Encorajamento e Defesa do Uso de Catecismos Bíblicos. William R. Downing

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Encorajamento e Defesa do Uso de Catecismos Bíblicos. William R. Downing"

Transcrição

1

2 Encorajamento e Defesa do Uso de Catecismos Bíblicos William R. Downing.

3 Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism with Commentary By W. R. Downing Copyright 2008 O presente volume consiste somente em um excerto da obra supracitada Publicado por P.I.R.S. PUBLICATIONS Um Ministério da Sovereign Grace Baptist Church ( Publicações Impressas nos Estados Unidos da América ISBN Todos os direitos reservados somente ao autor. Nenhuma parte deste livro deve ser reproduzida em qualquer forma que seja sem a permissão prévia do autor. Tradução por Hiriate Luiz Fontouro Revisão por Paul Cahoon, Benjamin Gardner, Albano Dalla Pria e Erci Nascimento Edição Inicial por Calvin G. Gardner Revisão Final por William Teixeira e Camila Rebeca Almeida Edição Final e Capa por William Teixeira Imagem da Capa: São Paulo perante o Areópago, por Rafael (Domínio Público) 1ª Edição: Fevereiro de 2016 As citações bíblicas usadas nesta tradução são da versão Almeida Corrigida Fiel ACF Copyright 1994, 1995, 2007, 2011 Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil. Publicado em Português como fruto de uma parceria entre os websites oestandartedecristo.com e PalavraPrudente.com.br, com a graciosa permissão do amado autor W. R. Downing (Copyright 2008) e do amado, saudoso e agora glorificado, Calvin G. Gardner.

4 Encorajamento e Defesa do Uso de Catecismos Bíblicos Por William R. Downing [Excerto de Um Catecismo de Doutrina Bíblica, por William R. Downing] O Termo Catequizar A palavra portuguesa catecismo é derivada do verbo Grego katēchēo, entoar em voz alta, ensinar oralmente, instruir pela boca. Este termo tinha originalmente a ideia de falar para baixo ou por cima, ou seja, de atores num palco elevado. É uma composição da preposição kata, para baixo, por toda parte, completamente, e do verbo ēchēo, soar, a fonte da nossa palavra portuguesa eco. Parece haver nesta etimologia a ideia de uma resposta responsiva. Catequese tem a conotação de instrução oral completa ou repetida, e é apenas um dos vários termos relacionados para instrução ou ensino encontrado nas Escrituras. O termo em si ocorre oito vezes no Novo Testamento (duas vezes como informado, em Atos 21:2, 24, referindo-se à informação boca-a-boca): Para que conheças a certeza das coisas de que já estás catequizado (Lucas 1:4). Este era catequizado no caminho do Senhor e, fervoroso de espírito, falava e ensinava diligentemente as coisas do Senhor (Atos 18:25). E sabes a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo catequizado por lei (Romanos 2:18). Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também catequizar os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida (1 Coríntios 14:19). E o que é catequizado na palavra reparta de todos os seus bens com aquele que o catequiza (Gálatas 6:6). C. H. Spurgeon Sobre Catequizar (Da introdução de seu próprio Catecismo Batista) Em matéria de doutrina você encontrará congregações ortodoxas habitualmente mudadas para heterodoxia no decorrer de trinta ou quarenta anos, e isto acontece porque, frequente-

5 mente, não tem havido a catequese das crianças nas doutrinas essenciais do Evangelho. Da minha parte, estou cada vez mais convencido que o estudo de um bom catecismo bíblico é de valor infinito para os nossos filhos... Mesmo que os jovens não entendam todas as perguntas e respostas... contudo, permanecendo em suas memórias, elas serão de infinito valor quando o tempo do entendimento chegar, por ter conhecido estas mui excelentes, sábias e judiciosas definições das coisas de Deus... Será uma bênção para eles a maior de todas as bênçãos... uma bênção na vida e na morte, no tempo e na eternidade, a melhor das bênçãos que Deus pode dar... Estou convencido de que o uso de um bom catecismo em todas as nossas famílias será uma grande proteção contra os erros crescentes dos tempos, e, portanto, eu compilei este pequeno manual... para o uso de minha própria igreja e congregação. Aqueles que fizerem uso dele em suas famílias ou classes devem se esforçar para explicar o sentido; mas as palavras devem ser cuidadosamente aprendidas de cor, pois serão melhor entendidas com o passar dos anos. O Uso Prático de um Catecismo O uso prático deste catecismo pode ser sumarizado nas seguintes considerações: 1. A catequese é uma prática bíblica. É ensinada tanto no Velho como no Novo Testamento tanto por preceito como por exemplo. 2. Muitos podem ter um conhecimento geral da Bíblia, porém há uma grande falta no que diz respeito à capacidade de raciocinar a partir das Escrituras de uma forma doutrinariamente consistente. Nós devemos conhecer a Bíblia doutrinariamente e devemos conhecer nossa doutrina biblicamente. A menos que cheguemos a um conhecimento doutrinário consistente das Escrituras, o nosso conhecimento da Palavra de Deus é tanto deficiente quanto defeituoso. O uso de um catecismo leva alguém a pensar tanto biblicamente como doutrinariamente. É uma introdução muito básica e necessária para a doutrina Bíblica e para a teologia elementar. 3. Este é um catecismo com comentário. Tal trabalho se destina a educar toda a família. Os comentários são destinados para os pais e alunos mais velhos como um meio de educarem a si mesmos na doutrina básica da Bíblia. As notas são destinadas a servir de base para a instrução da família e discussão da verdade bíblica. 4. As perguntas e respostas são seguidas por um ou mais textos-prova, e devem ser memorizados com a pergunta e sua resposta. 5. Quanto à metodologia, é sugerido que os pais instruam seus filhos nas perguntas, respostas e textos-prova e, então discutam os assuntos envolvidos. Os filhos menores podem

6 ser capazes apenas de memorizar as perguntas e respostas, enquanto os filhos mais velhos serão capazes de memorizar uma ou mais referências bíblicas. Aqueles que são mais velhos também podem começar a assimilar os assuntos envolvidos. Algumas Objeções Contra o Catecismo Respondidas PRIMEIRA OBJEÇÃO: Por que, como Batistas, usar um catecismo? Os catecismos não pertencem apenas aos Romanistas, Luteranos ou Cristãos Reformados? Nós temos apenas um credo: a Bíblia! Nós não colocaremos e não podemos colocar qualquer literatura no mesmo patamar com as Escrituras, ou adicionar à Palavra de Deus de forma alguma. RESPOSTA: 1. A catequese ou a instrução oral repetitiva é bíblica. Ela foi dada por ordem Divina no Antigo Testamento e é ratificada no Novo Testamento pelo exemplo inspirado Apostólico. 2. Esta não é uma questão de acrescentar algo às Escrituras, mas, sim, o uso de uma ajuda necessária para uma compreensão abrangente do seu ensino doutrinário. Deus nos criou racionais, seres moralmente responsáveis, criados à sua imagem e semelhança. Fomos criados tanto com capacidade como com necessidade de organizar. Uma abordagem ordenada ou sistemática à verdade Divina é uma necessidade, como pode ser visto na existência necessária de doutrina e teologia. Infelizmente, muitos que se opõem ao uso de um catecismo se voltam para o uso muito questionável de outros materiais de ensino religioso que são doutrinariamente superficiais ou doentios. 3. A catequese é uma abordagem elementar organizada para a verdade da Palavra de Deus. É uma introdução primária ao ensino doutrinário das Escrituras. 4. Há uma grande necessidade que todos os crentes têm de pelo menos dois tipos de conhecimento sobre a verdade de Deus: Primeiro, cada jovem deve ter pelo menos um conhecimento geral das Escrituras. O que muitos chamam de Histórias Bíblicas dá à criança mais jovem um conhecimento geral da Bíblia, seu formato histórico, os princípios básicos da história redentora e algum conhecimento sobre os vários livros da Bíblia e seus personagens principais. Segundo, todo jovem deve ser ensinado a compreender, pensar e raciocinar doutrinariamente a partir das Escrituras. Durante séculos, este tem sido o propósito de um catecismo doutrinariamente sadio. A catequese cessou entre nossos antepassados Batistas quando eles não mais enfatizaram seus distintivos doutrinários e Confissões de Fé. Nas escolas dominicais os catecismos foram substituídos pelas revistas trimestrais, as quais têm-se provado, acreditamos nós, ser vastamente inferiores.

7 5. Os Batistas usaram catecismos extensivamente e com muito proveito espiritual até o século passado. Esta objeção por si mesma demonstra o triste desvio de alguns Batistas de seus próprios distintivos e práticas doutrinários, e a ignorância de alguns Batistas modernos sobre a sua própria história e herança espiritual. A seguir estão alguns dos catecismos mais conhecidos, escritos e usados pelos Batistas: Henry Jessey, Batista Particular, Um Catecismo para Crianças, ou para os Pequeninos, Hercules Collins, Batista Particular, O Catecismo Ortodoxo (adaptado do Catecismo Heidelberg), Thomas Grantham, Batista Geral, Catecismo do São Paulo (baseado nos seis princípios dos Hebreus 6), Benjamin Keach e William Collins, O Catecismo Batista, A Associação Batista Filadélfia de Batistas Particulares publicou um catecismo anexo à sua Confissão de Fé Filadélfia, William Gadsby, Evangelho Padrão Batista, publicou um catecismo intitulado As Coisas Certamente Mais Cridas Entre Nós, C. H. Spurgeon publicou Um Catecismo Batista (compilado a partir do Breve Catecismo de Westminster e Catecismo Batista de Keach), A Diretoria da Escola Dominical da Convenção Batista do Sul publicou dois catecismos: o primeiro de J. P. Boyce, Um Breve Catecismo da Doutrina Bíblica (1864) e o segundo de John A. Broadus (1892). A última obra foi publicada em conjunto por ambas as Convenções Batista do Sul e a Sociedade de Publicação Batista Americana. SEGUNDA OBJEÇÃO: Os catecismos não introduzem o erro no pensamento de muitos? RESPOSTA: 1. Isto pode ser verdade, mas a culpa não está no uso de um catecismo por si só, mas em pressuposições não bíblicas e nas tradições religiosas, que foram sobrepostas sobre a Palavra de Deus.

8 2. Um catecismo é verdadeiro e útil apenas quando ele comunica com precisão a verdade das Escrituras. 3. Idealmente, o evangelismo através de catequese leva a uma profissão de fé confiável. 4. Um catecismo deve ser um conservante da verdade e não uma introdução ao erro. Um catecismo é dado apenas como bom, verdadeiro ou preciso no que respeito às pressuposições doutrinárias e teológicas de seu(s) autor(es). Como a própria Palavra de Deus em si deve ser abordada com pressuposições consistentes, assim acontece como toda a literatura religiosa, inclusive um catecismo. TERCEIRA OBJEÇÃO: Há um grande perigo em se desviar da linguagem bíblica, tanto na redação quanto na forma. RESPOSTA: 1. Há sempre um perigo em desviar-se das Escrituras, tanto da doutrina e da prática. Isto é verdade em qualquer tipo de pregação ou ensino. 2. A melhor prevenção contra tal desvio tem sido o uso conciso, declarações compreensivas que afirmam precisa e consistentemente a verdade dos Credos, Confissões e Catecismos Escriturários se eles forem doutrinariamente sadios e refletirem com precisão o ensinamento das Escrituras. 3. Há uma necessidade de proposições e resumos concisos e consistentes doutrinários ou teológicos. A palavra modelo em 2 Timóteo 1:13 refere-se a um esboço distinto ou resumo da verdade Divina. Uma dada proposição ou declaração teológica é necessariamente mais concisa do que qualquer verso da Bíblia, porque, se verdadeira ou fiel e coerente com a Palavra de Deus, é baseada na analogia da fé (o ensino total, autoconsistente da Palavra de Deus, uma vez que incide sobre qualquer aspecto dado da verdade Divina), e não sobre um ou mesmo vários textos-prova. QUARTA OBJEÇÃO: É muito perigoso ensinar jovens e crianças não-convertidos a dar respostas bíblicas ou corretas ás questões doutrinárias. RESPOSTA: 1. Esta objeção é baseada numa preocupação grande e legítima pelas almas das crianças,

9 a saber, que elas podem se tornarem Cristãos meramente professos por meia da simples memorização e recitação da verdade sem uma operação interior da graça salvífica. 2. Esta objeção pode ser igualmente trazida contra os jovens e crianças não-convertidas tendo lido ou memorizado a Escritura, aprendido a orar ou assentado num ministério educacional de pregação consistente. 3. Cada meio legítimo para a comunicação da verdade Divina deve ser usado para convicção, conversão, edificação e maturidade espiritual de nós mesmos e nossas famílias. Isto inclui todos os meios da graça, tanto públicos como privados leitura e oração pessoal e familiar, adoração coletiva, o ministério público da Palavra, comunhão santificada com o povo de Deus e a leitura de literaturas religiosas sadias. 4. O instrumento primário depois das Escrituras deveria ser o uso de um catecismo sadio. Isto com o fim de manter os princípios de instrução Divinamente ordenados na Escritura. Um catecismo é destinado a suplementar e reforçar, e não para substituir a primazia da Palavra de Deus. QUINTA OBJEÇÃO: O uso de um catecismo não promove a prática perigosa de desenvolver mentalmente um texto-prova, isto é, o perigo de basear um sistema doutrinário em algumas passagens comparativamente selecionadas da Escritura, um método usado por várias seitas? Além de outras práticas nocivas que sempre produzem tanto um mau entendimento como uma má interpretação da Escritura. RESPOSTA: 1. Esta objeção é baseada em parte na falácia que a Palavra de Deus deve declarar uma dada doutrina repetidamente como sendo verdade. Uma vez é suficiente, embora nenhuma verdade bíblica esteja apenas num texto isolado. A necessidade de repetição de qualquer aspecto dado da verdade Divina para estabelecer sua validade revela uma visão muito deficiente tanto de Deus como da Escritura. Cada declaração da Escritura é verdadeira e verdade. 2. A verdade da Escritura existe como um todo compreensivo, consistente, unificado. Enquanto que o catecismo pode dar apenas uma declaração ou duas para verificar o ensino doutrinário da Escritura, se estas declarações forem claras e consistentes com a analogia da fé, elas formam uma base bíblica para a fé de alguém. Muitas vezes no testemunho evangelístico ou no rigoroso exercício de apologética evangelística, uma clara declaração sadia da Escritura pode ser o único firme ou possível fundamento para discussão.

10 3. É quase impossível que qualquer catecismo possa ou deva existir sem uma determinada quantidade de explicação ou a necessidade de um estudo mais aprofundado. As perguntas, respostas e textos-prova do catecismo fornecem uma introdução ao ensino doutrinário da Escritura, não a palavra final e exaustiva. As perguntas e respostas despertam necessariamente a curiosidade da criança ou do novo-convertido e pedem por explicação adicional e discussão. Perguntas e Respostas Acerca do Uso de um Catecismo As seguintes perguntas e respostas servirão para analisar e resumir os assuntos envolvidos, e impor a grande necessidade do uso consistente de um catecismo sadio. PERGUNTA 1: Por que usar um catecismo? RESPOSTA: Existem várias razões pelas quais as igrejas, famílias e indivíduos devem fazer um bom uso de um catecismo adequado: 1. O uso de um catecismo é bíblico em princípio e é baseado no mandamento Divino para a instrução bíblica no Antigo Testamento e também o exemplo inspirado do Novo Testamento (Deuteronômio 4:9-10; 6:4-9; Lucas 1:4; Gálatas 6:6, Efésios 6:1-4). O formato de perguntas e respostas dos catecismos modernos é incidental ao princípio bíblico que permeia a catequese, que evidentemente consistia de instrução oral repetitiva, compromisso com a memória e uma resposta oral. 2. Toda pessoa precisa de dois tipos de conhecimento bíblico: primeiro, toda pessoa deveria ter pelo menos um conhecimento geral da Bíblia, seu formato histórico, os princípios básicos da história redentora e algum conhecimento acerca dos vários livros da Bíblia, as circunstâncias históricas da escrita deles e seus principais personagens. Segundo, toda pessoa deveria ser ensinada a compreender, pensar e raciocinar doutrinariamente a partir das Escrituras. Desde os tempos Bíblicos, este tem sido o propósito de um catecismo doutrinariamente sadio. Estes dois tipos de conhecimento, bíblico e doutrinário, necessariamente se complementam. A verdade doutrinária é a mensagem da Bíblia, a verdadeira alma da Escritura. 3. O uso de um catecismo é o método mais conciso e melhor para incutir a verdade Divina na mente e no coração e imprimi-la na memória.

11 4. Os catecismos podem ser escritos (e têm sido escritos), de tal forma a serem adequados e apropriados para qualquer idade ou nível de desenvolvimento espiritual. As criancinhas podem pelo menos aprender as perguntas e respostas de um catecismo muito simples, e muitas vezes começam a memorizar pelo menos um verso da Escritura em cada conjunto. Muito deve ser feito quando a mente é jovem, propensa a aprender e absorver, e em grande parte desocupada das questões da vida. As crianças mais velhas e os novos-convertidos podem tirar muito proveito dos catecismos, que, necessariamente, e, naturalmente, exigem explicação e discussão. O processo real de catequese pressupõe que aqueles que catequizam os outros tenham um fundamento suficiente e maturidade na verdade para explicar a partir das Escrituras as verdades declaradas no catecismo. PERGUNTA 2: Quais são os requerimentos necessários para um catecismo? RESPOSTA: Os requerimentos necessários ou essenciais para um catecismo sadio são pelo menos quatro em número: 1. O catecismo deve ser completamente bíblico na formulação de suas respostas. 2. Os textos-prova devem ensinar claramente a verdade referente à pergunta e a resposta dada. As pressuposições doutrinárias do catecismo devem ser sadias. 3. As perguntas e respostas devem ser adequadas, ou seja, de tal natureza que elas não estejam nem muito envolvidas nem sejam complexas para serem memorizadas nem simples demais para serem úteis àqueles que são mais velhos. 4. Alguns catecismos são mais adequados para crianças pequenas, outros são mais adequados para crianças mais velhas e adultos. Algumas perguntas exigem respostas estendidas para transmitir adequadamente a verdade. Algumas das respostas neste catecismo são necessariamente longas. PERGUNTA 3: Qual é o propósito de um catecismo? RESPOSTA: O propósito para o uso de um catecismo é pelo menos nônuplo:

12 1. Instruir no essencial da Fé Cristã. O assunto é a verdade, a verdade Divina! Nós devemos fazer tudo o que pudermos para imprimir esta verdade na mente e no coração tanto dos salvos quanto dos não-salvos, e especialmente dos nossos filhos. Existem duas questões: primeiro, toda criança e todo novo-convertido deve ser instruído nos fundamentos ou essências da Fé Cristã, tanto quanto possível (3 João 4). Segundo, todo Cristão deve procurar tornar-se tanto um estudante da Bíblia como um teólogo (2 Timóteo 3:16-17; Hebreus 5:11-14; 2 Pedro 3:18). 2. Para imprimir a verdade Divina no coração e na mente. A concisão do catecismo como uma série de declarações doutrinais claras derivadas da Escritura, é projetada para incutir a verdade no processo de pensamento e imprimi-la na mente e no coração. A menos que a verdade doutrinária seja cuidadosa e biblicamente contemplada, ela nunca será verdadeira e plenamente compreendida, devidamente abraçada nem terá sua prática implementada na vida (Salmos 119:11). 3. Para evangelizar os não-convertidos. Os pais Cristãos catequizando os seus filhos constituem o melhor meio de evangelizá-los verdadeiramente de uma forma consistente e equilibrada. As mentes deles têm que lidar com a verdade e as consciências deles podem ser sondadas no contexto de todo o conselho de Deus. Nos anos posteriores, a verdade pode ser aplicada à consciência através da lembrança de tal instrução (Efésios 6:1-4; 2 Timóteo 3:15). 4. Para preparar para o ministério público da Palavra. A pregação pública da Palavra de Deus deve abordar uma série de assuntos: a verdade do Evangelho, uma cosmovisão Cristã, toda a gama de doutrina Cristã e sua aplicação à vida da igreja e do indivíduo, a família Cristã, a relação do Cristão com a sociedade não-regenerada em que vive e as variedades da experiência Cristã. Catequizar necessariamente prepara os pais, as crianças e jovens convertidos para o ministério da Palavra por incutir neles uma consciência de Deus, permitindo-lhes começar a pensar de forma consistente a partir das Escrituras, dando-lhes uma compreensão básica das verdades bíblicas e doutrinárias, e familiarizando-os com terminologia doutrinária e teológica (2 Timóteo 1:13; 2:2) 5. Para atuar como uma prevenção contra o erro e a heresia. A melhor prevenção contra o erro e a heresia é a Palavra de Deus certamente (correta ou consistentemente) compreendida. O catecismo é uma declaração concisa e exata da Palavra de Deus em sua expressão doutrinária (Efésios 4:11-16; 2 Timóteo 4:1-5; 2 Pedro 3:16-18). 6. Para atuar como uma prevenção da decadência espiritual. O verdadeiro conhecimento das Escrituras é, necessariamente, um conhecimento consistente (e, portanto, não-contraditório) do seu ensino doutrinário. O uso de um catecismo como uma abordagem concisa, lógica, sistemática à verdade Divina deve refrescar a mente e o coração e avivar o zelo de

13 alguém. Há uma relação necessária e imediata entre a verdade e a consciência e entre a verdade e o zelo, se o Espírito e a graça de Deus estão presentes (Hebreus 5:10-14; 2 Pedro 3:16-18). 7. Para edificar os crentes de todas as idades e níveis de maturidade espiritual. Todos sem exceção vão se beneficiar com o uso de um catecismo. As criancinhas e os novos-convertidos serão instruídos consistentemente na fé, crentes maduros devem ser renovados e vivificados pela reiteração da verdade e os crentes idosos devem ser sustentados e animados pela verdade imutável estabelecida pelas Escrituras. 8. Para rever a essência da Doutrina Cristã. O âmbito do seu ensino e da concisão de suas respostas fazem de um catecismo uma fonte primária para uma revisão de qualquer aspecto da verdade doutrinária, declarada de forma simples, concisa e bíblica. 9. Para proporcionar uma grande e necessária ajuda em defesa da Fé. A concisão do catecismo em expressar a verdade doutrinária, e a memorização dos textos-prova, fornecem os elementos essenciais necessários para defender a fé ou explicá-la aos outros de forma clara e bíblica (2 Coríntios 10:3-5; 1 Pedro 3:15; Judas 3). PERGUNTA 4: Quanto tempo e esforço devem ser dados ao uso de um catecismo? RESPOSTA: O tempo e o esforço gastos na utilização de um catecismo devem ser tanto quanto ou mais do que o tempo e esforço gasto em qualquer outra disciplina. Muito tempo pode ser dado a eventos esportivos para o desenvolvimento motor e habilidades sociais necessárias, mas qual é o bem que estes fazem para a alma? A catequese é tanto para o tempo presente quanto para a eternidade. Como o estudo da matemática, história, o uso básico de ferramentas manuais ou mecânicas, e a aquisição geral de habilidades são consideradas necessárias para a educação da criança, assim o tempo e o esforço devem ser despendidos para instruir a mente e o coração e, assim, alcançar a alma. Que instrução é mais importante do que a verdade Divina? Que habilidade é mais importante e duradoura do que a de compreender o ensino doutrinário das Escrituras? PERGUNTA 5: Quem deve se beneficiar do uso de um catecismo? RESPOSTA: Qualquer pessoa deveria se beneficiar grandemente do uso de um catecismo: 1. As criancinhas, que precisam ser instruídas nos ensinos básicos da Escritura, para o

14 bem de suas próprias almas e sua salvação, e prepará-las para se sentarem sob a pregação do Evangelho de forma inteligente. 2. As crianças mais velhas e jovens adultos, que precisam conhecer a verdade da Palavra de Deus e do caminho da salvação. 3. Os novos-convertidos, que necessitam ser confirmados na fé através da instrução básica na verdade doutrinária. 4. Os Cristãos maduros, que necessitam ter um conhecimento abrangente da verdade a fim de viver de forma consistente e inteligente na fé e também para instruir os outros nas coisas Divinas. 5. Os anciãos, ministros e professores, que não só devem ser firmemente radicados na fé, mas devem também ensinar e ministrar aos levando em conta seus respectivos níveis. Uma revisão de um catecismo em pontos doutrinários essenciais deve ser uma parte essencial da preparação do sermão. 6. Os não-convertidos de qualquer e todas as idades. No catecismo eles encontrarão a verdade biblicamente, de forma simples e consistentemente explicada. Isto certamente trabalhará para a sua compreensão da pregação, e pode cooperar para a sua convicção de pecado e para que, de forma inteligente ele abrace a Cristo por meio da fé salvífica. PERGUNTA 6: Quais são os valores de um catecismo? RESPOSTA: Existem dois grandes valores no uso de um catecismo: 1. Um valor imediato ou primário. Isto consiste em inculcar a verdade Divina na mente ou no coração, e através disto, na consciência e na vida. Para os descrentes, ele fornece uma base bíblica para a verdade do Evangelho e para a esperança de salvação. Para o salvo, ele constrói uma base bíblica e doutrinária sólida para toda a vida. 2. Um valor final ou secundário. O catecismo a um determinado grau marcará a pessoa para a vida, sendo salva ou não-salva. A verdade uma vez comissionada à memória encontrará a sua marca em incutir uma consciência de Deus, despertando a consciência e proporcionando um sentido bíblico do certo e do errado. Que situação diferente existiria hoje em nossas famílias e na sociedade em geral, se a maioria tivesse sido instruída com um catecismo sadio! Um clima moral diferente prevaleceria, um abençoado ponto de contato com a verdade do Evangelho já teria sido implantado na mente e no coração. Hoje nós vivemos em uma sociedade abertamente secularizada

15 onde muitos homens e mulheres não têm nenhuma crença em Deus ou em um conceito de verdade qualquer que seja. Nada existe em seus corações ou mentes para evitar a sua queda em mergulho para a impiedade e imoralidade. Ao mesmo tempo as barreiras espirituais e morais necessárias não foram erguidas e implementadas com o uso de um catecismo sadio em grande parte da sociedade. O que dizer da atual falta, ou até mesmo, do desprezo pela verdade doutrinária entre os Cristãos professos? Um verdadeiro e completo conhecimento das Escrituras é um conhecimento doutrinário. A menos que nós cheguemos a um conhecimento doutrinário da Escritura, o nosso conhecimento necessariamente permanecerá em um determinado tamanho parcial, inadequado e, muitas vezes, bastante inconsistente. Nós devemos conhecer a Bíblia doutrinariamente e devemos conhecer a nossa doutrina biblicamente. Este é o objetivo da catequese. Amém. ORE para que o ESPÍRITO SANTO use este Catecismo para trazer muitos ao conhecimento salvífico de JESUS CRISTO para a glória de DEUS PAI! Sola Scriptura! Sola Gratia! Sola Fide! Solus Christus! Soli Deo Gloria!

16 OUTRAS LEITURAS QUE RECOMENDAMOS Baixe estes e outros e-books gratuitamente no site oestandartedecristo.com. 10 Sermões R. M. M Cheyne Adoração A. W. Pink Agonia de Cristo J. Edwards Batismo, O John Gill Batismo de Crentes por Imersão, Um Distintivo Neotestamentário e Batista William R. Downing Bênçãos do Pacto C. H. Spurgeon Biografia de A. W. Pink, Uma Erroll Hulse Carta de George Whitefield a John Wesley Sobre a Doutrina da Eleição Cessacionismo, Provando que os Dons Carismáticos Cessaram Peter Masters Como Saber se Sou um Eleito? ou A Percepção da Eleição A. W. Pink Como Ser uma Mulher de Deus? Paul Washer Como Toda a Doutrina da Predestinação é corrompida pelos Arminianos J. Owen Confissão de Fé Batista de 1689 Conversão John Gill Cristo É Tudo Em Todos Jeremiah Burroughs Cristo, Totalmente Desejável John Flavel Defesa do Calvinismo, Uma C. H. Spurgeon Deus Salva Quem Ele Quer! J. Edwards Discipulado no T empo dos Puritanos, O W. Bevins Doutrina da Eleição, A A. W. Pink Eleição & Vocação R. M. M Cheyne Eleição Particular C. H. Spurgeon Especial Origem da Instituição da Igreja Evangélica, A J. Owen Evangelismo Moderno A. W. Pink Excelência de Cristo, A J. Edwards Gloriosa Predestinação, A C. H. Spurgeon Guia Para a Oração Fervorosa, Um A. W. Pink Igrejas do Novo Testamento A. W. Pink In Memoriam, a Canção dos Suspiros Susannah Spurgeon Incomparável Excelência e Santidade de Deus, A Jeremiah Burroughs Infinita Sabedoria de Deus Demonstrada na Salvação dos Pecadores, A A. W. Pink Jesus! C. H. Spurgeon Justificação, Propiciação e Declaração C. H. Spurgeon Livre Graça, A C. H. Spurgeon Marcas de Uma Verdadeira Conversão G. Whitefield Mito do Livre-Arbítrio, O Walter J. Chantry Natureza da Igreja Evangélica, A John Gill Natureza e a Necessidade da Nova Criatura, Sobre a John Flavel Necessário Vos é Nascer de Novo Thomas Boston Necessidade de Decidir-se Pela Verdade, A C. H. Spurgeon Objeções à Soberania de Deus Respondidas A. W. Pink Oração Thomas Watson Pacto da Graça, O Mike Renihan Paixão de Cristo, A Thomas Adams Pecadores nas Mãos de Um Deus Irado J. Edwards Pecaminosidade do Homem em Seu Estado Natural Thomas Boston Plenitude do Mediador, A John Gill Porção do Ímpios, A J. Edwards Pregação Chocante Paul Washer Prerrogativa Real, A C. H. Spurgeon Queda, a Depravação Total do Homem em seu Estado Natural..., A, Edição Comemorativa de Nº 200 Quem Deve Ser Batizado? C. H. Spurgeon Quem São Os Eleitos? C. H. Spurgeon Reformação Pessoal & na Oração Secreta R. M. M'Cheyne Regeneração ou Decisionismo? Paul Washer Salvação Pertence Ao Senhor, A C. H. Spurgeon Sangue, O C. H. Spurgeon Semper Idem Thomas Adams Sermões de Páscoa Adams, Pink, Spurgeon, Gill, Owen e Charnock Sermões Graciosos (15 Sermões sobre a Graça de Deus) C. H. Spurgeon Soberania da Deus na Salvação dos Homens, A J. Edwards Sobre a Nossa Conversão a Deus e Como Essa Doutrina é Totalmente Corrompida Pelos Arminianos J. Owen Somente as Igrejas Congregacionais se Adequam aos Propósitos de Cristo na Instituição de Sua Igreja J. Owen Supremacia e o Poder de Deus, A A. W. Pink Teologia Pactual e Dispensacionalismo William R. Downing Tratado Sobre a Oração, Um John Bunyan Tratado Sobre o Amor de Deus, Um Bernardo de Claraval Um Cordão de Pérolas Soltas, Uma Jornada Teológica no Batismo de Crentes Fred Malone Sola Scriptura Sola Gratia Sola Fide Solus Christus Soli Deo Gloria

17 2 Coríntios 4 1 Por isso, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos; 2 Antes, rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus; e assim nos recomendamos à consciência de todo o homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade. 3 Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto. 4 Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. 5 Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos somos vossos servos por amor de Jesus. 6 Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo. 7 Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós. 8 Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. 9 Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; 10 Trazendo sempre por toda a parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também nos nossos corpos; 11 E assim nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também na nossa carne mortal. 12 De maneira que em nós opera a morte, mas em vós a vida. 13 E temos portanto o mesmo espírito de fé, como está escrito: Cri, por isso falei; nós cremos também, por isso também falamos. 14 Sabendo que o que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também por Jesus, e nos apresentará convosco. 15 Porque tudo isto é por amor de vós, para que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar a ação de graças para glória de Deus. 16 Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. 17 Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; 18 Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas.

Um Apetite Espiritual. Anne Dutton

Um Apetite Espiritual. Anne Dutton Um Apetite Espiritual Anne Dutton Traduzido do original em Inglês Anne Dutton's Letters on Spiritual Subjects A spiritual appetite By Anne Dutton Via: GraceGems.org Tradução por Myllena Melo Revisão por

Leia mais

A Rainha das Graças. Thomas Watson

A Rainha das Graças. Thomas Watson A Rainha das Graças Thomas Watson Traduzido do original em Inglês The queen of graces By Thomas Watson Via: GraceGems.org Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira 1ª Edição: Dezembro

Leia mais

Uma Biografia de Susannah Spurgeon: C o n c l u s ã o. Charles Ray

Uma Biografia de Susannah Spurgeon: C o n c l u s ã o. Charles Ray Uma Biografia de Susannah Spurgeon: C o n c l u s ã o Charles Ray Traduzido do original em Inglês MRS. C.H. SPURGEON A biography of Susannah Spurgeon By Charles Ray, 1905 A presente tradução consiste somente

Leia mais

A Obra do Espírito Santo No Chamado Eficaz. William R. Downing

A Obra do Espírito Santo No Chamado Eficaz. William R. Downing A Obra do Espírito Santo No Chamado Eficaz William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism

Leia mais

A Bíblia e a Sua Inspiração Divina. William R. Downing

A Bíblia e a Sua Inspiração Divina. William R. Downing A Bíblia e a Sua Inspiração Divina William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism with

Leia mais

No Contexto da Redenção

No Contexto da Redenção Eleição e Predestinação Divinas No Contexto da Redenção William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form

Leia mais

foi destruída pela Obra Redentora do Senhor Jesus Cristo? William R. Downing

foi destruída pela Obra Redentora do Senhor Jesus Cristo? William R. Downing A Lei foi destruída pela Obra Redentora do Senhor Jesus Cristo? William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in

Leia mais

A Total Desejabilidade. de Jesus Cristo. John Flavel

A Total Desejabilidade. de Jesus Cristo. John Flavel A Total Desejabilidade de Jesus Cristo John Flavel Traduzido do original em Inglês Christ Altogether Lovely By John Flavel O presente volume consiste somente em um excerto da obra supracitada Via: PuritanSermons.com

Leia mais

Aflições. Anne Dutton

Aflições. Anne Dutton Aflições Anne Dutton Traduzido do original em Inglês Anne Dutton's Letters on Spiritual Subjects Furnace By Anne Dutton Via: GraceGems.org Tradução por Camila Francine Revisão por Camila Almeida Capa por

Leia mais

O Espírito Santo Na CFB1689. Matthew Brennan

O Espírito Santo Na CFB1689. Matthew Brennan O Espírito Santo Na CFB1689 Matthew Brennan Traduzido do original em Inglês Holy Spirit in Second London Baptist Confession Circular Letter 2006 ARBCA By Matthew Brennan Via: ARBCA.com (Association of

Leia mais

Como o Espírito Santo Aplica a Redenção Adquirida pela Senhor Jesus Cristo? William R. Downing

Como o Espírito Santo Aplica a Redenção Adquirida pela Senhor Jesus Cristo? William R. Downing Como o Espírito Santo Aplica a Redenção Adquirida pela Senhor Jesus Cristo? William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible

Leia mais

Cinco Aspectos Essenciais do Ministério Pastoral. Thomas Hicks

Cinco Aspectos Essenciais do Ministério Pastoral. Thomas Hicks Cinco Aspectos Essenciais do Ministério Pastoral Thomas Hicks Traduzido do original em Inglês Five Essential Aspects of Pastoral Ministry By Tom Hicks Via: Founders.org Tradução por Antonio e Jennifer

Leia mais

Issuu.com/oEstandarteDeCristo

Issuu.com/oEstandarteDeCristo Sinais e Frutos Da Eleição A. W. Pink Traduzido do original em Inglês The Doctrine of Election By A. W. Pink A presente publicação consiste em um excerto da obra supracitada Via: ChapelLibrary.org Copyright

Leia mais

O BATISMO INFANTIL E O PRINCÍPIO REGULADOR DO CULTO

O BATISMO INFANTIL E O PRINCÍPIO REGULADOR DO CULTO O BATISMO INFANTIL E O PRINCÍPIO REGULADOR DO CULTO FRED A. MALONE Traduzido do original em Inglês Infant Baptism and the Regulative Principle of Worship By Fred A. Malone Via: GraceSermons.com Tradução

Leia mais

Jesus Cristo: Profeta, Sacerdote e Rei. William R. Downing

Jesus Cristo: Profeta, Sacerdote e Rei. William R. Downing Jesus Cristo: Profeta, Sacerdote e Rei William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism

Leia mais

Como Nós Podemos Conhecer a Deus? William R. Downing

Como Nós Podemos Conhecer a Deus? William R. Downing Como Nós Podemos Conhecer a Deus? William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism with

Leia mais

Uma Exposição De I João 2:2. A. W. Pink

Uma Exposição De I João 2:2. A. W. Pink Uma Exposição De I João 2:2 A. W. Pink Traduzido do original em Inglês The Sovereignty of God: Appendix IV - 1 John 2:2 By A. W. Pink Via: EternalLifeMinistries.org Tradução por Timóteo Werner Revisão

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. Family Workship. By A. W. Pink. Via: GraceGems.org. Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira

Traduzido do original em Inglês. Family Workship. By A. W. Pink. Via: GraceGems.org. Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira A. W. Pink Traduzido do original em Inglês Family Workship By A. W. Pink Via: GraceGems.org Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira 1ª Edição: Fevereiro de 2015 Salvo indicação

Leia mais

Os Cinco Pontos do Calvinismo & a Teologia Pactual. Tom Hicks

Os Cinco Pontos do Calvinismo & a Teologia Pactual. Tom Hicks Os Cinco Pontos do Calvinismo & a Teologia Pactual Tom Hicks Traduzido do original em Inglês The Five Points of Calvinism and Covenant Theology By Tom Hicks Via: Founders.org Tradução e Capa por William

Leia mais

O PACTO DA GRAÇA MIKE RENIHAN

O PACTO DA GRAÇA MIKE RENIHAN O PACTO DA GRAÇA MIKE RENIHAN Traduzido do original em Inglês Covenant of Grace Circular Letter 2001 ARBCA By Dr. Mike Renihan Via: ARBCA.com (Association of Reformed Baptist Churches of America) Tradução

Leia mais

O Incomparável e Irrecusável Chamado de Cristo para Mulheres. Thomas Vincent

O Incomparável e Irrecusável Chamado de Cristo para Mulheres. Thomas Vincent O Incomparável e Irrecusável Chamado de Cristo para Mulheres Thomas Vincent Traduzido do original em Inglês Christ s Call To Young Women By Thomas Vincent O presente volume consiste somente em um excerto

Leia mais

O MITO DO LIVRE-ARBÍTRIO. Walter J. Chantry

O MITO DO LIVRE-ARBÍTRIO. Walter J. Chantry O MITO DO LIVRE-ARBÍTRIO Walter J. Chantry Traduzido do original em Inglês Myth of Free Will By Walter J. Chantry Via: APuritansMind.com Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila Almeida

Leia mais

O que é o Pecado? William R. Downing

O que é o Pecado? William R. Downing O que é o Pecado? William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism with Commentary By W.

Leia mais

Homem e Mulher, Deus os Criou à Sua Imagem

Homem e Mulher, Deus os Criou à Sua Imagem Homem e Mulher, Deus os Criou à Sua Imagem John Piper Traduzido do original em Inglês Male and Female He Created Them in the Image of God By John Piper Via: DesiringGod.org Copyright 2015 Desiring God

Leia mais

AS DEZ VIRGENS - PARTE I AS VIRGENS PRUDENTES E AS LOUCAS

AS DEZ VIRGENS - PARTE I AS VIRGENS PRUDENTES E AS LOUCAS AS DEZ VIRGENS - PARTE I AS VIRGENS PRUDENTES E AS LOUCAS. Traduzido do original em Inglês Lecture I The Ten Virgins, Part 1 By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em dois volumes, The Works of The

Leia mais

Nas Tuas Mãos Entrego o Meu Espírito. R. M. M Cheyne

Nas Tuas Mãos Entrego o Meu Espírito. R. M. M Cheyne Nas Tuas Mãos Entrego o Meu Espírito. R. M. M Cheyne Traduzido do original em Inglês Into Thine Hand I Commit My Spirit By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the

Leia mais

O Batismo Cristão. William R. Downing

O Batismo Cristão. William R. Downing O Batismo Cristão William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism with Commentary By W.

Leia mais

O Poder Conservador das. Doutrinas da Graça. Thomas J. Nettles

O Poder Conservador das. Doutrinas da Graça. Thomas J. Nettles O Poder Conservador das Doutrinas da Graça Thomas J. Nettles Traduzido do original em Inglês The Conserving Power of the Doctrines of Grace By Tom J. Nettles Via: ReformedReader.org Tradução por Filipe

Leia mais

As Marcas e Bênçãos das Ovelhas de Cristo

As Marcas e Bênçãos das Ovelhas de Cristo As Marcas e Bênçãos das Ovelhas de Cristo. R. M. M Cheyne Mas vós não credes porque não sois das minhas ovelhas, como já vo-lo tenho dito. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me

Leia mais

Os Padrões Doutrinários e Práticos Para a Membresia De Uma Igreja Local Segundo A Bíblia e a CFB1689. James M. Renihan

Os Padrões Doutrinários e Práticos Para a Membresia De Uma Igreja Local Segundo A Bíblia e a CFB1689. James M. Renihan Os Padrões Doutrinários e Práticos Para a Membresia De Uma Igreja Local Segundo A Bíblia e a CFB1689 James M. Renihan Traduzido do original em Inglês The Doctrinal and Practical Standards for Local Church

Leia mais

A Trindade. O Pai, o Filho e o Espírito Santo. William R. Downing

A Trindade. O Pai, o Filho e o Espírito Santo. William R. Downing A Trindade O Pai, o Filho e o Espírito Santo William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism

Leia mais

UM VERDADEIRO MAPA DO ESTADO MISERÁVEL DO HOMEM POR NATUREZA

UM VERDADEIRO MAPA DO ESTADO MISERÁVEL DO HOMEM POR NATUREZA UM VERDADEIRO MAPA DO ESTADO MISERÁVEL DO HOMEM POR NATUREZA Christopher Love Traduzido do original em Inglês A True Map of Man's Miserable Estate by Nature By Christopher Love Via: PuritanSermons.com

Leia mais

Uma Biografia de Susannah Spurgeon: A Fundação de O Fundo para Livros. Charles Ray

Uma Biografia de Susannah Spurgeon: A Fundação de O Fundo para Livros. Charles Ray O Uma Biografia de Susannah Spurgeon: A Fundação de O Fundo para Livros Charles Ray Traduzido do original em Inglês MRS. C.H. SPURGEON A biography of Susannah Spurgeon By Charles Ray, 1905 A presente tradução

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. The Fight of Faith. By A. W. Pink. Via: ChapelLibrary.org

Traduzido do original em Inglês. The Fight of Faith. By A. W. Pink. Via: ChapelLibrary.org A. W. Pink Traduzido do original em Inglês The Fight of Faith By A. W. Pink Via: ChapelLibrary.org Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila Almeida 1ª Edição: Fevereiro de 2015 Salvo indicação

Leia mais

Sobre a Pregação do Evangelho. William R. Downing

Sobre a Pregação do Evangelho. William R. Downing Sobre a Pregação do Evangelho William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism with Commentary

Leia mais

O Amor Eletivo de Deus

O Amor Eletivo de Deus O Amor Eletivo de Deus. R. M. M Cheyne Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça... (João 15:16) Traduzido do original

Leia mais

UM CHAMADO À SEPARAÇÃO. A. W. Pink

UM CHAMADO À SEPARAÇÃO. A. W. Pink UM CHAMADO À SEPARAÇÃO A. W. Pink Traduzido do original em Inglês A Call to Separation By A. W. Pink Via: EternalLifeMinistries.org Tradução e Capa William Teixeira Revisão por Camila Almeida 1ª Edição:

Leia mais

A Ceia do Senhor. William R. Downing

A Ceia do Senhor. William R. Downing A Ceia do Senhor William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism with Commentary By W.

Leia mais

O Senhor Jesus Cristo: O Redentor Dos Eleitos de Deus. William R. Downing

O Senhor Jesus Cristo: O Redentor Dos Eleitos de Deus. William R. Downing O Senhor Jesus Cristo: O Redentor Dos Eleitos de Deus William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form

Leia mais

Pai Nosso: A Oração Modelo. William R. Downing

Pai Nosso: A Oração Modelo. William R. Downing Pai Nosso: A Oração Modelo William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism with Commentary

Leia mais

O DISCIPULADO NO TEMPO DOS PURITANOS

O DISCIPULADO NO TEMPO DOS PURITANOS O DISCIPULADO NO TEMPO DOS PURITANOS Winfield Bevins Traduzido do original em Inglês Discipleship in the Puritan Era By Winfield Bevins Via: Founders.org Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por

Leia mais

Uma Biografia de Susannah Spurgeon: V i u v e z. Charles Ray

Uma Biografia de Susannah Spurgeon: V i u v e z. Charles Ray Uma Biografia de Susannah Spurgeon: V i u v e z Charles Ray Traduzido do original em Inglês MRS. C.H. SPURGEON A biography of Susannah Spurgeon By Charles Ray, 1905 A presente tradução consiste somente

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. John s Vision. By R. M. M'Cheyne

Traduzido do original em Inglês. John s Vision. By R. M. M'Cheyne A VISÃO DE JOÃO. Traduzido do original em Inglês John s Vision By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's Church,

Leia mais

A Guide to Fervent Prayer

A Guide to Fervent Prayer Traduzido do original em Inglês A Guide to Fervent Prayer By A. W. Pink A presente tradução consiste somente no Capítulo 10 da obra supracitada Via: PBMinistries.org (Providence Baptist Ministries) Tradução

Leia mais

CRISTO SE OFERECE COMO SALVADOR PARA TODA A RAÇA HUMANA

CRISTO SE OFERECE COMO SALVADOR PARA TODA A RAÇA HUMANA CRISTO SE OFERECE COMO SALVADOR PARA TODA A RAÇA HUMANA. Traduzido do original em Inglês Christ Offers Himself a Saviour to all the Human Race By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único:

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. The Call of Abraham. By R. M. M'Cheyne. Via: EternalLifeMinistries.org

Traduzido do original em Inglês. The Call of Abraham. By R. M. M'Cheyne. Via: EternalLifeMinistries.org Traduzido do original em Inglês The Call of Abraham By R. M. M'Cheyne Via: EternalLifeMinistries.org Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira 1ª Edição: Dezembro de 2014 Salvo indicação

Leia mais

CATECISMO do Século XXI

CATECISMO do Século XXI CATECISMO do Século XXI IGREJA ANGLICANA REFORMADA DO BRASIL IGREJA ANGLICANA REFORMADA DO BRASIL Sumário Introdução 1 Prefácio 3 A Chamada de Deus 7 A Fé Cristã 11 A Obediência Cristã 17 O Crescimento

Leia mais

Dez Razões Pelas Quais É Errado Tirar a Vida De Crianças por Nascer

Dez Razões Pelas Quais É Errado Tirar a Vida De Crianças por Nascer Dez Razões Pelas Quais É Errado Tirar a Vida De Crianças por Nascer John Piper Traduzido do original em Inglês Ten Reasons Why It Is Wrong to Take the Life of Unborn Children By John Piper Via: DesiringGod.org

Leia mais

Um Equilíbrio Bíblico:

Um Equilíbrio Bíblico: Um Equilíbrio Bíblico: Pregando Para A Mente E O Coração Tom Lyon Traduzido do original em Inglês A Biblical Balance: Preaching to the Mind and Heart Circular Letter 2002 ARBCA By Tom Lyon Via: ARBCA.com

Leia mais

A Body of Practical Divinity Book 4 Chapter 1 Of the Respective Duties of Husband and Wife

A Body of Practical Divinity Book 4 Chapter 1 Of the Respective Duties of Husband and Wife John Gill Traduzido do original em Inglês A Body of Practical Divinity Book 4 Chapter 1 Of the Respective Duties of Husband and Wife By John Gill Via: PBMinistries.org (Providence Baptist Ministries) Tradução

Leia mais

Christ s Call To Young Women

Christ s Call To Young Women THOMAS VINCENT Traduzido do original em Inglês Christ s Call To Young Women By Thomas Vincent Via: ChapelLibrary.org Chapel Library Tradução e Capa por Camila Almeida Revisão por William Teixeira 1ª Edição:

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. Trust in The Lord. By R. M. M'Cheyne

Traduzido do original em Inglês. Trust in The Lord. By R. M. M'Cheyne CONFIAI NO SENHOR. Traduzido do original em Inglês Trust in The Lord By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's

Leia mais

For What, And How We Are To Pray & The Necessity Of Secret Prayer

For What, And How We Are To Pray & The Necessity Of Secret Prayer Traduzido do original em Inglês For What, And How We Are To Pray & The Necessity Of Secret Prayer By Thomas Boston Via: Monergism.com & Ilyston.wordpress.com Tradução e Capa por William Teixeira Revisão

Leia mais

A TERRÍVEL CONDIÇÃO DOS HOMENS NATURAIS

A TERRÍVEL CONDIÇÃO DOS HOMENS NATURAIS A TERRÍVEL CONDIÇÃO DOS HOMENS NATURAIS. Traduzido do original em Inglês The Fearful Condition Of Natural Men By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert

Leia mais

A Bíblia e Seus Atributos. William R. Downing

A Bíblia e Seus Atributos. William R. Downing A Bíblia e Seus Atributos William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism with Commentary

Leia mais

NÃO ME ENVERGONHO DO EVANGELHO

NÃO ME ENVERGONHO DO EVANGELHO NÃO ME ENVERGONHO DO EVANGELHO Traduzido do original em Inglês Not Ashamed Of The Gospel By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister

Leia mais

Uma Palavra aos Pais. A. W. Pink

Uma Palavra aos Pais. A. W. Pink Uma Palavra aos Pais A. W. Pink Traduzido do original em Inglês A Word to Parents By A. W. Pink Via: ChapelLibrary.org Chapel Library Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira 1ª

Leia mais

CATÁLOGO Knox. Publicações

CATÁLOGO Knox. Publicações CATÁLOGO 2013 Knox Publicações LANÇAMENTOS KNOX PUBLICAÇÕES SOLI DEO GLORIA O SER E OBRAS DE DEUS SOLA SCRIPTURA A DOUTRINA REFORMADA DAS ESCRITURAS IMAGO DEI ANTROPOLOGIA BÍBLICA Trilogia de estudos em

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. Cross-Bearing. By A. W. Pink. Via: GraceGems.org. Tradução e Capa por Camila Almeida Revisão por William Teixeira

Traduzido do original em Inglês. Cross-Bearing. By A. W. Pink. Via: GraceGems.org. Tradução e Capa por Camila Almeida Revisão por William Teixeira A. W. Pink Traduzido do original em Inglês Cross-Bearing By A. W. Pink Via: GraceGems.org Tradução e Capa por Camila Almeida Revisão por William Teixeira 1ª Edição: Março de 2015 Salvo indicação em contrário,

Leia mais

UMA TEOLOGIA PARA A PLANTAÇÃO DE IGREJAS. P or G ordon Ta ylor Ha nk Ras t Da vid C a mpbe ll, J im D undas J ohn M ille r B ra d S wyga rd

UMA TEOLOGIA PARA A PLANTAÇÃO DE IGREJAS. P or G ordon Ta ylor Ha nk Ras t Da vid C a mpbe ll, J im D undas J ohn M ille r B ra d S wyga rd UMA TEOLOGIA PARA A PLANTAÇÃO DE IGREJAS P or G ordon Ta ylor Ha nk Ras t Da vid C a mpbe ll, J im D undas J ohn M ille r B ra d S wyga rd Traduzido do original em Inglês A Theology of Church Planting

Leia mais

TUDO DE GRAÇA C. H. SPURGEON

TUDO DE GRAÇA C. H. SPURGEON TUDO DE GRAÇA C. H. SPURGEON Traduzido do original em Inglês All Of Grace Sermon Nº 3479 The Metropolitan Tabernacle Pulpit Volume 61 By C. H. Spurgeon Via SpurgeonGems.org Adaptado a partir de The C.

Leia mais

TU QUE HABITAS NOS JARDINS

TU QUE HABITAS NOS JARDINS TU QUE HABITAS NOS JARDINS. Traduzido do original em Inglês Thou That Dwellest In The Gardens By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne

Leia mais

Como Cristo é Totalmente Desejável? John Flavel

Como Cristo é Totalmente Desejável? John Flavel Como Cristo é Totalmente Desejável? John Flavel Traduzido do original em Inglês Christ Altogether Lovely By John Flavel O presente volume consiste somente em um excerto da obra supracitada Via: PuritanSermons.com

Leia mais

Eu, o Senhor, Te Chamei em Justiça. R. M. M Cheyne

Eu, o Senhor, Te Chamei em Justiça. R. M. M Cheyne Eu, o Senhor, Te Chamei em Justiça. R. M. M Cheyne Traduzido do original em Inglês I The Lord Have Called Thee In Righteousness By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons

Leia mais

La Iglesia: Huerto y Fuente Cerrada de Cristo

La Iglesia: Huerto y Fuente Cerrada de Cristo Traduzido do Espanhol La Iglesia: Huerto y Fuente Cerrada de Cristo Por R. M. M'Cheyne Via: IglesiaReformada.com Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila Almeida 1ª Edição: Dezembro de 2014

Leia mais

1 Coríntios 15,4: E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé.

1 Coríntios 15,4: E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé. BREVE CATECISMO DE WESTMINSTER PERGUNTA 30 PERGUNTA 30: Como nos aplica o Espírito a redenção adquirida por Cristo? Resposta: O Espírito aplica-nos a redenção adquirida por Cristo pelo chamado eficaz,

Leia mais

The Doctrine of Election

The Doctrine of Election Traduzido do original em Inglês The Doctrine of Election By A. W. Pink A presente tradução consiste somente no Capítulo 10, Its Blessedness, da obra supracitada Via: PBMinistries.org (Providence Baptist

Leia mais

NA CASA DO OLEIRO. A. W. Pink

NA CASA DO OLEIRO. A. W. Pink NA CASA DO OLEIRO A. W. Pink Traduzido do original em Inglês In the Potter's House By A. W. Pink Via: EternalLifeMinistries.org Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila Almeida 1ª Edição:

Leia mais

In Memoriam: A Song of Sighs

In Memoriam: A Song of Sighs Traduzido do original em Inglês In Memoriam: A Song of Sighs By Susannah Spurgeon Via: GraceGems.org Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila Almeida 1ª Edição: Dezembro de 2014 Salvo indicação

Leia mais

Nova Estrutura do Curso: Avisos

Nova Estrutura do Curso: Avisos Nova Estrutura do Curso: Avisos Nova Estrutura do Curso Disciplinas de Teologia Sistemática: Introdução a Teologia Sistemática Doutrina de Deus Teontologia Doutrina do Ser Humano Antropologia Doutrina

Leia mais

AS DEZ VIRGENS - PARTE II AS VIRGENS ADORMECEM

AS DEZ VIRGENS - PARTE II AS VIRGENS ADORMECEM AS DEZ VIRGENS - PARTE II AS VIRGENS ADORMECEM. Traduzido do original em Inglês Lecture I The Ten Virgins, Part 2 By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em dois volumes, The Works of The Late Rev.

Leia mais

Sermão Uma Análise Bíblica Sobre o Feminismo Pregado na Noite de 9 de Março de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém

Sermão Uma Análise Bíblica Sobre o Feminismo Pregado na Noite de 9 de Março de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém Sermão Uma Análise Bíblica Sobre o Feminismo Pregado na Noite de 9 de Março de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém Por: Manoel Coelho Jr. A Verdade está na Bíblia ProcurandoVerdadeBiblica.blogspot.com.br

Leia mais

O Lugar da Leitura no Ministério Pastoral

O Lugar da Leitura no Ministério Pastoral O Lugar da Leitura no Ministério Pastoral P or Dona ld R. Lindbla d Traduzido do original em Inglês The Minister and His Study: The Place of Reading in Pastoral Ministry Circular Letter 2007 ARBCA By Donald

Leia mais

Perfect Love Casteth Out Fear

Perfect Love Casteth Out Fear Traduzido do original em Inglês Perfect Love Casteth Out Fear By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's Church,

Leia mais

UM CRENTE TEM PRAZER NA LEI DE DEUS

UM CRENTE TEM PRAZER NA LEI DE DEUS UM CRENTE TEM PRAZER NA LEI DE DEUS. Traduzido do original em Inglês A Believer Delights in the Law of God By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray

Leia mais

O MARAVILHOSO SIGNIFICADO DO BATISMO

O MARAVILHOSO SIGNIFICADO DO BATISMO O MARAVILHOSO SIGNIFICADO DO BATISMO John Piper Traduzido dos originais em Inglês A Celebration of Baptism, Brothers, Magnify the Meaning of Baptism & Thoughts on Baptism By John Piper Via: DesiringGod.org

Leia mais

GRAÇAS FRAGRANTES C. H. SPURGEON

GRAÇAS FRAGRANTES C. H. SPURGEON GRAÇAS FRAGRANTES C. H. SPURGEON Traduzido do original em Inglês Fragrant Graces Sermon Nº 3480 The Metropolitan Tabernacle Pulpit Volume 61 By C. H. Spurgeon Via SpurgeonGems.org Adaptado a partir de

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. Do What You Can. By R. M. M'Cheyne

Traduzido do original em Inglês. Do What You Can. By R. M. M'Cheyne FAÇA O QUE PUDER. Traduzido do original em Inglês Do What You Can By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's Church,

Leia mais

Entreat Me Not To Leave Thee

Entreat Me Not To Leave Thee Traduzido do original em Inglês Entreat Me Not To Leave Thee By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's Church,

Leia mais

AS DEZ VIRGENS - PARTE IV PRUDENTES E A DESGRAÇA DAS VIRGENS LOUCAS

AS DEZ VIRGENS - PARTE IV PRUDENTES E A DESGRAÇA DAS VIRGENS LOUCAS AS DEZ VIRGENS - PARTE IV A BEM-AVENTURANÇ A DAS VIRGENS PRUDENTES E A DESGRAÇA DAS VIRGENS LOUCAS. Traduzido do original em Inglês Lecture I The Ten Virgins, Part 4 By R. M. M'Cheyne Extraído da obra

Leia mais

Levanta-te, Resplandece. R. M. M Cheyne

Levanta-te, Resplandece. R. M. M Cheyne Levanta-te, Resplandece. R. M. M Cheyne Traduzido do original em Inglês Arise, Shine By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister

Leia mais

As The Lily Among Thorns, So Is My Love Among The Daughters

As The Lily Among Thorns, So Is My Love Among The Daughters Traduzido do original em Inglês As The Lily Among Thorns, So Is My Love Among The Daughters By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne

Leia mais

A SOBERANIA DE DEUS SOBRE O MAL. David Mathis

A SOBERANIA DE DEUS SOBRE O MAL. David Mathis A SOBERANIA DE DEUS SOBRE O MAL David Mathis Traduzido do original em Inglês A 4-Part Series On How To Talk About God's Sovereignty Over Sin By David Mathis Via: DesiringGod.org Copyright 2015 Desiring

Leia mais

Decadência Espiritual. R. M. M Cheyne

Decadência Espiritual. R. M. M Cheyne Decadência Espiritual. R. M. M Cheyne Traduzido do original em Inglês Gray Hairs Are Upon Him By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. My Lord and My God. By R. M. M'Cheyne

Traduzido do original em Inglês. My Lord and My God. By R. M. M'Cheyne Traduzido do original em Inglês My Lord and My God By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's Church, Dundee. Via:

Leia mais

AQUIETAI-VOS E SABEI QUE EU SOU DEUS

AQUIETAI-VOS E SABEI QUE EU SOU DEUS AQUIETAI-VOS E SABEI QUE EU SOU DEUS Traduzido do Espanhol Estad Quietos, y Conoced que Yo Soy Dios Por Jonathan Edwards Via: IglesiaReformada.com Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila

Leia mais

O TEMA DA PREGAÇÃO DE JOÃO

O TEMA DA PREGAÇÃO DE JOÃO O TEMA DA PREGAÇÃO DE JOÃO. Traduzido do original em Inglês The Subject of John's Preaching By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne

Leia mais

27/02/2017. CUIDADO Algumas pessoas não conseguem entender o que significa fé. O que é fé e por que ela é importante? O QUE AS PESSOAS DIZEM

27/02/2017. CUIDADO Algumas pessoas não conseguem entender o que significa fé. O que é fé e por que ela é importante? O QUE AS PESSOAS DIZEM FÉ: Primeiro você coloca o pé, depois Deus coloca o chão. CUIDADO Algumas pessoas não conseguem entender o que significa fé. O que é fé e por que ela é importante? O QUE AS PESSOAS DIZEM Para muitos, a

Leia mais

Uma Biografia de Susannah Spurgeon: Os Dias de Noivado. Charles Ray

Uma Biografia de Susannah Spurgeon: Os Dias de Noivado. Charles Ray Uma Biografia de Susannah Spurgeon: Os Dias de Noivado Charles Ray Traduzido do original em Inglês MRS. C.H. SPURGEON A biography of Susannah Spurgeon By Charles Ray, 1905 A presente tradução consiste

Leia mais

CRISTO, O SALVADOR QUE ENGRANDECEU A LEI

CRISTO, O SALVADOR QUE ENGRANDECEU A LEI CRISTO, O SALVADOR QUE ENGRANDECEU A LEI. Traduzido do original em Inglês Christ, A Law-Magnifying Saviour By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray

Leia mais

. A DIFICULDADE E A DESEJABILIDADE DA

. A DIFICULDADE E A DESEJABILIDADE DA . A DIFICULDADE E A DESEJABILIDADE DA C ONVERSÃO. Traduzido do original em Inglês The Difficulty and Desirableness of Conversion By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons

Leia mais

DÚVIDA. A dúvida e seu impacto nas nossas vidas. 3 de 4. Pedro Siena & Eduardo Carvalho

DÚVIDA. A dúvida e seu impacto nas nossas vidas. 3 de 4. Pedro Siena & Eduardo Carvalho DÚVIDA A dúvida e seu impacto nas nossas vidas 3 de 4 Pedro Siena & Eduardo Carvalho Nossos Encontros 1 Dúvida 2 Foco 3 Fundamentos 4 4 Discernimento Ação Ação Discernimento Fundamentos Foco Dúvida Ação

Leia mais

UM COMENTÁRIO DA CONFISSÃO DE FÉ BATISTA DE 1689, POR GARY MARBLE CAPÍTULO 4, SOBRE A CRIAÇÃO

UM COMENTÁRIO DA CONFISSÃO DE FÉ BATISTA DE 1689, POR GARY MARBLE CAPÍTULO 4, SOBRE A CRIAÇÃO UM COMENTÁRIO DA CONFISSÃO DE FÉ BATISTA DE 1689, POR GARY MARBLE CAPÍTULO 4, SOBRE A CRIAÇÃO Traduzido do original em Inglês A Layman s Commentary of the 1689/1677 Second London Baptist Confession of

Leia mais

História da Igreja. Prof. Dener I Aula 1 I 19/03/2017

História da Igreja. Prof. Dener I Aula 1 I 19/03/2017 História da Igreja Prof. Dener I Aula 1 I 19/03/2017 1. O que é a Igreja? É um edifício construído com pedras vivas. Também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes

Leia mais

AS CONVICÇÕES EVANGÉLICAS DE BENJAMIN KEACH

AS CONVICÇÕES EVANGÉLICAS DE BENJAMIN KEACH AS CONVICÇÕES EVANGÉLICAS DE BENJAMIN KEACH TOM HICKS Traduzido do original em Inglês The Evangelical Convictions of Benjamin Keach By Tom Hicks Via: Founders.org Tradução e Capa por William Teixeira Revisão

Leia mais

A OBRA DO ESPÍRITO SANTO NA REGENERAÇÃO INTRODUÇÃO

A OBRA DO ESPÍRITO SANTO NA REGENERAÇÃO INTRODUÇÃO A OBRA DO ESPÍRITO SANTO NA REGENERAÇÃO INTRODUÇÃO As palavras "novo nascimento" têm se tornado comuns nos círculos religiosos hoje em dia. Sabendo que Satanás é um mestre para redefinir termos bíblicos

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. Can A Woman Forget. By R. M. M'Cheyne

Traduzido do original em Inglês. Can A Woman Forget. By R. M. M'Cheyne Traduzido do original em Inglês Can A Woman Forget By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's Church, Dundee. Via:

Leia mais

Chosen to Salvation & Called With an Holy Calling

Chosen to Salvation & Called With an Holy Calling Traduzido do original em Inglês Chosen to Salvation & Called With an Holy Calling By R. M. M'Cheyne Via: GraceOnlineLibrary.org & EternalLifeMinistries.org Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por

Leia mais

CONSIDERAI O APÓSTOLO E SUMO SACERDOTE DE NOSSA CONFISSÃO

CONSIDERAI O APÓSTOLO E SUMO SACERDOTE DE NOSSA CONFISSÃO CONSIDERAI O APÓSTOLO E SUMO SACERDOTE DE NOSSA CONFISSÃO. Traduzido do original em Inglês Consider the Apostle and High Priest of our profession, Christ Jesus By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original,

Leia mais

Cultivando Ministros da Palavra: O Dever Eclesiástico De Incentivar Os Homens Qualificados A Exercerem O Ministério Evangélico. Stefan T.

Cultivando Ministros da Palavra: O Dever Eclesiástico De Incentivar Os Homens Qualificados A Exercerem O Ministério Evangélico. Stefan T. Cultivando Ministros da Palavra: O Dever Eclesiástico De Incentivar Os Homens Qualificados A Exercerem O Ministério Evangélico Stefan T. Lindblad Traduzido do original em Inglês Cultivating Ministers of

Leia mais