observada em Belém e região metropolitana. RESULTADOS: Analisando a variabilidade sazonal na distribuição das chuvas nas áreas de estudo no período de 2008 a 2014 e comparando com a média histórica observou-se que o mês com maior registro de precipitação na UFPA foi março de 2009 (549,1 mm) (Figura 3), no INMET foi em janeiro de 2008 (741,0 mm) e junho de 2009 (739,7 mm) (Figura 4), enquanto que em Marituba foi em junho de 2009 (739,7 mm) e em janeiro de 2012 (878,4 mm) (Figura 5). Todos esses valores se mostraram acima da média climatológica de 117 anos. O ano de 2009 apresentou o maior registro de precipitação em relação aos outros anos com 2496,1mm (UFPA) e 3613,6 mm (INMET) enquanto que na cidade de Marituba a maior quantidade de precipitação ocorreu em 2010, com um registro de 4359,5 mm.

6 Figura 3 - Totais mensais de precipitação de 2008 a 2014 no INMET. Figura 4 - Totais mensais de precipitação de 2008 a 2014 em Marituba. Figura 5 - Totais mensais de precipitação de 2008 a 2014 na UFPA.

7 Com relação aos meses do período chuvoso e menos chuvoso, a Tabela 1 mostra que a média total da precipitação registrada na estação do INMET foi de 2726,2 mm durante o período de estudo, a média do período chuvoso foi de 2173,3 mm o que representou 71,6% das chuvas observadas em Belém neste período, enquanto que o período menos chuvoso teve uma média de 863,4 mm, representando 28,4% das chuvas. A Tabela 2 mostra que durante o período estudado, a média total da precipitação registrada na estação da UFPA foi de 1754,8 mm, a média do período chuvoso foi de 1452,8 mm o que representou cerca de 74% das chuvas, enquanto que no período menos chuvoso houve uma média de 509,5 mm, representando 26% das chuvas neste período. A média total da precipitação registrada no pluviômetro PET em Marituba foi de 2573,1 mm como pode se observar na Tabela 3, no período chuvoso a média de precipitação foi de 1576,8 mm o que representa 56,3% das chuvas, enquanto que no período chuvoso ocorreu uma média de 1221,6 mm, representando cerca de 43,7% das chuvas registradas. Tabela 1 - Total de precipitação durante período chuvoso e menos chuvoso registrado no INMET de 2008 a ANO PRP PERÍODO CHUVOSO INMET PRP PERÍODO MENOS CHUVOSO TOTAL PRECIPITAÇÃO ,3 612, ,3 923,9 3403, ,8 876,5 3041, , , ,2 962,6 2794, ,6 849,8 2986, ,4 869,6 3104,0 MÉDIA 2173,3 863,4 2726,2 Tabela 2 - Total de precipitação durante período chuvoso e menos chuvoso registrado na UFPA de 2008 a ANO PRP PERÍODO CHUVOSO UFPA PRP PERÍODO MENOS CHUVOSO TOTAL PRECIPITAÇÃO ,4 186, ,2 553,6 2467, ,8 641,1 2096, ,4 523,4 2111, ,2 781,0 1803, ,1 596,8 1995, ,7 284,6 1621,4 MÉDIA 1452,8 509,5 1754,8 Tabela 3 - Total de precipitação durante período chuvoso e menos chuvoso registrado em Marituba de 2008 a ANO PRP PERÍODO CHUVOSO MARITUBA PRP PERÍODO MENOS CHUVOSO TOTAL PRECIPITAÇÃO ,5 116, ,1 1539,5 3336, ,9 1928,6 4606, ,1 3003,7 3663, ,9 1173,0 3947, ,2 570,7 1390, ,5 218,9 949,4 MÉDIA 1576,8 1221,6 2573,1

8 A partir do mês de setembro de 2014, começaram a ser coletados, através de pluviômetros de garrafa PET dados de precipitação nos bairros Telégrafo, Pratinha II, Sacramenta, Barreiro, Pedreira e Pratinha I onde se verificou que os registros do INMET e do bairro do Telégrafo em três dos quatro primeiros meses estudados foram os maiores. Enquanto que o total registrado na UFPA foi o menor (47,8 mm), que pode ter ocorrido devido problemas no pluviômetro que já foram corrigidos e na Pratinha II foi registrado o menor total de precipitação (89,9 mm) entre os bairros acima citados até dezembro de A observação no bairro da Pedreira começou a ser feita a partir de dezembro de 2014 tendo registrado 79,5 mm de precipitação no mês. Já a observação no bairro da Pratinha I começou a ser feita a partir de janeiro de 2015, registrando 78,5 mm neste mês. Para o mês de setembro o total pluviométrico mensal nos foi de 195,0 mm e no INMET foi de 192,6 mm, no mês de outubro a soma total de precipitação nos bairros foi de 267,0 mm, enquanto que no INMET foi de 99,4 mm, em novembro a soma total foi de 117,9 mm, sendo que no INMET foi de 36,8 mm, no mês de dezembro o total precipitado no INMET foi de 123,6 mm e nos locais observados foi de 269,0 mm. Em janeiro de 2015 o bairro da Pratinha I passou a receber observações e foi registrado um total de 1165,0 mm nos sete locais observados e 392,4 mm na estação do INMET. Março foi o mês de maior registro pluviométrico no INMET (497,9 mm) e nos outros locais obteve um total de 2118,5 mm, em abril o INMET registrou um total de 484,0 mm, sendo o mês que mais choveu nos setes locais observados (2131,4 mm). (Tabela 4). Nos meses de maio e junho ocorreu uma redução de registros pluviométricos nos locais observados (1546,6 mm e 987,0 mm, respectivamente) e na estação meteorológica do INMET (311,6 mm e 987,0 mm, respectivamente). Tabela 4 - Total pluviométrico mensal de setembro de 2014 a junho de 2015 nos oito locais de observação. Valores em mm. LOCAIS Set/14 Out/14 Nov/14 Dez/14 Jan/15 Fev/15 Mar/15 Abr/15 Mai/15 Jun/15 TELÉGRAFO 74,6 117,7 27,2 89,5 196,6 147,8 271,2 378,2 194,3 122,4 PRATINHA II 15,1 40,5 14,7 19,6 98,6 122,2 403,6 336,8 301,4 309,0 SACRAMENTA 37,2 17,5 34,1 32,9 216,1 70,6 131,2 132,8 144,1 91,1 BARREIRO 45,7 85,6 41,6 28,1 382,2 201,0 427,7 478,1 142,8 153,4 PEDREIRA 79,5 385,8 238,9 424,1 398,5 397,3 158,0 PRATINHA I 78,5 268,0 289,7 243,9 257,7 113,4 UFPA 22,4 5,7 0,3 19,4 132,0 116,6 171,1 163,1 108,9 39,6 TOTAL , , ,0 2118,5 2131,4 1546,6 987,0 MÉDIA 64,6 53,4 23,6 44,8 212,8 166,4 302,6 304,5 220,9 141,0 INMET 192,6 99,4 36,8 123,6 392,4 396,4 497,9 484,0 311,6 167,6 De maneira geral, observou-se grande variabilidade na distribuição das chuvas na cidade de Belém (Figura 6). Durante os dez meses estudados, a média de precipitação no

9 mês de setembro foi de 64,6 mm, porém o valor registrado na estação do INMET ficou bem acima da média mensal. No mês de outubro, o bairro do Telégrafo registrou o maior índice de precipitação (117,7 mm), e o menor índice registrado foi na estação da UFPA (5,7 mm), sendo que a média mensal foi de 53,4 mm. Em novembro a média mensal foi de 23,6 mm, o maior registro ocorreu no bairro do Barreiro (41,6 mm) e o menor na estação da UFPA (0,3 mm). Com a inclusão do bairro da Pedreira no estudo, a média para o mês de dezembro foi de 44,8 mm, onde as estações do INMET (123,6 mm) e da UFPA (19,4 mm) apresentaram o maior e o menor registro de precipitação, respectivamente. Em janeiro o bairro da Pratinha I foi adicionada ao estudo, tendo esse mês registrado uma média de 212,8 mm nos sete locais observados e o INMET registrou um valor acima dessa média mensal, 392,4 mm de precipitação. A estação meteorológica do INMET continuou registrando índices pluviométricos acima da média dos sete locais observados, nos meses de fevereiro (396,4 mm), março (497,9 mm), abril (484,0 mm), maio (311,6 mm) e junho (167,6 mm). Figura 6 - Totais mensais e médias de precipitação de setembro de 2014 a junho de 2015 nos oito locais de observação. A tabela 5 mostra a ocorrência dos meses de maior e menor precipitação nos pontos estudados, para o mês de setembro a média de 1896 a 2013 é de 120,6 mm, sendo que em setembro de 2014 o INMET registrou 192,6 mm de precipitação, que foi a maior quantidade para este período. Contudo, o total de precipitação de todas as localidades

10 observadas ficou entre 15,1 mm (Pratinha II) e 74,6 mm (Telégrafo), resultando em uma média mensal de 39,0 mm nos seis locais estudados, devido o início da observação ter se dado a partir do dia 15 deste mês. As médias de outubro e novembro durante os 117 anos são, respectivamente, 104,1 mm e 98,5 mm respectivamente, já em 2014 o INMET registrou 99,4 mm e 36,8 mm nesses meses. Entretanto, as médias das localidades foram de 53,4 mm em outubro e 23,6 mm em novembro. Em dezembro o INMET registrou 123,6 mm de precipitação, enquanto que nas demais localidades foi registrado 44,8 mm de chuva, com o bairro da Pedreira sendo adicionado no estudo a partir de então. A média mensal de janeiro nos últimos 118 anos foi de 347,3 mm, no mesmo período de 2015, o INMET registrou um valor mensal de 392,4 mm e os sete outros locais de observação tiveram uma média de 212,8 mm, com o bairro da Pratinha I sendo inserido nas observações a partir de então. Março foi o mês de maior precipitação nos bairros da Pratinha II (403,6 mm), Pedreira (424,1 mm), Pratinha I (289,7 mm), UFPA (171,1 mm) e no INMET (497,9 mm). Abril foi o mês de maior precipitação nos bairros do Telégrafo (378,2 mm) e Barreiro (478,1 mm) e o mês de janeiro foi o de maior registro pluviométrico no bairro da Sacramenta (216,1 mm). Novembro foi o mês onde ocorreu os menores registros de precipitação nos bairros do Telégrafo (27,2 mm), Pratinha II (14,7 mm), UFPA (0,3 mm) e no INMET (36,8 mm). Os bairros Barreiro e Pedreira registraram os menores valores de precipitação no mês de dezembro, 28,1 mm e 79,5 mm respectivamente. Outubro foi o mês de menor ocorrência de chuvas no bairro da Sacramenta (17,5 mm) e o mês de janeiro foi onde o bairro da Pratinha I registrou seu menor índice pluviométrico, 78,5 mm. Tabela 5 - Meses de maior e menor precipitação Local Mês de maior precipitação Total mensal máximo Mês de menor precipitação Total mensal mínimo Telégrafo Abril 378,2 Novembro 27,2 Pratinha II Março 403,6 Novembro 14,7 Sacramenta Janeiro 216,1 Outubro 17,5 Barreiro Abril 478,1 Dezembro 28,1 Pedreira Março 424,1 Dezembro 79,5 Pratinha I Março 289,7 Janeiro 78,5 UFPA Março 171,1 Novembro 0,3 INMET Março 497,9 Novembro 36,8 Na Tabela 6, nota-se que o total de todas as precipitações observadas ao longo desse período de quase um ano também difere bastante entre os locais estudados. A média anual dos 118 anos é de 2804,9 mm, já de setembro de 2014 a junho de 2015, o INMET registrou um total de 2702,3 mm, o maior de todos os locais. O bairro da Pedreira, com 2082,0 mm, foi o segundo local com maior registro, seguido do bairro Barreiro com 1986,1 mm. O menor valor anual foi observado na UFPA, com 779,2. Nota-se, porém, que não houve observação durante todo o mês de novembro devido problemas de vazamentos. O Bairro da Sacramento obteve o

11 segundo menor valor, com 907,7 mm de precipitação. Tabela 6 - Total anual de precipitação e média. LOCAL TOTAL MESES ANUAL OBSERVADOS TELÉGRAFO 1619,5 10 PRATINHA II 1661,5 10 SACRAMENTA 907,7 10 BARREIRO 1986,1 10 PEDREIRA 2082,0 7 PRATINHA I 1251,2 6 UFPA 779,2 10 INMET 2702,3 10 MÉDIA DOS 1623,7 LOCAIS MÉDIA DOS ,9 ANOS DISCUSSÃO: Com base na análise dos gráficos e tabelas, verificou-se que a chuva na região metropolitana de Belém apresentou variabilidade espacial e temporal. Observouse que há diferenças na ocorrência de precipitação de um local para o outro. O ano de maior precipitação na UFPA e no INMET ocorreu em 2009 (2496,1 mm e 3613,6 mm respectivamente), enquanto que em Marituba foi em 2010 (4359,5 mm) a maior ocorrência de chuvas. Houve diferenças de menor precipitação anual entre os três locais observados, no INMET a menor ocorrência anual de precipitação foi em 2012 (2939,8 mm), na UFPA foi em 2014 (1417,3 mm), enquanto que em Marituba foi no ano de 2013 (1381,1 mm). No período chuvoso de 2008 a 2014, a média de precipitação no INMET, UFPA e Marituba foi de 2173,3 mm, 1452,8 mm e 1576,8 mm respectivamente. Já no período menos chuvoso a média do INMET, UFPA e Marituba foi de 863,4 mm, 509,5 mm e 1221,6 mm respectivamente, mostrando um contraste acentuado entre os períodos chuvosos e menos chuvoso desses locais. A pesquisa verificou contrastes acentuados de precipitação de um bairro para o outro, a estação meteorológica do INMET e o bairro da Pedreira foram os locais de maiores índices pluviométricos durante os dez meses observados, já o bairro da Sacramenta e a estação meteorológica da UFPA foram os locais onde houve os menores índices de precipitação durante o período estudado. Março foi o mês de maior ocorrência de chuvas na Região Metropolitana de Belém, com 2616,4 mm e novembro o de menor ocorrência com 155,0 mm. Conclui-se, portanto, que para uma melhor caracterização da precipitação na Região Metropolitana de Belém, são necessárias observações meteorológicas em grande amostral com pontos de observação adicionais aos existentes. AGRADECIMENTOS: Os autores agradecem a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) pelo financiamento do Projeto Integração do Sistema de Monitoramento, Previsão e Alertas para a Gestão de Risco e Respostas a Desastres na Amazônia. e a Universidade Federal do Pará pela Bolsa PIBIC/UFPA concedida a Alfredo Quaresma da Silva Neto.

12 REFERÊNCIAS: ASSUNÇÃO, H.F. da; ASSIS, I. C. de. Construção de uma mini-estação agroclimatológica de baixo custo. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA, 10., 1997, Piracicaba-SP. Anais do X Congresso Brasileiro de Agrometeorologia, Piracicaba: Sociedade Brasileira de Agrometeorologia / Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz / USP, p CASTRO, E. Geopolítica da Água e Novos Dilemas a Propósito da Amazônia e seus Recursos Naturais. In: Luis E. Aragon; Miguel Clüsener- Godt (Orgs.). Problemática do Uso Local e Global da Água da Amazônia. Belém: NAEA, p COHEN, J. C. P.; SILVA DIAS, M. A. F.; NOBRE, C. A. Environmental conditions associated with Amazonian squall lines: A case study. Monthly Weather Reviews, v. 123, n. 11, p , FIGUEROA, S.N.; NOBRE, C.A. Precipitations distribution over Central and Western Tropical South America. Climanálise - Boletim de Monitoramento e Análise Climática, v. 5, n.6, p FITZJARRALD, D. R.; SAKAI, R. K.; MORAES, O. L. L.; OLIVEIRA, R. C.; ACEVEDO, O. C.; CZIKOWSKY, M. J.; BELDINI, T.; Spatial and Temporal Rainfall Variability Near the Amazon - Tapajo s Confluence, Journal Of Geophysical Research, v. 113, MOTA, M. A. S.; OLIVEIRA, M. C. F. Variação espacial da precipitação em Belém em evento de El Niño. In: Simpósio de Climatologia Geográfica, 3, Anais do III Simpósio de Climatologia Geográfica. Salvador: SBMET, MOTA, M. A. S.; Space variation of the precipitation in Belém in year of El Nino. In: International Congress of Biometeorology & International Conference on Urban Climatology, 99, Anais... Sidney: session, VIANELLO, R.L.; ALVES, A.R. Meteorologia e aplicações. Viçosa: UFV, p. 449, TRABALHOS EM EVENTOS CIENTÍFICOS: Foi submetido e aceito para apresentação o trabalho intitulado Variação espacial da precipitação nas cidades de Belém-PA e Marituba-PA nos anos de 2008 a 2014 no XIX CBAGRO (Congresso Brasileiro de Agrometeorologia) que será realizado na cidade de Lavras, sul de Minas Gerais, no período de 23 a 28 de agosto de i Trabalho desenvolvido com o apoio do Programa PIBIC/UFPA. ii Graduando do curso de Meteorologia da Universidade Federal do Pará. Bolsista PIBIC/UFPA. iii Docente do Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará.

13 PARECER DO ORIENTADOR: O bolsista apesar de responsável e disciplinado, teve muita dificuldades para desenvolver o trabalho. Ele se esforçou bastante e conseguiu cumprir as metas do plano da pesquisa, tanto que fez um bom relatório e também submeteu um trabalho ao XIX Congresso Brasileiro de Agrometeorologia, que será realizado na cidade de Lavras, sul de Minas Gerais, no período de 23 a 28 de agosto de Belém, 17/08/2015 Maria Aurora Santos da mota

Análise da precipitação na Região Metropolitana de Belém (PA) ao longo de um ano (agosto/2008 a julho/2009)

Análise da precipitação na Região Metropolitana de Belém (PA) ao longo de um ano (agosto/2008 a julho/2009) Análise da precipitação na Região Metropolitana de Belém (PA) ao longo de um ano (agosto/2008 a julho/2009) Clara Teixeira Figueiredo¹ Maria Aurora Santos da Mota 2 ¹Bolsista PIBIC - Universidade Federal

Leia mais

Análise termodinâmica da atmosfera e sua relação com a precipitação na Região Metropolitana de Belém, de agosto/2008 a julho/2009

Análise termodinâmica da atmosfera e sua relação com a precipitação na Região Metropolitana de Belém, de agosto/2008 a julho/2009 Análise termodinâmica da atmosfera e sua relação com a precipitação na Região Metropolitana de Belém, de agosto/8 a julho/9 Atmosphere s thermodynamic analysis and its relation with precipitation in the

Leia mais

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA E DO NÚMERO DE DIAS COM CHUVA EM CALÇOENE LOCALIZADO NO SETOR COSTEIRO DO AMAPÁ

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA E DO NÚMERO DE DIAS COM CHUVA EM CALÇOENE LOCALIZADO NO SETOR COSTEIRO DO AMAPÁ ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA E DO NÚMERO DE DIAS COM CHUVA EM CALÇOENE LOCALIZADO NO SETOR COSTEIRO DO AMAPÁ Leidiane L. Oliveira¹, Daniel G. Neves¹, Alan C. Cunha², Edmir S. Jesus², Jonathan

Leia mais

Validação das observações feitas com o pluviômetro de garrafa PET na cidade de Belém-PA.

Validação das observações feitas com o pluviômetro de garrafa PET na cidade de Belém-PA. Validação das observações feitas com o pluviômetro de garrafa PET na cidade de Belém-PA. Silvia Letícia Alves Garcêz¹, Maria Aurora Santos da Mota². ¹Estudante de Graduação da Universidade Federal do Pará,

Leia mais

Climatologia da Precipitação no Município de Igarapé-Açu, PA. Período:

Climatologia da Precipitação no Município de Igarapé-Açu, PA. Período: Climatologia da Precipitação no Município de Igarapé-Açu, PA. Período: 1995-2009. Adriana Hellen Ferreira Cordeiro¹, Nilza Araújo Pachêco², Alailson Venceslau Santiago³. 1. Graduanda de Meteorologia da

Leia mais

city, due to heavy rains, thus making this study many important for the better monitoring and

city, due to heavy rains, thus making this study many important for the better monitoring and VARIABILIDADE DA PRECIPITAÇÃO EM SANTA BÁRBARA DO PARÁ PA, NO PERÍODO DE AGOSTO DE 2008 A AGOSTO DE 2010 Josiane Sarmento dos Santos¹, Maria Aurora Santos da Mota 2, Ludmila Monteiro da Silva Tanaka 3,

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 ESTUDO DA VARIAÇÃO SAZONAL DE ELEMENTOS METEOROLÓGICOS EM DIFERENTES ECOSSISTEMAS JUNTO AO LITORAL ATLÂNTICO DA AMAZÔNIA Kellen Carla Lima & Midori Makino Universidade Federal do Pará Rua Augusto Corrêa,

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: climatologia, precipitação, anomalias de precipitação.

PALAVRAS CHAVE: climatologia, precipitação, anomalias de precipitação. ESTUDO DE MALIAS DE PRECIPITAÇÃO EM BELÉM-PA Dayana Castilho de Souza 1, Glayson Francisco Bezerra das Chagas 1, Bruno Takeshi Tanaka Portela 1, Edson José Paulino da Rocha 2, Dimitrie Nechet 3 RESUMO

Leia mais

1 Mestranda (CNPq) do Programa de Pós-graduação em Meteorologia/Universidade Federal de

1 Mestranda (CNPq) do Programa de Pós-graduação em Meteorologia/Universidade Federal de Análise dos Eventos Extremos de Chuva ocorridos em Maio de 06 em Salvador Fernanda Gonçalves Rocha 1, Maria Regina da Silva Aragão 2, Magaly de Fátima Correia 3, Heráclio Alves de Araújo 4 1 Mestranda

Leia mais

VARIABILIDADE DA PRECIPITAÇÃO EM CAMPO GRANDE, MATO GROSSO DO SUL

VARIABILIDADE DA PRECIPITAÇÃO EM CAMPO GRANDE, MATO GROSSO DO SUL VARIABILIDADE DA PRECIPITAÇÃO EM CAMPO GRANDE, MATO GROSSO DO SUL CÁTIA C. B. RODRIGUES 1, HÉRCULES ARCE², ROSEMEIRE V. GOMES³ 1 Meteorologista, Responsável técnica pelo CEMTEC/AGRAER, Campo Grande MS,

Leia mais

UM ESTUDO DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NO MUNICÍPIO DE CASTANHAL-PA. Josiane Sarmento dos Santos¹, Ludmila Monteiro da Silva², Gabriel Brito Costa³.

UM ESTUDO DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NO MUNICÍPIO DE CASTANHAL-PA. Josiane Sarmento dos Santos¹, Ludmila Monteiro da Silva², Gabriel Brito Costa³. UM ESTUDO DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NO MUNICÍPIO DE CASTANHAL-PA. Josiane Sarmento dos Santos¹, Ludmila Monteiro da Silva², Gabriel Brito Costa³. RESUMO - O município de Castanhal PA, possui um clima

Leia mais

EFEITOS DE FRENTES FRIAS NO COMPORTAMENTO CLIMÁTICO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA (ES)

EFEITOS DE FRENTES FRIAS NO COMPORTAMENTO CLIMÁTICO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA (ES) EFEITOS DE FRENTES FRIAS NO COMPORTAMENTO CLIMÁTICO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA (ES) ANDERSON DA SILVA. SIMÕES 1, WESLEY SOUZA CAMPOS CORREA 2, EBERVAL MARCHIORO 3. 1 Graduando de Geografia, Universidade Federal

Leia mais

CLIMATOLOGIA DA PRECIPITAÇÃO NO MUNICIPIO DE TOMÉ-AÇU NO PERÍODO DE 1985 A

CLIMATOLOGIA DA PRECIPITAÇÃO NO MUNICIPIO DE TOMÉ-AÇU NO PERÍODO DE 1985 A CLIMATOLOGIA DA PRECIPITAÇÃO NO MUNICIPIO DE TOMÉ-AÇU NO PERÍODO DE 1985 A 2011 Jeymison Margado Bezerra¹, Nilza Araujo Pacheco², Alailson Venceslau Santiago³ ¹ Graduando em Meteororologia UFPA - jeymison.bezerra@ig.ufpa.br,

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 INFLUÊNCIA DA LA NIÑA NAS TEMPERATURAS MÁXIMAS E MÍNIMAS MENSAIS PARA VIÇOSA-MG

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 INFLUÊNCIA DA LA NIÑA NAS TEMPERATURAS MÁXIMAS E MÍNIMAS MENSAIS PARA VIÇOSA-MG INFLUÊNCIA DA LA NIÑA NAS TEMPERATURAS MÁXIMAS E MÍNIMAS MENSAIS PARA VIÇOSA-MG Rosandro Boligon Minuzzi Universidade Federal de Viçosa Dep. de Engenharia Agrícola Av. P.H. Rolfs, s/n Campus Universitário

Leia mais

ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO DA FREQUÊNCIA DE PRECIPITAÇÃO EM DIFERENTES INTERVALOS DE CLASSES PARA ITUPORANGA SC

ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO DA FREQUÊNCIA DE PRECIPITAÇÃO EM DIFERENTES INTERVALOS DE CLASSES PARA ITUPORANGA SC ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO DA FREQUÊNCIA DE PRECIPITAÇÃO EM DIFERENTES INTERVALOS DE CLASSES PARA ITUPORANGA SC Katiani ELI 1, Leonardo NEVES 2, Roberto HAVEROTH 3, Joabe W. PITZ 1, Isaac W. PITZ 3, Júlio

Leia mais

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO NA REGIÃO DO SUB-MÉDIO SÃO FRANCISCO EM EVENTOS CLIMÁTICOS DE EL NIÑO E LA NIÑA

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO NA REGIÃO DO SUB-MÉDIO SÃO FRANCISCO EM EVENTOS CLIMÁTICOS DE EL NIÑO E LA NIÑA ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO NA REGIÃO DO SUB-MÉDIO SÃO FRANCISCO EM EVENTOS CLIMÁTICOS DE EL NIÑO E LA NIÑA. Ana Paula Lima Marques da Silva 1 ; Otto Corrêa Rotunno Filho 2 ; Isimar de Azevedo Santos 3, Cláudio

Leia mais

INFLUÊNCIA DE LA NIÑA SOBRE A CHUVA NO NORDESTE BRASILEIRO. Alice M. Grimm (1); Simone E. T. Ferraz; Andrea de O. Cardoso

INFLUÊNCIA DE LA NIÑA SOBRE A CHUVA NO NORDESTE BRASILEIRO. Alice M. Grimm (1); Simone E. T. Ferraz; Andrea de O. Cardoso INFLUÊNCIA DE LA NIÑA SOBRE A CHUVA NO NORDESTE BRASILEIRO Alice M. Grimm (1); Simone E. T. Ferraz; Andrea de O. Cardoso (1) Grupo de Meteorologia - Universidade Federal do Paraná Depto de Física Caixa

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DA PRECIPITAÇÃO SOBRE O BRASIL NO VERÃO E OUTONO DE 1998.

CARACTERÍSTICAS DA PRECIPITAÇÃO SOBRE O BRASIL NO VERÃO E OUTONO DE 1998. CARACTERÍSTICAS DA PRECIPITAÇÃO SOBRE O BRASIL NO VERÃO E OUTONO DE 1998. Nuri Calbete (nuri@cptec.inpe.br), Iracema F.A.Cavalcanti (iracema@cptec.inpe.br), Mario F.L.Quadro (mario@cptec.inpe.br) Centro

Leia mais

Análise das precipitações em alguns municípios de Mato Grosso do Sul

Análise das precipitações em alguns municípios de Mato Grosso do Sul Análise das precipitações em alguns municípios de Mato Grosso do Sul Cátia Cristina Braga Rodrigues 1, Evaldo de Paiva Lima 2, Hércules Arce 3, Carlos Eduardo Borges Daniel 4, Cleber Moraes Ribas 5 1 Meteorologista,

Leia mais

INFLUÊNCIA DO EL NIÑO-OSCILAÇÃO SUL (ENOS) NOS REGIMES PLUVIOMÉTRICO E TÉRMICO NA ILHA DE SÃO LUIS, MA RESUMO 1. INTRODUÇÃO

INFLUÊNCIA DO EL NIÑO-OSCILAÇÃO SUL (ENOS) NOS REGIMES PLUVIOMÉTRICO E TÉRMICO NA ILHA DE SÃO LUIS, MA RESUMO 1. INTRODUÇÃO INFLUÊNCIA DO EL NIÑO-OSCILAÇÃO SUL (ENOS) NOS REGIMES PLUVIOMÉTRICO E TÉRMICO NA ILHA DE SÃO LUIS, MA 1 Gunter de Azevedo Reschke 2 Ronaldo Haroldo N. de Menezes 3 Alan de Castro Leite RESUMO Entre as

Leia mais

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO E DO NÚMERO DE DIAS DE CHUVA NO MUNICÍPIO DE PETROLINA - PE

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO E DO NÚMERO DE DIAS DE CHUVA NO MUNICÍPIO DE PETROLINA - PE CAPTAÇÃO E MANEJO DE ÁGUA DE CHUVA PARA SUSTENTABILIDADE DE ÁREAS RURAIS E URBANAS TECNOLOGIAS E CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA TERESINA, PI, DE 11 A 14 DE JULHO DE 2 ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO E DO NÚMERO DE DIAS

Leia mais

INFORMATIVO CLIMÁTICO

INFORMATIVO CLIMÁTICO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO NÚCLEO GEOAMBIENTAL LABORATÓRIO DE METEOROLOGIA INFORMATIVO CLIMÁTICO FEVEREIRO DE 2015 O mês de fevereiro de 2015 apresentou irregular distribuição de chuva, com déficits

Leia mais

Área 1 Área 2 Área 3 Área 4 4. Conclusão 5. Referências Bibliográfias Agradecimentos

Área 1 Área 2 Área 3 Área 4 4. Conclusão 5. Referências Bibliográfias Agradecimentos DISTRIBUIÇÃO DO VENTO COLETADO A BORDO DO NAVIO OCEANOGRAFICO ANTARES NA ÁREA NORTE DO PROGRAMA REVIZEE NOS PERÍODOS CHUVOSO DE 1995 E MENOS CHUVOSO DE 1997. Gláucia Miranda Lopes Júlia Clarinda Paiva

Leia mais

ANÁLISE DA FREQUENCIA DA PRECIPITAÇÃO DIÁRIA NO MUNICÍPIO DE ÁGUIA BRANCA ES.

ANÁLISE DA FREQUENCIA DA PRECIPITAÇÃO DIÁRIA NO MUNICÍPIO DE ÁGUIA BRANCA ES. ANÁLISE DA FREQUENCIA DA PRECIPITAÇÃO DIÁRIA NO MUNICÍPIO DE ÁGUIA BRANCA ES. José Geraldo Ferreira da Silva 1, Hugo Ely dos Anjos Ramos 2, Gizella Carneiro Igreja 3, Aline Oliveira da Silva 4, Roziane

Leia mais

ÍNDICE DE ANOMALIAS DE PRECIPITAÇÃO PLUVIAL ASSOCIADOS AOS FENÔMENOS ENOS NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM, PARÁ

ÍNDICE DE ANOMALIAS DE PRECIPITAÇÃO PLUVIAL ASSOCIADOS AOS FENÔMENOS ENOS NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM, PARÁ ÍNDICE DE ANOMALIAS DE PRECIPITAÇÃO PLUVIAL ASSOCIADOS AOS FENÔMENOS ENOS NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM, PARÁ José R. da S. C. de Moraes 1, Lucieta G. Martorano 2, Vitor H. da S. Batista 3, Gabriel M. da Silva

Leia mais

Análise da Pressão e Precipitação em Boa Vista em um ano de La Niña (1996) e um ano de El Niño (1997)

Análise da Pressão e Precipitação em Boa Vista em um ano de La Niña (1996) e um ano de El Niño (1997) Análise da Pressão e Precipitação em Boa Vista em um ano de La Niña () e um ano de El Niño () Elaine Barreto, Aluna de graduação de Meteorologia da UFPa. E-mail: elaine.barreto@ig.ufpa.br Dimitrie Nechet,

Leia mais

EFEITOS DE UM BLOQUEIO ATMOSFÉRICO NO CAMPO DE PRECIPITAÇÃO E TEMPERATURA NO RIO GRANDE DO SUL

EFEITOS DE UM BLOQUEIO ATMOSFÉRICO NO CAMPO DE PRECIPITAÇÃO E TEMPERATURA NO RIO GRANDE DO SUL EFEITOS DE UM BLOQUEIO ATMOSFÉRICO NO CAMPO DE PRECIPITAÇÃO E TEMPERATURA NO RIO GRANDE DO SUL Allan de Oliveira de Oliveira e- mail: allan_rs@yahoo.com.br Jaci M. B. Saraiva e- mail: dgejaci@super.furg.br

Leia mais

BOLETIM PROJETO CHUVA - 22 DE JUNHO DE 2011

BOLETIM PROJETO CHUVA - 22 DE JUNHO DE 2011 BOLETIM PROJETO CHUVA - 22 DE JUNHO DE 2011 Condições Climáticas Na carta de Temperatura da Superfície do Mar (TSM), que pode ser analisado através da Figura 1a, são observadas anomalias positivas de TSM

Leia mais

FLUTUAÇÃO DA PRECIPITAÇÃO EM ALAGOA NOVA, PARAÍBA, EM ANOS DE EL NIÑO

FLUTUAÇÃO DA PRECIPITAÇÃO EM ALAGOA NOVA, PARAÍBA, EM ANOS DE EL NIÑO FLUTUAÇÃO DA PRECIPITAÇÃO EM ALAGOA NOVA, PARAÍBA, EM ANOS DE EL NIÑO Vicente de Paulo Rodrigues da Silva 1 ; Raimundo Mainar de Medeiros 2 ; Manoel Francisco Gomes Filho 1 1 Prof. Dr. Unidade Acadêmica

Leia mais

Sazonalidade da precipitação e umidade relativa do ar em cidades de diferentes portes na Região Amazônica Brasileira

Sazonalidade da precipitação e umidade relativa do ar em cidades de diferentes portes na Região Amazônica Brasileira Sazonalidade da precipitação e umidade relativa do ar em cidades de diferentes portes na Região Amazônica Brasileira Haroldo Magano Júnior 1, Antonio Carlos Lôla da Costa 1, João de Athaydes Silva Júnior

Leia mais

Normal Climatológica da Precipitação Acumulada Mensal do Distrito Federal para o Período

Normal Climatológica da Precipitação Acumulada Mensal do Distrito Federal para o Período Normal Climatológica da Precipitação Acumulada Mensal do Distrito Federal para o Período 1971-2000 Fábio C. Conde 1,2, Andrea M. Ramos 1,2, Luiz A. R. Santos 1, Danielle B. Ferreira 1 1 Coordenação de

Leia mais

INFLUÊNCIA DE EL NIÑO SOBRE A CHUVA NO NORDESTE BRASILEIRO. Alice M. Grimm (1); Simone E. T. Ferraz; Andrea de O. Cardoso

INFLUÊNCIA DE EL NIÑO SOBRE A CHUVA NO NORDESTE BRASILEIRO. Alice M. Grimm (1); Simone E. T. Ferraz; Andrea de O. Cardoso INFLUÊNCIA DE EL NIÑO SOBRE A CHUVA NO NORDESTE BRASILEIRO Alice M. Grimm (1); Simone E. T. Ferraz; Andrea de O. Cardoso (1) Grupo de Meteorologia - Universidade Federal do Paraná Depto de Física Caixa

Leia mais

ANÁLISE DE ANOS COM ESTIAGEM NA REGIÃO DE BAGÉ/RS

ANÁLISE DE ANOS COM ESTIAGEM NA REGIÃO DE BAGÉ/RS ANÁLISE DE ANOS COM ESTIAGEM NA REGIÃO DE BAGÉ/RS Flavio Varone 1,2,3, Simone Ferreira 2, Rita Alves 2 1 FEPAGRO Brasil - Rio Grande do Sul - fvarone@gmail.com 3 2 CEPSRM/UFRGS - Brasil - Rio Grande do

Leia mais

ESTUDO DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS DO PIAUÍ

ESTUDO DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS DO PIAUÍ ESTUDO DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS DO PIAUÍ Medeiros, R.M. (1) ; Santos, D.C. (1) ; Correia, D. S, (1) ; Oliveira, V.G (1) ; Rafael, A. R. (1) mainarmedeiros@gmail.com (1) Universidade

Leia mais

ANOMALIAS DE PRECIPITAÇÃO EM RORAIMA NO PERÍODO DE SETEMBRO/97 A ABRIL/98. RESUMO

ANOMALIAS DE PRECIPITAÇÃO EM RORAIMA NO PERÍODO DE SETEMBRO/97 A ABRIL/98. RESUMO ANOMALIAS DE PRECIPITAÇÃO EM RORAIMA NO PERÍODO DE SETEMBRO/97 A ABRIL/98. Expedito Ronald Gomes Rebello Meteorologista Instituto Nacional de Meteorologia José de Fátima da Silva Meteorologista Instituto

Leia mais

2 MATERIAIS E MÉTODOS

2 MATERIAIS E MÉTODOS Climatologia e Variabilidade de Precipitação no Nordeste do Pará com foco no Município de Castanhal e Mosqueiro ( Distrito da Cidade de Belém) no Período de 1982 a 2009. Elis Negrão Barbosa 1, Helder José

Leia mais

A INFLUÊNCIA DE ANOS DE EL NIÑO NA ANÁLISE DA TEMPERATURA DO AR NO MUNICÍPIO DE TERESINA- PIAUÍ, BRASIL

A INFLUÊNCIA DE ANOS DE EL NIÑO NA ANÁLISE DA TEMPERATURA DO AR NO MUNICÍPIO DE TERESINA- PIAUÍ, BRASIL A INFLUÊNCIA DE ANOS DE EL NIÑO NA ANÁLISE DA TEMPERATURA DO AR NO MUNICÍPIO DE TERESINA- PIAUÍ, BRASIL Virgínia Mirtes de Alcântara Silva 1 ;Raimundo Mainar de Medeiros 2 ;Victor Herbert de Alcântara

Leia mais

BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS

BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS I N F O C L I M A BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS Ano 11 15 de julho de 2004 Número 7 Previsão de Consenso 1 CPTEC/INPE e INMET PREVISÃO DE NORMALIDADE DE CHUVAS E DE TEMPERATURAS NA MAIOR PARTE DO PAÍS

Leia mais

ANÁLISE DA FREQUENCIA DA PRECIPITAÇÃO DIÁRIA NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO CASTELO ES.

ANÁLISE DA FREQUENCIA DA PRECIPITAÇÃO DIÁRIA NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO CASTELO ES. ANÁLISE DA FREQUENCIA DA PRECIPITAÇÃO DIÁRIA NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO CASTELO ES. Hugo Ely dos Anjos Ramos 1, José Geraldo Ferreira da Silva 2, Gizella Carneiro Igreja 3, Roziane Ataydes Freitas 4,

Leia mais

ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO SAZONAL E ESPACIAL DA PRECIPITAÇÃO NO NORTE DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO SAZONAL E ESPACIAL DA PRECIPITAÇÃO NO NORTE DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO SAZONAL E ESPACIAL DA PRECIPITAÇÃO NO NORTE DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Neri Ellen Fernandes da Nóbrega 1, José Geraldo Ferreira da Silva 2, Hugo Ely dos Anjos Ramos 3, Franklim

Leia mais

SAZONALIDADE TERMOHIGROMÉTRICA EM CIDADES DE DIFERENTES DIMENSÕES NO ESTADO DO PARÁ

SAZONALIDADE TERMOHIGROMÉTRICA EM CIDADES DE DIFERENTES DIMENSÕES NO ESTADO DO PARÁ SAZONALIDADE TERMOHIGROMÉTRICA EM CIDADES DE DIFERENTES DIMENSÕES NO ESTADO DO PARÁ Antonio Carlos Lôla da Costa (1); Paulo Wilson Uchôa (2). João de Athayde Silva Júnior (3); José Raimundo Abreu(4); 1-Universidade

Leia mais

BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS PARA O ESTADO DO PIAUÍ

BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS PARA O ESTADO DO PIAUÍ BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS PARA O ESTADO DO PIAUÍ Teresina - PI Dezembro(2015)/Janeiro(2016)/Fevereiro(2016) Rua 13 de Maio, 307, 4º, 5º e 6º Andar Centro CEP 64.001-150 - www.semar.pi.gov.br Teresina

Leia mais

O FENÔMENO ENOS E A TEMPERATURA NO BRASIL

O FENÔMENO ENOS E A TEMPERATURA NO BRASIL O FENÔMENO ENOS E A TEMPERATURA NO BRASIL Daniel P. GUIMARÃES 1,2, Ruibran J. dos REIS 3 1 Embrapa Milho e Sorgo Sete Lagoas Minas Gerais 2 daniel@cnpms.embrapa.br RESUMO: A variabilidade das temperaturas

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA DO REGIME PLUVIOMÉTRICO E DE SUA TENDÊNCIA PARA OS MUNICÍPIOS DE PORTO DE PEDRAS, PALMEIRA DOS ÍNDIOS E ÁGUA BRANCA

ANÁLISE ESTATÍSTICA DO REGIME PLUVIOMÉTRICO E DE SUA TENDÊNCIA PARA OS MUNICÍPIOS DE PORTO DE PEDRAS, PALMEIRA DOS ÍNDIOS E ÁGUA BRANCA ANÁLISE ESTATÍSTICA DO REGIME PLUVIOMÉTRICO E DE SUA TENDÊNCIA PARA OS MUNICÍPIOS DE PORTO DE PEDRAS, PALMEIRA DOS ÍNDIOS E ÁGUA BRANCA Alaerte da Silva Germano 1, Rosiberto Salustino da Silva Júnior,

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DO IMPACTO DO RESERVATÓRIO DE ITÁ NO CLIMA LOCAL. Maria Laura G. Rodrigues 1 Elaine Canônica 1,2

ANÁLISE PRELIMINAR DO IMPACTO DO RESERVATÓRIO DE ITÁ NO CLIMA LOCAL. Maria Laura G. Rodrigues 1 Elaine Canônica 1,2 ANÁLISE PRELIMINAR DO IMPACTO DO RESERVATÓRIO DE ITÁ NO CLIMA LOCAL Maria Laura G. Rodrigues 1 Elaine Canônica 1,2 RESUMO O presente trabalho investiga as possíveis alterações de precipitação e temperatura

Leia mais

BOLETIM CLIMATOLÓGICO TRIMESTRAL DA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA DO IAG/USP - Dez/ Jan/ Fev/ Verão -

BOLETIM CLIMATOLÓGICO TRIMESTRAL DA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA DO IAG/USP - Dez/ Jan/ Fev/ Verão - BOLETIM CLIMATOLÓGICO TRIMESTRAL DA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA DO IAG/USP - Dez/2014 - Jan/2015 - Fev/2015 - - Verão - Seção Técnica de Serviços Meteorológicos Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências

Leia mais

UM ESTUDO DA PRECIPITAÇÃO, TEMPERATURA E UMIDADE RELATIVA DO AR NA COSTA NORTE-NORDESTE DO BRASIL.

UM ESTUDO DA PRECIPITAÇÃO, TEMPERATURA E UMIDADE RELATIVA DO AR NA COSTA NORTE-NORDESTE DO BRASIL. UM ESTUDO DA PRECIPITAÇÃO, TEMPERATURA E UMIDADE RELATIVA DO AR NA COSTA NORTE-NORDESTE DO BRASIL. Ludmila Monteiro da Silva 1, Bruno Takeshi Tanaka Portela 2 RESUMO - O clima da região litorânea entre

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA O MUNICÍPIO DE ITUPORANGA SC

BALANÇO HÍDRICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA O MUNICÍPIO DE ITUPORANGA SC BALANÇO HÍDRICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA O MUNICÍPIO DE ITUPORANGA SC Julio M. CATONI 1 ; Leonardo NEVES 2 ;João Célio ARAUJO 3 ; Evandro C. de OLIVEIRA 4 ; Roberto HAVEROTH 5 ; Katiani ELI 1 ; Elizabete

Leia mais

BOLETIM CLIMATOLÓGICO TRIMESTRAL DA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA DO IAG/USP - DJF 2013/ VERÃO -

BOLETIM CLIMATOLÓGICO TRIMESTRAL DA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA DO IAG/USP - DJF 2013/ VERÃO - BOLETIM CLIMATOLÓGICO TRIMESTRAL DA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA DO IAG/USP - DJF 2013/2014 - - VERÃO - Seção Técnica de Serviços Meteorológicos Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas. Universidade

Leia mais

BOLETIM CLIMÁTICO SOBRE A PRIMAVERA NO ESTADO DO PARANÁ

BOLETIM CLIMÁTICO SOBRE A PRIMAVERA NO ESTADO DO PARANÁ BOLETIM CLIMÁTICO SOBRE A PRIMAVERA NO ESTADO DO PARANÁ Data da previsão: 22/09/15 Duração da Primavera: 23/09/15 (05h20) a 22/12/2015 (01h48 não ajustado ao horário de verão) Características climáticas

Leia mais

FREQUÊNCIA DE LINHAS DE INSTABILIDADE E CONVECÇÃO SOBRE A COSTA NORTE DO BRASIL

FREQUÊNCIA DE LINHAS DE INSTABILIDADE E CONVECÇÃO SOBRE A COSTA NORTE DO BRASIL FREQUÊNCIA DE LINHAS DE INSTABILIDADE E CONVECÇÃO SOBRE A COSTA NORTE DO BRASIL Fernando Pereira de Oliveira,*, Marcos Daisuke Oyama Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE * fernando.oliveira@cptec.inpe.br

Leia mais

BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS PARA O ESTADO DO PIAUÍ

BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS PARA O ESTADO DO PIAUÍ BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS PARA O ESTADO DO PIAUÍ Teresina - PI Janeiro/Fevereiro/Março (2016) Rua 13 de Maio, 307, 4º, 5º e 6º Andar Centro CEP 64.001-150 - www.semar.pi.gov.br Teresina - PI TELEFONE:

Leia mais

INFLUÊNCIA PLUVIAL NA CULTURA DE TRIGO NA REGIÃO NORTE DO RIO GRANDE DO SUL.

INFLUÊNCIA PLUVIAL NA CULTURA DE TRIGO NA REGIÃO NORTE DO RIO GRANDE DO SUL. INFLUÊNCIA PLUVIAL NA CULTURA DE TRIGO NA REGIÃO NORTE DO RIO GRANDE DO SUL. Bruno Dias Rodrigues¹, William Cesar de Freitas da Cruz² ¹Graduando da Faculdade de Meteorologia da UFPel. bruninho.rodrigues@gmail.com.

Leia mais

MONITORAMENTO DA ZONA DE CONVERGÊNCIA INTERTROPICAL (ZCIT) ATRAVÉS DE DADOS DE TEMPERATURA DE BRILHO (TB) E RADIAÇÃO DE ONDA LONGA (ROL)

MONITORAMENTO DA ZONA DE CONVERGÊNCIA INTERTROPICAL (ZCIT) ATRAVÉS DE DADOS DE TEMPERATURA DE BRILHO (TB) E RADIAÇÃO DE ONDA LONGA (ROL) MONITORAMENTO DA ZONA DE CONVERGÊNCIA INTERTROPICAL (ZCIT) ATRAVÉS DE DADOS DE TEMPERATURA DE BRILHO (TB) E RADIAÇÃO DE ONDA LONGA (ROL) David Mendes, Cristopher A. C. Castro, Hélio Camargo Jr., Marcos

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 ESTUDO DA ESTIAGEM NO OESTE CATARINENSE EM 2001/2002. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA PREVISÃO CLIMÁTICA DO CPTEC Mário Francisco Leal de Quadro Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos - CPTEC Instituto

Leia mais

ESTUDO DE CASO DE UM EVENTO METEOROLÓGICO EXTREMO NO NORDESTE BRASILEIRO ENTRE OS DIAS 15 E 18 DE JULHO DE PARTE I

ESTUDO DE CASO DE UM EVENTO METEOROLÓGICO EXTREMO NO NORDESTE BRASILEIRO ENTRE OS DIAS 15 E 18 DE JULHO DE PARTE I ESTUDO DE CASO DE UM EVENTO METEOROLÓGICO EXTREMO NO NORDESTE BRASILEIRO ENTRE OS DIAS 15 E 18 DE JULHO DE 2011. PARTE I Thiago Luiz do Vale Silva¹, Vinicius Gomes Costa Júnior¹, Daniel Targa Dias Anastacio¹,

Leia mais

Extremos de precipitação mensal sobre a Bacia La Plata e Bacia Amazônica

Extremos de precipitação mensal sobre a Bacia La Plata e Bacia Amazônica Extremos de precipitação mensal sobre a Bacia La Plata e Bacia Amazônica Iracema Fonseca de Albuquerque Cavalcanti Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos.

Leia mais

Characterization of Rainfall Patterns in the Projeto Rio Formoso Region in the Araguaia Basin, Tocantins State, Brazil

Characterization of Rainfall Patterns in the Projeto Rio Formoso Region in the Araguaia Basin, Tocantins State, Brazil CARACTERIZAÇÃO DO REGIME PLUVIOMÉTRICO DA Jair da Costa OLIVEIRA FILHO 1, Eder Soares PINTO 1, Luciano Marcelo Fallé SABOYA 1, Antonio José PERON 1, Gaspar F. CAETANO 2 RESUMO - A caracterização do regime

Leia mais

ANÁLISE DA VARIABILIDADE E VARIAÇÃO DOS ÍNDICES EL NIÑO, OSCILAÇÃO SUL E CHUVAS NOS ESTADOS DO RIO GRANDE DO SUL E SANTA CATARINA DO BRASIL

ANÁLISE DA VARIABILIDADE E VARIAÇÃO DOS ÍNDICES EL NIÑO, OSCILAÇÃO SUL E CHUVAS NOS ESTADOS DO RIO GRANDE DO SUL E SANTA CATARINA DO BRASIL ANÁLISE DA VARIABILIDADE E VARIAÇÃO DOS ÍNDICES EL NIÑO, OSCILAÇÃO SUL E CHUVAS NOS ESTADOS DO RIO GRANDE DO SUL E SANTA CATARINA DO BRASIL ABSTRACT Ilia S. Kim Centro de Pesquisas Meteorológicas, Faculdade

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE. BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL PARA MINAS GERAIS, 11 a 20 de Março de 2011

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE. BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL PARA MINAS GERAIS, 11 a 20 de Março de 2011 BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL PARA MINAS GERAIS, 11 a 20 de Março de 2011 I. DIAGNÓSTICO Comportamento das Chuvas O segundo decêndio de março, em Minas Gerais, foi caracterizado por chuvas frequentes,

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE. BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL 01 a 10 de Fevereiro de 2011

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE. BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL 01 a 10 de Fevereiro de 2011 I. DIAGNÓSTICO Comportamento das Chuvas BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL 01 a 10 de Fevereiro de 2011 Ausência de chuva e forte calor marcaram o primeiro decêndio de fevereiro em Minas Gerais, ampliando

Leia mais

CLIMATOLOGIA E VARIABILIDADE INTERANUAL DA VELOCIDADE DO VENTO EM SANTA MARIA, RS

CLIMATOLOGIA E VARIABILIDADE INTERANUAL DA VELOCIDADE DO VENTO EM SANTA MARIA, RS CLIMATOLOGIA E VARIABILIDADE INTERANUAL DA VELOCIDADE DO VENTO EM SANTA MARIA, RS Nereu Augusto Streck 2, Luana Fernandes Gabriel, Simone Erotildes Teleginski Ferraz, Arno Bernardo Heldwein ¹ Universidade

Leia mais

PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE TELES PIRES

PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE TELES PIRES PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE TELES PIRES P.10 PROGRAMA DE MONITORAMENTO CLIMATOLÓGICO Parecer Técnico EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL PELO DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES DO PROGRAMA INTEGRANTES CONSELHO CTF

Leia mais

MÉDIAS E VARIABILIDADE DOS TOTAIS MENSAIS E ANUAIS DE PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO VACACAÍ-MIRIM, RS

MÉDIAS E VARIABILIDADE DOS TOTAIS MENSAIS E ANUAIS DE PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO VACACAÍ-MIRIM, RS MÉDIAS E VARIABILIDADE DOS TOTAIS MENSAIS E ANUAIS DE PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO VACACAÍ-MIRIM, RS GALILEO ADELI BURIOL 1, VALDUINO ESTEFANEL 2, ROSA ELAINE IENSEN 3, LEANDRO

Leia mais

BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS Ano de dezembro de 2006 Número 11

BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS Ano de dezembro de 2006 Número 11 INFOCLIMA BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS Ano 13 08 de dezembro de 2006 Número 11 PREVISÃO DE CHUVAS VARIANDO DE NORMAL A ABAIXO DA MÉDIA PARA O SETOR SEMI-ÁRIDO DO NORDESTE DO BRASIL 1 SUMÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO REGIME PLUVIOMÉTRICO NO MUNICÍPIO DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON - PR ENTRE OS ANOS 1941 A 2008

CARACTERIZAÇÃO DO REGIME PLUVIOMÉTRICO NO MUNICÍPIO DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON - PR ENTRE OS ANOS 1941 A 2008 CARACTERIZAÇÃO DO REGIME PLUVIOMÉTRICO NO MUNICÍPIO DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON - PR ENTRE OS ANOS 1941 A 2008 Karl Heins Ewald 1 Leila Limberger 2 Eixo temático: GESTÃO AMBIENTAL EM ZONA SUBTROPICAL RESUMO:

Leia mais

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO E DO NÚMERO DE DIAS DE CHUVA NO MUNICÍPIO DE JAGUARUANA-CE

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO E DO NÚMERO DE DIAS DE CHUVA NO MUNICÍPIO DE JAGUARUANA-CE ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO E DO NÚMERO DE DIAS DE CHUVA NO MUNICÍPIO DE JAGUARUANA-CE Verônica Gabriella de Oliveira 1 ; Daris Correia dos Santos ; Carlos Antonio Costa dos Santos 3 ¹UFCG,e-mail: oliver.gabzinha@hotmail.com

Leia mais

ANOMALIA DA PRECIPITAÇÃO PLUVIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO Jonas Teixeira Nery 1, Eraldo Silva Sunchk 2, João MaurícioHypolit 3,

ANOMALIA DA PRECIPITAÇÃO PLUVIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO Jonas Teixeira Nery 1, Eraldo Silva Sunchk 2, João MaurícioHypolit 3, RESUMO ANOMALIA DA PRECIPITAÇÃO PLUVIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO Jonas Teixeira Nery, Eraldo Silva Sunchk, João MaurícioHypolit, O objetivo desse trabalho foi analisar a precipitação pluvial do Estado de

Leia mais

BOLETIM CLIMÁTICO - NOVEMBRO 2015

BOLETIM CLIMÁTICO - NOVEMBRO 2015 BOLETIM CLIMÁTICO - NOVEMBRO 2015 1. Condições meteorológicas sobre o Brasil No mês de novembro de 2015 os valores acumulados de precipitação mais significativos ocorreram nas regiões Sul, São Paulo, e

Leia mais

VARIABILIDADE DA PRECIPITAÇÃO EM AREIA - PARAIBA, BRASIL, ENTRE

VARIABILIDADE DA PRECIPITAÇÃO EM AREIA - PARAIBA, BRASIL, ENTRE VARIABILIDADE DA PRECIPITAÇÃO EM AREIA - PARAIBA, BRASIL, ENTRE 1974 2013 Hudson Ellen Alencar Menezes 1, Raimundo Mainar de Medeiros 2, Francisco de Assis da Costa Neto 3 ; Danilo Ericksen Costa Cabral

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 VARIAÇÕES DO CAMPO DE PRECIPITAÇÃO EM SETEMBRO/97 E SETEMBRO/98 NO RS Katia Oliveira Marques Universidade Federal de Pelotas/Faculdade de Meteorologia katyamarques@zipmail.com.br Roseli Gueths Gomes Universidade

Leia mais

Ciclo diurno das chuvas intensas na Região Metropolitana de Belo Horizonte entre 2007 e 2010.

Ciclo diurno das chuvas intensas na Região Metropolitana de Belo Horizonte entre 2007 e 2010. Ciclo diurno das chuvas intensas na Região Metropolitana de Belo Horizonte entre e. Cora Carolina da Costa Munt Adma Raia Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais PUC Minas Centro de Climatologia

Leia mais

Influência dos valores extremos da TSM do Atlântico Norte nos anos de 1974 e 2005 sobre o regime de precipitação das cidades do Estado do Amazonas

Influência dos valores extremos da TSM do Atlântico Norte nos anos de 1974 e 2005 sobre o regime de precipitação das cidades do Estado do Amazonas Influência dos valores extremos da TSM do Atlântico Norte nos anos de 1974 e 2005 sobre o regime de precipitação das cidades do Estado do Amazonas Sidney Figueiredo de Abreu 1, Edmundo Wallace Monteiro

Leia mais

Sazonalidade da radiação solar e temperatura do ar na Região Amazônica Brasileira

Sazonalidade da radiação solar e temperatura do ar na Região Amazônica Brasileira Sazonalidade da radiação solar e temperatura do ar na Região Amazônica Brasileira Ingrid Monteiro Peixoto de Souza¹, Antônio Carlos Lola da Costa 1, Maria do Carmo Felipe de Oliveira 1, José Danilo Souza

Leia mais

1. CLIMATOLOGIA E PREVISÃO DA PRECIPITAÇÃO PARA JUL/AGO/SET/2014

1. CLIMATOLOGIA E PREVISÃO DA PRECIPITAÇÃO PARA JUL/AGO/SET/2014 1. CLIMATOLOGIA E PREVISÃO DA PRECIPITAÇÃO PARA JUL/AGO/SET/2014 A climatologia da precipitação para os meses de Julho, Agosto e Setembro (Figura 1) mostra que os volumes de chuva neste trimestre variam

Leia mais

INFOCLIMA. BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS Ano 9 13 de janeiro de 2003 Número 01. Sumário Executivo

INFOCLIMA. BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS Ano 9 13 de janeiro de 2003 Número 01. Sumário Executivo INFOCLIMA BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS Ano 9 13 de janeiro de 2003 Número 01 Divisão de Operações Chefia: C h o u S i n C h a n Editor técnico dessa edição: J o s é A n t o n i o M a r e n g o O r

Leia mais

TENDÊNCIAS DE ÍNDICES DE EXTREMOS CLIMÁTICOS PARA A REGIÃO DE MANAUS-AM

TENDÊNCIAS DE ÍNDICES DE EXTREMOS CLIMÁTICOS PARA A REGIÃO DE MANAUS-AM TENDÊNCIAS DE ÍNDICES DE EXTREMOS CLIMÁTICOS PARA A REGIÃO DE MANAUS-AM 1 Camilla Kassar Borges, 2 Anna Raquel D. Ramos, 3 Lúcia Helena G. de Sousa e 4 Carlos A. C. dos Santos UACA-UFCG-Brasil Campina

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DE JANEIRO E PROGNÓSTICO CLIMÁTICO PARA O TRIMESTRE FEVEREIRO, MARÇO E ABRIL DE 2011. I. DIAGNÓSTICO Em Minas Gerais, janeiro iniciou-se com chuvas fortes, frequentes e generalizadas,

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA PROGNÓSTICO DE PRECIPITAÇÃO

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA PROGNÓSTICO DE PRECIPITAÇÃO 1 PROGNÓSTICO TRIMESTRAL Novembro-Dezembro-Janeiro 2003. Este período é caracterizado por chuvas em grande parte do Brasíl, com temporais, trovoadas, vendavais e queda de granizo nas Regiões Sul, Sudeste

Leia mais

ESTUDO DE CASO DA VARIAÇÃO HORÁRIA DA UMIDADE RELATIVA DO AR EM TERESINA PI NO ANO DE Raimundo Mainar de Medeiros (UFCG)

ESTUDO DE CASO DA VARIAÇÃO HORÁRIA DA UMIDADE RELATIVA DO AR EM TERESINA PI NO ANO DE Raimundo Mainar de Medeiros (UFCG) ESTUDO DE CASO DA VARIAÇÃO HORÁRIA DA UMIDADE RELATIVA DO AR EM TERESINA PI NO ANO DE 2009 Raimundo Mainar de Medeiros (UFCG) Resumo: Este trabalho tem como objetivo analisar a variabilidade mensal da

Leia mais

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL DEZEMBRO/JANEIRO/FEVEREIRO 2015-2016 Cooperativa de Energia Elétrica e Desenvolvimento Rural NOVEMBRO/2015 Comunicado importante da Aquaeris Meteorologia Em novembro de 2015

Leia mais

ALTA DO ATLÂNTICO SUL E SUA INFLUÊNCIA NA ZONA DE CONVERGÊNCIA SECUNDÁRIA DO ATLÂNTICO SUL

ALTA DO ATLÂNTICO SUL E SUA INFLUÊNCIA NA ZONA DE CONVERGÊNCIA SECUNDÁRIA DO ATLÂNTICO SUL ALTA DO ATLÂNTICO SUL E SUA INFLUÊNCIA NA ZONA DE CONVERGÊNCIA SECUNDÁRIA DO ATLÂNTICO SUL Hudson Ellen Alencar Menezes 1, José Ivaldo Barbosa de Brito 2, Lindenberg Lucena da Silva 3 1 LABMET/UNIVASF,

Leia mais

CLIMAS TROPICAIS EXTREMOS: CARACTERÍSTICAS DA CLIMATOLOGIA DE MACAPÁ-AP JOÃO PAULO NARDIN TAVARES

CLIMAS TROPICAIS EXTREMOS: CARACTERÍSTICAS DA CLIMATOLOGIA DE MACAPÁ-AP JOÃO PAULO NARDIN TAVARES CLIMAS TROPICAIS EXTREMOS: CARACTERÍSTICAS DA CLIMATOLOGIA DE MACAPÁ-AP JOÃO PAULO NARDIN TAVARES Resumo A falta de publicações científicas sobre os aspectos do clima do município de Macapá, capital do

Leia mais

2ª Bimestre 1º Prova. Capítulos 7, 8 e 9. Clima e Formações Vegetais.

2ª Bimestre 1º Prova. Capítulos 7, 8 e 9. Clima e Formações Vegetais. 2ª Bimestre 1º Prova. Capítulos 7, 8 e 9. Clima e Formações Vegetais. Tempo estado momentâneo; condições atmosféricas ou meteorológicas de um dado momento ou lugar: * Tempo frio, quente, chuvoso, seco...

Leia mais

Eventos climáticos extremos: monitoramento e previsão climática do INPE/CPTEC

Eventos climáticos extremos: monitoramento e previsão climática do INPE/CPTEC Eventos climáticos extremos: monitoramento e previsão climática do INPE/CPTEC Ariane Frassoni dos Santos ariane.frassoni@cptec.inpe.br Junho de 2014 Sumário Introdução Clima e variabilidade climática Monitoramento

Leia mais

Balanço das chuvas anômalas sobre estados de MG, RJ e ES no início da estação chuvosa 2011/2012

Balanço das chuvas anômalas sobre estados de MG, RJ e ES no início da estação chuvosa 2011/2012 Balanço das chuvas anômalas sobre estados de MG, RJ e ES no início da estação chuvosa 2011/2012 Todos os anos a Região Sudeste do Brasil é atingida por eventos extremos de chuva, que ocorrem principalmente

Leia mais

1 Introdução Caracterização climática da Ilha do Marajó SISTEMAS METEOROLÓGICOS QUE ATUAM NA ilha do marajó... 4

1 Introdução Caracterização climática da Ilha do Marajó SISTEMAS METEOROLÓGICOS QUE ATUAM NA ilha do marajó... 4 Sumário 1 Introdução... 3 2 Caracterização climática da Ilha do Marajó... 3 3 SISTEMAS METEOROLÓGICOS QUE ATUAM NA ilha do marajó... 4 3.1 Célula de Hadley e Célula de Walker... 4 3.2-Zona de Convergência

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA OBSERVADA NOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES À REGIÃO DOS LAGOS NO ESTADO DO AMAPÁ

AVALIAÇÃO DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA OBSERVADA NOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES À REGIÃO DOS LAGOS NO ESTADO DO AMAPÁ AVALIAÇÃO DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA OBSERVADA NOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES À REGIÃO DOS LAGOS NO ESTADO DO AMAPÁ Jonathan C. Amanajás 1, Edmir S. Jesus 2, Alan Cavalcanti da Cunha 3, Leidiane Leão de

Leia mais

1 Engenheira Civil, Coordenadoria de Urbanização-Centro Federal de Educação Tecnológica de Alagoas/ Mestranda em

1 Engenheira Civil, Coordenadoria de Urbanização-Centro Federal de Educação Tecnológica de Alagoas/ Mestranda em ANÁLISE ESPACIAL E TEMPORAL DA PRECIPITAÇÃO PLUVIAL EM REGIÕES AMBIENTAIS DO ESTADO DE ALAGOAS Maria Fátima Bettini Novas 1 ; Fernanda Casagrande 2 ; Mônica Rodrigues de Queiroz 3 RESUMO A região Nordeste

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DIÁRIA DA PLUVIOSIDADE NA BACIA DO RIO MOURÃO-PR

DISTRIBUIÇÃO DIÁRIA DA PLUVIOSIDADE NA BACIA DO RIO MOURÃO-PR Goiânia (GO)/UFG DISTRIBUIÇÃO DIÁRIA DA PLUVIOSIDADE NA BACIA DO RIO MOURÃO-PR MARIA CLEIDE BALDO 1 SANDRA ANDREOLA FRANCO DA ROCHA 2 HÉLIO SILVEIRA 3 Resumo - O presente trabalho tem por objetivo determinar

Leia mais

TABELA DAS PRECIPITAÇÕES MENSAIS NO ESTADO DO PARÁ RELATÓRIO TÉCNICO

TABELA DAS PRECIPITAÇÕES MENSAIS NO ESTADO DO PARÁ RELATÓRIO TÉCNICO GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE DIRETORIA DE RECURSOS HÍDRICOS TABELA DAS PRECIPITAÇÕES MENSAIS NO ESTADO DO PARÁ RELATÓRIO TÉCNICO Belém-PA 2013 1 TABELA DAS PRECIPITAÇÕES

Leia mais

CARACTERISTICAS MÉDIAS DAS LINHAS DE INSTABILIDADE DURANTE O PERÍODO CHUVOSO DO WETAMC/LBA.

CARACTERISTICAS MÉDIAS DAS LINHAS DE INSTABILIDADE DURANTE O PERÍODO CHUVOSO DO WETAMC/LBA. CARACTERISTICAS MÉDIAS DAS LINHAS DE INSTABILIDADE DURANTE O PERÍODO CHUVOSO DO WETAMC/LBA. Julia Clarinda Paiva Cohen (1) Maria Assunção Faus da Silva Dias (2) Wilheim Costa (1) (1) Departamento de Meteorologia

Leia mais

ESTUDO CLIMATOLÓGICO DA VELOCIDADE E DIREÇÃO DO VENTO ATRAVÉS DOS DADOS DE REANÁLISES PARA O ESTADO DE ALAGOAS

ESTUDO CLIMATOLÓGICO DA VELOCIDADE E DIREÇÃO DO VENTO ATRAVÉS DOS DADOS DE REANÁLISES PARA O ESTADO DE ALAGOAS ESTUDO CLIMATOLÓGICO DA VELOCIDADE E DIREÇÃO DO VENTO ATRAVÉS DOS DADOS DE REANÁLISES PARA O ESTADO DE ALAGOAS Adriano Correia de Marchi 1, Rosiberto Salustiano da Silva Junior 2, Ricardo Ferreira Carlos

Leia mais

ANÁLISE HISTÓRICA DA PRECIPITAÇAO PLUVIOMÉTRICA EM PASSO FUNDO E CRUZ ALTA MUNICIPIOS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO JACUÍ/RS

ANÁLISE HISTÓRICA DA PRECIPITAÇAO PLUVIOMÉTRICA EM PASSO FUNDO E CRUZ ALTA MUNICIPIOS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO JACUÍ/RS ANÁLISE HISTÓRICA DA PRECIPITAÇAO PLUVIOMÉTRICA EM PASSO FUNDO E CRUZ ALTA MUNICIPIOS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO JACUÍ/RS JAKELINE BARATTO 1 DENISE CRISTINA BORGES 2 ISMAEL LUIZ HOPPE 3 CÁSSIO ARTHUR

Leia mais

UNIDADE DE CONSERVAÇÃO E ZONA DE AMORTECIMENTO

UNIDADE DE CONSERVAÇÃO E ZONA DE AMORTECIMENTO ANEXO 5.2 - CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA DO PNSB E DA ZONA DE AMORTECIMENTO A 5.2.1 REGIME PLUVIOMÉTRICO O regime pluviométrico das áreas do PNSB e de sua Zona de Amortecimento foi avaliado com base nos dados

Leia mais

Prognóstico Climático

Prognóstico Climático Prognóstico Climático PROGNÓSTICO TRIMESTRAL Trimestre: ago/set/out - 2001 O prognóstico climático do Instituto Nacional de Meteorologia - INMET, órgão do Ministério da Agricultura e do Abastecimento,

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DA PRECIPITAÇÃO NA AMAZÔNIA ORIENTAL

CARACTERÍSTICAS DA PRECIPITAÇÃO NA AMAZÔNIA ORIENTAL CARACTERÍSTICAS DA PRECIPITAÇÃO NA AMAZÔNIA ORIENTAL Galdino Viana Mota, Mauro Mendonça da Silva, Julia Clarinda Paiva Cohen, Claudia Priscila Wanzeller da Costa 4 e Paulo Artaxo 5 RESUMO Este trabalho

Leia mais

Curvas Intensidade-Duração-Frequência das precipitações extremas para o município de Cuiabá (MT)

Curvas Intensidade-Duração-Frequência das precipitações extremas para o município de Cuiabá (MT) Curvas Intensidade-Duração-Frequência das precipitações extremas para o município de Cuiabá (MT) Intensity-Duration-Frequency Curves of extreme precipitation for the city of Cuiabá (MT) Resumo Ana Letícia

Leia mais

ANÁLISE DE ARQUIVOS CLIMÁTICOS PARA A SIMULAÇÃO DO DESEMPENHO ENERGÉTICODE EDIFICAÇÕES

ANÁLISE DE ARQUIVOS CLIMÁTICOS PARA A SIMULAÇÃO DO DESEMPENHO ENERGÉTICODE EDIFICAÇÕES ANÁLISE DE ARQUIVOS CLIMÁTICOS PARA A SIMULAÇÃO DO DESEMPENHO ENERGÉTICODE EDIFICAÇÕES Camila Scheller Márcio José Sorgato Ana Paula Melo Roberto Lamberts Florianópolis, abril de 2015 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Alice Grimm Departamento de Física Universidade do Paraná. Vicente Barros Departamento de Ciencias de la Atmosfera Universidad de Buenos Aires

Alice Grimm Departamento de Física Universidade do Paraná. Vicente Barros Departamento de Ciencias de la Atmosfera Universidad de Buenos Aires VARIABILIDADE INTERANUAL DA PRECIPITAÇÃO SOBRE A REGIÃO SUL/SUDESTE DA AMÉRICA DO SUL SIMULADA PELO MODELO DE CIRCULAÇÃO GLOBAL DA ATMOSFERA CPTEC/COLA Iracema F. A Cavalcanti Centro de Previsão de Tempo

Leia mais