INSTITUTO EDUCACIONAL CÂNDIDA SOUZA - IECS FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS FEAMIG COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO EDUCACIONAL CÂNDIDA SOUZA - IECS FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS FEAMIG COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA"

Transcrição

1 INSTITUTO EDUCACIONAL CÂNDIDA SOUZA - IECS FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS FEAMIG COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010/2011: Relatório sobre o questionário aplicado aos Funcionários da FEAMIG Questionário aplicado pela CPA aos funcionários da FEAMIG, compondo a 4º parte do processo de Avaliação Institucional da FEAMIG, iniciada no 2º semestre de Belo Horizonte/2011

2 AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010: Relatório sobre o questionário aplicado aos Funcionários da FEAMIG 1. METODOLOGIA Atendendo as orientações e determinações do Ministério da Educação (MEC), a Comissão Própria de Avaliação (CPA), exercendo seu papel de instrumento de avaliação contínua no processo ensino-aprendizagem e dos meios que a constituem, elaborou e aplicou no mês de/outubro de 2010, questionário das condições de oferta dos cursos de graduação da FEAMIG como a primeira parte do processo de autoavaliação. Nos meses de fevereiro e março de 2011, foram aplicados os questionários para os alunos avaliarem os professores e a instituição; questionário para os professores avaliarem a instituição e, por fim, questionário para os funcionários avaliarem a instituição. A CPA, como avanço no processo de avaliação, ampliou de forma sistêmica sua avaliação, dividindo em 04 partes a sua Avaliação Institucional, sendo elas: 1ª parte: Questionário das condições de oferta dos cursos de graduação da FEAMIG (já aplicado); Prima em identificar o perfil do aluno da FEAMIG e de como o mesmo avalia a Instituição ao que tange à infraestrutura, salas de aula, laboratórios, serviços, etc; 2ª parte: Questionário dos alunos (já aplicado) Avalia especificamente professores e suas respectivas disciplinas; 3ª parte: Questionário dos professores (já aplicado) Avalia a Instituição e sua relação com a mesma; o clima organizacional; a Coordenação, Direção e Mantenedora; além dos serviços prestados pelos demais setores da FEAMIG; 4ª parte: Questionário dos funcionários (já aplicado) Avalia a Instituição e sua relação com a mesma; o clima organizacional; a Coordenação, Direção e Mantenedora (quando envolvidos diretamente); além dos serviços prestados pelos demais setores da FEAMIG;

3 O instrumento de avaliação foi de livre participação, respeitando o direito à democracia e livre manifestação, não havendo necessidade de identificação de nenhum participante. 2. INFORMAÇÕES GERAIS Número de Funcionários da FEAMIG 39 Número de questionários confeccionados 50 Número de questionários aplicados 39 Número de questionários que sobraram 11 Número de questionários respondidos 25 % 65% 3. SOBRE O QUESTIONÁRIO APLICADO O questionário possui 16 questões, sendo dividido em: a. Questões 01 a 05 referem-se à administração Acadêmica e Institucional; b. Questões 06 e 7 sobre a Infraestrutura; c. Questões 08 a 10 sobre o Clima Organizacional; d. Questões 11 a 16 sobre o processo Acadêmico e Administrativo;

4 4. ANÁLISE DOS GRÁFICOS 84% dos funcionários atribuíram nota 4 e 5 sobre a relação da Mantenedora, considerando 05 a maior nota; 52% dos funcionários atribuíram nota 4 e 5 sobre a atuação da Mantenedora, considerando 05 a maior nota; 24% dos funcionários atribuíram nota 3 sobre a atuação da Mantenedora, considerando 05 a maior nota; 18% dos funcionários atribuíram não possui relação direta com a mantenedora, logo, Não se Aplica a pergunta; É evidente pelos dados coletados que a Mantenedora possui uma boa relação com os funcionários, contudo, ao que tange a atuação da mesma, o índice coletado sofre um decréscimo de 08% sobre o grau de satisfação sobre a análise dos funcionários. Passando de 84% dos funcionários que julgaram a relação satisfatória para 76% que consideram a atuação positiva, porém, não satisfatória. A CPA considera que a distorção dos dados emitidos pelos funcionários podem ser causados por dois motivos, sendo o primeiro pelo fato dele, o funcionário não identificar plenamente a atuação da mantenedora na Instituição, restringindo sua percepção somente ao setor de trabalho e suas implicações administrativas. O segundo, pela abordagem das ações administrativas da mantenedora sem alarde, ou seja, sem divulgação explícita. Caso sejam esses os problemas, a CPA sugere que a mantenedora divulgue de forma sistemática e ampla todas as ações empregadas na instituição para que se tornem públicas a todos os funcionários. Um dos veículos sugeridos para a divulgação é o informativo da FEAMIG, outra sugestão o site e o institucional. Além dessas abordagens, sugerem-se ainda reuniões quinzenais ou mensais entre a mantenedora e os diversos setores administrativos para apresentação de resultados, demandas, anseios, planejamentos, etc.

5 80% dos funcionários atribuíram nota 4 e 5 sobre a sua relação com a Diretoria Acadêmica, considerando 05 a maior nota; 08% dos funcionários atribuíram nota 1 e 2 sobre a sua relação com a Diretoria Acadêmica, considerando 05 a maior nota; 80% dos funcionários atribuíram nota 4 e 5 sobre a sua acessibilidade com a Diretoria Acadêmica, considerando 05 a maior nota; 72% dos funcionários atribuíram nota 3 a 5 sobre a atuação da Diretoria Acadêmica, considerando 05 a maior nota; 08% dos funcionários atribuíram nota 1 e 2 sobre a atuação com a Diretoria Acadêmica, considerando 05 a maior nota; A diretoria acadêmica da FEAMIG tem um aceite satisfatório em relação aos funcionários. Contudo, apesar da boa gestão, 16% dos funcionários atribuíram notas de 01 e 02 tanto para a gestão, quanto para a atuação. Assim, a CPA sugere que o Diretor Acadêmico divulgue de maneira ostensiva as atividades desenvolvidas ao longo da gestão para todos os setores e unidades acadêmicas. Outra sugestão da CPA, ao que tange à relação com os mesmos, é visitar os diversos departamentos da Instituição, interagindo, dessa forma, com os funcionários dos setores. 80% dos funcionários atribuíram notas 3 a 5 sobre a sua relação com os coordenadores de curso, considerando 05 a maior nota; 20% dos funcionários não se aplica à questão;

6 88% dos funcionários atribuíram nota 4 e 5 sobre a sua acessibilidade com os coordenadores de curso, considerando 05 a maior nota; 12% dos funcionários não se aplica à questão; As coordenações de curso da FEAMIG têm um aceite satisfatório em relação aos funcionários. Contudo, apesar da boa avaliação, cabe aos coordenadores de curso continuarem atuando junto aos funcionários, interagindo e envolvendo-os nas atividades, sempre que possível. 92% dos funcionários atribuíram notas 3 a 5 sobre a sua relação com o Coordenador Administrativo, considerando 05 a maior nota; 92% dos funcionários atribuíram notas 3 e 5 sobre a sua acessibilidade com os coordenadores de curso, considerando 05 a maior nota; 16% dos funcionários não se aplica à questão; O coordenador de administrativo da FEAMIG têm um aceite satisfatório em relação aos funcionários. Contudo, apesar da boa avaliação, cabe continuar atuando junto aos funcionários, interagindo e envolvendo-os nas atividades, sempre que possível.

7 80% dos funcionários atribuíram notas 3 a 5 sobre a sua relação com o professor, considerando 05 a maior nota; 68% dos funcionários atribuíram notas 3 a 5 sobre a sua acessibilidade com os coordenadores de curso, considerando 05 a maior nota; 12% dos funcionários atribuíram notas 1 e 2 sobre a sua relação e acessibilidade com os coordenadores de curso, considerando 05 a maior nota; 40% dos funcionários não se aplica à questão; Os professores, ao que tange à sua relação com os funcionários da FEAMIG têm um aceite satisfatório. Contudo, apesar da boa avaliação na relação, a acessibilidade com os mesmos, os funcionários detectaram uma dificuldade. Nesse sentido, a CPA sugere aos coordenadores que estimule a interação com os demais setores e funcionários, sempre que possível. A CPA entende que é um processo a longo prazo, contudo, necessário para instaurar um clima organizacional realmente coletivo. 84% dos funcionários consideraram Boa e Muito Boa o ambiente de trabalho da FEAMIG;

8 16% dos funcionários consideraram Ruim o ambiente de trabalho da FEAMIG. Apesar do alto índice de satisfação dos funcionários ao que tange ao ambiente de trabalho da FEAMIG, 16% consideraram com ruim o ambiente de trabalho. Assim, a CPA sugere que a mantenedora desenvolva atividades de integração entre os funcionários da FEAMIG. É sabido que algumas atividades já são feitas, tais como a comemoração dos aniversariantes ao final de cada mês e a participação dos mesmos nas festas de encerramento letivo. Contudo, a CPA entende que o processo deve ser contínuo e mais amplo. Para estimular a criação de um bom ambiente de trabalho, necessita-se de uma política administrativa participativa, onde, cada responsável por um setor deve estimular a participação de seus pares através de idéias, reuniões e atividades coletivas. A CPA sugere que a Coordenação Pedagógica, como conhecedora do assunto, desenvolva um plano de ação institucional capaz de abordar os diversos setores e funcionários. Outra condição de participação e de melhoria do ambiente tange ao processo onde o indivíduo se sinta à vontade para expressar suas opiniões e idéias, seja através de reuniões ou em questionários. 80% dos funcionários consideraram Bons e Muito Bons os equipamentos de trabalho da FEAMIG; 20% dos funcionários consideraram Ruim os equipamentos de trabalho da FEAMIG. Apesar do alto índice de satisfação dos funcionários ao que tange ao ambiente de trabalho da FEAMIG, 20% consideraram com ruim os equipamentos de trabalho. Assim, a CPA sugere que a mantenedora apresente aos departamentos uma política de aquisição e renovação de equipamentos para cada setor. Para tanto, cabe fazer um levantamento mais específico sobre quais os equipamentos que necessitam serem trocados e sua real necessidade. Vale ressaltar que o clima organizacional e a satisfação do ambiente de trabalho estão diretamente ligados

9 às condições de trabalho. Assim, uma insatisfação detectada anteriormente, pode ser resolvida com uma simples troca e/ou manutenção do setor. 76% dos funcionários consideraram que recebem parcialmente ou totalmente apoio para formação profissional/acadêmica; 24% dos funcionários consideraram que não recebem apoio para formação profissional/acadêmica; Pelo alto índice de funcionários que afirmaram receber algum tipo de apoio da FEAMIG para apoio na formação profissional/acadêmica, e pelo fato de 24% dos funcionários afirmarem que não recebem nenhum tipo de apoio para tal formação. A CPA entende que há uma falha quanto à divulgação desse benefício institucionalmente. Logo, cabe a mantenedora divulgar de forma ostensiva a existência dessa possibilidade e os critérios para sua aquisição. 100% dos funcionários consideraram Bom e Muito Bom o clima de trabalho na FEAMIG; O clima de trabalho é fundamental para o bom desenvolvimento das atividades de uma instituição e ou empresa. Contudo, apesar da unanimidade dos funcionários, a CPA sugere que

10 a FEAMIG, juntamente com a sua mantenedora, continue estimulando a interação, a participação e a liberdade responsável entre os funcionários. 84% dos funcionários afirmaram que possuem um conhecimento parcial ou domínio profundo sobre os sistemas operacionais em informática; 16% funcionários afirmaram que não possuem ou possui um conhecimento superficial sobre os sistemas operacionais em informática; A CPA sugere que a FEAMIG, através do Centro de Extensão (CENEX), desenvolva cursos de informática para os funcionários, priorizando os que não possuem nenhum ou pouco conhecimento sobre o assunto. Aos demais, o CENEX pode oferecer cursos específicos de domínio em planilhas eletrônicas, redação técnica, estatística e outros. 84% dos funcionários afirmaram conhecerem parcialmente ou totalmente o plano de cargos e salários da FEAMIG; 16% funcionários afirmaram não conhecerem o plano de cargos e salários da FEAMIG;

11 A CPA sugere que a mantenedora, divulgue de forma efetiva o seu plano de cargos e salários aprovado pelo Ministério do Trabalho a todos os funcionários da FEAMIG, seja através de informativos, s e reuniões. 44% dos funcionários afirmaram não conhecerem o PDI da FEAMIG; 56% dos funcionários afirmaram conhecerem parcialmente ou totalmente o PDI da FEAMIG; A CPA sugere que a FEAMIG, divulgue de forma efetiva o seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) a todos os funcionários da FEAMIG, seja através de informativos, s e reuniões. A CPA entende que o PDI é um documento norteador para a Instituição contendo, além da parte acadêmica, ações futuras de melhorias institucionais. Esse instrumento, em posse dos funcionários, permitirá que os mesmos acompanhem e entendem as ações adotadas pela gestão, tanto acadêmica quanto administrativa. 24% dos funcionários afirmaram não conhecerem o Regimento da FEAMIG; 72% dos funcionários afirmaram conhecerem parcialmente ou totalmente o PDI da FEAMIG;

12 A CPA sugere que a FEAMIG, divulgue de forma efetiva o seu Regimento a todos os funcionários da FEAMIG, seja através de informativos, s e reuniões. A CPA entende que o Regimento é um documento importantíssimo e que deve ser de conhecimento de todos os funcionários, professores e alunos. É ele que define todas as ações de direitos e de deveres institucionais. 56% dos funcionários afirmaram não serem consultados sobre as mudanças organizacionais acadêmicas da Instituição; 36% dos funcionários afirmaram serem parcialmente e totalmente consultados sobre as mudanças organizacionais acadêmicas da Instituição; Os índices apontados nesse item corroboram aos anteriores. A FEAMIG, juntamente com a CPA pode reverter tal quadro. Ao que se refere à CPA, pode-se estimular e divulgar a participação dos funcionários nas reuniões específicas da Comissão Própria e criar um informativo próprio e institucional sobre as discussões na CPA. Ao que se refere às ações da FEAMIG, estimular a leitura do PDI a todos os funcionários e, posteriormente, recolher sugestões, idéias e etc., além da participação de representantes dos diversos setores da faculdade para tal fim. 76% dos funcionários afirmaram não serem consultados sobre a construção do ano acadêmico da Instituição; 12% dos funcionários afirmaram serem parcialmente e totalmente consultados sobre a construção do ano acadêmico da Instituição;

13 Novamente os índices apontados nesse item corroboram aos anteriores. A FEAMIG, juntamente com a mantenedora deve criar mecanismos que permitam a participação dos diferentes setores da Faculdade, através de sugestões, idéias e propostas. O ano acadêmico é fundamental, pois está interligado aos diversos departamentos da Instituição. A CPA acredita que a participação coletiva possibilitará um calendário mais completo, diminuindo os problemas comuns ao processo. 86% dos funcionários afirmaram se sentirem parcialmente ou totalmente integrantes e reconhecidos pela FEAMIG; 24% dos funcionários afirmaram não se sentirem integrantes e reconhecidos pela FEAMIG; A CPA acredita que sanando os problemas apontados nos gráficos anteriores, tais como serem consultados e estimulados a participarem das tomadas de decisões administrativas (obviamente dentro do possível), a insatisfação apontada nesse item tende a diminuir. Mais uma vez, a CPA sugere que a Instituição desenvolva uma política de integração entre funcionários, administração, coordenação e direção. Obviamente, a CPA entende que é um processo moroso e a longo prazo, porém necessário e imperativo.

Cadernos de Avaliação Institucional

Cadernos de Avaliação Institucional CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS DIRETORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO - CPA Cadernos de Avaliação Institucional Administração Resultado da Avaliação do Curso Corpo

Leia mais

PLANO DE AÇÃO

PLANO DE AÇÃO INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO SUPERIOR COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO 2016-207 São Luís 2016 1 INTRODUÇÃO O plano de ações da CPA define os rumos dos trabalhos que serão desenvolvidas pela

Leia mais

Cadernos de Avaliação Institucional

Cadernos de Avaliação Institucional CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS DIRETORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO - CPA Cadernos de Avaliação Institucional Engenharia de Minas Araxá Resultado da Avaliação

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES 2015/1

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES 2015/1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES 2015/1 Em resposta ao Of. Circular Nº 170/2014, da Secretaria de

Leia mais

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que?

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que? ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO CCSH Questão Geral 1.1 Como você percebe a utilização dos resultados da autoavaliação como subsídio à revisão, proposição e implementação das ações

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 NATAL/RN MARÇO/2012

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011 COMISSÃO PROPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011 São Luis- MA 2011 1 RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA - 2011 Programa de sensibilização de discente, coordenadores

Leia mais

APÊNDICE A Questionários Aplicados

APÊNDICE A Questionários Aplicados APÊNDICE A Questionários Aplicados CPA Comissão Própria de Avaliação 60 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS SERTÃOZINHO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA AUTOAVALIAÇÃO

Leia mais

Avaliação do Curso de Engenharia Civil da UTFPR Campus Apucarana por seus Docentes.

Avaliação do Curso de Engenharia Civil da UTFPR Campus Apucarana por seus Docentes. Avaliação do Curso de Engenharia Civil da UTFPR Campus Apucarana por seus Docentes. AVALIAÇÃO DOCENTE DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL O processo de autoavaliação do Curso de Engenharia Civil constitui-se

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA PLANO DE TRABALHO GESTÃO 2017

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA PLANO DE TRABALHO GESTÃO 2017 Comissão Própria de Avaliação CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA PLANO DE TRABALHO GESTÃO 2017 INESUL/FNEESP- Instituto de Ensino Superior de Londrina/ Faculdade Nacional de Educação e Ensino. 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ATUAÇÃO DA CPA. Roteiro. Avaliação do ensino superior. Avaliação do Ensino Superior. Autoavaliação na UFMS

ATUAÇÃO DA CPA. Roteiro. Avaliação do ensino superior. Avaliação do Ensino Superior. Autoavaliação na UFMS ATUAÇÃO DA CPA Avaliação do ensino superior Roteiro Avaliação do Ensino Superior Legislação SINAES Autoavaliação Institucional Dimensões Autoavaliação na UFMS Instrumentos AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR

Leia mais

FACULDADES DOS GRANDES LAGOS - UNILAGO

FACULDADES DOS GRANDES LAGOS - UNILAGO ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR FACULDADES DOS GRANDES LAGOS - UNILAGO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO São José do Rio Preto 2015 REGULAMENTO DO NÚCLEO DE APOIO AO PSICOPEDAGÓGICO

Leia mais

PLANO DE AÇÃO Comissão Própria de Avaliação

PLANO DE AÇÃO Comissão Própria de Avaliação 1 CENTRO EDUCACIONAL VISCONDE DE TAUNAY CEVITA FACULDADES INTEGRADAS DE PARANAÍBA FIPAR COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO Comissão Própria de Avaliação 2010 2 APRESENTAÇÃO O Plano de Ação ora

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 1 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor 1 - O professor comparece

Leia mais

Projeto do Estágio Supervisionado da Licenciatura em Ciências Biológicas (Parte do Projeto Pedagógico do Curso )

Projeto do Estágio Supervisionado da Licenciatura em Ciências Biológicas (Parte do Projeto Pedagógico do Curso ) Projeto do Estágio Supervisionado da Licenciatura em Ciências Biológicas (Parte do Projeto Pedagógico do Curso ) De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de professores - Art

Leia mais

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL PAI 2012

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL PAI 2012 FACULDADE AMADEUS PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL PAI 2012 ORGANIZAÇÃO: COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE AMADEUS - CPA REPRESENTANTES Presidente: Eduardo de Andrade Gonçalves Vice-presidente:

Leia mais

Avaliação I nstitucional M odelo de Avaliação Ănima Educação

Avaliação I nstitucional M odelo de Avaliação Ănima Educação Avaliação I nstitucional Modelo de Avaliação Ănima Educação Apresentação A auto avaliação constitui um processo por meio do qual um curso ou instituição analisa internamente o que é e o que deseja ser,

Leia mais

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação 25 de maio de 2016 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Fragilidades Melhorar as reuniões da CPA e reestruturar

Leia mais

FATEP Faculdade Pentágono

FATEP Faculdade Pentágono mantida pelo Instituto Pentágono de Ensino Superior. RELATÓRIO AUTO-AVALIAÇÃO 2012 I. DADOS DA INSTITUIÇÃO Nome/ Código da IES - Faculdade Tecnologia Pentágono - 3978 Caracterização da IES: Particular,

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA COORDENADORIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COAI COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PARTE I O DISCENTE AVALIA AS AÇÕES DO CURSO Prezado(a)

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACTU

RELATÓRIO FINAL DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACTU RELATÓRIO FINAL DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACTU Rua Rio Preto, 422 Centro UNAÍ MG CEP: 38.610-000 TELEFAX: (38) 3676 6222. Home Page: e-mail:factu@factu.br INTEGRANTES

Leia mais

AEMS-ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA DE MS FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS RELATÓRIO GERAL RESPOSTA DE ALUNOS DA I.E.S. 2º SEMESTRE DE 2015

AEMS-ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA DE MS FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS RELATÓRIO GERAL RESPOSTA DE ALUNOS DA I.E.S. 2º SEMESTRE DE 2015 AEMS-ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA DE MS FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS RELATÓRIO GERAL RESPOSTA DE ALUNOS DA I.E.S. 2º SEMESTRE DE 2015 1.1 Organização Institucional Q1 Cumprimento da missão das

Leia mais

BOLETIM DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA NÚMERO 3 OUTUBRO 2011 CPA O QUE É ISSO?

BOLETIM DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA NÚMERO 3 OUTUBRO 2011 CPA O QUE É ISSO? BOLETIM DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA NÚMERO 3 OUTUBRO 2011 CPA O QUE É ISSO? A Comissão própria de Avaliação (CPA) tem por objetivo coordenar e articular o processo interno de avaliação da Instituição,

Leia mais

Eixo 4: Políticas de Gestão Dimensão 5: Políticas de Pessoal Quadro-Resumo da Autoavaliação

Eixo 4: Políticas de Gestão Dimensão 5: Políticas de Pessoal Quadro-Resumo da Autoavaliação Eixo 4: Políticas de Gestão Dimensão 5: Políticas de Pessoal Quadro-Resumo da Autoavaliação Os itens listados abaixo referem-se a indicadores relacionados ao Planejamento e Avaliação Institucional, constantes

Leia mais

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A É ofertado no 7º semestre, compreende uma carga horária de 120 horas, totalizando 8 créditos, conforme as normas específicas para a realização do referido

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA COORDENADORIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COAI COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PARTE I O DOCENTE AVALIA AS AÇÕES DO CURSO Prezado(a)

Leia mais

RELATÓRIO DE RESPOSTAS OBTIDAS NA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS CCR: MODALIDADE PRESENCIAL

RELATÓRIO DE RESPOSTAS OBTIDAS NA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS CCR: MODALIDADE PRESENCIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO DE RESPOSTAS OBTIDAS NA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 DE CIÊNCIAS RURAIS

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL - PRPDI Orientação Geral O Plano de Desenvolvimento Institucional -PDI, elaborado para um período de 5

Leia mais

Avaliação Institucional Docentes

Avaliação Institucional Docentes Avaliação Institucional Docentes A avaliação é um processo fundamental para a qualidade do trabalho desenvolvido nas Instituições de Ensino Superior. Nesse sentido, a Comissão Própria de Avaliação (CPA)

Leia mais

Avaliação de Cursos, Novo Instrumento de Avaliação Institucional e a. Função da CPA neste contexto

Avaliação de Cursos, Novo Instrumento de Avaliação Institucional e a. Função da CPA neste contexto Avaliação de Cursos, Novo Instrumento de Avaliação Institucional e a Função da CPA neste contexto Profa. Dra. Marion Creutzberg Coordenadora da CPA / PUCRS Papel da CPA na avaliação de cursos de graduação

Leia mais

PESQUISA AVALIATIVA GERAL (GRADUAÇÃO TRADICIONAL E TECNOLÓGICA)

PESQUISA AVALIATIVA GERAL (GRADUAÇÃO TRADICIONAL E TECNOLÓGICA) PESQUISA AVALIATIVA 2013.2 GERAL (GRADUAÇÃO TRADICIONAL E TECNOLÓGICA) 2015 1 GRÃO CHANCELER DOM MURILO SEBASTIÃO RAMOS KRIEGER REITOR PROF. DR. PE. MAURÍCIO DA SILVA FERREIRA SUPERINTENDENTE ACADÊMICA

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA Vanessa Martins Hidd Santos NOVAFAPI INTRODUÇÃO A avaliação institucional constitui objeto de preocupação e análise na NOVAFAPI, desde sua fundação quando

Leia mais

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade:

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade: Resolução n 225, de 21 de junho 2016. Aprova emendas ao Regimento Geral da Universidade, cria setores e dá outras providências. O Conselho Universitário CONSUNI, da Universidade do Planalto Catarinense

Leia mais

Porto Nacional TO

Porto Nacional TO FAPAC - Faculdade Presidente Antônio Carlos. INSTITUTO TOCANTINENSE PRES. ANTÔNIO CARLOS PORTO LTDA. Rua 02, Qd. 07 - Jardim dos Ypês - Centro - Porto Nacional - TO - CEP 77.500-000 CX Postal 124 - Fone:

Leia mais

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES FLORIANÓPOLIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES FLORIANÓPOLIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES FLORIANÓPOLIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais G O V E R N O F E D E

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROVAS BIMESTRAIS, PROVAS SUBSTITUTIVAS, EXAMES E OUTRAS AVALIAÇÕES AOS ALUNOS

ELABORAÇÃO DE PROVAS BIMESTRAIS, PROVAS SUBSTITUTIVAS, EXAMES E OUTRAS AVALIAÇÕES AOS ALUNOS PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO ELABORAÇÃO DE PROVAS BIMESTRAIS, PROVAS SUBSTITUTIVAS, EXAMES E OUTRAS AVALIAÇÕES AOS ALUNOS 1. OBJETIVOS Padronização do uso do impresso e dos critérios para elaboração

Leia mais

A extensão e ação comunitária é o canal aberto para a interação do ensino e da pesquisa com a sociedade, estimulando a formação profissional cidadã.

A extensão e ação comunitária é o canal aberto para a interação do ensino e da pesquisa com a sociedade, estimulando a formação profissional cidadã. EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO E DE AÇÃO COMUNITÁRIA PARA 2010 A UNIVERSIDADE POTIGUAR, mantida pela APEC - Sociedade Potiguar de Educação e Cultura S.A., com sede em Natal/RN,

Leia mais

Regulamento do Programa de Avaliação Acadêmica-Institucional

Regulamento do Programa de Avaliação Acadêmica-Institucional Regulamento do Programa de Avaliação Acadêmica-Institucional I AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO INSTITUCIONAL 1.1 Natureza A avaliação institucional da Faculdade Moraes Júnior Mackenzie Rio FMJ

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE AVALIAÇÃO GERAL SATISFAÇÃO

Leia mais

LISTA DE FIGURAS, GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS

LISTA DE FIGURAS, GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS iii LISTA DE FIGURAS, GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS Capítulo I Tabela nº 1 Composição da amostragem: professores e alunos em relação às quantidades de questionários enviados/recebidos na pesquisa.. 6 Tabela

Leia mais

BOLETIM DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA

BOLETIM DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA BOLETIM DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA NÚMERO 3 OUTUBRO 2011 CPA O QUE É ISSO? A Comissão própria de Avaliação (CPA) tem por objetivo coordenar e articular o processo interno de avaliação da Instituição,

Leia mais

REGIMENTO DO CEDUC Centro de Educação da Universidade Federal de Itajubá

REGIMENTO DO CEDUC Centro de Educação da Universidade Federal de Itajubá REGIMENTO DO CEDUC Centro de Educação da Universidade Federal de Itajubá Dispõe sobre a constituição e funcionamento do Centro de Educação da Universidade Federal de Itajubá. CAPÍTULO I DO CENTRO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

a) Número de respondentes

a) Número de respondentes FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CURITIBA FATEC-PR COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA ANÁLISE DO QUESTIONÁRIO ALUNOS AVALIAM COMUNICAÇÃO, RESPONSABILIDADE SOCIAL, EXTENSÃO E INFRAESTRUTURA. Datas da pesquisa:

Leia mais

POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS

POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS Laboratórios da Área da Informática Política de Manutenção e Aquisição de Equipamentos Laboratórios da Área de Informática Universidade Anhembi Morumbi

Leia mais

O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil

O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil Jacqueline Moreno Theodoro Silva Outubro/2016 Avaliação Educacional Avaliar é o ato de atribuir valor ou mérito a alguma coisa. Avaliação educacional:

Leia mais

MANUAL DO LÍDER DE TURMA

MANUAL DO LÍDER DE TURMA Criada em 1 de 6 MANUAL DO LÍDER DE TURMA Criada em 2 de 6 Parabéns! Você foi eleito (a) representante de sua turma. O que demonstra o seu interesse em contribuir com os seus colegas e a Escola Profissional

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PIRIPIRIENSE DE ENSINO SUPERIOR APES CHRISTUS FACULDADE DO PIAUÍ - CHRISFAPI EDITAL Nº 001/2016

ASSOCIAÇÃO PIRIPIRIENSE DE ENSINO SUPERIOR APES CHRISTUS FACULDADE DO PIAUÍ - CHRISFAPI EDITAL Nº 001/2016 ASSOCIAÇÃO PIRIPIRIENSE DE ENSINO SUPERIOR APES CHRISTUS FACULDADE DO PIAUÍ - CHRISFAPI DIRETORIA DE ENSINO EDITAL Nº 001/2016 PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA PROJETOS DE EXTENSÃO O Núcleo de Iniciação

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTRUMENTO DE CONHECIMENTO, REFLEXÃO E DECISÃO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTRUMENTO DE CONHECIMENTO, REFLEXÃO E DECISÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTRUMENTO DE CONHECIMENTO, REFLEXÃO E DECISÃO ALBUQUERQUE, Rosa 1 NEGREIROS, Gláucia 2 VASCONCELOS, Maria Auxiliadora Marques 3 Introdução No ano de 2004 o Governo Federal

Leia mais

EIXO 2 DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

EIXO 2 DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL EIXO 1 DIMENSÃO 8 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO 1 O plano de desenvolvimento do instituto PDI ( http://www.ufopa.edu.br/arquivo/portarias/2015/pdi20122016.pdf/view ) faz referência a todos os processos internos

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística RESOLUÇÃO N o 01/2011, DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Regulamenta a composição, as competências

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010 FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E CONTÁBEIS DE ITABIRA FACCI

BOLETIM INFORMATIVO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010 FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E CONTÁBEIS DE ITABIRA FACCI BOLETIM INFORMATIVO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010 FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E CONTÁBEIS DE ITABIRA FACCI 1. Apresentação A FACCI aplicou, entre agosto e setembro de 2010, uma pesquisa de

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO Avaliação Interna da EPDRR Ano Letivo 2015/2016 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 COMISSÃO DE TRABALHO 4 METODOLOGIA DE TRABALHO ADOTADA 4 DOMÍNIOS

Leia mais

Faculdade de Direito da Alta Paulista Faculdade da Alta Paulista Comissão Própria de Avaliação (CPA)

Faculdade de Direito da Alta Paulista Faculdade da Alta Paulista Comissão Própria de Avaliação (CPA) PLANO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FAP 2016 1. Introdução Desde 2004, a avaliação interna da Instituição Dom Bosco de Ensino e Cultura Ltda. está sob as normas do Sistema Nacional de Avaliação dos

Leia mais

NAU INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA

NAU INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA NAU INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA Equipe Representação Portaria Giovana da Silva Lenzi (Coordenadora) Gabriela Bettella Cybis (Vice- Coordenadora) Patricia Kruse Klaser Luciana Neves Nunes Esequia

Leia mais

ENADE 2010 ENADE. Relatório da IES EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE ESTUDANTES

ENADE 2010 ENADE. Relatório da IES EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE ESTUDANTES ENADE EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE ESTUDANTES ENADE 2010 Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE NATAL G Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL - FATESG

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL - FATESG FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL - FATESG CALENDÁRIO DE ATIVIDADES ACADÊMICAS PEDAGÓGICAS 2014 MÊS DIA DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE RESPONSÁVEL JANEIRO 01 CONFRATERNIZAÇÃO UNIVERSAL

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009 UNIVERSIDADE DANTA CECÍLIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - NÚCLEO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL É preciso avaliar para mudar RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO ANO LETIVO DE 2009 PERÍODO FEVEREIRO

Leia mais

CPA. Comissão Própria de Avaliação

CPA. Comissão Própria de Avaliação CPA Comissão Própria de Avaliação CPA O espelho da instituição A Avaliação reflete os sentidos, sentimentos e percepções. A consciência é requisito básico para garantir a veracidade do diagnóstico. CPA

Leia mais

Relatório de Ações referente a avaliação Institucional de 2014

Relatório de Ações referente a avaliação Institucional de 2014 Relatório de Ações referente a avaliação Institucional de 2014 Questões Eixo/ Item EIXO 1 - PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Ações desenvolvidas para manter ou melhorar 1.1 Como você avalia a Comissão

Leia mais

ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO ASSUPERO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE - IESRN

ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO ASSUPERO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE - IESRN ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO ASSUPERO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE - IESRN COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INTERNA CPA REGULAMENTO INTERNO CPA/IESRN A

Leia mais

Atividades executadas durante o mês de Maio

Atividades executadas durante o mês de Maio RELATÓRIO PEDAGÓGICO REFERENTE AO MÊS DE MAIO DE 2016 Atividades executadas durante o mês de Maio EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL I Acompanhamento e orientação do processo pedagógico. Acompanhamento

Leia mais

TREVISAN ESCOLA SUPERIOR DE NEGÓCIOS REGULAMENTO. Núcleo de Apoio Psicopedagógico - NAP

TREVISAN ESCOLA SUPERIOR DE NEGÓCIOS REGULAMENTO. Núcleo de Apoio Psicopedagógico - NAP TREVISAN ESCOLA SUPERIOR DE NEGÓCIOS REGULAMENTO Núcleo de Apoio Psicopedagógico - NAP SÃO PAULO 2015 4 Sumário 1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 5 2. FINALIDADE E OBJETIVOS DO NAP... 5 3. ATUAÇÃO DO NAP...

Leia mais

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA PLANO DE MELHORIA 2014 / 2016 ÍNDICE Introdução 3 Resultados da Avaliação Externa 4 Ações a contemplar no Plano de Melhoria 5 Conclusão 7 2 Introdução

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA PERÍODO 2015 TABELA 1 Adesão de docentes e discentes na avaliação 2015

Leia mais

Avaliação das condições de ensino - UFPE

Avaliação das condições de ensino - UFPE Avaliação das condições de ensino - UFPE Editar este formulário Prezado(a) professor(a), Considerando o ensino como uma das dimensões da docência na universidade (Ensino, pesquisa, extensão, gestão), este

Leia mais

RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8

RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8 Instituto Paulista de Ensino FIPEN CPA - Comissão Própria de Avaliação RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8 Dezembro/2014 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 4 A O PROCESSO DE AUTO AVALIACÃO... 6 B - DIMENSÕES... 7 1.

Leia mais

FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA FSST AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 CORUMBÁ MS 2013

FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA FSST AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 CORUMBÁ MS 2013 1 FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA FSST AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 CORUMBÁ MS 2013 2 SUMÁRIO 1. FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA FSST... 03 2. A COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA / 2011... 04 2.1

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DO GAMA. (minuta)

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DO GAMA. (minuta) RESOLUÇÃO DO CONSELHO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DO GAMA. (minuta) Estabelece normas para a realização de estágios obrigatórios e não obrigatórios no âmbito dos cursos de graduação da Faculdade

Leia mais

FACULDADES QI CREDENCIADA PELA PORTARIA MEC REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA PORTO ALEGRE 2016/2

FACULDADES QI CREDENCIADA PELA PORTARIA MEC REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA PORTO ALEGRE 2016/2 FACULDADES QI CREDENCIADA PELA PORTARIA MEC REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA PORTO ALEGRE 2016/2 SUMÁRIO REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA... 1 1 APRESENTAÇÃO... 3 1.1 BREVE

Leia mais

Trajetória dos serviços de TI no Centro de Processamento de Dados da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Trajetória dos serviços de TI no Centro de Processamento de Dados da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Trajetória dos serviços de TI no Centro de Processamento de Dados da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Márcia Carlotto Centro de Processamento de Dados Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Leia mais

REGIMENTO DA DISCIPLINA CE078 LABORATÓRIO DE ESTATÍSTICA DO CURSO DE ESTATÍSTICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

REGIMENTO DA DISCIPLINA CE078 LABORATÓRIO DE ESTATÍSTICA DO CURSO DE ESTATÍSTICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ REGIMENTO DA DISCIPLINA CE078 LABORATÓRIO DE ESTATÍSTICA DO CURSO DE ESTATÍSTICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Os alunos do Curso de Estatística da UFPR regularmente matriculados na disciplina CE078

Leia mais

FACULDADE DE INHUMAS REGULAMENTO DA OUVIDORIA DA FACULDADE DE INHUMAS CAPÍTULO I DA OUVIDORIA

FACULDADE DE INHUMAS REGULAMENTO DA OUVIDORIA DA FACULDADE DE INHUMAS CAPÍTULO I DA OUVIDORIA REGULAMENTO DA OUVIDORIA DA FACULDADE DE INHUMAS CAPÍTULO I DA OUVIDORIA A ouvidoria é um serviço especial de comunicação interna e externa com identificação ou anonimamente, que tem o fim de ouvir e receber

Leia mais

RESULTADOS AVIN FACULDADE PERUÍBE Elaboração coordenação CPA: Profa. Msc. Indira Coelho de Souza

RESULTADOS AVIN FACULDADE PERUÍBE Elaboração coordenação CPA: Profa. Msc. Indira Coelho de Souza RESULTADOS AVIN 2016 - FACULDADE PERUÍBE Elaboração coordenação CPA: Profa. Msc. Indira Coelho de Souza OBJETIVO: A Comissão Própria de Avaliação é um órgão de natureza consultiva e deliberativa com a

Leia mais

TIC Educação 2015 Apresentação dos principais resultados

TIC Educação 2015 Apresentação dos principais resultados TIC Educação 2015 Apresentação dos principais resultados São Paulo 29 de Setembro de 2016 SOBRE O CETIC.br Produção de estatísticas TIC para políticas públicas Modelo Multissetorial de Governança da Internet

Leia mais

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 leitos 19 leitos de UTI 5 Salas Cirúrgicas 300 Cirurgias/mês

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO NAUODONTO Janeiro a Dezembro de 2015 Professores do NAUODONTO: Ramona Fernanda

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CEFET-MG. Diretor-Geral Prof. Flávio Antônio dos Santos

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CEFET-MG. Diretor-Geral Prof. Flávio Antônio dos Santos CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CEFET-MG Diretor-Geral Prof. Flávio Antônio dos Santos Vice-Diretora Profª. Maria Inês Gariglio Diretora de Graduação Profª. Suzana Lanna Burnier

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2014

AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2014 AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2014 Instrumento para avaliação do curso de graduação em Ciências Econômicas por parte dos docentes que nele ministraram alguma disciplina durante o ano letivo

Leia mais

ENADE Relatório da IES. Sinaes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes

ENADE Relatório da IES. Sinaes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes Sinaes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior ENADE 2009 Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes Relatório da IES Faculdade de Nova Serrana no município: NOVA SERRANA SUMÁRIO Apresentação...

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CPA GESTÃO 2011

PLANO DE TRABALHO CPA GESTÃO 2011 Faculdades Integradas Einstein de Limeira LANO DE TABALHO CA GESTÃO 2011 Comissão rópria de Avaliação CA Faculdades Integradas Einstein de Limeira FIEL Associação Limeirense de Educação e Cultura - ASLEC

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA Agosto de 2015 INTRODUÇÃO O Ministério de Educação (MEC) através do Sistema Nacional

Leia mais

PORTARIA N 71 DE 12 DE JANEIRO DE 2012

PORTARIA N 71 DE 12 DE JANEIRO DE 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II PORTARIA N 71 DE 12 DE JANEIRO DE 2012 Redefine as atribuições dos Chefes de Departamentos Pedagógicos e dos Coordenadores Pedagógicos/ Responsáveis por Coordenação

Leia mais

CEPUERJ CENTRO DE PRODUÇÃO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CEPUERJ CENTRO DE PRODUÇÃO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CEPUERJ CENTRO DE PRODUÇÃO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO MISSÃO DA UNIDADE: Fomentar a atividade acadêmica, promover o intercâmbio da Universidade com órgãos públicos, empresas privadas e

Leia mais

PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM ORIENTAÇÕES GERAIS E ENCAMINHAMENTOS PARA A EQUIPE GESTORA 1

PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM ORIENTAÇÕES GERAIS E ENCAMINHAMENTOS PARA A EQUIPE GESTORA 1 M E G A Z I D N E R P A A P S I C O LO G I A D CAMINHAMENTOS EN E IS A ER G ES Õ Ç TA ORIEN RA PARA A EQUIPE GESTO 1 1 o DIA: 02/02/15 (segunda-feira) ORIENTAÇÕES GERAIS E ENCAMINHAMENTOS PARA A EQUIPE

Leia mais

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO COORDENAÇÃO DE TGI TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO SÃO PAULO JUNHO DE 2007 CAPÍTULO 1 DA CONCEITUAÇÃO Art. 1º - O Trabalho de Graduação Interdisciplinar (TGI), atividade obrigatória

Leia mais

ENADE Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ

ENADE Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ ENADE 2011 Relatório da IES G Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ O V E R N O F E D E R A L PAÍS RICO

Leia mais

Boletim CPA/UFRPE Curso de Engenharia de Alimentos Unidade Acadêmica de Garanhuns Edição n. 01 Ciclo Avaliativo:

Boletim CPA/UFRPE Curso de Engenharia de Alimentos Unidade Acadêmica de Garanhuns Edição n. 01 Ciclo Avaliativo: Edição n. 01 Ciclo Avaliativo: 2012-2014 Apresentando o Boletim CPA: É com enorme satisfação que a Comissão Própria de Avaliação (CPA/UFRPE), responsável por coordenar os processos internos de avaliação

Leia mais

PLANO DE COORDENAÇÃO DE ÁREA 2014

PLANO DE COORDENAÇÃO DE ÁREA 2014 PLANO DE COORDENAÇÃO DE ÁREA 2014 Área/Habilitação: Enfermagem/ Agente Comunitário de Saúde/ Ensino Técnico Nº de HAE: 12 ETEC: Prof. Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital/SP Nome do Coordenador(a):

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO RESOLUÇÃO Nº 06/2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO RESOLUÇÃO Nº 06/2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 06/2015 Ementa: estabelece sistemática para realização de Visitas Técnicas como atividade integrante dos componentes curriculares dos cursos oferecidos pelo IFPE O

Leia mais

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas do Setor Palotina da UFPR prevê a realização de estágios nas modalidades de estágio obrigatório e

Leia mais

REGULAMENTO DA OUVIDORIA. Curso de Teologia

REGULAMENTO DA OUVIDORIA. Curso de Teologia REGULAMENTO DA OUVIDORIA Curso de Teologia Associação Educacional Batista Pioneira 2011 CAPÍTULO I DA OUVIDORIA Art. 1º - A Ouvidoria da FACULDADE BATISTA PIONEIRA (FBP) é um elo entre a comunidade externa

Leia mais

PDI Plano de Desenvolvimento Institucional AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PDI

PDI Plano de Desenvolvimento Institucional AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PDI PDI Plano de Desenvolvimento Institucional 2005-2009 6 AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PDI 6. AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Coordenação: Maria Helena Krüger Diretora de Desenvolvimento

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 1 AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Relatório Anual 2015 Março/2016 Chapadão do Sul-MS 2016 2 AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Relatório Anual 2015 Março/2016 Comissão Própria de Avaliação Coordenadora da CPA: Profa. Ms.

Leia mais

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DAS ESCOLAS Despacho n.º 436-A 2017

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DAS ESCOLAS Despacho n.º 436-A 2017 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DAS ESCOLAS 2017 Despacho n.º 436-A 2017 PREÂMBULO O Orçamento Participativo constitui um instrumento que tem vindo a ser adotado por um conjunto crescente

Leia mais

Barulho Empreendedor Escola Estadual João XXIII Sala 8 - Sessão 2

Barulho Empreendedor Escola Estadual João XXIII Sala 8 - Sessão 2 Barulho Empreendedor Escola Estadual João XXIII Sala 8 - Sessão 2 Professor(es) Apresentador(es): Kátia Valéria C.T.Peressinotto Marilda Suzani Gonçalves Realização: Foco Desenvolver competências e habilidades

Leia mais

Questionário Grau de Satisfação dos Docentes 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e Secundário

Questionário Grau de Satisfação dos Docentes 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e Secundário 93 Questionário Grau de Satisfação dos Docentes 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e Secundário Pretende-se, com este questionário, fazer o levantamento de alguns aspetos que o GAP considera relevantes para

Leia mais

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2009.1 CORPO DOCENTE 2009.1 Auto-avaliação docente - 2009.1 Pontualidade no início e término das aulas 14,29% 28,57% Compatibilidade

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACULDADE GOVERNADOR OZANAM COELHO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2016.1 Prof. João Paulo Ciribeli Coordenador da CPA Ubá Minas Gerais 2016 i SUMÁRIO AVALIAÇÃO GERAL... 1 1. AVALIAÇÃO DA ESTRUTURA FÍSICA...

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO NORTE 2 ORIENTAÇÕES - PLANO GESTÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO NORTE 2 ORIENTAÇÕES - PLANO GESTÃO ORIENTAÇÕES - PLANO GESTÃO I - Identificação da Unidade Escolar - Nome da escola, endereço, CEP, telefone, fax, e-mail, código CIE, código FDE, CNPJ, data de instalação, autorização, ato de criação, etc...

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS SÃO LUÍS COORDENAÇÃO DE ENG. MECÂNICA. Eficiência Energética Processo Seletivo 1/2017

FACULDADE PITÁGORAS SÃO LUÍS COORDENAÇÃO DE ENG. MECÂNICA. Eficiência Energética Processo Seletivo 1/2017 Eficiência Energética Processo Seletivo 1/2017 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NA EQUIPE DO PROJETO EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Nº 1/2017 O Projeto Eficiência Energética vem através da coordenação

Leia mais