Índice. 1 Sistema DaisaTest. 1. Porquê instalar um Sistema DaisaTest? 2. Funções de um Sistema DaisaTest. 3. Elementos de um Sistema DaisaTest

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Índice. 1 Sistema DaisaTest. 1. Porquê instalar um Sistema DaisaTest? 2. Funções de um Sistema DaisaTest. 3. Elementos de um Sistema DaisaTest"

Transcrição

1

2

3 1 Sistema DaisaTest Índice 1. Porquê instalar um Sistema DaisaTest? 2. Funções de um Sistema DaisaTest 3. Elementos de um Sistema DaisaTest 3.1 Instalação e guia para a cablagem 3.2 Luminárias de emergência Série TCA 3.3 BUS e seccionadores 3.4 Central TMA Funcionamento básico Características técnicas 3.5. Computador de controlo. Software do Sistema DaisaTest Introdução Descrição geral do software DaisaTest Estado da instalação Planos da instalação Código de cores da luminária Ficha da luminária Relatórios Definições

4 2 Sistema DaisaTest Para outras centrais RS232, Ethernet, GSM/GPRS Computador de controlo Central TMA-1000, TMA-500 Linha principal BUS SBT-200 Linha secundária BUS Luminárias de emergência (Série TCA) Linha secundária BUS SBT-200 Linha secundária BUS Luminárias de emergência (Série TCA)

5 3 Sistema DaisaTest Sistema DaisaTest

6

7 5 Sistema DaisaTest 1 PORQUÊ INSTALAR UM SISTEMA DAISATEST? Todas as instalações cujo número de luminárias de emergência é elevado necessitam de uma manutenção laboriosa, onerosa e incómoda. É muito difícil garantir o seu nível de segurança, dado que normalmente não dispõem de nenhum sistema que permita conhecer o estado das luminárias de emergência. Uma manutenção adequada (EN 50172, IEC 62034) implica realizar ciclicamente tanto testes funcionais como de autonomia, de todas as luminárias que intervêm na iluminação de emergência. Estes testes devem ser efectuados com uma periodicidade determinada e sem que esta acção coloque em risco o correcto funcionamento da iluminação de emergência. O resultado dos testes efectuados, além disso, deverá ficar correctamente registado. Uma instalação de iluminação de emergência será segura quando for capaz de monitorizar o seu estado e avisar sobre as necessidades de manutenção. 2 FUNÇÕES DE UM SISTEMA DAISATEST A função principal do Sistema DaisaTest é informar sobre o estado da instalação de iluminação de emergência. Para isso lança de forma automática testes periódicos a cada luminária de emergência e vigia a correcta comunicação entre as luminárias e o computador de controlo. No ecrã do computador é possível observar de forma gráfica e directa o estado de cada luminária, o resultado dos seus últimos testes de autonomia, se existe falha do tubo fluorescente, etc. O DaisaTest oferece Propostas de Manutenção gráficas adaptadas ao nível de segurança necessário em cada instalação. A função de informar sobre o estado da instalação de iluminação de emergência enquadra-se no objectivo de garantir a sua segurança. A emissão de Propostas de Manutenção tem como objectivo optimizar os custos de manutenção da instalação de iluminação de emergência. Concretamente, o DaisaTest efectua os seguintes controlos: Vigilância permanente. Em todos os momentos verifica se as luminárias estão ligadas à rede de alimentação, que a comunicação é correcta (entre luminárias, centralina e computador), que a bateria de cada luminária recebe carga e que o seu circuito de carga não está aberto. Também calcula o índice de segurança de cada zona, plano e conjunto da instalação, compara com os níveis definidos pelo utilizador e activa os alarmes quando for necessário. Teste funcional. Efectua um teste funcional a todas as luminárias em cada 30 dias (período configurável de 3 a 30 dias), que verifica o acendimento da lâmpada de emergência. Teste de autonomia. Efectua um teste de autonomia a cada luminária em cada 3 meses (período configurável de 3 a 12 meses) ou depois do restabelecimento de uma falha de autonomia. Para além das funções de controlo e teste automáticas, o DaisaTest tem as seguintes prestações: Índice de segurança. Calcula o índice de segurança existente em cada zona, piso e no conjunto da instalação. Informa sobre o algoritmo empregue para valorizar este dado. Tem um registo gráfico do índice de segurança ao longo do tempo. Aviso de manutenção e falha de segurança. No ecrã principal, informa no momento que uma zona, um plano ou o conjunto da instalação ultrapassa os níveis de aviso de manutenção ou segurança anteriormente fixados. Relatório gráfico de falhas e propostas de manutenção: Permite imprimir em folhas DIN A4 os planos parciais das zonas a manter. Estes planos apresentam as luminárias correctas e incorrectas através de um sistema gráfico simples, onde se identifica cada falha existente e a sua natureza (falha de bateria, de lâmpada ). Tem também uma Proposta de Manutenção para cada plano, que indica as luminárias a manter para alcançar um determinado nível de segurança e conseguir uma manutenção mais económica. Teste funcional voluntário. Permite efectuar um teste funcional a uma luminária ou ao conjunto da instalação em qualquer momento. Relatório de estado da instalação. Permite obter um relatório impresso sobre o estado da instalação. Modificações na instalação. Permite gerir a desinstalação ou instalação de novas luminárias num edifício. Definição de zonas. Permite definir zonas na instalação. A partir do posto de controlo, podem ser definidas todas as zonas que pretender, com a finalidade de facilitar a identificação rápida de uma zona concreta, e controlar assim o índice de segurança de forma mais local. O Sistema DaisaTest garante que, em cada momento, apenas uma luminária efectuará o teste de autonomia dentro de uma mesma área, ficando as restantes luminárias da área disponíveis perante um possível corte na rede. Independentemente se o utilizador definir ou não zonas. Navegação. O DaisaTest dispõe de um sistema gráfico de navegação entre planos para aceder ao plano que pretende inspeccionar. Pesquisas. Permite pesquisar directamente um plano, uma luminária conhecendo o nome ou parte dele. Cada um destes elementos dispõe de um identificador (Nome do plano, nº de série) que pode ser pesquisado e visualizado a partir da informação que o utilizador dispõe. Colocação em repouso. Permite efectuar as funções de um telecomando convencional, para apagar ou reacender as emergências em caso de falha de rede, evitando a descarga das baterias. Acendimento global. Permite acender e apagar voluntariamente todas as luminárias de emergência, quer exista ou não uma falha de rede, com a finalidade de facilitar uma possível evacuação.

8 6 Sistema DaisaTest 3 ELEMENTOS DE UM SISTEMA DAISATEST Os elementos básicos de um Sistema DaisaTest são os seguintes: 3.1. Instalação e guia de cablagem O esquema de cablagem da alimentação (230V) e do BUS é reflectido no seguinte gráfico: Esquema eléctrico DAISATEST / TMA-1000, TMA-500 PARA OUTRAS CENTRAIS Central TMA-1000, TMA-500 RS232, Ethernet, GSM/GPRS Computador de controlo OPÇÃO 1 SECCIONADOR LINHA PRINCIPAL BUS OPÇÃO 2 SECCIONADOR LINHA PRINCIPAL BUS QUADRO ELÉCTRICO BUS PRINCIPAL BUS PRINCIPAL SBT-200 QUADRO ELÉCTRICO SBT-200 BUS SECCIONADO BUS SECCIONADO CE-1,2,3 CE-1 CE-2 CE-3 CE-1,2,3 LINHA SECUNDÁRIA BUS (PARA 50 LUMINÁRIAS MÁXIMO) LINHA SECUNDÁRIA BUS (PARA 50 LUMINÁRIAS MÁXIMO) LINHA SECUNDÁRIA BUS (PARA 50 LUMINÁRIAS MÁXIMO) LINHA SECUNDÁRIA BUS (PARA 50 LUMINÁRIAS MÁXIMO) LUMINÁRIAS DE EMERGÊNCIA (SÉRIE TCA) LUMINÁRIAS DE EMERGÊNCIA (SÉRIE TCA) LUMINÁRIAS DE EMERGÊNCIA (SÉRIE TCA) LINHA SECUNDÁRIA BUS (PARA 50 LUMINÁRIAS MÁXIMO) LINHA SECUNDÁRIA BUS (PARA 50 LUMINÁRIAS MÁXIMO) LINHA SECUNDÁRIA BUS (PARA 50 LUMINÁRIAS MÁXIMO) LINHA SECUNDÁRIA BUS (PARA 50 LUMINÁRIAS MÁXIMO) Guia para a cablagem Iluminação de emergência DaisaTest TMA-1000, TMA-500 Cablagem do BUS (ver esquema eléctrico) Utilizar o cabo Ref: BUS-TAM da Daisalux: Mangueira, livre de halogéneos, de dois cabos polarizados (um branco e outro vermelho), de 1,5 mm 2 de secção, resistência máxima de 16 ohm/km e capacidade máxima de 100pF/m (1kHz). Cumpre o Regulamento de Baixa Tensão, no capítulo 4.f) da ITC-BT-28. Em cada quadro eléctrico deve ser instalado um Seccionador Ref: SBT-200 da Daisalux por cada 200 luminárias de emergência. (ver esquema eléctrico). 1 Linha principal de BUS A linha Principal de BUS parte da central TMA-1000, TMA-500 e termina em cada quadro eléctrico, na entrada BUS Principal do Seccionador ref: SBT Linhas secundárias de BUS Cada Linha Secundária de BUS parte de uma das 4 saídas do Seccionador SBT-200 ( BUS Secundário ), e é ligada às entradas de Telecomando das luminárias de emergência. Não ligar mais de 50 luminárias por cada linha secundária de BUS.

9 7 Sistema DaisaTest 3.2. Luminárias de emergência Série TCA Numa instalação DaisaTest, devem ser instaladas luminárias de emergência da série TCA. As suas características são semelhantes às das luminárias habituais de iluminação de emergência, cumprindo as normas relacionadas. Adicionalmente, detectam e comunicam as seguintes falhas: - Bateria aberta. - Bateria em curto-circuito ou com tensão baixa. - Baixa capacidade de bateria (falha de autonomia). - Lâmpada de emergência danificada. - Falha de electrónica. - BUS com polaridade invertida. A luminária informa sobre o seu estado através dos pilotos led. Pode informar sobre as seguintes situações: Led OK - sinalização Led de Falha Significado Aceso Apagado Tudo OK Intermitente lento Apagado Teste de autonomia em curso Intermitente rápido Apagado Teste funcional em curso Aceso 1 impulso Falha de autonomia Aceso 2 impulsos Falha do tubo Apagado 3 impulsos Não carrega a bateria (bateria aberta) Aceso 4 impulsos Falha de electrónica, exige reparação Aceso Aceso Bateria em curto-circuito Intermitente depois de acender Intermitente depois de acender BUS com polaridade invertida inicial de 3 segundos inicial de 3 segundos ou Seccionador em OFF Apagado Apagado Sem rede Se uma luminária TCA não é ligada a uma central de controlo, ou se a comunicação entre ambos se danificar, continuará a efectuar todas as funções correctamente, incluindo os testes periódicos e a sinalização de falhas.

10 8 Sistema DaisaTest 3.3. BUS e seccionadores O cabo de bus é composto por dois condutores polarizados, um vermelho e outro branco, de 1,5 mm 2 de secção, resistência máxima de 16 ohm/km e capacidade máxima de 100pF/m (1kHz). Cumpre o Regulamento de Baixa Tensão, no capítulo 4.f) da ITC-BT-28. O seu material de isolamento é livre de halogéneos. A Daisalux oferece serviço imediato em rolos 100 e 500 metros com a sua referência BUS-TAM. Calha DIN 3 módulos 3.4. Central TMA-1000, TMA-500 Seccionador de BUS SBT Funcionamento básico A central de teste e manutenção automática TMA-1000, TMA-500 da Daisalux facilita a comunicação entre as luminárias e o computador de controlo. Através do Bus é possível comunicar com até 1000 luminárias de emergência no caso da TMA-1000 e 500 luminárias de emergência com a TMA-500. Comunica com o computador de controlo através da ligação RS232 (utilizar o KIT-RS232: 10 m de cabo paralelo e optoacoplador). Também é possível estabelecer comunicação entre a central TMA-1000, TMA-500 e o computador de controlo através de rede local Ethernet, fibra óptica, módulos GSM ou outros meios utilizando os adaptadores adequados. Ver kits disponíveis no catálogo Daisalux. Permite acender as luminárias ligadas se for fornecido um sinal 12 a 24Vdc na entrada Aux (por exemplo, procedente de uma central de incêndios). O comprimento do cabo de bus que vai desde a central até qualquer seccionador ligado ao seu bus não deve ultrapassar o quilómetro, para poder garantir uma comunicação correcta. O BUS facilita a comunicação entre as luminárias e a central TMA-1000, TMA-500. A partir da central TMA sai uma linha de bus (Linha Principal) que acede aos diferentes quadros eléctricos. Podem ser efectuadas as derivações pretendidas para aceder a cada quadro eléctrico utilizando o mínimo cabo de bus. O comprimento máximo de cabo de bus entre a central TMA e o seccionador mais afastado é de 1000 metros. Nos quadros eléctricos onde se encontram os interruptores magnetotérmicos que protegem os circuitos de alimentação da iluminação de emergência, são instalados os seccionadores de bus (ref: SBT-200). Um seccionador mede 72 mm de largura e é instalado em calha simétrica. Este dispositivo isola electricamente a linha Principal do Bus das linhas Secundárias de Bus, que são as que se ligam às luminárias de emergência. Os seccionadores de bus evitam que um curtocircuito ou uma ligação errada do bus se propague ao resto da instalação. Cada seccionador pode dar sinal a 200 luminárias como máximo. Podem ser instalados até 50 seccionadores no bus principal procedente de uma central. O comprimento máximo de cabo de bus entre um seccionador e a luminária mais afastada é de 1000 metros. O seccionador verifica em todos os momentos se ocorre um curto-circuito ou uma fuga nalguma linha secundária do BUS. Colocando em OFF, o seu interruptor envia um sinal às luminárias ligadas que provoca a intermitência dos seus pilotos de sinalização. Deste modo, o seccionador permite comprovar se as luminárias têm ligada correctamente a linha de BUS Características técnicas Tensão de alimentação: 230V 50Hz (consumo máximo: < 6 W) Comprimento máximo de BUS entre a central e os seccionadores: metros. Consumo: < 6 W Bateria interna (função de telecomando): NI-MH, 12 Vdc, 0,140 Ah IP 42, IK 02 (A central deve ser instalada no interior de um quadro eléctrico) Central TMA 82, Calha DIN 12 módulos 44 50

11

12 10 Sistema DaisaTest 3.5. Computador de Controlo. Software do Sistema DaisaTest Introdução Actualmente o Sistema DaisaTest é baseado em duas configurações básicas: - A- Com computador de controlo local: O computador de controlo está localizado na própria instalação. A comunicação entre a central TMA-1000, TMA-500 e o computador de controlo é efectuada de forma directa através de um cabo RS232, rede local ethernet... O controlo da instalação é directo e os dados não saem da própria instalação. É necessário instalar um computador de controlo com os acessórios apropriados, o cabo de comunicação e o software DaisaTestExport. - B- Com computador de controlo remoto e gestão por Internet: A central TMA-1000, TMA-500 comunica por GPRS com um computador remoto (propriedade da Daisalux). Este computador coloca na internet as páginas que reflectem o estado da instalação e permite consultar ou efectuar trabalhos de manutenção. O utilizador não necessita de um computador nem de software específico para efectuar a gestão de manutenção da instalação. A partir de qualquer computador com acesso à internet é possível efectuar a gestão da manutenção sem ter de instalar software específico. Computador de controlo O programa informático que é executado no computador de controlo é chamado DaisaTestExport. Para além do programa de controlo, o computador dispões de um directório com os arquivos que guardam os dados da instalação: Planos, pontos de luz, luminárias, números de série, históricos,... Durante o arranque do Sistema, o computador de controlo deve ser carregado com os ficheiros gráficos da instalação, e devem ser definidas as zonas pretendidas pelo utilizador, e a localização e nº de série das luminárias.. Nota: Normalmente a Daisalux propõe e fornece o computador de controlo com todos os acessórios (kits) necessários e o programa DaisaTestExport. Também propõe o arranque do computador de controlo e a formação da utilização Descrição geral do software DaisaTestExport O DaisaTestExport é um programa de computador que permite a visualização gráfica e o controlo de uma instalação de iluminação de emergência. O DaisaTestExport apresenta os planos da instalação com as luminárias de emergência representadas através de um símbolo que expressa o seu estado actual: Luminária correcta, falha de lâmpada, falha de autonomia... Gera relatórios gráficos de estado e falhas da instalação. Oferece o índice de segurança da instalação em cada uma das suas dependências. Informa sobre a necessidade de reparação ou manutenção nos planos cujo índice de segurança não alcança o mínimo estabelecido, ajudando à localização das zonas ou planos afectados. Facilita as propostas de manutenção ajustadas aos objectivos de segurança pretendidos pelo utilizador. Permite: Estabelecer os períodos de Teste Funcional e de Autonomia. Configurar a hora de execução do Teste. Conhecer o histórico de autonomias de cada luminária. Conhecer o histórico do índice de segurança da instalação, de cada plano e de cada luminária. Estado actual de cada luminária. Acender e apagar a iluminação de emergência de forma voluntária. Executar testes funcionais numa só luminária ou num grupo, por iniciativa do responsável de manutenção. Programar testes de autonomia. Conhecer o estado de comunicação das centrais TMA-1000, TMA-500. Regista Automaticamente as seguintes incidências: Falhas de lâmpada, autonomia, bateria aberta e em curto-circuito, falhas eléctricos gerais e de comunicação de cada luminária. Correcções das falhas anteriores. Se existirem várias centrais instaladas, podem ser controladas a partir do mesmo computador.

13 11 Sistema DaisaTest Estado da instalação O ecrã inicial apresentado pelo DaisaTestExport é o seguinte: Este ecrã oferece os dados gerais da instalação de iluminação de emergência. Permite configurar os Testes automáticos: Hora do teste. Período do teste funcional. Período do teste de autonomia. Permite estabelecer os Níveis de aviso: Aviso de manutenção. Aviso de insegurança. Falha de autonomia. Permite conhecer o estado geral da instalação: O Índice de Segurança geral de toda a instalação. Nº de planos com aviso de manutenção, inseguros, com zonas que necessitam de manutenção... Luminárias registadas. Resumem a manutenção pendente. Gráfico da evolução do Índice de Segurança ao longo do tempo. Impressão do estado geral da instalação de iluminação de emergência Planos da instalação Se seleccionarmos o separador Planos de edifícios e plantas, aparecerá um ecrã que permite a visualização de todos os planos que compõem a instalação. A barra da esquerda abre e fecha um painel que facilita a pesquisa de luminárias e planos. Neste plano vemos de forma gráfica a situação de cada uma das luminárias e o seu estado. Estes planos podem ser impressos para facilitar a manutenção ou reparação das luminárias com falha. Para optimizar os trabalhos de manutenção, podemos solicitar uma Proposta de Manutenção (premir ) e o DaisaTestExport propõe as tarefas concretas de manutenção necessárias para conseguir um nível de segurança determinado pelo utilizador. Desta forma evita mudar as baterias que não cumprem a sua autonomia por poucos minutos. Os níveis de aviso de manutenção e de insegurança podem ser configurados na parte inferior do plano. O painel da esquerda permite: Procurar planos pelo seu nome e luminárias pelo seu número de série. Seleccionar os planos com aviso de manutenção ou de insegurança. Seleccionar planos com zonas com aviso de manutenção ou de insegurança. Introduzir novos planos na instalação. Se fizer clique duplo sobre uma luminária acede à sua ficha.

14 12 Sistema DaisaTest Código de cores da luminária O estado de cada luminária da instalação é representado através de um desenho esquemático da luminária, onde estão coloridas as várias zonas para identificar o seu estado: O código de cores pode ser consultado na tabela a seguir: Código de cores Exemplos Lâmpada Piloto de carga Bateria Luminária Comunicação Esquema de cores Ponto de luz sem luminária atribuída (sem nº de série) Luminária que ainda não comunicou com a central Luminária em perfeito funcionamento Luminária com falta de tubo, de autonomia e que perdeu a comunicação com a central de forma temporária Lâmpada Sem dados OK Lâmpada fundida Acesa: teste funcional ou entrada AUX Fim de descarga próximo Luminária Sem dados OK Falha eléctrica geral Bateria Sem dados OK Autonomia insuficiente Bateria aberta ou em curto-circuito Comunicação Sem dados OK Ausência temporária de comunicação Falha de comunicação Falha de comunicação na central Piloto de carga Sair Aceso: rede presente, circuito da bateria OK Apagado: rede ausente ou bateria aberta

15 13 Sistema DaisaTest Ficha do Ponto de Luz - Luminária Se fizermos clique duplo numa das luminárias do plano podemos ver a sua ficha Relatórios O DaisaTestExport permite imprimir relatórios que certificam a correcta manutenção da instalação: - Relatório de estado da instalação Imprime um resumo com os dados necessários para certificar o estado da instalação: Dados gerais: contagem de luminárias, planos, centrais e pontos de luz. Configuração dos níveis de aviso de manutenção e segurança. Índice de segurança global e por planos. Resumo de falhas da instalação (número de luminárias com falha de tubo, com falha de autonomia). Gráfico do Índice de Segurança Global ao longo de um ano. - Relatório de um plano Imprime o gráfico do plano O plano com a situação das luminárias e falhas existentes pode servir como ajuda na altura de efectuar uma reparação. - Proposta de manutenção O DaisaTestExport propõe as tarefas de manutenção adequadas para alcançar um determinado nível de segurança seleccionado pelo utilizador, e permite imprimir a lista de reposições necessária para efectuar a manutenção do plano. Esta proposta procura optimizar a relação "segurança na instalação"/ "custo de manutenção" Definições Índice de segurança de uma luminária: Cada luminária tem atribuído um índice de segurança que pontua de 1 a 100% o seu funcionamento. Luminária em perfeito funcionamento => 100% Falha do tubo, Bateria aberta, Falha eléctrica => 0% Falha de autonomia Autonomia > X% do valor nominal => índice=x% Por exemplo: Autonomia 40% do valor nominal => índice=40% Autonomia 20% do valor nominal=> índice=20% Falha de comunicação Perde 1% / dia. Índice de segurança da instalação: O índice de segurança da instalação é uma percentagem 0-100% que indica a segurança de funcionamento da iluminação de emergência. É calculada com a média dos índices de segurança das luminárias. Índice de segurança do plano: É uma percentagem 0-100% que indica a segurança de funcionamento da iluminação de emergência instalada nesse plano. É calculado com uma média dos índices de segurança das luminárias instaladas nos pontos de luz definidos nesse plano.

16 ELECTRICAL GROUP DAISALUX, S.A.U. - Polígono Industrial Júndiz - C/Ibarredi, 4 Apdo Vitoria-Gasteiz (Espanha) Tel. 0034/ Fax: 0034/ O DaisaTest foi criado e patenteado pela Daisalux, S.A.U, sendo a sua utilização exclusiva desta empresa. - Edição 1 - Revisão 4. 16/01/08

Programa de cálculo / Daisa Ver 5.0

Programa de cálculo / Daisa Ver 5.0 Programa de cálculo / Daisa Ver 5.0 Software desenvolvido para criar projectos de iluminação de emergência com grande precisão. Optimiza o custo dos projectos e cumpre com total segurança as normativas

Leia mais

Central de Detecção de Incêndio 4 Zonas Manual de Instalação

Central de Detecção de Incêndio 4 Zonas Manual de Instalação Central de Detecção de Incêndio 4 Zonas Manual de Instalação Características Quatro zonas com capacidade de teste/isolamento. Dois circuitos de alarme com possibilidade de isolamento. Fonte de alimentação

Leia mais

Módulo de Alimentação de Controlo do Motor LQSE-4M-D Controlador de Motor CA 4 saídas. Unidade do. Painel de parede seetouch QSR.

Módulo de Alimentação de Controlo do Motor LQSE-4M-D Controlador de Motor CA 4 saídas. Unidade do. Painel de parede seetouch QSR. LUTRON Módulo de de Controlo do Motor Controlador de Motor CA 4 saídas Módulo de de Controlo do Motor O módulo de alimentação de controlo do motor consiste numa interface que disponibiliza a integração

Leia mais

ILUMINAÇÃO DE SEGURANÇA

ILUMINAÇÃO DE SEGURANÇA ILUMINAÇÃO DE CIRCULAÇÃO OU DE EVACUAÇÃO Tem como objectivo permitir a evacuação das pessoas em segurança, garantindo ao longo dos caminhos de evacuação condições de visão e de evacuação adequadas e possibilitar

Leia mais

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter Powerline Adapter Note! Não expor o Powerline Adapter a temperaturas extremas. Não deixar o dispositivo sob a luz solar directa ou próximo a elementos aquecidos. Não usar o Powerline Adapter em ambientes

Leia mais

MANUAL DE CONSULTA RÁPIDA DO MODEM OPTIONS FOR NOKIA 7650. Copyright 2002 Nokia. Todos os direitos reservados 9354493 Issue 2

MANUAL DE CONSULTA RÁPIDA DO MODEM OPTIONS FOR NOKIA 7650. Copyright 2002 Nokia. Todos os direitos reservados 9354493 Issue 2 MANUAL DE CONSULTA RÁPIDA DO MODEM OPTIONS FOR NOKIA 7650 Copyright 2002 Nokia. Todos os direitos reservados 9354493 Issue 2 Índice 1. INTRODUÇÃO...1 2. INSTALAR O MODEM OPTIONS FOR NOKIA 7650...1 3. SELECCIONAR

Leia mais

Guia de Definições de Wi-Fi

Guia de Definições de Wi-Fi Guia de Definições de Wi-Fi uu Introdução Existem dois modos de wireless LAN: modo de infra-estrutura para ligação através de um ponto de acesso e modo ad-hoc para estabelecer ligação directa com um equipamento

Leia mais

Protecção contra sobretensões. Descarregadores de sobretensões

Protecção contra sobretensões. Descarregadores de sobretensões Protecção contra Descarregadores Protecção contra As podem muitas vezes causar danos irreparáveis nas instalações eléctricas, bem como, nos equipamentos eléctricos e electrónicos. Os descarregadores são

Leia mais

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

EBS ETAP Central Battery Systems

EBS ETAP Central Battery Systems EBS ETAP Central Battery Systems A gama de EBS da ETAP faculta sistemas de bateria centrais para instalações de iluminação de emergência e os seus diversos produtos podem ser utilizados em grandes e pequenos

Leia mais

Internet Update de PaintManager TM. Manual de instalação e utilização do programa de actualização

Internet Update de PaintManager TM. Manual de instalação e utilização do programa de actualização Internet Update de PaintManager TM Manual de instalação e utilização do programa de actualização ÍNDICE O que é o programa Internet Update? 3 Como se instala e executa o programa? 3 Aceder ao programa

Leia mais

2 Zonas com capacidade de teste e inibição. 2 Circuitos de sirenes com capacidade de inibição. Fonte de alimentação de 24V/400mA com bateria de

2 Zonas com capacidade de teste e inibição. 2 Circuitos de sirenes com capacidade de inibição. Fonte de alimentação de 24V/400mA com bateria de Central de Detecção de Incêndio de 2 Zonas Características 2 Zonas com capacidade de teste e inibição. 2 Circuitos de sirenes com capacidade de inibição. Fonte de alimentação de 24V/400mA com bateria de

Leia mais

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter Powerline Adapter Note! Não expor o Powerline Adapter a temperaturas extremas. Não deixar o dispositivo sob a luz solar directa ou próximo a elementos aquecidos. Não usar o Powerline Adapter em ambientes

Leia mais

Controlo de iluminação local multifuncional

Controlo de iluminação local multifuncional Controlo de iluminação local multifuncional I Controlo de iluminação local multifuncional A nível mundial, sensivelmente 20 % do consumo total de energia diz respeito à iluminação. Dependendo do tipo de

Leia mais

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO DOMINE A 110% ACCESS 2010 A VISTA BACKSTAGE Assim que é activado o Access, é visualizado o ecrã principal de acesso na nova vista Backstage. Após aceder ao Access 2010, no canto superior esquerdo do Friso,

Leia mais

ZS Rest. Manual Avançado. Menus. v2011 - Certificado

ZS Rest. Manual Avançado. Menus. v2011 - Certificado Manual Avançado Menus v2011 - Certificado 1 1. Índice 2. Introdução... 2 3. Iniciar o ZSRest... 3 4. Menus... 4 b) Novo Produto:... 5 i. Separador Geral.... 5 ii. Separador Preços e Impostos... 7 iii.

Leia mais

O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS

O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS O Windows funciona como um Sistema Operativo, responsável pelo arranque do computador. Um computador que tenha o Windows instalado, quando arranca, entra directamente

Leia mais

Ambiente de trabalho. Configurações. Acessórios

Ambiente de trabalho. Configurações. Acessórios Ambiente de trabalho Configurações Acessórios O Sistema Operativo (SO) é o conjunto de programas fundamentais que permitem que o computador funcione e comunique com o exterior. Actualmente, o Windows é

Leia mais

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 10898 DA ABNT

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 10898 DA ABNT ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA JUNTO A DGST REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 10898 DA ABNT ANÁLISE E VISTORIA DOS SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA Objetivo

Leia mais

Guia de Instalação do Software

Guia de Instalação do Software Guia de Instalação do Software Este manual explica como instalar o software através de uma ligação USB ou de rede. A ligação de rede não se encontra disponível para os modelos SP 200/200S/203S/203SF/204SF.

Leia mais

Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A.

Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A. WinREST Sensor Log A Restauração do Séc. XXI WinREST Sensor Log Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A. 2 WinREST Sensor Log Índice Índice Pag. 1. WinREST Sensor Log...5 1.1. Instalação (aplicação ou serviço)...6

Leia mais

Acronis Servidor de Licença. Manual do Utilizador

Acronis Servidor de Licença. Manual do Utilizador Acronis Servidor de Licença Manual do Utilizador ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 Descrição geral... 3 1.2 Política de licenças... 3 2. SISTEMAS OPERATIVOS SUPORTADOS... 4 3. INSTALAR O SERVIDOR DE LICENÇA

Leia mais

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador Viva o momento 3 4 5 5 6 6 7 8 9 12 12 14 16 17 18 19 20 21 22 22 23 23 24 24 24 25 26 27 Ligar o Router LEDs Configuração do Router Aceder à ferramenta de configuração

Leia mais

MANUAL REDE CABEADA UTP

MANUAL REDE CABEADA UTP MANUAL REDE CABEADA UTP volt.ind.br 1-QUADRO COMPLETO 2-DISJUNTOR 3-PROTETOR ELÉTRICO 4-FONTE PRIMÁRIA VT 800 5-BATERIAS 6-PD (PONTO DE DISTRIBUIÇÃO) volt.ind.br Pág. 1 1-QUADRO COMPLETO: Equipado por

Leia mais

Manual Brother Image Viewer para Android

Manual Brother Image Viewer para Android Manual Brother Image Viewer para Android Versão 0 POR Definições de notas Ao longo deste Manual do Utilizador, é utilizado o seguinte ícone: NOTA As Notas indicam o que fazer perante uma determinada situação

Leia mais

Guia de Definições de Wi-Fi

Guia de Definições de Wi-Fi Guia de Definições de Wi-Fi Série SP 212/SP 213 Introdução Existem dois modos wireless LAN: modo de infraestrutura para estabelecer uma ligação através de um ponto de acesso e modo ad-hoc para estabelecer

Leia mais

SAMUO APP: MANUAL DO ADMINISTRADOR

SAMUO APP: MANUAL DO ADMINISTRADOR as novas tecnologias ao serviço do desenvolvimento de projectos w w w. i m a d i p. c o m CABO VERDE: REALIZAÇÃO DE UMA ACÇÃO- PILOTO PARA A MELHORIA DA GESTÃO NUM GABINETE TÉCNICO SELECCIONADO OFITEC

Leia mais

Guia de Instalação de Software

Guia de Instalação de Software Guia de Instalação de Software Este manual explica como instalar o software através de uma ligação USB ou de rede. A ligação de rede não se encontra disponível para os modelos SP 200/200S/203S/203SF/204SF.

Leia mais

Manual do utilizador. Aplicação de agente

Manual do utilizador. Aplicação de agente Manual do utilizador Aplicação de agente Versão 8.0 - Otubro 2010 Aviso legal: A Alcatel, a Lucent, a Alcatel-Lucent e o logótipo Alcatel-Lucent são marcas comerciais da Alcatel-Lucent. Todas as outras

Leia mais

Referencial do Módulo B

Referencial do Módulo B 1 Referencial do Módulo B Liga, desliga e reinicia correctamente o computador e periféricos, designadamente um scanner; Usa o rato: aponta, clica, duplo-clique, selecciona e arrasta; Reconhece os ícones

Leia mais

Guia rápido do utilizador

Guia rápido do utilizador Guia rápido do utilizador Índice Relatório de roubo 3 Criar um novo relatório de roubo 4 Fornecer detalhes do relatório de roubo Secção 1. Especificar o computador 5 Fornecer detalhes do relatório de roubo

Leia mais

Manual de início rápido

Manual de início rápido Manual de início rápido VDV Commander TM VDV501-097 PORTUGUÊS Testa cabos Mede comprimento de cabos com TDR Detecta falhas Detecta e mede PoE Localiza e identifica cabos Testa rede ativa Salva e imprime

Leia mais

POL-100. Dispositivo de diagnóstico. Manual de utilizador. Verificação do loop analógico

POL-100. Dispositivo de diagnóstico. Manual de utilizador. Verificação do loop analógico Honeywell Life Safety Iberia C/Pau Vila, 15-19 08911 BADALONA (BARCELONA) Tel.: 93 497 39 60 Fax: 93 465 86 35 www.honeywelllifesafety.es Dispositivo de diagnóstico POL-100 Verificação do loop analógico

Leia mais

Controlador do Grupo do Motor QS QSE-CI-4M-D Controlador de Motor CA 4 Saídas. Unidade Energi Savr NodeTM. Painel de parede seetouch QSR.

Controlador do Grupo do Motor QS QSE-CI-4M-D Controlador de Motor CA 4 Saídas. Unidade Energi Savr NodeTM. Painel de parede seetouch QSR. LUTRON LUTRON R Controlador do Grupo do Motor QS QSE-CI-4M-D Controlador de Motor CA 4 Saídas Controlador do Grupo do Motor QS O controlador do grupo do motor QS consiste numa interface que disponibiliza

Leia mais

Manual do utilizador CONTROLADORES DC50 & DM50

Manual do utilizador CONTROLADORES DC50 & DM50 Manual do utilizador CONTROLADORES DC50 & DM50 ROOFTOP & AIRCOOLAIR Providing indoor climate comfort DC50_DM50-ROOFTOP-IOM-1008-P CONTROLADORES DC50 & DM50 Rooftop e Aircoolair MANUAL DO UTILIZADOR Ref:DC50_DM50-RoofTop-IOM-1008-P

Leia mais

EM398x-R1 UPS 600-1000-1600VA

EM398x-R1 UPS 600-1000-1600VA EM398x-R1 UPS 600-1000-1600VA EM398X-R1 - UPS 600-1000-1600VA 2 PORTUGUÊS Índice 1.0 Introdução... 2 1.1 Funções e funcionalidades... 2 1.2 Conteúdo da embalagem... 3 1.3 Ligar a UPS... 3 2.0 Software

Leia mais

Contadores de energia

Contadores de energia módulo Permitem a medição de energia em redes monofásicas, fazendo a leitura directa até A. Existe uma versão com saída impulsional. A grande vantagem destes produtos é a sua reduzida dimensão, de apenas

Leia mais

Regulamento de utilização Centros Informáticos 2008/2009

Regulamento de utilização Centros Informáticos 2008/2009 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO EQUIPAMENTO INFORMÁTICO SALA 15 E LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA BLOCO 4 1 1 Introdução Este regulamento destina-se a promover uma utilização mais racional, disciplinada e eficiente

Leia mais

Guia de utilização do software. universal GPRS M-300.

Guia de utilização do software. universal GPRS M-300. Guia de utilização do software Programador do módulo universal GPRS M-300. JFL Equipamentos Eletrônicos Ind. e Com. Ltda. Rua: João Mota, 471 - Bairro: Jardim das Palmeiras Santa Rita do Sapucaí - MG CEP:

Leia mais

HOMEPLUG ADAPTER STARTER KIT

HOMEPLUG ADAPTER STARTER KIT HOMEPLUG ADAPTER STARTER KIT 200 MBPS MANUALE NI-707525 PORTUGUES HOMEPLUG ADAPTER STARTER KIT 200 MBPS Primeiramente, obrigado por adquirir o adaptador Homeplug ICIDU. Com este adaptador Homeplug de 200

Leia mais

Software de aplicação Tebis

Software de aplicação Tebis 5 Software de aplicação Tebis TL304C V 1 x 4 entradas TL310A V 1 x 10 entradas TL302B V 1 x 2 entradas TL304B V 1 x 4 entradas Referência do produto TXA304 TXA310 TXB302 TXB304 Descrição Módulo 4 entradas

Leia mais

Microcat Authorisation Server (MAS ) Guia do utilizador

Microcat Authorisation Server (MAS ) Guia do utilizador Microcat Authorisation Server (MAS ) Guia do utilizador Índice Introdução... 2 Instalar o Microcat Authorisation Server (MAS)... 3 Configurar o MAS... 4 Opções de licença... 4 Opções de Internet... 5 Gestor

Leia mais

Manual de utilização do módulo NSE METH-8RL/Exp

Manual de utilização do módulo NSE METH-8RL/Exp INSTALAÇÃO 1 - Baixe o arquivo Software Configurador Ethernet disponível para download em www.nse.com.br/downloads-manuais e descompacte-o em qualquer pasta de sua preferência. 2 - Conecte a fonte 12Vcc/1A

Leia mais

Manual. Controle de motores via Bluetooth. William Trevine

Manual. Controle de motores via Bluetooth. William Trevine A Manual Controle de motores via Bluetooth 1 William Trevine Sumário 1 Introdução... 4 2 Características... 5 3 Instalação... 6 3.1 Alimentação... 7 3.2 Motores... 8 3.3 Liga e desliga... 9 3.4 Saídas

Leia mais

SISTEMA DIGITAL 2 FIOS NOVA SOLUÇÃO ÁUDIO TECNOLOGIA 2 FIOS

SISTEMA DIGITAL 2 FIOS NOVA SOLUÇÃO ÁUDIO TECNOLOGIA 2 FIOS SISTEMA DIGITAL 2 FIOS NOVA SOLUÇÃO ÁUDIO TECNOLOGIA 2 FIOS Sistema digital 2 fios A solução mais simples Devido à solução de cablagem, utilizando 2 Fios não polarizados A ligação torna-se mais simples

Leia mais

E B I / J I d e T Á V O R A

E B I / J I d e T Á V O R A E B I / J I d e T Á V O R A R E G U L A M E N T O D E U T I L I Z A Ç Ã O D O S COMPUTA D O R E S PO R T Á T E I S O objectivo deste documento é regulamentar todas as actividades curriculares desenvolvidas,

Leia mais

CÂMARA DE VIGILÂNCIA DE REDE AVANÇADA COM ABÓBODA MANUAL DE INSTALAÇÃO

CÂMARA DE VIGILÂNCIA DE REDE AVANÇADA COM ABÓBODA MANUAL DE INSTALAÇÃO CÂMARA DE VIGILÂNCIA DE REDE AVANÇADA COM ABÓBODA MANUAL DE INSTALAÇÃO Ler estas instruções na sua totalidade antes de colocar em funcionamento e devem ser guardadas para consulta futura. 1. GENERALIDADES

Leia mais

DATA LOGGERS SÉRIE SIMPLE LOGGER II

DATA LOGGERS SÉRIE SIMPLE LOGGER II DATA LOGGERS SÉRIE SIMPLE LOGGER II Modos de programação de registo; Intervalos de registo programáveis; Capacidade de memória para 240.000 medidas; Alimentação por pilhas alcalinas; Ligação a computador

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Sensor / Detector de Fumaça Óptico Endereçável 04 Níveis de Detecção Com Módulo Isolador - Código: AFS130IS. (Uso Conjunto às Centrais de Alarme da Série IRIS). O detector de fumaça código AFS130IS é um

Leia mais

LW056 SWEEX WIRELESS LAN PC CARD 54 MBPS. O Windows detectará automaticamente o aparelho e aparecerá a seguinte janela.

LW056 SWEEX WIRELESS LAN PC CARD 54 MBPS. O Windows detectará automaticamente o aparelho e aparecerá a seguinte janela. Instalação em Windows 2000 e XP LW056 SWEEX WIRELESS LAN PC CARD 54 MBPS O Windows detectará automaticamente o aparelho e aparecerá a seguinte janela. Seleccione a opção Não, desta vez não ( No, not this

Leia mais

Novo Order Manager para o Software NobelProcera

Novo Order Manager para o Software NobelProcera Novo Order Manager para o Software NobelProcera Guia Rápido Versão 1 O novo Order Manager facilita mais os processos e procedimentos envolvidos nas encomendas através do sistema NobelProcera. Isto inclui

Leia mais

VM Card. Referência das Definições Web das Funções Avançadas. Manuais do Utilizador

VM Card. Referência das Definições Web das Funções Avançadas. Manuais do Utilizador VM Card Manuais do Utilizador Referência das Definições Web das Funções Avançadas 1 Introdução 2 Ecrãs 3 Definição de Arranque 4 Informações de Função Avançada 5 Instalar 6 Desinstalar 7 Ferramentas do

Leia mais

Beem Light. Manual de Operações

Beem Light. Manual de Operações Beem Light Manual de Operações Características Lâmpada de Sinalização Interna Suporte de 16 Sensores Wireless 1.000.000 de Códigos RF para alta segurança Comunicação e Controlo por Telemóvel Envio de alarme

Leia mais

MANUAL DE CONSULTA RÁPIDA DO NOKIA MODEM OPTIONS. Copyright 2003 Nokia. Todos os direitos reservados 9356515 Issue 1

MANUAL DE CONSULTA RÁPIDA DO NOKIA MODEM OPTIONS. Copyright 2003 Nokia. Todos os direitos reservados 9356515 Issue 1 MANUAL DE CONSULTA RÁPIDA DO NOKIA MODEM OPTIONS Copyright 2003 Nokia. Todos os direitos reservados 9356515 Issue 1 Índice 1. INTRODUÇÃO...1 2. INSTALAR O NOKIA MODEM OPTIONS...1 3. LIGAR O NOKIA 6600

Leia mais

Manual Gespos SMS. (ultima revisão 20 Fev. 2003)

Manual Gespos SMS. (ultima revisão 20 Fev. 2003) Manual Gespos SMS (ultima revisão 20 Fev. 2003) Prezado Utilizador, É objectivo deste manual servir de ferramenta de formação para que o utilizador dos aplicativos Escripóvoa, possa de uma forma simples

Leia mais

Controlo de iluminação integrado. ELS - MDS - EMD - feito à medida

Controlo de iluminação integrado. ELS - MDS - EMD - feito à medida Controlo de iluminação integrado ELS - MDS - EMD - feito à medida Controlo de iluminação integrado Brilhante na sua simplicidade Controlo de iluminação integrado significa que o controlo de toda a iluminação

Leia mais

Utilizar o Microsoft Offi ce OneNote 2003: Iniciação rápida

Utilizar o Microsoft Offi ce OneNote 2003: Iniciação rápida Utilizar o Microsoft Offi ce OneNote 2003: Iniciação rápida Utilizar a iniciação ao OneNote 1 O MICROSOFT OFFICE ONENOTE 2003 OPTIMIZA A PRODUTIVIDADE AO PERMITIR QUE OS UTILIZADORES CAPTEM, ORGANIZEM

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL Automatização do processo de Controlo Ambiental Auto-controlo ambiental Sendo a Indústria que detém fontes poluidoras (Cimenteiras, Produção de energia, Incineradoras, etc.), uma das mais intervenientes

Leia mais

Enunciados dos Trabalhos de Laboratório. Instituto Superior Técnico - 2005/2006. 1 Introdução. 2 Configuração de Redes

Enunciados dos Trabalhos de Laboratório. Instituto Superior Técnico - 2005/2006. 1 Introdução. 2 Configuração de Redes Enunciados dos Trabalhos de Laboratório Instituto Superior Técnico - 2005/2006 1 Introdução A empresa XPTO vende serviços de telecomunicações. O seu portfólio de serviço inclui: acesso à Internet; serviço

Leia mais

Solução de Telecontagem. Gestão de Contratos. Esta solução é indicada para sistemas de contagem de caudal usando um mínimo de recursos.

Solução de Telecontagem. Gestão de Contratos. Esta solução é indicada para sistemas de contagem de caudal usando um mínimo de recursos. Solução de Telecontagem Esta solução é indicada para sistemas de contagem de caudal usando um mínimo de recursos. Os Dataloggers utilizados neste sistema, dispensam a necessidade de rede elétrica. Para

Leia mais

UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Ambiente Gráfico Configurações Acessórios O Sistema Operativo (SO) é o conjunto de programas fundamentais que permitem que o computador funcione e que comunique com o exterior. Actualmente o Windows é

Leia mais

Manual de Instalação... 2 RECURSOS DESTE RELÓGIO... 3 1 - REGISTRANDO O ACESSO... 4 1.1 Acesso através de cartão de código de barras:...

Manual de Instalação... 2 RECURSOS DESTE RELÓGIO... 3 1 - REGISTRANDO O ACESSO... 4 1.1 Acesso através de cartão de código de barras:... 0 Conteúdo Manual de Instalação... 2 RECURSOS DESTE RELÓGIO... 3 1 - REGISTRANDO O ACESSO... 4 1.1 Acesso através de cartão de código de barras:... 4 1.2 Acesso através do teclado (digitando a matrícula):...

Leia mais

TA ISA V1.0 Alarme Instalações Sanitárias Acessíveis

TA ISA V1.0 Alarme Instalações Sanitárias Acessíveis Descrição Geral TA ISA V1.0 Alarme Instalações Sanitárias Acessíveis O TA ISA foi concebido para cumprir a legislação em vigor nomeadamente o DL. 163/2006 no seu art. 2.9.15 abaixo transcrito. Possui no

Leia mais

EMS-C Baterias de condensadores estáticas

EMS-C Baterias de condensadores estáticas Compensação da Energia Reactiva e Filtragem de Harmónicas EMS-C Baterias de condensadores estáticas Tecnologia para a eficiência energética Precisão, rapidez e fiabilidade ao seu alcance Precisão Ausência

Leia mais

Relatório SHST - 2003

Relatório SHST - 2003 Relatório da Actividade dos Serviços de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Relatório SHST - 2003 Programa de Validação e Encriptação Manual de Operação Versão 1.1 DEEP Departamento de Estudos, Estatística

Leia mais

EXCELLUM. Sistema de controlo de iluminação e gestão de energia endereçável DALI. Excellum Network

EXCELLUM. Sistema de controlo de iluminação e gestão de energia endereçável DALI. Excellum Network EXCELLUM Excellum Network DALI Sistema de controlo de iluminação e gestão de energia endereçável O EXCELLUM COMBINA POUPANÇA COM CONFORTO NA ILUMINAÇÃO O Excellum é um sistema de controlo de iluminação

Leia mais

ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA QUALISTAR MODELO CA 8332

ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA QUALISTAR MODELO CA 8332 ANALISADOR DE QUALIDADE DE ENERGIA QUALISTAR MODELO CA 8332 Especialmente concebido para serviços de controlo e manutenção de edifícios industriais ou administrativos, o Qualistar CA 8332 permite obter

Leia mais

WINDOWS. O Windows funciona como um Sistema Operativo, responsável pelo arranque do computador.

WINDOWS. O Windows funciona como um Sistema Operativo, responsável pelo arranque do computador. WINDOWS O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS O Windows funciona como um Sistema Operativo, responsável pelo arranque do computador. Um computador que tenha o Windows instalado, quando arranca, entra directamente

Leia mais

Módulo de Administração de Utilizadores

Módulo de Administração de Utilizadores base Módulo de Administração de Utilizadores Versão 2.0 Manual do utilizador Janeiro 2002 Ficha técnica Título BIBLIObase : Módulo de Administração de Utilizadores: versão 2.0 : manual do utilizador Autores

Leia mais

ZSRest. Manual Profissional. Comandos Rádio X64. V2011-Certificado

ZSRest. Manual Profissional. Comandos Rádio X64. V2011-Certificado Manual Profissional Comandos Rádio X64 V2011-Certificado 1 1. Índice 2. INTRODUÇÃO... 2 3. Configuração inicial... 3 4. Configurações X64... 5 a) Definições Gerais... 5 b) Documentos e Periféricos... 8

Leia mais

1 Ajuda da Internet M vel Clix

1 Ajuda da Internet M vel Clix 1 Ajuda da Internet M vel Clix Descrição geral Esta aplicação permite Ligar/Desligar por intermédio de uma PC Card / Modem USB. Janela principal da Internet M vel Clix Indica o estado de roaming Minimizes

Leia mais

Rede Autónoma Wireless Owlet Controlador de Luminária LuCo-AD 1-10V/DALI Ficha Técnica

Rede Autónoma Wireless Owlet Controlador de Luminária LuCo-AD 1-10V/DALI Ficha Técnica Descrição O LuCo-AD é um controlador inteligente e autónomo preparado para ser instalado numa luminária de exterior com aplicação residencial, viária e urbana. LuCo-AD controla o Driver/Balastro através

Leia mais

A Gestão operacional total da clínica ou consultório

A Gestão operacional total da clínica ou consultório Descritivo completo Clínica 2008 A Gestão operacional total da clínica ou consultório Benefícios Fácil de utilizar; Totalmente integrada com o restante Software PHC; Maior eficiência na Gestão de Marcações;

Leia mais

Java Mail Server. Manual do Utilizador

Java Mail Server. Manual do Utilizador Java Mail Server Manual do Utilizador Introdução às Redes e Comunicações 2002/2003 Java Mail Client Janela de Ligação O Java Mail Client (JMC), assim que é inicializado, mostra uma janela que irá possibilitar

Leia mais

Manual de instruções / Certificado de garantia Controlador CCL-PC

Manual de instruções / Certificado de garantia Controlador CCL-PC Manual de instruções / Certificado de garantia Controlador CCL-PC REV1 03/2015 Índice - 1 Introdução...2-1.1 Especificações...2-1.2 Características......3-1.3 Guia de uso e operação...3-1.4 Cabo de rede

Leia mais

Boot Camp Manual de Instalação e Configuração

Boot Camp Manual de Instalação e Configuração Boot Camp Manual de Instalação e Configuração Índice 3 Introdução 4 Descrição geral da instalação 4 Passo 1: Verificar se existem actualizações 4 Passo 2: Preparar o computador Mac para o Windows 4 Passo

Leia mais

Boot Camp Manual de Instalação e Configuração

Boot Camp Manual de Instalação e Configuração Boot Camp Manual de Instalação e Configuração Conteúdo 3 Introdução 3 Do que necessita 4 Descrição geral da instalação 4 Passo 1: Procurar actualizações 4 Passo 2: Preparar o computador Mac para o Windows

Leia mais

NRS 1-8. Instruções de funcionamento 810167-01 Interruptor de nível GESTRA NRS 1-8

NRS 1-8. Instruções de funcionamento 810167-01 Interruptor de nível GESTRA NRS 1-8 Instruções de funcionamento 810167-01 Interruptor de nível GESTRA NRS 1-8 Circuito de segurança do queimador Rede Fig. 1 Rede Circuito de segurança do queimador Fig. 2 U 1-2 submerso emerso avaria 2 V

Leia mais

Sistema de chamadas e de alarme por voz Plena da Bosch O caminho mais rápido para a segurança

Sistema de chamadas e de alarme por voz Plena da Bosch O caminho mais rápido para a segurança Sistema de chamadas e de alarme por voz Plena da Bosch O caminho mais rápido para a segurança 2 Sistema de chamadas e de alarme por voz Plena da Bosch O caminho mais rápido para a segurança A gama de sistemas

Leia mais

Localização do termostato 14 Posicionamento e instalação do sensor 14. Instalação eléctrica normal 15 Montagem do termostato na caixa de parede 16

Localização do termostato 14 Posicionamento e instalação do sensor 14. Instalação eléctrica normal 15 Montagem do termostato na caixa de parede 16 ÍNDICE INTRODUÇÃo 13 Especificações técnicas 14 POSICIONAMENTO DO TERMOSTATO E DO SENSOR 14 Localização do termostato 14 Posicionamento e instalação do sensor 14 INSTALAÇÃO 15 Instalação eléctrica normal

Leia mais

EM4590R1 Repetidor Sem Fios WPS

EM4590R1 Repetidor Sem Fios WPS EM4590R1 Repetidor Sem Fios WPS EM4590R1 Repetidor Sem Fios WPS 2 PORTUGUÊS Índice 1.0 Introdução... 2 1.1 Conteúdo da embalagem... 2 2.0 Onde colocar o repetidor sem fios WPS EM4590?... 3 3.0 Configurar

Leia mais

Guia de instalação do Player Displr Windows 7, 8.1 e 10

Guia de instalação do Player Displr Windows 7, 8.1 e 10 Guia de instalação do Player Displr Windows 7, 8.1 e 10 Versão 1.0 www.displr.com Índice 1- Requisitos mínimos do sistema... 3 2- Preparação da instalação... 3 3- Assistente de instalação... 4 3.1 Bem-vindo

Leia mais

Manual do GesFiliais

Manual do GesFiliais Manual do GesFiliais Introdução... 3 Arquitectura e Interligação dos elementos do sistema... 4 Configuração do GesPOS Back-Office... 7 Utilização do GesFiliais... 12 Outros modos de utilização do GesFiliais...

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2 INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2 Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 4 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE ÍNDICE...2 1. INTRODUÇÃO...3 2. DOCUMENTOS NORMATIVOS APLICADOS...3

Leia mais

Conceitos importantes

Conceitos importantes Conceitos importantes Informática Informação + Automática Tratamento ou processamento da informação, utilizando meios automáticos. Computador (Provem da palavra latina: computare, que significa contar)

Leia mais

Megôhmetro Digital de 12kV

Megôhmetro Digital de 12kV Megôhmetro Digital de 12kV Funções: Maior flexibilidade para testar máquinas de alta tensão, se comparado aos instrumentos comuns com tensão de medição de 5/10kV. A alta corrente de curto aumenta a velocidade

Leia mais

Guia de Instalação do "Google Cloud Print"

Guia de Instalação do Google Cloud Print Guia de Instalação do "Google Cloud Print" Versão A POR Definições de notas Ao longo deste manual do utilizador, é utilizado o estilo de nota seguinte: As Notas indicam o que fazer se ocorrerem determinadas

Leia mais

MULTISYS. Caraterísticas:

MULTISYS. Caraterísticas: Caraterísticas: u Controla 508 zonas Electro-Fence u Controla 508 zonas Flexiguard u Controla o sistema SensorPoint u 2032 entradas de alarme usando ACUs u Comunicação RS485 u Comunicação TCP/IP de rede

Leia mais

LP-2050-MF LP-2050. Manual de Consulta Rápida. Impressora de formato amplo Teriostar Série LP-2050. Modelo Multifunções. Modelo da Impressora

LP-2050-MF LP-2050. Manual de Consulta Rápida. Impressora de formato amplo Teriostar Série LP-2050. Modelo Multifunções. Modelo da Impressora Impressora de formato amplo Teriostar Série LP-2050 Modelo Multifunções LP-2050-MF Modelo da Impressora LP-2050 Manual de Consulta Rápida U00123346103 Prefácio A sua impressora é uma Impressora de formato

Leia mais

HARTING News IP 65/67. Julho, 2004. Flexibilidade e facilidade de instalação mediante o repetidor PROFIBUS PRC 67-10

HARTING News IP 65/67. Julho, 2004. Flexibilidade e facilidade de instalação mediante o repetidor PROFIBUS PRC 67-10 Neste número: Novos Dispositivos para PROFIBUS HARTING amplia a sua gama de dispositivos para PROFIBUS, Repetidores e Conversores RS-485, para oferecer maiores possibilidades de instalação de uma rede

Leia mais

smartdepositxt Máquina de Depósito para Back Office

smartdepositxt Máquina de Depósito para Back Office smartdepositxt Máquina de Depósito para Back Office 1000 Notas por Minuto com Sistema de Gestão Centralizado O smartdepositxt é um sistema de depósito de numerário destinado a automatizar e facilitar o

Leia mais

Manual de utilização do módulo NSE METH 3E4RL

Manual de utilização do módulo NSE METH 3E4RL INSTALAÇÃO 1 - Baixe o arquivo Software Configurador Ethernet disponível para download em www.nse.com.br/downloads-manuais e descompacte-o em qualquer pasta de sua preferência. 2 - Conecte a fonte 12Vcc/1A

Leia mais

Segurança e recuperação Manual do utilizador

Segurança e recuperação Manual do utilizador Segurança e recuperação Manual do utilizador Copyright 2009 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca comercial registada da Microsoft Corporation nos E.U.A. As informações contidas

Leia mais

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 3 - MANUAL DO UTILIZADOR Diogo Mateus 3.1. REQUISITOS MÍNIMOS * Computador Pessoal com os seguintes Programas * Microsoft Windows 95 * Microsoft Access 97 A InfoMusa

Leia mais

Guia Rápido. Versão 9.0. Mover a perícia - não as pessoas

Guia Rápido. Versão 9.0. Mover a perícia - não as pessoas Guia Rápido Versão 9.0 Mover a perícia - não as pessoas Copyright 2006 Danware Data A/S. Partes utilizadas sob licença de terceiros. Todos os direitos reservados. Revisão do documento: 2006080 Por favor,

Leia mais

A300 / A30 / A20 / A10 MANUAL DE UTILIZADOR

A300 / A30 / A20 / A10 MANUAL DE UTILIZADOR A300 / A30 / A20 / A10 MANUAL DE UTILIZADOR TELEMAX Telecomunicações e Electrónica, Lda Rua Barão de Forrester, 784 4050-272 Porto Rua da Venezuela, 57 A/B, 1500-618 Lisboa Tlf: (+351) 222085025 / (+351)

Leia mais

EIC. Projecto I. Manual do Utilizador. Vídeo Vigilância Abordagem Open Source. Curso: Engenharia de Informática e Comunicações Ano Lectivo: 2005/2006

EIC. Projecto I. Manual do Utilizador. Vídeo Vigilância Abordagem Open Source. Curso: Engenharia de Informática e Comunicações Ano Lectivo: 2005/2006 EIC Engenharia de Informática e Comunicações Morro do Lena, Alto Vieiro Apart. 4163 2401 951 Leiria Tel.: +351 244 820 300 Fax.: +351 244 820 310 E-mail: estg@estg.iplei.pt http://www.estg.iplei.pt Engenharia

Leia mais

bit Tecnologia ao Serviço do Mundo Rural www.ruralbit.pt

bit Tecnologia ao Serviço do Mundo Rural www.ruralbit.pt bit Tecnologia ao Serviço do Mundo Rural www.ruralbit.pt :: Ruralbit :: http://www.ruralbit.pt :: Índice :: Ruralbit :: http://www.ruralbit.pt :: Pág. 1 Introdução O Pocket Genbeef Base é uma aplicação

Leia mais

Instalar o Software da Impressora... 2. Consulte o Manual do Usuário para obter informações e instruções detalhadas não abordadas neste manual.

Instalar o Software da Impressora... 2. Consulte o Manual do Usuário para obter informações e instruções detalhadas não abordadas neste manual. GUIA RÁPIDO para o utilizador do Windows Vista ÍNDICE Capítulo 1: REQUISITOS DO SISTEMA... 1 Capítulo 2:... 2 Instalar o Software da Impressora... 2 Instalar o Software para a Impressão em Rede... 5 Capítulo

Leia mais