VIOLÃO 1. escalas, formação de acordes, tonalidade e um sistema inédito de visualização de trechos para improvisar.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VIOLÃO 1. escalas, formação de acordes, tonalidade e um sistema inédito de visualização de trechos para improvisar."

Transcrição

1 VIOLÃO 1 escalas, formação de acordes, tonalidade e um sistema inédito de visualização de trechos para improvisar CD com solos e acompanhamento Saulo van der Ley Guitarrista e violonista Composição & Regência UNICAMP Consultor Computer Music TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1-1

2 Toque Igual ao Disco - Violão 1 Índice Introdução Como usar o CD Afinação Escalas Maiores Figuras de improviso Improviso 1 Improviso 2 Improviso 3 Quase todos os que começam a tocar um instrumento musical têm em mente fazer um som parecido ao que ouviu em alguma gravação ou em algum show. O projeto Toque Igual ao Disco procura aliar esse impulso a uma técnica capaz de levar qualquer iniciante ao seu objetivo. Não tem mistério. Procuramos acabar com várias bobagens que são ditas aos alunos, como começar pelos acompanhamentos, separar a técnica da execução e outras enrolações. Enroladas aqui são só as cordas nas cravelhas do instrumento. Todos podem improvisar a partir das figuras geométricas, sem precisar ler partituras ou tablaturas. Para isso basta seguir as instruções e, é claro, praticar. Ninguém ensina passivamente a tocar. É o aluno que aprende, apreendendo as informações e as colocando em prática. 16 Improviso 4 Produtora fonográfica CNPJ / ECAD ASSIM Rua Campevas 702 cj. 95 CEP São Paulo - SP Fone/Fax: (11) Editor e Autor: Saulo E.F. Wanderley Por isso, afine o seu instrumento (ou peça a alguém que o ajude em uma primeira vez) e coloque as mãos na massa, ou melhor nas cordas... NÓS TEMOS ISRC, E VOCÊ? ISRC é o International Standard Recording Code (Código Internacional de Normatização de Gravação - Norma ISO 3901) e obrigatório a partir do Decreto Lei 4533, de 22 de abril de 2002, para identificar as gravações. Todos os fonogramas de VIOLÃO 1 estão registrados para a Pauta Arte & Comunicação Ltda. (ISRC BRP19) Denuncie a pirataria. Faixa 01 - ISRC BRP Faixa 02 - ISRC BRP Faixa 03 - ISRC BRP Faixa 04 - ISRC BRP Faixa 05 - ISRC BRP Faixa 06 - ISRC BRP Faixa 07 - ISRC BRP Faixa 08 - ISRC BRP Faixa 09 - ISRC BRP Faixa 10 - ISRC BRP Faixa 11 - ISRC BRP Faixa 12 - ISRC BRP Faixa 13 - ISRC BRP Faixa 14 - ISRC BRP Faixa 15 - ISRC BRP Faixa 16 - ISRC BRP Faixa 17 - ISRC BRP Faixa 18 - ISRC BRP Faixa 19 - ISRC BRP Faixa 20 - ISRC BRP Faixa 21 - ISRC BRP TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1

3 Faixa 01 Como usar o CD, a escala e as figuras geométricas de improviso Nas faixas de 1 a 4 você encontrará as informações básicas para usar o CD e o impresso que o acompanha. Quanto à ALTURA, você vai afinar o seu instrumento (faixa 2) Você pode ainda baixar gratuitamente um programa de afinação do violão em: conhecer a digitação da escala maior (faixa 3) e se acostumar com as figuras geométricas de digitação para improvisar (faixa 4). TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1-3

4 Quanto à DURAÇÃO, na página 3 do impresso você tem as subdivisões do tempo usadas na maior parte das composições e improvisos. Elas estão divididas em 4 grupos: No primeiro - nas faixas de 5 a 8 - você usa apenas notas de um tempo e de 1/2 tempo. No segundo - nas faixas de 9 a 12 - você começa a usar notas de 1/4 de tempo, no terceiro - faixas de 13 a 16 - você mistura os sons de 1/2 e de um quarto de tempo em subdivisões exatas, isto é, com dois quartos de tempo ou meio-tempo nas batidas e subidas do pé, e no quarto e último grupo os sons de 1/2, de 1/4 e de 3/4 de tempo, que não são exatos, usando para isso outra dica desccrita na página 3 do impresso Antes das faixas 5, 9, 13 e 17 você tem uma explicação detalhada sobre estas subdivisões do tempo, usando apenas uma nota, para fixar melhor a propriedade DURAÇÃO, antes de partir para sua combinação com a ALTURA. 4 - TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1

5 Faixa 02 Afinação - Como afinar o violão relativamente, pela sexta corda O violão ou a guitarra podem ser afinados em relação à altura da sexta corda, a mais grave, que precisará estar mais ou menos afinada. A partir dela, você afina apertando a sexta corda na casa 5, obtendo aí a nota que afina a corda 5. Siga a gravação, apertando a corda 5 na casa 5 para obter o som da corda 4, a corda 4 na casa 5 para obter o som da corda 3, a corda 3 na quarta casa para obter o som da corda 2, e a corda 2 na quinta casa para obter o som da corda 1. Existem diversas formas de se afinar o violão. A descrita acima é a mais fácil, pois não depende do desenvolvimento de uma audição mais apurada, o que é absolutamente normal para os iniciantes. O ouvido se desenvolve aos poucos, e qualquer um pode aperfeiçoá-lo a ponto de chegar aos estágios de OUVIDO RELATIVO, que é capaz de afinar um instrumento RELATIVAMENTE, sempre se baseando em uma corda para afinar a seguinte, e mais tarde ao OUVIDO ABSOLUTO, que é capaz de discernir o som de uma nota musical sozinha. Cada nota tem uma frequência de vibração, assim como o peso de um quilo ou a medida de um metro. Isso não é necessário para quem começa a aprender, e o próprio processo de aprendizagem é que desenvolve o ouvido. Portanto, que os iniciantes não se desanimem, e procurem sempre afinar o violão sozinhos. Ajudas são semprem benvindas, mas procure pelo menos tentar sozinho. Para que tem acesso à internet, existem afinadores online, como no endereço: Você pode ainda baixar gratuitamente um programa de afinação do violão em: TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1-5

6 Faixa 03 A Escala Maior - Sua digitação fechada, no âmbito de quatro casas Usando os dois primeiros desenhos, digite a escala maior de Dó entre as casas 7 e 10. Treine a princípio devagar, e depois vá acelerando na medida em que sentir mais segurança. Existem várias digitações da escala MAIOR, que é apenas uma das inúmeras escalas musicais usadas em todos os estilos. Você deve começar pela digitação acima, que é chamada de digitação FECHADA, porque é fechada em 4 casas, e cada um dos 4 dedos da mão esquerda cuidará de tocar em uma destas 4 casas. Dessa forma, você não precisará de uma abertura muito grande entre os dedos, o que é comum para quem começa a tocar. DEDO 1 DEDO 2 DEDO 3 DEDO TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1

7 Existe ainda uma digitação ABERTA, no ãmbito de 5 casas,. Abaixo você tem uma comparação entre a digitação FECHADA e a ABERTA. No caso da digitação aberta, os dedos da mão esquerda continuam a ser os mesmos 4 dedos, só que você precisará de uma maior abertura entre os dedos 3 e 4. A digitação aberta será útil mais tarde, quando você for estudar outras escalas e compará-las entre si. DIGITAÇÃO FECHADA Uma das particularidades do violão é a possibilidade de tocar a mesma notaem mais de um lugar. Observe no desenho ao lado o começo da digitação da escala de DÓ MAIOR, a partir da casa 8. As notas em AZUL vão de DÓ a DÓ (mais agudo) na digitação entre as casas 7 e 10 (com fundo amarelo mais vivo). As mesmas notas podem ser tocadas mais acima no braço (fundo amarelo mais claro), em cordas soltas e entre as casas 1 e 3, Observe ainda como as notas da escala podem ser encontradas em vários outros lugares. A sonoridade de uma nota tocada em lugares diferentes é um pouco diferente quanto ao TIMBRE, mas é a mesma em termos de afinação, mais graves ou mais agudas segundo a OITAVA em que se encontram. Dá-se o nome de OITAVA ao grupo de notas compreendidas entre a nota 1 e a nota 8, a partir de uma nota dada. A partide de DÓ: TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1-7

8 Faixa 04 As Figuras de Improviso: Retângulos, quadrado e triângulos de 4 e 3 notas Com estas 8 figuras geométricas você vai ter bastante assunto para estudar e improvisar. Siga os desenhos enquanto ouve a gravação. Depois, passe a tocar devagar, e quando estiver mais seguro, toque junto com a gravação. As FORMAS GEOMÉTRICAS são uma maneira de visualizar, na digitação da escala, pequenos grupos de 3 ou 4 notas. Essa visualização permite ao iniciante nas improvisações tocar aleatoriamente pequenos trechos de notas. Ouvindo as gravações, você não terá dificuldade em compreender como funcionam estes trechos. Passo a passo, os trechos vão utilizando as divisões de tempo da página 4. Primeiro notas longas, de um tempo, passando a notas de meio-tempo e assim progressivamente usando os grupos de subdivisão dos sons de um tempo. Cada gravação usa, portanto, algumas formas geométricas e algumas subdivisões de sons. Assim o estudante poderá ir evoluindo não apenas na sua técnica de execução como também na educação de seu ouvido e percepção musical. Quando alguém diz que toda de ouvido quer apenas dizer que a AUDIÇÃO está no comando. Juntar a audição com o bom entendimento da teoria é o segredo para a evolução como instrumentista. 8 - TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1

9 Assim como a possibilidade de fazer soar uma mesma nota em vários lugares do seu braço, o violão oferece a possibilidade de serem usadas FORMAS GEOMÉTRICAS em diversas localidades. Nos desenhos abaixo resumimos as muitas localizações de: Desenho 1 - QUADRADOS (em amarelo) e RETÂNGULOS (em vermelho) Desenho 2 - TRIÂNGULOS (em amarelo). Assim sendo, você poderá estender seu estudo, utilizando todo o braço do instrumento nas suas improvisções. Mas é muito importante que o seu desenvolvimento seja feito PASSO A PASSO. Começe com as figuras geométricas da página ao lado, até que as memorize e use sem preocupação. O processo de aprendizagem das mãos deve se dar sob a coordenação do pensamento. Como dirigir um carro, você aos poucos vai assumindo o controle dos pedais, do volante e demais ferramentas, até que passa, automaticamente, a trocar de marcha, mudar de direção e acender os faróis, ao mesmo tempo TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1-9

10 Solo As subdivisões de 1 tempo e as de dois meios-tempos serão usadas nesta faixa 5 e nas faixas 6, 7 e 8. Ouça estas subdivisões tocadas na corda MI, a mais aguda do violão ou guitarra Sequência C, C/B, Am, F7+ com Retângulo 1 e subdivisões de 1 e 1/2 tempo Faixa Sequência C, C9, G6/B, C/B com Retângulo 1 e subdivisões de 1 e 1/2 tempo Faixa Sequência Am, Dm, G7, C7+ com Retângulo 2 e subdivisões de 1 e 1/2 tempo Faixa Sequência Am7, Dm9, G, C9 com Retângulo 2 e subdivisões de 1 e 1/2 tempo Faixa TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1

11 Base Nas gravações das faixas 5, 6, 7 e 8 é usado o ritmo esquematizado abaixo, de 4 tempos. Trata-se de um dedilhado usando os dedos P (polegar), I (indicador), M (médio) e A (anular) da mão direita. Cada um deles toca em um dos tempos do ritmo, um de cada vez. É um ritmo básico, simples, que é usado inicialmente nestas quatro faixas para facilitar o trabalho dos acompanhamentos. O dedo P (polegar) toca a corda mais grave das 4 cordas marcadas pelas bolinhas vermelhas na parte de baixo dos bracinhos dos acordes da página anterior (Solo). Leia abaixo mais instruções para executar os ritmos. POLEGAR INDICADOR MÉDIO ANULAR COLUNA 1 COLUNA 2 COLUNA 3 No desenho acima você tem 3 colunas que indicam: COLUNA 1 = os tempos e meios-tempos do COMPASSO, que é a unidade de ritmo, que é tocada repetidas vezes em cada acorde. COLUNA 2 = os DEDOS DA MÃO DIREITA, que devem tocar as cordas marcadas pelas bolinhas vermelhas na parte de baixo dos bracinhos dos acordes. COLUNA 3 = pezinhos que indicam o pé batendo no começo de cada um dos 4 tempos do compasso. Para bater novamente ele se LEVANTA nos meios-tempos. Treine o ritmo bem lento a princípio, e vá marcando os tempos com o pé, que vai auxiliar para que cada som seja tocado no tempo certo. A coordenação entre o pé e o que você vai tocar com as mãos vem com a prática. TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1-11

12 Solo As subdivisões de 4 quartos de tempo e ocasionalmente alguma de meio-tempo ou um tempo serão usadas nesta faixa 9 e nas faixas 10, 11 e 12. Ouça estas subdivisões tocadas na corda MI, a mais aguda do violão ou guitarra Sequência C, C/B, Am, F7+ com Triângulo 1 e subdivisões de 1/4 Faixa Sequência C, C9, G6/B, C/B com Triângulo 1 e subdivisões de 1/4 Faixa Sequência Am, Dm, G7, C7+ com Triângulo 2 e subdivisões de 1/4 Faixa Sequência Am7, Dm9, G, C9 com Triângulo 2 e subdivisões de 1/4 Faixa TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1

13 Base Nas gravações das faixas 9, 10, 11 e 12 é usado o ritmo esquematizado abaixo, de 4 tempos. O dedilhado usa os dedos P (polegar), I (indicador), M (médio), I (indicador), A (anular), I (indicador), M (médio), e I (indicador) da mão direita. Cada um deles toca em um dos meios-tempos do ritmo, um de cada vez. Este ritmo terá os sons de menor duração do que o anterior, pois se tratam de 8 sons de MEIO-TEMPO cada um, em vez 4 sons de um tempo. O dedo P (polegar) toca a corda mais grave das 4 cordas marcadas pelas bolinhas vermelhas na parte de baixo dos bracinhos dos acordes da página anterior (Solo). Leia abaixo mais instruções para executar os ritmos. POLEGAR INDICADOR MÉDIO INDICADOR ANULAR INDICADOR MÉDIO INDICADOR COLUNA 1 COLUNA 2 COLUNA 3 No desenho acima você tem 3 colunas que indicam: COLUNA 1 = os tempos e meios-tempos do COMPASSO, que é a unidade de ritmo, que é tocada repetidas vezes em cada acorde. COLUNA 2 = os DEDOS DA MÃO DIREITA, que devem tocar as cordas marcadas pelas bolinhas vermelhas na parte de baixo dos bracinhos dos acordes. COLUNA 3 = pezinhos que indicam o pé batendo no começo de cada um dos 4 tempos do compasso. Para bater novamente ele se LEVANTA nos meios-tempos. Treine o ritmo bem lento a princípio, e vá marcando os tempos com o pé, que vai auxiliar para que cada som seja tocado no tempo certo. A coordenação entre o pé e o que você vai tocar com as mãos vem com a prática. TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1-13

14 Solo As subdivisões de um meio-tempo e dois quartos de tempo e vice-versa - dois quartos de tempos e meio-tempo - serão usadas nesta faixa 13 e nas faixas 14, 15 e 16. Ouça estas subdivisões tocadas na corda MI, a mais aguda do violão ou guitarra Sequência C, C/B, Am, F7+ com Retângulo 3 e subdivisões de 1/2 e 1/4 Faixa Sequência C, C9, G6/B, C/B com Retângulo 3 e subdivisões de 1/2 e 1/4 Faixa Sequência Am, Dm, G7, C7+ com Quadrado e subdivisões de 1/2 e 1/4 Faixa Sequência Am7, Dm9, G, C9 com Quadrado e subdivisões de 1/2 e 1/4 Faixa TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1

15 Base Nas gravações das faixas 13, 14, 15 e 16 vamos usar um ritmo diferente. Ele será composto por dois tipos de toques. O primeiro é o dedo P (polegar), tocando o BAIXO (B) do acorde. Chamamos de baixo a corda mais grave a ser tocada em cada acorde, indicado pela bolinha vermelha mais à esquerda abaixo de cada bracinho de acorde. O segundo toque é a puxada das 3 cordas mais agudas de cada acorde (A), pelos dedos I (indicador), M (médio) e A (anular) da mão direita, que tocam JUNTOS. Observe nas fotos abaixo como devem ser puxadas as cordas mais agudas, que podem ser as cordas 1, 2 e 3 do acorde, ou as cordas 2, 3 e 4, dependendo de cada acorde. Observe sempre as bolinhas vermelhas dos bracinhos. B A COLUNA 1 COLUNA 2 COLUNA 3 No desenho acima você tem 3 colunas que indicam: COLUNA 1 = os tempos e meios-tempos do COMPASSO, que é a unidade de ritmo, que é tocada repetidas vezes em cada acorde. COLUNA 2 = os DEDOS DA MÃO DIREITA, que devem tocar as cordas marcadas pelas bolinhas vermelhas na parte de baixo dos bracinhos dos acordes. COLUNA 3 = pezinhos que indicam o pé batendo no começo de cada um dos 4 tempos do compasso. Para bater novamente ele se LEVANTA nos meios-tempos. Treine o ritmo bem lento a princípio, e vá marcando os tempos com o pé, que vai auxiliar para que cada som seja tocado no tempo certo. A coordenação entre o pé e o que você vai tocar com as mãos vem com a prática. TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1-15

16 Solo As subdivisões de meios e quartos de tempo não exatas devem ser treinadas com mais atenção, pois envolvem sons que passam de uma metade à outro da unidade de tempo, e a dica da página 3, de usar os dedos e cantar para definir estas subdivisões deve ser treinada cantando e tocando Sequência C, C/B, Am, F7+ com Triângulo 3 e subdivisões de 1/2 e 1/4 Faixa Sequência C, C9, G6/B, C/B com Triângulo 3 e subdivisões de 1/2 e 1/4 Faixa Sequência Am, Dm, G7, C7+ com Triângulo 4 e subdivisões de 1/2 e 1/4 Faixa Sequência Am7, Dm9, G, C9 com Triângulo 4 e subdivisões de 1/2 e 1/4 Faixa TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1

17 Base Nas gravações das faixas 17, 18, 19 e 20 vamos usar um ritmo diferente. Ele será composto por dois tipos de toques. O primeiro é o dedo P (polegar), tocando o BAIXO (B) do acorde. Chamamos de baixo a corda mais grave a ser tocada em cada acorde, indicado pela bolinha vermelha mais à esquerda abaixo de cada bracinho de acorde. O segundo toque é a puxada das 3 cordas mais agudas de cada acorde (A), pelos dedos I (indicador), M (médio) e A (anular) da mão direita, que tocam JUNTOS. Observe nas fotos abaixo como devem ser puxadas as cordas mais agudas, que podem ser as cordas 1, 2 e 3 do acorde, ou as cordas 2, 3 e 4, dependendo de cada acorde. Observe sempre as bolinhas vermelhas dos bracinhos. B A COLUNA 1 COLUNA 2 COLUNA 3 No desenho acima você tem 3 colunas que indicam: COLUNA 1 = os tempos e meios-tempos do COMPASSO, que é a unidade de ritmo, que é tocada repetidas vezes em cada acorde. COLUNA 2 = os DEDOS DA MÃO DIREITA, que devem tocar as cordas marcadas pelas bolinhas vermelhas na parte de baixo dos bracinhos dos acordes. COLUNA 3 = pezinhos que indicam o pé batendo no começo de cada um dos 4 tempos do compasso. Para bater novamente ele se LEVANTA nos meios-tempos. Treine o ritmo bem lento a princípio, e vá marcando os tempos com o pé, que vai auxiliar para que cada som seja tocado no tempo certo. A coordenação entre o pé e o que você vai tocar com as mãos vem com a prática. TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1-17

18 Solo Para finalizar nosso trabalho, eis uma faixa onde tudo o que você aprendeu está explicado. Você vai usar as 4 sequências de acordes na ordem em que aparecem na página 4, todos os desenhos geométricos de localização de notas para improviso e todas as subdivisões do tempo. Faixa TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1

19 Base Na gravação da faixa 21 é usado o ritmo esquematizado abaixo, de 4 tempos. O dedilhado usa os dedos P (polegar), I (indicador), M (médio), I (indicador), A (anular), I (indicador), M (médio), e I (indicador) da mão direita. Cada um deles toca em um dos meios-tempos do ritmo, um de cada vez. Este ritmo terá os sons de menor duração do que o anterior, pois se tratam de 8 sons de MEIO-TEMPO cada um, em vez 4 sons de um tempo. O dedo P (polegar) toca a corda mais grave das 4 cordas marcadas pelas bolinhas vermelhas na parte de baixo dos bracinhos dos acordes da página anterior (Solo). Leia abaixo mais instruções para executar os ritmos. POLEGAR INDICADOR MÉDIO INDICADOR ANULAR INDICADOR MÉDIO INDICADOR COLUNA 1 COLUNA 2 COLUNA 3 No desenho acima você tem 3 colunas que indicam: COLUNA 1 = os tempos e meios-tempos do COMPASSO, que é a unidade de ritmo, que é tocada repetidas vezes em cada acorde. COLUNA 2 = os DEDOS DA MÃO DIREITA, que devem tocar as cordas marcadas pelas bolinhas vermelhas na parte de baixo dos bracinhos dos acordes. COLUNA 3 = pezinhos que indicam o pé batendo no começo de cada um dos 4 tempos do compasso. Para bater novamente ele se LEVANTA nos meios-tempos. Treine o ritmo bem lento a princípio, e vá marcando os tempos com o pé, que vai auxiliar para que cada som seja tocado no tempo certo. A coordenação entre o pé e o que você vai tocar com as mãos vem com a prática. TOQUE IGUAL AO DISCO - VIOLÃO 1-19

GUITARRA 1. da afinação ao improviso, escalas maiores, menores, pentatônicas e de blues, formação de acordes e bicordes. CD com solos e acompanhamento

GUITARRA 1. da afinação ao improviso, escalas maiores, menores, pentatônicas e de blues, formação de acordes e bicordes. CD com solos e acompanhamento GUITARRA 1 da afinação ao improviso, escalas maiores, menores, pentatônicas e de blues, formação de acordes e bicordes CD com solos e acompanhamento Apoios: Saulo van der Ley Guitarrista e violonista Composição

Leia mais

Título: Partitura Total

Título: Partitura Total Título: Partitura Total 1. Apresentação: O método dmusichouse é reconhecido como o pioneiro do mundo e atualmente como o melhor da América Latina. Nosso trabalho é facilmente demonstrado através de diversos

Leia mais

O básico da Guitarra - Aula 6 J. Junior. Acordes Básicos

O básico da Guitarra - Aula 6 J. Junior. Acordes Básicos O básico da Guitarra - Aula 6 J. Junior Acordes Básicos Muitas vezes, o que mexe com a gente e nos faz querer tocar guitarra é aquele solo ou riff do guitarrista da nossa banda favorita, mas devemos saber

Leia mais

Violão Clássico. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos!

Violão Clássico. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Violão Clássico Prof. Juarez Barcellos Licença Creative Commons Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Em 2002, comecei a dar aulas particulares nas Em 2002, comecei a dar aulas

Leia mais

Caderno de Postura. Prof. Luiz Mello

Caderno de Postura. Prof. Luiz Mello Caderno de Postura Prof. Luiz Mello CADERNO DE POSTURA Este caderno de postura tem como objetivo demonstrar os principais pontos relacionados a maneira de como tocar violão e guitarra de uma maneira saudável,

Leia mais

CAPOTRASTE ou BRAÇADEIRA VOCÊ SABE COMO USAR?

CAPOTRASTE ou BRAÇADEIRA VOCÊ SABE COMO USAR? CAPOTRASTE ou BRAÇADEIRA VOCÊ SABE COMO USAR? MARCAS - FABRICANTES As Fotos mostram alguns modelos mais usados de Capotraste. Teoricamente o capotraste ou braçadeira, uma vez adaptado ao braço do violão,

Leia mais

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Apostila de Iniciação ao Violão e Guitarra Miigueell do Prrado Urrttado São Carlos SP, 23 de fevereiro de 2006. Contatos: miguelurtado@yahoo.com.br miguelurtado@polvo.ufscar.br Proibido reprodução do material

Leia mais

Escala Pentatônica - Desenho 3

Escala Pentatônica - Desenho 3 Escala Pentatônica - Desenho A escala pentatônica é a escala de melhor custo x benefício que existe. Ela é derivada da escala maior (aqueles 7 nomes...dó, ré, mi, fá, sol, lá e si ) só que ela não tem

Leia mais

Escalas I. Escalas - I. Escala Pentatônica Menor e Escala Penta-blues. Assista a aula completa em: http://www.youtube.com/watch?

Escalas I. Escalas - I. Escala Pentatônica Menor e Escala Penta-blues. Assista a aula completa em: http://www.youtube.com/watch? Escalas - I Escala Pentatônica Menor e Escala Penta-blues Assista a aula completa em: http://www.youtube.com/watch?v=ek0phekndbu Sumário Introdução Escalas Musicais...0 Escala Pentatônica Menor Histórico

Leia mais

INSTRUTOR Zeh Blackie. CURSO DE GUITARRA Nível Básico. 7º Passo

INSTRUTOR Zeh Blackie. CURSO DE GUITARRA Nível Básico. 7º Passo INSTRUTOR Zeh Blackie CURSO DE GUITARRA Nível Básico 7º Passo Copyright -Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada destes materiais, no todo ou em parte, constitui violação do direitos

Leia mais

02 ELABORADO POR PROFESSOR MUSICAL OTANIEL RICARDO

02 ELABORADO POR PROFESSOR MUSICAL OTANIEL RICARDO MÉTOO E VIOLINO NÍVEL INTERMEIÁRIO Vol. 02 ELBORO POR PROFESSOR MUSICL OTNIEL RICRO 1 UTOR Otaniel Ricardo Santos Foi Professor/Maestro da Banda Musical Ecos do Céu da Igreja Evangélica ssembléia de eus

Leia mais

TONALIDADE X FREQUÊNICA

TONALIDADE X FREQUÊNICA Som, notas e tons TONALIDADE X FREQUÊNICA O violão é um instrumento musical e o seu objetivo é fazer música. Música é a organização de sons em padrões que o cérebro humano acha agradável (ou pelo menos

Leia mais

O desenho 3 ordem PROVA Prova Adaptabilidade Conectando... Desenho 5 e 1 Desenho 4 Desenho 2 Desenho 3 No mé m t

O desenho 3 ordem PROVA Prova Adaptabilidade  Conectando... Desenho 5 e 1 Desenho 4 Desenho 2 Desenho 3 No mé m t Repertório Palm Muting. Intro de Que País é esse? You shook Beat it 14 Ainda é Cedo harmônicos. 14 Ode à Alegria Arranjo quarteto de cordas. 9 30 25 24 22 21 20 16 13 12 11 10 8 4 7 5 2 mulado 29 28 26

Leia mais

Apostila Básica de Violão

Apostila Básica de Violão Apostila Básica de Violão Resumos para aulas MARANATA O Senhor Jesus Vem! Sumário Introdução... 2 Estrutura musical... 3 Cifras... 4 Acordes e Escalas... 4 Conhecendo o violão... 5 Enfim a prática!...

Leia mais

Violão Popular. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos!

Violão Popular. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Violão Popular Prof. Juarez Barcellos Licença Creative Commons Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Em 2002, comecei a dar aulas particulares nas Em 2002, comecei a dar aulas particulares

Leia mais

ÍNDICE... 1 APRESENTAÇÃO... 3 CONHECENDO O SEU INSTRUMENTO...

ÍNDICE... 1 APRESENTAÇÃO... 3 CONHECENDO O SEU INSTRUMENTO... Índice ÍNDICE... 1 APRESENTAÇÃO... 3 CONHECENDO O SEU INSTRUMENTO... 4 O TECLADO... 4 TIPOS DE TECLADOS... 4 Sintetizadores... 4 Teclados com acompanhamento automático... 4 Workstations... 4 Pianos digitais...

Leia mais

APRENDA MÚSICA Vol I 1. As notas musicais no endecagrama

APRENDA MÚSICA Vol I 1. As notas musicais no endecagrama APRENDA MÚSICA Vol I 1. As notas musicais no endecagrama Devido à grande extensão do teclado e conseqüentemente um grande número de notas, localizadas em diferentes oitavas, precisamos de dois pentagramas.

Leia mais

As Notas Musicais. O processo moderno utiliza códigos quando se refere a cada uma das notas. Este código é chamado de CIFRA.

As Notas Musicais. O processo moderno utiliza códigos quando se refere a cada uma das notas. Este código é chamado de CIFRA. Para focalizar a mente façamos um ditado.omplete. As Notas Musicais São aqueles 7 nomes que todo mundo já ouviu falar (Dó, Ré Mi, Fá, Sol, Lá e Si) mas, ao contrário do que muitas pessoas pensam, existem

Leia mais

O canto coletivo, ensinando a canção Samba lelê

O canto coletivo, ensinando a canção Samba lelê O canto coletivo é a prática musical mais elementar na educação musical, grandes educadores musicais como Dalcroze, Kodaly, Willems, Villa-Lobos e outros, utilizavam a voz e o canto coletivo como ponto

Leia mais

Ferramenta de Testagem IECL Orientações para o Aluno (PT)

Ferramenta de Testagem IECL Orientações para o Aluno (PT) Ferramenta de Testagem IECL Orientações para o Aluno (PT) Índice 1 INTRODUÇÃO 3 2 REALIZAÇÃO DOS TESTES 3 2.1 Login 3 2.2 Verificação do áudio para o teste de Audição 5 2.3 Realização de um teste 5 3 Informação

Leia mais

24 Acorde Maior X Acorde Menor - Conteúdo

24 Acorde Maior X Acorde Menor - Conteúdo Introdução Formação de Escalas e de Acordes Encadeamentos e Harmonia Acordes Maiores e Menores Tons Homônimos Encadeamento V7 i em Fá Menor (Fm) Cadência de Picardia próxima 2 Introdução Nas Unidades de

Leia mais

Início em Arranjos Musicais

Início em Arranjos Musicais Marcelo Morales Torcato Início em Arranjos Musicais 1ª. Edição Pauliceia Marcelo Morales Torcato 2009 PRIMEIRA AULA. As notas musicais são sete: dó; ré; mi; fá; sol; lá; si. Também podem ser representadas

Leia mais

MÉTODO Maurício Barca

MÉTODO Maurício Barca MÉTODO Maurício Barca GUIA DE ESTUDO PREPARATÓRIO M.B Copyright 1999Todos os direitos reservados A maior parte dos músicos guitarristas vivem da música tocando pôr aí com um pouco mais das informações

Leia mais

Se for a 1ª vez que usa o sistema, utilize o operador suporte com a senha 1234

Se for a 1ª vez que usa o sistema, utilize o operador suporte com a senha 1234 Parabéns, sua empresa acaba de adquirir um software de controle biométrico que usa as técnicas mais modernas de detecção de acesso. Vamos aprender a usa-lo? Ao clicar no Icone do BIO, verá a tela principal.

Leia mais

COMO LER E ESCREVER PARTITURAS - I

COMO LER E ESCREVER PARTITURAS - I COMO LER E ESCREVER PARTITURAS - I ALTURAS Philippe Lobo 03 Introdução Um pouco de História 06 Conhecimentos Preliminares Contextualização Teórica Cordas Soltas + Escala Cromática 08 Entendendo a Pauta

Leia mais

NOTAÇÃO MUSICAL TRADICIONAL: Como se escrever música?

NOTAÇÃO MUSICAL TRADICIONAL: Como se escrever música? NOTAÇÃO MUSICAL TRADICIONAL: Como se escrever música? A música é uma linguagem sonora como a fala. Assim como representamos a fala por meio de símbolos do alfabeto, podemos representar graficamente a música

Leia mais

Ouvindo a Queda Livre

Ouvindo a Queda Livre Ouvindo a Queda Livre Roteiro do Professor Resumo: Para experimentos de queda livre é natural que se pense num experimento bem simples: Largar uma bolinha de uma determinada altura e pedir para que alguém

Leia mais

APOSTILA DO CURSO. Parabéns por ter se cadastrado no curso online da D Music House!

APOSTILA DO CURSO. Parabéns por ter se cadastrado no curso online da D Music House! APOSTILA DO CURSO Parabéns por ter se cadastrado no curso online da D Music House! A partir de agora você entrará em contato com o primeiro e melhor curso de violão e guitarra via internet do Mundo! Atenção:

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS

CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS Relembrando... Gabinete Ligando o computador São três passos básicos O ambiente Windows O Windows é um tipo de software chamado sistema operacional

Leia mais

VERSÃO DEMO DO MÉTODO DE GUITARRA: CURE SEU IMPROVISO: MODOS GREGOS POR ROBERTO TORAO

VERSÃO DEMO DO MÉTODO DE GUITARRA: CURE SEU IMPROVISO: MODOS GREGOS POR ROBERTO TORAO VERSÃO DEMO DO MÉTODO DE GUITARRA: CURE SEU IMPROVISO: MODOS GREGOS POR ROBERTO TORAO CURE SEU IMPROVISO - MODOS GREGOS. Primeiramente, muito obrigado por apoiar meu trabalho e depois do grande sucesso

Leia mais

Como fazer benchmark do computador

Como fazer benchmark do computador O que é o Índice de Experiência do Windows? O Índice de Experiência do Windows é uma medição que informa como o seu PC funciona com o Windows e usa uma pontuação básica para classificar a experiência que

Leia mais

Perspectiva isométrica de modelos com elementos paralelos e oblíquos

Perspectiva isométrica de modelos com elementos paralelos e oblíquos Perspectiva isométrica de modelos com elementos paralelos e oblíquos Introdução Na aula anterior você aprendeu o traçado da perspectiva isométrica de um modelo simples: o prisma retangular. No entanto,

Leia mais

Lundu do tropeiro. Música na escola: exercício 4

Lundu do tropeiro. Música na escola: exercício 4 Lundu do tropeiro Música na escola: exercício 4 Lundu Partituras Melodia, harmonia e letra do tropeiro Autor: Autor desconhecido, canção folclórica Região: Goiás Fonte: 500 Canções Brasileiras, de Ermelinda

Leia mais

Araquari - SC Tel: 55 (47) 3447-7300 - www.nvm.com.br. Manual de detalhes do pedido

Araquari - SC Tel: 55 (47) 3447-7300 - www.nvm.com.br. Manual de detalhes do pedido Manual de detalhes do pedido Neste documento abordaremos alguns detalhes que são importantes para correta utilização dos projetos no Web Glass e confecção de pedidos peça a peça. A layout de apresentação

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM LIBREOFFICE IMPRESS

CAPACITAÇÃO EM LIBREOFFICE IMPRESS CAPACITAÇÃO EM LIBREOFFICE IMPRESS Nelson Luiz Cesário FCAV/UNESP Câmpus de Jaboticabal O que é o Impress? O Impress é o aplicativo de criação e edição de apresentações da família LibreOffice. Você pode

Leia mais

Trabalhando com arquivos de som. Prof. César Bastos Fevereiro 2008

Trabalhando com arquivos de som. Prof. César Bastos Fevereiro 2008 Trabalhando com arquivos de som Prof. César Bastos Fevereiro 2008 Usando a mídia de som Vamos considerar os programas gratuitos como base de nossas ferramentas nesse curso, assim todos poderão usufruir

Leia mais

INICIAÇÃO À MÚSICA E AO VIOLÃO

INICIAÇÃO À MÚSICA E AO VIOLÃO INICIAÇÃO À MÚSICA E AO VIOLÃO MARIO SALES SANTOS CAMPO HARMÔNICO São Paulo 2013 SUMARIO O QUE É O CAMPO HARMÔNICO... 02 OUTROS CAMPOS MAIORES... 03 HARMONIZAÇÃO PELO C.H E DICA DE COMPOSIÇÃO... 05 O QUE

Leia mais

TUTORIAL COMO CRIAR E EDITAR UM VÍDEO NO WINDOWS MOVIE MAKER*

TUTORIAL COMO CRIAR E EDITAR UM VÍDEO NO WINDOWS MOVIE MAKER* TUTORIAL COMO CRIAR E EDITAR UM VÍDEO NO WINDOWS MOVIE MAKER* * Microsoft Windows MovieMakeré um programa da Microsoft Corporation. A versão utilizada é a 5.1 que já vem instalada no Microsoft Windows

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 Nesta aula você aprenderá a diferenciar um desenhista de um ilustrador e ainda iniciará com os primeiros exercícios de desenho. (Mateus Machado) O DESENHISTA E O ILUSTRADOR Ainda que não sejam profissionais

Leia mais

Sistema de Automaçaõ de Vendas Manual Passo a Passo

Sistema de Automaçaõ de Vendas Manual Passo a Passo Sistema de Automaçaõ de Vendas Manual Passo a Passo Transmissão Antes de começar a trabalhar, vamos entender o item do menu transmissão, é nele que se faz atualização dos dados do moinho para o seu computador,

Leia mais

CURSO DE ÁUDIO E TÉCNICAS DE GRAVAÇÃO EM ESTÚDIO

CURSO DE ÁUDIO E TÉCNICAS DE GRAVAÇÃO EM ESTÚDIO CURSO DE ÁUDIO E TÉCNICAS DE GRAVAÇÃO EM ESTÚDIO Nos encontramos na música O AfroReggae e a Natura acreditam na cultura. Por isso, estamos juntos mais uma vez para revelar talentos e dar voz aos jovens

Leia mais

FÓRMULA VIOLÃO EXPRESS

FÓRMULA VIOLÃO EXPRESS Direitos Autorais Todos os Direitos reservados a Fábio de Amorim Teodoro. Este e-book só pode ser distribuído juntamente com o Curso Gratuito Fórmula Violão Express. Parartestes Alongamento dodo ViolãoViolão

Leia mais

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART Continuação 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART a) Vá para o primeiro slide da apresentação salva no item 31. b) Na guia PÁGINA INICIAL, clique no botão LAYOUT e selecione (clique) na opção TÍTULO

Leia mais

FORMAÇÃO E ESTRUTURAS DOS ACORDES; ESCALAS:

FORMAÇÃO E ESTRUTURAS DOS ACORDES; ESCALAS: FORMAÇÃO E ESTRUTURAS DOS ACORDES; ESCALAS: CROMÁTICA, DIATÔNICA, NATURAL, GREGAS, MELÓDICAS, HARMÔNICAS, DIMINUTAS, PENTATÔNICAS. SINAIS COMUNS E SÍMBOLOS MUSICAIS NOÇÕES DE IMPROVISAÇÃO: RITÍMICA, BASE

Leia mais

Noções Básicas de Teoria Musical. por Alessandro Penezzi

Noções Básicas de Teoria Musical. por Alessandro Penezzi Noções Básicas de Teoria Musical por Alessandro Penezzi São Paulo, 1999 1) INTRODUÇÃO...4 a) Som é tudo o que ouvimos....4 b) Música é a arte de combinar sons....4 c) Notas Musicais...4 d) Grau Conjunto...5

Leia mais

LUXVISION HÍBRIDO VER AS IMAGENS ATRAVÉS DO INTERNET EXPLORER. Abra o INTERNET EXPLORER, vá em FERRAMENTAS, OPÇÕES DA INTERNET.

LUXVISION HÍBRIDO VER AS IMAGENS ATRAVÉS DO INTERNET EXPLORER. Abra o INTERNET EXPLORER, vá em FERRAMENTAS, OPÇÕES DA INTERNET. LUXVISION HÍBRIDO VER AS IMAGENS ATRAVÉS DO INTERNET EXPLORER. Abra o INTERNET EXPLORER, vá em FERRAMENTAS, OPÇÕES DA INTERNET. Clique na guia SEGURANÇA, NÍVEL PERSONALIZADO. Ir até os ActiveX ( desenho

Leia mais

Fechadura Segura e Inteligente para portas a prova de arrombamento

Fechadura Segura e Inteligente para portas a prova de arrombamento Fechadura Segura e Inteligente para portas a prova de arrombamento Instruções APROVADO PELA ISO 9001:2000 Bem vindo ao uso Obrigado por escolher o Sistema Inteligente de segurança no reconhecimento da

Leia mais

Apostila de Ensino Violão (Módulo I)

Apostila de Ensino Violão (Módulo I) Apostila de Ensino Violão (Módulo I) APRESENTAÇÃO Esta apostila reúne uma compilação de estudos embasados nas devidas referências bibliográficas, notações complementares e exercícios práticos criados;

Leia mais

Publisher. Publisher. versão 2012.2

Publisher. Publisher. versão 2012.2 versão 2012.2 Publisher Publisher Para diagramar, vamos utilizar o Publisher, do pacote de programas Microsoft Office. As instruções valem para as versões 2003, 2007 e 2010 do pacote. Vamos aprender através

Leia mais

Com uma coleção de figuras e de formas geométricas que mais parecem um jogo, mostre à turma que os números também têm seu lado concreto

Com uma coleção de figuras e de formas geométricas que mais parecem um jogo, mostre à turma que os números também têm seu lado concreto Universidade Severino Sombra Fundamentos Teóricos e Metodologia de Matemática 1 1 Com uma coleção de figuras e de formas geométricas que mais parecem um jogo, mostre à turma que os números também têm seu

Leia mais

Publisher. Publisher. versão 2012.2

Publisher. Publisher. versão 2012.2 versão 2012.2 Publisher Publisher Para diagramar, vamos utilizar o Publisher, do pacote de programas Microsoft Office. As instruções valem para as versões 2003, 2007 e 2010 do pacote. Vamos aprender através

Leia mais

TESTES AUDITIVOS: incluídos no exame prático de todos os alunos

TESTES AUDITIVOS: incluídos no exame prático de todos os alunos TESTES AUDITIVOS: incluídos no exame prático de todos os alunos a Podem encontrar-se exemplos dos testes em Modelos de Testes Auditivos, publicados em dois livros, um para os Níveis 1 5 e outro para os

Leia mais

PASSO A PASSO MOVIE MAKER

PASSO A PASSO MOVIE MAKER PASSO A PASSO MOVIE MAKER Nesta etapa, você deverá apresentar o programa e ajudá-los a montarem o filme. Veja como é fácil. Siga as instruções do passo-a-passo: DICA O que é o Movie Maker? Com o Microsoft

Leia mais

Como criar uma máquina virtual para instalar o Windows XP ou outro?

Como criar uma máquina virtual para instalar o Windows XP ou outro? Como criar uma máquina virtual para instalar o Windows XP ou outro? Existem vários programas para isso, entre eles o Parallels que é pago, o VMWare, o Virtual Box e outros. Hoje vamos abordar o Virtual

Leia mais

Informática no Ensino de Matemática Prof. José Carlos de Souza Junior

Informática no Ensino de Matemática Prof. José Carlos de Souza Junior Informática no Ensino de Matemática Prof. José Carlos de Souza Junior http://www.unifal-mg.edu.br/matematica/?q=disc jc Aula 05 - Desvendando o GeoGebra PARTE 04 - COMO APAGAR OBJETOS. Ao iniciar o GeoGebra,

Leia mais

Escalas II Escalas - II Escala Maior Natural Assista a aula completa em: http://cifraclub.tv/v977

Escalas II Escalas - II Escala Maior Natural Assista a aula completa em: http://cifraclub.tv/v977 Escalas - II Escala Maior Natural Assista a aula completa em: http://cifraclub.tv/v977 Sumário Introdução Escalas Naturais... 0 Conceitos preliminares Tônica, Tom e Tonalidade... 0 Melodia e Harmonia...

Leia mais

Aprender brincando e brincar aprendendo: zero a três anos

Aprender brincando e brincar aprendendo: zero a três anos Aprender brincando e brincar aprendendo: zero a três anos Brincadeiras são peças fundamentais na engrenagem da Educação Infantil. Não se trata de apenas distrair as crianças. Brincar contribui para o desenvolvimento

Leia mais

Manual de Operações CIC ITC ITE

Manual de Operações CIC ITC ITE Manual de Operações CIC ITC ITE ÍNDICE CIC Parabéns O seu aparelho auditivo Funções e controles Identificação Baterias Inserção e remoção Liga, desliga e nível de volume Funções opcionais Utilizando o

Leia mais

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA Ficha técnica no. 2.1 Atividade Principal 2.1 SENTINDO A NATUREZA Objetivo da 2 Os escoteiros estão trabalhando por um mundo onde o habitat natural seja suficiente para suportar as espécies nativas. Objetivos

Leia mais

NÚCLEO DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO: WINDOWS MOVIE MAKER TUTORIAL

NÚCLEO DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO: WINDOWS MOVIE MAKER TUTORIAL NÚCLEO DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO: WINDOWS MOVIE MAKER TUTORIAL O que é o Windows Movie Maker? É um programa que permite criar nossos próprios filmes com som, músicas, transição e efeito de vídeo.

Leia mais

Índice. * Recursos a partir da IOS 4.1. Telefone (11)2762-9576 Email sac@iphonebest.com.br. www.iphonebest.com.br

Índice. * Recursos a partir da IOS 4.1. Telefone (11)2762-9576 Email sac@iphonebest.com.br. www.iphonebest.com.br 1 Índice Utilizando o Gerenciador Multi Tarefa... 3 Organização de aplicativos... 8 Configurar Gmail... 15 Página favorita em ícone... 18 Excluindo Aplicativos e Ícones Favoritos...21 Gerenciar Aplicativos

Leia mais

1) 2) 3) CD 4 Faixas: 80 80.

1) 2) 3) CD 4 Faixas: 80 80. 1ª Aula a) Cumprimentar cada criança cantando seu nome e dando um beijinho com fantoche. Nas primeiras aulas use sempre um fantoche na hora do cumprimento para ganhar a aproximação do aluno. Depois pode

Leia mais

http://www.contrabaixo2.blogger.com.br/

http://www.contrabaixo2.blogger.com.br/ 1 de 7 21/09/2010 23:50 Harmonia funcional 1 Introdução A harmonia funcional é um campo da música que estuda os acordes, a relação entre eles e a função de cada um dentro da música. Aprender harmonia funcional

Leia mais

Manual do Artikulate. Andreas Cord-Landwehr Ondrila Gupta Tradução: André Marcelo Alvarenga

Manual do Artikulate. Andreas Cord-Landwehr Ondrila Gupta Tradução: André Marcelo Alvarenga Andreas Cord-Landwehr Ondrila Gupta Tradução: André Marcelo Alvarenga 2 Conteúdo 1 Introdução 5 1.1 Conceito de aprendizagem................................. 5 1.2 Primeiros passos no Artikulate..............................

Leia mais

A Patrulha com Ritmo. Sumário da Actividade. Objectivos. Áreas de desenvolvimento e objectivos educativos. Progresso na Tribo de Escoteiros.

A Patrulha com Ritmo. Sumário da Actividade. Objectivos. Áreas de desenvolvimento e objectivos educativos. Progresso na Tribo de Escoteiros. Sumário da Actividade A Tribo de Escoteiros e a Tribo de Exploradores organizam um festival de música em que cada Patrulha faz uma apresentação musical. Os instrumentos musicais podem ser construídos pelos

Leia mais

ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE

ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE GRUPO: 7 PERÍODO: / à / ÁREA DO CONHECIMENTO: Música CARGA HORÁRIA: COMPETÊNCIAS E HABILIDADES PLANO DA I UNIDADE - Conhecer e criar novas melodias. - Desenvolver

Leia mais

Valores: R$ 21,00 (comerciário/dependente), R$ 37,00 (conveniado) e R$ 48,00 (usuário).

Valores: R$ 21,00 (comerciário/dependente), R$ 37,00 (conveniado) e R$ 48,00 (usuário). CURSOS DE MÚSICA DO SESC (2º Semestre) MODALIDADE INICIANTE 1) VIOLÃO POPULAR Este curso está direcionado ao estudo da música popular com acompanhamento harmônico. Serão praticadas canções do repertório

Leia mais

Como funciona o site treinamento técnico ON-LINE?

Como funciona o site treinamento técnico ON-LINE? Manual do Usuário INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO TREINAMENTO ON LINE A ATIC Tecnologia do Brasil Ltda. com o objetivo de atender aos seus diversos clientes, oferece treinamentos EAD - Educação a Distância

Leia mais

Tríades. Teoria Musical. Formação acordes I. Tríades. Assista a aula completa em: http://youtu.be/zw7v4tma8j4

Tríades. Teoria Musical. Formação acordes I. Tríades. Assista a aula completa em: http://youtu.be/zw7v4tma8j4 Teoria Musical Formação acordes I Tríades Assista a aula completa em: http://youtu.be/zw7v4tma8j4 1 Fórmula para Tríades Maiores: Fundamental 3ª Maior 5ª Justa C Dó Mi Sol Terça maior Fórmula para Tríades

Leia mais

O computador organiza os programas, documentos, músicas, fotos, imagens em Pastas com nomes, tudo separado.

O computador organiza os programas, documentos, músicas, fotos, imagens em Pastas com nomes, tudo separado. 1 Área de trabalho O Windows XP é um software da Microsoft (programa principal que faz o Computador funcionar), classificado como Sistema Operacional. Abra o Bloco de Notas para digitar e participar da

Leia mais

NOTAÇÃO MUSICAL: Como se escreve música?

NOTAÇÃO MUSICAL: Como se escreve música? NOTAÇÃO MUSICAL: Como se escreve música? A música é uma linguagem sonora como a fala. Assim como representamos a fala por meio de símbolos do alfabeto, podemos representar graficamente a música por meio

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA AGENDA

Leia mais

English Adventure. By Carmen Castellani Consultant and Teacher trainer

English Adventure. By Carmen Castellani Consultant and Teacher trainer English Adventure By Carmen Castellani Consultant and Teacher trainer " Eu toco o futuro, eu ensino." Christa McAuliffe Você está pronto para levar seus alunos para uma English Adventure? Principais características

Leia mais

Alfabetização na musicalização infantil

Alfabetização na musicalização infantil Alfabetização na musicalização infantil Cristiane Baroni Alleoni, Escola Harmonia,escolaharmonia@terra.com.br Resumo: Este texto apresenta um relato de experiência de um trabalho realizado com alunos do

Leia mais

APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice Aula 1 - Área de trabalho e personalizando o sistema... 3 A área de trabalho... 3 Partes da área de trabalho.... 4 O Menu Iniciar:...

Leia mais

ROTEIRO PARA INSCRIÇÃO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM (AVA) FASB-MOODLE. Elaborado por: Cristiano de Oliveira Farias Professor FASB

ROTEIRO PARA INSCRIÇÃO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM (AVA) FASB-MOODLE. Elaborado por: Cristiano de Oliveira Farias Professor FASB ROTEIRO PARA INSCRIÇÃO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM (AVA) FASB-MOODLE Elaborado por: Cristiano de Oliveira Farias Professor FASB 1. OBTENDO UM E-MAIL. (caso já possua e use com freqüência, vá para

Leia mais

1 Noções de software musical Conteúdo

1 Noções de software musical Conteúdo Introdução Conceitos básicos de software educacional e informática na educação O software musical como auxílio aos professores de música Software para acompanhamento Software para edição de partituras

Leia mais

Mapa Musical da Bahia 2014 FAQ

Mapa Musical da Bahia 2014 FAQ Mapa Musical da Bahia 2014 FAQ 1. O que é o Mapa Musical da Bahia? O Mapa Musical da Bahia é uma ação da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB) para mapear, reconhecer e promover a difusão da música

Leia mais

15- Botão Trocar instrumento

15- Botão Trocar instrumento Capítulo 5 Implementação de um editor MIDI para violão com articulação humanizada nota a nota 95 15- Botão Trocar instrumento Este botão troca todos os instrumentos de todas as notas. Ele chama a função

Leia mais

Como Tocar Cavaquinho

Como Tocar Cavaquinho Como Tocar Cavaquinho Conteúdo Introdução... 4 O Objetivo... 4 Música... 5 O Cavaquinho... 5 Início... 6 Conhecendo As Cifras... 6 (Tríade)... 7 Escalas... 7 Mão Esquerda... 11 Mão Direita... 12 Conhecendo

Leia mais

Manual Básico de Preenchimento (Sistema do ISRC)

Manual Básico de Preenchimento (Sistema do ISRC) Manual Básico de Preenchimento (Sistema do ISRC) O SISRC (Sistema do ISRC International Standard Recording Code) foi criado para gerar os Relatórios de Fonograma, onde constarão os códigos ISRC e as informações

Leia mais

TREINAMENTO 1. Aquecimento: Alongamento: Rodrigo Gonçalves (Comissão Paulista de Cheerleading) (CREF. 028011-G/SP)

TREINAMENTO 1. Aquecimento: Alongamento: Rodrigo Gonçalves (Comissão Paulista de Cheerleading) (CREF. 028011-G/SP) TREINAMENTO 1 Rodrigo Gonçalves (Comissão Paulista de Cheerleading) (CREF. 028011-G/SP) Rotina de alongamento e condicionamento (Treino 1): O alongamento e o aquecimento são importantíssimos em qualquer

Leia mais

Você está lendo o trecho grátis do ebook sobre Prazer Feminino escrito pelo Sexólogo Marlon Mattedi. Sua vida sexual nunca mais será a mesma.

Você está lendo o trecho grátis do ebook sobre Prazer Feminino escrito pelo Sexólogo Marlon Mattedi. Sua vida sexual nunca mais será a mesma. Você está lendo o trecho grátis do ebook sobre Prazer Feminino escrito pelo Sexólogo Marlon Mattedi. Sua vida sexual nunca mais será a mesma. Boa leitura 1 2 Marlon Mattedi COMO PROVOCAR ORGASMOS FEMININOS

Leia mais

O CAMINHO PARA REFLEXÃO

O CAMINHO PARA REFLEXÃO O CAMINHO PARA REFLEXÃO a 1 Semana EMPREENDER É DAR A SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A SOCIEDADE No mudo dos negócios existe a diferença visível do acomodado que nunca quer aprender a mesma coisa duas vezes e o

Leia mais

AO VISUALIZAR A AJUDA, PRESSIONE OS BOTÕES DO APARELHO OU DO CONTROLE REMOTO PARA VER A DESCRIÇÃO DE SUAS FUNÇÕES.

AO VISUALIZAR A AJUDA, PRESSIONE OS BOTÕES DO APARELHO OU DO CONTROLE REMOTO PARA VER A DESCRIÇÃO DE SUAS FUNÇÕES. CONTEÚDO BUSCA page 2 NÚMERO DE SÉRIE page 13 MENU 1 page 4 CONTEÚDO DO USB page 14 MENU 2 page 6 PROGRAMAÇÃO page 15 CONFIG page 8 CANÇÕES FAVORITAS page 16 FILME page 9 GRAVADAS page 17 MÚSICA page 11

Leia mais

MATERIAL DE APRESENTAÇÃO DO SCRATCH

MATERIAL DE APRESENTAÇÃO DO SCRATCH MATERIAL DE APRESENTAÇÃO DO SCRATCH 1 Scratch é uma nova linguagem de programação que permite a criação de histórias, animações, jogos e outras produções. Tudo pode ser feito a partir de comandos prontos

Leia mais

Manual da AGENDA GRACES 2011

Manual da AGENDA GRACES 2011 1 Agenda Graces Manual da AGENDA GRACES 2011 O Sistema Agenda Graces integrada ao Sistema Graces e Agenda Graces Grátis foi desenvolvido pela empresa Quorum Informática. Este Manual tem por objetivo atender

Leia mais

WWW.MUSICALLEIZER.COM.BR

WWW.MUSICALLEIZER.COM.BR WWW.MUSICALLEIZER.COM.BR Índice Índice Prefácio Sobre o autor Introdução Como ser produtivo estudando corretamente Você já organizou o seu tempo e os seus dias para estudar? Definir o que vai estudar Organizando

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL PAULO LEMINSKI APOSTILA SOBRE O BROFFICE IMPRESS

COLÉGIO ESTADUAL PAULO LEMINSKI APOSTILA SOBRE O BROFFICE IMPRESS COLÉGIO ESTADUAL PAULO LEMINSKI APOSTILA SOBRE O BROFFICE IMPRESS CURITIBA 2014 2 Conteúdo Definição:... 2 Detalhando a tela:... 4 BARRA DE FERRAMENTAS DESENHO... 4 PREENCHIMENTOS... 5 RÉGUAS E GUIAS...

Leia mais

P-250. Quick Guide. Operação Básica

P-250. Quick Guide. Operação Básica P-250 Quick Guide Operação Básica P-250... 3 OPERAÇÃO BÁSICA... 3 SELECIONANDO SONS (VOICES)... 3 SELECIONANDO SONS XG... 3 MISTURANDO SONS (MODO DUAL)... 4 Selecionando Sons do Mesmo Grupo... 5 TOCANDO

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO MUSICAL 5.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO MUSICAL 5.º ANO DE EDUCAÇÃO MUSICAL 5.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO Perfil do aluno no final do 5.º Ano O aluno canta a solo e em grupo, com intencionalidade expressiva, canções em diferentes tonalidades

Leia mais

Como usar o Virtual DJ

Como usar o Virtual DJ Como usar o Virtual DJ O Virtual DJ é um programa de remixagem de mp3, ideal para quem sempre quis experimentar os aparelhos utilizados pelos DJs, que permitem fazer modificações em trilhas de forma aparentemente

Leia mais

Laptop Piano X. Manual do Usuário CÓD. 3103

Laptop Piano X. Manual do Usuário CÓD. 3103 LaptopianoXuxa-Pag.qxd 20.06.07 11:31 Page 1 Laptop Piano X Manual do Usuário CÓD. 3103 LaptopianoXuxa-Pag.qxd 20.06.07 11:32 Page 2 Caros Pais, Nós, da Candide, sempre pensamos em um brinquedo seguro

Leia mais

Cotagem de dimensões básicas

Cotagem de dimensões básicas Cotagem de dimensões básicas Introdução Observe as vistas ortográficas a seguir. Com toda certeza, você já sabe interpretar as formas da peça representada neste desenho. E, você já deve ser capaz de imaginar

Leia mais

Leitura dinâmica no SilentIdea 4.0 Apresentação

Leitura dinâmica no SilentIdea 4.0 Apresentação Leitura dinâmica no SilentIdea 4.0 Apresentação Leitura dinâmica Como ler mais rapidamente Usando o leitor do SilentIdea 4.0 Apresentação Leitura dinâmica Enquanto lê, você muitas vezes: "Ouve" cada palavra

Leia mais

1. Ao clicar no link http://edukatu.org.br/ você verá a página inicial do Edukatu.

1. Ao clicar no link http://edukatu.org.br/ você verá a página inicial do Edukatu. Bem vindo ao Edukatu! Para nós, do Instituto Akatu, é uma grande alegria contar com sua participação e engajamento no Edukatu Rede de Aprendizagem para o Consumo Consciente! Para participar, é fácil! Siga

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA

Leia mais

Cotagem de elementos

Cotagem de elementos Cotagem de elementos Introdução Na aula anterior você estudou algumas regras para cotagem e aprendeu como indicar as cotas básicas da peça. Mas, só com essas cotas, não é possível produzir peças que tenham

Leia mais

Global Security Network GSN Brasil. 1

Global Security Network GSN Brasil. 1 Global Security Network GSN Brasil. 1 Operação Básica O teclado Spectra 1689 e o Teclado 1641 (cristal liquido) funcionam da mesma maneira, Mas não oferecem a mesma visualização. Nesta seção veremos suas

Leia mais