Instalando e configurando acesso a recursos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instalando e configurando acesso a recursos"

Transcrição

1 2 Instalando e configurando acesso a recursos Depois de colocar seu servidor para funcionar, é chegado o momento de disponibilizar recursos para seus usuários. Esse capítulo descreverá os processos relacionados com acesso a recursos: instalar e configurar serviços de rede para interoperabilidade; monitorar, configurar, solucionar problemas e controlar acesso a impressoras, arquivos, pastas e pastas compartilhadas; configurar e gerenciar o Distributed File System (DFS). Instalar e configurar serviços de rede para interoperabilidade Para facilitar a vida do administrador e dos usuários no acesso aos recursos de rede, existem alguns serviços que podem ser instalados. Esse é o caso do serviços de DHCP, Wins e DNS. Nesta primeira etapa deste capítulo, vamos estudar cada um desses serviços separadamente. Serviço de diretório O serviço de diretório é um serviço do Microsoft Windows 2000 Server que identifica todos os recursos disponíveis na rede, os torna disponíveis aos usuários e permite a implementação de políticas de acesso a esses recursos. 39

2 O Active Directory contém os serviços de diretório, armazena as informações e as tornam úteis para os usuários. Esse serviço armazena objetos como usuários, grupos de usuários, computadores, impressoras, pastas compartilhadas, provendo dessa maneira uma administração mais simplificada dos recursos de rede. As informações são organizadas de maneira hierárquica em domínios. Os domínios do Active Directory são agrupamentos lógicos de objetos. Um domínio é a unidade básica para segurança e replicação de dados em uma rede baseada em Windows Cada domínio inclui um ou mais Domain Controllers, que são computadores rodando o Windows 2000 Server, Advanced Server ou Datacenter que armazenam uma réplica das informações do serviço de diretório. Todas as modificações realizadas em um Domain Controller, como, por exemplo, a criação de um novo usuário, são replicadas para todos os outros Domain Controllers. O Active Directory Services provê diversas maneiras de desenhar a estrutura da rede de sua empresa. Tenha essa empresa uma estrutura centralizada ou não, o AD poderá prover um design que irá de acordo com as suas necessidades. A estrutura do Active Directory deve ser desenhada a partir de dois pontos de vista, o lógico e o físico. Na estrutura lógica do serviço de diretório, os administradores têm a possibilidade de organizar seus recursos de maneira que venha a simplificar a administração. Por exemplo, é possível utilizar Organizational Units (OUs), para acomodar objetos que possuam similaridade, como, por exemplo os usuários, computadores, impressoras e usuários do departamento financeiro. A estrutura de suas OUs deve ser desenhada para permitir a implementação de Group Policies Objects (GPOs) e delegação. Por exemplo, o departamento financeiro tem restrições quanto à utilização do Control Panel. Você pode aplicar um GPO somente para a OU do departamento de Finanças. Esse mesmo departamento tem um administrador que pode criar as contas de usuário, reinicializar senhas etc. É possível que esses poderes sejam delegados a esse administrador, somente nesta OU. Quando temos um grupo de domínios, temos uma árvore. As informações a respeito de todos os domínios estão armazenadas no Global Catalog, que fica no topo da hierarquia. É interessante que cada domínio possua um Global Catalog Server, que deve manter uma cópia das informações para servir aquele domínio. 40

3 As árvores de domínios são definidas pelo Name Space. O Name Space deve identificar a corporação a qual se refere o domínio como um todo, incluindo filiais e subsidiárias ou outras empresas de um grupo ou conglomerado. Por exemplo se temos uma empresa que decide utilizar o Name Space msnet.com, uma árvore será criada para armazenar esse nome. Em situações em que existe mais de um nome que possa identificar a empresa, como em casos nos quais existem unidades de negócio diferentes ou aquisições de empresas concorrentes podem ser criadas novas árvores para atender essa necessidade. Ambientes com um conjunto de várias árvores são chamados de florestas. Desta maneira, é permitido que haja uma flexibilidade entre os domínios que têm nomes diferentes. O esquema de objetos é comum a todas as árvors. Vejamos um exemplo de uma estrutura de Active Directory simplificada: Figura 2.1 Estrutura simplificada do Active Directory 41

4 Em termos de estrutura física, dividimos os computadores do Active Directory em Subnets IP. Isso fará com que as informações a respeito dos objetos do Active Directory sejam replicadas de forma mais inteligente, economizando assim banda de seu link de WAN. Ao se instalar um computador executando o Microsoft Windows 2000 Server, esse não possui por padrão as funcionalidades de Domain Controller. Para que um servidor se torne um Domain Controller, é necessário criar uma infra-estrutura de resolução de nomes por meio do DNS e, executar o programa DCPROMO.EXE. Endereçamento IP Uma das premissas das redes TCP/IP é a de que cada host deve conter um identificador único, exclusivo, o endereço IP. A analogia com o endereçamento das casas e edifícios é perfeita. Duas pessoas podem morar na mesma rua, mas suas casas têm um número exclusivo (a Empresa de Correios e Telégrafos agradece). Em uma rede roteada, um computador precisa de no mínimo três configurações relacionadas ao endereçamento IP. O endereço IP, que identifica a máquina exclusivamente na rede, a máscara de sub-rede (subnet mask) que identifica a parte do endereço IP que se destina a identificação da rede no endereço IP e um Default Gateway, que é o endereço do dispositivo que roteará os pacotes IP para redes remotas. Quando uma rede é menor, com apenas algumas estações, é simples controlar qual host possui qual IP e, dessa maneira, evitar conflitos. A configuração manual do endereçamento IP, também não é tão sacrificante para essas condições. Porém, em uma rede com um número de hosts um pouco maior, isso pode se tornar um grande problema. O controle de quem possui qual IP se torna mais difícil e por melhor digitador que você seja, um erro na configuração do endereçamento IP pode ocasionar um problema muito difícil de detectar e sanar. O Capítulo 7 tem informações mais detalhadas sobre os tópicos a seguir (DHCP, WINS e DNS). Vamos a uma breve introdução que se faz necessária para melhor compreensão dos demais tópicos. Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) Para a situação descrita anteriormente, o serviço do DHCP é muito importante. Esse serviço tem por finalidade configurar automaticamente o endereçamento IP dos hosts de sua rede. 42

5 Quando um computador cliente DHCP é iniciado, este envia um pacote na rede solicitando um endereço IP a um servidor de DHCP na rede. Esse passo é conhecido como DHCPDiscovery. O servidor de DCHP recebe a solicitação e envia um pacote oferecendo um endereço IP (DHCPOffer). O cliente recebe o pacote DHCPOffer e envia um outro pacote fazendo o passo conhecido como DHCPRequest, ou seja, requisitando aquele endereço oferecido. O servidor de DHCP entrega o endereço IP ao cliente, e envia um pacote avisando que o endereço está liberado (acknologedment). O nome desse pacote que informa ao cliente que seu endereço está liberado para o uso é o DHCPAck. O cliente recebe um endereço IP e poderá ficar com ele durante o tempo máximo configurado para o lease (aluguel). O tempo de lease padrão no serviço de DHCP do Windows 2000 é de oito dias. A cada vez que o computador for reinicializado, o processo para a locação do IP será realizado novamente. Portanto nem sempre o endereço IP será o mesmo. Esse fato é especialmente relevante, quando se tratar de servidores. Em geral, esses computadores recebem endereços IP fixos. Para que o banco de dados mantido pelo servidor de DHCP se mantenha consistente, o cliente tem de renovar o período de lease. A solicitação de renovação do lease acontece na metade do tempo configurado para isso. Se por algum motivo o cliente não conseguir renovar seu lease nesse período, será feita uma nova tentativa na metade do tempo restante, continuando assim até que o período se esgote e o cliente perca o endereço IP. Depois de perder o endereço, o cliente tentará renovar seu endereço IP a cada 5 minutos. O clientes DHCP recebem endereços IP contidos em uma faixa de endereços predeterminada. Essa faixa é o escopo. Além de endereços IP, o escopo pode conter configurações diversas, como, por exemplo, endereço do servidor de WINS, endereço do servidor de DNS, endereço do Default Gateway, entre outros. Essas opções também são configuradas no cliente que recebe o endereço IP. Resolução de nomes Muito bem. O serviço de DHCP está funcionando e agora nossos computadores-cliente recebem seus endereços IP automaticamente, porém, quando um cliente tenta acessar qualquer recurso por meio de seu nome por exemplo, \\server1, nada acontece. Nesse ponto entra a configuração do serviços de WINS e DNS. 43

6 Windows Internet Name Service (WINS) Todos os computadores e uma rede da plataforma Windows tem um nome de no máximo quinze caracteres exclusivo na rede que é o nome NetBios (Netbios Name). Esse nome é utilizado no acesso aos diversos serviços que esse computador provê na rede, como, por exemplo o serviço de servidor que atesta que esse computador possui recursos disponibilizados à rede. Quando um computador é inicializado, este se anuncia na rede, propagando seu nome e seus serviços. Se um outro computador já estiver utilizando o mesmo nome na rede, o anúncio não é aceito e o computador não pode ser utilizado na rede. O anúncio e o acesso aos computadores pelo nome são feitos por meio de broadcasts, gerando tráfico de rede. Em horários de pico, por exemplo, quando os usuários chegam ao escritório pela manhã, a performance pode ser degradada. O serviço de WINS mantém um banco de dados no qual são registrados todos os anúncios dos clientes WINS. Quando um computador-cliente WINS faz acesso a outro computador da rede pelo nome, em vez de enviar um broadcast para toda a rede, este faz uma pesquisa no serviço de WINS. Como resultado dessa pesquisa, é retornado o endereço IP do computador de destino, que é acessado diretamente. Em uma rede com pontos remotos, é possível configurar a replicação de dados dos servidores de WINS, evitando assim que um cliente tenha de atravessar um link lento de WAN para se registrar ou pesquisar a base de dados do serviço. A resolução de nomes em uma rede com o Active Directory é baseada no DNS, mas o serviço de WINS está presente no Windows 2000 para compatibilidade regressa. Para o exame, esses são conceitos importantes. Domain Name System (DNS) O serviço de DNS é comumente associado com a Internet, por ser o sistema de resolução de nomes para aquela rede, porém as redes baseadas no Active Directory Services do Windows 2000 utilizam esse mesmo método. O serviço de DNS consiste em um banco de dados que mapeia nomes de host a endereços IP. Um dos benefícios disso é que nomes são muito mais simples de lembrar que endereços IP e os nomes são muito mais resistentes a mudanças que os endereços IP. 44

7 A resolução de nomes via DNS baseia-se no Name Space. O Name Space é um esquema de nomes que identifica um host baseado em uma estrutura hierárquica. Por exemplo, se for necessário acessar por meio de seu browser o endereço o serviço de DNS resolverá esse nome seguindo e hierarquia, pegando o nome de trás para frente. Se o endereço ainda não estiver no cache do servidor de DNS, este questionará um root server. Os root servers são o nível mais alto na hierarquia e são identificados pelo ponto, no final de cada endereço de Internet. Em geral, esse ponto não aparece, apenas por questões de convenção. No caso de nosso endereço de exemplo, o root server indica ao servidor de DNS quem pode resolver os endereços.com, um nível abaixo na hierarquia. Esse nível da hierarquia é conhecido como Top Level Domain. Os servidores que resolvem os nomes.com não têm informações para dizer qual é o endereço IP do servidor WWW no domínio microsoft.com, mas têm as informações de quem são os servidores de nomes para o domínio microsoft.com. O servidores de nomes para o domínio microsoft.com, que foi indicado pelo servidor do Top level Domain, têm uma lista de registros mapeando endereços IP aos nomes de servidores de seu domínio. Quando questionado a respeito da máquina WWW, ele retornará o endereço IP para essa máquina, e este será acessado diretamente pelo, cliente, seu browser. Dentro da rede a resolução de nomes acontece da mesma maneira, exceto pelo fato de que as informações do serviço de DNS podem ser armazenadas no Active Directory, tornando, dessa maneira, muito mais rápido o processo de busca. Outra funcionalidade do DNS do Windows 2000 é o Dynamic Update (Atualização Dinâmica). Todos os hosts que negociam sua configuração de TCP/ IP, junto ao serviço de DHCP, automaticamente são registrados no serviço de DNS. Em versões anteriores do serviço, essa característica não existia e todas as entradas tinham de ser feitas manualmente, tornando inviável sua implementação em ambientes mais complexos. Monitorar, configurar e controlar acesso a impressoras, arquivos, pastas e pastas compartilhadas Os métodos pelos quais os acessos aos recursos são gerenciados tiveram uma melhoria significativa em relação às versões anteriores do produto. Tanto para o exame quanto para a vida real, é necessário que você conheça as seguintes técnicas. 45

8 Compartilhando e publicando recursos de arquivos O Windows 2000 permite que arquivos sejam compartilhados entre computadores da rede, ou publicados no Active Directory. A publicação desses recursos no Active Directory faz com que estes sejam mais facilmente encontrados, pois podem ser procurados de maneira centralizada. A ferramnta Computer Management permite o gerenciamento destes recursos que estão sendo disponibilizados. Figura 2.2 Interface da ferramenta Computer Management No item System Tools da ferramenta Computer Management, podemos gerenciar as pastas compartilhadas. Em computadores rodando o Microsoft Windows 2000, essas pastas permitem que usuários da rede tenham acesso a recursos de arquivos. Quando uma pasta é compartilhada, os usuários podem se conectar a essas pastas e obter acesso aos arquivos que lá estão contidos, desde de que tenham as devidas permissões. Pastas podem ser compartilhadas tanto a partir do Windows Explorer quanto da ferramenta Computer Management. 46

9 O serviço de diretório do Windows 2000 provê grande facilidade em armazenamento de informações sobre objetos e obtenção dessas informações. Como administrador de uma rede baseada em Windows 2000, você pode publicar pastas compartilhadas fazendo com que o acesso a elas seja mais rápido. A publicação de pastas é feita por meio do Active Directory Users and Computers. Clique com o botão direito sobre o domínio para o qual você deseja publicar uma pasta compartilhada, clique em New e, em Shared Folder. Na caixa de diálogo apresentada, digite o nome de sua publicação e ocaminho para esta. Depois de entrar com essas informações, sua pasta compartilhada aparecerá no domínio. Figura 2.3 Publicação de uma pasta compartilhada Ao compartilhar uma pasta, você deve definir quais são as permissões de acesso a ela, ou seja, você deve definir quais são os direitos dos usuários quando estes estiverem se conectando a essa pasta compartilhada por meio da rede. Por padrão, a pasta é compartilhada com permissões bastante abrangentes: Todos Controle Total (Everyone Full control). Esse tipo de permissão pode não ser muito segura. 47

10 Os tipos de permissão podem ser Full Control, Change e Read. Veja o que os usuários podem fazer ao receber essas permissões: Ação Full Control Change Read Visualizar nomes de arquivos e subpastas X X X Acesso a subpastas X X X Adicionar pastas e arquivos à pasta compartilhada X X Modificar dados nos arquivos X X Excluir subpastas ou arquivos X X Para compartilhar uma pasta, proceda da seguinte maneira: 1. Abra o item Computer Management a partir do menu Administrative Tools. 2. Selecione a árvore System Tools e expanda Shared Folders. 3. Em Shared Folders clique com o botão direito em Shares e selecione New File Share. 4. Siga as instruções apresentadas pelo Create Shared Folder Wizard. Gerenciamento de permissões NTFS para arquivos e pastas Além das permissões de compartilhamento, você também deve levar em consideração as permissões NTFS. As permissões NTFS padrão são as seguintes: Permissão Full Control Modify Read & Execute List Folder Contents Read Write Descrição Permite ao usuário controle total sobre a pasta, arquivos e subpastas. Modificar arquivos existentes e criar novos arquivos. Ler arquivos existentes e executar aplicações. Listar o conteúdo da pasta. Ler arquivos existentes na pasta. Criar, excluir e alterar arquivos existentes. As permissões-padrão NTFS geralmente são suficientes para a implementação de segurança em suas pastas e arquivos; porém, existem situações em que será necessária a utilização de permissões específicas. Essas são chamadas de Permissões Especiais. Entre as permissões especiais, podemos destacar duas que são particularmente muito importantes e úteis para a implementação de segurança, as permissões Take Ownership e Change Permissions. 48

11 Você pode permitir que outros administradores ou usuários alterem as permissões de um arquivo ou pasta, sem ter que lhes conceder a permissão de controle total (Full Control), por meio da permissão Change Permissions (modificar permissões). A permissão Take Ownership (apropriar-se) permite que o usuário se torne o proprietário de determinado arquivo ou pasta e, a partir daí, altere suas permissões e atributos, conforme necessário. Algumas regras se aplicam à permissão de Take Ownership: Qualquer usuário com a permissão Full Control pode conceder a permissão Take Ownership a outros usuários. Participantes do grupo administrators podem tomar a propriedade de qualquer arquivo ou pasta. Se um administrator se apropriar de um arquivo ou pasta, o grupo administrator se tornará o proprietário desta. Não é possível atribuir a propriedade de um arquivo ou pasta a um usuário. A permissão Take Ownership será dada a esse usuário e ele deverá se apropriar do arquivo. Gerenciamento de heranças de permissões A herança de permissões minimiza o número de vezes que você precisa configurá-las. Ao conceder permissões para determinada pasta, por padrão as subpastas recebem as mesmas permissões. Por exemplo, vamos supor que você crie uma pasta na raiz do seu disco rígido: c:\herança. Essa pasta herdará as permissões configuradas para a raiz do seu disco. Por padrão Everyone\Full-Controll. Continuando em nosso exemplo, você modifica as permissões para a pasta herança, colocando uma permissão Administrators\Full-Controll. Ao criar uma subpasta chamada, por exemplo, c:\herança\nova herança, essa pasta receberá as permissões herdadas do objeto que está imediatamente acima dela na hierarquia de pastas. Portanto, tanto terá as permissões para Everyone quanto para o grupo administrators. Para quebrar a herança de determinada pasta ou arquio, você deverá desmarcar a opção que permite a herança do objeto-pai, na aba Security das propriedades do objeto. Figura 2.4 Check box configurando herança de permissões 49

12 Ao desmarcar essa opção, você receberá uma mensagem pergutando se você quer simplesmente remover as permissões herdadas do objeto-pai, ou se quer copiar essas permissões. Figura 2.5 Confirmação da exclusão da configuração de herança Caso as permissões sejam removidas, serão mantidas somente as permissões configuradas para o objeto em questão. Se as permissões forem copiadas estas serão mantidas. Copiando e movendo arquivos Ao copiar um arquivo armazenado em uma partição NTFS, este herda as permissões de destino. Isso se deve ao fato de estarmos criando um novo arquivo ao realizar a cópia. Se o arquivo for movido para uma pasta dentro da mesma partição NTFS, as permissões serão mantidas. Quando movemos um arquivo para outra partição, o processo realizado é copiar o arquivo e depois excluí-lo; por esse motivo, as permissões serão retidas. Isso funciona da mesma maneira para atributos de compactação de arquivos. 50

13 Compartilhando e gerenciando acesso a impressoras As impressoras são uma peça importante de sua implementação de um servidor Windows Para se dar bem no exame , você precisa conhecer alguns aspectos do acesso a esse tipo de recurso. Para compartilhar uma impressora, a fim de que outros usuários da rede possam utilizá-la, proceda da seguinte maneira: 1. instale a impressora normalmente, conforme instruções do fabricante; 2. selecione a opção Printers a partir do menu Settings; 3. clique com o botão direito sobre a impressora que você deseja compartilhar e selecione Sharing; 4. clique em Shared as e selecione um nome para o compartilhamento; 5. clique em OK. Instalando e configurando acesso a recursos A partir do procedimento anterior, a impressora estará compartilhada com as permissões-padrão deimpressão. Para visualizar as permissões de impressão, acesse as propriedades da ipressora e acione a aba Security: Figura 2.6 Propriedades de impressora 51

14 As permissões-padrão são as seguintes: Administradores, Operadores de Servidor e Operadores de Impressão podem administrar completamente a impressora e os documentos. O grupo interno CREATOR OWNER representa o usuário que enviou o documento para a impressora, ou seja, um usuário comum, sem nenhuma permissão administrativa, consegue gerenciar seus próprios documentos, para cancelar a impressão, por exemplo. Por padrão, qualquer usuário pode realizar a impressão. Para restringir a impressão a um determinado grupo de usuários, você deverá alterar essa permissão. Configurando o Internet Printing Protocol (IPP) Uma das funcionalidades inovadoras do Windows 2000 é a possibilidade de impressão através de uma URL e gerenciamento de impressoras pela interface de um browser, como é o caso do Microsoft Internet Explorer. Esse processo ocorre pelo Internet Printing Protocol (IPP). No momento da instalação da impressora, devemos entrar com a URL que nos levará até esta, já o gerenciamento poderá ser feito acessando a URL server01/printers, em que server01 é o nome do seu servidor. Para que o IPP seja implementado, basta que o computador ao qual o dispositivo de impressão está anexado tenha o Internet Information Services (IIS) instalado. Nota: o processo de instalação de uma impressora será abordado no Capítulo 3 Configurar dispositivos de Hardware e Drivers, e a instalação e a configuração do IIS serão abordados no Capítulo 6 Configurar conexões de rede no Windows

15 Gerenciando grupos locais Instalando e configurando acesso a recursos Quando o Windows 2000 é instalado, este não possui a função de Domain Controller. Nesse servidor, são criados alguns grupos para que se tornem possíveis o processo de administração e o acesso a recursos. Esses grupos são chamados de Built-in Groups e estão armazenados na SAM desse servidor. Pertencer a um grupo de usuários dá a um usuário direitos e permissões para executar tarefas específicas naquele computador. Esses são os Built-in Groups: Administrators: os membros deste grupo podem administrar todos os recursos do computador, incluindo configurações de segurança e usuários. Backup Operators: membros do grupo Backup Operators podem ultrapassar limites de segurança para gerar e restaurar cópias de segurança do sistema e de arquivos de usuários. Power Users: os membros do grupo built-in Power Users podem criar contas de usuário, mas somente podem alterar informações de contas de usuários por eles criados. Esses usuários também podem criar grupos locais, adicionar e remover usuários de grupos por eles criados. Tipo e escopo de grupos Os tipos de grupo estão relacionados à sua funcionalidade dentro do serviço de diretório do Windows Existem dois tipos de grupo: os Security Groups e os Distribution Groups. Os Security Groups (Grupos de Segurança) são utilizados para a implementação de acesso a recursos, já os grupos de distribuição são utilizados para o envio de mensagens de correio eletrônico por meio de um gerenciador, como, por exemplo, o Microsoft Exchange Server Quando um usuário efetua logon em um domínio do Windows 2000 e tem participação em grupos de segurança, automaticamente é gerada uma lista contendo informações a respeito do acesso a recursos por parte desse usuário. Essa lista se chama DACL (Discretionary Access Control List). Para gerá-la, são consumidos recursos da rede e recursos do servidor. Se o usuário não precisar utilizar nenhum recurso compartilhado na rede, dê preferência à utilização de Distribution Groups (Grupos de Distribuição). A participação do usuário nesse tipo de grupo não gera a DACL e, portanto, faz com que exista um desempenho melhor no processo de logon do usuário. 53

16 Escopos de grupo Os escopos de grupo estão relacionados à maneira pela qual você vai gerenciar o acesso aos recursos de seu servidor. Existem três escopos de grupo diferentes: Domain Local Group, Global Group e Universal Group. Domain Local Group Os Domain LocalGroups (grupos locais de domínio) são utilizados para dar acesso a recursos. Por exemplo, suponha que você tenha uma pasta chamada Docs em seu servidor. Você quer dar acesso a essa pasta para todos os usuários do departamento financeiro. Provavelmente os usuários do departamento financeiro estão em grupo global. Então você deve criar um grupo domain local, chamado Docs, por exemplo, dar as devidas permissões a esse grupo e associar o grupo global financeiro a este. Domain Local Groups podem conter grupos globas, grupos universais e usuários de qualquer domínio de sua floresta. Um Domain LocalGroup também pode conter outros Domain Local Groups de seu próprio domínio. Quando o Active Directory Services O Serviço de Diretório do Windows 2000 é instalado, os seguintes Domain Local Grupos são automaticamente gerados: Administrators: os membros deste grupo podem administrar todos os recursos do computador, incluindo configurações de segurança e usuários. Account Operators: membros deste grupo podem fazer a administração dos usuários do Active Directory. Por questões de segurança, um membro do grupo Account Operators não pode criar ou modificar contas de administradores do domínio ou modificar a sua própria conta. Backup Operators: membros do grupo Backup Operators podem ultrapassar limites de segurança para gerar e restaurar cópias de segurança do sistema e de arquivos de usuários. Guests: contas pertencentes a esse grupo têm as mesmas permissões do grupo Users. Por padrão, a conta Guest é a única conta membro deste grupo e está desabilitada. Pre-Windows 2000 Compatible Access: grupo para compatibilidade com versões anteriores que permite que todos os usuários no domínio tenham direitos de leitura. 54

17 Print Operators: usuários pertencentes a esse grupo podem administrar impressoras do domínio. Replicator: suporte à replicação de arquivos em um domínio. Server Operators: os membros deste grupo podem administrar servidores do domínio. Users: membros deste grupo têm o menor nível de acesso a direitos no servidor. Por padrão, um usuário pertencente ao grupo Users não pode nem ao menos efetuar logon em um servidor. Global Group Os Global Groups (Grupos Globais) são utilizados para reunir usuários que possuam uma afinidade, por exemplo, o país ou estado onde vivem ou trabalham, o departamento em que trabalham, cargo ou função que exercem. O Departamento de Marketing de sua empresa, por exemplo, concentra uma gama de profissionais que, em geral, necessitam acesso aos mesmos recursos, impressoras e pastas compartilhadas no servidor. Para facilitar a administração desaes usuários, é interessante que todos eles façam parte de um mesmo grupo. Global Groups podem fazer parte de Domain Local Groups em seu próprio domínio. Quando o Active Directory do Windows 2000 é instalado, por padrão, são criados os seguintes built-in groups: Domain Users: por padrão, qualquer usuário que você criar em um domínio do Windows 2000 se torna automaticamente membro deste grupo você pode utilizar o Grupo Domain Users (Usuários do Domínio) para representar todas as contas de usuários criadas no domínio. Por exemplo, se você quer que todos os usuários do domínio acessem determinada pasta compartilhada no servidor, você pode assinalar permissões de impressão para esse grupo (na verdade, será feita a associação esse grupo global a um grupo Domain Local que tenha essas permissões, como veremos mais adiante, ainda neste capítulo). Por padrão, o grupo global Domain Users tem participação no grupo domain local Users, no mesmo domínio. Domain Admins: O Grupo Global Domain Admins (Administradores do Domínio) pode representar usuários que tenham direitos administrativos completos sobre o Servidor / Domínio. Devido ao fato 55

18 de o Windows 2000 suportar administração e delegação de autoridade, é importante diminuir a quantidade de usuários associados a esse grupo. Por padrão, o Grupo Domain Admins faz parte do Grupo Domain Local Administrators. Domain Guests: Por padrão, esse grupo (Convidados do Domínio) faz parte do grupo Local de Domínio Guests e a conta-padrão Guest (Convidado) é membro deste. Esse grupo tem a finalidade de prover acesso a usuários de outros domínios que queiram acessar recursos no servidor Windows 2000, sem a necessidade de duplicação de contas ou estabelecimento de relacionamentos de confiança. Universal Groups (Grupos Universais) Um grupo Universal é um grupo de distribuição ou segurança que pode ser utilizado em qualquer lugar da árvore de domínios ou da floresta. Grupos deste escopo podem conter membros de qualquer domínio Windows 2000 da árvore de domínios ou da floresta. Também podem ser membros de um grupo Universal, outros grupos universais, grupos globais e contas de usuário de qualquer domínio. Grupos Universais podem ser membros de qualquer Domain Local Group, mas não podem ser membros de grupos globais. A utilização de grupos universais agrega um melhor desempenho no acesso aos recursos de seus servidores, pois somente são registrados no Global Catalog Server informações a respeito do grupos globais que nele estão contidos e não todos os usuários envolvidos. Garantindo acesso a recursos por meio das permissões de acesso O procedimento para garantir acesso a recursos disponibilizados em seu servidor rodando o Windows 2000 é simples. Basta que você siga algumas regras bem claras e saiba quais serão os efeitos gerados pela aplicação destas. A regra que deve ser utilizada para atribuição de permissões de acesso é a AGDLP: Contas de usuário (Accounts) devem estar dentro de Grupos Globais (Global Groups), os quais devem ser associados a Grupos Locais de Domínio (Local Domain Group), para os quais devem ser dadas as permissões de acessos (Permissions). 56

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMA DE ARQUIVOS

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMA DE ARQUIVOS ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMA DE ARQUIVOS DISTRIBUÍDOS (DFS) Visão geral sobre o Sistema de Arquivos Distribuídos O Sistema de Arquivos Distribuídos(DFS) permite que administradores do

Leia mais

Sumário Instalando o Windows 2000 Server... 19

Sumário Instalando o Windows 2000 Server... 19 O autor... 11 Agradecimentos... 12 Apresentação... 13 Introdução... 13 Como funcionam as provas de certificação... 13 Como realizar uma prova de certificação... 13 Microsoft Certified Systems Engineer

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04 Prof. André Lucio Competências da aula 3 Servidor de DHCP. Servidor de Arquivos. Servidor de Impressão. Aula 04 CONCEITOS

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS FUNDAMENTOS DE Visão geral sobre o Active Directory Um diretório é uma estrutura hierárquica que armazena informações sobre objetos na rede. Um serviço de diretório,

Leia mais

Tutorial de Active Directory Parte 3

Tutorial de Active Directory Parte 3 Tutorial de Active Directory Parte 3 Introdução Prezados leitores, esta é a terceira parte de uma série de tutoriais sobre o Active Directory. O Active Directory foi a grande novidade introduzida no Windows

Leia mais

INSTALANDO E CONFIGURANDO O ACTIVE DIRECTORY NO WINDOWS SERVER 2008

INSTALANDO E CONFIGURANDO O ACTIVE DIRECTORY NO WINDOWS SERVER 2008 INSTALANDO E CONFIGURANDO O ACTIVE DIRECTORY NO WINDOWS SERVER 2008 Objetivo Esse artigo tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o Active Directory no Windows Server 2008. Será também apresentado

Leia mais

Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens

Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens em utilizar este serviço para facilitar a administração de pastas compartilhadas em uma rede de computadores.

Leia mais

Roteiro 4: Replicação/Active Directory DHCP e Wins

Roteiro 4: Replicação/Active Directory DHCP e Wins Roteiro 4: Replicação/Active Directory DHCP e Wins Objetivos: Explorar as configurações para replicação de domínios com Active Directory; Configurar os serviços DHCP e WINS em servidores Windows; Ferramentas

Leia mais

Advanced Group Policy Management (AGPM) 2.5

Advanced Group Policy Management (AGPM) 2.5 Advanced Group Policy Management (AGPM) 2.5 Última revisão feita em 02 de Setembro de 2008. Objetivo Neste artigo iremos conhecer um dos cinco componentes do MDOP 2008. Você vai aprender sobre o Advanced

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Windows 2003 Server: Criando e Gerenciando Pastas Compartilhadas Fabricio Breve Fundamentos Ter um servidor em execução não significa que ele

Leia mais

Introdução ao Active Directory AD

Introdução ao Active Directory AD Introdução ao Active Directory AD Curso Técnico em Redes de Computadores SENAC - DF Professor Airton Ribeiro O Active Directory, ou simplesmente AD como é usualmente conhecido, é um serviço de diretórios

Leia mais

DHCP. Definindo DHCP: Fundamentação teórica do DHCP. Esquema visual

DHCP. Definindo DHCP: Fundamentação teórica do DHCP. Esquema visual Definindo DHCP: DHCP O DHCP é a abreviatura de Dynamic Host Configuration Protocol é um serviço utilizado para automatizar as configurações do protocolo TCP/IP nos dispositivos de rede (computadores, impressoras,

Leia mais

Tutorial TCP/IP DHCP Configurando e Administrando Escopos

Tutorial TCP/IP DHCP Configurando e Administrando Escopos Prezados leitores, esta é a décima oitava parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo que eu classifiquei como Introdução ao TCP/IP. O objetivo do primeiro

Leia mais

Tutorial 02 Promovendo o Windows 2000/2003 Server a um Controlador de Domínio

Tutorial 02 Promovendo o Windows 2000/2003 Server a um Controlador de Domínio Tutorial 02 Promovendo o Windows 2000/2003 Server a um Controlador de Domínio Muitos tutoriais iniciam a explicação do processo em uma fase adiantada, ou seja, considerando que o leitor já sabe algumas

Leia mais

Sistemas Operacionais de Rede INTRODUÇÃO AO ACTIVE DIRECTORY

Sistemas Operacionais de Rede INTRODUÇÃO AO ACTIVE DIRECTORY Sistemas Operacionais de Rede INTRODUÇÃO AO ACTIVE DIRECTORY Conteúdo Programático! Introdução ao Active Directory (AD)! Definições! Estrutura Lógica! Estrutura Física! Instalação do Active Directory (AD)!

Leia mais

Resolução de Problemas de Rede. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite

Resolução de Problemas de Rede. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Resolução de Problemas de Rede Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Ferramentas para manter o desempenho do sistema Desfragmentador de disco: Consolida arquivos e pastas fragmentados Aumenta

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE PELOTAS UNIDADE DE PASSO FUNDO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE PELOTAS UNIDADE DE PASSO FUNDO 3. Controle de Acesso Permissões de Compartilhamento e Permissões NTFS Segurança, sem dúvidas, é um dos temas mais debatidos hoje, no mundo da informática. Nesse capitulo vamos estudar algumas opções do

Leia mais

Implementando e Gerenciando Diretivas de Grupo

Implementando e Gerenciando Diretivas de Grupo Implementando e Gerenciando Diretivas de João Medeiros (joao.fatern@gmail.com) 1 / 37 Introdução a diretivas de grupo - GPO Introdução a diretivas de grupo - GPO Introdução a diretivas de grupo Criando

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Um serviço de diretório, como o Active Directory, fornece os métodos para armazenar os dados de diretório (informações sobre objetos

Leia mais

Como instalar o Active Directory no Windows Server 2003

Como instalar o Active Directory no Windows Server 2003 Como instalar o Active Directory no Windows Server 2003 Po r Artur Higash iyama Primeiro assegure se que o seu servidor e a sua rede estão funcionando conforme o artigo "Requisitos e Recomendações para

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 4)

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 4) Prof. Breno Leonardo Gomes de Menezes Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 4) Serviço de diretório Serviço de diretório é um conjunto

Leia mais

Active Directory - Criação de seu primeiro domínio Windows 2003

Active Directory - Criação de seu primeiro domínio Windows 2003 Active Directory - Criação de seu primeiro domínio Windows 2003 O Active Directory é o serviço de diretório utilizado em uma rede Windows 2003. O AD, sendo um serviço de diretório, serve à nossa rede como

Leia mais

Instalação e Configuração RPM Remote Print Manager para Windows 2000

Instalação e Configuração RPM Remote Print Manager para Windows 2000 Instalação e Configuração RPM Remote Print Manager para Windows 2000 Antes de iniciar a instalação do RPM Remote Print Manager parar Windows 2000, você necessita ter privilégios de "administrador" devido

Leia mais

Administração de Redes

Administração de Redes Administração de Redes DHCP Dynamic Host Configuration Protocol Prof. Fabio de Jesus Souza Professor Fabio Souza Introdução Principais parâmetros que devem ser configurados para que o protocolo TCP/IP

Leia mais

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) OUTUBRO/2010

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) OUTUBRO/2010 PROCEDIMENTOS DE CONFIGURAÇÃO DO AD, DNS E DHCP COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) OUTUBRO/2010 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR 6292: INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO WINDOWS 7, CLIENT Objetivo: Este curso proporciona aos alunos o conhecimento e as habilidades necessárias para instalar e configurar estações de trabalho utilizando a

Leia mais

Introdução... 1. Instalação... 2

Introdução... 1. Instalação... 2 ONTE DO Introdução... 1 O que é IPP?... 1 Qual é a função de um software Samsung IPP?... 1 Instalação... 2 Requisitos do sistema... 2 Instalar o software Samsung IPP... 2 Desinstalar o software Samsung

Leia mais

Guia de instalação Command WorkStation 5.5 com o Fiery Extended Applications 4.1

Guia de instalação Command WorkStation 5.5 com o Fiery Extended Applications 4.1 Guia de instalação Command WorkStation 5.5 com o Fiery Extended Applications 4.1 Sobre o Fiery Extended Applications O Fiery Extended Applications (FEA) 4.1 é um pacote dos seguintes aplicativos para uso

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS IMPRESSÃO. Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS IMPRESSÃO. Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS IMPRESSÃO Serviços de impressão Os serviços de impressão permitem compartilhar impressoras em uma rede, bem como centralizar as tarefas de gerenciamento

Leia mais

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede GUIA DO USUÁRIO: NOVELL CLIENT PARA WINDOWS* 95* E WINDOWS NT* Usar Atalhos para a Rede USAR O ÍCONE DA NOVELL NA BANDEJA DE SISTEMA Você pode acessar vários recursos do software Novell Client clicando

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Se você tem mais que um computador ou outros dispositivos de hardware, como impressoras, scanners ou câmeras, pode usar uma rede para compartilhar

Leia mais

Curso: Superior Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: Sistemas Distribuídos Professor: Társio Ribeiro Cavalcante

Curso: Superior Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: Sistemas Distribuídos Professor: Társio Ribeiro Cavalcante Curso: Superior Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: Sistemas Distribuídos Professor: Társio Ribeiro Cavalcante Exercício 05 - Implementando DFS Criaremos uma raiz DFS de Domínio

Leia mais

Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 1

Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 1 Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 1 Autor: Júlio Battisti - Site: www.juliobattisti.com.br Segurança, sem dúvidas, é um dos temas mais debatidos hoje, no mundo da informática. Nesse tutorial

Leia mais

1. Introdução. 2. Funcionamento básico dos componentes do Neteye

1. Introdução. 2. Funcionamento básico dos componentes do Neteye 1. Introdução Esse guia foi criado com o propósito de ajudar na instalação do Neteye. Para ajuda na utilização do Software, solicitamos que consulte os manuais da Console [http://www.neteye.com.br/help/doku.php?id=ajuda]

Leia mais

Roteiro 5: Responsabilidades do AD / Gerenciamento de usuários

Roteiro 5: Responsabilidades do AD / Gerenciamento de usuários Roteiro 5: Responsabilidades do AD / Gerenciamento de usuários Objetivos: Detalhar e Definir responsabilidades em controladores de domínio; Configurar propriedades de contas de usuários; Gerenciar perfis

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

AULA 7: SERVIDOR DHCP EM WINDOWS SERVER

AULA 7: SERVIDOR DHCP EM WINDOWS SERVER AULA 7: SERVIDOR DHCP EM WINDOWS SERVER Objetivo: Instalar e detalhar o funcionamento de um Servidor de DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol) no sistema operacional Microsoft Windows 2003 Server.

Leia mais

AULA 6: SERVIDOR DNS EM WINDOWS SERVER

AULA 6: SERVIDOR DNS EM WINDOWS SERVER AULA 6: SERVIDOR DNS EM WINDOWS SERVER Objetivo: Instalar e detalhar o funcionamento de um Servidor de DNS (Domain Name System) no sistema operacional Microsoft Windows 2003 Server. Ferramentas: - ISO

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Gerenciando e Criando Contas de Usuário Fabricio Breve Computer Management para as COMPMGMT.MSC Contas Locais Contas criadas com o Computer

Leia mais

Group Policy (política de grupo)

Group Policy (política de grupo) Group Policy (política de grupo) Visão Geral As Diretiva de Grupo no Active Directory servem para: Centralizar o controle de usuários e computadores em uma empresa É possível centralizar políticas para

Leia mais

Introdução ao Windows Server System. José Carlos Libardi Junior

Introdução ao Windows Server System. José Carlos Libardi Junior Introdução ao Windows Server System José Carlos Libardi Junior Computer Roles Grupo de Trabalho X Domínio O que é Active Directory Termos do Active Directory Tópicos Principais Um computador com o Windows

Leia mais

Instalação e Configuração do AD DS no Windows Server 2012 R2 INSTALAÇÃO DO SERVIÇOS DE DOMÍNIO DO ACTIVE DIRECTORY (AD DS)

Instalação e Configuração do AD DS no Windows Server 2012 R2 INSTALAÇÃO DO SERVIÇOS DE DOMÍNIO DO ACTIVE DIRECTORY (AD DS) Instalação e Configuração do AD DS no Windows Server 2012 R2 Sumário... 2 Criando as Unidades Organizacionais... 16 Criando Grupos... 17 Criação de Usuários.... 20 Habilitando a Lixeira do AD DS.... 24

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Introdução: Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Prezados leitores, esta é a primeira parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo

Leia mais

Conexões e Protocolo Internet (TCP/IP)

Conexões e Protocolo Internet (TCP/IP) "Visão geral da configuração da rede" na página 3-2 "Escolhendo um método de conexão" na página 3-3 "Conectando via Ethernet (recomendado)" na página 3-3 "Conectando via USB" na página 3-4 "Configurando

Leia mais

CSAU 10.0. Guia: Manual do CSAU 10.0 como implementar e utilizar.

CSAU 10.0. Guia: Manual do CSAU 10.0 como implementar e utilizar. CSAU 10.0 Guia: Manual do CSAU 10.0 como implementar e utilizar. Data do Documento: Janeiro de 2012 Sumário 1. Sobre o manual do CSAU... 3 2. Interface do CSAU 10.0... 4 2.1. Início... 4 2.2. Update...

Leia mais

AULA 06 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS

AULA 06 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS AULA 06 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS O Windows XP fornece contas de usuários de grupos (das quais os usuários podem ser membros). As contas de usuários são projetadas para indivíduos. As contas de grupos são projetadas

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede O sistema de nome de domínio (DNS) é um sistema que nomeia computadores e serviços de rede e é organizado em uma hierarquia de domínios.

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação Índice 1. Introdução... 3 2. Funcionamento básico dos componentes do NetEye...... 3 3. Requisitos mínimos para a instalação dos componentes do NetEye... 4 4.

Leia mais

2. DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol. 2.1. Por que utilizar o DHCP?

2. DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol. 2.1. Por que utilizar o DHCP? 2. DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol 2.1. Por que utilizar o DHCP? 2.1.1. Definição Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) é um padrão IP para simplificar a administração da configuração IP

Leia mais

Roteiro 11: Roteamento /acesso remoto / redirecionamento de diretórios

Roteiro 11: Roteamento /acesso remoto / redirecionamento de diretórios Roteiro 11: Roteamento /acesso remoto / redirecionamento de diretórios Objetivos: Ativar e gerenciar o serviço de roteamento; Ativar e gerenciar serviços de terminal remoto; Redirecionar diretórios através

Leia mais

PROGRAMA DE TREINAMENTO ACTIVE DIRECTORY DO WINDOWS SERVER 2003

PROGRAMA DE TREINAMENTO ACTIVE DIRECTORY DO WINDOWS SERVER 2003 PROGRAMA DE TREINAMENTO ACTIVE DIRECTORY DO WINDOWS SERVER 2003 CARGA HORÁRIA: 64 horas. O QUE É ESTE TREINAMENTO: O Treinamento Active Ditectory no Windows Server 2003 prepara o aluno a gerenciar domínios,

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

TUTORIAL PARA A INSTALAÇÃO EM AMBIENTE DE REDE WINDOWS DO SERVIDOR FIREBIRD

TUTORIAL PARA A INSTALAÇÃO EM AMBIENTE DE REDE WINDOWS DO SERVIDOR FIREBIRD TUTORIAL PARA A INSTALAÇÃO EM AMBIENTE DE REDE WINDOWS DO SERVIDOR FIREBIRD Este tutorial foi preparado com o objetivo de orientar os passos necessários para a instalação do SGBD relacional Firebird, em

Leia mais

Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A

Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. INSTALAÇÃO... 3 2.1 CNC...3 2.1.1. Configuração...3 2.2 PC...6 2.2.1 Configurar a rede Microsoft...6 2.2.2. Inibir o Firewall da rede

Leia mais

Conteúdo Programático

Conteúdo Programático Conteúdo Programático Introdução ao Active (AD) Definições Estrutura Lógica Estrutura Física Instalação do Active (AD) Atividade Prática 1 Definições do Active Em uma rede do Microsoft Windows Server 2003,

Leia mais

Guia do usuário do PrintMe Mobile 3.0

Guia do usuário do PrintMe Mobile 3.0 Guia do usuário do PrintMe Mobile 3.0 Visão geral do conteúdo Sobre o PrintMe Mobile Requisitos do sistema Impressão Solução de problemas Sobre o PrintMe Mobile O PrintMe Mobile é uma solução empresarial

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES Professor Carlos Muniz Atualizar um driver de hardware que não está funcionando adequadamente Caso tenha um dispositivo de hardware que não esteja funcionando corretamente

Leia mais

Auditando o Acesso ao Sistema de Arquivos no Windows 2008 Server R2

Auditando o Acesso ao Sistema de Arquivos no Windows 2008 Server R2 Auditando o Acesso ao Sistema de Arquivos no Windows 2008 Server R2 Primeiramente vamos falar um pouco sobre a Auditoria do Windows 2008 e o que temos de novidades com relação aos Logs. Como parte de sua

Leia mais

1. O DHCP Dynamic Host Configuration Protocol

1. O DHCP Dynamic Host Configuration Protocol CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO TIPO 5 2º ANO TÉCNICO DE INFORMÁTICA/INSTALAÇÃO E GESTÃO DE REDES 2008/2009 INSTALAÇÃO REDES CLIENTE SERVIDOR WINDOWS SERVER 2003 Após a instalação Instalação de serviços de

Leia mais

Sumário. 1 Instalando o Windows XP Professional...19

Sumário. 1 Instalando o Windows XP Professional...19 Agradecimentos... 5 O autor... 6 Apresentação... 13 Introdução... 13 Como funcionam as provas de certificação... 13 Como realizar uma prova de certificação... 13 Microsoft Certified Systems Engineer -

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais O Active Directory Fabricio Breve Introdução Domínios: grupo de servidores e estações de trabalho que concordam em centralizar os nomes de contas

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Tópicos. Atualizações e segurança do sistema. Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP)

Tópicos. Atualizações e segurança do sistema. Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP) teste 1 Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP) Rafael Fernando Diorio www.diorio.com.br Tópicos - Atualizações e segurança do sistema - Gerenciamento do computador -

Leia mais

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange Versão: 4.1 Service pack: 4B SWD-313211-0911044452-012 Conteúdo 1 Gerenciando contas de usuários... 7 Adicionar uma conta de usuário... 7 Adicionar

Leia mais

GABARITO - B. manuel@carioca.br

GABARITO - B. manuel@carioca.br NOÇÕES DE INFORMÁTICA EDITORA FERREIRA PROVA MPRJ -TÉCNICO ADMINISTRATIVO - TADM NCE-UFRJ CORREÇÃO - GABARITO COMENTADO Considere que as questões a seguir referem-se a computadores com uma instalação padrão

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

AFS para Windows. Iniciação Rápida. Versão 3.6 S517-6977-00

AFS para Windows. Iniciação Rápida. Versão 3.6 S517-6977-00 AFS para Windows Iniciação Rápida Versão 3.6 S517-6977-00 AFS para Windows Iniciação Rápida Versão 3.6 S517-6977-00 Nota Antes de utilizar estas informações e o produto a que elas se referem, leia as

Leia mais

ESET Remote Administrator ESET EndPoint Solutions ESET Remote Adminstrator Workgroup Script de Logon

ESET Remote Administrator ESET EndPoint Solutions ESET Remote Adminstrator Workgroup Script de Logon AGENDA 1. Download dos pacotes de instalação ESET Remote Administrator 2. Download dos pacotes de instalação ESET EndPoint Solutions 3. Procedimento de instalação e configuração básica do ESET Remote Adminstrator

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR

MANUAL DO ADMINISTRADOR WinShare Proxy admin MANUAL DO ADMINISTRADOR Instalação do WinShare Índice 1. Instalação 2. Licenciamento 3. Atribuindo uma senha de acesso ao sistema. 4. Configurações de rede 5. Configurações do SMTP

Leia mais

QUAL O PROCEDIMENTO PARA CONFIGURAR AS IMPRESSORAS DE REDE BROTHER EM UM SISTEMA DEC TCP / IP para VMS (UCX) Procedimento

QUAL O PROCEDIMENTO PARA CONFIGURAR AS IMPRESSORAS DE REDE BROTHER EM UM SISTEMA DEC TCP / IP para VMS (UCX) Procedimento Procedimento Visão geral Antes de usar a máquina Brother em um ambiente de rede, você precisa instalar o software da Brother e também fazer as configurações de rede TCP/IP apropriadas na própria máquina.

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para XEROX 6279. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a XEROX 6279 no manual

Leia mais

2 de maio de 2014. Remote Scan

2 de maio de 2014. Remote Scan 2 de maio de 2014 Remote Scan 2014 Electronics For Imaging. As informações nesta publicação estão cobertas pelos termos dos Avisos de caráter legal deste produto. Conteúdo 3 Conteúdo...5 Acesso ao...5

Leia mais

Instalando e usando o Document Distributor 1

Instalando e usando o Document Distributor 1 Instalando e usando o 1 O é composto por pacotes de software do servidor e do cliente. O pacote do servidor deve ser instalado em um computador Windows NT, Windows 2000 ou Windows XP. O pacote cliente

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 02. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 02. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 02 Prof. André Lucio Competências da aula 2 Instalação e configuração dos sistemas operacionais proprietários Windows (7 e

Leia mais

IMPORTANTE: O PNM4R2 não entra em estado funcional enquanto o Windows não

IMPORTANTE: O PNM4R2 não entra em estado funcional enquanto o Windows não Manual Instalação Positivo Network Manager Versão 4R2 para Integradores O produto Positivo Network Manager Versão 4R2 (PNM4R2) consiste de uma plataforma do tipo cliente servidor, sendo o cliente, os microcomputadores

Leia mais

PAINEL MANDIC CLOUD. Mandic. Somos Especialistas em Cloud. Manual do Usuário

PAINEL MANDIC CLOUD. Mandic. Somos Especialistas em Cloud. Manual do Usuário Mandic. Somos Especialistas em Cloud. PAINEL MANDIC CLOUD Manual do Usuário 1 BEM-VINDO AO SEU PAINEL DE CONTROLE ESTE MANUAL É DESTINADO AO USO DOS CLIENTES DA MANDIC CLOUD SOLUTIONS COM A CONTRATAÇÃO

Leia mais

O que um Servidor Samba faz?

O que um Servidor Samba faz? O que é o Samba? O Samba é um "software servidor" para Linux (e outros sistemas baseados em Unix) que permite o gerenciamento e compartilhamento de recursos em redes formadas por computadores com o Windows

Leia mais

1 Introdução... 4. Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5. 2 Conhecendo o dispositivo... 6

1 Introdução... 4. Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5. 2 Conhecendo o dispositivo... 6 Índice 1 Introdução... 4 Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5 2 Conhecendo o dispositivo... 6 Verificação dos itens recebidos... 6 Painel Frontal... 7 Painel Traseiro... 8 3 Conectando o

Leia mais

Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750

Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750 Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750 Equipamento compacto e de alto poder de processamento, ideal para ser utilizado em provedores de Internet ou pequenas empresas no gerenciamento de redes e/ou no balanceamento

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período Sistemas de Informação Sistemas Operacionais 4º Período SISTEMA DE ARQUIVOS SUMÁRIO 7. SISTEMA DE ARQUIVOS: 7.1 Introdução; 7.2 s; 7.3 Diretórios; 7.4 Gerência de Espaço Livre em Disco; 7.5 Gerência de

Leia mais

Executando o Modo Windows XP com Windows Virtual PC

Executando o Modo Windows XP com Windows Virtual PC Executando o Modo Windows XP com Windows Virtual PC Um guia para pequenas empresas Conteúdo Seção 1: Introdução ao Modo Windows XP para Windows 7 2 Seção 2: Introdução ao Modo Windows XP 4 Seção 3: Usando

Leia mais

Restauração do Exchange Server.

Restauração do Exchange Server. Restauração do Exchange Server. Considerações Iniciais Como visto anteriormente, não há maiores dificuldades na configuração de backups de um banco Exchange. Reservam-se à restauração as operações mais

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Configurando e Implantando o Windows Server 2003 Fabricio Breve Requisitos de Hardware de Sistema Processador Mínimo: 266 MHz Mínimo ideal:

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7) SafeNet Authentication Client 8.2 SP1 (Para MAC OS 10.7) 2/28 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Tokens Homologados... 4 5 Instruções de Instalação...

Leia mais

Manual de Administração

Manual de Administração Manual de Administração Produto: n-mf Xerox Versão do produto: 4.7 Autor: Bárbara Vieira Souza Versão do documento: 1 Versão do template: Data: 04/04/01 Documento destinado a: Parceiros NDDigital, técnicos

Leia mais

INSTALAÇÃO DO MICROSOFT WINDOWS SHAREPOINT SERVICES 2.0

INSTALAÇÃO DO MICROSOFT WINDOWS SHAREPOINT SERVICES 2.0 CAPÍTULO 18 INSTALANDO E CONFIGURANDO O MICROSOFT OFFICE PROJECT SERVER 2003 INSTALAÇÃO DO MICROSOFT WINDOWS SHAREPOINT SERVICES 2.0 Antes de começar a instalação do Microsoft Office Project Server 2003

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS Se todos os computadores da sua rede doméstica estiverem executando o Windows 7, crie um grupo doméstico Definitivamente, a forma mais

Leia mais

Parâmetros de configuração válidos para todos os clientes na conexão entre redes.

Parâmetros de configuração válidos para todos os clientes na conexão entre redes. DHCP - 1 Introdução aos servidores DHCP Um servidor de protocolo de configuração dinâmica de hosts (DHCP, Dinamic Host Configuration Protocol) é um computador que está executando o Windows NT Server, o

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-server Versão: 4.5 Versão do Doc.: 1.0 Autor: César Dehmer Trevisol Data: 13/12/2010 Aplica-se à: Clientes e Revendas Alterado por: Release Note: Detalhamento de Alteração

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais