UMA TEOLOGIA PARA A PLANTAÇÃO DE IGREJAS. P or G ordon Ta ylor Ha nk Ras t Da vid C a mpbe ll, J im D undas J ohn M ille r B ra d S wyga rd

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UMA TEOLOGIA PARA A PLANTAÇÃO DE IGREJAS. P or G ordon Ta ylor Ha nk Ras t Da vid C a mpbe ll, J im D undas J ohn M ille r B ra d S wyga rd"

Transcrição

1

2 UMA TEOLOGIA PARA A PLANTAÇÃO DE IGREJAS P or G ordon Ta ylor Ha nk Ras t Da vid C a mpbe ll, J im D undas J ohn M ille r B ra d S wyga rd

3 Traduzido do original em Inglês A Theology of Church Planting Circular Letter 2012 ARBCA By Por Gordon Taylor, Hank Rast, David Campbell, Jim Dundas, John Miller and Brad Swygard Via: ARBCA.com (Association of Reformed Baptist Churches of America) Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira 1ª Edição: Fevereiro de 2016 Salvo indicação em contrário, as citações bíblicas usadas nesta tradução são da versão Almeida Corrigida Fiel ACF Copyright 1994, 1995, 2007, 2011 Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil. Traduzido e publicado em Português pelo website oestandartedecristo.com, com a graciosa permissão do Comitê de Publicações ARBCA, representado pela pessoa de Gary Marble, sob a licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International Public License. Você está autorizado e incentivado a reproduzir e/ou distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, as fontes originais e o tradutor, e que também não altere o seu conteúdo nem o utilize para quaisquer fins comerciais.

4 Uma Teologia para a Plantação de Igrejas Por Gordon Taylor, Hank Rast, David Campbell, Jim Dundas, John Miller e Brad Swygard [Carta Circular da ARBCA 2012] O Comitê de Plantação de Igrejas, de acordo com a sua responsabilidade de incentivar o plantio de igrejas nos Estados Unidos, tem buscado apresentar esta carta às igrejas para explorar diferentes aspectos da plantação de igrejas. Nós queremos considerar quatro aspectos do plantio de igreja local: 1) uma breve teologia da plantação de igrejas; 2) perguntas a fazer antes de plantar uma igreja; 3) um olhar para tipos culturais de igrejas que tendem a plantar igrejas; e 4) uma exortação a olhar para os campos que já cercam as nossas igrejas. A carta é um esforço conjunto do comitê, com diferentes homens contribuindo para o esforço. O Comitê de Plantação de Igrejas é composto por Gordon Taylor (coordenador da ARBCA), Hank Rast (presidente), David Campbell, Jim Dundas, John Miller e Brad Swygard. Uma Teologia de Plantação de Igrejas O que é uma boa teologia de plantação de igrejas? Para conhecer a correta teologia, devemos começar com uma boa definição. Dr. James Renihan deu esta definição em cada uma das Escolas de Plantio de Igreja. Plantação de igrejas é sobre dar à luz, pela obra do Espírito de Deus, a congregações adoradoras 1. Embora essa definição não diga explicitamente que meios Deus usa para realizar o plantio de uma igreja, no entanto, isso está claramente implícito. Esta definição pressupõe ou implica que existem dois pilares essenciais da teologia sobre os quais a plantação de igrejas se apoia: a glória de Deus e a responsabilidade humana. 1) A plantação de igrejas deve ter como base e objetivo a glória de Deus. Este é o princípio fundamental para toda plantação de igrejas. Por que plantar igrejas? É assim que a sabedoria, o poder e a graça de Deus serão mais bem conhecidos no mundo e nos lugares celestiais, como diz Paulo em Efésios: Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus, segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus nosso [1] Renihan, Dr. James, The Theology of Church Planting [A Teologia de Plantação de Igrejas], palestra em Heritage Baptist Church, Mansfield, Texas, 10 de fevereiro de 2011.

5 Senhor, no qual temos ousadia e acesso com confiança, pela nossa fé nele (Efésios 3:10-12). No livro de Atos, igrejas cresciam com o propósito da glória de Deus. Se um milagre era realizado ou multidões criam, o resultado era o louvor a Deus. Então, hoje, a glória de Deus deve ser a base que constitui a plantação de igrejas. A glória de Deus é melhor vista em congregações adoradoras. Enquanto a igreja se reúne para adorar, ouvir a Palavra pregada e observar as Ordenanças, Deus é glorificado. Este princípio teológico fundamental, a glória de Deus, deve ser a verdade fundamental para toda a plantação de igrejas. 2) Um segundo princípio teológico de plantação de igrejas é a verdade da responsabilidade humana. Deus é completamente soberano quanto ao local onde o Evangelho vai e onde as igrejas são plantadas (Atos 16:6-10). O Deus soberano Quem determina onde o Evangelho é pregado, também envia homens para pregar. Estes homens pregam sob o comando de Cristo. Uma vez que existe um comando, a igreja é responsável por enviar homens para pregar e plantar igrejas. A verdade da responsabilidade do homem pode ser explorada a partir de duas perspectivas. Em primeiro lugar, a Teologia Reformada considera seriamente o mandamento de Jesus para pregar o Evangelho a toda a criatura (Mateus 28:18-20; Marcos 16:15; Lucas 24: 44-49; João 20:21; Atos 1:8). A principal forma pela qual isso deve ser feito é por meio de homens vocacionados para o ministério evangélico. Nós cremos e afirmamos o ofício especial do ministro da Palavra e dos sacramentos; que há uma proclamação oficial de que é conduzida por um ministro que é autorizado a falar em nome de Jesus Cristo, enquanto ele explica e aplica o seu texto conforme a Palavra de Deus 2. Jesus era um evangelista; os apóstolos eram evangelistas que plantaram igrejas. Em Atos 1:8 Jesus prescreveu os lugares onde o Evangelho devia ser pregado. Era para começar em Jerusalém e depois ser estendido para a Judéia e, finalmente, para o mundo. Este foi o padrão que Jesus seguiu. Jesus pregou o Evangelho localmente e depois foi para as cidades próximas (Marcos 1:38). Os ministros são responsáveis hoje a pregar o Evangelho localmente e também nas cidades próximas, como nosso Senhor fez. Em segundo lugar, a Teologia Reformada leva a sério a necessidade de que os membros da nova igreja plantada sejam ativamente envolvidos na promoção do Evangelho entre si e também com outros em sua comunidade. Efésios 4:15 ensina que o resultado do ministério [2] Planting, Watering, Growing: Planting Confessionally Reformed Churches in the 21st Century [Plantar, Regar, Crescer: Plantando Igrejas Confessionalmente Reformadas no Século 21], ed. Daniel R. Hyde and Shane Lewis (Grand Rapids: Reformation Heritage Books) 72.

6 pastoral é que os santos estarão falando a verdade em amor, de modo que o crescimento em Cristo ocorra 3. Romanos 15:14 afirma que Paulo está confiante que os crentes são capazes de instruir uns aos outros. A Bíblia também ensina que todos os crentes, embora não pregadores que são enviados e ordenados pela igreja, devem ter Cristo e o Evangelho em seus lábios, enquanto no mercado (1 Tessalonicenses 1:8). 4 Os membros da igreja são capazes de falar sobre Jesus Cristo. Este assunto deveria ser familiar para as pessoas Reformadas a partir de sua instrução catequética. Na sua exposição do Credo dos Apóstolos, o Catecismo de Heidelberg explica por que nós chamamos Jesus Cristo : Ele foi ordenado por Deus, o Pai, e ungido com o Espírito Santo, para ser o nosso principal Profeta e Mestre... o nosso único Sumo Sacerdote... e nosso eterno Rei (CH, Pergunta e Resposta 31). Em seguida, pergunta como isso se aplica a nós: Mas por que tu és chamado de Cristão?. A resposta é: Porque pela fé eu sou um membro de Cristo, e nisso um participante da Sua unção. Uma parte desta unção é que nós também somos não somos somente sacerdotes e reis, mas também profetas, a fim de que [nós] também possamos confessar o Seu nome (CH, Pergunta e Resposta 32). Todos os membros de Cristo por definição, inata e inerentemente têm uma responsabilidade profética para falar de Cristo ao mundo. 5 Assim, a teologia da plantação de igrejas repousa sobre dois pilares: a glória de Deus e a responsabilidade do homem. Ambos são essenciais para uma compreensão adequada da plantação de igrejas. A teologia devidamente compreendida produzirá prática correta. A plantação de igrejas deve começar com a convicção de que a glória de Deus é o objetivo final da plantação de igrejas e prosseguir com a convicção de que o ministro Cristão e os santos devem obedecer aos mandamentos de Deus para espalhar o Evangelho e plantar igrejas. A frase que caracterizou William Carey também deve caracterizar a plantação de igrejas: Tente grandes coisas para Deus. Espere grandes coisas de Deus. Devemos plantar uma nova igreja? [3] A diferença de opinião existe quanto a se uma vírgula deveria ocorrer após a palavra santos no verso 9. Mas, não importa a interpretação do verso 9, o verso 15 refere-se claramente a todos os santos em uma igreja falando a verdade em amor. O verbo está no presente, particípio ativo, masculino, plural, nominativo. [4] Alguns sugerem que este é nada mais do que a notícia espalhada, mas é melhor ver esta atividade como evangelística pelos santos nesta cidade estrategicamente localizados. Como Hendriksen diz em seu Comentário: Agora, o ponto não é certamente que apenas o rumor com referência à grande mudança em Tessalônica foi se espalhando, mas sim que os crentes de lá, no entusiasmo de uma grande descoberta, propagavam ativamente a sua fé em Deus (CNT, 1 Tessalonicenses, p. 53). [5] Plantar, Regar, Crescer. 73.

7 Imagine um grupo de anciãos, ou uma congregação inteira, ou um grupo de Cristãos de diferentes igrejas, ou os representantes de uma denominação em particular discutindo a plantação de uma nova igreja. A pergunta é: Será que devemos plantar uma nova igreja?. Nossa pergunta é: quando a resposta deve ser Sim? 1) Quando nenhuma igreja existe em absoluto. Em Romanos 15:20 Paulo afirma que sua estratégia de missão era pregar o Evangelho onde Cristo ainda não havia sido pregado. Em sua mente, eram lugares onde Cristo não era adorado em absoluto, um território virgem para o Evangelho. Se a fundação tivesse sido colocada por alguém (ou seja, se alguém tivesse plantado uma igreja antes dele) Paulo estava empenhado em seguir em frente e evangelizar em outro lugar. O desejo do seu coração era alcançar os não alcançados e vê-los confiar em Cristo e formar igrejas Cristãs. Comunidades e povos não alcançados existem hoje em grande número. Não há falta de lugares sem um testemunho do Evangelho. Deveríamos estar tentando plantar igrejas lá? Tendo em consideração os termos da Grande Comissão e a vastidão da necessidade espiritual, perguntar é o mesmo que responder. 2) Quando uma igreja adicional é necessária. A suposição aqui é que, em uma determinada cidade ou comunidade já existe uma igreja Cristã. Por várias razões, no entanto, é necessária uma igreja adicional. Talvez porque os números a serem alcançados com o Evangelho são muito grandes. As presentes igrejas não podem tratar adequadamente as necessidades espirituais de toda a população. A ajuda de outras igrejas é urgentemente necessária. Talvez porque as igrejas existentes não estão fazendo a obra do Evangelho. Elas têm se afastado tanto da verdade que elas têm apenas um falso evangelho a proclamar. As necessidades de uma comunidade onde este for o caso são quase tão grandes quanto as de uma não alcançada. Talvez porque a obra do Evangelho não esteja sendo feita tão bem quanto deveria ser. A igreja pode ser tão introspectiva como tendo pouco coração para o evangelismo. Ou os seus esforços podem ser limitados por causa de uma visão hiper-calvinista do Evangelho. Ou pode ser professamente evangélica e muito ativa em seu alcance e ainda assim, a sua mensagem ter uma diluição grave do Evangelho bíblico. Se assim for, então há necessidade evidente de uma igreja que ativamente faça a verdade ser conhecida.

8 O que devemos pensar, no entanto, sobre os Batistas Reformados que desejam plantar uma igreja, porque eles desejam pertencer a esse tipo particular de igreja? (Uma pergunta semelhante poderia ser feita sobre os Cristãos de outras convicções). Há perguntas sérias que devem ser primeiramente abordadas. O plantio de uma igreja Batista distintamente Reformada é suficientemente importante para justificar os crentes em deixar sua igreja atual, se essa igreja é solidamente bíblica e engajada em missões? Será que a sua saída potencialmente contribui para a fraqueza dela? O plantio de mais uma igreja poderia prejudicar a obra geral do Evangelho em um lugar particular (porque as pessoas ficam duvidosas, confusas ou desiludidas por causa do que eles veem sobre a fragmentação da igreja)? Estes crentes estão comprometidos com o plantio da nova igreja em uma área de necessidade genuína? A visão do Novo Testamento sobre pecadores sendo salvos e se tornando parte da igreja de Cristo honestamente os emociona e os conduz? A adequação de ir adiante com a desejada igreja a ser plantada precisa ser determinada em função das respostas a essas perguntas. Igrejas que Plantam Igrejas Existe um tipo de cultura de igreja que tende a plantar igrejas? Nossa limitada pesquisa a partir da história de igrejas de espírito missionário e algumas igrejas dentro da esfera da ARBCA mostra pelo menos três características diferentes podem descrever igrejas que plantam igrejas. Primeiro, parece existir uma correlação entre igrejas que têm ênfases missionárias em suas igrejas e igrejas que plantam outras igrejas. A igreja voltada para o exterior tende a ser solidária e interessada em todos os tipos de atividade missionária, seja a plantação de igreja local ou plantação de igreja em missão estrangeira. Portanto, as culturas de igrejas que plantam igrejas são engajadas em missões. Elas tendem a ter ênfase na oração por missões, conferências sobre missões, oração e grupos de apoio de jovens e mulheres com particular ênfase missionária. Elas podem envolver os seus jovens em missões de curto prazo. Elas reservam um tempo em reuniões de oração e cultos de oração pelo avanço do Reino de Deus. Algumas podem ter épocas especiais de oração ou pensar em maneiras criativas para incentivar e apoiar os missionários que já estão em campo. Algumas poderiam incentivar um zelo por missões e plantação de igrejas por fazer com que o seu povo conheça homens que já estão no campo, lhes visitando e pregando após receber autorização, ouvindo seus testemunhos sobre o chamado do Senhor em suas vidas, os chamados para o sacrifício, e as alegrias e decepções que eles enfrentam. Elas organizam visitas ao missionário no campo para obter uma perspectiva prática. Outras igrejas podem ter estudos ou comentários regulares de biografias missionárias na Escola Dominical ou interação em pequenos grupos.

9 Segundo, as igrejas que plantam igrejas tentam plantar igrejas. Algo mais do que oração geral pela plantação de igrejas deve ocorrer. Buscas tangíveis, que incluem a pesquisa de áreas particulares com falta de testemunho evangélico, e busca por portas abertas com tentativas (até mesmo aquelas do tipo mal-sucedidas), parecem caracterizar igrejas que plantam. Como observou Brad Swygard, escrevendo em uma das Updates [Atualizações], o Novo Testamento mostra uma atitude proativa na plantação de igrejas. Observando a atividade de Paulo em Atos 16: quando o Espírito Santo proíbe o apóstolo de ir para a Ásia, Paulo e seus companheiros não se sentam e tornam-se cautelosos, esperando a persuasão do Espírito. Lucas observa que eles intentavam ir para Bitínia, mas a porta estava fechada. Mesmo assim, eles não esmoreceram, mas passaram a Trôade. Enquanto estavam lá, em meio ao 'intentar', eles receberam o chamado para ir à Macedônia 6. Um pastor da ARBCA exorta: nós devemos ter um compromisso e vontade de plantar igrejas, uma crença de que devemos fazê-lo. Essa mentalidade leva à terceira característica das igrejas que plantam igrejas, uma espiritualidade profunda que move as pessoas para fora de suas zonas de conforto. O recente livro de Robert Davey, The Power to Save [O Poder para Salvar], narra a história do Evangelho na China, começando com o ministério de Robert Morrison em Mais tarde, no mesmo século, Hudson Taylor começou a notavelmente bem-sucedida China Inland Mission, cujos os frutos permanecem até hoje. Davey revela a prescrição bíblica de Hudson Taylor para levantar missionários e plantadores de igrejas nas igrejas no seu tempo, para se esforçarem pela salvação dos chineses. No estudo sobre o Verbo Divino, eu aprendi que para se obter trabalhadores bem-sucedidos não era necessário elaborar apelos por ajuda, mas em primeiro lugar, fervorosa oração a Deus para que enviasse trabalhadores, e em segundo lugar, o aprofundamento da vida espiritual da igreja, de modo que os homens fossem incapazes de ficar em casa. 7 O mais impressionante é a insistência de Taylor sobre o aprofundamento da vida espiritual da igreja e, particularmente, os resultados no coração dos homens que os conduzem do conforto de suas casas ao campo de trabalho. Essa característica está no próprio coração do empreendimento missionário e da plantação de igreja. Taylor continua a falar sobre a responsabilidade do Cristão no seu tempo, quanto aos chineses, para que se preocupassem com a salvação dos perdidos. Comentando frequentemente em Provérbios 24:11-12, onde se lê: [6] Swygard, Brad, Evangelism Shows the Mind of Christ [O Evangelismo Demonstra a Mente de Cristo], ARBCA, Update. [7] Davey, Robert, Power to Save [O Poder para Salvar],

10 Se tu deixares de livrar os que estão sendo levados para a morte, e aos que estão sendo levados para a matança; se disseres: Eis que não o sabemos; porventura não o considerará aquele que pondera os corações? Não o saberá aquele que atenta para a tua alma? Não dará ele ao homem conforme a sua obra? Taylor exorta: A culpa vem sobre todo crente que conhece a salvação de Deus e não faz nada, ou muito pouco, para auxiliar na realização do comando da Grande Comissão. É o comando de Cristo. É um dever. Em nome da China, Ele chama, no mínimo, para eficaz oração fervorosa e abnegado esforço extenuante pela salvação do chinês ignorante. A apatia e indiferença relativa ao bem-estar eterno dos chineses são uma negação da lei do amor. 8 David Vaughn, missionário da ARBCA na França, pregando em Lucas 24:44-47 no final da Assembleia Geral em 2010, falou sobre memória de ouvir sermões evangelísticos de cortar o coração em sua juventude e como eles fizeram o seu coração arder dentro dele e o impressionar, mais tarde, o desejo e impulso para pregar o Evangelho aos perdidos. Ele era um daqueles incapazes de ficar em casa. Igrejas que plantam igrejas parecem ter algo do ardente desejo de coração para ver os homens salvos que flui de suas reuniões que por sua vez empurram os homens para fora de suas igrejas para que façam esta grande obra. Que o Senhor possa promover essa profunda espiritualidade em nossas igrejas para que possamos ver mais igrejas plantadas, mais missionários enviados, pela honra do Seu grande nome e a salvação daqueles que estão sendo levados para a matança. Olhe para os Campos A Grande Comissão (Mateus 28:18-20) não limita esforços missionários de uma igreja, seja a campos missionários estrangeiros ou locais. Jesus Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores (1 Timóteo 1:15). Os pecadores estão por toda parte, perto e longe, em nosso redor e no exterior. O pecado, idolatria e adoração falsa são questões do coração, não de geografia. Onde você encontra pessoas, você encontra uma grande necessidade de Cristo, da pregação do Evangelho e do plantio de igrejas. Podemos ver facilmente a partir da Escritura que Jesus foi aonde as pessoas estavam. Paulo também foi onde as pessoas estavam. Este tem sido o padrão da Igreja ao longo da História. Deve ser conosco também. Os Estados Unidos têm a terceira maior população do mundo, China e Índia, estando em [8] Ibid. 112.

11 primeiro e segundo lugar. De acordo com o último censo norte-americano, atualmente, mais de pessoas vivem em território americano. Em 2020 as projeções são de que a população aumentará para mais de 346 milhões. Em 2030, esse número aumentará para 370 milhões. Algumas estimativas são de que, até 2040, a população dos EUA será de mais de 400 milhões de pessoas! As duas maiores áreas metropolitanas do mundo são Nova York e Los Angeles. Nova York tem 19 milhões de pessoas e Los Angeles, 13 milhões. Além disso, o censo de 2010 calcula que existem 51 áreas metropolitanas dos Estados Unidos, com mais de um milhão de pessoas. As cinco maiores áreas, em ordem, são Nova York, Los Angeles, Chicago, Dallas- Fort Worth e Filadélfia, variando de 19 a 6 milhões de almas. Mais de 80 milhões de pessoas vivem nas dez áreas metropolitanas mais populosas do país. Cristo veio para salvar os pecadores perdidos. Ele também veio para edificar a Sua Igreja e estabelecer e promover o Seu reino. Ele deu à Igreja a Sua Palavra e Evangelho, a Grande Comissão e o Espírito Santo para prosseguir a Sua obra de evangelização e plantação de igrejas até que Ele volte. Se esta é a Sua missão no mundo, deve ser também a nossa. Em Mateus 9, somos informados de que Jesus percorria as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino. Ao ver as multidões, teve compaixão por elas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor. Com esta realidade triste e preocupante diante dele, o Senhor disse aos discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros. Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara. Há 72 igrejas-membro em nossa Associação. Há pelo menos uma igreja ARBCA localizada em 31 estados em todo o país. Isto significa que existem 19 estados sem uma igreja da ARBCA dentro de suas fronteiras. Cerca de cinco anos atrás, uma pesquisa indicou que temos 25 áreas metropolitanas dentro de uma distância de metros de uma igreja ARBCA. Algumas dessas cidades têm um conjunto de três, quatro ou mesmo cinco igrejas ARBCA dentro deste raio. Não é razoável pensar que é possível, até mesmo desejável, que algumas destas igrejas se reúnam para planta e apoiar uma igreja em uma ou mais dessas cidades que não tem igreja ARBCA. A hora de começar a atingir os 400 milhões de pessoas em nossa terra é agora, não em 2040! William Carey sabia o que ele estava falando quando disse que devemos orar, planejar, labutar e pagar por evangelização, plantio de igrejas e pregação do Evangelho do Reino. A Grande Comissão não é toda sobre isso? A descoberta mais interessante daquela missão relacionada às 25 cidades mencionadas

12 acima é a seguinte: cerca de 105 milhões de almas vivem dentro de um raio de distância de igrejas da ARBCA. Esta representação é de vários anos atrás e é seguro admitir que o número seja significativamente maior hoje. As igrejas da ARBCA estão estabelecidas no meio de um campo missionário muito grande. Muitos de nós estão a km de algumas das áreas metropolitanas mais populosas do mundo! A força dos números de pessoas por si só deve mover-nos a orar e estudar as enormes oportunidades que o Senhor colocou diante de nós como igrejas individuais e como uma associação de igrejas, cuja missão inclui a cooperação na propagação do Evangelho em nossos bairros, cidades, país e no mundo. Tal estudo para nos familiarizar com a condição espiritual e oportunidades de missões de nossos grandes centros populacionais poderia muito bem ser o primeiro passo em um esforço frutífero pelo Seu reino, honra e glória. Temos Seu Evangelho, Palavra e Espírito. Temos a Sua Grande Comissão. Já estamos no meio de um campo missionário enorme. A seara é realmente grande! A única questão que permanece é simplesmente esta: De que forma nós, como uma igreja, responderemos a esse chamado e oportunidade? Em consideração a tal necessidade de enviar missionários para pronta seara na Índia, William Carey escreveu quanto ao lar, a John Sutcliffe e disse: Ficar em casa é agora tornar-se pecador, em muitos casos, e se tornará mais e mais assim. As mesmas palavras poderiam ser aplicadas às nossas circunstâncias? À luz do exemplo do Senhor e do Seu mandato missionário para as igrejas, quem tentaria verdadeiramente questioná-lo? Mais cedo ou mais tarde devemos começar a fazer esta pergunta a nós mesmos: o ponto de Carey é relevante para nós hoje, quando nós, como uma associação de igrejas, ficamos a uma curta distância confortável de mais de 105 milhões de almas? Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara. Sola Scriptura! Sola Gratia! Sola Fide! Solus Christus! Soli Deo Gloria!

13 OUTRAS LEITURAS QUE RECOMENDAMOS Baixe estes e outros e-books gratuitamente no site oestandartedecristo.com. 10 Sermões R. M. M Cheyne Adoração A. W. Pink Agonia de Cristo J. Edwards Batismo, O John Gill Batismo de Crentes por Imersão, Um Distintivo Neotestamentário e Batista William R. Downing Bênçãos do Pacto C. H. Spurgeon Biografia de A. W. Pink, Uma Erroll Hulse Carta de George Whitefield a John Wesley Sobre a Doutrina da Eleição Cessacionismo, Provando que os Dons Carismáticos Cessaram Peter Masters Como Saber se Sou um Eleito? ou A Percepção da Eleição A. W. Pink Como Ser uma Mulher de Deus? Paul Washer Como Toda a Doutrina da Predestinação é corrompida pelos Arminianos J. Owen Confissão de Fé Batista de 1689 Conversão John Gill Cristo É Tudo Em Todos Jeremiah Burroughs Cristo, Totalmente Desejável John Flavel Defesa do Calvinismo, Uma C. H. Spurgeon Deus Salva Quem Ele Quer! J. Edwards Discipulado no T empo dos Puritanos, O W. Bevins Doutrina da Eleição, A A. W. Pink Eleição & Vocação R. M. M Cheyne Eleição Particular C. H. Spurgeon Especial Origem da Instituição da Igreja Evangélica, A J. Owen Evangelismo Moderno A. W. Pink Excelência de Cristo, A J. Edwards Gloriosa Predestinação, A C. H. Spurgeon Guia Para a Oração Fervorosa, Um A. W. Pink Igrejas do Novo Testamento A. W. Pink In Memoriam, a Canção dos Suspiros Susannah Spurgeon Incomparável Excelência e Santidade de Deus, A Jeremiah Burroughs Infinita Sabedoria de Deus Demonstrada na Salvação dos Pecadores, A A. W. Pink Jesus! C. H. Spurgeon Justificação, Propiciação e Declaração C. H. Spurgeon Livre Graça, A C. H. Spurgeon Marcas de Uma Verdadeira Conversão G. Whitefield Mito do Livre-Arbítrio, O Walter J. Chantry Natureza da Igreja Evangélica, A John Gill Natureza e a Necessidade da Nova Criatura, Sobre a John Flavel Necessário Vos é Nascer de Novo Thomas Boston Necessidade de Decidir-se Pela Verdade, A C. H. Spurgeon Objeções à Soberania de Deus Respondidas A. W. Pink Oração Thomas Watson Pacto da Graça, O Mike Renihan Paixão de Cristo, A Thomas Adams Pecadores nas Mãos de Um Deus Irado J. Edwards Pecaminosidade do Homem em Seu Estado Natural Thomas Boston Plenitude do Mediador, A John Gill Porção do Ímpios, A J. Edwards Pregação Chocante Paul Washer Prerrogativa Real, A C. H. Spurgeon Queda, a Depravação Total do Homem em seu Estado Natural..., A, Edição Comemorativa de Nº 200 Quem Deve Ser Batizado? C. H. Spurgeon Quem São Os Eleitos? C. H. Spurgeon Reformação Pessoal & na Oração Secreta R. M. M'Cheyne Regeneração ou Decisionismo? Paul Washer Salvação Pertence Ao Senhor, A C. H. Spurgeon Sangue, O C. H. Spurgeon Semper Idem Thomas Adams Sermões de Páscoa Adams, Pink, Spurgeon, Gill, Owen e Charnock Sermões Graciosos (15 Sermões sobre a Graça de Deus) C. H. Spurgeon Soberania da Deus na Salvação dos Homens, A J. Edwards Sobre a Nossa Conversão a Deus e Como Essa Doutrina é Totalmente Corrompida Pelos Arminianos J. Owen Somente as Igrejas Congregacionais se Adequam aos Propósitos de Cristo na Instituição de Sua Igreja J. Owen Supremacia e o Poder de Deus, A A. W. Pink Teologia Pactual e Dispensacionalismo William R. Downing Tratado Sobre a Oração, Um John Bunyan Tratado Sobre o Amor de Deus, Um Bernardo de Claraval Um Cordão de Pérolas Soltas, Uma Jornada Teológica no Batismo de Crentes Fred Malone Sola Scriptura Sola Gratia Sola Fide Solus Christus Soli Deo Gloria

14 2 Coríntios 4 1 Por isso, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos; 2 Antes, rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus; e assim nos recomendamos à consciência de todo o homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade. 3 Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto. 4 Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. 5 Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos somos vossos servos por amor de Jesus. 6 Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo. 7 Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós. 8 Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. 9 Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; 10 Trazendo sempre por toda a parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também nos nossos corpos; 11 E assim nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também na nossa carne mortal. 12 De maneira que em nós opera a morte, mas em vós a vida. 13 E temos portanto o mesmo espírito de fé, como está escrito: Cri, por isso falei; nós cremos também, por isso também falamos. 14 Sabendo que o que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também por Jesus, e nos apresentará convosco. 15 Porque tudo isto é por amor de vós, para que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar a ação de graças para glória de Deus. 16 Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. 17 Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; 18 Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas.

A Rainha das Graças. Thomas Watson

A Rainha das Graças. Thomas Watson A Rainha das Graças Thomas Watson Traduzido do original em Inglês The queen of graces By Thomas Watson Via: GraceGems.org Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira 1ª Edição: Dezembro

Leia mais

Cinco Aspectos Essenciais do Ministério Pastoral. Thomas Hicks

Cinco Aspectos Essenciais do Ministério Pastoral. Thomas Hicks Cinco Aspectos Essenciais do Ministério Pastoral Thomas Hicks Traduzido do original em Inglês Five Essential Aspects of Pastoral Ministry By Tom Hicks Via: Founders.org Tradução por Antonio e Jennifer

Leia mais

O Espírito Santo Na CFB1689. Matthew Brennan

O Espírito Santo Na CFB1689. Matthew Brennan O Espírito Santo Na CFB1689 Matthew Brennan Traduzido do original em Inglês Holy Spirit in Second London Baptist Confession Circular Letter 2006 ARBCA By Matthew Brennan Via: ARBCA.com (Association of

Leia mais

A Total Desejabilidade. de Jesus Cristo. John Flavel

A Total Desejabilidade. de Jesus Cristo. John Flavel A Total Desejabilidade de Jesus Cristo John Flavel Traduzido do original em Inglês Christ Altogether Lovely By John Flavel O presente volume consiste somente em um excerto da obra supracitada Via: PuritanSermons.com

Leia mais

A Obra do Espírito Santo No Chamado Eficaz. William R. Downing

A Obra do Espírito Santo No Chamado Eficaz. William R. Downing A Obra do Espírito Santo No Chamado Eficaz William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism

Leia mais

O Incomparável e Irrecusável Chamado de Cristo para Mulheres. Thomas Vincent

O Incomparável e Irrecusável Chamado de Cristo para Mulheres. Thomas Vincent O Incomparável e Irrecusável Chamado de Cristo para Mulheres Thomas Vincent Traduzido do original em Inglês Christ s Call To Young Women By Thomas Vincent O presente volume consiste somente em um excerto

Leia mais

Uma Exposição De I João 2:2. A. W. Pink

Uma Exposição De I João 2:2. A. W. Pink Uma Exposição De I João 2:2 A. W. Pink Traduzido do original em Inglês The Sovereignty of God: Appendix IV - 1 John 2:2 By A. W. Pink Via: EternalLifeMinistries.org Tradução por Timóteo Werner Revisão

Leia mais

Issuu.com/oEstandarteDeCristo

Issuu.com/oEstandarteDeCristo Sinais e Frutos Da Eleição A. W. Pink Traduzido do original em Inglês The Doctrine of Election By A. W. Pink A presente publicação consiste em um excerto da obra supracitada Via: ChapelLibrary.org Copyright

Leia mais

A Bíblia e a Sua Inspiração Divina. William R. Downing

A Bíblia e a Sua Inspiração Divina. William R. Downing A Bíblia e a Sua Inspiração Divina William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism with

Leia mais

No Contexto da Redenção

No Contexto da Redenção Eleição e Predestinação Divinas No Contexto da Redenção William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form

Leia mais

O PACTO DA GRAÇA MIKE RENIHAN

O PACTO DA GRAÇA MIKE RENIHAN O PACTO DA GRAÇA MIKE RENIHAN Traduzido do original em Inglês Covenant of Grace Circular Letter 2001 ARBCA By Dr. Mike Renihan Via: ARBCA.com (Association of Reformed Baptist Churches of America) Tradução

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. Family Workship. By A. W. Pink. Via: GraceGems.org. Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira

Traduzido do original em Inglês. Family Workship. By A. W. Pink. Via: GraceGems.org. Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira A. W. Pink Traduzido do original em Inglês Family Workship By A. W. Pink Via: GraceGems.org Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira 1ª Edição: Fevereiro de 2015 Salvo indicação

Leia mais

Homem e Mulher, Deus os Criou à Sua Imagem

Homem e Mulher, Deus os Criou à Sua Imagem Homem e Mulher, Deus os Criou à Sua Imagem John Piper Traduzido do original em Inglês Male and Female He Created Them in the Image of God By John Piper Via: DesiringGod.org Copyright 2015 Desiring God

Leia mais

Os Padrões Doutrinários e Práticos Para a Membresia De Uma Igreja Local Segundo A Bíblia e a CFB1689. James M. Renihan

Os Padrões Doutrinários e Práticos Para a Membresia De Uma Igreja Local Segundo A Bíblia e a CFB1689. James M. Renihan Os Padrões Doutrinários e Práticos Para a Membresia De Uma Igreja Local Segundo A Bíblia e a CFB1689 James M. Renihan Traduzido do original em Inglês The Doctrinal and Practical Standards for Local Church

Leia mais

Anne Dutton's Letters on Spiritual Subjects The New Birth; Regeneration

Anne Dutton's Letters on Spiritual Subjects The New Birth; Regeneration ANNE DUTTON Traduzido do original em Inglês Anne Dutton's Letters on Spiritual Subjects The New Birth; Regeneration By Anne Dutton Via: GraceGems.org Tradução por Amanda Ramalho Revisão por Camila Almeida

Leia mais

UM VERDADEIRO MAPA DO ESTADO MISERÁVEL DO HOMEM POR NATUREZA

UM VERDADEIRO MAPA DO ESTADO MISERÁVEL DO HOMEM POR NATUREZA UM VERDADEIRO MAPA DO ESTADO MISERÁVEL DO HOMEM POR NATUREZA Christopher Love Traduzido do original em Inglês A True Map of Man's Miserable Estate by Nature By Christopher Love Via: PuritanSermons.com

Leia mais

Uma Biografia de Susannah Spurgeon: A Fundação de O Fundo para Livros. Charles Ray

Uma Biografia de Susannah Spurgeon: A Fundação de O Fundo para Livros. Charles Ray O Uma Biografia de Susannah Spurgeon: A Fundação de O Fundo para Livros Charles Ray Traduzido do original em Inglês MRS. C.H. SPURGEON A biography of Susannah Spurgeon By Charles Ray, 1905 A presente tradução

Leia mais

COMO SER GUIADO POR DEUS?

COMO SER GUIADO POR DEUS? COMO SER GUIADO POR DEUS? UMA EXPOSIÇÃO DE PROVÉRBIOS 3:5-6 A. W. Pink Traduzido do original em Inglês Divine Guidance By A. W. Pink A presente publicação consiste em um excerto da obra supracitada. Via:

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. The Fight of Faith. By A. W. Pink. Via: ChapelLibrary.org

Traduzido do original em Inglês. The Fight of Faith. By A. W. Pink. Via: ChapelLibrary.org A. W. Pink Traduzido do original em Inglês The Fight of Faith By A. W. Pink Via: ChapelLibrary.org Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila Almeida 1ª Edição: Fevereiro de 2015 Salvo indicação

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. John s Vision. By R. M. M'Cheyne

Traduzido do original em Inglês. John s Vision. By R. M. M'Cheyne A VISÃO DE JOÃO. Traduzido do original em Inglês John s Vision By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's Church,

Leia mais

PERDÃO PARA OS MAIORES PECADORES

PERDÃO PARA OS MAIORES PECADORES PERDÃO PARA OS MAIORES PECADORES Traduzido do original em Inglês Pardon for the Greatest Sinners By Jonathan Edwards Via: The-HighWay.com Tradução por Amanda Ramalho Revisão e Capa por William Teixeira

Leia mais

Dez Razões Pelas Quais É Errado Tirar a Vida De Crianças por Nascer

Dez Razões Pelas Quais É Errado Tirar a Vida De Crianças por Nascer Dez Razões Pelas Quais É Errado Tirar a Vida De Crianças por Nascer John Piper Traduzido do original em Inglês Ten Reasons Why It Is Wrong to Take the Life of Unborn Children By John Piper Via: DesiringGod.org

Leia mais

O DISCIPULADO NO TEMPO DOS PURITANOS

O DISCIPULADO NO TEMPO DOS PURITANOS O DISCIPULADO NO TEMPO DOS PURITANOS Winfield Bevins Traduzido do original em Inglês Discipleship in the Puritan Era By Winfield Bevins Via: Founders.org Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por

Leia mais

Christ s Call To Young Women

Christ s Call To Young Women THOMAS VINCENT Traduzido do original em Inglês Christ s Call To Young Women By Thomas Vincent Via: ChapelLibrary.org Chapel Library Tradução e Capa por Camila Almeida Revisão por William Teixeira 1ª Edição:

Leia mais

A TERRÍVEL CONDIÇÃO DOS HOMENS NATURAIS

A TERRÍVEL CONDIÇÃO DOS HOMENS NATURAIS A TERRÍVEL CONDIÇÃO DOS HOMENS NATURAIS. Traduzido do original em Inglês The Fearful Condition Of Natural Men By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert

Leia mais

Uma Palavra aos Pais. A. W. Pink

Uma Palavra aos Pais. A. W. Pink Uma Palavra aos Pais A. W. Pink Traduzido do original em Inglês A Word to Parents By A. W. Pink Via: ChapelLibrary.org Chapel Library Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira 1ª

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. Cross-Bearing. By A. W. Pink. Via: GraceGems.org. Tradução e Capa por Camila Almeida Revisão por William Teixeira

Traduzido do original em Inglês. Cross-Bearing. By A. W. Pink. Via: GraceGems.org. Tradução e Capa por Camila Almeida Revisão por William Teixeira A. W. Pink Traduzido do original em Inglês Cross-Bearing By A. W. Pink Via: GraceGems.org Tradução e Capa por Camila Almeida Revisão por William Teixeira 1ª Edição: Março de 2015 Salvo indicação em contrário,

Leia mais

Eu, o Senhor, Te Chamei em Justiça. R. M. M Cheyne

Eu, o Senhor, Te Chamei em Justiça. R. M. M Cheyne Eu, o Senhor, Te Chamei em Justiça. R. M. M Cheyne Traduzido do original em Inglês I The Lord Have Called Thee In Righteousness By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons

Leia mais

O Batismo Cristão. William R. Downing

O Batismo Cristão. William R. Downing O Batismo Cristão William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism with Commentary By W.

Leia mais

NÃO ME ENVERGONHO DO EVANGELHO

NÃO ME ENVERGONHO DO EVANGELHO NÃO ME ENVERGONHO DO EVANGELHO Traduzido do original em Inglês Not Ashamed Of The Gospel By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister

Leia mais

.JESUS! C. H. SPURGEON

.JESUS! C. H. SPURGEON .JESUS! C. H. SPURGEON Traduzido do original em Inglês JESUS! Sermon Nº 1434 Metropolitan Tabernacle Pulpit Volume 24 By C. H. Spurgeon Via SpurgeonGems.org Adaptado a partir de The C. H. Spurgeon Collection,

Leia mais

In Memoriam: A Song of Sighs

In Memoriam: A Song of Sighs Traduzido do original em Inglês In Memoriam: A Song of Sighs By Susannah Spurgeon Via: GraceGems.org Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila Almeida 1ª Edição: Dezembro de 2014 Salvo indicação

Leia mais

The True Pleasantness of Being a Child of God

The True Pleasantness of Being a Child of God Traduzido do original em Inglês The True Pleasantness of Being a Child of God By R. M. M'Cheyne Via: EternalLifeMinistries.org Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira 1ª Edição:

Leia mais

CATÁLOGO Knox. Publicações

CATÁLOGO Knox. Publicações CATÁLOGO 2013 Knox Publicações LANÇAMENTOS KNOX PUBLICAÇÕES SOLI DEO GLORIA O SER E OBRAS DE DEUS SOLA SCRIPTURA A DOUTRINA REFORMADA DAS ESCRITURAS IMAGO DEI ANTROPOLOGIA BÍBLICA Trilogia de estudos em

Leia mais

A Body of Practical Divinity Book 4 Chapter 1 Of the Respective Duties of Husband and Wife

A Body of Practical Divinity Book 4 Chapter 1 Of the Respective Duties of Husband and Wife John Gill Traduzido do original em Inglês A Body of Practical Divinity Book 4 Chapter 1 Of the Respective Duties of Husband and Wife By John Gill Via: PBMinistries.org (Providence Baptist Ministries) Tradução

Leia mais

AS DEZ VIRGENS - PARTE IV PRUDENTES E A DESGRAÇA DAS VIRGENS LOUCAS

AS DEZ VIRGENS - PARTE IV PRUDENTES E A DESGRAÇA DAS VIRGENS LOUCAS AS DEZ VIRGENS - PARTE IV A BEM-AVENTURANÇ A DAS VIRGENS PRUDENTES E A DESGRAÇA DAS VIRGENS LOUCAS. Traduzido do original em Inglês Lecture I The Ten Virgins, Part 4 By R. M. M'Cheyne Extraído da obra

Leia mais

Meditações Sobre A Morte e o Juízo Final. William R. Downing

Meditações Sobre A Morte e o Juízo Final. William R. Downing Meditações Sobre A Morte e o Juízo Final William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism

Leia mais

For What, And How We Are To Pray & The Necessity Of Secret Prayer

For What, And How We Are To Pray & The Necessity Of Secret Prayer Traduzido do original em Inglês For What, And How We Are To Pray & The Necessity Of Secret Prayer By Thomas Boston Via: Monergism.com & Ilyston.wordpress.com Tradução e Capa por William Teixeira Revisão

Leia mais

AS DEZ VIRGENS - PARTE II AS VIRGENS ADORMECEM

AS DEZ VIRGENS - PARTE II AS VIRGENS ADORMECEM AS DEZ VIRGENS - PARTE II AS VIRGENS ADORMECEM. Traduzido do original em Inglês Lecture I The Ten Virgins, Part 2 By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em dois volumes, The Works of The Late Rev.

Leia mais

Levanta-te, Resplandece. R. M. M Cheyne

Levanta-te, Resplandece. R. M. M Cheyne Levanta-te, Resplandece. R. M. M Cheyne Traduzido do original em Inglês Arise, Shine By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister

Leia mais

PRESENTES DO CÉU O ESPÍRITO SANTO E OS DONS ESPIRITUAIS

PRESENTES DO CÉU O ESPÍRITO SANTO E OS DONS ESPIRITUAIS PRESENTES DO CÉU O ESPÍRITO SANTO E OS DONS ESPIRITUAIS ATROFIA SINTOMAS DE ATROFIA CAUSAS DE ATROFIA 1. ATROFIA POR IGNORÂNCIA Irmãos, quanto aos dons espirituais, não quero que vocês sejam ignorantes.

Leia mais

AQUIETAI-VOS E SABEI QUE EU SOU DEUS

AQUIETAI-VOS E SABEI QUE EU SOU DEUS AQUIETAI-VOS E SABEI QUE EU SOU DEUS Traduzido do Espanhol Estad Quietos, y Conoced que Yo Soy Dios Por Jonathan Edwards Via: IglesiaReformada.com Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila

Leia mais

NA CASA DO OLEIRO. A. W. Pink

NA CASA DO OLEIRO. A. W. Pink NA CASA DO OLEIRO A. W. Pink Traduzido do original em Inglês In the Potter's House By A. W. Pink Via: EternalLifeMinistries.org Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila Almeida 1ª Edição:

Leia mais

Decadência Espiritual. R. M. M Cheyne

Decadência Espiritual. R. M. M Cheyne Decadência Espiritual. R. M. M Cheyne Traduzido do original em Inglês Gray Hairs Are Upon Him By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne

Leia mais

O Lugar da Leitura no Ministério Pastoral

O Lugar da Leitura no Ministério Pastoral O Lugar da Leitura no Ministério Pastoral P or Dona ld R. Lindbla d Traduzido do original em Inglês The Minister and His Study: The Place of Reading in Pastoral Ministry Circular Letter 2007 ARBCA By Donald

Leia mais

Cultivando Ministros da Palavra: O Dever Eclesiástico De Incentivar Os Homens Qualificados A Exercerem O Ministério Evangélico. Stefan T.

Cultivando Ministros da Palavra: O Dever Eclesiástico De Incentivar Os Homens Qualificados A Exercerem O Ministério Evangélico. Stefan T. Cultivando Ministros da Palavra: O Dever Eclesiástico De Incentivar Os Homens Qualificados A Exercerem O Ministério Evangélico Stefan T. Lindblad Traduzido do original em Inglês Cultivating Ministers of

Leia mais

A Trindade. O Pai, o Filho e o Espírito Santo. William R. Downing

A Trindade. O Pai, o Filho e o Espírito Santo. William R. Downing A Trindade O Pai, o Filho e o Espírito Santo William R. Downing. Traduzido do original em Inglês A Catechism on Bible Doctrine (Version 1.7) An Introductory study of Bible Doctrine in the Form of a Catechism

Leia mais

Sermão Uma Análise Bíblica Sobre o Feminismo Pregado na Noite de 9 de Março de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém

Sermão Uma Análise Bíblica Sobre o Feminismo Pregado na Noite de 9 de Março de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém Sermão Uma Análise Bíblica Sobre o Feminismo Pregado na Noite de 9 de Março de 2014, na Congregação Batista Reformada em Belém Por: Manoel Coelho Jr. A Verdade está na Bíblia ProcurandoVerdadeBiblica.blogspot.com.br

Leia mais

CONSIDERAI O APÓSTOLO E SUMO SACERDOTE DE NOSSA CONFISSÃO

CONSIDERAI O APÓSTOLO E SUMO SACERDOTE DE NOSSA CONFISSÃO CONSIDERAI O APÓSTOLO E SUMO SACERDOTE DE NOSSA CONFISSÃO. Traduzido do original em Inglês Consider the Apostle and High Priest of our profession, Christ Jesus By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original,

Leia mais

Síntese do Novo Testamento (Curso de Formação Ministerial, 2014) Prof. Marco Aurélio Correa

Síntese do Novo Testamento (Curso de Formação Ministerial, 2014) Prof. Marco Aurélio Correa 1 Evangelho de João Este evangelho tem 21 capítulos. Evangelho do Filho de Deus / Divino. 1 - Autor: João, o apóstolo, ele foi o último dos apóstolos a morrer. 2 - Data: Alguns escritores acreditam que

Leia mais

O MARAVILHOSO SIGNIFICADO DO BATISMO

O MARAVILHOSO SIGNIFICADO DO BATISMO O MARAVILHOSO SIGNIFICADO DO BATISMO John Piper Traduzido dos originais em Inglês A Celebration of Baptism, Brothers, Magnify the Meaning of Baptism & Thoughts on Baptism By John Piper Via: DesiringGod.org

Leia mais

A VIDA E O MINISTÉRIO DE CHARLES SPURGEON

A VIDA E O MINISTÉRIO DE CHARLES SPURGEON A VIDA E O MINISTÉRIO DE CHARLES SPURGEON JOHN PIPER Traduzido do original em Inglês The Life and Ministry of Charles Spurgeon By John Piper Via: DesiringGod.org 2015 Desiring God Foundation Tradução e

Leia mais

DIOCESE DE BRAGANÇA MIRANDA VISITA PASTORAL DO BISPO ÀS COMUNIDADES DA SUA DIOCESE

DIOCESE DE BRAGANÇA MIRANDA VISITA PASTORAL DO BISPO ÀS COMUNIDADES DA SUA DIOCESE DIOCESE DE BRAGANÇA MIRANDA VISITA PASTORAL DO BISPO ÀS COMUNIDADES DA SUA DIOCESE SUBSÍDIOS PASTORAIS CONFORME DMPB E EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PASTORES GREGIS NATUREZA E FINALIDADE Visita pastoral é a que

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. Can A Woman Forget. By R. M. M'Cheyne

Traduzido do original em Inglês. Can A Woman Forget. By R. M. M'Cheyne Traduzido do original em Inglês Can A Woman Forget By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's Church, Dundee. Via:

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. My Lord and My God. By R. M. M'Cheyne

Traduzido do original em Inglês. My Lord and My God. By R. M. M'Cheyne Traduzido do original em Inglês My Lord and My God By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's Church, Dundee. Via:

Leia mais

Glorying in the Cross

Glorying in the Cross Traduzido do original em Inglês Glorying in the Cross By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's Church, Dundee.

Leia mais

Chosen to Salvation & Called With an Holy Calling

Chosen to Salvation & Called With an Holy Calling Traduzido do original em Inglês Chosen to Salvation & Called With an Holy Calling By R. M. M'Cheyne Via: GraceOnlineLibrary.org & EternalLifeMinistries.org Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por

Leia mais

A SOBERANIA DE DEUS SOBRE O MAL. David Mathis

A SOBERANIA DE DEUS SOBRE O MAL. David Mathis A SOBERANIA DE DEUS SOBRE O MAL David Mathis Traduzido do original em Inglês A 4-Part Series On How To Talk About God's Sovereignty Over Sin By David Mathis Via: DesiringGod.org Copyright 2015 Desiring

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. The Narrow Way. By A. W. Pink. Via: ChapelLibrary.org Copyright Chapel Library

Traduzido do original em Inglês. The Narrow Way. By A. W. Pink. Via: ChapelLibrary.org Copyright Chapel Library A. W. Pink Traduzido do original em Inglês The Narrow Way By A. W. Pink Via: ChapelLibrary.org Copyright Chapel Library Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira 1ª Edição: Fevereiro

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS DO VERDADEIRO CRISTÃO

AS CARACTERÍSTICAS DO VERDADEIRO CRISTÃO AS CARACTERÍSTICAS DO VERDADEIRO CRISTÃO Transcrição feita a partir das legendas do vídeo, As Marcas do Verdadeiro Cristão (Vimeo.com/13974507) Por: Paul Washer HeartCry Missionary Society http://hcmissions.com

Leia mais

A Thorn In The Flesh

A Thorn In The Flesh Traduzido do original em Inglês A Thorn In The Flesh By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's Church, Dundee.

Leia mais

AS CONVICÇÕES EVANGÉLICAS DE BENJAMIN KEACH

AS CONVICÇÕES EVANGÉLICAS DE BENJAMIN KEACH AS CONVICÇÕES EVANGÉLICAS DE BENJAMIN KEACH TOM HICKS Traduzido do original em Inglês The Evangelical Convictions of Benjamin Keach By Tom Hicks Via: Founders.org Tradução e Capa por William Teixeira Revisão

Leia mais

Biography of A.W. Pink

Biography of A.W. Pink Traduzido do original em Inglês Biography of A.W. Pink By Erroll Hulse Via: ChapelLibrary.org Copyright 2013 Chapel Library Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira 1ª Edição: Dezembro

Leia mais

Lição 4 A transmissão do Evangelho (poder e convicção)

Lição 4 A transmissão do Evangelho (poder e convicção) Lição 4 A transmissão do Evangelho (poder e convicção) Texto bíblico: 1Tessalonicenses 1.4,5 É muito comum, nos momentos que antecedem a pregação, ouvir a seguinte oração: Que as palavras deste pregador

Leia mais

Moisés e Hobabe. M. M Cheyne

Moisés e Hobabe. M. M Cheyne Moisés e Hobabe. R. M. M Cheyne Disse então Moisés a Hobabe, filho de Reuel, o midianita, sogro de Moisés: Nós caminhamos para aquele lugar, de que o Senhor disse: Vo-lo darei; vai conosco e te faremos

Leia mais

Present Day Evangelism

Present Day Evangelism A. W. Pink Traduzido do original em Inglês Present Day Evangelism By A. W. Pink Via: EternalLifeMinistries.org Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila Almeida 1ª Edição: Março de 2015 Salvo

Leia mais

ANTES DA MORTE NA CRUZ JESUS SABIA O DIA QUE ELE PRÓPRIO VOLTARÁ? JESUS TEM O MESMO PODER DO PAI OU ESTÁ ABAIXO DELE? O QUE O DIABO NÃO PODE FAZER?

ANTES DA MORTE NA CRUZ JESUS SABIA O DIA QUE ELE PRÓPRIO VOLTARÁ? JESUS TEM O MESMO PODER DO PAI OU ESTÁ ABAIXO DELE? O QUE O DIABO NÃO PODE FAZER? ANTES DA MORTE NA CRUZ JESUS SABIA O DIA QUE ELE PRÓPRIO VOLTARÁ? JESUS TEM O MESMO PODER DO PAI OU ESTÁ ABAIXO DELE? O QUE O DIABO NÃO PODE FAZER? Vez ou outra escuto algum cristão mencionar algo como:

Leia mais

domingo, 26 de dezembro de 2010 A n é s i o R o d r i g u e s

domingo, 26 de dezembro de 2010 A n é s i o R o d r i g u e s A n é s i o R o d r i g u e s O Reino de Deus Mateus 3:1,2 Naqueles dias surgiu João Batista, pregando no deserto da Judéia. Ele dizia: Arrependam-se, pois o Reino dos céus está próximo. Mateus 4:17 Daí

Leia mais

INTRODUÇÃO - O ganhador de almas tem de preencher alguns requisitos para realizar seu trabalho de evangelização.

INTRODUÇÃO - O ganhador de almas tem de preencher alguns requisitos para realizar seu trabalho de evangelização. INTRODUÇÃO - O ganhador de almas tem de preencher alguns requisitos para realizar seu trabalho de evangelização. - O trabalho de ganhar almas é de iniciativa divina e somente quem tem comunhão com o Senhor

Leia mais

LIÇÃO 13 A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA

LIÇÃO 13 A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA INTRODUÇÃO - Concluindo o estudo deste trimestre sobre evangelização, estudaremos a necessária integralidade desta atividade mais importante, da razão de ser da igreja. - A evangelização tem de ser integral.

Leia mais

O Dom do Espírito Santo

O Dom do Espírito Santo Apostila Fundamentos O Dom do Espírito Santo... e recebereis o dom do Espírito Santo. At 2:38 D o n s d o E s p í r i t o S a n t o P á g i n a 2 O Dom do Espírito Santo Este é outro ensino fundamental

Leia mais

Transcrição feita, com a devida permissão, a partir do Canal do Youtube do Ministério Fiel (Youtube.com/User/EditoraFiel)

Transcrição feita, com a devida permissão, a partir do Canal do Youtube do Ministério Fiel (Youtube.com/User/EditoraFiel) Transcrição feita a partir do vídeo, O Evangelho de Jesus Cristo 1ª Mensagem, 28ª Conferência Fiel para Pastores e Líderes, 2012 Por: Paul Washer HeartCry Missionary Society http://hcmissions.com O conteúdo

Leia mais

Traduzido do original em Inglês. As The Hart Panteth. By R. M. M'Cheyne

Traduzido do original em Inglês. As The Hart Panteth. By R. M. M'Cheyne Traduzido do original em Inglês As The Hart Panteth By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray M'Cheyne Minister of St. Peter's Church, Dundee.

Leia mais

R I S T O MISERICORDIOSO SUMO SACERDOTE

R I S T O MISERICORDIOSO SUMO SACERDOTE . C R I S T O MISERICORDIOSO SUMO SACERDOTE. Traduzido do original em Inglês Christ, Merciful High Priest By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert Murray

Leia mais

Classificação de hinos do HPD e cânones por assuntos

Classificação de hinos do HPD e cânones por assuntos Classificação de hinos do HPD e cânones por assuntos 1 Advento e Natal 2 Ano Novo 3 Epifania 4 Entrada Triunfal 5 Paixão 6 Páscoa 7 Ascensão 8 Pentecostes 9 Trindade 10 Morte e Vida Eterna, Juízo Final

Leia mais

The Doctrine of Election

The Doctrine of Election Traduzido do original em Inglês The Doctrine of Election By A. W. Pink A presente tradução consiste somente no Capítulo 10, Its Blessedness, da obra supracitada Via: PBMinistries.org (Providence Baptist

Leia mais

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Princípios de Testemunho Pessoal

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Princípios de Testemunho Pessoal North American Division Portuguese Ministry Treinamento de Instrutores Bíblicos Princípios de Testemunho Pessoal Princípios de Testemunho Pessoal CRESCIMENTO DA IGREJA NO NOVO TESTAMENTO - Atos 1:15 -

Leia mais

KJV King James Bible Study Correspondence Course An Outreach of Highway Evangelistic Ministries 5311 Windridge lane ~ Lockhart, Florida ~ USA

KJV King James Bible Study Correspondence Course An Outreach of Highway Evangelistic Ministries 5311 Windridge lane ~ Lockhart, Florida ~ USA 1 Oferta Lição 10 (volte para as páginas 4, 5 e 6) Qual é o significado da oferta e quais são as minhas responsabilidades nesta área? O assunto da oferta é extremamente controverso na cristandade hoje

Leia mais

Santificação e Práticas Cristãs

Santificação e Práticas Cristãs Santificação e Práticas Cristãs EBA IBCU Jul 15 Wagner Fonseca 3ª Aula 1ª Aula Santidade Perfeita Crescimento em Santidade Vida Cristã Morte Física Escravo do Pecado Não Cristão SALVAÇÃO 2ª Aula Palavra

Leia mais

DEUS, A MELHOR PORÇÃO DO CRISTÃO

DEUS, A MELHOR PORÇÃO DO CRISTÃO DEUS, A MELHOR PORÇÃO DO CRISTÃO Jonathan Edwards Traduzido do original em Inglês God The Best Portion Of The Christian By Jonathan Edwards Via: CCEL.org (Christian Classics Ethereal Library) Tradução

Leia mais

O Âmago do Evangelho. A justificação é o âmago do Evangelho?

O Âmago do Evangelho. A justificação é o âmago do Evangelho? O Âmago do Evangelho A justificação é o âmago do Evangelho? Introdução Qual é o centro do Evangelho? Muitos vão dizer que a justificação é a base do Evangelho, pois sem justificação não poderíamos nos

Leia mais

TORNOU-SE POBRE PELOS PECADORES

TORNOU-SE POBRE PELOS PECADORES . C R I S T O TORNOU-SE POBRE PELOS PECADORES. Traduzido do original em Inglês Christ Became Poor for Sinners By R. M. M'Cheyne Extraído da obra original, em volume único: The Sermons of the Rev. Robert

Leia mais

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM Quarta-feira da 3ª Semana do Advento 1) Oração O Evangelho

Leia mais

O MISTÉRIO DA PIEDADE JOÃO CALVINO

O MISTÉRIO DA PIEDADE JOÃO CALVINO O MISTÉRIO DA PIEDADE JOÃO CALVINO Traduzido do Inglês The Mystery of Godliness By John Calvin Via: ReformedSermonArchives.com Tradução e Capa por Camila Almeida Revisão por William Teixeira 1ª Edição:

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E PROGRAMAS

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E PROGRAMAS 4. a EDIÇÃO 1 O CICLO ENSINO BASICO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E PROGRAMAS EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA EVANGÉLICA PROGRAMA DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO À DESCOBERTA DE UM MUNDO DIFERENTE OBJECTIVOS GERAIS:

Leia mais

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA. MÓDULO I - O NOVO TESTAMENTO Aula XV AS CARTAS DE TIAGO E GÁLATAS

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA. MÓDULO I - O NOVO TESTAMENTO Aula XV AS CARTAS DE TIAGO E GÁLATAS IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA MÓDULO I - O NOVO TESTAMENTO Aula XV AS CARTAS DE TIAGO E GÁLATAS A LITERATURA DE PROTESTO A controvérsia a respeito da circuncisão obrigatória

Leia mais

O Serviço Cristão. Exposição de 3ªJoão. (1ª Mensagem) Gaio, um bom exemplo de cristão a ser seguido. 3Jo v.1-8

O Serviço Cristão. Exposição de 3ªJoão. (1ª Mensagem) Gaio, um bom exemplo de cristão a ser seguido. 3Jo v.1-8 O Serviço Cristão Exposição de 3ªJoão (1ª Mensagem) Gaio, um bom exemplo de cristão a ser seguido 3Jo v.1-8 Pouco sabemos das situações em que esta carta foi escrita. Não sabemos onde João estava quando

Leia mais

Conferência Doutrinária, Pastoral e Teológica 20º Concílio Geral. Palavra do Bispo Roberto Alves de Souza Bispo da 4ª Região Eclesiástica

Conferência Doutrinária, Pastoral e Teológica 20º Concílio Geral. Palavra do Bispo Roberto Alves de Souza Bispo da 4ª Região Eclesiástica Conferência Doutrinária, Pastoral e Teológica 20º Concílio Geral Palavra do Bispo Roberto Alves de Souza Bispo da 4ª Região Eclesiástica julho de 2016 Teresópolis RJ Bispo Roberto: Bom dia Bispo Adonias

Leia mais

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você!

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você! MANUAL Esperança Casa de I G R E J A Esperança Uma benção pra você! I G R E J A Esperança Uma benção pra você! 1O que é pecado Sem entender o que é pecado, será impossível compreender a salvação através

Leia mais

ORAÇÃO PARTICULAR. A. W. Pink

ORAÇÃO PARTICULAR. A. W. Pink ORAÇÃO PARTICULAR A. W. Pink Traduzido do original em Inglês Private Prayer By A. W. Pink Via: EternalLifeMinistries.org Tradução por Camila Almeida Revisão e Capa por William Teixeira 1ª Edição: Dezembro

Leia mais

OS TRÊS OFÍCIOS DE CRISTO

OS TRÊS OFÍCIOS DE CRISTO VASOS DE OURO Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém. 2 Pe. 3:18 CRISTOLOGIA OS TRÊS OFÍCIOS

Leia mais

A GRANDE COMISSÃO: ANÁLISE DAS CINCO DIMENSÕES

A GRANDE COMISSÃO: ANÁLISE DAS CINCO DIMENSÕES A MISSÃO NO SÉCULO XXI A GRANDE COMISSÃO: ANÁLISE DAS CINCO DIMENSÕES Dr. ERICO T. XAVIER Os cinco textos da Grande Comissão. Mateus 28:18-20 Marcos 16:14-20 Lucas 24:44-53 João 20:19-23 Atos 1:8 Repetiu

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA 2014

APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA 2014 PROPOST A 2014 "Que nenhum homem despreze as crianças ou pense que são insignificantes. Eu reivindico o lugar da frente para elas. Elas são o futuro do mundo. O passado já se foi e não podemos alterá-lo.

Leia mais

Voltado a Deus I. O Imperativo Divino

Voltado a Deus I. O Imperativo Divino Deus trabalha movido por oração. Quando Deus quer fazer certa coisa, Ele inspira oração para que Ele possa agir. Ele somente trabalha desta forma. Em Gênesis 20 lemos a primeira estória sobre cura narrada

Leia mais

IGREJA. Sua Natureza

IGREJA. Sua Natureza IGREJA Sua Natureza A igreja é a comunidade de todos os cristãos de todos os tempos. Wayne Grudem A igreja é o novo Israel de Deus que revela nesse tempo Sua glória Thiessen A igreja é a a assembléia dos

Leia mais

ORAÇÃO. Thomas Watson

ORAÇÃO. Thomas Watson ORAÇÃO Thomas Watson Traduzido do original em Inglês Prayer By Thomas Watson Via: ReformedSermonArchives.com Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila Almeida 1ª Edição: Dezembro de 2014

Leia mais

Uma Biografia de Susannah Spurgeon: O Fundo para Livros Cresce. Charles Ray

Uma Biografia de Susannah Spurgeon: O Fundo para Livros Cresce. Charles Ray Uma Biografia de Susannah Spurgeon: O Fundo para Livros Cresce Charles Ray Traduzido do original em Inglês MRS. C.H. SPURGEON A biography of Susannah Spurgeon By Charles Ray, 1905 A presente tradução consiste

Leia mais

Romanos, Paulo diz qual a motivação que o levou a escrever a epístola à igreja em Roma. visando evangelizar o ocidente do Império Romano.

Romanos, Paulo diz qual a motivação que o levou a escrever a epístola à igreja em Roma. visando evangelizar o ocidente do Império Romano. O No capítulo 15 da carta aos Romanos, Paulo diz qual a motivação que o levou a escrever a epístola à igreja em Roma. O Paulo escreve a carta aos Romanos visando evangelizar o ocidente do Império Romano.

Leia mais

Sacramentos. Aula 23/03/2014 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira

Sacramentos. Aula 23/03/2014 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira Sacramentos Aula 23/03/2014 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira Sacramentos O que são os sacramentos? Sacramento é derivado do latim sacramentum, era utilizado no meio militar correspondendo a juramento

Leia mais

3. FALAR SOBRE A VOCAÇÃO

3. FALAR SOBRE A VOCAÇÃO 1 CATEQUESE VOCACIONAL 1. ACOLHIMENTO 2. ORAÇÃO INICIAL: A catequese deve iniciar sempre com uma oração conjunta: Todos de pé rezamos pedindo ao Senhor que continue a chamar jovens para a vida sacerdotal

Leia mais