1 TEMA JUSTIFICATIVA PROBLEMA DA PESQUISA OBJETIVOS: GERAL E ESPECÍFICOS...

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 TEMA... 2 2 JUSTIFICATIVA... 2 3 PROBLEMA DA PESQUISA... 3 4 OBJETIVOS: GERAL E ESPECÍFICOS..."

Transcrição

1 SUMÁRIO 1 TEMA JUSTIFICATIVA PROBLEMA DA PESQUISA OBJETIVOS: GERAL E ESPECÍFICOS OBJETIVO GERAL OBJETIVO ESPECÍFICO REFERENCIAL TEÓRICO METODOLOGIA OPTATIVA PARA A EECUÇÃO DO PROJETO CRONOGRAMA... 9 REFERÊNCIAS... 10

2 2 PROJETO DE PESQUISA APLICADA 1 TEMA Boletim Informativo de Processo Civil do MPPR. 2 JUSTIFICATIVA O Ministério Público possui diversas funções dentro do processo civil, tais como, autor, representante da parte, substituto processual, interveniente em razão da natureza da lide ou em razão da qualidade da parte. Em vista dessas muitas posições assumidas pelo Ministério Público e o fato de que o Direito está em constante evolução, especialmente o direito processual civil que tem passado por inúmeras alterações por meio das reformas do Código, mostra-se de extrema importância a frequente atualização daqueles que atuam pelo órgão, para que essas funções sejam exercidas de forma eficiente. Essa constante necessidade de atualização de membros e servidores revela a importância de um boletim informativo acerca dos temas mais atuais de processo civil, bem como acerca das discussões que ocorrem na doutrina e jurisprudência, em razão das reformas do Código de Processo Civil que vem ocorrendo nos últimos anos. A edição e veiculação de um Boletim, inicialmente de periodicidade bimestral, voltado exclusivamente à atuação do Ministério Público dentro do Processo Civil, pode servir de apoio aos membros e servidores que buscam qualidade e eficiência no desenvolvimento de suas atividades. Por meio do Boletim que se propõe, pretende-se reunir artigos, notícias e atualidades na área processual civil de interesse da Instituição, auxiliando seus operadores na atuação diária, bem como os estimulando à pesquisa

3 3 acadêmica mantendo espaço para que os leitores contribuam de maneira direta com a realização do boletim por meio da publicação de artigos. 3 PROBLEMA DA PESQUISA O MPPR deve oferecer meios aos seus membros e servidores para que estes possam se atualizar constantemente. A edição e veiculação de um Boletim de Processo Civil, voltado para os interesses institucionais, não seria uma das formas de proporcionar aos integrantes do MPPR atualização nessa área? 4 OBJETIVOS: GERAL E ESPECÍFICOS 4.1 OBJETIVO GERAL Proporcionar atualização constante dos membros e servidores do Ministério Público do Estado do Paraná, por meio da veiculação de notícias, artigos e atualidades existentes na doutrina e nos mais recentes posicionamentos jurisprudenciais atinentes ao direito processual civil e de interesse da Instituição. 4.2 OBJETIVO ESPECÍFICO a) Proporcionar a melhoria na qualidade dos trabalhos elaborados pelos integrantes do MPPR; b) Auxiliar e facilitar a atuação dos operadores do direito no MPPR; c) Promover o crescimento profissional; d) Incentivar a pesquisa acadêmica.

4 4 5 REFERENCIAL TEÓRICO Neste projeto há a preocupação com as inúmeras alterações que ocorreram e que ainda estão por vir, do Código de Processo Civil e demais legislações pertinentes. Essas mudanças implicam diretamente na atuação prática do profissional do direito. O Código de Processo Civil é de 1973 e, nessa época, a sociedade, como um todo, era muito diferente do que hoje se vê: os direitos não eram difundidos, o acesso à justiça era precário e restrito, bem como os meios de comunicação eram extremamente limitados. Algum tempo depois, foram editados o Código de Defesa do Consumidor (1990), a lei dos Juizados Especiais Estaduais (Lei 9.099/1995) e a lei dos Juizados Especiais Federais (Lei /2001), que proporcionaram o certo acesso à justiça, já que este não se resume apenas à informação e à facilidade de se propor ações, na tentativa de se resgatar a cidadania da população brasileira. Entretanto, com a massiva procura ao Judiciário, ficaram evidentes as falhas e a ineficiência do Código de Processo Civil. Então, a partir disso, passou-se a buscar a tão aclamada efetividade da jurisdição que não estava sendo proporcionada pelo CPC de Podem-se identificar três fases pelas quais o direito processual passou e está passando. A primeira foi a fase do sincretismo, na qual o processo era considerado simples meio de exercício dos direitos 1, não sendo visto como uma ciência autônoma. A segunda fase foi a chamada fase autonomista, pois o direito processual passou a existir como ciência. Disso, decorreram as grandes discussões teóricas, necessárias à formação de um sistema e de uma ciência, mas que não se preocuparam com a efetividade da jurisdição, o processo era apenas um instrumento técnico. 2 Atualmente, o direto processual está na fase instrumentalista que se caracteriza, essencialmente pela crítica ao processualismo dogmático da fase 1 CINTRA, Antonio Carlos de Araújo; GRINOVER, Ada Pellegrini; DINAMARCO, Cândido Rangel. Teoria geral do processo. 21. ed. São Paulo: Malheiros, p Id. p. 49.

5 5 anterior; o que se deseja é um processo efetivo e que garanta o acesso à justiça. Durante essa terceira fase ocorreram três ondas renovatórias, as quais tiveram finalidades distintas, como se vê: na primeira se buscou a assistência judiciária aos necessitados; a segunda preocupou-se com os direitos supraindividuais, especialmente no que concerne aos consumidores e ao meio ambiente; e terceira vem se ocupando de melhorar, simplificar, agilizar e racionalizar os procedimentos para que se atinja a finalidade dos mesmos, para que os escopos do processo sejam alcançados, resultando na efetividade da jurisdição. Esta fase ainda está em evolução. A efetividade do processo, em última análise, é hoje o que se busca tão incansavelmente, pois, ao alcançá-la o processo terá cumprido seus objetivos. Nesse sentido explica Cândido Rangel DINAMARCO: A força das tendências metodológicas do direito processual civil na atualidade dirige-se como grande intensidade para a efetividade do processo, a qual constitui expressão resumida da ideia de que o processo deve ser apto a cumprir integralmente toda a sua função sócio-político-jurídica, atingindo em toda a plenitude todos os seus escopos institucionais. 3 Nessa fase em que se objetiva a efetividade da jurisdição, o Ministério Público tem papel de grande importância, tendo em vista suas funções constitucionais. Marcelo ZENKNER, ao tratar da responsabilidade do Ministério Público, faz a seguinte observação: Nessa missão de dar efetividade ao processo se inclui ainda o Ministério Público, agente ou interveniente na relação processual, não apenas observando e zelando pelos preceitos da lealdade processual, mas principalmente agindo de modo a cumprir as grandes responsabilidades que lhe foram atribuídas pela Constituição da República. 4 Assim, o Ministério Público, enquanto Instituição guardiã da Constituição e defensora, por excelência, dos interesses sociais e individuais mais caros, não pode ficar à margem das reformas, ao contrário deve com ela contribuir 3 DINAMARCO, Candido Rangel. Teoria Geral de Processo. 24.ed. São Paulo, SP: Malheiros, p ZENKNER, Marcelo. Ministério Público e Efetividade do Processo Civil. São Paulo: Revista dos Tribunais, p. 62.

6 6 para que as suas funções sejam efetivadas. Essas funções, no processo civil, são das mais variadas, mas, talvez, dentre as que mais se destacam é a legitimidade para propor ações civis públicas na defesa dos interesses difusos e coletivos. 5 Uma grande inovação que está por vir e que é de extremo interesse do Ministério Público é a criação de um Código Brasileiro de Processo Coletivo, tal fato deve ser acompanhado de perto, pois a edição de uma lei como essa trará grandes repercussões e das mais variadas ordens. A par das alterações ocorridas nos últimos anos e em vista das que estão para acontecer, num momento em que se deseja realizar os ideais democráticos, valorizando-se a cidadania, os direitos individuais indisponíveis, e os interesses metaindividuais, o profissional do direito deve procurar atualizar-se constantemente para que participe dessa onda renovatória de forma ativa e contributiva. Assim, procurando manter os integrantes do MPPR atualizados e participantes, a edição de um Boletim Informativo na área de processo civil, pode vir a auxiliar membros e servidores na reflexão teórica, na atuação prática e estimular o aperfeiçoamento acadêmico. Neste brevíssimo resumo acerca da importância do estudo constante do direito processual civil para o alcance das metas e dos ideais do Estado Democrático de Direito, foram utilizadas algumas obras clássicas do direito processual, como referências e consultas para este projeto, tais como: BEDAQUE, José dos Santos. Efetividade do Processo e Técnica Processual. 2.ed. São Paulo, SP: Malheiros, 2007; CARVALHO, José dos Santos. Ação Civil Pública. 4.ed. Rio de Janeiro: LumenJuris, 2004; CINTRA, Antonio Carlos de Araújo; GRINOVER, Ada Pellegrini; DINAMARCO, Cândido Rangel. Teoria geral do processo. 21. ed. São Paulo: Malheiros, 2008; DINAMARCO, Cândido Rangel. Instrumentalidade do Processo. 13.ed. São Paulo, SP: Malheiros, 2008; MARINONI. Luiz Guilherme. Teoria Geral do Processo. São Paulo, SP: Revistas dos Tribunais, 2006; MANCUSO, Rodolfo de Camargo. Interesses Difusos. 3.ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2004; MAZZILLI, Hugo Nigro. Introdução ao Ministério Público. 5. ed. São 5 MAZZILLI, Hugo Nigro. Introdução ao Ministério Público. 5.ed. São Paulo: Saraiva, p

7 7 Paulo: Saraiva, 2005; VENTURI, Elton. Processo Civil Coletivo. São Paulo: Malheiros, 2007; ZENKNER, Marcelo. Ministério Público e a Efetividade do Processo. São Paulo: Revista dos Tribunais, Essas obras serão largamente utilizadas para a edição dos Boletins propostos, juntamente com outras inúmeras obras da área como, por exemplo: DINAMARCO, Candido Rangel. Nova Era do Processo Civil. 3.ed. São Paulo: Malheiros, 2009; DIDIER Jr., Fredie. Curso de Direito Processual Civil: teoria geral do processo e processo de conhecimento. 9.ed. Salvador: JusPodivm, v. 1; MARINONI. Luiz Guilherme. Teoria Geral do Processo. São Paulo, SP: Revistas dos Tribunais, 2006; MOREIRA, José Carlos Barbosa. O Novo Processo Civil Brasileiro. 27.ed. Rio de Janeiro: Forense, MOREIRA, José Carlos Barbosa. Temas de Direito Processual: (nona série). São Paulo: Saraiva, METODOLOGIA OPTATIVA PARA A EECUÇÃO DO PROJETO A metodologia a ser desenvolvida será a qualitativa, pois as pesquisas que utilizam tal abordagem trabalham com situações complexas de um determinado problema. A escolha se deve ao fato de que as abordagens qualitativas são mais significativas e relevantes, tendo em vista a natureza do trabalho proposto. Dessa forma, para que se possa editar o boletim proposto, será realizada pesquisa bibliográfica que terá como objetivo o levantamento do referencial teórico existente já elaborado e publicado sobre a área de processo civil. Serão objeto da pesquisa doutrinas, jurisprudências, teses e dissertações de interesse do Ministério Público. A partir dessa pesquisa haverá a reunião de artigos cujos seus autores tenham interesse em publicá-los no Boletim Informativo do MPPR, bem como de jurisprudências atuais sobre temas afetos ao Ministério Público e notícias também de interesse da Instituição. O universo da pesquisa doutrinária será, essencialmente, constituído por membros, servidores e estagiários do Ministério Público do Estado do Paraná, mas também poderão participar doutrinadores que não pertençam à Instituição,

8 8 mas que possuam interesse em publicar seus trabalhos no proposto Boletim e isto seja conveniente ao MPPR. Havendo aprovação para o desenvolvimento do projeto, com a finalidade de organizar, racionalizar e definir questões acerca das publicações a serem feitas no Boletim Informativo, será montada uma equipe editorial. Essa equipe editorial deverá definir qual o melhor formato do Boletim para os interesses institucionais, se impresso e/ou eletrônico. Para que os artigos publicados tenham validade acadêmica, será solicitado ao Centro Brasileiro de ISSN-CBISSN que está sob responsabilidade do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia-IBICT, o numero de ISSN (International Standard Serial Number) que é um número de identificação única, internacionalmente reconhecido para publicações seriadas que, uma vez atribuído, torna-se um atributo individual do título pelo tempo que for editado, sob um determinado título. 6 A obtenção do número de ISSN será realizada mediante encaminhamento ao CBISSN, do formulário de solicitação devidamente preenchido, do boneco da publicação (capa, folha de rosto, expediente, apresentação/editorial, sumário), e do comprovante de pagamento da taxa. Posteriormente à primeira edição, serão efetuadas consultas junto aos leitores para levantamento das matérias de maior interesse dos integrantes do MPPR. 6 IBICT. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia. Disponível em:< Acesso em: 10 ago 2009.

9 9 7 CRONOGRAMA Conforme LEITE 7, o cronograma final das atividades poderia ser apresentado da seguinte forma: ANO 2009 MÊS SET OUT NOV DEZ ATIVIDADES Escolha da equipe editorial Planejamento Definição do formato do Boletim (impresso ou eletrônico) Obtenção do número de ISSN junto ao CBISSN Escolha dos temas Coleta de dados Pesquisa doutrinária e jurisprudencial, e seleção de notícias Análise Revisão geral da documentação Redação Redação provisória Redação definitiva Revisão Revisão do manuscrito Correções Aprovação do texto final Publicação Publicação 7 LEITE, Eduardo de Oliveira. A monografia jurídica. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, p. 42.

10 10 REFERÊNCIAS BEDAQUE, José dos Santos. Efetividade do Processo e Técnica Processual. 2.ed. São Paulo, SP: Malheiros, BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: Texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, como as alterações adotadas pelas Emendas Constitucionais de Revisão n.º 1/92 a 56/2007 e pelas Emendas Constitucionais de Revisão n.º 1 a 6/64. Brasília: Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, CARVALHO, José dos Santos. Ação Civil Pública. 4.ed. Rio de Janeiro: LumenJuris, CINTRA, Antonio Carlos de Araújo; GRINOVER, Ada Pellegrini; DINAMARCO, Cândido Rangel. Teoria geral do processo. 21.ed. São Paulo: Malheiros, DINAMARCO, Cândido Rangel. Instrumentalidade do Processo. 13.ed. São Paulo, SP: Malheiros, 2008; MARINONI. Luiz Guilherme. Teoria Geral do Processo. São Paulo, SP: Revistas dos Tribunais, LEITE, Eduardo de Oliveira. A monografia jurídica. 4.ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, MANCUSO, Rodolfo de Camargo. Interesses Difusos. 3.ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, MAZZILLI, Hugo Nigro. Introdução ao Ministério Público. 5.ed. São Paulo: Saraiva, VENTURI, Elton. Processo Civil Coletivo. São Paulo: Malheiros, ZENKNER, Marcelo. Ministério Público e a Efetividade do Processo. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2006.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ PLANO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO I. Identificação Unidade Acadêmica Especial de Letras, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas Regional Jataí Curso: Direito. Disciplina Optativa: Ações Coletivas. Carga horária semestral:

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: TEORIA GERAL DO PROCESSO NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: TEORIA GERAL DO PROCESSO NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 3 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: TEORIA GERAL DO PROCESSO NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Noções introdutórias e históricas.

Leia mais

O Novo Processo Civil Brasileiro

O Novo Processo Civil Brasileiro FACULDADE 7 DE SETEMBRO CURSO DE DIREITO Grupo de Estudo e Pesquisa O Novo Processo Civil Brasileiro Professor Daniel Gomes de Miranda 20 de janeiro de 2014 SUMÁRIO TEMA... 3 JUSTIFICATIVA... 3 OBJETIVOS...

Leia mais

PLANO DE CURSO DIREITO PROCESSUAL CIVIL BRASILEIRO: DIREITO PROCESSUAL COLETIVO

PLANO DE CURSO DIREITO PROCESSUAL CIVIL BRASILEIRO: DIREITO PROCESSUAL COLETIVO PLANO DE CURSO DIREITO PROCESSUAL CIVIL BRASILEIRO: DIREITO PROCESSUAL COLETIVO MARCELO ZENKNER Professor da Faculdade de Direito de Vitória, Espírito Santo, Brasil UNIDADES CONTEÚDOS OBJETIVOS TÉCNICA

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. DISCIPLINA: DIREITO DO CONSUMIDOR PROFESSORA: IVANA BONESI RODRIGUES LELLIS TURMA: 6º EM PLANO DE CURSO 2014/1

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO E RELAÇÕES DO TRABALHO

FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO E RELAÇÕES DO TRABALHO Módulo: Meio Ambiente do Trabalho Professor: Raimundo Simão de Melo (Doutor em Direito das Relações Sociais pela PUC/SP) Carga Horária: 40 horas Ementa: A questão ambiental no âmbito das relações de trabalho.

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 066/2011 Dispõe sobre a estrutura da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região e dá outras

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 066/2011 Dispõe sobre a estrutura da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região e dá outras PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 066/2011 Dispõe sobre a estrutura da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região e dá outras providências. O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL

Leia mais

TÍTULO DA FUTURA MONOGRAFIA: SUBTÍTULO, SE HOUVER.

TÍTULO DA FUTURA MONOGRAFIA: SUBTÍTULO, SE HOUVER. 1 UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO FACULDADE DE HUMANIDADES E DIREITO CURSO DE DIREITO NOME DO AUTOR TÍTULO DA FUTURA MONOGRAFIA: SUBTÍTULO, SE HOUVER. SÃO BERNARDO DO CAMPO 2014 2 NOME DO AUTOR TÍTULO

Leia mais

Manual_Laboratórios_Nutrição

Manual_Laboratórios_Nutrição 1 1. Informações Gerais Conforme os fundamentos filosóficos que orientam o Projeto Pedagógico quanto ao Bacharelado em Nutrição das Faculdades INTA, será necessária a elaboração, pelo aluno, de um Trabalho

Leia mais

Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito

Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito Instituto de Ensino Superior de Goiás Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito 1. IDENTIFICAÇÃO: CURSO: DIREITO TURMA: 6º SEMESTRE - NOTURNO DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL

Leia mais

Faculdade de Direito de Alta Floresta (FADAF) Edinaldo Rosa e Silva DESCRIMINALIZAÇÃO DA POSSE DE DROGAS PARA CONSUMO PESSOAL ÁREA CRIMINAL

Faculdade de Direito de Alta Floresta (FADAF) Edinaldo Rosa e Silva DESCRIMINALIZAÇÃO DA POSSE DE DROGAS PARA CONSUMO PESSOAL ÁREA CRIMINAL 0 Faculdade de Direito de Alta Floresta (FADAF) Edinaldo Rosa e Silva DESCRIMINALIZAÇÃO DA POSSE DE DROGAS PARA CONSUMO PESSOAL ÁREA CRIMINAL Alta Floresta-MT 2011 1 Edinaldo Rosa e Silva DESCRIMINALIZAÇÃO

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS CENTRO DE FORMAÇÃO, TREINAMENTO E APERFEIÇOAMENTO PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICA E REPRESENTAÇÃO PARLAMENTAR

CÂMARA DOS DEPUTADOS CENTRO DE FORMAÇÃO, TREINAMENTO E APERFEIÇOAMENTO PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICA E REPRESENTAÇÃO PARLAMENTAR CÂMARA DOS DEPUTADOS CENTRO DE FORMAÇÃO, TREINAMENTO E APERFEIÇOAMENTO PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICA E REPRESENTAÇÃO PARLAMENTAR A INFLUÊNCIA DAS AUDIÊNCIAS PÚBLICAS NA FORMULÇÃO DA LEI nº 11.096/2005 PROUNI

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA

Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA 2008 Universidade Federal de Uberlândia Ouvidoria Avenida João Naves de Ávila, nº. 2121 Sala 14, Bloco 1A - Bairro Santa Mônica Uberlândia-MG CEP: 38400-902

Leia mais

THEODORO JÚNIOR, Humberto. Curso de Direito processual civil. 42. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2005. v. 1.

THEODORO JÚNIOR, Humberto. Curso de Direito processual civil. 42. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2005. v. 1. ÁREA 5 DIREITO PROCESSUAL CIVIL, I, II, III, IV, V e VI DIREITO PROCESSUAL CIVIL I Sujeitos do processo. Litisconsórcio. Intervenção de terceiros. Petição inicial. Causa de pedir. Pedido. Citação. Atos

Leia mais

Direito Processual do Trabalho

Direito Processual do Trabalho Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito do Trabalho Direito Processual do Trabalho Carga Horária: 64 h/a 1- Ementa O curso

Leia mais

O ACESSO À JUSTIÇA POR MEIO DA DEFENSORIA PÚBLICA

O ACESSO À JUSTIÇA POR MEIO DA DEFENSORIA PÚBLICA ANAIS - I Congresso Norte Mineiro de Direito Constitucional - Outubro de 2015 ISSN 2447-3251- Montes Claros, MG-p. 1 O ACESSO À JUSTIÇA POR MEIO DA DEFENSORIA PÚBLICA BISPO, Bruno Henrique Câmara Acadêmico

Leia mais

EDITAL Nº. 020/2015 Processo seletivo para ingresso ao quadro de estagiários da 5ª Defensoria Pública da comarca de Paranaguá.

EDITAL Nº. 020/2015 Processo seletivo para ingresso ao quadro de estagiários da 5ª Defensoria Pública da comarca de Paranaguá. EDITAL Nº. 020/2015 Processo seletivo para ingresso ao quadro de estagiários da 5ª Defensoria Pública da comarca de Paranaguá. A 5ª. DEFENSORIA PÚBLICA DA COMARCA DE PARANAGUÁ RESOLVE TORNAR PÚBLICO O

Leia mais

Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados. Enfam

Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados. Enfam Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados Enfam ROTEIRO DE CREDENCIAMENTO 1. Identificação do Requerente Escola: Escola do Poder Judiciário ESJUD Diretor: Desembargador Francisco Djalma

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no3.355 de 05/12/02-DOU de 06/12/02 PLANO DE CURSO

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no3.355 de 05/12/02-DOU de 06/12/02 PLANO DE CURSO COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no3.355 de 05/12/02-DOU de 06/12/02 Componente Curricular: Direito Processual Civil IV Código:DIR-000 CH Total: 60h Pré-requisito: Direito Processual

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PROCESSO CIVIL E GESTÃO DO PROCESSO. ANEXO EMENTAS (Turma III) CARGA HORÁRIA TOTAL DO CURSO: 390 h/a

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PROCESSO CIVIL E GESTÃO DO PROCESSO. ANEXO EMENTAS (Turma III) CARGA HORÁRIA TOTAL DO CURSO: 390 h/a CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PROCESSO CIVIL E GESTÃO DO PROCESSO CARGA HORÁRIA TOTAL DO CURSO: 390 h/a Seminário de Integração e Motivação SIM () Seminário de imersão. Capacita o aluno a quebrar barreiras

Leia mais

Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados - ENFAM Programa de Capacitação em Poder Judiciário.

Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados - ENFAM Programa de Capacitação em Poder Judiciário. Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados - ENFAM Programa de Capacitação em Poder Judiciário (aperfeiçoamento) 1. Identificação do Requerente Escola: Escola Superior da Magistratura

Leia mais

COMO ELABORAR UM PROJETO DE PESQUISA SANDRA HELENA LIMA MOREIRA

COMO ELABORAR UM PROJETO DE PESQUISA SANDRA HELENA LIMA MOREIRA COMO ELABORAR UM PROJETO DE PESQUISA SANDRA HELENA LIMA MOREIRA ELEMENTOS ESSENCIAIS CAPA FOLHA DE ROSTO PROBLEMATIZAÇÃO OBJETIVOS (geral e específicos) REFERENCIAL TEÓRICO METODOLOGIA JUSTIFICATIVA CRONOGRAMA

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE CAMPOS

FACULDADE DE DIREITO DE CAMPOS Grupo de Pesquisa Institucional de Acesso à Justiça e Tutela de direitos Proposta de implementação I Objeto: Realização de estudos e pesquisas pela comunidade acadêmica da Faculdade de Direito de Campos

Leia mais

O ACESSO À JUSTIÇA E A EFETIVIDADE PROCESSUAL RESUMO

O ACESSO À JUSTIÇA E A EFETIVIDADE PROCESSUAL RESUMO 32 O ACESSO À JUSTIÇA E A EFETIVIDADE PROCESSUAL Cristiano José Lemos Szymanowski 1 RESUMO A proposta deste trabalho estrutura-se na análise de dois temas que se conjugam, o Acesso à Justiça e a Efetividade

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JATAÍ - CESUT A s s o c i a ç ã o J a t a i e n s e d e E d u c a ç ã o

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JATAÍ - CESUT A s s o c i a ç ã o J a t a i e n s e d e E d u c a ç ã o EMENTA: 1. TEORIA GERAL DA EXECUÇÃO 2. PARTES NO PROCESSO DE EXECUÇÃO 3. COMPETÊNCIA 4. REQUISITOS NECESSÁRIOS PARA REALIZAR QUALQUER EXECUÇÃO 5. FASE DE CUMPRIMENTO DE SENTENÇA 5.1 CUMPRIMENTO DE SENTENÇA

Leia mais

AUXÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO

AUXÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO 1 AUÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 2 2 O QUE É UM PROJETO?... 2 2.1 PROJETO DE PESQUISA... 2 3 CLASSIFICAÇÃO DAS PESQUISAS... 4 4 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO E EFETIVIDADE DO PROCESSO CIVIL

MINISTÉRIO PÚBLICO E EFETIVIDADE DO PROCESSO CIVIL MARCELO ZEMKNER Professor de Direito das Faculdades Integradas de Vitória FDV E do Centro de Evolução Profissional CEP Promotor de Justiça no Estado do Espírito Santo MINISTÉRIO PÚBLICO E EFETIVIDADE DO

Leia mais

PROJETO OUVIDORIA VAI À ESCOLA

PROJETO OUVIDORIA VAI À ESCOLA PROJETO OUVIDORIA VAI À ESCOLA SALVADOR 2012 GOVERNADOR Jaques Wagner VICE-GOVERNADOR Otto Alencar SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO Osvaldo Barreto Filho SUB-SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO Aderbal de Castro Meira Filho

Leia mais

A DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ RESOLVE TORNAR PÚBLICO:

A DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ RESOLVE TORNAR PÚBLICO: EDITAL N.º 010/2015 Processo seletivo para ingresso ao quadro de estagiários da Defensoria Pública do Estado do Paraná em Piraquara - PR A DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ RESOLVE TORNAR PÚBLICO:

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ESPECÍFICO PARA O CURSO DE DIREITO

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ESPECÍFICO PARA O CURSO DE DIREITO CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ESPECÍFICO PARA O CURSO DE DIREITO 2 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES ART. 1 - O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2014/1 DISCIPLINA: DIREITO CONSTITUCIONAL II PROFESSOR: SERGIO ROBERTO LEAL DOS SANTOS TURMA: 4º

Leia mais

EDITAL Nº 05/2012. Processo seletivo para a contratação de Professor

EDITAL Nº 05/2012. Processo seletivo para a contratação de Professor EDITAL Nº 05/2012 Processo seletivo para a contratação de Professor Artigo 1º - A Faculdade Guanambi, mantido pela CESG Centro de Educação Superior de Guanambi, com sede à Avenida Barão do Rio Branco,

Leia mais

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS DA DISCIPLINA PROGRAMA DA DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS DA DISCIPLINA PROGRAMA DA DISCIPLINA 1 PLANO DE ENSINO TEORIA GERAL DO PROCESSO (JUR1060) CARGA HORÁRIA 60h/a (teórica) CRÉDITOS 4 2º semestre/2015-1 Professora Mestra Waleska Mendes Cardoso OBJETIVOS DA DISCIPLINA Compreender que a intervenção

Leia mais

Deve ser claro, conciso e conter de forma resumida o assunto a ser pesquisado.

Deve ser claro, conciso e conter de forma resumida o assunto a ser pesquisado. MODELODEPROJETODEPESQUISA (Form_pesq_01) TÍTULO DO PROJETO Deve ser claro, conciso e conter de forma resumida o assunto a ser pesquisado. AUTORES Relacionar todos os autores participantes do projeto: coordenador,

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

CURSO DE DIREITO. B. Quanto ao momento: principal ou adesivo. C. Quanto à fundamentação: livre ou vinculada

CURSO DE DIREITO. B. Quanto ao momento: principal ou adesivo. C. Quanto à fundamentação: livre ou vinculada CURSO DE DIREITO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO MÓDULO: TÓPICOS GERAIS DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL II PROFª DRª MONICA LUCIA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE DUARTE MARIZ-NÓBREGA EMENTA: Teoria Geral dos Recursos e

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 2011.02 3º PERÍODO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 2011.02 3º PERÍODO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 2011.02 3º PERÍODO DISCIPLINA: HISTÓRIA, CULTURA E INSTITUIÇÃO DO DIREITO História do direito no Brasil Colônia. História do direito no Brasil Império.

Leia mais

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF) 0301- Tribunal de Justiça.

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF) 0301- Tribunal de Justiça. ESTRUTURA PROGRAMÁTICA - PROPOSTA 2016 UNIDADE - UO 0301 PROGRAMA PROGRAMA Garantir o pagamento pelo efetivo serviço exercido por magistrados e servidores, bem como as obrigações de responsabilidade do

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DA BAHIA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DA BAHIA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DA BAHIA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Manual com normas para solicitação de produção e publicação de material informativo jornalístico no site, lista de

Leia mais

Curso: Direito Carga Horária: 80 Departamento: Direito Processual Civil Área: Público PLANO DE ENSINO

Curso: Direito Carga Horária: 80 Departamento: Direito Processual Civil Área: Público PLANO DE ENSINO Faculdade de Direito Milton Campos Disciplina: Prática Jurídica I Curso: Direito Carga Horária: 80 Departamento: Direito Processual Civil Área: Público PLANO DE ENSINO EMENTA Petição inicial. Requisitos.

Leia mais

AS REGRAS DE DIVISÃO DO ÔNUS DA PROVA DEVEM LI- MITAR OS PODERES INSTRUTÓRIOS DO JUIZ?

AS REGRAS DE DIVISÃO DO ÔNUS DA PROVA DEVEM LI- MITAR OS PODERES INSTRUTÓRIOS DO JUIZ? REVISTA DA ESMESE, Nº 04, 2003 - DOUTRINA - 117 AS REGRAS DE DIVISÃO DO ÔNUS DA PROVA DEVEM LI- MITAR OS PODERES INSTRUTÓRIOS DO JUIZ? Flávia Moreira Pessoa, Juíza do Trabalho Substituta (TRT 20ª Região),

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA: a escolha do tema e a construção do problema

PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA: a escolha do tema e a construção do problema PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA: a escolha do tema e a construção do problema de pesquisa, temos que traçar um caminho a seguir durante a investigação. Realizar um estudo mais planejado dos aspectos que

Leia mais

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional.

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Tema 1: Eficiência Operacional Buscar a excelência na gestão de custos operacionais. Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Agilizar

Leia mais

Art. 1º Fica aprovado, na forma do Anexo, o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos - CONARQ. JOSÉ EDUARDO CARDOZO ANEXO

Art. 1º Fica aprovado, na forma do Anexo, o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos - CONARQ. JOSÉ EDUARDO CARDOZO ANEXO PORTARIA Nº 2.588, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Aprova o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições previstas nos incisos I e II do parágrafo

Leia mais

ANEXO II - TERMO DE REFERÊNCIA. PROJETO BRA/12/013 Fortalecimento do Acesso à Justiça no Brasil

ANEXO II - TERMO DE REFERÊNCIA. PROJETO BRA/12/013 Fortalecimento do Acesso à Justiça no Brasil ANEXO II - TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO BRA/12/013 Fortalecimento do Acesso à Justiça no Brasil 1. INTRODUÇÃO E JUSTIFICATIVA DA CONTRATAÇÃO O projeto BRA/12/13 Fortalecimento do Acesso à Justiça tem como

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: REALIDADE OU ILUSÃO?

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: REALIDADE OU ILUSÃO? PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: REALIDADE OU ILUSÃO? Daniella Brito de Oliveira Cotrim¹, Luciana Maria Pereira Rocha², Viviane Silva Santos Malheiros³, Kalyanne Pereira de Oliveira 4 1 Discente do curso de

Leia mais

Apresentação: Busca de artigos, dissertações e teses em bases de dados

Apresentação: Busca de artigos, dissertações e teses em bases de dados Apresentação: Busca de artigos, dissertações e teses em bases de dados Sibele Gomes de Santana Assistente de Pesquisa UNINOVE SÃO PAULO Contexto Acesso e uso da informação nas IES vêm provocando mudanças

Leia mais

UMA CRÍTICA À TEORIA DAS CONDIÇÕES DA AÇÃO: A possibilidade jurídica do pedido como questão de mérito

UMA CRÍTICA À TEORIA DAS CONDIÇÕES DA AÇÃO: A possibilidade jurídica do pedido como questão de mérito 563 UMA CRÍTICA À TEORIA DAS CONDIÇÕES DA AÇÃO: A possibilidade jurídica do pedido como questão de mérito Rafael Arouca Rosa (UNESP) Introdução Dentre as mudanças propostas no anteprojeto do novo Código

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE ASSIS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE ASSIS

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE ASSIS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE ASSIS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE ASSIS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE ASSIS 1 Capítulo I Da Natureza Artigo 1º - O presente Regulamento tem por finalidade

Leia mais

REGULALMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE

REGULALMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE 1 REGULALMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE CAPÍTULO I DA FINALIDADE Artigo 1º O Núcleo de Prática Jurídica é órgão destinado a coordenar, executar

Leia mais

Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET. Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde

Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET. Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde Responsável: Hernandes Pires do Reis Consultor da Divisão de Manutenção e Suporte a Sistemas Endereço:

Leia mais

MODELO BÁSICO DE PROJETO DE PESQUISA

MODELO BÁSICO DE PROJETO DE PESQUISA MODELO BÁSICO DE PROJETO DE PESQUISA 2 CAPA 3 cm CENTRO UNIVERSITÁRIO CÂNDIDO RONDON - UNIRONDON NOME DO ALUNO (Centralizado e em letras maiúsculas) PROJETO DE MONOGRAFIA APLICABILIDADE DA TEORIA DOS FATOS

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa A Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes EJEF, atenta aos objetivos do Tribunal de Justiça de Minas Gerais TJMG e às novas diretrizes para formação de servidores

Leia mais

CENTRO TECNOLÓGICO UFES COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA O PROJETO DE GRADUAÇÃO

CENTRO TECNOLÓGICO UFES COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA O PROJETO DE GRADUAÇÃO CENTRO TECNOLÓGICO UFES COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA O PROJETO DE GRADUAÇÃO O Colegiado do Curso de Engenharia Ambiental, em reunião de 26 de agosto de 2011, RESOLVE: Aprovar

Leia mais

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 Publicado no Jornal Correio Paranaense Em, 04.06.2008 Dispõe sobre a Estrutura Regimental da Secretaria Municipal de Governo. O Prefeito Municipal de São José dos

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ EDITAL N. 01/2013

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ EDITAL N. 01/2013 MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ EDITAL N. 01/2013 Teste seletivo para ingresso ao quadro de Assessor Jurídico DAS-5 do Ministério Público do Estado do Paraná. A Promotora de Justiça, Dra. FABIANA

Leia mais

Curso de Especialização EM DIREITO ADMINISTRATIVO

Curso de Especialização EM DIREITO ADMINISTRATIVO Curso de Especialização EM DIREITO ADMINISTRATIVO ÁREA DO CONHECIMENTO: Direito. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Direito Administrativo. PERFIL PROFISSIONAL: Conhecer

Leia mais

DISCIPLINA: Direito Processual Civil II SEMESTRE DE ESTUDO: 6º Semestre. CH total: 72h

DISCIPLINA: Direito Processual Civil II SEMESTRE DE ESTUDO: 6º Semestre. CH total: 72h DISCIPLINA: Direito Processual Civil II SEMESTRE DE ESTUDO: 6º Semestre TURNO: Matutino / Noturno CH total: 72h CÓDIGO: DIR130 1. EMENTA: Direito probatório. Audiência de instrução e julgamento. Antecipação

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN ROTINAS ADMINISTRATIVAS PROPLAN SETOR: Pró-Reitoria CARGO: Docente / TNS FUNÇÃO: Pró-Reitor

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ. Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública. Dulcinie Moratore Trigueiros Rossetto

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ. Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública. Dulcinie Moratore Trigueiros Rossetto CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública Dulcinie Moratore Trigueiros Rossetto ECELÊNCIA NO ATENDIMENTO AO PÚBLICO: PROPOSTA DE AJUSTAMENTO NOS ATENDIMENTOS PRATICADOS

Leia mais

A instrumentalidade do Processo Judicial Tributário

A instrumentalidade do Processo Judicial Tributário A instrumentalidade do Processo Judicial Tributário Eduardo Abílio Kerber Diniz Advogado; Graduado em Direito, grau de Bacharel, pela Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais do Centro Universitário de

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE DE INFORMÁTICA CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Aprovado na 22ª reunião do Conselho de Unidade (CONSUN) da Faculdade de Informática realizada dia 30 de

Leia mais

FGV DIREITO RIO GRADUAÇÃO Coordenação de Ensino

FGV DIREITO RIO GRADUAÇÃO Coordenação de Ensino DISCIPLINA: TÓPICOS EM PROCESSO CIVIL PÚBLICO E PRIVADO PROFESSOR: CLAUDIA RIBEIRO PEREIRA NUNES CARGA HORÁRIA: 60h DISCIPLINA ELETIVA EMENTA Bloco I Fundamentos dos Procedimentos do CPC Bloco II Análise

Leia mais

A COLABORAÇÃO NO PROJETO DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL (2012) 1

A COLABORAÇÃO NO PROJETO DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL (2012) 1 A COLABORAÇÃO NO PROJETO DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL (2012) 1 BRAND, Francieli da SIlveira 2 ; DE ANDRADE, Joseane Mariani 3 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Estudante do Curso de Direito do Centro

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Manual de Orientação

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Manual de Orientação Fundação Armando Alvares Penteado FACULDADE DE DIREITO COORDENADORIA DE PESQUISA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Manual de Orientação 1 Modelo sugerido do Projeto do TCC PROJETO TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

EDITAL N. 02 /2015 PROCESSO DE SELEÇÃO PARA PROVIMENTO DE VAGAS DE ESTÁGIO DE DIREITO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

EDITAL N. 02 /2015 PROCESSO DE SELEÇÃO PARA PROVIMENTO DE VAGAS DE ESTÁGIO DE DIREITO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA EDITAL N. 02 /2015 PROCESSO DE SELEÇÃO PARA PROVIMENTO DE VAGAS DE ESTÁGIO DE DIREITO DO ESCRITÓRIO MODELO - DOM PAULO EVARISTO ARNS Área de TUTELA COLETIVA - Projetos Sociais Para futuras contratações

Leia mais

Identificação do Órgão/Unidade:Tribunal Superior Eleitoral/STI/COINF/SEPD Service Desk

Identificação do Órgão/Unidade:Tribunal Superior Eleitoral/STI/COINF/SEPD Service Desk Identificação do Órgão/Unidade:Tribunal Superior Eleitoral/STI/COINF/SEPD Service Desk E-mail para contato: supervisao@tse.gov.br Nome trabalho/projeto: Suporte em TI baseado em sistema de gestão da qualidade

Leia mais

Renovação de Reconhecimento CEE/GP 266/06 de 13 de julho de 2006 - D.O.E. 14/07/2006 Autarquia Municipal DEPARTAMENTO DE DIREITO DO ESTADO 2015

Renovação de Reconhecimento CEE/GP 266/06 de 13 de julho de 2006 - D.O.E. 14/07/2006 Autarquia Municipal DEPARTAMENTO DE DIREITO DO ESTADO 2015 DE DIREITO DO ESTADO 2015 EMENTA O Direito Constitucional é a referência axiológica para a aplicação de todos os ramos do Direito. Nesse sentido, este curso de Prática Jurídica Constitucional possibilita

Leia mais

AQUISIÇÕES MARÇO/ABRIL

AQUISIÇÕES MARÇO/ABRIL AQUISIÇÕES MARÇO/ABRIL NUCCI, Guilherme de Souza. Manual de direito penal: parte geral e parte especial. 7.ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011. 1151 p. AZEVEDO, Álvaro Villaça. Estatuto da família

Leia mais

CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS

CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS MISSÃO DO CJF Exercer, de forma efetiva, a supervisão orçamentária e administrativa, o poder correcional e a uniformização, bem como promover a

Leia mais

(PROCESSO Nº 1.0000.12.121862-2/000 COMISSÃO DE ORGANIZAÇÃO E DIVISÃO JUDICIÁRIAS)

(PROCESSO Nº 1.0000.12.121862-2/000 COMISSÃO DE ORGANIZAÇÃO E DIVISÃO JUDICIÁRIAS) EMENDA Nº 01 AO ANTEPROJETO DE LEI QUE CRIA CARGOS NOS QUADROS DE PESSOAL DA SECRETARIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA E DA JUSTIÇA DE PRIMEIRA INSTANCIA DO PODER JUDICIARIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS. (PROCESSO

Leia mais

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1. Das Disposições Preliminares Art. 1 o. Este Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades

Leia mais

DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 2001/2006 DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. IRANI CHIES, Prefeito Municipal de Carlos Barbosa, Estado do Rio Grande do Sul, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Comentário a Acórdão do Supremo Tribunal Federal sobre o princípio da Inafastabilidade da Prestação Jurisdicional

Comentário a Acórdão do Supremo Tribunal Federal sobre o princípio da Inafastabilidade da Prestação Jurisdicional Comentário a Acórdão do Supremo Tribunal Federal sobre o princípio da Inafastabilidade da Prestação Jurisdicional Universidade de Brasília Disciplina: Teoria Geral do Processo II Professor: Dr. Vallisney

Leia mais

Plano de Ensino. Curso: Disciplina: Turma: Turno / Campus: Professor: Direito Direito Processual Tributário - TVI UN Noturno Jose Hable.

Plano de Ensino. Curso: Disciplina: Turma: Turno / Campus: Professor: Direito Direito Processual Tributário - TVI UN Noturno Jose Hable. Curso: Disciplina: Turma: Turno / Campus: Professor: Direito Direito Processual Tributário - TVI UN Noturno Jose Hable Ementa Conceito de processo e procedimento; processo administrativo tributário e processo

Leia mais

SIMONE COVOLAN CARVALHO PROJETO DE PESQUISA APLICADA: APERFEIÇOAMENTO DE CONHECIMENTOS EM DIREITO E PROCESSO PENAL ASSIS CHATEAUBRIAND 2011

SIMONE COVOLAN CARVALHO PROJETO DE PESQUISA APLICADA: APERFEIÇOAMENTO DE CONHECIMENTOS EM DIREITO E PROCESSO PENAL ASSIS CHATEAUBRIAND 2011 1 SIMONE COVOLAN CARVALHO PROJETO DE PESQUISA APLICADA: APERFEIÇOAMENTO DE CONHECIMENTOS EM DIREITO E PROCESSO PENAL ASSIS CHATEAUBRIAND 2011 1 AUÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO

Leia mais

Aula 2: Projeto de pesquisa

Aula 2: Projeto de pesquisa 1 Metodologia da Pesquisa Científica Aula 2: Projeto de pesquisa 1 O projeto de pesquisa O projeto de pesquisa é a base da organização do seu trabalho de pesquisa. Ao elaborar o projeto você organiza suas

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR-050 Revisão 01

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR-050 Revisão 01 Assunto: MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR-050 Revisão 01 PROCEDIMENTOS PARA DETERMINAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS NA SUPERINTENDÊNCIA DE AERONAVEGABILIDADE Revogação: Esta revisão substitui a revisão 00, de 29 de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º O Colegiado Estadual de Procuradores e Advogados Municipais de Santa Catarina, que passará a utilizar com exclusividade a denominação

Leia mais

Judiciário e Políticas Públicas ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 2º SEMESTRE DE 2013

Judiciário e Políticas Públicas ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 2º SEMESTRE DE 2013 Judiciário e Políticas Públicas ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 2º SEMESTRE DE 2013 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a suas atividades em 1944

Leia mais

Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher

Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher A Defensoria Pública do Estado de São Paulo, através de seu Núcleo Especializado de Promoção e Defesa, vem por meio deste, apresentar os projetos apresentados por conta da assinatura do Termo de Cooperação

Leia mais

Prof. Cristiano Lopes

Prof. Cristiano Lopes Prof. Cristiano Lopes CONCEITO: É o procedimento de verificar se uma lei ou ato normativo (norma infraconstitucional) está formalmente e materialmente de acordo com a Constituição. Controlar significa

Leia mais

Artigos Organização das fontes de informação jurídica na perspectiva do GIDJ/SP

Artigos Organização das fontes de informação jurídica na perspectiva do GIDJ/SP 27 Artigos Organização das fontes de informação jurídica na perspectiva do GIDJ/SP Andréia Gonçalves Silva Bibliotecária do escritório Lazzareschi Advogados Docente da Faculdade de Biblioteconomia e Ciência

Leia mais

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos Exercício 2015 Auditoria Interna Unidade de Auditoria Interna - CEFET/RJ Normativos: Portaria nº 07, de 15/01/2001: cria a Unidade de Auditoria

Leia mais

Tópicos em Direito Processual Civil Carga Horária: 20 h/a

Tópicos em Direito Processual Civil Carga Horária: 20 h/a Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Civil Tópicos em Direito Processual Civil Carga Horária: 20 h/a 1- Ementa A presente

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Administração Disciplina: Direito Tributário Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 4 1 - Ementa (sumário, resumo) Introdução ao Direito Tributário

Leia mais

CONHEÇA MINHA CARREIRA CONSULTOR LEGISLATIVO DO SENADO FEDERAL

CONHEÇA MINHA CARREIRA CONSULTOR LEGISLATIVO DO SENADO FEDERAL CONHEÇA MINHA CARREIRA CONSULTOR LEGISLATIVO DO SENADO FEDERAL Olá, concurseiro(a)! Meu nome é Luciano Oliveira e sou Consultor Legislativo do Senado Federal. Também já exerci os cargos de Auditor Federal

Leia mais

Tema: Sustentabilidade Financeira Objetivo Estratégico: Gerir Recursos Financeiros de Forma Eficiente

Tema: Sustentabilidade Financeira Objetivo Estratégico: Gerir Recursos Financeiros de Forma Eficiente 1. Escopo ou finalidade do projeto Implantar uma sistemática de gestão de custos, objetivando o fornecimento de informações estratégicas de gastos segmentados por unidades de custos. O sistema deverá permitir

Leia mais

Subseção I Disposição Geral

Subseção I Disposição Geral Subseção I Disposição Geral Art. 59. O processo legislativo compreende a elaboração de: I - emendas à Constituição; II - leis complementares; III - leis ordinárias; IV - leis delegadas; V - medidas provisórias;

Leia mais

EDITAL N.º 0001/ 2008 - SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS

EDITAL N.º 0001/ 2008 - SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS 1 EDITAL N.º 0001/ 2008 - SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS Visa divulgar a realização de seleção para a contratação de estagiários junto a esta Subseção Judiciária e esclarecer os critérios para a efetivação do

Leia mais

IMPLEMENTAR METODOLOGIA DE GESTÃO DE PROCESSOS DE TRABALHO NO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

IMPLEMENTAR METODOLOGIA DE GESTÃO DE PROCESSOS DE TRABALHO NO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO . Escopo ou finalidade do projeto O projeto visa implantar método de gestão de processos de trabalho em 00% das prestadoras de jurisdição de º grau, tendo como base o Sistema Normativo do Poder Judiciário

Leia mais

Gestão Democrática da Educação

Gestão Democrática da Educação Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Departamento de Articulação e Desenvolvimento dos Sistemas de Ensino Coordenação Geral de Articulação e Fortalecimento Institucional dos Sistemas de

Leia mais

DECLARAÇÃO DA OIT SOBRE OS PRINCÍPIOS E DIREITOS FUNDAMENTAIS NO TRABALHO

DECLARAÇÃO DA OIT SOBRE OS PRINCÍPIOS E DIREITOS FUNDAMENTAIS NO TRABALHO DECLARAÇÃO DA OIT SOBRE OS PRINCÍPIOS E DIREITOS FUNDAMENTAIS NO TRABALHO Considerando que a criação da OIT procede da convicção de que a justiça social é essencial para garantir uma paz universal e permanente;

Leia mais

Alterações ao Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas

Alterações ao Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas Alterações ao Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas O Governo divulgou recentemente um conjunto de medidas de revisão e aperfeiçoamento do atual Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas,

Leia mais

3 c m FACULDADE DE COLIDER-FACIDER ( NOME) 3 cm (TÍTULO DO PROJETO)

3 c m FACULDADE DE COLIDER-FACIDER ( NOME) 3 cm (TÍTULO DO PROJETO) 3 c m FACULDADE DE COLIDER-FACIDER ( NOME) 3 cm (TÍTULO DO PROJETO) 2 cm (arial / times roman 12 ) TIRAR NUMERAÇÃO PARA IMPRESSAO CAPA CIDADE/ESTADO 2 c m ANO (NOME) TÍTULO DO PROJETO) (arial / times roman

Leia mais

contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas, e a PEC 63, que resgata o ATS.

contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas, e a PEC 63, que resgata o ATS. Neste ano histórico em que completa 60 anos de vitoriosa trajetória associativa, a Amagis é agraciada ao ser escolhida para sediar, novamente, onze anos depois, outro importante encontro integrativo como

Leia mais

CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE- CNEC FACULDADE CENECISTA DE VILA VELHA-FACEVV. NORMAS PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS Atualizadas em 2013

CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE- CNEC FACULDADE CENECISTA DE VILA VELHA-FACEVV. NORMAS PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS Atualizadas em 2013 1 CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE- CNEC FACULDADE CENECISTA DE VILA VELHA-FACEVV NORMAS PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS Atualizadas em 2013 Vila Velha 2013 2 NORMAS PARA ARTIGO CIENTÍFICO DA FACEVV

Leia mais

ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS ENFAM FUNDAMENTAÇÃO CONSTITUCIONAL

ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS ENFAM FUNDAMENTAÇÃO CONSTITUCIONAL 1 ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS ENFAM FUNDAMENTAÇÃO CONSTITUCIONAL No tocante à composição e gestão da Enfam (art. 105, parágrafo único, I): Funcionarão junto ao Superior

Leia mais

GUIA DE AUDITORIA PARA OS EMPREENDEDORES

GUIA DE AUDITORIA PARA OS EMPREENDEDORES GUIA DE AUDITORIA PARA OS EMPREENDEDORES Março de 2014 www.aqua-hqe.com.br SUMÁRIO 1. Objetivos da auditoria 2. Definições e abreviações 2.1 Mandatário da auditoria 2.2 Auditado 2.3 Equipe de auditoria

Leia mais