Capítulo. Alterações da Glicemia 18 e Diabetes Mellittus. Capítulo 18. Alterações da Glicemia e Diabetes Mellitus 1. OBJETIVOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capítulo. Alterações da Glicemia 18 e Diabetes Mellittus. Capítulo 18. Alterações da Glicemia e Diabetes Mellitus 1. OBJETIVOS"

Transcrição

1 Capítulo Alterações da Glicemia 18 e Diabetes Mellittus 1. OBJETIVOS No final da sessão os formandos deverão ser capazes de: Conhecer os tipos de diabetes mellitus. Descrever os mecanismos de descompensação da diabetes mellitus. Enumerar os sinais e sintomas de hipoglicemia e hiperglicemia. Integrar a informação obtida através do exame da vítima no quadro de descompensação diabética. Listar e descrever a nomenclatura AVDS e CHAMU incluídas no exame da vítima, no contexto de vítima com um quadro de descompensação diabética. Listar e descrever os critérios de prioridade na atuação perante um quadro de descompensação diabética. Listar e descrever os passos da atuação protocolada para este tipo de atuação. 1

2 2. INTRODUÇÃO O organismo humano para sobreviver necessita de um fornecimento constante de oxigénio e nutrientes, fatores estes obtidos através da respiração e da digestão. A utilização do oxigénio e dos nutrientes é efetuada através do metabolismo interno do corpo que vai permitir o consumo e excreção das diversas substâncias. Para qualquer função ou movimento que realizamos é necessária uma determinada quantidade de energia. Assim o metabolismo vai permitir que através dos diversos nutrientes orgânicos, que possuem uma certa quantidade de energia química, venhamos a obter energia necessária para manter as funções do nosso organismo 3. A GLICOSE Dentro das diversas substâncias que necessitamos para sobreviver, a glicose (açúcar) é, à semelhança do oxigénio, um dos nutrientes fundamentais que nos permite manter vivos. Esta substância é obtida através do processo de digestão dos alimentos, que são alterados mecanicamente e quimicamente para que o organismo possa retirar deles os nutrientes necessários. Se houver alterações no nível de glicose existente no organismo, pela produção ou consumo da glicose ter-se alterado, pode surgir um quadro de: - Hipoglicemia Açúcar a menos no sangue; - Hiperglicemia Açúcar a mais no sangue. Os valores de glicemia considerados normais são, no caso de se estar em jejum entre 70/80 mg/dl e 110/120 mg/dl e, no caso de ter efetuado alguma refeição (até 2 horas após) inferiores a 160 mg/dl. O nível de açúcar no sangue designa-se por glicemia. A sua determinação é fácil, recorrendo-se à medição da glicemia capilar. A glicemia capilar obtém-se colocando uma gota de sangue numa tira reagente (muda de cor com o nível da glicemia capilar) que é comparada com uma escala ou utilizando aparelhos que fazem a determinação automática do valor (Glicómetro). Existem fundamentalmente duas substâncias responsáveis pelo metabolismo da glicose: - A Insulina - O Glucagon a) INSULINA A insulina é uma hormona produzida pelo pâncreas e tem como função: - Aumentar o metabolismo da glicose; - Diminuir a concentração de glicose no sangue; - Aumentar as reservas de glicose nos tecidos. 2

3 b) GLUCAGON É produzido pelo pâncreas quando diminui os níveis de glicemia, e tem como função elevar estes níveis, mobilizando reservas hepáticas. Fig Anatomia do pâncreas As alterações nos níveis de glicose e de insulina no sangue podem ter as seguintes origens: - Uma alimentação deficiente; - Um jejum prolongado; - Incumprimento da medicação ou administração excessiva de insulina; - Neoplasias no pâncreas; - Esforço físico; As situações de emergências metabólicas mais frequentes no pré-hospitalar são as resultantes da descompensação da vítima diabética. 4. DIABETES MELLITUS Diabetes é uma doença crónica que resulta da incapacidade do pâncreas em produzir a quantidade de insulina suficiente para o organismo humano, caracterizando-se pelo aumento dos níveis de glicose no sangue. A Diabetes Mellitus classifica-se da seguinte forma: Diabetes Mellitus Tipo I ou Insulino Dependente. Diabetes Mellitus Tipo II ou Não Insulino Dependente. 3

4 4.1. DIABETES MELLITUS TIPO 1 OU INSULINO DEPENDENTE Atinge, na maioria dos casos, crianças e jovens podendo também surgir em adultos. Nestes casos o pâncreas é incapaz de produzir insulina, uma vez que existe a destruição das células produtoras desta hormona. Devido a esta incapacidade, este tipo de doentes necessita que lhe seja injetada insulina durante toda a vida DIABETES MELLITUS TIPO 2 OU NÃO INSULINO DEPENDENTE Este tipo de Diabetes surge na maioria dos casos em indivíduos adultos, podendo ser hereditária ou surgir devido a maus hábitos alimentares, stress, etc. Neste tipo de casos o pâncreas produz insulina mas não em quantidade suficiente. 5. HIPERGLICÉMIA A hiperglicemia traduz-se numa situação de aumento dos níveis de açúcar no sangue, já que há uma produção insuficiente de insulina, levando ao aumento da glicemia. Na maioria dos casos não existe a ativação da equipa de emergência uma vez que a sua instalação é lenta e progressiva, surgindo em doentes com antecedentes de diabetes A falta total de insulina no sangue que surge nos diabéticos tipo 1 leva à subida dos níveis de glicose provocando a regressão do metabolismo, dando origem inicialmente à hiperglicemia e posteriormente cetonemia (existência de acetona no sangue). Os valores de glicemia no sangue que nos indicam uma hiperglicemia são quando se encontram superiores a 200 mg/dl. A hiperglicemia ocorre normalmente nas seguintes situações: Quando não é cumprida a prescrição terapêutica (comprimidos ou insulina); Quando o doente come em demasia, não cumprindo a dieta prescrita, o que leva a um excesso de açúcar no sangue em relação à insuficiente quantidade de insulina. diabético. Assim é fácil perceber que um excesso de açúcar no sangue não corresponde necessariamente a um doente 5.1. SINAIS E SINTOMAS DE HIPERGLICÉMIA A sintomatologia da hiperglicemia normalmente traduz-se pela alteração do estado de consciência e na perda de água e tem como consequência o risco de desidratação, hipotensão e taquicardia. No entanto, a vítima ainda pode apresentar: Náuseas e vómitos; Fraqueza muscular; Tonturas; 4

5 Hipotensão; Pele avermelhada e seca; Sensação de sede; Hálito cetónico; Taquipneia; Taquicardia; Sonolência; Confusão mental, desorientação que poderá evoluir para estados de inconsciência coma hiperglicémico 5.2. ATUAÇÃO Manter uma atitude calma e segura; Abordar a vítima segundo a metodologia ABCDE; Manter a permeabilidade da via aérea; Determinar a glicemia capilar; Administrar oxigénio: Garantir oximetria 95% (Se grávida 97%; Se DPOC 88% - 92%) 3 L/min. Verificar e registar os sinais vitais ter especial atenção às características da respiração; Prosseguir com o Exame da Vítima, dando especial atenção à recolha do máximo de informação (CHAMU); Transportar a vítima com vigilância dos sinais vitais e evolução do estado de consciência. 6. HIPOGLICEMIA A glicose é a principal fonte de energia do organismo, sendo fundamental para o seu funcionamento, principalmente do Sistema Nervoso Central, em que a ausência prolongada de glicose pode provocar danos permanentes no tecido cerebral. Na hipoglicemia, ocorre um excesso de insulina em relação ao açúcar do sangue. Considera-se que estamos perante uma hipoglicemia quando o valor de açúcar no sangue capilar é inferior a 60 mg/dl. A sua evolução é normalmente rápida e súbita. A hipoglicemia poderá ocorrer se: Houver um jejum prolongado e/ou desnutrição; Se os alimentos não forem digeridos (ex.: vómito/diarreia após as refeições); Induzida por fármacos: doses de insulina ou antidiabéticos orais forem demasiado elevadas relativamente às necessidades do doente ou à quantidade e tipo de alimentos ingeridos; 5

6 Situações em que é exigido um maior consumo de açúcar (ex.: esforço físico, emoções fortes, febre etc.); Induzida por álcool; Insuficiência hepática; Tumores produtores de insulina; Intoxicação voluntária e/ou involuntária com antidiabéticos orais e/ou insulina (ex. tentativa de suicídio, erro de dosagem). A hipoglicemia é uma situação que embora seja frequente nos doentes diabéticos, pode ocorrer em qualquer indivíduo. Sendo o açúcar imprescindível à vida, a hipoglicemia tem de ser rapidamente corrigida através da ingestão de açúcar. Caso contrário, pode ocorrer a morte SINAIS E SINTOMAS DE HIPOGLICEMIA Ansiedade; Irritabilidade; Agitação; Comportamento bizarro; Fraqueza muscular; Fome; Cefaleias; Pupilas dilatadas; Taquicardia; Pele pálida, húmida e sudorese; Tonturas, náuseas e dor abdominal; Tremores e mesmo convulsões; Desorientação, confusão mental, perda de consciência coma hipoglicémico ATUAÇÃO Manter uma atitude calma e segura; Abordar a vítima segundo a metodologia ABCDE; Determinação da glicemia capilar: Se glicemia inferior a 60 mg/dl, deve: - Vítima consciente: administrar água com açúcar ou bebidas açucaradas em pequenas quantidades mas frequentemente; - Vítima inconsciente administrar papa espessa de açúcar no interior da mucosa oral. Administrar oxigénio: 6

7 Garantir oximetria 95% (Se grávida 97%; Se DPOC 88% - 92%) 3 L/min. Verificar e registar os sinais vitais ter especial atenção às caraterísticas da respiração; Prosseguir com o Exame da Vítima, dando especial atenção à recolha do máximo de informação (CHAMU); Em caso de convulsão deve atuar em conformidade; Transporte com vigilância dos sinais vitais e evolução do estado de consciência. Se o doente se mantiver inconsciente o transporte deve ser feito em Posição Lateral de Segurança; NOTA A distinção entre hipoglicemia e hiperglicemia por vezes torna-se difícil se tivermos apenas em consideração os sinais e sintomas ou a informação obtida. A determinação da glicemia capilar é fundamental para esclarecer esta situação. Quando não é possível efetuar este teste, e se continuar a haver dúvidas, deve atuar como se fosse uma hipoglicemia dado que: A hiperglicemia tem uma evolução mais lenta que a hipoglicemia; A hipoglicemia conduz mais rapidamente à morte celular. QUADRO RESUMO: Hipoglicemia e Hiperglicemia Hiperglicemia Hipoglicemia Excesso de açúcar ou défice de insulina CAUSA Excesso de insulina ou défice de açúcar Lento e progressivo INICIO Rápido e súbito Fraqueza muscular, confusão, sonolência e coma COMPORTAMENTO Agitação, irritabilidade, convulsões, confusão e coma Cetónico, adocicado (a maças) HÀLITO Normal Seca e avermelhada PELE Pálida, húmida e suada Sim SEDE Não Geralmente não FOME Sim Habituais VÓMITOS Raros 7

Metabolismo dos Carboidratos

Metabolismo dos Carboidratos Metabolismo dos Carboidratos síntese de glicogênio a partir da glicose Glicogenólise síntese de glicose a partir do glicogênio Lipogênese excesso de glicose convertido em gordura Prof. M.Sc. Renata Fontes

Leia mais

Capítulo 9. Dor Torácica. Capítulo 9. Dor Torácica 1. OBJETIVOS

Capítulo 9. Dor Torácica. Capítulo 9. Dor Torácica 1. OBJETIVOS Capítulo 9 Dor Torácica 1. OBJETIVOS No final desta unidade modular, os formandos deverão ser capazes de: Listar e descrever os sinais e sintomas de dor torácica. Listar e descrever os principais tipos

Leia mais

Medicações usadas no tratamento do Diabetes Mellitus. Disciplina Farmacologia Profª Janaína Santos Valente

Medicações usadas no tratamento do Diabetes Mellitus. Disciplina Farmacologia Profª Janaína Santos Valente Medicações usadas no tratamento do Diabetes Mellitus Disciplina Farmacologia Profª Janaína Santos Valente Definição O Diabetes Mellitus é uma doença caracterizada pela hiperglicemia, resultante de defeitos

Leia mais

Aprenda a Viver com a Diabetes

Aprenda a Viver com a Diabetes Aprenda a Viver com a Diabetes Diabetes A Diabetes é uma grave condição de saúde que atinge de 150 milhões de pessoas em todo o Mundo e estima-se que em Portugal existam cerca de 900 mil pessoas com Diabetes.

Leia mais

7º-Curso de Licenciatura em Enfermagem. Nutrição. Crisanta Portugal 11-ÁLCOOL

7º-Curso de Licenciatura em Enfermagem. Nutrição. Crisanta Portugal 11-ÁLCOOL 7º-Curso de Licenciatura em Enfermagem Nutrição Crisanta Portugal 11-ÁLCOOL 1 ÁLCOOL As bebidas alcoólicas são as que contem álcool na sua composição. O álcool das bebidas alcoólicas é o álcool ordinário

Leia mais

Pâncreas Endócrino Controle da glicemia

Pâncreas Endócrino Controle da glicemia Pâncreas Endócrino Controle da glicemia Curso de Odontologia da UEM Prof. Kellen Brunaldi Silverthorn (Cap. 22) Guyton (Cap. 78) O SNC é responsável por cerca de 50% da glicose diariamente consumida para

Leia mais

Capítulo. 8 Médicas. Emergências. Capítulo 8 Emergências Médicas 1. OBJETIVOS. No final desta unidade modular deverão ser capazes de:

Capítulo. 8 Médicas. Emergências. Capítulo 8 Emergências Médicas 1. OBJETIVOS. No final desta unidade modular deverão ser capazes de: Capítulo Emergências 8 Médicas 1. OBJETIVOS No final desta unidade modular deverão ser capazes de: Listar e descrever a origem do Enfarte Agudo do Miocárdio. Listar e descrever os sinais e sintomas de

Leia mais

Principais sintomas: - Poliúria (urinar muitas vezes ao dia e em grandes quantidades); - Polidipsia (sede exagerada); - Polifagia (comer muito);

Principais sintomas: - Poliúria (urinar muitas vezes ao dia e em grandes quantidades); - Polidipsia (sede exagerada); - Polifagia (comer muito); O diabetes mellitus é uma doença crônica que se caracteriza por uma elevada taxa de glicose (açúcar) no sangue. Essa elevação ocorre, na maioria das vezes, por uma deficiência do organismo em produzir

Leia mais

PLANO DE MANEJO DO DIABETES NA ESCOLA (PMDE)

PLANO DE MANEJO DO DIABETES NA ESCOLA (PMDE) PLANO DE MANEJO DO DIABETES NA ESCOLA (PMDE) Este plano deve ser preenchido pelos profissionais da saúde responsáveis pelo tratamento do aluno com diabetes juntamente com os pais ou responsáveis. O plano

Leia mais

A Diabetes É uma doença metabólica Caracteriza-se por um aumento dos níveis de açúcar no sangue hiperglicemia. Vários factores contribuem para o apare

A Diabetes É uma doença metabólica Caracteriza-se por um aumento dos níveis de açúcar no sangue hiperglicemia. Vários factores contribuem para o apare Diabetes Mellitus Tipo I Licenciatura em Bioquímica 1º ano 2005/2006 Duarte Nuno Amorim dos Santos A Diabetes É uma doença metabólica Caracteriza-se por um aumento dos níveis de açúcar no sangue hiperglicemia.

Leia mais

PRESCRIÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA PARA PORTADORES DE DIABETES MELLITUS

PRESCRIÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA PARA PORTADORES DE DIABETES MELLITUS PRESCRIÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA PARA PORTADORES DE DIABETES MELLITUS Acadêmica de medicina: Jéssica Stacciarini Liga de diabetes 15/04/2015 Benefícios do exercício físico em relação ao diabetes mellitus:

Leia mais

Bioquímica Prof. Thiago

Bioquímica Prof. Thiago Bioquímica Prof. Thiago Glicídios, Carboidratos formados por C, H, O glícides, glucídeos, açúcares ou hidratos de carbono; 3 grupos: - monossacarídeos - dissacarídeos - polissacarídeos Monossacarídeos

Leia mais

Pâncreas O Pâncreas é um órgão do sistema digestivo e endócrino. Tem uma função exócrina (segregando suco pancreático que contém enzimas digestivas) e

Pâncreas O Pâncreas é um órgão do sistema digestivo e endócrino. Tem uma função exócrina (segregando suco pancreático que contém enzimas digestivas) e Projecto Tutorial - Diabetes Trabalho realizado por: Carlos Bernardo 2 º Ano Bioquímica No âmbito da Cadeira de M.E.T. III Ano Lectivo: 2007/2008 Pâncreas O Pâncreas é um órgão do sistema digestivo e endócrino.

Leia mais

Monossacarídeos. açúcares simples. Monossacarídeos. Carboidratos formados por C, H, O

Monossacarídeos. açúcares simples. Monossacarídeos. Carboidratos formados por C, H, O Carboidratos formados por C, H, O Bioquímica Profa. Janara Glicídios, glícides, glucídeos, açúcares ou hidratos de carbono; 3grupos: - monossacarídeos - dissacarídeos - polissacarídeos 1 2 Monossacarídeos

Leia mais

Exercite-se com seu diabetes

Exercite-se com seu diabetes Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Exercite-se com seu diabetes Benefícios da atividade física Se você é diabético não tenha medo de

Leia mais

*Distúrbio do metabolismo de CHO devido ao aumento da demanda por glicose pelos fetos em desenvolvimento nas últimas 6 semanas de gestação

*Distúrbio do metabolismo de CHO devido ao aumento da demanda por glicose pelos fetos em desenvolvimento nas últimas 6 semanas de gestação Prof. Me. Diogo Gaubeur de Camargo *Doença metabólica de ovelhas que ocorre durante as últimas semanas de gestação *Caracterizada por hipoglicemia e cetose *Fígado gorduroso e encefalopatia hepática *Sinonímias

Leia mais

www.drapriscilaalves.com.br [CINOMOSE]

www.drapriscilaalves.com.br [CINOMOSE] www.drapriscilaalves.com.br [CINOMOSE] 2 cinomose A cinomose é uma doença viral altamente contagiosa que afeta os cães e todos os animais da família Canidae (Dingo, raposa, coiote, lobo), da família Mustelidae

Leia mais

Metabolismo da Glicose. Glicose, metabolismo e enfermidades relacionadas. Metabolismo da Glicose. Prof. Me. Diogo Gaubeur de Camargo

Metabolismo da Glicose. Glicose, metabolismo e enfermidades relacionadas. Metabolismo da Glicose. Prof. Me. Diogo Gaubeur de Camargo Glicose, metabolismo e enfermidades relacionadas Prof. Me. Diogo Gaubeur de Camargo Metabolismo da Glicose CHOs Polissacarídeos Dissacarídeos (MAL, SAC, LAC) Monossacarídeos (Glic, Frut, Galact, Mano e

Leia mais

A Bioquímica Da Célula. Alternar entre páginas 0/1 Página Anterior Próxima página

A Bioquímica Da Célula. Alternar entre páginas 0/1 Página Anterior Próxima página A Bioquímica Da Célula Alternar entre páginas 0/1 Página Anterior Próxima página A importância da água em nossa vida A água é indispensável para o nosso planeta. Foi através dela que surgiram as primeiras

Leia mais

COLCHA! A FISIOLOGIA É UMA COLCHA DE RETALHOS... A FISIOLOGIA É O ESTUDO DA VIDA EM AÇÃO MAS OS RETALHOS FORMAM UMA... O QUE É A FISIOLOGIA?

COLCHA! A FISIOLOGIA É UMA COLCHA DE RETALHOS... A FISIOLOGIA É O ESTUDO DA VIDA EM AÇÃO MAS OS RETALHOS FORMAM UMA... O QUE É A FISIOLOGIA? O QUE É A FISIOLOGIA? A FISIOLOGIA É UMA COLCHA DE RETALHOS... Biologia Molecular Bioquímica Psicologia Histologia Biologia Celular Anatomia Genética Medicina Biofísica MAS OS RETALHOS FORMAM UMA... A

Leia mais

Complicações agudas no Diabetes Mellitus e seu tratamento: hipo e hiperglicemia

Complicações agudas no Diabetes Mellitus e seu tratamento: hipo e hiperglicemia Complicações agudas no Diabetes Mellitus e seu tratamento: hipo e hiperglicemia Profa. Dra. Lilian C. Gomes Villas Boas Enfermeira colaboradora do Ambulatório de Diabetes do HCFMRP- USP (2007 2013) Membro

Leia mais

REGULAÇÃO HORMONAL DO METABOLISMO DO GLICOGÊNIO E DE LIPÍDIOS

REGULAÇÃO HORMONAL DO METABOLISMO DO GLICOGÊNIO E DE LIPÍDIOS REGULAÇÃO HORMONAL DO METABOLISMO DO GLICOGÊNIO E DE LIPÍDIOS Tiroxina Epinefrina (adrenalina) Glucagon Insulina Hormônios esteroides: Cortisol (Suprarenal) Progesterona Testosterona Estradiol Aldosterona

Leia mais

Diabetes. Hábitos saudáveis para evitar e conviver com ela.

Diabetes. Hábitos saudáveis para evitar e conviver com ela. Diabetes Hábitos saudáveis para evitar e conviver com ela. diabetes É uma doença crônica, caracterizada por um distúrbio do metabolismo da glicose (açúcar). Consiste no aumento dos níveis de glicose no

Leia mais

Lição 06 HEMORRAGIAS E CHOQUE. 1. Enumerar 5 sinais ou sintomas indicativos de uma hemorragia;

Lição 06 HEMORRAGIAS E CHOQUE. 1. Enumerar 5 sinais ou sintomas indicativos de uma hemorragia; Lição 06 HEMORRAGIAS E CHOQUE OBJETIVOS: Ao final desta lição os participantes serão capazes de: 1. Enumerar 5 sinais ou sintomas indicativos de uma hemorragia; 2. Citar e demonstrar 3 diferentes técnicas

Leia mais

DIÁRIO DE GLICEMIAS CAPILARES

DIÁRIO DE GLICEMIAS CAPILARES DIÁRIO DE GLICEMIAS CAPILARES GRUPO SANTA CASA DE BELO HORIZONTE Ambulatório de Diabetes Tipo 1 Santa Casa de Belo Horizonte SOU PORTADOR DE DIABETES E ESSE É MEU DIÁRIO DE GLICEMIAS: Nome: Endereço:

Leia mais

Não tome Disocor: - se tem alergia à levocarnitina ou a qualquer outro componente deste medicamento (indicados na secção 6).

Não tome Disocor: - se tem alergia à levocarnitina ou a qualquer outro componente deste medicamento (indicados na secção 6). Folheto informativo: Informação para o doente Disocor 1000 mg comprimidos para mastigar Levocarnitina Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento, pois contém informação

Leia mais

Diabetes tipo 1: Informações para professores. O diabetes nos jovens. O que é o diabetes tipo 1? O que provoca o diabetes tipo 1?

Diabetes tipo 1: Informações para professores. O diabetes nos jovens. O que é o diabetes tipo 1? O que provoca o diabetes tipo 1? Diabetes tipo 1: Informações para professores O diabetes nos jovens O diabetes tipo 1 é uma doença muito difícil de cuidar, especialmente quando se é jovem. Infelizmente, se algo vai mal com o diabetes,

Leia mais

DISFUNÇOES RESPIRATÓRIAS

DISFUNÇOES RESPIRATÓRIAS DISFUNÇOES RESPIRATÓRIAS A DPOC se caracteriza por alterações progressivas da função pulmonar, resultando em obstrução ao fluxo aéreo. É constituída pelo enfisema, bronquite e asma. ENFISEMA É uma doença

Leia mais

CICLOMIDRIN BULA PARA O PACIENTE LATINOFARMA INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS LTDA. Solução Oftálmica Estéril. tropicamida 10 mg/ml

CICLOMIDRIN BULA PARA O PACIENTE LATINOFARMA INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS LTDA. Solução Oftálmica Estéril. tropicamida 10 mg/ml CICLOMIDRIN LATINOFARMA INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS LTDA. Solução Oftálmica Estéril tropicamida 10 mg/ml BULA PARA O PACIENTE COLÍRIO CICLOMIDRIN tropicamida 1% MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO

Leia mais

Diabetes na Escola Guia do professor

Diabetes na Escola Guia do professor Diabetes na Escola Guia do professor Aluno (a): Responsável: Elaborado pela enfermeira Glauciane Mendes Coren 252727 glaucianemendes@cdbh.com.br SUMÁRIO 1 O QUE É DIABETES...4 2 QUANDO SUSPEITAR DO DIABETES...5

Leia mais

Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição

Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição glicose

Leia mais

Água. A importância da água para a vida.

Água. A importância da água para a vida. Bioquímica Celular Água A importância da água para a vida. A água é principal constituinte dos fluidos do corpo humano, que é composto por mais de 60% de água. É essencial para dissolver e transportar

Leia mais

Procedimentos de Emergência. Profº Ms. Gil Oliveira

Procedimentos de Emergência. Profº Ms. Gil Oliveira Procedimentos de Emergência Obstrução das Vias Aéreas MANOBRA DE HEIMLICH Obstrução das Vias Aéreas Infarto Agudo do Miocárdio Ataque do Coração Infarto Agudo do Miocárdio Ataque do Coração Infarto Agudo

Leia mais

Fisiologia do Sistema Endócrino. Pâncreas Endócrino. Anatomia Microscópica. Anatomia Microscópica

Fisiologia do Sistema Endócrino. Pâncreas Endócrino. Anatomia Microscópica. Anatomia Microscópica Fisiologia do Sistema Endócrino Pâncreas Endócrino Prof. Dr. Leonardo Rigoldi Bonjardim Profa. Adjunto do Depto. De Fisiologia-CCBS-UFS Material disponível em: http://www.fisiologiaufs.xpg.com.br 2006

Leia mais

Distúrbios do Na+ 0 7 / 1 2 / 2 0 1 5

Distúrbios do Na+ 0 7 / 1 2 / 2 0 1 5 Distúrbios do Na+ MARIANA PEREIRA RIBEIRO 6 SEMESTRE 0 7 / 1 2 / 2 0 1 5 Principais problemas clínicos na emergência; Cuidado com pacientes críticos: Grande queimado; Trauma; Sepse; ICC e IRA; Iatrogenia.

Leia mais

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM. Fisiologia Endócrina. O Pâncreas. Prof. Wagner de Fátima Pereira

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM. Fisiologia Endócrina. O Pâncreas. Prof. Wagner de Fátima Pereira Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM Fisiologia Endócrina O Pâncreas Prof. Wagner de Fátima Pereira Departamento de Ciências Básicas Faculdade de Ciências Biológica e da Saúde

Leia mais

MTAC Aula 6 BIOQUÍMICA DO SANGUE PARTE 1. GLICEMIA e LIPÍDIOS PLASMÁTICOS. 1) Mecanismos de regulação da glicemia: agentes hiper e hipoglicemiante

MTAC Aula 6 BIOQUÍMICA DO SANGUE PARTE 1. GLICEMIA e LIPÍDIOS PLASMÁTICOS. 1) Mecanismos de regulação da glicemia: agentes hiper e hipoglicemiante MTAC Aula 6 BIOQUÍMICA DO SANGUE PARTE 1 GLICEMIA e LIPÍDIOS PLASMÁTICOS GLICEMIA 1) Mecanismos de regulação da glicemia: agentes hiper e hipoglicemiante 2) Métodos para determinação da glicemia: Baseados

Leia mais

GRETIVIT. Comprimido revestido BELFAR LTDA.

GRETIVIT. Comprimido revestido BELFAR LTDA. GRETIVIT (acetato de retinol cloridrato de tiamina riboflavina cloridrato de piridoxina cianocobalamina colecalciferol nicotinamida ácido pantotênico sulfato ferroso sulfato de magnésio sulfato de manganês)

Leia mais

Anexo 1. Determinação do Índice de Massa Corporal* Estatuto de peso corporal <18.5 Falta de peso Normal

Anexo 1. Determinação do Índice de Massa Corporal* Estatuto de peso corporal <18.5 Falta de peso Normal Anexo 1 Determinação do Índice de Massa Corporal* O índice de massa corporal (BMI) é um instrumento utilizado para determinar o estatuto de peso corporal nos seres humanos. Os seus valores variam em função

Leia mais

METABOLISMO ENERGÉTICO integração e regulação alimentado jejum catabólitos urinários. Bioquímica. Profa. Dra. Celene Fernandes Bernardes

METABOLISMO ENERGÉTICO integração e regulação alimentado jejum catabólitos urinários. Bioquímica. Profa. Dra. Celene Fernandes Bernardes METABOLISMO ENERGÉTICO integração e regulação alimentado jejum catabólitos urinários Bioquímica Profa. Dra. Celene Fernandes Bernardes REFERÊNCIA: Bioquímica Ilustrada - Champe ESTÁGIOS DO CATABOLISMO

Leia mais

2010 ENDOCRINOLOGIA CLÍNICA ASPECTOS PRÁTICOS EM ENDOCRINOLOGIA O

2010 ENDOCRINOLOGIA CLÍNICA ASPECTOS PRÁTICOS EM ENDOCRINOLOGIA O 11º Curso Pós-Graduado NEDO 2010 ENDOCRINOLOGIA CLÍNICA ASPECTOS PRÁTICOS EM ENDOCRINOLOGIA O que fazer perante: Hipoglicemia TERESA DIAS Serviço de Endocrinologia do HSM. Lisboa Luso, Junho de 2010 Hipoglicemia

Leia mais

PARECER CONSULTA N 6/2016

PARECER CONSULTA N 6/2016 PARECER CONSULTA N 6/2016 Processo Consulta CRM-ES nº 007/2016 Interessado: Sr. RAC Assunto: Teste de Estímulo com administração de insulina Relator: Dr. Thales Gouveia Limeira Ementa: Teste de Estímulo.

Leia mais

CASO CLÍNICO Nº 15 XII CURSO DE DOENÇAS HEREDITÁRIAS DO METABOLISMO 1 de Outubro de 2014

CASO CLÍNICO Nº 15 XII CURSO DE DOENÇAS HEREDITÁRIAS DO METABOLISMO 1 de Outubro de 2014 CASO CLÍNICO Nº 15 XII CURSO DE DOENÇAS HEREDITÁRIAS DO METABOLISMO 1 de Outubro de 2014 Identificação Nascimento em 2010 Sexo feminino Caucasiana Antecedentes Pessoais Pré e perinatais Gesta I, vigiada

Leia mais

FURP-POLIVITAMÍNICO. Fundação para o Remédio Popular FURP. Solução Oral. 30 ml

FURP-POLIVITAMÍNICO. Fundação para o Remédio Popular FURP. Solução Oral. 30 ml FURP-POLIVITAMÍNICO Fundação para o Remédio Popular FURP Solução Oral 30 ml BULA PARA O PACIENTE FURP POLIVITAMÍNICO palmitato de retinol colecalciferol cloridrato de tiamina fosfato sódico de riboflavina

Leia mais

Aula 05 DIABETES MELLITUS (DM) Definição CLASSIFICAÇÃO DA DIABETES. Diabetes Mellitus Tipo I

Aula 05 DIABETES MELLITUS (DM) Definição CLASSIFICAÇÃO DA DIABETES. Diabetes Mellitus Tipo I Aula 05 DIABETES MELLITUS (DM) Definição O diabetes surge de um distúrbio na produção ou na utilização da insulina por isso é considerado um distúrbio endócrino provocado pela falta de produção ou de ação

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TRAUMA OBJETIVOS O TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA

INTRODUÇÃO AO TRAUMA OBJETIVOS O TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA 38 O TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA INTRODUÇÃO AO TRAUMA OBJETIVOS Os formandos deverão ser capazes de identificar: Descrever os tipos de trauma; Reconhecer a importância de identificar o mecanismo do trauma;

Leia mais

Materiais educacionais para profissionais de saúde e doentes que utilizam o medicamento para a diabetes Suliqua

Materiais educacionais para profissionais de saúde e doentes que utilizam o medicamento para a diabetes Suliqua 19 de janeiro de 2017 EMA/747766/2016 Materiais educacionais para profissionais de saúde e doentes que utilizam o medicamento para a diabetes Medidas destinadas a reduzir o risco de confusão entre duas

Leia mais

Diário da Diabetes. Nome. Endereço. Telefone / Telemóvel. . Disponível em

Diário da Diabetes. Nome. Endereço. Telefone / Telemóvel.  . Disponível em Nome Diário da Diabetes Endereço Telefone / Telemóvel E-mail Disponível em www.controlaradiabetes.pt www.msd.pt Tel.: 214 465 700 Merck Sharp & Dohme, Lda. Quinta da Fonte, Edifício Vasco da Gama, 19 -

Leia mais

Hipertensão Diabetes Dislipidemias

Hipertensão Diabetes Dislipidemias Hipertensão Diabetes Dislipidemias Hipertensão A pressão alta atinge 24,3% da população adulta brasileira e é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como

Leia mais

Capítulo 31. Trauma na Grávida. Capítulo 31. Trauma na Grávida 1. OBJETIVOS

Capítulo 31. Trauma na Grávida. Capítulo 31. Trauma na Grávida 1. OBJETIVOS Capítulo 31 Trauma na Grávida 1. OBJETIVOS No final da sessão os formandos deverão ser capazes de: Listar e descrever os tipos de lesões mais frequentes na grávida vítima de trauma. Descrever a importância

Leia mais

[CUIDADOS COM OS ANIMAIS IDOSOS]

[CUIDADOS COM OS ANIMAIS IDOSOS] [CUIDADOS COM OS ANIMAIS IDOSOS] Geriatria é o ramo da Medicina que foca o estudo, a prevenção e o tratamento de doenças e da incapacidade em idosos. Seus objetivos maiores são: manutenção da saúde, impedir

Leia mais

GLICÉMIA E CETONÉMIA A. GLICÉMIA E GLICOSÚRIA

GLICÉMIA E CETONÉMIA A. GLICÉMIA E GLICOSÚRIA GLICÉMIA E CETONÉMIA A. GLICÉMIA E GLICOSÚRIA A glucose é o principal açúcar existente no sangue, que serve como "fonte de energia" aos tecidos. A glicémia é a taxa de glucose existente no sangue, e o

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CLEMENTINO FRAGA FILHO DIVISÃO DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CLEMENTINO FRAGA FILHO DIVISÃO DE ENFERMAGEM 1de 5 1. Definição: A glicemia capilar é um exame sanguíneo que oferece resultado imediato acerca da concentração de glicose nos vasos capilares da polpa digital. 2. Indicação: Controlar a glicemia de

Leia mais

Uso Correto da Medicação. Oral e Insulina Parte 4. Denise Reis Franco Médica. Alessandra Gonçalves de Souza Nutricionista

Uso Correto da Medicação. Oral e Insulina Parte 4. Denise Reis Franco Médica. Alessandra Gonçalves de Souza Nutricionista Uso Correto da Medicação Denise Reis Franco Médica Alessandra Gonçalves de Souza Nutricionista Eliana M Wendland Doutora em Epidemiologia Oral e Insulina Parte 4 Perfil de ação das insulinas disponíveis

Leia mais

HIPERTIREOIDISMO E SUA INCIDÊNCIA EM MULHERES ACIMA DE 50 ANOS

HIPERTIREOIDISMO E SUA INCIDÊNCIA EM MULHERES ACIMA DE 50 ANOS HIPERTIREOIDISMO E SUA INCIDÊNCIA EM MULHERES ACIMA DE 50 ANOS Sibele Maria Gonçalves Aragão 1 Mariana Veloso Moreira 2 Aline Aparecida Neiva dos Reis 3 Valdirene Elias da Silva Esper 4 RESUMO Este estudo

Leia mais

Vertigens, desmaios e crises convulsivas. Prof. Sabrina Cunha da Fonseca Site:

Vertigens, desmaios e crises convulsivas. Prof. Sabrina Cunha da Fonseca   Site: Vertigens, desmaios e crises convulsivas Prof. Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com Site: www.profsabrina.comunidades.net Vertigens: Vertigem refere-se a diminuição da força, visão

Leia mais

Adultos: o seu médico pode receitar Metformina Ciclum sozinho ou em associação com outros medicamentos antidiabéticos orais ou insulina.

Adultos: o seu médico pode receitar Metformina Ciclum sozinho ou em associação com outros medicamentos antidiabéticos orais ou insulina. FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Metformina Ciclum 500 mg Comprimidos revestidos por película Metformina Ciclum 850 mg Comprimidos revestidos por película Matformina Ciclum 1000 mg Comprimidos

Leia mais

O QUE SABE SOBRE A DIABETES?

O QUE SABE SOBRE A DIABETES? O QUE SABE SOBRE A DIABETES? 11 A 26 DE NOVEMBRO DE 2008 EXPOSIÇÃO PROMOVIDA PELO SERVIÇO DE MEDICINA INTERNA DO HOSPITAL DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO, EPE DIABETES MELLITUS É uma doença grave? Estou em

Leia mais

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS)

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) UNIDADE: 16 VERTIGENS, DESMAIOS E CONVENÇÕES. TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 16.0 INTRODUÇÃO A sensação de um mal-estar e a impressão de tudo girar

Leia mais

Protocolo para controle glicêmico de paciente não crítico com diagnóstico prévio ou não de diabetes mellitus

Protocolo para controle glicêmico de paciente não crítico com diagnóstico prévio ou não de diabetes mellitus Protocolo para controle glicêmico de paciente não crítico com diagnóstico prévio ou não de diabetes mellitus A) PACIENTES SEM DIAGNÓSTICO DE DIABETES MELLITUS PRÉVIO B) PACIENTES COM DIABETES MELLITUS

Leia mais

O QUE É O INDATIR? DIRETORIA

O QUE É O INDATIR? DIRETORIA HIPOTIROIDISMO O QUE É O INDATIR? O Indatir - Instituto da Tiróide é uma instituição sem fins lucrativos, fundada em dezembro de 2001 em São Paulo, reunindo especialistas do Brasil em problemas ligados

Leia mais

Alterações do equilíbrio hídrico Alterações do equilíbrio hídrico Desidratação Regulação do volume hídrico

Alterações do equilíbrio hídrico Alterações do equilíbrio hídrico Desidratação Regulação do volume hídrico Regulação do volume hídrico Alteração do equilíbrio hídrico em que a perda de líquidos do organismo é maior que o líquido ingerido Diminuição do volume sanguíneo Alterações do equilíbrio Hídrico 1. Consumo

Leia mais

Insulinoterapia no pré per e pós operatório. Profa. Fernanda Oliveira Magalhães

Insulinoterapia no pré per e pós operatório. Profa. Fernanda Oliveira Magalhães Insulinoterapia no pré per e pós operatório Profa. Fernanda Oliveira Magalhães Mais de 50% dos pacientes diabéticos têm chance de serem submetidos a alguma cirurgia pelo menos uma vez na vida. O diagnóstico

Leia mais

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS)

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) UNIDADE: 10 PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA - PCR TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 10.0 Introdução O estado de choque se caracteriza pela falta de circulação

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA 1 2 SEDENTARISMO é a falta de atividade física suficiente e pode afetar a saúde da pessoa. A falta de atividade física não está ligada a não praticar esportes.

Leia mais

Epinefrina, glucagon e insulina. Hormônios com papéis fundamentais na regulação do metabolismo

Epinefrina, glucagon e insulina. Hormônios com papéis fundamentais na regulação do metabolismo Epinefrina, glucagon e insulina Hormônios com papéis fundamentais na regulação do metabolismo Epinefrina ou adrenalina Estímulos para a secreção de epinefrina: Perigos reais ou imaginários Exercício físico

Leia mais

Miologia. Tema C PROCESSOS ENERGÉTICOS NO MÚSCULO ESQUELÉTICO

Miologia. Tema C PROCESSOS ENERGÉTICOS NO MÚSCULO ESQUELÉTICO PROCESSOS ENERGÉTICOS NO MÚSCULO ESQUELÉTICO 1 Necessidades energéticas da fibra muscular 2 Papel do ATP 3 Processos de ressíntese do ATP 3.1 Aeróbico 3.2 Anaeróbico alático e lático 4 Interação dos diferentes

Leia mais

30/05/2017. Metabolismo: soma de todas as transformações químicas que ocorrem em uma célula ou organismo por meio de reações catalisadas por enzimas

30/05/2017. Metabolismo: soma de todas as transformações químicas que ocorrem em uma célula ou organismo por meio de reações catalisadas por enzimas Metabolismo: soma de todas as transformações químicas que ocorrem em uma célula ou organismo por meio de reações catalisadas por enzimas Metabolismo energético: vias metabólicas de fornecimento de energia

Leia mais

MAGNÉSIO DIMALATO. FÓRMULA MOLECULAR: C4H6Mg2O7. PESO MOLECULAR: 396,35 g/mol

MAGNÉSIO DIMALATO. FÓRMULA MOLECULAR: C4H6Mg2O7. PESO MOLECULAR: 396,35 g/mol MAGNÉSIO DIMALATO FÓRMULA MOLECULAR: C4H6Mg2O7 PESO MOLECULAR: 396,35 g/mol Importante para mais de 300 processos biológicos no organismo, o magnésio é um mineral essencial utilizado na síntese de proteínas

Leia mais

MAXIDRIN. Kley Hertz S/A Indústria e Comércio. Comprimidos revestidos Paracetamol 500mg Cafeína 65mg

MAXIDRIN. Kley Hertz S/A Indústria e Comércio. Comprimidos revestidos Paracetamol 500mg Cafeína 65mg MAXIDRIN Kley Hertz S/A Indústria e Comércio Comprimidos revestidos Paracetamol 500mg Cafeína 65mg MAXIDRIN paracetamol cafeína APRESENTAÇÕES Cartucho contendo blísteres com 12 ou 120 comprimidos revestidos

Leia mais

NORMAS DO CONSELHO ESCOLAR DO CONDADO DE PALM BEACH, FLÓRIDA Título 6Gx50 Capítulo 5. Do Corpo Discente Seção 5.321

NORMAS DO CONSELHO ESCOLAR DO CONDADO DE PALM BEACH, FLÓRIDA Título 6Gx50 Capítulo 5. Do Corpo Discente Seção 5.321 Policy 5.321 Portuguese version NORMAS DO CONSELHO ESCOLAR DO CONDADO DE PALM BEACH, FLÓRIDA Título 6Gx50 Capítulo 5. Do Corpo Discente Seção 5.321 Regulamento 5.321 Administração de medicamento ou tratamento

Leia mais

GUIA DE ESTUDOS INSULINA E GLUCAGON

GUIA DE ESTUDOS INSULINA E GLUCAGON GUIA DE ESTUDOS INSULINA E GLUCAGON 1) O pâncreas é uma glândula mista, ou seja, possui função endócrina e exócrina. Na porção endócrina, o pâncreas produz dois hormônios: a insulina e o Esses hormônios

Leia mais

VP10 = Galvus Met_Bula_Paciente 1

VP10 = Galvus Met_Bula_Paciente 1 GALVUS MET TM vildagliptina + cloridrato de metformina APRESENTAÇÕES Galvus Met TM 50 mg/500 mg, 50 mg/850 mg ou 50 mg/1.000 mg embalagens contendo 14 ou 56 comprimidos revestidos. VIA ORAL USO ADULTO

Leia mais

Tríade Metabólica. As Tríades. Tríade 1 13/04/2016. Equilíbrio Frequencial. Relação entre Stress, Alimentação e Metabolismo.

Tríade Metabólica. As Tríades. Tríade 1 13/04/2016. Equilíbrio Frequencial. Relação entre Stress, Alimentação e Metabolismo. Equilíbrio Frequencial Tríade Metabólica Relação entre Stress, Alimentação e Metabolismo Dra Michelle Louise Sica de Almeida CRM-RS 37575/ CRM-SC 15203 Medicina Funcional - funcionalmed.com Primum Clínica

Leia mais

DIABETES Cirurgia. Protocolo elaborado pela Unidade de Endocrinologia Pediátrica, Diabetes e Crescimento.

DIABETES Cirurgia. Protocolo elaborado pela Unidade de Endocrinologia Pediátrica, Diabetes e Crescimento. Objectivo: Divulgar normas de orientação sobre problemas específicos do doente diabético (manutenção do estado de hidratação e controlo glicémico) quando submetido a procedimentos com sedação ou anestesia

Leia mais

EDUCAÇÃO REVISÃO 2 REVISÃO 3

EDUCAÇÃO REVISÃO 2 REVISÃO 3 FÍSICA REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 UNIDADE II - CULTURA: A pluralidade na expressão humana Aula 4.1 Lazer: conceitos Aula 4.2 Atividade física e exercício físico: uma questão cultural? Aula 5.1 Doenças

Leia mais

FUNÇÕES HIPOTALÂMICAS

FUNÇÕES HIPOTALÂMICAS Os mecanismos hipotalâmicos agem em conjunto, no sentido de preservar a homeostasia. ANATOMIA FUNCIONAL DO HIPOTÁLAMO O hipotálamo exerce sua influência sobre o meio interno através de três sistemas: Sistema

Leia mais

FLUTAMIDA. Blau Farmacêutica S.A. COMPRIMIDOS 250 MG. Blau Farmacêutica S/A.

FLUTAMIDA. Blau Farmacêutica S.A. COMPRIMIDOS 250 MG. Blau Farmacêutica S/A. FLUTAMIDA Blau Farmacêutica S.A. COMPRIMIDOS 250 MG flutamida Medicamento genérico Lei n 9.787, de 1999 MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09 APRESENTAÇÕES Comprimidos contendo 250 mg de flutamida. Embalagens

Leia mais

Nutricionista lista os 10 piores alimentos para sua saúde Postado em Vida e Saúde em 08/04/2011 às 15h00

Nutricionista lista os 10 piores alimentos para sua saúde Postado em Vida e Saúde em 08/04/2011 às 15h00 Nutricionista lista os 10 piores alimentos para sua saúde Postado em Vida e Saúde em 08/04/2011 às 15h00 Michelle Schoffro Que atire a primeira pedra quem não se rende a um fast food, salgadinho ou cachorro-quente

Leia mais

Capítulo 9 Emergências Médicas

Capítulo 9 Emergências Médicas Capítulo 9 Emergências Médicas 1 1.Dor Torácica 1. Objetivos No final desta unidade modular, os formandos deverão ser capazes de Descrever as principais causas de dor torácica; Descrever a nomenclatura

Leia mais

Processo Inflamatório e Lesão Celular. Professor: Vinicius Coca

Processo Inflamatório e Lesão Celular. Professor: Vinicius Coca Processo Inflamatório e Lesão Celular Professor: Vinicius Coca www.facebook.com/profviniciuscoca www.viniciuscoca.com O que é inflamação? INFLAMAÇÃO - Inflamare (latim) ação de acender, chama FLOGOSE phlogos

Leia mais

Resultados da Validação do Mapeamento. Administrar medicamentos vasoativos, se adequado.

Resultados da Validação do Mapeamento. Administrar medicamentos vasoativos, se adequado. Intervenções de Enfermagem da Classificação das Intervenções de Enfermagem (NIC) para o diagnóstico de Volume de líquidos deficiente em pacientes vitimas de trauma Quadro 1- Reestruturação dos níveis de

Leia mais

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Diabetes é uma doença ocasionada pela total falta de produção de insulina pelo pâncreas ou pela quantidade insuficiente da substância no corpo. A insulina

Leia mais

Hormônios hipotalâmicos e hipofisários. (somatostatin)

Hormônios hipotalâmicos e hipofisários. (somatostatin) Anatomia Localiza-se na base do crânio sela túrcica Hipófise anterior: derivada da bolsa de Rathke Hipófise posterior: origem neural, formada por axônios e terminções nervosas dos neurônios hipotalâmicos

Leia mais

Etilefril (cloridrato de etilefrina)

Etilefril (cloridrato de etilefrina) Etilefril (cloridrato de etilefrina) União Química Farmacêutica Nacional S.A. solução injetável 10 mg/ml Etilefril cloridrato de etilefrina Solução injetável IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO FORMA FARMACÊUTICA

Leia mais

As Bolhas Fatais do Mergulho

As Bolhas Fatais do Mergulho Walter Ruggeri Waldman Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/br/legalcode

Leia mais

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): Ano: 6º Nº Professor: Sonali Componente Curricular: Ciências

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): Ano: 6º Nº Professor: Sonali Componente Curricular: Ciências COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): Ano: 6º Nº Professor: Sonali Componente Curricular: Ciências Quantos reinos de seres vivos há na natureza? Essa pergunta já

Leia mais

Capítulo 33. Hemorragias. Capítulo 33. Hemorragias 1. OBJETIVOS

Capítulo 33. Hemorragias. Capítulo 33. Hemorragias 1. OBJETIVOS Capítulo 33 Hemorragias 1. OBJETIVOS No final da sessão os formandos deverão ser capazes de: Listar e descrever os mecanismos produtores de traumatismos vasculares; Descrever a importância da determinação

Leia mais

Avaliação nutricional do paciente

Avaliação nutricional do paciente Avaliação nutricional do paciente Muito gordo ou muito magro? O que fazer com esta informação? Avaliação nutricional do paciente 1) Anamnese (inquérito alimentar) 2) Exame físico 3) Exames laboratoriais

Leia mais

Como o organismo perde água? No corpo humano, 71% do nosso peso é água. Contém 85% de água no nosso sangue, 80% no cérebro, 70% na pele e 30% nos

Como o organismo perde água? No corpo humano, 71% do nosso peso é água. Contém 85% de água no nosso sangue, 80% no cérebro, 70% na pele e 30% nos Bioquímica Celular Água A importância da água na vida do planeta é de tamanha proporção, posto que é um elemento essencial para a sobrevivência de animais e vegetais na Terra. Estamos tão habituados à

Leia mais

A D R E N A L I N A a molécula da ação

A D R E N A L I N A a molécula da ação A D R E N A L I N A a molécula da ação Quando levamos um susto ou praticamos um esporte radical, milhares de estruturas iguais a esta são liberadas em nossa corrente sanguínea. O nosso organismo, então,

Leia mais

AS DROGAS E SEUS EFEITOS NO ORGANISMO

AS DROGAS E SEUS EFEITOS NO ORGANISMO AS DROGAS E SEUS EFEITOS NO ORGANISMO ÁLCOOL: Cachaça, Vodca, Uísque, Cerveja, Vinho... Efeitos Físicos e Psíquicos da Embriaguez: Fala Pastosa, Perda do Equilíbrio e da Coordenação Motora, Sensação de

Leia mais

Soluções Naturais e Complementares na terapêutica do Sistema Digestivo

Soluções Naturais e Complementares na terapêutica do Sistema Digestivo Soluções Naturais e Complementares na terapêutica do Sistema Digestivo Somos o que comemos Alterações a nível de temperamento, níveis de energia, capacidade de raciocínio, impulso sexual e hábitos de sono

Leia mais