Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR"

Transcrição

1 Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR Página 1 de 9

2 Como entender o Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR Em 08 de julho de 2016 foi publicado o Decreto Nº que regulamenta e padroniza o sistema de catalogação de bens culturais do município em forma de Acervos, para que de forma organizada os bens sejam preservados e acessíveis a todos os munícipes. Esse decreto encontra-se em anexo no final deste arquivo. O que é um acervo? Acervo é um conjunto de bens que integram o patrimônio de um indivíduo, de uma instituição, de uma nação. Qualquer pessoa pode ter acesso às informações dos acervos, acessando o Museu Virtual. Tipos de Acervo catalogados em Nova Esperança-PR Acervo Arquivístico: São todos os tipos de documentos/arquivos que registram ou são referentes a história ou cultura do município, geralmente esse tipo de acervo são utilizados em pesquisas ou são catalogados somente para preservação. Acervo Museológico: São todos os tipos de obras de arte em geral e objetos históricos antigos ou novos que tenham relação com a história e cultura do município. Esse tipo de acervo é utilizado em exposições de arte, ou como parte do acervo permanente de museus ou casas de memória. Acervo Patrimonial: São todos os tipos de monumentos, obras fixas (Murais) e arquitetura que são referentes a história ou cultura do município, esse tipo de acervo é registrado e permanece no local em que se encontra. Página 2 de 9

3 Como entender as Fichas de Catalogação ACERVO ARQUIVÍSTICO FICHA MODELO Número de Registro 0001/ (Nº de identificação, seguido pelo ano da Catalogação e o número separado por hífen identifica o tipo de Acervo, neste caso o número 1 representa o Acervo Arquivístico) Número de Registro Antigo Caso possuir um número de proveniente de catalogações passadas Órgão/Instituição Responsável pelo Objeto Responsável pelo objeto, Prefeitura, Casa da Cultura, Igreja etc. Título Nome dado ao objeto catalogado Data Data da criação ou inauguração Status Se o objeto catalogado se encontra localizado ou não, no caso de patrimônios que foram catalogados, mas não existem mais o status é não localizado Nível de Descrição 0 quando pertence ao Acervo e 1 pertence a alguma coleção Dimensão e Suporte Qual é o gênero desse objeto, pode ser bibliográfico (Livro, revistas, cadernos, jornais etc.), cartográfico (mapas, fotografias aéreas, plantas etc.), eletrônico (informáticos ou digitais que necessitam de aparelhos eletrônicos para serem visualizados), filmográfico (imagem em movimento, filmes), iconográfico (fotografias, imagens, partituras), micrográfico (microfilmes), sonoro (discos, CD s), textual (informação escrita), tridimensional e outros. Nome do Produtor Nome de quem produziu o objeto (Pessoa ou entidade) História Administrativa/Biografia Toda a história do objeto, detalhes e informações que possam ser acrescentadas, curiosidades. Procedência Origem do objeto Sistema de Arranjo Estágio de tratamento se o objeto foi identificado e se foi organizado total ou parcial, se os campos da ficha não possuem informações suficientes então é organizado parcial. Condições de Reprodução Se há restrições quanto sua reprodução em mídias, jornais, xerox Existência e Localização dos Originais Se o objeto é original e onde ele está localizado fisicamente Notas sobre Conservação Estado em que se encontra o objeto na data da catalogação Mídias Relacionadas Se há cópias em PDF, site sobre o assunto, ou outras mídias relacionadas diretamente ao objeto. Data da Catalogação Data da catalogação Coordenador Responsável Nome de quem catalogou Foto Foto do objeto Página 3 de 9

4 ACERVO MUSEOLÓGICO FICHA MODELO Número de Registro 0001/ (Nº de identificação, seguido pelo ano da Catalogação e o número separado por hífen identifica o tipo de Acervo, neste caso o número 2 representa o Acervo Museológico) Número de Registro Antigo Caso possuir um número de proveniente de catalogações passadas Órgão/Instituição Responsável pelo Objeto Responsável pela obra, Prefeitura, Casa da Cultura, Igreja etc. Título/Denominação Nome dado a obra catalogado Data Data da criação Status Se a obra catalogada se encontra localizada ou não, no caso de patrimônios que foram catalogados, mas não existem mais o status é não localizado Dimensão e Suporte Altura x Largura x Profundidade em centímetros ou metros Autor Quem elaborou a obra Local de Produção Local onde a obra foi criada História Administrativa/Biografia Toda a história da obra, detalhes e informações que possam ser acrescentadas, curiosidades. Resumo Descritivo Características físicas da obra Procedência Origem da obra Sistema de Arranjo Estágio de tratamento se o objeto foi identificado e se foi organizado total ou parcial, se os campos da ficha não possuem informações suficientes então é organizado parcial. Condições de Reprodução Se há restrições quanto sua reprodução em mídias, jornais, xerox Material/Técnica Materiais principais e técnicas utilizadas para composição da obra Notas sobre Conservação Estado em que se encontra a obra na data da catalogação Mídias Relacionadas Se há cópias em PDF, site sobre o assunto, ou outras mídias relacionadas diretamente ao objeto. Data da Catalogação Data da catalogação Coordenador Responsável Nome de quem catalogou Foto Foto do objeto Página 4 de 9

5 ACERVO PATRIMONIAL FICHA MODELO Número de Registro 0001/ (Nº de identificação, seguido pelo ano da Catalogação e o número separado por hífen identifica o tipo de Acervo, neste caso o número 3 representa o Acervo Patrimonial) Número de Registro Antigo Caso possuir um número de proveniente de catalogações passadas Órgão/Instituição Responsável pelo Objeto Responsável pelo objeto, Prefeitura, Casa da Cultura, Igreja etc. Título Nome dado ao objeto catalogado Data Data da criação ou inauguração Status Se o objeto catalogado se encontra localizado ou não, no caso de patrimônios que foram catalogados, mas não existem mais o status é não localizado Dimensão e Suporte Altura x Largura x Profundidade em centímetros ou metros Nome do Produtor/Autor Quem elaborou o objeto Local de Produção Local onde o objeto foi criado Localização Geográfica Local onde o objeto está localizado História Administrativa/Biografia Toda a história do objeto, detalhes e informações que possam ser acrescentadas, curiosidades. Resumo Descritivo Características físicas do objeto Sistema de Arranjo Estágio de tratamento se o objeto foi identificado e se foi organizado total ou parcial, se os campos da ficha não possuem informações suficientes então é organizado parcial. Condições de Reprodução Se há restrições quanto sua reprodução em mídias, jornais, xerox Notas sobre Conservação Estado em que se encontra o objeto na data da catalogação Mídias Relacionadas Se há cópias em PDF, site sobre o assunto, ou outras mídias relacionadas diretamente ao objeto. Data da Catalogação Data da catalogação Coordenador Responsável Nome de quem catalogou Foto Foto do objeto Página 5 de 9

6 Decreto Nº de 08 de julho de 2016 Art. 1º - Fica criado o Regulamento de Catalogação dos Acervos Arquivístico, Museológico e Patrimonial do Município, de responsabilidade da Secretaria Municipal de Educação e Cultura e Coordenação de Cultura. Art. 2º - Todo objeto ou material de cunho histórico, cultural ou artístico doado ou adquirido para a Coordenação de Cultura deverá ser catalogado conforme esse regulamento para que seja preservado os bens culturais e históricos do município. Art. 3º - Qualquer objeto ou material de cunho histórico, cultural ou artístico doado deverá ter documentado um Termo de Doação contendo as informações do doador e do objeto, para assegurar que o mesmo seja preservado. O termo de doação deverá conter a autorização para a reprodução e uso de imagens referentes ao objeto. Art. 4º - O Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município se divide em: Acervo Arquivístico, Acervo Museológico e Acervo Patrimonial. Art. 5º - No Acervo Arquivístico, são considerados os seguintes gêneros documentais: bibliográfico, cartográfico, eletrônico, filmográfico, iconográfico, micrográfico, sonoro, textual, tridimensional e documentos em geral. Art. 6º - No Acervo Museológico, são considerados bens materiais que perderam suas funções originais e ganharam outros valores simbólicos, artísticos, históricos e/ou culturais, passando a corresponder ao interesse e objetivo de preservação e pesquisa. Art. 7º - No Acervo Patrimonial, são considerados monumentos, arquitetura, murais e qualquer objeto de cunho histórico, cultural ou artístico fixo em um determinado local. Art. 8º - A ficha de catalogação de Acervo Arquivístico deverá conter os seguintes dados: a) Número de Registro (número composto por 4 algarismos em ordem decrescente de acordo com cada ficha catalogada, exemplo 0001, , Ano da Catalogação separado por uma barra, código do acervo arquivístico 1 separado do ano por hífen, ficando assim o código 0001/2016-1); b) Número de Registro Antigo (Se houver, de catalogação anterior); c) Órgão/Instituição Responsável pelo Objeto; d) Título; e) Data (Data da Produção); f) Status (localizado, não localizado, excluído); g) Nível de Descrição (Nível da unidade de descrição em relação as demais, onde nível 0 é acervo da entidade custodiadora e nível 1 é referente a fundo ou coleção); h) Dimensão e Suporte (gêneros documentais bibliográfico, cartográfico, eletrônico, filmográfico, iconográfico, micrográfico, sonoro, textual, tridimensional e documentos em geral, caso não haja informações colocar em metros lineares); i) Nome do Produtor; Página 6 de 9

7 j) História Administrativa/Biografia (História da Produção, custódia, extravios, ocorrências com notícias); k) Procedência (origem); l) Sistema de Arranjo (Estágio de tratamento como identificado, organizado e descrito, parcial ou total); m) Condições de Reprodução (Se há ou não restrição quanto à sua reprodução, leis que impeçam, restrição de divulgação); n) Existência e Localização dos Originais; o) Notas sobre Conservação (Estado em que se encontra na data da catalogação); p) Mídias Relacionadas; q) Data da Catalogação; r) Coordenador Responsável, s) Foto. Art. 9º - A ficha de catalogação de Acervo Museológico deverá conter os seguintes dados: a) Número de Registro (número composto por 4 algarismos em ordem decrescente de acordo com cada ficha catalogada, exemplo 0001, , Ano da Catalogação separado por uma barra, código do acervo museológico 2 separado do ano por hífen, ficando assim o código 0001/2016-2); b) Número de Registro Antigo (Se houver, de catalogação anterior); c) Órgão/Instituição Responsável pelo Objeto; d) Título/Denominação; e) Data (Data da Produção); f) Status (localizado, não localizado, excluído); g) Dimensão e Suporte (Bidimensional A x L, Tridimensional A x L x P, Circular Diâmetro x Espessura e peso); h) Autor; i) Local de Produção; j) História Administrativa/Biografia (História da Produção, custódia, extravios, ocorrências com notícias); k) Resumo Descritivo (Resumo textual do objeto); l) Procedência (origem); m) Sistema de Arranjo (Estágio de tratamento como identificado, organizado e descrito, parcial ou total); n) Condições de Reprodução (Se há ou não restrição quanto à sua reprodução, leis que impeçam, restrição de divulgação); o) Material/Técnica; p) Notas sobre Conservação (Estado em que se encontra na data da catalogação); q) Mídias Relacionadas; r) Data da Catalogação; s) Coordenador Responsável, t) Foto. Art. 10º - A ficha de catalogação de Acervo Patrimonial deverá conter os seguintes dados: Página 7 de 9

8 a) Número de Registro (número composto por 4 algarismos em ordem decrescente de acordo com cada ficha catalogada, exemplo 0001, , Ano da Catalogação separado por uma barra, código do acervo patrimonial 3 separado do ano por hífen, ficando assim o código 0001/2016-3); b) Número de Registro Antigo (Se houver, de catalogação anterior); c) Órgão/Instituição Responsável pelo Objeto; d) Título/Denominação; e) Data (Data da Produção); f) Status (localizado, não localizado, excluído); g) Dimensão e Suporte (Bidimensional A x L, Tridimensional A x L x P, Circular Diâmetro x Espessura e peso); h) Nome do Produtor/Autor; i) Local de Produção; j) Localização Geográfica; k) História Administrativa/Biografia (História da Produção, custódia, extravios, ocorrências com notícias); l) Resumo Descritivo (Resumo textual do objeto); m) Sistema de Arranjo (Estágio de tratamento como identificado, organizado e descrito, parcial ou total); n) Condições de Reprodução (Se há ou não restrição quanto à sua reprodução, leis que impeçam, restrição de divulgação); o) Notas sobre Conservação (Estado em que se encontra na data da catalogação); p) Mídias Relacionadas; q) Data da Catalogação; r) Coordenador Responsável, s) Foto. Art. 11º - Em anexo na Ficha de Catalogação terá uma cópia do Termo de Doação quando houver ou quaisquer outros documentos referentes ao objeto catalogado. Art. 12º - As fichas de catalogação deverão ser de livre acesso da população, acessíveis via internet em site específico pertencente à Secretaria Municipal de Educação e Cultura e Coordenação de Cultura. Art. 13º - Os objetos que forem restritos quanto ao uso de imagens não poderão ter sua reprodução nas fichas de acesso público e não poderão ser fotografados em exposições e pesquisas. Art. 14º - Poderão ser emprestados os objetos dos Acervos de acordo com o Regulamento da Casa da Cultura, e para fins específicos, mediante a assinatura de um Termo de Compromisso e apresentação de um projeto que justifica a utilização do empréstimo, que deverá ser aprovado pela Coordenação de Cultura, e desde que o objeto se encontrar disponível para empréstimo. Art. 15º - Os objetos recebidos através de doação serão analisados pela Coordenação de Cultura que poderá aprovar ou não recebimento do objeto a fim de permitir que o Acervo seja apenas de objetos que se se enquadrem nos aspectos culturais, históricos e artísticos do município. Página 8 de 9

9 Art. 16º - Todo objeto catalogado receberá uma etiqueta de identificação que irá conter seu número de registro atualizado. Art. 17º - As fichas deverão ser arquivadas em arquivo próprio, separados por tipologia de arquivo e em ordem numérica decrescente, para facilitar o acesso as informações. Art. 18º - Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Página 9 de 9

Arquivologia. Classificação de Arquivos e Documentos

Arquivologia. Classificação de Arquivos e Documentos Arquivologia Classificação de Arquivos e Documentos Classificação de Arquivos Os arquivos possuem diversas características diferentes. Considerando-as, podemos estabelecer classificações de acordo com:

Leia mais

FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES

FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES UFGD FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO REGIONAL FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES COLEÇÃO: DOCUMENTOS ORIGINAIS 1. ÁREA DE IDENTIFICAÇÃO 1.1. Código de referência: BR CDR DORIG 1.2. Título:

Leia mais

FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES

FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES UFGD FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO REGIONAL FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES COLEÇÃO: ESTRADA DE FERRO NOROESTE DO BRASIL 1. ÁREA DE IDENTIFICAÇÃO 1.1. Código de referência: BR CDR

Leia mais

Arquivologia. O Documento de Arquivo

Arquivologia. O Documento de Arquivo Arquivologia O Documento de Arquivo O Documento de Arquivo Arquivo é o conjunto de documentos oficialmente produzidos e recebidos por um governo, organização ou firma, no decorrer de suas atividades, arquivados

Leia mais

QUESTÕES SOBRE NOÇÕES DE ARQUIVOLOGIA

QUESTÕES SOBRE NOÇÕES DE ARQUIVOLOGIA 1- (UFRGS:2008) Os arquivos setoriais: A) São mantidos longe dos produtores; B) Possuem documentos que após 5 anos podem ser eliminados ou recolhidos. C) Possuem documentos correntes. D) São passivos de

Leia mais

CONCURSO ARTÍSTICO ARTES PLÁSTICAS EXPRESSÕES. Até ao dia 21 de dezembro 2012

CONCURSO ARTÍSTICO ARTES PLÁSTICAS EXPRESSÕES. Até ao dia 21 de dezembro 2012 CONCURSO ARTÍSTICO ARTES PLÁSTICAS EXPRESSÕES - Criação do NÚCLEO JOVEM DA ASSOCIAÇÃO Até ao dia 21 de dezembro 2012 E-mail: imargem.arte@gmail.com / imargem@yahoo.com.br Morada: Rua Torcato José Clavine

Leia mais

FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES

FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES UFGD FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO REGIONAL FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES COLEÇÃO: DOCUMENTOS MATO-GROSSENSES SÉCULOS XVIII E XIX 1. ÁREA DE IDENTIFICAÇÃO 1.1. Código de referência:

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I. Das Finalidades e Objetivos

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I. Das Finalidades e Objetivos REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I Das Finalidades e Objetivos Art, 1º A Biblioteca da FAFIC, denominada MONSENHOR LUIZ GUALBERTO DE ANDRADE, é coordenada por um Bibliotecário e funciona como suporte

Leia mais

Manual do usuário. Localização Por meio dele é possível encontrar o documento dentro da reserva técnica de uma forma simples e rápida.

Manual do usuário. Localização Por meio dele é possível encontrar o documento dentro da reserva técnica de uma forma simples e rápida. Manual do usuário Número de registro Este é o campo que individualiza os documentos do acervo, é ele quem define o RG do documento e por meio dele é possível encontrá-lo no banco de dados. Localização

Leia mais

CONCEITOS DE ARQUIVOLOGIA

CONCEITOS DE ARQUIVOLOGIA ARQUIVOLOGIA TERMINOLOGIAS ARQUIVÍSTICAS DE ARQUIVOLOGIA CRISTIANO SILVA Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística: Instrumento de fundamental importância para a normalização conceitual das atividades

Leia mais

INSTITUTO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS VALE DO PARANAPANEMA LTDA CNPJ: / FACULDADES INTEGRADAS DE TAGUAÍ

INSTITUTO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS VALE DO PARANAPANEMA LTDA CNPJ: / FACULDADES INTEGRADAS DE TAGUAÍ VALE DO PARANAPANEMA LTDA CNPJ: 19.412.711/0001-30 POLITICA DE ATUALIZAÇÃO DO ACERVO TAGUAÍ SP 2015 POLITICA DE ATUALIZAÇÃO DO ACERVO CEP 18.890-000 - Taguaí SP 2 POLITICA DE ATUALIZAÇÃO DO ACERVO OBJETIVO

Leia mais

XIII MOSTRA DE PESQUISA DO APERS REGULAMENTO

XIII MOSTRA DE PESQUISA DO APERS REGULAMENTO XIII MOSTRA DE PESQUISA DO APERS REGULAMENTO 1. Objetivos A Mostra de Pesquisa do APERS é um projeto do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul, Departamento da Secretaria de Modernização Administração

Leia mais

METODOLOGIA DE CATALOGAÇÃO E CONSERVAÇÃO DO ACERVO FOTOGRÁFICO DO MUSEU ETNOGRÁFICO DA COLÔNIA MACIEL

METODOLOGIA DE CATALOGAÇÃO E CONSERVAÇÃO DO ACERVO FOTOGRÁFICO DO MUSEU ETNOGRÁFICO DA COLÔNIA MACIEL METODOLOGIA DE CATALOGAÇÃO E CONSERVAÇÃO DO ACERVO FOTOGRÁFICO DO MUSEU ETNOGRÁFICO DA COLÔNIA MACIEL GEHRKE, Cristiano 1 ; SILVEIRA, Graciela 2 ; CERQUEIRA, Fábio 3 ; 1,2 Acadêmicos do curso de Licenciatura

Leia mais

Tutorial para buscas no catálogo dos acervos nas bibliotecas

Tutorial para buscas no catálogo dos acervos nas bibliotecas Tutorial para buscas no catálogo dos acervos nas bibliotecas Os acervos nas bibliotecas da UFG são compostos por: Livros Periódicos (jornais, revistas científicas e de generalidades) CDs DVDs Fitas em

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE ARQUIVOLOGIA EMENTAS VERSÃO CURRICULAR N-20151

COLEGIADO DO CURSO DE ARQUIVOLOGIA EMENTAS VERSÃO CURRICULAR N-20151 COLEGIADO DO CURSO DE ARQUIVOLOGIA EMENTAS VERSÃO CURRICULAR N-20151 1º PERÍODO ECI240 - Introdução à Arquivologia História dos arquivos e da arquivologia e a evolução do pensamento arquivístico na cultura

Leia mais

CONCURSO DE FOTOGRAFIA

CONCURSO DE FOTOGRAFIA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Junta de Freguesia de Santo António CONCURSO DE FOTOGRAFIA A Nossa Ilha Índice 1. Objectivos... 3 2. Entidade Promotora... 3 3. Tema... 3 4. Destinatários... 3 5. Prémios...

Leia mais

Tutorial para buscas no catálogos dos acervos nas bibliotecas

Tutorial para buscas no catálogos dos acervos nas bibliotecas Tutorial para buscas no catálogos dos acervos nas bibliotecas Os acervos nas bibliotecas da UFG são compostos por: Livros Periódicos (revistas científicas) Jornais Revistas de generalidades CDs DVDs Fitas

Leia mais

Mostra Fotográfica: 10 ANOS DO USJ REGULAMENTO

Mostra Fotográfica: 10 ANOS DO USJ REGULAMENTO Mostra Fotográfica: 10 ANOS DO USJ REGULAMENTO A Mostra Fotográfica 10 ANOS DO USJ, desenvolvido pelo USJ, tem como objetivo incentivar a arte da fotografia, oportunizando o reconhecimento de talentos

Leia mais

FBN/SEBP-MT - CADASTRO DE BIBLIOTECA DE PUBLICAS

FBN/SEBP-MT - CADASTRO DE BIBLIOTECA DE PUBLICAS FBN/SEBP-MT - CADASTRO DE BIBLIOTECA DE PUBLICAS DADOS GERAIS Pessoa Jurídica Pessoa Física Inscrição Estadual Nome da Biblioteca: Nome Fantasia Natureza Jurídica Telefone Geral E-mail Geral Site Logim

Leia mais

REGULAMENTO BIBLIOTECA. DA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA Art.2º A Biblioteca é subordinada, hierarquicamente, à Diretoria Acadêmica da FCGB.

REGULAMENTO BIBLIOTECA. DA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA Art.2º A Biblioteca é subordinada, hierarquicamente, à Diretoria Acadêmica da FCGB. REGULAMENTO BIBLIOTECA Art.1º- A Biblioteca da Faculdade de Ciências Gerencias da Bahia - FCGB funciona como suporte pedagógico da Faculdade e tem, como finalidades principais, o incentivo à leitura, o

Leia mais

ARTE LONDRINA DIVISÃO DE ARTES PLÁSTICAS CASA DE CULTURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA

ARTE LONDRINA DIVISÃO DE ARTES PLÁSTICAS CASA DE CULTURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA 5 ARTE LONDRINA CASA DE CULTURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA 1 DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 O Arte Londrina 5 pretende apresentar, incentivar e divulgar a recente produção de arte contemporânea, trazendo

Leia mais

Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 447/88, de 10 de Dezembro:

Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 447/88, de 10 de Dezembro: Aprova o regulamento de conservação arquivística do INFARMED - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I. P., no que se refere à avaliação, selecção, conservação e eliminação da sua documentação

Leia mais

Manual para utilizaça o do sistema Biblivre no Nu cleo de Estudos em Lí ngua Portuguesa (NELP/ILA/FURG)

Manual para utilizaça o do sistema Biblivre no Nu cleo de Estudos em Lí ngua Portuguesa (NELP/ILA/FURG) Manual para utilizaça o do sistema Biblivre no Nu cleo de Estudos em Lí ngua Portuguesa (NELP/ILA/FURG) Elaboração Fábio Ortiz Goulart Rio Grande Núcleo de Estudo em Língua Portuguesa NELP 2017 Fábio Ortiz

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS ESCOLAS DA VI CONVOCATÓRIA ENCAIXANDO A ARTE

REGULAMENTO PARA AS ESCOLAS DA VI CONVOCATÓRIA ENCAIXANDO A ARTE REGULAMENTO PARA AS ESCOLAS DA VI CONVOCATÓRIA ENCAIXANDO A ARTE 1. A convocatória contempla modalidades de arte sobre suporte definido: caixa de fósforos; 2. Cada escola, instituição regular de ensino,

Leia mais

DESFAZIMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS E/OU DE APOIO

DESFAZIMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS E/OU DE APOIO DESFAZIMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS E/OU DE APOIO Trata-se de orientação, baixada pelo GTMEX, para as diretorias de ensino e suas unidades escolares efetuarem a separação dos materiais elencados na Resolução

Leia mais

CASA CIVIL ARQUIVO NACIONAL CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS RESOLUÇÃO Nº 24, DE 3 DE AGOSTO DE 2006

CASA CIVIL ARQUIVO NACIONAL CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS RESOLUÇÃO Nº 24, DE 3 DE AGOSTO DE 2006 Resolução nº 24, de 3 de agosto de 2006 CASA CIVIL ARQUIVO NACIONAL CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS RESOLUÇÃO Nº 24, DE 3 DE AGOSTO DE 2006 Estabelece diretrizes para a transferência e recolhimento de documentos

Leia mais

Política do Desenvolvimento das Coleções do Sistema de Bibliotecas UNIDAVI RESOLVE

Política do Desenvolvimento das Coleções do Sistema de Bibliotecas UNIDAVI RESOLVE RESOLUÇÃO/CONSUNI Nº 024/2016 Política do Desenvolvimento das Coleções do Sistema de Bibliotecas UNIDAVI O Presidente do Conselho Universitário do Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale

Leia mais

INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO EM ARTE ACERVO E DOCUMENTAÇÃO DE ARTE EM SÃO PAULO MASP BIBLIOTECA E CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO IVANI DI GRAZIA COSTA

INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO EM ARTE ACERVO E DOCUMENTAÇÃO DE ARTE EM SÃO PAULO MASP BIBLIOTECA E CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO IVANI DI GRAZIA COSTA INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO EM ARTE ACERVO E DOCUMENTAÇÃO DE ARTE EM SÃO PAULO MASP BIBLIOTECA E CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO IVANI DI GRAZIA COSTA Biblioteca e Centro de Documentação do MASP A Biblioteca e Centro

Leia mais

EDITAL INTERNO Nº 002/2012

EDITAL INTERNO Nº 002/2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO DO CAMPUS RIO DE JANEIRO EDITAL INTERNO Nº 002/2012 I CONCURSO A EXPRESSÃO DA ARTE NO

Leia mais

REGULAMENTO DE ACHADOS E PERDIDOS DA FACULDADE CATÓLICA DO TOCANTINS

REGULAMENTO DE ACHADOS E PERDIDOS DA FACULDADE CATÓLICA DO TOCANTINS ACHADOS E PERDIDOS Página 1 de 7 REGULAMENTO DE ACHADOS E PERDIDOS DA FACULDADE CATÓLICA DO TOCANTINS Palmas - TO 2017 REGULAMENTO INTERNO ACHADOS E PERDIDOS Página 2 de 7 SUMÁRIO CAPÍTULO I... 3 DAS DISPOSIÇOES

Leia mais

Regulamento FotoArte Feira de Arte e Fotografia

Regulamento FotoArte Feira de Arte e Fotografia Regulamento FotoArte Feira de Arte e Fotografia Capítulo 1 Do Objetivo 1.1 A FotoArte Feira de Arte e Fotografia, idealizada pelo Ateliê Oriente e produzida pela Nozes da Comunicação, em sua primeira edição,

Leia mais

P R É M I O M U N I C I P A L D E A R Q U I T E T U R A D E O D I V E L A S R E G U L A M E N T O

P R É M I O M U N I C I P A L D E A R Q U I T E T U R A D E O D I V E L A S R E G U L A M E N T O P R É M I O M U N I C I P A L D E A R Q U I T E T U R A D E O D I V E L A S R E G U L A M E N T O P R É M I O M U N I C I P A L D E A R Q U I T E T U R A D E O D I V E L A S PREÂMBULO O Prémio Municipal

Leia mais

DESAFIOS DA MEMÓRIA EMPRESARIAL COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA DAS ORGANIZAÇÕES

DESAFIOS DA MEMÓRIA EMPRESARIAL COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA DAS ORGANIZAÇÕES DESAFIOS DA MEMÓRIA EMPRESARIAL COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA DAS ORGANIZAÇÕES CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA GOL (CEDOC) Equipe CEDOC 18 Colaboradores: 1 Coordenador 6 Analistas Administrativos 5 Assistentes

Leia mais

Regulamento FotoArte Feira de Arte e Fotografia

Regulamento FotoArte Feira de Arte e Fotografia Regulamento FotoArte Feira de Arte e Fotografia Capítulo 1 Do Objetivo 1.1 A FotoArte Feira de Arte e Fotografia, idealizada pelo Ateliê Oriente e produzida pela Nozes da Comunicação, em sua primeira edição,

Leia mais

I CONCURSO DE ARTE VISUAIS PERCEPÇÃO AMBIENTAL POR MEIO DAS ARTES VISUAIS REGULAMENTO

I CONCURSO DE ARTE VISUAIS PERCEPÇÃO AMBIENTAL POR MEIO DAS ARTES VISUAIS REGULAMENTO I CONCURSO DE ARTE VISUAIS PERCEPÇÃO AMBIENTAL POR MEIO DAS ARTES VISUAIS Em alusão à Semana de Meio Ambiente, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso, Campus Juína, realiza

Leia mais

1. Equipamento Cultural. 1.1 Sala de Cinema

1. Equipamento Cultural. 1.1 Sala de Cinema 1. Equipamento Cultural 1.1 Sala de Cinema 1.1.1 Cine itinerante 1.1.2 Cineclube 1.1.3 Cinema de rua 1.1.4 Drive-in 1.1.5 Espaço Cultural de Projeção de Filmes e Vídeos 1.1.6 Sala de cinema comunitário

Leia mais

Edital Prêmio Fotográfico USCS 2012

Edital Prêmio Fotográfico USCS 2012 1 Edital Prêmio Fotográfico USCS 2012 A Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), por meio de seu Núcleo de Ação Cultural, torna público o Edital Prêmio Fotográfico

Leia mais

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE IMAGENS DE BENS CULTURAIS DA REDE MUSEOLÓGICA DE OVAR

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE IMAGENS DE BENS CULTURAIS DA REDE MUSEOLÓGICA DE OVAR REGULAMENTO DA POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE IMAGENS DE BENS CULTURAIS DA REDE MUSEOLÓGICA DE OVAR PREÂMBULO O presente regulamento pretende estabelecer a política para execução, reprodução e aquisição de

Leia mais

REGULAMENTO III Varal do Design. Minha Atitude Afeta o Mundo

REGULAMENTO III Varal do Design. Minha Atitude Afeta o Mundo REGULAMENTO III Varal do Design Minha Atitude Afeta o Mundo ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 3 2. OBJETIVOS GERAIS 4 3. OBJETIVO ESPECIFICO 4 4. PARTICIPAÇÃO 4 5. TEMA 5 6. ESPECIFICAÇÕES DOS TRABALHOS E INSCRIÇÃO

Leia mais

MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE Secretaria da Cultura

MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE Secretaria da Cultura O Governo de Presidente Prudente, através da Secretaria Municipal de Cultura, com o apoio da Comissão do Centenário, torna público a abertura do Concurso de Fotografia com o tema: Centenário de Presidente

Leia mais

Projeto Direito e Fotografia ANTROPOFÁGICAS - RETRATOS DA AMÉRICA LATINA Maio Agosto de 2013 Goiânia, GO. EDITAL PARA EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA

Projeto Direito e Fotografia ANTROPOFÁGICAS - RETRATOS DA AMÉRICA LATINA Maio Agosto de 2013 Goiânia, GO. EDITAL PARA EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA Projeto Direito e Fotografia ANTROPOFÁGICAS - RETRATOS DA AMÉRICA LATINA Maio Agosto de 2013 Goiânia, GO. EDITAL PARA EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA 1. Objetivo 1.1. Este edital tem por objetivo selecionar fotografiar

Leia mais

PORTARIA 193/2014 RESOLVE:

PORTARIA 193/2014 RESOLVE: PORTARIA 193/2014 CONSIDERANDO os termos da Portaria 067/2011 do Diretor do Instituto de Ciências Humanas que regulamenta a concessão de Endosso Institucional pelo Instituto de Ciências Humanas para a

Leia mais

BIBLIOTECA VIRTUAL DE TURISMO DO CAMPUS RESTINGA 1

BIBLIOTECA VIRTUAL DE TURISMO DO CAMPUS RESTINGA 1 BIBLIOTECA VIRTUAL DE TURISMO DO CAMPUS RESTINGA 1 CELEM SILVA 2, JOSÉ F. MARTINS 3, HERNANDA TONINI 4 RESUMO: O acesso a informações é um dos principais instrumentos na atualidade para o crescimento profissional

Leia mais

DECRETO Nº , DE 30 DE JUNHO DE 2015

DECRETO Nº , DE 30 DE JUNHO DE 2015 Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 56.214, DE 30 DE JUNHO DE 2015 Introduz alterações no Decreto nº 53.484, de 19 de outubro de 2012,

Leia mais

NORMAS - MOSTRA DE ENSAIOS FOTOGRÁFICOS FRONTEIRAS CONTEMPORÂNEAS

NORMAS - MOSTRA DE ENSAIOS FOTOGRÁFICOS FRONTEIRAS CONTEMPORÂNEAS Normas para envio de propostas de apresentação de Ensaios Fotográficos e Mostra de filmes A Comissão Organizadora do II SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOCIEDADE E FRONTEIRAS; 4º ENCONTRO NORTE DA SOCIEDADE BRASILEIRA

Leia mais

EDITAL Nº 070/2016 REGULAMENTO DO VI CONCURSO DE FOTOGRAFIAS DE IMIGRANTE

EDITAL Nº 070/2016 REGULAMENTO DO VI CONCURSO DE FOTOGRAFIAS DE IMIGRANTE EDITAL Nº 070/2016 REGULAMENTO DO VI CONCURSO DE FOTOGRAFIAS DE IMIGRANTE O PREFEITO MUNICIPAL DE IMIGRANTE, no uso de suas atribuições legais e de acordo com a Lei Municipal nº 1.850, de 11 de setembro

Leia mais

I PRÊMIO URCA DE LITERATURA DE CORDEL Regulamento

I PRÊMIO URCA DE LITERATURA DE CORDEL Regulamento I PRÊMIO URCA DE LITERATURA DE CORDEL Regulamento I DOS OBJETIVOS Em sua primeira edição, o I Prêmio URCA de Literatura de Cordel atende ao objetivo de estimular a leitura e a produção literária no Cariri

Leia mais

PROJETO ACERVO ARTÍSTICO DA UFMG: Manual para Fotografia de Campo

PROJETO ACERVO ARTÍSTICO DA UFMG: Manual para Fotografia de Campo PROJETO ACERVO ARTÍSTICO DA UFMG: Manual para Fotografia de Campo Bolsista da área de Fotografia no Projeto AAUFMG: Samara Santos Asevedo Orientador e Coordenador da área de Fotografia no Projeto AAUFMG

Leia mais

2º EXPOSIÇÃO UM OLHAR SOBRE MANDAGUARI

2º EXPOSIÇÃO UM OLHAR SOBRE MANDAGUARI O Departamento de Cultura, em comemoração aos 80 anos de Mandaguari, lança a abertura das inscrições para exposições culturais intitulada: Exposição Mandaguari 80 anos de história contada por nossa gente,

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1. ATIVIDADES ACADÊMICAS, CIENTÍFICAS E CULTURAIS FMS As atividades acadêmicas, científicas e culturais fazem parte da grade curricular de todos os cursos da Faculdade

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL MP/CGU Nº 298, DE 6 DE SETEMBRO DE 2007 OS MINISTROS DE ESTADO DO PLANEJAMENTO,

Leia mais

MGS. Gestão de Documentos

MGS. Gestão de Documentos MGS CATÁLOGO DE SERVIÇOS Gestão de Documentos SUMÁRIO 1- Apresentação...4 2- Gestão de Documentos...5 3- Missão...6 4- Objetivos...6 5- Conceitos gerais...7 6- Legislação arquivística...8 7- Serviços

Leia mais

N O R M A S DE ACESSO E CONSULTA DE DOCUMENTOS 2009

N O R M A S DE ACESSO E CONSULTA DE DOCUMENTOS 2009 www.cm-estarreja.pt N O R M A S DE ACESSO E CONSULTA DE DOCUMENTOS N O R M A S DE ACESSO E CONSULTA DE DOCUMENTOS Divisão Administrativa e Jurídica S E C T O R D E A R Q U I V O SUMÁRIO 1. Princípios Normativos

Leia mais

Regulamento do Arquivo Histórico do Ministério da Justiça

Regulamento do Arquivo Histórico do Ministério da Justiça Regulamento do Arquivo Histórico do Ministério da Justiça MINISTÉRIO DA JUSTIÇA REGULAMENTO DO ARQUIVO HISTÓRIO DO MJ Í n d i c e 1. Nota Introdutória... 1 2. O Arquivo Histórico do Ministério da Justiça...

Leia mais

ARTE LONDRINA DIVISÃO DE ARTES PLÁSTICAS CASA DE CULTURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA 2.4 DOCUMENTOS PARA A SELEÇÃO

ARTE LONDRINA DIVISÃO DE ARTES PLÁSTICAS CASA DE CULTURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA 2.4 DOCUMENTOS PARA A SELEÇÃO 6 ARTE LONDRINA CASA DE CULTURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA 1 DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 O Arte Londrina 6 pretende apresentar, incentivar e divulgar a recente produção de arte contemporânea, trazendo

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Arquivo Cândido de Mello Neto. Museu Campos Gerais. Cartões Postais.

PALAVRAS-CHAVE Arquivo Cândido de Mello Neto. Museu Campos Gerais. Cartões Postais. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO (X ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Regulamento. Concurso Conta-nos e Conta Connosco

Regulamento. Concurso Conta-nos e Conta Connosco Regulamento do Concurso Conta-nos e Conta Connosco O Concurso Conta-nos e Conta Connosco é uma iniciativa da Associação Arquivo dos Diários (doravante apenas o Arquivo ), associação sem fins lucrativos

Leia mais

Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Edital de seleção de trabalhos SP-Arte/2017

Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Edital de seleção de trabalhos SP-Arte/2017 Centro Universitário Belas Artes de São Paulo Edital de seleção de trabalhos SP-Arte/2017 1. REGULAMENTO 1.1. O presente regulamento tem como objetivo apresentar, incentivar e divulgar a produção recente

Leia mais

Fotografias e documentação iconográfica

Fotografias e documentação iconográfica Programa de Iniciação Científica Universidade de São Paulo Mariane Parente Nascimento Graduanda do curso de História Orientação Profa. Dra. Elizabeth F. C. R. Azevedo TIPOLOGIA DOCUMENTAL PARA O AQUIVO

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO ESCOLAR A MINHA ESCOLA ADOTA: UM MUSEU, UM PALÁCIO, UM MONUMENTO

REGULAMENTO DO CONCURSO ESCOLAR A MINHA ESCOLA ADOTA: UM MUSEU, UM PALÁCIO, UM MONUMENTO REGULAMENTO DO CONCURSO ESCOLAR A MINHA ESCOLA ADOTA: UM MUSEU, UM PALÁCIO, UM MONUMENTO O concurso escolar A minha escola adota um museu, um palácio, um monumento... é uma iniciativa promovida conjuntamente

Leia mais

Regulamento da Biblioteca

Regulamento da Biblioteca Regulamento da Biblioteca Art. 1º A Biblioteca da Unicampo - Faculdade União de Campo Mourão é regida pelo presente Regulamento e por normas adicionais emitidas pelos órgãos competentes da Faculdade União

Leia mais

NORMAS COMPLEMENTARES DE TRABALHO DE CURSO (MONOGRAFIA)

NORMAS COMPLEMENTARES DE TRABALHO DE CURSO (MONOGRAFIA) NORMAS COMPLEMENTARES DE TRABALHO DE CURSO (MONOGRAFIA) Art. 1º O presente documento tem por finalidade normatizar, no âmbito dos Cursos de Graduação da Faculdade Santa Terezinha CEST, o Trabalho de Curso

Leia mais

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Secretaria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Sistemas BIBLIOTECA DIGITAL. Glossário

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Secretaria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Sistemas BIBLIOTECA DIGITAL. Glossário SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Secretaria de Tecnologia da Informação BIBLIOTECA DIGITAL GLOSSÁRIO Acervo bibliográfico Acervo comum Ajuda Área Argumento de pesquisa Assunto Autor Campos descritivos Cesta de

Leia mais

CONCURSO ECO-FOTOGRAFIA

CONCURSO ECO-FOTOGRAFIA CONCURSO ECO-FOTOGRAFIA EDIÇÃO 2016: FAUNA E FLORA PICOENSE A Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Picos, através do Departamento de Educação Ambiental, torna público o II Concurso de Fotografia

Leia mais

Avaliação e eliminação de documentos de arquivo

Avaliação e eliminação de documentos de arquivo TREINAMENTO CADA Avaliação e eliminação de documentos de arquivo Abril 2017 O que é Plano de Classificação e Tabela de Temporalidade? Plano de classificação e tabela de temporalidade de documentos São

Leia mais

1º Concurso de Fotografia «Alcáçovas-Vila com História» Regulamento. Preâmbulo

1º Concurso de Fotografia «Alcáçovas-Vila com História» Regulamento. Preâmbulo 1º Concurso de Fotografia «Alcáçovas-Vila com História» Regulamento Preâmbulo Vimos convidá-lo a descobrir o nosso património através da captação de imagens. Imagens que permitirão perpetuar no tempo a

Leia mais

GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO

GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO Aula 4 Descrição Arquivística. A normatização e as diretrizes para a elaboração de instrumentos de pesquisa. Instrumentos de pesquisa: como chegar a eles. As diferenças

Leia mais

COLÉGIO MAUÁ BIBLIOTECA JOSÉ DE ALENCAR REGULAMENTO GERAL

COLÉGIO MAUÁ BIBLIOTECA JOSÉ DE ALENCAR REGULAMENTO GERAL COLÉGIO MAUÁ BIBLIOTECA JOSÉ DE ALENCAR REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I DO OBJETIVO E DA APLICAÇÃO Art. 1 Este Regulamento tem como objetivo estabelecer as normas para a prestação dos serviços e o uso adequado

Leia mais

Regulamento da Biblioteca do IST (aprovado em CG )

Regulamento da Biblioteca do IST (aprovado em CG ) Regulamento da Biblioteca do IST (aprovado em CG 23.11.2016) 1. Biblioteca do IST A Biblioteca do IST (BIST) compreende vários espaços distribuídos pelos Campi do IST. O presente Regulamento define as

Leia mais

EDITAL DO CONCURSO 2016/A

EDITAL DO CONCURSO 2016/A O CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES, mantido pela FUNDAÇÃO VALE DO TAQUARI DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL FUVATES, por meio do Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas, institui o CONCURSO DE FOTOGRAFIAS

Leia mais

Convocatória Nova Fotografia 2017

Convocatória Nova Fotografia 2017 Convocatória Nova Fotografia 2017 O projeto anual Nova Fotografia tem por objetivo criar um espaço permanente para exposição de projetos fotográficos de artistas promissores e ainda pouco conhecidos que

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 14 de setembro de Série. Número 162

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 14 de setembro de Série. Número 162 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 14 de setembro de 2016 Série Sumário SECRETARIAS REGIONAIS DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DA ECONOMIA, TURISMO E CULTURA Portaria n.º

Leia mais

2º CONCURSO DE REDAÇÃO, FOTOGRAFIA E VÍDEO IFB CAMPUS SÃO SEBASTIÃO 2013

2º CONCURSO DE REDAÇÃO, FOTOGRAFIA E VÍDEO IFB CAMPUS SÃO SEBASTIÃO 2013 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E 2º CONCURSO DE REDAÇÃO, FOTOGRAFIA E VÍDEO IFB CAMPUS SÃO SEBASTIÃO 2013 REGULAMENTO 1. O 2 Concurso Estudantil REDAÇÃO, FOTOGRAFIA E VÍDEO IFB CAMPUS SÃO SEBASTIÃO

Leia mais

As Cortinas do Tempo: Preservando exposições da Estação Ciência por meio da Internet

As Cortinas do Tempo: Preservando exposições da Estação Ciência por meio da Internet As Cortinas do Tempo: Preservando exposições da Estação Ciência por meio da Internet Marcos Matsukuma Francisco Bryan Estação Ciência Universidade de São Paulo Brasil Exposições na Estação Ciência A Estação

Leia mais

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB Estabelece a Política para Manutenção e Guarda do Acervo Acadêmico da Escola de Direito de Brasília

Leia mais

CONCURSO FOTOGRÁFICO 2017

CONCURSO FOTOGRÁFICO 2017 CONCURSO FOTOGRÁFICO 2017 Regulamento OBJETIVOS: O concurso tem por finalidade estimular a prática da fotografia entre os residentes ou não da cidade de Timbó; Criar banco de imagens dos atrativos da cidade;

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS ELABORAÇÃO DE LOGÓTIPO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CONCELHO DE PROENÇA-A-NOVA Artigo 1º Objecto 1. O presente regulamento

Leia mais

REGULAMENTO II CONCURSO DE FOTOGRAFIA DO IFF CAMPUS MACAÉ BIOLOGIA PRA MIM É... CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

REGULAMENTO II CONCURSO DE FOTOGRAFIA DO IFF CAMPUS MACAÉ BIOLOGIA PRA MIM É... CAPÍTULO I DAS FINALIDADES REGULAMENTO II CONCURSO DE FOTOGRAFIA DO IFF CAMPUS MACAÉ BIOLOGIA PRA MIM É... CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º. O presente concurso tem a finalidade de incentivar o interesse pela Biologia através

Leia mais

REGISTRO DE INSTITUIÇÕES MUSEOLÓGICAS

REGISTRO DE INSTITUIÇÕES MUSEOLÓGICAS 1 REGISTRO DE INSTITUIÇÕES MUSEOLÓGICAS Nº do Processo: Data de Recebimento: Nº do Registro: 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 NOME COMPLETO DO MUSEU: 1.2 CNPJ PRÓPRIO: 1.3 ENDEREÇO: 1.4 CIDADE: 1.5 UF: 1.6 CEP: 1.7

Leia mais

Normas de instrução de processos em formato digital

Normas de instrução de processos em formato digital Normas de instrução de processos em formato digital 1. Formato e caraterização dos ficheiros a apresentar 2. Projeto de arquitetura 3. Projeto de especialidades 4. Levantamento Topográficos e Plantas de

Leia mais

APROVA REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE DESENVOLVIMENTO E INTEGRAÇÃO REGIONAL FADIRE

APROVA REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE DESENVOLVIMENTO E INTEGRAÇÃO REGIONAL FADIRE FACULDADE DE DESENVOLVIMENTO E INTEGRAÇÃO REGIONAL FADIRE SOCIEDADE DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO SUPERIOR DO VALE DO CAPIBARIBE - SODECAP Resolução CONSUP/001/2014 APROVA REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA

Leia mais

Prêmio Planeta Casa 2012 Regulamento categoria Projeto Arquitetônico

Prêmio Planeta Casa 2012 Regulamento categoria Projeto Arquitetônico Prêmio Planeta Casa 2012 Regulamento categoria Projeto Arquitetônico O Prêmio Planeta Casa 2012 busca valorizar empresas, organizações da sociedade civil e profissionais das áreas de arquitetura, design,

Leia mais

MANUAL PARA CONFECÇÃO DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO (TG)

MANUAL PARA CONFECÇÃO DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO (TG) MANUAL PARA CONFECÇÃO DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO (TG) APRESENTAÇÃO O presente manual tem por objetivo orientar os alunos dos Cursos de Graduação de Tecnólogo em Logística, Informática e Aeronáutica quanto

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA TRANSCRIÇÃO DE COLEÇÃO CCN

INSTRUÇÕES PARA TRANSCRIÇÃO DE COLEÇÃO CCN INSTRUÇÕES PARA TRANSCRIÇÃO DE COLEÇÃO CCN Brasília, maio de 2013 (versão preliminar) Sumário Procedimentos para transcrição de coleção... 3 Lista de elementos de dados... 3 Área de dados da coleção...

Leia mais

Encerramento das Inscrições 04/08/2017 Período de análise dos projetos 07 a 11/08/2017 Divulgação dos finalistas 14/08/2017

Encerramento das Inscrições 04/08/2017 Período de análise dos projetos 07 a 11/08/2017 Divulgação dos finalistas 14/08/2017 EDITAL Nº 18/2017 EDITAL DE SELEÇÃO DE ARTISTAS VISUAIS GRAFITEIROS Processo 23225.001633/2017-52 O Diretor Geral do Campus Juiz de Fora do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Sudeste

Leia mais

EMENTAS CURSO DE BIBLIOTECONOMIA VERSÃO 2009/1 1º PERÍODO

EMENTAS CURSO DE BIBLIOTECONOMIA VERSÃO 2009/1 1º PERÍODO ATIVIDADE ACADÊMICA: Administração TGA EMENTAS CURSO DE BIBLIOTECONOMIA VERSÃO 2009/1 1º PERÍODO CÓDIGO: CAD-103 Princípios de administração. Funções administrativas. Evolução da teoria das organizações.

Leia mais

I CONCURSO DE FOTOGRAFIA DA FUNDAÇÃO CECIERJ - MUSEU CIÊNCIA E VIDA Baixada em Luzes e Sombras EDITAL VICE PRESIDÊNCIA CIENTÍFICA Nº 01/2017

I CONCURSO DE FOTOGRAFIA DA FUNDAÇÃO CECIERJ - MUSEU CIÊNCIA E VIDA Baixada em Luzes e Sombras EDITAL VICE PRESIDÊNCIA CIENTÍFICA Nº 01/2017 I CONCURSO DE FOTOGRAFIA DA FUNDAÇÃO CECIERJ - MUSEU CIÊNCIA E VIDA Baixada em Luzes e Sombras EDITAL VICE PRESIDÊNCIA CIENTÍFICA Nº 01/2017 CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º. O concurso de fotografia

Leia mais

19º SEPEX SEMANA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL DE CHAMADA DE TRABALHOS

19º SEPEX SEMANA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL DE CHAMADA DE TRABALHOS 19º SEPEX SEMANA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL DE CHAMADA DE TRABALHOS 1 APRESENTAÇÃO - O Centro Universitário Católico de Vitória promoverá, entre os dias 13 e 15 de dezembro de 2016, a 19º Semana

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE JUVENTUDE, CULTURA ESPORTE E LAZER Teutônia RS REGULAMENTO VIII CONCURSO DE FOTOGRAFIAS DE TEUTÔNIA

SECRETARIA MUNICIPAL DE JUVENTUDE, CULTURA ESPORTE E LAZER Teutônia RS REGULAMENTO VIII CONCURSO DE FOTOGRAFIAS DE TEUTÔNIA 1 O Concurso de Fotografia As Riquezas da Nossa Terra é o momento de registrar as belezas naturais e as tradições germânicas do nosso município. 01 CRONOGRAMA O 8º Concurso de Fotografias de Teutônia,

Leia mais

XXIV SALÃO DE ARTES PLÁSTICAS DE MOCOCA 2016 Realização Departamento de Cultura e Turismo Prefeitura Municipal de Mococa

XXIV SALÃO DE ARTES PLÁSTICAS DE MOCOCA 2016 Realização Departamento de Cultura e Turismo Prefeitura Municipal de Mococa XXIV SALÃO DE ARTES PLÁSTICAS DE MOCOCA 2016 Realização Departamento de Cultura e Turismo Prefeitura Municipal de Mococa Período de Inscrição: 05 de Agosto a 16 de Setembro de 2016 Divulgação dos artistas

Leia mais

ACERVO CARTOGRÁFICO DE EGON BELZ ACERVO CENTRO DE MEMÓRIA UNIVERSITÁRIA BU/FURB

ACERVO CARTOGRÁFICO DE EGON BELZ ACERVO CENTRO DE MEMÓRIA UNIVERSITÁRIA BU/FURB ACERVO CARTOGRÁFICO DE EGON BELZ ACERVO CENTRO DE MEMÓRIA UNIVERSITÁRIA BU/FURB CATEGORIA Cartografia OBJETO 76 pranchas: Planta baixa humanizada; Planta baixa humanizada; Planta baixa humanizada; Planta

Leia mais

Regulamento do Concurso de Fotografia. Santa Bárbara com Vida. Artigo 1º

Regulamento do Concurso de Fotografia. Santa Bárbara com Vida. Artigo 1º Regulamento do Concurso de Fotografia Artigo 1º (Enquadramento e Objetivo) 1.1 - O concurso de fotografia é um evento organizado pela e tem como objetivo a promoção e dinamização do património natural

Leia mais

ARQUIVOS E COLEÇÕES DE ENTIDADES COLETIVAS

ARQUIVOS E COLEÇÕES DE ENTIDADES COLETIVAS 1 ARQUIVOS E COLEÇÕES DE ENTIDADES COLETIVAS 01 1.1 Cód. de Referência: BR CDPH ABRA 1.2 Título: Associação Brasileira de Reforma Agrária. 1.3 Data(s) crônicas: 1967-1997 (produção) 1.5 Dimensão e suporte:

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE BIBLIOTECONOMIA

CONSELHO FEDERAL DE BIBLIOTECONOMIA CONSELHO FEDERAL DE BIBLIOTECONOMIA RESOLUÇÃO CFB N o 455/98, DE 08 DE ABRIL DE 1998 Dispõe sobre o exercício das atividades de Técnico em Biblioteconomia e dá outras providências. O Conselho Federa1 de

Leia mais

2.1. Exposição de fotografias cientificas dos discentes para as comunidades acadêmica e externa;

2.1. Exposição de fotografias cientificas dos discentes para as comunidades acadêmica e externa; INSCRIÇÃO PARA O I ENCONTRO DE FOTOGRAFIA CIENTÍFICA A Ciência em Foco DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ IFCE Campus Acaraú O DIRETOR DO INSTITUTO FEDERAL DO CEARÁ (IFCE),

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE VETERINÁRIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA Porto Alegre 2011 (Data de atualização: 18 de abril de 2011) APRESENTAÇÃO

Leia mais

ESCOLA DE ENGENHARIA DE PIRACICABA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ENSINO DE PIRACICABA - FUMEP

ESCOLA DE ENGENHARIA DE PIRACICABA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ENSINO DE PIRACICABA - FUMEP CONCURSO PARA LOGOMARCA DO CURSO DE ENGENHARIA DE AMBIENTAL DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE PIRACICABA - EEP A Coordenação do Curso de Engenharia Ambiental da Escola de Engenharia de Piracicaba, aproveitando

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE PELOTAS SECRETARIA DE CULTURA EDITAL 010/2017 PROGRAMA MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA PROCULTURA ANEXO I

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE PELOTAS SECRETARIA DE CULTURA EDITAL 010/2017 PROGRAMA MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA PROCULTURA ANEXO I EDITAL 010/2017 PROGRAMA MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA PROCULTURA ANEXO I DOCUMENTOS DE ACORDO COM A ÁREA EM QUE SE ENQUADRA SEU PROJETO SÃO ACEITAS AS EXTENSÕES DE ARQUIVO: AVI, MP3, MP4, PDF, JPG

Leia mais

Novo site do Museu da Imigração

Novo site do Museu da Imigração O Boletim do Museu da Imigração chega à sua décima sexta edição. Junto com a proposta de manter as comunidades e o público geral informados sobre o processo de restauro das edificações e reformulação do

Leia mais

E D I T A L. Itatiba, 10 de setembro de 2013.

E D I T A L. Itatiba, 10 de setembro de 2013. EDITAL DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO 2013 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÕES E ESTABELECE CRITÉRIOS PARA O CONCURSO DE FOTOGRAFIAS CIDADES E ARQUITETURA. A Coordenadora do Curso de Arquitetura e Urbanismo

Leia mais