ESTUDO SOBRE O PODER DE COMPRA CONCELHIO Análise Sumária dos Resultados para a Região Norte

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTUDO SOBRE O PODER DE COMPRA CONCELHIO Análise Sumária dos Resultados para a Região Norte"

Transcrição

1 ESTUDO SOBRE O PODER DE COMPRA CONCELHIO Análise Sumária dos Resultados para a Região Norte ANTÓNIO EDUARDO PEREIRA* Sendo a terceira região do país com maior nível de poder de compra per capita, o Norte será, no entanto, aquela que internamente porventura regista maior heterogeneidade a este respeito. Na verdade, o Norte integra simultaneamente alguns dos concelhos com maiores e menores capitações do poder de compra de todo o país. A situação privilegiada dos centros urbanos (inclusive daqueles situados no interior da região) torna-se evidente à luz deste indicador. O estudo sobre o poder de compra concelhio 1 procura compensar a lacuna resultante da inexistência de informação estatística sobre variáveis como consumo ou rendimento à escala concelhia. No entanto, os indicadores propostos naquele estudo não se confundem com estas variáveis, antes se limitando a comparar o poder de compra per capita nos vários concelhos do país e a retratar a distribuição espacial do poder de compra. A maior parte da informação de base tratada neste estudo diz respeito ao ano de PODER DE COMPRA PER CAPITA A Região Norte, considerada globalmente, apresenta um nível de poder de compra per capita 2 inferior ao registado para o país. De facto, o poder de compra per capita, na Região Norte, é apenas cerca de quatro quintos do poder de compra per capita nacional. Ainda assim, apenas duas outras regiões apresentam valores superiores ao do Norte para o poder de compra per capita: o * INE - Direcção Regional do Norte 1 vide Estudo sobre o poder de compra concelhio, Instituto Nacional de Estatística, Direcção Regional do Centro, nºii, Coimbra, O indicador per capita do poder de compra exprime o valor de cada concelho/região em termos comparativos com o poder de compra per capita médio do país, ao qual é atribuído o valor 100.

2 Algarve (com um nível de poder de compra per capita coincidente com a média nacional) e a região de Lisboa e Vale do Tejo (onde a capitação do poder de compra excede em cerca de 44 % a média nacional). Indicador per capita do poder de compra Portugal 100,00 Continente 102,00 Norte 81,87 Centro 71,63 Lisboa e Vale do Tejo 144,60 Alentejo 69,62 Algarve 100,43 Açores 64,47 Madeira 59,74 Numa análise por sub-regiões (NUTS III) o Norte apresenta-se com fortes contrastes. Assim, o Grande Porto beneficia de um poder de compra per capita que ultrapassa em um pouco mais de um terço o valor médio nacional. Em todo o país, apenas a sub-região da Grande Lisboa supera esta performance, com uma capitação do poder de compra que excede em cerca de 88 % a média nacional. Por outro lado, quatro das seis subregiões nacionais que registam menores níveis de poder de compra per capita localizam-se no Norte, destacando-se em particular o Tâmega, com um indicador per capita equivalente a pouco mais de dois quintos da média nacional. Seguem-se-lhe o Douro, Alto Trás-os-Montes e o Minho-Lima, todos com valores per capita próximos de metade da média nacional. As restantes três sub-regiões do Norte (Cávado, Ave e Entre Douro-e-Vouga), registam capitações do poder de compra entre 61 e 68 % da média nacional. Indicador per capita do poder de compra - sub-regiões do Norte (NUTS III) A divisão do território segundo a NUTS nem sempre será a mais adequada para evidenciar a homogeneidade de determinadas zonas da Região Norte. O cartograma abaixo apresenta, a título exemplificativo, três zonas com valores per capita do indicador de poder de compra particularmente baixos e outras tantas com valores significativamente elevados, pelo menos face ao panorama global da região. Nenhuma das seis zonas apresentadas tem correspondência exacta com as sub-regiões definidas pelo nível III da NUTS.

3 Zonas de relativa homogeneidade do indicador per capita de poder de compra Indicador per capita de poder de compra zona 1: 158,77 zona 2: 74,64 zona 3: 73,31 zona 4: 30,63 zona 5: 29,28 zona 6: 28,87 A zona 1 é composta pelos cinco concelhos do Grande Porto que apresentam maiores capitações do indicador de poder de compra: Porto, Matosinhos, Espinho, Maia e Vila Nova de Gaia. Esta zona apresenta um valor per capita do indicador de poder de compra igual a 158,77. Foram identificadas duas outras zonas cujo indicador per capita de poder de compra, sendo embora relativamente modesto (tendo em conta que o valor 100 representa o valor médio nacional), supera o registado por qualquer sub-região NUTS III do Norte, à excepção do Grande Porto. Assim, a zona 2 apresenta uma capitação do poder de compra próxima dos três quartos da média nacional (74,64). Esta zona tem como pólo mais dinâmico o concelho de Braga (pertencente à sub-região NUTS III do Cávado), abrangendo ainda os concelhos de Guimarães, Vila Nova de Famalicão e Santo Tirso (todos pertencentes à sub-região do Ave) e os concelhos de Vila do Conde e Póvoa de Varzim (ambos pertencentes ao Grande Porto). Por seu turno, a zona 3, composta pelos concelhos de Vila Real (pólo mais dinâmico), Peso da Régua e Lamego (todos pertencentes à sub-região NUTS III do Douro) regista o valor de 73,31 para o indicador per capita de poder de compra, o qual supera largamente o valor apurado para a sub-região Douro tomada globalmente. Note-se o facto curioso de este eixo Vila Real/Lamego se encontrar rodeado por zonas onde se registam a maior parte dos valores mais baixos do indicador per capita de poder de compra. Assim, nas zonas 4, 5 e 6 o indicador per capita de poder de compra situa-se aquém de um terço da média nacional. A zona 4, com uma capitação do indicador de poder de compra da ordem de 30,63, é constituída pelos seguintes 10 concelhos, todos da sub-região Douro: Alijó, Armamar, Carrazeda de Ansiães, Moimenta da Beira, São João da Pesqueira, Sabrosa, Sernancelhe, Tabuaço, Tarouca e Vila Flor. A zona 5 integra três concelhos da sub-região Tâmega (Baião, Cinfães e Resende) e ainda dois da sub-região Douro (Mesão Frio e Santa Marta de Penaguião). Globalmente, para estes quatro concelhos o indicador per capita de poder de compra regista o valor 29,28. Finalmente, a zona 6 abrange quatro concelhos da sub-região Tâmega (Ribeira de Pena, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto e Mondim de Basto), três da sub-região de Alto Trás-os-Montes (Montalegre, Boticas e Vila Pouca de Aguiar), um do Cávado (Terras de Bouro) e ainda um do Ave (Vieira do Minho). Para este conjunto de concelhos, globalmente considerados, o indicador per capita de poder de compra assume o valor 28,87.

4 O cartograma seguinte apresenta a totalidade dos concelhos da Região Norte, segundo o respectivo valor per capita do indicador de poder de compra. Naturalmente, uma grande parte dos maiores e dos menores valores concelhios deste indicador ocorrem no âmbito das zonas atrás identificadas. As fortes assimetrias intra-regionais ficam bem patentes ao notar-se que, num total de 84 concelhos que compõem a Região Norte, existem 56 onde o poder de compra per capita é inferior a metade da capitação nacional; ao mesmo tempo, apenas 5 concelhos do Norte registam uma capitação do poder de compra superior à nacional, existindo apenas mais 6 onde aquela capitação excede três quartos do valor nacional. Indicador per capita de poder de compra, por concelhos Indicador per capita de poder de compra a a a a a Globalmente, constata-se ainda que a maior parte das capitações mais favoráveis do poder de compra se concentram na área do Grande Porto ou nos concelhos onde se situam os restantes principais centros urbanos da região (como Braga, Vila Real, Bragança ou, a um nível mais modesto, Viana do Castelo, Guimarães ou Chaves). Para além destes, são de referir ainda os concelhos de São João da Madeira, Valença e Oliveira de Azeméis, todos com capitações do poder de compra acima de 65 % do valor nacional. Valerá também a pena notar que os concelhos do Porto e de São João da Madeira registam o segundo e o terceiro valores mais favoráveis de todo o país para o indicador per capita de poder de compra (respectivamente, 257,00 e 178,45), sendo apenas superados pelo concelho de Lisboa. No extremo oposto, destacam-se os concelhos de Sabrosa, Celorico de Basto e Terras de Bouro, todos com valores per capita do indicador de poder de compra entre um quinto e um quarto do valor nacional. Em todo o país, apenas um concelho (Calheta, na Madeira) regista um valor per capita mais desfavorável do que aqueles três. PERCENTAGEM DE PODER DE COMPRA Enquanto o indicador per capita de poder de compra compara o nível médio de poder de compra de cada concelho/região com o nível médio de poder de compra do país (ao qual, como já dissemos, é atribuído o valor 100), a percentagem de poder de compra exprime o peso de cada concelho/ região no poder de compra total do país (que igualmente toma o valor 100). Assim, a percentagem de poder de compra de cada concelho/região é determinada conjuntamente pelo nível per capita de poder de compra e pela população residente.

5 Quase metade do poder de compra nacional situa-se na região de Lisboa e Vale do Tejo. À Região Norte cabem perto de três décimos do poder de compra total, enquanto o Centro detém cerca de um oitavo do poder de compra nacional. As sub-regiões (NUTS III) da Grande Lisboa e do Grande Porto, consideradas conjuntamente, detém cerca de metade de todo o poder de compra nacional. Percentagem de poder de compra, por regiões (NUTS II) Lisboa e Vale do Tejo 48,25% Grande Lisboa 34,88% Madeira 1,54% Açores 1,56% Algarve 3,49% Grande Porto 16,04% Alentejo 3,73% Centro 12,42% Norte 29,01% Mais de metade do poder de compra radicado na Região Norte diz respeito à subregião (NUTS III) do Grande Porto, conforme se pode constatar no cartograma abaixo (onde o valor 100 representa agora o total de poder de compra do Norte). Percentagem de poder de compra, por sub-regiões (NUTS III) (Norte = 100)

6 Destaca-se sobretudo o concelho do Porto, onde se concentra mais de um quarto (26,36 %) do poder de compra radicado no Norte (ou, de forma equivalente, 7,65 % do poder de compra de todo o país). Apenas três outros concelhos do Norte concentram em si mais de 4 % do poder de compra total da região; é o que sucede com Vila Nova de Gaia (8,28 %), Matosinhos (6,95 %) e Braga (5,14 %). A maior parte dos concelhos da região, porém, não detém sequer 1 % do poder de compra total do Norte (sequer 0,3 % do poder de compra total nacional). O único concelho do interior que detém uma percentagem de poder de compra assinalável (embora modesta), é Vila Real (1,46 % do poder de compra do Norte, ou 0,42 % do poder de compra nacional). Percentagem de poder de compra por concelhos (Norte = 100) % de poder de compra (Norte = 100) 0.05 a a a a a 26.37

EXECUÇÃO do PRODER. Jovens Agricultores (Ação 1.1.3) , , , ,69

EXECUÇÃO do PRODER. Jovens Agricultores (Ação 1.1.3) , , , ,69 EXECUÇÃO do PRODER AÇÃO Nº (só Prémio) JOVENS AGRICULTORES Nº (com Investimento) Nº BENEFICIÁRIOS PRÉMIO APROVADO INVESTIMENTO MONTANTES APROVADOS SUBSÍDIO DESPESA PÚBLICA REALIZADA (PRÉMIO + SUBSÍDIO)

Leia mais

Plataformas Supraconcelhias Norte Atualizado em:

Plataformas Supraconcelhias Norte Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Plataformas Supraconcelhias Norte Atualizado em: 17-11-2014 Plataformas Supraconcelhias As Plataformas Territoriais, como órgão da Rede Social, foram criadas com o objetivo de reforçar

Leia mais

Promoção da Mobilidade, Transportes e Logística na Região do Norte CONCRETA REABILITAR/ HABITAR EXPONOR 21 OUT 2009 ANTÓNIO PÉREZ BABO

Promoção da Mobilidade, Transportes e Logística na Região do Norte CONCRETA REABILITAR/ HABITAR EXPONOR 21 OUT 2009 ANTÓNIO PÉREZ BABO Promoção da Mobilidade, Transportes e Logística na Região do Norte Nº Viagens / pessoa. dia INDICADORES 1 padrão de mobilidade RN antes do metro na AMP Repartição das Viagens Diárias por Modo de Transporte

Leia mais

Municípios da Região do Norte Fundos municipais em 2019

Municípios da Região do Norte Fundos municipais em 2019 Municípios da Região do Norte Fundos municipais em 2019 A participação dos municípios nos impostos do Estado encontra-se definida no regime financeiro das autarquias locais e das entidades intermunicipais,

Leia mais

CENSOS 2001 Resultados Preliminares para a Região do Norte

CENSOS 2001 Resultados Preliminares para a Região do Norte Informação à Comunicação Social 26 de Junho de 2001 CENSOS 2001 Resultados Preliminares para a Região do Norte De acordo com resultados preliminares dos Censos 2001, a população residente na Região Norte

Leia mais

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO FEVEREIRO-2019 URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO 05-03-2019 CONTEÚDO EVOLUÇÃO DAS URGÊNCIAS HOSPITALARES... 3 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR E PERÍODO HOMÓLOGO)... 4 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO

Leia mais

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO JULHO-2018 URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO 05-08-2018 CONTEÚDO EVOLUÇÃO DAS URGÊNCIAS HOSPITALARES... 3 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR E PERÍODO HOMÓLOGO)... 4 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR

Leia mais

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO MARÇO-2018 URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO 05-04-2018 CONTEÚDO EVOLUÇÃO DAS URGÊNCIAS HOSPITALARES... 3 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR E PERÍODO HOMÓLOGO)... 4 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR

Leia mais

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO

URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO DEZEMBRO-2017 URGÊNCIA HOSPITALAR - SONHO 05-01-2018 CONTEÚDO EVOLUÇÃO DAS URGÊNCIAS HOSPITALARES... 3 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO ANTERIOR E PERÍODO HOMÓLOGO)... 4 URGÊNCIAS HOSPITALARES (PERÍODO

Leia mais

ESTIMATIVA DO PARQUE HABITACIONAL

ESTIMATIVA DO PARQUE HABITACIONAL Informação à Comunicação Social 7 de Agosto de 2000 ESTIMATIVA DO PARQUE HABITACIONAL 1991-1999 O INE apresenta os principais resultados da Estimativa do Parque Habitacional, para o período 1991-1999,

Leia mais

Poder de Compra Concelhio

Poder de Compra Concelhio Poder de Compra Concelhio 2002-2005 Síntese A presente análise baseia-se no índice de poder de compra per capita retirado das últimas duas versões do Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio (EPCC). A

Leia mais

Rui Monteiro Diretor de Serviços de Desenvolvimento Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte

Rui Monteiro Diretor de Serviços de Desenvolvimento Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte Desenvolvimento e Competitividade Económica: o Papel do Poder Local O Papel do Poder Local nas Políticas de Desenvolvimento Económico e Competitividade: Enquadramento no Contexto do Norte 2020 Rui Monteiro

Leia mais

UMA DINÂMICA COM CONTRASTES

UMA DINÂMICA COM CONTRASTES U M A D I N Â M I C A C O M C O N T R A S T E S Variação da população 1981/91: estagnação resultante de dois movimentos contrários A publicação dos Resultados Pré- Definitivos dos Recenseamentos da População

Leia mais

Poder de compra mais elevado associado aos territórios urbanos, destacando-se a Grande Área Metropolitana de Lisboa, o Algarve e o Grande Porto

Poder de compra mais elevado associado aos territórios urbanos, destacando-se a Grande Área Metropolitana de Lisboa, o Algarve e o Grande Porto Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio 2005 Número VII Edição de 2007 14 de Setembro de 2007 Poder de compra mais elevado associado aos territórios urbanos, destacando-se a Grande Área Metropolitana

Leia mais

Seminário NORTE 2015 O Desenvolvimento Regional no Novo Horizonte Europeu: O caso do Norte de Portugal 25.Maio.2005 SISTEMAS AMBIENTAIS ARNALDO MACHADO Nota Preliminar Princípios gerais de Política Ambiental

Leia mais

AS INTERVENÇÕES PARA FECHO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO. 8 de maio Convento de S. Francisco, Coimbra

AS INTERVENÇÕES PARA FECHO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO. 8 de maio Convento de S. Francisco, Coimbra AS INTERVENÇÕES PARA FECHO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO 8 de maio Convento de S. Francisco, Coimbra Águas do Norte, SA Sistema Multimunicipal A Águas do Norte, S.A. foi constituída pelo Decreto-Lei n.º 93/2015,

Leia mais

AS INTERVENÇÕES PARA FECHO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO. 8 de maio Convento de S. Francisco, Coimbra

AS INTERVENÇÕES PARA FECHO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO. 8 de maio Convento de S. Francisco, Coimbra AS INTERVENÇÕES PARA FECHO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO 8 de maio Convento de S. Francisco, Coimbra Águas do Norte, SA Sistema Multimunicipal A Águas do Norte, S.A. foi constituída pelo Decreto-Lei n.º 93/2015,

Leia mais

NÍVEL EDUCACIONAL NA REGIÃO DO NORTE

NÍVEL EDUCACIONAL NA REGIÃO DO NORTE Nível Educacional na Região do Norte NÍVEL EDUCACIONAL NA REGIÃO DO NORTE CARLA MELO* Tendo por referência os resultados Pré-Definitivos do Recenseamento da População de 1991, e comparando-os com os dados

Leia mais

1. Lista de Municípios onde se detetou a existência de Vespa velutina pela primeira vez em 2018

1. Lista de Municípios onde se detetou a existência de Vespa velutina pela primeira vez em 2018 1. Lista de s onde se detetou a existência de Vespa velutina pela primeira vez em 2018 Mirandela Mogadouro Vinhais Vila Flor Oleiros Fundão Covilhã Sertã Miranda do Corvo Trancoso Celorico da Beira Batalha

Leia mais

Rui Monteiro Diretor de Serviços de Desenvolvimento Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte

Rui Monteiro Diretor de Serviços de Desenvolvimento Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte Desenvolvimento e Competitividade Económica: o Papel do Poder Local O Papel do Poder Local nas Políticas de Desenvolvimento Económico e Competitividade: Enquadramento no Contexto do Norte 2020 Rui Monteiro

Leia mais

Ficha de Inscrição Imagem da RESINORTE

Ficha de Inscrição Imagem da RESINORTE Ficha de Inscrição Imagem da RESINORTE Nome: Naturalidade: Endereço: Actividade Profissional: Data de Nascimento: Contacto Telefónico: Email: Data: Assinatura: Página 5 REGULAMENTO DO CONCURSO IMAGEM DA

Leia mais

Ponto de situação na Região Norte. da Flavescência dourada da videira. e do vector Scaphoideus titanus Ball

Ponto de situação na Região Norte. da Flavescência dourada da videira. e do vector Scaphoideus titanus Ball Ponto situação na Região Norte da Flavescência urada da viira e vector Scaphoius titanus Ball Junho 2009 SCAPHOIDEUS TITANUS Originário norte s Estas Unis da América; Na Europa, algumas referências apontam

Leia mais

TIPO MUNICÍPIOS COM SERVIÇOS CRO OBSERVAÇÃO - OUTRAS AUTORIZAÇÕES. ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT CGM in situ

TIPO MUNICÍPIOS COM SERVIÇOS CRO OBSERVAÇÃO - OUTRAS AUTORIZAÇÕES. ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT CGM in situ ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT 05 002 CGM in situ ÁGUEDA C MUNICIPAL PT 03 004 CGM AGUIAR DA BEIRA C INTERMUNICIPAL PT 03 005 CGM SÁTÃO ALCANENA LVT INTERMUNICIPAL PT 05 005 CGM TORRES NOVAS ALCOBAÇA

Leia mais

REN PUBLICADAS (atualizado em 18 de Janeiro de 2016)

REN PUBLICADAS (atualizado em 18 de Janeiro de 2016) REN PUBLICADAS (atualizado em 18 de Janeiro de 2016) Concelho Diploma não em vigor Diploma em vigor Alfândega da Fé RCM n.º 146/96, de 11 de Setembro Portaria n.º 156/2015, de 28 de Maio de 2015 (entrou

Leia mais

NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL E COMPONENTES REGIÃO NORTE

NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL E COMPONENTES REGIÃO NORTE NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL E COMPONENTES REGIÃO NORTE - ABRIL Ficha Técnica Título Natalidade, Mortalidade Infantil e Componentes, - Editor Administração Regional da Saúde do Norte, I.P. Rua Santa

Leia mais

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT 05 002 CGM in situ ÁGUEDA C MUNICIPAL PT 03 004 CGM AGUIAR DA BEIRA C INTERMUNICIPAL PT 03 005 CGM SÁTÃO ALCANENA LVT INTERMUNICIPAL PT 05 005 CGM TORRES NOVAS ALCOBAÇA

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO. Administração Regional de Saúde do Norte, I.P.

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO. Administração Regional de Saúde do Norte, I.P. IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO Administração Regional de Saúde do Norte, I.P. Entre Douro e Vouga II Aveiro Norte Oliveira de Azeméis 4 Porto I St Tirso/ Trofa Trofa 1

Leia mais

REN PUBLICADAS (atualizado em 17 de Março de 2016)

REN PUBLICADAS (atualizado em 17 de Março de 2016) REN PUBLICADAS (atualizado em 17 de Março de 2016) Concelho Diploma não em vigor Diploma em vigor Alfândega da Fé RCM n.º 146/96, de 11 de Setembro Portaria n.º 156/2015, de 28 de Maio de 2015 (entrou

Leia mais

DRAP Norte - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte

DRAP Norte - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte DRAP Norte - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte DRAP Norte - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte Produção de Pequenos Frutos na Região Norte Em Portugal, à exceção do morango,

Leia mais

BREVE PERFIL ECONÓMICO DA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO

BREVE PERFIL ECONÓMICO DA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO BREVE PERFIL ECONÓMICO DA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO Carla Melo/Rui Lima* Responsável por cerca de 16 do nacional do sector secundário, contributo apenas inferior ao da sub-região da Grande Lisboa, a

Leia mais

MEIOS DE TRANSPORTE E DURAÇÕES DOS PERCURSOS CASA-TRABALHO

MEIOS DE TRANSPORTE E DURAÇÕES DOS PERCURSOS CASA-TRABALHO Meios de Transporte e Durações dos Percursos Casa - Trabalho MEIOS DE TRANSPORTE E DURAÇÕES DOS PERCURSOS CASA-TRABALHO Deslocações pendulares de activos empregados residentes na Região Norte EDUARDO PEREIRA

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO,

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO, IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ / CONCELHO, para efeitos de ordenação, por ordem, decrescente das preferências dos candidatos abrangidos pelo Decreto-Lei n.º 29/2001, ou seja, com incapacidade

Leia mais

Campanha Esterilização de Animais Abandonados

Campanha Esterilização de Animais Abandonados Campanha Esterilização de Animais Abandonados Quadro informativo sobre a oferta das Câmaras em matéria de esterilizações de animais domésticos ( Lei 27/2016) em construção Abrantes S Águeda Aguiar Da Beira

Leia mais

CONTRIBUTO PARA A DEFINIÇÃO DE UMA TIPOLOGIA SOCIOECONÓMICA DOS CONCELHOS DA REGIÃO DO NORTE PAULO GOMES / SÉRGIO BACELAR / EMILIA SALEIRO*

CONTRIBUTO PARA A DEFINIÇÃO DE UMA TIPOLOGIA SOCIOECONÓMICA DOS CONCELHOS DA REGIÃO DO NORTE PAULO GOMES / SÉRGIO BACELAR / EMILIA SALEIRO* Contributo para a Definição de uma Tipologia Socioeconómica dos Concelhos da Região do Norte CONTRIBUTO PARA A DEFINIÇÃO DE UMA TIPOLOGIA SOCIOECONÓMICA DOS CONCELHOS DA REGIÃO DO NORTE PAULO GOMES / SÉRGIO

Leia mais

INCENTIVOS AO INVESTIMENTO COMÉRCIO TRADICIONAL. 17 de Abril de 2018

INCENTIVOS AO INVESTIMENTO COMÉRCIO TRADICIONAL. 17 de Abril de 2018 INCENTIVOS AO INVESTIMENTO COMÉRCIO TRADICIONAL 17 de Abril de 2018 Vale Comércio Parte I 17/04/2018 2 Vale Comércio CRESCIMENTO DA ECONOMIA Restauração Promoção da inovação Renovação do modelo de negócio

Leia mais

EM 2009, 39 MUNICÍPIOS APRESENTAVAM UM PODER DE COMPRA PER CAPITA ACIMA DA MÉDIA NACIONAL

EM 2009, 39 MUNICÍPIOS APRESENTAVAM UM PODER DE COMPRA PER CAPITA ACIMA DA MÉDIA NACIONAL EM 2009, 39 MUNICÍPIOS APRESENTAVAM UM PODER DE COMPRA PER CAPITA ACIMA DA MÉDIA NACIONAL Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio 2009 Em 2009, dos 308 municípios portugueses, 39 apresentavam, relativamente

Leia mais

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS 1 ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT 05 002 CGM in situ 2 ÁGUEDA C MUNICIPAL PT 03 004 CGM 3 AGUIAR DA BEIRA C INTERMUNICIPAL PT 03 005 CGM SÁTÃO 4 ALCANENA LVT INTERMUNICIPAL PT 05 005 CGM TORRES NOVAS

Leia mais

PARTE I Geografi a do Minho

PARTE I Geografi a do Minho PARTE I Geografi a do Minho I.2 Dados fundamentais, por concelho I.2.1. População Os indicadores concelhios foram obtidos de dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), incluindo o Census 2001 (www.ine.pt).

Leia mais

a eficiência do ramo da educação pré-escolar no norte de portugal uma análise da última década 1

a eficiência do ramo da educação pré-escolar no norte de portugal uma análise da última década 1 a eficiência do ramo da educação pré-escolar no norte de portugal uma análise da última década 1 Paulo Reis Mourão Daniela Gaspar Resumo: Palavras-chave Portugal Códigos JEL Abstract: Keywords JEL Codes

Leia mais

A MOBILIDADE RESIDENCIAL E A ÁREA METROPOLITANA DO PORTO Pedro Campos* Rui Martins* Maria Manuel Pinho*

A MOBILIDADE RESIDENCIAL E A ÁREA METROPOLITANA DO PORTO Pedro Campos* Rui Martins* Maria Manuel Pinho* A MOBILIDADE RESIDENCIAL E A ÁREA METROPOLITANA DO PORTO Pedro Campos* Rui Martins* Maria Manuel Pinho* Mais de 90% das entradas e saídas devido a alterações de residência, entre 1985 e 1991, nos concelhos

Leia mais

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003)

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) II.2. Caracterização por concelho II.2.1. Análise por dimensão e volume Nesta secção caracteriza-se o conjunto das 613 esas identifi cadas como TIC (ou a partir das

Leia mais

Semana da FORMAÇÃO FINANCEIRA

Semana da FORMAÇÃO FINANCEIRA Semana da FORMAÇÃO FINANCEIRA 29out-2nov2018 www.todoscontam.pt Na Formação Financeira Programa Todos Contam! NA FORMAÇÃO FINANCEIRA TODOS CONTAM Semana da Formação Financeira 2018 O Plano Nacional de

Leia mais

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003)

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) II.2. Caracterização por concelho 2.2.3. Análise por dimensão das empresas As tabelas 23 e 24 mostram a distribuição da dimensão das empresas identifi cadas pelas

Leia mais

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens 1 Abrantes Santarém 2 Águeda Aveiro 3 Albufeira Faro 4 Alcanena Santarém 5 Alcobaça Leiria 6 Alcoutim Faro 7 Alenquer Lisboa 8 Alfândega da Fé Bragança 9 Aljustrel Beja 10 Almada Setúbal 11 Almodôvar Beja

Leia mais

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003)

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) II.2. Caracterização por concelho II.2.2. Análise por sectores de actividade As tabelas 16 e 17 mostram os resultados da análise das 613 empresas TIC do Minho por

Leia mais

1.1 Municípios por NUTS III, distrito/ra e CCR/RA (2001, Municípios por ordenação alfabética)

1.1 Municípios por NUTS III, distrito/ra e CCR/RA (2001, Municípios por ordenação alfabética) 1.1 Municípios por NUTS III, distrito/ra e CCR/RA ABRANTES Médio Tejo Santarém Lisboa e Vale do Tejo Continente ÁGUEDA Baixo Vouga Aveiro Centro Continente AGUIAR DA BEIRA Dão-Lafões Guarda Centro Continente

Leia mais

Rede Oferta de Adultos

Rede Oferta de Adultos Rede Oferta de Adultos 2017-2018 Formação de Português para Falantes de Outras Línguas () _julho 18 DSR CIM / AM NUT III Distrito Concelho Entidade Promotora Alentejo Alentejo Central Alentejo Central

Leia mais

Centro Norte Litoral que (des) continuidades

Centro Norte Litoral que (des) continuidades Centro Norte Litoral. que (des) continuidades no norte centro litoral? 1 Evolução da População Residente 1991 Norte 3472715 3687293 3689713 Norte Litoral 1830979 1981427 1992779 Norte interior 473936 445186

Leia mais

ANEXOS 79. As doenças são referidas e ordenadas pelos respectivos códigos da CID-10.

ANEXOS 79. As doenças são referidas e ordenadas pelos respectivos códigos da CID-10. ANEXOS 79 O Anexo 1 é constituído por quadros que apresentam as taxas de incidência, por 100 000 habitantes, das doenças de declaração obrigatória com casos notificados em 2000, por Regiões de Saúde e

Leia mais

O RATING MUNICIPAL PORTUGUÊS (RMP) 2019

O RATING MUNICIPAL PORTUGUÊS (RMP) 2019 O RATING MUNICIPAL PORTUGUÊS (RMP) 2019 PAULO CALDAS O RATING MUNICIPAL PORTUGUÊS (RMP) 2019 Os Resultados e Implicações Políticas do RMP São apresentados de seguida os resultados obtidos na avaliação

Leia mais

Top 10 Necessárias 930 novas igrejas:

Top 10 Necessárias 930 novas igrejas: Blocos prioritários por distrito MG 2015 Top 10 Necessárias 930 novas igrejas: 1. BRAGA: São necessárias 186 novas igrejas, sendo 35 destas nos blocos prioritários a seguir: Briteiros (1248 hab.), Caldas

Leia mais

A desaceleração no ritmo de crescimento da população residente na Região Norte,

A desaceleração no ritmo de crescimento da população residente na Região Norte, Alteração das Acessibilidades e Dinâmicas Territoriais na Região Norte: expectativas, intervenções e resultantes 4.1 POPULAÇÃO E QUALIDADE DE VIDA 4.1.1 Estabilização e envelhecimento (196 a 1997) A desaceleração

Leia mais

VALOR ECONÓMICO DO SETOR DA RESTAURAÇÃO E BEBIDAS RESTAURANTE DO FUTURO JOSÉ MENDES IDTOUR UNIQUE SOLUTIONS, LDA.

VALOR ECONÓMICO DO SETOR DA RESTAURAÇÃO E BEBIDAS RESTAURANTE DO FUTURO JOSÉ MENDES IDTOUR UNIQUE SOLUTIONS, LDA. VALOR ECONÓMICO DO SETOR DA RESTAURAÇÃO E BEBIDAS RESTAURANTE DO FUTURO JOSÉ MENDES IDTOUR UNIQUE SOLUTIONS, LDA. AVEIRO, UNIVERSIDADE DE AVEIRO, 27.FEVEREIRO.2012 ANÁLISE MACROECONÓMICA CONTA SATÉLITE

Leia mais

PARA OS RESIDENTES DOS CONCELHOS DE. Presidente Dr. João Manuel Barros Figueiredo Cruz.

PARA OS RESIDENTES DOS CONCELHOS DE. Presidente Dr. João Manuel Barros Figueiredo Cruz. Juntas Médicas de Avaliação do Grau de Incapacidade de Deficientes Civis de Braga, Esposende, Barcelos, V. N. de Famalicão, Guimarães, Vizela, Fafe, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Vieira do Minho,

Leia mais

ANEXO 4 - Consultas e Listagens

ANEXO 4 - Consultas e Listagens ANEXO 4 - Consultas e Listagens Neste ANEXO apresentamos o desenho detalhado de cada mapa, indicando para cada um, os parâmetros a introduzir e as condições a verificar para a extracção dos dados. M1 Acções

Leia mais

spn - greve às avaliações 03 de julho

spn - greve às avaliações 03 de julho NÃO % AVEIRO AROUCA AE ESCARIZ EBS ESCARIZ 8 8 100% AVEIRO OLIVEIRA DE AZEMÉIS AE DR. FERREIRA DA SILVA EBS DR. FERREIRA DA SILVA 12 12 100% AVEIRO OLIVEIRA DE AZEMÉIS AE FAJÕES EBS FAJÕES 10 9 90% AVEIRO

Leia mais

Nupcialidade, Divorcialidade e Natalidade na Região do Norte ( )

Nupcialidade, Divorcialidade e Natalidade na Região do Norte ( ) Nupcialidade, Divorcialidade e N atalidade na Região do Norte ( 1991-1992) Nupcialidade, Divorcialidade e Natalidade na Região do Norte (1991-1992) UMA HISTÓRIA COM MORAL António Eduardo Pereira* A instituição

Leia mais

Juízes a considerar Movimento PGD Comarca Município Secções Amares Local 1 DIAP Família e Menores 2 Barcelos

Juízes a considerar Movimento PGD Comarca Município Secções Amares Local 1 DIAP Família e Menores 2 Barcelos PGD Comarca Município Secções Juízes a considerar Movimento 2016-2017 Efetivos Auxiliares Aveiro Águeda / Execução 1 Albergaria a Velha Anadia Local 1 Arouca Local 1 / 1 Central Cível 3 Aveiro Central

Leia mais

OLIVEIRA DE AZEMÉIS EM NÚMEROS

OLIVEIRA DE AZEMÉIS EM NÚMEROS ANÁLISE ESTATISTICA DO CONCELHO DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS INDICADORES SÓCIO-ECONÓMICOS 1º SEMESTRE DE 2011 Mercado de Trabalho QUADRO I - Desemprego Registado por Concelho segundo o Género, o Tempo de Inscrição

Leia mais

ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS E TÉCNICAS DO ESTUDO

ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS E TÉCNICAS DO ESTUDO ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS E TÉCNICAS DO ESTUDO Quadro 1. Inquérito ao Consumo de Substâncias Psicoactivas na População Geral CEOS/IDT 2007: Distribuição da Amostra por Região NUTS II -A- População Total

Leia mais

PORTA 65 JOVEM RESULTADOS DO 2 E 3º PERÍODOS DE CANDIDATURAS (15 Abril 15 Maio 08)

PORTA 65 JOVEM RESULTADOS DO 2 E 3º PERÍODOS DE CANDIDATURAS (15 Abril 15 Maio 08) PORTA 65 JOVEM RESULTADOS DO 2 E 3º PERÍODOS DE CANDIDATURAS (15 Abril 15 Maio 08) Candidaturas submetidas na plataforma 5 508 Candidaturas aprovadas 4 156 1. Situação das 5508 candidaturas submetidas

Leia mais

AS MIGRAÇÕES INTERNAS NA REGIÃO NORTE

AS MIGRAÇÕES INTERNAS NA REGIÃO NORTE AS IGRAÇÕES INTERNAS NA REGIÃO NORTE PEDRO CAPOS / EÍLIA SALEIRO* Na Região Norte, cerca de 114 mil indivíduos mudaram de concelho de residência entre 1985 e 1991. Este valor não se distribui de uma forma

Leia mais

PRINCIPAIS TENDÊNCIAS DEMOGRÁFICAS NA REGIÃO NORTE NO PERÍODO INTERCENSITÁRIO ( )

PRINCIPAIS TENDÊNCIAS DEMOGRÁFICAS NA REGIÃO NORTE NO PERÍODO INTERCENSITÁRIO ( ) Estatísticas & Estudos Regionais PRINCIPAIS TENDÊNCIAS DEMOGRÁFICAS NA REGIÃO NORTE NO PERÍODO INTERCENSITÁRIO (-) CENSOS - RESULTADOS PROVISÓRIOS António Eduardo Pereira * A expansão demográfica na região

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DA REGIÃO DO NORTE: EXPORTAÇÕES E TERRITÓRIO

A COMPETITIVIDADE DA REGIÃO DO NORTE: EXPORTAÇÕES E TERRITÓRIO A COMPETITIVIDADE DA REGIÃO DO NORTE: EXPORTAÇÕES E TERRITÓRIO Exportações excecionais, investimento sofrível Exportações a pesar 45% no PIB: a grande transformação A economia só regressa a 2008 em

Leia mais

REGULAMENTO DA PLATAFORMA SUPRACONCELHIA DO DOURO

REGULAMENTO DA PLATAFORMA SUPRACONCELHIA DO DOURO REGULAMENTO DA PLATAFORMA SUPRACONCELHIA DO DOURO O presente regulamento destina-se a dar a conhecer os princípios a que obedecem a organização e a articulação da Rede Social ao nível supraconcelhio, bem

Leia mais

1712 Diário da República, 1.ª série N.º 54 18 de Março de 2009

1712 Diário da República, 1.ª série N.º 54 18 de Março de 2009 1712 Diário da República, 1.ª série N.º 54 18 de Março de 2009 Portaria n.º 273/2009 de 18 de Março O Programa do XVII Governo Constitucional define que «o sistema [de saúde] deve ser reorganizado a todos

Leia mais

Vespa das Galhas do Castanheiro Plano Biovespa José Gomes Laranjo

Vespa das Galhas do Castanheiro Plano Biovespa José Gomes Laranjo Vespa das Galhas do Castanheiro Plano Biovespa José Gomes Laranjo Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro RefCast- Associação Portuguesa da Castanha Vila Real 19 outubro 2017 Meios de luta Luta cultural

Leia mais

Perfil Regional de Saúde 2017

Perfil Regional de Saúde 2017 O perfil de saúde constitui-se como um instrumento de apoio à tomada de decisão técnica, politico/estratégica e organizacional, sendo uma ferramenta virada para a ação, no sentido da melhoria da saúde

Leia mais

REGIÃO HIDROGRÁFICA DO DOURO (RH3)

REGIÃO HIDROGRÁFICA DO DOURO (RH3) REGIÃO HIDROGRÁFICA DO DOURO (RH3) Junho 2015 Índice Anexo III Fichas de massa de água subterrânea... 1 Código: PTA0x1RH3... 3 Código: PTA1... 9 Código: PTO01RH3... 13 Anexo III Fichas de massa de água

Leia mais

REGIÃO HIDROGRÁFICA DO DOURO (RH3)

REGIÃO HIDROGRÁFICA DO DOURO (RH3) REGIÃO HIDROGRÁFICA DO DOURO (RH3) Maio 2016 Índice Anexo III Fichas de massa de água subterrânea... 5 Código: PTA0x1RH3... 7 Código: PTA1... 13 Código: PTO01RH3... 19 Anexo III Fichas de massa de água

Leia mais

INSTRUÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE PROCESSO DE CORRECÇÃO MATERIAL DA CARTA DA REN NO ÂMBITO DO ART. 19.º DO DECRETO-LEI Nº 239/2012, DE 2 DE NOVEMBRO

INSTRUÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE PROCESSO DE CORRECÇÃO MATERIAL DA CARTA DA REN NO ÂMBITO DO ART. 19.º DO DECRETO-LEI Nº 239/2012, DE 2 DE NOVEMBRO INSTRUÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE PROCESSO DE CORRECÇÃO MATERIAL DA CARTA DA REN NO ÂMBITO DO ART. 19.º DO DECRETO-LEI Nº 239/2012, DE 2 DE NOVEMBRO Instrução do processo para publicação em DRE 1 Exemplar em

Leia mais

INSTRUÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE PROCESSOS DE ALTERAÇÃO DA DELIMITAÇÃO DA REN - ARTIGO 16º DO DECRETO-LEI Nº 239/2012, DE 2 DE NOVEMBRO

INSTRUÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE PROCESSOS DE ALTERAÇÃO DA DELIMITAÇÃO DA REN - ARTIGO 16º DO DECRETO-LEI Nº 239/2012, DE 2 DE NOVEMBRO INSTRUÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE PROCESSOS DE ALTERAÇÃO DA DELIMITAÇÃO DA REN - ARTIGO 16º DO DECRETO-LEI Nº 239/2012, DE 2 DE NOVEMBRO Instrução do processo para publicação em DRE 1 Exemplar em papel (na

Leia mais

Competição Europeia da Estatística Fase Nacional

Competição Europeia da Estatística Fase Nacional Competição Europeia da Estatística Fase Nacional Nome da equipa: SétimoTOP Escola: Externato Santa Joana Região: Norte Categoria: B Objetivos da exploração/análise Este trabalho pretende caracterizar o

Leia mais

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003)

PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) PARTE II Empresas TIC do Minho (2003) II.2. Caracterização por Concelho II.2.4 Análise por forma jurídica das sociedades As tabelas 26 e 27 sumariam os dados por concelho relativos à forma jurídica das

Leia mais

Inquérito à Mobilidade da População Residente 2000 Maio de 2000

Inquérito à Mobilidade da População Residente 2000 Maio de 2000 Informação à Comunicação Social 18 de Abril de 2001 Inquérito à Mobilidade da População Residente 2000 Maio de 2000 Na sequência do protocolo estabelecido entre a Direcção Geral de Transportes Terrestres

Leia mais

Rede Oferta de Adultos

Rede Oferta de Adultos DSR CIM / AM NUT III Distrito Concelho Entidade Promotora Código UO (Unidade Orgânica) Código DGEEC A1 A1 + A2 PFOL B1 B1 + B2 TOTAL Oferta de adultos em continuidade Sim Não Alentejo Alentejo Central

Leia mais

REDE DE GABINETES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL VAGAS A APROVAR

REDE DE GABINETES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL VAGAS A APROVAR REDE DE GABINETES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL 2019-2021 VAGAS A APROVAR DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE e CTEF ALTO TÂMEGA CTEF BRAGA CTEF BRAGANÇA CHAVES BRAGA BRAGANÇA MACEDO DE CAVALEIROS BOTICAS 1 MONTALEGRE

Leia mais

spn - greve às avaliações 22 de junho

spn - greve às avaliações 22 de junho NÃO AVEIRO AROUCA AE AROUCA EBS AROUCA 10 10 100 AVEIRO AROUCA AE ESCARIZ EBS ESCARIZ 7 7 100 AVEIRO CASTELO DE PAIVA AE CASTELO DE PAIVA AE CASTELO PAIVA 19 19 100 AVEIRO CASTELO DE PAIVA AE COUTO MINEIRO

Leia mais

Tempos Máximos de Resposta Garantidos no SNS

Tempos Máximos de Resposta Garantidos no SNS Tempos Máximos de Resposta Garantidos no SNS NACIONAL Percentagem de 1 a Consulta Hospitalar e de realizadas dentro do Tempo Máximo de Resposta Garantido (TMRG) As entidades hospitalares com percentagens

Leia mais

INSTRUÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE PROCESSO DE CORRECÇÃO MATERIAL DA CARTA DA REN NO ÂMBITO DO ART. 19.º DO DECRETO-LEI Nº 239/2012, DE 2 DE NOVEMBRO

INSTRUÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE PROCESSO DE CORRECÇÃO MATERIAL DA CARTA DA REN NO ÂMBITO DO ART. 19.º DO DECRETO-LEI Nº 239/2012, DE 2 DE NOVEMBRO INSTRUÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE PROCESSO DE CORRECÇÃO MATERIAL DA CARTA DA REN NO ÂMBITO DO ART. 19.º DO DECRETO-LEI Nº 239/2012, DE 2 DE NOVEMBRO Instrução do processo para publicação em DRE 1 Exemplar em

Leia mais

Municípios por distrito (entre 15/09/1998 e 10/08/1999) - NUTS 1998 (nível II e III) Municípios por distrito NUTS 1998

Municípios por distrito (entre 15/09/1998 e 10/08/1999) - NUTS 1998 (nível II e III) Municípios por distrito NUTS 1998 Municípios por distrito (entre 15/09/1998 e 10/08/1999) - NUTS 1998 (nível II e III) Municípios por distrito NUTS 1998 01 Aveiro 0101 Águeda 102 Centro 10 Baixo Vouga 01 Aveiro 0102 Albergaria-a-Velha

Leia mais

ACES com programação completa cobertura total ACES com programação parcial - cobertura ainda incompleta

ACES com programação completa cobertura total ACES com programação parcial - cobertura ainda incompleta ACES Início Conclusão 00 0 0 Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Dez Alto Minho -0-00 -0-0 Alto Tâmega e Barroso 8-06-00-07-0 Aveiro Norte 0-09-00-0-0

Leia mais

Ordem dos Advogados. Conselho Geral

Ordem dos Advogados. Conselho Geral Ordem dos Advogados Conselho Geral O Conselho Geral, reunido em sessão plenária de 11 de Julho de 2008, relativamente ao número de lotes (por comarca), deliberou, por unanimidade, aprovar o seguinte: I

Leia mais

Director Presidente do Conselho de Administração C. Corrêa Gago

Director Presidente do Conselho de Administração C. Corrêa Gago ENTRE DOURO E MINHO Catalogação recomendada INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA Recenseamento geral da agricultura : 999 : Entre Douro e Minho : principais resultados / Instituto Nacional de Estatística.

Leia mais

Competição Europeia de Estatística Fase Nacional

Competição Europeia de Estatística Fase Nacional Competição Europeia de Estatística Fase Nacional Nome da Equipa:MAT7189 Nome da Escola: Externato de Santa Joana Região: Norte Categoria: B A sinistralidade em Portugal Continental entre 2014 e 2016 Março

Leia mais

Censos População residente que trabalha ou estuda, segundo as entradas, saídas e sexo, por municipio

Censos População residente que trabalha ou estuda, segundo as entradas, saídas e sexo, por municipio Censos 2011 - População residente que trabalha ou estuda, segundo as entradas, saídas e sexo, por municipio NUTS1 COD NUT1 DSG NUTS2 NUT2 DSG NUTS3 NUT3 DSG MUNICIPIO COD MUNICIPIO DSG POPULAÇÃO QUE ENTRA

Leia mais

RESULTADOS PRELIMINARES DOS CENSOS DE 2001 UMA ANÁLISE

RESULTADOS PRELIMINARES DOS CENSOS DE 2001 UMA ANÁLISE RESULTADOS PRELIMINARES DOS CENSOS DE 2001 UMA ANÁLISE Organização e Execução do Trabalho de Campo Em Março de 2001 decorreu o XIV Recenseamento Geral da População e o IV Recenseamento Geral da Habitação.

Leia mais

Fundo para o Serviço Público de Transportes (FSPT) Listagem provisória das transferências para as Autoridades de Transportes em 2017*

Fundo para o Serviço Público de Transportes (FSPT) Listagem provisória das transferências para as Autoridades de Transportes em 2017* ALENTEJO CENTRAL ALANDROAL 5 603 742 0,37533% 3 292 4 504 7 796 ALENTEJO CENTRAL ARRAIOLOS 6 084 002 0,40750% 3 292 4 890 8 182 ALENTEJO CENTRAL BORBA 3 481 299 0,23317% 3 292 2 798 6 090 ALENTEJO CENTRAL

Leia mais

Rede Oferta de Adultos

Rede Oferta de Adultos Rede Oferta de Adultos 2017-2018 Formação de Português para Falantes de Outras Línguas () Rede homologada _ Atualização _ 17 abril Alentejo Alentejo Central Alentejo Central Évora Évora Agrupamento de

Leia mais

Municípios por distrito (entre 12/07/ /11/2002) - NUTS 2001 (nível II e III) Municípios por distrito NUTS 1998

Municípios por distrito (entre 12/07/ /11/2002) - NUTS 2001 (nível II e III) Municípios por distrito NUTS 1998 01 Aveiro 0101 Águeda 102 Centro 10 Baixo Vouga 01 Aveiro 0102 Albergaria-a-Velha 102 Centro 10 Baixo Vouga 01 Aveiro 0103 Anadia 102 Centro 10 Baixo Vouga 01 Aveiro 0104 Arouca 101 Norte 10106 Entre Douro

Leia mais

Em 2009, 39 Municípios apresentavam um Poder de Compra per capita acima da média nacional

Em 2009, 39 Municípios apresentavam um Poder de Compra per capita acima da média nacional Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio 2009 10 de novembro de 2011 Em 2009, 39 Municípios apresentavam um Poder de Compra per capita acima da média nacional Em 2009, dos 308 municípios portugueses, 39

Leia mais

Perfil Regional de Saúde

Perfil Regional de Saúde ENTRAR Perfil Regional de Saúde O perfil de saúde constitui-se como um instrumento de apoio à tomada de decisão técnica, politico/estratégica e organizacional, sendo uma ferramenta virada para a ação,

Leia mais

Declaração de recebimentos em atraso existentes em 31/12/2015

Declaração de recebimentos em atraso existentes em 31/12/2015 R e c e b i m e n t o s e m a t r a s o Declaração de recebimentos em atraso existentes em 31/12/2015 Ministério: SAÚDE Entidade: ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAUDE DO NORTE, I.P. Montante total de recebimentos

Leia mais