A nova Etiqueta UE para pneus: A explicação ativa. Com conhecimento técnico. Para que o seu Volkswagen seja sempre um Volkswagen Volkswagen Service

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A nova Etiqueta UE para pneus: A explicação ativa. Com conhecimento técnico. Para que o seu Volkswagen seja sempre um Volkswagen Volkswagen Service"

Transcrição

1 A nova Etiqueta UE para pneus: A explicação ativa. Com conhecimento técnico. Para que o seu Volkswagen seja sempre um Volkswagen Volkswagen Service

2 Conduza em segurança e poupe energia. A introdução da nova etiqueta para pneus tem por objetivo aumentar quer a segurança de condução quer a poupança de energia. Esta última, em particular, é um elemento crucial do pacote da União Europeia sobre o clima, cujos principais objetivos são chegar aos 20% de menos emissões, 20% de poupança de energia através de um aumento da eficiência e 20% de aumento da utilização de energias renováveis até Como nosso Cliente deve saber que, embora sejam importantes, os três critérios legalmente especificados não constituem a única forma de avaliar o desempenho de um pneu. Nesta, encontrará tudo o que deve saber sobre a nova etiqueta de pneus, além de informações sobre a escolha ara o seu Volkswagen. Para que o seu Volkswagen seja sempre um Volkswagen. Volkswagen Service 2

3 O Regulamento 1222/2009 CE aplica-se em todos os 27 Estados-Membros da União Europeia a: Este Regulamento não se aplica a: Classe C1: Pneus para veículos ligeiros de passageiros Classe C2: Pneus para veículos comerciais ligeiros, segundo ECE-R 54, identificados com: a) Índice de carga para pneus individuais igual ou inferior a 121 b) Símbolo para categoria de velocidade igual ou superior a N. Classe C3: Pneus para veículos comerciais pesados, segundo ECE-R 54, identificados com: a) Índ. de carga para pneus individuais igual ou superior a 122 ou b) Índice de carga para pneus individuais igual ou inferior a 121 e um símbolo de categoria de velocidade inferior, igual ou superior a M. Pneus para motociclos Pneus recauchutados Pneus todo-o-terreno para utilização comercial Pneus concebidos para montagem exclusiva em veículos cujo primeiro registo seja anterior a 1 de outubro de 1990 Pneus temporários tipo T Pneus com velocidade máxima permitida inferior a 80 km/h Pneus para jantes com diâmetro nominal igual ou inferior a 254 mm (10") ou igual ou superior a 635 mm (25") Pneus com dispositivos suplementares para melhorar a tração (p. ex. pneus com pregos) Pneus concebidos para montagem exclusiva em veículos destinados a competições. 3

4 Tudo no interesse do consumidor. Eficiência de combustível (categorias de resistência ao rolamento A G) Aderência em pavimento molhado (categoria A G) O Regulamento de etiquetagem para pneus da UE especifica a obrigação de fornecer informações sobre a eficiência de combustível, aderência em pavimento molhado e emissões de ruído exterior. Os objetivos do método de ensaio da UE são: ȭȭ maior segurança, ȭȭ maior proteção ambiental e ȭȭ maior economia no tráfego. Nas páginas seguintes, poderá verificar os critérios de avaliação e analisar os seus resultados. Emissões de ruído exterior em decibéis (db) e categoria (símbolo onda de som) 4

5 Eficiência de combustível Eficiência de combustível A resistência ao rolamento dos pneus determina a eficiência do consumo. A constante deste fator, c R, é medida em kg/tonelada de peso do veículo. Quanto menor a resistência ao rolamento, maior a poupança de combustível e, desde logo, de CO2. A classificação é feita por categorias: A (melhor) a G (pior). Por exemplo, pneus para veículos de passageiros: a melhoria de uma categoria para a categoria mais alta seguinte indica poupanças na ordem dos 0,1 0,15 litros de combustível por cada 100 km. Assim, o potencial de poupança entre as categorias G e A é superior a 7,5%. A B C E F G + 0,10 l + 0,12 l + 0,14 l + 0,15 l + 0,15 l Aumento do consumo de combustível em litros por 100 km, a uma média de consumo de 6,6 litros por 100 km. A categoria D é omitida para as classes de pneus C1 e C2, e a categoria G para a classe C3. 5

6 Ad. pavim. molhado Aderência em pavimento molhado Esta é a única caraterística de performance incluída na etiqueta para pneus, e indica o desempenho de travagem dos mesmos em pavimentos molhados. O valor de aderência divide-se em sete categorias, de A (distância de travagem mais curta) a G (distância de travagem mais longa). Por exemplo, pneus para ligeiros de passageiros: a melhoria de uma categoria para a categoria mais alta seguinte indica uma redução da distância de travagem de cerca de 4,5 metros a uma velocidade inicial de 80 km/h. Assim, o potencial de redução da distância de travagem entre as categorias A e F ascende aos 30%. A Ruído Emissão de ruído Os pneus que rolam suavemente geram menos ruído para o ambiente. O nível de ruído dos pneus é medido em decibéis (db) como ruído exterior com o veículo em movimento e com o motor desligado. Uma diferença de 3 db corresponde ao dobro do nível de ruído. O valor é expresso na etiqueta sob a forma de um número absoluto e um símbolo com três categorias: quantos mais arcos pretos, mais elevado será o nível de emissão de ruído exterior desse pneu. Três ondas: A emissão de ruído exterior satisfaz os valores limite da UE aplicáveis até 2016 (Diretiva 2001/43/CE). B C E + 3,0 m + 7,0 m + 12,0 m Duas ondas: A emissão de ruído exterior satisfaz os valores limite da UE aplicáveis a partir do início de 2016, ou está até 3 db abaixo dos mesmos (Diretiva 661/2009/CE). F + 18,0 m As categorias D e G são omitidas para as classes de pneus C1 e C2, e a categoria G para a classe C3. Uma onda: A emissão de ruído exterior está mais de 3 db abaixo dos valores limite da UE aplicáveis a partir do início de 2016 (Diretiva 661/2009/ CE). 6

7 Caraterísticas mais importantes da performance de pneus: Critério Catálogo de especificações de pneus Incluído na etiqueta de pneus UE Piso seco Travagem Controlo de direção Controlo de manobra Piso molhado Travagem Controlo de direção Controlo de manobra Resistência ao aquaplaning Ruído Interior Exterior Eficiência combustível Desgaste dos pneus A tabela de avaliação demonstra claramente que a etiqueta está longe de incluir todos os critérios de performance. A conjugação certa de critérios para segurança, economia e conforto desempenha um papel importante para a escolha dos pneus. No caso especial dos pneus de inverno, as caraterísticas de segurança relacionadas com os fatores sazonais devem ser uma preocupação prioritária. No seu Concessionário Volkswagen irá obter o aconselhamento especializado na escolha dos pneus certos para o seu Volkswagen. Quilometragem Qualidade de condução Caraterísticas vazio Caraterísticas inverno 7

8 Perguntas frequentes e as respostas apropriadas: Quando e de que forma deve o vendedor no Concessionário referir as caraterísticas dos pneus durante uma venda, e de que forma é monitorizado o cumprimento dessa obrigação? O vendedor deve sempre referir os valores dos níveis e categorias dos pneus antes da venda. É obrigatório. Os organismos estatais apropriados, tais como a autoridade para as atividades económicas, ou associações de consumidores e ambientais monitorizam o cumprimento desta obrigação. Quais as entidades que realizam os testes? E são independentes? São os próprios fabricantes quem realiza os testes, de acordo com um método legalmente definido. Depois, cabe às autoridades de controlo nacionais de cada mercado avaliar a conformidade com os níveis de avaliação declarados. O processo de verificação encontra-se descrito no anexo IV do Regulamento. Os pneus sem etiqueta que se encontrem em armazém podem ser vendidos após 1 de novembro de 2012? Apenas os que tiverem sido produzidos até julho de 2012 (com código de produção anterior a DOT 2712) poderão ser vendidos após 1 de novembro de 2012 sem etiqueta. No caso dos pneus em armazém que tenham sido fabricados a partir do início de julho e que sejam vendidos a partir de 1 de novembro de 2012, o Concessionário deve garantir que as informações, que devem ser fornecidas pelo fornecedor dos pneus, estão disponíveis nos mesmos. Quais os critérios mais importantes para o meu caso, que conduzo principalmente em cidade? Se conduz normalmente a velocidades inferiores a 50 km/h em cidade, as emissões de ruído dos seus pneus não são muito elevadas. Consequentemente, este critério não é prioritário. Para a condução urbana, as distâncias de travagem em todas as condições (pavimento seco, molhado ou escorregadio) e o tempo de vida útil são muito mais importantes. Quais os critérios mais importantes para o meu caso, que conduzo principalmente em autoestrada? Os critérios mais importantes neste caso são a resistência ao rolamento (para poupar combustível e reduzir as emissões de CO2), o tempo de vida útil relativamente ao custo por quilómetro e, claro está, a segurança relativamente às distâncias de travagem e a aderência em pavimento seco ou molhado. 8

9 O que é a resistência ao rolamento e como é calculada? A resistência ao rolamento é a força que atua em oposição à direção na qual o pneu se desloca. O coeficiente de resistência ao rolamento (c R ) dos pneus é medido em máquinas de ensaio com os pneus a rodarem a uma velocidade correspondente a 80 km/h (70 km/h para VCs) em kg por tonelada de peso do veículo. Comparado com um berlinde a rolar numa pedra de mármore, um pneu necessita de uma certa dose de suavidade para fornecer conforto e aderência. Essa suavidade faz com que a superfície que se encontra em contacto com a estrada se deforme. A cada rotação, o pneu vai ficando deformado pelo peso do veículo, e essa deformação repetida consome uma quantidade de energia que é expressa sob a forma de coeficiente de resistência ao rolamento. Os pneus de categoria A para veículos ligeiros de passageiros apresentam um valor de c R de <= 6,5, enquanto o coeficiente para a categoria G é >= 12,1 (kg/t). Categoria Classe C1 (para veículos ligeiros de passageiros) Classe C2 (para veículos comerciais ligeiros) A c R 6,5 c R 5,5 c R 4,0 Classe C3 (veículos comerciais pesados) B 6,6 c R 7,7 5,6 c R 6,7 4,1 c R 5,0 C 7,8 c R 9,0 6,8 c R 8,0 5,1 c R 6,0 D N/A N/A 6,1 c R 7,0 E 9,1 c R 10,5 8,1 c R 9,2 7,1 c R 8,0 F 10,6 c R 12,0 9,3 c R 10,5 c R 8,1 G c R 12,1 c R 10,6 N/A Categorias de eficiência para etiquetagem de pneus A categoria depende do coeficiente de resistência ao rolamento c R (kg/t), que é medido numa máquina de ensaio a 80 km/h (70 km/h para pneus para VCs) e depois comparado com valores de referência de um laboratório. 9

10 Perguntas frequentes - e as respostas apropriadas: Que efeito tem a resistência ao rolamento no consumo de combustível? Que outros fatores influenciam o consumo? O motor do veículo tem de despender energia para vencer a resistência ao rolamento. Isto requer combustível, contribuindo assim para o consumo. Regra geral, nos veículos de passageiros, uma redução de 6% na resistência ao rolamento corresponde a um decréscimo de 1% no consumo de combustível. Os fatores como a aerodinâmica, o peso do veículo, o tipo de motor, os sistemas auxiliares (como o ar condicionado), a inclinação, o estilo de condução, a pressão dos pneus, a aceleração e as condições do tráfego também contribuem para o consumo de combustível. Como é calculada a aderência em pavimento molhado? Compara-se a distância de travagem medida no pneu em questão com a de um pneu de referência, que é expressa com o parâmetro de aderência em pavimento molhado G. O parâmetro de aderência em piso molhado é calculado com base no retardamento de travagem médio de um pneu para veículos de passageiros num piso molhado em linha reta dos 80 km/h (60 km/h para veículos comerciais) aos 20 km/h, em comparação com o pneu de referência. O nível da água no pavimento é de 0,5 a 2 mm e a temperatura da superfície molhada deve cifrar-se entre os 5 e os 35 C, podendo variar um máximo de 10 C. A diferença entre duas categorias pode ser ilustrada com a distância de travagem: a uma velocidade inicial de 80 km/h, a diferença em piso molhado é de 3 a 6 metros. Os pneus de categoria A para ligeiros de passageiros apresentam um valor-índice de G >= 1,55, enquanto o valor para a Categoria F é de <= 1,09. Categoria Classe C1 (para veículos ligeiros de passageiros) Classe C2 (para veículos comerciais ligeiros) Classe C3 (veículos comerciais pesados) A 1,55 G 1,40 G 1,25 G B 1,40 G 1,54 1,25 G 1,39 1,10 G 1,24 C 1,25 G 1,39 1,10 G 1,24 0,95 G 1,09 D N/A N/A 0,80 G 0,94 E 1,10 G 1,24 0,95 G 1,09 0,65 G 0,79 F G 1,09 G 0,94 G 0,64 G N/A N/A N/A Categorias de aderência em pavimento molhado em etiquetagem de pneus A categoria depende do parâmetro de aderência G, determinado a partir de referências padrão para as dimensões 225/55 R16 (veículos de passageiros) e 225/75 R16 (veículos comerciais). 10

11 A aderência em pavimento molhado é o critério mais importante? Dos três critérios da etiquetagem de pneus, este é o único que influencia diretamente a segurança. Como tal, é extremamente importante. Contudo, devemos ter em conta que, independentemente da classe de cada pneu, a aderência e a capacidade de travagem também dependem da pressão dos pneus, das condições das pastilhas dos travões, do nível e da qualidade do óleo dos travões e das condições da suspensão. O desempenho de travagem em estradas secas ou com neve também é um fator de segurança muito importante mas que, infelizmente, não é tido em consideração. Por que razão é o nível de ruído importante e o que significa nível de ruído? Ao movimentar-se, um veículo gera um certo nível de ruído, que é percetível no exterior. A velocidades inferiores a 50 km/h, os ruídos dos motores são mais audíveis. Mas, acima dos 50 km/h, o ruído do rolar dos pneus sobrepõe-se ao do motor. Limitando o ruído exterior dos pneus, é possível reduzir o nível de ruído na estrada. Colocamos um veículo especialmente equipado a circular num pavimento específico. Aos 80 km/h desligamos o motor e o ruído dos pneus é então medido através de microfones. Este nível é indicado em decibéis (db). A partir do início de 2016, e segundo normas da UE, passarão a existir valores-limite para os pneus, de entre 70 e 75 db (consoante as suas dimensões). O toque de um telefone doméstico, por exemplo, equivale a 70 db, e um aspirador produz 75 db. O decibel é uma unidade de medida especial: o nível de ruído duplica a cada aumento de 3 decibéis. Qual a relação entre aderência ao pavimento molhado e resistência ao rolamento? Existem muitas propriedades diferentes nos pneus que influenciam a resistência ao rolamento. Esta pode ser alterada através da mudança de determinados parâmetros, alguns dos quais poderão ter um efeito negativo na aderência ao pavimento molhado. O fabricante de pneus deve aplicar as ferramentas certas na dosagem correta para alcançar o equilíbrio ideal entre a resistência ao rolamento e a aderência ao pavimento molhado. Uma redução da resistência ao rolamento demasiado grande poderá ter efeitos negativos na aderência ao pavimento molhado. 11

12 Perguntas frequentes - e as respostas apropriadas: Os pneus com o mesmo número de série, independentemente da sua data de fabrico, têm as mesmas propriedades relativamente à etiquetagem UE? Esta pergunta deve ser respondida por cada fabricante individualmente. O fabricante encontra-se legalmente obrigado a garantir os valores constantes na etiqueta para os pneus produzidos a partir de 1 de julho de 2012 (DOT 2712). Relativamente às informações sobre pneus com o mesmo número de série produzidos antes dessa data, existe apenas uma obrigação voluntária, e os exemplos são muito diferentes de fabricante para fabricante: alguns confirmam os mesmos valores constantes nos rótulos para os pneus com o mesmo número de série produzidos antes de 1 de julho de 2012, mas outros não. Recomendamos por isso que as informações relativas ás etiquetas, apenas sejam comunicadas aos Clientes nos casos dos pneus com data de fabrico posterior a 1 de julho de 2012 (DOT 2712). Qual a razão para os pneus de neve tenderem a apresentar níveis UE inferiores aos dos pneus de verão? O desenvolvimento de pneus de neve tem na sua base critérios relacionados com caraterísticas de performance sazonal. Entre eles contam-se a performance de travagem em estradas cobertas de neve e/ou gelo, a resistência à temperatura da mistura e a tração em aceleração em condições de inverno. Estes critérios não estão incluídos nos rótulos de pneus da UE. Contudo, dado serem particularmente importantes para a segurança, o seu desenvolvimento está menos focalizado na adaptação às propriedades constantes no rótulo da UE. 12

13 A nova Etiqueta UE dos pneus. A explicação ativa. Com conhecimento técnico. SIVA, SA Direção Geral Volkswagen Marketing do Serviço Reservado o direito de proceder a alterações. Atualização: 12/2012

Recomendamos esta secção se quiser familiarizar-se com o mundo dos pneus para automóveis.

Recomendamos esta secção se quiser familiarizar-se com o mundo dos pneus para automóveis. Tudos Sobre Pneus Conhecimento Do Pneu Da Pirelli Mais de cem anos de experiência em tecnologia do pneu permitiu à Pirelli combinar nos seus produtos níveis máximos de segurança, longevidade, conforto

Leia mais

10 dicas para uma condução mais ecológica

10 dicas para uma condução mais ecológica A Campanha Torne os Automóveis Mais Ecológicos procura reduzir o impacto dos carros no meio ambiente bem como ajudar a que os condutores pensem ecologicamente antes de conduzirem. 10 dicas para uma condução

Leia mais

PARA QUE SERVEM OS SULCOS DOS PNEUS?

PARA QUE SERVEM OS SULCOS DOS PNEUS? PARA QUE SERVEM OS SULCOS DOS PNEUS? Provavelmente já se terá interrogado sobre a função dos sulcos dos pneus. E também terá questionado o facto dos pneus usados nos carros de Fórmula 1 não terem sulcos,

Leia mais

Segurança dos Pneus. Data de validade

Segurança dos Pneus. Data de validade Segurança dos Pneus Dirigimos diariamente e quase nunca prestamos atenção a uma das partes mais importantes do automóvel, O PNEU. Veja a seguir como ler e entender a fabricação e o uso correto de um pneu.

Leia mais

REGULAMENTOS 30, 54, 108, 109 CEE/ONU

REGULAMENTOS 30, 54, 108, 109 CEE/ONU 1 - OBJECTIVOS Os ensaios aos pneus segundo estes regulamentos tem como principal objectivo verificar a conformidade de pneus ligeiros com o Regulamento 30 CEE/ONU, ligeiros recauchutados com o Regulamento

Leia mais

Recomendamos esta seção caso queira se familiarizar mais com o mundo dos pneus automotivos.

Recomendamos esta seção caso queira se familiarizar mais com o mundo dos pneus automotivos. Tudo sobre pneus Aprendendo sobre o pneu Pirelli A experiência de mais de cem anos produzindo tecnologias para pneus permitiu à Pirelli combinar em seus produtos níveis máximos de segurança, longevidade,

Leia mais

Nível 3 Nível Tático; Nível 4 Nível Operacional. Tema 2 Atitudes e Comportamentos Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Tema 7 Controlo do Veículo

Nível 3 Nível Tático; Nível 4 Nível Operacional. Tema 2 Atitudes e Comportamentos Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Tema 7 Controlo do Veículo FICHA TÉCNICA TRAVAGEM Níveis GDE: Nível 3 Nível Tático; Nível 4 Nível Operacional Temas Transversais: Tema 2 Atitudes e Comportamentos Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Tema 7 Controlo do Veículo

Leia mais

ALCOA Jantes de Alumínio Forjado. Dados e Caracteristicas

ALCOA Jantes de Alumínio Forjado. Dados e Caracteristicas ALCOA Jantes de Alumínio Forjado Dados e Caracteristicas SABIA QUE? Alcoa a jante mais forte do mercado Cada jante começa como um bloco único de uma liga singular de alumínio com elevada resistência à

Leia mais

Pneumáticos Industriais. Pneus especializados para máxima eficiência.

Pneumáticos Industriais. Pneus especializados para máxima eficiência. Pneumáticos Industriais. Pneus especializados para máxima eficiência. Pneumáticos Industriais da Continental Os pneumáticos industriais da Continental proporcionam conforto em todas as superfícies e, como

Leia mais

Gama de Produto Compressores de Ar.

Gama de Produto Compressores de Ar. Gama de Produto Compressores de Ar. 3 Eficiência Energética nas Estradas. Com os Compressores de Ar da Voith. Desde a localização histórica para a indústria automóvel Zschopau, Saxónia, a Voith desenvolve

Leia mais

Vantagens do Veículo Híbrido:

Vantagens do Veículo Híbrido: Vantagens do Veículo Híbrido: VANTAGENS PARA O OPERADOR É um veículo que não tem câmbio, sua aceleração e frenagem é elétrica, o motor a combustão, além de pequeno, opera numa condição ideal (rotação fixa).

Leia mais

Um sucesso a rolar, em qualquer rota Bus and Coach Tires People

Um sucesso a rolar, em qualquer rota Bus and Coach Tires People Um sucesso a rolar, em qualquer rota Bus and Coach Tires Continental Bus and Coach Tires Existem tantas rotas quanto o número de passageiros mas, a rota para o sucesso passa pelo conforto e pela segurança.

Leia mais

Elementos constituintes essenciais de um pneu A figura 1 repesenta um pneu e tem por objectivo ilustrar a sua constituição.

Elementos constituintes essenciais de um pneu A figura 1 repesenta um pneu e tem por objectivo ilustrar a sua constituição. Introdução Os pneus constituem o único meio que assegura a transferência de forças entre o pavimento e o veículo. De facto, é nos pneus que se produzem as forças que são necessárias ao controlo do veículo.

Leia mais

Condução Económica e Ecológica CONDUÇÃO ECONÓMICA E ECOLÓGICA. Maj TTrans Freitas Lopes

Condução Económica e Ecológica CONDUÇÃO ECONÓMICA E ECOLÓGICA. Maj TTrans Freitas Lopes CONDUÇÃO ECONÓMICA E ECOLÓGICA Maj TTrans Freitas Lopes A preocupação com a sinistralidade rodoviária e a intenção de reduzir a sua incidência motivaram, e motivam ainda hoje, a necessidade da prática

Leia mais

Vantagens em Todo o Trajecto. Pacote de Efi ciência DIWA

Vantagens em Todo o Trajecto. Pacote de Efi ciência DIWA Vantagens em Todo o Trajecto. Pacote de Efi ciência DIWA 1 Poupando combustível. Reduzindo Emissões. Aumentando a Disponibilidade. Menor consumo de combustível, menor complexidade, maior conforto de condução,

Leia mais

Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos

Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos Suzana Kahn Ribeiro Programa de Engenharia de Transportes COPPE/UFRJ IVIG Instituto Virtual Internacional de Mudanças Climáticas Estrutura

Leia mais

ORGANISMOS DE INSPEÇÃO DE VEÍCULOS

ORGANISMOS DE INSPEÇÃO DE VEÍCULOS Pág. 1 de 6 1. OBJECTIVO O presente documento tem como objetivo definir o serviço de acreditação para o setor Organismos de Inspeção de Veículos (OIV) inserido no esquema de acreditação de organismos de

Leia mais

Porsche Service O seu especialista em pneus

Porsche Service O seu especialista em pneus Porsche Service O seu especialista em pneus Não é só você quem tem de funcionar em harmonia com o seu veículo, os pneus também devem fazê-lo. Os pneus: alto rendimento, como o seu Porsche. A distinção:

Leia mais

TUDO SOBRE PNEUS. www.green-pai-energy.com

TUDO SOBRE PNEUS. www.green-pai-energy.com TUDO SOBRE PNEUS A maior parte das pessoas utiliza veículos a motor diariamente e raramente presta atenção a uma das partes mais importantes do veículo: os pneus. Infelizmente, quase ninguém altera este

Leia mais

Como ler a marcação de um pneu?

Como ler a marcação de um pneu? Como ler a marcação de um pneu? A marcação de um pneu corresponde às indicações inscritas no flanco de um pneu. Além do nome da marca e da gama podes ler também a dimensão e as características do pneu:

Leia mais

Novo MICHELIN X MULTI D PARA TRABALHAR SEM PREOCUPAÇÕES

Novo MICHELIN X MULTI D PARA TRABALHAR SEM PREOCUPAÇÕES Novo MICHELIN X MULTI D PARA TRABALHAR SEM PREOCUPAÇÕES SUMÁRIO FATOS MARCANTES... 3 O DESENVOLVIMENTO DE MICHELIN X MULTI D... 4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS... 6 ELES TESTARAM O PNEU MICHELIN X MULTI...

Leia mais

MANUAL DE REFORMA SEÇÃO UM

MANUAL DE REFORMA SEÇÃO UM MANUAL DE REFORMA SEÇÃO UM PNEU RADIAL DE CARGA, BÁSICO Pagina 1 de 7 1.1 MATERIAIS USADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM PNEU RADIAL CARGA São usados diferentes tipos de componentes e compostos de borracha para

Leia mais

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Conduzir em Segurança)

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Conduzir em Segurança) Condução consciente A condução consciente e tranquila depende em grande parte de quem está ao volante. Cada um tem a responsabilidade de melhorar a sua segurança e a dos outros. Basta estar atento e guiar

Leia mais

Painel Setorial Pneus reformados para motocicleta Claudinir Chiomento Caio Rio de Janeiro, 26/11/2012

Painel Setorial Pneus reformados para motocicleta Claudinir Chiomento Caio Rio de Janeiro, 26/11/2012 Painel Setorial Pneus reformados para motocicleta Claudinir Chiomento Caio Rio de Janeiro, 26/11/2012 VIPALTEC GRUPO VIPAL CPT Centro de Pesquisa e Tecnologia Vipal GRUPO VIPAL GRUPO VIPAL Fábrica 1 Borrachas

Leia mais

FUSO A Daimler Group Brand NOVA CANTER ECO HYBRID. Green light for efficiency

FUSO A Daimler Group Brand NOVA CANTER ECO HYBRID. Green light for efficiency FUSO A Daimler Group Brand NOVA CANTER ECO HYBRID Green light for efficiency RENTABILIDADE E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL Quando os desafios e tarefas dos transportes modernos se juntam às exigências europeias

Leia mais

Poupar com inteligência

Poupar com inteligência Poupar com inteligência Setembro - Dezembro 2012 Volkswagen Service Para que o seu Volkswagen seja sempre um Volkswagen. Melvar Automóveis e Peças S.A. Oficina 1 Oficina 2 Azinhaga dos Lameiros, Rua Dom

Leia mais

PRESS info. Vantajoso para a ecologia e economia Ecolution by Scania. P10902PT / Per-Erik Nordström 22 de Setembro de 2010

PRESS info. Vantajoso para a ecologia e economia Ecolution by Scania. P10902PT / Per-Erik Nordström 22 de Setembro de 2010 PRESS info P10902PT / Per-Erik Nordström 22 de Setembro de 2010 Vantajoso para a ecologia e economia Ecolution by Scania Ecolution by Scania é uma nova linha de produtos e serviços verdes com que os operadores

Leia mais

mais do que uma forma de conduzir, ao serviço da mobilidade sustentável Tiago Lopes Farias

mais do que uma forma de conduzir, ao serviço da mobilidade sustentável Tiago Lopes Farias Eco-condução: mais do que uma forma de conduzir, uma forma de estar ao serviço da mobilidade sustentável Tiago Lopes Farias 24 de Maio 2010 Mobilidade e Energia Diagnóstico Mais de 5 milhões de veículos

Leia mais

Os pneus de qualidade Premium são um melhor investimento a longo-prazo do que os Low-Budget

Os pneus de qualidade Premium são um melhor investimento a longo-prazo do que os Low-Budget Comunicado de imprensa Os pneus de qualidade Premium são um melhor investimento a longo-prazo do que os Low-Budget Hannover, Junho de 2008. Relatório do Utilizador A WLS Spedition, sedeada em Steinhagen,

Leia mais

Tudo o que precisa saber sobre pneus. Ideias e sugestões para manter a segurança.

Tudo o que precisa saber sobre pneus. Ideias e sugestões para manter a segurança. Tudo o que precisa saber sobre pneus. Ideias e sugestões para manter a segurança. Índice A parte mais importante do seu automóvel, não é o motor. Pneus 3 Pneus da Continental 4 Manutenção dos pneus 5 Estragos

Leia mais

«Conselhos de segurança» Para utilização de pneus turismo, comerciais e 4x4 na Europa. Grupo Michelin setembro 2004

«Conselhos de segurança» Para utilização de pneus turismo, comerciais e 4x4 na Europa. Grupo Michelin setembro 2004 «Conselhos de segurança» Para utilização de pneus turismo, comerciais e 4x4 na Europa Grupo Michelin setembro 2004 Introdução Os pneus constituem os únicos pontos de contacto entre o veículo e o solo.

Leia mais

Em casa nas estradas de todo o mundo. Truck Tires Goods

Em casa nas estradas de todo o mundo. Truck Tires Goods Em casa nas estradas de todo o mundo Truck Tires Continental Truck Tires Existem cerca de 8,6 milhões de quilómetros de estradas principais no mundo e nós temos o pneu ideal para cada uma delas. Continental

Leia mais

GAMA TT COMPACT TT35 TT40 TT45

GAMA TT COMPACT TT35 TT40 TT45 GAMA TT COMPACT TT35 TT40 TT45 O DERRADEIRO EQUIPAMENTO DE TRABALHO VERSÁTIL. AMBIENTE DO OPERADOR CONCEBIDO COM UM PROPÓSITO FUNCIONAL A forma segue a função na nova gama TT Compact, com instrumentos

Leia mais

1º. Seminário Internacional Sobre Eficiência Energética de Veículos Pesados DESPOLUIR/CNT PNEUS VERDES. 06 de Junho de 2013

1º. Seminário Internacional Sobre Eficiência Energética de Veículos Pesados DESPOLUIR/CNT PNEUS VERDES. 06 de Junho de 2013 01 1º. Seminário Internacional Sobre Eficiência Energética de Veículos Pesados DESPOLUIR/CNT PNEUS VERDES 06 de Junho de 2013 02 Índice A Indústria Brasileira de Pneus ANIP pg 03-09 Pneus Verdes ou Biopneus

Leia mais

GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300. Capacidade de Elevação 130t

GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300. Capacidade de Elevação 130t GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300 Capacidade de Elevação 130t PÁGINA 01 GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300 Comprimento da extensão total da lança principal de 60m, perfil U, placa de aço WELDOX de alta resistência.

Leia mais

Buderus Diretiva ErP. Na zona verde

Buderus Diretiva ErP. Na zona verde Buderus Diretiva ErP Na zona verde A União Europeia, no âmbito da Diretiva de ErP para os lotes 1 e 2, exige que a partir de 26 de setembro de 2015 todos os equipamentos produtores de calor e depósitos,

Leia mais

Não é preciso ser novo para estar em forma

Não é preciso ser novo para estar em forma Não é preciso ser novo para estar em forma Scania Classic: Plano personalizado para camiões e autocarros com mais de 5 anos Serviços Scania Dedicação total www.scania.pt O seu Scania merece o melhor Com

Leia mais

Kit de Carregador de Bicicleta Nokia. Edição 3.0

Kit de Carregador de Bicicleta Nokia. Edição 3.0 Kit de Carregador de Bicicleta Nokia 2 3 6 1 4 5 8 7 9 10 11 Edição 3.0 12 13 15 14 16 17 18 20 19 21 22 PORTUGUÊS 2010 Nokia. Todos os direitos reservados. Introdução Com o Kit de Carregador de Bicicleta

Leia mais

CONDIÇÕES CLIMATÉRICAS ADVERSAS

CONDIÇÕES CLIMATÉRICAS ADVERSAS As condições meteorológicas que caracterizam o Outono e o Inverno são fator de risco acrescido na condução. Há pois que adaptar a condução ao estado do tempo. Chuva, nevoeiro, gelo e neve alteram substancialmente

Leia mais

Dissertação de Mestrado Engenharia Eletrotécnica - Energia e Automação Industrial

Dissertação de Mestrado Engenharia Eletrotécnica - Energia e Automação Industrial Dissertação de Mestrado Engenharia Eletrotécnica - Energia e Automação Industrial Sistema de mobilidade elétrica de duas rodas de elevada eficiência e performance José Carlos Marques da Silva Dezembro

Leia mais

Potência e divertimento.

Potência e divertimento. Potência e divertimento. Se já conduziu o YFM350R ou o YFM250R e quer algo mais dos seus passeios com amigos, considere o. Potente e desportivo, foi concebido para proporcionar grandes emoções. Graças

Leia mais

HSL650 7A/HSL850-7A CONSTRUINDO UM FUTURO MELHOR. MINI CARREGADEIRA HYUNDAI Motor Tier 3 aplicado

HSL650 7A/HSL850-7A CONSTRUINDO UM FUTURO MELHOR. MINI CARREGADEIRA HYUNDAI Motor Tier 3 aplicado CONSTRUINDO UM FUTURO MELHOR * Algumas fotos podem incluir equipamentos opcionais. MINI CARREGADEIRA HYUNDAI Motor Tier 3 aplicado HSL650 7A/HSL850-7A NOVAS Minicarregadeiras Hyundai HSL650-7A/HSL850-7A

Leia mais

NEW HOLLAND CR CR9060

NEW HOLLAND CR CR9060 NEW HOLLAND CR CR9060 A extraordinária colheitadeira de alta capacidade da New Holland. Líder mundial em colheita, a New Holland vem sempre pesquisando e desenvolvendo produtos para atender às necessidades

Leia mais

Solução de Aquecimento de Águas de Elevada Eficiência

Solução de Aquecimento de Águas de Elevada Eficiência Solução de Aquecimento de Águas de Elevada Eficiência Gama 04 Gama de 2013 O que é Therma V? 06 O que é Therma V? Vantagens Therma V 08 Elevada Eficiência Energética 10 Programação Semanal 12 Instalação

Leia mais

VELOCIDADE FICHA TÉCNICA. Tema 2 - Atitudes e Comportamentos; Tema 5 - Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 - Domínio das Situações de Trânsito

VELOCIDADE FICHA TÉCNICA. Tema 2 - Atitudes e Comportamentos; Tema 5 - Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 - Domínio das Situações de Trânsito FICHA TÉCNICA VELOCIDADE Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 3 Nível Táctico Tema 2 - Atitudes e Comportamentos; Tema 5 - Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 - Domínio das Situações

Leia mais

MANUAL DE USO MODELO LONDRES

MANUAL DE USO MODELO LONDRES MANUAL DE USO MODELO LONDRES 1 Parabéns pela escolha das bicicletas ebike-stock. Para aproveitar esta bicicleta e ser capaz de lidar com isso de forma segura por favor leia todas as instruções deste manual

Leia mais

A gente aprendeu na prática: a vida em duas rodas exige muita resistência.

A gente aprendeu na prática: a vida em duas rodas exige muita resistência. A gente aprendeu na prática: a vida em duas rodas exige muita resistência. Fomos pra rua e enfrentamos de tudo: buracos, trânsito pesado, as piores condições climáticas. O resultado? A linha de pneus mais

Leia mais

Venda de pneus de mota. Enchimento de pneus a nitrogénio

Venda de pneus de mota. Enchimento de pneus a nitrogénio Venda de pneus novos - ligeiros, comerciais, pesados, agrícolas e industriais Venda de pneus de mota Venda de jantes Enchimento de pneus a nitrogénio AS RODAS INSUFLADAS COM NITROGÉNIO ATINGEM MENOR TEMPETRATURA.

Leia mais

Antecipação Activa Scania o novo cruise control poupa combustível, utilizando os dados do GPS

Antecipação Activa Scania o novo cruise control poupa combustível, utilizando os dados do GPS P11Z01PT / Per-Erik Nordström 2 de Dezembro de 2011 Antecipação Activa Scania o novo cruise control poupa combustível, utilizando os dados do GPS A Scania é pioneira num novo e avançado sistema de cruise

Leia mais

ErP ( Energy related products) ELD ( Energy labelling Directive)

ErP ( Energy related products) ELD ( Energy labelling Directive) ErP ( Energy related products) ELD ( Energy labelling Directive) 1 Índice: 1. Introdução: 20:20:20 2. Directiva ErP-EuP 2.1 Diretiva ErP: 2.1.1 Explicação da ErP 2.1.2 Produtos incluídos: LOTs 2.1.3 Calendário

Leia mais

Quatro novas dimensões em 25 polegadas. A Michelin amplia a sua gama de pneus de engenharia civil

Quatro novas dimensões em 25 polegadas. A Michelin amplia a sua gama de pneus de engenharia civil INFORMAÇÃO DE IMPRENSA 23/09/2013 Quatro novas dimensões em 25 polegadas A Michelin amplia a sua gama de pneus de engenharia civil O pneu MICHELIN XTXL está disponível nas dimensões 26.5R25 e 29.5R25 para

Leia mais

INTRODUÇÃO. Noções de Eco-Driving

INTRODUÇÃO. Noções de Eco-Driving INTRODUÇÃO Noções de Eco-Driving O desenvolvimento sustentável depende grandemente da adopção de melhores tecnologias (veículos mais eficientes), melhores infra-estruturas (estradas) e sobretudo de mudanças

Leia mais

Linha de COMPACTAÇÃO 2010

Linha de COMPACTAÇÃO 2010 Linha de COMPACTAÇÃO 2010 Compactador de Percussão RAM60 I RAM70 Esses equipamentos foram desenvolvidos para compactação dos mais diversos tipos de solo que necessitam de maior abrangência na profundidade.

Leia mais

Comunicado à imprensa

Comunicado à imprensa Comunicado à imprensa Reduzir os custos da frota com pneus Continental A influência dos pneus sobre os custos de um veículo médio / pesado é bem conhecida. No entanto, os preços do crude, as portagens

Leia mais

Uma Rede de Tecnologia e Qualidade ISQ. instituto de soldadura e qualidade

Uma Rede de Tecnologia e Qualidade ISQ. instituto de soldadura e qualidade Uma Rede de Tecnologia e Qualidade ISQ instituto de soldadura e qualidade ENCONTRO ASCENSORES DIRETIVA 2014/33/UE novas normas EN 81-20 e EN 81-50 A VISÃO DE UM ORGANISMO NOTIFICADO ON 0028 Fernando Tomada

Leia mais

A DIRECTIVA Erp E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA

A DIRECTIVA Erp E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA A DIRECTIVA Erp E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA 1 O CONTEXTO ETIQUETAGEM ENERGÉTICA e DIRECTIVA ErP, PORQUÊ? Travar a mudança climática, garantir o abastecimento de energia e aumentar a competitividade industrial

Leia mais

Compressores portáteis

Compressores portáteis Compressores portáteis Mobilair M 13 M 15 M 17 Compressores de parafuso portáteis com perfil Sigma Caudal: 0,75 a 1,6 m³/min. M13 M15 M17 Compactos e potentes O nível de desempenho não depende do tamanho,

Leia mais

ALD Bluefleet: Conselhos de ecodriving

ALD Bluefleet: Conselhos de ecodriving ALD Bluefleet: Conselhos de ecodriving ALD Bluefleet O nosso compromisso ambiental... Siga os conselhos da ALD Automotive, no âmbito do programa ALD Bluefleet, as nossas ofertas ambientais desenvolvidas

Leia mais

CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR - PROCONVE/PROMOT RESOLUÇÃO CONAMA nº 15 de 1995

CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR - PROCONVE/PROMOT RESOLUÇÃO CONAMA nº 15 de 1995 RESOLUÇÃO CONAMA nº 15, de 13 de dezembro de 1995 Publicada no DOU n o 249, de 29 de dezembro de 1995, Seção 1, páginas 22876-22877 Correlações: Altera a Resolução n os 18/86 e 3/89 para os limites de

Leia mais

GAMA FIAT GPL BI-FUEL: PROJECTADA, FABRICADA E GARANTIDA PELA FIAT

GAMA FIAT GPL BI-FUEL: PROJECTADA, FABRICADA E GARANTIDA PELA FIAT GAMA FIAT GPL BI-FUEL: PROJECTADA, FABRICADA E GARANTIDA PELA FIAT GPL Euro 5 da Fiat Segurança Economia Tecnologia Ecologia A Gama Fiat GPL Bi-Fuel 1 GPL Euro 5 da Fiat A nova oferta GPL Euro 5 da Fiat

Leia mais

Dirigir ecologicamente com

Dirigir ecologicamente com Global Training. The finest automotive learning rpm x 100 Dirigir ecologicamente com PREFÁCIO Convidamos você para participar: - Treinamento de Condução Econômica, transmitindo-lhe conhecimento sobre uma

Leia mais

ENGENHARIA MECÂNICA NA

ENGENHARIA MECÂNICA NA ENGENHARIA MECÂNICA NA Gonçalo Falcão Marta Ramos Paulo Fernandes Pedro Lima Pedro Forte Pedro Seabra 1M05_03 Supervisor: Monitor: Ana Reis Mário Silva Mestrado Integrado Engenharia Mecânica Motores Energy

Leia mais

Pedro Rocha 2015-10-15

Pedro Rocha 2015-10-15 Pedro Rocha 2015-10-15 Circulação O veiculo não pode sair do centro para se posicionar nas linhas ou áreas de inspeção Via de fuga Evitar o cruzamento de veículos 2 As linhas devem ser estruturadas para

Leia mais

Novo Battlax Adventure A40: O ADN do Battlax expande o seu potencial para todas as condições atmosféricas de radiais trail

Novo Battlax Adventure A40: O ADN do Battlax expande o seu potencial para todas as condições atmosféricas de radiais trail INTRODUÇÃO Novo Battlax Adventure : O ADN do Battlax expande o seu potencial para todas as condições atmosféricas de radiais trail Para a nova geração de motos sofisticadas e em contínua evolução, a Bridgestone

Leia mais

Mercedes-Benz lança novas opções para o transporte rodoviário de passageiros

Mercedes-Benz lança novas opções para o transporte rodoviário de passageiros Lançamento de ônibus Mercedes-Benz lança novas opções para o transporte rodoviário de passageiros Informação à imprensa 26 de agosto de 2014 Chassis O 500 RSD 6x2 e RSDD 8x2, com 2º eixo direcional de

Leia mais

4. Dados técnicos. BMW 116i, BMW 118i.

4. Dados técnicos. BMW 116i, BMW 118i. Página 16 4. Dados técnicos. BMW 116i, BMW 118i. BMW 116i BMW 118i Carroceria Nº de portas / assentos 5/5 5/5 Compr/largura/altura (sem carga) 1) mm 4.324/1.765/1.421 4.324/1.765/1.421 Distância entre

Leia mais

O desafio dos Correios. para uma frota sustentável

O desafio dos Correios. para uma frota sustentável O desafio dos Correios para uma frota sustentável Ações para sustentabilidade nos Correios AGENDA 1. O Brasil 2. Os Correios 3. A frota dos Correios 4. As ações AGENDA 1. O Brasil 2. Os Correios 3. A frota

Leia mais

Volvo HÍBRIDO. Ônibus HÍBRIDO TECNOLOGIA, ECONOMIA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTE

Volvo HÍBRIDO. Ônibus HÍBRIDO TECNOLOGIA, ECONOMIA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTE Volvo HÍBRIDO Ônibus HÍBRIDO TECNOLOGIA, ECONOMIA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTE O DESAFIO VERDE O cuidado com o meio ambiente está no centro das discussões da agenda social em todo o mundo. Cada vez mais,

Leia mais

Mancais. TECNÓLOGO EM MECATRÔNICA Elementos de Máquinas. Professor: André Kühl andre.kuhl@ifsc.edu.br

Mancais. TECNÓLOGO EM MECATRÔNICA Elementos de Máquinas. Professor: André Kühl andre.kuhl@ifsc.edu.br Mancais TECNÓLOGO EM MECATRÔNICA Elementos de Máquinas Professor: André Kühl andre.kuhl@ifsc.edu.br Introdução à Mancais O mancal pode ser definido como suporte ou guia em que se apóia o eixo; No ponto

Leia mais

XVI Férias Técnicas VALORES

XVI Férias Técnicas VALORES XVI Férias Técnicas da POLIVALOR em parceria a Ford de 31 de Agosto a 11 de Setembro de 2015, abertas a todos os estudantes do Ensino Superior e todos os que gostem de automóveis, no Centro de Treino Ford.

Leia mais

Energia nos Transportes! Co-financiado por:

Energia nos Transportes! Co-financiado por: Energia nos Transportes! O Projecto Ferreira Sustentável - Energia Projecto -Ferreira Energia Plano Nacional para a Eficiência Energética Portugal Eficiência 2015 Energia nas Escolas Energia nos Transportes

Leia mais

VEICULAR COMO VOCÊ DECIDE A COMPRA DO SEU CARRO

VEICULAR COMO VOCÊ DECIDE A COMPRA DO SEU CARRO VEICULAR A COMPRA DO? COMO VOCÊ DECIDE SEU CARRO Como você decide a compra do seu carro? A escolha de um veículo é resultado de uma análise que considera várias características. O preço é certamente uma

Leia mais

CEDÊNCIA DE PASSAGEM

CEDÊNCIA DE PASSAGEM FICHA TÉCNICA CEDÊNCIA DE PASSAGEM Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 3 Nível Táctico Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Princípio

Leia mais

Nível 4 Nível Operacional. Tema 4 Condução Económica e Ecológica Tema 7 Controlo do Veículo

Nível 4 Nível Operacional. Tema 4 Condução Económica e Ecológica Tema 7 Controlo do Veículo FICHA TÉCNICA CONSTITUINTES DO AUTOMÓVEL Níveis GDE: Nível 4 Nível Operacional Temas Transversais: Tema 4 Condução Económica e Ecológica Tema 7 Controlo do Veículo Síntese informativa: Definição de veículo

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O CASO VOLKSWAGEN

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O CASO VOLKSWAGEN PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O CASO VOLKSWAGEN O Grupo de Trabalho 1 está a desenvolver todas as diligências e a acompanhar as ações necessárias à resolução do problema dos veículos automóveis fabricados

Leia mais

SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL

SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL Obrigado por escolher equipamentos FLUHYDRO SYSTEMS. Os sistemas óleo hidráulicos são hoje, as melhores, mais seguras e econômicas

Leia mais

(19) 3541-2000 - contato@dispelempilhadeiras.com.br www.dispelempilhadeiras.com.br

(19) 3541-2000 - contato@dispelempilhadeiras.com.br www.dispelempilhadeiras.com.br CE CERTIFICADO EMPILHADEIRAS A transmissão 2-3 T possui estrutura avançada tipo flutuante, a única na China. Estruturas flutuantes são projetadas para reduzir a transmissão das vibrações ao chassis em

Leia mais

Aproveitamento de potência de tratores agrícolas *

Aproveitamento de potência de tratores agrícolas * Aproveitamento de potência de tratores agrícolas * 1. Introdução Uma das principais fontes de potência, responsáveis pela alta produção agrícola com significante economia de mão-de-obra, é o trator agrícola.

Leia mais

ATERRAGENS E DESCOLAGENS: O FACTOR HUMANO

ATERRAGENS E DESCOLAGENS: O FACTOR HUMANO ATERRAGENS E DESCOLAGENS: O FACTOR HUMANO Panorâmica da Apresentação 1. Introdução 2. Estabilidade Direccional no Solo e Considerações Aerodinâmicas a Baixas Altitudes Estabilidade Direccional Efeito Solo

Leia mais

GUIÃO TÉCNICO COMPACTADORES DE ASFALTO. www.construlink.com. Copyright 2003 - Construlink.com - Todos os direitos reservados.

GUIÃO TÉCNICO COMPACTADORES DE ASFALTO. www.construlink.com. Copyright 2003 - Construlink.com - Todos os direitos reservados. GUIÃO TÉCNICO COMPACTADORES DE ASFALTO FICHA TÉCNICA STET Nº 10 Nº de pág.s: 5 8 de Agosto de 2003 www.construlink.com COMPACTADORES DE ASFALTO CB-214D, CB-224D, CB-225D, CB-334D e CB-335D A família de

Leia mais

Guia completo para o profissional sobre a nova Directiva de etiquetagem energética ErP

Guia completo para o profissional sobre a nova Directiva de etiquetagem energética ErP Guia completo para o profissional sobre a nova Directiva de etiquetagem energética ErP Sistemas de aquecimento Sistemas industriais Sistemas de refrigeração Directiva ErP A directiva ErP introduz a etiquetagem

Leia mais

Viação Cometa adquire 40 ônibus rodoviários

Viação Cometa adquire 40 ônibus rodoviários Ônibus Viação Cometa adquire 40 ônibus rodoviários Informação à imprensa 22 de setembro de 2014 Mercedes-Benz para renovação de frota Dos mais de 1.000 ônibus da frota do grupo Cometa, cerca de 85% são

Leia mais

A Felicidade anda de viagem, está em membat. Desfrute da estrada com membat

A Felicidade anda de viagem, está em membat. Desfrute da estrada com membat A Felicidade anda de viagem, está em membat. Desfrute da estrada com membat www.membat-tire.com O mar, o sol e um sorriso. Esses elementos tipicamente mediterrâneos formam nosso logo. E o vento, o Embat.

Leia mais

MÁQUINAS DE EQUILÍBRIO

MÁQUINAS DE EQUILÍBRIO MÁQUINAS DE EQUILÍBRIO MFPINTO IMPORT. EXPORT. DE PEÇAS, S.A. CMT - 47 Tr Polimer A CMT - 47 Tr Polimer, é uma máquina de equilíbrio de última geração. Esta máquina possibilita o equilíbrio de um elevado

Leia mais

Estruturas Solares Multifunções

Estruturas Solares Multifunções Esta nova forma de captação da energia solar patenteada pela Sunaitec, chamada de Estruturas Solares Multifunções, vem alterar radicalmente a forma de captação da energia do sol disponibilizando-se, no

Leia mais

E-BOOK 15 DICAS PARA ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL

E-BOOK 15 DICAS PARA ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL E-BOOK 15 DICAS PARA ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL Veja 15 dicas para economizar combustível no carro Da maneira de dirigir à escolha da gasolina, saiba o que pode trazer economia de consumo. Não existe mágica.

Leia mais

A etiquetagem energética de produtos e sistemas de aquecimento

A etiquetagem energética de produtos e sistemas de aquecimento Este projeto recebe financiamento da União Europeia no âmbito do programa de investigação e inovação Horizonte 2020, sob o contrato No649905 A etiquetagem energética de produtos e sistemas de aquecimento

Leia mais

SISTEMAS DE PROTEÇÃO PASSIVA PORTAS RESISTENTES AO FOGO

SISTEMAS DE PROTEÇÃO PASSIVA PORTAS RESISTENTES AO FOGO PORTAS RESISTENTES AO FOGO OBJECTIVO Definir as características e condições técnicas a que devem obedecer as portas resistentes ao fogo (portas corta-fogo), não só para cumprimento do RJ-SCIE mas, também,

Leia mais

Questão 57. Questão 58. Questão 59. alternativa C. alternativa C

Questão 57. Questão 58. Questão 59. alternativa C. alternativa C Questão 57 Um automóvel e um ônibus trafegam em uma estrada plana, mantendo velocidades constantes em torno de 100 km/h e 75 km/h, respectivamente. Os dois veículos passam lado a lado em um posto de pedágio.

Leia mais

99 * MANUTENÇÃO FORD MOTORCRAFT. Um serviço de competição ao melhor preço NOVO SERVIÇO POR APENAS

99 * MANUTENÇÃO FORD MOTORCRAFT. Um serviço de competição ao melhor preço NOVO SERVIÇO POR APENAS NOVO SERVIÇO Um serviço de competição ao melhor preço MANUTENÇÃO FORD MOTORCRAFT POR APENAS 99 * Inclui mudança de óleo e filtro de óleo, mudança de filtro de ar e revisão aos principais pontos de segurança.

Leia mais

Opel Corsavan. Sistema de travagem antibloqueio. Carga útil máxima até 475 kg. Volume máximo do compartimento de carga: 0,92 m 3

Opel Corsavan. Sistema de travagem antibloqueio. Carga útil máxima até 475 kg. Volume máximo do compartimento de carga: 0,92 m 3 Opel Corsavan Opel Corsavan Com uma aparência desportiva excepcional, o Opel Corsavan é uma clara afirmação de estilo para qualquer empresa que se preocupe com a imagem. Apresenta um design dianteiro

Leia mais

SECTOR DA FABRICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS

SECTOR DA FABRICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS #2 SECTOR DA FABRICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS INTERVENÇÕES E CASOS DE SUCESSO Intervenções Durante o período de intervenção do projeto efinerg II, constatou-se que o sector da fabricação de equipamento

Leia mais

EPS ABS AIRBAG CINTO DE SEGURANÇA CAPACETE CADEIRA DE BEBES

EPS ABS AIRBAG CINTO DE SEGURANÇA CAPACETE CADEIRA DE BEBES EPS ABS AIRBAG CINTO DE SEGURANÇA CAPACETE CADEIRA DE BEBES O Travão ABS encontra-se presente na maioria dos veículos modernos e contribui bastante para aumentar a eficiência da travagem, diminuindo a

Leia mais

Utilização de óleo diesel e emissões de CO 2 por veículos rodoviários pesados

Utilização de óleo diesel e emissões de CO 2 por veículos rodoviários pesados Utilização de óleo diesel e emissões de CO 2 por veículos rodoviários pesados Brasília, 9 de abril de 2013 Milhões de tep Uso de energia fóssil no transporte rodoviário Título do Gráfico 60 50 GNV 40 2011

Leia mais

12 DICAS IMPORTANTES PARA MELHORAR O DESEMPENHO DOS PNEUS DO SEU CAMINHÃO

12 DICAS IMPORTANTES PARA MELHORAR O DESEMPENHO DOS PNEUS DO SEU CAMINHÃO 12 DICAS IMPORTANTES PARA MELHORAR O DESEMPENHO DOS PNEUS DO SEU CAMINHÃO COMEÇANDO PELOS JÁ FAMOSOS 5 LADRÕES DE KM O custo com pneus é um dos itens mais pesados na planilha de custo de um transportador,

Leia mais

METROLOGIA APLICADA AOS CENTROS DE INSPEÇÃO E CONCESSIONÁRIOS AUTOMÓVEL

METROLOGIA APLICADA AOS CENTROS DE INSPEÇÃO E CONCESSIONÁRIOS AUTOMÓVEL SEMINÁRIO: A ENGENHARIA MECÂNICA E OS DESAFIOS DA MEDIÇÃO METROLOGIA APLICADA AOS CENTROS DE INSPEÇÃO E CONCESSIONÁRIOS AUTOMÓVEL PEDRO GOMES RESPONSÁVEL DO DEPARTAMENTO DE METROLOGIA FÍSICA TECNOLÓGICA

Leia mais

Carlos Camara Pestana ccpestana@aeatlantico.pt

Carlos Camara Pestana ccpestana@aeatlantico.pt Carlos Camara Pestana ccpestana@aeatlantico.pt Obras de Reabilitação realizadas com MBA-BMB Obra Data Ext. Camad existent MBA- BMB espes BMB pneus reutiliz km ton cm ton A8 Cril-Loures Set-01 3,0 Bet 1.611

Leia mais

Para pisos mais resistentes, escolha Dramix. Dramix : marca registrada N. V. Bekaert.

Para pisos mais resistentes, escolha Dramix. Dramix : marca registrada N. V. Bekaert. Para pisos mais resistentes, escolha Dramix. Dramix : marca registrada N. V. Bekaert. ( O que é Dramix? As fibras de aço Dramix da Belgo Bekaert Arames estabeleceram um novo padrão para as armaduras de

Leia mais

FOLHA DE ESPECIFICAÇÕES

FOLHA DE ESPECIFICAÇÕES Volvo Trucks. Driving Progress FOLHA DE ESPECIFICAÇÕES O cruise control ajuda o motorista a manter uma velocidade constante da forma mais económica. O sistema regula automaticamente o acelerador para manter

Leia mais

Agregados para misturas betuminosas e tratamentos superficiais para estradas, aeroportos e outras áreas de circulação

Agregados para misturas betuminosas e tratamentos superficiais para estradas, aeroportos e outras áreas de circulação EN 303 para misturas betuminosas e tratamentos superficiais para estradas, aeroportos e outras áreas de circulação Características dos agregados grossos e finos Granulometria (análise granulométrica) Resistência

Leia mais