QUESTÕES SOBRE NOÇÕES DE ARQUIVOLOGIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "QUESTÕES SOBRE NOÇÕES DE ARQUIVOLOGIA"

Transcrição

1 1- (UFRGS:2008) Os arquivos setoriais: A) São mantidos longe dos produtores; B) Possuem documentos que após 5 anos podem ser eliminados ou recolhidos. C) Possuem documentos correntes. D) São passivos de recolhimento periódico ao Arquivo Central. E) Exigem transferência antes de qualquer procedimento de eliminação. 2- (UFRGS:2008) O que caracteriza um arquivo especializado é: A) O gênero documental. B) A natureza, a função ou a atividade da entidade produtora. C) A linguagem não-textual. D) O suporte não-convencional. E) A necessidade de intermediação tecnológica para o acesso. 3- (OBJETIVA:2010) Retratar a situação dos arquivos de uma organização, através do levantamento geral dos dados sobre as atividades, o fluxo informacional, as características das instalações e a situação dos acervos, são tarefas realizadas durante a etapa de: A) Avaliação. B) Intervenção. C) Diagnóstico D) Classificação. E) Formulação das hipóteses. 4- (UFRGS:2008) São atividades relativas à Avaliação de Documentos: A) Elaboração de inventários analíticos. B) Elaboração de Plano de Classificação e publicação de Edital de Ciência de Eliminação de Documentos. C) Elaboração de Listagem de Eliminação de Documentos e realização de recolhimento de documentos. Página 1

2 D) Aplicação de Tabela de Temporalidade de Documentos e elaboração de Termo de Eliminação de Documentos. E) Elaboração de Tabela de Temporalidade de Documentos e de Guia de Arquivo. 5- (CESPE:2010) O acervo arquivístico acumulado pelas empresas públicas e pelas sociedades de economia mista é considerado, de acordo com a legislação, arquivo: A) governamental. B) privado. C) particular. D) privado de interesse social. E) público. 6- (CESPE:2010) O princípio de respeito à ordem original: A) estabelece que todo procedimento ou tratamento empreendido em arquivos pode ser revertido. B) refere-se à ordem física que os documentos tinham no arquivo corrente. C) relaciona-se à separação de um fundo de arquivo de outros fundos. D) determina que os documentos devem ser classificados por assuntos. E) refere-se ao respeito à organicidade e ao fluxo natural e orgânico com que os documentos foram produzidos. 7- (CESPE:2010) Os objetivos de produção dos arquivos estão relacionados às questões: A) administrativas, funcionais e legais. B) científicas, artísticas e culturais. C) artísticas, técnicas e educativas. D) funcionais, científicas e educativas. E) administrativas, culturais e técnicas. 8- (CESPE:2010) No que concerne ao princípio da territorialidade, assinale a opção correta. Página 2

3 A) segundo este princípio, os arquivos devem ser entregues aos serviço de arquivo com jurisdição arquivística sobre o território. B) esse princípio estipula que os arquivos devem ser conservados nos serviços de arquivo do território em que foram produzidos. C) a aplicação desse princípio é feita somente nos planos nacional e regional. D) há uma estreita vinculação desse princípio com o princípio da proveniência. E) esse princípio foi elaborado na mesma época do princípio do respeito aos fundos. 9- (FUNCAB:2010) A Teoria das Três idades classifica os documentos de acordo com a freqüência de uso por suas entidades produtoras e a identificação de seus valores primários e secundários. O arquivo que guarda documentos consultados com freqüência, devido ao seu uso funcional, administrativo e jurídico é chamado: A) inativo. B) intermediário. C) permanente. D) terciário. E) corrente. 10- (FUNCAB:2010) Quando uma instituição é extinta, suas atividades são cessadas. Com isso, não irão juntar mais documentos ao seu conjunto documental. Quando isso ocorre, podemos dizer que se trata de um Fundo : A) extinto. B) fechado. C) cessado. D) fixo. E) permanente. 11- (FUNCAB:2010) No acervo do IBRAM existem diferentes gêneros documentais, que exigem processamento técnico específico. No arquivo encontra-se os seguintes tipos documentais: portarias, mapas e gravuras. Eles pertencem aos gêneros: A) audiovisual, textual e bibliográfico. B) textual, filmográfico e iconográfico. Página 3

4 C) textual, cartográfico e iconográfico. D) textual, bibliográfico e iconográfico. E) bibliográfico, textual e cartográfico. 12- (FUNCAB:2010) Nos arquivos, recomenda-se que alguns princípios sejam adotados. Considere o seguinte princípio da Arquivologia: um arquivo deve conservar o arranjo dado pela entidade coletiva, pessoa ou família que o produziu. Este princípio é denominado: A) da proveniência. B) da pernitência. C) do respeito à ordem original. D) da jurisdição. E) da legalidade. 13- (FUNCAB:2010) Cabe ao Protocolo, após receber um documento, proceder à (ao): A) certificação e encaminhamento. B) registro, classificação, movimentação e expedição. C) recolhimento e arquivamento. D) redação, classificação. E) destinação e transferência. 14- (UFCSPA:2008) Os documentos de arquivo têm como fins da produção administrativos, jurídicos, funcionais e legais. Os objetivos da produção documental são: A) instruir, informar. B) provar e testemunhar. C) instruir, provar. D) informar, entreter. E) testemunhar, entreter. 15- (UFCSPA:2008) Os documentos de um arquivo possuem as seguintes características: Página 4

5 A) são resultado de uma criação artística ou pesquisa. B) surgem por razões funcionais administrativas e legais e guardam relações orgânicas entre si. C) são objetos originados na criação artística ou da civilização material de uma comunidade. D) são materiais que servem para ensinar ou instruir. E) sua forma usual é a impressa e a mesma obra pode existir em mais de um centro de documentação. 16- (UFCSPA: 2008) O documento que constitui o acervo é produzido por e para a administração pública ou privada, preservado para a história. Este conceito se refere especificadamente: A) ao arquivo e ao museu. B) à biblioteca e ao museu. C) ao museu. D) ao arquivo. E) à biblioteca. 17- (Carlos Chagas: 2007) O valor mediato, quando atribuído aos documentos de arquivo, equivale ao valor: A) primário. B) fiscal. C) legal. D) probatório. E) secundário. 18- (Fiocruz: 2006) O ciclo vital dos documentos compreende as idades: A) temporária, intermediária, permanente. B) corrente, intermediária, permanente. C) administrativa, temporária, permanente. D) administrativa, intermediária, permanente. Página 5

6 E) corrente, temporária, permanente. 19- (Fiocruz: 2006) A passagem dos documentos correntes para os arquivos intermediários denomina-se: A) recolhimento. B) arranjo. C) transferência. D) destinação. E) arquivamento. 20- (Cesgranrio: 2006) A teoria arquivística apresenta as três idades dos arquivos como estágios de sua evolução. A idade em que são arquivados os documentos que perderam todo o valor de natureza administrativa é a: A) permanente. B) corrente. C) especializada. D) empresarial. E) pública. 21- (Carlos Chagas: 2007) O contrato de aluguel, como documento, é exemplo de: A) gênero. B) tipo. C) formato. D) espécie. E) forma. Certo ou Errado: 22- (Cespe: 2003) Consubstanciam-se como especializados os arquivo: ( ) médicos. Página 6

7 ( ) de engenharia. ( ) audiovisuais. ( ) iconográficos. ( ) de grandes dimensões. 23- (Cespe: 2007) As atividades típicas do protocolo não incluem o (a): A) recebimento de correspondência. B) abertura de processo. C) distribuição de documentos. D) preparação de instrumentos de descrição. 24- (IDORT: 2004) O registro e controle dos documentos devem ser realizados por meio de: A) requerimento. B) memorando. C) carta. D) protocolo. E) ofício. 25- (Cespe: 2007) O instrumento de destinação que determina prazos e condições de guarda é o (a): A) plano de classificação. B) listagem de eliminação. C) tabela de temporalidade. D) plano de conservação. 26- (UFRJ: 2004) São inalienáveis e imprescritíveis os documentos de valor: A) primário. B) permanente. Página 7

8 C) especial. D) intermediário. E) corrente. 27- (UFRJ: 2004) Documento elaborado por meio de um computador, sendo seu autor indentificável por meio de um código, chave ou outros procedimentos técnicos e conservados, na maioria, em memórias eletrônicas de massa, é o documentos: A) sistemático. B) mutável. C) sonoro. D) imagético. E) eletrônico. 28- (UFRJ: 2007) O procedimento arquivístico destinado a assegurar as atividades de acondicionamento, armazenamento, conservação e restauração de documentos denomina-se: A) preservação. B) descrição. C) conservação. D) restauração. E) avaliação. 29- (UFRJ: 2006) Para que os documentos de um acervo arquivístico possam ser microfilmados, é necessário que, além de estarem higienizados: A) possuam as mesmas dimensões. B) possuem um mesmo assunto. C) estejam devidamente organizados. D) estejam for de uso corrente. E) não possuam mais valor de uso. Página 8

9 30- (Cesgranrio: 2003) As opções abaixo trazem vantagens da microfilmagem de documentos, salvo uma. Assinale-a. A) Redução de volume de papéis e documentos. B) Facilidade de consulta a documentos arquivados. C) Economia em termos de espaço para o tamanho dos arquivos. D) Segurança na conservação dos documentos vitais da empresa. E) Estabelecimento de um programa criterioso de seleção de documentos. GABARITO 1-c / 11-c / 21-b 2-b / 12-c / 22-cceee 3-d / 13-b / 23-d 4-d / 14-b / 24-d 5-e / 15-b / 25-c 6-e / 16-d / 26-b 7-a / 17-e / 27-e 8-b / 18-b / 28-a 9-e / 19-c / 29-c 10-b / 20-a / 30-e Página 9

PROGRAMA DE GESTÃO DE

PROGRAMA DE GESTÃO DE PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PROGRAMA DE GESTÃO DE DOCUMENTOS E TRATAMENTO DO ARQUIVO PERMANENTE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS ALFENAS-MG 2013 REITOR Prof. Paulo Márcio de Faria e Silva

Leia mais

08/04/2017 ÉLVIS MIRANDA ARQUIVOLOGIA

08/04/2017 ÉLVIS MIRANDA ARQUIVOLOGIA ÉLVIS MIRANDA ARQUIVOLOGIA 7 Noções de arquivologia. 7.1 Arquivística: princípios e conceitos. 7.2 Legislação arquivística. 7.3 Gestão de Arquivamento e ordenação de documentos de arquivo. 7.3.4 Tabela

Leia mais

Noções de Protocolo e Arquivo (Técnico Legislativo Câmara dos Deputados) Aula Demonstrativa Prof. Renato Fenili

Noções de Protocolo e Arquivo (Técnico Legislativo Câmara dos Deputados) Aula Demonstrativa Prof. Renato Fenili AULA DEMONSTRATIVA Prezado(a) amigo(a), É chegada a hora de nos dedicarmos ao tão esperado concurso para Técnico Legislativo da Câmara dos Deputados. Meu nome é Renato Ribeiro Fenili, sou natural de São

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE ARQUIVOLOGIA EMENTAS VERSÃO CURRICULAR N-20151

COLEGIADO DO CURSO DE ARQUIVOLOGIA EMENTAS VERSÃO CURRICULAR N-20151 COLEGIADO DO CURSO DE ARQUIVOLOGIA EMENTAS VERSÃO CURRICULAR N-20151 1º PERÍODO ECI240 - Introdução à Arquivologia História dos arquivos e da arquivologia e a evolução do pensamento arquivístico na cultura

Leia mais

Redação Oficial, Protocolo e Arquivamento AULA 11. Temas: Conceitos de Arquivamento

Redação Oficial, Protocolo e Arquivamento AULA 11. Temas: Conceitos de Arquivamento Redação Oficial, Protocolo e Arquivamento AULA 11 Temas: Conceitos de Arquivamento Até agora, estudamos sobre a forma correta de produzir e tramitar os documentos gerados em nosso dia-a-dia. A partir desta

Leia mais

ÍNDICE DE TERMOS. Guia Guia de remessa

ÍNDICE DE TERMOS. Guia Guia de remessa ÍNDICE DE TERMOS Acervo documental Acesso à informação Arquivo Arquivo Central Arquivo Corrente Arquivo definitivo Arquivo geral Arquivo histórico Arquivo intermédio Arquivo público Auto de eliminação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG CEP Fone: (35)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG CEP Fone: (35) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG CEP 37130-000. Fone: (35) 3299-1000 PROCESSO DE SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIO EDITAL 082/2016 PROGEPE Orientações

Leia mais

Secretaria Especial de Tecnologia e Informação INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/SETI. De 30 de julho de 2012

Secretaria Especial de Tecnologia e Informação INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/SETI. De 30 de julho de 2012 Tecnologia e Informação INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/SETI De 30 de julho de 2012 Dispõe sobre o estabelecimento da Política de Gestão de Documentos da Universidade Federal da UFFS O SECRETÁRIO ESPECIAL DE

Leia mais

2. ATOS DO DIRETOR-GERAL

2. ATOS DO DIRETOR-GERAL 2.1. INSTRUÇÃO NORMATIVA 2. ATOS DO DIRETOR-GERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA DE 7 DE MARÇO DE 2010 O DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR

Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR Página 1 de 9 Como entender o Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR Em 08 de julho de 2016

Leia mais

Plano de Estudos. Turma Elite Câmara dos Deputados Instituto Cognos Fernando Mesquita. versão 1.2

Plano de Estudos. Turma Elite Câmara dos Deputados Instituto Cognos Fernando Mesquita. versão 1.2 Plano de Estudos Turma Elite Câmara dos Deputados 2015 versão 1.2 Fernando Mesquita 1 1 Português Ortografia oficial, letras e acentuação 1 1 Adm. Planejamento estratégico (1/5)* 1 1 DC Título I 1 1 Arquiv.

Leia mais

Introdução à Biblioteconomia e à Ciência da Informação

Introdução à Biblioteconomia e à Ciência da Informação Instituto de Ciência da Informação Biblioteconomia e Documentação Disciplinas Obrigatórias CÓDIGO ICI 014 TÌTULO Introdução à Biblioteconomia e à Ciência da Informação Ementa: Biblioteconomia, Documentação

Leia mais

Apresentação... XI Introdução Dado, Informação e Conhecimento: A Base de Tudo Dado Informação Conhecimento...

Apresentação... XI Introdução Dado, Informação e Conhecimento: A Base de Tudo Dado Informação Conhecimento... Sumário Apresentação... XI Introdução... 1 1 Dado, Informação e Conhecimento: A Base de Tudo... 3 1.1 Dado... 3 1.2 Informação... 4 1.3 Conhecimento... 6 2 Dados X Informações X Conhecimento... 7 3 Gestão

Leia mais

NOÇÕES DE ARQUIVOLOGIA PARA DNIT ANALISTA ADMINISTRATIVO - ÁREA ADMINISTRATIVA TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR: MAYKO GOMES

NOÇÕES DE ARQUIVOLOGIA PARA DNIT ANALISTA ADMINISTRATIVO - ÁREA ADMINISTRATIVA TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR: MAYKO GOMES AULA 00 - Conceitos Fundamentais de Arquivologia Olá, amigos concurseiros! Tudo bem? Estão animados para os estudos? Espero que estejam com muito gás, pois já temos uma grande notícia: finalmente foi publicado

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO ARQUIVO GERAL DO CEFET-RJ

REGIMENTO INTERNO DO ARQUIVO GERAL DO CEFET-RJ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO ARQUIVO GERAL DO CEFET-RJ CAPÍTULO I DOS

Leia mais

GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO

GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO Aula 7 Descrição Arquivística. Revisão, estudo de caso e elaboração de instrumentos de pesquisa. Revisão do conteúdo Descrição Arquivística Aula 7 O caráter dinâmico do

Leia mais

Natureza do assunto:

Natureza do assunto: Natureza do assunto: DOCUMENTOS SIGILOSOS E OSTENSIVOS Ostensivo ou Ordinário documentos cuja divulgação não prejudica a administração Sigilosos documentos que devem ser de conhecimento restrito, e requerem

Leia mais

SUMÁRIO. Língua Portuguesa. Compreensão e interpretação de textos Tipologia textual Ortografia oficial Acentuação gráfica...

SUMÁRIO. Língua Portuguesa. Compreensão e interpretação de textos Tipologia textual Ortografia oficial Acentuação gráfica... Língua Portuguesa Compreensão e interpretação de textos... 3 Tipologia textual... 6 Ortografia oficial... 21 Acentuação gráfica... 30 Emprego das classes de palavras... 33 Emprego/correlação de tempos

Leia mais

Aula 00. Lincoln Barros. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros. Prof.

Aula 00. Lincoln Barros. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros.  Prof. Aula 00 ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Aula Conteúdo Programático Data 00 Noções de Arquivologia. XXXXXX 01 02 Noções

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE CORNÉLIO PROCÓPIO ESTADO DO PARANÁ

CÂMARA MUNICIPAL DE CORNÉLIO PROCÓPIO ESTADO DO PARANÁ CÂMARA MUNICIPAL DE CORNÉLIO PROCÓPIO Rua Paraiba, nº 163, centro CNPJ - 72.327.307/0001-02 EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº001/2012 DO CONCURSO PÚBLICO Nº. 001/2012 A CÂMARA MUNICIPAL DE CORNÉLIO PROCÓPIO RETIFICA:

Leia mais

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO da Vaga Nº da 2003 Curso(s): Administração Auxiliar na preparação de documentos administrativos; Auxiliar na elaboração de relatórios em geral, relativos a informações não protegidas por sigilo fiscal;

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 032/2009 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 032/2009 CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 032/2009 CONSUNI Dispõe sobre a criação do Sistema de Gestão Documental da Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. O Presidente do Conselho Universitário CONSUNI da Fundação

Leia mais

2CIN006 FUNDAMENTOS DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E ARQUIVÍSTICA Princípios e teorias da Ciência da Informação e Arquivologia.

2CIN006 FUNDAMENTOS DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E ARQUIVÍSTICA Princípios e teorias da Ciência da Informação e Arquivologia. 1º SEMESTRE 2LEM001 ESPANHOL INSTRUMENTAL Compreensão de textos/documentos em língua espanhola. 2CIN006 FUNDAMENTOS DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E ARQUIVÍSTICA Princípios e teorias da Ciência da Informação

Leia mais

SUMÁRIO. Língua Portuguesa

SUMÁRIO. Língua Portuguesa Língua Portuguesa Compreensão e interpretação de textos... 3 Tipologia textual... 6 Ortografia oficial... 21 Acentuação gráfica... 30 Emprego das classes de palavras... 33 Emprego/correlação de tempos

Leia mais

Questão Resposta Argumentação

Questão Resposta Argumentação Questão Resposta Argumentação A questão refere-se à Resolução nº 10, de 6 de dezembro de 1999, que dispõe sobre a adoção de símbolos ISO nas sinaléticas utilizados nos procedimentos de microfilmagem, a

Leia mais

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB Estabelece a Política para Manutenção e Guarda do Acervo Acadêmico da Escola de Direito de Brasília

Leia mais

Aula 00. Lincoln Barros. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros. Prof.

Aula 00. Lincoln Barros. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros.  Prof. Aula 00 ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Aula Conteúdo Programático Data 00 01 02 03 04 05 06 Noções de Arquivologia:

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS SUMÁRIO. Língua Portuguesa

CÂMARA DOS DEPUTADOS SUMÁRIO. Língua Portuguesa Língua Portuguesa Compreensão, interpretação de textos, com domínio das relações morfossintáticas, semânticas e discursivas...3 Tipologia textual... 6 Significação literal e contextual dos vocábulos...

Leia mais

20 anos do APCBH Organização do arquivo do Arquivo. Cintia Aparecida Chagas Arreguy

20 anos do APCBH Organização do arquivo do Arquivo. Cintia Aparecida Chagas Arreguy 20 anos do APCBH Organização do arquivo do Arquivo Cintia Aparecida Chagas Arreguy Comemoração dos 20 anos do APCBH Há 2 anos, iniciaram-se as discussões de como seria comemorado o aniversário de 20 anos

Leia mais

Arquivos: gestão e conservação

Arquivos: gestão e conservação Arquivos: gestão e conservação 02 Maio de 2009 Sugestões Técnicas Ano I Por José Silvino Filho Silvino.qualidade@gmail.com TEORIA DAS TRÊS IDADES DOS ARQUIVOS Professor José Silvino Filho Consultor de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DEPARTAMENTO DE BIBLIOTECONOMIA E HISTÓRIA CONCURSO PÚBLICO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DEPARTAMENTO DE BIBLIOTECONOMIA E HISTÓRIA CONCURSO PÚBLICO CRONOGRAMA DAS PROVAS ARQUEOLOGIA PROVA DATA HORÁRIO Prova Escrita 26 de maio 14h Entrega da proposta de 26 de maio 14h Resultado da prova escrita e 27 de maio 14h sorteio de pontos Prova didática 28 de

Leia mais

Fotografias e documentação iconográfica

Fotografias e documentação iconográfica Programa de Iniciação Científica Universidade de São Paulo Mariane Parente Nascimento Graduanda do curso de História Orientação Profa. Dra. Elizabeth F. C. R. Azevedo TIPOLOGIA DOCUMENTAL PARA O AQUIVO

Leia mais

PRESERVAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO ARQUIVO DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DOUTOR HERMANN BLUMENAU

PRESERVAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO ARQUIVO DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DOUTOR HERMANN BLUMENAU PRESERVAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO ARQUIVO DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DOUTOR HERMANN BLUMENAU Hoffmann, Cleverton 1 ; Silva, Sergio Bezerra da 2 ; Zotti, Solange Aparecida 3 1 Instituto Federal de Santa Catarina,

Leia mais

METODOLOGIA NA ELABORAÇÃO DO PLANO DE CLASSIFICAÇÃO E TABELA DE TEMPORALIDADE DE DOCUMENTOS ADMINISTRATIVOS DO PODER JUDICIÁRIO PCTTDA

METODOLOGIA NA ELABORAÇÃO DO PLANO DE CLASSIFICAÇÃO E TABELA DE TEMPORALIDADE DE DOCUMENTOS ADMINISTRATIVOS DO PODER JUDICIÁRIO PCTTDA O Plano de Classificação e Tabela de Temporalidade de Documentos Administrativos(PCTTDA) do Poder Judiciário é um instrumento que visa classificar a documentação administrativa produzida e recebida pelos

Leia mais

Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 447/88, de 10 de Dezembro:

Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 447/88, de 10 de Dezembro: Aprova o regulamento de conservação arquivística do INFARMED - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I. P., no que se refere à avaliação, selecção, conservação e eliminação da sua documentação

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul DECRETO Nº 18.289, DE 13 DE JULHO DE 2016. Aprova o Plano de Classificação e a Tabela de Temporalidade de s da Secretaria Municipal de Gestão e Finanças atividadesfim, para efeitos legais. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

Minuta de Decreto Marco Civil da Internet

Minuta de Decreto Marco Civil da Internet Minuta de Decreto Marco Civil da Internet Regulamenta a Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014 para tratar das exceções à neutralidade de rede e indicar procedimentos para a guarda de dados por provedores

Leia mais

Orientações gerais para preenchimento da Listagem de Eliminação de Documentos do Exército:

Orientações gerais para preenchimento da Listagem de Eliminação de Documentos do Exército: Orientações gerais para preenchimento da Listagem de Eliminação de Documentos do Exército: 010.3 Audiências. Despachos. Reuniões. 2001-2003 20 Cx 3,0 012.2 Divulgação interna 2001-2003 10 Cx 1,5 021.2

Leia mais

SISTEMA DE GERÊNCIA DE DOCUMENTOS ELETRÔNICOS NA MARINHA DO BRASIL

SISTEMA DE GERÊNCIA DE DOCUMENTOS ELETRÔNICOS NA MARINHA DO BRASIL SISTEMA DE GERÊNCIA DE DOCUMENTOS ELETRÔNICOS NA MARINHA DO BRASIL AÇÕES ESTRATÉGICAS NO TRATAMENTO ARQUIVÍSTICO ALESSANDRA PEREIRA FIRMO PRIMEIRO-TENENTE (T) AJUDANTE DA DIVISÃO DE ESCRITOS sdm-31@sdm.mar.mil.br

Leia mais

TIPOLOGIA DOCUMENTAL EM ARQUIVOS PESSOAIS TIPOLOGIA DOCUMENTAL NA FAMÍLIA BARBOSA DE OLIVEIRA FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA (FCRB/MINC)

TIPOLOGIA DOCUMENTAL EM ARQUIVOS PESSOAIS TIPOLOGIA DOCUMENTAL NA FAMÍLIA BARBOSA DE OLIVEIRA FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA (FCRB/MINC) TIPOLOGIA DOCUMENTAL EM ARQUIVOS PESSOAIS TIPOLOGIA DOCUMENTAL NA FAMÍLIA BARBOSA DE OLIVEIRA FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA (FCRB/MINC) Realização Apoio Financiamento do projeto - FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA

Leia mais

EMENTAS BIBLIOTECONOMIA INGRESSANTES 2016/1 E 2016/2

EMENTAS BIBLIOTECONOMIA INGRESSANTES 2016/1 E 2016/2 EMENTAS BIBLIOTECONOMIA INGRESSANTES 2016/1 E 2016/2 EMENTAS COMUNS ÀS MATRIZES LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS Produção de textos (orais e escritos), leitura e análise linguística de textos em diferentes

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul DECRETO Nº 18.290, DE 13 DE JULHO DE 2016. Aprova o Plano de Classificação e a Tabela de Temporalidade de s da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Proteção Social atividadesfim, para efeitos legais.

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO ANVISA TÉCNICO ADMINISTRATIVO

CONTROLE DE CONTEÚDO ANVISA TÉCNICO ADMINISTRATIVO 1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 3 Domínio da ortografia oficial. CONTROLE DE CONTEÚDO ANVISA TÉCNICO ADMINISTRATIVO LÍNGUA PORTUGUESA

Leia mais

Estrutura Organizacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

Estrutura Organizacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo Estrutura Organizacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo Estrutura Básica - SEE GABINETE DO SECRETÁRIO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO - CEE FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO -

Leia mais

Fundo: Câmara Municipal de Évora Secção: Tesouraria. 1. Descrição ao nível da Série IDENTIFICAÇÃO

Fundo: Câmara Municipal de Évora Secção: Tesouraria. 1. Descrição ao nível da Série IDENTIFICAÇÃO Fundo: Câmara Municipal de Évora Secção: Tesouraria 1. Descrição ao nível da Série 1.1 - IDENTIFICAÇÃO - Código de Referência PT/AMEVR/CME/E/B - Tesouraria - Data 1934-2015 - Nível da Descrição Série (SR)

Leia mais

Apresentação. Departamento de Arquivo Geral Universidade Federal de Santa Maria

Apresentação. Departamento de Arquivo Geral Universidade Federal de Santa Maria Apresentação O Informativo do Departamento de Arquivo Geral (DAG) tem o objetivo de divulgar a política de gestão arquivística e o funcionamento do sistema de arquivos da UFSM e, mais especificamente,

Leia mais

PLANO DE ENSINO SEMESTRE

PLANO DE ENSINO SEMESTRE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CED DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO CIN CAMPUS UNIVERSITÁRIO - TRINDADE CEP: 88040-970 - FLORIANÓPOLIS - SANTA CATARINA

Leia mais

REGISTRO DE IMÓVEIS brasileiro

REGISTRO DE IMÓVEIS brasileiro Modernização do REGISTRO DE IMÓVEIS brasileiro Sérgio Jacomino Modernização do Registro de Imóveis brasileiro e-folivm comissão especial para a gestão documental do Foro Extrajudicial e-ri - Registro Eletrônico

Leia mais

AGENTE JUDICIÁRIO - CLASSE E

AGENTE JUDICIÁRIO - CLASSE E AGENTE JUDICIÁRIO - CLASSE E Provimento: não mais ocorre em razão do art. 3º da Lei n. 13.467, de 12 de janeiro de 2000. * QUALIFICAÇÃO EXIGIDA: conclusão de nível Fundamental de escolaridade * QUALIFICAÇÃO

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 3. PROVA OBJETIVA LÍNGUA PORTUGUESA E CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS AGUARDE A ORDEM DO FISCAL PARA ABRIR ESTE CADERNO DE QUESTÕES.

CONCURSO PÚBLICO 3. PROVA OBJETIVA LÍNGUA PORTUGUESA E CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS AGUARDE A ORDEM DO FISCAL PARA ABRIR ESTE CADERNO DE QUESTÕES. PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO CONCURSO PÚBLICO 3. PROVA OBJETIVA LÍNGUA PORTUGUESA E CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Arquivista INSTRUÇÕES VOCÊ RECEBEU SUA FOLHA DE RESPOSTAS E ESTE CADERNO CONTENDO

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO (Currículo iniciado em 2009)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO (Currículo iniciado em 2009) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO (Currículo iniciado em 2009) ADMINISTRAÇÃO DE COMÉRCIO EXTERIOR (1432) - 68 h/a Práticas do Comércio Internacional. Características e processamento

Leia mais

Edição nº 174/2015 Brasília - DF, terça-feira, 29 de setembro de Corregedoria PORTARIA Nº 19, DE 28 DE SETEMBRO DE 2015.

Edição nº 174/2015 Brasília - DF, terça-feira, 29 de setembro de Corregedoria PORTARIA Nº 19, DE 28 DE SETEMBRO DE 2015. Corregedoria PORTARIA Nº 19, DE 28 DE SETEMBRO DE 2015. Designação da Juíza Soníria Rocha Campos D?Assunção, para exercer a Coordenação do Programa Nacional de Governança Diferenciada das Execuções Fiscais,

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA INFORMAÇÃO E OUTROS PROFISSIONAIS NA CONCEPÇÃO DE CENTROS DE MEMÓRIA 1. INTRODUÇÃO

INTEGRAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA INFORMAÇÃO E OUTROS PROFISSIONAIS NA CONCEPÇÃO DE CENTROS DE MEMÓRIA 1. INTRODUÇÃO INTEGRAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA INFORMAÇÃO E OUTROS PROFISSIONAIS NA CONCEPÇÃO DE CENTROS DE MEMÓRIA 1. INTRODUÇÃO O desenvolvimento da pesquisa no campo da História da sociedade, no âmbito do poder público,

Leia mais

O impacto da Lei de Acesso sob a ótica arquivística no âmbito da UNIRIO.

O impacto da Lei de Acesso sob a ótica arquivística no âmbito da UNIRIO. O impacto da Lei de Acesso sob a ótica arquivística no âmbito da UNIRIO. COSTA, Sonia; CARVALHO, Priscila Freitas de; FRANÇA, Patrícia Machado Goulart; MOREIRA, Luciane Alves; NOGUEIRA, Rafael de Castro;

Leia mais

1 - Aplicativos Informatizados (Biblioteconomia); Administração - Habilitação em Análise de Sistemas Administração - Habilitação em Gestão da

1 - Aplicativos Informatizados (Biblioteconomia); Administração - Habilitação em Análise de Sistemas Administração - Habilitação em Gestão da 1 - Aplicativos Informatizados (Biblioteconomia); - Habilitação em Análise de Sistemas - Habilitação em Gestão da Informação de Sistemas de Informação Análise de Sistemas Análise de Sistemas Administrativos

Leia mais

ANEXO I. DISCIPLINAS A SEREM OFERECIDAS PELO BiBEaD:

ANEXO I. DISCIPLINAS A SEREM OFERECIDAS PELO BiBEaD: ANEXO I DISCIPLINAS A SEREM OFERECIDAS PELO BiBEaD: DISCIPLINAS Ambientes, Serviços e Sistemas Informacionais Análise de Imagens (30h) Análise da Informação (30h) Bases Teóricas da Administração de Ambientes

Leia mais

Aspectos Jurídicos do Arquivamento Eletrônico de Documentos. José Henrique Barbosa Moreira Lima Neto

Aspectos Jurídicos do Arquivamento Eletrônico de Documentos. José Henrique Barbosa Moreira Lima Neto Aspectos Jurídicos do Arquivamento Eletrônico de Documentos José Henrique Barbosa Moreira Lima Neto Lei 8.159/91 Art. 2º Consideram-se arquivos, para os fins desta lei, os conjuntos de documentos produzidos

Leia mais

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO Nº da vaga: 1349 Curso(s): Comunicação Social, Jornalismo Acompanhar a busca de noticias; Atuar em pesquisas na Atividades a serem internet; Auxiliar em edição eletrônica de textos; Auxiliar nos desenvolvidas:

Leia mais

FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES

FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES UFGD FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO REGIONAL FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES COLEÇÃO: ESTRADA DE FERRO NOROESTE DO BRASIL 1. ÁREA DE IDENTIFICAÇÃO 1.1. Código de referência: BR CDR

Leia mais

Bacharelado em Ciências da Informação e da Documentação. Grade Curricular

Bacharelado em Ciências da Informação e da Documentação. Grade Curricular Bacharelado em Ciências da e da Documentação Grade Curricular SEMESTRE 1 5911001 Ciência da 5911002 Teoria Social da 5911003 Comunicação em Língua Portuguesa 5911004 Comunicação em Língua Inglesa 5911005

Leia mais

É possível um elefante andar de skate? Avaliação nos arquivos da Administração

É possível um elefante andar de skate? Avaliação nos arquivos da Administração É possível um elefante andar de skate? Avaliação nos arquivos da Administração Alexandra Lourenço (DGLAB) Pedro Penteado (DGLAB) Lisboa, 3 de julho de 2015 RCM 12/2012 - Medida 15: Alguns resultados

Leia mais

3º INTEGRAR - Congresso Internacional de Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação e Museus PRESERVAR PARA AS FUTURAS GERAÇÕES

3º INTEGRAR - Congresso Internacional de Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação e Museus PRESERVAR PARA AS FUTURAS GERAÇÕES Preservação e organização de documentos teatrais: o laboratório de informações e memória da ECA/USP Elizabeth Ferreira Cardoso Ribeiro Azevedo Cibele Araújo Camargo Marques dos Santos Andréia Alves Ferreira

Leia mais

UNIRIO / PROPLAN DIRETORIA DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES INSTITUCIONAIS - DAINF ORGANOGRAMA DAS UNIDADES ORGANIZACIONAIS. Atualizado em

UNIRIO / PROPLAN DIRETORIA DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES INSTITUCIONAIS - DAINF ORGANOGRAMA DAS UNIDADES ORGANIZACIONAIS. Atualizado em Atualizado em 15.03.2016 Boletim Interno nº 05/2016 1 1. GERAL REITORIA Vice-Reitoria Pró-Reitoria de Graduação Pró-Reitoria de Extensão e Cultura Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Pró-Reitoria

Leia mais

CURSO de ARQUIVOLOGIA - Gabarito

CURSO de ARQUIVOLOGIA - Gabarito UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de 2009 e 1 o semestre letivo de 2010 CURSO de ARQUIVOLOGIA - Gabarito INSTRUÇÕES AO CANDIDATO Verifique se este caderno contém : PROVA

Leia mais

2 Referências NBR ISO (item e 4.4.5) 1 Política Ambiental da FURB (Resolução 14/2000) PR 01 Documentação

2 Referências NBR ISO (item e 4.4.5) 1 Política Ambiental da FURB (Resolução 14/2000) PR 01 Documentação Título: CONTROLE DE DOCUMENTOS Palavra-chave: DOCUMENTOS Código: PR 02 Elaboração: COUTINHO, S.V. Versão: 01 Revisão: PEREIRA, G.R; WACHHOLZ, F.D; ZANELLA,G. Aprovação: Data: 18/04/2005 1 Objetivos Definir

Leia mais

TEMAS DOS ORIENTADORES DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

TEMAS DOS ORIENTADORES DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TEMAS DOS ORIENTADORES DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CIN 7123 - Projeto de Pesquisa em Arquivologia Orientadores e Temas para orientação em 2016-2 PROF (AS) ORIENTADORES (AS) Adilson Luiz Pinto (licença

Leia mais

Sistema de Gestão de Protocolo Eletrônico

Sistema de Gestão de Protocolo Eletrônico Sistema de Gestão de Protocolo Eletrônico Secretaria de Estado da Administração - SEA Gestão de Pessoas Sistemas administrativos Gestão de Materiais e Serviços Gestão Patrimonial Ouvidoria Gestão de Tecnologia

Leia mais

ARQUIVOLOGIA 19/10/2011 SIMULADOS CONCURSOS ANTERIORES. 1. (Cespe/TSE 2007) Os suportes dos documentos de arquivo incluem

ARQUIVOLOGIA 19/10/2011 SIMULADOS CONCURSOS ANTERIORES. 1. (Cespe/TSE 2007) Os suportes dos documentos de arquivo incluem 1. (Cespe/TSE 2007) Os suportes dos documentos de arquivo incluem ARQUIVOLOGIA SIMULADOS CONCURSOS ANTERIORES a) negativo fotográfico, diapositivo, audiovisual. b) Papel, papel fotográfico, película videográfica.

Leia mais

CONHECIMENTOS BÁSICOS LÍNGUA PORTUGUESA: ESTUDADO REVISADO EXERCÍCIOS

CONHECIMENTOS BÁSICOS LÍNGUA PORTUGUESA: ESTUDADO REVISADO EXERCÍCIOS CONHECIMENTOS BÁSICOS LÍNGUA PORTUGUESA: ESTUDADO REVISADO EXERCÍCIOS 1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 3 Domínio da ortografia

Leia mais

Município de Torres Novas

Município de Torres Novas Município de Torres Novas Divisão de Bibliotecas e Museus MVSEV MVNICIPAL CARLOS REIS Regulamento Interno DENOMINAÇÃO Artigo 1º Por deliberação da Câmara Municipal de Torres Novas, de 20 de Abril de 1933,

Leia mais

MICROFILMAGEM COMO MÉTODO DE PRESERVAÇÃO

MICROFILMAGEM COMO MÉTODO DE PRESERVAÇÃO MICROFILMAGEM COMO MÉTODO DE PRESERVAÇÃO SANTOS, Paula Wivianne Quirino dos Paula Wivianne Quirino dos Santos (Graduanda em bacharelado em Biblioteconomia) da (Universidade Federal de Pernambuco) (UFPE).

Leia mais

FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES

FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES UFGD FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO REGIONAL FICHA DE DESCRIÇÃO DE COLEÇÕES COLEÇÃO: DOCUMENTOS ORIGINAIS 1. ÁREA DE IDENTIFICAÇÃO 1.1. Código de referência: BR CDR DORIG 1.2. Título:

Leia mais

Os Arquivos municipais: entre cidadania e a memória

Os Arquivos municipais: entre cidadania e a memória Os Arquivos municipais: entre cidadania e a memória Sandra Patrício 3 de Julho de 2015 Encontro de Arquivos da Administração Pública A função primordial dos arquivos Tabuinha de argila do período neo-assírio

Leia mais

Sumário. 1. Vocabulary Reading interpretation skills Porcentagem e Regra de Três Raciocínio Lógico...

Sumário. 1. Vocabulary Reading interpretation skills Porcentagem e Regra de Três Raciocínio Lógico... Sumário Português... 1 1. Concordância... 3 2. Regência... 14 3. Colocação pronominal... 23 4. Morfologia e morfossintaxe... 24 5. Pontuação... 53 6. Ortografia... 62 7. Sintaxe... 68 8. Interpretação

Leia mais

A importância do estudo e descrição das entidades produtoras de arquivos, através da elaboração de Registos de Autoridade Arquivística (RAA)

A importância do estudo e descrição das entidades produtoras de arquivos, através da elaboração de Registos de Autoridade Arquivística (RAA) A importância do estudo e descrição das entidades produtoras de arquivos, através da elaboração de Registos de Autoridade Arquivística (RAA) I Encontro de Arquivos Contemporâneos ENTRE PARADIGMAS: DA CUSTÓDIA

Leia mais

Aula 00. Arquivologia. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros. Prof.

Aula 00. Arquivologia. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros.  Prof. Aula 00 ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Aula Conteúdo Programático Data 00 01 02 03 Noções de arquivologia Parte 1. Arquivística:

Leia mais

Secretaria Acadêmica Digital SeAD UNIFEOB São João da Boa Vista/SP

Secretaria Acadêmica Digital SeAD UNIFEOB São João da Boa Vista/SP Secretaria Acadêmica Digital SeAD UNIFEOB São João da Boa Vista/SP 1 A Secretaria Acadêmica Digital A Secretaria Acadêmica Digital - SeAD transpor para o meio eletrônico, documentos e processos que estão

Leia mais

Manual de Gestão de Documentos da PROGEP

Manual de Gestão de Documentos da PROGEP Manual de Gestão de da PROGEP Fortaleza Ceará 2014 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. RESPONSABILIDADES... 4 3. POLÍTICAS GERAIS... 5 4 NOTAÇÃO PARA MODELAGEM DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS... 6 5. PROCESSOS, NORMAS

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Confira todos os detalhes do edital de abertura do certame do Departamento

Leia mais

III Encontro Nacional de Estudos da Imagem 03 a 06 de maio de Londrina - PR

III Encontro Nacional de Estudos da Imagem 03 a 06 de maio de Londrina - PR O DOCUMENTO VISUAL SOB A PERSPECTIVA ARQUIVÍSTICA: REFLEXÕES, ESTUDOS E PROPOSTAS DA CÂMARA TÉCNICA DE DOCUMENTOS AUDIOVISUAIS, ICONOGRÁFICOS E SONOROS DO CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS MARCELO NOGUEIRA

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho CURSOS IT. 41 07 1 / 5 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para o cadastramento e recadastramento de Instituições de Ensino e Cursos, de nível Médio, Tecnológico, Superior e de Pós-graduação e realização

Leia mais

BIBLIOTECA MANUAL DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA

BIBLIOTECA MANUAL DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA BIBLIOTECA MANUAL DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA BRASÍLIA-DF, 2006 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...2 1 SERVIÇOS...3 1.1 Horário de Funcionamento...3 1.2 Empréstimos...3 1.2.1 Domiciliar...3 1.2.2 Especial...3 1.2.3

Leia mais

Riscos ambientais empresariais. 4.1 Programa de prevenção de acidentes (PPRA)

Riscos ambientais empresariais. 4.1 Programa de prevenção de acidentes (PPRA) Capítulo 4 Riscos ambientais empresariais Segundo o artigo 9.1.5 da Portaria n 25, de 29.12.94, do Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho, considera-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos

Leia mais

Unidade de Imagem, Microestrutura e Microanálise - IMICROS. LMTQ Laboratório de Metalografia Quantitativa

Unidade de Imagem, Microestrutura e Microanálise - IMICROS. LMTQ Laboratório de Metalografia Quantitativa Unidade de Imagem, Microestrutura e Microanálise - IMICROS LMTQ Laboratório de Metalografia Quantitativa Regulamento Utilização e Prestação de Serviços Este conjunto de normas é subsidiário do Regulamento

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 OBJETIVO Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os geradores de resíduos sólidos provenientes

Leia mais

II.2 GESTÃO AMBIENTAL Função: Estudos e Pesquisas

II.2 GESTÃO AMBIENTAL Função: Estudos e Pesquisas II.1 ADMINISTRAÇÃO JURÍDICA 1. Diferenciar nos processos administrativos: pessoa física e/ou pessoa jurídica. 2. Interpretar formas de contrato e compreender suas características. 3. Identificar as características

Leia mais

APOSTILA DE NOÇÕES DE TÉCNICAS DE ARQUIVO

APOSTILA DE NOÇÕES DE TÉCNICAS DE ARQUIVO Edited by Foxit PDF Editor Copyright (c) by Foxit Software Company, 2004-2007 For Evaluation Only. APOSTILA DE NOÇÕES DE TÉCNICAS DE ARQUIVO Conteúdo: 1. Legislação brasileira e conceitos fundamentais.

Leia mais

POLÍTICA ARQUIVÍSTICA NA PREFEITURA DE BELO HORIZONTE: UM PONTO DE VISTA GERENCIAL.

POLÍTICA ARQUIVÍSTICA NA PREFEITURA DE BELO HORIZONTE: UM PONTO DE VISTA GERENCIAL. POLÍTICA ARQUIVÍSTICA NA PREFEITURA DE BELO HORIZONTE: UM PONTO DE VISTA GERENCIAL. Cintia Aparecida Chagas Arreguy Renato Pinto Venâncio Universidade Federal de Minas Gerais A Prefeitura de Belo Horizonte

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR Documentação: Objetivo: Titulação: Diplomado em: Curso reconhecido pela Portaria nº 404, de 22 de julho de 2014, publicada no DOU em 24/07/2014. Propiciar a formação profissional do Arquivista capacitando-o

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR. CURSO: Bacharelado em Biblioteconomia - Manhã e Noite VALIDADE: a partir do 2º semestre de 2010 CARGA HORÁRIA

MATRIZ CURRICULAR. CURSO: Bacharelado em Biblioteconomia - Manhã e Noite VALIDADE: a partir do 2º semestre de 2010 CARGA HORÁRIA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS (CCH) ESCOLA DE BIBLIOTECONÔMIA Curso de Bacharelado MATRIZ CURRICULAR APÊNDICE A CURSO: Bacharelado em Biblioteconomia - Manhã e Noite VALIDADE: a partir do 2º semestre

Leia mais

Formulário de Apresentação de Projeto Cultural. Identificação do Projeto. Resumo do Projeto. Objetivos. Justificativa. Etapas de Trabalho

Formulário de Apresentação de Projeto Cultural. Identificação do Projeto. Resumo do Projeto. Objetivos. Justificativa. Etapas de Trabalho Formulário de Apresentação de Projeto Cultural Identificação do Projeto Resumo do Projeto Objetivos Justificativa Etapas de Trabalho Acessibilidade Democratização do Acesso Realização do Projeto Data do

Leia mais

Protocolo Judicial de 1º Grau

Protocolo Judicial de 1º Grau PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO 45 Protocolo Judicial de 1º Grau Elaborado por: Ronaldo Gomes Pereira

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS ARQUEÓLOGOS PORTUGUESES, AAP

ASSOCIAÇÃO DOS ARQUEÓLOGOS PORTUGUESES, AAP ASSOCIAÇÃO DOS ARQUEÓLOGOS PORTUGUESES, AAP REGULAMENTO DO ARQUIVO Arquivista: Sónia Tavares 19-Novembro-2016 INTRODUÇÃO A Associação dos Arqueólogos Portugueses, AAP, fundou-se a 22/11/1863, denominando-se

Leia mais

A PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA ARQUIVÍSTICA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL NO BRASIL

A PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA ARQUIVÍSTICA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL NO BRASIL A PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA ARQUIVÍSTICA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL NO BRASIL José Mauro Gouveia (Universidade de Brasília) Eliane Braga de Oliveira (Universidade de Brasília) A PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO. Curso reconhecido pela Portaria nº 404, de 22 de julho de 2014, publicada no DOU em 24/07/2014. Mínimo: 8 semestres

CURRÍCULO DO CURSO. Curso reconhecido pela Portaria nº 404, de 22 de julho de 2014, publicada no DOU em 24/07/2014. Mínimo: 8 semestres Documentação: Objetivo: Titulação: Diplomado em: Curso reconhecido pela Portaria nº 404, de 22 de julho de 2014, publicada no DOU em 24/07/2014. Propiciar a formação profissional do Arquivista capacitando-o

Leia mais

GERIR O TRÂMITE DE EXPEDIENTES 1 OBJETIVO

GERIR O TRÂMITE DE EXPEDIENTES 1 OBJETIVO Proposto por: Serviço de Mensageria () Analisado por: Diretor do Departamento de Infraestrutura Operacional (DEIOP) Aprovado por: Diretor Geral da Diretoria- Geral de Logística (DGLOG) 1 OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

EDITAL Nº 02 /2013 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO

EDITAL Nº 02 /2013 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense Campus Venâncio Aires EDITAL Nº 02 /2013 PROCESSO SELETIVO

Leia mais

Figura 45: Modelo de epígrafe Figura 46: Modelo de resumo em língua vernácula Figura 47: Modelo de resumo em língua estrangeira...

Figura 45: Modelo de epígrafe Figura 46: Modelo de resumo em língua vernácula Figura 47: Modelo de resumo em língua estrangeira... Lista de Figuras Figura 1: Tipos de conhecimento... 4 Figura 2: Classificação das ciências por Bunge (1974)... 8 Figura 3: Classificação das ciências por Mattar Neto (2002)... 9 Figura 4: Natureza, objetivo

Leia mais

O Arquivo de Botânica da Universidade de Coimbra

O Arquivo de Botânica da Universidade de Coimbra O Arquivo de Botânica da Universidade de Coimbra Workshop de Arquivos Universitários Ana Margarida Dias da Silva M. Teresa Gonçalves António Carmo Gouveia FCSH - 5 de Julho de 2013 Sumário Apresentação

Leia mais

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul UEMS. Assistente Administrativo. Edital 003/2017

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul UEMS. Assistente Administrativo. Edital 003/2017 Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul UEMS Assistente Administrativo Edital 003/2017 MR057-2017 DADOS DA OBRA Título da obra: Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS Cargo: Assistente

Leia mais