CADERNO DE PROVA D. Nome do Candidato. Código do Candidato Estabelecimento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CADERNO DE PROVA D. Nome do Candidato. Código do Candidato Estabelecimento"

Transcrição

1 CADERNO DE PROVA D Nome do Candidato Código do Candidato Estabelecimento Sala Documento de Identidade Assinatura do Candidato

2 Instruções LEIA COM ATENÇÃO 1. Este Caderno de Prova, com páginas numeradas de 1 a 25, é composto de duas partes: PARTE I: constituída de 50 (cinquenta) questões objetivas de múltipla escolha, cada uma com cinco alternativas, assim distribuídas: 01 a 10 Clínica Cirúrgica 11 a 20 Clínica Médica 21 a 30 Ginecologia e Obstetrícia 31 a 40 Pediatria 41 a 50 Saúde Coletiva PARTE II: constituída de 10 (dez) questões discursivas, assim distribuídas: 01 e 02 Clínica Cirúrgica 03 e 04 Clínica Médica 05 e 06 Ginecologia e Obstetrícia 07 e 08 Pediatria 09 e 10 Saúde Coletiva 2. Caso o Caderno de Prova esteja incompleto ou tenha qualquer defeito de impressão, solicite ao fiscal que o substitua. 3. Sobre a Marcação da Folha de Respostas da Parte I Questões Objetivas As respostas das questões objetivas devem ser, obrigatoriamente, transcritas com caneta esferográfica de tinta preta não porosa para a Folha de Respostas, que será o único documento válido para correção. Não haverá substituição da Folha de Respostas por erro do candidato Para cada questão existe apenas uma alternativa que a responde acertadamente. Para a marcação da alternativa escolhida na FOLHA DE RESPOSTAS, pinte completamente o círculo correspondente. Exemplo: Suponha que para determinada questão a alternativa C seja a escolhida. N.º da Questão A B C D E 3.2. Será invalidada a questão em que houver mais de uma marcação, marcação rasurada ou emendada, ou não houver marcação. 4. Para responder às Questões Discursivas, poderão ser usados os espaços para rascunho disponíveis logo após cada questão, mas as respostas definitivas deverão ser transcritas no CADERNO DE RESPOSTAS das questões discursivas. Use caneta esferográfica de tinta preta não porosa. 5. Não haverá substituição do CADERNO DE RESPOSTAS das questões discursivas por erro do candidato. 6. A duração da Prova Escrita é 5 (cinco) horas, já incluído o tempo destinado ao preenchimento da FOLHA DE RESPOSTAS das questões objetivas e do CADERNO DE RESPOSTAS das discursivas. 7. Será permitida a saída de candidatos da sala de prova somente após decorridas 2:00 h (duas horas) do início da Prova Escrita. 8. Antes de se retirar da sala de prova, o candidato deverá, obrigatoriamente, entregar ao fiscal este Caderno de Prova e a FOLHA DE RESPOSTAS das questões objetivas e o CADERNO DE RESPOSTAS das discursivas. Este Caderno de Prova poderá ser levado pelo candidato somente na última meia hora de prova. 9. É vedado ao candidato copiar as marcações feitas na FOLHA DE RESPOSTAS das questões objetivas e no CADERNO DE RESPOSTAS das discursivas.

3 Questão 01 PARTE I QUESTÕES OBJETIVAS Clínica Cirúrgica Em relação aos marcadores tumorais utilizados em oncologia, leia atentamente as afirmativas abaixo. I - Classicamente são macromoléculas como proteínas, carboidratos e DNA liberadas pelo tumor e detectadas no sangue. II - Produtos de genes virais são facilmente detectáveis por não serem expressos nas células normais e podem estar presentes em tumores induzidos por vírus. III - Perfis alterados de metilação de DNA levando a expressão de antígenos de tumor são eventos raros nas células de câncer, tornando inviável a utilização desses tipos de marcadores. IV - Nos dias de hoje, marcadores tumorais têm aplicação no diagnóstico, prognóstico, escolha e monitorização da eficácia do tratamento e na prevenção do câncer. Está correto o que se afirma em [A] II e III, apenas. [B] I, II, III e IV. [C] II, III e IV, apenas. [D] I, apenas. [E] I, II e IV, apenas. Questão 02 Paciente do sexo masculino, 25 anos, trazido pelo resgate para a unidade de trauma, vítima de acidente automobilístico de alta energia cinética, com impacto frontal. Solicitada rotina de Raio-X simples conforme preconizado pelo ATLS, observa-se alargamento do mediastino de aproximadamente 12cm, apagamento do arco aórtico e suspeita de fratura de coluna cervical (nível de C4). A conduta mais adequada para esse caso deve envolver imobilização cervical e realização, como primeiro exame complementar, de [A] Tomografia computadorizada da coluna cervical. [B] Ecocardiograma transesofágico. [C] Ultrassom cervical com doppler. [D] Aortografia. [E] Ressonância nuclear magnética de coluna vertebral em 3 segmentos. Questão 03 Em relação ao câncer de pulmão, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. ( ) O adenocarcinoma de pulmão, tipo histológico mais frequente, tem predominantemente localização periférica e tende a metastatizar mais precocemente do que o carcinoma de células escamosas. ( ) O carcinoma broncoalveolar é altamente diferenciado e tem melhor prognóstico do que qualquer um dos outros tipos de câncer de pulmão. ( ) O carcinoma de células escamosas pode ser mais prontamente detectado por exame citológico do escarro do que o adenocarcinoma. ( ) Células anaplásicas, pleomórficas, com núcleos vesiculares ou hipercromáticos e citoplasma abundante são achados típicos do carcinoma de pequenas células (oat cell). Assinale a sequência correta. [A] V, F, V, V [B] V, F, F, V [C] V, V, V, F [D] F, F, V, F [E] F, V, F, V 1/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

4 Questão 04 Paciente do sexo feminino, 54 anos, procedente de Minas Gerais, com queixa de disfagia, é submetida a esofagograma com achado de falha de enchimento com cerca de 5cm de extensão ao nível de terço médio do esôfago. Observou-se ainda durante o exame dificuldade de passagem do contraste nessa região, com estenose da luz esofágica e dilatação proximal. A alteração descrita pode ser vista na imagem abaixo: Com base nas informações dadas, qual o principal diagnóstico a ser aventado? [A] Adenocarcinoma de esôfago [B] Carcinoma espinocelular de esôfago [C] Estenose péptica do esôfago [D] Megaesôfago [E] Leiomioma de esôfago Questão 05 Analise a imagem abaixo que representa o estômago e traz marcadas as quatro formas de apresentação das úlceras gástricas (tipo I, II, III e IV). Estão associadas com hipercloridria as lesões tipo [A] II e III, apenas. [B] I e IV, apenas. [C] II e IV, apenas. [D] I, II e III, apenas. [E] III e IV, apenas. 2/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

5 Questão 06 Em relação às síndromes polipoides gastrointestinais, analise com atenção o quadro a seguir e identifique as síndromes indicadas pelos números 1, 2, 3 e 4. Poliposes Adenomatosas Familiares (PAF) Poliposes Hamartomatosas Familiares (PHF) PAF clássica Polipose juvenil 4 Tipo e Localização Manifestações Clínicas Malignização Colorretal Adenomas (milhares) em Osteomas mandibulares, estômago, intestino delgado Sim alterações dentárias. e intestino grosso Adenomas (milhares) em estômago, intestino delgado e intestino grosso Adenomas em intestino grosso Hamartomas em intestino delgado, menos comuns em intestino grosso e estômago Focos adenomatosos Pólipos juvenis adenomatosos e hiperplásicos em intestino grosso, menos comuns em intestino delgado e estômago Hamartomas orocutâneos e em estômago, intestino delgado e estômago Osteomas mandibulares, no crâneo e em ossos longos. Tumores desmoides. Cistos epidermoides. Fibromas e lipomas. Tumores de tireoide, adrenal e hepatobiliares. Meduloblastoma, glioblastoma e ependimoma. Lesões pigmentares na cavidade oral, lábios, mãos e pés. Tumores ovarianos e testiculares. Eventualmente: obstrução intestinal, hemorragia, anemia. Câncer de mama, pâncreas e vias biliares. Idade adulta. Hemorragia digestiva. Intussuscepção e obstrução. Triquilemomas faciais. Ganglioneuromatose colônica.acantose glicogênica do esôfago. Doença fibrocistica e câncer de mama (maior complicação). Bócio atóxico e câncer de tireoide. 3/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita Sim Sim Possível Possível Os números 1, 2, 3 e 4 correspondem, respectivamente, a [A] Síndrome de Turcot, Síndrome de Gardner, Síndrome de Peutz-Jeghens e Síndrome de Cowden. [B] Síndrome de Gardner, Síndrome de Turcot, Síndrome de Peutz-Jeghens e Síndrome de Cowden. [C] Síndrome de Gardner, Síndrome de Turcot, Síndrome de Cowden e Síndrome de Peutz-Jeghens. [D] Síndrome de Turcot, Síndrome de Gardner, Síndrome de Peutz-Jeghens e Síndrome de Bannayan-Zonana. [E] Síndrome de Turcot, Síndrome de Gardner, Síndrome de Cowden e Síndrome de Bannayan-Zonana. Questão 07 O conhecimento da anatomia da região inguinal é elementar para o entendimento das hérnias inguino-crurais em todas as suas variantes. Assinale a alternativa que apresenta a correta disposição das estruturas anatômicas da região inguinal no homem, em sentido antero-posterior, ao nível do cordão inguinal. [A] Pele, fáscia de Scarpa, fáscia de Camper, aponeurose do músculo oblíquo externo, aponeurose do músculo transverso abdominal, fibras do músculo cremaster, estruturas do cordão espermático, fáscia transversalis, gordura préperitoneal, peritônio. [B] Pele, fáscia de Camper, fáscia de Scarpa, fibras do músculo cremaster, estruturas do cordão espermático, aponeurose do músculo oblíquo externo, aponeurose do músculo transverso abdominal, fáscia transversalis, gordura préperitoneal, peritônio. [C] Pele, fáscia de Scarpa, fáscia de Camper, aponeurose do músculo oblíquo externo, aponeurose do músculo transverso abdominal, estruturas do cordão espermático, fáscia transversalis, fibras do músculo cremaster, gordura préperitoneal, peritônio. [D] Pele, fáscia de Camper, fáscia de Scarpa, aponeurose do músculo oblíquo externo, fibras do músculo cremaster, estruturas do cordão espermático, aponeurose do músculo transverso abdominal, fáscia transversalis, gordura préperitoneal, peritônio. [E] Pele, fáscia de Camper, fáscia de Scarpa, fibras do músculo cremaster, aponeurose do músculo oblíquo externo, aponeurose do músculo transverso abdominal, fáscia transversalis, estruturas do cordão espermático, gordura préperitoneal, peritônio. Rara

6 Questão 08 Paciente de 32 anos, sexo masculino, portador de colelitíase, é internado em caráter de urgência na unidade de terapia intensiva com diagnóstico de Pancreatite Aguda. Possuía na ocasião da admissão leucócitos/mm 3, Glicemia 350 mg/dl, LDH 50 UI/L e AST 400 U/dL. Com 48 horas de internação, passa a desenvolver tetania e espasmo carpo-pedal. Qual complicação deve ser imediatamente aventada? [A] Hiponatremia [B] Hipocloremia [C] Hipocalcemia [D] Hipomagnesemia [E] Hipocalemia Questão 09 Paciente de 12 anos, sexo masculino, com queixa de cefaleia de moderada intensidade, há aproximadamente 1 ano, a qual cedia com o uso de analgésicos. Referia constipação há 6 meses e, há aproximadamente 1 mês, começou a apresentar visão turva. Procurou por atendimento médico e, nessa época, foram constatados níveis pressóricos elevados ( mmHg). Ao exame físico, mostrou-se emagrecido, descorado ++/4, com grande vasoconstrição periférica, extremidades frias, pulso filiforme e taquicárdico. A fundoscopia apresentou papiledema bilateral, hemorragia peripapilar e espasmo arteriolar. Dentre os exames complementares, foi solicitada dosagem de Calcitonina que mostrou-se elevada. Segundo os dados apresentados, qual doença deve ser inexoravelmente investigada para esse caso? [A] Carcinoma medular de tireoide [B] Hipoparatireoidismo [C] Tumor oat-cell de pulmão [D] Síndrome de Zollinger-Ellison [E] Tumor de células de Sertoli Questão 10 Em relação às doenças ano-orificiais, analise as afirmativas. I - A causa mais comum de supuração anorretal é uma infecção inespecífica de origem criptoglandular. II - As fístulas anorretais interesfincterianas são as mais comuns. III - Hemorroidas internas de primeiro grau são aquelas em que há sangramento, sem prolapso. IV - Hemorroidas externas têm localização proximal à linha denteada. Estão corretas as afirmativas [A] I e IV, apenas. [B] II, III e IV, apenas. [C] III e IV, apenas. [D] I, II, III e IV. [E] I, II e III, apenas. Clínica Médica Questão 11 Lesão cutânea pré-tibial infiltrativa, com aspecto em casca de laranja, pode ser observada nas seguintes patologias: [A] Mixedema, amiloidose, linfoma cutâneo, dermatite herpetiforme, eczema de contato. [B] Pênfigo foliáceo, hanseníase, psoríase, lupus discoide, esclerose sistêmica progressiva. [C] Mixedema, pelagra, cromomicose, dermatite herpetiforme, linfoma Hodgkin. [D] Lupus eritematoso sitêmico, linfoma Hodgkin, porfiria, esclerodermia em placa, amiloidose. [E] Mixedema, amiloidose, linfoma cutâneo, lupus discoide, esclerodermia em placa. 4/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

7 Questão 12 Paciente de 15 anos, com astenia e anorexia de início há 3 meses, acompanhada de febre baixa diária, adinamia e emagrecimento de 7 kg no período. Refere aumento significativo do volume abdominal. Ao exame físico, observa-se apatia, anemia, icterícia leve, hepatomegalia dolorosa e esplenomegalia volumosa. Assinale a alternativa que apresenta o conjunto de hipóteses diagnósticas mais prováveis para o quadro clínico. [A] Leishmaniose visceral, endocardite bacteriana subaguda, leucose, tuberculose miliar. [B] Leishmaniose visceral, salmonelose septicêmica prolongada, leucose, histoplasmose disseminada. [C] Malária crônica, endocardite bacteriana subaguda, leucose, histoplasmose disseminada. [D] Salmonelose septicêmica prolongada, paracoccidioidomicose, tuberculose miliar, mononucleose. [E] Salmonelose septicêmica prolongada, leptospirose, esquistossomose mansônica, linfoma Hodgkin. Questão 13 Os sinais radiológicos mais frequentemente observados na telerradiografia do tórax, no tromboembolismo pulmonar, são: [A] Oligoemia no parênquima pulmonar comprometido, consolidação pulmonar triangular com a base voltada para a pleura homolateral, derrame pleural contralateral. [B] Consolidação pulmonar mal definida do lado acometido, elevação frênica homolateral, acentuação do tronco da artéria pulmonar. [C] Obliteração do seio costofrênico do lado acometido, elevação frênica homolateral, faixas de atelectasias no parênquima pulmonar comprometido. [D] Faixas de atelectasias no parênquima pulmonar comprometido, hipofluxo pulmonar homolateral, aumento atrial direito. [E] Aumento das cavidades cardíacas à direita, derrame pleural à direita, corcova de Hampton em contato com a cúpula frênica. Questão 14 O envolvimento do septo nasal com ulceração e destruição em graus variáveis pode fazer parte de alguns processos mórbidos. Assinale a alternativa que apresenta o conjunto de morbidades que podem comprometer o septo nasal ao longo da sua evolução. [A] Sífilis, dependência de cocaína, leishmaniose cutâneo-mucosa, granulomatose de Wegner, granuloma letal da linha média. [B] Sífilis, dependência de cocaína, sarcoidose, hanseníase, tuberculose miliar. [C] Neoplasia da orofaringe, granuloma eosinofílico, leishmaniose cutâneo-mucosa, micetoma, sarcoma de Kaposi. [D] Paracoccidioidomicose, leishmaniose cutâneo-mucosa, esporotricose, filascaríase, granulomatose de Wegner. [E] Hanseníase, lupus eritematoso sistêmico, granuloma eosinofílico, síndrome de goodpasture, síndrome de Behçet. Questão 15 A insuficiência cardíaca de alto débito NÃO faz parte das manifestações clínicas de [A] Tireotoxicose. [B] Doença de Paget óssea. [C] Feocromocitoma. [D] Fístula artério-venosa. [E] Beriberi. Questão 16 Qual sinal ou sintoma NÃO faz parte do quadro clínico do tumor de Klatskin, um colangiocarcinoma, ao longo da sua evolução? [A] Icterícia [B] Prurido cutâneo [C] Acolia fecal [D] Sinal de Courvoisier-Terrier [E] Colúria 5/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

8 Questão 17 Na Síndrome de compressão da veia cava superior, qual a etiologia mais frequentemente envolvida? [A] Linfoma [B] Tuberculose linfonodal [C] Mediastinite fibrosante [D] Metástase mediastinal de carcinoma broncogênico [E] Pericardite constrictiva Questão 18 Paciente com história de acidente automobilístico, com sinais de abdome agudo, cuja avaliação radiológica evidenciou fratura das duas últimas costelas flutuantes à direita, fratura do processo transverso de L4 do mesmo lado e fratura da bacia. As prováveis lesões responsáveis pelo quadro abdominal, levando-se em consideração os achados radiológicos acima, são: [A] Ruptura do pâncreas, cólon e reto. [B] Ruptura do fígado, ureter e bexiga. [C] Ruptura do fígado, baço e duodeno. [D] Ruptura da uretra, cólon e duodeno. [E] Ruptura do reto, uretra e rim. Questão 19 A descompensação respiratória aguda de um paciente portador de D.P.O.C. pode estar relacionada a fatores pulmonar e extrapulmonar. NÃO são fatores relacionados à descompensação aguda: [A] Neoplasia pulmonar primária, evolução da própria doença. [B] Infecção respiratória, uso de sedativos. [C] Isquemia miocárdica, tromboembolismo pulmonar. [D] Infecção das vias aéreas superiores, arritmias. [E] Inalação de gases tóxicos, broncoaspiração. Questão 20 Em relação aos autoanticorpos presentes no soro, é correto afirmar: [A] O anticorpo aanca é específico para vasculites e o canca é específico para granulomatose de Wegner. [B] O anticorpo anti Mi 2 está presente na polimiosite, sendo considerado o marcador de mau prognóstico, com envolvimento cardíaco e início agudo. [C] Os anticorpos anti SSA(RO) e anti SSB(LA) estão presentes na síndrome de Sjogren, sendo também considerados marcadores do envolvimento neurológico do lupus sistêmico. [D] Os anticorpos anti receptor de TSH (LATS ou TRAb) são marcadores da tireoidite de Hashimoto e os anticorpos anti tereoideperoxidase (microssomal ou TPO) são marcadores da doença de Graves. [E] O anticorpo anti RNP está presente em 100% dos pacientes com doença mista do tecido conjuntivo e o anticorpo anti ASCA em até 65% dos pacientes com Doença de Crohn. Ginecologia e Obstetrícia Questão 21 A medicação indicada para inibição da lactação em puérpera soropositiva para HIV é: [A] Estrogênios conjugados. [B] Bromoprida. [C] Metoclopramida. [D] Cabergolina. [E] Mestranol. 6/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

9 Questão 22 Em paciente jovem, com sinais de hiperandrogenismo, o anticoncepcional oral mais adequado é o que contenha [A] estradiol. [B] drospirenona. [C] medroxiprogesterona. [D] hidroxiprogesterona. [E] androstenediona. Questão 23 É medicação indicada no tratamento do hipertireoidismo durante a gestação: [A] Metimazol. [B] Levotiroxina. [C] Corticotireotrofina. [D] Clotrimazol. [E] Dextrotiroxina. Questão 24 As causas de mortalidade materna são discriminadas na Classificação Internacional das Doenças (CID 10) como obstétricas diretas e indiretas. Assinale a alternativa que apresenta causa de mortalidade obstétrica indireta. [A] Transtornos mentais e comportamentais associados ao puerpério. [B] Mola hidatiforme invasiva ou maligna. [C] Hipertensão pré-existente complicando a gravidez, o parto e o puerpério. [D] Necrose da hipófise pós-parto. [E] Diabetes mellitus que surge na gravidez. Questão 25 As resoluções do Conselho Federal de Medicina do Brasil (CFM) que tratam de Reprodução Assistida definem que é: [A] permitida a gestação de substituição apenas envolvendo mãe e filha. [B] proibida a criopreservação de embriões por mais de três anos. [C] proibida a doação de gametas ou embriões para casais inférteis. [D] permitida a implantação de até seis embriões por vez. [E] permitida a seleção do sexo do embrião, em certas circunstâncias. Questão 26 De acordo com a Resolução do CFM n.º de 2003 (atualmente em vigência), que trata da assistência médica a pacientes soropositivos para HIV no Brasil, o sigilo profissional relativo a essa assistência [A] pode ser quebrado apenas com relação ao cônjuge do/da paciente. [B] deve ser quebrado apenas para proteção a parceiros sexuais. [C] deve ser rigorosamente respeitado em qualquer situação. [D] pode ser respeitado ou não, a critério da equipe médica. [E] pode ser quebrado se o fato for de conhecimento público. Questão 27 Qual a principal causa de acretismo placentário? [A] Hiperplasia endometrial [B] Mioma intramural [C] Placenta succenturiada [D] Adelgaçamento das paredes uterinas [E] Operação cesariana prévia 7/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

10 Questão 28 Mulher de 42 anos, sem queixas, apresenta resultado do exame colpocitológico com lesão intraepitelial de alto grau. O exame colposcópico evidenciou mosaico amplo e irregular. A melhor conduta a seguir é: [A] Repetição do exame colpocitológico. [B] Biópsia dirigida do colo uterino. [C] Hibridização molecular. [D] Histerectomia vaginal. [E] Eletrocauterização do colo uterino. Questão 29 Qual é o mecanismo de trocas placentárias responsável pela transferência de imunoglobulinas e ferro? [A] Difusão facilitada [B] Transporte ativo [C] Ultrafiltração [D] Pinocitose [E] Difusão simples Questão 30 Paciente primípara com 18 horas pós-parto cesárea eletiva, indicada por malformação fetal (gastrosquise), apresenta temperatura de 38º C. O útero encontra-se contraído, loquiação rubra em moderada quantidade e ferida operatória em bom aspecto. O médico assistente deve [A] ter conduta expectante. [B] iniciar antibioticoterapia venosa. [C] iniciar antibioticoterapia oral. [D] solicitar ultrassonografia de abdômen total. [E] realizar curetagem uterina. Questão 31 Pediatria Uma zona de depressão, na região parietal do crânio semelhante a uma bola de pingue-pongue, é o craniotabes. Esse sinal é encontrado a partir do 3.º mês e mais especificamente no 2.º semestre de vida na criança com [A] Raquitismo. [B] Cretinismo. [C] Escorbuto. [D] Beriberi. [E] Pelagra. Questão 32 As alterações cromossômicas têm importante papel em Pediatria por causa das síndromes. Sobre o assunto, numere a coluna da direita de acordo com a da esquerda. 1 Síndrome de Down ( ) Trissomia do cromossomo 18 2 Síndrome de Turner ( ) Trissomia do cromossomo 21 3 Síndrome de Edwards ( ) Monossomia do braço curto do cromossomo 5 4 Síndrome do miado do gato ( ) 45 XO Marque a sequência correta. [A] 3, 2, 1, 4 [B] 3, 1, 4, 2 [C] 4, 2, 1, 3 [D] 4, 3, 2, 1 [E] 2, 3, 4, 1 8/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

11 Questão 33 Analise a figura abaixo. Com base na figura, pode-se afirmar que o desenvolvimento motor da criança se processa no sentido [A] cefalocaudal e distal-proximal. [B] caudocefálico e próximo-distal. [C] caudocefálico e distal-proximal. [D] cefalocaudal e próximo-distal. [E] centrocaudal e cefalodistal. Questão 34 Em relação às situações em que a icterícia neonatal é considerada perigosa, analise. I - É visível antes das 24 horas. II - Bilirrubina indireta aumenta mais que 0,5 mg por hora. III - Bilirrubina direta entre 0,5 1,0 mg. IV - Bilirrubina indireta aumenta mais que 5 mg em 24 horas. V - Bilirrubina indireta entre 6 8 mg no 3.º dia de vida. São situações consideradas perigosas: [A] I, III, IV e V, apenas. [B] II, IV e V, apenas. [C] I, II, III, IV e V. [D] II, III e V, apenas. [E] I, II e IV, apenas. 9/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

12 Questão 35 A vacina bacteriana tetravalente protege contra as seguintes doenças: [A] Difteria, Tétano, Coqueluche e Síndrome de Guillain-Barré [B] Difteria, Tétano, Coqueluche e Meningite causada por Haemophilus influenzae [C] Sarampo, Caxumba, Rubéola e Meningite causada por Haemophilus influenzae [D] Difteria, Tétano, Coqueluche e Sarampo [E] Sarampo, Caxumba, Rubéola e Síndrome de Guillain-Barré Questão 36 Sobre o boletim de Silvermann Andersen (BSA), pode-se afirmar: [A] Serve para avaliar situação clínica do distúrbio metabólico do recém-nascido. [B] Maior pontuação significa melhor condição do recém-nascido. [C] Pontuação menor que 4 indica dificuldade respiratória grave do recém-nascido. [D] Pontuação maior que 6 indica dificuldade respiratória leve do recém-nascido. [E] Serve para avaliar situação clínica do desconforto respiratório do recém-nascido. Questão 37 Quanto ao comportamento na adolescência, assinale a afirmativa INCORRETA. [A] Para se autoafirmar, o jovem agride e desvaloriza seus pais, embora goste e necessite deles. [B] O adolescente investe calorosamente em tudo o que faz; a entrega é total e a paixão juvenil. [C] Na busca de si mesmo e da identidade adulta, o adolescente substitui o grupo pelos pais. [D] Questiona os valores, afasta-se da família em busca de novos modelos de identificação. [E] Dentro do padrão, existe a individualização: os turbulentos, os contestadores, os alegres e os tristes. Questão 38 Em relação à Parasitose, analise as afirmativas. I - O Ascaris lumbricoides causa cólicas, diarreia, vômitos em crianças parasitadas e, pelo seu poder de migração para o fígado, pode levar a quadros de colicistites e abscesso hepático. II - O Strongiloides stercoralis pode ocasionar formas graves e fatais, especialmente em crianças desnutridas ou naquelas submetidas a tratamento com corticosteroides e/ou imunossupressores. III - A forma intermediária da Taenia saginata o cisticerco, ao se instalar no sistema nervoso central do indivíduo, causa a neurocisticercose, manifestada por convulsões de difícil controle. IV - A Giardia lamblia é responsabilizada pela agressão aos pulmões de lactentes jovens provocando quadros de bronquites, pneumonia com eosinofilia sanguínea acentuada. Estão corretas as afirmativas [A] I e III, apenas. [B] III e IV, apenas. [C] I e II, apenas. [D] I e IV, apenas. [E] I, II, III e IV. Questão 39 Criança de 2 anos de idade com baixa estatura e quadro de diarreia crônica, volumosa, brilhante, de odor rançoso. Ao exame, a criança apresentava-se: irritada, emagrecida, com distensão abdominal importante, flacidez em nádegas conferindo o sinal da calça larga. Dos exames laboratoriais realizados, foram positivos: a pesquisa de gordura fecal; anticorpos antiendomísio e antigliadina. Com base nesses dados, qual o diagnóstico mais provável? [A] Doença de Crohn [B] Enteropatia ambiental [C] Enterite regional [D] Doença Celíaca [E] Síndrome do Cólon Irritável 10/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

13 Questão 40 Uma criança com quadro de infecções respiratórias de repetição + insuficiência pancreática exócrina + Prova do suor: iontoforese cloro de 97 meq/l. Essa tríade é característica de [A] mucoviscidose. [B] diabetes mellitus. [C] galactosemia. [D] mucopolissacaridose. [E] diabetes insípidus. Saúde Coletiva Questão 41 A Constituição brasileira de 1988 estabelece que a Saúde é um direito de todos e um dever do Estado, atendendo a um dos princípios da Atenção Primária em Saúde. Nesse sentido, o conceito de Saúde tem o significado seguinte: [A] É resultante das relações mercadológicas. [B] É resultante das determinações particulares da história de cada indivíduo. [C] É resultante de macroprocessos políticos, sociais e institucionais. [D] É resultante das condições de vida e em especial da oferta de serviços que atendam às carências tecnicamente diagnosticadas e sentidas pela população. [E] É resultante de completo bem estar biopsicossocial. Questão 42 Em Medicina do Trabalho, Número de acidentes de trabalho fatais Número de acidentes de trabalho ocorridos 100 é um indicador de [A] densidade de incidência. [B] incidência acumulada. [C] coeficiente de mortalidade. [D] coeficiente de prevalência. [E] coeficiente de gravidade. Questão 43 Na História Natural do Sarampo, quanto à prevenção, constituem ações primárias em Saúde: [A] Educação sanitária, testes laboratoriais e quimioterapia. [B] Isolamento, testes laboratoriais e educação sanitária. [C] Diagnóstico precoce, informe de casos e terapia ocupacional. [D] Vigilância em área de baixa incidência, educação sanitária e imunização. [E] Isolamento, testes laboratoriais e educação sanitária. Questão 44 Na Atenção Primária em Saúde, a participação da comunidade é considerada fundamental e deve ser priorizada [A] apenas no processo de diagnóstico de Saúde da comunidade. [B] no processo de determinação de prioridades, somente. [C] no momento de definição de problemas, exclusivamente. [D] somente e tão somente a normatização efetuada pela Secretaria Municipal de Saúde, em concordância com a Secretaria de Estado da Saúde. [E] nas etapas de diagnóstico de Saúde da comunidade, da definição de problemas, da fixação de prioridades, no planejamento das atividades, na execução das atividades e na avaliação delas. 11/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

14 Questão 45 Sobre os estudos de prevalência momentânea ou ponto prevalência, analise as afirmativas. I - Identificam somente aqueles casos que estão vivos e diagnosticáveis na época da avaliação. II - Em seu cálculo não são incluídos casos que já faleceram. III - Incluem casos que já foram curados. IV - Permitem uma compreensão clara da relação temporal entre um fator causal e uma doença. Está correto o que se afirma em [A] I e II, apenas. [B] II, apenas. [C] I, II e III, apenas. [D] I e IV, apenas. [E] II, III e IV, apenas. Questão 46 Medidas de prevenção terciária estão basicamente relacionadas com [A] reabilitação. [B] diagnóstico e tratamento precoces das doenças. [C] internação em hospitais de grande porte. [D] imunização. [E] utilização de tecnologias sofisticadas. Questão 47 No ano de 2008, em um Município do Estado de Mato Grosso, com população de habitantes, nasceram 500 crianças em boas condições de saúde e 5 natimortos. Faleceram no mesmo ano duas crianças com idade de até 28 dias e três crianças com idade de um ano. O coeficiente de mortalidade infantil padrão calculado para esse ano é: [A] 1,0 [B] 4,0 [C] 0,1 [D] 20,0 [E] 10,0 Questão 48 Em um município, com população de habitantes, foram vacinadas crianças menores de 1 ano com 1 (uma) dose de vacina antissarampo. Estimando-se que o número de crianças nessa faixa etária é 3% da população, a cobertura vacinal contra o sarampo foi: [A] 10,6 % [B] 35,5 % [C] 1,06 % [D] 3,5 % [E] 20 % Questão 49 A qualidade do serviço de Saúde responsável pelo Programa Nacional de Controle da Tuberculose em uma unidade básica de saúde pode ser avaliada diretamente pelo seguinte indicador: [A] Coeficiente de Incidência. [B] Mortalidade proporcional. [C] Coeficiente de Prevalência. [D] Mortalidade geral. [E] Coeficiente de letalidade. 12/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

15 Questão 50 A coluna da esquerda apresenta tipos de estudos epidemiológicos e a da direita, medidas de ocorrência. Numere a coluna da direita de acordo com a da esquerda. 1 Ecológico 2 Seccional 3 Coorte Marque a sequência correta. [A] 1, 2, 3 [B] 1, 3, 2 [C] 2, 3, 1 [D] 3, 1, 2 [E] 2, 1, 3 ( ) ( ) ( ) Incidência Prevalência Médias/frequências 13/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

16 Questão 01 PARTE II QUESTÕES DISCURSIVAS Clínica Cirúrgica JRS, 28 anos, sexo feminino. Paciente internada para realização de cirurgia otorrinolaringológica. A operação teve cerca de 5 horas de duração e sem intercorrências. Evoluiu bem, recebendo alta no segundo dia de pós-operatório com prescrição de antibiótico oral e anti-inflamatório não esteroidal para uso durante uma semana. Fez uso das medicações prescritas e, no sexto dia de pós-operatório, retorna ao pronto atendimento com queixa de dor abdominal de início súbito, há 8 horas, em grande intensidade logo após alimentação. Refere ainda aumento de volume abdominal e parada na eliminação de gases e fezes. Nega alterações urinárias e menstruais. Ao exame: fáscies de dor, temperatura axilar de 38.5 C, hipocorada +/4+, pressão arterial mmHg, pulso 110 bpm, frequência respiratória 32 RPM. Desidratada ++/4. Abdome distendido, difusamente doloroso, com presença de sinal do rebote. Hipertimpanismo difuso. Ruídos hidroaéreos abolidos. Sem outros achados. O cirurgião assistente solicitou rotina radiológica para abdome agudo, cuja grafia de tórax em PA ortostático é apresentada abaixo. A partir dessas informações, cite a principal hipótese diagnóstica e o tratamento a ser instituído, justificando sua resposta com base nos dados fornecidos. (Valor: 5 pontos) 14/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

17 Espaço para rascunho /25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

18 Questão 02 Paciente do sexo masculino, 54 anos, com queixa de pirose retroesternal de longa data (há mais de 10 anos), com piora progressiva nos últimos 2 anos. Vem apresentando regurgitação, principalmente no período noturno. Teve emagrecimento de 2 kg nos últimos 12 meses (índice de massa corporal atual de 33 kg/m 2 ). Realizada endoscopia digestiva alta, observou-se ulceração esofágica, com friabilidade e presença de mucosa de aspecto róseo-avermelhado, circunferencial, com 4 cm de extensão, projetando proximalmente a partir da junção escamo-colunar. Foram realizadas biópsias da região da junção gastro-esofágica, cujo corte histológico é apresentado abaixo. Qual o diagnóstico, prognóstico e planejamento terapêutico a ser instituído para esse paciente? Justifique sua resposta com base nos dados clínicos, endoscópicos e histológicos apresentados. (Valor: 5 pontos) Espaço para rascunho /25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

19 Questão 03 Clínica Médica Homem branco, 20 anos, professor de natação, solteiro, referindo início dos sintomas há 10 dias, com ardência na orofaringe, obstrução nasal, febre baixa, cefaleia e mialgias. Procurou atendimento médico no Pronto Socorro municipal, tendo o diagnóstico de resfriado comum. Após 5 dias com persistência dos sintomas iniciais, passou a apresentar cefaleia frontal intensa, contínua, com irradiação retro-orbitária, piorando com a flexão da cabeça e não melhorando com analgésicos comuns. Houve piora da obstrução nasal, aparecimento de rinorreia amarelada, tosse seca e febre alta que cedia temporariamente com uso de dipirona. No décimo dia de doença, notou aparecimento de eritema e edema periorbitário, com grande piora do quadro clínico e febre alta contínua. A) Qual o diagnóstico provável para o quadro clínico descrito até o décimo dia de evolução e qual exame poderia ser realizado pelo médico assistente, durante o exame físico, para confirmar o diagnóstico? (Valor: 2,5 pontos) B) Cite três hipóteses diagnósticas para os sinais e sintomas observados no décimo dia de evolução e qual exame deveria ser solicitado para confirmar o seu diagnóstico clínico e as possíveis complicações, justificando-o. (Valor: 2,5 pontos) Espaço para rascunho /25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

20 Questão 04 Mulher branca, 35 anos, lavradora com atividade profissional em horta comunitária, natural da Bahia, com história de dor abdominal recorrente de início há 10 dias, em cólica, acompanhada de diarreia líquida, em pequena quantidade, com mais de 10 evacuações ao dia, com muco e sangue nas fezes em alguns episódios, com tenesmo anal. Refere mais de dez episódios anteriores. Há 5 dias vem apresentando febre, aumento do volume abdominal e dor no hipocôndrio direito. Gesta 5, para 5, aborto zero, em uso de contraceptivo oral há mais de 15 anos. Ao exame físico: Regular estado geral, bom estado nutricional, ictérica +/4, hipocorada +/4, hidratada e acianótica. Ao exame abdominal, foram observados ruídos hidroaéreos presentes e aumentados, fígado palpável a 8 cm do rebordo costal direito, linha hemiclavicular, com hepatimetria de 16 cm, consistência normal, com nodulação mal definida no lobo direito, bastante dolorosa à palpação. Espaço de Traube timpânico, baço impalpável. Sem sinais de irritação peritonial. A ultrassonografia realizada em caráter de urgência, sem preparo intestinal, evidenciou hepatomegalia, com massa ecogênica arredondada, de contornos irregulares e limites imprecisos, com pequenas áreas anecoicas de permeio, localizada no lobo direito do fígado. Vesícula biliar não visualizada. A) Qual a hipótese diagnóstica mais provável para o caso? Justifique-a. (Valor: 2,5 pontos) B) Se for realizada colonoscopia nessa paciente e for identificado envolvimento do íleo terminal, cite quatro patologias que podem estar envolvidas no diagnóstico etiológico da diarreia. (Valor: 2,5 pontos) 18/25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

21 Espaço para rascunho /25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

22 Questão 05 Ginecologia e Obstetrícia Cite duas drogas empregadas na aceleração da maturidade pulmonar fetal, com as respectivas doses e vias de administração. (Valor: 5,0 pontos) Espaço para rascunho /25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

23 Questão 06 Cite as alterações de cinco dos principais parâmetros clínicos ou laboratoriais que classificam uma pré-eclâmpsia como grave. (Valor: 5,0 pontos) Espaço para rascunho /25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

24 Questão 07 Pediatria Os itens A, B, C e D abaixo devem ser respondidos de acordo com a recomendação da OMS/Ministério da Saúde e considerando uma criança de 5 kg com quadro de desidratação. A) Que volume de soro deve ser fornecido na fase de expansão (Plano B do Ministério da Saúde)? (Valor: 1,25 ponto) B) Cite dois dos quatro componentes do soro de re-hidratação oral. (Valor: 1,25 ponto) C) Em aleitamento materno deve ficar quanto tempo em jejum? (Valor: 1,25 ponto) D) Sem aleitamento materno deve ficar quanto tempo em jejum? (Valor: 1,25 ponto) /25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

25 Questão 08 Cite a classificação do recém-nascido (RN) prematuro de acordo com o peso de nascimento, segundo critérios estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde. (Valor: 5 pontos) Espaço para rascunho /25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

26 Questão 09 Saúde Coletiva Além da universalidade, níveis hierárquicos e controle social, a equidade e a acessibilidade são aspectos fundamentais do Sistema Único de Saúde (SUS), especificados na Constituição brasileira. A) Conceitue equidade e acessibilidade aos serviços de Saúde. (Valor: 2 pontos) B) Cite 3 (três) fatores que influenciam a acessibilidade. (Valor: 3 pontos) Espaço para rascunho /25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

27 Questão 10 O uso de indicadores epidemiológicos é o modo mais relevante na avaliação de qualquer atividade na área da Saúde no SUS, mormente nos serviços públicos. A) Defina indicadores epidemiológicos. (Valor: 1 ponto) B) Cite 3 (três) critérios a que deve obedecer um bom indicador, discutindo-os sucintamente. (Valor: 3 pontos) C) Cite dois indicadores frequentemente utilizados na avaliação das condições de Saúde de uma população da área de abrangência de uma Unidade Básica. (Valor: 1 ponto) Espaço para rascunho /25 Revalidação de Diploma Médico Graduado no Exterior 2011 UFMT/FM 2 a Etapa Prova Escrita

RELATO DE CASO Identificação: Motivo da consulta: História da Doença atual: História ocupacional: História patológica pregressa: História familiar:

RELATO DE CASO Identificação: Motivo da consulta: História da Doença atual: História ocupacional: História patológica pregressa: História familiar: RELATO DE CASO Identificação: V.L.G.E., 38 anos, branca, casada, natural e procedente de Canoas (RS). Motivo da consulta: diarréia e dor abdominal intensa. História da Doença atual: Paciente procurou o

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Jônatas Catunda de Freitas

Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Jônatas Catunda de Freitas Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Jônatas Catunda de Freitas Fortaleza 2010 Lesões raras, acometendo principalmente mandíbula e maxila Quadro clínico

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

PATOLOGIAS CIRÚRGICAS NO RECÉM-NASCIDO

PATOLOGIAS CIRÚRGICAS NO RECÉM-NASCIDO PATOLOGIAS CIRÚRGICAS NO RECÉM-NASCIDO ATRESIA DE ESÔFAGO: Malformação em que a parte proximal do esôfago termina em fundo cego. Classificação Segundo tipo de atresia: Tipo I (A): atresia sem fistula (8%);

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA Concurso de Admissão Prova Escrita Dissertativa (16/11/2014) NEUROFISIOLOGIA CLÍNICA COREME / FCM / COMVEST

RESIDÊNCIA MÉDICA Concurso de Admissão Prova Escrita Dissertativa (16/11/2014) NEUROFISIOLOGIA CLÍNICA COREME / FCM / COMVEST NOME INSCRIÇÃO SALA LUGAR DOCUMENTO DATA DE NASC PROVA ESCRITA Neurofisiologia Clínica ESPECIALIDADE ASSINATURA DO CANDIDATO LOTE SEQ UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Faculdade de Ciências Médicas RESIDÊNCIA

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 1 2 3 4 INSTRUÇÕES Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

22 - Como se diagnostica um câncer? nódulos Nódulos: Endoscopia digestiva alta e colonoscopia

22 - Como se diagnostica um câncer? nódulos Nódulos: Endoscopia digestiva alta e colonoscopia 22 - Como se diagnostica um câncer? Antes de responder tecnicamente sobre métodos usados para o diagnóstico do câncer, é importante destacar como se suspeita de sua presença. As situações mais comuns que

Leia mais

Doença de Crohn. Grupo: Bruno Melo Eduarda Melo Jéssica Roberta Juliana Jordão Luan França Luiz Bonner Pedro Henrique

Doença de Crohn. Grupo: Bruno Melo Eduarda Melo Jéssica Roberta Juliana Jordão Luan França Luiz Bonner Pedro Henrique Doença de Crohn Grupo: Bruno Melo Eduarda Melo Jéssica Roberta Juliana Jordão Luan França Luiz Bonner Pedro Henrique A doença de Crohn (DC) é considerada doença inflamatória intestinal (DII) sem etiopatogenia

Leia mais

Raio X Simples do Tórax

Raio X Simples do Tórax Raio X Simples do Tórax Imagens de hipertransparência Prof Denise Duprat Neves Prof Ricardo Marques Dias 2 Como classificar Hipertransparência Anulares Em forma de anel com halo hipotransparente Cavidade,

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. INSTRUÇÕES 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

Currículo Disciplina Carga Horária. Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco

Currículo Disciplina Carga Horária. Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco Currículo Disciplina Carga Horária Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco Assistência de Enfermagem a Criança a ao Adolescente Grave ou de Risco Estágio

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 1 INSTRUÇÕES Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

Imagem da Semana: Ressonância nuclear magnética

Imagem da Semana: Ressonância nuclear magnética Imagem da Semana: Ressonância nuclear magnética Imagem 01. Ressonância Margnética do Abdomen Imagem 02. Angiorressonância Abdominal Paciente masculino, 54 anos, obeso, assintomático, em acompanhamento

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM NOITE - BH SEMESTRE: 2 ANO: 2012 C/H: 60 PLANO DE ENSINO

CURSO: ENFERMAGEM NOITE - BH SEMESTRE: 2 ANO: 2012 C/H: 60 PLANO DE ENSINO CURSO: ENFERMAGEM NOITE - BH SEMESTRE: 2 ANO: 2012 C/H: 60 DISCIPLINA: ENFERMAGEM NA SAUDE DO ADULTO I PLANO DE ENSINO OBJETIVOS: Estudar o estado de doença do indivíduo em sua fase adulta. Intervir adequadamente

Leia mais

Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno, você será excluído do Processo Seletivo.

Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno, você será excluído do Processo Seletivo. 1 INSTRUÇÕES Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno, você será excluído do Processo Seletivo. 2 Este Caderno contém 05 casos clínicos e respectivas

Leia mais

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV TÍTULO E-PÔSTER SALA PRÉDIO IV HORÁRIO RESISTÊNCIA A MÚLTIPLAS DROGAS NA TERAPIA ANTICÂNCER E O POTENCIAL EFEITO DE FLAVONOIDES NA RECUPERAÇÃO

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 1 INSTRUÇÕES Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

RADIOGRAFIA ABDOMINAL. Profª Drª Naida Cristina Borges

RADIOGRAFIA ABDOMINAL. Profª Drª Naida Cristina Borges RADIOGRAFIA ABDOMINAL Profª Drª Naida Cristina Borges Produção de Radiografias Diagnósticas Preparo adequado jejum/enema Pausa da inspiração evita o agrupamento das vísceras Indicações para a Radiologia

Leia mais

Conheça algumas doenças tipicamente femininas

Conheça algumas doenças tipicamente femininas Uol - SP 03/12/2014-11:51 Conheça algumas doenças tipicamente femininas Da Redação ANSIEDADE: este transtorno mental é caracterizado por preocupações, tensões ou medos exagerados, sensação contínua de

Leia mais

[ERLICHIOSE CANINA]

[ERLICHIOSE CANINA] [ERLICHIOSE CANINA] 2 Erlichiose Canina A Erlichiose Canina é uma hemoparasitose causada pela bactéria Erlichia sp. Essa bactéria parasita, geralmente, os glóbulos brancos (neste caso, Erlichia canis)

Leia mais

Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE 2º Semestre Semana Unidades Curiculares Turno Seg Ter Qua Qui Sex

Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE 2º Semestre Semana Unidades Curiculares Turno Seg Ter Qua Qui Sex Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE 2º Semestre Semana Unidades Curiculares Turno Seg Ter Qua Qui Sex 1 2 Módulo I: M 3 BBPM Aparelho Cardiorrespiratório

Leia mais

Luxação Congênita do Quadril (Displasia Acetabular) Doença de Legg-Perthes-Calvet Epifisiólise. Prof André Montillo UVA

Luxação Congênita do Quadril (Displasia Acetabular) Doença de Legg-Perthes-Calvet Epifisiólise. Prof André Montillo UVA Luxação Congênita do Quadril (Displasia Acetabular) Doença de Legg-Perthes-Calvet Epifisiólise Prof André Montillo UVA Patologia Evolução Fisiológica A Partir dos 4 anos de idade haverá uma Obstrução da

Leia mais

4. Que outros dados epidemiológicos seriam importantes para o caso?

4. Que outros dados epidemiológicos seriam importantes para o caso? Caso Clínico 1 Identificação - R.E.M.O, 42 anos, feminino, professora, natural dee São Paulo, residente em Belém há vários anos. História da Doença Atual - Procurou atendimento médico emm 15/5/2006, relatando

Leia mais

Boletim semanal de Vigilância da Influenza/RS Semana epidemiológica 37/2016

Boletim semanal de Vigilância da Influenza/RS Semana epidemiológica 37/2016 Boletim semanal de Vigilância da Influenza/RS Semana epidemiológica 37/2016 A vigilância da Influenza é realizada por meio de notificação e investigação de casos de internações hospitalares por Síndrome

Leia mais

26/08/2016. Questões UFG. Doenças Transmissíveis

26/08/2016. Questões UFG. Doenças Transmissíveis Enfermagem para Concursos Públicos em exercícios Questões UFG Doenças Transmissíveis (UFG Universidade Federal de Goiás GO Enfermeiro 2015) Todas as pessoas com suspeita de dengue devem receber o primeiro

Leia mais

Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco Real Clínica Médica DIARREIA CRÔNICA. MR1Bruna Lima MR2 Mirla de Sá Dr.

Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco Real Clínica Médica DIARREIA CRÔNICA. MR1Bruna Lima MR2 Mirla de Sá Dr. Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco Real Clínica Médica DIARREIA CRÔNICA MR1Bruna Lima MR2 Mirla de Sá Dr. Fortunato Cardoso Recife, 13 de maio de 2015 CONCEITO DIARREIA: Frequência:

Leia mais

Fluxo de atendimento e dados de alerta para qualquer tipo de cefaléia no atendimento do Primeiro Atendimento

Fluxo de atendimento e dados de alerta para qualquer tipo de cefaléia no atendimento do Primeiro Atendimento Fluxo de atendimento e dados de alerta para qualquer tipo de cefaléia no atendimento do Primeiro Atendimento Versão eletrônica atualizada em Fevereiro 2009 Fluxo de atendimento e dados de alerta para qualquer

Leia mais

Detecção Precoce do HIV/Aids nos Programas da

Detecção Precoce do HIV/Aids nos Programas da Detecção Precoce do HIV/Aids nos Programas da Atenção BásicaB Características Atuais do Diagnóstico do HIV/AIDS Predomina o diagnóstico tardio da infecção pelo HIV e Aids (43,6% dos diagnósticos) ( sticos

Leia mais

Rede Nacional de Vigilância de Morbidade Materna Grave. Frederico Vitório Lopes Barroso

Rede Nacional de Vigilância de Morbidade Materna Grave. Frederico Vitório Lopes Barroso Rede Nacional de Vigilância de Morbidade Materna Grave Frederico Vitório Lopes Barroso Morbidade Materna Grave Nos últimos anos, as mulheres que sobrevivem a complicações graves da gestação, near miss,

Leia mais

XVI Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalasen.

XVI Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalasen. XVI Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalasen www.digimaxdiagnostico.com.br CASO 1 Paciente: M. G. A., 38 anos, sexo feminino. Queixa: Infecção do trato urinário de repetição. Realizou ultrassonografia

Leia mais

ÓBITO FETAL DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA DA FMABC DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA PROF. TITULAR: MAURO SANCOVSKI

ÓBITO FETAL DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA DA FMABC DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA PROF. TITULAR: MAURO SANCOVSKI DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA DA FMABC DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA PROF. TITULAR: MAURO SANCOVSKI ÓBITO FETAL EDUARDO AUGUSTO BROSCO FAMÁ PROFESSOR AFILIADO DO DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCA E GINECOLOGIA

Leia mais

EXAMES LABORATORIAIS PROF. DR. CARLOS CEZAR I. S. OVALLE

EXAMES LABORATORIAIS PROF. DR. CARLOS CEZAR I. S. OVALLE EXAMES LABORATORIAIS PROF. DR. CARLOS CEZAR I. S. OVALLE EXAMES LABORATORIAIS Coerências das solicitações; Associar a fisiopatologia; Correlacionar os diversos tipos de exames; A clínica é a observação

Leia mais

Residente em Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Residente em Cirurgia de Cabeça e Pescoço Dr. Bruno Pinto Ribeiro Residente em Cirurgia de Cabeça e Pescoço Hospital Universitário Walter Cantídio Introdução Mais de 99% câncer de tireóide tópico Locais ectópicos struma ovarii, pescoço Objetivo

Leia mais

Seguem os números da gripe no Estado do Mato Grosso do Sul, considerando os três tipos de vírus de maior circulação (Influenza A, H1N1, Influenza A

Seguem os números da gripe no Estado do Mato Grosso do Sul, considerando os três tipos de vírus de maior circulação (Influenza A, H1N1, Influenza A Seguem os números da gripe no Estado do Mato Grosso do Sul, considerando os três tipos de vírus de maior circulação (Influenza A, H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B): ALERTAMOS QUE OS ÓBITOS RESIDENTES

Leia mais

CAPACITAÇÃO AGENTE COMUNITÁRIOS

CAPACITAÇÃO AGENTE COMUNITÁRIOS CAPACITAÇÃO AGENTE COMUNITÁRIOS Prefeitura Municipal de Corumbá Paulo Roberto Duarte Secretária Municipal de Saúde Dinaci Vieira Ranzi Gerência de Vigilância em Saúde Viviane Campos Ametlla Coordenação

Leia mais

RADIOLOGIA PULMONAR INCIDÊNCIA : PÓSTERO-ANTERIOR (PA)

RADIOLOGIA PULMONAR INCIDÊNCIA : PÓSTERO-ANTERIOR (PA) RADIOLOGIA PULMONAR RADIOLOGIA PULMONAR INCIDÊNCIA : PÓSTERO-ANTERIOR (PA) É A MAIS UTILIZADA NA RADIOGRAFIA SIMPLES DO TÓRAX. É NECESSÁRIA UMA DISTÂNCIA MÍNIMA PARA A SUA REALIZAÇÃO, DA ORDEM DE 1,50

Leia mais

Sistema Gastrointestinal

Sistema Gastrointestinal Sistema Gastrointestinal PATRICIA FRIEDRICH ENF. ASSISTENCIAL DO CTI ADULTO DO HOSPITAL MOINHOS DE VENTO PÓS GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM EM TERAPIA INTENSIVA PELA UNISINOS ANATOMIA E FISIOLOGIA Algumas doenças

Leia mais

Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 12 de 2016

Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 12 de 2016 Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 12 de 216 A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância

Leia mais

Anexo III. Alterações às secções relevantes do resumo das características do medicamento e folheto informativo

Anexo III. Alterações às secções relevantes do resumo das características do medicamento e folheto informativo Anexo III Alterações às secções relevantes do resumo das características do medicamento e folheto informativo Nota: Este Resumo das Características do Medicamento, rotulagem e folheto informativo é o resultado

Leia mais

Sumário. Estrutura e Desenvolvimento Embrionário dos Sistemas de Órgãos.

Sumário. Estrutura e Desenvolvimento Embrionário dos Sistemas de Órgãos. Sumário Estrutura e Desenvolvimento Embrionário dos Sistemas de Órgãos 1 Sistemas de Órgãos e Desenvolvimento das Cavidades Corporais 1.1 Definições, Visão Geral e Evolução das Cavidades Corporais 2 1.2

Leia mais

VARIZES DE MEMBROS INFERIORES. Dr Otacilio Camargo Junior Dr George Kalil Ferreira

VARIZES DE MEMBROS INFERIORES. Dr Otacilio Camargo Junior Dr George Kalil Ferreira VARIZES DE MEMBROS INFERIORES Dr Otacilio Camargo Junior Dr George Kalil Ferreira Definição Dilatação, alongamento, tortuosidade com perda funcional, com insuficiência valvular Incidência: 3/1 sexo feminino;75%

Leia mais

Cistos e cavidades pulmonares

Cistos e cavidades pulmonares Cistos e cavidades pulmonares Gustavo de Souza Portes Meirelles 1 1 Doutor em Radiologia pela Escola Paulista de Medicina UNIFESP 1 Definições Cistos e cavidades são condições em que há aumento da transparência

Leia mais

Ex-Presidente da Sociedade Goiana de Ginecologia e Obstetrícia. Mestre em Doenças Infecciosas e Parasitárias pelo IPTESP UFG

Ex-Presidente da Sociedade Goiana de Ginecologia e Obstetrícia. Mestre em Doenças Infecciosas e Parasitárias pelo IPTESP UFG Ex-Presidente da Sociedade Goiana de Ginecologia e Obstetrícia Mestre em Doenças Infecciosas e Parasitárias pelo IPTESP UFG Professor da Faculdade de Medicina da UFG. Sociedade Goiana de Ginecologia e

Leia mais

Carteira de VETPRADO. Hospital Veterinário 24h.

Carteira de VETPRADO. Hospital Veterinário 24h. Carteira de Carteira de VETPRADO Hospital Veterinário 24h www.vetprado.com.br Esquema de VacinaçãoGatos V5 Panleucopenia - Rinotraqueíte - Calicivirose Clamidiose - Leucemia Felina 90Dias 111Dias Raiva

Leia mais

NOTA TÉCNICA. Vigilância da Influenza ALERTA PARA A OCORRÊNCIA DA INFLUENZA E ORIENTAÇÃO PARA INTENSIFICAÇÃO DAS AÇÕES DE CONTROLE E PREVENÇÃO

NOTA TÉCNICA. Vigilância da Influenza ALERTA PARA A OCORRÊNCIA DA INFLUENZA E ORIENTAÇÃO PARA INTENSIFICAÇÃO DAS AÇÕES DE CONTROLE E PREVENÇÃO 12 de abril de 2016 Página 1/5 VIGILÂNCIA DA INFLUENZA A vigilância da influenza no Ceará é composta pela vigilância sentinela da SG e vigilância universal da SRAG, além da vigilância de surtos de SG.

Leia mais

A avaliação na ponta dos dedos

A avaliação na ponta dos dedos Reunião do Núcleo de Acessos Vasculares SPACV Mª TERESA VIEIRA Cirurgia Vascular Hospital Pulido Valente CHLN Guideline NKF K/DOQUI: Definição do termo, em relação ao acesso vascular Monitorização Exame

Leia mais

AVALIAÇÃO BIOQUÍMICA NO IDOSO

AVALIAÇÃO BIOQUÍMICA NO IDOSO C E N T R O U N I V E R S I T Á R I O C AT Ó L I C O S A L E S I A N O A U X I L I U M C U R S O D E N U T R I Ç Ã O - T U R M A 6 º T E R M O D I S C I P L I N A : N U T R I Ç Ã O E M G E R I AT R I A

Leia mais

Endometriose: Diagnóstico e Tratamento

Endometriose: Diagnóstico e Tratamento Endometriose: Diagnóstico e Tratamento Alysson Zanatta Diretor de Comunicação, Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal Doutor em Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São

Leia mais

Reunião de Casos. www.digimaxdiagnostico.com.br. Camilla Burgate Lima Oliveira Aperfeiçoando de RDI da DIGIMAX (A2)

Reunião de Casos. www.digimaxdiagnostico.com.br. Camilla Burgate Lima Oliveira Aperfeiçoando de RDI da DIGIMAX (A2) Reunião de Casos www.digimaxdiagnostico.com.br Camilla Burgate Lima Oliveira Aperfeiçoando de RDI da DIGIMAX (A2) CASO Paciente S. A., 26 anos. US Morfológico do 2º Trimestre G4 P1 A2 DUM: 20/03/2014 24

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA Dra. Cássia Elena Soares Fluxograma de Pré-Natal Mulher com suspeita de gravidez Atraso menstrual Náusea Suspensão ou irregularidade do uso do contraceptivo

Leia mais

ABDOME AGUDO NA GRAVIDEZ Waldemar Prandi Filho

ABDOME AGUDO NA GRAVIDEZ Waldemar Prandi Filho ABDOME AGUDO NA GRAVIDEZ Waldemar Prandi Filho NÁUSEAS VÔMITOS DOR ABDOMINAL LEUCOCITOSE ABDOME AGUDO NA GRAVIDEZ Raro 1/500 Diagnóstico Difícil: Sinais e Sintomas Fisíológicos Alterações Anatômicas e

Leia mais

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO DA REDE PÚBLICA DE SANTA CATARINA Última atualização em 05 de janeiro de 2016

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO DA REDE PÚBLICA DE SANTA CATARINA Última atualização em 05 de janeiro de 2016 Grupo alvo Idade BCG Hepatite B (1) VIP e VOP (10) Pentavalente Pneumo 10 Rotavírus (2) Meningo C Hepatite A Febre Amarela (3) Tríplice Viral (4) Tetraviral (5) HPV dtpa (8) Influenza (gripe) (9) Dupla

Leia mais

Imagens de adição -úlceras

Imagens de adição -úlceras Tracto Digestivo 8 -Estudos contrastados do tubo digestivo (conclusão) Imagens de adição (cont.) os processos ulcerativos A radiologia digestiva na era da endoscopia 9 -A imagiologiaseccional no estudo

Leia mais

DIAS E HORÁRIOS DAS APRESENTAÇÕES DOS TRABALHOS ENFERMAGEM TODOS OS AUTORES DEVERÃO CHEGAR IMPRETERIVELMENTE NO HORÁRIO MARCADO.

DIAS E HORÁRIOS DAS APRESENTAÇÕES DOS TRABALHOS ENFERMAGEM TODOS OS AUTORES DEVERÃO CHEGAR IMPRETERIVELMENTE NO HORÁRIO MARCADO. TÍTULO ORIENTADOR SALA DATA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NAS COMUNIDADES INDÍGENAS INFECÇÕES HOSPITALARES: REPENSANDO A IMPORTÂNCIA DA HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM HANSENÍASE:

Leia mais

QUANTIDADE DE CRIANÇAS ATENDIDAS NA BRINQUEDOTECA HOSPITALAR DO HNSA PELOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA EM 2013.

QUANTIDADE DE CRIANÇAS ATENDIDAS NA BRINQUEDOTECA HOSPITALAR DO HNSA PELOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA EM 2013. QUANTIDADE DE CRIANÇAS ATENDIDAS NA BRINQUEDOTECA HOSPITALAR DO HNSA PELOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA EM 203. Os estagiários do curso de Pedagogia do UNEC atendem a Brinquedoteca do HNSA de segunda a

Leia mais

DIVERTÍCULO DE ZENKER. R1 Jean Versari - HAC

DIVERTÍCULO DE ZENKER. R1 Jean Versari - HAC DIVERTÍCULO DE ZENKER R1 Jean Versari - HAC Divertículo de Zenker Evaginação da mucosa e submucosa do esôfago posterior por área de fraqueza entre as partes tireofaríngea e cricofarínega do músculo constritor

Leia mais

DOENÇAS GRAVES 1. OBJETIVO DA COBERTURA

DOENÇAS GRAVES 1. OBJETIVO DA COBERTURA DOENÇAS GRAVES 1. OBJETIVO DA COBERTURA Mediante a contratação da presente cobertura, a Seguradora obriga-se a garantir o pagamento ao Segurado de uma indenização no valor estabelecido na especificação

Leia mais

JEJUM PRÉ-ANESTÉSICO E OPERATÓRIO. Localizador: Data: Vigência: Revisão: Página: HND.ANT.POP /5

JEJUM PRÉ-ANESTÉSICO E OPERATÓRIO. Localizador: Data: Vigência: Revisão: Página: HND.ANT.POP /5 HND.ANT.POP.002 20.10.2015 20.10.2017 01 1 /5 1. FINALIDADE Este procedimento tem como objetivo estabelecer regras e normas para orientar a realização do jejum pré-anestésico visando redução dos riscos

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 Altera a Lei nº 11.664, de 29 de abril de 2008, para incluir a pesquisa de biomarcadores entre as ações destinadas à detecção precoce das neoplasias malignas de mama

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 05/2015 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 05/2015 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 05/2015 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 45 MÉDICO I (Coloproctologia) 01. C 11. C 02. D 12. D 03. A 13. E 04. E 14. E 05.

Leia mais

A fase inicial do câncer de próstata apresenta uma evolução silenciosa e não causa sintomas, mas alguns sinais merecem atenção:

A fase inicial do câncer de próstata apresenta uma evolução silenciosa e não causa sintomas, mas alguns sinais merecem atenção: Novembro Azul O movimento mundialmente conhecido como Novembro Azul ou Movember visa conscientizar os homens sobre a importância da prevenção do câncer de próstata e tem o bigode como símbolo adotado para

Leia mais

Matemática Maio 2016

Matemática Maio 2016 INFORMAÇÃO Prova Final de Ciclo a Nível de Escola Matemática Maio 2016 Prova 82 2016 3.º Ciclo do Ensino Básico Prova: Escrita O presente documento divulga informação relativa à prova final a nível de

Leia mais

PREFE ITURA MUNICIPAL DE GUAJ ARÁ MIRIM

PREFE ITURA MUNICIPAL DE GUAJ ARÁ MIRIM Caderno de Questões PREFE ITURA MUNICIPAL DE GUAJ ARÁ MIRIM realização S18 - Médico Clínico Geral AT E N Ç Ã O 1. O caderno de questões contém 20 questões de múltipla-escolha, conforme distribuição abaixo,

Leia mais

Programa para Seleção Clínica Cirúrgica e Obstetrícia de Pequenos Animais

Programa para Seleção Clínica Cirúrgica e Obstetrícia de Pequenos Animais Programa para Seleção Clínica Cirúrgica e Obstetrícia de Pequenos Animais - Princípios cirúrgicos básicos: assepsia/antissepsia; pré, trans e pós-operatório; instrumentação cirúrgica; fundamentos em esterilização

Leia mais

EXERCÍCIO DE CIÊNCIAS COM GABARITO 8º ANO 1. (PUC-SP) O esquema abaixo é referente ao coração de um mamífero

EXERCÍCIO DE CIÊNCIAS COM GABARITO 8º ANO 1. (PUC-SP) O esquema abaixo é referente ao coração de um mamífero EXERCÍCIO DE CIÊNCIAS COM GABARITO 8º ANO 1. (PUC-SP) O esquema abaixo é referente ao coração de um mamífero a) Que números indicam artérias e veias? b) Que números indicam vasos por onde circulam sangue

Leia mais

Indicadores de saúde Morbidade e mortalidade

Indicadores de saúde Morbidade e mortalidade Indicadores de saúde Morbidade e mortalidade Milene ZS Vosgerau Indicadores epidemiológicos A construção de indicadores de saúde é necessária para: analisar a situação atual de saúde; fazer comparações;

Leia mais

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA).

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA). A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA). Associa-se frequentemente a alterações funcionais e/ou

Leia mais

CAPÍTULO 18. MIOMAS SUBMUCOSOS: ESTADIAMEnTOS PARA TRATAMEnTO HISTEROSCÓPICO. 1. INTRODUçãO

CAPÍTULO 18. MIOMAS SUBMUCOSOS: ESTADIAMEnTOS PARA TRATAMEnTO HISTEROSCÓPICO. 1. INTRODUçãO CAPÍTULO 18 MIOMAS SUBMUCOSOS: ESTADIAMEnTOS PARA TRATAMEnTO HISTEROSCÓPICO 1. INTRODUçãO Leiomiomas uterinos são os tumores mais frequentes do trato genital feminino, clinicamente aparentes em 25% das

Leia mais

Manejo da Coinfecção TB-HIV

Manejo da Coinfecção TB-HIV Transcrição da Videoaula Curso: Manejo da coinfecção TB-HIV Unidade: 2 - Manejo Clínico da Coinfecção TB-HIV Atividade: 2.3 - Diagnóstico da tuberculose extrapulmonar em PVHA Docente: Denise Arakaki-Sanchez

Leia mais

Módulo 1 / Semestre 1 Carga horária total: 390ch Unidade Curricular. Semestral

Módulo 1 / Semestre 1 Carga horária total: 390ch Unidade Curricular. Semestral Curso Técnico Subsequente em Curso Técnico em Enfermagem Nome do Curso - Curso Técnico em Enfermagem CÂMPUS Florianópolis/SC MATRIZ CURRICULAR Módulo 1 / Semestre 1 Carga horária total: 390ch Unidade Curricular

Leia mais

Introdução: Relato de Caso de Trombose Venosa Cerebral secundária a doença Inflamatória Intestinal em Hospital Universitário

Introdução: Relato de Caso de Trombose Venosa Cerebral secundária a doença Inflamatória Intestinal em Hospital Universitário Introdução: O termo doença inflamatória intestinal (DII) é usado para descrever um grupo de desordens intestinais crônicas, recorrentes, de patogênese complexa, representadas principalmente pela doença

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O CARGO EFETIVO DE PROFESSOR DA CARREIRA DE MAGISTÉRIO PROVA ESCRITA. Áreadeconcurso:

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O CARGO EFETIVO DE PROFESSOR DA CARREIRA DE MAGISTÉRIO PROVA ESCRITA. Áreadeconcurso: P grad Pró-reitona de Graduação UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O CARGO EFETIVO DE PROFESSOR DA CARREIRA DE MAGISTÉRIO SUPERIOR EDITAL Nº

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 53

PROVA ESPECÍFICA Cargo 53 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 53 QUESTÃO 26 Jovem de 18 anos, atleta, em partida de futebol foi atingido pelo joelho do adversário em hemitórax direito. Desde então, apresenta dor intensa, que piora com os

Leia mais

CARTA DE ORIENTAÇÃO AO BENEFICIÁRIO

CARTA DE ORIENTAÇÃO AO BENEFICIÁRIO Prezado (a) Beneficiário (a), CARTA DE ORIENTAÇÃO AO BENEFICIÁRIO A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), instituição que regula as atividades das operadoras de planos privados de assistência à

Leia mais

Incidência de síndrome gripal em população institucionalizada, Campinas/SP 2004 a Ms. Raquel M. R. Duarte Profª Drª Maria Rita Donalísio

Incidência de síndrome gripal em população institucionalizada, Campinas/SP 2004 a Ms. Raquel M. R. Duarte Profª Drª Maria Rita Donalísio Incidência de síndrome gripal em população institucionalizada, Campinas/SP 2004 a 2005 Ms. Raquel M. R. Duarte Profª Drª Maria Rita Donalísio INTRODUÇÃO As doenças respiratórias estão entre as principais

Leia mais

Abordagem a Linfonodomegalia Periférica. Guilherme Medeiros Reunião Clínica Real Hospital Português

Abordagem a Linfonodomegalia Periférica. Guilherme Medeiros Reunião Clínica Real Hospital Português Abordagem a Linfonodomegalia Periférica. Guilherme Medeiros Reunião Clínica Real Hospital Português Caso Clínico: Masculino Diretor de escola. Proveniente de Garanhuns-PE Comorbidades: DM tipo 2. Caso

Leia mais

Semiologia do aparelho osteoarticular. Professor Ivan da Costa Barros

Semiologia do aparelho osteoarticular. Professor Ivan da Costa Barros Semiologia do aparelho osteoarticular Professor Ivan da Costa Barros IMPORTÂNCIA CLÍNICA 10% das consultas médicas Mais de 100 doenças Complicações não articulares Geralmente auto limitado 1 em 5 americanos

Leia mais

C.10 Taxa de mortalidade específica por neoplasias malignas

C.10 Taxa de mortalidade específica por neoplasias malignas C.1 Taxa de mortalidade específica por neoplasias malignas O indicador estima o risco de morte por neoplasias malignas e dimensiona a sua magnitude como problema de saúde pública. Corresponde ao número

Leia mais

PADRÃO DE HERANÇA LIGADA AO CROMOSSOMO X

PADRÃO DE HERANÇA LIGADA AO CROMOSSOMO X PADRÃO DE HERANÇA LIGADA AO CROMOSSOMO X HOMENS: apresenta um X e um Y XY sexo heterogamético o seus gametas serão metade com cromossomo X e metade com cromossomo Y MULHER: apresenta dois X XX sexo homogamético

Leia mais

CURSO: FISIOTERAPIA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: FISIOTERAPIA EMENTAS º PERÍODO CURSO: FISIOTERAPIA EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: ANATOMIA DO SISTEMA LOCOMOTOR Terminologia Anatômica. Sistema Esquelético. Sistema Articular. Sistema Muscular. DISCIPLINA: SISTEMAS BIOLÓGICOS

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA ENTENDENDO a doença metabólica A doença metabólica, também chamada de síndrome metabólica ou ainda de plurimetabólica, em geral faz parte de um conjunto de

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Analista Técnico I Belo Horizonte Código da vaga: EX026/16

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Analista Técnico I Belo Horizonte Código da vaga: EX026/16 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Analista Técnico I Belo Horizonte Código da vaga: EX026/16 O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais SEBRAE - MG, CNPJ nº 16.589.137/0001-63, inscrição

Leia mais

11º Imagem da Semana: Ultrassonografia dos rins e vias urinárias

11º Imagem da Semana: Ultrassonografia dos rins e vias urinárias 11º Imagem da Semana: Ultrassonografia dos rins e vias urinárias Enunciado Paciente do sexo feminino, 8 anos, há 2 dias com hematúria macroscópica e dor abdominal difusa leve à esclarecer. Pressão arterial

Leia mais

M.C.R 20 anos Casada Ensino médio completo Prendas domésticas Natural e procedente de Botucatu

M.C.R 20 anos Casada Ensino médio completo Prendas domésticas Natural e procedente de Botucatu M.C.R 20 anos Casada Ensino médio completo Prendas domésticas Natural e procedente de Botucatu Primigesta, 33s6d procura PA com queixa de anasarca e PA aferida em casa de 160x100 mmhg. Nega queixas de

Leia mais

- TC Tórax - - Terminologia descritiva - - Lesões elementares / padrões fundamentais - Dr. Mauro Edelstein R3 Gustavo Jardim Dalle Grave

- TC Tórax - - Terminologia descritiva - - Lesões elementares / padrões fundamentais - Dr. Mauro Edelstein R3 Gustavo Jardim Dalle Grave - TC Tórax - - Lesões elementares / padrões fundamentais - - Terminologia descritiva - Dr. Mauro Edelstein R3 Gustavo Jardim Dalle Grave Abril 2012 Bolha Área focal hipodensa com paredes bem definidas

Leia mais

Em diagnóstico por imagem se caracteriza como massa qualquer estrutura que tem características expansivas (rechaça outras estruturas) e ocupa espaço,

Em diagnóstico por imagem se caracteriza como massa qualquer estrutura que tem características expansivas (rechaça outras estruturas) e ocupa espaço, 1 Em diagnóstico por imagem se caracteriza como massa qualquer estrutura que tem características expansivas (rechaça outras estruturas) e ocupa espaço, podendo ser tumoral ou inflamatória. 2 Nesta radiografia

Leia mais

RA Vila Isabel. Indicadores Rio Como Vamos

RA Vila Isabel. Indicadores Rio Como Vamos 3 RA Vila Isabel Indicadores Rio Como Vamos 1 CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO A Região Administrativa (RA) de Vila Isabel faz parte da Área de Planejamento 2. Abaixo podemos observar os gráficos referentes

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE ANGICAL DO PIAUÍ PI

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE ANGICAL DO PIAUÍ PI ANEXO IV PROGRAMA DAS DISCIPLINAS DAS PROVAS CONTEÚDO PARA OS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR LÍNGUA PORTUGUESA Língua Portuguesa: Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. Reconhecimento de

Leia mais

Imagenologia das Lesões Hepáticas

Imagenologia das Lesões Hepáticas Curso Continuado em Cirurgia Geral do CBCSP 2014 Imagenologia das Lesões Hepáticas Dr. Lucas Scatigno Saad 26/07/2014 Fígado Maior órgão parenquimatoso do corpo 1.000-2.500 g no adulto saudável Hipocôndrio

Leia mais

Dra. Tatiana C. Lawrence PEDIATRIA, ALERGIA E IMUNOLOGIA

Dra. Tatiana C. Lawrence PEDIATRIA, ALERGIA E IMUNOLOGIA Vacinação As vacinas são as ferramentas mais poderosas e inofensivas que temos para combater as doenças. Protegem milhões de crianças e adultos das doenças que ameaçam nossas vidas, como poliomielite (paralisia

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de Matemática

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de Matemática Informação - Prova de Equivalência à Frequência de Matemática 2.º Ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei nº139 /2012, de 5 de junho, alterado pelo Despacho Normativo n.º1-g/2016 Prova 62 (2016) Duração da

Leia mais

Fundação Educacional Lucas Machado - FELUMA Faculdade Ciências Médicas - MG Concurso de Transferência 2016 PROGRAMA DE ANATOMIA (20 QUESTÕES)

Fundação Educacional Lucas Machado - FELUMA Faculdade Ciências Médicas - MG Concurso de Transferência 2016 PROGRAMA DE ANATOMIA (20 QUESTÕES) Fundação Educacional Lucas Machado - FELUMA Faculdade Ciências Médicas - MG Concurso de Transferência 2016 1 PROGRAMAS PARA A 2 ª SÉRIE DO CURSO DE MEDICINA PROGRAMA DE ANATOMIA (20 QUESTÕES) I Anatomia

Leia mais

Avaliação inicial da criança com suspeita de cardiopatia. Prof. Dr. Rossano César Bonatto Disciplina de Cardiologia Pediátrica - FMB - UNESP

Avaliação inicial da criança com suspeita de cardiopatia. Prof. Dr. Rossano César Bonatto Disciplina de Cardiologia Pediátrica - FMB - UNESP Avaliação inicial da criança com suspeita de cardiopatia Prof. Dr. Rossano César Bonatto Disciplina de Cardiologia Pediátrica - FMB - UNESP Introdução Malformações cardíacas Suspeita de cardiopatia Responsáveis

Leia mais