Caderno 3 Página 171 FOCO NARRATIVO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caderno 3 Página 171 FOCO NARRATIVO"

Transcrição

1 Caderno 3 Página 171 FOCO NARRATIVO

2 Eu vi... Como cada um conta o que vê Diferentes pontos de vista

3 ... Esse é o foco da narrativa A NARRAÇÃO DEPENDE DO NARRADOR

4 O narrador pinta o cenário Cria as personagens Inventa o enredo Dá vida a um universo mágico Dá a sua versão dos fatos Revela a sua visão de mundo

5 Uma história só é uma história a partir do momento em que é contada Não há narração sem um narrador

6 Diferentes focos narrativos Narrador na história: FOCO EM PRIMEIRA PESSOA Naquele dia, justamente naquele dia, eu não esperava que ele ligasse. Mas o telefone tocou e a sua voz era como seda que se rasga ao toque de uma faca afiada. Pelo tom, eu sabia que não encontraria o seu perdão.

7 Diferentes focos narrativos Narrador fora da história: FOCO EM TERCEIRA PESSOA Naquele dia, ela não esperava que ele ligasse. Mas o telefone tocou e a sua voz era como seda que se rasga ao toque de uma faca afiada. Pelo tom, ela sabia que não encontraria o seu perdão.

8 Vantagens e desvantagens Foco em primeira pessoa: visão limitada ao personagem. Foco em terceira pessoa:visão limitada ao observador NENHUM FOCO É PERFEITO E COMPLETO

9 Narrador-personagem Narrador-observador Narrador-onisciente TIPOS DE NARRADOR

10 Narrador personagem (narrador participante) Participa dos acontecimentos Narrativa feita em primeira pessoa Personagem principal da história (narrador protagonista) Personagem secundária

11 Exemplo narrador-personagem Quando cheguei a casa, o sol já estava alto. O espinhaço ainda me doía. Que noite! Subindo os degraus da calçada, ouvi gritos horríveis lá dentro. O fragmento é do romance São Bernardo, -Quediabodechamegoéeste? narrado em primeira pessoa pelo Entrei apressado, personagem atravessei Paulo Honório. o O corredor fato refere- do lado direito e no meu quarto se ao suicídio dei de com sua esposa, algumas Madalena. pessoas soltando exclamações. Arredei-as e estaquei: madalena estava estirada na cama, branca, de olhos vidrados, espuma nos cantos da boca. Aproximei-me, tomei-lhe as mãos, duras e frias, toqueilhe o coração, parado. Parado. Noassoalhohaviamanchasdelíquidoecacosdevidro. Graciliano Ramos

12 Exemplo Narrador personagem E então, inesperadamente, dois segundos depois, a procissão parou. A música baixa dos movimentos em perfeita sincronia O fragmento transformou-se é do romance Amanhecer, em silêncio. narrado A disciplina impecável continuou em primeira pessoa intacta; por Bella e retrata os trecho Volturi do ficaram absolutamente imóveis. confronto final Estavam entre os Volturi a cerca (vampiros de cem metro de nós. reinantes) e o clã vegetariano dos Cullen. Atrás de mim, para os lados, ouvi o batimento de corações grandes, mais perto que antes. Arrisquei-me a olhar para a esquerda e para a direita pelo canto do olho, paraveroquehaviadetidooavançodosvolturi. Oslobostinhamsejuntadoanós. Stephenie Meyer

13 Narrador-observador Simplesmente relata os fatos, não participa deles Conta os acontecimentos Mero espectador A narrativa é feita em terceira pessoa.

14 Exemplo narrador-observador Antônio Balduíno passara a noite descarregando um navio sueco que trazia materialparaaestradadeferroequenasnoites seguintes seria abarrotado de cacau. Carregava um molho pesado de ferros, quando, ao passar junto de Severino, um mulato magricela, este lhe disse: - A greve do pessoal dos bondes rebenta hoje. Jorge Amado

15 Narrador-onisciente Testemunha invisível Está em todos os lugares, em qualquer instante Lê os pensamentos das personagens Sabe o que as personagens sentem Narrativa em terceira pessoa

16 Exemplo narrador-onisciente Ela descobriu que tanto Gretel como Bruno tinham piolhos nos cabelos. A menina precisou de um tratamento com um xampu especial que tinha cheiro muito ruim e depois ficou horas em seu quarto, chorando e chorando. Bruno também precisou O fragmento doé xampu, do romance mas O então menino odo pai decidiu que seria melhor para ele começar pijama dolistrado, zero enarrado pegouem uma terceira navalha e raspou todo o cabelo do menino, o que o fez chorar. Não demorou muito, e ele detestou ver o cabelo flutuando pessoa, da cabeça mas o narrador e aterrissando lê os pensamentos no chãoaos seus pés, maso paidissequeaquilotinhadeserfeito. de Bruno e revela como ele se sente. MaistardeBrunofoiseolharnoespelhodobanheiroesesentiumal.Sua cabeça toda parecia deformada agora que estava careca e os olhos davam a impressão de ser grandes demais para o rosto. Ele quase teve medo do próprioreflexo.(...) Quando se viu no espelho, Bruno não pôde evitar de pensar em como estavaparecidocomshmuel,eeleseperguntouseaspessoasdooutrolado da cerca teriam piolhos também e se era por isso que todas tinham as cabeças raspadas. John Boyne

17 Resumo FOCO DE TERCEIRA PESSOA DE PRIMEIRA PESSOA Narrador observador Narrador onisciente Narrador protagonista Narrador personagem secundária

18 Agenda Exercícios da Aula 50 Páginas 358 e 359

Série 6º ANO ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO 1º BIMESTRE / 2012

Série 6º ANO ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO 1º BIMESTRE / 2012 Disciplina LÍNGUA PORTUGUESA Curso ENSINO FUNDAMENTAL II Professor MARIANA Série 6º ANO ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO 1º BIMESTRE / 2012 Aluno (a): Número: 1 - Conteúdo: Gêneros narrativos:

Leia mais

ESTRUTURA DO TEXTO NARRATIVO. Prof.ª Nivania Alves

ESTRUTURA DO TEXTO NARRATIVO. Prof.ª Nivania Alves ESTRUTURA DO TEXTO NARRATIVO Prof.ª Nivania Alves A narração é um modo de organização de texto cujo conteúdo está vinculado, em geral, às ações ou acontecimentos contados por um narrador. Para construir

Leia mais

O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance.

O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance. Ensino Médio 1º ano O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance. Entre suas principais características,

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS REDAÇÃO

LISTA DE EXERCÍCIOS REDAÇÃO LISTA DE EXERCÍCIOS REDAÇÃO P1-2º BIMESTRE 6º ANO FUNDAMENTAL II Aluno (a): Turno: Turma: Unidade Data: / /2016 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Revisar a estrutura dos tipos textuais narração e descrição. Conhecer

Leia mais

Centro de Ensino Médio 02 do Gama Professor: Cirenio Soares

Centro de Ensino Médio 02 do Gama Professor: Cirenio Soares Centro de Ensino Médio 02 do Gama Professor: Cirenio Soares TIPOS DE DISCURSO DISCURSO DIRETO = REPRODUÇÃO O próprio personagem fala. Paulo disse a ele: _ Venha cá. DISCURSO INDIRETO = TRADUÇÃO O autor

Leia mais

SEMANA:1 ESTRUTURA DA NARRATIVA OBSERVE:

SEMANA:1 ESTRUTURA DA NARRATIVA OBSERVE: MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO D E C E x D E P A COLÉGIO MILITAR DO RIO DE JANEIRO Língua Portuguesa 7º ano E.F. Cel Arthur, Maj Luiz Fernando, Ten Mõnica Hipólito Texto Narrativo 1 SEMANA:1

Leia mais

Análise de São Bernardo, de Graciliano Ramos

Análise de São Bernardo, de Graciliano Ramos GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: Literatura SÉRIE: 3 ano ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: - É fundamental

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 1ª Etapa Ano: 7 Turma: 71

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 1ª Etapa Ano: 7 Turma: 71 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2014 Disciplina: ARTE Professor (a): JANAINA Ano: 7 Turma: 71 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação. Faça

Leia mais

Amor & Sociologia Cultural - Oswaldo Montenegro & Raul Seixas

Amor & Sociologia Cultural - Oswaldo Montenegro & Raul Seixas Page 1 of 6 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Sociologia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Amor & Sociologia

Leia mais

A Procura. de Kelly Furlanetto Soares

A Procura. de Kelly Furlanetto Soares A Procura de Kelly Furlanetto Soares Peça escrita durante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR. Teatro Guaíra, sob orientação de Andrew Knoll, no ano de 2012. 1 Cadeiras dispostas como se

Leia mais

Leia abaixo um fragmento de Música ao Longe, de Érico Veríssimo. Depois, responda às perguntas.

Leia abaixo um fragmento de Música ao Longe, de Érico Veríssimo. Depois, responda às perguntas. PROVA DE LÍNGUA PORT. E INTERP. DE TEXTOS GRADUAÇÃO FEV/2005 PG 1 ATENÇÃO: EM SUAS RESPOSTAS, RECOMENDAMOS NÃO INICIAR PERÍODO COM A CONJUNÇÃO POIS. NÃO CONSIDERE O RETÂNGULO COLOCADO AO LADO DE CADA QUESTÃO.

Leia mais

NOVIDADE O comboio Silvia Santirosi Chiara Carrer editora OQO

NOVIDADE O comboio Silvia Santirosi Chiara Carrer editora OQO NOVIDADE ISBN: 978-84-9871-331-2 TITULO: O comboio AUTOR: Silvia Santirosi // Chiara Carrer EDITORA: editora OQO COLECÇAO: Q LUGAR, DATA E Nº DE EDIÇÃO: Pontevedra, fevereiro 2012, 1ª PÁGINAS: 48 ENCADERNADO:

Leia mais

Serão avaliados: identificação das atividades (títulos e subtítulos), letra legível, paragrafação, consistência e clareza nas respostas.

Serão avaliados: identificação das atividades (títulos e subtítulos), letra legível, paragrafação, consistência e clareza nas respostas. Nome: Ano: 6 ANO Disciplina: P. textos Nº: Data: Professor: Valdeci Lopes 1. Organizar registros do caderno ( trazer o caderno para visto) Dica: como referencia para a proposta 1 - procure um amigo da

Leia mais

Versão RECONTO. O Principezinho. PLIP003 De Antoine De Saint Exupéry

Versão RECONTO. O Principezinho. PLIP003  De Antoine De Saint Exupéry O Principezinho De Antoine De Saint Exupéry Versão RECONTO Adaptação e revisão de texto Judite Vieira e Maria da Luz Simão Escola Secundária Afonso Lopes Vieira Leiria PLIP003 www.plip.ipleiria.pt Este

Leia mais

Português Compreensão de texto 2 o ano Unidade 9

Português Compreensão de texto 2 o ano Unidade 9 Português Compreensão de texto 2 o ano Unidade 9 Unidade 9 Compreensão de texto Nome: Data: Leia o conto de fadas a seguir para responder às questões de 1 a 15. Rapunzel Era uma vez um lenhador e sua mulher.

Leia mais

DATA: 02 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA:

DATA: 02 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 0 / / 03 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05 Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/2012 16:19:05 Minha_Vida_Agora.indd 8 11/06/2012 16:19:06 1 Meu nome é Elizabeth, mas ninguém nunca me chamou assim. Meu pai deu uma olhada em mim quando nasci e

Leia mais

Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela

Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela do reino. Era também meiga, inteligente e talentosa. Todos a admiravam. Todos queriam estar perto dela. Todos queriam fazê-la feliz, pois o seu sorriso iluminava

Leia mais

"Caixa de Saída" Roteiro de. Jean Carlo Bris da Rosa

Caixa de Saída Roteiro de. Jean Carlo Bris da Rosa "Caixa de Saída" Roteiro de Jean Carlo Bris da Rosa Copyright 2011. Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir. executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta

Leia mais

Análise e comentário dos desenhos do conto A receita de Mandrágora

Análise e comentário dos desenhos do conto A receita de Mandrágora Análise e comentário dos desenhos do conto A receita de Mandrágora Teberosky, A., Ribera, N. Universidade de Barcelona Índice Página 1 do conto Página 3 do conto Página 4 do conto Página 5 do conto Página

Leia mais

Engenharia Industrial Elétrica, Engenharia Industrial Mecânica, Engenharia de Produção Civil, Tecnologia em Radiologia e Tecnologia em Normalização e

Engenharia Industrial Elétrica, Engenharia Industrial Mecânica, Engenharia de Produção Civil, Tecnologia em Radiologia e Tecnologia em Normalização e 1 RASCUNHO 2 INSTRUÇÕES Esta prova contém 5 (cinco) questões. Para resolvê-las, fique atento às seguintes instruções e critérios que se seguem: 1- As respostas deverão ser redigidas, obrigatoriamente,

Leia mais

ERA UMA VEZ JOÃO. Um Roteiro de. Felipe Diógenes

ERA UMA VEZ JOÃO. Um Roteiro de. Felipe Diógenes ERA UMA VEZ JOÃO Um Roteiro de Felipe Diógenes copyright 2013 Adamastor Editor lipediogenesbh@hotmail.com Todos os direitos reservados 55 (31) 88766985 Personagens: Pipoqueiro João Werner Walquíria Martinha

Leia mais

"ESPELHO, ESPELHO MEU" Roteiro de. Deborah Zaniolli

ESPELHO, ESPELHO MEU Roteiro de. Deborah Zaniolli "ESPELHO, ESPELHO MEU" Roteiro de Deborah Zaniolli Copyright 2016 by Deborah Zaniolli Deborah Zaniolli Todos os direitos reservados contato@deborahzaniolli.com BN: 710355 Roteiro 2011 Piedade- SP 1. "ESPELHO,

Leia mais

I. Elementos narrativos e a linguagem de São Bernardo

I. Elementos narrativos e a linguagem de São Bernardo Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Daniel Série:2º ano Disciplina:Literatura Data da prova: 01/11/2014. P2-4º BIMESTRE I. Elementos narrativos e a linguagem de São Bernardo Tenciono contar a

Leia mais

A origem do conto está na transmissão oral dos fatos, no ato de contar histórias, que antecede a escrita e nos remete a tempos remotos.

A origem do conto está na transmissão oral dos fatos, no ato de contar histórias, que antecede a escrita e nos remete a tempos remotos. CONTOS A ORIGEM DO CONTO A origem do conto está na transmissão oral dos fatos, no ato de contar histórias, que antecede a escrita e nos remete a tempos remotos. O ato de narrar um acontecimento oralmente

Leia mais

UMA HISTÓRIA DE AMOR

UMA HISTÓRIA DE AMOR UMA HISTÓRIA DE AMOR Nunca fui de acreditar nessa história de amor "á primeira vista", até conhecer Antonio. Eu era apenas uma menina, que vivia um dia de cada vez sem pretensões de me entregar novamente,

Leia mais

COMO FORMATAR O SEU ROTEIRO HUGO MOSS

COMO FORMATAR O SEU ROTEIRO HUGO MOSS COMO FORMATAR O SEU ROTEIRO HUGO MOSS (Workshop Laboratório Sundance - 1996) Os elementos do roteiro Cabeçalhos Em inglês sluglines ou scenes headers. São escritos em maiúsculas e dão três informações:

Leia mais

Capítulo 1. Just look into my eyes 1

Capítulo 1. Just look into my eyes 1 Capítulo 1 Just look into my eyes 1 Não, Marcelo, você não nasceu de mim! Ela disse. Falou o que eu queria-temia escutar. Falou. As palavras foram claras. Sem sombras. Sem dúvidas. A confirmação ali, naquela

Leia mais

Daniel Duarte. 1 a edição

Daniel Duarte. 1 a edição Daniel Duarte 1 a edição Rio de Janeiro 2016 Agradecimentos Agradeço ao Thiago, que me encontrou pela internet adentro e acreditou neste projeto, e que em tão pouco tempo se tornou uma pessoa muito especial

Leia mais

A namorada vaidosa. Personagens: Clarisse, Teresa e Julinho

A namorada vaidosa. Personagens: Clarisse, Teresa e Julinho A namorada vaidosa Personagens: Clarisse, Teresa e Julinho Quando a peça se inicia, Julinho está deitado no sofá, totalmente coberto e imóvel. Entram Clarisse e Teresa. Estou furiosa, Teresa! Fu-ri-o-sa!

Leia mais

A LOIRA DO CEMITÉRIO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA

A LOIRA DO CEMITÉRIO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA A DO CEMITÉRIO Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA TODOS OS DIREITOS RESERVADOS RUA: ALAMEDA PEDRO II N 718 VENDA DA CRUZ SÃO GONÇALO E-MAIL: jfigueiredo759@gmail.com TEL: (21)92303033 EXT.PRAÇA.DIA Praça

Leia mais

Como eu desenho um retrato realista a lápis. Trazido a você por Carlos Damasceno

Como eu desenho um retrato realista a lápis. Trazido a você por Carlos Damasceno 1 Como eu desenho um retrato realista a lápis Trazido a você por Carlos Damasceno 2 Limites de Responsabilidade / Isenção de Garantia / Direitos Autorais Este livro é protegido pelas leis internacionais

Leia mais

Lista de Exercícios 01_2012 Óptica prof. Venê (08/04/2012)

Lista de Exercícios 01_2012 Óptica prof. Venê (08/04/2012) Lista de Exercícios 01_2012 Óptica prof. Venê (08/04/2012) 1. (FUVEST) Adote: velocidade da luz = 3.10 8 m/s Um feixe de luz entra no interior de uma caixa retangular de altura L, espelhada internamente,

Leia mais

(- 48) = = - 6 (saldo negativo)

(- 48) = = - 6 (saldo negativo) Os Jogos Olímpicos são separados em duas fases históricas: a Antiga e a Moderna. a era Antiga, realizou-se a primeira Olimpíada no ano 776 a.c. (776 anos antes de Cristo), e a última, no ano 394 d.e. (394

Leia mais

Mariana Ianelli i. Eutomia, Recife, 15 (1): , Jul. 2015

Mariana Ianelli i. Eutomia, Recife, 15 (1): , Jul. 2015 535 Mariana Ianelli i 536 ÚLTIMA VEZ É depois de perdida a casa aonde chegar por espirais de escadas com espelhos azulejados nos degraus é depois subindo de olhos fechados tocando de memória o corrimão

Leia mais

Conheço esse Sentimento. Conheço esse sentimento que é como a cerejeira quando está carregada de frutos: excessivo peso para os ramos da alma.

Conheço esse Sentimento. Conheço esse sentimento que é como a cerejeira quando está carregada de frutos: excessivo peso para os ramos da alma. Conheço esse Sentimento que é como a cerejeira quando está carregada de frutos: excessivo peso para os ramos da alma. que é o da orla da praia lambida pela espuma da maré: quando o mar se retira as conchas

Leia mais

MARÍLIA e PEDRO (têm entre si uma porta de madeira) Cai uma chuva de pedras próximo de PEDRO. MARÍLIA (permanece em silêncio e indiferente)

MARÍLIA e PEDRO (têm entre si uma porta de madeira) Cai uma chuva de pedras próximo de PEDRO. MARÍLIA (permanece em silêncio e indiferente) Fernando Giestas O DIA DEPOIS DA NOITE e (têm entre si uma porta de madeira) (está encharcada, deitada numa cama, vestida e calçada debaixo dos cobertores; tem uma pedra numa mão e um guarda- -chuva aberto

Leia mais

HIPNOSE ERICKSONIANA E PSICODRAMA INTERNO DIFERENÇAS E APROXIMAÇÕES EM SUA APLICAÇÃO PSICOTERÁPICA

HIPNOSE ERICKSONIANA E PSICODRAMA INTERNO DIFERENÇAS E APROXIMAÇÕES EM SUA APLICAÇÃO PSICOTERÁPICA HIPNOSE ERICKSONIANA E PSICODRAMA INTERNO DIFERENÇAS E APROXIMAÇÕES EM SUA APLICAÇÃO PSICOTERÁPICA Sergio Ennes 14/11/2015 Definições: Esta abordagem leva em consideração a singularidade do paciente e

Leia mais

Ivan Cupertino. Textos selecionados GRILHÕES

Ivan Cupertino. Textos selecionados GRILHÕES Textos selecionados GRILHÕES e nossa voz era um lamento, que subia aos céus evolando-se de nossa alma, e nossos olhos, também negros, reluziam a nossa fé e nosso amor. Nossos medos. e por este motivo fomos

Leia mais

PORTUGUÊS - 2 o ANO MÓDULO 22 PRODUÇÃO DE TEXTO: TEXTOS DESCRITIVOS

PORTUGUÊS - 2 o ANO MÓDULO 22 PRODUÇÃO DE TEXTO: TEXTOS DESCRITIVOS PORTUGUÊS - 2 o ANO MÓDULO 22 PRODUÇÃO DE TEXTO: TEXTOS DESCRITIVOS roposta de redação Proposta 1 (GOELDI, Oswaldo. Abandono. http://www.centrovirtualgoeldi.com /paginas. aspx?menu=obras_interior&opcao=f&iditem=261.

Leia mais

BARROS, Sônia. O segredo da xícara cor de nuvem. Moderna, Página 1 de 9-16/07/2015-9:07

BARROS, Sônia. O segredo da xícara cor de nuvem. Moderna, Página 1 de 9-16/07/2015-9:07 PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 5 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Através de uma singela narrativa,

Leia mais

O Tigre à Beira do Rio

O Tigre à Beira do Rio O Tigre à Beira do Rio --Baixe-se Moba! Muito bem Didi, o menino birmanês subiu no elefante e fez carinho em sua cabeça. Didi treinara Moba desde bebê. Como era um elefante asiático, Moba não era tão grande

Leia mais

O criador de ilusões

O criador de ilusões O criador de ilusões De repente do escuro ficou claro, deu para ver as roupas brancas entre aventais e máscaras e foi preciso chorar, logo uma voz familiar misturada com um cheiro doce e agradável de

Leia mais

Vamos examinar os caminhões um pouco mais de perto. Tim, um motorista profissional de caminhão, vai nos ajudar.

Vamos examinar os caminhões um pouco mais de perto. Tim, um motorista profissional de caminhão, vai nos ajudar. PARAR OLHAR ACENAR Todos os anos, muitas pessoas ficam feridas ou morrem em acidentes de trânsito que, às vezes, envolvem caminhões. É importante que todos saibam como se manter seguros no trânsito para

Leia mais

A primavera voltou. LÍNGUA PORTUGUESA. Compreensão da leitura

A primavera voltou. LÍNGUA PORTUGUESA. Compreensão da leitura 2º ANO Nome : Data : / / LÍNGUA PORTUGUESA INFORMAÇÃO : RUBRICA : Lê o texto com atenção. Copia-o para o teu caderno. A primavera voltou Venham ver! Venham ver durante a noite as coisas que aconteceram!

Leia mais

TÍTULO: A VERDADEIRA HISTÓRIA DE CHAPEUZINHO VERMELHO - VERSÃO DO LOBO

TÍTULO: A VERDADEIRA HISTÓRIA DE CHAPEUZINHO VERMELHO - VERSÃO DO LOBO TÍTULO: A VERDADEIRA HISTÓRIA DE CHAPEUZINHO VERMELHO - VERSÃO DO LOBO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: LETRAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE VICTOR HUGO AUTOR(ES): DAVI DE AGUIAR

Leia mais

PROCURA-SE UMA VIÚVA. Por CARLA GIFFONI

PROCURA-SE UMA VIÚVA. Por CARLA GIFFONI PROCURA-SE UMA VIÚVA Por CARLA GIFFONI BN 010.350 carlagiffoni@yahoo.com.br http://recantodasletras.com.br /autores/carlagiffoni 1- CORREDOR DA CAPELA MORTUÁRIA - INT - DIA Matilde e Donana, duas senhoras

Leia mais

Godofredo e Geralda sentados na mesa no centro do palco.

Godofredo e Geralda sentados na mesa no centro do palco. Cena 1 Cenário Cena Musica Som e luz Restaurante: Duas mesas, cada uma com duas cadeiras. Uma no centro e outra no inicio do palco, castiçais com velas no centro das mesas. Godofredo e Geralda sentados

Leia mais

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO REDAÇÃO SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém três questões abrangendo

Leia mais

Litoral e Capital- Pedro Faria

Litoral e Capital- Pedro Faria Litoral e Capital- Pedro Faria giselle sato Litoral e Capital Todos os homens são filhos da puta. Somos filhos da puta mesmo. Alguns de nós mais do que o aceitável, outros menos do que deveríamos. Mas

Leia mais

Escola Municipal de Ensino Fundamental Chico Mendes

Escola Municipal de Ensino Fundamental Chico Mendes ROTEIRO CENA 1 Ext. Pátio da Escola: narrador caminha pelo pátio narrando algumas histórias do bairro. Nosso bairro era muito diferente do que é hoje. Antes eram várias vilas que dividiam espaços. (fotos

Leia mais

BIMESTRAL - FÍSICA - 1ºBIMESTRE

BIMESTRAL - FÍSICA - 1ºBIMESTRE BIMESTRAL - FÍSICA - 1ºBIMESTRE Série: 3ªEM Gabarito 1- Uma pessoa percorreu, caminhando a pé, 6,0 km em 20,0 minutos. A sua velocidade escalar média, em unidades do Sistema Internacional, foi de: * 2,0

Leia mais

A Narração da História.

A Narração da História. 1 Amor e Perdão Lc 7.36-50 Jesus estava em Betânia, na casa de Simão, o leproso que fora curado por Ele; fora convidado por Simão para um jantar. A gratidão e o reconhecimento de Jesus como o Messias fez

Leia mais

Prova de Agente de Serviços - Concurso Público Prefeitura Municipal de Pinhalão Aplicado em 22/01/2012. 1 Texto I: para responder as questões de 01 a 09. Pneu Furado O carro estava encostado no meio-fio,

Leia mais

Fragmentos de Amor Eduardo Baqueiro

Fragmentos de Amor Eduardo Baqueiro Fragmentos de Amor Eduardo Baqueiro Interessante nosso caso! Nosso amor parece ter encontrado a pitada certa O tempero no ponto exato, Pois não é doce demais, tampouco salgado... Ele é algo difícil de

Leia mais

79 Dias. por. Ton Freitas

79 Dias. por. Ton Freitas 79 Dias por Ton Freitas Registro F.B.N.: 684988 Contato: ton.freitas@hotmail.com INT. HOSPITAL/QUARTO - DIA Letreiro: 3 de março de 1987. HELENA, branca, 28 anos, está grávida e deitada em uma cama em

Leia mais

O Homem De Mil Anos. Natael Noé Santana

O Homem De Mil Anos. Natael Noé Santana O Homem De Mil Anos Natael Noé Santana Sorocaba SP 2014 ISBN: Capa: Natael Noé Santana 2 Agradecimentos Agradeço primeiramente a Deus, a minha Família, a minha Esposa e a todos que apoiaram meu trabalho.

Leia mais

Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra. Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Personagens deste Capítulo

Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra. Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Personagens deste Capítulo Altos da Serra - Capítulo 03 1 Altos da Serra Novela de Fernando de Oliveira Escrita por Fernando de Oliveira Personagens deste Capítulo Altos da Serra - Capítulo 03 2 CENA 01. CAPELA / CASAMENTO. INTERIOR.

Leia mais

O pai de Laura pegou o livro secreto das princesas

O pai de Laura pegou o livro secreto das princesas O pai de Laura pegou o livro secreto das princesas e contou para a filha algo que ninguém sabia... Descubram esse segredo e não contem pra ninguém. Leia também Pai, todos os animais soltam pum? ISBN 978-85-7412-239-7

Leia mais

Análise de discursos textuais: questões

Análise de discursos textuais: questões Análise de discursos textuais: questões Com base no texto a seguir, responda às questões (1) e (2): Os Poemas Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês. Quando fechas

Leia mais

2 TU-AFETIVIDADE E SEXUALIDADE. Meus primeiros amores. Na construção do amor

2 TU-AFETIVIDADE E SEXUALIDADE. Meus primeiros amores. Na construção do amor E acima de tudo isto, o amor, que é vínculo da unidade perfeita. Col. 3,1 1 E acima de tudo isto, o amor, que é vínculo da unidade perfeita. Col 3,1 Te convidamos para ler estas histórias... Um homem de

Leia mais

Escreva seu livro! Como começar. Por: Miguel Angel.

Escreva seu livro! Como começar. Por: Miguel Angel. Escreva seu livro! Como começar. Por: Miguel Angel. Olá, vamos conversar um pouco sobre o texto narrativo, suas artimanhas e algumas dicas para começar seu livro. Não se iluda achando que os grandes escritores

Leia mais

Agradecimentos. Aos meus pais que se encontram em outra dimensão e que foram importantes nos meus ensinamentos;

Agradecimentos. Aos meus pais que se encontram em outra dimensão e que foram importantes nos meus ensinamentos; Índice 01 Índice; 02 Agradecimentos; 03 Senhor... 04 Sigmund Freud; 05 Para Tânia; 06 DEUS sobre todas as coisas; 07 Eu Conto Com Medo de Contar; 08 Um baile à fantasia; 13 Desorganização; 16 Caso inusitado;

Leia mais

Disciplina: Língua Portuguesa Data da realização: 17/8/2015

Disciplina: Língua Portuguesa Data da realização: 17/8/2015 Ficha da semana 4º ano A/ B/ C. Instruções: 1. Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue à professora no dia seguinte. 2. As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno

Leia mais

OS FANTASMAS DO VINHO

OS FANTASMAS DO VINHO PAN2.qxd 29/1/16 16:16 Página 17 OS FANTASMAS DO VINHO Quando chegou a manhã e da cama revolta te levantas, contemplas com os olhos grudados, trémulos, as conhecidas paredes familiares, os acumulados livros,

Leia mais

JOGO DA MEMÓRIA DE 10 ESCOLHA UMA DUPLA PARA JOGAR ESTE JOGO. LEIA AS REGRAS E BOM DIVERTIMENTO!

JOGO DA MEMÓRIA DE 10 ESCOLHA UMA DUPLA PARA JOGAR ESTE JOGO. LEIA AS REGRAS E BOM DIVERTIMENTO! 1º ANO MATEMÁTICA JOGO DA MEMÓRIA DE 10 ESCOLHA UMA DUPLA PARA JOGAR ESTE JOGO. LEIA AS REGRAS E BOM DIVERTIMENTO! REGRAS: 1- PEGUE UM BARALHO E SEPARE AS CARTAS QUE FAZEM PARES QUE SOMAM 10 PONTOS (1,2,3,4,5,6,7,8

Leia mais

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Língua Portuguesa

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Língua Portuguesa COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Língua Portuguesa Nome: Ano: 5º Ano 2º Etapa 2014 Colégio Nossa Senhora da Piedade Área do Conhecimento: Códigos e Linguagens

Leia mais

1ª edição Projeto Timóteo Como Pregar Mensagens Bíblicas Apostila do Orientador

1ª edição Projeto Timóteo Como Pregar Mensagens Bíblicas Apostila do Orientador Como Pregar Mensagens Bíblicas Projeto Timóteo Apostila do Orientador Como Pregar Mensagens Bíblicas Projeto Timóteo Coordenador do Projeto Dr. John Barry Dyer Equipe Pedagógica Marivete Zanoni Kunz Tereza

Leia mais

Uma pequena mágica Não seria ótimo se você pudesse ir para a cama,

Uma pequena mágica Não seria ótimo se você pudesse ir para a cama, CAPÍTULO UM Uma pequena mágica Não seria ótimo se você pudesse ir para a cama, aconchegar-se debaixo das suas cobertas, fechar os olhos e adormecer sem nenhuma agitação ou medo? Sem ouvir barulhos ou pensar

Leia mais

9 a 12 MESES de idade

9 a 12 MESES de idade Dr(a) Para 9 a 12 MESES de idade ACOMPANHE O DESENVOLVIMENTO DO SEU BEBÊ LINGUAGEM Presta mais atenção ao que se fala. Balbucia com inflexão (como se quizesse falar). Tenta imitar palavras. Entende o não,

Leia mais

ANEXO 03 O OPERÁRIO EM CONSTRUÇÃO

ANEXO 03 O OPERÁRIO EM CONSTRUÇÃO ANEXO 03 O OPERÁRIO EM CONSTRUÇÃO Vinícius de Moraes Era ele que erguia casas Onde antes só havia chão. Como um pássaro sem asas Ele subia com as casas Que lhe brotavam da mão. Mas tudo desconhecia De

Leia mais

Olhares. Rosângela Trajano. 2 - Por que não permitimos que os outros se aproximem de nós? 4 O que são as coisas mais simples do mundo para você?

Olhares. Rosângela Trajano. 2 - Por que não permitimos que os outros se aproximem de nós? 4 O que são as coisas mais simples do mundo para você? Olhares Ando pelas ruas e a multidão quase esbarra em mim. Tenho certeza que se me deitasse no chão seria pisoteada. As pessoas não olham mais para o chão, aliás as pessoas não olham mais nem para si mesmas.

Leia mais

SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO

SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO Esse livro faz parte de uma história em animação que está lá no nananina.com.br Ele traz o ponto-de-vista de outro personagem. Afinal, existem muitas histórias dentro de cada

Leia mais

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO LITERATURA 1º SEMESTRE NOME: PROFESSORA: VIVIANE MARQUES PARTE 1 ESTRUTURA E CARACTERÍSTICAS DOS GÊNEROS LITERÁRIOS ESTUDADOS

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO LITERATURA 1º SEMESTRE NOME: PROFESSORA: VIVIANE MARQUES PARTE 1 ESTRUTURA E CARACTERÍSTICAS DOS GÊNEROS LITERÁRIOS ESTUDADOS TRABALHO DE RECUPERAÇÃO LITERATURA 1º SEMESTRE NOME: PROFESSORA: VIVIANE MARQUES PARTE 1 ESTRUTURA E CARACTERÍSTICAS DOS GÊNEROS LITERÁRIOS ESTUDADOS 1 Leia este trecho do texto Memórias de Emília, de

Leia mais

- Professora Sofia Almeida -

- Professora Sofia Almeida - 2.º ano Português AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada da Quinta do Conde - Professora Sofia Almeida - Nome: Data: / / 1. Lê o texto todo com muita atenção. Avaliação da minha

Leia mais

abertura A riqueza 1/4/11 13:25 Page 3 Lya Luft A riqueza do mundo 8.ª edição 2011

abertura A riqueza 1/4/11 13:25 Page 3 Lya Luft A riqueza do mundo 8.ª edição 2011 Lya Luft A riqueza do mundo 8.ª edição 2011 14 Canção de mãe e de pai A mãe: Que nossa vida, meus filhos, tecida de encontros e desencontros como a de todos, tenha por baixo um rio de águas generosas,

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia BH

Colégio Santa Dorotéia BH ASSUNTO: Língua e contexto. Texto verbal Gêneros: poema relato pessoal Linguagem formal e informal Figuras de linguagem Interpretação de texto Compreensão Colégio Santa Dorotéia BH Área de Códigos e Linguagens

Leia mais

TÉRMINUS. AVCTORIS DIREITO AUTORAL & COPYRIGHT - Rafael Martins de Oliveira. CAPA Diego de Oliveira Castro. EDITORAÇÃO Diego de Oliveira Castro

TÉRMINUS. AVCTORIS DIREITO AUTORAL & COPYRIGHT - Rafael Martins de Oliveira. CAPA Diego de Oliveira Castro. EDITORAÇÃO Diego de Oliveira Castro AVCTORIS DIREITO AUTORAL & COPYRIGHT - Rafael Martins de Oliveira CAPA Diego de Oliveira Castro EDITORAÇÃO Diego de Oliveira Castro TÉRMINUS REVISÃO Rafael Martins de Oliveira Oliveira, Rafael Martins,

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta

Bíblia para crianças. apresenta Bíblia para crianças apresenta NOÉ E O DILÚVIO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Byron Unger; Lazarus Adaptado por: M. Maillot; Tammy S. O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia

Leia mais

Texto 1. Testemunha tranquila 1

Texto 1. Testemunha tranquila 1 Texto 1 Testemunha tranquila 1 O camarada chegou assim com ar suspeito, olhou pros lados e como não parecia ter ninguém por perto forçou a porta do apartamento e entrou. Eu estava parado olhando, para

Leia mais

Poesias, filosofias e reflexões Márcio Mercês (vol.1)

Poesias, filosofias e reflexões Márcio Mercês (vol.1) Poesias, filosofias e reflexões Márcio Mercês (vol.1) Cinzas de Mim Não fales... Apenas beijes minha boca e respires o meu ar. Não resistas... Apenas admitas que jamais encontrarás no futuro vestígios

Leia mais

Time Code Vídeo Áudio Tema Comentário imperdível (interno ao material)

Time Code Vídeo Áudio Tema Comentário imperdível (interno ao material) Número da fita: 0043 Título: Performance Folia de Reis de D. Mariana Mídia: Mini DV Time Code Vídeo Áudio Tema Comentário imperdível (interno ao material) in out 00:00 01:39 Imagem, com efeito (shutter

Leia mais

Bíblia para crianças apresenta

Bíblia para crianças apresenta Bíblia para crianças apresenta NOÉ E O DILÚVIO Escrito por: Edward Hughes Ilustrado por: Byron Unger; Lazarus Adaptado por: M. Maillot; Tammy S. O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da

Leia mais

OS COMBOIOS QUE VÃO PARA ANTUÉRPIA

OS COMBOIOS QUE VÃO PARA ANTUÉRPIA OS COMBOIOS QUE VÃO PARA ANTUÉRPIA Em janeiro eu estava em Bruxelas, nos subúrbios, numa casa sobre a linha férrea. Os comboios faziam estremecer o meu quarto. Fora-se o natal. Algo desaparecera, uma coisa

Leia mais

A v a mæe

A v a mæe N@o mæe@: D@a@t@a@: A v a l@i@a@ç@ã@o @d@o 1.º @t r@i mæe s@t ræe@ L@í n@g@u@a@ P@o r@t@u@g@uæe s@a@ 2.º @a n@o I n f o r m@a@ç@ã@o : Desejos de Natal Furioso, Zeca saiu de casa. Tinha de espairecer. Apetecia-lhe

Leia mais

Evangelismo de Impacto.

Evangelismo de Impacto. www.teatroevangelico.com.br Evangelismo de Impacto. $$UWH7HDWUDO$6HUYLoR'R0HVWUH Script DIA DAS MÃES O PRESENTE Teatro Evangélico A arte teatral a serviço do mestre. www.teatroevangelico.com.br 2 O PRESENTE

Leia mais

c- Muitas vezes nos deparamos com situações em que nos sentimos tão pequenos e às vezes pensamos que não vamos dar conta de solucioná-las.

c- Muitas vezes nos deparamos com situações em que nos sentimos tão pequenos e às vezes pensamos que não vamos dar conta de solucioná-las. FICHA DA SEMANA 5º ANO A e B Instruções: 1- Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue a professora no dia seguinte; 2- As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno,

Leia mais

A história do Pedrito Coelho. Beatrix Potter. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho. A história do Pedrito Coelho Porto Editora

A história do Pedrito Coelho. Beatrix Potter. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho. A história do Pedrito Coelho Porto Editora A história do Pedrito Coelho Beatrix Potter Fichas de leitura Criação intelectual: Fátima Patronilho 23 Fichas de leitura Ficha 1 1. Observa bem a capa do livro. 1.1. Assinala com X as afirmações verdadeiras.

Leia mais

IMAGINÁRIO DO ESPELHO: espelho, espelho meu, sou eu?

IMAGINÁRIO DO ESPELHO: espelho, espelho meu, sou eu? IMAGINÁRIO DO ESPELHO: espelho, espelho meu, sou eu? Ionice da Silva Debus 1 Profª. Drª. Valeska Fortes de Oliveira 2 Este texto foi desenvolvido para a disciplina Imaginário e Narrativas de Formação do

Leia mais

I) Descrição. Texto Descritivo. Seres, objetos, cenas, processos Momento único. Classes de palavras importantes

I) Descrição. Texto Descritivo. Seres, objetos, cenas, processos Momento único. Classes de palavras importantes TIPOLOGIA TEXTUAL O primeiro passo para a compreensão dos textos é o reconhecimento de seu modo de organização discursiva, ou seja, de seu tipo. Esse estudo pretende reconhecer as características peculiares

Leia mais

Pronomes Relativos, Conjunções e Verbos

Pronomes Relativos, Conjunções e Verbos Exercícios Variados Revisão de Pronomes Relativos, Conjunções e Verbos Exercícios Variados Conjunções e Verbos Revisão de Pronomes Relativos, 1. Leia o fragmento de texto abaixo, de As Três Marias, de

Leia mais

Sonhe grande NICK VUJICIC. Ilustrações: DREAMERGO Edição: IGNATIUS HO DING

Sonhe grande NICK VUJICIC. Ilustrações: DREAMERGO Edição: IGNATIUS HO DING Sonhe grande NICK VUJICIC Ilustrações: DREAMERGO Edição: IGNATIUS HO DING Sumário O personagem Quem é Nick Vujicic? 6 Prefácio Sobre Sonhe grande 7 Capítulo 1 O sonho de Nick 10 Capítulo 2 Medos limitam

Leia mais

História de uma Baleia

História de uma Baleia SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 03 / / 0 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

Seleção de. Contos de Andersen. Hans Christian Andersen. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho

Seleção de. Contos de Andersen. Hans Christian Andersen. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho Seleção de Contos de Andersen Hans Christian Andersen Fichas de leitura Criação intelectual: Fátima Patronilho A princesa e a ervilha Guião de exploração (Sempre que necessário, procurar o significado

Leia mais

Cubo Mortal. Regras Versão 0.1. Autor: Tiago Junges Design: Aline Rebelo

Cubo Mortal.  Regras Versão 0.1. Autor: Tiago Junges Design: Aline Rebelo Cubo Mortal Regras Versão 0.1 Autor: Tiago Junges (coisinhaverde@gmail.com) Design: Aline Rebelo (aline.rebelo@gmail.com) www.coisinhaverde.com Olá leitor, eu quero jogar um jogo. Você por muitos anos

Leia mais

Coaching para pessoas disponíveis, ambos

Coaching para pessoas disponíveis, ambos Nota da Autora 1001 maneiras de ser Feliz, é o meu terceiro livro. Escrevi Coaching para mães disponíveis e Coaching para pessoas disponíveis, ambos gratuitos e disponíveis no site do Emotional Coaching.

Leia mais

O Gigante Egoísta e O Príncipe Feliz. Oscar Wilde. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho

O Gigante Egoísta e O Príncipe Feliz. Oscar Wilde. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho O Gigante Egoísta e O Príncipe Feliz Oscar Wilde Fichas de leitura Criação intelectual: Fátima Patronilho 45 O Gigante Egoísta Ficha de leitura 1. Quem é a personagem principal da história? I 2. Em que

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO DE LINGUAGENS 7º ANO CARLA

LISTA DE RECUPERAÇÃO DE LINGUAGENS 7º ANO CARLA LISTA DE RECUPERAÇÃO DE LINGUAGENS 7º ANO CARLA TEXTO 1. De onde vem a narradora e protagonista do texto? (0,4) 2. Para a autora o que apagava as lembranças de sua infância? (0,4) 3. Retire do texto dois

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES. Fonte: EMB. ia. Uma ótima terapia!!! Nome:

CADERNO DE ATIVIDADES. Fonte: EMB. ia. Uma ótima terapia!!!  Nome: CADERNO DE ATIVIDADES Fonte: EMB Música & Cia ia. Uma ótima terapia!!! www.musikaecia.com.br Nome: Relembrando o movimento sonoro: 1 Ficou em Cima Ficou em Baixo Sons curtos em Cima Sons curtos em Baixo

Leia mais

O que mais me lembro da minha infância era o grande espelho que havia na sala da casa da minha avó paterna. Estava sempre coberto por um grande

O que mais me lembro da minha infância era o grande espelho que havia na sala da casa da minha avó paterna. Estava sempre coberto por um grande historia de terror O que mais me lembro da minha infância era o grande espelho que havia na sala da casa da minha avó paterna. Estava sempre coberto por um grande lençol negro, o que despertava a minha

Leia mais