Arquivos de Textos no C - Básico

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Arquivos de Textos no C - Básico"

Transcrição

1 OpenStax-CNX module: m Arquivos de Textos no C - Básico Joao Carlos Ferreira dos Santos This work is produced by OpenStax-CNX and licensed under the Creative Commons Attribution License 3.0 TRABALHANDO COM ARQUIVO DE TEXTO NO C# Introdução A linguagem C# foi criada pela Microsoft e faz parte do framework.net. É uma linguagem orientada a objetos e sua estrutura é baseada na linguagem C++, mas também tem inuência de outras linguagens orientada a objetos. Além de ser uma linguagem de fácil aprendizagem podemos ainda contar com a praticidade dos recursos do ambiente de desenvolvimento do Visual Studio. Neste artigo, indicarei como trabalhar com arquivos de texto no C#. Mostrarei uma prévia do conhecimento necessário para trabalhar com esses arquivos, e criarei um programa do tipo Windows Form utilizando os recursos apresentados. Instalando as Ferramentas de Desenvolvimento. Para facilitar o aprendizado e ainda o desenvolvimento utilizando a linguagem C# vamos instalar a IDE Visual Studio 2010 Express. Essa ferramenta é gratuita e pode ser baixada no site da Microsoft. Para instalação do Visual Studio temos que seguir os passos listados, abaixo: Primeiro: acessar o site 1 ir na guia Downloads depois; Segundo: escolher a versão em seguida na opção Visual Studio 2010 Express; Terceiro: depois em Visual C# 2010 Express escolher o idioma e clicar em Instalar agora. Agora após a instalação do programa podemos acessá-lo em botão do Windows Todos os Programas Microsoft Visual Studio 2010 Express. Version 1.1: Sep 23, :54 am

2 OpenStax-CNX module: m Figure 1 Nota: esse caminho para acessar o Visual Studio serve para versão do Windows 7. Tipos de Dados Esse tópico serve para mostrar os tipos de dados existentes na linguagem C#. O Tipo de dado em uma linguagem de programação inuencia no tamanho que o dado ocupa na memória do computador. Qualquer linguagem de programação trabalha com diversos tipos de dados e os mais comuns entre todas elas são: inteiro, ponto-utuante, booleano e texto. O C# também trabalha com esses tipos, mas vou mostrar de forma mais especica os tipos de dados desta linguagem. O C# trabalha com duas categorias de tipos de dados: Valor Referencia Variáveis do tipo Valor ainda tem duas subdivisões conforme mostro abaixo:

3 OpenStax-CNX module: m Booleanos Numéricos Variável de Valor - Tipo Booleano Esse tipo representa valores lógicos, ou seja, verdadeiro (true) ou falso (false). Quando esse tipo de variável é declarado no C#, o seu valor padrão é false ( caso não seja denido um valor pelo programador). Variável de Valor - Tipo Numérico Os tipos numéricos são divididos em três categorias no C# sendo eles: Inteiro char 16 bits long 64 bits ulong 64 bits sbyte 8 bits int 32 bits short 16 bits ushort 16 bits Ponto-utuante oat 32 bits double 64 bits Decimal Decimal 128 bits Obs.: a descrição bits representa o quanto de espaço aquele tipo de dado ocupa na memória do computador. Variáveis do tipo Referência também tem duas subdivisões sendo elas: Class String Referência - Class É um tipo de dado construído, ou seja, um modelo que pode conter campos, constantes e operações próprias. Referência string Em C# o tipo string herda diretamente da classe de objetos e serve também para armazenar dados do tipo texto. É preciso sempre analisar em qual situação deve-se usar determinado tipo de dado para não ter uso inadequado da memória do computador como, por exemplo, declarar uma variável do tipo oat para trabalhar com informações de idade. Nesse caso, o tipo int já estaria de bom grado. Supondo que cada quadradinho das imagens abaixo representa um endereço de memória e que cada um tivesse a capacidade de armazenar até 20 bits. Se declarasse o oat para trabalhar com informações sobre idade estaría desperdiçando memória, conforme pode-se ver nos dois quadrados Usando o oat:

4 OpenStax-CNX module: m Figure 2 Usando o int: Figure 3 Trabalhando com Vetores Vetores são estruturas de dados onde podemos armazenar uma quantidade de um tipo especico de dados. O tipo especicado em um vetor será armazenado em posições diferentes dele. Para car mais claro vamos a um exemplo. Declarar um vetor que trabalhara com dados do tipo texto com no máximo cinco posições seria assim: string[] pessoa = new string(5); pessoa[0] = maria; pessoa[1] = antonio; pessoa[2] = joao; pessoa[3] = rodrigo; pessoa[4] = marinho;

5 OpenStax-CNX module: m Figure 4 Os vetores sempre iniciam em zero, por tanto, se for declarado um vetor de cinco posições teremos na verdade um intervalo de zero a quatro, ou seja, o tamanho de um vetor declarado será sempre sua quantidade declarada menos um. Conversão de Tipos no C# No C# existem duas formas de conversão de dados que são feitas: de forma implícita e explicita. Forma Implícita A conversão implícita ocorre da seguinte forma: quando se declara uma variável de um tipo inteiro, por exemplo, essa variável pode ser atribuída à outra variável de um tipo ponto-utuante e a conversão ocorre de forma automática. Quando isso ocorre dizemos que ocorreu um cast implícito. No entanto, um tipo oat não pode ser atribuído em um tipo int, isso porque um tipo oat é capaz de armazenar um volume maior de informações que um tipo int. Portanto, não é possível essa conversão implicitamente. Outra impossibilidade é atribuir um tipo texto a um tipo numérico. Abaixo, temos os exemplos da explicação: A conversão implícita não ocorre: Figure 5 A conversão implícita ocorre:

6 OpenStax-CNX module: m Figure 6 Forma Explicita Em alguns casos é necessário realizar a conversão dos tipos de dados de forma explicita. Um exemplo de conversão explicita pode ser usando um cast ou um comando de conversão. Vamos ver as duas formas: Usando Cast No caso do cast nós podemos converter operações simples como, por exemplo, um tipo oat para um tipo int, mas devemos tomar cuidado com esse tipo de conversão já que podemos ter perda signicativa de dados. Um exemplo seria ter um valor do tipo oat 34,5 e jogar para uma variável do tipo int. Provavelmente, quando o tipo oat passada para o tipo int nós teríamos como retorno o valor 34 apenas, ou seja, perderíamos a parte decimal do número. Fazemos um cast colocando antes do valor atribuído e entre parênteses o tipo de dados para o qual vamos usar. Exemplo de cast: Figure 7 Usando Comandos

7 OpenStax-CNX module: m O C# disponibiliza comandos para conversão de tipos de dados através da classe Convert. Para usar esse recurso basta digitar o nome Convert seguido do operador ponto e o nome do método que deseja usar. No exemplo abaixo podemos ver a conversão de um tipo texto para o tipo numérico usando um método da classe Convert: Figure 8 Trabalhando com Classes Na programação uma classe nada mais é que um modelo onde nós denimos o comportamento de um objeto através de ações, estados e atributos. Pela denição da estrutura da classe podemos identicar o tipo de serviço que ela fornece. Com a criação da classe podemos dizer que criamos um novo tipo de dado. Vamos agora trabalhar com classes na linguagem C# mostrando sua construção e o uso de seus objetos. Imaginemos a criação de um sistema de biblioteca escolar onde teríamos o gerenciamento de reserva, entrega e pesquisa de livros. Certamente nesse sistema teríamos uma entidade responsável pela identicação dos livros, ou seja, uma classe que poderíamos dar o nome de Livro. Após identicarmos a necessidade de criação dessa classe teríamos que denir sua estrutura e basicamente o que podemos encontrar em um livro seria ISBN, Autor, Editora e Paginas. Esses itens seriam os atributos da nossa classe Livro as ações seriam métodos como reservar, consultar e devolver. As Classes StreamReader e StreamWriter Através dessas dessas classes podemos trabalhar com o processo de entrada/saída (input/output) de dados em arquivos sequenciais. StreamWriter Com os recursos disponíveis nessa classe podemos trabalhar com a escrita de caracteres em arquivos sequenciais. Por exemplo, para escrever a seguinte frase em um arquivo poderíamos criar o código, abaixo:

8 OpenStax-CNX module: m Figure 9 O código acima cria um arquivo chamado dados.txt (caso o arquivo ainda não exista) e escreve nesse arquivo o texto Meus dados escritos no arquivo e por m fecha a conexão com o arquivo. Toda vez que esse código for executado o texto será sobre escrito, mas para evitar que isso aconteça pode-se incluir um segundo parâmetro no construtor da classe. Assim, o código manteria os dados já existes no arquivo e incluiria novos sempre após o ultimo registro. Figure 10 StreamReader Com os recursos disponíveis nessa classe podemos realizar a leitura em arquivos sequencias. Por exemplo, para ler o mesmo arquivo escrito no exemplo anterior poderíamos fazer o seguinte:

9 OpenStax-CNX module: m Figure 11 Agora, vamos por em prática os conceitos vistos criando um mini-sistema para controle de empréstimo de livros em uma biblioteca universitária. Nosso sistema será bem simples. Teremos uma classe Aluno para controle dos alunos, uma classe Livro controle dos livros e uma classe Reservas para controle do livros emprestados. Os dados referentes a livros, alunos e reservas serão armazenados em arquivos do tipo txt. Precisamos criar três arquivos para utilizarmos como fonte de dados do sistema nomeados como Livros.txt, Alunos.txt e Reservados.txt em uma pasta chamada Temp na unidade C:. Arquivo Alunos.txt Figure 12 Arquivo Livros.txt

10 OpenStax-CNX module: m Figure 13 Arquivo Reservados.txt Figure 14 Agora, criaremos um projeto do tipo Windows Form Application no Visual Studio. Abra o Visual Studio, depois vá em File New Project em seguida, nos Templates escolha a opção Windows Form Application e dê um nome para sua aplicação conforme a imagem abaixo:

11 OpenStax-CNX module: m Figure 15 Feito isso, dê o OK e o Visual Studio ira gerar o projeto. Nesse projeto nós encontramos por padrão a classe Program.cs e um formulário nomeado como Form1, mas precisamos incluir novos objetos nesse projetos. Primeiro, vamos incluir mais um Windows Form e nomear para frmmenu e renomear o já existente para frmconsultar. Depois, inserir os outros objetos até que que igual a imagem abaixo:

12 OpenStax-CNX module: m Figure 16 Incluir também os seguintes eventos para cada um dos objetos: Objeto frmconsular: private void frmconsultar_load(object sender, EventArgs e) lblstatus.text = ""; btnlivrocom.enabled = false; btndevolver.enabled = false; btnreservar.enabled = false; Objeto txtconsuta: private void txtconsulta_textchanged(object sender, EventArgs e) objlivro = new Livro(); string[] arrlivro = new string[objlivro.buscalivros(txtconsulta.text).length];

13 OpenStax-CNX module: m lstlivros.items.clear(); lstlivros.items.add("código Título Autor Editora "); foreach (string stritem in objlivro.buscalivros(txtconsulta.text)) lstlivros.items.add(stritem.tostring().trim()); Objeto lstlivros: private void lstlivos_selectedindexchanged(object sender, EventArgs e) objreserva = new Reserva(); string stritem = objreserva.buscarreserva(lstlivros.selecteditem.tostring().substring(0, 2).Trim()); string meuregistro = stritem; if (meuregistro.length > 0) lblstatus.text = "Reservado"; lblstatus.forecolor = System.Drawing.Color.Red; btnlivrocom.enabled = true; btndevolver.enabled = true; btnreservar.enabled = false; // Variável com visão global dadosreserva = meuregistro; else lblstatus.text = "Disponível"; lblstatus.forecolor = System.Drawing.Color.Blue; btnlivrocom.enabled = false; btndevolver.enabled = false; btnreservar.enabled = true; Objeto btnlivrocom: private void btnlivrocom_click(object sender, EventArgs e) Form f1 = new frmmanu(dadosreserva); f1.show(); Objeto btndevolver: private void btndevolver_click(object sender, EventArgs e) string reglivro = lstlivros.selecteditem.tostring(); objreserva.limpareserva(reglivro.substring(0,2).tostring().trim()); MessageBox.Show("Livro entregue!"); Objeto btnreservar: private void btnreservar_click(object sender, EventArgs e) string reglivro; objreserva = new Reserva(); reglivro = lstlivros.selecteditem.tostring(); if (txtmatricula.text.length!= 7)

14 OpenStax-CNX module: m MessageBox.Show("Falta Matricula / Matricula Invalida"); return; objreserva.gravarreserva(reglivro.substring(0, 2).Trim(), txtmatricula.text.trim()); MessageBox.Show("Reserva realizada!"); txtmatricula.text = ""; Agora para o segundo formulário: Figure 17 Evento do objeto frmmenu: private void frmmenu_load(object sender, EventArgs e) //MessageBox.Show(minhasReservas); lbldatareserva.text = minhasreservas.substring(17, 10); objaluno.buscaaluno(minhasreservas.substring(7, 10).Trim()); lblmatricula.text = objaluno.matricula.tostring() ; lblnome.text = objaluno.nome; lbltelefone.text = objaluno.telefone; lblendereco.text = objaluno.endereco; Nota: nesse projeto temos uma mudança no construtor do formulário frmmenu sendo necessário deixá-lo assim:

15 OpenStax-CNX module: m public frmmenu(string argreserva) InitializeComponent(); minhasreservas = argreserva; Agora, para nalizar, vamos incluir as classes que fazem parte do projeto. Para incluir as classes devemos clicar sobre BibliotecaApp Add New Item Class. Após criar as três classes (Livro, Aluno e Reserva) temos que incluir o código de cada uma. Código da Classe Livro class Livro string[] arrregistro; StreamReader sr; public string[] buscalivros(string arglivro) sr = new arrregistro = new string[20]; int i = 0; while (!sr.endofstream) string registro = sr.readline(); if (registro.contains(arglivro)) arrregistro[i] = registro; i++; return arrregistro; Código da Classe Aluno class Aluno public string matricula; public string nome; public string telefone; public string endereco; StreamReader sr; public void buscaaluno(string argcodigo) sr = new string regaluno; while (!sr.endofstream) regaluno = sr.readline().tostring(); if (regaluno.contains(argcodigo)) string[] arraluno = regaluno.split(';'); matricula = arraluno[0]; nome = arraluno[1]; telefone = arraluno[2]; endereco = arraluno[3]; Código da Classe Reserva

16 OpenStax-CNX module: m class Reserva StreamReader sr; StreamWriter sw; string registro = ""; public string buscarreserva(string argcodigo) sr = new string linhareg; while (!sr.endofstream) linhareg = sr.readline().tostring(); if (argcodigo!= linhareg.substring(0, 2)) registro = ""; else registro = linhareg; sr.close(); return registro; sr.close(); return registro; public void gravarreserva(string argcodigo, string argmatricula) sw = new sw.writeline(argcodigo + " " + argmatricula + " " + DateTime.Today.ToString().Substring(0, 10)); sw.close(); public void limpareserva(string argcodigo) string[] arrreserva = new string[0]; sr = new int i = 0; while (!sr.endofstream) string strlinha = sr.readline(); if (argcodigo!= strlinha.substring(0, 2).Trim()) arrreserva[i] = strlinha; sr.close(); sw = new for (int j = 0; j < arrreserva.length; j++) sw.writeline(arrreserva[j]); sw.close(); O Código da Classe Program static class Program /// <summary>

17 OpenStax-CNX module: m /// The main entry point for the application. /// </summary> [STAThread] static void Main() Application.EnableVisualStyles(); Application.SetCompatibleTextRenderingDefault(false); Application.Run(new frmconsultar()); note: Referências: Programação em C#: Acessado em 10/09/2013

Trabalhando com Arquivos de Texto no VBA

Trabalhando com Arquivos de Texto no VBA OpenStax-CNX module: m47737 1 Trabalhando com Arquivos de Texto no VBA Joao Carlos Ferreira dos Santos This work is produced by OpenStax-CNX and licensed under the Creative Commons Attribution License

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE II. Aula 07 A linguagem de programação C# e sua sintaxe

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE II. Aula 07 A linguagem de programação C# e sua sintaxe DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE II Aula 07 A linguagem de programação C# e sua sintaxe Na aula passada... Avaliamos o conceito de Integrated Development Environment (IDE); Aprendemos um pouco da evolução do

Leia mais

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo Programando em C# Orientado a Objetos By: Maromo Agenda Módulo 1 Plataforma.Net. Linguagem de Programação C#. Tipos primitivos, comandos de controle. Exercícios de Fixação. Introdução O modelo de programação

Leia mais

Programação de Computadores I. Conhecendo a IDE Code::Blocks

Programação de Computadores I. Conhecendo a IDE Code::Blocks Code::Blocks Conhecendo a IDE Programação de Computadores I Professor: Edwar Saliba Júnior Conhecendo a IDE Code::Blocks Apresentação: 1) Abra a IDE (Integrated Development Environment), ou seja, o Ambiente

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Construções Básicas Programa em C #include int main ( ) { Palavras Reservadas } float celsius ; float farenheit ; celsius = 30; farenheit = 9.0/5

Leia mais

Microsoft Visual Studio 2010 C# Volume II

Microsoft Visual Studio 2010 C# Volume II Microsoft Visual Studio 2010 C# Volume II Apostila desenvolvida pelos Professores Ricardo Santos de Jesus e Rovilson de Freitas, para as Disciplinas de Desenvolvimento de Software I e II, nas Etecs de

Leia mais

Trabalho Prático Nº1 Introdução ao C#.NET

Trabalho Prático Nº1 Introdução ao C#.NET Trabalho Prático Nº1 Introdução ao C#.NET 1. OBJECTIVOS - Entender o contexto da plataforma.net - Desenvolver programas simples em C#.NET - Saber efectuar entradas de dados em modo Consola e Windows Forms

Leia mais

Prof. Esp. Adriano Carvalho

Prof. Esp. Adriano Carvalho Prof. Esp. Adriano Carvalho O que é um Programa? Um arquivo contendo uma sequência de comandos em uma linguagem de programação especifica Esses comandosrespeitam regras de como serem escritos e quais

Leia mais

Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans.

Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans. 1 - Criando uma classe em Java Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans. Antes de criarmos a(s) classe(s) é necessário criar o projeto

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CAPÍTULO 1 APRESENTANDO O C#

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CAPÍTULO 1 APRESENTANDO O C# LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CAPÍTULO 1 APRESENTANDO O C# 1.1 - Apresentação Quando fazemos nossas compras em um supermercado, é comum encontrarmos um código de barras impresso nos produtos expostos

Leia mais

Conceitos de Linguagens de Programação

Conceitos de Linguagens de Programação Conceitos de Linguagens de Programação Aula 07 Nomes, Vinculações, Escopos e Tipos de Dados Edirlei Soares de Lima Introdução Linguagens de programação imperativas são abstrações

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA INFORMÁTICA APLICADA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA INFORMÁTICA APLICADA Responda 1) Quem desenvolveu a linguagem C? Quando? 2) Existe alguma norma sobre a sintaxe da linguagem C? 3) Quais são os tipos básicos de dados disponíveis na linguagem C? 4) Quais são as principais

Leia mais

UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação. Estrutura de Dados. AULA 6 Filas

UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação. Estrutura de Dados. AULA 6 Filas UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação Estrutura de Dados AULA 6 Filas Estrutura de Dados A Estrutura de Dados Fila Fila é uma estrutura de dados usada em programação, que tem regras para

Leia mais

Unidade Acadêmica: Faculdade de Computação FACOM Disciplina: Programação Orientada a Objetos I Professor: Fabiano Azevedo Dorça Prática 01

Unidade Acadêmica: Faculdade de Computação FACOM Disciplina: Programação Orientada a Objetos I Professor: Fabiano Azevedo Dorça Prática 01 Unidade Acadêmica: Faculdade de Computação FACOM Disciplina: Programação Orientada a Objetos I Professor: Fabiano Azevedo Dorça Prática 01 Objetivos: Modelar um sistema orientado a objetos simples a partir

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

Introdução a lógica de programação. Aula 02: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express

Introdução a lógica de programação. Aula 02: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express Introdução a lógica de programação Aula 02: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express Roteiro da aula Linguagem de Programação Visual C#: Introdução a C# através de comandos de entrada

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação Aula 02 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Lógica de Programação Lógica de Programação é a técnica de criar sequências lógicas de ações para

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Aula 01: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express

Aula 01: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express Aula 01: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express EMENTA: Introdução ao Visual C#. Fundamentos da Linguagem. Estruturas de decisão e repetição. Modularização de Programas: Funções. Arrays

Leia mais

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5 JavaScript Diego R. Frank, Leonardo Seibt FIT Faculdades de Informática de Taquara Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste Av. Oscar Martins Rangel, 4500 Taquara RS Brasil difrank@terra.com.br,

Leia mais

Organização de programas em Python. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br

Organização de programas em Python. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Organização de programas em Python Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Vamos programar em Python! Mas... } Como um programa é organizado? } Quais são os tipos de dados disponíveis? } Como variáveis podem

Leia mais

Conversão de Tipos e Arrays

Conversão de Tipos e Arrays Conversão de Tipos e Arrays Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Conversão de Tipos Permite converter

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar Introdução à Java Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Código Exemplo da Aula Criar a classe Aula.java com o seguinte código: public class Aula { public static void

Leia mais

Organização de programas em Java. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br

Organização de programas em Java. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Organização de programas em Java Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Vamos programar em Java! Mas... } Como um programa é organizado? } Quais são os tipos de dados disponíveis? } Como variáveis podem

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO Tópicos Estrutura Básica B de Programas C e C++ Tipos de Dados Variáveis Strings Entrada e Saída de Dados no C e C++ INTRODUÇÃO O C++ aceita

Leia mais

CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA

CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA Introdução para Iniciantes Prof. M.Sc. Daniel Calife Índice 1 - A programação e a Linguagem Java. 1.1 1.2 1.3 1.4 Linguagens de Programação Java JDK IDE 2 - Criando o primeiro

Leia mais

NetBeans. Conhecendo um pouco da IDE

NetBeans. Conhecendo um pouco da IDE NetBeans Conhecendo um pouco da IDE Professor: Edwar Saliba Júnior Sumário Apresentação:...1 Criando Um Novo Projeto de Software:...1 Depurando Um Código-fonte:...4 Entendendo o Código-fonte:...7 Dica

Leia mais

Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões

Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões Professor: Max Pereira http://paginas.unisul.br/max.pereira Ciência da Computação Primeiro Programa em Java public class OlaPessoal

Leia mais

Componentes da linguagem C++

Componentes da linguagem C++ Componentes da linguagem C++ C++ é uma linguagem de programação orientada a objetos (OO) que oferece suporte às características OO, além de permitir você realizar outras tarefas, similarmente a outras

Leia mais

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza. josineys@inf.ufpr.br

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza. josineys@inf.ufpr.br Fundamentos de Programação Turma CI-240-EST Josiney de Souza josineys@inf.ufpr.br Agenda do Dia Aula 2 (07/08/15) Introdução ao Python História Características Estrutura dos código-fonte Primeiros elementos

Leia mais

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo:

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo: Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

ITENS FUNDAMENTAIS. Profª Angélica da Silva Nunes

ITENS FUNDAMENTAIS. Profª Angélica da Silva Nunes ITENS FUNDAMENTAIS Profª Angélica da Silva Nunes CONCEITOS BÁSICOS Hardware - é a parte física do computador, tais como: teclado, monitor de vídeo, etc. Software - são os programas e aplicativos que permitem

Leia mais

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10 1. TIPOS DE DADOS... 3 1.1 DEFINIÇÃO DE DADOS... 3 1.2 - DEFINIÇÃO DE VARIÁVEIS... 3 1.3 - VARIÁVEIS EM C... 3 1.3.1. NOME DAS VARIÁVEIS... 3 1.3.2 - TIPOS BÁSICOS... 3 1.3.3 DECLARAÇÃO DE VARIÁVEIS...

Leia mais

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu. Programação Estruturada Linguagem C Fundamentos da Linguagem Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Sumário Estrutura Básica Bibliotecas Básicas Tipos de Dados Básicos Variáveis/Declaração

Leia mais

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis Variáveis Variáveis são locais onde armazenamos valores na memória. Toda variável é caracterizada por um nome, que a identifica em um programa,

Leia mais

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET PADI 2015/16 Aula 1 Introdução à Plataforma.NET 1 Sumário 1. Framework.NET Arquitectura 2. Linguagem C# 2.0 Sintaxe C# vs. Java vs. C++ 3. IDE: MS Visual Studio 2005 ou superior Ferramentas Console/Win

Leia mais

Computação II Orientação a Objetos

Computação II Orientação a Objetos Computação II Orientação a Objetos Fabio Mascarenhas - 2014.1 http://www.dcc.ufrj.br/~fabiom/java Introdução Esse não é um curso de Java! O objetivo é aprender os conceitos da programação orientada a objetos,

Leia mais

Persistência de Dados

Persistência de Dados Persistência de s Universidade do Estado de Santa Catarina - Udesc Centro de Ciências Tecnológicas - CCT Departamento de Ciência da Computação Tecnologia de Sistemas de Informação Estrutura de s II - DAD

Leia mais

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA 4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Introdução à criação de macros...3 Gravação

Leia mais

CONVENÇÃO DE CÓDIGO JAVA

CONVENÇÃO DE CÓDIGO JAVA CONVENÇÃO DE CÓDIGO JAVA Eligiane Ceron - Abril de 2012 Versão 1.0 Conteúdo Considerações iniciais... 2 Introdução... 2 Extensão de arquivos... 2 Arquivos de código Java... 2 Comentários iniciais... 2

Leia mais

É uma das linguagens de programação que fazem parte da Plataforma.NET (em inglês: dotnet) criada pela Microsoft (Microsoft.NET).

É uma das linguagens de programação que fazem parte da Plataforma.NET (em inglês: dotnet) criada pela Microsoft (Microsoft.NET). C ( C-Sharp ) LPI 1. A Plataforma.NET (em inglês: dotnet) Visão Geral C é uma linguagem de programação. É uma das linguagens de programação que fazem parte da Plataforma.NET (em inglês: dotnet) criada

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

2 Orientação a objetos na prática

2 Orientação a objetos na prática 2 Orientação a objetos na prática Aula 04 Sumário Capítulo 1 Introdução e conceitos básicos 1.4 Orientação a Objetos 1.4.1 Classe 1.4.2 Objetos 1.4.3 Métodos e atributos 1.4.4 Encapsulamento 1.4.5 Métodos

Leia mais

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia Instituto Federal do Sertão-PE Curso de PHP Professor: Felipe Correia Conteúdo Parte I Parte II Introdução Funções de strings Instalação Constantes Sintaxe Operadores Variáveis if else elseif Echo/Print

Leia mais

Para baixá-lo entre no site : http://www.netduino.com/; Selecione a aba Downloads ; Clique no link: Microsoft Visual C# Express 2010; Por meio desse

Para baixá-lo entre no site : http://www.netduino.com/; Selecione a aba Downloads ; Clique no link: Microsoft Visual C# Express 2010; Por meio desse Para baixá-lo entre no site : http://www.netduino.com/; Selecione a aba Downloads ; Clique no link: Microsoft Visual C# Express 2010; Por meio desse programa será possível conectar-se ao Netduíno. Execute

Leia mais

Java - Introdução. Professor: Vilson Heck Junior. vilson.junior@ifsc.edu.br

Java - Introdução. Professor: Vilson Heck Junior. vilson.junior@ifsc.edu.br Java - Introdução Professor: Vilson Heck Junior vilson.junior@ifsc.edu.br Agenda O que é Java? Sun / Oracle. IDE - NetBeans. Linguagem Java; Maquina Virtual; Atividade Prática. Identificando Elementos

Leia mais

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/35 LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS No Microsoft Office Word 2007 é possível automatizar tarefas usadas frequentemente criando

Leia mais

Orientação a Objetos

Orientação a Objetos 1. Domínio e Aplicação Orientação a Objetos Um domínio é composto pelas entidades, informações e processos relacionados a um determinado contexto. Uma aplicação pode ser desenvolvida para automatizar ou

Leia mais

PROGRAMAÇÃO EM C# COM VISUAL STUDIO.NET

PROGRAMAÇÃO EM C# COM VISUAL STUDIO.NET PROGRAMAÇÃO EM C# COM VISUAL STUDIO.NET Professor Leo Larback Esta apresentação é parte de um material desenvolvido pelo Prof. Alessandro Brawerman disponível em http://docb.gratix.com.br/csharp TRABALHANDO

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Inicie o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

Programação Básica em Arduino Aula 2

Programação Básica em Arduino Aula 2 Programação Básica em Arduino Aula 2 Execução: Laboratório de Automação e Robótica Móvel Variáveis são lugares (posições) na memória principal que servem para armazenar dados. As variáveis são acessadas

Leia mais

Introdução a Java. Hélder Nunes

Introdução a Java. Hélder Nunes Introdução a Java Hélder Nunes 2 Exercício de Fixação Os 4 elementos básicos da OO são os objetos, as classes, os atributos e os métodos. A orientação a objetos consiste em considerar os sistemas computacionais

Leia mais

Lab de Programação de sistemas I

Lab de Programação de sistemas I Lab de Programação de sistemas I Apresentação Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Agenda Orientação a Objetos Conceitos e Práticas Programação OO

Leia mais

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br LP II Estrutura de Dados Introdução e Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Considerações Gerais Introdução a Linguagem C Variáveis e C Tipos de

Leia mais

Implementando uma Classe e Criando Objetos a partir dela

Implementando uma Classe e Criando Objetos a partir dela Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 04 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO) Parte: 2 Prof. Cristóvão Cunha Implementando uma Classe

Leia mais

Manual do Desenvolvedor Criptografia de Arquivos do WebTA

Manual do Desenvolvedor Criptografia de Arquivos do WebTA Manual do Desenvolvedor Criptografia de Arquivos do WebTA Versão 1.4 Índice 1. Objetivo..3 2. Processo..3 3. API de Criptografia - Biblioteca Java..4 3.1 WEBTACryptoUtil..4 3.1.1 decodekeyfile..4 3.1.2

Leia mais

Pastas São indicadas pelo ícone correspondente a uma pasta suspensa.

Pastas São indicadas pelo ícone correspondente a uma pasta suspensa. Janela do Windows Explorer Logo abaixo dos componentes que já conhecemos (barra de título, barra de menus e barra de ferramentas), existe uma divisão vertical, é a exibição de todas as pastas. Modos de

Leia mais

Nome N Série: Ferramentas

Nome N Série: Ferramentas Nome N Série: Ferramentas Competências: Identificar e utilizar técnicas de modelagem de dados; Habilidades: Utilizar ferramentas de apoio ao desenvolvimento de software; Bases Tecnológicas: Metodologias

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Produção / Elétrica Algoritmos e Programação Parte 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código }

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código } Este documento tem o objetivo de demonstrar os comandos e sintaxes básicas da linguagem Java. 1. Alguns passos para criar programas em Java As primeiras coisas que devem ser abordadas para começar a desenvolver

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 Em qualquer profissão é importante que se conheça bem as ferramentas que serão usadas para executar o trabalho proposto. No desenvolvimento de software não é

Leia mais

Microsoft Visual Studio 2010 C#

Microsoft Visual Studio 2010 C# Microsoft Visual Studio 2010 C# Apostila desenvolvida pelos Professores Ricardo Santos de Jesus e Rovilson de Freitas, para as Disciplinas de Desenvolvimento de Software I e II, nas Etecs de Francisco

Leia mais

Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída. Prof. Críston Algoritmos e Programação

Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída. Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C Linguagem de uso geral (qualquer tipo de aplicação) Uma das linguagens mais utilizadas Foi utilizada

Leia mais

public Agenda() { compromissos = null; } public int getnumerodecompromissos() { if (compromissos==null) return 0; else return compromissos.

public Agenda() { compromissos = null; } public int getnumerodecompromissos() { if (compromissos==null) return 0; else return compromissos. import java.util.scanner; class Data... class Compromisso... public class Agenda private Compromisso[] compromissos; private Compromisso[] realoquecompromissos (Compromisso[] vetor, int tamanhodesejado)

Leia mais

Linguagem e Técnicas de Programação I Tipos de dados, variáveis e constantes. Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa.

Linguagem e Técnicas de Programação I Tipos de dados, variáveis e constantes. Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa. Linguagem e Técnicas de Programação I Tipos de dados, variáveis e constantes Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa. Ameliara Freire Tipos de dados Os programas manipulam dados, armazenando-os

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Abril 2013 Sumário 1. Agente... 1 2. Onde instalar... 1 3. Etapas da Instalação do Agente... 1 a. Etapa de Instalação do Agente... 1 b. Etapa de Inserção

Leia mais

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS A Linguagem Java Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Roteiro Comentários Variáveis Tipos Primitivos de Dados Casting Comandos de Entrada e Saída Operadores Constantes 2 Comentários /** Classe para impressão

Leia mais

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Breve Histórico A linguagem de programação C foi criada na década de 70, por Dennis Ritchie, que a implementou,

Leia mais

ANEXO 01 GUIA PASSO A PASSO

ANEXO 01 GUIA PASSO A PASSO ANEXO 01 GUIA PASSO A PASSO Conteúdo 1 TELA DE ACESSO... 3 1.1 Enviar e-mail... 4 2 INTEGRANDO CONTAS COM OUTLOOK... 5 3 DREAMSPARK... 6 4 SKYDRIVE... 12 4.1 Organização do ambiente criar pastas... 13

Leia mais

AULA 06 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS

AULA 06 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS AULA 06 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS O Windows XP fornece contas de usuários de grupos (das quais os usuários podem ser membros). As contas de usuários são projetadas para indivíduos. As contas de grupos são projetadas

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Softblue Logic IDE Guia de Instalação www.softblue.com.br Sumário 1 O Ensino da Lógica de Programação... 1 2 A Ferramenta... 1 3 Funcionalidades... 2 4 Instalação... 3 4.1 Windows...

Leia mais

CRIANDO TEMPLATES E LEGENDAS

CRIANDO TEMPLATES E LEGENDAS CRIANDO TEMPLATES E LEGENDAS Este tutorial tem como objetivo instruir passo à passo como criar templates de peças, utilizar os novos recursos de cadastro de propriedade de peças e criação de legenda. 1-

Leia mais

Estrutura de Dados. Introdução a Ponteiros. Prof. Gerson Borges Estrutura de Dados I 1

Estrutura de Dados. Introdução a Ponteiros. Prof. Gerson Borges Estrutura de Dados I 1 Estrutura de Dados Introdução a Ponteiros Prof. Gerson Borges Estrutura de Dados I 1 Sumário è Explicação da importância do planejamento de ensino; è Métodos e técnicas que iremos trabalhar durante o semestre;

Leia mais

Aula Prática 1: Introdução ao Ambiente de Programação Dev-C++

Aula Prática 1: Introdução ao Ambiente de Programação Dev-C++ Aula Prática 1: Introdução ao Ambiente de Programação Dev-C++ 1. Introdução Em nossa primeira aula prática de programação em linguagem C iremos escrever e testar programas de computador básicos. Mas antes,

Leia mais

Roteiro do Programa e Entrada/Saída

Roteiro do Programa e Entrada/Saída Roteiro do Programa e Entrada/Saída c Professores de ALPRO I Faculdade de Informática PUCRS 03/2012 ALPRO I (FACIN) Roteiro do Programa e E/S 03/2012 1 / 32 Sumário 1 Relembrando 2 Programa Definição de

Leia mais

Projeto de Software Orientado a Objeto

Projeto de Software Orientado a Objeto Projeto de Software Orientado a Objeto Ciclo de Vida de Produto de Software (PLC) Analisando um problema e modelando uma solução Prof. Gilberto B. Oliveira Estágios do Ciclo de Vida de Produto de Software

Leia mais

Introdução ao Desenvolvimento de Jogos BCT - UERN

Introdução ao Desenvolvimento de Jogos BCT - UERN Introdução ao Desenvolvimento de Jogos BCT - UERN PROJETO DE EXTENSÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO NORTE O QUE É O SCRATCH? Scratch é uma nova linguagem de programação criada no Media Lab do

Leia mais

PROGRAMANDO EM C# ORIENTADO A OBJETOS

PROGRAMANDO EM C# ORIENTADO A OBJETOS PROGRAMANDO EM C# ORIENTADO A OBJETOS AGENDA MÓDULO 4 IDE Visual Studio e edições Exemplos IDE - INTEGRATED DEVELOPMENT ENVIRONMENT IDE, Ambiente de Desenvolvimento Integrado. Uma IDE é uma ferramenta

Leia mais

Instalação de Impressora

Instalação de Impressora 1 Instalação de Impressora Daruma (Modelo DR700M) Windows 7 Você vai precisar de: Procedimentos: 1. Impressora Térmica Daruma (DR700M); 2. Fonte de alimentação (obs.: se as tomadas disponíveis no local

Leia mais

Conceitos básicos da linguagem C

Conceitos básicos da linguagem C Conceitos básicos da linguagem C 2 Em 1969 Ken Thompson cria o Unix. O C nasceu logo depois, na década de 70. Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando o sistema operacional UNIX criado por

Leia mais

ARRAYS. Um array é um OBJETO que referencia (aponta) mais de um objeto ou armazena mais de um dado primitivo.

ARRAYS. Um array é um OBJETO que referencia (aponta) mais de um objeto ou armazena mais de um dado primitivo. Cursos: Análise, Ciência da Computação e Sistemas de Informação Programação I - Prof. Aníbal Notas de aula 8 ARRAYS Introdução Até agora, utilizamos variáveis individuais. Significa que uma variável objeto

Leia mais

Programação para Dispositivos Móveis Aula 1. Prof. William Yamamoto

Programação para Dispositivos Móveis Aula 1. Prof. William Yamamoto Programação para Dispositivos Móveis Aula 1 Prof. William Yamamoto Visual Studio É uma ferramenta de desenvolvimento completa que atende praticamente a todas as plataformas de desenvolvimento, como: Web

Leia mais

1) Ao ser executado o código abaixo, em PHP, qual será o resultado impresso em tela?

1) Ao ser executado o código abaixo, em PHP, qual será o resultado impresso em tela? Exercícios sobre Linguagem PHP: 1) Ao ser executado o código abaixo, em PHP, qual será o resultado impresso em tela? 2) Considere a linguagem de programação PHP e seus operadores. A execução da sentença:

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 APROG Algoritmia e Programação Linguagem JAVA Básico Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 Linguagem Java Estrutura de um Programa Geral Básica Estruturas de Dados Variáveis Constantes Tipos de Dados

Leia mais

GUIA DE PROCEDIMENTOS PARA ACESSO VIA FTP

GUIA DE PROCEDIMENTOS PARA ACESSO VIA FTP INFORMÁTICA mai/11 Pág. I.1 ACESSO VIA FTP GUIA DE PROCEDIMENTOS PARA ACESSO VIA FTP INFORMÁTICA mai/11 Pág. I.2 ÍNDICE I INTRODUÇÃO... I.3 II III ACESSO PELO WINDOWS EXPLORER... II.1 ACESSO PELO NAVEGADOR

Leia mais

5 - Vetores e Matrizes Linguagem C CAPÍTULO 5 VETORES E MATRIZES

5 - Vetores e Matrizes Linguagem C CAPÍTULO 5 VETORES E MATRIZES CAPÍTULO 5 5 VETORES E MATRIZES 5.1 Vetores Um vetor armazena uma determinada quantidade de dados de mesmo tipo. Vamos supor o problema de encontrar a média de idade de 4 pessoas. O programa poderia ser:

Leia mais

Tarefa Orientada 2 Visual Studio 2005 e Visual C#

Tarefa Orientada 2 Visual Studio 2005 e Visual C# Tarefa Orientada 2 Visual Studio 2005 e Visual C# Nesta tarefa é proposta a realização de um conjunto de actividades que têm como finalidade a familiarização com o programa e adquirir alguma destreza na

Leia mais

Manual para conversão de Teses e Dissertações em PDF

Manual para conversão de Teses e Dissertações em PDF Manual para conversão de Teses e Dissertações em PDF 1 - Introdução Todas as Teses e Dissertações apresentadas pelos alunos de Mestrado e Doutorado da PUC-Rio deverão ser convertidas em arquivos no formato

Leia mais

20 Caracteres - Tipo char

20 Caracteres - Tipo char 0 Caracteres - Tipo char Ronaldo F. Hashimoto e Carlos H. Morimoto Até agora vimos como o computador pode ser utilizado para processar informação que pode ser quantificada de forma numérica. No entanto,

Leia mais

Criando uma agenda simples com NetBeans 6.5

Criando uma agenda simples com NetBeans 6.5 Criando uma agenda simples com NetBeans 6.5 (Swing application framework e Beansbinding) Já faz algum tempo que escrevi uma agenda simples usando o Eclipse com o Visual Class Editor. Demorei em torno de

Leia mais

Microsoft Excel 2003

Microsoft Excel 2003 Associação Educacional Dom Bosco Faculdades de Engenharia de Resende Microsoft Excel 2003 Professores: Eduardo Arbex Mônica Mara Tathiana da Silva Resende 2010 INICIANDO O EXCEL Para abrir o programa Excel,

Leia mais

COMO INSTALAR ZIM 8.50 WINDOWS

COMO INSTALAR ZIM 8.50 WINDOWS ZIM TECHNOLOGIES DO BRASIL COMO INSTALAR ZIM 8.50 WINDOWS Próx Antes de Iniciar O objetivo deste documento é apresentar os passos necessários para instalar a versão mais recente do Zim 8.50 para Windows.

Leia mais

Módulo 3936 ASP.NET. Financiado pelo FSE

Módulo 3936 ASP.NET. Financiado pelo FSE 2 EISnt Centro de Formação Profissional, Engenharia Informática e Sistemas, Novas Tecnologias, Lda Avª D. João I, nº 380/384 Soutelo 4435-208 Rio Tinto Portal Internet : www.eisnt.com E-Mail : formação@eisnt.com

Leia mais

CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS. João Gabriel Ganem Barbosa

CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS. João Gabriel Ganem Barbosa CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS João Gabriel Ganem Barbosa Sumário Motivação História Linha do Tempo Divisão Conceitos Paradigmas Geração Tipos de Dados Operadores Estruturada vs

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Unidade 4 Ambiente de desenvolvimento Java QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática SUMÁRIO A LINGUAGEM JAVA... 3 JVM, JRE, JDK... 3 BYTECODE... 3 PREPARANDO O AMBIENTE

Leia mais