DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO"

Transcrição

1 DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO ANO XLII - VITÓRIA-ES, SEXTA-FEIRA, 08 DE AGOSTO DE Nº PÁGINAS SMCS Composição, Diagramação, Arte Final. REPROGRAFIA Impressão 2ª SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA DA 16ª LEGISLATURA APARECIDA DENADAI (PDT) 1ª Secretária WANILDO SARNÁGLIA (PT do B) 3º Secretário GABINETE DAS LIDERANÇAS MESA DIRETORA GUERINO ZANON (PMDB) Presidente LUZIA TOLEDO (PTB) 1ª Vice-Presidente RAFAEL FAVATTO (PTB) 2º Vice-Presidente PAULO FOLETTO (PSB) 2 o Secretário MARCELO COELHO (PSDB) 4º Secretário REPRESENTAÇÃO PARTIDÁRIA DEM Theodorico Ferraço PT Claudio Vereza PTB Doutor Rafael Favatto PSB Rodrigo Chamoun PR Vandinho Leite PDT Da Vitória PSDB Marcelo Coelho PMDB Sérgio Borges PMN Janete de Sá PSC Reginaldo Almeida PP Cacau Lorenzoni PRP Dary Pagung PT do B Wanildo Sarnáglia Líder do Governo Élcio Alvares Vice-Líder do Governo Sérgio Borges DEM Atayde Armani, Robson Vaillant, Élcio Alvares, Theodorico Ferraço e Giulianno dos Anjos. PT Claudio Vereza e Carlos Casteglione. PTB Luzia Toledo, Marcelo Santos, Freitas e Doutor Rafael Favatto. PSB Luciano Pereira, Paulo Foletto e Rodrigo Chamoun. PR Vandinho Leite. PDT Aparecida Denadai, Da Vitória, Doutor Wolmar Campostrini e Euclério Sampaio. PSDB Marcelo Coelho. PMDB - Guerino Zanon, Doutor Hércules, Luiz Carlos Moreira e Sérgio Borges. PMN Janete de Sá. PSC Reginaldo Almeida. PP Cacau Lorenzoni. PRP Dary Pagung. PT do B Wanildo Sarnáglia. Sem Partido Jardel dos Idosos. Esta edição está disponível no site da Assembléia Legislativa Editoração: Simone Silvares Itala Rizk

2 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA, SERVIÇO PÚBLICO E REDAÇÃO Presidente: Theodorico Ferraço Vice-Presidente: Elcio Alvares Efetivos: Doutor Wolmar Campostrini, Doutor Rafael Favatto, Claudio Vereza e Marcelo Santos. Suplentes: Carlos Casteglione, Doutor Hércules, Athayde Armani, Cacau Lorenzoni, Euclério Sampaio, Vandinho Leite e Reginaldo Almeida. COMISSÃO DE CULTURA Presidente: Claudio Vereza Vice-Presidente: Luzia Toledo Efetivos: Luiz Carlos Moreira, Jardel dos Idosos e Sérgio Borges. Suplentes: Carlos Casteglione, Reginaldo Almeida e Doutor Rafael Favatto. COMISSÃO DE EDUCAÇÃO Presidente: Vandinho Leite Vice-Presidente: Doutor Wolmar Campostrini Efetivos: Luzia Toledo, Luciano Pereira e Atayde Armani. Suplentes: Robson Vaillant, Da Vitória, Theodorico Ferraço, Janete de Sá e Elcio Alvares. COMISSÃO DE DEFESA DA CIDADANIA E DOS DIREITOS HUMANOS Presidente: Janete de Sá Vice-Presidente: Doutor Wolmar Campostrini Efetivos: Carlos Casteglione, Luiz Carlos Moreira e Robson Vaillant. Suplentes: Atayde Armani, Euclério Sampaio, Da Vitória, Luciano Pereira e Vandinho Leite. COMISSÃO DE SAÚDE, SANEAMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL Presidente: Doutor Hércules Vice-Presidente: Freitas Efetivos: Theodorico Ferraço, Rafael Favatto e Vandinho Leite. Suplentes: Carlos Casteglione, Luzia Toledo, Robson Vaillant e Marcelo Santos. COMISSÃO DE AGRICULTURA, DE AQÜICULTURA E PESCA, DE ABASTECIMENTO E DE REFORMA AGRÁRIA Presidente: Atayde Armani Vice-Presidente: Luciano Pereira Efetivos: Freitas, Marcelo Coelho e Cacau Lorenzoni. Suplentes: Carlos Casteglione, Elcio Alvares, Janete de Sá e Doutor Rafael Favatto. COMISSÕES PERMANENTES COMISSÃO DE FINANÇAS, ECONOMIA, ORÇAMENTO, FISCALIZAÇÃO, CONTROLE E TOMADA DE CONTAS Presidente: Sérgio Borges Vice-Presidente: Reginaldo Almeida Efetivos: Wanildo Sarnáglia, Euclério Sampaio, Janete de Sá, Luzia Toledo e Elcio Alvares. Suplentes: Luiz Carlos Moreira, Robson Vaillant, Theodorico Ferraço, Freitas, Doutor Rafael Favatto, Da Vitória e Atayde Armani. COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR E DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE Presidente: Reginaldo Almeida Vice-Presidente: Luciano Pereira Efetivos: Da Vitória, Marcelo Santos e Doutor Hércules. Suplentes: Janete de Sá, Doutor Wolmar Campostrini, Jardel dos Idosos e Theodorico Ferraço. COMISSÃO DE SEGURANÇA Presidente: Da Vitória Vice-Presidente: Marcelo Santos Efetivos: Euclério Sampaio e Marcelo Coelho. Suplentes: Carlos Casteglione, Doutor Wolmar Campostrini, Doutor Hércules, Jardel dos Idosos, Theodorico Ferraço. COMISSÃO DE TURISMO E DESPORTO Presidente: Vice Presidente: Luzia Toledo Efetivos: Carlos Casteglione, Freitas e Doutor Hércules. Suplentes: Sérgio Borges, Marcelo Santos, Janete de Sá e Atayde Armani. COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, INCLUSÃO DIGITAL, BIOSSEGURANÇA E PETRÓLEO E SEUS DERIVADOS Presidente: Doutor Rafael Favatto Vice-Presidente: Wanildo Sarnáglia Efetivos: Luiz Carlos Moreira. Suplentes: Claudio Vereza e Luciano Pereira. DEPUTADO CORREGEDOR: CACAU LORENZONI Atas das Sessões DEPUTADO OUVIDOR: ROBSON VAILLANT Atos do Presidente LIGUE OUVIDORIA Publicação Autorizada Atos Legislativos...pág. 01 a Atos Administrativos...pág. 21 a 22 Suplemento

3 Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Diário do Poder Legislativo - 1 ATOS LEGISLATIVOS ATAS DAS COMISSÕES PERMANENTES COMISSÃO DE SAÚDE, SANEAMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL ATA DA 4ª REUNIÃO ORDINÁRIA, DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA, DA 16ª LEGISLATURA Aos sete dias do mês de abril do ano de dois mil e oito, às quatorze horas, no Plenário Deputada Judith Leão Castello Ribeiro desta Casa de Leis, com a presidência do Deputado Doutor Hércules, reuniu-se a Comissão de Saúde, Saneamento e Assistência Social, com a presença dos deputados: Doutor Hércules, Freitas, Theodorico Ferraço, Rafael Favatto e Vandinho Leite. Havendo quorum, o Senhor Presidente declarou abertos os trabalhos da Comissão e solicitou à secretária da Comissão que procedesse a leitura da ata da reunião anterior. Em discussão. Não havendo quem queira discutir. Em votação. Aprovada à unanimidade. Em seguida, o Senhor Presidente solicitou que procedesse à leitura do Expediente. EXPEDIENTE: CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA: Não houve correspondência recebida no período. PROPOSIÇÕES RECEBIDAS: Projetos de Lei nºs 44/200, 281/2007, 562/2007. PROPOSIÇÕES DISTRIBUÍDAS AOS RELATORES: Deputado Freitas: Projeto de Lei nº 44/2008. Deputado Theodorico Ferraço: Projeto de Lei nº 562/2007. Deputado Vandinho Leite, Projeto de lei nº 281/2007. ORDEM DO DIA: Foi concedida a palavra ao deputado Freitas que relatou pela aprovação dos Pareceres dos Projetos de Lei n s 646/2007, 656/2007 e 044/2008. Em discussão. Não havendo quem quisesse discutir. Em votação. Foram aprovados à unanimidade. O Senhor Presidente redistribuiu os Projetos de Lei nºs 659/2007 e 031/2008, para o deputado Vandinho Leite. Foi concedida a palavra ao deputado Vandinho Leite que relatou pela aprovação dos Pareceres dos Projetos de Lei n s 659/2007 e 031/2008. Em discussão. Não havendo quem quisesse discutir. Em votação. Foram aprovados à unanimidade. No decorrer da reunião compareceu o deputado Theodorico Ferraço. O Senhor Presidente sugeriu a realização de uma audiência pública no dia 29 de abril de 2008, no Plenário Dirceu Cardoso com objetivo de discutir a substituição dos nebulizadores por espaçadores, que colocado em discussão e votação foi aprovado. O Senhor Presidente informou que o Dr. Wilson Rocha Filho, membro da Sociedade Brasileira de Pneumologia, Alergia, Pediatria e Sociedade Toráxica Americana, será o palestrante que irá fazer uma explanação da importância da substituição dos nebulizadores por espaçadores. Nada mais havendo a tratar, o Senhor Presidente declarou encerrada a reunião da Comissão, às quatorze e trinta minutos, e convocou os senhores deputados à hora regimental. E, para constar, foi lavrada a presente ATA, que após lida e aprovada, será assinada pelo Senhor Presidente. PRESIDENTE ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA, DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA, DA 16ª LEGISLATURA Aos quatorze dias do mês de abril do ano de dois mil e oito, às quatorze horas, no Plenário Deputada Judith Leão Castello Ribeiro desta Casa de Leis, com a presidência do Deputado Doutor Hércules, reuniu-se a Comissão de Saúde, Saneamento e Assistência Social, com a presença dos deputados: Doutor Hércules, Freitas, Theodorico Ferraço e Rafael Favatto. Ausente: deputado Vandinho Leite. Havendo quorum, o Senhor Presidente declarou abertos os trabalhos da Comissão e solicitou à secretária da Comissão que procedesse a leitura da Ata da reunião anterior. Em discussão. Não havendo quem quisesse discutir. Em votação. Aprovada à unanimidade. Em seguida, o Senhor Presidente solicitou que procedesse à leitura do Expediente. EXPEDIENTE: CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA: Não houve correspondência recebida no período. PROPOSIÇÕES RECEBIDAS: Projetos de Lei nºs 442/2007 e 033/2008. PROPOSIÇÕES DISTRIBUÍDAS AOS RELATORES: Deputado Theodorico Ferraço: Projeto de Lei nº 442/2007. Deputado Vandinho Leite, Projeto de Lei nº 033/2008. O Senhor Presidente disse que gostaria de colocar uma situação preocupante que eles estão vivendo, um momento crítico, que é o surto da dengue, principalmente na Grande Vitória eles sabem que outros locais no Estado e no País também. Más pelo fato de morar em Vila Velha têm acompanhado mais de perto os problemas da grande Vitória, especialmente Vila Velha. Gostaria de colocar em discussão e, após votação, a realização de audiências públicas em Vila Velha e na Grande Vitória. Disse que as audiências públicas não são no sentido de cobrança dos órgãos públicos, mas de esclarecer à população que a dengue está dentro de nossas casas, no quintal e eles têm que fazer a parte deles também. Muitas vezes só lembra do fumacê, porém quando ele passa o mosquito já saiu e já deixou de ser larva e já está infectando as pessoas com a doença, que parecia simples, mas está matando muita gente e explicou quais os sintomas de uma pessoa com dengue. Foi concedida a palavra ao deputado Theodorico Ferraço que sugeriu uma audiência pública para o Sul do Estado, que há alguns meses já está de contaminando, trazendo uma série de preocupações para o Sul do Estado, especialmente Cachoeiro de Itapemirim e fronteiras. Falou sobre o ato

4 2 - Diário do Poder Legislativo Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 preventivo, permanente e semanal de combate ao mosquito que a Prefeita Norma Ayub está realizando e explicou de que forma está sendo feito. Parabenizou o Deputado Dr. Hércules pela sua iniciativa e finalizou dizendo que precisa de um ato preventivo, comentando sobre o assunto. O Senhor Presidente disse que é oportuno o requerimento do Deputado Theodorico Ferraço e que fazendo em Cachoeiro, poderia englobar todo o Sul do Estado. Foi Concedida a palavra ao Deputado Freitas que cumprimentou a todos e parabenizou pelo requerimento dizendo que a preocupação todos têm que ter, não somente os chefes de executivo estadual, e municipal. Disse que assistem à distância, o que acontece no Rio de Janeiro mas culpados são todos eles porque eles mesmos permitem isso dentro da própria casa e depois que vira epidemia é mais complicado combater e eles podem observar que o Poder Judiciário determinando as equipes de saúde entrarem nas casas fechadas. Finalizou dizendo que tem que haver uma ação preventiva, comentando sobre o assunto que é preocupante, porque um mosquito define a vida das pessoas e parabenizou o deputado pela iniciativa. O Senhor Presidente colocou em votação a realização das audiências em Vila Velha, Grande Vitória e Cachoeiro para se discutir a dengue, que foi aprovado à unanimidade. Foi concedida a palavra ao Deputado Theodorico Ferraço que declarou voto e após informou que foi procurado pelo Dr. Roberto Shurt, Presidente do Hospital Infantil que fez um apelo para que eles conversassem com a Espírito Santo Centrais Elétricas Sociedade Anônima-ESCELSA, uma vez que o Hospital apresenta mensalmente um déficit de quase ,00(quinhentos mil reais) e com este déficit declarado a escelsa motiva os setores responsáveis a colocar o nome do hospital na Centralização dos Serviços Bancários S/A-SERASA, complicando mais ainda, dificultando o hospital impedindo a sua regularização, a fim de receber recursos e pediu que a Comissão de Saúde fizesse um ofício solicitando que a Espírito Santo Centrais Elétricas Sociedade Anônima-ESCELSA entre em contato com o Hospital Infantil e encontre uma solução, colocando-se à disposição a verba pessoal de deputado, uma vez aquele hospital atende as crianças de Cachoeiro e todo o Sul do Espírito Santo. E finalizou comentando sobre o surto da dengue na Grande Vitória pedindo união de todos os poderes públicos e a sociedade civil para que não aconteça uma epidemia. Foi concedida a palavra ao deputado Freitas que disse que quando falava o deputado Theodorico Ferraço recordou o início dos trabalhos como homem público na Assembléia Legislativa e já defendia a saúde do Espírito Santo, em especial, uma causa, que é um fator agravante para o Norte e Extremo Norte do Espírito Santo e ele tem acompanhado a Clínica de Hemodiálise, que brevemente será inaugurada, fazendo uma breve explanação sobre a trajetória de um paciente que necessita da hemodiálise quando tem que se dirigir à Grande Vitória e sobre a estrutura da Clínica em São Mateus. Fez um apelo à Comissão de Saúde e demais deputados na reivindicação dele quanto a Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal que passa a ser a meta prioritária e continuou alertando sobre a média de mortalidade infantil em que para cada mil nascido vivo 14 morre em até um ano de idade. Informou que a média dos municípios do norte supera 30%. Disse ainda que um dos fatores que contribuem para o alto índice de mortalidade infantil é a necessidade de uma Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal- UTIN. O Senhor Deputado Theodorico Ferraço pediu um aparte e disse que foi uma emoção muito grande quando, ainda no início do mandato, o deputado Freitas trouxe o problema da Unidade de Tratamento Intensivo-UTI que mereceu solidariedade de todos os deputados, e pediu que Sua Excelência trouxesse um relato dos médicos, com o custo da Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal-UTIN, a viabilização para continuação do funcionamento e propôs que seja feita uma visita aos hospitais que Sua Excelência deseja esta UTIN para que no mínimo 5 unidades sejam implantadas com todas as aparelhagens modernas. O deputado Freitas disse que desde o início apresentou aquela demanda, que Sua Excelência esteve somando com eles para solução do problema e continuou falando sobre o assunto, lembrando que na ocasião foi feita uma audiência em São Mateus e uma visita na maternidade. Quanto ao levantamento dos custos, ele achava que seria o custo de manutenção, porque o custo de colocar a Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal-UTIN, os leitos, o Estado já havia mostrado a possibilidade e eles estavam preocupados, e vão buscar, a possibilidade de manutenção dos custos. O deputado Theodorico Ferraço pediu o orçamento completo, aparelhagem e manutenção mensal para viabilização e entendimentos, que eles irão manter em conjunto com grupos particulares e Governo do Estado. O Senhor Presidente deputado Doutor Hércules Silveira disse que gostaria de lembrar quanto à fala do deputado Freitas sobre a hemodiálise, comentou sobre a trajetória de um paciente que necessita de uma hemodiálise, parabenizou o deputado Freitas pela conquista, O Governo do Estado, Dr. Anselmo Tozzi que também firmou convênio com a Secretaria de Saúde, registrou a presença do deputado Rafael Favatto e falou que o Senhor Luiz Nivaldo da Silva, Presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Espírito Santo, fez uma prestação de contas no Conselho Federal de Medicina, com a presença de várias autoridades, inclusive a do Secretário de Saúde, Dr. Anselmo Tozzi, mostrando o que o Estado tem sido na saúde do Estado. E lembrou da fala do deputado Ferraço quando pediu os valores da implantação de uma UTIN em São Mateus, disse que se o Sistema Único de Saúde-SUS pagasse uma tabela justa não precisaria da ajuda de ninguém e que, há dez anos,

5 Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Diário do Poder Legislativo - 3 o Sistema Único de Saúde-SUS vem dando prejuízo aos hospitais filantrópicos, com a tabela defasada em 400% e não culpa o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva mas todos os Presidentes, observando que mais importante para o País é pagar a dívida externa que pagar despesa de saúde do cidadão e que o presidente vem fazendo muita coisa, mas é preciso fazer coisa melhor, que é cuidar da saúde do povo brasileiro. Foi concedida a palavra ao deputado Rafael Favatto que justificou o seu atraso, parabenizou o Deputado Freitas pela prestação de contas, dizendo poder contar com ele para, auxiliar nas questões do Norte. Foi concedida a palavra ao deputado Freitas que falou sobre a sua prestação de contas e agradeceu a presença do deputado Rafael Favato e Atayde Armani. Nada mais havendo a tratar, o Senhor Presidente declarou encerrada a reunião da Comissão, às quatorze e trinta minutos, e convocou os senhores deputados à hora regimental. E, para constar, foi lavrada a presente ATA, que após lida e aprovada, será assinada pelo Senhor Presidente. PRESIDENTE ATA DA 6ª REUNIÃO ORDINÁRIA, DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA, DA 16ª LEGISLATURA Aos vinte oito dias do mês de abril do ano de dois mil e oito, às quatorze horas, no Plenário Deputada Judith Leão Castello Ribeiro desta Casa de Leis, com a presidência do Deputado Doutor Hércules, reuniu-se a Comissão de Saúde, Saneamento e Assistência Social, com a presença dos deputados: Doutor Hércules, Freitas, Vandinho Leite e Rafael Favatto. Ausente: deputado Theodorico Ferraço. Havendo quorum, o Senhor Presidente declarou abertos os trabalhos da Comissão e solicitou à secretária da Comissão que procedesse a leitura da ata da reunião anterior. Em discussão. Não havendo quem queira discutir. Em votação. Aprovada à unanimidade. Em seguida, o Senhor Presidente solicitou que procedesse à leitura do Expediente. EXPEDIENTE: CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA: Ofício 56/2008, da Srª Andréa Figueiredo Nascimento, Diretora Administrativa e Financeira do Instituto Jones dos Santos Neves, comunicando a celebração dos convênios com objetivo de repasse financeiro dos recursos concedidos pelo BNDES, referente ao Programa de Investimento do Estado do Espírito Santo do Fundo para o Desenvolvimento Regional, com recursos da desestatização entre o referido instituto e os municípios de Marechal Floriano, para aquisição de dois caminhões com equipamento coletor de lixo; Santa Tereza, para reativação da Usina de Triagem e Compostagem de Lixo; São Roque do Canaã, para aquisição de um caminhão compacto de lixo; Venda Nova do imigrante, aquisição de um veículo para transporte de lixo; Santa Leopoldina, para aquisição de um caminhão compacto de lixo e um caminhão caçambas; ofício nº 041/2008, do Senhor Rogério Eller, Presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Defic iência, colocando-se à disposição para discutir e trabalhar juntos, os Projetos de Lei do segmento; CT-presi 078/2008, do Senhor Alexandre Augusto Ruschi Filho, Presidente da UNIMED, encaminhando, através da Presidência da Assembléia, o relatório de 2007; da Senhora Giovana R.S. Marchiori, Coordenadora do Núcleo de Atividades Complementares e Culturais-NACC da Faculdade Novo Milênio, confirmando presenças de alunos na audiência pública do dia 29 de abril de 2008; ofício nº 206/2008 do Vereador Ricardo Saleme, Presidente da Câmara Municipal de Domingos Martins, justificando sua ausência na audiência pública do dia 29 de abril de PROPOSIÇÕES RECEBIDAS: Projetos de Lei nºs 647/2007, 432/2007 e 55/2008. PROPOSIÇÕES DISTRIBUÍDAS AOS RELATORES: Deputado Freitas: Projeto de Lei nº 55/2008. Deputado Theodorico Ferraço: Projeto de Lei nº 647/2007. Deputado Vandinho Leite: Projeto de Lei nº 432/2007. O Senhor Presidente, deputado Dr. Hércules Silveira, registrou a presença da Senhora Drª Luiza Maria de Castro Augusto Alvarenga, que a requerimento do deputado Freitas, compareceu para apresentar o Plano Estadual de Saúde, onde são traçadas as 12 diretrizes no Espírito Santo até 2011, bem como os projetos para o ano de 2008 na área de Saúde. Foi concedida a palavra Drª Luiza Maria de Castro Augusto Alvarenga que, inicialmente, entregou aos membros da Comissão o referido plano, cumprimentou a todos, disse que representa a Secretaria de Estado de Saúde e tem a obrigação legal de expor o Plano Estadual de Saúde em todas as instâncias quando solicitados. Informou que o plano foi aprovado pelo Conselho Estadual de Saúde, que é uma instância deliberativa a qual as políticas públicas estão vinculadas. O Plano Estadual de Saúde 2008 a 2011 está todo respaldado na legislação, tem o amparo legal na Lei nº 8080/90, desde a Constituição Federal é instrumento de gestão obrigatória respaldada na legalidade entre ele a Lei 8080/90 que diz que tanto o Estado quanto o Município deve exercer em seu âmbito administrativo, a questão do planejamento e, planejamento, estava ligado a organização de um instrumento de gestão que é o Plano Estadual de Saúde. A Lei 8142 é uma Lei de base legal, também organizativa, uma lei orgânica da saúde que pede que eles tenham um fundo, um conselho, um plano e um relatório de gestão. O Relatório de Gestão/2007 também foi aprovado pelo Conselho Estadual de Saúde. A questão do Plano de Ação, da Programação Anual, o Relatório de Gestão em 2006 vem reforçado pelo Planeja SUS, cujos documentos já foram entregues, que é uma focalização do planejamento no Sistema Único de Saúde-SUS. Todo planejamento na área de saúde tem que estar condizente com a Lei Orçamentária, Plano

6 4 - Diário do Poder Legislativo Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Plurianual-PPA, Lei Orçamentária Anual-LOA e todas as questões legais. Então o Plano Estadual de Saúde tem duas questões importantes: uma análise da situação da saúde e as diretrizes e metas. A análise da situação de saúde vem de entradas, além do diagnóstico do perfil epidemiológico, e também aproveitaram toda a organização e direcionamento que vieram das audiências públicas nas micro-regiões administrativas do Estado. A audiência pública que o Governo fez com a população trouxe alguns indicativos de necessidade das populações, e isto é levado em consideração quando se faz análise da situação, o perfil epidemiológico, é dado pelo banco de dados da área da saúde. As audiências públicas trouxeram a voz da população relatando suas necessidades. O discurso do Governador no início de seu governo tem frase que diz: o atual Governo reafirma a necessidade de garantir à sociedade capixaba a melhoria da qualidade de vida. Esse era o objetivo político do Governo que se iniciava naquele momento. Qualidade de vida está embutida em toda situação de saúde de um povo de forma imediata e olhar para o futuro para consolidar as mudanças político-institucionais para avançar no novo modelo de desenvolvimento, socialmente inclusivo, ambientalmente sustentável e geograficamente desconcentrado. Essas três palavras, na área da saúde, caem de uma forma muito apropriada porque é o ambiente saudável que vai dar condição de sobrevivência a um povo socialmente inclusivo que vem conversar sobre equidade na área de saúde. Então este recorte do discurso do Governador foi para o planejamento como um indicativo de proposição. Então, em relação à situação de saúde, a primeira questão que se deve levar em consideração é o plano diretor de regionalização em que o Estado está dividido em microrregião e em três macroregiões, uma macro-norte, com uma quantidade muito grande de municípios, uma macro-centro onde há uma grande região metropolitana e a concentração de serviço e de população, só na macro-centro temos um milhão e quinhentos mil habitantes, equivalente a 50% da população capixaba, e a macro-sul que tem a grande área do Caparaó. Quando se distribui o Índice de Desenvolvimento Humano-IDH, desenvolvimento é igual a qualidade de vida, qualidade de vida é igual a saúde, quando se distribui o Índice de Desenvolvimento Humano-IDH, observa-se onde estão os mais altos e os mais baixos. Conforme o mapa, os mais altos estão concentrados na Região Metropolitana e os mais baixos, são as áreas mais concentradas na região norte do Estado. Eles saíram de uma década em que uma base alargada significa uma grande população jovem e durante 1991, há um pequeno estreitamento na base da pirâmide. Em 2000 esse estreitamento se acentua. Aumentar o pico da pirâmide significa que vai haver população envelhecida em Essa é uma situação quando eles projetam, para 2011 a projeção é uma grande situação de envelhecimento no Espírito Santo. Então eles tem no Estado um Índice de Desenvolvimento Humano-IDH muito baixo, população envelhecida distribuída nesse município, com uma densidade demográfica muita concentrada nas regiões metropolitanas. Em relação a saúde, densidade demográfica significa rapidez de disseminação de doenças principalmente doenças vetoriais. Olhar densidade demográfica é olhar a possibilidade de disseminação de doenças transmitidas de pessoa para pessoa ou transmitidas por vetores. Por isto que o estudo preliminar chegou a doze diretrizes. População acima de 60 anos em 2006, sendo que 13,45% são de idosos acima de 65 anos. Então há lugares já no Espírito Santo onde 13% da população é de idosos, principalmente lugares onde a população jovem se retira. Então a população idosa, dependente, não economicamente ativa, traz para a gente um dado. Vão para o futuro, para um Estado economicamente sustentável, mas que aponta já uma quantidade de idosos com dependência econômica. Quando eles estudam a população que está envelhecendo como essas mortes se distribuem e as causas? Quando eles vão ver numa evolução de 1980, 1990, 2000 a 2005 o Estado, que tinha causas mal definidas em 1980, em vinte anos depois já consegue avançar e esclarecer essas mortes. Uma das grandes importâncias do Serviço de Verificação de Óbito- SVO é o esclarecimento de mortes indeterminadas. Disse que uma pessoa tem causa de morte indeterminada quando morre em casa, e idoso que morre em casa sem assistência, sem ter passado por um hospital, geralmente pode trazer maior conseqüência para o número de causas indeterminadas. Quando essas causas, durante outras décadas foram esclarecidas em 2005 já tinham desde a década de 90 uma lucidez, uma concentração grande de causas de 31% de mortes no Estado voltado ao Aparelho Cardiocirculatório, Cardiovascular. Quando eles vêem o aparelho Cardiovascular se obtém menos de cinqüenta anos deve estar ligado ao infarto agudo do miocárdio. Nas populações mais idosas é o Acidente Vascular Cerebral-AVC. Eles vão avançar para, no futuro, com o envelhecimento populacional e com uma carga de doenças muito grande ligadas ao Aparelho Cardiovascular, que é a doença do envelhecimento degenerativa e provavelmente com a população com uma carga de doenças, que significa morte mais dependências, inabilidade para o trabalho porque, às vezes, um Acidente Vascular Cerebral -AVC não mata más deixa seqüelas. É preciso estar preparado para um grande investimento, pois fica cada vez mais caro a parte das doenças crônicas degenerativas. Chamou a atenção para as causas externas no Estado, com 17,55% das mortes, cada vez mais se acentuando. As neoplasias, que em 2005 é de 14.76%, vai se transformar, em algumas localidades, em segunda causa de morte, porque também é uma doença do envelhecimento. Quando se estuda causas de morte total, não se chama muita atenção, quanto

7 Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Diário do Poder Legislativo - 5 mais velho, mais se morre, se tem uma população envelhecida, a taxa de mortalidade geral é alta, mas isso não quer dizer nada, porque os países mais desenvolvidos possuem taxa geral de mortalidade maior que o Brasil. O que causa espanto é quando eles distribuem por faixa etária observam o peso que as causas de morte têm naquela faixa. No Estado, a mortalidade infantil é a maior causa de morte, porque não há causa de morte importante maior de 28 dias. As causas de morte no Espírito Santo estão concentradas na primeira hora e dia de vida, e nos primeiros 7 dias. Algumas afecções no período perinatal, significa o bebê nascer com as marcas do sofrimento no corpo dele, e esta marca de sofrimento vem de um pré-natal às vezes sem qualidade. Então, mal formação congênita está em 17,59% (altíssima). Há que se implementar uma linha de pesquisa no Espírito Santo, porque essa anomalia congênita chega em países desenvolvidos, como o Japão, em 2%. A preocupação deles, quando estudam as microrregiões, é a concentração de mulheres grávidas que estão tendo contato com agrotóxicos, e sendo expostas a algum agente externo que está provocando anomalia congênita, e é preciso pesquisar, no próprio Sistema Único de Saúde-SUS. Eles estão adiantando essa linha de pesquisa, mas alguns pesquisadores formais não se interessam por alguns pormenores da saúde pública. De 01 à 04 anos quase não se morre, geralmente se morre de queda, as crianças pequenas morrem de acidentes automobilísticos sim e caem muito, distribuição aqui de 1 à 4 anos é uma causalidade que, no mundo inteiro, se distribui assim, mas não podemos deixar de lado que a criança que morre de acidente é negligenciada, a culpada é a mãe ou o cuidador. De 5 à 10 anos também morrem afogadas, caem de laje soltando pipa, e são muito atropeladas. As outras doenças do sistema nervoso, neoplasias, são difíceis também, mas é geralmente a leucemia que acomete essas crianças. Chama a atenção para faixa de 10 a 19 anos, que no Estado, 75 % das mortes ocorridas é de causa extrema de morbidade e mortalidade, fato gravíssimo, porque a violência, em torno dos 10 anos aparece com muita força e até aos 19 anos ela tem o seu pico, geralmente quando eles fazem a distribuição na região metropolitana por bairro. Na Praia do Canto, morrese de acidente de carro, ou vítimas de bala. Então é possível mostrar quais são as regiões que só estudando um banco de dados vê a violência do trânsito que mata aquele que tem acesso ao carro, e aqueles que estão envolvidos em ambientes hostis, de drogas e exclusão social, que morrem envolvidos com homicídios por bala. Através de faca e afogamento são poucos acidentes. De 20 a 59 anos as causas externas também lideram, mas não com tanta força quanto a violência juvenil, que é grave, e depois de 60 anos ou mais, as doenças do aparelho circulatório e as neoplasias são as que mais matam. Em alguns municípios, se for fazer um estudo mais detalhado, neoplasia não fica em segundo lugar mas sim a causa violenta. Há alguns anos atrás, a segunda causa de morte era a causa externa. A linha de tendência da mortalidade infantil no Estado estava caindo, estão em torno de 16% num total, de 12,3% é o que eles projetam até Se não for feito absolutamente nada na área de saúde a mortalidade infantil cai com o desenvolvimento da sociedade. Informou que no Espírito Santo a mortalidade infantil caiu. A mortalidade infantil pósneonatal aquela que criança após 28 dias depende do cuidador. O que está chamando a atenção é a dificuldade da mortalidade neonatal no Espírito Santo, que tem dependência do pré-natal, da sala de parto, do pediatra em sala de parto, a lei obriga mais não existe. A ponto que eles que fazem parte do comitê de investigação de morte infantil, onde você se tem uma criança recém nascida, morte por causas externas. Morte externa em criança pequena é impossível se ele nasce vivo, respirando e depois morre, porque mortalidade infantil não nasce morto, nasce vivo, respira e morre e as questões das causas externas, quando eles vão investigar, a criança tinha uma esmagamento do crânio em conseqüência de um fórceps mal colocado, porque uma pessoa usou sem habilidade. A mortalidade infantil, quando eles distribuem nos municípios, chama a atenção casos graves em algumas regiões. Em 2006 as maiores mortalidades infantis estão na região do Caparaó. Elas estão no Sul do Estado próximo ao Rio de Janeiro mas a mortalidade infantil na região do Caparaó é mais grave que a região Norte do Espírito Santo, onde o Índice de Desenvolvimento Humano- IDH é mais baixo. Então a qualidade de assistência ao parto e a qualidade do pré-natal que está sendo dispensada a essas mulheres. Quando eles fazem, isto é uma classificação da fundação de pesquisa de São Paulo, Sistema Estadual de Análise de dados- SEADE, que são as mortes evitáveis a fundação classifica o Código Internacional de doenças dizendo quais seriam as evitáveis, as crianças não poderiam morrer e se 80 a 100% como mostra no gráfico porque as mortes não poderiam acontecer. Quando eles vão ver o capítulo das mortes são questões ligadas a gravidez e ao parto, existe um sério comprometimento na qualidade da assistência dada a mulheres e aos seus conceptos. Morte materna, se morre criança por causa de falta de uma intervenção segura e de qualidade, isto também reflete em morte materna. Só que a mãe é mais forte, só que ela está morrendo de hemorragia e eclâmpsia, duas questões que podem ser controladas. Só para ilustrar, mostrando um gráfico, disse que em 2005 a razão da mortalidade materna, o número de mulheres que morrem sob nascidos vivos. Então estão vendo que tem na macro-sul 60,55%, é altíssimo, o Estado todo tem 56%, más eles têm que chegar a 30% pelo menos e não podem deixar essas mulheres morrerem. A sociedade tem que pensar, não só a Secretaria de Saúde, porque mães morrem até por negligência e por falta de amparo e cuidado durante seu pré-natal,

8 6 - Diário do Poder Legislativo Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 isto é questão da sociedade. Eles fazem planos, programas e eles, que fazem parte do comitê de investigação de mortalidade infantil têm batido forte nisso, mas sim se posicionando como cidadão, dando direito de cidadania a uma mulher. Quando eles vão trabalhar com doenças transmissíveis no plano que está sendo apresentado, o conteúdo está na página da Secretaria Estadual de Saúde, ele é um documento onde tudo está descrito com uma análise muito criteriosa destes dados, feitos por eles que são Epidemiologistas e ela se reportou a algumas questões do Espírito Santo, apesar do alto percentual de cobertura de vacinas e eles são excelência em cobertura vacinal, não homogêneas em alguns lugares. Eles têm grotões, lugares que populações dispersam na região rural, então nisso eles precisam avançar na homogeneidade. Enquanto haver coberturas heterogêneas pode haver vírus selvagem circulando, como o que aconteceu com o surto de rubéola que está espalhado. A prevalência de hanseníase chama muito a atenção no Espírito Santo. É o ingresso de pessoas jovens na epidemia, ela é uma endemia, mas como está mudando de faixa etária, uma doença antiga que se falava que era preciso passar por 10 anos para se contaminar, e atualmente se contrai com 3 anos de idade. O Estado trabalha demais. É um exemplo. A Serra recebeu um prêmio com relação ao programa de hanseníase, tem um trabalho excelente. É um município, que por mais que se faça supervisão e treinamento é uma incógnita em alguns momentos, mas o mundo está eliminando e eles têm que ter um por mil até A Tuberculose é uma doença complicada, é um tratamento complexo que está no plano porque eles não podem perder de vista. Citou ainda duas epidemias grandes que precisam tomar conta: a aids e a dengue. A dengue, é uma questão de cada dia, que tem vírus que circulam com imunidade, embora, com vírus que você já pegou, quando você toma contato é o problema da dengue hemorrágica. A epidemia acaba quando todos os suscetíveis pegam a doença, só que eles não podem esperar que todos os suscetíveis peguem a doença porque, se tem febre hemorrágica de dengue com muita violência, muitos casos graves então, precisam manter uma sociedade em alerta não passando fumacê e sim não mantendo criadouros, então, esse movimento social ela acha que, às vezes, não é tão forte para sustentar algumas mudanças de comportamento do povo, não só no Espírito Santo mas também no Brasil. O ingresso da aids nos idosos, esqueceram de colocar no programa prevenção contra Doenças Sexualmente Transmissíveis-DST. O idoso tem uma qualidade de vida excelente e esqueceram que eles também tem relações sexuais, então presta atenção, focalize o que é a qualidade de vida das pessoas, melhora a qualidade de vida e eles tiveram um ingresso desastroso dos idosos com aids. Eles precisam chegar a zero a hepatite e aids, em A proposta, porém, está ingressando numa nova faixa etária desta epidemia. Serviços de saúde de hospitais por números de leitos, são os serviços de saúde que eles têm cadastrados no Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde-CNES, e ela tem que trabalhar com dados oficiais, muitos hospitais já foram credenciados, mas ela precisa trabalhar com dados oficiais. Chamo a atenção que menos de quarenta e seis hospitais com menos de cinqüenta leitos no Estado, e isso é um desastre, pois o hospital com menos de cinqüenta leitos só dá prejuízo, mas que é muito difícil, mandar fechar um hospital em um município pequeno, dá briga e um hospital só é bom quando ele faz muitas vezes a mesma coisa. Então não adianta hospital pequeno, é ruim para a área da saúde, e eles tem que fazer uma política para estudar, qualificar e perfizar os pequenos hospitais do Estado. A grande proposta para qualificar os hospitais é a construção de redes de assistência. Aqui eles têm os leitos por especialidades, uma grande concentração de leitos de psiquiatria no Sul, em Cachoeiro, e todos sabem disso e não pode continuar dessa forma. Conforme o mapa, as distribuições regionais dos serviços, maior quantidade é a Grande Vitória e eles chamam o norte do Estado, que não tem grandes serviços, apesar de terem em cada grande município um hospital próprio, que é chamado de vazio assistencial. Então o vazio assistencial é um projeto que precisam. Existe uma distribuição de serviço como: cirurgia cardiovascular, cirurgia ortopédica, neurocirurgia, atestado de doenças Sexualmente Transmissíveis-DST e Síndrome da Deficiência Imunológica Adquirida- AIDS, cirurgia oncológica, radioterapia e quimioterapia. Atualmente existe uma proposta em Linhares, a hemodiálise e a oncologia que está sendo discutida, pois a oncologia não se abre em qualquer porta. O Instituto Nacional do Câncer-INCA que regulamenta e regula toda questão no Brasil sobre oncologia. Disse que não é fácil resolver nada na área da saúde, mas quando se mostram os dados, as pessoas vão se apropriando numa luta que é de todos. Falou sobre o programa de saúde da família dizendo que se a mãe não tem pré-natal e se as crianças precisam, desde sua concepção, serem acompanhados pelo programa de saúde da Família- PSF - estratégia do Governo Federal. Então na grande maioria desses municípios tem 100% de cobertura, sendo fácil para os municípios pequenos, mil habitantes com 3 equipes, e eles não são resolutivos. Municípios pequenos é um desastre, então a proposta do Ministério da Saúde é o que o Estado tem construído, a micro regionalização. É feita uma rede com nível primário, secundário e terciário numa macro, para fazer uma rede de assistência as pessoas. Se existe Programa de Saúde Familiar-PSF, no mapa são as internações sensíveis à atenção básica, quer dizer que 50% das internações não deveriam acontecer se o básico, que é o Programa de Saúde Familiar-PSF estivesse funcionando adequadamente. Então eles têm um

9 Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Diário do Poder Legislativo - 7 Estado com cobertura nos pequenos municípios que, segundo ela, deveria dar conta. Uma secretaria moderna é que vem para dar conta do século XXI, tem que desenvolver outros papéis, tendo condição política do sistema estadual. Um sistema estadual de saúde compõe os hospitais próprios, e todos os serviços de saúde em um território elencado. Então, a condição de política do sistema estadual de saúde, o planejamento estratégico, a competência e responsabilidade é da Secretaria Estadual de Saúde. A população precisa ter conhecimento de toda situação da saúde e todas as informações encontra-se a disposição da população no site, e é o que está sendo apresentada. A avaliação econômica de saúde, falou que é muito difícil, pois é uma área em que as pessoas não estão aptas a desenvolver, que estão tentando buscar pessoas com capacidades em avaliação econômica. A normalização, as regras e protocolos, as redes onde consta, em cada microrregião qual o papel de cada serviço, para que eles consigam ter um usuário protegido. O desenvolvimento de recursos humanos, a habitação permanente, o que eles sabem que tem evidência científica deve ser dada aos profissionais para melhorar a qualidade da prestação de serviços. A vigilância em saúde, embutida nela a vigilância ambiental, a sanitária e a epidemiológica. E o que estuda a escuta do usuário é a ouvidoria, que vem dizer o que precisa e como foi tratado. Controle público do Sistema Único de Saúde-SUS, desenvolvimento cientifico e a prestação do serviço que precisa. A Secretaria avança fortemente como reguladora e financiadora dos processos na área de saúde e deixa aos poucos, de ser prestadora de serviços, quem presta serviço é todo e qualquer ente federado. Eles podem comprar serviç o pela lei, primeiro nos filantrópicos e depois dos privados. Então quanto mais a Secretaria se afastar do embate da prestação de serviço mais ela vai ter força de regular mesmo e saber quem presta, e se presta bem. Depois de todo esse estudo, e do discurso do Governador, das audiências públicas, eles chegaram a todas as 12 diretrizes. A primeira é o fortalecimento da atenção primária, a redução da mortalidade infantil no Estado, a neonatal, a redução da mortalidade materna, essas diretrizes não podem deixar de elencar porque são e também da Organização Mundial de Saúde. A redução das complicações por doenças crônicas, vem da pirâmide populacional. Se eles não podem salvar, porque o envelhecimento e a degeneração causa o envelhecimento, o evento fatal é a morte, mas eles podem firmemente reduzir as complicações e melhorar cada vez mais a qualidade de vida das pessoas. Essas 3 diretrizes mais difíceis do impacto, não é estrutura de processo de trabalho, é de impacto, fazer para avaliar depois. Implantação das redes regionais de serviços de saúde com prioridade na região norte onde se tem grande vazio assistêncial. Já está se estudando a grande rede materna infantil da região norte. A descentralização dos serviços mostraram o grande vazio assistencial. O fortalecimento regional tem casado com as diretrizes do Governo, chamado as Redes Cidades, se o desenvolvimento for para novas centralidades a saúde vai junto. Eles vão rever no Plano de Regionalização Rural-PDR no momento de centralidades modernas, novas alternativas de gestão hospitalar, mudar a forma de gestão, pois a forma de gestão antiga tem causado problemas, e eles sabem que ineficiência vem de gestão. A melhoria de atendimento à população é a forma de acolher, de humanizar, isso também vem na grande pesquisa com a população do Espírito Santo que dizia que gostaria de ser bem atendida. Tal para o enfrentamento da violência pelo nosso estudo, é muito penosa, pelo menos na faixa etária juvenil mas não faziam redução da violência, eles a tratam quando ela chega num ponto de atenção, mas eles precisam mobilizar intersetorialmente para que haja uma redução efetiva da violência no Estado, implementação da macro-função e regulação, porque no vazio assistencial, eles não vão construir, compram serviço, e só compra se for regular. Se não há leito suficiente, se não há uma regulação, eles não fazem equidade, não coloca na fila quem mais precisa, aí fica frágil. Um sistema frágil que todos querem pedir favor, colocar na frente pessoas que as vezes não precisam estar, e o fortalecimento do controle social do Sistema Único-SUS, que eles vão com essa diretriz, tem firmemente a proposta de entregar até 2008 para a ouvidoria do Sistema Único de Saúde-SUS. Essas diretrizes, a outra parte do plano não sabe se há necessidade para obter, quais são as ações que vão fazer, a meta a que eles querem alcançar, e podem ver. Disse que todos tem acesso a essas metas, às ações que vão impactar em cada diretriz. Nesta Casa de Leis há uma força de emendas parlamentares, que podem e devem estar direcionada para impacto, só que existe às vezes, equívocos, comentando sobre o assunto e a forma de se destinar as emendas. O Senhor Presidente Dr. Hércules Silveira se ausentou e solicitou ao Deputado Freitas que assumisse a Presidencia. Assume a Presidência o Deputado Freitas que agradeceu ao Dr. Hércules e deu boas vindas a Drª. Luiza Maria Alvarenga e Dr. Herivelton. Disse que foi muito a contento e parabenizou pelo dinamismo da apresentação, porém atendeu, em partes e, principalmente, o que mais reivindicaram ali, atenção à mortalidade infantil neonatal, bem observada pela Drª Luiza Maria Alvarenga dizendo que na Região Norte ela é altíssima, ainda não é mais alta, como mostrada, é no Caparaó; mas é bom que no segundo critério do planejamento a ser combatido, o primeiro é atenção primária que é óbvio atende dinamicamente a todas as circunstâncias, e a segunda é a atenção a neonatologia; observou que tem um plano de ação imediata para combater essa mortalidade infantil neonatal, e que está levando equipamentos para as maternidades no interior do

10 8 - Diário do Poder Legislativo Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Estado do Espírito Santo. Ele fez um requerimento, para que fosse feita uma visita técnica o mais rápido possível, a algumas maternidades do Norte do Estado do Espírito Santo, citando quais às maternidades. Espera que este documento tenha chegado à Secretaria do Estado da Saúde, e faz questão que uma pessoa indicada pela Comissão de Saúde possa acompanhar a equipe técnica da Secretaria de Saúde à visita ao Norte do Estado do Espírito Santo. Disse ainda que gostaria também da implantação de redes regionais, mais resolutivas, como as oficinas, e de ter cronogramas para indicar alguém a participar das oficinas. Finalizou dizendo que fará outro requerimento para que a Drª Luiza Maria Alvarenga volte para apresentar a segunda etapa e eles possam participar um pouco mais da apresentação. Nada mais havendo a tratar, o Senhor Presidente declarou encerrada a reunião da Comissão, às quatorze e cinqüenta e oito minutos, e convocou os senhores deputados à hora regimental. E, para constar, foi lavrada a presente ATA, que após lida e aprovada, será assinada pelo Senhor Presidente. PRESIDENTE ATA DA 7ª REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA, DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA, DA 16ª LEGISLATURA Aos vinte oito dias do mês de abril do ano de dois mil e oito, às dezoito horas e cinco minutos, no Plenário Dirceu Cardoso desta Casa de Leis, com a presidência do Deputado Doutor Hércules, reuniu-se a Comissão de Saúde, Saneamento e Assistência Social, com a presença dos deputados: Doutor Hércules, Freitas, Theodorico Ferraço e Rafael Favatto. Havendo quorum, o Senhor Presidente declarou abertos os trabalhos da Comissão e solicitou à secretária da Comissão que procedesse a leitura da ata da reunião anterior. Em discussão. Não havendo quem queira discutir. Em votação. Aprovada à unanimidade. Em seguida, o Senhor Presidente solicitou que procedesse à leitura do Expediente. EXPEDIENTE: CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA: Não houve correspondência recebida no período. PROPOSIÇÕES RECEBIDAS: Não houve matérias recebidas no período PROPOSIÇÕES DISTRIBUÍDAS AOS RELATORES: Não houve matérias recebidas no período. ORDEM DO DIA: Foi concedida a palavra ao deputado Freitas que relatou pela aprovação do Parecer do Projeto de Lei nº 55/2008, que colocado em discussão e votação foi aprovado à unanimidade. O Senhor Presidente redistribuiu o Projeto de Lei Nº 33/2008, para o deputado Rafael Favatto. Foi concedida a palavra ao deputado Rafael Favatto que relatou pela aprovação do Parecer do Projeto de Lei nº 55/2008, que colocado em discussão e votação foi aprovado à unanimidade. Nada mais havendo a tratar, o Senhor Presidente declarou encerrada a reunião da Comissão, às dezoito horas e 15 minutos, e convocou os senhores deputados à hora regimental. E, para constar, foi lavrada a presente ATA, que após lida e aprovada, será assinada pelo Senhor Presidente. PRESIDENTE ATA DA 8ª REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA- AUDIÊNCIA PÚBLICA, DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA, DA 16ª LEGISLATURA Aos vinte nove dias do mês de abril do ano de dois mil e oito, às dezenove horas, no Auditório Dirceu Cardoso, com a presidência do Deputado Doutor Hércules Silveira, reuniu-se a Comissão de Saúde, Saneamento e Assistência Social, com a presença dos Deputados: Doutor Hércules. Ausente os deputados: Freitas, Theodorico Ferraço, Rafael Favatto e Vandinho Leite. Invocando a proteção de Deus o Senhor Presidente declarou abertos os trabalhos da Comissão e informou que o objetivo da audiência era discutir a substituição dos nebulizadores por espaçadores, nos hospitais, pronto atendimento e unidades de saúde da Rede Pública do Espírito Santo, e que foram convidados os representantes dos poderes públicos municipal, estadual e federal, da sociedade civil, assim como estudantes e militantes da área de saúde para que possam esclarecer a opinião pública sobre o aparelho a ser apresentado. Em seguida convidou para compor a Mesa o Dr. Wilson Rocha Filho, membro da Sociedade Brasileira de Pneumologia, Alergia, Pediatria e Sociedade Toráxica Americana; Dr. Carlos Alberto Gomes dos Santos, Presidente da Sociedade de Pneumologia do Espírito Santo; Dr Firmino Braga Neto, membro da Sociedade de Pneumologia; Doutor Maurício Cadê de Oliveira, Pneumologista Pediatra de Cachoeiro de Itapemirim; Doutor Faradiba Sarquis Serpa, Coordenadora do Centro de Referência de Asma da Santa Casa de Misericórdia de Vitória; Doutor Alberto Colnago, representante do Conselho de Medicina; José Homero Saiter, representante da Federação dos Hospitais Filantrópicos, Drª Maria Cristina Aloque, do Centro de Referência de Especialidade. Foi concedida a palavra ao Dr Wilson Rocha Filho que agradeceu a presença de todos e disse que têm lutado para a implantação da Inaloterapia de forma adequada aos pacientes e esperava essa oportunidade fosse proveitosa para todos, e podendo esclarecer as dúvidas que por ventura surgissem. Disse que comentaria sobre Inalaterapia e no final da exposição gostaria de ouvir comentários e dúvidas. Segundo as normas do Conselho Federal de Medicina, nos dois anos, teve vínculo de patrocínio seja em estudos, conferências, atividades, consultorias com laboratórios. Disse que inaloterapia não é uma coisa nova, ela vem desde 200 anos antes de Cristo, onde já se usava medicamentos inalatórios para tratar a tosse, cuja pratica foi inibida no Império Romano, e na Renascença foi retomada

11 Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Diário do Poder Legislativo - 9 pelos Europeus, reconhecendo o papel da Inaloterapia como uma forma eficaz de tratamento. Os primeiros medicamentos usados de forma inalatória para o pulmão surgiu em 1935, mas do ponto de vista comercial, surgiram, no final da década de 50, as primeiras bombinhas chamadas de Nebulinas dosimetradas. Inicialmente foram vistas com muito entusiasmo, mas depois de uma publicação na Revista Lancet, que relacionava essas bombinhas à morte e a grandes efeitos colaterais, havendo uma grande resistência da comunidade médica em utilizá-las e esse trabalho, subseqüentemente, provou ser totalmente irreal e inverídico, pois não eram as bombinhas que causavam mal para os pacientes e sim a má utilização. Por causa dessa publicação, até hoje existe o preconceito de que a bombinha ataca o coração, e cria dependência e ele esperava convencê-los do contrário. De uma maneira mais simples, definiu aerosol como uma suspensão de gotículas de líquido ou sólido no meio gasoso, sendo essa a característica principal. Disse que para entender melhor sobre as bombinhas e preciso entender como os aerosóis são depositados no pulmão, pois existem vários fatores que afetam a deposição entre eles, fatores físicos como tamanho das partículas, diâmetro, metro e massa, que é como se fosse a média do tamanho das partículas, a evaporação, o resfriamento, e os fatores mecânicos inerentes a própria via aérea, como anatomia, respiração nasal versus oral se respirar pelo nariz vai chegar menos remédio ao pulmão, o volume do ar inalado se respirar com muita força, vai haver tubioramento e a medicação não deposita no pulmão e também há pausa respiratória. São basicamente três mecanismos que podem dizer que as partículas depositam no pulmão. Uma é a inércia, a intendência das partículas em movimento de resistir à mudança de velocidade, afetando grandes partículas. Então partículas grandes de aerossol vão impactar toda vez que a via área estiver bifurcando. Esses fatores, a deposição depende muito do fluxo, ou seja, a velocidade que a respiração e a alteração brusca de direção. Então essas partículas grandes vão impactar em grandes vias aéreas, que não são locais, mas eles gostariam que fossem depositadas em vias aéreas periféricas. A outra maneira de deposição pulmonar é chamada de sedimentação que é afetar partículas pequenas de um a cinco micras, que são as partículas que chegam às vias aéreas e decantam, possuem tamanho eficaz para possibilitar uma boa deposição no pulmão, e são mais eficientes em fluxos baixos, motivo pelo qual se deve fazer uma pausa respiratória no momento da inalação para que as partículas se depositem com mais eficácia. O outro mecanismo de fusão é o movimento Brauniano, que tem a partícula de forma errática na via aérea. É importante em partículas muito pequenas e não depende do fluxo, mas do tamanho e da forma da partícula. Partículas muito grandes, acima de cinco micras e as pequenas não se depositam no pulmão. As vantagens da inaloterapia são várias. A medicação atua diretamente nos pulmões e torna a resposta mais rápida no tratamento. Nesse caso pode se usar doses menores de remédios. Atualmente existem bombinhas, inaladores que já vem com medicamento oral e também inalatorio. O medicamento inalatorio possui 10 vezes menos medicamento que o oral e mesmo assim é mais eficaz. Então, se usar doses menores ocorrera uma maior concentração da dose no pulmão. Citou como exemplo, um xarope, dizendo que há muito mais possibilidade de efeito colateral que um broncodilatador, administrado pelas bombinhas ou por outra forma de inaloterapia. Se a medicação é feita por via venosa, há uma alta concentração de medicamento no sangue e conseqüentemente uma eficácia elevada de medicamento. Por via oral, há um nível mais baixo e eficácia parcial. Por via inalatória, quase não há concentração do medicamento no sangue, e mesmo assim, mantém uma eficácia elevada próxima da por via venosa com efeito colateral menor. Existem basicamente quatro formas de aerosol utilizado: nebulizadores convencionais encontrados na farmácia, ultrassônicos, os nebulímetros dosimetrados, que é o nome correto das bombinhas e o inalador de pó seco que sobre o qual não iria comentar e fez uma explanação de como funcionam nebulizador convencional, usado nos Hospitais e Postos de Saúde, dizendo que primeiro, existe um reservatório onde se põe medicamento e é ligado a um ar sob pressão que pode ser um ar comprimido, ou um compressor de nebulizador, que empurra o líquido para o conduíto capilar que fazendo com o que o líquido aumente a velocidade e sofra um impacto nessa esfera, formando assim o aerosol, e o paciente, respirando para dentro e para fora, consegue inalar aquele aerosol formado. Um problema básico no funcionamento do nebulizador, é o ar comprimido, e esse ar empurra o liquido para o conduíto fino capilar, havendo um aumento do líquido na velocidade ele fragmenta em gotas grandes, depois ele impacta na superfície, e os aerosóis formados são maiores de cinco micras que não conseguem depositar no pulmão. Então as partículas grandes voltam ao reservatório e está feito o ciclo. Por isso é preciso de 15 a 30 minutos para se fazer uma nebulização, porque a eficácia é ruim devido a repetição do ciclo. E cada vez que se repete, a evaporação significa perda, ou seja, menos remédio e desperdício de medicamento. Evidentemente 1 a 2% a cada passagem forma partículas de tamanho aceitáveis e é aí que o aerosol vai ser inalado. Então é um sistema extremamente ineficaz de gerar aerosol e com perda de medicamento. O nebulizador ultrassônico age de forma diferente. Há um disco e um cristal que fica sobre a base de uma membrana, o reservatório onde fica o medicamento, em cujo fundo fica a membrana. O aerosol é formado por vibrações, milhares por segundo. Nesse caso o compressor não é utilizado para gerar o aerosol, e

12 10 - Diário do Poder Legislativo Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 sim, para tirar o formado pela vibração, de dentro do aparelho. O sistema é ineficaz. Foi feito um trabalho na Inglaterra, em que usavam vários nebulizadores disponíveis, colocando 2,5ml de Samutamol e observando a dose que estava sendo disponível para o paciente, verificou-se que variou muito e, na melhor das hipóteses, só conseguiu 1/3 do medicamento colocado no copinho. Teve nebulizador que só 10% do que estava no copinho, para o paciente não quer dizer que vai depositar no pulmão, ainda tem que partir por todo aquele processo de biofísica. Então supondo que se tem o melhor nebulizador que existe, que é o que deposita 1/3, estão perdendo 2/3 do mesmo remédio só de colocar no copinho. Explicou que essas perdas acontecem porque existem variáveis que afetam a eficácia do nebulizador: o fluxo, a força do compressor para gerar uma pressão, isso é importante, quantidade de fumaça, de aerosol que aquele nebulizador consegue formar por minuto; o volume de remédio que se coloca no copinho, o que chamam de volume morto, aquele que o nebulizador não consegue nebulizar, sobrando sempre um resíduo no copo; o tempo da nebulização, quanto mais tempo se faz, maior a evaporação, maior a perda. Então não há controle de nenhuma dessas variáveis e nem controle de qualidade de nenhum dos nebulizadores disponíveis no mercado brasileiro. Às vezes até mesmo medicação disponível se perde por não estar fazendo corretamente a nebulização. Além disso, os medicamentos possuem conservantes que podem fazer mal ao paciente, Precisam dos que sejam isotônicos. Se eles forem de baixa tonicidade ou hipertônicos, podem piorar a chiadeira, causar brônco espasmo, metamisulfito e cloreto de Bensalcônio. Então existem substâncias, que estão nos próprios broncodilatadores que podem causar mal. Há broncodilatadores, que contém ácido fúrico e isso o laboratório coloca para aumentar o tempo de validade do medicamento. O cloreto de Bensalcônio usado em soluções de nebulizações foi proibido pelo Administração Federal de Alimentos e Medicamentos-FDA e ainda é usado no Brasil. O aerolin que no Brasil como o cloreto de bensalcônio nos Estados Unidos e na Europa ele é sem cloreto, porque a legislação americana não permite. Isso é um estudo de algum tempo, onde eles usaram esses conservantes e deram para o paciente inalar. Ao inalar o soro fisiológico, não aconteceu nada, e o cloreto de bensalcônio ocorreu uma queda na capacidade respiratória, broncoespasmo do paciente, mostrando que o medicamento que pensaram estar ajudando, não estava sendo nebulizado, não chegava ao pulmão e quando chegava causava malefício. O brometo de patrópio que é outro broncotratador, sem conservante, houve uma melhora significativa na função pulmonar. Quando se dá o mesmo medicamento, com conservante usado no mercado brasileiro, a resposta broncotratadora cai de 30 a 40%, a eficácia do medicamento. Os médicos são responsáveis por colocar substâncias, das mais variadas, no nebulizador. Se há indicação científica e a água destilada, se usada em paciente asmático, ele começa a chiar, por isso que é preciso fazer a diluição do medicamento com soro fisiológico. Mucolíticos, para o asmático, não é para ser feito o uso, inclusive existem casos de sangramento pulmonar decorrentes de mucolíticos. É preciso colocar substâncias com Potencial Hidrogeniônico- PH conhecido, que não irrite as vias aéreas. Em qualquer método de nebulização o paciente pequeno deposita menos. Em paciente de até 2 anos, somente de 1 a 2% do remédio chega ao pulmão, perde-se 98% da medicação que se coloca no copinho, e, nos pacientes maiores, chega em média 5%. Esse trabalho, vai fazer quase 20 anos que foi comparado doses baixas de broncotratador em nebulizações com doses altas e em um ele teve uma resposta terapêutica e no outro, outra resposta. O medicamento é usado uma gota por kilo, então uma criança que pesa 20k, seria 20 gotas e isso não é usado pois acham muito, mas não dá para chegar lá, 98% se perde no caminho e se der doses baixas será totalmente ineficaz, ou seja, maior tempo na emergência, maior tempo de internação, maior indicação de terapia intensiva, é falha terapêutica. Alegam que ataca o coração, mas outro trabalho mostra a realização de nebulização contínua e ininterrupta por 72 horas, mostrando que a freqüência cardíaca se manteve estável em crianças. Então é preciso acabar com essa cultura da gotinha. É uma coisa impressionante quando se usa a bombinha, é uma dose fixa seja qual for a idade, seja uma criança ou um adulto é usada a mesma dose, mas quando é nebulizador, os pediatras contam as gotinhas. Então é óbvio que estão fazendo o que não é ideal para o paciente que chia. Qual a importância dos nebulizadores dosimetrados? Citou o exemplo de um trabalho feito em Los Angeles que, só em sumir com os nebulizadores de um hospital, houve uma economia de um milhão de dólares/ ano. E quando é usado com espaçador, principalmente em criança, não requer coordenação motora, pode-se usar a máscara, é depositado menos remédio na laringe. As bombinhas funcionam assim: existe um reservatório onde se coloca remédio, a câmara dosadora e a válvula de entrada, ao ser chacoalhada a bombinha aumenta a pressão nesse reservatório, abrindo a válvula e enchendo-o de remédio. Por isso é importante chacoalhar para empurrar, abrir a válvula e encher o reservatório. Disse que os médicos não sabem usar a bombinha e não é culpa deles, pois não foram treinados, é uma coisa desconhecida que a Escola de Medicina não lhes ensinaram, e não acontece só no Brasil, e que precisam ser treinados a usar para acreditar que os pacientes usarão também de forma correta. Citou os erros mais comuns, mas quando é feita de forma correta, enquanto o nebulizador tem de 2 a 4% de deposição, a bombinha pula de 8 a 10% de deposição, ou seja, quatro vezes mais a deposição em relação ao nebulizador. Hoje eles têm todos os tipos de espaçadores, desde os

13 Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Diário do Poder Legislativo - 11 importados até os artesanais. O nebulizador tem uma grande vantagem, e é por isso que muitos preconizam que, mesmo aquelas pessoas que sabem usar a bombinha corretamente, usar os espaçadores, e uma das coisas que os espaçadores faz é reter as partículas grandes que não irão chegar ao pulmão e acabam ficando na garganta e boca do paciente, causando efeito colateral. Então ele seleciona as partículas. Em uma inalação sem espaçador, 80% do remédio fica depositado e 10 a 15% do remédio chega ao pulmão. Com espaçador são 20%, então perde-se de 2 a 4 %. Então não é possível que pessoas que estão atualizadas em inaloterapia ainda insistem no uso do nebulizador. Quanto mais grosseiro é o aerosol, mais eficaz é o espaçador, pois ele retêm mais as partículas grandes sobrando mais partículas finas, e quanto mais refinado o espaçador, menos importante ele se torna, se deposita muito mais quando usa o espaçador, mesmo aquelas pessoas que conseguem usar de forma correta a bombinha, também acontece problemas na deposição pulmonar, lembrando que no nebulizador era de 1 a 2%, agora já está 10%, chegando em torno de 30 a 40% de deposição, não fazendo sentido continuar usando. É preciso usar o espaçador adequado. Os espaçadores de grande volume só servem para adultos ou crianças a partir de sete, oito anos de idade, pois crianças pequenas não consegue respirar, todo remédio enquanto o de pequeno volume serve para todas as idades, desde o recém nascido ao adulto de cinqüenta anos. Outro problema é a carga eletrostática. O spray sai com uma carga negativa e o plástico tem uma carga positiva. Cargas se atraem e acabam depositando mais remédio dentro do espaçador, grudando na parede, e quanto mais remédio depositado, menos remédio para o paciente. Explicou que se elimina essa carga eletrostática, lavando com detergente neutro, colocando para secar sem enxaguar, pois o detergente tem que formar uma camada na parte interna, e se enxaguar tira a proteção da carga eletrostática. Para saber se o espaçador tem esta carga é só colocar um lenço de papel no meio do espaçador, se ele grudar na parede ele está com a carga, caso contrário ele não está com a carga eletrostática. Pode se usar também espaçador de metal que não tem carga eletrostática. Em resumo, essa carga reduz a deposição do aerosol no pulmão, tendo maior impacto nos espaçadores de baixo volume, e menor o volume do espaçador, é o melhor para atrair a inversão proporcional a umidade do ar. Quando o ar está muito seco, a carga fica muito elevada, diminuindo após vários disparos e a lavagem com detergente neutro elimina. O espaçador de metal é mais indicado para um hospital, pois além de ser mais barato a limpeza é mais fácil, esterilizando com álcool glicerinado a 70%, já podendo ser usado em outro paciente. É muito mais prático na emergência, no hospital e em pronto atendimento. Uma coisa importante foi um estudo que mostrou que os espaçadores brasileiros estão comparáveis em termo de deposição a espaçadores internacionais. Existe um problema que é o clorofluorcarbono. Ele é usado há 40 anos com excelente perfil de segurança, mas o átomo de cloro afeta a camada de ozônio.isso teve uma preocupação mundial até que as Nações Unidas, no Protocolo de Montreal, suspenderam a produção de clorofluorcarbono em 1996, principalmente em ar condicionado, geladeira, perfume, e a OMS Organização Mundial de Saúde reservou uma quantidade razoável desse propeleit, para ser usado em medicações e verificaram que a situação estava sujeita à revisão anual. Isso quer dizer que está determinado que a partir de 2010 não vai haver mais bombinha com clorocarborato. Atualmente boa parte da bombinha Colocada no mercado já é com outro propeleit. Então usando o mesmo remédio mas mudando de propeleit, você pode diminuir a dose praticamente pela metade. Encerrou sua explanação falando sobre um trabalho do Professor João Paulo Lotufo, chefe do pronto-socorro pediátrico da Universidade de São Paulo-USP, que mostra o custo benefício dos espaçadores e mostra. O Senhor Presidente Dr. Hércules Silveira, solicitou que o Dr. Wilson Rocha Filho continuasse na tribuna para responder os questionamentos e convidou Dra. Fernanda Lugon, Médica Alergista; Dr. José Garcia Damasceno representante da Sociedade de Alergia; Alex Sales, para compor a mesa. Foi concedida a palavra Dr. Maurício Cadê de Oliveira, Pneumologista Pediatra de Cachoeiro de Itapemirim, que disse que em relação ao uso das bombinhas ainda há muita resistência de médicos que não têm prática, que questionam e dizem que atacam o coração e citou um caso que aconteceu em Belo Horizonte sobre a segurança da bombinha onde um paciente que bebeu vidro de berotec e teve um efeito colateral, mas nem por isso enfartou ou deu outro problema. No decorrer da reunião o Senhor Presidente Dr. Hércules Silveira convidou a Dra. Sara Lopes Valentim, Coordenadora do Centro de Referência do Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória para compor a Mesa e se dirigiu ao Dr. Wilson Rocha Filho dizendo que é obstetra, e que usa uma droga uterolística que realmente provoca uma taquicardia muito grande nas pacientes. A droga é broncodilatadora, e por acaso, descobriu-se que é uterolística também, ou seja, para o trabalho de parto ou de aborto espontâneo e gostaria de uma explicação a respeito das drogas maiores como foi dito, e como funciona a bomba. Dr. Wilson Rocha Filho, respondeu que o órgão mais rigoroso para liberar medicamento no mundo é o Comitê Olímpico Internacional. Se um atleta toma um remédio para gripe, ele não compete, é suspenso por dois anos, não é permitido ao atleta usar bombinha, antes da prova, desde que ele documente que tem asma. Então, para eles, os medicamentos anti-gripais são mais maléficos que as bombinhas. Com relação as perguntas sobre taquicardia, disse que os remédios são broncodilatadores e atuam dilatando os músculos

14 12 - Diário do Poder Legislativo Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 dos brônquios, e quando se dá por via inalatória, 95 % mais ou menos, fica no pulmão, uma pequena parcela acaba caindo na corrente sanguínea e vai atuar no coração, que é um músculo. Na visão dele, essa taquicardia, que é muito discreta com a inaloterapia, é passageira, não faz mal, e é sinal de que o remédio está fazendo efeito. Se uma criança toma um broncodilatador e não tem uma taquicardia discreta, transitória; é provável que o remédio não esteja chegando ao pulmão de forma adequada. Quanto aos espaçadores, disse que existem vários no mercado e são basicamente a mesma coisa. O que é preciso observar é o volume do espaçador. Existe com o de 210ml e o de bebê com 150ml, que é o ideal. Outra coisa que deve ser vista é a máscara, que deve ser flexível e moldar-se bem na face do paciente para que não haja perda de medicamento. Outra coisa ainda talvez a mais importante, é que o espaçador tem que ser bivalvular, ou seja, possuir uma válvula que ao ser inspirada, se abre, fazendo com que o aerosol saia do reservatório e se dirija para o pulmão; e quando é expirada a válvula fecha e a outra abre. Em pacientes maiores de seis anos até adulto, em vez da máscara, pode ter um bocal que adapta melhor. Há estudos que comprovam que o bocal deposita ainda melhor que a máscara. Mas é impossível usa-lo em criança pequena. É importante que o orifício de encaixe sirva para todos os tipos de bombinha, tanto quadrada como redonda. Sempre são questionados sobre a limpeza e se está de acordo com a comissão de infecção hospitalar. Comentou que esteve num congresso no exterior, onde foi informado que um pediatra de Toronto usava o espaçador e jogava fora. Essa não é a nossa realidade, pois aqui um espaçador, dura em média, uns quatro ou seis meses, é utilizado várias vezes ao dia e em vários pacientes. Foi concedida a palavra a Dra. Sara Lopes Valentim, Pneumologista do Hospital Infantil, que informou que o Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória, desde o início de 2007, já implantou e usa os espaçadores e com uma equipe mínima de Pneumologistas atuando no ambulatório, falta de recursos humanos, como auxiliares e técnicos para serem treinados e dar o treinamento no hospital, além de aguardarem, por parte do Estado, a liberação da medicação. Disse que estão com esse projeto há tempos, achando que agora é o momento de construir área física, pois o projeto inclui também reuniões com os pais para treinar com o espaçador em nível de ambulatório. Questionou quanto ao uso do espaçador, se seria necessário fazer higiene oral após o uso, uma vez que o uso da bombinha é necessário, e a não realização dos processos de higienização pode culminar na contaminação pela candidíase oral, o que O Dr. Wilson Rocha Filho respondeu que quando se usa a bombinha, principalmente se o medicamento for a base de corticóides inalatórios, além disso ele pode adquirir rouquidão e alteração de voz porque boa parte do remédio fica na boca, mas com o espaçador isso é bem minimizado, pois as partículas que se depositariam na boca, depositam-se no espaçador, extinguindo-se o problema da candidíase, caindo de 80% para 20%. Foi concedida a palavra ao Dr. Firmino Braga Neto que perguntou se existe, a nível de Brasil, padronização em algum serviço desse inalador e se o palestrante tem experiência com o serviço de emergência e sala de emergência, porque sabem que as novas diretrizes recomendam o uso do nebulímetro. O Drº Wilson Rocha Filho respondeu que o serviço com espaçador foi implantado há uns 5 anos, inclusive na emergência, que eles trabalham em dois Hospitais, e nos dois praticamente não se usa nebulizador. Na rede pública de Belo Horizonte já se usa espaçador há muito tempo, inclusive com uma drástica diminuição no número de internação mas é preciso maior treinamento dos médicos do Pronto Socorro. Então, a experiência não partiu deles, mas sim do Hospital das Clínicas, e eles são do Estado, mas implantaram as bombinhas nos prontoatendimentos. Foi concedida a palavra ao Dr. José Damasceno que perguntou como tratar as laringites e bronquiolites sem nebulizador. O Dr. Wilson Rocha Filho respondeu que, em 2007, a Academia Americana de Pediatria, colocou um posicionamento de que nada adianta para bronquiolite viral aguda e que usam apenas oxigênio. Mas tem sido usado nos bebês o broncodilatador com espaçador, independente da idade. Se o paciente não melhora é suspenso de 24 até 48 horas. A laringite é um campo de bastante questionamento sobre a real eficácia. Eles, da pneumologia, têm o posicionamento de usar dexametasona intramuscular, dose única de oxigênio. A outra pergunta do Dr. José Damasceno, se haveria alguma maneira de obrigar os laboratórios a distribuir literatura adequada, a eficácia e a maneira correta do uso, O Dr. Wilson Rocha Filho respondeu que não só as bombinhas, mas os laboratórios são omissos aos efeitos colaterais. Não sabe se tem como obrigar, pois o laboratório tem a bula. O que precisa, na sua visão, é o médico e paramédicos, enfermeiros e fisioterapeutas estarem cientes à técnica de uso e, ao prescrever, ensinar a quem vai receber a medicação. Então, se o Estado do Espírito Santo quer implantar é importante que esse custo não seja desperdiçado, havendo treinamento de uso ao paciente. Perguntaram ao Dr. Hércules o que precisa ser feito para que o Estado, os Hospitais, e as Unidades de Saúde substituam os nebulizadores por espaçadores, e em que a Comissão de Saúde pode ajudar nesse processo. O Dr. Hércules Silveira respondeu que eles podem ajudar oficiando os Postos, os Secretários de Saúde, começando nos municípios, no sentido de adquirir esse equipamento, informando sobre a eficácia, a economia e a segurança na aplicação desse aparelho. Foi concedida a palavra a Drª. Faradiba Saquis Serpa, que complementou as palavras do Dr. Wilson Rocha Filho, dizendo que, quando se trabalha com asmático, tem que se pensar em educação, e que existe um projeto, executado há 7

15 Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Diário do Poder Legislativo - 13 anos, para os médicos, enfermeiros, familiares, pacientes, agentes de saúde, rede da Prefeitura. Foi concedida a palavra ao Dr. Carlos Alberto Gomes dos Santos, Presidente da Sociedade Pneumologista do Espírito Santo, que agradeceu a iniciativa da Assembléia Legislativa, na pessoa do Dr. Hércules Silveira e do seu assessor Alex Salles, que muito trabalhou para isso, elogiou a explanação do Dr. Wilson Rocha Filho dizendo que foi uma palestra educativa e econômica, pois vivemos em um país onde é preciso que fazer economia. Disse que, no Espírito Santo, há uma interação muito grande entre o profissional de Imunologia com a Pneumologia e informou que a Sociedade de Pneumologia vai realizar uma jornada em agosto, abordando entre outros assuntos, asma e outros que precisam de broncodilatadores e corticóides inalatórios e convidou o Dr. Wilson Rocha para participar do evento. O Dr. Damasceno convidou todos para o Dia Mundial de Combate a Alergia, dia 10 de maio e Dia Nacional de Combate a Asma, dia 21 de Junho. O Senhor Deputado Dr. Hércules Silveira agradeceu ao Dr. Wilson Rocha Filho, entregandolhe um CD com fotos da palestra, e declarou encerrada a audiência pública às vinte horas e vinte e sete minutos e convocou os senhores deputados à hora regimental. E, para constar, foi lavrada a presente ATA, que após lida e aprovada, será assinada pelo Senhor Presidente. PRESIDENTE PAUTA DAS COMISSÕES COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA, SERVIÇO PÚBLICO E REDAÇÃO PRESIDENTE: Deputado Theodorico Ferraço VICE-PRESIDENTE: Deputado Élcio Álvares REUNIÃO: Ordinária LOCAL: Plenário Rui Barbosa DATA: 12/08/2008 DIA DA SEMANA: Terça-Feira HORÁRIO: 13:30 horas PAUTA DA 34ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA, DA 16ª LEGISLATURA 1 LEITURA DO EXPEDIENTE: CORRESPONDÊNCIAS RECEBIDAS: Não houve no período. PROPOSIÇÕES RECEBIDAS: PROJETO DE LEI 08/08-Análise Técnica AUTOR: Luzia Toledo EMENTA: Dispõe sobre a proibição de realização de eventos com bebidas liberadas ("Open Bar") no âmbito do Estado. PROJETO DE LEI 63/08-Análise Técnica AUTOR: Marcelo Coelho EMENTA: Dispõe sobre a divulgação aos passageiros rodoviários de informações sobre o estatuto do idoso relativas ao sistema de transporte coletivo interestadual. PROJETO DE LEI 109/08-Análise Técnica AUTOR: Jardel dos Idosos EMENTA: Institui a Política Estadual de Condução, Educação e Prevenção de Acidentes para Condutores de Motocicletas/Triciclos de Transporte de Cargas, Volumes e Documentos. PROJETO DE LEI 252/08-Despacho Denegatório AUTOR: Luciano Pereira EMENTA: Obriga os estabelecimentos de prestação de serviços de saúde afixar aviso que informe sobre a prestação de serviços através do Sistema Único de Saúde SUS e/ou s PROJETO DE LEI 254/08-Despacho Denegatório AUTOR: Luciano Pereira EMENTA: Dispõe sobre a análise, por parte do Poder Executivo Estadual, da pertinência da instalação, em sua estrutura organizacional, do Programa de Reciclagem de Papel. PROPOSIÇÕES DISTRIBUÍDAS AOS SENHORES DEPUTADOS: Claudio Vereza: Projeto de Lei n.º 08/08. Doutor Wolmar: Projeto de Lei n.º 109/08. Doutor Rafael Favatto: Projeto de Lei n.º 254/08. Luiz Carlos Moreira: Projeto de Lei n.º 63/08. Marcelo Santos: Projeto de Lei n.º 252/08. PROPOSIÇÕES SOBRESTADAS: Propostas de Emenda Constitucional n. os 05/07 e 07/07; Projeto de Lei Complementar n.º 40/07; Projetos de Lei n. os 82/07; 179/07; 253/07; 464/07, 658/07 e 106/08; Projeto de Resolução n.º 27/07. PROPOSIÇÕES BAIXADAS DE PAUTA: Não houve no período. 2 ORDEM DO DIA: PROJETO DE LEI 227/08-Despacho Denegatório AUTOR: Doutor Hércules RELATOR: Doutor Rafael Favatto EMENTA: Dispõe sobre a implantação de programas de segregação de resíduos sólidos na origem, objetivando seu aproveitamento otimizado. ENTRADA NA COMISSÃO: 1/7/2008 PRAZO DO RELATOR: 22/7/2008 PRAZO DA COMISSÃO: 29/7/2008 Obs.: Pauta gerada no dia 07 de agosto de 2008, às 10:20h sujeita a alteração até a hora da reunião.

16 14 - Diário do Poder Legislativo Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 COMISSÃO DE FINANÇAS, ECONOMIA, ORÇAMENTO, FISCALIZAÇÃO, CONTROLE E TOMADA DE CONTAS PRESIDENTE: Deputado SÉRGIO BORGES VICE-PRESIDENTE: Deputado REGINALDO ALMEIDA MEMBROS: Deputado ELCIO ALVARES Deputado EUCLÉRIO SAMPAIO Deputada JANETE DE SÁ Deputada LUZIA TOLEDO Deputado WANILDO SARNÁGLIA REUNIÃO: ORDINÁRIA LOCAL: Plenário Dr. Dirceu Cardoso DATA:12/08/2008 DIA DA SEMANA: Terça-Feira HORÁRIO: 11:00 Horas PAUTA DA 9ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA, DA 16ª LEGISLATURA. 1 EXPEDIENTE CORRESPONDÊNCIAS RECEBIDAS:. Ofício nº 1112/08, do Secretário de Estado de Esportes e Lazer, encaminhando cópias de Convênios: Convênio 29/08 Liga de Desportos Amadora de Linhares Valor R$ ,00 Convênio 31/08 Associação das Federações Desportivas do ES Valor R$ ,00 Convênio 33/08 Liga Colatinense de Apoio ao Esporte Valor R$ ,00 Convênio 38/08 Muqui/ES Valor R$ ,00 Convênio 44/08 Federação Espírito Santense de Xadrez Valor R$ ,00. Ofício nº 116/08, do Secretário de Estado do Turismo, comunicando celebração de Convênio que especifica: Convênio 25/08 Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Mantenópolis R$ ,00.. Processo Administrativo nº /08, Deputado Euclério Sampaio,Solicitando que seja fornecida cópia de todos os incentivos, benefícios, isenções fiscais de ICMS.. Ofício nº 123/08, do Secretário de estado de Desenvolvimento, comunicando a celebração do convênio entre esta Secretaria e o Sindicato da Indústria da construção Civil do Estado do Espírito Santo. Convênio 02/2008 Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Espírito Santo SINDICON Valor R$ ,00.. Ofício nº 260/08, do Secretário de Estado de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano, encaminhando cópia do Convênio celebrado entre aquela Secretaria e o Município de Viana. Convênio 006/2008 Viana/ES valor R$ ,40. PROPOSIÇÕES RECEBIDAS:. Não há PROPOSIÇÕES DISTRIBUÍDAS AOS RELATORES:. Projeto de Lei nº 281/2006, do Deputado Marcelo Santos, que dispõe sobre a concessão de isenção da taxa de licenciamento para os veículos de propriedade de portador de deficiência física. Relatora: Deputada JANETE DE SÁ Entrada na Comissão: 15/10/07 Prazo do Relator: 24/10/07 Prazo da Comissão: 07/11/07. Projeto de Lei nº 461/07, da Deputada Luzia Toledo, que institui no Estado o Programa de Orientação em Saúde e Atendimento Social à Gravidez Precoce e juvenil destinado a Crianças, Adolescentes e Jovens Gestantes e dá outras providências. Relatora: Deputada JANETE DE SÁ Entrada na Comissão: 10/03/08. Projeto de Lei nº 301/07, do Deputado Dá Vitória, que isenta o doador de sangue do pagamento de taxa de inscrição em concursos públicos. Relatora: Deputada JANETE DE SÁ Entrada na Comissão: 10/03/08. Projeto de Resolução nº 28/07, do Deputado Givaldo Vieira, que cria o Prêmio Assembléia Legislativa de Arte e Cultura e dá outras providências. Relatora: Deputada JANETE DE SÁ Entrada na Comissão: 10/03/08. Projeto de Resolução nº 60/2007, do Deputado Robson Vaillant, que institui a Medalha Antônio José Miguel Feu Rosa, na Assembléia Legislativa Relator: Deputado SÉRGIO BORGES Entrada na Comissão: 18/12/07. Projeto de Lei nº 432/2007, da Deputada Luzia Toledo, que incentiva o desenvolvimento do Turismo Rural na Agricultura Familiar no Estado e dá outras providências. Relator: Deputado SÉRGIO BORGES

17 Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Diário do Poder Legislativo - 15 Entrada na Comissão: 19/05/08 Prazo da Comissão: 01/08/08. Projeto de Lei nº 442/07, do Deputado Euclério Sampaio, que isenta do imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços ICMS as operações relativas à produção e/ou comercialização de brinquedos destinados a lazer de crianças com deficiência física. Relator: Deputado Wanildo Sarnáglia Entrada na Comissão: 14/05/08 Prazo da Comissão: 01/08/08. Projeto de Resolução nº 59/07, da Deputada Janete Sá, que institui a Comenda do Mérito ao Dentista Capixaba Doutor Gilton Coutinho Barros. Relator: Deputado Wanildo Sarnáglia Entrada na Comissão: 09/06/08 Prazo da Comissão: 01/08/08 2- ORDEM DO DIA:. Projeto de Lei nº 528/07, da Deputada Aparecida Denadai, que estabelece a implantação do serviço voluntário de Capelania nos estabelecimentos prisionais e sócio-educativos em todo o Estado. Relator: Deputado ELCIO ALVARES Entrada na Comissão: 29/04/08. Projeto de Lei nº 282/2007, da Deputada Luzia Toledo, que obriga a execução do Hino Nacional Brasileiro em todos os eventos esportivos no Estado. Relator: Deputado: ELCIO ALVARES Entrada na Comissão: 12/12/07 Prazo do Relator: 04/03/08 Prazo da Comissão: 18/03/08. Projeto de Lei nº 637/07, do Deputado Da Vitória, que altera o artigo 5º da lei nº 5.264, de 13/09/1996, que autoriza o Poder Executivo a dispor sobre restrição ao tabagismo nos estabelecimentos comerciais que especifica e dá outras providências. Relator: Deputado ELCIO ALVARES Entrada na Comissão: 09/06/08 Prazo da Comissão: 01/08/08. Projeto de Lei nº 234/07, do Deputado Robson Vaillant, que proíbe a venda de consumo de bebidas alcoólicas em lojas de conveniência istaladas em postos de combustíveis, localizados em área urbana, nos horários estabelecidos entre 00:00 às 06:00 horas da manhã. Relator: Deputado ELCIO ALVARES Entrada na Comissão: 07/05/08. Projeto de Resolução nº 40/07, do Deputado Da Vitória, que institui a Semana Legislativa da Educação a ser realizada anualmente pela Assembléia Legislativa. Relator: Deputado ELCIO ALVARES Entrada na Comissão: 02/06/08 Prazo da Comissão: 01/08/08. Projeto de Resolução nº 54/07, da Deputada Luzia Toledo, que institui a Medalha Prefeito Ethevaldo Francisco Roldi, a ser concedida pela Assembléia Legislativa, a três Prefeitos do Estado que se destacaram na gestão de seus respectivos municípios. Relator: Deputado EUCLÉRIO SAMPAIO Entrada na Comissão: 18/02/08 Prazo do Relator: 04/03/08 Prazo da Comissão: 18/03/08. Projeto de Lei nº 456/07, do Deputado Da Vitória, que acrescenta dispositivo à Lei nºs 5.044/1995, que proíbe a exposição inadequada de matérias pornográficas em bancas de revistas. Relator: Deputado EUCLÉRIO SAMPAIO Entrada na Comissão: 24/03/08. Projeto de Lei nº 218/07, do Deputado Elion Vargas, que institui a Política Estadual de diminuição da erosão e do assoreamento em córregos e rios o programa de captação de águas pluviais no Estado do Espírito Santo e dá outras providências. Relator: Deputado EUCLÉRIO SAMPAIO Entrada na Comissão: 08/04/08. Projeto de Lei nº 304/07, do Deputado Elion Vargas, que regulamenta a rotulagem de produtos transgênicos, ou que contenham transgênicos em sua composição e dá outras providências. Relator: Deputado EUCLÉRIO SAMPAIO Entrada na Comissão: 08/04/08. Projeto de Lei nº 536/07, da Deputada Aparecida Denadai, que dispõe sobre a obrigatoriedade do oferecimento de orientações em eventos que reúnam o público em feral, sobre as normas de segurança e procedimentos de emergência nos recintos nos quais dos mesmos são realizados. Relatora: Deputada JANETE DE SÁ Entrada na Comissão: 07/05/08. Projeto de Lei nº 343/07, do Deputado Doutor Wolmar, que institui a política de prevenção às doenças Ocupacionais do Educador.

18 16 - Diário do Poder Legislativo Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Relatora: Deputada JANETE DE SÁ Entrada na Comissão: 17/12/07 Prazo do Relator: 04/03/08 Prazo da Comissão: 18/03/08. Projeto de Lei nº 314/2007, do Deputado Da Vitória, que dispõe sobre a doação de produtos apreendidos nos termos que específica. Relator: Deputado REGINALDO ALMEIDA Entrada na Comissão: 18/02/08 Prazo do Relator: 11/03/08 Prazo da Comissão: 25/03/08 Pedido de Vista: Deputada JANETE DE SÁ. Projeto de Lei nº 65/07, do Deputado Luciano Pereira, que institui o título Empresa Criança para pessoas jurídicas, e Amigo da Criança, para as pessoas físicas que contribuírem para a educação das crianças capixabas. Relator: Deputado REGINALDO ALMEIDA Entrada na Comissão: 11/03/08. Projeto de Lei nº 533/07, do Deputado Cacau Lorenzoni, que cria o Programa Jovem Cidadão Meu Primeiro Trabalho no âmbito das escolas profissionalizantes. Relator: Deputado REGINALDO ALMEIDA Entrada na Comissão: 09/06/08 Prazo da Comissão: 01/08/08. Projeto de Lei nº 238/07, do Deputado Marcelo Coelho, que dispõe sobre a obrigatoriedade dos hospitais e dos pronto-socorros de possuir macas e cadeiras de rodas dimensionadas para pessoas obesas e dá outras providências. Relatora: Deputada LUZIA TOLEDO Entrada na Comissão: 10/03/08. Projeto de Lei nº 194/07, do Deputado Reginaldo Almeida, que cria o projeto cultura para todos sistema de adoção de bibliotecas e equipamentos culturais por empresa com responsabilidade social e dá outras providências. Relatora: Deputada LUZIA TOLEDO Entrada na Comissão: 06/05/08. Projeto de Lei nº 289/2005, da Deputada Janete de Sá, que dispõe sobre o funcionamento do comércio varejista aos domingos e feriados e dá outras providências. Relatora: Deputada LUZIA TOLEDO Entrada na Comissão: O7/03/07 Prazo do Relator: 21/03/07 Prazo da Comissão: 04/04/07. Projeto de Lei nº 248/2007, do Deputado Reginaldo Almeida, que dispõe sobre a instalação de placas em braile contendo a relação das linhas dos veículos e seus itinerários nos pontos de ônibus e terminais do sistema Transcol. Relator: Deputado SÉRGIO BORGES Entrada na Comissão: 08/04/08. Projeto de Resolução nº 30/2007, do Deputado Rafael Favatto, que modifica a redação da Resolução nº 2.219/2004, que criou a Escola do Legislativo. Relator: Deputado SÉRGIO BORGES Entrada na Comissão: 17/02/08. Projeto de Lei nº 644/07, do Deputado Elion Vargas, que torna obrigatóri o oferecimento de café sem açúcar nos estabelecimentos que explicita. Relator: Deputado SÉRGIO BORGES Entrada na Comissão: 09/06/08 Prazo da Comissão: 01/08/08. Projeto de Lei nº 532/07, do Deputado Doutor Wolmar, que dispõe sobre o uso de colete à prova de balas para os vigilantes. Relator: Deputado SÉRGIO BORGES Entrada na Comissão: 27/05/08 Prazo da Comissão: 01/08/08. Projeto de Lei nº 559/2007, do Deputado Dá Vitória, que altera as sanções por descumprimento da Lei nº 6.010/1999, que torna obrigatório a inclusão de data nas comunicações dos SPC s do Estado. Relator: Deputado WANILDO SARNÁGLIA Entrada na Comissão: 15/04/08. Projeto de Resolução nº 37/2007, do Deputado Dá Vitória, que institui o Selo ambiental de Meio Ambiente Urbano, a ser entregue anualmente pela Assembléia Legislativa aos três municípios que apresentarem os melhores projetos já implementados, mantendo ou recuperando areas urbanas municipais. Relator: Deputado WANILDO SARNÁGLIA Entrada na Comissão: 08/04/08. Projeto de Lei nº 351/2007, do Deputado Elion Vargas, que institui a Capanha Estadual de repúdio e combate ao tráfico de entorpecentes e violência. Relator: Deputado WANILDO SARNÁGLIA Entrada na Comissão: 29/04/08

19 Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Diário do Poder Legislativo COMUNICAÇÕES:. As que ocorrerem COMISSÃO DE EDUCAÇÃO PRESIDENTE: Deputado Vandinho Leite VICE-PRESIDENTE: Deputado Dr. Wolmar REUNIÃO ORDINÁRIA LOCAL: Plenário Judith Leão Castelo Ribeiro DATA: DIA DA SEMANA: Segunda-Feira HORÁRIO: 13:00 horas PAUTA DA 16ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA DA 16º LEGISLATURA. 1 EXPEDIENTE A - CORRESPONDÊNCIAS RECEBIDAS: não há B PROPOSIÇÕES RECEBIDAS: Não há C - PROPOSIÇÕES DISTRIBUÍDAS AOS RELATORES: Não há D - ORDEM DO DIA: não há E COMUNICAÇÕES: as que ocorrerem. COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR E DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE PRESIDENTE: Deputado Reginaldo Almeida VICE-PRESIDENTE: Deputado Luciano Pereira REUNIÃO: Ordinária LOCAL: Plenárinho 2 - Judith Leão Castelo DATA: 12/08/08 DIA SEMANA: Terça-feira HORÁRIA: 13:00 PAUTA DA 11ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA, DA 16ª LEGISLATURA 1- EXPEDIENTE A - CORRESPONDÊNCIAS RECEBIDAS: REQUERIMENTO do Exmo. Sr. Deputado Cláudio Vereza, solicitando a realização de Audiência Pública para debater sobre OS GRANDES PROJETOS INDUSTRIAIS E SEUS IMPACTOS NO DESENVOLVIMENTO E NA QUALIDADE DE VIDA. OFÍCIO/GDCC/Nº079/2008 do Exmo. Sr. Deputado Carlos Casteglione, solicitando realização de Audiência Pública, em regime de Urgência, no Município de Rio Bananal, para debater sobre o ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA ÁREA URBANA, BEM COMO A UTILIZAÇÃO NA PRODUÇÃO AGRÍCOLA DAQUELE MUNICÍPIO. OFÍCIO Nº 021/2008, do Sr Bruno Pereira Nascimento Diretor Presidente da Associação Capixaba dos Defensores Públicos (ACADEP), solicitando a realização de uma Audiência Pública, para DEBATER O PROJETO DE CONSTITUCIONALIZAÇÃO DA DEFENSORIA PÚBLICA, visando o fortalecimento da instituição, bem como melhorias salariais e otimização de sua infra-estrutura. CARTA CONVITE do Sr. Nuno Cunha e Silva, da Eco Securities Brasil Ltda, solicitando que esta comissão encaminhe comentários sobre o Projeto de Compostagem da Organoeste Aracruz, que visa a implantação do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo para a redução de emissão de gases de efeitos estufa produzidos pelo processo de disposição final do resíduo sólido em aterros ou lixões, localizado nos Municípios de Dourados (Mato Grosso do Sul) e Andradina (São Paulo). OFÍCIO Nº 106/2008, da Srª Sueli Passoni Tonini - Diretora Presidente do Instituto Estadual de Meio Ambiente (IEMA), solicitando que a Comissão de Meio Ambiente indique um representante para o Ponto Focal Estadual Parlamentar e assim compor o Programa de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca, o PAN-Brasil, que trará significativos benefícios ao Estado do Espírito Santo. OFICIO Nº 1.108/2008, do presidente do Senado Federal, Senador Garibaldi Alves Filho, encaminhando um exemplar do Suplemento ao Diário do Senado Federal de número 103, de oito de julho de 2008, onde consta publicado o referido relatório da Comissão Mista Especial sobre Mudanças Climáticas, crida por meio do Ato Conjunto de número um, de 2007, destinada a acompanhar, monitorar e fiscalizar as ações referentes às mudanças climáticas no Brasil. CÓPIA, do Diário Oficial do Estado do Espírito Santo, datado de 21 de julho de 2008, onde está publicada a Lei Nº 8.960, que dispõe sobre a criação do Fundo Estadual de Recursos Hídricos do Espírito Santo FUNDÁGUA. PROCESSO ADMNISTRATIVO Nº /2008, do Senhor Maurício de Moura Costa, da Eco Securitis Brasil Ltda, encaminhando Carta Convite de Consulta as partes interessadas na Atividade de Projeto no âmbito do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, substituindo a Carta-

20 18 - Diário do Poder Legislativo Vitória-ES, sexta-feira, 08 de agosto de 2008 Convite previamente enviada, data de 04 de junho de OFÍCIO Nº 125/2008, do Secretário Municipal de Meio Ambiente da Prefeitura de Vitória, Antônio Tarcísio Correia de Mello, e do Subsecretário de Gestão Ambiental e presidente da Comissão da Feira do Verde, Jorge Luiz Matozinhos dos Anjos, convidando para a XIX Feira do Verde, que será realizada nos dias 11 a 16 de novembro, juntamente com o 13º prêmio Tião Sá - concurso de pesquisa e Educação Ambiental. Neste sentido convidam a comissão para participar do referido concurso com inscrição de algum trabalho que possa gerar resultados de utilidade pública. OFÍCIO/Nº2861/IEMA/GCA/SL do Sr Fernando Aquinoga de Mello, da Gerência de Controle Ambiental do Instituto Estadual de Meio Ambiente (IEMA) encaminhando a esta comissão resposta ao ofício protocolado atualizando o parecer técnico sobre a Empresa Capixaba Couros LTDA (CUTURME), localizada no município de Baixo Guandu. OFÍCIO/GVP/Nº 071/ de autoria da deputada Luzia Toledo, solicitando a realização de duas audiências públicas para debater sobre a Lei Estadual Nº 8.745/2007, que dispõe sobre o uso obrigatório de sacolas oxi-biodegradáveis pelos estabelecimentos comerciais do Estado do Espírito Santo, e sobre a Lei Estadual Nº 8.524/2007, que institui o Programa Adote uma Nascente, no âmbito do Estado do Espírito Santo. B - PROPOSIÇÕES RECEBIDAS: Não Há C - PROPOSIÇÕES DISTRIBUÍDAS AOS RELATORES: PROJETO DE LEI Nº 619/2007 Autor: Deputado Elion Vargas Ementa: Obriga as empresas que produzem, distribuem ou comercializam disquetes ou similares as recolhê-los, quando inutilizados, dando-lhes destinação que não cause poluição ambiental. Relator: Deputado Dr. Hércules Silveira Entrada na Comissão: 10/06/08 Prazo do Relator: 08/07/08 Prazo da Comissão: 15/0708 PROJETO DE LEI Nº 40/2008 Autor: Deputado Marcelo Coelho Ementa: Institui diretrizes para a medição individualizada do consumo de água nas edificações prediais verticais ou condominiais, residenciais, comerciais e de uso misto Relator: Deputado Marcelo Santos Entrada na Comissão: 24/06/08 Prazo do Relator: 08/07/08 Prazo da Comissão: 15/07/08 2 ORDEM DO DIA: PROJETO DE LEI Nº 300/2007 Autor: Deputado Da Vitória Ementa: Estabelece normas para a adoção de material didático- escolar pelos estabelecimentos de educação básica da rede particular e dá outras providências. Relator: Deputado Dr. Hércules Silveira Entrada na Comissão: 21/05/08 Prazo da Comissão: 24/06/08 PROJETO DE LEI Nº 84/2008 Autor: Deputado Dr. Wolmar Campostrini Ementa: Torna obrigatória a instalação de caixas para uso privativo de deficientes, idosos e gestantes, no andar térreo dos estabelecimentos bancários e dá outras providências. Relator: Deputado Dr. Hércules Silveira Entrada na Comissão: 24/06/08 Prazo do Relator: 08/07/08 Prazo da Comissão: 15/07/08 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 01/2008 Autor: Governador do Estado Ementa: Extingue o cargo efetivo de agente administrativo no âmbito do Instituto Estadual de Meio Ambiente IEMA. Relator: Deputado Reginaldo Almeida Entrada na Comissão: 25/06/08 Prazo do Relator: 08/07/08 Prazo da Comissão: 15/07/08 PROJETO DE LEI Nº 634/2007 Autor: Deputado Elion Vargas Ementa: Veda a realização de novas construções a menos de trinta metros de rios. Relator: Deputado Reginaldo Almeida Entrada na Comissão: 26/05/08 Prazo da Comissão: 24/06/08 PROJETO DE LEI Nº 651/2007 Autor: Deputado Cláudio Vereza Ementa: Obriga as instituições financeiras do Estado a implantarem a opção de extrato bancário na linguagem do alfabeto braille. Relator: Deputado Da Vitória Entrada na Comissão: 26/05/08 Prazo da Comissão: 24/06/08 PROJETO DE LEI Nº 653/2007 Autor: Deputado Cláudio Vereza

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO ANO XLIV - VITÓRIA-ES, QUARTA-FEIRA, 16 DE JUNHO DE 2010 - Nº 6582-06 PÁGINAS SMCS Composição, Diagramação, Arte Final. REPROGRAFIA Impressão 4ª SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 348/2009

PROJETO DE LEI Nº 348/2009 PROJETO DE LEI Nº 348/2009 Dispõe sobre a instalação individualizada de hidrômetro nas edificações verticais residenciais e nas de uso misto e nos condomínios residenciais do Estado do Espírito Santo,

Leia mais

Ata da terceira sessão extraordinária. Aos doze dias do mês de abril do ano de dois mil e treze, às dez horas, no Plenário Rui Afonso de Almeida da

Ata da terceira sessão extraordinária. Aos doze dias do mês de abril do ano de dois mil e treze, às dez horas, no Plenário Rui Afonso de Almeida da Ata da terceira sessão extraordinária. Aos doze dias do mês de abril do ano de dois mil e treze, às dez horas, no Plenário Rui Afonso de Almeida da Câmara Municipal de Perdizes, Estado de Minas Gerais

Leia mais

Câmara Municipal de Tijucas do Sul

Câmara Municipal de Tijucas do Sul ATA DA 9 a SESSÃO ORDINÁRIA DO PRIMEIRO PERÍODO ORDINÁRIO DA PRIMEIRA SESSÃO LEGISLATIVA DA 15 a LEGISLATURA EM 07/04/2014. Aos sete dias do mês de abril do ano de dois mil e quatorze, nesta cidade de

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas. Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas. Nº de Inscrição Nome ASSINALE A RESPOSTA

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

Câmara Municipal de Tijucas do Sul

Câmara Municipal de Tijucas do Sul ATA DA 16 a SESSÃO ORDINÁRIA DO PRIMEIRO PERÍODO ORDINÁRIO DA PRIMEIRA SESSÃO LEGISLATIVA DA 15 a LEGISLATURA EM 26/05/2014. Aos vinte e seis dias do mês de maio do ano de dois mil e quatorze, nesta cidade

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO ANO XLIII - VITÓRIA-ES, TERÇA-FEIRA, 20 DE OUTUBRO DE 2009 - Nº 6433-142 PÁGINAS SMCS Composição, Diagramação, Arte Final. REPROGRAFIA Impressão 3ª SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

Ata da Vigésima Sessão Ordinária da Câmara Municipal de São Pedro de Alcântara/SC. Segundo Período Legislativo da Quinta Legislatura.

Ata da Vigésima Sessão Ordinária da Câmara Municipal de São Pedro de Alcântara/SC. Segundo Período Legislativo da Quinta Legislatura. Ata da Vigésima Sessão Ordinária da Câmara Municipal de São Pedro de Alcântara/SC. Segundo Período Legislativo da Quinta Legislatura. Aos vinte e cinco dias do mês de agosto do ano de dois mil e catorze,

Leia mais

Regimento Interno do Conselho Municipal do Idoso de Passo Fundo COMUI Capitulo I Da Natureza e Finalidade

Regimento Interno do Conselho Municipal do Idoso de Passo Fundo COMUI Capitulo I Da Natureza e Finalidade Regimento Interno do Conselho Municipal do Idoso de Passo Fundo COMUI Capitulo I Da Natureza e Finalidade Art. 1º - O Conselho Municipal do Idoso de Passo Fundo COMUI- possui atribuições de caráter propositivo

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO)

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) Mês e Ano de elaboração MODELO PARA ELABORAÇÃO DA PAS 2014: Gerência de Programação em Saúde- DEPLAN/SUSAM 1 SUMÁRIO IDENTIFICAÇÃO DO MUNICÍPIO...3 ELABORAÇÃO...4

Leia mais

Faço saber que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte lei:

Faço saber que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte lei: LEI Nº 1580/2010 Dá nova nomenclatura a Conferência, ao Conselho e ao Fundo Municipal de Assistência ao Idoso criado pela Lei nº 1269/2004 e dá outras providencias. Faço saber que a Câmara Municipal de

Leia mais

Câmara Municipal de Tijucas do Sul

Câmara Municipal de Tijucas do Sul ATA DA 32 a SESSÃO ORDINÁRIA DO PRIMEIRO PERÍODO ORDINÁRIO DA PRIMEIRA SESSÃO LEGISLATIVA DA 15 a LEGISLATURA EM 30/09/2013 Aos trinta dias do mês de setembro do ano de dois mil e treze, nesta cidade de

Leia mais

OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE

OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE pg44-45.qxd 9/9/04 15:40 Page 44 44 OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO BRASIL OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE NA INFÂNCIA pg44-45.qxd 9/9/04 15:40 Page 45 45 4 " META 5 REDUZIR EM DOIS TERÇOS, ENTRE

Leia mais

CAPÍTULO I. Do Conselho, sua Finalidade e suas Atribuições

CAPÍTULO I. Do Conselho, sua Finalidade e suas Atribuições REGIMENTO INTERNO - ANTIGO CAPÍTULO I Do Conselho, sua Finalidade e suas Atribuições Art. 1º O Conselho Municipal de Educação de Concórdia (CME), órgão deliberativo e consultivo da Administração no setor

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO ANO XLVII - VITÓRIA-ES, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE SETEMBRO DE 2013 - Nº 7363-08 PÁGINAS DPL - Editoração, Composição, Diagramação e Arte-Final. Reprografia: Impressão 3ª SESSÃO

Leia mais

MENSAGEM Nº, de 2008.

MENSAGEM Nº, de 2008. MENSAGEM Nº, de 2008. = Tenho a honra de submeter à elevada consideração de Vossas Excelências o projeto de Lei anexo, que objetiva criar o Conselho Municipal Antidrogas COMAD. Um dos mais graves problemas

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA LEGISLATIVA NATAL, 25.03.2008 BOLETIM OFICIAL 2423 ANO XIX TERÇA-FEIRA

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA LEGISLATIVA NATAL, 25.03.2008 BOLETIM OFICIAL 2423 ANO XIX TERÇA-FEIRA A MESA DIRETORA Deputado ROBINSON FARIA PRESIDENTE Deputada MÁRCIA MAIA 1 VICE-PRESIDENTE Deputado RICARDO MOTTA 1 SECRETÁRIO Deputado LUIZ ALMIR 3 SECRETÁRIO Deputado EZEQUIEL FERREIRA 2 VICE-PRESIDENTE

Leia mais

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPACTO DA VIOLÊNCIA NA SAÚDE DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ VOCÊ É A PEÇA PRINCIPAL PARA ENFRENTAR ESTE PROBLEMA Brasília - DF 2008

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO Porte Pago 2193/2004 - DR / ES Assembléia Legislativa CORREIOS DEVOLUÇÃO GARANTIDA CORREIOS DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO ANO XLI - VITÓRIA -ES, QUINTA-FEIRA, 01 DE NOVEMBRO DE 2007 - Nº 5956 66 PÁGINAS

Leia mais

Art. 2º Ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - compete:

Art. 2º Ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - compete: LEI Nº 12.911, de 22 de janeiro de 2004 Dispõe sobre a criação do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - e do Fundo Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - FUNSEA-SC

Leia mais

EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios da integralidade, universalidade e equidade

EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios da integralidade, universalidade e equidade 10ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE: OO"TODOS USAM O SUS! SUS NA SEGURIDADE SOCIAL - POLÍTICA PÚBLICA, PATRIMÔNIO DO POVO BRASILEIRO" EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 Dispõe sobre o atendimento obrigatório aos portadores da Doença de Alzheimer no Sistema Único de Saúde - SUS, e dá outras providências.

Leia mais

GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS

GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS O Plano Diretor é uma lei municipal que estabelece diretrizes para a ocupação da cidade. Ele deve identificar e analisar as características físicas, as atividades predominantes

Leia mais

ORDEM DO DIA PROJETO DE LEI Nº 031/2005, conforme emendado VEREADOR MARCO ANTÔNIO GRILLO

ORDEM DO DIA PROJETO DE LEI Nº 031/2005, conforme emendado VEREADOR MARCO ANTÔNIO GRILLO ATA DA QUADRAGÉSIMA SÉTIMA SESSÃO, EXTRAORDINÁRIA, DA 1ª SESSÃO LEGISLATIVA, DA 5ª LEGISLATURA DA CÂMARA MUNICIPAL DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE, ESTADO DO ESPÍRITO SANTO... Aos vinte e sete dias do mês de

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Relações Institucionais Subchefia de Assuntos Federativos

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Relações Institucionais Subchefia de Assuntos Federativos Agenda de Compromissos Governo Federal e Municípios 1. Erradicar a extrema pobreza e a fome 2. Educação básica de qualidade para todos 3. Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres

Leia mais

agradeceu ordem sobre a Proposta de Emenda à Constituição nº. 333/04, urbano que Vereador

agradeceu ordem sobre a Proposta de Emenda à Constituição nº. 333/04, urbano que Vereador Presidência: ATA DA 144ª. Luiz 14.ª Fernando SESSÃO Legislatura Machado, ORDINÁRIA, José 4.ª Galvão Sessão EM Braga 3 Legislativa DE Campos, JUNHO Júlio César DE 2008 2.ª 1.ª Secretaria: Oliveira, Marcelo

Leia mais

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência?

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Dados preliminares do sistema de informações de mortalidade do Ministério da Saúde de

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO ANO XLIII - VITÓRIA-ES, SEXTA-FEIRA, 26 DE JUNHO DE 2009 - Nº 6354-62 PÁGINAS SMCS Composição, Diagramação, Arte Final. REPROGRAFIA Impressão 3ª SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DO CONSELHO, ATRIBUIÇÕES E SUA COMPOSIÇÃO Art. 1.º- O Conselho Municipal de Educação de Carlos Barbosa, criado pela Lei Municipal nº1.176 de

Leia mais

Prof. Edison Barlem ebarlem@gmail.com

Prof. Edison Barlem ebarlem@gmail.com Prof. Edison Barlem ebarlem@gmail.com Educação do olhar enxergar entender AÇÃO compreender entender textos e Condicionantes da Saúde da cria sistemas cidade meio ambiente idoso família pré-natal saúde

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS CÂMARA MUNICIPAL DE MACEIÓ SETOR DE ATAS E DEBATES ATA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA DISCUTIR O TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA.

ESTADO DE ALAGOAS CÂMARA MUNICIPAL DE MACEIÓ SETOR DE ATAS E DEBATES ATA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA DISCUTIR O TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA. ATA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA DISCUTIR O TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA. Aos (19) dezenove dias do mês de abril do ano de 2013 às (10h00) dez horas, sob a presidência da vereadora Tereza Nelma, reuniu-se

Leia mais

Sistema Único de Saúde. 15 anos de implantação: Desafios e propostas para sua consolidação.

Sistema Único de Saúde. 15 anos de implantação: Desafios e propostas para sua consolidação. Sistema Único de Saúde 15 anos de implantação: Desafios e propostas para sua consolidação. 2003 Sistema Único de Saúde! Saúde como direito de cidadania e dever do Estado, resultante de políticas públicas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA FE/FFCL

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA FE/FFCL REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA FE/FFCL 2 CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º O Comitê de Ética em Pesquisa, multidisciplinar, é um órgão colegiado, instituído através da Portaria n.03/2008,

Leia mais

A saúde do tamanho do Brasil

A saúde do tamanho do Brasil A saúde do tamanho do Brasil BREVE HISTÓRIA DE UMA LONGA CAMINHADA A saúde é um direito de todos e um dever do Estado. Essa conquista social, incorporada à Constituição Federal de 1988 e construída a partir

Leia mais

UNIÃO DOS POVOS INDÍGENAS DO VALE DO JAVARI Unidos pela Defesa e pela Autonomia dos P ovos Indíg enas do Vale do Javari

UNIÃO DOS POVOS INDÍGENAS DO VALE DO JAVARI Unidos pela Defesa e pela Autonomia dos P ovos Indíg enas do Vale do Javari NOTA 001 UNIVAJA 2015 Atalaia do Norte AM, 12 de março de 2015. União dos Povos Indígenas do Vale do Javari UNIVAJA, instância de personalidade jurídica, representado pelos povos indígenas Mayuruna, Matis,

Leia mais

Estatística de projetos de leis protocolados, aprovados e em tramitação

Estatística de projetos de leis protocolados, aprovados e em tramitação PROPOSIÇÕES 2010 2011 Mensagens do Prefeito Municipal 084 79 Anteprojetos de Leis 056 26 Projetos de Leis (de autoria dos Senhores Vereadores) 098 70 Projetos de Leis Complementares 015 8 Projetos de Decretos

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 3.761, DE 2004

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 3.761, DE 2004 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 3.761, DE 2004 Cria o Fundo Nacional de Prevenção e de Combate ao Alcoolismo, e dá outras providências. Autor: Deputado Wilson Santos Relator:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO Ata da 2ª Reunião Ordinária de Setembro de 2012

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO Ata da 2ª Reunião Ordinária de Setembro de 2012 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 ATA DA SEGUNDA REUNIÃO ORDINÁRIA DO MÊS DE SETEMBRO DO ANO DE DOIS MIL E DOZE DA CÂMARA DEPARTAMENTAL

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO ANO XLIII - VITÓRIA-ES, QUINTA-FEIRA, 07 DE MAIO DE 2009 - Nº 6320-98 PÁGINAS SMCS Composição, Diagramação, Arte Final. REPROGRAFIA Impressão 3ª SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA

Leia mais

REGIMENTO XII CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO. Capítulo I DAS CONVOCAÇÕES

REGIMENTO XII CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO. Capítulo I DAS CONVOCAÇÕES REGIMENTO XII CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO Art. 1º - O presente Regimento, previsto pelo art. 24, 2º, da Lei nº 5.104/2009, se destina a regulamentar à XII Conferência Municipal de

Leia mais

Assessor de Assuntos Jurídicos: Dr. Carlos Augusto Maschietto Pereira

Assessor de Assuntos Jurídicos: Dr. Carlos Augusto Maschietto Pereira 10ª Sessão Ordinária, de 17 de junho de 2014. Presidente: Vereador José Renato Furlanetto Romano 1º Secretário: Vereador Rogério Mendes 2º Secretário: Vereador Márcio Fernando Buzatto Vereadores presentes

Leia mais

RELATÓRIO EIXO TEMÁTICO: INCLUSÃO SOCIAL E POLÍTICAS PÚBLICAS GRUPO DE TRABALHO 2: SAÚDE

RELATÓRIO EIXO TEMÁTICO: INCLUSÃO SOCIAL E POLÍTICAS PÚBLICAS GRUPO DE TRABALHO 2: SAÚDE RELATÓRIO EIXO TEMÁTICO: INCLUSÃO SOCIAL E POLÍTICAS PÚBLICAS GRUPO DE TRABALHO 2: SAÚDE 1. NOME COMPLETO DO RELATOR 2. E-MAIL MOACIR DE FREITAS JUNIOR moacirfreitasjr@yahoo.com.br 1. INÍCIO O grupo de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FEIRA DE SANTANA ESTADO DA BAHIA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CMDI

PREFEITURA MUNICIPAL DE FEIRA DE SANTANA ESTADO DA BAHIA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CMDI PREFEITURA MUNICIPAL DE FEIRA DE SANTANA ESTADO DA BAHIA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CMDI (Extrato) REGIMENTO INTERNO O Conselho Municipal do Idoso de Feira

Leia mais

FUNCASAL REGIMENTO INTERNO CONSELHO FISCAL

FUNCASAL REGIMENTO INTERNO CONSELHO FISCAL FUNCASAL REGIMENTO INTERNO CONSELHO FISCAL dezembro/2008 Capítulo I Da competência do Conselho Fiscal Art. 1º Como órgão de controle interno da EFPC, compete ao Conselho Fiscal, na forma estabelecida no

Leia mais

Ata n. 25 da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Medeiros Neto BA.

Ata n. 25 da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Medeiros Neto BA. Ata n. 25 da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Medeiros Neto BA. Aos quatro (04) dias do Mês de Março (03) do ano de Dois Mil e Treze (2013), às 17:35 horas, com a presença de nove (09) vereadores,

Leia mais

PROJETOS DE EXTENSÃO

PROJETOS DE EXTENSÃO PROJETOS DE EXTENSÃO Título do Projeto Descrição Público - Alvo Medicina e Arte Realizam-se sessões cinema, voltados para a área de medicina e Acadêmicos e Funcionários da FMJ em seguida são feitos debates

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO ANO XLIX VITÓRIA ES, QUARTA-FEIRA, 22 DE ABRIL DE 2015 Nº 7741 08 PÁGINAS DPL - Editoração, Composição, Diagramação e Arte-Final. Reprografia: Impressão 1ª SESSÃO LEGISLATIVA

Leia mais

Painel 2 Experiências Setoriais: o Monitoramento nas Áreas da Educação e Saúde Afonso Teixeira dos Reis MS Data: 14 e 15 de abril de 2014.

Painel 2 Experiências Setoriais: o Monitoramento nas Áreas da Educação e Saúde Afonso Teixeira dos Reis MS Data: 14 e 15 de abril de 2014. Painel 2 Experiências Setoriais: o Monitoramento nas Áreas da Educação e Saúde Afonso Teixeira dos Reis MS Data: 14 e 15 de abril de 2014. Ministério da Saúde / Secretaria-Executiva Departamento de Monitoramento

Leia mais

Valores Propostos para o Programa no Período 2002 a 2005 2.002 2.003 2.004 2.005 Total Recursos 77,5 79,1 82,3 86,4 325,3

Valores Propostos para o Programa no Período 2002 a 2005 2.002 2.003 2.004 2.005 Total Recursos 77,5 79,1 82,3 86,4 325,3 Plano Plurianual 2.002 2.005 Saúde Objetivo Geral Principais secretarias envolvidas: SMS A Secretaria Municipal de Saúde, cumprindo o programa do Governo da Reconstrução, implantará o SUS no município.

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

1305ª Sessão Ordinária Aos oito dias do mês de setembro do ano de dois mil e quatorze, às dezoito horas, reuniu-se a Câmara de Vereadores de Arroio

1305ª Sessão Ordinária Aos oito dias do mês de setembro do ano de dois mil e quatorze, às dezoito horas, reuniu-se a Câmara de Vereadores de Arroio 1305ª Sessão Ordinária Aos oito dias do mês de setembro do ano de dois mil e quatorze, às dezoito horas, reuniu-se a Câmara de Vereadores de Arroio do Tigre em Sessão Ordinária, sob a presidência do vereador

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO ANO XLIII - VITÓRIA-ES, QUINTA-FEIRA, 23 DE ABRIL DE 2009 - Nº 6311-22 PÁGINAS SMCS Composição, Diagramação, Arte Final. REPROGRAFIA Impressão 3ª SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA

Leia mais

Relatório de. Gestão

Relatório de. Gestão Relatório de Gestão Sumário Apresentação... 2 Serviços Ofertados... 3 Recursos Humanos... 4 Análise Operacional... 5... U RGÊNCIA E EMERGÊNCIA... 5... A MBULATÓRIO... 6... I NTERNAÇÃO... 7... D ESEMPENHO

Leia mais

2013/2016, REALIZADA NA CÂMARA MUNICIPAL DE MURIAÉ, EDIFÍCIO MANUEL CORRÊA DO PRADO, SITUADA À PRAÇA CORONEL PACHECO DE MEDEIROS, S

2013/2016, REALIZADA NA CÂMARA MUNICIPAL DE MURIAÉ, EDIFÍCIO MANUEL CORRÊA DO PRADO, SITUADA À PRAÇA CORONEL PACHECO DE MEDEIROS, S ATA DA 9 a REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA DA 33 a LEGISLATURA, 2013/2016, REALIZADA NA CÂMARA MUNICIPAL DE MURIAÉ, EDIFÍCIO MANUEL CORRÊA DO PRADO, SITUADA À PRAÇA CORONEL PACHECO DE MEDEIROS,

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL ATA SUCINTA DA 40ª (QUADRAGÉSIMA) SESSÃO ORDINÁRIA,

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL ATA SUCINTA DA 40ª (QUADRAGÉSIMA) SESSÃO ORDINÁRIA, 1 TERCEIRA SECRETARIA DIRETORIA LEGISLATIVA DIVISÃO DE TAQUIGRAFIA E APOIO AO PLENÁRIO SETOR DE TRAMITAÇÃO, ATA E SÚMULA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA DA 6ª LEGISLATURA ATA SUCINTA DA 40ª (QUADRAGÉSIMA) SESSÃO

Leia mais

Parecer sobre a Administração da Santa Casa

Parecer sobre a Administração da Santa Casa Relatório da Comissão Especial de Saúde e PSF Relatório Final. Frente ao reclame da população do Município de Ubatuba, e diante do caos que se instalou na saúde, a Comissão de Estudos apresenta o Relatório

Leia mais

LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009.

LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009. LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009. DISPÕE SOBRE A REESTRUTURAÇÃO DO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE SAÚDE, CRIAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL, DA DIVISÃO DE MEIO-AMBIENTE E

Leia mais

MEDICAMENTOS DE ALTO CUSTO: QUEM PAGA A CONTA?

MEDICAMENTOS DE ALTO CUSTO: QUEM PAGA A CONTA? MEDICAMENTOS DE ALTO CUSTO: QUEM PAGA A CONTA? De acordo com a Constituição Federal do Brasil, no capítulo dos direitos sociais, todo cidadão tem o direito à saúde, educação, trabalho, moradia, lazer,

Leia mais

Câmara Municipal de Carnaubal

Câmara Municipal de Carnaubal Câmara Municipal de Carnaubal ATA DA 2º ( SEGUNDDA) SESSÃO ORDINÁRIA DO 1º PRIMEIRO PERÍODO LEGISLATIVO ANO 2015 Ata da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Carnaubal CE; realizada no dia 24 ( VINTE

Leia mais

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde Informativo interativo eletrônico do CNS aos conselhos de Saúde Brasília, junho de 2006 Editorial O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde A aprovação unânime do Pacto pela Saúde na reunião

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE INFORMÁTICA NATAL, 08.07.2005 BOLETIM OFICIAL 2222 ANO XVI SEXTA-FEIRA

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE INFORMÁTICA NATAL, 08.07.2005 BOLETIM OFICIAL 2222 ANO XVI SEXTA-FEIRA A MESA DIRETORA Deputado ROBINSON FARIA PRESIDENTE Deputada LARISSA ROSADO 1 VICE-PRESIDENTE Deputado RICARDO MOTTA 1 SECRETÁRIO Deputado ALEXANDRE CAVALCANTI 3 SECRETÁRIO Deputado VIVALDO COSTA 2 VICE-PRESIDENTE

Leia mais

O PACTO PELA VIDA É UM DOS SUBCOMPONENTES DO PACTO PELA SAÚDE PORTARIA 399/06. É O MARCO JURÍDICO DA PRIORIZAÇÃO DA SAÚDE DO IDOSO NO BRASIL

O PACTO PELA VIDA É UM DOS SUBCOMPONENTES DO PACTO PELA SAÚDE PORTARIA 399/06. É O MARCO JURÍDICO DA PRIORIZAÇÃO DA SAÚDE DO IDOSO NO BRASIL SAÚDE DO IDOSO CURSO ESPECÍFICOS ENFERMAGEM - A Saúde do Idoso aparece como uma das prioridades no Pacto pela Vida, o que significa que, pela primeira vez na história das políticas públicas no Brasil,

Leia mais

Circular 435/2014 São Paulo, 08 de Agosto de 2014.

Circular 435/2014 São Paulo, 08 de Agosto de 2014. Circular 435/2014 São Paulo, 08 de Agosto de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) Define os temas e objetivos prioritários para apresentação dos projetos do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional

Leia mais

ANEXO I DO OBJETO. Descrição da Prestação de Serviços relacionados à CIRURGIA GERAL da FUSAM, compreendendo as seguintes funções:

ANEXO I DO OBJETO. Descrição da Prestação de Serviços relacionados à CIRURGIA GERAL da FUSAM, compreendendo as seguintes funções: ANEXO I DO OBJETO Descrição da Prestação de Serviços relacionados à CIRURGIA GERAL da FUSAM, compreendendo as seguintes funções: 1) Os serviços deverão ser prestados nas dependências da Fundação por profissionais

Leia mais

A MESA DIRETORA Deputado RICARDO MOTTA PRESIDENTE

A MESA DIRETORA Deputado RICARDO MOTTA PRESIDENTE A MESA DIRETORA Deputado RICARDO MOTTA PRESIDENTE Deputado GUSTAVO CARVALHO 1 VICE-PRESIDENTE Deputado LEONARDO NOGUEIRA 2 VICE-PRESIDENTE Deputado GUSTAVO FERNANDES 1 SECRETÁRIO Deputado RAIMUNDO FERNANDES

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação (CME) Venâncio Aires - RS

Regimento do Conselho Municipal de Educação (CME) Venâncio Aires - RS Regimento do Conselho Municipal de Educação (CME) Venâncio Aires - RS CAPITULO I DA NATUREZA Art. 1º O Conselho Municipal de Educação de Venâncio Aires, consolidado pela lei Municipal nº 3904 de 16 de

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO ANO XLIV - VITÓRIA-ES, QUINTA-FEIRA, 01 DE JULHO DE 2010 - Nº 6592-200 PÁGINAS SMCS Composição, Diagramação, Arte Final. REPROGRAFIA Impressão 4ª SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA

Leia mais

Arvorezinha, Capital Nacional da Erva Mate e do Melhor Chimarrão

Arvorezinha, Capital Nacional da Erva Mate e do Melhor Chimarrão ATA Nº 001/2011 Aos dois (02) dias do mês de fevereiro de dois mil e onze (2011), às dezenove (19) horas e trinta (30) minutos, no auditório Domingos Dorigoni, Município de Arvorezinha, Estado do Rio Grande

Leia mais

ANEXO I DO OBJETO. 3) Os profissionais contratados deverão providenciar o cadastramento junto ao corpo clínico da CONTRATANTE, como membros efetivos;

ANEXO I DO OBJETO. 3) Os profissionais contratados deverão providenciar o cadastramento junto ao corpo clínico da CONTRATANTE, como membros efetivos; ANEXO I DO OBJETO Descrição da PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM NEUROCIRURGIA E NEUROLOGIA AOS PACIENTES DO HOSPITAL, PRONTO SOCORRO ADULTO, PRONTO SOCORRO INFANTIL E AMBULATÓRIO, compreendendo as seguintes funções:

Leia mais

PORTARIA 1.600, DE 7 DE JULHO DE

PORTARIA 1.600, DE 7 DE JULHO DE PORTARIA No- 1.600, DE 7 DE JULHO DE 2011 Reformula a Política Nacional de Atenção às Urgências e institui a Rede de Atenção às Urgências no Sistema Único de Saúde (SUS). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE,

Leia mais

ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA

ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA Aos vinte e sete dias do mês de dezembro do ano de dois mil e seis, às quatorze horas e treze minutos, na empresa Associação de Ensino Superior de Nova Iguaçu, sediada na Acidentes, registrada na delegacia

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA LEGISLATIVA NATAL, 22.10.2007 BOLETIM OFICIAL 2389 ANO XVIII SEGUNDA-FEIRA

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA LEGISLATIVA NATAL, 22.10.2007 BOLETIM OFICIAL 2389 ANO XVIII SEGUNDA-FEIRA A MESA DIRETORA Deputado ROBINSON FARIA PRESIDENTE Deputada MÁRCIA MAIA 1 VICE-PRESIDENTE Deputado RICARDO MOTTA 1 SECRETÁRIO Deputado LUIZ ALMIR 3 SECRETÁRIO Deputado EZEQUIEL FERREIRA 2 VICE-PRESIDENTE

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA

CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA Art.1º - A SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE - SUSAM integra a Administração Direta do Poder Executivo, na forma da Lei nº 2783, de 31 de janeiro de 2003, como órgão responsável,

Leia mais

A regulação médico-hospitalar nos sistemas de saúde público e privado

A regulação médico-hospitalar nos sistemas de saúde público e privado HUMANIZAÇÃO E ACESSO DE QUALIDADE A regulação médico-hospitalar nos sistemas de saúde público e privado Alexandre Mont Alverne 25/11/2015 Regulação Significado: Michaelis: Regular+ção: ato ou efeito de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS Gabinete do Prefeito

PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS Gabinete do Prefeito Of/GP/CM/069/09 Canoas, 22 de abril de 2009. Senhor Presidente: Vimos respeitosamente apresentar para apreciação desta Casa Legislativa o Projeto de Lei 24/09, que Cria o Conselho Municipal de Segurança

Leia mais

CURSO: O SUS PARA NOVOS SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Início da Nova Gestão Diagnóstico, Planejamento e Controle Social.

CURSO: O SUS PARA NOVOS SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Início da Nova Gestão Diagnóstico, Planejamento e Controle Social. CURSO: O SUS PARA NOVOS SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Início da Nova Gestão Diagnóstico, Planejamento e Controle Social. TRANSIÇÃO Organograma Oficial da Secretaria com os atuais ocupantes, condição (efetivo ou

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO ANO XLIV - VITÓRIA-ES, QUARTA-FEIRA, 09 DE JUNHO DE 2010 - Nº 6577-108 PÁGINAS SMCS Composição, Diagramação, Arte Final. REPROGRAFIA Impressão 4ª SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA. SUPREMA. Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais CEUA CAPÍTULO I

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA. SUPREMA. Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais CEUA CAPÍTULO I FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA. SUPREMA Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais CEUA CAPÍTULO I Da Natureza e Finalidade Art.1º A Comissão de Ética no Uso de

Leia mais

Projeto. Amigos da Rede

Projeto. Amigos da Rede PREFEITURA MUNICIPAL DE MAUÁ e Ribeirão Pires Projeto Amigos da Rede Mauá Dez/2009. 1. APRESENTAÇÃO O município de Mauá, que integra a Região metropolitana de São Paulo, realizou sua emancipação a partir

Leia mais

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso Como se Tornar um Município Amigo do Idoso Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso 2 3 GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo ROGERIO HAMAM Secretário de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

É permitida a reprodução total ou parcial desta obra, desde que citada a fonte.

É permitida a reprodução total ou parcial desta obra, desde que citada a fonte. 2003. Ministério da Saúde. É permitida a reprodução total ou parcial desta obra, desde que citada a fonte. Série B. Textos Básicos de Saúde MS Série Políticas de Saúde Tiragem: 10.000 exemplares Elaboração,

Leia mais

Política Municipal de Saúde Perinatal. Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte

Política Municipal de Saúde Perinatal. Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte Política Municipal de Saúde Perinatal Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte BH -REDE ASSISTENCIAL 9 Distritos Sanitários 147 Centros de Saúde 544 ESF 2.420 ACS CERSAM, UPA, outros 34 hospitais conveniados

Leia mais

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente p Relatório Consulta Bico do Papagaio Oficinas 279 pessoas se credenciaram para participar das oficinas na cidade de Tocantinópolis. Foi solicitado à elas que elencassem as demandas e problemas regionais.

Leia mais

ATA DA SESSÃO Nº 2.506/2006

ATA DA SESSÃO Nº 2.506/2006 ATA DA SESSÃO Nº 2.506/2006 Aos dezoito dias do mês de Julho de 2006, às 20:00 horas no Plenário da Câmara de Vereadores de Joaçaba, com a presença de todos vereadores, deu-se por aberta a sessão. Com

Leia mais

Ver. RICARDO MACIEL 1.º Secretário. Página 5 de 5

Ver. RICARDO MACIEL 1.º Secretário. Página 5 de 5 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 ATA N.º 070/2012 Aos nove dias do mês de agosto do ano de dois mil e doze, nesta Cidade, no Plenário desta Casa Legislativa,

Leia mais

Respire aliviado! Tuberculose tem cura

Respire aliviado! Tuberculose tem cura Respire aliviado! Tuberculose tem cura O que é tuberculose? A tuberculose é uma doença infecciosa causada por um micróbio visível apenas ao microscópio, chamado Bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis).

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 01/2011 - SMDS O Município de Canoas, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, torna público o presente e convida os interessados e as interessadas a apresentar

Leia mais

SENADO FEDERAL Comissão de Assuntos Sociais

SENADO FEDERAL Comissão de Assuntos Sociais SENADO FEDERAL Comissão de Assuntos Sociais AUDIÊNCIA PÚBLICA REALIZADA NA COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS EM 28 DE JUNHO DE 2006 PARA INSTRUIR O PROJETO DE LEI DO SENADO Nº25, DE 2002, QUE DISPÕE SOBRE O

Leia mais

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE Paulo Eduardo Elias* Alguns países constroem estruturas de saúde com a finalidade de garantir meios adequados para que as necessidades

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO

DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO DIÁRIO OFICIAL PODER LEGISLATIVO ANO XLIX VITÓRIA-ES, QUINTA-FEIRA, 06 DE AGOSTO DE 2015 Nº 7812 08 PÁGINAS DPL - Editoração, Composição, Diagramação e Arte-Final. Reprografia: Impressão 1ª SESSÃO LEGISLATIVA

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Cascais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Cascais Regimento do Conselho Municipal de Educação de Cascais Índice Natureza e Objetivos 2 Competências 2 Composição 3 Comissão Permanente 4 Presidência 5 Periodicidade 5 Convocação das reuniões 6 Quórum 6 Uso

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE TÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS CAPÍTULO I - DA COMPOSIÇÃO Art. 1º O CONSEPE é o órgão colegiado superior que supervisiona e

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE ROLIM DE MOURA

ESTADO DE RONDÔNIA PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE ROLIM DE MOURA ESTADO DE RONDÔNIA PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE ROLIM DE MOURA Gabinete da Presidência/Técnica Legislativa Avenida João Pessoa, 4463 Centro Fone: (69) 3 442-1629 Rolim de Moura Rondônia. CÓPIA

Leia mais

Pronunciamento da Deputada Telma de Souza no dia 09 de Agosto de 2005 Breves Comunicações. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Parlamentares

Pronunciamento da Deputada Telma de Souza no dia 09 de Agosto de 2005 Breves Comunicações. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Parlamentares Pronunciamento da Deputada Telma de Souza no dia 09 de Agosto de 2005 Breves Comunicações Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Parlamentares Para dar ciência à Câmara Federal, solicitando sua transcrição

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE CMS - BARRA MANSA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE CMS - BARRA MANSA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE CMS - BARRA MANSA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo 1º - O Presente Regimento Interno Dispõe sobre a natureza, finalidade, competência, definir

Leia mais

Clipping Eletrônico Sexta-feira dia 14/11/2014

Clipping Eletrônico Sexta-feira dia 14/11/2014 Clipping Eletrônico Sexta-feira dia 14/11/2014 Jornal Em Tempo - Dia a Dia - Página C1 14/11/2014 Jornal Em Tempo - Dia a Dia - Página C5 14/11/2014 Portal Acrítica - Saúde - 13 de novembro de 2014 Av.

Leia mais

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Maio de 2013 Magnitude do Câncer no Brasil 518 mil novos casos em 2013 Câncer de pele não melanoma deve responder

Leia mais

DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO

DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO 27 de outubro de 2009 DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO PRÓ-SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA www.redesaudedapopulacaonegra.blogspot.com RACISMO FAZ MAL À SAÚDE! A data de 27 de outubro é o Dia Nacional de Mobilização

Leia mais