QUESTÕES SOBRE NOÇÕES DE ARQUIVOLOGIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "QUESTÕES SOBRE NOÇÕES DE ARQUIVOLOGIA"

Transcrição

1 1- (UFRGS:2008) Os arquivos setoriais: A) São mantidos longe dos produtores; B) Possuem documentos que após 5 anos podem ser eliminados ou recolhidos. C) Possuem documentos correntes. D) São passivos de recolhimento periódico ao Arquivo Central. E) Exigem transferência antes de qualquer procedimento de eliminação. 2- (UFRGS:2008) O que caracteriza um arquivo especializado é: A) O gênero documental. B) A natureza, a função ou a atividade da entidade produtora. C) A linguagem não-textual. D) O suporte não-convencional. E) A necessidade de intermediação tecnológica para o acesso. 3- (OBJETIVA:2010) Retratar a situação dos arquivos de uma organização, através do levantamento geral dos dados sobre as atividades, o fluxo informacional, as características das instalações e a situação dos acervos, são tarefas realizadas durante a etapa de: A) Avaliação. B) Intervenção. C) Diagnóstico D) Classificação. E) Formulação das hipóteses. 4- (UFRGS:2008) São atividades relativas à Avaliação de Documentos: A) Elaboração de inventários analíticos. B) Elaboração de Plano de Classificação e publicação de Edital de Ciência de Eliminação de Documentos. C) Elaboração de Listagem de Eliminação de Documentos e realização de recolhimento de documentos. Página 1

2 D) Aplicação de Tabela de Temporalidade de Documentos e elaboração de Termo de Eliminação de Documentos. E) Elaboração de Tabela de Temporalidade de Documentos e de Guia de Arquivo. 5- (CESPE:2010) O acervo arquivístico acumulado pelas empresas públicas e pelas sociedades de economia mista é considerado, de acordo com a legislação, arquivo: A) governamental. B) privado. C) particular. D) privado de interesse social. E) público. 6- (CESPE:2010) O princípio de respeito à ordem original: A) estabelece que todo procedimento ou tratamento empreendido em arquivos pode ser revertido. B) refere-se à ordem física que os documentos tinham no arquivo corrente. C) relaciona-se à separação de um fundo de arquivo de outros fundos. D) determina que os documentos devem ser classificados por assuntos. E) refere-se ao respeito à organicidade e ao fluxo natural e orgânico com que os documentos foram produzidos. 7- (CESPE:2010) Os objetivos de produção dos arquivos estão relacionados às questões: A) administrativas, funcionais e legais. B) científicas, artísticas e culturais. C) artísticas, técnicas e educativas. D) funcionais, científicas e educativas. E) administrativas, culturais e técnicas. 8- (CESPE:2010) No que concerne ao princípio da territorialidade, assinale a opção correta. Página 2

3 A) segundo este princípio, os arquivos devem ser entregues aos serviço de arquivo com jurisdição arquivística sobre o território. B) esse princípio estipula que os arquivos devem ser conservados nos serviços de arquivo do território em que foram produzidos. C) a aplicação desse princípio é feita somente nos planos nacional e regional. D) há uma estreita vinculação desse princípio com o princípio da proveniência. E) esse princípio foi elaborado na mesma época do princípio do respeito aos fundos. 9- (FUNCAB:2010) A Teoria das Três idades classifica os documentos de acordo com a freqüência de uso por suas entidades produtoras e a identificação de seus valores primários e secundários. O arquivo que guarda documentos consultados com freqüência, devido ao seu uso funcional, administrativo e jurídico é chamado: A) inativo. B) intermediário. C) permanente. D) terciário. E) corrente. 10- (FUNCAB:2010) Quando uma instituição é extinta, suas atividades são cessadas. Com isso, não irão juntar mais documentos ao seu conjunto documental. Quando isso ocorre, podemos dizer que se trata de um Fundo : A) extinto. B) fechado. C) cessado. D) fixo. E) permanente. 11- (FUNCAB:2010) No acervo do IBRAM existem diferentes gêneros documentais, que exigem processamento técnico específico. No arquivo encontra-se os seguintes tipos documentais: portarias, mapas e gravuras. Eles pertencem aos gêneros: A) audiovisual, textual e bibliográfico. B) textual, filmográfico e iconográfico. Página 3

4 C) textual, cartográfico e iconográfico. D) textual, bibliográfico e iconográfico. E) bibliográfico, textual e cartográfico. 12- (FUNCAB:2010) Nos arquivos, recomenda-se que alguns princípios sejam adotados. Considere o seguinte princípio da Arquivologia: um arquivo deve conservar o arranjo dado pela entidade coletiva, pessoa ou família que o produziu. Este princípio é denominado: A) da proveniência. B) da pernitência. C) do respeito à ordem original. D) da jurisdição. E) da legalidade. 13- (FUNCAB:2010) Cabe ao Protocolo, após receber um documento, proceder à (ao): A) certificação e encaminhamento. B) registro, classificação, movimentação e expedição. C) recolhimento e arquivamento. D) redação, classificação. E) destinação e transferência. 14- (UFCSPA:2008) Os documentos de arquivo têm como fins da produção administrativos, jurídicos, funcionais e legais. Os objetivos da produção documental são: A) instruir, informar. B) provar e testemunhar. C) instruir, provar. D) informar, entreter. E) testemunhar, entreter. 15- (UFCSPA:2008) Os documentos de um arquivo possuem as seguintes características: Página 4

5 A) são resultado de uma criação artística ou pesquisa. B) surgem por razões funcionais administrativas e legais e guardam relações orgânicas entre si. C) são objetos originados na criação artística ou da civilização material de uma comunidade. D) são materiais que servem para ensinar ou instruir. E) sua forma usual é a impressa e a mesma obra pode existir em mais de um centro de documentação. 16- (UFCSPA: 2008) O documento que constitui o acervo é produzido por e para a administração pública ou privada, preservado para a história. Este conceito se refere especificadamente: A) ao arquivo e ao museu. B) à biblioteca e ao museu. C) ao museu. D) ao arquivo. E) à biblioteca. 17- (Carlos Chagas: 2007) O valor mediato, quando atribuído aos documentos de arquivo, equivale ao valor: A) primário. B) fiscal. C) legal. D) probatório. E) secundário. 18- (Fiocruz: 2006) O ciclo vital dos documentos compreende as idades: A) temporária, intermediária, permanente. B) corrente, intermediária, permanente. C) administrativa, temporária, permanente. D) administrativa, intermediária, permanente. Página 5

6 E) corrente, temporária, permanente. 19- (Fiocruz: 2006) A passagem dos documentos correntes para os arquivos intermediários denomina-se: A) recolhimento. B) arranjo. C) transferência. D) destinação. E) arquivamento. 20- (Cesgranrio: 2006) A teoria arquivística apresenta as três idades dos arquivos como estágios de sua evolução. A idade em que são arquivados os documentos que perderam todo o valor de natureza administrativa é a: A) permanente. B) corrente. C) especializada. D) empresarial. E) pública. 21- (Carlos Chagas: 2007) O contrato de aluguel, como documento, é exemplo de: A) gênero. B) tipo. C) formato. D) espécie. E) forma. Certo ou Errado: 22- (Cespe: 2003) Consubstanciam-se como especializados os arquivo: ( ) médicos. Página 6

7 ( ) de engenharia. ( ) audiovisuais. ( ) iconográficos. ( ) de grandes dimensões. 23- (Cespe: 2007) As atividades típicas do protocolo não incluem o (a): A) recebimento de correspondência. B) abertura de processo. C) distribuição de documentos. D) preparação de instrumentos de descrição. 24- (IDORT: 2004) O registro e controle dos documentos devem ser realizados por meio de: A) requerimento. B) memorando. C) carta. D) protocolo. E) ofício. 25- (Cespe: 2007) O instrumento de destinação que determina prazos e condições de guarda é o (a): A) plano de classificação. B) listagem de eliminação. C) tabela de temporalidade. D) plano de conservação. 26- (UFRJ: 2004) São inalienáveis e imprescritíveis os documentos de valor: A) primário. B) permanente. Página 7

8 C) especial. D) intermediário. E) corrente. 27- (UFRJ: 2004) Documento elaborado por meio de um computador, sendo seu autor indentificável por meio de um código, chave ou outros procedimentos técnicos e conservados, na maioria, em memórias eletrônicas de massa, é o documentos: A) sistemático. B) mutável. C) sonoro. D) imagético. E) eletrônico. 28- (UFRJ: 2007) O procedimento arquivístico destinado a assegurar as atividades de acondicionamento, armazenamento, conservação e restauração de documentos denomina-se: A) preservação. B) descrição. C) conservação. D) restauração. E) avaliação. 29- (UFRJ: 2006) Para que os documentos de um acervo arquivístico possam ser microfilmados, é necessário que, além de estarem higienizados: A) possuam as mesmas dimensões. B) possuem um mesmo assunto. C) estejam devidamente organizados. D) estejam for de uso corrente. E) não possuam mais valor de uso. Página 8

9 30- (Cesgranrio: 2003) As opções abaixo trazem vantagens da microfilmagem de documentos, salvo uma. Assinale-a. A) Redução de volume de papéis e documentos. B) Facilidade de consulta a documentos arquivados. C) Economia em termos de espaço para o tamanho dos arquivos. D) Segurança na conservação dos documentos vitais da empresa. E) Estabelecimento de um programa criterioso de seleção de documentos. GABARITO 1-c / 11-c / 21-b 2-b / 12-c / 22-cceee 3-d / 13-b / 23-d 4-d / 14-b / 24-d 5-e / 15-b / 25-c 6-e / 16-d / 26-b 7-a / 17-e / 27-e 8-b / 18-b / 28-a 9-e / 19-c / 29-c 10-b / 20-a / 30-e Página 9

PROGRAMA DE GESTÃO DE

PROGRAMA DE GESTÃO DE PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PROGRAMA DE GESTÃO DE DOCUMENTOS E TRATAMENTO DO ARQUIVO PERMANENTE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS ALFENAS-MG 2013 REITOR Prof. Paulo Márcio de Faria e Silva

Leia mais

08/04/2017 ÉLVIS MIRANDA ARQUIVOLOGIA

08/04/2017 ÉLVIS MIRANDA ARQUIVOLOGIA ÉLVIS MIRANDA ARQUIVOLOGIA 7 Noções de arquivologia. 7.1 Arquivística: princípios e conceitos. 7.2 Legislação arquivística. 7.3 Gestão de Arquivamento e ordenação de documentos de arquivo. 7.3.4 Tabela

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO APRESENTAÇÃO ABREVIATURAS CAPÍTULO I CONCEITOS FUNDAMENTAIS...

APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO APRESENTAÇÃO ABREVIATURAS CAPÍTULO I CONCEITOS FUNDAMENTAIS... SUMÁRIO S AGRADECIMENTOS... 7 APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 15 APRESENTAÇÃO... 17 ABREVIATURAS... 19 CAPÍTULO I CONCEITOS FUNDAMENTAIS... 21 1.1. Introdução à arquivologia... 21 1.1.1. Evolução da comunicação

Leia mais

CASA CIVIL ARQUIVO NACIONAL CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS RESOLUÇÃO Nº 24, DE 3 DE AGOSTO DE 2006

CASA CIVIL ARQUIVO NACIONAL CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS RESOLUÇÃO Nº 24, DE 3 DE AGOSTO DE 2006 Resolução nº 24, de 3 de agosto de 2006 CASA CIVIL ARQUIVO NACIONAL CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS RESOLUÇÃO Nº 24, DE 3 DE AGOSTO DE 2006 Estabelece diretrizes para a transferência e recolhimento de documentos

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE ARQUIVOLOGIA EMENTAS VERSÃO CURRICULAR N-20151

COLEGIADO DO CURSO DE ARQUIVOLOGIA EMENTAS VERSÃO CURRICULAR N-20151 COLEGIADO DO CURSO DE ARQUIVOLOGIA EMENTAS VERSÃO CURRICULAR N-20151 1º PERÍODO ECI240 - Introdução à Arquivologia História dos arquivos e da arquivologia e a evolução do pensamento arquivístico na cultura

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 13/2016 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 13/2016 CONSUNI CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2016 CONSUNI Estabelece a Política de Gestão de Documentos Arquivísticos da Universidade Federal da Fronteira Sul. O Conselho Universitário (CONSUNI) da Universidade

Leia mais

Noções de Protocolo e Arquivo (Técnico Legislativo Câmara dos Deputados) Aula Demonstrativa Prof. Renato Fenili

Noções de Protocolo e Arquivo (Técnico Legislativo Câmara dos Deputados) Aula Demonstrativa Prof. Renato Fenili AULA DEMONSTRATIVA Prezado(a) amigo(a), É chegada a hora de nos dedicarmos ao tão esperado concurso para Técnico Legislativo da Câmara dos Deputados. Meu nome é Renato Ribeiro Fenili, sou natural de São

Leia mais

Arquivologia. Prof. André Sandes

Arquivologia. Prof. André Sandes Arquivologia Prof. André Sandes (Cespe / DPU / Arquivista / 2016) 01. À medida que os documentos são mais utilizados, cresce o seu valor primário. Valor Documental Valor Primário Administrativo, fiscal

Leia mais

SUMÁRIO SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 9 APRESENTAÇÃO ABREVIATURAS... 19

SUMÁRIO SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 9 APRESENTAÇÃO ABREVIATURAS... 19 SUMÁRIO SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 9 APRESENTAÇÃO... 11 ABREVIATURAS... 19 CAPÍTULO I CONCEITOS FUNDAMENTAIS... 21 1.1. Introdução à Arquivologia... 21 1.1.1. Evolução da Comunicação e Suportes

Leia mais

ÍNDICE DE TERMOS. Guia Guia de remessa

ÍNDICE DE TERMOS. Guia Guia de remessa ÍNDICE DE TERMOS Acervo documental Acesso à informação Arquivo Arquivo Central Arquivo Corrente Arquivo definitivo Arquivo geral Arquivo histórico Arquivo intermédio Arquivo público Auto de eliminação

Leia mais

ALEXSSANDER AUGUSTO DIREITO PROCESSUAL CIVIL

ALEXSSANDER AUGUSTO DIREITO PROCESSUAL CIVIL ALEXSSANDER AUGUSTO DIREITO PROCESSUAL CIVIL CICLO VITAL DOS DOCUMENTOS (TEORIA DAS TRÊS IDADES) 3 CICLO VITAL DOS DOCUMENTOS 4 CICLO VITAL DOS DOCUMENTOS 1ª IDADE 2ª IDADE 3ª IDADE 5 (CESPE-UNB/SEE-DF)

Leia mais

Redação Oficial, Protocolo e Arquivamento AULA 11. Temas: Conceitos de Arquivamento

Redação Oficial, Protocolo e Arquivamento AULA 11. Temas: Conceitos de Arquivamento Redação Oficial, Protocolo e Arquivamento AULA 11 Temas: Conceitos de Arquivamento Até agora, estudamos sobre a forma correta de produzir e tramitar os documentos gerados em nosso dia-a-dia. A partir desta

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CUNI Nº 025, DE 8 DE MAIO DE 2012 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS, no uso de suas atribuições

Leia mais

Secretaria Especial de Tecnologia e Informação INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/SETI. De 30 de julho de 2012

Secretaria Especial de Tecnologia e Informação INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/SETI. De 30 de julho de 2012 Tecnologia e Informação INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/SETI De 30 de julho de 2012 Dispõe sobre o estabelecimento da Política de Gestão de Documentos da Universidade Federal da UFFS O SECRETÁRIO ESPECIAL DE

Leia mais

CONCEITOS DE ARQUIVOLOGIA

CONCEITOS DE ARQUIVOLOGIA ARQUIVOLOGIA TERMINOLOGIAS ARQUIVÍSTICAS DE ARQUIVOLOGIA CRISTIANO SILVA Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística: Instrumento de fundamental importância para a normalização conceitual das atividades

Leia mais

2. ATOS DO DIRETOR-GERAL

2. ATOS DO DIRETOR-GERAL 2.1. INSTRUÇÃO NORMATIVA 2. ATOS DO DIRETOR-GERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA DE 7 DE MARÇO DE 2010 O DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

Noções de Arquivologia

Noções de Arquivologia AULA DEMONSTRATIVA Noções de Arquivologia Arquivística: princípios e conceitos. Professor Marcelo Camacho www.pontodosconcursos.com.br www.pontodosconcursos.com.br Professor Marcelo Camacho 1 Aula 00 Aula

Leia mais

Rodada #1 Noções de Arquivologia

Rodada #1 Noções de Arquivologia Rodada #1 Noções de Arquivologia Professor Renato Fenili Assuntos da Rodada ARQUIVOLOGIA: 1 Arquivística: introdução e conceitos básicos. Princípios. 2 Gestão da informação e de documentos. 2.1 Protocolo:

Leia mais

PROFESSORES-ORIENTADORES

PROFESSORES-ORIENTADORES ICI 222 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE (Arquivologia) Aida Varela Varela Redes e Educação a distância Teorias cognitivas e sua aplicabilidade na CI, em Biblioteconomia e Arquivologia Teorias de aprendizagem

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG CEP Fone: (35)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG CEP Fone: (35) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG CEP 37130-000. Fone: (35) 3299-1000 PROCESSO DE SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIO EDITAL 082/2016 PROGEPE Orientações

Leia mais

Plano de Estudos. Turma Elite Câmara dos Deputados Instituto Cognos Fernando Mesquita. versão 1.2

Plano de Estudos. Turma Elite Câmara dos Deputados Instituto Cognos Fernando Mesquita. versão 1.2 Plano de Estudos Turma Elite Câmara dos Deputados 2015 versão 1.2 Fernando Mesquita 1 1 Português Ortografia oficial, letras e acentuação 1 1 Adm. Planejamento estratégico (1/5)* 1 1 DC Título I 1 1 Arquiv.

Leia mais

NOÇÕES DE ARQUIVOLOGIA PARA DNIT ANALISTA ADMINISTRATIVO - ÁREA ADMINISTRATIVA TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR: MAYKO GOMES

NOÇÕES DE ARQUIVOLOGIA PARA DNIT ANALISTA ADMINISTRATIVO - ÁREA ADMINISTRATIVA TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR: MAYKO GOMES AULA 00 - Conceitos Fundamentais de Arquivologia Olá, amigos concurseiros! Tudo bem? Estão animados para os estudos? Espero que estejam com muito gás, pois já temos uma grande notícia: finalmente foi publicado

Leia mais

Avaliação e eliminação de documentos de arquivo

Avaliação e eliminação de documentos de arquivo TREINAMENTO CADA Avaliação e eliminação de documentos de arquivo Abril 2017 O que é Plano de Classificação e Tabela de Temporalidade? Plano de classificação e tabela de temporalidade de documentos São

Leia mais

Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR

Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR Página 1 de 9 Como entender o Sistema de Catalogação de Bens Culturais do Município de Nova Esperança-PR Em 08 de julho de 2016

Leia mais

GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO

GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO Aula 7 Descrição Arquivística. Revisão, estudo de caso e elaboração de instrumentos de pesquisa. Revisão do conteúdo Descrição Arquivística Aula 7 O caráter dinâmico do

Leia mais

Natureza do assunto:

Natureza do assunto: Natureza do assunto: DOCUMENTOS SIGILOSOS E OSTENSIVOS Ostensivo ou Ordinário documentos cuja divulgação não prejudica a administração Sigilosos documentos que devem ser de conhecimento restrito, e requerem

Leia mais

Aula 00. Lincoln Barros. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros. Prof.

Aula 00. Lincoln Barros. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros.  Prof. Aula 00 ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Aula Conteúdo Programático Data 00 Noções de Arquivologia: conceitos fundamentais

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 032/2009 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 032/2009 CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 032/2009 CONSUNI Dispõe sobre a criação do Sistema de Gestão Documental da Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. O Presidente do Conselho Universitário CONSUNI da Fundação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO ARQUIVO GERAL DO CEFET-RJ

REGIMENTO INTERNO DO ARQUIVO GERAL DO CEFET-RJ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO ARQUIVO GERAL DO CEFET-RJ CAPÍTULO I DOS

Leia mais

Introdução à Biblioteconomia e à Ciência da Informação

Introdução à Biblioteconomia e à Ciência da Informação Instituto de Ciência da Informação Biblioteconomia e Documentação Disciplinas Obrigatórias CÓDIGO ICI 014 TÌTULO Introdução à Biblioteconomia e à Ciência da Informação Ementa: Biblioteconomia, Documentação

Leia mais

1 17 Aula. Curso Grátis Noções de Arquivologia Aula 1. Noções de Arquivologia. Prof. Kátia Quadros. Prof.

1 17 Aula. Curso Grátis Noções de Arquivologia Aula 1.  Noções de Arquivologia. Prof. Kátia Quadros. Prof. 1 17 Aula 01 Noções de Arquivologia www.concurseiro24horas.com.br 2 17 AULA 1 AULA INAUGURAL... 2 1. OBSERVAÇÕES INICIAIS... 3 2. CONCEITOS INICIAIS... 5 3. QUESTÕES COM COMENTÁRIOS... 13 4. QUESTÕES SEM

Leia mais

Aula 00. Lincoln Barros. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros. Prof.

Aula 00. Lincoln Barros. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros.  Prof. Aula 00 ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Aula Conteúdo Programático Data 00 Noções de Arquivologia. XXXXXX 01 02 Noções

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina / UFSC Universidade Federal de Santa Catarina / UFSC Campus Araranguá

Universidade Federal de Santa Catarina / UFSC Universidade Federal de Santa Catarina / UFSC Campus Araranguá COMISSÃO 9 PERMANENTE DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS CPAD/ UFSC PROCEDIMENTO DE NORMALIZAÇÃO: PREENCHIMENTO DE CAMPOS DA LISTAGEM DE ELIMINAÇÃO DE DOCUMENTOS ABRANGÊNCIA: TODOS OS CAMPI - UFSC Campo 1: Órgão/Entidade:

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE CORNÉLIO PROCÓPIO ESTADO DO PARANÁ

CÂMARA MUNICIPAL DE CORNÉLIO PROCÓPIO ESTADO DO PARANÁ CÂMARA MUNICIPAL DE CORNÉLIO PROCÓPIO Rua Paraiba, nº 163, centro CNPJ - 72.327.307/0001-02 EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº001/2012 DO CONCURSO PÚBLICO Nº. 001/2012 A CÂMARA MUNICIPAL DE CORNÉLIO PROCÓPIO RETIFICA:

Leia mais

Administração Pública e Geral Arquivologia

Administração Pública e Geral Arquivologia CADERNO DE QUESTÕES - ARQUIVOLOGIA Administração Pública e Geral Arquivologia www.concursovirtual.com.br Grupo Yahoo: Http://Br.Groups.Yahoo.Com/Group/Professormarcelomarques/ VÍDEO-AULAS DE ARQUIVOLOGIA

Leia mais

TÉCNICO DO MPU ÁREA DE ATIVIDADE: APOIO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO ESPECIALIDADE: ADMINISTRAÇÃO VOLUME I

TÉCNICO DO MPU ÁREA DE ATIVIDADE: APOIO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO ESPECIALIDADE: ADMINISTRAÇÃO VOLUME I MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - MPU TÉCNICO DO MPU ÁREA DE ATIVIDADE: APOIO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO ESPECIALIDADE: ADMINISTRAÇÃO VOLUME I ÍNDICE Nível Médio CONHECIMENTOS BÁSICOS LEGISLAÇÃO APLICADA AO MPU

Leia mais

Questão Resposta Argumentação

Questão Resposta Argumentação Questão Resposta Argumentação A questão refere-se à Resolução nº 10, de 6 de dezembro de 1999, que dispõe sobre a adoção de símbolos ISO nas sinaléticas utilizados nos procedimentos de microfilmagem, a

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA SISTEMA DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA SISTEMA DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA N.º. 065 DE 02 DE AGOSTO DE 2010 SISTEMA DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS O DIRETOR DO LABORATÓRIO NACIONAL DE COMPUTAÇÃO CIENTÍFICA DO MINISTÉRIO DA

Leia mais

SUMÁRIO. Língua Portuguesa

SUMÁRIO. Língua Portuguesa Língua Portuguesa Compreensão e interpretação de textos... 3 Tipologia textual... 6 Ortografia oficial... 21 Acentuação gráfica... 30 Emprego das classes de palavras... 33 Emprego/correlação de tempos

Leia mais

SUMÁRIO. Noções de Administração Noções de Arquivologia

SUMÁRIO. Noções de Administração Noções de Arquivologia SUMÁRIO Noções de Administração... 07 Noções de Arquivologia... 183 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO ÍNDICE CAPÍTULO 01... 11 Noções de Administração... 11 Abordagem Clássica da Administração...11 O Fordismo...14

Leia mais

Arquivos: gestão e conservação

Arquivos: gestão e conservação Arquivos: gestão e conservação 02 Maio de 2009 Sugestões Técnicas Ano I Por José Silvino Filho Silvino.qualidade@gmail.com TEORIA DAS TRÊS IDADES DOS ARQUIVOS Professor José Silvino Filho Consultor de

Leia mais

Apresentação... XI Introdução Dado, Informação e Conhecimento: A Base de Tudo Dado Informação Conhecimento...

Apresentação... XI Introdução Dado, Informação e Conhecimento: A Base de Tudo Dado Informação Conhecimento... Sumário Apresentação... XI Introdução... 1 1 Dado, Informação e Conhecimento: A Base de Tudo... 3 1.1 Dado... 3 1.2 Informação... 4 1.3 Conhecimento... 6 2 Dados X Informações X Conhecimento... 7 3 Gestão

Leia mais

SUMÁRIO. Língua Portuguesa. Compreensão e interpretação de textos Tipologia textual Ortografia oficial Acentuação gráfica...

SUMÁRIO. Língua Portuguesa. Compreensão e interpretação de textos Tipologia textual Ortografia oficial Acentuação gráfica... Língua Portuguesa Compreensão e interpretação de textos... 3 Tipologia textual... 6 Ortografia oficial... 21 Acentuação gráfica... 30 Emprego das classes de palavras... 33 Emprego/correlação de tempos

Leia mais

Aula 00. Lincoln Barros. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros. Prof.

Aula 00. Lincoln Barros. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros.  Prof. Aula 00 ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Aula Conteúdo Programático Data 00 01 02 03 04 05 06 Noções de Arquivologia:

Leia mais

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO da Vaga Nº da 2003 Curso(s): Administração Auxiliar na preparação de documentos administrativos; Auxiliar na elaboração de relatórios em geral, relativos a informações não protegidas por sigilo fiscal;

Leia mais

DESAFIOS DA MEMÓRIA EMPRESARIAL COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA DAS ORGANIZAÇÕES

DESAFIOS DA MEMÓRIA EMPRESARIAL COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA DAS ORGANIZAÇÕES DESAFIOS DA MEMÓRIA EMPRESARIAL COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA DAS ORGANIZAÇÕES CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA GOL (CEDOC) Equipe CEDOC 18 Colaboradores: 1 Coordenador 6 Analistas Administrativos 5 Assistentes

Leia mais

SUMÁRIO. Língua Portuguesa

SUMÁRIO. Língua Portuguesa Língua Portuguesa Compreensão e interpretação de textos... 3 Tipologia textual... 6 Ortografia oficial... 21 Acentuação gráfica... 30 Emprego das classes de palavras... 33 Emprego/correlação de tempos

Leia mais

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB Estabelece a Política para Manutenção e Guarda do Acervo Acadêmico da Escola de Direito de Brasília

Leia mais

ARQUIVOLOGIA. Exercícios

ARQUIVOLOGIA. Exercícios ARQUIVOLOGIA Exercícios NOÇÕES DE ARQUIVOLOGIA CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE ARQUIVOLOGIA Conceito de Arquivo Art. 2º Consideram-se arquivos, para os fins desta lei, os conjuntos de documentos produzidos e

Leia mais

UNIRIO Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro Arquivo Central AC

UNIRIO Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro Arquivo Central AC VISITA TÉCNICA Código TTDD nº 063.1 1) IDENTIFICAÇÃO Local: CCH Setor: Escola de Educação Contato: Profª Sandra Albernaz de Medeiros Tel: 2542-1783 E-mail: cch_educacao@unirio.br; sandra.albernaz@globo.com

Leia mais

2CIN006 FUNDAMENTOS DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E ARQUIVÍSTICA Princípios e teorias da Ciência da Informação e Arquivologia.

2CIN006 FUNDAMENTOS DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E ARQUIVÍSTICA Princípios e teorias da Ciência da Informação e Arquivologia. 1º SEMESTRE 2LEM001 ESPANHOL INSTRUMENTAL Compreensão de textos/documentos em língua espanhola. 2CIN006 FUNDAMENTOS DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E ARQUIVÍSTICA Princípios e teorias da Ciência da Informação

Leia mais

SISTEMA INFORMATIZADO DE GESTÃO ARQUIVÍSTICA DE DOCUMENTOS - SIGAD

SISTEMA INFORMATIZADO DE GESTÃO ARQUIVÍSTICA DE DOCUMENTOS - SIGAD Automação de Arquivo SISTEMA INFORMATIZADO DE GESTÃO ARQUIVÍSTICA DE DOCUMENTOS - SIGAD Introdução: Documentos Arquivísticos Produzidos e recebidos no decorrer das atividades de um órgão ou entidade, independentemente

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO ARQUIVO DE RECURSOS HUMANOS

ORGANIZAÇÃO DO ARQUIVO DE RECURSOS HUMANOS VERITAE/CAPACITAÇÃO/ABRIL/2017 CURSO ORGANIZAÇÃO DO ARQUIVO DE RECURSOS HUMANOS Data: 11.04.2017, no Rio de Janeiro Neste curso, o participante obterá conhecimento de como estruturar o Arquivo, de forma

Leia mais

Apresentação. Departamento de Arquivo Geral Universidade Federal de Santa Maria

Apresentação. Departamento de Arquivo Geral Universidade Federal de Santa Maria Apresentação O Informativo do Departamento de Arquivo Geral (DAG) tem o objetivo de divulgar a política de gestão arquivística e o funcionamento do sistema de arquivos da UFSM e, mais especificamente,

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul DECRETO Nº 18.289, DE 13 DE JULHO DE 2016. Aprova o Plano de Classificação e a Tabela de Temporalidade de s da Secretaria Municipal de Gestão e Finanças atividadesfim, para efeitos legais. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

PLANO DE DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL UFFS

PLANO DE DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL UFFS PLANO DE DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL UFFS 1 2 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO...04 2 CONCEITOS BÁSICOS E IMPORTÂNCIA...05 3 INSTRUMENTOS DE DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS...06 3.1

Leia mais

PROPOSTA PARA A NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA

PROPOSTA PARA A NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA PROPOSTA PARA A NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA por Neusa Rosane Damiani Nunes O Arquivo Público é responsável direto pela guarda e pre servação dos documentos

Leia mais

20 anos do APCBH Organização do arquivo do Arquivo. Cintia Aparecida Chagas Arreguy

20 anos do APCBH Organização do arquivo do Arquivo. Cintia Aparecida Chagas Arreguy 20 anos do APCBH Organização do arquivo do Arquivo Cintia Aparecida Chagas Arreguy Comemoração dos 20 anos do APCBH Há 2 anos, iniciaram-se as discussões de como seria comemorado o aniversário de 20 anos

Leia mais

GEORGE MELO RODRIGUES

GEORGE MELO RODRIGUES GEORGE MELO RODRIGUES Arquivista graduado pela UFBA, pós-graduado em Direito do Estado (FTC). Servidor Público Federal do TRE-BA (cargo atual efetivo de concurso público, empossado em 2006). O autor foi

Leia mais

ARQUIVOLOGIA PARA POLÍCIA FEDERAL CARGO PAPILOSCOPISTA PROFESSOR: MAYKO GOMES

ARQUIVOLOGIA PARA POLÍCIA FEDERAL CARGO PAPILOSCOPISTA PROFESSOR: MAYKO GOMES AULA 01 Demonstrativa ARQUIVOLOGIA PARA POLÍCIA FEDERAL Salve, concurseiros!!! Tudo bem com vocês? Vamos nos animar para os estudos, pois chegou a oportunidade de mudar de vida! Eu sou Mayko Gomes, professor

Leia mais

PRESERVAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO ARQUIVO DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DOUTOR HERMANN BLUMENAU

PRESERVAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO ARQUIVO DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DOUTOR HERMANN BLUMENAU PRESERVAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO ARQUIVO DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DOUTOR HERMANN BLUMENAU Hoffmann, Cleverton 1 ; Silva, Sergio Bezerra da 2 ; Zotti, Solange Aparecida 3 1 Instituto Federal de Santa Catarina,

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO ANVISA TÉCNICO ADMINISTRATIVO

CONTROLE DE CONTEÚDO ANVISA TÉCNICO ADMINISTRATIVO 1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 3 Domínio da ortografia oficial. CONTROLE DE CONTEÚDO ANVISA TÉCNICO ADMINISTRATIVO LÍNGUA PORTUGUESA

Leia mais

O INVENTÁRIO SUMÁRIO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO DO ARQUIVO PERMANENTE DO DBD/CCSA/UFPB¹

O INVENTÁRIO SUMÁRIO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO DO ARQUIVO PERMANENTE DO DBD/CCSA/UFPB¹ O INVENTÁRIO SUMÁRIO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO DO ARQUIVO PERMANENTE DO /CCSA/¹ Resumo Maria Zilda de Lira * Aline Soares Ricarte ** Adolfo Júlio Porto de Freitas *** Descreve o processo de elaboração

Leia mais

Minuta de Decreto Marco Civil da Internet

Minuta de Decreto Marco Civil da Internet Minuta de Decreto Marco Civil da Internet Regulamenta a Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014 para tratar das exceções à neutralidade de rede e indicar procedimentos para a guarda de dados por provedores

Leia mais

Fotografias e documentação iconográfica

Fotografias e documentação iconográfica Programa de Iniciação Científica Universidade de São Paulo Mariane Parente Nascimento Graduanda do curso de História Orientação Profa. Dra. Elizabeth F. C. R. Azevedo TIPOLOGIA DOCUMENTAL PARA O AQUIVO

Leia mais

Diretoria Executiva de Gestão da Informação Documental. Gestão de Documentos TJMG

Diretoria Executiva de Gestão da Informação Documental. Gestão de Documentos TJMG Diretoria Executiva de Gestão da Informação Documental Gestão de Documentos TJMG 2 Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais Presidente Desembargador Pedro Carlos Bitencourt Marcondes 1º Vice-Presidente

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul DECRETO Nº 18.290, DE 13 DE JULHO DE 2016. Aprova o Plano de Classificação e a Tabela de Temporalidade de s da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Proteção Social atividadesfim, para efeitos legais.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DEPARTAMENTO DE BIBLIOTECONOMIA E HISTÓRIA CONCURSO PÚBLICO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DEPARTAMENTO DE BIBLIOTECONOMIA E HISTÓRIA CONCURSO PÚBLICO CRONOGRAMA DAS PROVAS ARQUEOLOGIA PROVA DATA HORÁRIO Prova Escrita 26 de maio 14h Entrega da proposta de 26 de maio 14h Resultado da prova escrita e 27 de maio 14h sorteio de pontos Prova didática 28 de

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS SUMÁRIO. Língua Portuguesa

CÂMARA DOS DEPUTADOS SUMÁRIO. Língua Portuguesa Língua Portuguesa Compreensão, interpretação de textos, com domínio das relações morfossintáticas, semânticas e discursivas...3 Tipologia textual... 6 Significação literal e contextual dos vocábulos...

Leia mais

Arquivologia 4 Prof.ª Ana Cláudia Dias ANS. Arquivologia 4. Nunca se deve consentir em rastejar quando se sente um impulso para voar.

Arquivologia 4 Prof.ª Ana Cláudia Dias ANS. Arquivologia 4. Nunca se deve consentir em rastejar quando se sente um impulso para voar. ANS Arquivologia 4 Nunca se deve consentir em rastejar quando se sente um impulso para voar. (Helen Keller) MCA concursos - PAIXÃO PELO SEU FUTURO! 1 ARRANJO DOS ARQUIVOS ARRANJO NOS ARQUIVOS PERMANENTES

Leia mais

REGISTRO DE IMÓVEIS brasileiro

REGISTRO DE IMÓVEIS brasileiro Modernização do REGISTRO DE IMÓVEIS brasileiro Sérgio Jacomino Modernização do Registro de Imóveis brasileiro e-folivm comissão especial para a gestão documental do Foro Extrajudicial e-ri - Registro Eletrônico

Leia mais

Conhecer a JUNTA DE ENERGIA NUCLEAR através do seu arquivo

Conhecer a JUNTA DE ENERGIA NUCLEAR através do seu arquivo 1 Conhecer a JUNTA DE ENERGIA NUCLEAR através do seu arquivo Encontro Arquivos Científicos Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Universidade Nova de Lisboa 3 de Julho de 2014 Catarina Cândido Instituto

Leia mais

SISTEMA DE GERÊNCIA DE DOCUMENTOS ELETRÔNICOS NA MARINHA DO BRASIL

SISTEMA DE GERÊNCIA DE DOCUMENTOS ELETRÔNICOS NA MARINHA DO BRASIL SISTEMA DE GERÊNCIA DE DOCUMENTOS ELETRÔNICOS NA MARINHA DO BRASIL AÇÕES ESTRATÉGICAS NO TRATAMENTO ARQUIVÍSTICO ALESSANDRA PEREIRA FIRMO PRIMEIRO-TENENTE (T) AJUDANTE DA DIVISÃO DE ESCRITOS sdm-31@sdm.mar.mil.br

Leia mais

Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 447/88, de 10 de Dezembro:

Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 447/88, de 10 de Dezembro: Aprova o regulamento de conservação arquivística do INFARMED - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I. P., no que se refere à avaliação, selecção, conservação e eliminação da sua documentação

Leia mais

Estrutura Organizacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

Estrutura Organizacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo Estrutura Organizacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo Estrutura Básica - SEE GABINETE DO SECRETÁRIO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO - CEE FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO -

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 3. PROVA OBJETIVA LÍNGUA PORTUGUESA E CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS AGUARDE A ORDEM DO FISCAL PARA ABRIR ESTE CADERNO DE QUESTÕES.

CONCURSO PÚBLICO 3. PROVA OBJETIVA LÍNGUA PORTUGUESA E CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS AGUARDE A ORDEM DO FISCAL PARA ABRIR ESTE CADERNO DE QUESTÕES. PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO CONCURSO PÚBLICO 3. PROVA OBJETIVA LÍNGUA PORTUGUESA E CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Arquivista INSTRUÇÕES VOCÊ RECEBEU SUA FOLHA DE RESPOSTAS E ESTE CADERNO CONTENDO

Leia mais

PLANO DE ENSINO SEMESTRE

PLANO DE ENSINO SEMESTRE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CED DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO CIN CAMPUS UNIVERSITÁRIO - TRINDADE CEP: 88040-970 - FLORIANÓPOLIS - SANTA CATARINA

Leia mais

EMENTAS BIBLIOTECONOMIA INGRESSANTES 2016/1 E 2016/2

EMENTAS BIBLIOTECONOMIA INGRESSANTES 2016/1 E 2016/2 EMENTAS BIBLIOTECONOMIA INGRESSANTES 2016/1 E 2016/2 EMENTAS COMUNS ÀS MATRIZES LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS Produção de textos (orais e escritos), leitura e análise linguística de textos em diferentes

Leia mais

AGENTE JUDICIÁRIO - CLASSE E

AGENTE JUDICIÁRIO - CLASSE E AGENTE JUDICIÁRIO - CLASSE E Provimento: não mais ocorre em razão do art. 3º da Lei n. 13.467, de 12 de janeiro de 2000. * QUALIFICAÇÃO EXIGIDA: conclusão de nível Fundamental de escolaridade * QUALIFICAÇÃO

Leia mais

GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO

GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO Aula 2 Descrição Arquivística A correlação entre descrição e classificação/arranjo arquivístico. Arquivo e descrição arquivística: os instrumentos de pesquisa. As atividades

Leia mais

ANALISTA TÉCNICO ADMINSITRATIVO - ANVISA

ANALISTA TÉCNICO ADMINSITRATIVO - ANVISA ANALISTA TÉCNICO ADMINSITRATIVO - ANVISA 1 LÍNGUA PORTUGUESA: 2 1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 3 2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 4 3 Domínio da ortografia oficial.

Leia mais

Edição nº 174/2015 Brasília - DF, terça-feira, 29 de setembro de Corregedoria PORTARIA Nº 19, DE 28 DE SETEMBRO DE 2015.

Edição nº 174/2015 Brasília - DF, terça-feira, 29 de setembro de Corregedoria PORTARIA Nº 19, DE 28 DE SETEMBRO DE 2015. Corregedoria PORTARIA Nº 19, DE 28 DE SETEMBRO DE 2015. Designação da Juíza Soníria Rocha Campos D?Assunção, para exercer a Coordenação do Programa Nacional de Governança Diferenciada das Execuções Fiscais,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 15/2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 15/2011 CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 15/2011 Cria o Arquivo Central e dispõe sobre o Sistema de Arquivos da UFJF O Conselho Superior da Universidade Federal de Juiz de Fora, no uso de suas atribuições, tendo

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E CATALOGAÇÃO DE FONTES DOCUMENTAIS DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DOUTOR HERMANN BLUMENAU. Cleverton Hoffmann 1 ; Solange Zotti 2.

ORGANIZAÇÃO E CATALOGAÇÃO DE FONTES DOCUMENTAIS DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DOUTOR HERMANN BLUMENAU. Cleverton Hoffmann 1 ; Solange Zotti 2. ORGANIZAÇÃO E CATALOGAÇÃO DE FONTES DOCUMENTAIS DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DOUTOR HERMANN BLUMENAU Cleverton Hoffmann 1 ; Solange Zotti 2. RESUMO Este projeto de extensão teve por objetivo desenvolver

Leia mais

EDITAL Nº 01/2016 CCA/DE/IFPI CAVAL SELEÇÃO DE ALUNOS PARA COMPOSIÇÃO DA DIRETORIA DA EMPRESA JÚNIOR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

EDITAL Nº 01/2016 CCA/DE/IFPI CAVAL SELEÇÃO DE ALUNOS PARA COMPOSIÇÃO DA DIRETORIA DA EMPRESA JÚNIOR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL Nº 01/2016 CCA/DE/IFPI CAVAL SELEÇÃO DE ALUNOS PARA COMPOSIÇÃO DA DIRETORIA DA EMPRESA JÚNIOR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO A Diretoria Geral do Campus Valença do Piauí, por meio do Colegiado de docentes

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA INFORMAÇÃO E OUTROS PROFISSIONAIS NA CONCEPÇÃO DE CENTROS DE MEMÓRIA 1. INTRODUÇÃO

INTEGRAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA INFORMAÇÃO E OUTROS PROFISSIONAIS NA CONCEPÇÃO DE CENTROS DE MEMÓRIA 1. INTRODUÇÃO INTEGRAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA INFORMAÇÃO E OUTROS PROFISSIONAIS NA CONCEPÇÃO DE CENTROS DE MEMÓRIA 1. INTRODUÇÃO O desenvolvimento da pesquisa no campo da História da sociedade, no âmbito do poder público,

Leia mais

Concurso MPU 2013 (7º Concurso)

Concurso MPU 2013 (7º Concurso) Concurso MPU 2013 (7º Concurso) Importante: Para uma preparação organizada foi elaborado o Edital Verticalizado do último concurso. Com ele, você poderá aperfeiçoar o seu tempo e conseguir mais organização,

Leia mais

Formação e integração do profissional de arquivos no Brasil. André Porto Ancona Lopez

Formação e integração do profissional de arquivos no Brasil. André Porto Ancona Lopez Formação e integração do profissional de arquivos no Brasil André Porto Ancona Lopez apalopez@gmail.com AAB-SP,1996 Obra Definições Arquivista: profissional de arquivo de nível superior (p. 4-5). Técnico

Leia mais

METODOLOGIA NA ELABORAÇÃO DO PLANO DE CLASSIFICAÇÃO E TABELA DE TEMPORALIDADE DE DOCUMENTOS ADMINISTRATIVOS DO PODER JUDICIÁRIO PCTTDA

METODOLOGIA NA ELABORAÇÃO DO PLANO DE CLASSIFICAÇÃO E TABELA DE TEMPORALIDADE DE DOCUMENTOS ADMINISTRATIVOS DO PODER JUDICIÁRIO PCTTDA O Plano de Classificação e Tabela de Temporalidade de Documentos Administrativos(PCTTDA) do Poder Judiciário é um instrumento que visa classificar a documentação administrativa produzida e recebida pelos

Leia mais

MEMÓRIA VIVA: UMA RECOMPOSIÇÃO DOCUMENTAL DA TRAJETÓRIA HISTÓRICA DO IFRN CAMPUS CURRAIS NOVOS

MEMÓRIA VIVA: UMA RECOMPOSIÇÃO DOCUMENTAL DA TRAJETÓRIA HISTÓRICA DO IFRN CAMPUS CURRAIS NOVOS MEMÓRIA VIVA: UMA RECOMPOSIÇÃO DOCUMENTAL DA TRAJETÓRIA HISTÓRICA DO IFRN CAMPUS CURRAIS NOVOS VIRGULINO, Maria Helena Cavalcanti BARRETO, Patrícia Silva BRITO, Cristiane Cruz de LINHARES, Miguel Instituto

Leia mais

1 - Aplicativos Informatizados (Biblioteconomia); Administração - Habilitação em Análise de Sistemas Administração - Habilitação em Gestão da

1 - Aplicativos Informatizados (Biblioteconomia); Administração - Habilitação em Análise de Sistemas Administração - Habilitação em Gestão da 1 - Aplicativos Informatizados (Biblioteconomia); - Habilitação em Análise de Sistemas - Habilitação em Gestão da Informação de Sistemas de Informação Análise de Sistemas Análise de Sistemas Administrativos

Leia mais

Aula 00. Arquivologia. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros. Prof.

Aula 00. Arquivologia. ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros.  Prof. Aula 00 ARQUIVOLOGIA Aula Demonstrativa Professor: Lincoln Barros www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Aula Conteúdo Programático Data 00 01 02 03 Noções de arquivologia Parte 1. Arquivística:

Leia mais

Orientações para a gestão de documentos de arquivo no contexto de uma reestruturação da ACE. Pedro Penteado

Orientações para a gestão de documentos de arquivo no contexto de uma reestruturação da ACE. Pedro Penteado Orientações para a gestão de documentos de arquivo no contexto de uma reestruturação da ACE Pedro Penteado Sumário 1 A Reestruturação da AP 2 As "Orientações..." 3 O Relatório do Workshop 1 A Reestruturação

Leia mais

O impacto da Lei de Acesso sob a ótica arquivística no âmbito da UNIRIO.

O impacto da Lei de Acesso sob a ótica arquivística no âmbito da UNIRIO. O impacto da Lei de Acesso sob a ótica arquivística no âmbito da UNIRIO. COSTA, Sonia; CARVALHO, Priscila Freitas de; FRANÇA, Patrícia Machado Goulart; MOREIRA, Luciane Alves; NOGUEIRA, Rafael de Castro;

Leia mais

Orientações gerais para preenchimento da Listagem de Eliminação de Documentos do Exército:

Orientações gerais para preenchimento da Listagem de Eliminação de Documentos do Exército: Orientações gerais para preenchimento da Listagem de Eliminação de Documentos do Exército: 010.3 Audiências. Despachos. Reuniões. 2001-2003 20 Cx 3,0 012.2 Divulgação interna 2001-2003 10 Cx 1,5 021.2

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO (Currículo iniciado em 2009)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO (Currículo iniciado em 2009) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO (Currículo iniciado em 2009) ADMINISTRAÇÃO DE COMÉRCIO EXTERIOR (1432) - 68 h/a Práticas do Comércio Internacional. Características e processamento

Leia mais

ARQUIVOLOGIA 19/10/2011 SIMULADOS CONCURSOS ANTERIORES. 1. (Cespe/TSE 2007) Os suportes dos documentos de arquivo incluem

ARQUIVOLOGIA 19/10/2011 SIMULADOS CONCURSOS ANTERIORES. 1. (Cespe/TSE 2007) Os suportes dos documentos de arquivo incluem 1. (Cespe/TSE 2007) Os suportes dos documentos de arquivo incluem ARQUIVOLOGIA SIMULADOS CONCURSOS ANTERIORES a) negativo fotográfico, diapositivo, audiovisual. b) Papel, papel fotográfico, película videográfica.

Leia mais

Procedimentos de organização da documentação fotográfica da CESP

Procedimentos de organização da documentação fotográfica da CESP Projeto Eletromemória: História da Energia Elétrica no Estado de São Paulo (1890-2005) Procedimentos de organização da documentação fotográfica da CESP Natália Mazula Luiz Marília 2009 Procedimentos de

Leia mais

Município de Torres Novas

Município de Torres Novas Município de Torres Novas Divisão de Bibliotecas e Museus MVSEV MVNICIPAL CARLOS REIS Regulamento Interno DENOMINAÇÃO Artigo 1º Por deliberação da Câmara Municipal de Torres Novas, de 20 de Abril de 1933,

Leia mais

Fundo: Câmara Municipal de Évora Secção: Tesouraria. 1. Descrição ao nível da Série IDENTIFICAÇÃO

Fundo: Câmara Municipal de Évora Secção: Tesouraria. 1. Descrição ao nível da Série IDENTIFICAÇÃO Fundo: Câmara Municipal de Évora Secção: Tesouraria 1. Descrição ao nível da Série 1.1 - IDENTIFICAÇÃO - Código de Referência PT/AMEVR/CME/E/B - Tesouraria - Data 1934-2015 - Nível da Descrição Série (SR)

Leia mais