PARTE I Geografi a do Minho

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARTE I Geografi a do Minho"

Transcrição

1 PARTE I Geografi a do Minho I.2 Dados fundamentais, por concelho I.2.1. População Os indicadores concelhios foram obtidos de dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), incluindo o Census 2001 ( As respectivas datas de referência são assinaladas nas legendas das tabelas pertinentes. A tabela 1 mostra os principais indicadores de população, por concelhos. A tabela 2 apresenta a consolidação desses dados ao nível de NUTIII e ainda das várias visões da região Minho, tal como anteriormente defi nidas. Inclui ainda dados do Norte de Portugal, Portugal Continental e Portugal, que permitem uma análise comparativa sobre a importância do Minho e seus indicadores no contexto nacional e da Região Norte. A tabela 3 mostra dados de ensino secundário e superior (público e privado) por concelho. Note-se que os alunos da Universidade do Minho que frequentam o Campus de Gualtar em Guimarães (cerca de 6 mil alunos) aparecem nas estatísticas contabilizados no concelho de Braga, sede da Universidade do Minho, o que distorce a importância da actividade de ensino superior nesses dois concelhos. A tabela 4 consolida os dados anteriores, numa metodologia semelhante à da tabela 2. Os mapas 5 a 13 mostram a distribuição geográfi ca dos indicadores mais importantes pelos concelhos do Minho: - o mapa 5 representa a densidade populacional por concelho - o mapa 6 representa a população residente por concelho - o mapa 7 mostra a variação percentual da população por concelho entre os census de 2001 e o mapa 8 mostra a percentagem da população residente na faixa etária dos 25 aos 49 anos ( idade activa ) - o mapa 9 representa a taxa de desemprego (%) por concelho - o mapa 10 mostra a taxa de analfabetismo (%) por concelho - o mapa 11 mostra o número de alunos inscritos em estabelecimentos do ensino superior (público e privado) sediados em cada concelho - o mapa 12 mostra a intensidade de actividades de ensino superior (público e privado) por concelho (percentagem do número de alunos inscritos em estabelecimentos sediados no concelho relativamente à população residente do concelho) - o mapa 13 mostra a importância de residentes com ensino secundário, ou de grau mais elevado, completo (percentagem relativamente à população residente do concelho). As fi guras 1 a 7 mostram em gráfi co de barras a distribuição por concelhos dos principais indicadores considerados, apresentando-se aí os concelhos ordenados por ordem crescente de população residente: - fi gura 1: população residente total e na faixa dos 25 a 49 anos - fi gura 2: estrutura da população residente - fi gura 3: concentração urbana no Minho - fi gura 4: população residente versus densidade populacional - fi gura 5: variação percentual da população residente (2001 vs 1991) - fi gura 6: percentagem da população residente com idade entre 25 e 49 anos - fi gura 7: taxa de desemprego - fi gura 8: taxa de analfabetismo - fi gura 9: população residente com ensino secundário ou superior completo - fi gura 10: percentagem da população residente com ensino secundário ou superior completo (população qualifi - cada) - fi gura 11: taxa de desemprego versus população qualifi c ad a. A demografi a da região condicionará de forma determinante o seu desenvolvimento e por isso justifi ca-se uma exploração mais detalhada. A tabela 5 apresenta a estrutura etária dos concelhos do Minho. A tabela 6 consolida os dados por unidades territoriais. A fi gura 12 representa grafi camente as estruturas etárias dos vários concelhos, como habitualmente ordenados por ordem crescente da população residente. A fi gura 13 mostra a relação entre população jovem (até aos 25 anos) e população idosa (mais de 65 anos). A fi gura 14 explora a relação entre população jovem (até aos 25 anos) e população residente 7

2 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População 8 Tabela 1 População do Minho: dados por concelho CONCELHO DISTRITO NUTIII área (a) % (b) dens pop (c) pop res (d) % (e) Δ pop (f) pop (g) % pop (h) Amares Braga Cávado 82 1,6% ,6% 10, ,7% 53,8 5,3 7,4 Arcos de Valdevez Viana Castelo Minho Lima 447 8,7% ,1% 0, ,2% ,7 Barcelos Braga Cávado 379 7,4% ,2% 9, ,8% 41,1 6,3 7,5 Braga Braga Cávado 183 3,6% ,8% 16, ,8% 54,7 4,4 5,6 Cabeceiras de Basto Braga Tâmega 242 4,7% ,5% 9, ,6% 47,5 6,5 9,9 Caminha Viana Castelo Minho Lima 137 2,7% ,4% -8, ,5% 49 4,9 7,3 Celorico de Basto Braga Tâmega 181 3,5% ,7% -4, ,1% 37,2 6,1 15,2 Esposende Braga Cávado 95 1,9% ,8% 10, ,3% 42,9 4,5 11,7 Fafe Braga Ave 219 4,3% ,4% 10, ,3% 43,1 6,4 12 Guimarães Braga Ave 242 4,7% ,4% 10, ,0% 41,7 5,4 11,9 Melgaço Viana Castelo Minho Lima 238 4,6% ,8% 5, ,0% 51,9 6,9 5,8 Monção Viana Castelo Minho Lima 211 4,1% ,7% -9, ,5% 31,7 5,3 7,1 Paredes de Coura Viana Castelo Minho Lima 138 2,7% ,8% -8, ,7% 50,4 4,3 7,6 Ponte da Barca Viana Castelo Minho Lima 182 3,6% ,1% -8, ,9% 34,5 4,9 16 Ponte de Lima Viana Castelo Minho Lima 321 6,3% ,7% -1, ,0% 35,8 11,3 15,6 Póvoa de Lanhoso Braga Ave 133 2,6% ,9% 5, ,7% 37,8 8,1 19,8 Santo Tirso Porto Ave 136 2,6% ,1% 3, ,9% 46,2 7,1 9,6 Terras de Bouro Braga Cávado 278 5,4% ,7% -11, ,2% 43 6,8 10,8 Trofa Porto Ave 73 1,4% ,2% 14, ,6% 52,8 9,2 12,8 Valença Viana Castelo Minho Lima 117 2,3% ,2% 2, ,6% 41,3 7,7 20,3 Viana do Castelo Viana Castelo Minho Lima 319 6,2% ,4% -4, ,6% 36,4 4,9 7,9 Vieira do Minho Braga Ave 202 3,9% ,2% -6, ,9% 37,1 6,6 16,6 Vila Nova Cerveira Viana Castelo Minho Lima 109 2,1% ,7% 6, ,0% 33,7 6,7 11,6 Vila Nova Famalicão Braga Ave 219 4,3% ,7% 11, ,6% 53 6,7 7,2 Vila Verde Braga Cávado 229 4,5% ,9% 5, ,4% 53 5,2 6,7 Vizela Braga Ave 24 0,5% ,9% 12, ,2% 40 7,8 14,1 100,0% 100,0% 2001 activi (i) Legenda na página 10:: desem (j) analf (k)

3 ::Legenda na página 10 Tabela 2 População do Minho: dados consolidados área (a) % (b) dens pop (c) pop res (d) % (e) Δ pop (f) pop (g) % pop (h) Minho ,0% ,0% ,9% 2001 activi (i) desem (j) analf (k) Top ,9% 1936, ,7% ,0% Top ,1% 2212, ,1% ,8% DISTRITOS Braga ,7% ,8% ,3% Viana do Castelo ,2% 1060, ,0% ,2% Minho (distritos) ,9% ,8% ,8% Porto 208 4,1% 1044, ,2% ,5% ,0% 1044, ,0% ,9% 9 NUTIII Minho Lima ,2% 1060, ,0% 0, ,2% Cávado ,3% 2017, ,0% 11, ,6% Ave ,3% 3752, ,8% 9, ,7% Minho (NUTS III) ,8% ,8% ,2% Tâmega 423 8,2% 184, ,2% ,6% ,0% 184, ,0% ,9% Portugal % ,0% ,0% P (Continental) ,6% ,3% Norte Portugal Minho ,6% ,5% ,0% Minho (distritos) ,3% ,4% ,0% Minho (NUTS III) ,1% ,1% ,0%

4 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População área (a) % (b) dens pop (c) Legenda da Tabela 1 e 2 (a): Área do concelho (km2) (2003) pop res (d) % (e) Δ pop (f) pop (g) % pop (h) 2001 activi (i) desem (j) analf (k) (b): Percentagem que área do concelho representa da área total do Minho (c): Densidade populacional hab/km2 (2001) (d): População residente no concelho (2001) 10 (e): Percentagem que o número de residentes representa do total de residentes do Minho (2001) (f): Variação População % (2001 versus 1991) (g): População anos (2001) (h): População anos % (2001) (i): Taxa de Actividade % (2001) (j): Taxa Desemprego % (2001) (k): Taxa Analfabetismo % (2001)

5 2001 nº insc ensino público (a) nº insc ensino privado (b) % alunos do concelho (c) com ens sup (d) com ens med bach (e) com ens medio (f) com ens sec (g) com ens sec + (h) % hab com ens sec + (i) % hab minho ens sec + (j) Legenda da Tabela 3 e 4 (a): Número de alunos inscritos em estabelecimentos de ensino superior público sediado no Concelho (h): Número de habitantes residentes com ensino secundário ou de grau mais elevado completo (b): Número de alunos inscritos em estabelecimentos de ensino superior privado sediado no Concelho (inclui Universidade Católica) (i): Percentagem que o número de habitantes com ensino secundário ou de grau mais elevado completo representam da população residente no concelho (c): Percentagem que o número de alunos inscritos em estabelecimentos de ensino superior público ou privado representa da população residente no Concelho (j): Percentagem que o número de habitantes com ensino secundário ou de grau mais elevado completo do concelho representam do total do Minho (visão maximalista) 11 (d): Número de habitantes residentes com grau de ensino superior (licenciatura) concluído (e): Número de habitantes residentes com grau de ensino superior (bacharelato) concluído (f): Número de habitantes residentes com ensino médio concluído (g): Número de habitantes residentes com ensino secundário concluído

6 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População 12 Tabela 3 Ensino superior e secundário no Minho: dados por concelho CONCELHO DISTRITO NUTIII 2001 nº insc ensino público (a) nº insc ensino privado (b) % alunos do concelho (c) com ens sup (d) com ens med bach (e) com ens medio (f) com ens sec (g) com ens sec + (h) % hab com ens sec + (i) Legenda na página 11:: % hab minho ens sec + (j) Amares Braga Cávado 0,0% ,7% 1,2% Arcos Valdevez Viana Castelo Minho Lima 0,0% ,5% 1,3% Barcelos Braga Cávado ,9% ,7% 7,7% Braga Braga Cávado ,7% ,4% 23,8% Cabeceiras de Basto Braga Tâmega 0,0% ,9% 0,8% Caminha Viana Castelo Minho Lima 0,0% ,9% 1,8% Celorico de Basto Braga Tâmega 0,0% ,9% 0,9% Esposende Braga Cávado 0,0% ,0% 2,5% Fafe Braga Ave ,8% ,8% 2,9% Guimarães Braga Ave 36 0,0% ,5% 12,8% Melgaço Viana Castelo Minho Lima 0,0% ,7% 0,6% Monção Viana Castelo Minho Lima 0,0% ,8% 1,5% Paredes de Coura Viana Castelo Minho Lima 0,0% ,9% 0,5% Ponte da Barca Viana Castelo Minho Lima 0,0% ,3% 0,8% Ponte de Lima Viana Castelo Minho Lima ,7% ,7% 2,4% Póvoa de Lanhoso Braga Ave 0,0% ,4% 1,2% Santo Tirso Porto Ave 0,0% ,4% 5,8% Terras de Bouro Braga Cávado 0,0% ,4% 0,6% Trofa Porto Ave 0,0% ,6% 3,1% Valença Viana Castelo Minho Lima 31 0,2% ,3% 1,1% Viana do Castelo Viana Castelo Minho Lima ,3% ,6% 10,5% Vieira do Minho Braga Ave 0,0% ,6% 0,8% Vila Nova Cerveira Viana Castelo Minho Lima 168 1,9% ,0% 0,7% Vila Nova Famalicão Braga Ave ,4% ,3% 11,2% Vila Verde Braga Cávado 0,0% ,7% 2,5% Vizela Braga Ave 0,0% ,7% 1,2% 100,0%

7 ::Legenda na página 11 Tabela 4 Ensino superior e secundário no Minho: dados consolidados nº insc ensino público (a) nº insc ensino privado (b) % alunos do concelho (c) com ens sup (d) 2001 com ens med bach (e) com ens medio (f) com ens sec (g) com ens sec + (h) % hab com ens sec + (i) % hab minho ens sec + (j) Minho ,2% ,9% 100,0% Top ,0% ,4% 45,2% Top ,9% ,8% 55,8% DISTRITOS Braga ,6% ,9% 70,0% Viana do Castelo ,6% ,0% 21,1% Minho (distritos) ,4% ,9% 91,2% Porto ,5% 8,8% ,2% ,9% 100,0% 13 NUTIII Minho Lima ,6% ,9% 21,1% Cávado ,7% ,3% 38,3% Ave ,6% ,1% 38,8% Minho (NUTS III) ,2% ,0% 98,2% Tâmega 0 0 0,0% ,9% 1,8% ,2% ,9% 100,0% Portugal ,7% ,1% 100% P (Continental) ,0% ,3% 96,5% Norte Portugal ,3% ,6% 28,7% Minho ,2% ,9% 100% Minho (distritos) ,4% ,9% 91,2% Minho (NUTS III) ,2% ,1% 88%

8 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População 14 Mapa 5 - Densidade populacional, por concelhos (hab/km²) 528 a 948 (5) 225 a 528 (5) 119 a 225 (6) 70 a 119 (4) 29 a 70 (6)

9 a (4) a (5) a (6) a (6) a (5) Mapa 6 - População Residente, por concelhos 15

10 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População 10,8 a 16,2 (6) 6,7 a 10,8 (5) 2,1 a 6,7 (5) -6,7 a 2,1 (5) 0-11,2 a -6,7 (5) 16 Mapa 7 - Variação de População residente, por concelhos (2001 vs 1991)

11 Mapa 8 - Fracção da população com idade entre os 25 e 49 anos, por concelhos 17 38,6 a 41,2 (5) 36,6 a 38,6 (5) 35,7 a 36,6 (5) 33,3 a 35,7 (5) 30,2 a 33,3 (6)

12 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População 18 Mapa 9 - Taxa Desemprego, por concelhos (%) 7,7 a 11,3 (5) 6,7 a 7,7 (5) 6,1 a 6,7 (5) 5,2 a 6,1 (5) 4,3 a 5,2 (6)

13 16 a 20,3 (5) 12 a 16 (5) 9,9 a 12 (5) 7,4 a 9,9 (5) 5,6 a 7,4 (6) Mapa 10 - Taxa Analfabetismo, por concelhos (%) 19

14 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População 2949 a (2) 1438 a 2948 (2) 764 a 1437 (3) 31 a 763 (2) 0 a 31 (18) 20 Mapa 11 - Alunos Inscritos em Ensino Superior Público e Privado, por concelhos

15 Mapa 12 - Fracção do total de alunos inscritos em estabelecimentos do ensino superior público e privado, por concelhos 3,3 a 10,7 (1) 21 2,0 a 3,3 (1) 0,9 a 2,0 (4) 0,2 a 0,9 (2) 0,0 a 0,2 (18)

16 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População 22 8,3 a 15,4 (8) 7,4 a 8,3 (4) 6,3 a 7,4 (4) 5,9 a 6,3 (1) 4,9 a 5,9 (9) Mapa 13 - % da população residente com ensino secundário ou superior completo

17 Figura 1 População residente e população com idades entre os anos por concelhos ordenados por ordem crescente de população residente A maioria dos concelhos do Minho têm menos de 50 mil habitantes. Apenas 7 dos 26 concelhos ultrapassam as 50 mil pessoas e representam 66% da população residente (visão maximalista). Quatro concelhos (top 4) ultrapassam os 100 mil habitantes e constituem os grandes centros urbanos do Minho. A população aí residente é quase metade da população total: 48%, embora a área desses concelhos represente apenas 33% da área total. 23 Figura 2 Estrutura por concelhos da população residente no Minho Braga, Guimarães, Vila Nova de Famalicão e Barcelos são os 4 principais concelhos e representam quase metade da população total (visão maximalista). Viana do Castelo é o quinto concelho mais populoso. No total estes cinco concelhos (top 5) concentram cerca de 56% da população e ocupam 26% da área total

18 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População Figura 3 Concentração urbana no Minho: população acumulada (%) versus área acumulada (%), com os concelhos ordenados por ordem crescente da população Metade da área do Minho (basicamente a orla periférica do Minho) representa apenas cerca de 20% da população total. Em 80% da área estão pouco mais de metade dos residentes no Minho. 24 Figura 4 População residente, por concelho, versus densidade populacional Os concelhos de maior densidade populacional têm tendência a ser os mais populosos. Vizela é uma excepção: com a mais alta densidade populacional do Minho (948 habitantes por km2, contra uma média de 232 do Minho, superior aos 894 do concelho de Braga) num concelho com pouco mais de 20 mil habitantes. Vizela representa quase 2% da população do Minho, apesar da área ser menos de 0,5% da área total do Minho.

19 Figura 5 Variação percentual da população residente (2001 vs 1991) por concelhos As maiores quebras relativas de população residente verifi caram-se nos concelhos de menor população residente. A manterse esta tendência, os concelhos da orla periférica terão tendência a fi car ainda menos populosos e mais desertifi cados. Por sua vez os concelhos mais populosos mostram quase todos ganhos relativos, sendo Viana do Castelo uma excepção. A manter-se esta tendência os grandes centros urbanos do Minho terão tendência a tornar-se ainda mais importantes. O facto de vários concelhos intermédios mostrarem mesmo ganhos relativos superiores a 10% é importante e sugere o desenvolvimento de uma segunda camada de centralidades regionais. Os principais fl uxos migratórios serão internos ao Minho. Globalmente o Minho teve uma variação percentual positiva na década de 90, com níveis robustos na casa dos 10% nas NUTIII Cávado e Ave e uma estagnação (quase 0+%) na NUTIII Minho- Lima. 25 Figura 6 População residente entre os 25 e 49 anos, por concelho (% da população concelhia residente) Os cinco principais concelhos, conjuntamente com os novos concelhos de Vizela e Trofa, mostram as maiores concentrações de população em idade adulta e madura, com maior impacto no mercado de trabalho e oferta de mão de obra para actividades económicas.

20 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População Figura 7 Taxa de desemprego, por concelho A taxa de desemprego é a percentagem da população activa (não da população residente) que se encontra desempregada. As menores taxas de desemprego verifi cam-se em Braga, mas também nos concelhos de Esposende, Caminha, Ponte da Barca e Paredes de Coura mas convirá recordar que nestes últimos concelhos as taxas de actividade são baixas, refl ectindo maiores faixas da população residente fora do mercado de trabalho. Trofa e Ponte de Lima mostram taxas de desemprego entre 8 e 10%, bem acima dos valores médios da região. Mas a Trofa tem uma das maiores taxas de actividade da região (53%), enquanto que Ponte do Lima tem uma das menores taxas de actividade (36%), logo representam situações bem diferentes sob o ponto de vista de emprego (ou desemprego) 26 Figura 8 Taxa de analfabetismo, por concelho Alguns ds concelhos periféricos e rurais mostram as maiores taxas de analfabetismo, sendo Póvoa de Lanhoso e Valença os concelhos da região mais afectados pelo problema (com taxas da casa dos 20%). Mas algumas das menores taxas de analfabetismo surgem também em concelhos do mesmo tipo casos de Melgaço, Amares, Monção e Vila Verde, com taxas pouco acima das verifi cadas no concelho de Braga (5.6%, o concelho com melhor taxa na região).

21 Figura 9 População residente, por concelhos com ensino secundário ou superior completo (número de pessoas) Como seria de esperar, os maiores volumes de pessoas qualifi cadas aparecem nos concelhos mais populosos. Viana do Castelo apresenta uma quantidade de pessoas qualifi cadas superior ao que seria de esperar, acima dos 10 mil residentes. Note-se que cursos médios completos aparecem incluídos na estatística. Ensino Secundário Ensino Superior 27 Figura 10 Percentagem da população residente com ensino secundário ou superior completo (%) Mais de 15% da população de Braga atinge este nível de qualifi - cação. Viana do Castelo e Caminho são os únicos dois concelhos com este nível de qualifi cação acima dos 10%, logo a seguir ao concelho de Braga. Em ambos os concelhos mais de 5% da população residente tem cursos superiores completos. Os concelhos da NUTIII Tâmega são os que mostram menores níveis de qualifi - cação, quer a nível secundário como superior. Ensino Secundário Ensino Superior

22 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População Figura 11 Taxa de desemprego versus população qualifi cada (% da população residente com ensino secundário ou superior completo Os três concelhos com menor qualifi cação mostram as maiores taxas de desemprego. No entanto em geral a relação entre desemprego e qualifi cação é pouco clara: as relações entre os dois indicadores são mais complexas do que habitualmente se sugere, sendo ainda infl uenciada pela dinâmica demográfi ca. 28

23 >> >> >> Tabela 5 Estrutura etária dos concelhos do Minho (2001) Tabela 6 Estrutura etária: dados consolidados (2001) 29 >> >> >>

24 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População 30 Tabela 5 Estrutura etária dos concelhos do Minho (2001) CONCELHO DISTRITO NUTIII População residente População 14- anos População anos População anos População 65+ anos Amares Braga Cávado ,30% 17,00% 49,20% 14,50% 36,30% Arcos de Valdevez Viana do Castelo Minho Lima ,90% 12,90% 47,50% 26,80% 25,70% Barcelos Braga Cávado ,20% 17,10% 52,00% 10,80% 37,30% Braga Braga Cávado ,70% 16,20% 54,20% 10,80% 34,90% Cabeceiras de Basto Braga Tâmega ,80% 16,60% 46,00% 17,70% 36,40% Caminha Viana do Castelo Minho Lima ,40% 14,50% 50,80% 20,30% 28,90% Celorico de Basto Braga Tâmega ,20% 17,20% 45,90% 17,70% 36,40% Esposende Braga Cávado ,00% 16,80% 51,10% 12,00% 36,90% Fafe Braga Ave ,70% 16,20% 51,80% 13,30% 34,90% Guimarães Braga Ave ,60% 16,40% 53,80% 10,20% 36,00% Melgaço Viana do Castelo Minho Lima ,30% 11,10% 48,20% 30,40% 21,40% Monção Viana do Castelo Minho Lima ,90% 13,40% 49,60% 25,10% 25,30% Paredes de Coura Viana do Castelo Minho Lima ,40% 13,20% 49,10% 25,20% 25,70% Ponte da Barca Viana do Castelo Minho Lima ,30% 14,40% 48,50% 20,80% 30,70% Ponte de Lima Viana do Castelo Minho Lima ,10% 15,70% 49,30% 16,90% 33,70% Póvoa de Lanhoso Braga Ave ,70% 17,40% 48,20% 14,80% 37,10% Santo Tirso Porto Ave ,80% 14,80% 55,40% 13,00% 31,60% Terras de Bouro Braga Cávado ,60% 15,00% 47,20% 21,20% 31,60% Trofa Porto Ave ,20% 15,60% 55,20% 10,00% 34,80% Valença Viana do Castelo Minho Lima ,40% 13,40% 51,20% 21,00% 27,80% Viana do Castelo Viana do Castelo Minho Lima ,90% 15,10% 52,90% 16,10% 30,90% Vieira do Minho Braga Ave ,20% 16,20% 47,70% 18,90% 33,40% Vila Nova de Cerveira Viana do Castelo Minho Lima ,40% 13,40% 50,20% 22,00% 27,80% Vila Nova de Famalicão Braga Ave ,80% 15,60% 55,00% 10,60% 34,40% Vila Verde Braga Cávado ,70% 16,80% 48,70% 14,80% 36,50% Vizela Braga Ave ,50% 15,90% 54,00% 8,60% 37,40% % pop -14 % pop % pop % pop 65+ % pop 25 -

25 Tabela 6 Estrutura etária: dados consolidados (2001) População residente População 14- anos População anos População anos População 65+ anos Minho ,30% 15,90% 52,30% 13,50% 34,10% % pop -14 % pop % pop % pop 65+ % pop 25 - Top ,30% 16,30% 53,80% 10,60% 35,60% Top ,80% 16,20% 53,70% 11,30% 35,00% DISTRITOS Braga ,30% 16,40% 52,50% 11,80% 35,70% Viana do Castelo ,10% 14,40% 50,60% 20,00% 29,40% Minho (distritos) ,30% 15,90% 52,00% 13,70% 34,30% Porto ,60% 15,10% 55,30% 12,00% 32,70% 31 NUTIII Minho Lima ,10% 14,40% 50,60% 20,00% 29,40% Cávado ,40% 16,60% 52,20% 11,80% 36,00% Ave ,90% 15,90% 53,80% 11,40% 34,80% Minho (NUTS III) ,20% 15,80% 52,60% 13,40% 34,10% Tâmega ,50% 16,90% 45,90% 17,70% 36,40% Portugal ,00% 14,30% 53,40% 16,40% 30,30% P (Continental) ,80% 14,20% 53,50% 16,50% 30,00% Norte Portugal ,50% 15,10% 53,40% 14,00% 32,60% Minho ,30% 15,90% 52,30% 13,50% 34,10% Minho (distritos) ,30% 15,90% 52,00% 13,70% 34,30% Minho (NUTS III) ,20% 15,80% 52,60% 13,40% 34,10%

26 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População - 25 anos Figura 12 Estrutura etária dos concelhos do Minho Melgaço, Monção e Arcos de Valdevez são os concelhos com menos juventude (percentagem da população residente com menos de 25 anos) e, simultaneamente, com mais idosos (percentagem da população residente com mais de 65 anos). A situação dos concelhos do Minho Lima é muito diferente da situação dos concelhos do Ave e do Cávado. No Minho Lima a juventude (-25 anos) é menor do que na Região Norte ou em Portugal Continental: 29% da população residente versus 32% e 30% respectivamente. Nas NUTIII Ave e Cávado, a importância da juventude é mais forte: 35% a 36% contra 30% na Região Norte e em Portugal Continental. Em contrapartida o peso dos idosos (65+anos) é mais forte no Minho Lima (20% versus 16% e 17%) do que no Ave e Cávado (11% a 12% contra 14% e 17%). O facto de alguns dos concelhos da orla periférica, interior e rural mostrarem uma juventude importante é um sinal de esperança e vitalidade, mas também um desafi o às políticas regionais de desenvolvimento. 32 Figura 13 População jovem versus população idosa Como seria de esperar, os concelhos mais idosos são também os menos jovens. Melgaço é o concelho com situação etária menos favorável: quase um terço da população tem mais de 65 anos e apenas cerca de 21% da população residente tem menos de 25 anos.

27 Figura 14 População jovem versus população residente Os concelhos menos populosos mostram situações muito diferentes sob o ponto de vista de juventude. Os concelhos intermédios e mais populosos mostram uma forte juventude. Para alguns dos concelhos menos populosos, a dinâmica demográfi ca é certamente desfavorável: Monção, Arcos de Valdevez, Paredes de Coura e ainda Vila Nova de Cerveira, Valença, Caminha e Viana do Castelo, que têm menos de 30% da população residente com idades até aos 25 anos. Barcelos, Vila Verde, Póvoa de Lanhoso e Vizela são os concelhos mais jovens (37% da população residente com menos do que 25 anos). 33

28 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.1 Dados fundamentais, por concelho População 34

PARTE I Geografi a do Minho

PARTE I Geografi a do Minho PARTE I Geografi a do Minho I.2 Dados fundamentais, por concelho I.2.2. Economia A tabela 7 sumaria os principais indicadores económicos, por concelho, relativos a população empregada, sociedades sediadas,

Leia mais

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003)

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) II.2. Caracterização por concelho II.2.2. Análise por sectores de actividade As tabelas 16 e 17 mostram os resultados da análise das 613 empresas TIC do Minho por

Leia mais

PARTE I Geografi a do Minho

PARTE I Geografi a do Minho PARTE I Geografi a do Minho I.2 Dados fundamentais, por concelho I.2.3. Ranking competitivo O DPP (Departamento de Prospectiva e Planeamento) do Ministério da Economia publicou em 2003 um conjunto de rankings

Leia mais

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003)

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) II.2. Caracterização por concelho II.2.1. Análise por dimensão e volume Nesta secção caracteriza-se o conjunto das 613 esas identifi cadas como TIC (ou a partir das

Leia mais

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003)

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) II.2. Caracterização por concelho 2.2.3. Análise por dimensão das empresas As tabelas 23 e 24 mostram a distribuição da dimensão das empresas identifi cadas pelas

Leia mais

PARTE I. Geografi a de Alto-Trás-os-Montes. I.1 Perspectiva territorial

PARTE I. Geografi a de Alto-Trás-os-Montes. I.1 Perspectiva territorial PARTE I I.1 PERSPECTIVA TERRITORIAL 1 Geografi a de Alto-Trás-os-Montes I.1 Perspectiva territorial Alto Trás os Montes compreende 14 concelhos distribuídos por dois distritos: Bragança (8 concelhos) e

Leia mais

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003)

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) II.2. Caracterização por Concelho II.2.4 Análise por forma jurídica das sociedades As tabelas 26 e 27 sumariam os dados por concelho relativos à forma jurídica das

Leia mais

PARTE I_Geografi a do Minho I.2.3 Dados fundamentais, por concelho Ranking Competitivo

PARTE I_Geografi a do Minho I.2.3 Dados fundamentais, por concelho Ranking Competitivo 71 PARTE I_Geografi a do Minho I.2.3 Dados fundamentais, por concelho Ranking Competitivo 72 PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) II.1 Metodologia Fez-se um inventário das empresas que operam actualmente

Leia mais

PARTE III Dinâmica e demografi a TIC no Minho

PARTE III Dinâmica e demografi a TIC no Minho PARTE III Dinâmica e demografi a TIC no Minho Para se conhecer algo sobre a forma como tem crescido o sector TIC no Minho, e na ausência de outra fonte de informação segura, recorreu-se à análise das Páginas

Leia mais

PARTE II_Empresas TIC do Minho (2003) II.2.5 Caracterização por Concelho Análises por idade das empresas

PARTE II_Empresas TIC do Minho (2003) II.2.5 Caracterização por Concelho Análises por idade das empresas 153 PARTE II_Empresas TIC do Minho (2003) II.2.5 Caracterização por Concelho Análises por idade das empresas 154 PARTE III Dinâmica e demografi a TIC no Minho III.1. Dinâmica das empresas TIC do Minho

Leia mais

PARTE II. Empresas TIC de Alto Trás-os-Montes II.1 Metodologia

PARTE II. Empresas TIC de Alto Trás-os-Montes II.1 Metodologia PARTE II II.1 METODOLOGIA 45 Empresas TIC de Alto Trás-os-Montes 2003 II.1 Metodologia Fez-se um inventário das empresas que operam actualmente no mercado das TIC (tecnologias da informação e comunicação)

Leia mais

Promoção da Mobilidade, Transportes e Logística na Região do Norte CONCRETA REABILITAR/ HABITAR EXPONOR 21 OUT 2009 ANTÓNIO PÉREZ BABO

Promoção da Mobilidade, Transportes e Logística na Região do Norte CONCRETA REABILITAR/ HABITAR EXPONOR 21 OUT 2009 ANTÓNIO PÉREZ BABO Promoção da Mobilidade, Transportes e Logística na Região do Norte Nº Viagens / pessoa. dia INDICADORES 1 padrão de mobilidade RN antes do metro na AMP Repartição das Viagens Diárias por Modo de Transporte

Leia mais

EXECUÇÃO do PRODER. Jovens Agricultores (Ação 1.1.3) , , , ,69

EXECUÇÃO do PRODER. Jovens Agricultores (Ação 1.1.3) , , , ,69 EXECUÇÃO do PRODER AÇÃO Nº (só Prémio) JOVENS AGRICULTORES Nº (com Investimento) Nº BENEFICIÁRIOS PRÉMIO APROVADO INVESTIMENTO MONTANTES APROVADOS SUBSÍDIO DESPESA PÚBLICA REALIZADA (PRÉMIO + SUBSÍDIO)

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DA REGIÃO DO NORTE: EXPORTAÇÕES E TERRITÓRIO

A COMPETITIVIDADE DA REGIÃO DO NORTE: EXPORTAÇÕES E TERRITÓRIO A COMPETITIVIDADE DA REGIÃO DO NORTE: EXPORTAÇÕES E TERRITÓRIO Exportações excecionais, investimento sofrível Exportações a pesar 45% no PIB: a grande transformação A economia só regressa a 2008 em

Leia mais

AS INTERVENÇÕES PARA FECHO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO. 8 de maio Convento de S. Francisco, Coimbra

AS INTERVENÇÕES PARA FECHO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO. 8 de maio Convento de S. Francisco, Coimbra AS INTERVENÇÕES PARA FECHO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO 8 de maio Convento de S. Francisco, Coimbra Águas do Norte, SA Sistema Multimunicipal A Águas do Norte, S.A. foi constituída pelo Decreto-Lei n.º 93/2015,

Leia mais

CENSOS 2001 Resultados Preliminares para a Região do Norte

CENSOS 2001 Resultados Preliminares para a Região do Norte Informação à Comunicação Social 26 de Junho de 2001 CENSOS 2001 Resultados Preliminares para a Região do Norte De acordo com resultados preliminares dos Censos 2001, a população residente na Região Norte

Leia mais

ANEXO 4 - Consultas e Listagens

ANEXO 4 - Consultas e Listagens ANEXO 4 - Consultas e Listagens Neste ANEXO apresentamos o desenho detalhado de cada mapa, indicando para cada um, os parâmetros a introduzir e as condições a verificar para a extracção dos dados. M1 Acções

Leia mais

AS INTERVENÇÕES PARA FECHO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO. 8 de maio Convento de S. Francisco, Coimbra

AS INTERVENÇÕES PARA FECHO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO. 8 de maio Convento de S. Francisco, Coimbra AS INTERVENÇÕES PARA FECHO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO 8 de maio Convento de S. Francisco, Coimbra Águas do Norte, SA Sistema Multimunicipal A Águas do Norte, S.A. foi constituída pelo Decreto-Lei n.º 93/2015,

Leia mais

ESTUDO SOBRE O PODER DE COMPRA CONCELHIO Análise Sumária dos Resultados para a Região Norte

ESTUDO SOBRE O PODER DE COMPRA CONCELHIO Análise Sumária dos Resultados para a Região Norte ESTUDO SOBRE O PODER DE COMPRA CONCELHIO Análise Sumária dos Resultados para a Região Norte ANTÓNIO EDUARDO PEREIRA* Sendo a terceira região do país com maior nível de poder de compra per capita, o Norte

Leia mais

Municípios da Região do Norte Fundos municipais em 2019

Municípios da Região do Norte Fundos municipais em 2019 Municípios da Região do Norte Fundos municipais em 2019 A participação dos municípios nos impostos do Estado encontra-se definida no regime financeiro das autarquias locais e das entidades intermunicipais,

Leia mais

Centro Norte Litoral que (des) continuidades

Centro Norte Litoral que (des) continuidades Centro Norte Litoral. que (des) continuidades no norte centro litoral? 1 Evolução da População Residente 1991 Norte 3472715 3687293 3689713 Norte Litoral 1830979 1981427 1992779 Norte interior 473936 445186

Leia mais

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO MARÇO-2018 URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO 05-04-2018 CONTEÚDO EVOLUÇÃO DAS URGÊNCIAS HOSPITALARES... 3 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR E PERÍODO HOMÓLOGO)... 4 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR

Leia mais

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO DEZEMBRO-2017 URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO 05-01-2018 CONTEÚDO EVOLUÇÃO DAS URGÊNCIAS HOSPITALARES... 3 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR E PERÍODO HOMÓLOGO)... 4 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO

Leia mais

Mercado de Trabalho e Políticas de Emprego no Alto Minho

Mercado de Trabalho e Políticas de Emprego no Alto Minho Empregabilidade e Emprego: Dinâmicas e Tendências Transfronteiriças Mercado de Trabalho e Políticas de Emprego no Alto Minho Eduardo Pereira 13 dezembro 216 II Forum Ensino Profissional Transfronteiriço

Leia mais

Rui Monteiro Diretor de Serviços de Desenvolvimento Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte

Rui Monteiro Diretor de Serviços de Desenvolvimento Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte Desenvolvimento e Competitividade Económica: o Papel do Poder Local O Papel do Poder Local nas Políticas de Desenvolvimento Económico e Competitividade: Enquadramento no Contexto do Norte 2020 Rui Monteiro

Leia mais

Poder de Compra Concelhio

Poder de Compra Concelhio Poder de Compra Concelhio 2002-2005 Síntese A presente análise baseia-se no índice de poder de compra per capita retirado das últimas duas versões do Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio (EPCC). A

Leia mais

Director Presidente do Conselho de Administração C. Corrêa Gago

Director Presidente do Conselho de Administração C. Corrêa Gago ENTRE DOURO E MINHO Catalogação recomendada INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA Recenseamento geral da agricultura : 999 : Entre Douro e Minho : principais resultados / Instituto Nacional de Estatística.

Leia mais

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO AGOSTO-2018 URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO 05-09-2018 CONTEÚDO EVOLUÇÃO DAS URGÊNCIAS HOSPITALARES... 3 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR E PERÍODO HOMÓLOGO)... 4 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR

Leia mais

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO FEVEREIRO-2019 URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO 05-03-2019 CONTEÚDO EVOLUÇÃO DAS URGÊNCIAS HOSPITALARES... 3 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR E PERÍODO HOMÓLOGO)... 4 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO

Leia mais

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO JULHO-2018 URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO 05-08-2018 CONTEÚDO EVOLUÇÃO DAS URGÊNCIAS HOSPITALARES... 3 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR E PERÍODO HOMÓLOGO)... 4 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR

Leia mais

SEMINÁRIO MARCAS E CERTIFICAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO DOS PROCESSOS DE CERTIFICAÇÃO RIBEIRA DE PENA 8 DE MAIO 2014

SEMINÁRIO MARCAS E CERTIFICAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO DOS PROCESSOS DE CERTIFICAÇÃO RIBEIRA DE PENA 8 DE MAIO 2014 SEMINÁRIO RIBEIRA DE PENA 8 DE MAIO 2014 MARCAS E CERTIFICAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO DOS PROCESSOS DE CERTIFICAÇÃO Teresa Costa Directora Geral (Responsável pelos processos de certificação) CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS

Leia mais

Plataformas Supraconcelhias Norte Atualizado em:

Plataformas Supraconcelhias Norte Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Plataformas Supraconcelhias Norte Atualizado em: 17-11-2014 Plataformas Supraconcelhias As Plataformas Territoriais, como órgão da Rede Social, foram criadas com o objetivo de reforçar

Leia mais

REN PUBLICADAS (atualizado em Julho de 2015)

REN PUBLICADAS (atualizado em Julho de 2015) REN PUBLICADAS (atualizado em Julho de 2015) Concelho Diploma não em vigor Diploma em vigor Alfândega da Fé RCM n.º 146/96, de 11 de Setembro Portaria n.º 156/2015, de 28 de Maio de 2015 (entrou em vigor

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL RELATÓRIO DE DIAGNÓSTICO 3 DE OUTUBRO DE 2007

PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL RELATÓRIO DE DIAGNÓSTICO 3 DE OUTUBRO DE 2007 JOANA PINHO PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL RELATÓRIO DE DIAGNÓSTICO ESTRUTURA 2.1 Território Concelhio e Actividades 2.2 Principais Fluxos 2.3 Levantamento de Infra-estruturas / Serviços de Transporte

Leia mais

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003)

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) II.2. Caracterização por Concelho II.2.5. Análise por idade das empresas A fi gura 72 mostra a distribuição do número de empresas TIC do Minho por ano de fundação.

Leia mais

Inovatec (Portugal) Lda. Associação Industrial do Minho

Inovatec (Portugal) Lda. Associação Industrial do Minho 5 Um estudo Inovatec (Portugal) Lda para Associação Industrial do Minho TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ATLAS DO MINHO 6 AIMinho - Associação Industrial do Minho Av. Dr. Francisco Pires Gonçalves,

Leia mais

Regiões periféricas, Envelhecimento e Exclusão

Regiões periféricas, Envelhecimento e Exclusão 1.ª Jornada Regiões periféricas, Envelhecimento e Exclusão 29 e 30 de Maio de 2006 Presidência da República Informação diagnóstico Desigualdade social, pobreza e exclusão Portugal, cujo rendimento per

Leia mais

PARTE I CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO

PARTE I CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO PARTE I CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO 1 - Caracterização demográfica do concelho Para efeitos de análises e estudos estatísticos, na Nomenclatura de Unidades Territoriais (NUTs), o concelho de Fafe integra

Leia mais

UMA DINÂMICA COM CONTRASTES

UMA DINÂMICA COM CONTRASTES U M A D I N Â M I C A C O M C O N T R A S T E S Variação da população 1981/91: estagnação resultante de dois movimentos contrários A publicação dos Resultados Pré- Definitivos dos Recenseamentos da População

Leia mais

CENTROS DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO DE COMPETÊNCIA GENÉRICA. Todo o tipo de conflitos de consumo

CENTROS DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO DE COMPETÊNCIA GENÉRICA. Todo o tipo de conflitos de consumo CENTROS DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO DE COMPETÊNCIA GENÉRICA Todo o tipo de conflitos de consumo Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo Atuação em todo o território

Leia mais

Resolução de conflitos no domínio transfronteiriço A experiência adquirida e os novos caminhos

Resolução de conflitos no domínio transfronteiriço A experiência adquirida e os novos caminhos Compras à distância de um clique! Novo enquadramento jurídico para a protecção dos consumidores na União Europeia Resolução de conflitos no domínio transfronteiriço A experiência adquirida e os novos caminhos

Leia mais

NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL E COMPONENTES REGIÃO NORTE

NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL E COMPONENTES REGIÃO NORTE NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL E COMPONENTES REGIÃO NORTE - ABRIL Ficha Técnica Título Natalidade, Mortalidade Infantil e Componentes, - Editor Administração Regional da Saúde do Norte, I.P. Rua Santa

Leia mais

Rede de Referenciação Hospital de Braga

Rede de Referenciação Hospital de Braga Rede de Referenciação Hospital de Braga ÍNDICE: 1. Contrato de Gestão de Parceria Público Privada 2. Enquadramento assistencial 3. Área de influência 4. Área de influência por Áreas Assistenciais 4.1.

Leia mais

Rui Monteiro Diretor de Serviços de Desenvolvimento Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte

Rui Monteiro Diretor de Serviços de Desenvolvimento Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte Desenvolvimento e Competitividade Económica: o Papel do Poder Local O Papel do Poder Local nas Políticas de Desenvolvimento Económico e Competitividade: Enquadramento no Contexto do Norte 2020 Rui Monteiro

Leia mais

Atlas das Cidades Portuguesas

Atlas das Cidades Portuguesas Informação à Comunicação Social 7 de Junho de 2002 Atlas das Cidades Portuguesas Pela primeira vez o INE edita um Atlas das Cidades de Portugal, publicação que reúne um conjunto de indicadores sobre as

Leia mais

Demografia e Estrutura Urbana António Lacerda e Josefina Gomes

Demografia e Estrutura Urbana António Lacerda e Josefina Gomes Demografia e Estrutura Urbana António Lacerda e Josefina Gomes 2 a sessão NORTE & TERRITÓRIO 30 setembro Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro www.ccdr-n.pt/norte-territorio Sumário 1. Breve caracterização

Leia mais

Distrito de Braga. Alguns Indicadores Económicos

Distrito de Braga. Alguns Indicadores Económicos Distrito de Braga Alguns Indicadores Económicos Conhecer o território, como se organiza são questões cruciais para os decisores. Seleccionei os Índices Marktest, para ter uma imagem global das várias actividades

Leia mais

Escolarização na Região do Norte: evolução e desafios José Maria Azevedo, com a colaboração de Josefina Gomes (CCDRN)

Escolarização na Região do Norte: evolução e desafios José Maria Azevedo, com a colaboração de Josefina Gomes (CCDRN) Seminário "Abandono escolar e (in)sucesso educativo: balanço e perspetivas 2014-2020 21 de Abril de 2015 Teatro Diogo Bernardes Escolarização na Região do Norte: evolução e desafios José Maria Azevedo,

Leia mais

DRAP Norte - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte

DRAP Norte - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte DRAP Norte - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte DRAP Norte - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte Produção de Pequenos Frutos na Região Norte Em Portugal, à exceção do morango,

Leia mais

Seminário NORTE 2015 O Desenvolvimento Regional no Novo Horizonte Europeu: O caso do Norte de Portugal 25.Maio.2005 SISTEMAS AMBIENTAIS ARNALDO MACHADO Nota Preliminar Princípios gerais de Política Ambiental

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO TERRITORIAL DE EMPRESAS DE TECNOLO- GIAS DA INFORMAÇÃO E COMU- NICAÇÃO: O CASO DO MINHO E DO NORTE DE PORTUGAL

DISTRIBUIÇÃO TERRITORIAL DE EMPRESAS DE TECNOLO- GIAS DA INFORMAÇÃO E COMU- NICAÇÃO: O CASO DO MINHO E DO NORTE DE PORTUGAL 1. Objectivos e metodologia Em trabalho separado fez-se um inventário das empresas de tecnologias de informação e comunicação (TIC) do Minho e respectiva caracterização, indo até ao nível territorial de

Leia mais

CENTROS DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO DE COMPETÊNCIA GENÉRICA. Todo o tipo de conflitos de consumo

CENTROS DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO DE COMPETÊNCIA GENÉRICA. Todo o tipo de conflitos de consumo CENTROS DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO DE COMPETÊNCIA GENÉRICA Todo o tipo de conflitos de consumo Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo Atuação em todo o território

Leia mais

NÍVEL EDUCACIONAL NA REGIÃO DO NORTE

NÍVEL EDUCACIONAL NA REGIÃO DO NORTE Nível Educacional na Região do Norte NÍVEL EDUCACIONAL NA REGIÃO DO NORTE CARLA MELO* Tendo por referência os resultados Pré-Definitivos do Recenseamento da População de 1991, e comparando-os com os dados

Leia mais

Inovatec (Portugal) Lda. Associação Industrial do Minho

Inovatec (Portugal) Lda. Associação Industrial do Minho 5 Um estudo Inovatec (Portugal) Lda para Associação Industrial do Minho TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ATLAS DO MINHO 6 AIMinho - Associação Industrial do Minho Av. Dr. Francisco Pires Gonçalves,

Leia mais

EXAMES NACIONAIS DE LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA 2010/2011 RESULTADOS GERAIS DO DISTRITO DE BRAGA (INCLUINDO ESCOLA PARTICULARES)

EXAMES NACIONAIS DE LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA 2010/2011 RESULTADOS GERAIS DO DISTRITO DE BRAGA (INCLUINDO ESCOLA PARTICULARES) Aepas 2011/2012 Agrupamento de Escolas Professor Abel Salazar Guimarães (150812) Escola EB 2,3 Abel Salazar Ronfe, Guimarães (343638) EXAMES NACIONAIS DE LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA 2010/2011 RESULTADOS

Leia mais

CURRICULUM VITAE PÓRTICO CONSULTADORIA E PRESTAÇÃO SERVIÇOS -AVALIAÇÃO IMOBILIÁRIA

CURRICULUM VITAE PÓRTICO CONSULTADORIA E PRESTAÇÃO SERVIÇOS -AVALIAÇÃO IMOBILIÁRIA Rodoviária da Beira Interior S.A Avaliação da Sede da RBI de Castelo Branco Castelo Branco 2014 2014 Transdev-Mobilidade S.A Avaliação do Edifício da Renex Porto 2014 2014 Parque Escolar E.P.E Concurso

Leia mais

Dia Escola Agrupamento Distrito Concelho

Dia Escola Agrupamento Distrito Concelho Dia Escola Agrupamento Distrito Concelho Número de reuniões agendadas Número de reuniões não realizadas EBS ESCARIZ AE ESCARIZ AVEIRO ESCARIZ 6 6 EBS FAJOES AE FAJOES AVEIRO OLIVEIRA DE 5 5 EBS LOUREIRO

Leia mais

Produtividade e Rendimento no Minho Lima: uma breve análise

Produtividade e Rendimento no Minho Lima: uma breve análise Viana do Castelo Produtividade e Rendimento no Minho Lima: uma breve análise FICHA TÉCNICA TÍTULO PRODUTIVIDADE E RENDIMENTO NO MINHO LIMA: UMA BREVE ANÁLISE AUTOR HÉLDER PENA NÚCLEO DISTRITAL DE VIANA

Leia mais

REN PUBLICADAS (atualizado em 18 de Janeiro de 2016)

REN PUBLICADAS (atualizado em 18 de Janeiro de 2016) REN PUBLICADAS (atualizado em 18 de Janeiro de 2016) Concelho Diploma não em vigor Diploma em vigor Alfândega da Fé RCM n.º 146/96, de 11 de Setembro Portaria n.º 156/2015, de 28 de Maio de 2015 (entrou

Leia mais

Perfil Regional de Saúde 2017

Perfil Regional de Saúde 2017 O perfil de saúde constitui-se como um instrumento de apoio à tomada de decisão técnica, politico/estratégica e organizacional, sendo uma ferramenta virada para a ação, no sentido da melhoria da saúde

Leia mais

1. Lista de Municípios onde se detetou a existência de Vespa velutina pela primeira vez em 2018

1. Lista de Municípios onde se detetou a existência de Vespa velutina pela primeira vez em 2018 1. Lista de s onde se detetou a existência de Vespa velutina pela primeira vez em 2018 Mirandela Mogadouro Vinhais Vila Flor Oleiros Fundão Covilhã Sertã Miranda do Corvo Trancoso Celorico da Beira Batalha

Leia mais

População. Categoria: Médio Tejo

População. Categoria: Médio Tejo A densidade populacional consiste na relação entre o número de habitantes de uma determinada área territorial e a superfície desse território. Considerando os 247.330 habitantes distribuídos pelos 3.344

Leia mais

Greve às Avaliações - SPN. Escola Agrupamento Distrito Concelho

Greve às Avaliações - SPN. Escola Agrupamento Distrito Concelho Escola Agrupamento Distrito Concelho Número de reuniões agendadas Número de reuniões não realizadas AE COUTO MINEIRO DO PEJÃO AE COUTO MINEIRO DO PEJÃO AVEIRO CASTELO DE 4 4 PAIVA AE ESMORIZ OVAR NORTE

Leia mais

Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Fafe

Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Fafe Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Fafe CAPITULO III CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO Com o objectivo de caracterizar a evolução demográfica das freguesias do concelho de Fafe, utilizou-se

Leia mais

Caraterização da População da Região de Leiria. Ana Sofia Lopes

Caraterização da População da Região de Leiria. Ana Sofia Lopes Caraterização da População da Região de Leiria Ana Sofia Lopes Conteúdo Índice de Gráficos... 1 1. Introdução... 2 2. População total... 2 3. Densidade populacional... 3 4. Estrutura Etária... 5 5. Natalidade...

Leia mais

Portugal. O caso da Águas do Ave e Águas do Minho e Lima. Organizações. EXPONOR Feira Internacional do Porto Matosinhos, 5 de Junho de 2009

Portugal. O caso da Águas do Ave e Águas do Minho e Lima. Organizações. EXPONOR Feira Internacional do Porto Matosinhos, 5 de Junho de 2009 A implementação da SA 8000 no Grupo Águas de Portugal O caso da Águas do Ave e Águas do Minho e Lima Seminário - A Sustentabilidade e as Cidades: O Papel das Organizações EXPONOR Feira Internacional do

Leia mais

CONTRIBUTO PARA A DEFINIÇÃO DE UMA TIPOLOGIA SOCIOECONÓMICA DOS CONCELHOS DA REGIÃO DO NORTE PAULO GOMES / SÉRGIO BACELAR / EMILIA SALEIRO*

CONTRIBUTO PARA A DEFINIÇÃO DE UMA TIPOLOGIA SOCIOECONÓMICA DOS CONCELHOS DA REGIÃO DO NORTE PAULO GOMES / SÉRGIO BACELAR / EMILIA SALEIRO* Contributo para a Definição de uma Tipologia Socioeconómica dos Concelhos da Região do Norte CONTRIBUTO PARA A DEFINIÇÃO DE UMA TIPOLOGIA SOCIOECONÓMICA DOS CONCELHOS DA REGIÃO DO NORTE PAULO GOMES / SÉRGIO

Leia mais

PROPOSTA DA DIRECÇÃO DO SPN

PROPOSTA DA DIRECÇÃO DO SPN PROPOSTA DA DIRECÇÃO DO SPN ESTATUTOS DO SINDICATO DOS PROFESSORES DO NORTE PROPOSTA DE ALTERAÇÃO TEXTO ACTUAL TEXTO DA PROPOSTA Capítulo I - DA CONSTITUIÇÃO, DENOMINAÇÃO, ÂMBITO E SEDE Artigo 1.º - (Âmbito

Leia mais

Situação da Flavescência Dourada e do Scaphoideus titanus na Região Norte de Portugal

Situação da Flavescência Dourada e do Scaphoideus titanus na Região Norte de Portugal Workshop Plataforma de conhecimento Winetwork Situação da Flavescência Dourada e do Scaphoideus titanus na Região Norte de Portugal 23 de Outubro de 2017 Vila Real Maria Manuel Mesquita Direção de Serviços

Leia mais

a eficiência do ramo da educação pré-escolar no norte de portugal uma análise da última década 1

a eficiência do ramo da educação pré-escolar no norte de portugal uma análise da última década 1 a eficiência do ramo da educação pré-escolar no norte de portugal uma análise da última década 1 Paulo Reis Mourão Daniela Gaspar Resumo: Palavras-chave Portugal Códigos JEL Abstract: Keywords JEL Codes

Leia mais

HOW TO IMPROVE PRE-HOSPITAL TRANSPORTATION JORGE MARQUES

HOW TO IMPROVE PRE-HOSPITAL TRANSPORTATION JORGE MARQUES HOW TO IMPROVE PRE-HOSPITAL TRANSPORTATION JORGE MARQUES NATIONAL HEALTH PLAN 2004-10 CHD Standardized mortality rate reduction under 65 years from 16,1 (2001) to 11,0( 2010); CHD in-hospital death rate

Leia mais

Definir uma estratégia de valorização do potencial industrial e das principais especializações inteligentes do Alto Minho

Definir uma estratégia de valorização do potencial industrial e das principais especializações inteligentes do Alto Minho Definir uma estratégia de valorização do potencial industrial e das principais especializações inteligentes do Alto Minho Estruturação de uma estratégia de valorização competitiva das principais especializações

Leia mais

AMADORA XXI POPULAÇÃO 2001

AMADORA XXI POPULAÇÃO 2001 AMADOR RA XXI POPULAÇÃO 2001 Nota Introdutória Amadora XXII disponibilizará informação de natureza muito diversa, baseada na recolha e estruturação de dados censitários, equipamentos, funções urbanas e

Leia mais

Braga. Conferência Distrital. Caracterização socioeconómica da população idosa do distrito de Braga

Braga. Conferência Distrital. Caracterização socioeconómica da população idosa do distrito de Braga Braga Conferência Distrital Caracterização socioeconómica da população idosa do distrito de Braga Auditório da Junta de Freguesia da Sé - Braga 13 de Dezembro de 2013 Caracterização socioeconómica da população

Leia mais

REN PUBLICADAS (atualizado em 17 de Março de 2016)

REN PUBLICADAS (atualizado em 17 de Março de 2016) REN PUBLICADAS (atualizado em 17 de Março de 2016) Concelho Diploma não em vigor Diploma em vigor Alfândega da Fé RCM n.º 146/96, de 11 de Setembro Portaria n.º 156/2015, de 28 de Maio de 2015 (entrou

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS Delegação de Barcelos Delegação de Esposende

ORDEM DOS ADVOGADOS Delegação de Barcelos Delegação de Esposende Exma. Senhora Bastonária da Ordem dos Advogados ASSUNTO: Novo Mapa Judiciário Tendo chegado ao conhecimento das Delegações de Barcelos e Esposende da Ordem dos Advogados, o diploma sobre o mapa judiciário,

Leia mais

6. PERFIS E TENDÊNCIAS DEMOGRÁFICAS DO CONCELHO

6. PERFIS E TENDÊNCIAS DEMOGRÁFICAS DO CONCELHO Diagnóstico Social do Concelho de Arcos de Valdevez 6. PERFIS E TENDÊNCIAS DEMOGRÁFICAS DO CONCELHO Fotografia 6.1. Peneda Diagnóstico Social do Concelho de Arcos de Valdevez 97 A população do concelho

Leia mais

Voz, Internet e TV. O que precisa de saber sobre. Suspensão de serviços

Voz, Internet e TV. O que precisa de saber sobre. Suspensão de serviços Voz, Internet e TV O que precisa de saber sobre Suspensão de serviços A ANACOM A ANACOM é uma autoridade independente a quem cabe, no quadro das suas competências, definir regras, fiscalizar o cumprimento

Leia mais

MERCADO DE TRABALHO. GRÁFICO - Taxa de actividade segundo os Censos (%) nos Municípios - Ranking. Fontes/Entidades: INE, PORDATA

MERCADO DE TRABALHO. GRÁFICO - Taxa de actividade segundo os Censos (%) nos Municípios - Ranking. Fontes/Entidades: INE, PORDATA MERCADO DE TRABALHO O quadro sociodemográfico apresentado tem consequências directas no mercado de trabalho. Segundo os últimos Censos, os concelhos de Penamacor, Idanha-a-Nova e Vila Velha de Ródão surgiam

Leia mais

Inquérito à Mobilidade da População Residente 2000 Maio de 2000

Inquérito à Mobilidade da População Residente 2000 Maio de 2000 Informação à Comunicação Social 18 de Abril de 2001 Inquérito à Mobilidade da População Residente 2000 Maio de 2000 Na sequência do protocolo estabelecido entre a Direcção Geral de Transportes Terrestres

Leia mais

WORKSHOP A IMPORTÂNCIA DA SILVICULTURA NA SANIDADE DOS POVOAMENTOS DE EUCALIPTO

WORKSHOP A IMPORTÂNCIA DA SILVICULTURA NA SANIDADE DOS POVOAMENTOS DE EUCALIPTO INFORMAÇÃO OUTUBRO 2016 WORKSHOP A IMPORTÂNCIA DA SILVICULTURA NA SANIDADE DOS POVOAMENTOS DE EUCALIPTO Auditório da Confederação dos Agricultores de Portugal, 15 de Novembro, 14h 30m A Confederação dos

Leia mais

AS CIDADES EM NÚMEROS

AS CIDADES EM NÚMEROS CD-ROM As Cidades em Números 2000-2002 17 de Junho de 2004 AS CIDADES EM NÚMEROS Caracterizar e quantificar o conhecimento sobre as actuais 141 cidades portuguesas, espaços que, cada vez mais, concentram

Leia mais

MUNICÍPIOS PORTUGUESES

MUNICÍPIOS PORTUGUESES ANUÁRIO FINANCEIRO DOS MUNICÍPIOS PORTUGUESES 2016 ANÁLISE AOS MUNICÍPIOS DE VIANA DO CASTELO JOÃO CARVALHO MARIA JOSÉ FERNANDES PEDRO CAMÕES Apoios: SUSANA JORGE ÍNDICE 1. ANÁLISE ORÇAMENTAL - Estrutura

Leia mais

Top 10 Necessárias 930 novas igrejas:

Top 10 Necessárias 930 novas igrejas: Blocos prioritários por distrito MG 2015 Top 10 Necessárias 930 novas igrejas: 1. BRAGA: São necessárias 186 novas igrejas, sendo 35 destas nos blocos prioritários a seguir: Briteiros (1248 hab.), Caldas

Leia mais

ARQUIDIOCESE DE BRAGA

ARQUIDIOCESE DE BRAGA PROJECTO DE IDENTIDADE ARQUIDIOCESE DE BRAGA OUTUBRO 2012 Este projecto não pode ser copiado, reproduzido ou cedido a terceiros sem prévia autorização da Paleta de Ideias. 1 O DESAFIO Este projecto não

Leia mais

Aulas Práticas Tema 4

Aulas Práticas Tema 4 DIVERSIDADE E DINÂMICAS SOCIO-ECONÓMICAS DO ESPAÇO RURAL Aulas Práticas Tema 4 Adaptado de: Baptista, Fernando Oliveira (2006), Esquema da apresentação feita no seminário final do Projecto Agro 62 (As

Leia mais

Perfil Regional de Saúde

Perfil Regional de Saúde ENTRAR Perfil Regional de Saúde O perfil de saúde constitui-se como um instrumento de apoio à tomada de decisão técnica, politico/estratégica e organizacional, sendo uma ferramenta virada para a ação,

Leia mais

FÓRUM RECRUTAMENTO E EMPREGABILIDADE ESTÁGIOS: A 1ª OPORTUNIDADE

FÓRUM RECRUTAMENTO E EMPREGABILIDADE ESTÁGIOS: A 1ª OPORTUNIDADE FÓRUM RECRUTAMENTO E EMPREGABILIDADE ESTÁGIOS: A 1ª OPORTUNIDADE V.N.Famalicão, Universidade Lusíada 14-12-2006 CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO ACTIVA E TECIDO EMPRESARIAL O estudo feito para a elaboração

Leia mais

Língua Portuguesa. N.º Escola Localidade Tipo Provas Média

Língua Portuguesa. N.º Escola Localidade Tipo Provas Média Aepas 2012/2013 Agrupamento de Escolas Professor Abel Salazar Guimarães (150812) Escola EB 2,3 Abel Salazar Ronfe, Guimarães (343638) 6.º ANO DE ESCOLARIDADE PROVAS FINAIS DE CICLO - LÍNGUA PORTUGUESA

Leia mais

INCENTIVOS AO INVESTIMENTO COMÉRCIO TRADICIONAL. 17 de Abril de 2018

INCENTIVOS AO INVESTIMENTO COMÉRCIO TRADICIONAL. 17 de Abril de 2018 INCENTIVOS AO INVESTIMENTO COMÉRCIO TRADICIONAL 17 de Abril de 2018 Vale Comércio Parte I 17/04/2018 2 Vale Comércio CRESCIMENTO DA ECONOMIA Restauração Promoção da inovação Renovação do modelo de negócio

Leia mais

TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS PARA OS MUNICIPIOS DA REGIÃO DO NORTE

TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS PARA OS MUNICIPIOS DA REGIÃO DO NORTE TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS PARA OS MUNICIPIOS DA REGIÃO DO NORTE Portugal Ministério do Planeamento Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte FICHA TÉCNICA Coordenação M. Natália Gravato

Leia mais

Dia Escola Agrupamento Distrito Concelho

Dia Escola Agrupamento Distrito Concelho Dia Escola Agrupamento Distrito Concelho Número de reuniões agendadas Número de reuniões não realizadas EBS AROUCA AE AROUCA AVEIRO AROUCA EBS ESCARIZ AE ESCARIZ AVEIRO ESCARIZ 6 6 EBS FAJOES AE FAJOES

Leia mais

CENSOS 2011 DADOS DEFINITIVOS

CENSOS 2011 DADOS DEFINITIVOS Município de CENSOS 2011 DADOS DEFINITIVOS (Concelho de ) Índice População Residente.. 3 Densidade Populacionais. 4 Variação da População..5 Jovens e Idosos...6 Índice de Envelhecimento...7 Desemprego..8

Leia mais

A desaceleração no ritmo de crescimento da população residente na Região Norte,

A desaceleração no ritmo de crescimento da população residente na Região Norte, Alteração das Acessibilidades e Dinâmicas Territoriais na Região Norte: expectativas, intervenções e resultantes 4.1 POPULAÇÃO E QUALIDADE DE VIDA 4.1.1 Estabilização e envelhecimento (196 a 1997) A desaceleração

Leia mais

Competição Europeia da Estatística Fase Nacional

Competição Europeia da Estatística Fase Nacional Competição Europeia da Estatística Fase Nacional Nome da equipa: SétimoTOP Escola: Externato Santa Joana Região: Norte Categoria: B Objetivos da exploração/análise Este trabalho pretende caracterizar o

Leia mais

I.1 POPULAÇÃO RESIDENTE EVOLUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO

I.1 POPULAÇÃO RESIDENTE EVOLUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO I I.1 POPULAÇÃO RESIDENTE EVOLUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO Segundo resultados do último Recenseamento Geral da População, em 21, residiam na Beira Interior Sul, 78 123 indivíduos, representando cerca de 3% da população

Leia mais

ENQUADRAMENTO TERRITORIAL

ENQUADRAMENTO TERRITORIAL ENQUADRAMENTO TERRITORIAL NUT II: North NUT III/CIM: Cávado Distrito: Distrito de Braga Município: Área Territorial: 81,95 Km2 População: 18.147 Habitantes Densidade Populacional: 221,00 Hab./Km2 Número

Leia mais

9.º ANO DE ESCOLARIDADE PROVAS FINAIS DE CICLO - LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA /2012

9.º ANO DE ESCOLARIDADE PROVAS FINAIS DE CICLO - LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA /2012 Aepas 2012/2013 Agrupamento de Escolas Professor Abel Salazar Guimarães (150812) Escola EB 2,3 Abel Salazar Ronfe, Guimarães (343638) 9.º ANO DE ESCOLARIDADE PROVAS FINAIS DE CICLO - LÍNGUA PORTUGUESA

Leia mais

Lista das Entidades de Resolução Alternativa de Litígios de Consumo

Lista das Entidades de Resolução Alternativa de Litígios de Consumo Lista das Entidades de Resolução Alternativa de Litígios de Consumo (ao abrigo da Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro) - CENTROS DE ARBITRAGEM DE COMPETÊNCIA GENÉRICA Centro Nacional de Informação e Arbitragem

Leia mais

ENQUADRAMENTO TERRITORIAL

ENQUADRAMENTO TERRITORIAL ENQUADRAMENTO TERRITORIAL NUT II: North NUT III/CIM: Alto Minho Distrito: Distrito de Viana do Castelo Município: Área Territorial: 138,19 Km2 População: 8.617 Habitantes Densidade Populacional: 63,00

Leia mais